Planos de Segurança da Água para consumo humano

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planos de Segurança da Água para consumo humano"

Transcrição

1 Planos de Segurança da Água para consumo humano Universidade de Aveiro 26 de março de 2014 Carla Morais Pedro Bastos Tentúgal Valente

2 Índice A Águas do Noroeste Enquadramento Planos de Segurança da Água Resultados obtidos Novos desafios Considerações finais

3 A Águas do Noroeste, SA Abastecimento de água 1 milhão de habitantes, em ETA acima de habitantes 1 ETA acima de habitantes 178 reservatórios 64 estações elevatórias km conduta

4 Enquadramento Garantia da qualidade da água para abastecimento público baseada na deteção de constituintes microbiológicos, físicos, químicos e radiológicos Análise de conformidade dos resultados obtidos na monitorização da qualidade da água fornecida aos consumidores com base em valores paramétricos estipulados nas normas legalmente estabelecidas Metodologia de gestão reativa que tem-se revelado ineficaz na detecção e aviso precoces de problemas de qualidade da água abastecida às populações Monitorização da qualidade da água apenas permite verificar a conformidade da água para consumo após o seu fornecimento aos consumidores

5 Metodologias de avaliação e gestão de riscos da origem até à torneira do consumidor Meios mais eficazes para garantir a segurança da água fornecida, em qualidade e em quantidade Fonte The aim of a WSP is very straightforward: To consistently ensure the safety and acceptability of a drinking-water supply in Water Safety Plan Manual, 2009 Tratamento Distribuição

6

7 PSA SAA S. Jorge PSA SAA Andorinhas PSA SAA Queimadela PSA SAA Areias de Vilar

8 habitantes 74 reservatórios 27 estações elevatórias 350 km de conduta m 3 /dia

9 Avaliação de Riscos Medidas de Controlo Parâmetros de monitorização Frequência de monitorização Responsabilidades Limites críticos Limites de alerta Instruções Planos Procedimentos Impressos Gestão operacional Navia Telegestão Alarmes por e/ou sms Verificações ( ) GESTÃO DE ROTINA

10 Higienização de reservatórios Rondas periódicas

11 Resultados on-line da operação do sistema Parametrização

12 Alarme intrusão Alarme inundação Alarme incêndio Alarme falha energia Níveis de água Funcionamento hidráulico

13 Procedimentos Gestão das constatações e ações Gestão das reclamações Gestão de EMM Homologação de fornecedores Aquisição de materiais e serviços Comunicação a Partes Interessadas Avaliação de satisfação do Cliente ( )

14 Instruções Arranque e paragem da Ozonização Amostragem e Plano de análises para a operação da ETA Controlo das taxas de tratamento aplicadas Sequência de arranque da ETA em manual Verificações expeditas Arranque da bombagem na Estação Elevatória de xxx ( )

15

16 Antes Depois

17 Novo risco!

18 Implementação do PSA Melhorias/Boas práticas 100% do Sistema Adutor com sistemas de televigilância Alarmes por comparação de imagens Ajuda substancial para despistar falsos alarmes Sempre que necessário, equipa de prevenção desloca-se ao local

19 Classificação dos eventos excecionais Incidentes Acidentes Emergência Procedimentos Plano emergência Simulacros GESTÃO EXCEPCIONAL

20 Não houve interrupção no abastecimento Aluguer de um gerador que em menos de 24 horas foi colocado em funcionamento na ETA Realização de diversas análises à qualidade da água (expeditas/verificação) Experiência para o futuro Cheias em 2001

21 Não houve interrupção no abastecimento Realização de diversas análises à qualidade da água (expeditas/verificação) Ativação imediata do doseamento de carvão activado em pó Aquisição de manga absorvente de hidrocarbonetos Não foram detetados incumprimentos Aviso à comunidade através de rádio/televisão/jornal Derrames de hidrocarbonetos em 2005 Experiência para o futuro

22 Interrupção no abastecimento 1000 Turvação elevada 100 TURVAÇÃO ÁGUA BRUTA TURVAÇÃO ÁGUA TRATADA :00 10:00 12:00 14:00 16:00 18:00 20:00 22:00 0:00 2:00 4:00 6:00 8:00 10:00 12:00

23 Espumas na água bruta Não houve interrupção no abastecimento Detetada uma das origens da contaminação Notificação imediata ao SEPNA Realização de diversas análises à qualidade da água (expeditas/verificação) Ativação imediata do doseamento de carvão ativado em pó Reforço das taxas de tratamento Não foram detetados incumprimentos Experiência para o futuro

24 Não houve interrupção no abastecimento Realização de diversas análises à qualidade da água (expeditas/verificação) Activação imediata do doseamento de carvão activado em pó Reforço das taxas de tratamento Crescimento anormal de algas em 2008 Não foram detectados incumprimentos Experiência para o futuro

25 Não houve interrupção no abastecimento Realização de diversas análises à qualidade da água (expeditas/verificação) Ativação imediata do doseamento de carvão ativado em pó Reunião de emergência com a ARH Reunião de emergência com a EDP Abaixamento do caudal no rio em 2009 e em 2011 Não foram detetados incumprimentos Experiência para o futuro

26 Resultados obtidos

27 Resultados obtidos

28 Novos desafios Estudo de poluentes emergentes (verificar se existe a necessidade de implementar novas medidas de controlo)

