Marketing Sensorial. Objetivo. Tópicos. 1. I ntrodução 2. A plicação P rática. Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Marketing Sensorial. Objetivo. Tópicos. 1. I ntrodução 2. A plicação P rática. Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi"

Transcrição

1 Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi Marketing Sensorial Objetivo Definir pelos sentidos e pelo mercado o que significa marketing sensorial Tópicos 1. I ntrodução 2. A plicação P rática

2 1. Introdução Hoje, o marketing sensorial tem como objetivo solicitar nossos cinco sentidos. Nós, consumidores, inocentes ou cegos às manobras realizadas pelos departamentos de marketing que tudo fazem para sermos seduzidos à compra, mais especificamente ao prazer da compra, veremos como este universo sensorial e comercial funciona. A visão e o tato fazem parte integral do marketing há muito tempo, só que agora o comércio se volta para o uso da audição, do odor e do sabor, nos pontos de venda e nas lojas como espaços ambientais: é o uso dos cinco sentidos, que se nomeia marketing sensorial. Odor, sabor, tato, audição... as marcas querem nos fazer de tudo! Objetivo: aumentar as qualidades de seus produtos. Vamos caminhar por este marketing poli sensorial que se dá a ver no mercado como um todo. A partir das vitrinas e adentrando pelas lojas, estamos expostos a todo tipo de sedução, além da visual. Qual o barulho que deve fazer a porta de um carro ao ser fechada, para suscitar em nós consumidores um sentimento de conforto, ou de luxo, ou de qualidade para realmente ser um prazer auditivo? Que odor fará o cliente permanecer mais tempo numa loja? Quais são as respostas a essas questões e como definir tais qualidades? Um barulho grave, pesado, para a porta? Um cheiro agradável, de primavera, ou de grama cortada numa loja de artigos pra jardim? O marketing sensorial deve integrar produto e espaço comercial em relação à percepção humana e subjetividade de acordo com a meta desejada. Se até pouco tempo atrás o marketing tradicional visava vendas com publicidade, de um modo racional e mecânico e, talvez, ainda com um serviço pós venda, hoje o marketing sensorial vem suprir essas falhas. O marketing tradicional parte do princípio que o cliente avalia os produtos por suas características funcionais, por suas qualidades técnicas e de design, de acordo com as suas necessidades do momento. Existe a concorrência no interior de suas categorias, mas as decisões são racionais.

3 Sabemos que, na construção de vitrinas, sempre o emocional impera sobre o racional, pois as compras feitas a partir da sedução por uma vitrina são dirigidas pela experiência da emoção e não da razão. É por isso que as vitrinas têm sido pensadas há muito tempo como construções sensíveis e que se utilizam de todos os sentidos, hoje, principalmente do som e do odor, além do visual cenográfico. O marketing sensorial vem complementar a construção da vitrina, carregando para dentro da loja a emoção como um todo e é por isso que o foco será este: o marketing em relação à imagem da vitrina. O marketing sensorial se relaciona às experiências vividas pelo consumidor com todos os sentidos: sensoriais, emocionais, cognitivas e comportamentais. A idéia é analisar a situação do consumo como um todo, para verificar a adequação de cada produto conforme as vontades dos consumidores. Do modo como este produto é criado até o momento como ele é exposto, não só na vitrina, mas também no espaço loja. Não é só o produto em si, mas suas características, sua história, sua embalagem, sua cor, sua apresentação e sua função. Se uma vitrina é construída para criar um novo espaço com um clima especial, para seduzir o olhar do consumidor, então, a loja deve passar pelo mesmo conceito: quanto mais tempo ele ficar na loja, se sentir bem, for bem atendido, tenha a sensação de bem estar, estimulado inconscientemente por um cheiro, por uma música e uma ambientação agradável, mais razões ele tem para adquirir um ou vários produtos ou ainda a certeza de voltar. Cada vez mais esta sensação de bem estar e de prazer se tornaram mais importantes, até mesmo do que o preço. O prazer vale mais que o produto. Afinal de contas, quase todos os produtos são semelhantes nas suas qualidades e nas suas funções: por exemplo, uma cafeteira é uma cafeteira. Se duas cafeteiras não tiverem, questão da marca envolvida, o que vale mesmo é o atendimento, a loja, o prazer da compra, a experiência. Estimular situações que proporcionem emoções além das habituais é a tarefa do marketing sensorial. Por exemplo, como avaliar o grau de sedução ou de repulsão por um odor? Como determinar o que é bom ou confortável na decisão de uma compra? Todas essas questões terão que ser respondidas, analisadas e pesquisadas durante nosso curso, pois tudo é novo neste setor marketeiro. P esquisas teóricas Desde a década de 90, já existem pesquisas nesse sentido: Philip Kotler, em 1973, já citava a necessidade de se expor os produtos de modo diferente, ou seja, na

4 apresentação de um produto pelo seu preço ou pelo seu acondicionamento. Cita também o entrar de acordo com o consumidor no espaço comercial, da influência do ambiente sobre a compra, e que o espaço deveria ser pensado como uma estratégia de marketing: A criação de um ambiente de compra produz efeitos emocionais específicos no indivíduo, como o prazer ou a excitação, suscetíveis de aumentar sua probabilidade de compra. (Administração de Marketing, KOTLER, FILITRAULT e TURNER, 2000.) Em 1992, Bitner dizia que havia uma influência da atmosfera no comportamento do cliente no ponto de venda, abrindo assim um caminho para o marketing sensorial. Desde então, cor, forma, odor, ambientação, música, iluminação são elementos que se estudam, que se instalam nas lojas e nos pontos de venda, para criar um sentimento de euforia nos clientes, mas que não são proporcionais às suas compras. Desse modo, uma reflexão deve ser tomada.

