Biotecnologia As Oportunidades que Surgem a Partir da Vida

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Biotecnologia As Oportunidades que Surgem a Partir da Vida"

Transcrição

1 Biotecnologia As Oportunidades que Surgem a Partir da Vida Há mais de uma década, quase tudo dizia respeito à promessa e ao potencial da biotecnologia. Agora o que importa é a performance. E vocês [membros da BIO] conseguiram: agora existem tratamentos para uma longa lista de doenças devastadoras: câncer de colo e de pulmão, esclerose múltipla, artrite, ataque do coração, só para mencionar algumas; há novas aplicações agrícolas e industriais e direcionadas ao meio ambiente, que já reduziram o uso de pesticidas, além de promoverem processos industrias limpos Carl Feldbaum Ex-Presidente da Biotechnology Industry Organization, em discurso de transferência de seu cargo após 11 anos (Califórnia, 8 de junho de 2004) Há 51 anos, James Watson e Francis Crick s descobriram o segredo da vida ou a estrutura de dupla hélice do DNA. Há 31 anos, Stanley Cohen e Herbert Boyer aperfeiçoaram as técnicas que proporcionaram a criação dos DNA s recombinantes. No ano passado, cientistas do projeto GENOMA conseguiram concluir todo o mapeamento genético dos seres humanos. Todas essas atividades listadas acima são hoje facilmente reconhecidas como atividades da biotecnologia. A biotecnologia, entretanto, é tão antiga quanto a prática da agricultura e a produção de pães e vinhos. Quatro mil anos antes de cristo, a fermentação para a fabricação de pães e cervejas já era realizada no Egito, queijos e vinhos eram produzidos na China e os babilônios utilizavam o controle da população de palmeiras na região com polimerização das árvores fêmeas. Mesmo as práticas biotecnológicas mais recentes, como a produção de antibióticos e a inseminação artificial, já eram utilizadas de forma rudimentar entre os anos 100 e Em 1.322, os árabes foram os primeiros a usarem técnicas de inseminação para produzirem cavalos de raça superiores. A partir dos anos de 1950, e mais intensivamente após a década de 80, a velocidade com que as descobertas e os avanços científicos ocorreram contribuíram para que o termo biotecnologia se popularizasse na literatura e na mídia. Também influenciaram o aumento dos atrativos comerciais em diversos setores e segmentos da indústria. Através desse estudo, mostramos o conceito teórico de biotecnologia, suas áreas de aplicação, o perfil das empresas de biotecnologia nos Estados Unidos e no Brasil, além de algumas tendências e oportunidades de negócio nas áreas que a biotecnologia engloba. Afinal de contas, o que é? De acordo com a Biotechnology Industry Organization (BIO), o novo termo empregado para biotecnologia (usado a partir de 1919), refere-se ao uso de células e biomoléculas para resolução de problemas ou transformação em produtos: biotecnologia é um conjunto de técnicas que potencializa as melhores características das células, como suas capacidades produtivas, e disponibiliza moléculas biológicas, como DNA e proteínas, para nos servir 1.

2 A biotecnologia é uma ciência cujos conhecimentos são empregados em diversos segmentos e setores da economia, desde os mais tradicionais e amplamente difundidos entre as pessoas, até aqueles mais recentes, surgido a partir de inovações radicais. A indústria biotecnológica se refere ao conjunto de segmentos conforme apresentado na figura 1. Áreas de Inserção Áreas Principais Saúde Humana Saúde Animal Meio Ambiente Diagnósticos Fármacos Fitofármacos Vacinas e Soros Identificação Genética Reprodução Humana Veterinária Reprodução Animal Vacinas Aquacultura Identificação Genética Transgênicos Plantas Ornamentais e Medicinais Produtos Florestais Bioinseticidas Biofertilizantes Inoculantes Transgênicos Biorremediação Tratamento de Resíduos Análises Combustíveis Recuperação de florestas Instrumental Fornecedores Outros Atividades Sinérgicas Tecnologia da Informação Pesquisa básica Equipamentos Insumos Suprimentos em geral Biomateriais Química Fina Serviços Fonte: BIOMINAS, Parque Nacional de Empresas de Biotecnologia, 2001 Análise e Construção Instituto Inovação Figura 1 Identificamos dois grupos de atividades relacionadas à biotecnologia. O primeiro abrange as atividades que desenvolvem tecnologias destinadas à saúde humana, saúde animal, agronegócios e meio ambiente. São caracterizados de acordo com a definição de biotecnologia estabelecida anteriormente. A esse grupo denominamos Áreas Principais. O segundo grupo oferece suporte a essas atividades principais. Nomeamos esse de Atividades Sinérgicas. Este grupo não desenvolve células ou manipula moléculas, mas produz equipamentos, softwares ou outros conhecimentos, servindo de base para as atividades do primeiro grupo. Para ilustrar melhor a divisão dos dois grupos, podemos tomar duas empresas como exemplo: a Biobrás, primeira empresa de biotecnologia do Brasil, produz insulina humana sintética, utilizada no controle e prevenção da diabetes, através da manipulação de proteínas em bactérias. Pelo outro lado, a CELM, empresa paulista, não utiliza células ou moléculas em seu processo produtivo, mas fornece máquinas e equipamentos ao primeiro grupo. O grupo Áreas Principais envolve atividades com quatro focos distintos. Há diversas empresas atuando no Brasil em cada uma dessas grandes áreas biotecnológicas. A figura 2 apresenta as atividades de algumas das principais empresas brasileiras.

