- ATIVIDADES TÉCNICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- ATIVIDADES TÉCNICAS"

Transcrição

1 - ATIVIDADES TÉCNICAS As atividades técnicas materializam a razão de existir dos museus e dos programas culturais a eles relacionados, que traduzem as ações referentes à área fim a serem executadas: de preservação do patrimônio museológico, pesquisa, divulgação e contribuição para a educação, identidade e cidadania. PROGRAMA DE EDIFICAÇÕES: CONSERVAÇÃO, MANUTENÇÃO E SEGURANÇA 1) Objetivos I- Assegurar a manutenção física e a conservação preventiva das edificações, instalações e equipamentos de infra-estrutura predial, conforme previsto no contrato de locação. II- Garantir a segurança da edificação, do acervo e das instalações, bem como dos usuários (visitantes, pesquisadores, participantes de eventos) e funcionários. III- Criar condições para a acessibilidade física às áreas expositivas, de trabalho e de uso comum. 2) Público Alvo: Funcionários e usuários. Indicadores de Ações Período Meta Realizado Resultados Executar programação periódica de combate a pragas: desratização, despombalização, desinsetização, restrito a área locada à SAMAS do Complexo do Mosteiro da Luz. Dar continuidade ao processo para obtenção do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) sempre atendendo todos Comuniquese dentro do prazo concedido pela entidade. Manter atualizado e dentro do prazo de validade o treinamento da Brigada de Incêndio. Realizar a manutenção periódica dos equipamentos de segurança e prevenção de incêndios, garantindo boas condições de uso e prazo de validade a vencer, assim como projeto de comunicação visual para os equipamentos de bombeiros e segurança. Renovar seguro predial multirrisco com coberturas contra incêndio, danos patrimoniais e responsabilidade civil. Programação executada: 02 relatórios semestrais descritivos. Entrega de relatório descritivo semestral, demonstrando todas as ações realizadas. Apólice dos seguros contratados. 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 100% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 50% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - - ANUAL ICM % 100% 100% 5

2 Ações Indicadores de Resultados Período Meta Realizado 04 Executar Plano de Manutenção e Conservação Preventiva: Instalações de hidráulica e elétrica; limpeza de dutos, pinturas, reparos e outras ações descritas no Plano, restrito a área locada a SAMAS do Complexo do Mosteiro da Luz, com manutenção dos jardins Relatório de Andamento do Plano 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL 02 ICM % 100% 05 Regularizar levantamento de documentação cadastral das edificações Entrega de relatórios descritivos, demonstrando todas as ações realizadas e cópias digitalizadas dos protocolos/aprovações 1º Trim º Trim. 01-3º Trim º Trim. 01 ANUAL 02 - ICM % 100% - Meta 04 Plano de Manutenção e Conservação Preventiva (Anexo I): Dando continuidade aos trabalhos de manutenção e conservação preventiva do prédio do Museu de Arte Sacra de São Paulo, com corte e poda dos jardins, além de pequenos reparos internos da rede elétrica e hidráulica do Museu, pinturas de paredes, conforme anexo. PROGRAMA DE ACERVO: CONSERVAÇÃO, DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA 1) Objetivos I- Assegurar a conservação e preservação dos acervos museológico, por meio de plano de conservação com ações preventivas e corretivas. II- Documentar todos os acervos de acordo com normas técnicas contemporâneas e com as diretrizes da UPPM, e manter atualizada a relação dos acervos da SEC. III- Realizar estudos, pareceres e outras ações para ampliação qualificada do acervo, estabelecendo ajustes com o Poder Público e a iniciativa privada para aquisição de obras de arte, livros e outros bens culturais relevantes para o patrimônio cultural do Estado. IV- Iniciar a realização de pesquisas sobre conteúdos relacionados ao acervo e à temática do museu. 2) Público Alvo: Funcionários, pesquisadores e usuários Indicadores de Ações Período Meta Realizado Resultados Realizar a higienização mecânica do acervo museológico em reserva técnica. Dar continuidade às ações de implantação da reserva técnica em novo espaço Acervo higienizado: 1800 peças por ano. Relatório semestral dos trabalhos realizados 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 450 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 50% 6

3 Ações Realizar a higienização mecânica das peças na exposição de longa duração. Manter atualizado o registro topográfico do acervo (mapa de localização das peças do acervo). Em reserva técnica e em exposição Realizar diagnóstico de conservação do acervo museológico em exposição de longa duração. Manter dados atualizados no Banco de Dados da SEC-SP Apresentar o inventário do acervo museológico e bibliográfico Confeccionar embalagens adequadas para troca por novas para conservação. Trocar etiquetas de itens feitas em material adequado. Indicadores de Resultados Peças higienizadas 1200 peças por ano. Mapa de localização das peças do acervo: 1 relatório por semestre Relatório contendo o diagnóstico realizado:1 relatório por semestre 50 fichas trabalhadas por trim. e 200 imagens produzidas e inseridas no BD por trim. Inventário apresentado no 4º Trimestre em planilha de Excel, gravada em mídia eletrônica Relatório de troca de embalagens: 400 antigas por novas: 100 por trimestre Relatório da troca de 400 etiquetas Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 300 ANUAL ICM % 100% 80% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 50% 1º Trim º Trim º Trim º Trim ANUAL ICM % 100% 50% 1º Trim. 2º Trim. 3º Trim. 4º Trim. ANUAL 50 fichas e 200 imagens 50 fichas e 200 imagens 50 fichas e 200 imagens 50 fichas e 200 imagens 200 fichas e 800 imagens 50 fichas e 200 imagens 50 fichas e 200 imagens 50 fichas e 200 imagens 150 fichas e 600 imagens ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL 01 - ICM % 100% - 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 100 ANUAL ICM % 100% 80,5% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 100 ANUAL ICM % 100% 75% 7

4 16 Ações Submeter projetos de pesquisa a editais de apoio e fomento para busca de apoio financeiro e material (FAPESP, CNPQ, FINEP e afins). Indicadores de Resultados 01 projeto submetido. Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL 01 - ICM % 100% - Meta 06 Higienização do Acervo em Reserva Técnica: Com a mudança e acondicionamento do acervo na nova reserva técnica foi dada atenção especial ao acervo de numismática, providenciando sua inserção do Banco de Dados da SEC, precedidos pela sigla NUM. Sua higienização foi seguida da troca das embalagens, por envelopes apropriados, em papel neutro, posta que havia a necessidade de se inserir o número de catalogação das mesas. Assim, a meta nº 6 foi cumprida em conjunto com a meta 13. Foram higienizadas e trocadas as seguintes seqüências de moedas: Moeda: NUM até NUM- 4836= 486 O número excedente à meta, justifica-se por se tratar de um lote seqüencial de moedas, que tecnicamente não deve ser desmembrado. Meta 08 Higienização do Acervo em Espaço Expositivo (Anexo II): Relatório em anexo. Meta 11 Atualização do banco de Dados SEC-SP (Anexo III): Relatório em anexo. Meta 13 Confecção de Embalagens Adequadas: Neste 3º Trimestre o Museu de Arte Sacra realizou a torça de 100 embalagens para melhor conservação do acervo acondicionado na Nova Reserva Técnica. Vide anexo (Anexo II). Meta 15 Troca de Etiquetas (Anexo IV): Com o acondicionamento do acervo na Nova Reserva Técnica, foi dado continuidade aos trabalhos de troca de etiquetas, sendo neste 3º Trimestre realizada a troca de 100 etiquetas por novas, conforme relatório anexo. PROGRAMA DE EXPOSIÇÕES E PROGRAMAÇÃO CULTURAL 1) Objetivos I- Implantar, Manter e expandir a exposição de longa duração com base no eixo conceitual aprovado pelo Conselho de Administração da OS. II- Criar condições para a acessibilidade às exposições e às atividades desenvolvidas. III- Realizar exposições temporárias, palestras e eventos que viabilizem o acesso qualificado da população à cultura e à educação, contribuindo para a formação de público de museus e equipamentos culturais. IV- Desenvolver atividades especiais para participação nas ações comemorativas a seguir: Semana dos Museus (maio), Primavera dos Museus (setembro) e Mês da Consciência Negra (novembro). V- Manter o museu aberto ao público de terça-feira a domingo, nos meses de janeiro a dezembro, exceto em dias previamente comunicados, e receber público em geral para visitas espontâneas ou guiadas. 2) Público Alvo: Visitantes e usuários em geral. 8

5 Ações Realizar a manutenção da atual exposição de longa duração. Realizar exposições temporárias. Realizar palestras para o público. Realizar eventos temáticos: Semana de Museus - Cosmópolis /Primavera / Consciência Negra Realizar Evento junto a Virada Cultural Manter o Museu de Arte Sacra aberto ao público de janeiro a dezembro de Receber visitantes presencialmente no museu (público total = espontâneo + agendado). Executar Projeto de sinalização em espanhol da exposição de longa duração Indicadores de Resultados Manutenção 04 relatórios trimestrais descritivos. 02 exposições temporárias realizadas. 01 palestra realizada. Eventos temáticos realizados. Relatório sobre o evento realizado 295 dias abertos (exceto: 01 e 02/01; 05, 06 e 08/03; 02/11; 25, e 31/12, e 3 dias antes da abertura de cada exposição temporária, para montagem). Visitantes recebidos. Entrega do Projeto no 2º Trimestre Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 150% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL ICM % 100% 100% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 66% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL ICM % 100% 100% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 73 ANUAL ICM % 100% 78,8% 1º Trim º Trim º Trim º Trim ANUAL ICM % 100% 85% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL ICM % 100% 100% Meta 17 Manutenção da Exposição de Longa Duração (Anexo V): Relatório em anexo. Meta 18 Realizar Exposições Temporárias: No 2º Trimestre, a exposição realizada, Jóias com história, do vitoriano ao art déco por Isabella Blanco, com curadoria de Jorge Brandão, não onerou recursos da OS. Os custos foram da designer 9

6 Isabella Blanco, desde a tenda/cobertura, as bases/suportes, ambas colocadas no pátio interno. As peças expostas foram fornecidas também pela artista. Apenas uma vitrine do acervo do Museu, colocada na entrada, foi adaptada pelo curador, que não cobrou pelo trabalho. Neste 3º Trimestre, por não termos utilizados os recursos do elemento exposições temporárias, foi possível realizar em parceria com curadores e artistas, 02 (duas) exposições. A primeira o projeto Contrapontos que trata de intervenções de arte contemporânea dentro da exposição de longa duração. Este projeto se desenvolveu sob a curadoria de Nair Kremer, e para sua execução, foram selecionados 08 artistas que interviram nos espaços do Museu, a saber: Alex Flemming- Sala Cofre Geórgia Kyriakakis antiga administração Guto Lacaz antiga sala de reuniões Luiz Hermano-Corredor de entrada Monique Allain- Cofre Renata Barros- Corredor do cemitério Roberta Segura Jardim do Claustro Silvia Mharques- Sala da Luz Convidados Especiais : Núcleo de Arte-Educação do Museu Profetas A referida mostra abriu no dia 03/09 com encerramento previsto para o dia 04/11. Não houve custos de curadoria, e alguns artistas cederam suas obras (Alex Flemming e Luiz Hermano), sem qualquer despesa para o Museu, apenas efetuamos o transporte das ditas obras. As peças que foram executadas para a exposição, caso de Renata Barros, Monique Allain, Geórgia Kyriakakis, Guto Lacaz, Roberta Segura e Silvia Mharques, os matérias e equipamentos utilizados foram pagos pelo Museu, assim consideramos esta primeira etapa do Contrapontos como uma parceria, MAS e Artistas. No caso da exposição Floração de Paulo von Poser, o Museu custeou curadoria, iluminação, parte da montagem, a confecção de parte das obras expostas, folders e catálogo. Outras peças foram cedidas pelo artista, bem como, gravuras assinadas feitas para o segundo momento da exposição, para venda e o valor arrecadado reverterá como doação para o Museu. Meta 20 Realizar Eventos Temáticos: Semana de Museus O Museu elaborou uma programação especial entre os dias 25 e 30 de setembro que contou com: duas mesas redondas, abordando a função social dos museus; uma oficina de estêncil em um centro de convivência do centro de SP; uma ação inaugural do Projeto de Inclusão Sociocultural do MAS-SP junto aos educadores sociais que lidam com pessoas em situação de vulnerabilidade social e duas oficinas de escultura em jornal. Este foi um evento temático da 6ª Primavera de Museus junto ao IBRAM, que este ano abordou o tema "A função social dos museus". Para tanto, ao total foram atendidas 84 pessoas. Meta 22 Manter o Museu Aberto: Neste 3º Trimestre o Museu permaneceu 79 (setenta e nove) dias aberto ao público, superando em 04 (quatro) dias a meta prevista para este trimestre, isso ocorrido devido ao não fechamento dos dias programados para a montagem das exposições temporárias, meta deste Plano. Meta 23 Público Visitante: Neste 3º Trimestre o Museu recebeu visitantes, atingindo a meta de visitantes estipulada para este trimestre. 10

7 1º Semestre Estudantes (escolas Públicas) 3996 Estudantes (escolas Particulares) 1602 Visitas Guiadas a Público Alvo 2647 Atend. Pessoas com deficiências 53 Oficinas Educativas 174 Visitação Espontânea Total º Trimestre Estudantes (escolas Públicas) 3515 Estudantes (escolas Particulares) 774 Visitas Guiadas a Público Alvo 2444 Atend. Pessoas com deficiências 8 Visitação Espontânea 5958 Total PROGRAMA DE SERVIÇO EDUCATIVO E PROJETOS ESPECIAIS 1) Objetivos I- Oferecer serviço educativo para grupos de visitantes, preferencialmente mediante agendamento, a fim de ampliar as possibilidades de aproveitamento das exposições para turistas, idosos, grupos de profissionais e outros. II- Contribuir com a educação formal por meio de parceria com as redes pública e privada de ensino, viabilizando o melhor aproveitamento dos conteúdos museológicos para a educação escolar. III- Desenvolver e executar projetos e ações que promovam a inclusão social, trazendo para o museu grupos sociais diversificados, marginalizados e com maior dificuldade no acesso a equipamentos culturais (tais como pessoas com deficiência, pessoas em situação de vulnerabilidade social e doentes em hospitais) ou que estejam no entorno do museu. IV- Oferecer cursos e oficinas de capacitação para professores e educadores em geral. V- Realizar pesquisa de perfil de público e de satisfação, para subsidiar a avaliação e o aperfeiçoamento dos serviços prestados. 2) Público Alvo: Estudantes e grupos de visitantes 11