5 2. Aplicações P ráticas O marketing sensorial pode funcionar, mas, atualmente, o consumidor pede também estética. Não diria o Belo, mas o estético. Se a visão é o órgão mais solicitado e o mais estimulado, o produto em si deve ser algo especial. Para seduzir um comprador, que virá após uma boa publicidade, é preciso uma bela apresentação, uma agradável ambientação e, finalmente, o consumidor estará pronto para colocar as mãos sobre o objeto de desejo! E poderemos ver que todas as mídias acabam sendo utilizadas para criar a sedução total do consumidor. O marketing sonoro O marketing sonoro se define pela utilização do som para gerar reações afetivas, cognitivas e de comportamento favoráveis à ação de compra por parte do consumidor, fazendo o querer ter, ou poder adquirir certo produto. Não é nada recente o uso deste atrativo, ou seja, da música ambiente nas áreas comerciais. A música acaba por trazer um tipo de identificação do público alvo e reforça também a identidade da marca. Mas o que importa mesmo é que a música influencia na medida de percepção do tempo. Estudo recente indica que : 1) a música clássica tem mais efeito do que a música popular; 2) uma música conhecida nas paradas tem séria possibilidade de aumento dos gastos dentro do espaço comercial. O marketing olfativo O marketing olfativo é algo mais recente nos eventos e nas áreas comerciais e é um dos mais estudados atualmente no marketing sensorial. Com 10 milhões de receptores olfativos de nosso sistema nervoso, o homem pode perceber 4 mil odores diferentes e graças a esta percepção, parece que é a que tem maior valor emocional, por isso o interesse em estudá la. Uma criança antes mesmo de falar já percebe os odores ao seu redor. Tanto é que os testes feitos mostram que odores agradáveis atrapalham o público, no bom sentido, fazendo o perder a noção de tempo e vendo os objetos de modo diferente devido ao cheiro. Em Paris a Galerie Lafayette espalha, de tempos em tempos, um odor especial que faz as pessoas terem vontade de subir para os andares superiores. Supermercados acionam este tipo de elemento sensível na área da peixaria ou na parte de higiene.

6 O marketing gustativo O marketing gustativo vem sendo motivo de estudo particular para melhor compreender seus mecanismos. É fácil perceber isso quando vamos a um determinado restaurante e provamos pratos especiais. O paladar está sempre ligado ao visual e ao tátil. Vejamos: se vamos ao restaurante, além do sabor e do odor de uma comida especial há ainda o toque nos objetos da mesa: o tipo e o peso do talher; a beleza dos copos; o guardanapo de tecido bem passado; o conforto da cadeira; a arrumação do local; a iluminação e a sonorização do ambiente; tudo forma um universo que aumenta o sabor do alimento. E nisso está a qualidade da comida e o encantamento do paladar. O marketing tátil O marketing tátil é o mais fácil de ser notado, pois, logo que entramos numa loja, percebemos pelo toque a roupa que se expõe, o carpete que forra o chão, as paredes de um restaurante, a direção de um carro. Todos os materiais devem parecer agradáveis, rústicos, sólidos, enfim apropriados para suas determinadas funções de acordo com a loja e os produtos oferecidos. Entre ser e parecer, o toque dos objetos, somado ao odor que envolve um ambiente pode até enganar os menos avisados. A ambientação de uma padaria como antigamente, num supermercado moderno, adicionado ao cheiro de pão, cria um ambiente que parece fazer o pão aqui e agora, uma cenarização do real, mas que, na verdade, vende um pão industrializado, fazendo o consumidor crer que compra um pão artesanal. Mas não deixa de ser uma tarefa do marketing sensorial. Conclusão O marketing sensorial ou polisensorial, como dizem alguns, tem muito estudo pela frente, uma vez que a união de todos os sentidos nas áreas comerciais é uma faca de dois gumes, sutil e difícil de manejar totalmente já que os homens são muito diferentes. Certas pessoas podem gostar de um odor ou de um toque, enquanto outras acham o mesmo odor insuportável. Há os que têm falhas olfativas, que vão se mostrar evidentemente no paladar, pois todos nossos sentidos fazem parte de nosso sistema perceptivo e um pode ser mais desenvolvido que outro. Contudo, com certeza há um poder no marketing sensorial pronto a ser explorado.

7 Como vimos nas imagens, Morgan é a loja que usa o som para chamar atenção de quem se inclina frente à vitrina enquanto a Gucci atrai pelo movimento, luz e textura. Os sapatos de Rudolf Menudier, sempre expostos com elementos bizarros, atraem um público diferenciado e pronto para pensar o que significam estas imagens. A Cartier usa técnicas sofisticadas para eventos especiais que atraem pelo gigantismo e Clavin Klein abriga a neve por dentro da loja, que é recolhida num simples balde, por meio de uma mídia nova. A Nike, por sua vez, instala imagem e holografia criando um movimento obrigatório frente à vitrina. Semelhantemente, a Montblanc exibe pequeninas canetas numa vitrina imensa, expostas atrás de uma lupa gigantesca. A vitrina viva do Printemps volta no tempo, porém atrai um público que passa assim que o show começa. Já a de cosmética de Gaultier que mistura a vitrina viva com mídias atuais. São alguns exemplos de que mídias, técnicas e sensações novas se impõem nas vitrinas e nas lojas que querem sobressair. * Texto baseado em artigo redigido por Jean Luc Koehl, professor de Economia de Gestão na escola Renée Cassin, na Academia de Estrasburgo.

