HISTOLOGIA VEGETAL CEFET PETROLINA VITICULTURA E ENOLOGIA BIOLOGIA GERAL PROF. ROBERTO MACHADO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HISTOLOGIA VEGETAL CEFET PETROLINA VITICULTURA E ENOLOGIA BIOLOGIA GERAL PROF. ROBERTO MACHADO"

Transcrição

1 CEFET PETROLINA VITICULTURA E ENOLOGIA BIOLOGIA GERAL PROF. ROBERTO MACHADO

2 INTRODUÇÃO Entendemos por tecidos os grupos de células igualmente especializadas, de mesma origem embrionária e que realizam funções determinadas, no corpo vegetal. Nas plantas, a distinção anatômica de tecidos é muito menos nítida do que nos animais. A especialização é menos nítida e poucos são os tecidos que apresentam uma estrutura bem característica. Na maioria das vezes, o mesmo tecido exerce várias funções.

3 INTRODUÇÃO De modo geral, vamos dividir os tecidos vegetais em dois grupos: Tecidos meristemáticos ou meristemas; Tecidos adultos ou permanentes.

4 Tecidos meristemáticos ou meristemas: Os meristemas são também chamados tecidos embrionários. As células meristemáticas dividem-se continuamente por mitose e são pequenas Os vacúolos são pequenos ou ausentes. Das divisões e especializações das células meristemáticas, originam-se os tecidos adultos. Quanto à origem, podemos reconhecer dois tipos de meristemas: primários e secundários.

5 Meristemas primários: Os meristemas primários são aqueles cujas células derivam diretamente do embrião. Típicos são os meristemas encontrados nos ápices do caule e da raiz, formando os pontos vegetativos. As células componentes do ponto vegetativo radicular dividem-se, formando três zonas meristemáticas primárias

6 Meristemas primários: Dermatogênio ou protoderme responsável pela formação da epiderme. Periblema ou meristema fundamental responsável pela formação da casca ou córtex, cujo limite é feito pelo endoderma. Pleroma ou procâmbio responsável pela formação do cilindro vascular.

7 Meristemas primários: Raiz:

8 Meristemas primários: Caule:

9 Meristemas secundários: Já os meristemas secundários são aqueles que se originam por desdiferenciação de células adultas, As células produzidas por esses meristemas são enviadas lateralmente, razão pela qual são também chamadas meristemas laterais. São responsáveis pelo crescimento secundário em espessura que observamos no caule e na raiz das dicotiledôneas, gimnospermas e algumas monocotiledôneas, entre elas os gêneros Dracaena e Yucca

10 Meristemas secundários: Dentre os meristemas secundários, podemos citar: Felogênio: surge na região da casca do caule e da raiz, Câmbio: surge na região do cilindro central do caule e da raiz,

11 Meristemas secundários:

12 Meristemas secundários:

13 Tecidos adultos ou permanentes: Originam-se a partir dos meristemas primários e secundários Apresentam células especializadas que perderam em grau maior ou menor a capacidade de divisão celular. Realizam funções determinadas dentro do corpo vegetal. Presença de espaços intercelulares, relacionados com a circulação de gases, por difusão.

14 Tecidos adultos ou permanentes: São classificados, de acordo com sua função, em: I. Parênquima: tecido fundamental do corpo vegetal II. Tecidos de proteção: Epiderme Súber ou Cortiça III. Tecidos de Sustentação Mecânica: Colênquima Esclerênquima IV. Tecidos de Condução (vasculares): Lenho ou xilema Líber ou floema

15 I. Parênquima

16 I. Parênquima: É um tecido formado por células vivas, pouco especializadas, As células geralmente são poliédricas (parenquimáticas), mas podem aparecer alongadas ou mesmo estreladas. Pode ser tecido primário ou secundário, realizando várias funções, como: fotossíntese, reserva, origem de estruturas adventícias, secreção e excreção. Ocorre na casca e medula do caule e raiz, forma os raios medulares, mesofilos das folhas.

17 I. Parênquima: Existem vários tipos de parênquima: Parênquima clorofiliano (assimilador ou clorênquima) encarrega-se da realização da fotossíntese, uma vez que suas células são dotadas de cloroplastos.

18 I. Parênquima: Parênquima lacunoso Encontrado, geralmente, acima da epiderme inferior, formado por células arredondadas ou irregulares, deixando grandes lacunas entre elas.

19 I. Parênquima: Parênquima de reserva Relacionado com a reserva de várias substâncias: amido, água, ar, caroteno, sacarose, licopeno, taninos etc.

20 I. Parênquima: Parênquima aqüífero Relacionado com o acúmulo de água, é encontrado principalmente em plantas de regiões secas.

21 I. Parênquima: Parênquima aerífero ou aerênquima Relacionado com o acúmulo de ar, é encontrado em plantas aquáticas.

22 II. Tecidos de proteção

23 II. Tecidos de proteção: Epiderme: As células da epiderme são vivas, desprovidas de cloroplastos, justapostas e geralmente constituindo uma única camada de células. A epiderme é um tecido originado do dermatogênio, envolvendo externamente todos os órgãos vegetais. Pode ser considerada um tecido geral para as plantas que vivem no meio aéreo Funções importantes para a planta: proteção contra transpiração e ferimentos; absorção; trocas gasosas; secreção e excreção.