3 Empresas de Biotecnologia no Brasil Área de Atuação Biodiversidade Diagnóstico Diagnóstico Farmacêutica, insulina Farmacêutica Farmaquímico Farmacêutico Farmacêutico Fitoterápico Fitoterápico Identificação Genética Identificação Genética Insulina Imunodiagnósticos Vacina, medicamento Vacina, probiótico Saúde Humana Empresa Biosintética Biogenes Dialab Biobrás Equiplex Microbiológica Pharma Nectar Silvestre Belém Jardim Simbios Biocod Trópicos Biomm FK-Biotecnologia FIOCRUZ Vallée UF PE GO RJ RJ RS GO RS RJ Área de Atuação Imunobiológico Reprodução Reprodução Veterinária Área de Atuação Aquacultura Bioinseticida Melhor. Genético Planta ornamental Área de Atuação Biorremediação Biorremediação Tratamento resíduos Tratamento resíduos Fonte: BIOMINAS, Parque Nacional de Empresas de Biotecnologia, 2001; Pesquisa Instituto Inovação Saúde Animal Empresa Microvet Cenatte Taurus Tecsa Empresa Castagnolli Gravena In Vitro Atlântica Meio Ambiente Empresa Hábil LM Lab. Biotecnologia Brandt Genotox Figura 2 UF UF DF UF RS Essas atividades, apesar de se distribuirem entre quatro áreas, são passíveis de interação entre elas, ou seja, essa divisão não é completamente rígida. A Pharma Néctar, por exemplo, realiza inseminação artificial em abelhas de forma a maximizar a qualidade da produção de própolis utilizado em muitos fármacos. É uma técnica de saúde animal aplicada para melhoria da saúde humana. Outras empresas chamam a atenção pela inovação tecnológica que representam dentro de suas áreas de atuação. A LM Tratamento de Resíduos trata lixões utilizando processos físicos, químicos e biológicos, entre eles a biorremediação, ou seja, a inserção de bactérias nas áreas a serem tratadas para a aceleração da decomposição dos rejeitos. Pelo lado da saúde animal, a Cenatte Embriões foi uma das pioneiras no melhoramento genético das raças zebus no Brasil, utilizando técnicas modernas de seleção de embriões e inseminação artificial. As principais características desse mercado Em 2001, de acordo com o estudo da Fundação Biominas 2, o Brasil posicionava-se entre os 10 países com o maior número de empresas de biotecnologia no mundo, com 304 identificadas. Esse mercado englobava um faturamento de aproximadamente US$4 bilhões, empregando mais de 27,8 mil pessoas, a maioria de alta capacitação técnica 3. Essas 304 empresas de biotecnologia do país se distribuíam da seguinte forma 4 : 24% Saúde Humana 20% Fornecedores e Instrumental Complementar 12% 4% Saúde Humana, Animal e Vegetal 4% Saúde Animal 4% Meio Ambiente

4 11% Outros As atividades de biotecnologia são, em geral, bastante intensivas em P&D. A média de investimentos nessas atividades chega a 55% do faturamento das empresas de biotecnologia americanas, conforme figura 3. Esses investimentos refletem no número de patentes. Anualmente, essas empresas patenteiam mais de tecnologias e produtos. No Brasil, os dados disponíveis não nos permitem comparações exatas dos investimentos em P&D com relação à receita das empresas. Uma pesquisa realizada pela Universidade Estadual de Montes Claros 5 em 2002 mostra que 42% das empresas de biotecnologia mineiras investiam mais de 10% do seu faturamento em atividades de P&D, 27% alocavam menos de 2% do faturamento, ao passo que 30,77% das empresas investiam entre 4 e 10%. Comparando com dados do IBGE 6 para outros setores da economia brasileira, esses números são bastante elevados. Outro fator que impacta positivamente os investimentos em P&D é que 90% das empresas de biotecnologia possuem laboratórios próprios. Indicadores da Biotecnologia nos EUA e no Brasil Número de Empresas Faturamento (US$) Número de Empregos Investimento em P&D (US$) Patentes (patentes/empresa)** EUA ,5 bilhões ,7 bilhões 5,3 Brasil 304 3,9 bilhões N/D 0,9 Investimento de Capital de Risco 31% das empresas 3% das empresas Produtividade (faturamento/empresa)* 19,6 milhões 12,8 milhões Produtividade (faturamento/empregado)* 149,2 mil 140,2 mil Fonte: BIO, Editor s and Report s Guide BIOMINAS, Parque Nacional de Empresas de Biotecnologia, 2001 *Análise Instituto Inovação ** No caso americano, referente ao número de patentes por ano; no caso brasileiro, patentes desde Figura 3 Apesar do investimento, o número de patentes por empresa brasileira ainda não é o desejável. O número médio de depósitos por empresa foi de apenas 0,9, considerando as patentes entre os anos de 1996 a Por pertencerem a setores intensivos em pesquisa, as empresas de biotecnologia demandam elevado nível de investimento. Normalmente, os empresários não dispõem de recursos suficientes para a alavancagem de seus negócios. Nesse sentido, o capital de risco executa um papel essencial. No Brasil, apesar de toda movimentação financeira para aporte a empresas nascentes de base tecnológica, a maioria dos investimentos é realizada em setores não tecnológicos 7. Em biotecnologia ainda é pequeno o número de empresas que receberam esse tipo de investimento no Brasil. De todas as empresas de biotecnologia identificadas, somente 3% tiveram aporte desses investidores. Como apresentado na figura 3, tal número era 10 vezes maior nos Estados Unidos.

5 Mesmo com essas diferenças, dois indicadores de produtividade mostram que as empresas brasileiras são bastante competitivas em relação às empresas americanas: faturamento por empresa (66% do indicador americano) e faturamento por empregado (94%). São Paulo é o estado brasileiro com o maior número de empresas inseridas nas Atividades Sinérgicas, enquanto Minas Gerais, por sua vez, é o estado com o maior número de empresas inseridas nas Áreas Principais, com destaque para saúde humana. Em maio de 2004, o Instituto Evaldo Lodi (IEL) lançou o diagnóstico das empresas de biotecnologia de Minas Gerais 8. Esse documento é o mais recente sobre o assunto 9 e permite tecer algumas considerações com relação à evolução da biotecnologia no país. A biotecnologia em Minas Gerais Número de Empresas Empresas com ISO 9000 (%) Patentes por empresa Empresas que receberam investimento de CR (%)* ,94 1, Área de Atuação das Empresas de Biotecnologia em 2% 9% 18% 15% Saúde Humana Meio Ambiente Outros 56% Saúde Animal Fonte: FIE, Resumo Executivo do Diagnóstico do Setor de Biotecnologia em Minas Gerais, 2004 * O valor médio investido pelos fundos, por empresa, foi de R$ ,00 Figura 4 Em 2001, haviam 78 empresas registradas no Estado. Nesse período surgiram 20 empresas e outras 23 passaram por um processo de fusão ou mudaram de área ou foram extintas. Esses dados mostram a consolidação das empresas ligadas aos setores de biotecnologia e também o potencial de inovação, ou seja, criação de novas empresas baseadas em novas tecnologias. Mais adiante mostraremos as áreas nas quais as novas tecnologias foram desenvolvidas. Durante o período de 2001 a 2004, 18 empresas mineiras receberam investimentos de fundos de capital de risco da ordem de R$943 mil por empresa. Em 2001, nenhuma empresa estabelecida no estado havia recebido esse tipo de investimento. Esses valores contribuíram também para o aumento do número de patentes, que apresentou um crescimento de 38% nos 3 anos. As empresas de biotecnologia também estão preocupadas com a manutenção da qualidade e prosperidade de seus empreendimentos e com as demandas de