8 3. Bibliografia RIEUNIER, Sophier et al. Le marketing sensoriel du point de vente: Créer et gérer l ambiance des lieux commerciaux. Paris: Éditions Dunod, BARBET, Virginie et al. Le marketing olfactif. Presse du Management, KOTLER, Philip. A tmospherics as a marketing tool Journal of Retailing. V. Maille, L'influence des odeurs sur le consommateur: la tendance à la recherche de sensations et au comportement exploratoire comme variables modératrices. Revue française de marketing, Septembre, evenementiel.com/marketing/plus.html nancy metz.fr/eco gestion/ressource marketing.fr/

TÍTULO: MARKETING SENSORIAL: UM ESTUDO NO COMÉRCIO VAREJISTA COM PREDOMINÂNCIA EM ALIMENTOS

TÍTULO: MARKETING SENSORIAL: UM ESTUDO NO COMÉRCIO VAREJISTA COM PREDOMINÂNCIA EM ALIMENTOS TÍTULO: MARKETING SENSORIAL: UM ESTUDO NO COMÉRCIO VAREJISTA COM PREDOMINÂNCIA EM ALIMENTOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

a) VISUAL MERCHANDISING

a) VISUAL MERCHANDISING a) VISUAL MERCHANDISING (1) Introdução Enquanto o marketing planeja, pesquisa avalia e movimenta o produto desde a sua fabricação até sua chegada ao ponto-de- venda, o merchandising representa o produto

Leia mais

O marketing olfativo no varejo!

O marketing olfativo no varejo! O marketing olfativo no varejo! Regina Devecchi Perfumista O Marketing Olfativo no varejo. Os departamentos de marketing das empresas buscam a cada dia novas maneiras de atrair seus clientes e torná-los

Leia mais

Fotos Projetos e Cia Clientes. A imagem. A imagem

Fotos Projetos e Cia Clientes. A imagem. A imagem A imagem A imagem 1 A imagem Mas o que leva a compra pela imagem? Necessidade do produto Compulsão mediante a um estímulo, que vai de encontro direto aos desejos. 1- Afetivos 2- Financeiros 3- Sociais

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA. Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150.

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA. Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150. COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150. PROJETO PRIMEIRAS SENSAÇÕES SÉRIE: Berçário A Berçário B PROFESSORAS:

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ PARCEIROS LINHA DIA A DIA OBJETIVO DA ESCOLA DE VAREJO HEALING OFERECER O CONHECIMENTO DAS MODERNAS TÉCNICAS DE GESTÃO DO VAREJO ORIENTANDO OS

Leia mais

tatimedina@sercomtel.com.br

tatimedina@sercomtel.com.br O CONSUMIDOR E A LOJA Uma investigação das estratégias de visual merchandising e Administração do Layout no ponto-de-venda, fundamentadas no comportamento do consumidor Tatiana Lopes Medina Arquiteta e

Leia mais

O POTENCIAL E OS DESAFIOS DA GESTÃO DE VAREJO PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ

O POTENCIAL E OS DESAFIOS DA GESTÃO DE VAREJO PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ O POTENCIAL E OS DESAFIOS DA GESTÃO DE VAREJO PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ Formação: ECONOMISTA ATIVIDADES PROFISSIONAIS PÓS GRADUAÇÃO DOUTOR E MESTRE PROFESSOR

Leia mais

COMO O ADMINISTRADOR DE EMPRESAS FAMILIARES PODE CONSEGUIR A FIDELIZAÇÃO DE SEUS CLIENTES

COMO O ADMINISTRADOR DE EMPRESAS FAMILIARES PODE CONSEGUIR A FIDELIZAÇÃO DE SEUS CLIENTES COMO O ADMINISTRADOR DE EMPRESAS FAMILIARES PODE CONSEGUIR A FIDELIZAÇÃO DE SEUS CLIENTES Adm. Sandra Regina da Luz Inácio, PhD E o que é NeuroEconomia? O objetivo é atingir nosso Cérebro, a maioria das

Leia mais

Primeiramente podemos classificar três diferentes tipos estruturais de

Primeiramente podemos classificar três diferentes tipos estruturais de VITRINAS 1 INTRODUÇÃO Elegantes e essenciais, as vitrinas são elementos versáteis criados nas mais diversas versões e representam o ponto chave para apresentação do produto a ser vendido nos mais diferentes

Leia mais

Manual para iniciar um negócio criativo

Manual para iniciar um negócio criativo E book grátis Manual para iniciar um negócio criativo de sucesso Empreendedor Criativo Neste guia apresento informações básicas para que você empreenda com segurança, e para que tenha uma visão panorâmica

Leia mais

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Design Estratégico Vamos ver neste final de semana... Criatividade e inovação, design e sociedade contemporânea.

Leia mais

Pesquisa Risqué Clássicos. Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG

Pesquisa Risqué Clássicos. Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG Pesquisa Risqué Clássicos Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG Grupos focais são comumente utilizados em pesquisas de marketing para determinar

Leia mais

Aprendizagem. Liliam Maria da Silva

Aprendizagem. Liliam Maria da Silva Liliam Maria da Silva O Consumidor como um ser aprendiz A aprendizagem é um processo de adaptação permanente do indivíduo ao seu meio ambiente, onde acontece uma modificação relativamente durável do comportamento

Leia mais

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram Esquema de Palestra I. Por Que As Pessoas Compram A Abordagem da Caixa Preta A. Caixa preta os processos mentais internos que atravessamos ao tomar uma

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO É o processo gerencial de desenvolver e manter um ajuste viável entre os objetivos, experiências e recursos da organização e suas oportunidades de mercado. Moldando e remoldando

Leia mais

A grande verdade é que a maioria das empresas está perdendo muito dinheiro tentando criar um negócio online.