8 Ações Avaliar e readequar o projeto para serviço educativo implantado no 4º trimestre Realizar visitas guiadas a estudantes de escolas públicas. Realizar visitas guiadas a estudantes de escolas privadas. Realizar visitas guiadas a grupos alvo (pessoas em situação de vulnerabilidade social, pessoas da terceira idade, turistas). Realizar cursos de capacitação para professores. Realizar pesquisa de perfil de público e de satisfação. 31 Visitação Espontânea. 32 Curso de Zeladoria voltado a adolescentes de vulnerabilidade social. Indicadores de Resultados Relatório de avaliação apresentado semestralmente: 2 relatórios estudantes de escolas públicas atendidos em visitas guiadas, num total de 213 grupos atendidos, ou seja, 213 escolas atendidas estudantes de escolas privadas atendidos em visitas guiadas, num total de 142 grupos atendidos, ou seja, 142 escolas atendidas pessoas atendidas em visitas guiadas, totalizando 154 grupos atendidos. 08 cursos voltados a 140 (cento e quarenta) professores. Relatório semestral de perfil de público e de satisfação entregue: 2 relatórios Atendimento a visitas espontâneas. Curso com duração de 6 meses, para 40 alunos / apresentação de 2 Relatórios das atividades. Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 50% 1º Trim º Trim º Trim º Trim ANUAL ICM % 100% 88% 1º Trim º Trim º Trim º Trim ANUAL ICM % 100% 42% 1º Trim º Trim º Trim º Trim ANUAL ICM % 100% 82% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 02 ANUAL ICM % 100% 78% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 50% 1º Trim º Trim º Trim º Trim ANUAL ICM % 100% 98,7% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL 02 - ICM % 100% - Meta 26 Realizar Visitas Guiadas a Estudantes de Escolas Públicas: A meta de atendimento para escolas públicas foi alcançada graças ao estreitamento de relações com as escolas públicas em geral, entre elas as ETECs, Fatecs e através da FDE. Foi feita uma intensificação de esforços para gerar um excedente no atendimento, que foi 12

9 de 531 visitantes no trimestre, visando ampliar o número total geral de atendimentos de público pelo Núcleo de Arte-Educação. Meta 27 Realizar Visitas Guiadas a Estudantes de Escolas Privadas: O atendimento as escolas particulares não cumpriu a meta estabelecida, alcançando o atendimento de 774 visitantes, quando a meta estabelecida era de 1989 pessoas. Entre o segundo e o terceiro trimestre, foi realizada uma intensificação de ações em busca de divulgação e parcerias visando o contato com instituições escolares privadas. Foi feito o rastreamento de uma lista de contatos de todas as escolas católicas da cidade, assim como de outros grupos escolares através da internet e telefone. Foram realizadas visitas pessoais a coordenações de escolas, com o Colégio Santo Agostinho, e conversas feitas com professores da rede, porém com pouco efeito nos agendamentos, pois o planejamento anual destas escolas já se encontra fechado, o que dificulta a inserção de novas atividades. Meta 28 Realizar Visitas Guiadas a Grupos Alvos: O atendimento aos grupos de público alvo foi de 2444 visitantes, quando a meta era de Esta meta foi ultrapassada em 282 visitantes, aumento justificado pela participação do público na obra interativa "Salvaguarda", instalação produzida pelo Núcleo de Arte-Educação para a exposição Contrapontos. Meta 29 Realizar Cursos de Capacitação para Professores (Anexo VI): Foram realizados 2 Cursos de Capacitação para Professores, cumprindo assim a meta do terceiro trimestre. O primeiro, realizado em Agosto com o título de Patrimônio e Paisagem, abordou estes conceitos a partir do próprio prédio do museu e seu entorno, junto à coleção de pinturas do artista Benedito Calixto. O segundo, realizado em Setembro, consistiu em uma visita integrada com a Pinacoteca do Estado de São Paulo sob o tema Representações da Mulher. Os cursos contaram com a quantidade de 12 e 16 pessoas respectivamente. Meta 31 Visitação Espontânea: Neste 3º trimestre o Museu recebeu o total de 5958 visitantes, atingindo o total estipulado de 5610 visitantes. Meta 32 Curso de Zeladoria voltado a Adolescentes de Vulnerabilidade Social (Anexo VII): Curso de Zeladoria, ministrado na rua São Lázaro, sede administrativa e Reserva Técnica do Museu de Arte Sacra de São Paulo, iniciou-se em 05 de junho de 2012, contando com cerca de 25 alunos, com a carga horária de 450 horas, com as aulas de segunda a sexta das 13h30 às 17h horas, conforme relatório anexo. PROGRAMA DE APOIO AO SISEM-SP 1) Objetivos I- Integrar e participar ativamente do Sistema Estadual de Museus de São Paulo, SISEM-SP, por meio da organização, operacionalização e apoio a projetos e atividades em geral, inclusive da prestação de serviços de apoio técnico a outras instituições culturais ou a municípios da grande São Paulo e do interior do Estado, conforme orientação do Grupo Técnico do SISEM-SP / UPPM / SEC. II- Ampliar o público atendido pelo museu a partir de ações desenvolvidas na periferia e interior. 2) Público Alvo: Museus e municípios do interior e grande SP e seu público. 13

10 Ações Promover palestras em museus e espaços culturais do interior e periferia de São Paulo. Oferecer estágio técnico para profissionais de museus do Estado. Realizar visitas técnicas ao Museu de Arte Sacra de São Paulo, por outros Museus do Estado. Oferecer exposição temporária para itinerância em espaços culturais do interior Realizar Oficinas de capacitação nos museus do Estado, com temáticas específicas Indicadores de Resultados 02 palestras. 01 estágio oferecido. Relatório das visitas realizadas no Museu, sendo uma visita no 1º Trimestre e uma no 4º trimestre. 01 exposição oferecida Realizar 04 Oficinas, 01 oficina por Trimestre Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 50% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL 01 - ICM % 100% - 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 50% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL ICM % 100% 100% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% Meta 37 Realizar Oficinas de capacitação nos museus do Estado, com temáticas específicas (Anexo VIII): Foi realizada uma Oficina de Conservação Preventiva em Museus: Planejamento de um programa eficaz de manutenção de acervos, na cidade de Avaré, no CAC - Oficinas Culturais José Reis Filho, entre os dias 23 e 24 de agosto, detalhes em anexo. PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO 1) Objetivos I- Assegurar um canal de comunicação eficiente e ágil com os públicos do Museu por meio da internet. II- Prestar informações atualizadas sobre a programação cultural do museu. 2) Público Alvo: Visitantes e usuários em geral Indicadores de Ações Período Meta Realizado Resultados 38 Manter o site atualizado com: atividades do museu; oportunidades de trabalho no museu; chamadas para contratações de serviços, e link para ouvidoria da SEC (na página principal) e para o site da SEC. Site atualizado: 04 relatórios trimestrais descritivos. 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 14

11 Ações Entregar a Programação Cultural Anual, com atualizações mensais. Produção Folder Institucional (inglês) Monitorar nº de acessos ao SITE Apresentar e executar projeto para uso das redes sociais Indicadores de Resultados Programação cultural anual entregue em janeiro e atualizações mensais entregues até o dia 5 de cada mês. Relatório e Folder apresentados no 2º Trimestre. Relatório de nº de acessos (um por trimestre) Projeto apresentado 1º tri Projeto executado 2º tri Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 03 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL 01 - ICM % 100% 50% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL ICM % 100% 100% Meta 38 Atualização do Site (Anexo IX): O site do Museu de Arte Sacra, vem sendo constantemente atualizado, conforme relatório em anexo. Meta 39 Entrega de Programação (Anexo X): Programação entregue todo dia 05 de cada mês,junto com os dados de visitação do mês anterior, através de Ofício SAMAS, assinado pela Diretoria. Meta 41 Monitorar Acessos ao Site (Anexo XI): Relatório de monitoramento de acesso ao Site em anexo, detalhado com quantidades de acessos, números de Downloads, alterações e quantidade de pesquisas. ATIVIDADES OPERACIONAIS E ADMINISTRATIVAS As atividades operacionais e administrativas envolvem o custeio de: recursos humanos próprios e operacionais, de traslados e demais despesas para a execução deste Contrato de Gestão (tais como água, luz, telefone, segurança, impostos e material de consumo), bem como a atualização do relatório de bens ativos, e a realização de atividades organizacionais, de manutenção do equilíbrio financeiro e de captação de recursos. 15

12 PROGRAMA DE GESTÃO OPERACIONAL E ADMINISTRATIVA 1) Objetivos I- Administrar, supervisionar e gerenciar o museu com eficiência, eficácia, transparência e economicidade, garantindo a preservação e divulgação de seus acervos culturais em estreita consonância com a política museológica e com as diretrizes da SEC. II- Realizar as ações orientadas pela Comissão de Avaliação de Documentos de Arquivo, CADA da SEC, garantindo que a documentação arquivística da gestão do museu seja devidamente tratada como documento público, conforme a legislação vigente. III- Gerir ou terceirizar espaços, mediante prévia aprovação, seguindo as normas de procedimentos da SEC e de acordo com a legislação vigente, para venda de produtos relacionados aos objetivos e projetos dos equipamentos, bem como explorar ou terceirizar cafés, bares, estacionamentos e afins para atendimento do público do museu, revertendo os recursos gerados para o cumprimento das ações do plano de trabalho. IV- Elaborar projetos para editais e leis de incentivo e realizar outras ações de desenvolvimento institucional e captação de recursos, visando ampliar as parcerias e recursos para o sucesso no cumprimento integral das metas previstas. 2) Público Alvo: Funcionários, fornecedores, patrocinadores e usuários em geral Indicadores de Ações Período Meta Realizado Resultados Os funcionários do 1º Trim. - - Realizar capacitação dos quadro serão 2º Trim. - - funcionários para correta capacitados através de utilização das normas e 3º Trim treinamentos 43 procedimentos 4º Trim. 01 específicos. Cerca de administrativos da OS, ANUAL funcionários. 01 no condicionado à implantação 3º trimestre e outro no do PCCS. ICM % 100% - 4º trimestre Elaborar relatórios dos gastos mensais com utilidades públicas, impostos e taxas (com indicativo de pagamento no prazo). Controlar a capacidade de pagamento das despesas (receitas totais x despesas totais). Controlar as despesas de pessoal por área (funcionários da área meio x funcionários da área fim). Manter gastos com pessoal até o limite estabelecido no contrato de gestão. 04 relatórios entregues Índice de cobertura das despesas satisfatório = ou maior que 01 (entrega de 04 relatórios trimestrais) Índice satisfatório = 0,5 / 0,7 (entrega de 04 relatórios trimestrais). Índice satisfatório = 65% (entrega de 04 relatórios trimestrais). 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 16

13 Ações Manter gastos com diretoria até o limite do contrato de gestão. Elaborar relação de documentos para eliminação junto à CADA. Manter atualizada a relação de bens patrimoniais (Anexo IV do contrato de gestão). Captar recursos por meio de geração de receita de bilheteria, com ingressos a R$ 6,00 e R$ 3,00 (meiaentrada), exceto gratuidades. Captar recursos por meio de geração de receita de produtos vendidos na loja. Captar recursos por meio de geração de receita doações de sócios contribuintes e etc. Submeter projetos para aprovação por meio das leis de incentivo à cultura (Rouanet). Entregar relatório quadrimestral de despesas e receitas conforme LDO. Aplicar recursos em fundo de contingência. Indicadores de Resultados Índice satisfatório = 15% (entrega de 04 relatórios trimestrais). Relação entregue. 01 relatório entregue. Recurso captado = 3% do repasse R$ ,04 Recurso captado = 3% do repasse R$ ,04 Recurso captado = 3% do repasse R$ ,04 02 Projetos submetidos. 03 relatórios por ano. Apresentar relatório dos valores aplicados no fundo de contingência, 1,5% do valor do C.G. até o 4º trimestre. Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL ICM % 100% 100% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL 01 - ICM % 100% - 1º Trim ,00 2º Trim ,00 3º Trim ,00 4º Trim. - ANUAL ,00 ICM % 100% 18,3% 1º Trim ,84 2º Trim ,04 3º Trim ,80 4º Trim. - ANUAL ,68 ICM % 100% 48,1% 1º Trim ,00 2º Trim. - 0,00 3º Trim ,00 4º Trim. - ANUAL ,00 ICM % 100% 12,1% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 50% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 66,6% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 17

14 Ações 57 Entregar o DOAR Alimentar o sistema integrado de gestão. Organizar e adequar os termos documentais conforme o Plano de Classificação e Tabela de Temporalidade Manter um profissional responsável pela gestão arquivística Indicadores de Resultados Entregar na Secretaria da Fazenda, até dia 10 do mês seguinte, o DOAR e apresentar uma cópia do comprovante de entrega do mesmo na UPPM. Relatório trimestral. Relação entregue. Responsável Contratado Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 75% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL ICM % 100% 70% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL ICM % 100% 100% 1º Trim º Trim º Trim º Trim. - ANUAL 01 - ICM % 100% - Meta 43 Capacitação de Funcionários (Anexo XII): Efetuou-se a divulgação, a todos os funcionários, do caderno de ORIENTAÇÕES PARA MANUAIS DE COMPRAS E RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS, bem como, o CADERNO DE ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS DE TRABALHO. Mas, devido a adequação e mudança da Reserva Técnica e Administração para o prédio da rua São Lázaro, não pode ser cumprido o cronograma de treinamento e capacitação dos funcionários, conforme documento em anexo. Esta meta será executada junto a programação do 4º Trimestre. Meta 44 Relatório de Gastos Mensais (Anexo XIII): Relatório em anexo. Meta 45 Capacidade de Pagamento das Despesas: Índice de cobertura das despesas = 1,00. Meta 46 Despesas de Pessoal por Área: Índice das despesas = 0,5. Meta 47 Gasto com Pessoal: Índice das despesas = 8%. Meta 48 Gasto com Diretoria: Índice das despesas = 1,2. 18

15 Meta 51 Captação de Recursos - Bilheteria: Como não há meta estabelecida Trimestralmente, neste relatório não temos parâmetros para calcular o índice de cumprimento desta meta. O Museu captou na Bilheteria o valor total de R$13.818,00 (treze mil, oitocentos e dezoito reais), chegando assim ao montante de R$ ,00 (trinta e oito mil, duzentos e setenta e três reais). Meta 52 Captação de Recursos - Loja: Como não há meta estabelecida Trimestralmente, neste relatório não temos parâmetros para calcular o índice de cumprimento desta meta. O Museu captou o valor total de R$ ,80 (cinqüenta mil, seiscentos e trinta e nove reais e oitenta centavos), chegando assim ao montante de R$ ,68 (cem mil, oitocentos e dezenove reais e sessenta e oito centavos). Meta 53 Captação de Recursos Doações: Como não há meta estabelecida Trimestralmente, neste relatório não temos parâmetros para calcular o índice de cumprimento desta meta. O Museu captou o valor total de R$ 500,00 (quinhentos reais), chegando assim ao montante de R$ ,00 (vinte e cinco mil e quinhentos reais). * Para este exercício a meta de captação da Associação é de R$ ,04 (duzentos e nove mil, oitocentos e dezesseis reais e quatro centavos), correspondentes a 3% do valor do Orçamento para o exercício de Se considerarmos que este é valor total de captação para as três metas, chegamos ao montante de R$ ,68 (cento e sessenta e oito mil, quinhentos e noventa e dois reais e sessenta e oito centavos), equivalente a 78,3% da meta total. Meta 55 Entregar relatório quadrimestral de despesas e receitas conforme LDO: O Museu entregou o Relatório Gerencial (Quadrimestral) no mês de Setembro, enviando por a gestora responsável para a devida publicação. Meta 56 Aplicação de Recursos no Fundo de Contingência: Neste 3º Trimestre foram aplicados no fundo de contingência o valor total de R$ ,00 (dezessete mil, setecentos e cinqüenta reais), no dia 21 de setembro de Meta 57 Entrega de DOAR: Entrega realizada mensalmente junto a Secretaria de Estado da Fazenda com cópia para a Secretaria de Estado da Cultura através dos Ofícios SAMAS/OS, conforme indicado: CCA-5: 144/2012, 156/2012 e 172/2012; UPPM: 145/2012, 157/2012 e 173 /2012; Meta 58 Alimentação do Sistema Integrado de Gestão: O sistema vem sendo alimentado e mantido em constante utilização pela Associação, gerando ao final o Relatório de Gastos mensais, constante do Anexo deste relatório (Anexo XIII). Meta 59 Organizar e adequar os termos documentais conforme o Plano de Classificação e Tabela de Temporalidade (Anexo XIV): relação de documento conforme tabela de temporalidade em anexo. 19