6 certificações exigidas no mercado mundial. Enquanto em 2001, somente 26% das empresas de biotecnologia eram certificados pela ISO, hoje 48% já estão inseridos nesse padrão. Além da tecnologia em si, a qualidade dos processos também auxilia as empresas no atendimento a demandas externas. O estudo revela que 40% das empresas mineiras já exportam e outros 40% têm a intenção de exportar. Para os demais setores da economia, agregados, somente 6% dos empreendedores têm intenção de exportar 10, o que revela uma importante característica do mercado das empresas biotecnológicas. Para onde vai a biotecnologia no Brasil? Segundo a revista The Economis, publicada em 15 de maio de , um estudo realizado pela Ernst & Young apontou uma tendência de crescimento das empresas de biotecnologia, tanto para os Estados Unidos quanto para os países Asiáticos. Isso, devido ao crescimento das receitas das empresas e também dos investimentos de risco aplicados. O mesmo não se confirma para a Europa, que diminuiu seus gastos em P&D e demitiu funcionários alocados em pesquisa. Para o Brasil, ainda não há um estudo concluído. Entretanto, considerando as informações para Minas Gerais em 2004, em comparação a 2001, percebemos a tendência de crescimento dos mesmos indicadores apontados pela Ernst & Young: em 2001 nenhuma empresa mineira havia recebido investimento em capital de risco, ao passo que em 2004 esse número era de 24%. Além do mais, desde aquele ano, o faturamento das empresas cresceu 32%. Para identificar as tendências das atividades de biotecnologia no Brasil, o Instituto Inovação investigou o perfil dos grupos de pesquisa em biotecnologia espalhados pelo país, as atividades realizadas pelas empresas incubadas nas principais incubadoras de foco em biotecnologia e as áreas de atuação das empresas start up identificadas pelo estudo do IEL entre os anos de 2002 e Os grupos de pesquisa representam o potencial de surgimento de novos produtos ou serviços baseados nas tecnologias pesquisadas por eles. Procurando por biotecnologia no Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, foram identificados 350 grupos, que se distribuem de acordo com a figuira 5.

7 Mapeamento dos Grupos de Pesquisa em Biotecnologia 7% 5% % 16% Saúde Animal Quatro Áreas 20% 40% Saúde Humana Meio Ambiente Outros Fonte: CNPq, Diretório dos Grupos de Pesquisa do Brasil. Base Corrente. No mapa estão os números de grupos de pesquisa por estado Figura A maioria dos grupos de pesquisa se insere no desenvolvimento de tecnologias direcionadas ao agronegócio, seguido por aquelas focadas em saúde humana. Completam a seqüência grupos que pesquisam saúde animal e, por último, os de meio ambiente. Ainda, 7% dos grupos investigam tecnologias direcionadas às quatro áreas e 5% não pesquisam tecnologias, mas debatem legislações, história e fatores econômicos que interferem no desenvolvimento da biotecnologia. Pesquisando pelas principais incubadoras focadas em biotecnologia no país 12, podemos acompanhar o desenvolvimento de novos produtos para reconstituição de tecidos ósseos, identificação de princípios ativos de plantas da biodiversidade brasileira, identificação de genes de animais, manipulação de fungos para tratamento de rebanhos, desenvolvimento de bioinseticidas, controle e monitoramento ambiental, produção de enzimas para formulação de detergentes biodegradáveis, comercialização de biotecnologias via Internet, entre outras. As tecnologias incubadas nos mostram o que aparecerá no mercado no curto prazo. As empresas start up, por sua vez, apontam como o terceiro fator de composição das tendências. As tecnologias desenvolvidas por elas são aquelas que acabaram de atingir o mercado. A pesquisa recente do IEL apontou as atividades desenvolvidas pelas 20 empresas mineiras de biotecnologia que surgiram entre os anos de 2002 e 2004, conforme apresentado na figura 6.

8 Tecnologias Incubadas e Empresas Start Up Saúde Humana Saúde Animal Meio Ambiente Tecnologias Incubadas Reconstituição de tecidos ósseos Estudos de vínculos genéticos e citogenética humana. Identificação genes de animais Manipulação de fungos contra doenças em animais Construção de arquitetura básica de cultivares Monitoramento de resíduos agrotóxicos Controle e monitoramento ambiental Recuperação de áreas degradadas Empresas Start Up Combate e prevenção ao câncer; P&D relacionado a cirurgia cardíaca; Exames de condições físicas de atletas assistidos por marcadores Serviços de biologia molecular e identificação genética de uso forense Seleção genética animal assistida por marcadores especialmente voltados a produtividade Fonte: Pesquisa Instituto Inovação em diversas incubadoras nacionais e páginas de pesquisa Google FIE, Resumo Executivo do Diagnóstico do Setor de Biotecnologia em Minas Gerais, 2004 Figura 6 A grande maioria das atividades recém iniciadas se inserem na área da saúde humana. O IEL não identificou nenhuma nova empresa surgida nas áreas de agronegócio e meio ambiente, o que pode constituir alguma dificuldade de empresariamento das tecologias desenvolvidas nesses setores. Incentivadas pelas tendências apresentadas acima, é possível identificar algumas oportunidades no mercado de biotecnologia: Saúde Humana De acordo com Joaquim A. Machado, em estudo sobre as tendências futuras da biotecnologia, investidores procuram por pesquisas que analisam recombinações genéticas in vitro, possibilitando uma evolução celular direcionada, e também pesquisas de novas plataformas biotecnológicas, ou seja, pesquisas que abrangem diferentes áreas do conhecimento. A saúde humana abrange uma ampla variedade de setores. Especificamente para fármacos e soluções para doenças ainda não controladas, o desenvolvimento das pesquisas é intenso. Grande parte dos grupos de pesquisa atua no desenvolvimento genético de tecidos e modificação de microorganismos para fabricação de vacinas e outros medicamentos. A prestação de serviços, a venda e a comercialização de tecnologias podem se tornar uma oportunidade lucrativa para os primeiros entrantes. Segundo dados da UK Trade & Investment, o Brasil ainda importa cerca de US$1,5 bilhão em medicamentos, exportando apenas US$253 milhões. Atualmente, 65% dos medicamentos são compostos químicos produzidos em laboratórios, enquanto somente 10% são preparados a partir de animais ou microorganismos. Assim, o setor apresenta grandes perspectivas de crescimento, seja pela questão da balança comercial, seja pelo espaço de substituição de medicamentos sintéticos.