24 II. Tecidos de proteção: Epiderme: anexos: a) cutícula

25 II. Tecidos de proteção: Epiderme: anexos: b) pêlos

26 II. Tecidos de proteção: Epiderme: anexos: c) papilas

27 II. Tecidos de proteção: Epiderme: anexos: d) acúleos

28 II. Tecidos de proteção: Epiderme: anexos: e) escamas

29 II. Tecidos de proteção: Epiderme: anexos: f) estômatos

30 II. Tecidos de proteção: Epiderme: anexos: f) estômatos

31 II. Tecidos de proteção: Súber: É um tecido formado por células mortas, caracterizadas pela suberificação de suas paredes celulares, geralmente com formas prismáticas. As células são justapostas, sem deixar espaços intercelulares. O súber é um tecido de proteção que substitui a epiderme no caule e na raiz. Protege contra ferimentos, perda de água por transpiração e, também, contra variação de temperatura

32 II. Tecidos de proteção: Súber:

33 II. Tecidos de proteção: Felogênio:

34 II. Tecidos de proteção: Periderme:

35 II. Tecidos de proteção: Ritidoma:

36 III. Tecidos de Sustentação Mecânica

37 III. Tecidos de sustentação mecânica: Colênquima: Tecido relacionado com a sustentação mecânica dos vegetais. Aparece nas paredes vegetais que ainda manifestam crescimento. É capaz de acompanhar o crescimento do corpo vegetal Suas células são vivas, apresentando as paredes celulares parcialmente reforçadas, em geral, nos ângulos das células. O espessamento é dado por celulose e substâncias pécticas, nunca ocorrendo lignina. Encontra-se colênquima nos caules jovens (verdes), no pecíolo e nas nervuras mais desenvolvidas das folhas Normalmente, não é encontrado em raízes

38 Colênquima:

39 Esclerênquima: As células do esclerênquima são mortas, devido à intensa lignificação que ocorre em suas membranas. Este tecido também realiza a sustentação mecânica dos vegetais. O esclerênquima ocorre em órgãos vegetais, principalmente nas regiões que atingiram a maturidade completa. Pode aparecer formando um verdadeiro tecido ou em células esparsas entre as células de outros tecidos.

40 Esclerênquima: Podem ocorrer duas formas de células: Esclereídos Apresentam geralmente formas poliédricas, mas podem ser alongadas ou ramificadas Ocorrem em frutos como a pêra, Formam regiões pedradas da banana-maçã e o caroço de frutos como pêssego, azeitona etc. Fibras esclerenquimáticas células fusiformes (alongadas) ricas em lignina.

41 Esclerênquima:

42 IV. Tecidos de Condução

43 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Lenho ou Xilema: É um tecido complexo formado por vários tipos de células relacionadas com a condução de seiva bruta, suporte mecânico e armazenamento de substâncias de reserva.

44 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Elementos dos vasos e traqueídes

45 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Parênquima lenhoso

46 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Elementos mecânicos

47 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Líber ou Floema: O floema relaciona-se com a condução da seiva elaborada, reserva e também suporte mecânico. As células se mantêm vivas, mas são anucleadas; as paredes celulósicas são primárias.

48 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Vasos liberianos ou crivados:

49 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Parênquima liberiano:

50 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Elementos mecânicos:

51 IV. HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos de condução (vasculares): Células anexas:

52 BIBLIOGRAFIA: HISTOLOGIA VEGETAL CARMELLO-GUERREIRO, S.M.; APPEZATTO-DA-GLÓRIA, B. Anatomia Vegetal, Editora UFV, Viçosa, 305p FERRI, M.G.; Botânica (Morfologia externa das plantas), Editora Nobel,Rio de Janeiro, p PRATT, C. Vegetative Anatomy of cultivated grapes areview. American Jorunal of Enology and Viticulture, Davis, v.25, n.2, p , SOUZA, J.S.I. de.; MARTINS, F.P. Viticultura brasileira, Piracicaba: FEALQ, p.

RAIZ É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções:

RAIZ É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções: É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções: Absorção; Condução (água e minerais dissolvidos); Reserva (Acumula nutrientes); Fixação; Diferenciação do caule:

Leia mais

CAPÍTULO 8 - MORFOLOGIA DAS ANGIOSPERMAS - p.128 Ler texto: A riqueza do Brasil - p.128

CAPÍTULO 8 - MORFOLOGIA DAS ANGIOSPERMAS - p.128 Ler texto: A riqueza do Brasil - p.128 CAPÍTULO 8 - MORFOLOGIA DAS ANGIOSPERMAS - p.128 Ler texto: A riqueza do Brasil - p.128 Quais são os órgãos vegetais e quais suas funções? O corpo de uma planta é organizado de maneira bem da de um animal.

Leia mais

1) Introdução. 2) Tecidos Vegetais

1) Introdução. 2) Tecidos Vegetais 11/11/2013 1) Introdução A histologia vegetal estuda a formação e a constituição dos tecidos das plantas. Tecido: conjunto de células especializadas, geralmente semelhantes, e adaptadas para realizarem

Leia mais

AULA 4 CAPÍTULO 4 PARÊNQUIMA, COLÊNQUIMA E ESCLERÊNQUIMA

AULA 4 CAPÍTULO 4 PARÊNQUIMA, COLÊNQUIMA E ESCLERÊNQUIMA AULA 4 CAPÍTULO 4 PARÊNQUIMA, COLÊNQUIMA E ESCLERÊNQUIMA PARÊNQUIMA Origem = meristema fundamental/periblema Nome - para = ao lado; enchein = derramar Função Fotossíntese Transporte Reserva Secreção Excreção

Leia mais

AULA 11 CAPÍTULO 11 CAULE

AULA 11 CAPÍTULO 11 CAULE AULA 11 CAPÍTULO 11 CAULE CAULE Estágio embrionário eixo = epicótilo - hipocótilo Plúmula Cotilédones em sua porção superior - folhas embrionárias Gema Epicótilo = região localizada acima dos cotilédones

Leia mais

MERISTEMAS TECIDOS PERMANENTES SISTEMA FUNDAMENTAL - PARÊNQUIMA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE BIOLOGIA

MERISTEMAS TECIDOS PERMANENTES SISTEMA FUNDAMENTAL - PARÊNQUIMA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE BIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE BIOLOGIA AGRONOMIA - MORFOLOGIA VEGETAL (ANATOMIA) MERISTEMAS 1. INTRODUÇÃO. gr. "meristo" = dividir. embrião - totalmente meristemático. vegetal adulto

Leia mais

Tecidos e órgão vegetais. Natália A. Paludetto

Tecidos e órgão vegetais. Natália A. Paludetto 0 Tecidos e órgão vegetais Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Tecidos vegetais Briófitas e pteridófitas tecidos poucos especializados, Gimno e angiospermas céls.

