O Papel das Vigilâncias Sanitárias Municipais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Papel das Vigilâncias Sanitárias Municipais"

Transcrição

1 O Papel das Vigilâncias Sanitárias Municipais

2 O PAPEL DA VISA Os campos de atuação da VISA Federal, Estadual e Municipal. ANVISA Secretarias de Estado de Saúde Secretarias Municipais de Saúde

3 O PAPEL DAS VISAs O papel das VISAs Municipais é aquele previsto na Lei 8080/1990 Desenvolver um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde, abrangendo: I - o controle de bens de consumo que, direta ou indiretamente, se relacionem com a saúde, compreendidas todas as etapas e processos, da produção ao consumo; e II - o controle da prestação de serviços que se relacionam direta ou indiretamente com a saúde.

4 O PAPEL DAS VISAs Controle de todos os processos envolvidos com os produtos e serviços que se relacionam direta ou indiretamente com a saúde. 1 - ÁREA DE ALIMENTOS Açougues, feiras e mercados, vendedores ambulantes supermercados, mercearias, panificadoras, lanchonetes restaurantes, bares, pizzarias, escolas de ensino, hotéis, motéis, pousadas, clubes e associações recreativas.. 2- ÁREA DE PRODUTOS Drogarias e farmácias, dedetizadoras, estabelecimentos que comercializam cosméticos, perfumes e produtos de higiene pessoal, correlatos. 3- ÁREA DE SERVIÇOS DE SAÚDE Consultórios odontológicos, clínicas médicas sem internação, salões de beleza e barbearias, óticas, academias de ginásticas, lavanderias comerciais, clínicas veterinárias. 4- ÁREA DE ENGENHARIA SANITÁRIA Controle da qualidade da água e do ar nos diversos estabelecimento comerciais e recreativos.

5

6 O PAPEL DAS VISAs

7 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS Alimento É qualquer substância, destinada ao consumo humano, seja processada, semi-processada ou em seu estado natural, incluídas as bebidas, goma de mascar e qualquer outra substância utilizada em sua elaboração, preparo ou tratamento, excluídos os cosméticos, o tabaco e as substâncias utilizadas unicamente como medicamentos. O PAPEL: LEGALIZADOR EDUCATIVO FISCALIZADOR PUNITIVO

8 O PAPEL DAS VISAs

9

10 MINI-SENA EXERCÍCIO 03

11 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS LEGALIZADOR EDUCADOR FISCALIZADOR PUNITIVO

12 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS LEGALIZADOR DO ESTABELECIMENTO Alvará Sanitário Documento expedido pela Vigilância Sanitária a todos os estabelecimentos que estão dentro dos padrões sanitários, em condições de prestar serviços à população, sem colocar em risco á saúde do consumidor.

13 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS LEGALIZADOR DOS ALIMENTOS Resolução RDC 23, de 15 de março de 2000 complementada pela RDC 27 de 6/8/2010 Manual de Procedimentos para Registro e Dispensa de Registro de Produtos 1 - Registro dos alimentos. 2 Comunicação de Início de Fabricação.

14 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS ALIMENTOS DE REGISTRO OBRIGATÓRIO ANEXO II RDC 27/2010 ALIMENTOS E EMBALAGENS COM OBRIGATORIEDADE DE REGISTRO SANITÁRIO 1. ALIMENTOS COM ALEGAÇÕES DE PROPRIEDADE FUNCIONAL E OU DE SAÚDE 2. ALIMENTOS INFANTIS 3. ALIMENTOS PARA NUTRIÇÃO ENTERAL 4. EMBALAGENS NOVAS TECNOLOGIAS (RECICLADAS) 5. NOVOS ALIMENTOS E NOVOS INGREDIENTES 6. SUBSTÂNCIAS BIOATIVAS E PROBIÓTICOS ISOLADOS COM ALEGAÇÃO DE PROPRIEDADES FUNCIONAL E OU DE SAÚDE

15 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Desenvolver ações educativas junto aos profissionais de vigilância sanitária, consumidores, proprietários e responsáveis por estabelecimentos e serviços de alimentos.

16 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR LEI MUNICIPAL Nº 1662 DE 23/01/91. Dispõe sobre a obrigatoriedade de freqüência a curso de noções de higiene na Manipulação dos Alimentos... CASS - Centro Barra de Guaratiba

17 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Cursos de Higiene na manipulação de Alimentos Cerca de 300 cursos e palestras anualmente

18 Curso para Manipuladores de Alimentos O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR

19 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. RESPONSABILIDADE O responsável pelas atividades de manipulação dos alimentos deve ser comprovadamente submetido a curso de capacitação, abordando, no mínimo, os seguintes temas: a) Contaminantes alimentares; b) Doenças transmitidas por alimentos; c) Manipulação higiênica dos alimentos; d) Boas Práticas.

20 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Cursos de Higiene na manipulação de Alimentos... Públicos específicos Ambulantes do Carnaval carioca Merendeiras de escolas públicas

21 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Cursos de Higiene na manipulação de Alimentos... Públicos específicos Comércio Fixo de Alimentos Hotéis e motéis Supermercados Dra. Marissol Figueiredo Dra. Marissol Figueiredo

22 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Cursos de Higiene na manipulação de Alimentos... Públicos específicos Comércio Ambulante Ambulantes da Lapa Ambulantes do Rio de Janeiro

23 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Cursos de Higiene na manipulação de Alimentos... Públicos específicos Comércio Ambulante da orla carioca

24 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR EXPERIÊNCIA BEM SUCEDIDA FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO Rio de Janeiro (2001)

25 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO Rio de Janeiro (2001)