9 Saúde Animal O segmento de saúde animal é bastante desenvolvido no setor rural. Quase a totalidade dos grupos dessa área pesquisa técnicas de manipulação de gametas para melhoramento genético de rebanhos. Também, há grupos de pesquisa que buscam o tratamento para diversos tipos de doenças que atacam animais. Ainda é pouco explorado no Brasil, tanto pelo lado comercial, como em pesquisas, a biotecnologia destinada aos animais domésticos. Nas principais cidades brasileiras, há aproximadamente 35 milhões de animais entre gatos e cachorros de estimação, pertencentes às classes média e alta. Entre os campos a serem explorados está o desenvolvimento de vacinas, alimentos e diagnósticos mais eficientes. O Brasil é um dos maiores produtores de produtos agrícolas no mundo e constantemente desenvolve técnicas para aumento da competitividade. 40% dos grupos de pesquisa espalhados pelo país buscam novas tecnologias biotecnológicas para aumentar a produtividade das empresas desse segmento. O destaque são os alimentos transgênicos, cuja legislação ainda indefinida tem representado barreiras ao desenvolvimento de produtos e realização de novas pesquisas. Os transgênicos ainda são produzidos em um número reduzido de países e abrangem um pequeno número de culturas. O mercado fornecedor de insumos químicos para a agricultura também apresenta novas oportunidades. Com a preocupação ambiental e à saúde humana, adubos e fertilizantes, além de outros defensivos não químicos e não poluentes tornaram-se um atrativo para que as empresas de biotecnologia buscassem alternativas para o cultivo dos produtos agrícolas no mundo. Existem ainda oportunidades para a produção e a comercialização de mudas, tanto de culturas alimentícias, quanto de plantas ornamentais ainda pouco exploradas. As exportações dessas mudas não superam US$ 50 milhões anuais. Ainda há grande espaço para alcançar diversos mercados internacionais, visto que os principais clientes ainda são os países vizinhos, do Mercosul. Meio Ambiente A preocupação contínua com o meio ambiente, o destino dos lixos e a destruição acelerada das florestas faz com que pesquisadores ao redor do mundo procurem soluções para estes problemas. Diversas empresas já atuam no tratamento de efluentes industriais e domésticos, através de técnicas biológicas. Também os lixões das grandes cidades vêm sendo tratados biologicamente, de forma a diminuir seus efeitos de contaminação. Ainda há espaços para tecnologias destinadas à recuperação de florestas nativas, substituição de produtos derivados da madeira por compostos sintéticos e desenvolvimento de combustíveis não poluentes e de menor custo. O aperfeiçoamento da legislação ambiental e a mudança de consciência da população contribuem para a abertura de novos mercados.

10 Considerações finais De forma geral, todas os segmentos nos quais estão inseridas atividades de biotecnologia apresentam oportunidades de investimento. É através das atividades de P&D em biotecnologia que diversas soluções para doenças, reprodução, alimentação e meio ambiente serão encontradas. Como vimos, existem muitas oportunidades nos setores intensivos em biotecnologia, além das atividades de apoio à biotecnologia: tecnologia da informação, novos materiais, prestação de serviços (gestão da inovação, transferência de tecnologia, registro de produtos etc). As empresas ou empreendedores que desejam buscar oportunidades nesses mercados devem ficar atentos às legislações, às fontes de financiamento e de captação de recursos e às tendências de pesquisas nos laboratórios das universidades e de centros públicos e privados de pesquisa. Por fim, vale destacar que o mercado das empresas de biotecnologia apresenta algumas características peculiares que merecem ser consideradas. Primeiro, as atividades são bastante intensivas em P&D, o que normalmente implica na necessidade de laboratório próprio e estreita colaboração com centros de pesquisa e universidades. Por apresentar essa característica, os retornos sobre investimento são de longo prazo, não existem atalhos e as estratégias de curto prazo não são, em geral, recompensadoras. Outro fator que dever ser considerado é a gestão da inovação tecnológica. A maioria das empresas de biotecnologia é fundada por pesquisadores ou professores das universidades 13, que não possuem conhecimento gerencial e comercial para posicionamento da tecnologia no mercado. Isso pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso de um empreendimento, cuja tecnologia apresenta um grande potencial de mercado. Este estudo foi originalmente publicado na 4ª edição do Radar do Inovação, boletim eletrônico mensal do Instituto Inovação, em 15 junho de 2004, disponível em 1 Texto original: Biotechnology is a collection of technologies that capitalize on the attribute of cells, such as their manufacturing capabilities, and put biological molecules, such as DNA and proteins, to work for us. 2 Fonte: Fundação Biominas: Parque Nacional de Empresas de Biotecnologia. Belo Horizonte, Dezembro de O estudo da Universidade Estadual de Montes Claros revelou que as atividades relacionadas à biotecnologia são bastante especializadas, bastante intensivas em pesquisa. A grande maioria das empresas é fundada por especialistas no assunto e não por administradores. 4 Estudo Fundação Biominas Fonte: SOUZA, S. Biotecnologia em Minas Gerais: Potencialidades e Desafios para o Desenvolvimento Regional. Universidade Federal de Montes Claros. X Seminário de Economia Mineira. Diamantina, Esses dados foram apresentados em estudo do Instituto Inovação no mês de abril.

11 7 De acordo com a Associação Brasileira de Capital de Risco, em 2002, 53,64% dos investimentos de risco foram em áreas não tecnológicas e 46,36% em áreas intensivas em pesquisa, como biotecnologia, medicina, tecnologia da informação e semicondutores. Em 2003, 85,59% dos investimentos foram direcionados a áreas não tecnológicas e somente 14,41% a empresas tecnológicas. Fonte: Associação Brasileira de Capital de Risco: Pesquisa ABCR/Thompson 4ª etapa. Segundo semestre de Fonte: Instituto Evaldo Lodi: Diagnóstico do Setor de Biotecnologia em Minas Gerais Desafios Rumo a Resumo Execuivo. Belo Horizonte. Maio de O documento de data anterior é o estudo sobre Parque Nacional de Empresas de Biotecnologia 2001, da Fundação Biominas, também citado neste estudo. 10 Fonte: Global Enterpreurship Monitor (GEM). Empreendedorismo no Brasil: Relatório Global Informações coletadas no site Economist.com. Acesso em: Título da reportagem: On the mend: Brighter prospects for biotech in America and Asia. 12 As incubadoras pesquisadas foram: Fundação BIOMIONAS (), IE-CBIOT (RS) e Fundação BIORIO (RJ). 13 De acordo com a pesquisa realizada pela Universidade Estadual de Montes Claros, 77,22% das empresas mineiras foram fundadas por professores ou pesquisadores, enquanto que somente 19,44% foram fundadas por administradores de empresas. Outras referências: Biotechnology Industry Organization: Biotechnology: A New Link to Hope. Editor s and Report s Guide Estudos de Competitividade de cadeias integradas no Brasil: Biotecnologia e. Campinas. Dezembro de FAJNZYLBER, P. Fatores de competitividade e barreiras ao crescimento no pólo de biotecnologia de Belo Horizonte. Departamento de Economia e CEDEPLAR. Belo Horizonte, abril de MACHADO, J. Tendências futuras da biotecnologia: perspectivas para o setor industrial. São Paulo. Setembro de RESENDE, V. The Biotechnology Market in Brazil. Canada s Business and Consumer Site. Dezembro de Acessado em: UK Trade & Investment. Biotechnology and Pharmaceutical in Brazil: profile. Acessado em: ket

SUMÁRIO EXECUTIVO. Novembro 2009

SUMÁRIO EXECUTIVO. Novembro 2009 SUMÁRIO EXECUTIVO Novembro 2009 1 Introdução A Biomm se dedica ao desenvolvimento de processos de produção baseados na biotecnologia, área em que a sua equipe foi pioneira no Brasil desde os anos 1970.