Leia mais

CÉLULA VEGETAL 17 TECIDOS VEGETAIS 35

CÉLULA VEGETAL 17 TECIDOS VEGETAIS 35 SUMÁRIO PREFÁCIO 15 CÉLULA VEGETAL 17 PAREDE CELULAR 20 FORMAÇÃO DA PAREDE 21 COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA PAREDE 22 ESTRUTURA DA PAREDE 23 PROTOPLASTA 27 CITOPLASMA 27 NÚCLEO 27 PLASTÍDIOS 27 VACÚOLOS 29 SUBSTÂNCIAS

Leia mais

Bio:D. Angela Cristina E-mail: angelacristina2913@gmail.com

Bio:D. Angela Cristina E-mail: angelacristina2913@gmail.com Bio:D Angela Cristina E-mail: angelacristina2913@gmail.com Reinos 5 reinos; 1969; Organização celular (uni ou pluri), tipo de célula (procarionte ou eucarionte) e forma de nutrição (autótrofo ou heterótrofo).

Leia mais

CÉLULA VEGETAL E PAREDE CELULAR

CÉLULA VEGETAL E PAREDE CELULAR Universidade Federal do Pampa Campus de São Gabriel Centro de Ciências Rurais Curso de Ciências Biológicas CÉLULA VEGETAL E PAREDE CELULAR Monitora: Rosangela Gonçalves Célula Vegetal As células vegetais

Leia mais

TECIDO: é o conjunto de células morfologicamente idênticas que desempenham a mesma função.

TECIDO: é o conjunto de células morfologicamente idênticas que desempenham a mesma função. TECIDO: é o conjunto de células morfologicamente idênticas que desempenham a mesma função. MECANISMO DE FORMAÇÃO DOS TECIDOS VEGETAIS: Diferenciação Celular: é a transformação de uma célula embrionária

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL EMBRIÃO

HISTOLOGIA VEGETAL EMBRIÃO HISTOLOGIA VEGETAL EMBRIÃO Em locais específicos Não fazem mitose Tecidos PERMANENTES Revestimento Sustentação Preenchimento Condução ESPECIALIZAÇÃO Tecidos MERISTEMÁTICOS (Indiferenciados) Taxa de Mitose

Leia mais

Raízes secundárias. Se formam por via endógena a partir da raiz principal; Se originam tanto da endoderme quanto do periciclo; Diferença com o caule;

Raízes secundárias. Se formam por via endógena a partir da raiz principal; Se originam tanto da endoderme quanto do periciclo; Diferença com o caule; continuação Raízes secundárias Se formam por via endógena a partir da raiz principal; Diferença com o caule; Se originam tanto da endoderme quanto do periciclo; Uma de suas células se dividem tangencialmente

Leia mais

Tecidos Vegetais. Professor: Vitor Leite

Tecidos Vegetais. Professor: Vitor Leite Tecidos Vegetais Professor: Vitor Leite TECIDOS MERISTEMÁTICOS (MERISTEMAS) Localização: ápices de todas as raízes e caules e gemas laterais. Função: Crescimento longitudinal(comprimento). Originam tecidos

Leia mais

Classificação das Angiospermas. Professor: Vitor Leite

Classificação das Angiospermas. Professor: Vitor Leite Classificação das Angiospermas Professor: Vitor Leite Tecidos Vegetais Professor: Vitor Leite TECIDOS MERISTEMÁTICOS (MERISTEMAS) Localização: ápices de todas as raízes e caules e gemas laterais. Função:

Leia mais

CÉLULAS E TECIDOS VEGETAIS. Profa. Ana Paula Biologia III

CÉLULAS E TECIDOS VEGETAIS. Profa. Ana Paula Biologia III CÉLULAS E TECIDOS VEGETAIS 2016 Profa. Ana Paula Biologia III CÉLULAS E TECIDOS VEGETAIS Quais as diferenças entre a célula vegetal e animal?? Basicamente: parede celular; vacúolo; cloroplastos. Parede

Leia mais

FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL. Katia Christina Zuffellato-Ribas

FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL. Katia Christina Zuffellato-Ribas FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL Katia Christina Zuffellato-Ribas Bióloga, Dra. Departamento de Botânica - Setor de Ciências Biológicas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ kazu@ufpr.br FISIOLOGIA

Leia mais

MERISTEMAS. Após o desenvolvimento do embrião. formação de novas células, tecidos e órgãos restritas. aos MERISTEMAS

MERISTEMAS. Após o desenvolvimento do embrião. formação de novas células, tecidos e órgãos restritas. aos MERISTEMAS TECIDOS VEGETAIS MERISTEMAS Após o desenvolvimento do embrião formação de novas células, tecidos e órgãos restritas aos MERISTEMAS tecidos embrionários, sempre jovens. MERISTEMAS MERISTEMAS Apicais (crescimento

Leia mais

Raiz. Organologia Vegetal. É o estudo dos órgãos vegetais. -raiz -caule -folha. - vegetativos Órgãos vegetais. - reprodutores -fruto -semente

Raiz. Organologia Vegetal. É o estudo dos órgãos vegetais. -raiz -caule -folha. - vegetativos Órgãos vegetais. - reprodutores -fruto -semente Organologia Vegetal É o estudo dos órgãos vegetais. - vegetativos Órgãos vegetais -raiz -caule -folha -flor - reprodutores -fruto -semente Raiz Geralmente subterrânea; Atua na fixação; Absorve e conduz

Leia mais

Morfologia Vegetal de Angiospermas

Morfologia Vegetal de Angiospermas http://static.panoramio.com/photos/large/2860747.jpg Morfologia Vegetal de Angiospermas Professor: Guilherme Ribeiro Gonçalves Histologia Meristema primário Formado por células derivadas diretamente

Leia mais

TECIDOS VEGETAIS BOTÂNICA

TECIDOS VEGETAIS BOTÂNICA TECIDOS VEGETAIS BOTÂNICA Histologia Vegetal Quais são os principais tecidos encontrados no corpo de uma planta? 1 Tecidos meristemáticos ou embrionários tecidos meristemáticos primários tecidos meristemáticos

Leia mais

Figura - Meristemas apicais. FOSKET, D.E. (1994). Plant Growth and Development.