29 Novos desafios Estriol B-estradiol 17-(B-D-glucoronido) Noretindrona Isoborneol Omeprazol Diclofenac Metilisoborneol Diazepam Etinilestradiol Dietilstilbestrol Estrona B-estradiol Musk xileno Ibuprofeno Gemfibrozil Zolpidem Musk cetona Lorazepam D-norgestrel Estrona-3-sulfato Galaxolide Ciproterona acetato Tricloroanisol B-estradiol-3,17-diacetato Geosmina Ketoprofeno Progesterona Nimesulide Fluoxetina Amoxicilina Simvastatina Ciprofloxacina Bromazepam Paracetamol Paroxetina Tonalide Azitromicina Hidroclorotiazida Furosemida Bisoprolol Naproxeno Indapamida Alprazolam Bezafibrato fármacos, hormonas e fragâncias

30 Considerações finais PSA é uma importante ferramenta que permite identificar monitorizar controlar e rever periodicamente para cada etapa do sistema, os perigos que influenciam decisivamente o abastecimento de água para consumo humano, em qualidade e em quantidade, garantindo maior segurança ao consumidor.

31 Considerações finais Constitui um instrumento que contribui para a melhoria contínua, para a satisfação global dos consumidores, e para a garantia da qualidade do serviço; Permite uma priorização dos investimentos da empresa, contribuindo para a sua sustentabilidade Permite ganhos de eficiência diminuição de não conformidades, otimização de custos de monitorização, diminuição de descargas de produto não seguro Permite o aumento na confiança no produto água para consumo humano por parte dos utilizadores Não se traduz em custos acrescidos significativos de exploração, mas sim na sua otimização, garantindo um serviço que se pretende 100% seguro

Experiência de implementação de Planos de Segurança da Água em Portugal

Experiência de implementação de Planos de Segurança da Água em Portugal Experiência de implementação de Planos de Segurança da Água em Portugal Implementação de Planos de Segurança da Água. Experiências Internacionais Brasília, 16 a 18 de março de 2015 Carla Morais Os planos

Leia mais

O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA

O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA Ana CAMACHO 1, Fausto OLIVEIRA 2 RESUMO A aplicação de princípios de avaliação e de gestão de riscos, complementa o controlo realizado através da monitorização

Leia mais

Plano de Segurança da Água: gestão do risco e emergências Um caso prático

Plano de Segurança da Água: gestão do risco e emergências Um caso prático Sessão Temática AdP Planos de Segurança da Água em Portugal: Onde estamos, para onde vamos Plano de Segurança da Água: gestão do risco e emergências Um caso prático Inês Freitas Responsável pelo Sistema

Leia mais

DIRECÇÃO DE ECONOMIA DO MEDICAMENTO E PRODUTOS DE SAÚDE

DIRECÇÃO DE ECONOMIA DO MEDICAMENTO E PRODUTOS DE SAÚDE OBSERVATÓRIO DO MEDICAMENTO E PRODUTOS DE SAÚDE DIRECÇÃO DE ECONOMIA DO MEDICAMENTO E PRODUTOS DE SAÚDE 1. MERCADO TOTAL DE MEDICAMENTOS Fonte: IMS 1.1 - Mercado Total 23 2.733.558.9-229.723.613-24 2.979.4.479

Leia mais

Case Study Boavista Golf. Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe.

Case Study Boavista Golf. Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe. Case Study Boavista Golf Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe. Introdução Portugal é considerado, por muitos especialistas, um dos melhores lugares para

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO www.zonaverde.pt Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Os acidentes nas organizações/estabelecimentos são sempre eventos inesperados, em que a falta de conhecimentos/formação,

Leia mais

O case study da aplicação da plataforma NAVIA no processo de fusão da Águas do Noroeste

O case study da aplicação da plataforma NAVIA no processo de fusão da Águas do Noroeste A IMPORTÂNCIA DE UMA PLATAFORMA AGREGADORA DE PROCESSOS NA GESTÃO OPERACIONAL DE UM SISTEMA MULTIMUNICIPAL O case study da aplicação da plataforma NAVIA no processo de fusão da Águas do Noroeste Liliana

Leia mais

MINISTةRIOS DA ECONOMIA E DO EMPREGO E DA SAعDE

MINISTةRIOS DA ECONOMIA E DO EMPREGO E DA SAعDE Diلrio da Rep blica, 2.ھ série N. 62 27 de março de 2012 10943 de 13 de maio, estarل patente na Secretaria do municيpio de Olhمo e nesta Direçمo Regional, sita em Rua Prof. Ant nio Pinheiro e Rosa, 8005-546

Leia mais

Prevenção de incêndios

Prevenção de incêndios Prevenção de incêndios 1 Prevenção de incêndios Entre 2008 e 2013, os falsos alarmes de incêndio nos centros comerciais da Sonae Sierra dispararam entre 5.000 a 7.000 vezes por ano. Mesmo não pondo em

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE UMA PLATAFORMA AGREGADORA DE PROCESSOS NA GESTÃO OPERACIONAL DE UM SISTEMA MULTIMUNICIPAL

A IMPORTÂNCIA DE UMA PLATAFORMA AGREGADORA DE PROCESSOS NA GESTÃO OPERACIONAL DE UM SISTEMA MULTIMUNICIPAL A IMPORTÂNCIA DE UMA PLATAFORMA AGREGADORA DE PROCESSOS NA GESTÃO OPERACIONAL DE UM SISTEMA MULTIMUNICIPAL O case study da aplicação da plataforma NAVIA no processo de fusão da Águas do Noroeste Liliana

Leia mais

As Diretrizes de Sustentabilidade a serem seguidas na elaboração dos projetos dos sistemas de abastecimento de água são:

As Diretrizes de Sustentabilidade a serem seguidas na elaboração dos projetos dos sistemas de abastecimento de água são: OBJETIVO A SANEPAR busca prestar serviços de Saneamento Ambiental de forma sustentável, a fim de contribuir com a melhoria da qualidade de vida. Portanto evidencia-se a necessidade de considerar o conceito

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ÁGUAS DO VOUGA

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ÁGUAS DO VOUGA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ÁGUAS DO VOUGA Tiago PARENTE 1 Fausto OLIVEIRA 2, RESUMO A promoção pela eficiência energética tem sido uma das medidas impostas pelas actuais políticas europeias com o objectivo

Leia mais

Águas do Douro e Paiva SA O novo ciclo da água Complexo de Lever

Águas do Douro e Paiva SA O novo ciclo da água Complexo de Lever Águas do Douro e Paiva SA O novo ciclo da água Complexo de Lever Página 1 Complexo de Lever é responsável pelo abastecimento de água a mais de 1,4 O milhões de habitantes de 13 municípios Accionistas da

Leia mais

Reunião Técnica Plano de Segurança da Água. 23 de novembro de 2010 - OPAS

Reunião Técnica Plano de Segurança da Água. 23 de novembro de 2010 - OPAS Reunião Técnica Plano de Segurança da Água 23 de novembro de 2010 - OPAS Introdução Qualidade da água e saneamento inadequados provocam 1,8 milhão de mortes infantis a cada ano no mundo (OMS, 2004), o

Leia mais

Controlo da Qualidade da Água de Abastecimento Público Concelho de Oliveira de Azeméis

Controlo da Qualidade da Água de Abastecimento Público Concelho de Oliveira de Azeméis Gestão da Qualidade Controlo da Qualidade da Água de Abastecimento Público Concelho de Oliveira de Azeméis Cláudia Silva Ferreira n.º 3294 - LEAL Objectivos Assegurar a qualidade da água para consumo humano

Leia mais

Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO Formulário de Entrada de Dados - PARTE A - IDENTIFICAÇÃO DO SISTEMA OU SOLUÇÃO ALTERNATIVA

Leia mais

Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança

Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança ENQUADRAMENTO O QUE SE PRETENDE? A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

Leia mais

Relatório da Missão do PNQS 2013 a Portugal

Relatório da Missão do PNQS 2013 a Portugal Relatório da Missão do PNQS 2013 a Portugal Abastecimento de Água de Lisboa EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres S/A ETA ASSEICEIRA Fotos opcionais Lisboa Quinta feira, 12 Dez 2013 Grupo 4 Nome Empresa

Leia mais

Check-list Adequação e Conforto das Instalações

Check-list Adequação e Conforto das Instalações 1. Acessos 1.1. Acessos e mobilidade 1.1.1. SINAS@Hospitais A - ADEQUAÇÃO DAS INSTALAÇÕES Garante rampas de acesso, ou meios equivalentes, para pessoas com mobilidade reduzida 1.1.2. Mantém actualizada

Leia mais

WONE Water Optimization for Network Efficiency Otimizar a Gestão de Redes e o Controlo de Perdas de Água

WONE Water Optimization for Network Efficiency Otimizar a Gestão de Redes e o Controlo de Perdas de Água WONE Water Optimization for Network Efficiency Otimizar a Gestão de Redes e o Controlo de Perdas de Água CONTEXTO DO PAÍS As fugas de água nos sistemas de abastecimento são um problema, mas têm de deixar

Leia mais

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho Patrícia Serra 1 Objetivos das Auditorias ao SGSST Verificar se o SG cumpre eficazmente a política, os objetivos e metas definidos pela organização

Leia mais

O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO VOUGA

O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO VOUGA O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO VOUGA Ana CAMACHO 1, Fausto OLIVEIRA 2 RESUMO O Sistema de Gestão da Qualidade da empresa Águas do Vouga foi implementado com o objectivo de melhoria da eficácia

Leia mais

CONTAMINANTES EMERGENTES EM ÁGUAS DESTINADAS AO ABASTECIMENTO PÚBLICO NO BRASIL

CONTAMINANTES EMERGENTES EM ÁGUAS DESTINADAS AO ABASTECIMENTO PÚBLICO NO BRASIL CONTAMINANTES EMERGENTES EM ÁGUAS DESTINADAS AO ABASTECIMENTO PÚBLICO NO BRASIL Wilson F. Jardim Laboratório de Química Ambiental do Instituto de Química da UNICAMP wfjardim@iqm.unicamp.br A longevidade

Leia mais

O CONSELHO DE GESTÃO DA AGÊNCIA GOIANA DE REGULAÇÃO, CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS, no uso de suas atribuições legais e,

O CONSELHO DE GESTÃO DA AGÊNCIA GOIANA DE REGULAÇÃO, CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS, no uso de suas atribuições legais e, 1 RESOLUÇÃO N 212/2003 - CG Disciplina a qualidade da prestação dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, operado pela SANEAGO, conforme processo nº 22187758 /2003. O CONSELHO DE GESTÃO

Leia mais

Projecto WONE - Ferramenta para a Gestão de Perdas

Projecto WONE - Ferramenta para a Gestão de Perdas Seminário A Gestão da Água no Sector Público e Residencial Projecto WONE - Ferramenta para a Gestão de Perdas Coruche, 21 março 2014 AGENDA 1. CONTEXTO DO PAÍS 2. SITUAÇÃO DA EPAL E ESTRATÉGIA ADOTADA

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XX Indicadores de Segurança. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XX Indicadores de Segurança. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XX Indicadores de Segurança um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem

Leia mais

AIM Produto PVF 5899281 AcetilcisteÝna 600 Mg 20 Comp. 20,00% 5816988 cido Alendr¾nico 70 Mg, 4 Comp. 20,00% 5325725 cido Ibandr¾nico 150 Mg, 1 Comp.