16 AVALIAÇÃO DAS METAS TÉCNICAS PONTUAÇÃO ITEM DE PONTUAÇÃO % 1. Descumprir as metas do programa de edificações Descumprir as metas do programa de acervo Descumprir as metas do programa de exposições e programação cultural Descumprir as metas do programa de serviço educativo e projetos especiais Descumprir as metas do programa de ações de apoio ao SISEM-SP Descumprir as metas do programa de comunicação 10 TOTAL 100 % 1- Esta tabela tem a finalidade de atender ao disposto no item B, parágrafo 2º, clausula 8º do Contrato de Gestão nº 42/2010. Sua aplicação se dará sob o percentual de 10% do valor do repasse se, após a avaliação das justificativas apresentadas pela OS, a UGE concluir que houve o descumprimento dos itens indicados. 2- Caso a OS não apresente junto com os relatórios trimestrais justificativas para o não cumprimento das metas pactuadas, a UGE poderá efetuar a aplicação da tabela sem prévia análise das justificativas, cabendo a OS se for o caso, reunir argumentos consistentes para viabilizar o aporte retido no próximo trimestre. AVALIAÇÃO DAS METAS OPERACIONAIS E ADMINISTRATIVAS ITEM DE PONTUAÇÃO 1. Descumprir as metas do programa de gestão administrativa 2. Descumprir o manual de compras e contratações da OS 3. Não manter a relação de documentos atualizada (lista de conselheiros com mandato em vigor; atas de reunião assinadas; estatuto atualizado) 4. Descumprir os prazos de entrega de documentos e relatórios 5. Descumprir as obrigações e responsabilidades da contratada previstas na Cláusula Segunda do Contrato de Gestão 1- A Organização Social que deixar de cumprir as obrigações ou metas relacionadas acima deverá ser formalmente interpelada pela Coordenadoria a respeito da ocorrência. 2- Na eventualidade de serem apresentadas as razões que justifiquem o seu não cumprimento estas serão devidamente apreciadas e, caso não sejam consideradas suficientemente fundamentadas, será aplicada uma advertência por escrito. 3- Na ocorrência de 3 (três) advertências num mesmo ano ou de 5 (cinco) advertências ao longa do contrato de gestão, a Secretaria de Estado da Cultura poderá rescindi-lo unilateralmente devendo serem aplicadas todas as demais sanções previstas no Contrato. 20

17 1) Objetivos METAS CONDICIONADAS I- Ampliar as realizações no escopo dos programas e objetivos descritos neste plano de trabalho, mediante captação de recursos incentivados ou diretos pela OS e outros aportes de recursos, para além do percentual do Contrato de Gestão. OBS: As metas abaixo descritas só serão realizadas mediante aporte de recursos adicionais ou captação de recursos Ações Programa de conservação Restauro de 10 quadros da pinacoteca do MAS. Elaborar glossário de denominações (nomenclatura) de arte sacra. Executar projeto de acessibilidade física para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, implementação das adaptações necessárias ao recebimento de deficientes físicos em todos os ambientes (incluindo os de acesso restrito). Elaborar Plano de Sustentabilidade Ambiental contemplando, no mínimo, hidráulica, elétrica e coleta seletiva, tendo como base os preceitos da arquitetura sustentável. Elaborar Plano de Conservação Ambiental para as áreas verdes, com inventário de fauna e flora e orientação conservacionista Realizar a manutenção das áreas verdes, a partir de orientação ambiental conservacionista Indicadores de Resultados Relatório de restauro das telas. Glossário elaborado em dois anos. Apresentação de projeto no 3º trimestre, com relatório no 4º trimestre 1 Projeto implantado no 4º trimestre. 1 Projeto apresentado (no 2ºtrim.) e entregue (no 3º trim.) 1 Plano apresentado (no 2º trim.) e entregue (no 4º trim.) Manutenção realizada: 02 relatórios semestrais descritivos resumidos apresentados, com as ações realizadas, em relatórios trimestrais e relatório conclusivo no 4º tri. Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL 01 - ICM % 100% - 1º Trim º Trim º Trim. 01-4º Trim. 01 ANUAL 02 - ICM % 100% - 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL 01 - ICM % 100% - 1º Trim º Trim. 01-3º Trim. 01-4º Trim. - ANUAL 02 - ICM % 100% - 1º Trim º Trim. 01-3º Trim º Trim. 01 ANUAL 02 - ICM % 100% - 1º Trim º Trim. 01-3º Trim º Trim. 01 ANUAL 02 - ICM % 100% - 21

18 Ações 67 Elaborar projeto de construção de tesauro Elaborar Projeto Museológico e *Museográfico com acessibilidade. Elaborar e executar Plano de comunicação institucional de acordo com orientação da SEC (caderno de orientações e coordenadoria de comunicação) Indicadores de Resultados Projeto entregue no 4º trimestre Projeto Contratado, no 2º trimestre, apresentado no 3º trimestre e entregue no 4º trimestre. Plano apresentado no 1º Trimestre e executado no 2º Trimestre Período Meta Realizado 1º Trim º Trim º Trim º Trim. 01 ANUAL 01 - ICM % 100% - 1º Trim º Trim. 01-3º Trim. 01-4º Trim. 01 ANUAL 03 - ICM % 100% - 1º Trim. 01-2º Trim. 01-3º Trim º Trim. - ANUAL 02 - ICM % 100% - * As metas de captação poderão ser alteradas caso haja alteração do valor anual de repasse (redução ou aporte adicional) de recursos por parte da SEC por meio de aditamentos ao contrato de gestão. São Paulo, 02 de Outubro de Beatriz Vicente de Azevedo Diretora Executiva Maria Thereza de Almeida McNair Diretora de Planejamento e Gestão José Carlos Marçal de Barros Representante do Conselho de Administração 22

19 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo I Plano de Conservação e Manutenção Preventiva Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

20 Executar Plano de Manutenção e Conservação Preventiva: limpeza de dutos, pinturas, reparos e outras ações descritas no Plano, restrito a área locada a SAMAS do Complexo do Mosteiro da Luz, com manutenção dos jardins. O Museu de Arte Sacra de São Paulo, neste 3º Trimestre deu continuidade aos trabalhos de manutenção das áreas locadas no Complexo do Mosteiro da luz, conforme Plano interno de manutenção e conservação preventiva, com a limpeza de dutos, pinturas, reparos e a manutenção dos jardins com poda e corte e plantas espalhadas no entorno do Museu. Dentro da verba destinada foi possível desenvolver os seguintes trabalhos na área de manutenção dos jardins da seguinte forma: Jardins Os jardins do complexo do Mosteiro da Luz, sob a responsabilidade do MAS, estão divididos em 4 setores: - Área do Estacionamento; - Área da Capela/Cemitério; - Área Posterior; - Área do Claustro. Área do Claustro: (trata-se de um jardim de inspiração dos Mosteiros Portugueses) continuamos com o trabalho de corte e poda. Área Posterior: manutenção mantida. Melhorias só deverão ser realizadas após o corte/poda das árvores. Área da Capela/Cemitério: manutenção mantida. Melhorias só deverão ser realizadas após o corte/poda das árvores. Área do Estacionamento: manutenção mantida e com a chegada da primavera será realizada o corte/poda das árvores. Limpeza de dutos, calhas, pinturas e reparos As calhas foram reparadas durante o período de seca. Quanto à pintura foram feitos reparos nos muros e nas paredes externas do edifício. As obras de maior porte devem ser feitas pela Assessoria de Obras da Secretaria de Estado da Cultura que já realiza a reforma do telhado, nichos e outros espaços deste Museu. 24

21 O prédio que foi locado para abrigar a Reserva Técnica, dependências administrativas da SAMAS, além da Biblioteca e o setor de cursos do Museu de Arte Sacra de São Paulo, teve suas obras de adaptação na quase totalidade encerradas. Em maio do corrente ano foi realizada a mudança definitiva do Administrativo, da Diretoria e da Biblioteca do Museu. 25

22 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo II Higienização do Acervo Exposto Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

23 Higienização do Acervo em Espaço Expositivo Foi realizada a higienização mecânica, do acervo abaixo relacionado, pertencente à exposição de longa duração, com atenção ao conjunto de lampadários. Acervo Higienizado Exposição de Longa Duração 3º. Trimestre N. PEÇAS TOMBO ACERVO Recepção do Museu c Imagem de Cristo Crucificado 2. 20/1mas Fragmento Missões Jesuítas (logo MAS) 3. 20/2mas Fragmento Missões Jesuítas (logo MAS) Corredor de Entrada c Roqueira ( 1876 Luiz da Piedade ) usada festas de Pirapora, SP c Retrato do Rei Dom João V c Retrato do Rei Dom José I c Retrato de Dona Maria I 8. 58mas Sanefa 9. 66/2mas Mísula /1mas Mísula /2mas Mísula mas Banco Arca c Cariatides (Par) c Cariatides (Par) 15. Doação (ST378) Imagem de Cristo Madeira mas Ornato de Altar mas Frente de Sacrário mas Anjo Tocheiro mas Anjo Tocheiro Sala da Taipa mas Retábulo de Altar (Oratório) mas Cama Rústica (Catre) c Quadro: Frei Galvão Fazendo a Taipa de Pilão 23. Doação (ST380) Entalhe Frei Galvão Hélio Petrus oc Púlpito - Vitrine mas Imagem de São Pedro Papa c Báculo da imagem de São Pedro Papa - 51mas c Imagem de São Paulo c/ resplendor mas Imagem de Santa Barbara mas Imagem de Santana Mestra Nicho do Cemitério mas Oratório de Embutir na Parede mas Imagem de Nossa Senhora com Menino 27

24 mas Imagem de São Miguel Arcanjo c Imagem de Nossa Senhora da Conceição Nicho do Cemitério mas Armário de Canto Corredor do Cemitério mas Arca /1c Imagem do Sagrado Coração de Jesus Corredor do Cemitério /2 Vestimenta da Imag.do Sagrado Coração de Jesus mas Baldaquino mas Púlpito mas Arca mas Imagem de Cristo da Ressurreição mas Bandeira de Procissão mas Bandeira de Procissão mas Banco de Corredor Vitrine c Oratório de Parede c Oratório de Parede c Oratório de Parede c Oratório de Parede c Oratório de Parede mp Oratório de Parede (Espírito Santo) /B/mp Oratório de Parede (Espírito Santo) c Divino Espírito Santo c Ex-Voto oc Ex-Voto mas Oratório mas Divino Espírito Santo (acessório do oratório 805) Imagens dentro do Oratório (805mas) mas Imagem de Santo Onofre mas Imagem de São Roque mas Imagem de São Sebastião mas Imagem de Bom Jesus mas Imagem de São Francisco de Assis mas Imagem de São Brás mas Imagem de São Roque mas Imagem de São Gonçalo mas Imagem de Bom Jesus mas Imagem de Santo Amaro Bispo mas Imagem de São Sebastião mas Imagem de São Francisco de Paula mas Imagem de São Gonçalo mas Imagem de São Benedito mas Imagem de Santo 28

25 mas Imagem de Santo Corredor do Cemitério /1 mas Armário Oratório /2mas Crucifixo /3 mas Castiçal /4 mas Castiçal /5 mas Castiçal /6 mas Castiçal /7 mas Palma /8 mas Palma /9 mas Palma /10 mas Palma Nicho da Parede /11/1mas Imagem de São Matias c/ acessório (machado) mas Imagem de Nossa Senhora com o menino Jesus Corredor Diretoria c Oratório c Mesa de encosto c Cadeira c Cadeira Vitrine /1c Imagem de Nossa Senhora das Dores c Espada (emprestada para imagem 1499/1c) /1mas Imagem de Nossa Senhora (Roca) /2mas Camisola da ima. Nossa Senhora (Roca) /3mas Saia da Imag. Nossa Senhora (Roca) /5mas Manto da Imag. Nossa Senhora (Roca) /1mas Imagem de São João Evangelista (de Calvário) /1c Imagem de Nossa Senhora com o Menino /2c Coroa da Imag. de Nossa Senhora com Menino c Imagem de Nossa Senhora das Dores c Cabeça de São Luiz Gonzaga c Cabeça de Santa (Imagem) c Cabeça de Santa c Cabeça de São José c Cabeça de Imagem Vitrine /27mas Relicário /32mas Relicário /21mas Relicário /54mas Relicário /04mas Relicário /62mas Relicário /24mas Relicário /18mas Relicário /08mas Relicário /46mas Relicário /39mas Relicário 29

26 /35mas Relicário /15mas Relicário /43mas Relicário /38mas Relicário c Relicário /10mas Relicário /45mas Relicário /12mas Relicário /51mas Relicário /14mas Relicário /16mas Relicário /33mas Relicário /63mas Relicário /05mas Relicário Corredor Diretoria /06mas Relicário /56mas Relicário /50mas Relicário /17mas Relicário /58mas Relicário /59mas Relicário /11mas Relicário c Livro- Pequeno Officio de S. Domingos mas Livro de Missa Vitrine c Imagem de São José c/ Menino Jesus Resplendor 181c c Imagem de Santa Rita c Imagem de Nossa Senhora da Conceição mas Imagem de Nossa Senhora da Esperança /1mas Oratório /2mas Divino Espírito Santo mas Imagem de São Manoel mas Imagem de Nossa Senhora Aparecida mas Imaculada Conceição mas Imagem de São João Batista mas Imagem de Santa Luzia c(C.P.H.USP) Imaculada Conceição c(C.P.H. USP) Imagem de São Cosme e Damião mas Imagem de Cena de Cristo mas Imagem de Bom Jesus mas Imagem de Santa Mártir Base mas Oratório c Imagem de São José de Botas Parede c Tela: Santo Ambrósio c Tela: São Gregório o Papa c Tela: Santo Agostinho 30

27 c Tela: São Jerônimo c Tela: Santo Tomaz c Tela: São Boaventura Vitrine mas Imagem de Nossa Senhora da Conceição /1mas Imagem de Nossa Senhora da Piedade mas Imagem de Santo Antonio mas Imagem de São Roque Vitrine c Imagem de São José c Imagem de Santana Mestra c Imagem de Santa Luzia mas Imagem de Santana Mestra mas Imagem de Santa Quitéria mas Oratório de Viagem mas Imagem de Nossa Senhora da Assunção c Imagem de Santana Mestra c Imagem de Santana Mestra c Imagem de Santana Mestra c Imagem de Santana Mestra c Imagem de Santana Mestra Corredor do Cofre /1mas Arandela (Par) /2mas Arandela (Par) c Mesa de Encosto c Ânfora com palma 831c c Ânfora com palma 832c c Cadeira /2mas Cadeira de Estado c Imagem de Nossa Senhora da Consolação c Tela: Ascensão do Senhor mas Imagem de Imagem de São Roque Vitrine mas Imagem de Nossa Senhora do Bom Parto /1mas Imagem de Santa Luzia /1c Imagem de Nossa Senhora do Carmo c. acessórios c Imagem de Santa Catarina de Siena c Imagem de São Lourenço /1mas Imagem de Santo Antonio c/ resplendores c Imagem de São José mas Imagem de São Vicente Ferrer c Imagem de São Miguel Arcanjo c Imagem de Santa Doutora Corredor do Cofre c Imagem de São Pedro Papa c/ acessório c Imagem de São José c Imagem de São Joaquim mas Arcaz 31