Leia mais

Ambiente de Inovação. Biotecnologia. Micro e Pequenas Empresas

Ambiente de Inovação. Biotecnologia. Micro e Pequenas Empresas P&D e Inovação para Micro e Pequena Empresas do Estado do Rio de Janeiro: Como criar um ambiente de inovação nas empresas Estudo Setorial de Biotecnologia Prof a Adelaide Antunes Escola de Química da UFRJ

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS

RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS Intituição: Embrapa Cerrados / Centro de Pesquisa Agropecuária do Projeto: IV Reunião Técnica de Pesquisas em Maracujazeiro Responsável:

Leia mais

BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS

BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS ! Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Departamento de Patologia Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami Prof. Dr. Lucas Brandão BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS

Leia mais

GRUPO OURO FINO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MODELO DE GESTÃO INOVAÇÃO ABERTA

GRUPO OURO FINO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MODELO DE GESTÃO INOVAÇÃO ABERTA GRUPO OURO FINO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MODELO DE GESTÃO INOVAÇÃO ABERTA Ms.Lucimara C. Toso Bertolini. Gerente PD&I OURO FINO AGRONEGÓCIOS DIVISÃO SAÚDE ANIMAL 1987: Nasce a Ouro Fino

Leia mais

Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico. Panorama e Desafios do Controle Biológico no Brasil

Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico. Panorama e Desafios do Controle Biológico no Brasil Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico Panorama e Desafios do Controle Biológico no Brasil Categorias do Controle Biológico e MIP Micro biológico Nutrição Vegetal Semio químicos Controle

Leia mais

Instituição privada dedicada a promover negócios em ciências da vida no Brasil

Instituição privada dedicada a promover negócios em ciências da vida no Brasil Instituição privada dedicada a promover negócios em ciências da vida no Brasil Biominas Brasil tem 21 anos de experiência na criação e desenvolvimento de empresas de ciências da vida. A Biominas Brasil

Leia mais

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D 1. DESAFIOS de formular uma política pública 2. Programa Start-Up Brasil 3. Ação de Atração de Centros Globais de P&D JOSE

Leia mais

Patentes na Indústria Farmacêutica

Patentes na Indústria Farmacêutica Patentes na Indústria Farmacêutica 1. PATENTES 2. O MERCADO FARMACÊUTICO 3. COMPETIVIDADE DO SETOR 4. A IMPORTÂNCIA DAS PATENTES NO MERCADO FARMACÊUTICO PATENTES PATENTES Definiçã ção o ( LEI 9.279 DE

Leia mais

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Parceria entre Alta Genetics, Pfizer e Sérgio Nadal promete acelerar os rebanhos comerciais do país. A carne

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil

Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil ANAIS DA 65ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC RECIFE, PE JULHO/2013 Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil Glauco Arbix Somente a inovação será capaz de reverter o quadro de estagnação da economia brasileira,

Leia mais

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Atores envolvidos Movimentos Sociais Agricultura Familiar Governos Universidades Comunidade Científica em Geral Parceiros Internacionais,

Leia mais

Mentira: O homem não precisa plantar transgênicos Mentira: As plantas transgênicas não trarão benefícios a sociedade

Mentira: O homem não precisa plantar transgênicos Mentira: As plantas transgênicas não trarão benefícios a sociedade Como toda nova ciência ou tecnologia, ela gera dúvidas e receios de mudanças. Isto acontece desde os tempos em que Galileo afirmou que era a Terra que girava em torno do Sol ou quando Oswaldo Cruz iniciou

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Canadá Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios De acordo com a nomenclatura usada pelo Ministério da Indústria do Canadá, o porte

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

Estado de São Paulo. Polo de Investimentos e Inovação para a Saúde. Juan Quirós Presidente

Estado de São Paulo. Polo de Investimentos e Inovação para a Saúde. Juan Quirós Presidente Estado de São Paulo Polo de Investimentos e Inovação para a Saúde Juan Quirós Presidente 12 de agosto de 2015 Investimento Estrangeiro na Saúde Abertura ao investimento do capital estrangeiro: Oportunidades

Leia mais

Planejamento e Gestão Estratégica de Empreendimentos Rurais

Planejamento e Gestão Estratégica de Empreendimentos Rurais Planejamento e Gestão Estratégica de Empreendimentos Rurais A Importância do Entendimento na elaboração das diretrizes Estratégicas do Negócio Autores Frederico Fonseca Lopes (fflopes@markestrat.org):

Leia mais

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Resultados incluem primeiro ano de cultivo de milho geneticamente modificado, além das já tradicionais

Leia mais

Dos resíduos às matérias-primas rentáveis

Dos resíduos às matérias-primas rentáveis Dos resíduos às matérias-primas rentáveis 1 Dos resíduos às matérias-primas rentáveis O aumento da população e do nível de vida previstos para as próximas décadas, pressupõem um acréscimo na procura de

Leia mais

Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD

Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD Mesas Temáticas Inovação e os Gargalos do Setor Equipamentos IVD Ref.: oct, 2012 Eliane Lustosa Labtest Diagnóstica SA 15 16 de abril de 2014 PERFIL DA EMPRESA LABTEST Fundada em 1971 Pioneira na produção

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 1 ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 2 Capitulo 1 - Parceiros e Principal Fornecedor. Parceiros do projeto In Vitro Brasil

Leia mais

MEDICAMENTOS GENÉRICOS

MEDICAMENTOS GENÉRICOS MEDICAMENTO GENÉRICO Uma importante conquista para a saúde pública no Brasil 15 anos 15 anos , 15 ANOS DE BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE BRASILEIRA. Ao completar 15 anos de existência no país, os medicamentos

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE A química é a ciência que estuda a estrutura, a composição, as propriedades e as transformações da matéria. Ela é frequentemente

Leia mais

1 Introdução e formulação da situação-problema

1 Introdução e formulação da situação-problema 1 Introdução e formulação da situação-problema Na indústria farmacêutica, a inovação representa sua força motriz. Algumas inovações proporcionaram grande impacto nos tratamentos como a descoberta da penicilina,

Leia mais

DA AGENDA CONSTRUÇÃO EMPRESA GOVERNO. Participação da sociedade ACADEMIA. Três Workshops. Consultores especializados