A grande verdade é que a maioria das empresas está perdendo muito dinheiro tentando criar um negócio online. Você gostaria de aprender o que os negócios campeões em vendas online fazem? Como eles criam empresas sólidas na internet, que dão lucros por vários e vários anos? A grande verdade é que a maioria das

Leia mais

INTERFACE USUÁRIO MÁQUINA. Prof. Carlos Marques

INTERFACE USUÁRIO MÁQUINA. Prof. Carlos Marques INTERFACE USUÁRIO MÁQUINA Prof. Carlos Marques Dicionário Michaelis Interface Superfície, plana ou não, que forma um limite comum de dois corpos ou espaços. Ponto no qual um sistema de computação termina

Leia mais

Aula 10. Definição dos Objetivos Estratégicos. Profa. Daniela Cartoni

Aula 10. Definição dos Objetivos Estratégicos. Profa. Daniela Cartoni Aula 10 Definição dos Objetivos Estratégicos Profa. Daniela Cartoni CONTEÚDO GERAL DA AULA OBJETIVOS DE MARKETING - Formas de se estabelecer objetivos quantitativos e objetivos qualitativos ELABORAÇÃO

Leia mais

Dicas para seu Cartão de Visita

Dicas para seu Cartão de Visita O Cartão de Visita O cartão de visita é um pequeno cartão contendo os dados de contato de uma pessoa ou corporação. Para muitos, ele é a primeira ferramenta de marketing. Após um contato profissional,

Leia mais

Problema ou Oportunidade. Processo de Decisão

Problema ou Oportunidade. Processo de Decisão Prof. Dr. ANDERSON SONCINI PELISSARI Processo de Decisão INFLUÊNCIA DO AMBIENTE Cultura Classes Sociais Valores Étnicos Família Situação DIFERÊNÇAS INDIVIDUAIS Recursos do cliente Auto conceito Problema

Leia mais

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado pessoas do grupo. Não basta simplesmente analisar cada interpretação possível, é preciso analisar quais as conseqüências de nossas possíveis respostas, e é isso que proponho que façamos de forma racional.

Leia mais

O Sistema de Oferta de Restaurantes de Alta Gastronomia: Uma Perspectiva Sensorial das Experiências de Consumo

O Sistema de Oferta de Restaurantes de Alta Gastronomia: Uma Perspectiva Sensorial das Experiências de Consumo O Sistema de Oferta de Restaurantes de Alta Gastronomia: Uma Perspectiva Sensorial das Experiências de Consumo Autoria: Anne Karmen Gomes Teixeira, Maria de Lourdes de Azevedo Barbosa Resumo Este estudo

Leia mais

DESIGN INDUSTRIAL. ERGONOMIA Aplicada ao Design Gráfico. Sistema técnico de leitura ergonômica. Disciplina: Prof. Dr.

DESIGN INDUSTRIAL. ERGONOMIA Aplicada ao Design Gráfico. Sistema técnico de leitura ergonômica. Disciplina: Prof. Dr. DESIGN INDUSTRIAL Disciplina: ERGONOMIA Aplicada ao Design Gráfico Sistema técnico de leitura ergonômica DESIGN DO PRODUTO Prof. Dr. João Gomes Filho DESIGN DO PRODUTO Leitura Ergonômica EXEMPLOS 1 Leitura

Leia mais

O QUE PROCURA O CONSUMIDOR DO SEC. XXI?

O QUE PROCURA O CONSUMIDOR DO SEC. XXI? O QUE PROCURA O CONSUMIDOR DO SEC. XXI? DIVERTIMENTO FANTASIA NOVAS EXPERIÊNCIAS SENSAÇÕES SÉC. XXI: UM NOVO PARADIGMA DE MARKETING MARKETING TRANSACCIONAL Estratégias Transaccionais + MARKETING RELACIONAL

Leia mais

uma das nossas atitudes será tido como não atrativo e estimulará emoções como a aversão.

uma das nossas atitudes será tido como não atrativo e estimulará emoções como a aversão. 28 3 Design e emoção Segundo Norman (2004), as emoções são valiosas para a vida cotidiana de todos os seres humanos. A utilidade e a usabilidade também o são, mas sem a diversão, o prazer, o orgulho e

Leia mais

Ambos os métodos possuem vantagens e desvantagens, por isso deve se analisar cada caso para decidir qual o mais apropriado.

Ambos os métodos possuem vantagens e desvantagens, por isso deve se analisar cada caso para decidir qual o mais apropriado. Módulo 4 Como Organizar a Pesquisa O questionário e a observação são dois métodos básicos de coleta de dados. No questionário os dados são coletados através de perguntas, enquanto que no outro método apenas

Leia mais

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente?

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? Revista da ESPM -101 Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? FÁTIMA MOTTA Graduada em Administração de Empresas (FMU) e Comunicação (ECA/USP) Pós -Graduada em Administração de Empresas (PUC/SP)

Leia mais

A busca pela retenção do valor Por Vitor Hugo De Castro Cunha

A busca pela retenção do valor Por Vitor Hugo De Castro Cunha A busca pela retenção do valor Por Vitor Hugo De Castro Cunha Diversos fatores influenciam na percepção de valor para o cliente ou mercado, dependendo do tipo de produto. Para alguns produtos a confiabilidade

Leia mais

Marketing Olfativo. Aromatizadores

Marketing Olfativo. Aromatizadores & Aromatizadores Cenário Marketing Olfativo O efeito sobre o estado de espírito do consumidor é o único território que resta para prover benefícios novos e atraentes. Fonte - Melinda Davis A Nova Cultura

Leia mais

TIMOR LESTE. O PESO DA ORAÇÃO DOS JUSTOS! Tema. Peso e balança justos pertencem ao Senhor Provérbios 16:11a Versículo Chave

TIMOR LESTE. O PESO DA ORAÇÃO DOS JUSTOS! Tema. Peso e balança justos pertencem ao Senhor Provérbios 16:11a Versículo Chave 70 TIMOR LESTE O PESO DA ORAÇÃO DOS JUSTOS! Tema Peso e balança justos pertencem ao Senhor Provérbios 16:11a Versículo Chave PÁIS ALVO No Timor Leste as pessoas são muito acolhedoras, sempre com um sorriso,

Leia mais

Anhembi Morumbi MBA em Gestão de Marcas Matéria: Gestão da marca no Varejo Alunos: Márcia Vital e Rogério Weikersheimer

Anhembi Morumbi MBA em Gestão de Marcas Matéria: Gestão da marca no Varejo Alunos: Márcia Vital e Rogério Weikersheimer Anhembi Morumbi MBA em Gestão de Marcas Matéria: Gestão da marca no Varejo Alunos: Márcia Vital e Rogério Weikersheimer Nissin Foods Co. Fundação 1948 Sr. Momofuku Ando Lámen instantâneo 25/08/1958 Significado