28 /1mas Imagem de Nossa Senhora da Gloria /1c Imagem de São Miguel Arcanjo c/ balança mas Imagem de Imagem de São José c Medalhão: Evangelista São Mateus c Medalhão: Evangelista São João c Medalhão: Evangelista São Lucas c Medalhão: Evangelista São Marcos /1mas Vitrine 02 Imagem de Nossa Senhora das Dores c/resplendor Aleijadinho Vitrine c Imagem de Nossa Senhora da Conceição c/ resplendor 146c /3mas Imagem de Nossa Senhora do Calvário /4mas São João Evangelista /2mas Crucifixo /1mas Imagem de Santa Madalena Atrib.Mestre Valentim Corredor do Cofre mas Frente de Altar mas Mesa de Altar c Tocheiro c Tocheiro c Imagem de São Paulo c Peanha c Ostensório do IV Congresso Eucarístico /1-c Cálice do Ostensório do IV Congresso Eucarístico /2-c Patena do Ostensório do IV Congresso Eucarístico /1-c Cálice do Ostensório do IV Congresso Eucarístico /2-c Patena do Ostensório do IV Congresso Eucarístico /3-c Colher do Cálice do Ostensório do IV Congresso Eucarístico Corredor Capitular mas Fragmento da Talha de Altar (Painel) mas Fragmento da Talha de Altar (Arco) mas Divino Espírito Santo /1c e 848/2c Duas Tabuas Gravadas c Imagem de São Benedito c/ resplendor 658c mas Imagem de Nossa Senhora das Dores c Imagem de Santa Luzia c Imagem de Sant Ana Mestra c Imagem de Nossa Senhora Menina mas Sacrário Vitrine c Imagem de Nossa Senhora da Conceição c Imagem de Nossa Senhora da Conceição c Imagem de Nossa Senhora da Conceição c Imagem de Santa Gertrudes 32

29 c Imagem de Santo Antonio c Imagem de Santo Antonio c Imagem de Nossa Senhora do Rosário c Imagem de Nossa Senhora do Bom Parto mas Imagem de Nossa Senhora com Menino Jesus Vitrine c Imagem de Nossa Senhora com Menino Jesus c Imagem de Nossa Senhora da Purificação Frei Agostinho de Jesus mas Imagem de Nossa Senhora dos Prazeres Frei Agostinho de Jesus mas Imagem de Nossa Senhora dos Prazeres Corredor Capitular c Porta Toalha de Sacristia c Porta Toalha de Sacristia mas Cofre c Cadeira c Cadeira Tesoura c Imagem de São Francisco das Chagas c Imagem de Santo Amaro - Frei Agostinho da Piedade mas Imagem de São Bento c Imagem de São Francisco de Paula c Imagem de Nossa Senhora com Menino Jesus /1mas Anjo Mestre Valentin /2mas Anjo Mestre Valentin Sala Capitular mas Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário c Lampadário oc Altar de Nossa Senhora da Luz oc Imagem de Nossa Senhora da Luz oc Imagem de Cristo Morto (A)c Retábulo de Altar (Oratório) (B)c Retábulo de Altar (Oratório) c Anjo Serafim - (Altar- 1282c.A) c Anjo Serafim - (Altar c.A) /1c Mesa de Altar- (Altar 1282c-A) /2c Mesa de Altar- (Altar 1282c-B) 283. (ST379) Vaso de Porcelana 284. (ST379) Vaso de Porcelana 33

30 /1c e 663/2c Imagem de Nossa Senhora das Dores (Vestir) c Relicário c Relicário c Relicário c Relicário c Imagem de São Sebastião c Imagem de São Bento 292. Doação (ST382) Imagem de Santa Rosa c Pia Batismal mas Tela: A Ressurreição de Lazaro Anita Malfatti mas Tela: São Francisco de Paula Área Externa Museu mas Pia Batismal mas Pia Batismal mas Pia Batismal c Pia Batismal c Busto de D. Duarte Leopoldo e Silva P.Fosca 34

31 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo III Atualização do Banco de Dados SEC Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

32 FICHAS TRABALHADAS = 57 fichas MAS Foi realizada a complementação com a inserção de dados nas fichas das obras que já constavam no Banco de Dados da Secretaria de Estado da Cultura/UPPM. Novas informações serão acrescentadas mediante a continuação da pesquisa. Neste caso, a maior parte das fichas trabalhadas refere-se à coleção adquirida pelo Museu do colecionador Eduardo Etzel. Portanto, as informações referem-se aos dados das fichas manuscritas que ele deixou com o museu. Em algumas das fichas foi possível inserir informações das pastas catalográficas (restauros, por exemplo). No entanto, como nem todos os documentos constavam das pastas, motivo pelo qual será necessário voltar a elas para busca de novas informações, se for o caso. Outras inserções deverão ser feitas no futuro, de acordo com a participação das obras em exposições e restauros. INSERÇÃO DE LOCALIZAÇÃO = 57 fichas MAS Como parte do trabalho de inserção de dados, foi realizada a atualização do mapeamento da obra na Reserva Técnica. INSERÇÃO DE IMAGENS = 236 imagens Quando a obra apresentava apenas o registro fotográfico sem a inserção no Banco de Dados, este foi complementado com a devida inserção indicando a Foto inserida. Nem todas as peças do acervo possuem registro fotográfico, pois é um trabalho, ora em curso. No entanto, a medida que a revisão avançar, aos poucos, as fichas serão revistas para inserção da imagem. Segue a listagem com o número de peças que receberam registro fotográfico, na quantidade de 189; o número do registro no Banco de Dados da SEC/UPPM, bem como o número de capturas de imagem de cada peça, resultando no número de 236 registros fotográficos inseridos. Nº Fichas trabalhadas e atualização da localização Nº da peça Nº PI MAS /1 MAS Sem PI (MAS-00000_00219) /2 MAS Sem PI (MAS-00000_00231)

33 Nº Nº da peça Nº PI ORDEM ACERVO DISCRIMINAÇÃO RELICÁRIO, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 24,3g RELICÁRIO, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 13,1g RELICÁRIO, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 13,7g nº ficha no B.D. nº de fotos

34 RELICÁRIO, PRATA DOURADA, SÉCULO XVIII, PESO 21,9g, PROCEDENTE DE MINAS GERAIS MEDALHA, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 13,6g RELICÁRIO, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 29,9g, PROCEDENTE DA APARECIDA DO NORTE RELICÁRIO, OURO, SÉCULO XIX, PESO 58,7g, PERTENCEU AO OITAVO BISPO DE SÃO PAULO, D.LINO DEODATO DE CARVALHO MEDALHA, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 13,2g, PROCEDENTE DE APARECIDA DO NORTE CARVALHO MEDALHA, OURO, SÉCULO XVII, PESO 7,6g / DISTINTIVO, PRATA, PESO 49,2g, USADO PELA IRMANDADE TERCEIRA DOS FRANCISCANOS DE ITU DISTINTIVO RELICÁRIO, PRATA, PESO 19,4g - ORDEM DA VISITAÇÃO, SÉCULO XIX DISTINTIVO, PRATA, PESO 161,7g, DA LEGIÃO DE S.PEDRO, DA PARÓQUIA DE SANTA CECÍLIA DISTINTIVO, PRATA, PESO 6,6g, DA LEGIÃO DE S.PEDRO, DA PARÓQUIA DE SANTA CECÍLIA, SP, INÍCIO DO SÉCULO XIX PORTA PAZ, PRATA LAVRADA, SÉCULO XVIII, PESO 490g, PROCEDENTE DA VELHA SÉ DE SÃO PAULO VASO PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA, SÉCULO XVII, PESO 30g, PROCEDENTE DA IGREJA DE ARAÇARIGUAMA VASO PARA O SANTO ÓLEO, SÉCULO XVII, PESO 30g, PROCEDENTE DA IGREJA DE ARAÇARIGUAMA VASO PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA, SÉCULO XVII, PESO 40g, PROCEDENTE DA IGREJA DE ARAÇARIGUAMA CAIXA CONTENDO TRÊS VASOS PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 210g CAIXA CILINDRICA PARA VASO DE SANTO ÓLEO, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 65g CAIXA CILÍNDRICA PARA OS SANTOS ÓLEOS, SÉCULO XIX, PESO 40g, PRATA CAIXA PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 460g, ORIGEM BAIANA AMBULA, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 40g VASO PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA DOURADA, SÉCULO XIX, 180g, PROCEDENTE

35 DA ANTIGA SÉ DE S.PAULO AMBULA E VASO PARA A EXTREMA-UNÇÃO, COBRE, PRATEADO, PESO 100g, PROCEDENTE DE MATO GROSSO VASO PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA, SÉCULO XVIII, PESO 90g, ORIGEM PORTUGUESA CAIXA PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 310g, PROCEDENTE DA MATRIZ DE SANTO AMARO CAIXA PARA HÓSTIAS, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 230g, PROCEDENTE DA ANTIGA SÉ DE SÃO PAULO VASO PARA OS SANTOS ÓLEOS, METAL PRATEADO, SÉCULO XIX, PESO 210g VASO PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA DOURADA, SÉCULO XVIII, 110g, PROCEDENTE DA VELHA SÉ DE SÃO PAULO VASO PARA OS SANTOS ÓLEOS, PRATA DOURADA, SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DA VELHA SÉ DE SÃO PAULO AMBULA, PRATA, SÉCULO XVIII, PESO 350g, PORTA VASOS PARA SANTOS ÓLEOS, PRATA VASO PURIFICADOR, PRATA, SÉCULO XVIII, PESO 180g, PROCEDENTE DA VELHA SÉ DE SÃO PAULO IDEM IDEM IDEM IDEM TAMPA DE VASO DOS SANTOS ÓLEOS, PRATA, SÉCULO XVII, PESO 12,1g, PROCEDENTE DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DA ESCADA, GUARAREMA, SP CANDELA, METAL PRATEADO, SÉCULO XVIII, PESO 220g, PROCEDENTE DA ANTIGA SÉ DE SÃO PAULO CANDELA, PRATA, SÉCULO XIX, PROCEDENTE DA VELHA SÉ DE SÃO PAULO, PESO 295g ESPEVITADEIRA, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 110g ESPEVITADEIRA, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 120g, PROCEDENTE DA BAHIA BANDEJA PARA ESPEVITADEIRA, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 200g ESPEVITADEIRA, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 80g

36 BANDEJA, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 210g, ORIGEM BRASILEIRA SETA, PRATA, PESO 30g, PROCEDENTE DA ANTIGA SÉ DE SÃO PAULO, SÉCULOXIX SETA, PRATA, PESO 30g, PROCEDENTE DA ANTIGA SÉ DE SÃO PAULO, SÉCULOXIX SETA, PRATA,PESO 30g, PROCEDENTE DA ANTIGA SÉ DE SÃO PAULO, SÉCULO XIX SETA, PRATA, PESO 30g, PROCEDENTE DA ANTIGA SÉ DE SÃO PAULO, SÉCULO XIX ESPADIM, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 40g, PROCEDENTE DE SANTOS-ORDEM TERCEIRA DO CARMO ESPADA DE IMAGEM, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 120g, PROCEDENTE DA MATRIZ DE NAZARÉ PAULISTA BANDEJA DE PÉ, METAL FOLHEADO A PRATA, SÉCULO XVIII, PESO 340g IDEM BANDEJA, PRATA, FINAL DO SÉCULO XVIII, PESO 200g, PROCEDENTE DA IGREJA DE SANTA LUZIA, GOIAS COPO, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 220g, PROCEDENTE DA MATRIZ DE SANTA LUZIA, GOIAS CASTÃO DE BACULO EPICOSPAL, METAL DOURADO, SÉCULO XIX, PERTENCEU AO BISPO D.ANTONIO JOAQUIM DE MELLO ROSÁRIO, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 183,7g, PROCEDENTE DA ANTIGA IGREJA DO EMBU ROSÁRIO, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 10,8g, PROCEDENTE CAPELA DO COLÉGIO DE ARAÇARIGUAMA ROSÁRIO, OURO E BRILHANTES, SÉCULO XIX, PESO 104,8g ROSÁRIO, OURO, SÉCULO XIX, PESO 33,6g CORDÃO, OURO, PERTENCEU AO CARDEAL D. JOAQUIM ARCOVERDE DE ALBUQUERQUE CAVALCANTI CRUZ PEITORAL, OURO MACIÇO, ESMERALDAS, RUBI, DIAMANTES, PESO 505g, PERTENCEU AO CARDEAL D.ARCOVERDE DE ALBUQUERQUE CAVALCANTI ANEL, OURO, ESMERALDA, BRILHANTES, PESO 19g, LEGADO POR D.JOAQUIM A DE A CAVALCANTI A NOSSA SENHORA APARECIDA, SÉCULO XX ESPIRITO SANTO, OURO PRATA, TURQUESAS E DIAMANTES, PESO 26g, PROCEDENTE DA

37 / / / / CAPELA STA. LUZIA DA RUA TABATINGUERA, SÉCULO XIX JÓIA DE PRATA E CRISOLITAS, ENFEITES DE IMAGEM DA IGREJA DE ITANHAEM BRINCO (PINGENTE0, PRATA E (CRISOBERILOS), PERTENCEU A UMA IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA IGREJA DE EMBU, SP, SÉCULO XVII BRINCO, PRATA COM INCRUSTAÇÕES DE VIDRO, PERTENCEU A UMA IMAGEM DA IGREJA DE EMBU, SP BRINCO, PRATA COM INCRUSTAÇÕES DE TOPAZIOS IMPERIAIS, PESO 5,4g, PERTENCEU A UMA IMAGEM DA IGREJA DE EMBU, SP, SÉCULO XVIII IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, SÉCULO XVIII, PESO 16,4g, PROCEDENTE DA APARECIDA DO NORTE, SP -OURO CETRO, PRATA DOURADA, TOPAZIO IMPERIAL(1) E (12) CRISOBERILOS,, PESO 178g, 295MM DE COMP. PERTENCEU AO RECOLHIMENTO DE SANTA TEREZA, SP FERMAL, COBRE, PESO 90g / CRUZ PEITORAL, METAL DOURADO E QUARTZOS, PERTENCEU AO CARDEAL D. JOSÉ DE CAMARGO BARROS, XI - BISPO DE SÃO PAULO, SÉCULO XX CRUZ PEITORAL, PRATA DOURADA, TURQUEZAS (52), GRANADAS (7), PESO 35g, SÉCULO XIX CRUZ PEITORAL, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 47g, PROCEDENTE DE SÃO PAULO CRUZ PEITORAL, OURO, SÉCULO XVIII, PESO 26,2g, PROCEDENTE DE SÃO PAULO CRUZ PEITORAL, PRATA, TURQUESA, PÉROLAS, AMETISTAS E ESMERALDAS, PESO 20g CRUZ PEITORAL, OURO, FILIGRANADA, SÉCULO XIX, PESO 32,87g, PERTENCEU A D.MATEUS DE ABREU PEREIRA - IV BISPO DE SÃO PAULO BRINCO, PRATA, OURO E DIAMANTES, PESO 18,2g, O PAR, PERTENCEU A IMAGEM DE SANT'ANNA DA ANTIGA PARÓQUIA DO BRAZ, SP TABAQUEIRA, OURO, PESO 66,6g, INÍCIO DO SÉCULO XX, PERTENCEU AO CONEGO ANTONIO AUGUSTO LESSA CANETA, OURO, DIAMANTES E RUBIS, PESO 11,1g, PERTENCEU A D.DUARTE LEOPOLDO E SILVA, 225MM DE COMP.,SÉCULO XX