DA AGENDA CONSTRUÇÃO EMPRESA GOVERNO. Participação da sociedade ACADEMIA. Três Workshops. Consultores especializados Participação da sociedade CONSTRUÇÃO DA AGENDA Três Workshops Consultores especializados Colaboradores e revisores internos e externos Pesquisa de campo EMPRESA ACADEMIA GOVERNO AGENDA DE BIOECONOMIA:

Leia mais

CRESCIMENTO DE VOLUME

CRESCIMENTO DE VOLUME CRESCIMENTO DE VOLUME 12% EM 2009 42 A Oxiteno iniciou 2009 com uma escala significativamente maior, como resultado do programa de investimentos em ampliação de sua capacidade produtiva conduzido nos últimos

Leia mais

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em 1 Introdução Não é recente a preocupação das empresas em buscar uma vantagem competitiva, de forma a gerar mais valor para os seus clientes do que os concorrentes por meio da oferta de produtos ou serviços

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

Inovação Tecnológica Ambiental Workshop Inovações e Meio Ambiente. Belo Horizonte, 04 de outrubro de 2012

Inovação Tecnológica Ambiental Workshop Inovações e Meio Ambiente. Belo Horizonte, 04 de outrubro de 2012 Inovação Tecnológica Ambiental Workshop Inovações e Meio Ambiente Belo Horizonte, 04 de outrubro de 2012 Estrutura do Grupo Promon Engenharia Promon Logicalis Trópico Promon Novos Negócios Promon Meio

Leia mais

TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS

TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS Relatório Executivo Relatório Executivo da Dissertação de Mestrado Profissionalizante

Leia mais

SISTEMA DE INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS MAPEAMENTO A PARTIR DA PERSPECTIVA DAS EMPRESAS

SISTEMA DE INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS MAPEAMENTO A PARTIR DA PERSPECTIVA DAS EMPRESAS SISTEMA DE INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS MAPEAMENTO A PARTIR DA PERSPECTIVA DAS EMPRESAS Março de 2011 Objetivo Fortalecer a trajetória do setor de biotecnologia em Minas Gerais Identificar

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO

CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO Resende, J.M.; Nascimento Filho, W.G.; Costa S.R.R. INEAGRO/UFRuralRJ INTRODUÇÃO O patrimônio de uma empresa é formado por ativos tangíveis

Leia mais

ARRUDA, Mauro; VERMULM. Roberto; HOLANDA, Sandra. Inovação

ARRUDA, Mauro; VERMULM. Roberto; HOLANDA, Sandra. Inovação ARRUDA, Mauro; VERMULM. Roberto; HOLANDA, Sandra. Inovação Tecnológica no Brasil; a Indústria em Busca da Competitividade Global. São Paulo: Associação Nacional de Pesquisa ANPEI, 2006. 117p. Kira Tarapanoff

Leia mais

Programa Estadual de Controle e Erradicação da Tuberculose e Brucelose Bovídea - PROCETUBE

Programa Estadual de Controle e Erradicação da Tuberculose e Brucelose Bovídea - PROCETUBE Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio Departamento de Defesa Agropecuária Divisão de Defesa Sanitária Animal Programa Estadual de Controle e Erradicação da Tuberculose

Leia mais

A inovação na perspectiva de uma. Thais Guaratini

A inovação na perspectiva de uma. Thais Guaratini A inovação na perspectiva de uma microempresa de base tecnológica Thais Guaratini Micro-empresa de base tecnológica, cuja missão é o desenvolvimento de produtos inovadores e de qualidade para a indústria

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA Departamento de Biotecnologia, Genética e Biologia Celular Centro de Ciências Biológicas Universidade Estadual de Maringá Coordenador: Prof. Dr. João Alencar Pamphile

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Parque Científico e Tecnológico de Macaé

Parque Científico e Tecnológico de Macaé Parque Científico e Tecnológico de Macaé Carlos Eduardo Lopes da Silva¹ Ramon Baptista Narcizo² Joelson Tavares Rodrigues³ Resumo Este artigo apresenta os principais conceitos e estratégias que apóiam

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

Missão. Visão. Transformar o Brasil por meio da Inovação.

Missão. Visão. Transformar o Brasil por meio da Inovação. A Finep -A FINEP Agência Brasileira da Inovação -é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em 24 de julho de 1967. -Seu objetivo é atuar em toda a cadeia

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel CICLO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA O Ciclo da Assistência Farmacêutica compreende um sistema integrado de técnicas, científicas e operacionais SELEÇÃO DE MEDICAMENTOS

Leia mais

BIOCANT PARK A NOSSA VISÃO

BIOCANT PARK A NOSSA VISÃO 01 A NOSSA VISÃO O PARQUE DE BIOTECNOLOGIA DE PORTUGAL ESTÁ A CRIAR VALOR PARA A REGIÃO E PARA O PAÍS FOMENTANDO INVESTIMENTOS E INI- CIATIVAS EMPRESARIAIS DE BASE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA. A NOSSA VISÃO

Leia mais

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa CAVACO S Combustível de Biomassa RESPEITANDO A NATUREZA www.cavacos.com EM 2014 OS NOSSOS SONHOS SÃO AINDA MAIORES. APRESENTAMOS AOS NOSSOS CLIENTES E PARCEIROS UMA NOVA CAVACO S, MUITO MAIS MODERNA, COM

Leia mais

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Hoje, um grande desafio para a agropecuária, principalmente em relação à inovação tecnológica, é a harmonização do setor produtivo com os princípios da

Leia mais

e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual

e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual Estado e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual Desempenho Conjuntural da Indústria Participação

Leia mais

EXPLORAÇÃO DO CERRADO BRASILEIRO

EXPLORAÇÃO DO CERRADO BRASILEIRO EXPLORAÇÃO DO CERRADO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO DO CERRADO BRASILEIRO É o maior bioma brasileiro depois da Amazônia, com aproximadamente 2 milhões de km² e está concentrado na região Centro Oeste do Brasil;

Leia mais

O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco

O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco CNI-MEI São Paulo, 19 de outubro de 2015 Agenda Atuação da BNDESPAR em Capital de Risco Participações diretas Participações por meio de Fundos de

Leia mais

GECIV - Grupo Executivo do Complexo Industrial das Ciências da Vida Do Estado do Rio de Janeiro

GECIV - Grupo Executivo do Complexo Industrial das Ciências da Vida Do Estado do Rio de Janeiro GECIV - Grupo Executivo do Complexo Industrial das Ciências da Vida Do Estado do Rio de Janeiro Augusto Raupp Subsecretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação Política para Desenvolvimento Biotecnológico