Leia mais

EXPLORANDO O MUNDO COM OS SENTIDOS RESUMO INTRODUÇÃO

EXPLORANDO O MUNDO COM OS SENTIDOS RESUMO INTRODUÇÃO EXPLORANDO O MUNDO COM OS SENTIDOS RESUMO Andrea Cristina Lombardo Debora Cristina Millan Maria Conceição Olimpio de Almeida deboramillan@yahoo.com.br Ouvir o barulho da chuva, saborear os alimentos, cheirar

Leia mais

A CHILDHOOD AUTISM RATING SCALE (CARS)

A CHILDHOOD AUTISM RATING SCALE (CARS) A CHILDHOOD AUTISM RATING SCALE (CARS) I. Relações pessoais: 1.- Nenhuma evidencia de dificuldade ou anormalidade nas relações pessoais: O comportamento da criança é adequado a sua idade. Alguma timidez,

Leia mais

Marcas, Emoções e Sentidos. Insights sobre o poder da razão, emoção e sentidos na construção e marketing de marcas de sucesso

Marcas, Emoções e Sentidos. Insights sobre o poder da razão, emoção e sentidos na construção e marketing de marcas de sucesso Marcas, Emoções e Sentidos Insights sobre o poder da razão, emoção e sentidos na construção e marketing de marcas de sucesso Agenda Os 5 sentidos e como se relacionam com as marcas Emoção e como retemos

Leia mais

AULA 10 Marketing de Serviços

AULA 10 Marketing de Serviços AULA 10 Marketing de Serviços O propósito do ambiente de serviço O ambiente de serviço influencia o comportamento do comprador de três modos: Meio de criação de mensagem: indícios simbólicos para comunicar

Leia mais

Iniciação à PNL. www.cursosbrasil.com.br. Produção. Parte 2. Jimmy L. Mello. www.brasilpnl.com.br. www.brasilpnl.com.br

Iniciação à PNL. www.cursosbrasil.com.br. Produção. Parte 2. Jimmy L. Mello. www.brasilpnl.com.br. www.brasilpnl.com.br Serie: Cursos Profissionalizantes Brasil PNL Formação em "Programação neurolingüística" (PNL) Curso Gratuito Produção www.cursosbrasil.com.br Iniciação à PNL Parte 2 Jimmy L. Mello Distribuição gratuita

Leia mais

InfoProduto Já. Qual Sua Marca? Você Sabe Vender Sua Imagem? *Sheila Souto

InfoProduto Já. Qual Sua Marca? Você Sabe Vender Sua Imagem? *Sheila Souto Qual Sua Marca? Você Sabe Vender Sua Imagem? *Sheila Souto Um Marketing Pessoal bem arquitetado pode alavancar de maneira decisiva seus negócios ou carreira, pois como dizem por aí: A primeira impressão

Leia mais

Fim da Sensibilidade na Glande

Fim da Sensibilidade na Glande Autor: Davi Ribeiro Fim da Sensibilidade na Glande Muitos homens alegam sofrer com a forte sensibilidade na glande. E isso, de certa forma, atrapalha muito na hora do sexo, principalmente na hora de ter

Leia mais

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO SAIR DO LUGAR-COMUM PÃO DE AÇÚCAR UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO Só em São Paulo, a associação que reúne os supermercados tem mais de 50 empresas cadastradas. As lojas se espalham com um volume impressionante.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PROJETO

A IMPORTÂNCIA DO PROJETO Iluminação de Lojas Destacar uma vitrine, a arquitetura da fachada, os produtos e a decoração dos espaços internos tornando as lojas atraentes aos olhos do público, já não é possível sem a elaboração de

Leia mais

CMO! Com Paula Crespi da GuiaBolso

CMO! Com Paula Crespi da GuiaBolso Fala, CMO! Com Paula Crespi da GuiaBolso Fala, CMO! Estamos de volta com mais um post do Fala, CMO!. A entrevistada da vez é a Paula Crespi, Head de Marketing e Produto do GuiaBolso. Acho que o cargo e

Leia mais

www.rakutencommerce.com.br E-BOOK

www.rakutencommerce.com.br E-BOOK APRENDA AS ÚLTIMAS DICAS E TRUQUES SOBRE COMO DAR UM TAPA 3.0 NA SUA LOJA VIRTUAL. www.rakutencommerce.com.br E-BOOK propósito desse ebook é muito simples: ajudar o varejista on-line a dar um tapa 3.0

Leia mais

AS FUNÇÕES ESTÉTICA E SIMBÓLICA, COMO PRIMEIRO CONTATO ENTRE O EMOTIONAL DESIGN E A MODA.

AS FUNÇÕES ESTÉTICA E SIMBÓLICA, COMO PRIMEIRO CONTATO ENTRE O EMOTIONAL DESIGN E A MODA. AS FUNÇÕES ESTÉTICA E SIMBÓLICA, COMO PRIMEIRO CONTATO ENTRE O EMOTIONAL DESIGN E A MODA. Autor: Rafael Ribeiro Resumo: O objetivo deste artigo é estabelecer uma conexão entre a moda e o emotional design

Leia mais

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha técnica no. 2.1 Atividade Principal 2.1 SENTINDO A NATUREZA Objetivo da 2 Os escoteiros estão trabalhando por um mundo onde o habitat natural seja suficiente para suportar as espécies nativas. Objetivos

Leia mais

A Exposição de Objetos como meio de comunicação

A Exposição de Objetos como meio de comunicação Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi A Exposição de Objetos como meio de comunicação Objetivo Analisar como se dá a influência da exposição dos objetos nos meios de comunicação. Tópicos 1. Exposição