38 CANETA, OURO, 213MM DE COMPR., PESO 10,3g ANEL, OURO, AMETISTA ROSA, PERTENCEU AO MONSENHOR EZEQUIAS GALVÃO DE FONTOURA, PESO 8,8g ANEL, OURO, QUARTZO CITRINO, PERTENCEU A D.JOÃO BAPTISTA CORREIA NERY, OFERECIDO POR D.JOSÉ MARCONDES HOMEM DE MELLO, PESO 14,6g, SÉCULO XIX ANEL, OURO, AMETISTA E CRISOBERILOS (20), PESO 10,3g, PERTENCEU A D.JOSÉ MARCONDES HOMEM DE MELLO, ARCEBISPO DE S.CARLOS, SÉCULO XIX ALFINETE DE PALIO, OURO, OFERECIDO AO MUSEU POR D.DUARTE, SÉCULO XIX ANEL, OURO, AMETISTA, SÉCULO XX, PESO 17,4G, ENVIADO PELO PAPA PIO X A D. DUARTE LEOPOLDO E SILVA SOLIDEU DE CHAMALOTE, PERTENCEU A PIO XI SOLIDEU, SEDA CASTANHA, PERTENCEU A D.FREI VITAL MARIA GONÇALVES DE OLIVEIRA, BISPO DE OLINDA /1 BREVIÁRIO ROMANO, PAPEL, SECULO XX / CHAVE, PRATA, SÉCULO XVIII, 85MM, COMPR., PESO 25,50g, PERTENCEU A MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA ESCADA, GUARAREMA, SP CHAVE, PRATA, SÉCULO XVIII, PESO 39,930g, PROCEDENTE DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO CHAVE, FERRO, PROCEDENTE DA ANTIGA CURIA DE SÃO PAULO SALVA DE PÉ, PRATA, SÉCULO XIX, PESO 700g, PROCEDENTE DA IRMANDADE DO ESPÍRITO SANTO DE NAZARÉ PAULISTA, ORIGEM CARIOCA SALVA DE PÉ, PRATA, SÉCULO XVIII, PESO 1280g, PROCEDENTE DA ANTIGA MATRIZ DE SANTA IFIGENIA IRMANDADE DO DIVINO ESPIRITO SANTO DA ANTIGA MATRIZ DE SANTA IFIGENIA, SÃO PAULO,SP, ORIGEM PORTUGUESA IMAGEM DE SANTA LUZIA, MARFIM, 65MM DE ALT., SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DA CAPELA DE SANTA LUZIA DA RUA TABATINGUERA, SP, ORIGEM GOA IMAGEM DE NOSSA SENHORA COM O MENINO JESUS, MARFIM 118MM DE ALT., SÉCULO XIX, ORIGEM EUROPÉIA IMAGEM DE NOSSA SENHORA COM O MENINO, MARFIM 218MM DE ALT., SÉCULO XVII

39 / IMAGEM DE SÃO FRANCISCO XAVIER, MARFIM, 128MM DE ALT., SÉCULO XVIII, ORIGEM GOA IMAGEM DE NOSSA SENHORA DAS DORES, MARFIM, 208MM DE ALT., SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE ANTONIO DIAS DE OURO PRETO, ORIGEM GOA IMAGEM DO MENINO JESUS, MARFIM, 133MM DE ALT., SÉCULO XIX, PROCEDENTE DA CAPELA DE SANTA LUZIA DA RUA TABATINGUERA, SP, ORIGEM EUROPEIA IMAGEM DE SANT'ANNA MESTRA, MARFIM, 195MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE ANTONIO DIAS DE OURO PRETO, ORIGEM GOA IMAGEM DE BOM JESUS, MARFIM, 50MM DE ALT., SÉCULO XVIII, ORIGEM EUROPEIA IMAGEM - SENHOR MORTO, MARFIM, 97MM DE ALT., SÉCULO XVIII, PERTENCEU AO PE. ANTONIO CANDIDO ALVARENGA, ORIGEM EUROPEIA CRISTO CRUCIFICADO, MARFIM, 295MM DE ALT., SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DA ANTIGA MATRIZ DE SANTO AMARO ORIGEM EUROPEIA CRISTO CRUCIFICADO, MARFIM, 290MM DE ALT., SÉCULO XVII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE SANTANA DO PARNAIBA, SP CRUCIFIXO MADEIRA - CRUZ 480MM X 200MM - CRISTO 215MM DE ALT., SÉCULO XVIII, PERTENCEU A FREI GASPAR DA MADRE DE DEUS LAMPADARIO, PRATA, SÉCULO XVIII, PESO g, PERTENCEU A IGREJA DE SANTANA DO PARNAIBA, SP AUTORIA DOS PRATEIROS A M.E.D.M. NÃO IDENTIFICADOS, CONTRASTE DE LISBOA, ORIGEM PORTUGUESA LAMPADARIO, PRATA, LAVRADA, SÉCULO XIX, PESO g TOCHEIRO, MADEIRA, 582MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DE ITANHAEM, ORIGEM PAULISTA TOCHEIRO, MADEIRA, 582MM DE ALT., SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DE ITANHAEM, ORIGEM PAULISTA TOCHEIRO, MADEIRA, 650MM DE ALT., SÉCULO XVIII TOCHEIRO, MADEIRA, 650MM DE ALT., SÉCULO XVIII TOCHEIRO, MADEIRA, 650MM DE ALT., SÉCULO XVIII TOCHEIRO, MADEIRA, 650MM DE ALT., SÉCULO XVIII

40 TOCHEIRO, MADEIRA, 650MM DE ALT., SÉCULO XVIII TOCHEIRO, MADEIRA, 650MM DE ALT., SÉCULO XVIII TOCHEIRO, MADEIRA, 760MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE PORTO FELIZ - S.P. TOCHEIRO, MADEIRA, 760MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE PORTO FELIZ - S.P. TOCHEIRO, MADEIRA, 760MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE PORTO FELIZ - S.P. TOCHEIRO, MADEIRA, 760MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE PORTO FELIZ - S.P. TOCHEIRO, MADEIRA, 760MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE PORTO FELIZ - S.P. TOCHEIRO, MADEIRA, 760MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE PORTO FELIZ - S.P. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP

41 TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP. TOCHEIRO, MADEIRA,620MM DE ALT.,SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP TOCHEIRO, MADEIRA,620MM DE ALT., SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO -SP TOCHEIRO, MADEIRA 620MM DE ALT., SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP T0CHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP T0CHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT.,SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO - SP TOCHEIRO, MADEIRA, 620MM DE ALT. SECULO XVIIII, PROCEDENTE DA IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO -SP SUPORTE PARA PALMA,550MM DE ALT., SECULO XVIII, PROCEDENTE DO CONVENTO

42 DO CARMO DE MOGI DAS CRUZES, SP TOCHEIRO, MADEIRA POLICROMADA E METAL, 710MM DE ALT., SECULO XVIIII, PROCEDENTE DO CONVENTO DO DO CARMO DE MOGI DAS CRUZES, SP TOCHEIRO, MADEIRA POLICROMADA E METAL, 710MM DE ALT., SECULO XVIIII, PROCEDENTE DO CONVENTO DO DO CARMO DE MOGI DAS CRUZES TOCHEIRO, MADEIRA, 570MM DE ALT., SECULO XVIIII, PROCEDENTE DO CONVENTO DO CARMO DE MOGI DAS CRUZES-SP TOCHEIRO, MADEIRA, 570MM DE ALT., SECULO XVIIII, PROCEDENTE DO CONVENTO DO CARMO DE MOGI DAS CRUZES-SP SUPORTE PARA PALMA, MADEIRA, 610MM DE ALT., SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DO CONVENTO DO CARMO DE MOGI DAS CRUZES, SP SUPORTE PARA PALMA, MADEIRA DE POLICROMADA, 640MM, SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE SANTANA DO PARNAIBA, SP IDEM RELICARIO, MADEIRA E VIDRO 490MM DE ALT., SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DA MATRIZ DE SANTANA DO PARNAIBA - SP PALMA DE ALTAR, COURO, 540MM DE ALT., XVIII, PROCEDENTE DO CONVENTO DE SÃO FRANCISCO, ITU, SP SUPORTE PARA PALMA, COURO, 700MM, DE ALT., SÉCULO XVIII, PROCEDENTE DO CONVENTO DO CARMO DE MOGI DAS CRUZES, SP IDEM / / / /2 NOSSA SENHORA DAS DORES, ROCA, MADEIRA E MASSA DE PAPEL, 1.035MM DE ALT., SÉCULO XVIII IMAGEM DE NOSSA SENHORA DAS DORES, MADEIRA POLICROMADA, 435MM DE ALTURA, SÉCULO XVIII RESPLENDOR, PRATA DOURADA (?), SÉCULO XIX, 65MM DE ALTURA X 69MM DE LARGURA, PESO 5 G. RESPLENDOR, PRATA DOURADA, C/ HASTE DE COBRE, 175MM DE ALTURA TOTAL, 75,5MM DE DIÂMETRO, 140MM DE COMPRIMENTO, 11MM DE LARGURA (HASTE), ORIGEM BAIANA /6 RESPLENDOR DO MENINO JESUS, PRATA

43 / / / / / /3 DESENHO, LÁPIS S/ PAPEL, COLADO S/ CARTÃO, 189MM DE ALTURA X 145MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. DESENHO "FRANCISCANO", LÁPIS S/ PAPEL, SÉCULO XX, 195MM DE ALTURA X 345MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. DESENHO "PROJETO DE FONTE BATISMAL EM PAREDE", LÁPIS S/ PAPEL, 194MM DE ALTURA X 129MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. CROQUI - PROJETO PARA TÚMULO, LÁPIS S/ PAPEL, 215MM DE ALTURA X 155MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. CROQUI - PROJETO PARA TÚMULO, LÁPIS S/ PAPEL, 286MM DE ALTURA X 200MM DE LARGURA, AUTOR CROQUI - PROJETO PARA TÚMULO, LÁPIS S/ PAPEL, 140MM DE ALTURA X 132MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. CROQUI - PROJETO PARA TÚMULO, LÁPIS S/ PAPEL, 166MM DE ALTURA X 235MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. CROQUI - PROJETO PARA TÚMULO, LÁPIS S/ PAPEL, 189MM DE ALTURA X 170MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. CROQUI - DESENHO "O SINAL DA CRUZ ", LÁPIS S/ PAPEL, 348MM DE ALTURA X 247MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. CROQUI - ESTUDO PARA TÚMULO, PASTEL E AQUARELA S/ PAPEL, 364MM DE ALTURA X 285MM DE LARGURA AUTOR EUGÊNIO PRATI. CROQUI - PROJETO PARA TÚMULO, ALEGORIA, PASTEL E AQUARELA S/ PAPEL, 360MM DE ALTURA X 285MM DE LARGURA, AUTOR EUGÊNIO PRATI. JÓIA DE PRATA E CRISOLITAS, ENFEITES DE IMAGENS DA IGREJA DE ITANHAÉM JÓIA DE PRATA E CRISOLITAS, ENFEITES DE IMAGENS DA IGREJA DE ITANHAÉM. BRINCO (PINGENTE), PRATA E (CRISOBERILOS), PERTENCEU A UMA IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA IGREJA DE EMBU, SÃO PAULO. BRINCO, PRATA COM INCRUSTAÇÕES DE VIDRO, PERTENCEU A UMA IMAGEM DA IGREJA DO EMBU, SÃO PAULO. BRINCO, PRATA COM INCRUSTAÇÕES DE TOPÁZIOS IMPERIAIS, PESO 5,4 G., PERTENCEU A UMA IMAGEM DA IGREJA DO EMBU, SÃO PAULO, SÉCULO XVIII. FERMAL, PESO 22,5 G., PRATA E TOPÁZIOS IMPERIAIS, SÉCULO XVIII

44 /2 BRINCO, PRATA OURO E DIAMANTES, PERTENCEU A IMAGEM DE SANT ANA DA ANTIGA PARÓQUIA DO BRAZ, SÃO PAULO /2 BREVIÁRIO ROMANO, PAPEL, SÉCULO XX /3 BREVIÁRIO ROMANO, PAPEL, SÉCULO XX /4 BREVIÁRIO ROMANO, PAPEL, SÉCULO XX /2 PLACA, PRATA /3 CRAVO, PRATA /4 CRAVO, PRATA /5 CRAVO, PRATA /2 BASE, MADEIRA, ESTILO D. JOÃO V TOTAL de fotos inseridas:

45 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo IV Troca de Etiquetas Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

46 Troca de Etiquetas: Com o acondicionamento do acervo na nova Reserva Técnica, foi dado continuidade aos trabalhos da troca de etiquetas, sendo neste 3º Trimestre, foram substituídas 100 etiquetas. NÚMERO DE TOMBO DESIGNAÇÃO mas Santa mas Santa mas Nossa Senhora da Conceição mas Nossa Senhora Aparecida mas Nossa Senhora do Rosário mas Nossa Senhora Aparecida mas Nossa Senhora Aparecida mas Nossa Senhora Aparecida mas Nossa Senhora Aparecida mas Nossa Senhora da Boa Morte mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora da Piedade mas Nossa Senhora da Piedade mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora da Piedade mas Nossa Senhora da Piedade mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora da Piedade mas Nossa Senhora da Piedade /1-mas Nossa Senhora da Conceição mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora das Dores mas Nossa Senhora /1 mas São Pedro mas Nossa Senhora da Piedade mas Nossa Senhora da Piedade mas Santa Verônica mas Nossa Senhora da Boa Morte 50

47 mas Santo mas Santana mas Santa Rita mas Nossa Senhora do Ó mas Nossa Senhora do Ó mas Santa Bárbara mas Santa Tereza mas Santa Luzia mas Nossa Senhora do Leite mas Nossa Senhora do Bom Parto mas Santa Luiza mas Santa Luiza mas São Gonçalo mas Santa Luzia mas Santa Rita mas Santa Luzia mas Santa Luzia mas Nossa Senhora do Bom Parto mas Nossa Senhora do Leite mas Nossa Senhora do Bom Parto mas Santa Rita mas Santa Luzia mas Santa Luzia mas Nossa Senhora do Ó mas Nossa Senhora do Ó mas Santa Rita mas Santa Luzia mas Santa Tereza mas Santa Luzia mas Nossa Senhora do Ó mas Nossa Senhora do Bom Parto mas Nossa Senhora da Boa Morte mas Santa Rosa mas Nossa Senhora da Conceição mas Santa Cecilia mas Viola mas Nossa Senhora da Conceição mas Santa Bárbara mas Santa Rita /14-mas Santana Mestra mas Santa Luzia mas Santana 51

48 mas Santa Luzia mas Santana mas Santana Mestra mas Santana mas Santana mas Santana mas Nossa senhora com o Menino mas Santana mas Santana mas Santana mas Santana mas São Lázaro mas São Bento mas São Lázaro mas São Lázaro mas São Bento mas São Bento mas São Bento mas São Bento mas São Bento mas Santo Ivo mas Santana 52