Figura - Meristemas apicais. FOSKET, D.E. (1994). Plant Growth and Development. MERISTEMAS Os meristemas são encontrados nos ápices de todas as raízes e caules e estão envolvidos, principalmente, com o crescimento em comprimento do corpo da planta. Figura - Meristemas apicais. FOSKET,

Leia mais

FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL. Katia Christina Zuffellato-Ribas

FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL. Katia Christina Zuffellato-Ribas FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL Katia Christina Zuffellato-Ribas Bióloga, Dra. Departamento de Botânica - Setor de Ciências Biológicas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ kazu@ufpr.br FISIOLOGIA

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL. Tecidos Meristemáticos (embrionários)

HISTOLOGIA VEGETAL. Tecidos Meristemáticos (embrionários) HISTOLOGIA VEGETAL Dividido em 2 grandes grupos: Tecidos Meristemáticos (embrionários) Meristema Primário (crescimento em altura); Meristema Secundário (crescimento em espessura); Tecidos Pemanentes (adultos)

Leia mais

Profa. Dra. Wânia Vianna

Profa. Dra. Wânia Vianna Profa. Dra. Wânia Vianna MERISTEMAS Os meristemas são encontrados nos ápices de todas as raízes e caules e estão envolvidos, principalmente, com o crescimento em comprimento do corpo da planta. Figura

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL 24/05/2017. Prof. Leonardo F. Stahnke

HISTOLOGIA VEGETAL 24/05/2017. Prof. Leonardo F. Stahnke Prof. Leonardo F. Stahnke HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL Os tecidos são conjuntos de células especializadas em determinada função. Há quatro tipos básicos de tecido vegetal: Tecido de Revestimento:

Leia mais

CARACTERÍSTICAS ANATÔMICAS E MORFOLÓGICAS DA ESTRUTURA FOLIAR

CARACTERÍSTICAS ANATÔMICAS E MORFOLÓGICAS DA ESTRUTURA FOLIAR CARACTERÍSTICAS ANATÔMICAS E MORFOLÓGICAS DA ESTRUTURA FOLIAR 1 Bruno Marcos Nunes Cosmo 1 Tatiani Mayara Galeriani 2 Resumo: Devido a grande demanda de material e conhecimento para acadêmicos e profissionais

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA. Histologia. Córtex Vestibulares - 7. Classificação dos tecidos vegetais:

HISTOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA. Histologia. Córtex Vestibulares - 7. Classificação dos tecidos vegetais: Histologia HISOLOGIA VEGEAL É o estudo dos tecidos vegetais. Comparação entre células vegetais jovens e adultas. Classificação dos tecidos vegetais: I. ecidos jovens ou embrionários ou meristemáticos ou

Leia mais

GOVERNO DO ES TADO DA BAHIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PRO-REITORIA ACADÊMICA Depto. de CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

GOVERNO DO ES TADO DA BAHIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PRO-REITORIA ACADÊMICA Depto. de CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UEFS GOVERNO DO ES TADO DA BAHIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PRO-REITORIA ACADÊMICA Depto. de CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS BIO 222 Anatomia de Plantas Vasculares NIHL

Leia mais

Os Tecidos das Plantas

Os Tecidos das Plantas Os Tecidos das Plantas Tecido definição: Grupo de células de mesma origem embrionária, organizadas para uma mesma função. Nos vegetais os tecidos pode ser de dois tipos: Os meristemas e os adultos. 1-

Leia mais

Quais são os tecidos encontrados no corpo de uma planta?

Quais são os tecidos encontrados no corpo de uma planta? Tecidos Fundamentais:, Colênquima e Esclerênquima Quais são os tecidos encontrados no corpo de uma planta? Vigiai, pois, porque não sabeis o dia e nem a hora em que o Filho do homem há de vir. Mateus 25:13

Leia mais

Sementes. Cotilédone. Endosperma. Coleóptilo. Folhas embrionárias Radícula Caulículo. Caulículo. Tegumento. Folhas embrionárias.

Sementes. Cotilédone. Endosperma. Coleóptilo. Folhas embrionárias Radícula Caulículo. Caulículo. Tegumento. Folhas embrionárias. Histologia vegetal Sementes Cotilédone Coleóptilo Folhas embrionárias Caulículo Endosperma Radícula Tegumento Folhas embrionárias Radícula Caulículo Cotilédones ricos em endosperma Disponível em: .

Leia mais

É a parte da Botânica que estuda os tecidos

É a parte da Botânica que estuda os tecidos É a parte da Botânica que estuda os tecidos vegetais - Crescimento Tecidos vegetais -Adultos permanentes -Meristema primário -Meristema secundário -De revestimento -De sustentação -De condução -Parênquimas

Leia mais

Aula Multimídia. Prof. David Silveira

Aula Multimídia. Prof. David Silveira Aula Multimídia Prof. David Silveira BOTÂNICA HISTOLOGIA VEGETAL 1) GERMINAÇÃO: Partes da semente: - TEGUMENTO (casca) proteção. - ENDOSPERMA (álbume/3n) reserva nutritiva. - EMBRIÃO Cotilédone (folhas

Leia mais

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Histologia e Morfologia Vegetal Histologia Vegetal Ramo da Botânica que se preocupa em estudar os tecidos vegetais quanto as suas características, organização,

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º. ALUNO(a):

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º. ALUNO(a): GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º ALUNO(a): Lista No Anhanguera você é + Enem Justificar as questões de múltipla escolha. Questão 01) Considerando a histologia vegetal - ciência que estuda

Leia mais

TECIDOS FUNDAMENTAIS

TECIDOS FUNDAMENTAIS TECIDOS FUNDAMENTAIS Totipotência Capacidade da célula madura reter potencialidades para o crescimento e diferenciação, normalmente só encontradas no zigoto. Ex. célula do parênquima. TECIDOS podem ser

Leia mais

MODELOS DE CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL. Katia Christina Zuffellato-Ribas