AIM Produto PVF 5899281 AcetilcisteÝna 600 Mg 20 Comp. 20,00% 5816988 cido Alendr¾nico 70 Mg, 4 Comp. 20,00% 5325725 cido Ibandr¾nico 150 Mg, 1 Comp. AIM Produto PVF 5899281 AcetilcisteÝna 600 Mg 20 Comp. 20,00% 5816988 cido Alendr¾nico 70 Mg, 4 Comp. 20,00% 5325725 cido Ibandr¾nico 150 Mg, 1 Comp. 20,00% 5226485 cido Valpr¾ico 300 Mg 60 Comp. Lib.

Leia mais

Oxidação + remoção por precipitação química

Oxidação + remoção por precipitação química ETA - ESQUEMA DE TRATAMENTO PARÂMETROS A ACTUAR OPERAÇÕES OU PROCESSOS UNITÁRIOS Ferro/manganésio Turvação Parâmetros microbiológicos Sólidos suspensos totais Equilíbrio calco-carbónico Oxidação da matéria

Leia mais

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO. Resumo

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO. Resumo SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO Autores: ISABEL GRAZINA Eng.ª Civil, EDIA, Rua Zeca Afonso, 2 7800-522 Beja, 00351284315100, igrazina@edia.pt JOSÉ CARLOS

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA - GARANTINDO QUALIDADE E PROMOVENDO A SAÚDE PÚLICA. Eng Roseane Maria Garcia Lopes de Souza

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA - GARANTINDO QUALIDADE E PROMOVENDO A SAÚDE PÚLICA. Eng Roseane Maria Garcia Lopes de Souza PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA - GARANTINDO QUALIDADE E PROMOVENDO A SAÚDE PÚLICA Eng Roseane Maria Garcia Lopes de Souza 2 INDICE 1 Saúde Pública e Saneamento 2 Portaria 2914/2011 3 PSA 3 INDICE 1 Saúde Pública

Leia mais

31ª Reunião Comissão de Acompanhamento

31ª Reunião Comissão de Acompanhamento 31ª Reunião Comissão de Acompanhamento Apresentação do projecto 2001/PT/16/C/PE/007 Sistema Multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento de Raia, Zêzere e Nabão Índice 1. Apresentação da Águas

Leia mais

Implementação da Directiva Quadro da Água (DQA)

Implementação da Directiva Quadro da Água (DQA) WORKSHOP Análise e Monitorização Química do Estado da Água Perspectivas para os Laboratórios Implementação da Directiva Quadro da Água (DQA) Directiva das Águas Subterrâneas Decreto Lei nº 208/2008 Implementação

Leia mais

Contaminantes microbiológicos e químicos confiabilidade do monitoramento laboratorial para efetiva ação

Contaminantes microbiológicos e químicos confiabilidade do monitoramento laboratorial para efetiva ação Segurança da Água para Consumo Humano Como Moldar o Futuro da Água para as partes Interessadas 07 Maio de 2015 Contaminantes microbiológicos e químicos confiabilidade do monitoramento laboratorial para

Leia mais

Etapas do Manual de Operações de Segurança

Etapas do Manual de Operações de Segurança OPERAÇÕES www.proteccaocivil.pt DE SEGURANÇA CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS ETAPAS LEVANTAMENTO DE MEIOS E RECURSOS ESTRUTURA INTERNA DE SEGURANÇA PLANO DE EVACUAÇÃO PLANO DE INTERVENÇÃO

Leia mais

Plano de Emergência Externo de Ílhavo

Plano de Emergência Externo de Ílhavo Plano de Emergência Externo de Ílhavo 2012 Conteúdo Parte I Enquadramento Geral do Plano... 12 1. Introdução... 12 2. Âmbito de aplicação... 14 3. Objetivos gerais... 15 4. Enquadramento legal... 16 5.

Leia mais

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores Cenário 1 Alarme de reconhecimento Responsável Bloco faz o reconhecimento Atuação Equipa 1ª Intervenção Alarme Parcial Bloco A Atuação Equipa Evacuação Bloco A Situação Controlada? Sinistro? Sim Não Reposição

Leia mais

EDP - Gestão da Produção de Energia, S.A. Central Termoelétrica de Sines. Produção de Energia Elétrica e Deposição de resíduos não perigosos em aterro

EDP - Gestão da Produção de Energia, S.A. Central Termoelétrica de Sines. Produção de Energia Elétrica e Deposição de resíduos não perigosos em aterro 2.º ADITAMENTO À LICENÇA AMBIENTAL nº 300/2009 Nos termos da legislação relativa à Prevenção e Controlo Integrados da Poluição (PCIP), é emitido o 2.º Aditamento à Licença Ambiental do operador EDP - Gestão

Leia mais

O Portal da Construção Segurança e Higiene do Trabalho

O Portal da Construção Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVIII Plano de Emergência um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

Qualidade da Água. paraconsumo Humano. Decreto-Lei nº 306/2007, de 27 de Agosto

Qualidade da Água. paraconsumo Humano. Decreto-Lei nº 306/2007, de 27 de Agosto Qualidade da Água paraconsumo Humano Decreto-Lei nº 306/2007, de 27 de Agosto Relatório 2011-2012 ÍNDICE Mensagem do Presidente 5 Sumário Executivo 7 1. Sistema de Abastecimento da EPAL 9 2. Plano de