49 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo V Manutenção da Exposição de Longa Duração Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

50 Relatório de manutenção da exposição de longa duração Com a mudança da Reserva Técnica para novo espaço, decidiu-se dividir a equipe de conservação do museu. Um grupo permaneceu nas dependências do mesmo e outro foi para a Reserva, na Rua São Lázaro, 271. Parte ficou responsável pelas ações de conservação do acervo na Reserva e a outra, pelas ações de manutenção na exposição de longa duração. Esta segunda equipe, responsabilizou-se pela elaboração do diagnóstico de conservação do acervo em exposição, elaborando um cronograma de higienização e manutenção dos acervos expostos. Assim, estabeleceu-se um roteiro como rotina de modo a que todo o trabalho de higienização passasse a ser feito no circuito das mostras, no sentido anti-horário, a partir do corredor denominado Corredor do Cemitério. Para facilitar o entendimento, os espaços expositivos passam a ter a seguinte denominação: ÁREA Recepção/ Lojinha 2 - Corredor Entrada 3 - Sala da Taipa 4 - Corredor do Cemitério ÁREA Corredor da antiga Diretoria e salas de exposição 6 - Corredor do Cofre 7 Sala Santo Amaro ÁREA 3 08 Corredor N. Senhora da Luz 09 Inclui: Sala Capitular Altar da Luz, pias batismais claustro e profetas-área externa) e Cofre ÁREA 4 ( Casa do Capelão) 10 - Presépio Napolitano 11 Museu dos Presépios (piso inferior) Merecem destaque, dentro da conservação da área expositiva: Luz de Fé - Fotógrafos Brasileiros Anos 80 Dia 30 de Julho houve a desmontagem desta exposição, com 50 fotos pertencentes ao Museu de Arte Sacra e uma peça de coleção particular. Joias com história do Vitoriano ao Art Déco- Por Isabella Blanco - com 47 peças de coleção particular. A desmontagem ocorreu no dia 27 de agosto Na 2ª quinzena de agosto foi feita a limpeza química do acervo de lampadários, em exposição, devido à abertura da nova exposição temporária Contrapontos de 03 de setembro a 04 de novembro de

51 Foram inauguradas duas exposições Temporárias: Contrapontos Arte Contemporânea em Terreno Barroco com 12 peças de coleção particular e 49 peças pertencentes ao acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo. A abertura ocorreu no dia 03 de setembro ao dia 04 de novembro de Floração de Paulo Von Poser - com 42 peças de coleção particular. A abertura ocorreu no dia 15 de setembro e permanecerá até o dia 11 de novembro CALENDÁRIO COMPLETO DE HIGIENIZAÇÃO DATA MESES/2012 ÁREA 1 ÁREA 2 ÁREA 3 ÁREA 4 02 Julho Julho Julho Julho Julho Agosto Agosto Agosto Agosto Setembro Setembro Setembro Setembro

52 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo VI Atividades Educativas Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

53 NÚCLEO DE ARTE-EDUCAÇÃO ATIVIDADES 3 o Trimestre 2012 JULHO Oficina de Férias Atividade com fotografia Atividade: O Museu de Arte Sacra de São Paulo dispõe de instigantes cenários para ensaios fotográficos. Por isso, convidamos profissionais, estudantes e interessados a trazerem suas câmeras e aproveitarem dos espaços e das composições do acervo. Data: Fins de semana de julho, das 10h às 18h. Público: 16 participantes Oficina de Férias Produção de Esculturas Atividade: A linguagem da escultura tomou novas dimensões no universo da produção contemporânea. A oficina realizada incitou os participantes a refletirem sobre conceitos de sustentabilidade, com o uso de materiais recicláveis (jornal) na produção escultórica, além do desafio de tornar materiais bidimensionais em obras tridimensionais. Data: Fins de semana de julho, das 10h às 18h. Público: 03 participantes AGOSTO Encontro para guias de turismo Atividade: O profissional Guia de Turismo, é um dos responsáveis por trazer grupos de turistas. O encontro procurou mostrar a importância deste equipamento de educação e lazer para a história do bairro da Luz, para a cidade de São Paulo, por se tratar de uma das poucas construções paulistas que permanece com suas características arquitetônicas originais. Data: 08 de agosto, das 10h às 13h. Público: 11 participantes Encontro para professores Patrimônio e Paisagem Atividade: Refletir acerca da relação entre Patrimônio e Paisagem é imprescindível, pois fomenta o discurso desta categoria de Patrimônio, que é a Paisagem Cultural. Este explorou os espaços internos e externos do Museu por meio de uma discussão e uma atividade lúdica que visou potencializar, selecionar e alternar os sentidos na desconstrução da paisagem. Data: 25 de agosto, das 10h às 13h. Público: 12 participantes 57

54 Oficina sobre confecção de joias no Museu de Arte Sacra Design Weekend Atividade: O Museu de Arte Sacra de São Paulo integrou a programação do evento Design Weekend, festival que promove o design e suas conexões com a arte, arquitetura, urbanismo, decoração, inclusão social e inovação tecnológica, por meio de duas atividades, uma palestra sobre joalheria com a designer Isabella Blanco, que guiou visita à exposição Joias com História, que foi seguida por uma oficina sobre confecção de joias com Jorge Brandão. Data: 23, 25 e 26 de agosto, das 13h30 às 16h Público: 62 participantes SETEMBRO Encontro para professores Visita Integrada MAS-SP e Pinacoteca do Estado de São Paulo Representações da mulher Atividade: Esta atividade buscou Integrar os acervos dos dois museus sob o tema Representações da Mulher, evidenciando suas potencialidades pedagógicas. Data: 02 de setembro, das 10h às 16h. Público: 16 participantes Projeto Contrapontos Instalação Salvaguarda Atividade: Consistiu em uma instalação artística na área externa do Museu, que permitiu a interação do público através da disponibilização de pedaços de fitas onde puderam registrar o que salvaguardariam no Museu e anexar à obra. Data: de 03 de setembro até 04 de novembro, das 10h às 18h. Público: 332 participantes Visita temática Influência portuguesa no acervo do MAS-SP Atividade: Tendo em vista o início do Ano de Portugal no Brasil o Núcleo de Arte- Educação do museu organizou uma vista temática que pretendeu identificar as características portuguesas presentes em esculturas do acervo. Data: aos fins de semana de setembro, das 10h às 17h. Público: 07 participantes 58

55 6 a Primavera de Museus Função social do museu Atividade: Mesa Redonda - Realizada pelo Núcleo de Arte-Educação, junto aos educadores sociais e de instituições culturais, objetivou discutir a função social dos museus e dialogar acerca dos desafios de cada instituição. Data: 25 e 27 de setembro, das 14h às 16h. Atividade: Projeto itinerante com oficina estêncil que os educadores do Museu promoveram em um dos centros de convivência do entorno da instituição. Data: 26 de setembro, das 14h às 16h. Atividade: Ação inaugural do projeto de Inclusão Sociocultural: consistiu no diálogo entre educadores sociais, que lidam com pessoas em situação de vulnerabilidade social, e o Núcleo de Arte-Educação. Data: 28 de setembro, das 9h às 11h. Atividade: Escultura em jornal - Possibilidades de produção de obras tridimensionais com material bidimensional. A atividade foi livre e teve vagas limitadas. Data: 29 e 30 de setembro, das 14h às 16h. Público Total Atendido: 84 (visitantes) 59

56 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo VII Zeladoria Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

57 CURSO DE ZELADORIA DO PATRIMÔNIO Coordenador Geral: Conselheiro José Carlos Marçal de Barros Coordenador Técnico: Antonio Luis Ramos Sarasá Martin Objetivos do Curso: visa à formação e a capacitação de mão-de-obra especializada em conservação, manutenção e zeladoria do patrimônio histórico e cultural, com ênfase em artes e ofícios, a partir de um processo de formação cidadã. Finalidade: tratar sobre temas pertinentes a esta esfera do conhecimento atendendo a um público diversificado e interessado, a saber: estudantes universitários, arquitetos e outros cientistas, restauradores, museólogos, zeladores patrimoniais e o público interessado. Carga horária total: 450hs Corpo docente: Andréa Zabrieszach dos Santos Elizabeth Alfredi de Mattos Fernando Caseiro João Carlos da Silva Pe. José Arnaldo Juliano dos Santos Maria da Graça Ramos de Santis Mirza Pellicciotta Percival Tirapeli Rogério Ventura Faria Sérgio Florindo Faria Valter Fragoni Victor Hugo Mori Yugo Mabi Alunos participantes: 48 alunos Ao seu dispor, para quaisquer outros esclarecimentos que julguem necessários. 61

58 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo VIII SISEM Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

59 Relatório PROGRAMA DE APOIO AO SISEM-SP Dias: 23 e 24 de agosto ocorreu a Oficina de Conservação Preventiva em Museus: Planejamento de um programa eficaz de manutenção de acervos, na cidade de Avaré, no CAC - Oficinas Culturais José Reis Filho, com o objetivo de ampliar o conhecimento e contribuir para a definição de estratégias de preservação dos acervos nas instituições de salvaguarda, ampliando as ações de preservação do patrimônio cultural nos municípios do interior de São Paulo. Participação: funcionários da Secretaria de Estado da Cultura e do Museu Histórico de Avaré, um funcionário da Prefeitura da cidade de Pratânia, funcionários do Memorial Prefeito João Cardoso de Oliveira da cidade de Cerqueira César, funcionários do Museu Municipal Dona Maria Vega Ferrero da cidade de Fartura. Síntese: 1. Conceito de Musealização - o objeto musealizado; 2. Definição dos termos gerais: Bem Cultural, Acervo, Conservação, Preservação; 3. Conservação Preventiva: políticas de desenvolvimento, gerenciamento e preservação de coleções; 4. Planejamento de um programa eficaz de manutenção de acervos: 4.1 Objetivos da elaboração de um diagnóstico de Conservação; 4.2 Reserva Técnica: escolha do local, distribuição dos espaços, mobiliário, manuseio e acondicionamento; 4.3 Agentes de deterioração; a) Qualidade da atmosfera; b) Iluminação; c) Umidade e Temperatura; d) Ataques biológicos; 5. Segurança: planos de emergência; 6. Conclusão. As aulas foram ministradas com recurso de PowerPoint, constando informações teóricas com base em vasta bibliografia específica, em trabalhos práticos executados no país e estudos de caso exemplificados com a apresentação de inúmeras fotografias. Para completar e ilustrar as aulas teóricas também foi apresentado diversos materiais neutros utilizados na confecção de embalagens de acondicionamento bem como soluções de armazenamento em diversas instituições museológicas. A oficina foi bem sucedida atingindo seus objetivos. A mesma oficina foi administrada no Curso de Capacitação para Museus, organizado pelo SISEM nas cidades de Ribeirão Preto (12/9) e Itapeva (26/9). 63

60 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo IX Atualização do Site Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

61 Manter o site atualizado com: atividades do museu; oportunidades de trabalho no museu; chamadas para contratações de serviços, e link para ouvidoria da SEC (na página principal) e para o site da SEC. O website do Museu de Arte Sacra de São Paulo (www.museuartesacra.org.br) foi constantemente atualizado com informações institucionais e sobre as atividades oferecidas ao público, tais como: Funcionamento do museu: fechamento do equipamento no dia 7/10, em virtude das eleições municipais. Contratação de serviços: atualização de atas e resultado final do processo de contratação de serviço de Vigilância e Segurança Patrimonial Abertura de exposições temporárias: material informativo sobre as exposições "Contrapontos" e "Floração". Atividades do Núcleo de Arte-Educação: Programação da 6ª Primavera dos Museus, Encontro de Turismo, Encontro para Professores, Visitas Integradas, Oficinas de Fotografia. Cursos: material informativo sobre o Curso de Verão 2013 e o Curso de Extensão Universitária 2013 em Arte, Arte Sacra e Bens Culturais. Oficinas: divulgação da oficinas de confecção de joias integrada na programação da Design Weekend. Palestras: material informativo sobre palestras realizadas no museu. Promoção de projetos: inscrições o projeto de grafite e arte urbana na Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, em quatro línguas (português, inglês, francês e espanhol). 65

62 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo X Entregar a Programação Cultural Anual, com atualizações mensais Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

63 Entregar a Programação Cultural Anual, com atualizações mensais. A Assessoria em Comunicação do Museu de Arte Sacra de São Paulo manteve atualizada a Programação Cultural dos meses de julho, agosto e setembro junto à Secretaria de Estado da Cultura, conforme a listagem a seguir: 67

64 68

65 69

66 *Ingressos Adultos: R$ 6,00 (seis reais) Estudantes: R$ 3,00 (três reais) Professores da rede municipal: R$ 3,00 (três reais) Religiosos: R$ 2,00 (dois reais) Aos sábados, a entrada é gratuita. Isentos: Idosos acima de 60 anos; crianças até 7 anos; grupos em visitas monitoradas de escolas públicas (com agendamento prévio); professores da rede estadual (devidamente identificados) e até quatro acompanhantes; professores da rede federal e servidores públicos estaduais (devidamente identificados). 70

67 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo XI Monitorar Acessos ao Site Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

68 Monitorar nº de acessos ao SITE. Relatório: Resumo - museuartesacra Intervalo: 01/07/ /09/2012 Total de Sessões ,00 Total de Impressões de Página ,00 Total de Hits ,00 Total de Bytes Transferidos 130,29 GB Média de Sessões por dia 331,89 Média de Impressões de Página por dia 661,02 Média de Hits por Dia 3.041,84 Média de Bytes Transferidos por dia Média de Impressões de Páginas por Sessão 1,42 GB 1,99 Média de Hits por Sessão 9,17 Média de Bytes por Sessão 4,37 MB Duração média da Sessão 00:04:23 O resumo mostra os totais e médias das Sessões, Impressões de Páginas, Hits, e Bytes para o intervalo selecionado. A informação de visitantes não é apresentada porque só é calculada utilizando o método de rastreamento de visitantes UTM. Metodologia de Cálculo Sessão: Uma série de Hits para o website em um determinado intervalo de tempo por um visitante. Visualizações de páginas: Uma requisição de página web feita pelo navegador ao servidor web; isto exclui imagens, JavaScript, e outros tipos de arquivos anexados. Hit: qualquer requisição com sucesso ao servidor web pelo navegador. Bytes: O tráfego de rede em bytes gerado pelos arquivos requisitados durante o intervalo selecionado. Obs.: Visto que a quantidade em Bytes pode ser muito grande, são usadas abreviações, como MB para megabytes (milhões de bytes). A duração média da Sessão é apresentada em horas:minutos:segundos. 72

69 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo XII Capacitação de Funcionários Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

70 74

71 75

72 76

73 77

74 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo XIII Controle de Gastos Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

75 79

76 80

77 81

78 82

79 83

80 84

81 85

82 4º Termo de Aditamento Contrato de Gestão Nº. 42/2010 Processo: SC54172/2010 Estado de São Paulo Intermédio Secretaria de Estado da Cultura Secretário: Dr. Marcelo Mattos Araújo Associação Museu de Arte Sacra de São Paulo SAMAS Diretora Executiva - Beatriz Vicente de Azevedo Anexo XIV Tabela de Temporalidade Relatório Referente ao 3º Trimestre Exercício 2012 Data Entrega: 20 de Outubro de