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Dezembro 2014

Atividades Pedagógicas. Dezembro 2014 Atividades Pedagógicas Dezembro 2014 EM DESTAQUE Acompanhe aqui um pouco do dia-a-dia de nossos alunos em busca de novos aprendizados. ATIVIDADES DE SALA DE AULA GRUPO I A GRUPO I B GRUPO I C GRUPO I D

Leia mais

Outdoor: Cantinho do Chocolate 1

Outdoor: Cantinho do Chocolate 1 Outdoor: Cantinho do Chocolate 1 Krislaine KUCHENBECKER 2 Nathália V. da SILVA 3 Gabriela Alexander ZABOENCO 4 Venilton REINERT 5 Cynthia Morgana Boos de QUADROS 6 Universidade Regional de Blumenau, FURB,

Leia mais

IMOCX IZZO MOTO CULTURE E EXPERIENCE (http://varejo.espm.br/conceitoimocx-izzo-moto-culture-e-experience)

IMOCX IZZO MOTO CULTURE E EXPERIENCE (http://varejo.espm.br/conceitoimocx-izzo-moto-culture-e-experience) Página 1 de 6 Quem somos (http://varejo.espm.br/quem-somos) Retail Lab (http://varejo.espm.br/retail-lab) Contato (http://varejo.espm.br/contato) (http://varejo.espm.br/feed) (http://twitter.com/varejo_espm)

Leia mais

PSICOLOGIA Prof. Thiago P. de A Sampaio

PSICOLOGIA Prof. Thiago P. de A Sampaio PSICOLOGIA Prof. Thiago P. de A Sampaio Percepção Sensação Visão, Audição, Tato, Olfato e Paladar Captação de estímulos pelos sentidos Sinais eletroquímicos Condução dos sinais até o córtex sensorial Impulsos

Leia mais

O princípio da segmentação é criar grupos de clientes (ou potenciais clientes) com características comuns.

O princípio da segmentação é criar grupos de clientes (ou potenciais clientes) com características comuns. SEGMENTAÇÃO Segmentar o mercado ou a base de clientes é fundamental para a criação de um planejamento de marketing eficiente. Uma empresa não pode desenvolver um produto ou um serviço se não souber a quem

Leia mais

Somos espíritas, tentamos ser espíritas, queremos. Perfume ou detergente?

Somos espíritas, tentamos ser espíritas, queremos. Perfume ou detergente? Perfume ou detergente? Somos espíritas, tentamos ser espíritas, queremos ser espíritas dentro e fora da casa espírita. Tomara, mas tomara mesmo, que consigamos ser espíritas fora do ambiente do centro

Leia mais

Visão: Um pixel equivalerá a milhares de palavras

Visão: Um pixel equivalerá a milhares de palavras Toque: Você poderá tocar através do seu telefone Imagine usar seu smartphone para comprar um vestido de casamento e poder sentir a seda do vestido, ou a renda do véu, tudo pela superfície da tela. Ou,

Leia mais

O Convite. Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e. Gisele Christine Cassini Silva

O Convite. Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e. Gisele Christine Cassini Silva O Convite Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e Gisele Christine Cassini Silva FADE OUT PARA: Int./Loja de sapatos/dia Uma loja de sapatos ampla, com vitrines bem elaboradas., UMA SENHORA DE MEIA IDADE,

Leia mais

Marketing Sensorial. Mkt e planejamento GD 2012 Florianópolis Rosane Martins

Marketing Sensorial. Mkt e planejamento GD 2012 Florianópolis Rosane Martins Marketing Sensorial Mkt e planejamento GD 2012 Florianópolis Rosane Martins Design e marketing implicam: Qualidade do produto Valor percebido Imagem da empresa Depois do império das marcas é a vez da arquitetura

Leia mais

Restaurante Top 5. 10 passos para deixar seus convidados mais felizes sem gastar um centavo a mais

Restaurante Top 5. 10 passos para deixar seus convidados mais felizes sem gastar um centavo a mais Restaurante Top 5 10 passos para deixar seus convidados mais felizes sem gastar um centavo a mais Mensagem do Restaurante Olá, Sabemos que é momento de comemorar. E se não fosse uma data ou momento especial,

Leia mais

As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de

As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de 1 As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de impulso nervoso. 2 As informações acerca do ambiente,

Leia mais

ÍNDICE. Introdução...3. Como escolher sapatos infantis?...4. Como escolher sapatos femininos?...5. Como escolher sapatos masculinos?...

ÍNDICE. Introdução...3. Como escolher sapatos infantis?...4. Como escolher sapatos femininos?...5. Como escolher sapatos masculinos?... 1 ÍNDICE Introdução...3 Como escolher sapatos infantis?...4 Como escolher sapatos femininos?...5 Como escolher sapatos masculinos?...8 Conclusão... 10 Sobre a Agittus... 11 Introdução A vida corrida que

Leia mais

Falhar em se preparar é se preparar para falhar. (Benjamin Franklin).

Falhar em se preparar é se preparar para falhar. (Benjamin Franklin). 1- Planejamento Falhar em se preparar é se preparar para falhar. (Benjamin Franklin). Planejamento é uma etapa administrativa que auxilia o administrador a perceber a realidade, avaliar ações e definir

Leia mais

De todas as relações humanas, esta é a principal e mais básica

De todas as relações humanas, esta é a principal e mais básica De todas as relações humanas, esta é a principal e mais básica Para as crianças, a família é a segurança, proteção, apoio, compreensão e a aceitação de que tanto necessitam. Pai e mãe são, com efeito,

Leia mais

TRIBO? "O QUE UNE AS PESSOAS DE UMA TRIBO É O COMPROMISSO COMUM COM A ATIVIDADE QUE NASCERAM PARA FAZER."