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais

MODERNIZAÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS DAS REDES DE MONITORIZAÇÃO HIDRO METEOROLÓGICA

MODERNIZAÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS DAS REDES DE MONITORIZAÇÃO HIDRO METEOROLÓGICA MODERNIZAÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS DAS REDES DE MONITORIZAÇÃO HIDRO METEOROLÓGICA Lisboa, 18 de julho de 2014 Cláudia Brandão APA Missão Propor, desenvolver e acompanhar a gestão

Leia mais

MJK Automation O SEU PA RCEIRO DE INS T RU M EN TAÇ ÃO EM T R ATA M EN TO DA ÁGUA BROCHURE PT 1.00 PRODUKT BROCHURE 1401

MJK Automation O SEU PA RCEIRO DE INS T RU M EN TAÇ ÃO EM T R ATA M EN TO DA ÁGUA BROCHURE PT 1.00 PRODUKT BROCHURE 1401 A MJK tem 35 anos de experiência como fabricante e fornecedor de equipamentos de medição e controlo para estações de tratamento de água potável e de águas residuais. A nossa rede de vendas está espalhada

Leia mais

Ofício CRQ VIII-IP 001/2013 Aracaju/SE 23 de maio de 2013

Ofício CRQ VIII-IP 001/2013 Aracaju/SE 23 de maio de 2013 Trav. Sálvio Oliveira 76 - Suissa - CEP : 49 050-700 - Aracaju/SE Ao Setor de Gestão de Concurso da AOCP Ref.: Impugnação do Concurso Q1/2013-DESO No Edital do Concurso Publico n 01/2013 de 30 de abril

Leia mais

A Água é um recurso precioso e escasso. A EPAL segue uma estratégia orientada para a eficiência

A Água é um recurso precioso e escasso. A EPAL segue uma estratégia orientada para a eficiência Estratégia e Visão A Água é um recurso precioso e escasso Os operadores de sistemas de abastecimento são os primeiros responsáveis pelo fornecimento e uso eficiente da Água A EPAL segue uma estratégia

Leia mais

A GSMk é uma empresa vocacionada para o projecto, licenciamento, instalação e manutenção de:

A GSMk é uma empresa vocacionada para o projecto, licenciamento, instalação e manutenção de: A Empresa A empresa GSMk Gestão Energia, S.A, foi fundada no ano 2000 com o objectivo de colaborar com médias e grandes empresas na execução de obras nas áreas de Sistemas de Energia, Automação e Controlo,

Leia mais

Elaine Ferreira. Diretora de Gestão do Capital Humano - Brasil

Elaine Ferreira. Diretora de Gestão do Capital Humano - Brasil Segurança do Trabalho na EDP Brasil Elaine Ferreira Diretora de Gestão do Capital Humano - Brasil Unidades EDP no Brasil 2.529 Colaboradores 4.090 Prestadores Serviços UHE LAJEADO UHE PEIXE ANGICAL PANTANAL

Leia mais

A GESTÃO DE RESÍDUOS NO SECTOR DA PRODUÇÃO DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO. - Introdução à implementação de um Sistema de Gestão de Resíduos -

A GESTÃO DE RESÍDUOS NO SECTOR DA PRODUÇÃO DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO. - Introdução à implementação de um Sistema de Gestão de Resíduos - A GESTÃO DE RESÍDUOS NO SECTOR DA PRODUÇÃO DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO - Introdução à implementação de um Sistema de Gestão de Resíduos - Raquel N. FIGUEIREDO Eng.ª Ambiente, Águas do Cávado, SA, Lugar

Leia mais

Título: Curso de Capacitação em Modelagem Hidráulica para Sistemas de abastecimento de Água (MHC SAA).

Título: Curso de Capacitação em Modelagem Hidráulica para Sistemas de abastecimento de Água (MHC SAA). 1. ASPECTOS GERAIS Título: Curso de Capacitação em Modelagem Hidráulica para Sistemas de abastecimento de Água (MHC SAA). Objetivos: Apresentar a ferramenta de modelagem hidráulica computacional para sistemas

Leia mais

WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal

WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal Eficiência dos sistemas de abastecimento de água para consumo humano WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal IPQ, 9 de abril de 2014 Os serviços

Leia mais

Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança

Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança 1. Denominação do curso de especialização tecnológica: Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança 2. Perfil profissional que visa preparar: Técnico (a) Especialista em Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança

Leia mais

Estrutura da ERI. Administração. Direção Geral. Qualidade, Ambiente e Segurança. Comercial & Marketing. Departamento de Compras

Estrutura da ERI. Administração. Direção Geral. Qualidade, Ambiente e Segurança. Comercial & Marketing. Departamento de Compras At tud p rm t! ERI Engenharia SA A ERI Engenharia S.A. é uma empresa que está no mercado desde 1995. A nossa estratégia de actuação pauta-se pela flexibilidade e ajustamento face às necessidades e exigências

Leia mais

DESDE O PROJECTO PARA SEMPRE

DESDE O PROJECTO PARA SEMPRE SOLUÇÕES QUE FUNCIONAM DESDE O PROJECTO PARA SEMPRE PROJECTAMOS EXECUTAMOS CERTIFICAMOS PRESTAMOS MANUTENÇÃO QUEM SOMOS TECAUTEL Tecnologias, Automação e Electricidade, Lda. Parque Industrial de Sequeira

Leia mais

Qualidade da água da rede de abastecimento

Qualidade da água da rede de abastecimento Qualidade da água da rede de abastecimento Relatório do 2º trimestre de 2011 1- Introdução O Decreto-lei nº 306/2007 de 27 de Agosto, estabelece o regime da qualidade da água destinada ao consumo humano,