83 87

- ATIVIDADES TÉCNICAS

- ATIVIDADES TÉCNICAS - ATIVIDADES TÉCNICAS As atividades técnicas materializam a razão de existir dos museus e dos programas culturais a eles relacionados, que traduzem as ações referentes à área fim a serem executadas: de

Leia mais

Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo

Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal de Cultura Departamento do Patrimônio Histórico Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São

Leia mais

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE AMIGOS DO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE AMIGOS DO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE AMIGOS DO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA CONTRATO DE GESTÃO Nº 03/2011 Período: Julho/2011 a Dezembro/2015

Leia mais

Anexo Técnico I Programa de Trabalho/Prestação de Serviços (tipo e descrição dos serviços memorial descritivo)

Anexo Técnico I Programa de Trabalho/Prestação de Serviços (tipo e descrição dos serviços memorial descritivo) Anexo Técnico I Programa de Trabalho/Prestação de Serviços (tipo e descrição dos serviços memorial descritivo) OBJETIVO GERAL O objetivo geral da Associação dos Amigos da Pinacoteca do Estado é a implementação

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO ANUAL - 2014

APRESENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO ANUAL - 2014 APRESENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO ANUAL - 2014 O Plano de Trabalho para 2014 foi estruturado com o objetivo de dar continuidade aos Programas já desenvolvidos, na busca de um equilíbrio e entrosamento

Leia mais

VI - Manter ou auxiliar na preservação e manutenção do acervo artístico e cultural do Museu de Arte Sacra e coleção dos Presépios;

VI - Manter ou auxiliar na preservação e manutenção do acervo artístico e cultural do Museu de Arte Sacra e coleção dos Presépios; Plano de Trabalho 2009 Anexo Técnico I Programa de Trabalho / Prestação de Serviços OBJETIVO GERAL O objetivo geral da Associação Amigos do Museu de Arte Sacra de São Paulo - Samas é implementar e apoiar,

Leia mais

CONVENTO DE SANTA MARIA DE MOSTEIRÓ

CONVENTO DE SANTA MARIA DE MOSTEIRÓ CONVENTO DE SANTA MARIA DE MOSTEIRÓ Fig. 269 Localização e orientação do Convento de Santa Maria de Mosteiró. Fig. 270 - Planta do Convento de Santa Maria de Mosteiró, primeiro piso, 1980. IHRU: DGEMN/DREMN,

Leia mais

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO 2012 DA ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO 2012 DA ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO 2012 DA ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA CONTRATO DE GESTÃO Nº 035 / 2008 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO GERAL... 4 VIABILIZAÇÃO

Leia mais

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões As oportunidades de trabalho e as novas profissões ligadas à arte contemporânea têm crescido muito nos últimos anos, impulsionadas

Leia mais

GOVERNO DE MINAS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE MUSEUS E ARTES VISUAIS. plano museológico

GOVERNO DE MINAS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE MUSEUS E ARTES VISUAIS. plano museológico GOVERNO DE MINAS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE MUSEUS E ARTES VISUAIS plano museológico GOVERNO DE MINAS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE MUSEUS E ARTES VISUAIS

Leia mais

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO MUSEU AFRO BRASIL

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO MUSEU AFRO BRASIL ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO MUSEU AFRO BRASIL ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA 2015 UGE: UNIDADE DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO MUSEOLÓGICO CONTRATO DE GESTÃO Nº 004/2013 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH)

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) 1 REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este Regimento dispõe sobre

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico CONTRATO DE GESTÃO nº 004/2013 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O ESTADO DE SÃO PAULO, POR INTERMÉDIO DA SECRETARIA DA CULTURA, E A ASSOCIAÇÃO MUSEU AFRO BRASIL, QUALIFICADA COMO ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE PORTO ALEGRE JOAQUIM JOSÉ FELIZARDO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE PORTO ALEGRE JOAQUIM JOSÉ FELIZARDO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE PORTO ALEGRE JOAQUIM JOSÉ FELIZARDO TÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º. O Museu de Porto Alegre Joaquim

Leia mais

Receber os usuários da biblioteca Frequência de usuários 202.500 246.690 121%

Receber os usuários da biblioteca Frequência de usuários 202.500 246.690 121% I. Indicadores e Metas ITEM 1.1 DO PROGR. DE TRABALHO Frequência de Usuários SP Leituras Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura C.N.P.J. 12.480.948/000170 Contrato de Gestão N.º 02/2011 Entidade

Leia mais

Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos, 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA CONTRATO DE GESTÃO Nº 035 / 2008 Plano Anual de Trabalho 2011 APAC 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO...3 OBJETIVO

Leia mais

Paróquia Missa Confissão

Paróquia Missa Confissão Paróquia Missa Confissão Beato Allamano Samambaia Sul - Quarta à sexta 19h - Sábado 17h - Terça, quinta e sexta 15h30 às 18h - Sábado 10h às 12h Bom Jesus - Terça à sexta 18h30 - Domingo 8h30 e 18h -Sexta

Leia mais

Museu Nacional de Soares dos Reis Porto

Museu Nacional de Soares dos Reis Porto Museu Nacional de Soares dos Reis Porto 4 Museu Nacional de Soares dos Reis APRESENTAÇÃO O Museu ocupa, desde 1940, o Palácio dos Carrancas, construído nos finais do séc. XVIII para habitação e fábrica

Leia mais

Vila Cova de Alva. São Pedro do Sul

Vila Cova de Alva. São Pedro do Sul Pinhel Vila Cova de Alva São Pedro do Sul Fig. 895 Tipologias das fachadas principais, com três variantes, duas com um eixo de vãos, uma rematando em empena e outra em frontão triangular, vazado por óculo,

Leia mais

1. CAPITULO 1 - ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 1 2. CAPÍTULO 2 - DAS OBRIGAÇÕES E DIREITOS DOS POLOS 5 3. CAPITULO 3 - REPRESENTAÇÃO DA AESABESP 8

1. CAPITULO 1 - ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 1 2. CAPÍTULO 2 - DAS OBRIGAÇÕES E DIREITOS DOS POLOS 5 3. CAPITULO 3 - REPRESENTAÇÃO DA AESABESP 8 Í N D I C E CAPÍTULO PÁGINA 1. CAPITULO 1 - ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 1 2. CAPÍTULO 2 - DAS OBRIGAÇÕES E DIREITOS DOS POLOS 5 3. CAPITULO 3 - REPRESENTAÇÃO DA AESABESP 8 4. CAPITULO 4 REUNIÕES DA DIRETORIA

Leia mais

Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa

Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa 18 Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva APRESENTAÇÃO Instalado no Palácio

Leia mais

QUADRO DE METAS: MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO

QUADRO DE METAS: MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO QUADRO DE METAS: MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ACERVO: CONSERVAÇÃO, DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA A Equipe Técnica do Museu de Arte Sacra de São Paulo desenvolve uma série de atividades cotidianas

Leia mais

GOVERNO DE MINAS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE MUSEUS E ARTES VISUAIS. plano museológico

GOVERNO DE MINAS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE MUSEUS E ARTES VISUAIS. plano museológico GOVERNO DE MINAS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE MUSEUS E ARTES VISUAIS plano museológico GOVERNO DE MINAS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE MUSEUS E ARTES VISUAIS

Leia mais

Cabral Moncada Leilões. LEILÃO DE PINTURA, ANTIGUIDADES, OBRAS DE ARTE, PRATAS E JÓIAS LEILÃO 102 15, 16 e 17 de Dezembro de 2008

Cabral Moncada Leilões. LEILÃO DE PINTURA, ANTIGUIDADES, OBRAS DE ARTE, PRATAS E JÓIAS LEILÃO 102 15, 16 e 17 de Dezembro de 2008 LEILÃO DE PINTURA, ANTIGUIDADES, OBRAS DE ARTE, PRATAS E JÓIAS LEILÃO 102 15, 16 e 17 de Dezembro de 2008 Pintura 452 "CENA DA PAIXÃO DE CRISTO", óleo sobre tela, moldura em madeira pintada de negro e

Leia mais

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA 2015 UGE: UNIDADE DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO MUSEOLÓGICO CONTRATO DE GESTÃO

Leia mais

Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Aparecida

Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Aparecida História Ao longo da história do Brasil, uma série de atos e documentos foram criando e organizando a estrutura da Igreja no Brasil. As cidades que hoje compõem a fizeram parte sucessivamente de diversas

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS ATA NÚMERO 15/2012 -------- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS, REALIZADA NO DIA SEIS DE AGOSTO DO ANO DE DOIS MIL E DOZE --------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Arte e Arquitetura Sacra

Arte e Arquitetura Sacra Arte e Arquitetura Sacra A história da Festa do Divino, considerada uma das festas de caráter popular mais antigas do Brasil, tem a sua origem nas festas religiosas da Europa, mais especificamente na tradição

Leia mais

Regimento Interno CAPÍTULO PRIMEIRO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Regimento Interno CAPÍTULO PRIMEIRO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Regimento Interno CAPÍTULO PRIMEIRO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º As atividades culturais e artísticas desenvolvidas pela POIESIS reger-se-ão pelas normas deste Regimento Interno e pelas demais disposições

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Objeto: Gestão do equipamento denominado Centro Cultural José Bonifácio

TERMO DE REFERÊNCIA. Objeto: Gestão do equipamento denominado Centro Cultural José Bonifácio TERMO DE REFERÊNCIA Objeto: Gestão do equipamento denominado Centro Cultural José Bonifácio 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO Durante as obras do Porto Maravilha, estudos e escavações arqueológicas trouxeram à

Leia mais

Apresentação. Equipe CPMUS

Apresentação. Equipe CPMUS 1 Apresentação Baseada nas publicações existentes sobre a criação de museus, a equipe da Coordenação do Patrimônio Museológico CPMUS, do Departamento de Processos Museais DEPMUS, do Instituto Brasileiro

Leia mais

1. objetivo. 2. inscrições

1. objetivo. 2. inscrições 1. objetivo 1.1 O Espaço Cultural Marcantonio Vilaça do Tribunal de Contas da União comunica a abertura de inscrições de projetos de arte contemporânea, individual ou coletiva, para exposições temporárias

Leia mais

PRAÇA GETÚLIO VARGAS Nova Friburgo / RJ. Revitalização Urbano-Paisagística ARQUEOLOGIA TERMO DE REFERÊNCIA

PRAÇA GETÚLIO VARGAS Nova Friburgo / RJ. Revitalização Urbano-Paisagística ARQUEOLOGIA TERMO DE REFERÊNCIA Revitalização Urbano-Paisagística ARQUEOLOGIA TERMO DE REFERÊNCIA Novembro 2014 1. TÍTULO DO TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de serviços técnicos profissionais especializados em Arqueologia para a elaboração

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

CONSERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS: PONTAPÉ INICIAL

CONSERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS: PONTAPÉ INICIAL PRESERVE SEU ACERVO CONSERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS: PONTAPÉ INICIAL Sabe aquelas fotos, textos, recortes de jornal, roupas, flâmulas e outros objetos que guardamos em casa, na sede do clube, no comércio

Leia mais

Projeto Cardume CMDCA

Projeto Cardume CMDCA Projeto Cardume CMDCA Objetivo: Estabelecer rede de proteção integral a criança e ao adolescente,, bem como suas famílias, reunindo ações governamentais e atividades das organizações da sociedade civil,

Leia mais

Edital de Seleção Pública de Projetos para Patrocínio pelo CAU/SP

Edital de Seleção Pública de Projetos para Patrocínio pelo CAU/SP CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO AVISO DO EDITAL Nº 001/2015 Edital de Seleção Pública de Projetos para Patrocínio pelo CAU/SP Este Edital de Chamada Pública de Patrocínio visa promover a seleção de projetos

Leia mais

Coleta para Lugares Santos da Terra Santa - 2009

Coleta para Lugares Santos da Terra Santa - 2009 Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida Forania Cristo, Luz dos Povos Paróquia Cristo, Luz dos Povos Paróquia Jesus Missionário Paróquia Nossa Senhora da Piedade (Indústrias) Paróquia Santa Maria, Mãe

Leia mais

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece diretrizes para a implementação da política de Gestão da Informação Corporativa no âmbito do Ministério da Previdência Social e de suas entidades vinculadas

Leia mais

Coleta para Lugares Santos da Terra Santa 2015

Coleta para Lugares Santos da Terra Santa 2015 Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida Forania Cristo, Luz dos Povos Paróquia Cristo, Luz dos Povos 648,50 0,70 647,80 Paróquia Jesus Missionário 500,00 0,70 499,30 Paróquia Nossa Senhora da Piedade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BLUMENAU FUNDAÇÃO CULTURAL DE BLUMENAU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BLUMENAU FUNDAÇÃO CULTURAL DE BLUMENAU EDITAL Nº 02/14 - EXPOSIÇÔES TEMPORÁRIAS DO MAB - ANO 2015 A Fundação Cultural de Blumenau comunica que estarão abertas no período de 03/11/2014 a 23/01/2015 as inscrições para Exposições Temporárias do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 17/2015

RESOLUÇÃO Nº 17/2015 RESOLUÇÃO Nº 17/2015 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, em sessão de 29/04/2015, tendo em vista o constante no processo nº 23078.037190/09-89, nos termos do Parecer nº 09/2015 da Comissão de Diretrizes

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA GESTÃO

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA GESTÃO RELATÓRIO DE ANÁLISE DA GESTÃO A Assessoria de Controle Interno do Tribunal de Justiça do Estado do Acre ASCOI, em cumprimento às determinações legais, apresenta o Relatório de Análise da Gestão Orçamentária,

Leia mais

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS AMIGOS DA ARTE ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA ANO: 2014

ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS AMIGOS DA ARTE ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA ANO: 2014 ANEXO TÉCNICO I PLANO DE TRABALHO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS AMIGOS DA ARTE ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA ANO: 2014 UGE: CONTRATO DE GESTÃO Nº 06 / 2011 Referente aos Teatros Sérgio Cardoso e Maestro Francisco

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES EXTRATOS DE CONTRATO E ADITIVOS 2015.

CÂMARA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES EXTRATOS DE CONTRATO E ADITIVOS 2015. CÂMARA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES EXTRATOS DE CONTRATO E ADITIVOS 2015. CONTRATO Nº. 001/2015 CMJG PROCESSO LICITATORIO Nº. 001/2015 CONVITE Nº. 001/2015 CONTRATADO: CHAVES ASSESSORIA CONTÁBIL.

Leia mais

FAC. 01 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA

FAC. 01 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA 1 de 26 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA MACROPROCESSO INFRAESTRUTURA PROCESSO MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA - APAC ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES

ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA - APAC ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES ASSOCIAÇÃO PINACOTECA ARTE E CULTURA - APAC ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES 2014 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I INTRODUÇÃO CAPÍTULO II DAS COMPRAS Titulo

Leia mais

QUADRO DE METAS: MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO

QUADRO DE METAS: MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO QUADRO DE METAS: MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ACERVO: CONSERVAÇÃO, DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA A Equipe Técnica do Museu de Arte Sacra de São Paulo desenvolve cotidianamente uma série de atividades

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CÂMPUS GOVERNADOR VALADARES (ANEXO À RESOLUÇÃO

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS

Leia mais

REGIMENTO DA BIBLIOTECA WILHELM HEINRICH

REGIMENTO DA BIBLIOTECA WILHELM HEINRICH REGIMENTO DA BIBLIOTECA WILHELM HEINRICH REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA WILHEM HEINRICH DAS FACULDADES INTEGRADAS DO VALE DO IGUAÇU UNIGUAÇU União da Vitória PR Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.