TRIBO? O QUE UNE AS PESSOAS DE UMA TRIBO É O COMPROMISSO COMUM COM A ATIVIDADE QUE NASCERAM PARA FAZER. TRIBO? "O QUE UNE AS PESSOAS DE UMA TRIBO É O COMPROMISSO COMUM COM A ATIVIDADE QUE NASCERAM PARA FAZER." CONCEITO : No QUAL É A SUA TRIBO? podemos ser quem desejamos, praticar novos esportes e atividades

Leia mais

Venda mais com Visual Merchandising

Venda mais com Visual Merchandising Venda mais com Visual Merchandising Gerente da Pós Graduação, Coordenadora do Studio Grid e Professora na Belas Artes Gestora Executiva do Portal InfoBranding e colunista no Portal O Negocio do Varejo.

Leia mais

Gestão de. O que é Marketing? Steven Albuquerque. Steven Albuquerque DISCIPLINA. Conceituação de Marketing. Conceituação de Marketing 15/02/2016

Gestão de. O que é Marketing? Steven Albuquerque. Steven Albuquerque DISCIPLINA. Conceituação de Marketing. Conceituação de Marketing 15/02/2016 2 Gestão de Mestre em Administração Univ. Federal de Pernambuco - UFPE Master em International Business Universidad de Barcelona MBA em Estratégico Univ. Federal de Pernambuco - UFPE Administrador Univ.

Leia mais

IMPACTOS DAS AÇÕES DE MERCHANDISING NA TOMADA DE DECISÃO NO PONTO DE VENDA

IMPACTOS DAS AÇÕES DE MERCHANDISING NA TOMADA DE DECISÃO NO PONTO DE VENDA IMPACTOS DAS AÇÕES DE MERCHANDISING NA TOMADA DE DECISÃO NO PONTO DE VENDA Philippe Oliveira Abouid 1 Marcos Eugênio Vale Leão 2 RESUMO: Este artigo propõe avaliar o processo de decisão de compra do consumidor

Leia mais

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia.

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia. * Este texto corresponde à visão da autora Marcia Dib e todas as informações aqui contidas são de inteira responsabilidade da autora. ** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança

Leia mais

MERCHANDISING NO PDV: AGREGANDO VALOR AO PLANO DE COMUNICAÇÃO 1

MERCHANDISING NO PDV: AGREGANDO VALOR AO PLANO DE COMUNICAÇÃO 1 1 MERCHANDISING NO PDV: AGREGANDO VALOR AO PLANO DE COMUNICAÇÃO 1 Rafael Vinícius Back RESUMO Esse artigo consiste em demonstrar brevemente o papel do Merchandising no composto da comunicação e sua importância

Leia mais

Como fazer marketing de relacionamento

Como fazer marketing de relacionamento Como fazer marketing de relacionamento O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma

Leia mais

Marketing e Comunicação Cláudio Pessanha

Marketing e Comunicação Cláudio Pessanha Marketing e Comunicação Cláudio Pessanha Vamos Discutir... Um produto fala? Mesmo sendo esse produto um chinelo? Leiam o texto abaixo e falem comigo. Um produto tem o poder de falar por si só? E de que

Leia mais

Marketing experiencial: um estudo de caso em um restaurante

Marketing experiencial: um estudo de caso em um restaurante Marketing experiencial: um estudo de caso em um restaurante Fernanda Patrícia Cirilo Marques1 (UFERSA) patrícia_blow@hotmail.com Karla Kallyana Filgueira Félix2 (UFERSA) karla_filgueira@hotmail.com Lívia

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

INFLUÊNCIA DO MERCHANDISING NO COMPORTAMENTO DE COMPRA

INFLUÊNCIA DO MERCHANDISING NO COMPORTAMENTO DE COMPRA V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 INFLUÊNCIA DO MERCHANDISING NO COMPORTAMENTO DE COMPRA Swellen Antunes Moreira Resumo: As organizações que atuam

Leia mais

METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE

METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE 1 Sumário METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE... 3 Passo Um: OBTER A ATENÇÃO DO COMPRADOR... 4 Passo Dois: MANTER O INTERESSE NA MENSAGEM... 8 Passo Três: DESPERTAR NO CLIENTE O DESEJO DE COMPRAR

Leia mais

Equações do primeiro grau

Equações do primeiro grau Módulo 1 Unidade 3 Equações do primeiro grau Para início de conversa... Você tem um telefone celular ou conhece alguém que tenha? Você sabia que o telefone celular é um dos meios de comunicação que mais

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Marília Darc Cardoso Cabral e Silva 1 Tatiane Pereira da Silva 2 RESUMO Sendo a arte uma forma do ser humano expressar seus sentimentos,

Leia mais

Crie seu mecanismo de engajamento: parte 2. David Mogensen. Novembro 2013

Crie seu mecanismo de engajamento: parte 2. David Mogensen. Novembro 2013 Crie seu mecanismo de engajamento: ESCRITO POR David Mogensen PUBLICADO Novembro 2013 parte 2 O RESUMO A jornada de decisão do consumidor já foi uma linha reta, mas agora é um caminho circular e em desenvolvimento.

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais!

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Por Rafael Piva Guia 33 Prático Passos para criar Ideias de Negócio Vencedores! Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Que bom que você já deu um dos

Leia mais

instantânea. Karl Lagerfeld

instantânea. Karl Lagerfeld SPFW a semana instantânea. da moda Karl Lagerfeld Traduzindo para o português: veja agora e compre agora. Não mais coleções que demoram 3 meses para chegar as lojas desde o dia do desfile de lançamento.