Leia mais

A melhoria da qualidade da água balnear no Concelho de Cascais, um fator decisivo para a sustentabilidade

A melhoria da qualidade da água balnear no Concelho de Cascais, um fator decisivo para a sustentabilidade Conferência Nacional do projeto SUSTAIN Promover a Sustentabilidade Local das Comunidades Costeiras A melhoria da qualidade da água balnear no Concelho de Cascais, um fator decisivo para a sustentabilidade

Leia mais

Painel de Incêndio Convencional Série 500 Tão fácil como aprender o alfabeto

Painel de Incêndio Convencional Série 500 Tão fácil como aprender o alfabeto Painel de Incêndio Convencional Série 500 Tão fácil como aprender o alfabeto 2 Um Painel de Incêndio fácil de instalar, configurar, manter e utilizar. Ecrã LCD com indicação de estado para todas as zonas

Leia mais

Disciplina: Ciências Professor(a): Klícia Regateiro Série: 6º ano. Água

Disciplina: Ciências Professor(a): Klícia Regateiro Série: 6º ano. Água Disciplina: Ciências Professor(a): Klícia Regateiro Série: 6º ano Água Água é vida A água é para o Homem, para os animais e para as plantas um elemento de primeira necessidade, É essencial à vida! É indispensável

Leia mais

CORSAN DIRETORIA DE OPERAÇÕES DOP. Diálogos do Saneamento 02/12/2015

CORSAN DIRETORIA DE OPERAÇÕES DOP. Diálogos do Saneamento 02/12/2015 CORSAN DIRETORIA DE OPERAÇÕES DOP Diálogos do Saneamento 02/12/2015 DIRETORIA DE OPERAÇÕES DOP Informações Gerais da CORSAN em 2015 Universalização de Serviços DIRETORIA DE OPERAÇÕES DOP Informações Gerais

Leia mais

DETEÇÃO LOCAL DETEÇÃO LOCAL DE TROVOADAS

DETEÇÃO LOCAL DETEÇÃO LOCAL DE TROVOADAS DETEÇÃO LOCAL 32 1 DE TROVOADAS > Deteção de trovoadas, a quem diz respeito? > Normas, fases das trovoadas e classificação dos detetores > ATSTORM Detetor local de trovoadas por medição do campo electrostático

Leia mais

A ETAR da Ponta. Pág. 1 de 6

A ETAR da Ponta. Pág. 1 de 6 A ETAR da Ponta A Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da Ponta, localizada na encosta poente do Pico Ana Ferreira, junto ao açude da Ponta, trata todas as águas residuais domésticas da ilha

Leia mais

Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena

Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena E1819 V6 Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena REHABILITATION OF LUENA WATER SUPPLY SYSTEM PGA PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL (PGA) ENVIRONMENTAL MANAGEMENT PLAN (EMP) Adjudicante: Financial

Leia mais

Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação

Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação Este questionário deve ser preenchido pelo Segurado ou por um representante autorizado, devendo dar-se resposta completa

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DO CONTROLO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

RELATÓRIO ANUAL DO CONTROLO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO 2012 RELATÓRIO ANUAL DO CONTROLO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO 1. INTRODUÇÃO 2013 R A 1. INTRODUÇÃO A ERSARA, enquanto autoridade competente para a qualidade da água destinada ao consumo humano,

Leia mais

Guia de Apoio à Realização de Inspecções Ambientais

Guia de Apoio à Realização de Inspecções Ambientais Guia de Apoio à Realização de Inspecções Ambientais 1-Introdução As inspecções ambientais são o garante da implementação e cumprimento da legislação ambiental por parte das empresas que exercem actividades

Leia mais

PA+VIDA Partilha de Boas Práticas

PA+VIDA Partilha de Boas Práticas PA+VIDA Partilha de Boas Práticas A PAINHAS conta com mais de 30 anos de experiência, tendo sido fundado em 1980. Hoje, sedeado em Viana do Castelo, emprega mais de 2.000 funcionários em diferentes áreas

Leia mais

Esclarecimento 1/2015

Esclarecimento 1/2015 Segurança Alimentar Produção primária de vegetais e operações conexas Esclarecimento 1/2015 Clarificam-se: o conceito de produção primária de vegetais e operações conexas, as medidas a adotar para o controlo

Leia mais

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam PROTEKTO Porque todos os segundos contam Soluções para Segurança Pública A resposta às ocorrências no âmbito da segurança pública, têm de ser imediatas, eficientes e eficazes. Cada resposta operacional,

Leia mais

Seminário de Prevenção e Combate a Incêndios CODESP TEAG, 20/OUT/14

Seminário de Prevenção e Combate a Incêndios CODESP TEAG, 20/OUT/14 Seminário de Prevenção e Combate a Incêndios CODESP TEAG, 20/OUT/14 Dezembro, 2014 Agenda O incêndio cronologia Cuidados ambientais adotados durante o sinistro Possíveis causa(s) do incêndio Melhorias

Leia mais

Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva INSTRUÇÕES

Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva INSTRUÇÕES Vigilância em Saúde Ambiental Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva 1. Você recebeu do fiscal o seguinte material: INSTRUÇÕES a) Este Caderno de Questões contendo o enunciado das 2 (duas) questões

Leia mais

Concentre a sua atenção Análise de Vídeo Inteligente da Bosch

Concentre a sua atenção Análise de Vídeo Inteligente da Bosch Concentre a sua atenção Análise de Vídeo Inteligente da Bosch 2 E tome medidas com a Análise de Vídeo Inteligente da Bosch Independentemente do número de câmaras utilizadas pelo seu sistema, a eficácia