Leia mais

Participação de pequenas empresas nos parques tecnológicos

Participação de pequenas empresas nos parques tecnológicos Participação de pequenas empresas nos parques tecnológicos Autor: Katia Melissa Bonilla Alves 1 Co-autores: Ricardo Wargas 2 e Tomas Stroke 3 1 Mestre em Economia pela Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

Cadeia Produtiva do Leite. Médio Integrado em Agroindústria

Cadeia Produtiva do Leite. Médio Integrado em Agroindústria Médio Integrado em Agroindústria A importância da cadeia do leite A cadeia do leite e de seus derivados desempenha papel relevante no suprimento de alimentos e na geração de emprego e renda, se igualando

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

Fábrica Digital - Como a Tecnologia da Informação suporta a Inovação. Daniel Bio SAP Brasil

Fábrica Digital - Como a Tecnologia da Informação suporta a Inovação. Daniel Bio SAP Brasil Fábrica Digital - Como a Tecnologia da Informação suporta a Inovação Daniel Bio SAP Brasil Atuação e presença em +120 países, 37 idiomas Cerca de 54.000 funcionários 7 Centros Globais de Suporte, oferecendo

Leia mais

DE CRIADOR PARA CRIADOR

DE CRIADOR PARA CRIADOR DE CRIADOR PARA CRIADOR No clima para a máxima produção com qualidade. Altitude e temperatura perfeitas. O resultado são rebanhos com máxima produção de sêmen com qualidade, para você vender sempre mais.

Leia mais

Crescimento global da consciência socioambiental

Crescimento global da consciência socioambiental Programa de Sustentabilidade Bunge 1. Contextualização Crescimento global da consciência socioambiental Sociedade Importância do tema Estruturação e articulação das entidades civis Pressões comerciais

Leia mais

O público-alvo são meninas de 9 a 11 anos e o serviço faz parte do Calendário Nacional de Vacinação.

O público-alvo são meninas de 9 a 11 anos e o serviço faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. Clipping Eletrônico Segunda-feira dia 09/03/2015 Portal Acrítica Saúde - 09 de março de 2015. Fonte: http://acritica.uol.com.br/manaus/prefeitura-disponibilizaravacina-hpv-ubss_0_1316868336.html Prefeitura

Leia mais

A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec

A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec Atribuição-Sem Derivações-Sem Derivados CC BY-NC-ND A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec Encontro de Negócios em Inovação e Tecnologia itec 2015 São Paulo, SP 28

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS GERENCIAIS. Atividade Integrada. Administração Estratégica. Curso de Administração

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS GERENCIAIS. Atividade Integrada. Administração Estratégica. Curso de Administração UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO UNIVERSIDADE DEPARTAMENTO NOVE DE CIÊNCIAS DE JULHO GERENCIAIS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS GERENCIAIS Atividade Integrada Administração Estratégica. Curso de Administração São Paulo

Leia mais

Campus Cabo Frio. Projeto: Incubadora de Empresas criação de emprego e renda.

Campus Cabo Frio. Projeto: Incubadora de Empresas criação de emprego e renda. Campus Cabo Frio Trabalho de Microeconomia Prof.: Marco Antônio T 316 / ADM Grupo: Luiz Carlos Mattos de Azevedo - 032270070 Arildo Júnior - 032270186 Angélica Maurício - 032270410 Elias Sawan - 032270194

Leia mais

PROGRAMAS E INCENTIVOS À INOVAÇÃO PARA EMPRESAS

PROGRAMAS E INCENTIVOS À INOVAÇÃO PARA EMPRESAS PROGRAMAS E INCENTIVOS À INOVAÇÃO PARA EMPRESAS Evaldo F. Vilela - Ph.D. Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais. Lei Federal de Inovação LEI Nº 10.973, DE 2 DE DEZEMBRO

Leia mais

PANORAMA DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

PANORAMA DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA DOS MEDICAMENTOS PANORAMA DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Prof. Pedro Rolim PANORAMA

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária Situação Atual e Propostas para a Indução de Melhorias Através da Inovação Tecnológica

Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária Situação Atual e Propostas para a Indução de Melhorias Através da Inovação Tecnológica Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária Situação Atual e Propostas para a Indução de Melhorias Através da Inovação Tecnológica E V A L D O F E R R E I R A V I L E L A E V A L D O V I L E L A @ G

Leia mais

LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Nos países desenvolvidos e, em menor grau, nos países em desenvolvimento, assiste-se ao surgimento de padrões tecno-econômicos onde os resultados

Leia mais

Problemas e desafios Soluções e ações propostas

Problemas e desafios Soluções e ações propostas FÓRUM DAS OFICINAS DO GRUPO DE TRABALHO DE AGRICULTURA ORGÂNICA E AGROECOLOGIA I - Introdução/Apresentações II - Comercialização III - Produção/Pesquisa/Assistência Técnica IV - Produção Animal V - Impactos

Leia mais

Projeto Genoma e Proteoma

Projeto Genoma e Proteoma Projeto Genoma e Proteoma Grupo 3: *Artur S. Nascimento *Bárbara S. Costa *Beatrice Barbosa *Tamyres S. E. Guimarães *Yara Cavalcante O que é genoma? O genoma é o conjunto de todo o material genético que

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima

Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução O Projeto Granja São Roque de redução

Leia mais

Indústria química no Brasil

Indústria química no Brasil www.pwc.com.br Indústria química no Brasil Um panorama do setor Indústria química no Brasil A indústria química e petroquímica é um dos mais importantes setores da economia brasileira e está entre as

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 95/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia.

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia. XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 RESUMO OBSERVATÓRIO DE

Leia mais

Laboratório de Desenvolvimento de Novas Formulações - LDNF Universidade Federal Fluminense

Laboratório de Desenvolvimento de Novas Formulações - LDNF Universidade Federal Fluminense Laboratório de Desenvolvimento de Novas Formulações - LDNF Universidade Federal Fluminense Spin-off especializada em otimização de processos industriais de obtenção de produtos naturais de origem vegetal

Leia mais

Painel 2 Mecanismos de Estímulo para a Indústria de Telecomunicações

Painel 2 Mecanismos de Estímulo para a Indústria de Telecomunicações Painel 2 Mecanismos de Estímulo para a Indústria de Telecomunicações Segmento Redes de Telecomunicações Mario Baumgarten Retomada do Diálogo com a Indústria Duas décadas de foco no resgate do atendimento

Leia mais

HISTÓRICO DA BIOSSEGURANÇA NO BRASIL. Dra. Luciana Di Ciero. e-mail: ldiciero@esalq.usp.br www.anbio.org.br

HISTÓRICO DA BIOSSEGURANÇA NO BRASIL. Dra. Luciana Di Ciero. e-mail: ldiciero@esalq.usp.br www.anbio.org.br HISTÓRICO DA BIOSSEGURANÇA NO BRASIL Simpósio sobre biossegurança de Organismos Geneticamente Modificados Dra. Luciana Di Ciero Diretora Científica da ANBIO e-mail: ldiciero@esalq.usp.br www.anbio.org.br