MODELOS DE CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL. Katia Christina Zuffellato-Ribas MODELOS DE CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO VEGETAL Katia Christina Zuffellato-Ribas MERISTEMAS PRIMÁRIOS E SECUNDÁRIOS MERISTEMAS PRIMÁRIOS MERISTEMAS APICAIS ÁPICE DO CAULE ÁPICE DA RAIZ PROTODERME EPIDERME

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO DISCIPLINA DE BIOLOGIA E GEOLOGIA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO DISCIPLINA DE BIOLOGIA E GEOLOGIA ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO DISCIPLINA DE BIOLOGIA E GEOLOGIA 10ºano Nome: Nº: Turma: Ficha de Trabalho Tema: Transporte nas plantas Data: / / 1. A figura 1 mostra o comportamento de células

Leia mais

CAULE ANATOMIA INTERNA

CAULE ANATOMIA INTERNA ANATOMIA INTERNA Nó: parte do caule onde estão inseridas uma ou mais folhas. Entrenó: região de um caule entre dois nós sucessivos Ápice do sistema caulinar: folhas e gemas axilares Primórdio foliar: produz

Leia mais

META Apresentar a anatomia do caule, incluindo aspectos relacionados a diferenças deste órgão de acordo com o grupo botânico do vegetal.

META Apresentar a anatomia do caule, incluindo aspectos relacionados a diferenças deste órgão de acordo com o grupo botânico do vegetal. ANATOMIA DO CAULE META Apresentar a anatomia do caule, incluindo aspectos relacionados a diferenças deste órgão de acordo com o grupo botânico do vegetal. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá:

Leia mais

A Célula. Depois do aprimoramento desse instrumento tornou- se possível o estudo da célula. É a área da Biologia responsável pelo estudo da célula.

A Célula. Depois do aprimoramento desse instrumento tornou- se possível o estudo da célula. É a área da Biologia responsável pelo estudo da célula. A Célula Citologia É a área da Biologia responsável pelo estudo da célula. Microscópio Depois do aprimoramento desse instrumento tornou- se possível o estudo da célula. Elab.: Prof. Gilmar 2 Elab.: Prof.

Leia mais

RAIZ ANATOMIA INTERNA

RAIZ ANATOMIA INTERNA ANATOMIA INTERNA A raiz apresenta uma organização interna relativamente mais simples que o do caule, devido a ausência de nós, entrenós e de órgãos semelhantes a folhas. Raiz lateral Raiz lateral Raiz

Leia mais

Balanço hídrico das plantas

Balanço hídrico das plantas Balanço hídrico das plantas Introdução Nas plantas 98% da absorvida pela raiz é perdida para o ar como vapor d água. A maior parte da água restante fica retida nos tecidos vegetais, e somente aproximadamente

Leia mais

PRINCIPAIS FITORMÔNIOS

PRINCIPAIS FITORMÔNIOS FITORMÔNIOS São substâncias orgânicas químicas que atuam em diferentes partes do vegetal, como raiz, caule, folha, flor e fruto. São sintetizados em pequenas porções. Responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento

Leia mais

Características gerais

Características gerais Reino das Plantas Características gerais São organismos: Eucariontes Pluricelulares Autótrofos Possuem diversos pigmentos, como os fotossintetizantes e os acessórios. Características gerais Capacidade

Leia mais

As plantas com flor são constituídas por raiz, caule, folhas, flores e frutos (Figura 2).

As plantas com flor são constituídas por raiz, caule, folhas, flores e frutos (Figura 2). 1. Diversidade das plantas As plantas são seres vivos pluricelulares produtores, uma vez que produzem os seus próprios alimentos, utilizando água, sais minerais, dióxido de carbono e energia solar para

Leia mais

8º GRANDE ENCONTRO SOBRE VARIEDADES DE CANA DE AÇÚCAR 2014 GRUPO IDEA FISIOLOGIA DA ISOPORIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA CULTURA DA CANA

8º GRANDE ENCONTRO SOBRE VARIEDADES DE CANA DE AÇÚCAR 2014 GRUPO IDEA FISIOLOGIA DA ISOPORIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA CULTURA DA CANA 8º GRANDE ENCONTRO SOBRE VARIEDADES DE CANA DE AÇÚCAR 2014 GRUPO IDEA FISIOLOGIA DA ISOPORIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA CULTURA DA CANA Prof. Dr. Paulo Figueiredo Engenheiro Agrônomo Universidade Estadual Paulista

Leia mais

Sistema Vascular. Gregório Ceccantini. BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares. USP Universidade de São Paulo

Sistema Vascular. Gregório Ceccantini. BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares. USP Universidade de São Paulo Sistema Vascular BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares Gregório Ceccantini USP Universidade de São Paulo Transporte no sistema vascular: integração do metabolismo Sistema Vascular 1. Corpo Vegetal

Leia mais

Bio. Bio. Rubens Oda. Monitor: Rebeca Khouri

Bio. Bio. Rubens Oda. Monitor: Rebeca Khouri Bio. Professor: Alexandre Bandeira Rubens Oda Monitor: Rebeca Khouri Histologia vegetal: meristemas e revestimento 18 set RESUMO Os tecidos vegetais são agrupamentos de células vegetais similares, e formam

Leia mais

MERISTEMA APICAL Meristema fundamental Tecidos fundamentais (parênquima, colênquima e esclerênquima) Xilema e floema primários (sistema vascular)

MERISTEMA APICAL Meristema fundamental Tecidos fundamentais (parênquima, colênquima e esclerênquima) Xilema e floema primários (sistema vascular) TECIDOS VEGETAIS Meristemas Apicais ápice de raízes e caules. Crescimento em comprimento/ primário. Meristemas primários Protoderme Tecidos primários Epiderme (sistema dérmico ou de revestimento) MERISTEMA