Leia mais

FICHA DE BOAS PRÁTICAS Eficiência dos Sistemas de Abastecimento de Água

FICHA DE BOAS PRÁTICAS Eficiência dos Sistemas de Abastecimento de Água FICHA DE BOAS PRÁTICAS Eficiência dos Sistemas de Abastecimento de Água Versão de: Junho 2014 Página: 1 7 TEMA: SETORIZAÇÃO DA REDE ENQUADRAMENTO O controlo de perdas de água é fundamental para melhorar

Leia mais

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 ISO 9001: 2008 Princípios Básicos 4.2 Controle de Documentos e Registros 5.2 Foco no Cliente 5.3 Política da Qualidade

Leia mais

TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS

TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS www.tterra.pt tp@tterra.pt «Os sistemas de gestão baseiam-se em senso comum (...) os que funcionam melhor são os mais simples.» S.L.Jackson Gestão Ambiental

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013 1 9 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013 (S00537-201301) Nos termos do Artigo 33º. do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto- Lei n.º

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE 1. OBJETIVO: Este Termo de Referência têm como objetivo estabelecer diretrizes para elaboração do Plano de Emergência para Transporte de Produtos Perigosos. O plano deverá garantir de imediato, no ato

Leia mais

VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP

VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP Armando Perez Flores (1) Bacharel em Química pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras

Leia mais

TENDÊNCIAS ACTUAIS DA LEGISLAÇÃO DE BARRAGENS. Laura Caldeira

TENDÊNCIAS ACTUAIS DA LEGISLAÇÃO DE BARRAGENS. Laura Caldeira TENDÊNCIAS ACTUAIS DA LEGISLAÇÃO DE BARRAGENS Laura Caldeira Índice 1. Conceitos de segurança estrutural 2. Conceitos de risco 3. Utilização de sistemas de classificação 4. Considerações finais 2 1. Conceitos

Leia mais

Acebrofilina adulto 50mg/5ml xarope Acebrofilina infantil 20mg/5ml xarope

Acebrofilina adulto 50mg/5ml xarope Acebrofilina infantil 20mg/5ml xarope COMO FICOU A LISTA NOVA DO REMUME DENOMINAÇÃO GENÉRICA CONCENTRAÇÃO/ APRESENTAÇÃO COMPOSIÇÃO Acebrofilina adulto 50mg/5ml xarope Acebrofilina infantil 20mg/5ml xarope Acetato de betametasona+fosfato (3mg+3mg)/ml

Leia mais

Calendário Formação 2011

Calendário Formação 2011 ÁREA: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade IS0 9001:2008 16 HORAS 21 FEV 22 FEV LISBOA 21 MAR 22 MAR LISBOA 16 MAI 17 MAI PORTO 10 OUT 11 OUT LISBOA 14 NOV

Leia mais

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1 Introdução No actual quadro legislativo (35/2004) é bem claro que a responsabilidade pelas condições de Segurança, Higiene e Saúde

Leia mais

www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Distribuição, S.A.

www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Distribuição, S.A. www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Distribuição, S.A. Janeiro 2014 Enquadramento A promoção da melhoria contínua da qualidade de serviço no âmbito

Leia mais

MEDIDAS NECESSÁRIAS HOJE PARA PREVISÕES CONFIÁVEIS SOBRE A FUTURA DISPONIBILIDADE E QUALIDADE DOS RECURSOS HÍDRICOS

MEDIDAS NECESSÁRIAS HOJE PARA PREVISÕES CONFIÁVEIS SOBRE A FUTURA DISPONIBILIDADE E QUALIDADE DOS RECURSOS HÍDRICOS MEDIDAS NECESSÁRIAS HOJE PARA PREVISÕES CONFIÁVEIS SOBRE A FUTURA DISPONIBILIDADE E QUALIDADE DOS RECURSOS HÍDRICOS Como prever? MODELOS MATEMÁTICOS TIPO DE USO PARA A ÁGUA Concentração admissível BACIA

Leia mais

Informação a comunicar ao público sobre estabelecimento abrangido pelo regime de prevenção de acidentes graves que envolvem substâncias perigosas

Informação a comunicar ao público sobre estabelecimento abrangido pelo regime de prevenção de acidentes graves que envolvem substâncias perigosas Informação a comunicar ao público sobre estabelecimento abrangido pelo regime de prevenção de acidentes graves que envolvem substâncias perigosas Porquê ler este documento? Terminal da Trafaria OZ Energia

Leia mais

[415] 11. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO

[415] 11. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO [415] 11. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO [416] Com o intuito de definir uma base de referência para avaliação futura da evolução da situação do sistema de saneamento no município, recomenda-se

Leia mais

IGA Investimentos e Gestão da Água, S.A.

IGA Investimentos e Gestão da Água, S.A. Levantamento e Cadastro de Infra-estruturas associadas aos Sistemas de Abastecimento de Água e de Tratamento e Drenagem de Águas Residuais e Pluviais Ricardo Freitas 3 Objectivos Elaboração do cadastro

Leia mais

CÓDIGO DO AVISO: POVT-35-2013-64

CÓDIGO DO AVISO: POVT-35-2013-64 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO) TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO PREVENÇÃO E GESTÃO DE RISCOS

Leia mais

1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1

1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1 Política de Resposta a Emergência Ambiental Versão 1 Data 09/2014 SUMÁRIO 1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1 2.1 O QUE É UM DERRAMAMENTO?... 1 2.2 QUE TIPOS DE DERRAMAMENTOS EXISTEM?...