Leia mais

Barroco Mineiro. Prof. Percival Tirapeli, Instituto de Artes da UNESP

Barroco Mineiro. Prof. Percival Tirapeli, Instituto de Artes da UNESP Barroco Mineiro Prof. Percival Tirapeli, Instituto de Artes da UNESP Mapa da Estrada Real, por onde escoava o ouro encontrado pelos bandeirantes paulistas em 1692. O Caminho Velho iniciava NO Rio de Janeiro

Leia mais

Coleta do Óbolo de São Pedro - 2015

Coleta do Óbolo de São Pedro - 2015 Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida Forania Cristo, Luz dos Povos Paróquia Cristo, Luz dos Povos 1.719,00 0,70 1.718,30 Paróquia Jesus Missionário 300,00 0,70 299,30 Paróquia Nossa Senhora da Piedade

Leia mais

RESOLUÇÃO 008/CMAS/2014 Ji Paraná, 03 de junho de 2014.

RESOLUÇÃO 008/CMAS/2014 Ji Paraná, 03 de junho de 2014. RESOLUÇÃO 008/CMAS/2014 Ji Paraná, 03 de junho de 2014. Dispõe sobre a aprovação do Plano de Ação e Aplicação da Reprogramação do Saldo de Recursos Federais FNAS/MDS/FMAS. O CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

Serro M I N A S G E R A I S I M A G E N S I p h a n

Serro M I N A S G E R A I S I M A G E N S I p h a n Serro M I N A S G E R A I S I M A G E N S I p h a n C r é d i t o s Presidenta da República do Brasil Dilma Rousseff Ministra de Estado da Cultura Ana de Hollanda Presidente do Instituto do Patrimônio

Leia mais

Igrejas paulistas: barroco e rococó

Igrejas paulistas: barroco e rococó Igrejas paulistas: barroco e rococó Vanessa Proença Título da obra: Igrejas paulistas: barroco e rococó. Autor: Percival Tirapeli 1 Um grande catálogo: é essa a impressão que o livro nos passa. A proposta

Leia mais

Projetos Financiados em 2008. CMDCA de Santos

Projetos Financiados em 2008. CMDCA de Santos Projetos Financiados em 2008 CMDCA de Santos ACMD Associação Comunidade de Mãos Dadas Projeto: Oficinas Querô. Objetivo: As Oficinas QUERÔ tem por objetivo oferecer um programa de capacitação em produção

Leia mais

ÍNDICE GERAL ENVELOPE 2

ÍNDICE GERAL ENVELOPE 2 ÍNDICE GERAL ENVELOPE 2 JUSTIFICATIVA DO INTERESSE NA GESTÃO DO EQUIPAMENTO CULTURAL... 02 PROPOSTA TÉCNICA E ORÇAMENTÁRIA... 03 PORTFÓLIO DE REALIZAÇÕES DA ENTIDADE... 203 CURRÍCULOS DOS DIRETORES E PROFISSIONAIS

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Objeto: Gestão do equipamento denominado Museu de Arte do Rio 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVO Os investimentos no Setor Cultural vêm sendo pensados, principalmente nos países desenvolvidos,

Leia mais

Relação de Contratos e termo de aditamentos 2014

Relação de Contratos e termo de aditamentos 2014 Relação de Contratos e termo de aditamentos 2014 CONTRATO Nº 01/2014 (termo de prorrogação nº04/2014 ao contrato nº 01/2010 CONTRATANTE: Câmara de Vereadores da Estância Turística de Itu/SP CONTRATADA/CNPJ:

Leia mais

Sociedade PÓLO DE EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SOFTWARE DO PLANALTO MÉDIO REGIMENTO INTERNO

Sociedade PÓLO DE EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SOFTWARE DO PLANALTO MÉDIO REGIMENTO INTERNO Sociedade PÓLO DE EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SOFTWARE DO PLANALTO MÉDIO REGIMENTO INTERNO Aprovado em Reunião Ordinária do Conselho de Administração conforme registro em ata. Este Regimento Interno Regulamenta

Leia mais

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015.

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015. DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015. Regulamenta a concessão de apoio institucional pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU/GO), caracteriza as suas modalidades e dá outras

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 1754, DE 9 DE JUNHO DE 2015.

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 1754, DE 9 DE JUNHO DE 2015. TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 1754, DE 9 DE JUNHO DE 2015. Aprova o Plano de Obras do para o ano de 2015. O EGRÉGIO ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO,

Leia mais

SIMPLES - Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Micro e EPP Alíquotas e sua Destinação

SIMPLES - Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Micro e EPP Alíquotas e sua Destinação SIMPLES - Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Micro e EPP Alíquotas e sua Destinação Constituição Federal do Brasil art. 179; Decreto 3.000/99 arts. 185 a 206 (RIR/99); IN SRF

Leia mais

Criado pela Lei Complementar Nº 15 de 02/07/2004 Ponta Porã-MS, 23 de Fevereiro de 2012 Edição 1467 R$ 1,00 EDITAL DE NOTIFICAÇÃO

Criado pela Lei Complementar Nº 15 de 02/07/2004 Ponta Porã-MS, 23 de Fevereiro de 2012 Edição 1467 R$ 1,00 EDITAL DE NOTIFICAÇÃO Diário Oficial de Ponta Porã-MS 23.02.2012 Criado pela Lei Complementar Nº 15 de 02/07/2004 Ponta Porã-MS, 23 de Fevereiro de 2012 Edição 1467 R$ 1,00 Poder Executivo Avisos SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2006

PLANO DE TRABALHO 2006 PLANO DE TRABALHO 2006 1 INTRODUÇÃO A Fundação Stickel por decisão de seu Conselho Curador e conforme previsto em sua atualização estatutária, iniciou em 2004 o redirecionamento e focalização de sua atuação.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Secretaria Geral RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho

Leia mais

Edital para Exposições na Galeria de Artes do SESC

Edital para Exposições na Galeria de Artes do SESC Edital para Exposições na Galeria de Artes do SESC A Coordenação Cultura do SESC-TO; através da Promotoria de Artes Plásticas, comunica aos interessados que estará recebendo de 20 de março a 20 de novembro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO MUSEU DA MEMÓRIA E PATRIMÔNIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS CAPÍTULO I CATEGORIA, SEDE E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO MUSEU DA MEMÓRIA E PATRIMÔNIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS CAPÍTULO I CATEGORIA, SEDE E FINALIDADE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG REGIMENTO INTERNO MUSEU DA MEMÓRIA E PATRIMÔNIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS CAPÍTULO I CATEGORIA, SEDE E FINALIDADE Art. 1º O Museu

Leia mais

Município. Prefeitura Municipal de Várzea Nova - BA. Segunda-Feira - 20 de setembro de 2010 - Ano V - N º 63 PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA NOVA

Município. Prefeitura Municipal de Várzea Nova - BA. Segunda-Feira - 20 de setembro de 2010 - Ano V - N º 63 PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA NOVA do Município Prefeitura Municipal de Várzea Nova - BA Segunda-Feira - 20 de setembro de 2010 - Ano V - N º 63 PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA NOVA DISPENSA DE LICITAÇÃO N. 240/2010 OBJETO: Contratação de

Leia mais

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG.

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG. RESOLUÇÃO Nº 023/2011, DE 28 DE ABRIL DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 METAS AÇÕES PRAZOS Expansão do número de vagas do curso de Engenharia de Produção. SITUAÇÃO MARÇO DE 2015 AVALIAÇÃO PROCEDIDA EM 12.03.2015 CPA E DIRETORIA

Leia mais

Museu Nacional da Arte Antiga

Museu Nacional da Arte Antiga Museu Nacional da Arte Antiga Índice 1. Horários e localização: 2. Ingresso 3. História do museu 4. Informações acerca do museu 5. As 10 obras de referência do MNAA 6. Coleções 1 - Horário e Localização

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua vigésima segunda edição. Este veículo tem a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o MI, destacando ainda as atividades e ações

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO AVISO DE EDITAL Nº 1/2013

CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO AVISO DE EDITAL Nº 1/2013 CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO AVISO DE EDITAL Nº 1/2013 DO OBJETO: Este Edital de Chamada Pública de Patrocínio visa promover a seleção de projetos a serem patrocinados pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

ERRATA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO NO 01/2013 PROJOVEM URBANO

ERRATA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO NO 01/2013 PROJOVEM URBANO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARABÁ SEMED SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ERRATA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO NO 01/2013 PROJOVEM URBANO 1. DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1. O processo seletivo simplificado

Leia mais

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura INTRODUÇÃO A Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro (SEC) está coordenando a elaboração do Plano Estadual de Cultura, a partir do diálogo

Leia mais

Plano de Manutenção e Conservação de Edificações

Plano de Manutenção e Conservação de Edificações Plano de Manutenção e Conservação de Edificações PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES Apresentação Este plano, preparado pela União das Faculdades de Alta Floresta, mantenedora da Faculdade

Leia mais

PROPOSTA DE RESTAURAÇÃO PARA O CONJUNTO DE OBRAS DE ARTE SOB A GUARDA DO INSTITUTO HISTÓRICO DA CIDADE DE PITANGUI/MG. Belo Horizonte, Agosto de 2013

PROPOSTA DE RESTAURAÇÃO PARA O CONJUNTO DE OBRAS DE ARTE SOB A GUARDA DO INSTITUTO HISTÓRICO DA CIDADE DE PITANGUI/MG. Belo Horizonte, Agosto de 2013 PROPOSTA DE RESTAURAÇÃO PARA O CONJUNTO DE OBRAS DE ARTE SOB A GUARDA DO INSTITUTO HISTÓRICO DA CIDADE DE PITANGUI/MG Belo Horizonte, Agosto de 2013 Obra nº 01 Designação: Menino Época: Século XVIII Atribuição:

Leia mais

P O D E R E X E C U T I V O LEI COMPLEMENTAR Nº 1.682 DE 11 DE ABRIL DE 2014

P O D E R E X E C U T I V O LEI COMPLEMENTAR Nº 1.682 DE 11 DE ABRIL DE 2014 LEIS LEI Nº 1.681 DE 11 DE ABRIL DE 2014 AUTORIZA O MUNICÍPIO DE MARATAIZES A DOAR NETBOOK A ALUNOS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO COMO PREMIAÇÃO DE PROJETO EDUCATIVO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Prefeito Municipal

Leia mais

Campanha da Fraternidade 2015

Campanha da Fraternidade 2015 Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida Forania Cristo, Luz dos Povos Paróquia Cristo, Luz dos Povos 648,50 0,70 647,80 Paróquia Jesus Missionário 300,00 0,70 299,30 Paróquia Nossa Senhora da Piedade

Leia mais

CONVOCATÓRIA PARA O PROGRAMA TEMPORADA DE PROJETOS 2014

CONVOCATÓRIA PARA O PROGRAMA TEMPORADA DE PROJETOS 2014 CONVOCATÓRIA PARA O PROGRAMA TEMPORADA DE PROJETOS 2014 Um dos programas mais importantes do Paço das Artes, a Temporada de Projetos é um espaço dedicado às produções artísticas, curatoriais e críticas

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO AVISO DE EDITAL Nº 1/2014 MODALIDADE DE SELEÇÃO: CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO.

CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO AVISO DE EDITAL Nº 1/2014 MODALIDADE DE SELEÇÃO: CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO. CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO AVISO DE EDITAL Nº 1/2014 DO OBJETO: Este Edital de Chamada Pública de Patrocínio visa promover a seleção de projetos a serem patrocinados pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

DATA DA ASSINATURA: 25 de março de 2013

DATA DA ASSINATURA: 25 de março de 2013 CONTRATO Nº 01/2013/CM CONTRATADO: Imply Tecnologia Eletrônica Ltda. OBJETO: Contratação de empresa para obra e serviço de engenharia visando a fabricação, fornecimento e instalação de Sistema de Rotinas

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE 2013 IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE

RELATÓRIO ANUAL DE 2013 IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE RELATÓRIO ANUAL DE 2013 IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA UGE: UNIDADE DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO MUSEOLÓGICO CONTRATO DE GESTÃO Nº 05/2011 Referente ao museu: Museu

Leia mais

LEI Nº 8.313, DE 23 DE DEZEMBRO DE 1991.

LEI Nº 8.313, DE 23 DE DEZEMBRO DE 1991. LEI Nº 8.313, DE 23 DE DEZEMBRO DE 1991. RESTABELECE PRINCÍPIOS DA LEI Nº 7.505, DE 2 DE JULHO DE 1986, INSTITUI O PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À CULTURA - PRONAC E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO BANCO VOTORANTIM S.A. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E PRAZO

ESTATUTO SOCIAL DO BANCO VOTORANTIM S.A. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E PRAZO ESTATUTO SOCIAL DO BANCO VOTORANTIM S.A. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E PRAZO Artigo 1º O Banco Votorantim S.A. ( Sociedade ) é uma sociedade anônima que se rege por este Estatuto e pelas disposições

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA RESOLUÇÃO SC N.º 111, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2015. (REPUBLICADA POR CONTER INCORREÇÃO) Dispõe sobre a realização de Convocação Pública, a que alude o artigo 6º, 3º, da Lei Complementar Estadual n.º 846,

Leia mais

MODELO SUGESTIVO DE REGIMENTO PARA GRANDES EVENTOS NO UNASP NOME DO EVENTO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO, PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO

MODELO SUGESTIVO DE REGIMENTO PARA GRANDES EVENTOS NO UNASP NOME DO EVENTO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO, PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO MODELO SUGESTIVO DE REGIMENTO PARA GRANDES EVENTOS NO UNASP NOME DO EVENTO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO, PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO Art. 1º O NOME DO EVENTO acontecerá na cidade de Local de Período

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001 de 03 de julho de 2012. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO Regulamenta os procedimentos para movimentação física dos bens patrimoniais,

Leia mais

Clube de Parceiros GV Regulamento 2012

Clube de Parceiros GV Regulamento 2012 Clube de Parceiros GV Regulamento 2012 DIREITO GV EAESP EESP ASDI - Assessoria de Desenvolvimento Institucional Av. 9 de Julho, 2029-10 andar CEP 01313-902 - São Paulo - SP Tel.: 3799 7919 asdi@fgv.br

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

ANEXO II PLANO DE TRABALHO

ANEXO II PLANO DE TRABALHO ANEXO II PLANO DE TRABALHO Objetivo: Inaugurado em 14 de março de 1877, o Centro Cultural José Bonifácio foi o primeiro colégio público da América Latina. Construído por ordem de D. Pedro II para a educação

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA: Considerando que os serviços de manutenção predial são imprescindíveis e de natureza contínua. Ademais, existem fatores diversos que influenciam na preservação

Leia mais

ANEXO 8 SISTEMA DE DESEMPENHO

ANEXO 8 SISTEMA DE DESEMPENHO ANEXO 8 SISTEMA DE DESEMPENHO 1 O presente Anexo tem como objetivo definir os critérios, indicadores, fórmulas e parâmetros definidores da qualidade dos SERVIÇOS prestados pela CONCESSIONÁRIA, além de

Leia mais

LEI DE INCENTIVO À CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Tatiana Richard

LEI DE INCENTIVO À CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Tatiana Richard LEI DE INCENTIVO À CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Tatiana Richard INCENTIVO À CULTURA O Governo do Estado do Rio de Janeiro investe no setor cultural através de diferentes mecanismos de fomento. Assim

Leia mais