Leia mais

Balanço hídrico na planta. Bibliografia: Taiz, L., Fisiologia Vegetal

Balanço hídrico na planta. Bibliografia: Taiz, L., Fisiologia Vegetal Balanço hídrico na planta Bibliografia: Taiz, L., Fisiologia Vegetal Balanço hídrico na planta A perda de água pela planta depende do tipo de fotossíntese: Perda de água (g) por grama de C fixado C3 400-500

Leia mais

Sistema Vascular. Gregório C eccantini. BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares. USP Universidade de São Paulo

Sistema Vascular. Gregório C eccantini. BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares. USP Universidade de São Paulo Sistema Vascular BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares Gregório C eccantini USP Universidade de São Paulo Transporte no sistema vascular: integração do metabolismo Corpo Vegetal Sistemas Sistema

Leia mais

Professor: Paulo Disciplina: Biologia Campus Aquidauana CITOLOGIA

Professor: Paulo Disciplina: Biologia Campus Aquidauana CITOLOGIA Professor: Paulo Disciplina: Biologia Campus Aquidauana CITOLOGIA CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula, no que diz respeito à sua estrutura e funcionamento. Kytos (célula) + Logos (estudo)

Leia mais

2) Tecidos vegetais. Epiderme das folhas I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de algumas folhas

2) Tecidos vegetais. Epiderme das folhas I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de algumas folhas Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais e) Epiderme(tecido vivo) Epiderme das folhas I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de algumas folhas II) Estômatos:

Leia mais

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO Morfogénese Acontecimentos estruturais e fisiológicos que participam no desenvolvimento de uma planta, desde a célula reprodutora ou vegetativa até ao indivíduo adulto. Diferenciação

Leia mais

Estrutura e Desenvolvimento da Raiz e Caule

Estrutura e Desenvolvimento da Raiz e Caule Estrutura e Desenvolvimento da Raiz e Caule RAIZ funções: 1 o ) fixação e absorção; 2 o ) armazenamento e condução. XILEMA H 2 O e sais minerais partes aéreas raiz substâncias orgânicas FLOEMA Raiz Primária

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 25 TECIDOS DE TRANSPORTES

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 25 TECIDOS DE TRANSPORTES BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 25 TECIDOS DE TRANSPORTES Fixação 1) A remoção de um anel da casca do tronco de uma árvore provoca um espessamento na região situada logo acima do anel. A árvore acaba morrendo.

Leia mais

A CÉLULA EUCARIÓTICA

A CÉLULA EUCARIÓTICA A CÉLULA EUCARIÓTICA ... A célula é a unidade básica, estrutural e funcional de todos os seres vivos... A maioria das células têm um tamanho de 10 a 100 micrômetros e formas variadas QUAIS AS DIFERENÇAS

Leia mais

SISTEMA TEGUMENTAR. Pele e anexos. Pele e anexos 14/04/2015

SISTEMA TEGUMENTAR. Pele e anexos. Pele e anexos 14/04/2015 SISTEMA TEGUMENTAR SISTEMA TEGUMENTAR Pele e anexos Origem: Ectodérmica Epiderme Mesodérmica Derme Hipoderme Pele e anexos Pele: epiderme, derme e hipoderme Anexos: pêlos; unhas, cascos e garras; glândulas

Leia mais

BOTÂNICA HISTOLOGIA VEGETAL PROFESSOR CÉSAR

BOTÂNICA HISTOLOGIA VEGETAL PROFESSOR CÉSAR BOTÂNICA HISTOLOGIA VEGETAL PROFESSOR CÉSAR HISTOLOGIA VEGETAL Estudo das características, organização, estrutura e funções dos tecidos vegetais. Os tecidos vegetais são divididos em: - Tecidos de formação

Leia mais

Quais são as partes constituintes dos embriões? folha (s) embrionária (s) 2 em eudicotiledôneas

Quais são as partes constituintes dos embriões? folha (s) embrionária (s) 2 em eudicotiledôneas Quais são as partes constituintes dos embriões? Eixo embrionário: _ plúmula - meristema apical caulinar provido ou não de primórdios foliares _ hipocótilo _ radícula raiz embrionária Cotilédone (s) folha

Leia mais

Tema 5. Regulação Nervosa e Hormonal nos animais. Hormonas Vegetais. José Carlos Morais

Tema 5. Regulação Nervosa e Hormonal nos animais. Hormonas Vegetais. José Carlos Morais Regulação Nervosa e Hormonal nos animais Hormonas Vegetais José Carlos Morais Sistema Nervoso Sistema Hormonal Homeostasia Capacidade de manter o meio interno em equilíbrio Coordenação Nervosa Nervos Motores

Leia mais

25/08/2011. Tipos de Meristemas: b) Parênquima (tecido vivo) c) Colênquima(tecido vivo) 2) Tecidos vegetais

25/08/2011. Tipos de Meristemas: b) Parênquima (tecido vivo) c) Colênquima(tecido vivo) 2) Tecidos vegetais Aula Biologia Tema: Histologia Vegetal Marcos Vinícius Marcosviniciuspa@hotmail.com 1) Introdução A histologia vegetal estuda a formação e a constituição dos tecidos das plantas. Tecido: conjunto de células

Leia mais

CÉLULA VEGETAL - PAREDE CELULAR

CÉLULA VEGETAL - PAREDE CELULAR Material da Profa. Dra. Durvalina Maria Mathias dos Santos. Disciplina de Biologia Celular, Unesp, Jaboticabal. 2007 1 CÉLULA VEGETAL - PAREDE CELULAR NA FIGURA ABAIXO PODE SER COMPARADA A IMPORTÂNCIA

Leia mais

BIOLOGIA CITOLOGIA E DIVISÃOCELULAR PROF ESTEVAM

BIOLOGIA CITOLOGIA E DIVISÃOCELULAR PROF ESTEVAM BIOLOGIA CITOLOGIA E DIVISÃOCELULAR PROF ESTEVAM PADRÕES CELULARES 1) (VUNESP) Os procariontes diferenciam-se dos eucariontes porque os primeiros, entre outras características, a) não possuem material

Leia mais

Tecidos Meristemáticos ou Embrionários

Tecidos Meristemáticos ou Embrionários Tecidos Meristemáticos ou Embrionários São tecidos presentes no embrião, os quais, por diferenciação, dão origem a todos os demais tecidos do vegetal, respondendo também pelo crescimento das partes de