Leia mais

ÁGUAS DO CÁVADO, SA A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE AREIAS DE VILAR. Octávio PASCOAL PEREIRA (1)

ÁGUAS DO CÁVADO, SA A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE AREIAS DE VILAR. Octávio PASCOAL PEREIRA (1) ÁGUAS DO CÁVADO, SA A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE AREIAS DE VILAR Octávio PASCOAL PEREIRA (1) RESUMO A Estação de Tratamento de Água (ETA) de Areias de Vilar e as infraestruturas de captação e da

Leia mais

20 064-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA II SÉRIE N. o 281 5 de Dezembro de 2002 MINISTÉRIOS DA ECONOMIA E DA SAÚDE

20 064-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA II SÉRIE N. o 281 5 de Dezembro de 2002 MINISTÉRIOS DA ECONOMIA E DA SAÚDE 20 064-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA II SÉRIE N. o 281 5 Dezembro 2002 MINISTÉRIOS DA ECONOMIA E DA SAÚDE Despacho conjunto n. o 865-A/2002. O Decreto-Lei n. o 270/2002, 2 Dezembro, criou o sistema preços referência

Leia mais

Fase de construção do Prolongamento da Linha Vermelha, entre Alameda e São Sebastião

Fase de construção do Prolongamento da Linha Vermelha, entre Alameda e São Sebastião Fase de construção do Prolongamento da Linha Vermelha, entre Alameda e São Sebastião Identificação dos factores ambientais verdadeiramente significativos Descrição do projecto Prolongamento da Linha Vermelha

Leia mais

Instituições Financeiras Internacionais Oportunidades no Setor da Água

Instituições Financeiras Internacionais Oportunidades no Setor da Água Instituições Financeiras Internacionais Oportunidades no Setor da Água QUEM SOMOS O grupo AdP tem por MISSÃO conceber, construir, explorar e gerir sistemas de Abastecimento de Água, de Saneamento de Águas

Leia mais

Sistemas automáticos de detecção de intrusão

Sistemas automáticos de detecção de intrusão EB 2,3 Ciclos de Gondomar AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GONDOMAR Sistemas automáticos de detecção de intrusão A instalação de sistemas automáticos de detecção de intrusão é, hoje em dia, um facto generalizado

Leia mais

Qualidade da água online

Qualidade da água online DBO DQO BTX TOC DOC UV254 NO3 NO2 NH4 Qualidade da água online K+ Cloro F- TSS Turvação Cor ph Redox CE Temperatura O2 O3 H2S COA Espectro Alarme de Contaminação www.s-can.at Inteligente. Ótico. Online.

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Objetivo: DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Representar o processo, possibilitando identificar todos os equipamentos (bombas, válvulas,...), instrumentos (medidores de vazão, nível, pressão, analisadores,...),

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO

RELATÓRIO DA COMISSÃO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 16.6.2014 COM(2014) 363 final RELATÓRIO DA COMISSÃO Relatório de síntese sobre a qualidade da água para consumo humano na UE, que analisa os relatórios dos Estados-Membros para

Leia mais

SISTEMAS DE SPRINKLERS DE COMBATE A INCÊNDIOS

SISTEMAS DE SPRINKLERS DE COMBATE A INCÊNDIOS SISTEMAS DE SPRINKLERS DE COMBATE A INCÊNDIOS CBSpk 2014 CUIDADOS, ENG. CLAUDIO RAMALHO Sócio Diretor Técnico 11 3868 1000 11 99601 2490 MOTIVAÇÃO PARA ESCOLHA DO TEMA - CONSCIÊNCIA PROFISSIONAL E INDIGNAÇÃO

Leia mais

PLANO DE CONTENÇÃO DE EMERGÊNCIA APLICÁVEL AOS TRANSFORMADORES ELEVADORES DA SE 440KV DA UHE JUPIÁ

PLANO DE CONTENÇÃO DE EMERGÊNCIA APLICÁVEL AOS TRANSFORMADORES ELEVADORES DA SE 440KV DA UHE JUPIÁ PLANO DE CONTENÇÃO DE EMERGÊNCIA APLICÁVEL AOS TRANSFORMADORES ELEVADORES DA SE 440KV DA UHE JUPIÁ Autores: Aguinaldo Lima de Moraes Jr. José Natalino Bezerra Luiz Tomohide Sinzato CESP - Companhia Energética

Leia mais

ISEP INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA

ISEP INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA ISEP INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA CLOSED CIRCUIT TELEVISION CCTV António Gomes aag@isep.ipp.pt 1 Enquadramento Cada vez é maior o recurso à vigilância através dos sistemas de CCTV, quer como elementos

Leia mais

Aula 2 - Concepção de Sistemas de Abastecimento

Aula 2 - Concepção de Sistemas de Abastecimento Aula 2 - Concepção de Sistemas de Abastecimento 2.1 - Definição e Objetivos Objetivo principal de um Sistema de Abastecimento de água: fornecer ao usuário uma água de boa qualidade para seu uso, em quantidade

Leia mais

Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde

Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde CONCURSO PETROBRAS ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA: SEGURANÇA PROFISSIONAL JÚNIOR - ENG. SEGURANÇA DO TRABALHO Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde Questões Resolvidas

Leia mais

ANEXO II. Análise Preliminar de Perigos APP

ANEXO II. Análise Preliminar de Perigos APP ANEXO II Análise Preliminar de Perigos APP Sistema: Torre Subsistema: Top Drive Data: 05/05/5 Perigo Causas Mo de Corrosão da torre Desgaste por exposição tempo de operabilidade (corrosão) -Desabamento

Leia mais