Leia mais

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS TEMA Uso dos recursos genéticos RECURSOS GENÉTICOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS PROVEDORES USOS CONSENTIMENTO PRÉVIO TERMOS MUTUAMENTE ACORDADOS USUÁRIOS BENEFÍCIOS

Leia mais

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES Agosto/15 Análise de Competitividade Rações Resumo da Cadeia de Valores Painel de Indicadores de Monitoramento da Competitividade Setorial Percepção empresarial da competitividade

Leia mais

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 SECT- AM: Missão e Diretrizes A SECT foi criada para formular e gerir políticas estaduais de C&T buscando articular os esforços os de fazer com que

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Tema Uso dos recursos genéticos RECURSOS GENÉTICOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS PROVEDORES USOS CONSENTIMENTO PRÉVIO TERMOS MUTUAMENTE ACORDADOS USUÁRIOS BENEFÍCIOS

Leia mais

São Paulo, 17 de junho de 2009

São Paulo, 17 de junho de 2009 São Paulo, 17 de junho de 2009 VIII SEMINÁRIO ORGANIZADO PELO COMITÊ DE SAÚDE Tema: "Ambiente de Inovação em Saúde no Brasil" Nos conhecendo... Davi Sales - Engenheiro Eletrônico experiência em interação

Leia mais

BIOTECNOLOGIA Aspectos Legais e Regulatórios

BIOTECNOLOGIA Aspectos Legais e Regulatórios BIOTECNOLOGIA Aspectos Legais e Regulatórios Valter Matta vmatta@tozzinifreire.com.br Elysangela Zorzo ezorzo@tozzinifreire.com.br Ana Carolina D Atri adatri@tozzinifreire.com.br Biotecnologia Aspectos

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais

Incentivos fiscais para a manutenção. da competitividade das indústrias mineiras

Incentivos fiscais para a manutenção. da competitividade das indústrias mineiras Incentivos fiscais para a manutenção da competitividade das indústrias mineiras Histórico do APL Eletroeletrônico de Santa Rita do Sapucaí A pequena cidade de Santa Rita do Sapucaí, no sul de Minas Gerais,

Leia mais

Impacto da Indústria Automobilística na Geração de Riqueza & Papel dos Bancos como Alavancadores do Crescimento do Setor

Impacto da Indústria Automobilística na Geração de Riqueza & Papel dos Bancos como Alavancadores do Crescimento do Setor MB ASSOCIADOS XVIII Congresso Fenabrave Federação Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores Curitiba, 22 de agosto de 2008 1 Impacto da Indústria Automobilística na Geração de Riqueza

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS Página: 2504 de 2619 ESPELHO DE S DE 1 Apoio à pesquisa e preservação de recursos genéticos e biotecnologia Custos financeiros: Despesas de custeio - 3

Leia mais

- ENLAGRO Encontro Nacional de Laboratórios da Área da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

- ENLAGRO Encontro Nacional de Laboratórios da Área da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Projeto Captação de Recursos - ENLAGRO Encontro Nacional de Laboratórios da Área da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 07, 08 e 09 de junho de 2016. Macro Office Centro de Eventos, Porto Alegre, RS,

Leia mais

FIESP Sustentabilidade Financiamentos para PME

FIESP Sustentabilidade Financiamentos para PME FIESP Sustentabilidade Financiamentos para PME Junho/2013 Diretoria de Sustentabilidade Linda Murasawa Brasil SANTANDER NO MUNDO 102 milhões DE CLIENTES 14.392 AGÊNCIAS 186.763 FUNCIONÁRIOS Dezembro de

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho

Leia mais

Situação das capacidades no manejo dos recursos genéticos animais

Situação das capacidades no manejo dos recursos genéticos animais PARTE 3 Situação das capacidades no manejo dos recursos genéticos animais Os países em desenvolvimento precisam fortalecer as capacidades institucional e técnica. É necessário melhorar a formação profissional

Leia mais

DNA barcoding é um método que utiliza um trecho do DNA de cerca de 650 nucleotídeos como marcador para caracterizar espécies. Trata-se de uma sequência extremamente curta em relação à totalidade do genoma,

Leia mais

The basis of biosafety training in Brazil

The basis of biosafety training in Brazil Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia The basis of biosafety training in Brazil Edmundo C. Grisard, Ph.D. Universidade Federal de Santa Catarina

Leia mais

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável. Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável. Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt Biotecnologia e Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt - Imposições legais - Opinião pública - Pressão de competitividade Actualmente: Conceito de adoptado por muitas indústrias/actividades: só

Leia mais

Inovação e Tecnologia na Saúde dos Estados Unidos

Inovação e Tecnologia na Saúde dos Estados Unidos Inovação e Tecnologia na Saúde dos Estados Unidos André Medici Congresso Internacional de Serviços de Saúde (CISS) Feira Hospitalar São Paulo (SP) 21 de Maio de 2014 1 Nossos Palestrantes Tecnologia em

Leia mais

Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são:

Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são: Quais os requisitos de patenteabilidade? Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são: (1) Novidade - a matéria objeto da pesquisa precisa ser nova, ou melhor,

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA FLORICULTURA BRASILEIRA

CARACTERIZAÇÃO DA FLORICULTURA BRASILEIRA Hoje a floricultura é um dos principais segmentos do agronegócio no Brasil. A qualidade das flores, a crescente competitividade e o crescimento do segmento são percebidos quando observa-se que muitos estados

Leia mais

Patentes verdes: mecanismo de desenvolvimento sustentável. Prof. Dr. Nivaldo dos Santos. Faculdade Alfredo Nasser. nivaldodossantos@bol.com.

Patentes verdes: mecanismo de desenvolvimento sustentável. Prof. Dr. Nivaldo dos Santos. Faculdade Alfredo Nasser. nivaldodossantos@bol.com. Patentes verdes: mecanismo de desenvolvimento sustentável Prof. Dr. Nivaldo dos Santos Faculdade Alfredo Nasser nivaldodossantos@bol.com.br A importância de um sistema de patentes forte para incentivar

Leia mais

PUCRS CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Genética I AULA PRÁTICA APLICAÇÕES DAS TÉCNICAS DE PCR E ELETROFORESE DE DNA

PUCRS CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Genética I AULA PRÁTICA APLICAÇÕES DAS TÉCNICAS DE PCR E ELETROFORESE DE DNA Analise a seguinte situação hipotética (1): Uma equipe de pesquisadores está realizando um inventário da biodiversidade de uma área tropical ainda inexplorada, porém já sofrendo grande impacto de fragmentação

Leia mais