Leia mais

Morfologia Vegetal. Aula I

Morfologia Vegetal. Aula I Morfologia Vegetal Aula I Morfologia da raiz Origem das raízes secundárias Transição entre a raiz e o caule ( colo ) Absorção de sais minerais e água Crescimento das raízes (alongamento) Crescimento das

Leia mais

Professora Leonilda Brandão da Silva

Professora Leonilda Brandão da Silva COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Pág. 74 Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com http://professoraleonilda.wordpress.com/ PROBLEMATIZAÇÃO Quais

Leia mais

Sistema Respiratório

Sistema Respiratório Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Tópicos Especiais para Biotecnologia Tema 04: Aparelho Respiratório Função - Condução e trocas Gasosas; 1 - Fonação; 2 - Olfação; 3 - Regulação

Leia mais

Tecidos Vasculares. TECIDOS CONDUTORES - Introdução. Xilema primário. Procambio. Floema primário. Tecidos vasculares. Xilema.

Tecidos Vasculares. TECIDOS CONDUTORES - Introdução. Xilema primário. Procambio. Floema primário. Tecidos vasculares. Xilema. Tecidos Vasculares TECIDOS CONDUTORES - Introdução Tecidos vasculares Procambio Cambio vascular Xilema primário Floema primário Xilema secundário Floema secundário 1 XILEMA Características Gerais Tecido

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL 03/06/2013.

HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL 03/06/2013. Aula Biologia Tema: Histologia Vegetal Marcos Vinícius INTRODUÇÃO A reunião organizada de células especializadas que atuam em conjunto no desempenho de uma função específica é denominada tecido. A presença

Leia mais

ALUNO(a): Os meristemas dos vegetais são também chamados tecidos de crescimento, porque suas células:

ALUNO(a): Os meristemas dos vegetais são também chamados tecidos de crescimento, porque suas células: GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º ano ALUNO(a): Lista de Exercícios NOTA: No Anhanguera você é + Enem Questão 01) Os meristemas dos vegetais são também chamados tecidos de crescimento,

Leia mais

Hormônios Vegetais (Fitormônios)

Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais Ou fitormônios, são substâncias orgânicas atuantes nos diferentes órgãos das plantas: raiz, caule, folhas, flores e frutos, responsáveis pelo crescimento

Leia mais

Fanerógamas e Histofisiologia Vegetal

Fanerógamas e Histofisiologia Vegetal Fanerógamas e Histofisiologia Vegetal 1. Fanerógamas e Histofisiologia Vegetal alternativa incorreta. a) Os tecidos de sustentação promovem a manutenção da forma do organismo; apresentam na sua constituição

Leia mais

Estrutura Anatômica de Órgãos Vegetativos (Raiz e Caule) Profª. M.Sc. Josiane Araújo

Estrutura Anatômica de Órgãos Vegetativos (Raiz e Caule) Profª. M.Sc. Josiane Araújo Estrutura Anatômica de Órgãos Vegetativos (Raiz e Caule) Profª. M.Sc. Josiane Araújo Vegetal Órgãos Vegetativos Raiz Caule Órgãos Reprodutivos Folha Flor Fruto Semente Meristemas Apicais Caulinar e Radicular

Leia mais

Raiz É um órgão geralmente subterrâneo (há os aquáticos, superficiais e os aéreos), que desempenha funções importantes:

Raiz É um órgão geralmente subterrâneo (há os aquáticos, superficiais e os aéreos), que desempenha funções importantes: MORFOLOGIA VEGETAL Raiz É um órgão geralmente subterrâneo (há os aquáticos, superficiais e os aéreos), que desempenha funções importantes: Fixação do vegetal; Absorção da água e sais minerais do solo (raramente

Leia mais

A CÉLULA. Natércia Charruadas 2011. Biologia e Geologia 10º ano

A CÉLULA. Natércia Charruadas 2011. Biologia e Geologia 10º ano A CÉLULA Natércia Charruadas 2011 Biologia e Geologia 10º ano O entendimento dos processos biológicos depende do conhecimento da célula enquanto unidade fundamental da Vida. As dimensões das células, geralmente

Leia mais

Francisco Hevilásio F. Pereira Fisiologia Vegetal

Francisco Hevilásio F. Pereira Fisiologia Vegetal FISIOLOGIA VEGETAL Nutrição Mineral de plantas Parte II Pombal PB Transporte de íons na planta Transporte passivo e ativo Transporte passivo É aquele que ocorre a favor do gradiente de potencial químico

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Botânica Aplicada a Farmácia Código: FAR 102 Pré-requisito: - Período Letivo:

Leia mais

MERISTEMAS TECIDOS PERPETUAMENTE JOVENS E EMBRIONÁRIOS

MERISTEMAS TECIDOS PERPETUAMENTE JOVENS E EMBRIONÁRIOS FACULDADE ANHAGUERA CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Meristemas Disc.: Anatomia Vegetal Profa. Zanderluce Gomes Luis MERISTEMAS Tecido não diferenciado, originado das células embriogênicas e responsável pela formação

Leia mais

AULA 10 CAPÍTULO 10 RAIZ

AULA 10 CAPÍTULO 10 RAIZ AULA 10 CAPÍTULO 10 RAIZ RAIZ RAIZ Estrutura simples, quando comparada ao caule MAR = raiz primária Dicotiledôneas = raiz axial ou pivotante Monocotiledôneas = raiz fasciculada Morfologia externa Coifa

Leia mais

ANGIOSPERMAS II. 2. (Unesp 2016) Considere o seguinte experimento:

ANGIOSPERMAS II. 2. (Unesp 2016) Considere o seguinte experimento: 1. (Fmp 2016) Há mais de 300 anos, o cientista italiano Marcello Malpighi realizou um experimento no qual ele retirou um anel de casca do tronco de uma árvore. Com o passar do tempo, a casca intumesceu