Leia mais

A importância de personalizar a sua loja virtual

A importância de personalizar a sua loja virtual A importância de personalizar a sua loja virtual Ter uma loja virtual de sucesso é o sonho de muitos empresários que avançam por esse nicho econômico. Porém, como as lojas virtuais são mais baratas e mais

Leia mais

ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO APLICADA AO PONTO DE VENDA E SEU IMPACTO NA PERCEPÇÃO DA MARCA: ESTUDO DE CASO DE UM GRUPO DE MODA DO PARANÁ

ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO APLICADA AO PONTO DE VENDA E SEU IMPACTO NA PERCEPÇÃO DA MARCA: ESTUDO DE CASO DE UM GRUPO DE MODA DO PARANÁ ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO APLICADA AO PONTO DE VENDA E SEU IMPACTO NA PERCEPÇÃO DA MARCA: ESTUDO DE CASO DE UM GRUPO DE MODA DO PARANÁ DIFFERENTIATION STRATEGY APPLIED TO THE POINT OF SALE AND ITS IMPACT

Leia mais

Fluxo Ampliado de Marketing

Fluxo Ampliado de Marketing Fluxo Ampliado de Marketing No estudo deste fluxo ampliado de marketing, chega-se a conclusão da importância de um composto mercadológico mais intenso e realmente voltado ao atendimento das necessidades

Leia mais

1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO

1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO BEM VINDO AO GUIA DE 10 PASSOS DE COMO MELHORAR MUITO A SUA VIDA FINANCEIRA! APROVEITE! 1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO Quando se trata do nosso dinheiro, a emoção sempre tende a ser um problema.

Leia mais

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Marcas Marcas Introdução...3 O que é marca?...4 Marcas x produtos...4 Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Exemplo de diferentes níveis de produto...6 Desafios do branding...8 Conceito de

Leia mais

2007 Para Francisco livro em 2008 cinemas em 2015 Hoje Vou Assim 2013, lançou o livro Moda Intuitiva

2007 Para Francisco livro em 2008 cinemas em 2015 Hoje Vou Assim 2013, lançou o livro Moda Intuitiva CR I S G U E R R A p u b l i c i tá r i a, e s c r i to r a e pa l e s t r a N t e PERFIL Começou sua trajetória na internet em 2007, escrevendo o blog Para Francisco, que virou livro em 2008 e irá para

Leia mais

RAQUEL QUINDERÉ CARNEIRO. Graduanda do curso de Estilismo e Moda da Universidade Federal do Ceará. MSc CYNTIA TAVARES MARQUES DE QUEIROZ

RAQUEL QUINDERÉ CARNEIRO. Graduanda do curso de Estilismo e Moda da Universidade Federal do Ceará. MSc CYNTIA TAVARES MARQUES DE QUEIROZ RAQUEL QUINDERÉ CARNEIRO Graduanda do curso de Estilismo e Moda da Universidade Federal do Ceará MSc CYNTIA TAVARES MARQUES DE QUEIROZ Mestre em Marketing e Design, Bacharel em Estilismo e Moda e Comunicação

Leia mais

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes Capítulo 16 e administração de comunicações integradas de marketing Objetivos Aprender quais são as principais etapas no desenvolvimento de um programa eficaz de comunicações integradas de marketing. Entender

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

6 Considerações finais

6 Considerações finais 6 Considerações finais O presente estudo teve como objetivo central estudar e auxiliar no entendimento do processo de decisão de compra de consumidores de supermercado que escolhem a Internet como canal.

Leia mais

Técnicas de Exposição de Produtos CONCEITO DE EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS A idéia básica: Mostrar ou destacar alguma coisa. Mostrar também significa: Comunicar O produto deve atrair, seduzir, mexer com os sentidos

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

Modelo de Questões para Planejamento Digital Interativo

Modelo de Questões para Planejamento Digital Interativo Modelo de Questões para Planejamento Digital Interativo Algumas questões importantes sobre um projeto digital. Dependendo do cliente não é necessário levantar uma grande quantidade de dados. Utilize este

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

Marketing e Portfólio de Moda Professora: Fabiana Besen

Marketing e Portfólio de Moda Professora: Fabiana Besen FUNDAMENTOS DO MARKETING Marketing e Portfólio de Moda Professora: Fabiana Besen O que é Marketing? Conceitos relacionados ao Marketing Funções do Marketing Relações de Marketing e Moda Um comercial na

Leia mais

http://www.wikiconsultoria.com.br/100-motivos-implantar-crm/

http://www.wikiconsultoria.com.br/100-motivos-implantar-crm/ Dando continuidade a nossa série de artigos dos 100 motivos para implantar um CRM, chegamos a nossa quinta parte, porém como ainda faltam 32 motivos resolvemos liberar a quinta parte em duas etapas para

Leia mais

Canais ou Sistemas Representacionais (VAC)

Canais ou Sistemas Representacionais (VAC) Canais ou Sistemas Representacionais (VAC) Exercícios de Aplicação: Exercício 1 Calibração Visual Parte 1 Vá a um local próximo de sua casa ou local de trabalho em que você possa sentar-se e ficar tranqüilo

Leia mais

Tema: O que, como, quando e quanto compra é o que precisamos entender. tomada de decisão do jovem na hora da compra.

Tema: O que, como, quando e quanto compra é o que precisamos entender. tomada de decisão do jovem na hora da compra. Radar Jovem 2015 Tema: Já sabemos que o jovem é um dos consumidores que mais possui poder aquisitivo do país*. O que, como, quando e quanto compra é o que precisamos entender agora. Nesse estudo iremos

Leia mais

O que é promoção de vendas e para que serve?

O que é promoção de vendas e para que serve? 4 Para aumentar as vendas, ela precisa basicamente fazer com que os clientes atuais comprem mais ou trazer novos clientes para a loja. Nos dois casos, fica evidente que ela terá que oferecer mais benefícios

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br Fazendo a diferença no Ponto de Venda EBOOK Sumário Revisão O que é Trade Marketing? Entenda o Comportamento de Compra do Consumidor O que é Merchandising? Revisão Para entender sobre Trade Marketing devemos

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

INDIVÍDUO E SOCIEDADE PARTE 2

INDIVÍDUO E SOCIEDADE PARTE 2 TEXTO NUM. 2 INDIVÍDUO E SOCIEDADE PARTE 2 Max Weber, O indivíduo e a ação social: O alemão Max Weber (1864-1920), diferentemente de Durkheim, tem como preocupação central compreender o indivíduo e suas

Leia mais