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: ANATOMIA VEGETAL Código da Disciplina: NDC124 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 3 período Faculdade responsável: NÚCLEO DE DISCIPLINAS COMUNS Programa

Leia mais

Prof a Soraia TECIDOS VEGETAIS

Prof a Soraia TECIDOS VEGETAIS Prof a Soraia TECIDOS VEGETAIS Nas briófitas e pteridófitas, os tecidos são pouco especializados. Mas, nas gimnospermas e angiospermas, durante o desenvolvimento embrionário, células indiferenciadas formam

Leia mais

Transporte nas Plantas

Transporte nas Plantas Prof. Ana Rita Rainho Transporte nas Plantas Transporte nas plantas Materiais transportados Seiva bruta: água e sais minerais Conduzida da raiz ate às folhas pelo xilema Seiva elaborada: produtos orgânicos

Leia mais

MERISTEMAS

MERISTEMAS MERISTEMAS 2012 2006 02 - (UERJ/2012/2ª Fase) A clonagem de plantas já é um procedimento bastante comum. Para realizá-lo, é necessário apenas o cultivo, em condições apropriadas, de um determinado tipo

Leia mais

FICHA INFORMATIVA Nº 1 Biologia e Geologia Módulo 3 O transporte nas plantas

FICHA INFORMATIVA Nº 1 Biologia e Geologia Módulo 3 O transporte nas plantas FICHA INFORMATIVA Nº 1 Biologia e Geologia Módulo 3 O transporte nas plantas As plantas, através da fotossíntese, conseguem sintetizar os compostos orgânicos de que necessitam nas folhas. Para tal, precisam

Leia mais

Tipos de Tecidos Tecidos meristemáticos (sofrem mitoses)

Tipos de Tecidos Tecidos meristemáticos (sofrem mitoses) Tecidos Vegetais Tipos de Tecidos Tecidos meristemáticos (sofrem mitoses) Primário: Gemas Secundário: Câmbio e Felogênio Tecidos permanentes (diferenciados) Revestimento Condução Sustentação Parênquimas

Leia mais

29/05/2016. Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras;

29/05/2016. Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras; Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras; Vacúolo Armazena substâncias: água, sais, ar e alcaloides (efeitos tóxicos e farmacológicos); Plastos Leucoplasto,

Leia mais

Translocação no floema

Translocação no floema Translocação no floema A translocação orgânica ocorre no floema, o qual ocupa a parte externa dos feixes vasculares Placa crivada Poro da placa crivada Área crivada lateral Desenhos esquemáticos de elementos

Leia mais

» EUCARIONTES;» PLURICELULARES;» AUTÓTROFOS;» FOTOSSINTETIZANTES;» PRESENÇA DE SEIVA (BRUTA E ELABORADA);» PRESENÇA DE PAREDE CELULAR (CELULOSE),

» EUCARIONTES;» PLURICELULARES;» AUTÓTROFOS;» FOTOSSINTETIZANTES;» PRESENÇA DE SEIVA (BRUTA E ELABORADA);» PRESENÇA DE PAREDE CELULAR (CELULOSE), » EUCARIONTES;» PLURICELULARES;» AUTÓTROFOS;» FOTOSSINTETIZANTES;» PRESENÇA DE SEIVA (BRUTA E ELABORADA);» PRESENÇA DE PAREDE CELULAR (CELULOSE), COLOROPLASTOS E ESTÔMATOS;» AMIDO COMO CARBOIDRATO DE RESERVA;»

Leia mais

BIOLOGIA VEGETAL DR ACESSO ELVIRA SAMPAIO

BIOLOGIA VEGETAL DR ACESSO ELVIRA SAMPAIO BIOLOGIA VEGETAL DR ACESSO ELVIRA SAMPAIO VESTIBULARES 1. (UEG)Na maioria das plantas terrestres, a água é absorvida pelas raízes, deslocando-se pelo corpo do vegetal como ilustrado na figura a seguir.

Leia mais

REVISÃO 2 ANO MACE. Assinale se estão corretas, apenas, a) I e II. b) I e III. c) I e IV. d) II e III. e) II e IV.

REVISÃO 2 ANO MACE. Assinale se estão corretas, apenas, a) I e II. b) I e III. c) I e IV. d) II e III. e) II e IV. REVISÃO 2 ANO MACE 01 - (MACK SP) Respiração e transpiração são dois processos que ocorrem nas plantas e no ser humano. A respeito disso, considere as afirmações abaixo: I. A transpiração nesses organismos

Leia mais

Raiz. Disponível em: <http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/60/tree_roots_cross_section.jpg>. Acesso em: 23 abr

Raiz. Disponível em: <http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/60/tree_roots_cross_section.jpg>. Acesso em: 23 abr Anatomia vegetal Raiz Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2012. Funções: Sustentação Absorção de água e sais minerais Armazenamento

Leia mais

Aula V 2013 Biologia Cursinho Ação Direta. Respiração:

Aula V 2013 Biologia Cursinho Ação Direta. Respiração: Aula V 2013 Biologia Cursinho Ação Direta Respiração: O processo de respiração tem como objetivo básico tornar possível extrair a energia química presente nos alimentos e utilizá-las nas diversas atividades

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 22 HISTOLOGIA VEGETAL

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 22 HISTOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 22 HISTOLOGIA VEGETAL Fixação 1) (UERJ) Experimentos envolvendo a clonagem de animais foram recentemente divulgados. No entanto, ainda há uma grande dificuldade de obtenção

Leia mais

ÓRGÃOS VEGETAIS RAIZ. Estrutura primária

ÓRGÃOS VEGETAIS RAIZ. Estrutura primária ÓRGÃOS VEGETAIS RAIZ A raiz constitui a extremidade inferior do eixo vegetal, sendo um órgão frequentemente subterrâneo, cilíndrico, aclorofilado, que não apresenta folhas ou gemas, nem regiões nodais

Leia mais

Características gerais

Características gerais Citoplasma Citoplasma Características gerais Um vertebrado é formado por dezenas de tipos de células. Citoplasma Características gerais Um vertebrado é formado por dezenas de tipos de células. Neurônio

Leia mais