26 FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO Rio de Janeiro (2001)

27 FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO Rio de Janeiro (2003)

28 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR

29 FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO Rio de Janeiro (2003)

30 FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO Rio de Janeiro (2003)

31 FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO Rio de Janeiro (2003)

32 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Palestras para os próprios profissionais da VISA-Rio... Fernando Villas Boas Fº

33 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Palestras em eventos científicos... Dra Vânia Kastrup Semana do Aleitamento Materno: Hospital Geral de Bonsucesso VII Conferência Sulamericana de Medicina Veterinária 37º CONBRAVET

34 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR AÇÕES DE DIVULGAÇÃO DA VISA-RIO. Objetivo: dar conhecimento sobre o papel da vigilância sanitária Palestras sobre o Papel da Vigilância Sanitária para o público infantil... Projeto EDUCANVISA - Madureira Projeto Cidadania Campo Grande

35 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR AÇÕES DE DIVULGAÇÃO DA VISA-RIO. Palestras sobre Vigilância Sanitária para acadêmicos... UNIGRANRIO UFF UCB UFF

36 O CASO DO RIO DE JANEIRO... O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL EDUCADOR Materiais educativos: manuais, folders, cartazes...

37 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR - Verificar se os estabelecimentos que produzem, comercializam e prestam serviços na área de alimentos estão funcionando conforme as leis sanitárias específicas, e se os alimentos são seguros.

38 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Comércio ilegal de POA a granel

39 Abate clandestino de Bovinos

40 Abate clandestino de Bovinos

41 Abate clandestino de Aves

42 Abate clandestino de Suinos

43 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR

44 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Industrialização Impróprios para o consumo

45 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Alimentos impróprios para o consumo

46 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Alimentos mantidos fora de refrigeração adequada.

47 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Alimentos mantidos em expositores inadequados.

48 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR

49 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR

50 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Alimentos mantidos fora de refrigeração adequada.

51 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Alimentos mantidos fora de refrigeração adequada.

52 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR

53 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Portas para Intoxicação de natureza química

54 Exposição Inadequada de alimentos

55 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR

56 Guarda inadequada de Alimentos O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR

57 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR Local inadequado para Manipulação de Alimentos

58 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR FISCALIZAÇÃO EM GRANDES EVENTOS REVEILLON CARNAVAL

59 PAPEL FISCALIZADOR O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS FISCALIZAÇÃO EM GRANDES EVENTOS

60 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR FISCALIZAÇÃO EM GRANDES EVENTOS ROCK IN RIO

61 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR FISCALIZAÇÃO EM EVENTOS DE GASTRONOMIA

62 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR FISCALIZAÇÃO EM GRANDES CENTRAIS DE ABASTECIMENTO

63 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR PROGRAMAS ESPECIAIS NATAL

64 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR PROGRAMAS ESPECIAIS PÁSCOA

65 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR PROGRAMAS ESPECIAIS INSPEÇÃO EM COZINHAS DE HOSPITAIS

66 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR PROGRAMAS ESPECIAIS INSPEÇÃO E EDUCAÇÃO EM CRECHES E ESCOLAS

67 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR INSPEÇÃO E EDUCAÇÃO EM CRECHES E ESCOLAS

68 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL FISCALIZADOR PROGRAMAS ESPECIAIS COLHEITA DE AMOSTRAS DE ALIMENTOS Leite, Agua mineral, Méis, Bacalhau, Produtos cárneos, alimentos prontos para o consumo

69 PROGRAMAS DE DE CONTROLE DE DE QUALIDADE DE DE ALIMENTOS 2001 DOCES DE CONFEITARIA OBJETIVO: Análise físico-química para verificar presença de corantes em recheios e coberturas e microbiológico para verificar o estado higiênico sanitário dos produtos. Nº DE COLHEITAS: 38 LAUDOS: SATISFATÓRIOS: 35 INSATISFATÓRIOS: 03

70 PROGRAMAS DE CONTROLE DE QUALIDADE DE ALIMENTOS POLPA DE FRUTAS OBJETIVO: Analisar os aspectos físico-químicos e microbiológicos segundo a Resolução RDC12/2001 ANVISA e Instrução Normativa 01/00-MAA. Físico-químico = Densidade a 20º, acidez em ácido cítrico, sólidos solúveis em Brix, ph, acúcares totais naturais, pesquisa de corantes artificiais, cor, sabor e aroma. Nº DE COLHEITAS: 21 LAUDOS: SATISFATÓRIOS: 19 INSATISFATÓRIOS: 01 IMPEDIMENTO = 01

71 PROGRAMAS DE DE CONTROLE DE DE QUALIDADE DE DE ALIMENTOS 2001 DESINFETANTES DE USO GERAL OBJETIVO: Analisar produtos desinfetantes de uso geral no que diz respeito à atividade antimicrobiana, verificação de possíveis contaminações, verificação da composição química e aspectos de rotulagem, visando dar continuidade ao programa e ampliando o universo de produtos avaliados no Município do Rio de Janeiro. Nº DE COLHEITAS: 13 LAUDOS: SATISFATÓRIOS: 02 INSATISFATÓRIOS: 11

72 PROGRAMAS DE CONTROLE DE QUALIDADE DE ALIMENTOS SUSHI E SASHIMI OBJETIVOS: - Avaliar as condições sanitárias deste produto de acordo com a Resolução RDC Nº 12 de 02/01/01 ANVISA. - Verificar a ocorrência de Salmonella sp., Vibrio parahaemolyticus, Estafilococos coagulase positivo, Coliformes a 45ºC, Yersinia sp e Listeria monocytogenes. Nº DE COLHEITAS: 31 LAUDOS: SATISFATÓRIOS: 24 INSATISFATÓRIOS: 01 A RECEBER: 03 IMPEDIMENTOS = 03

73 PROGRAMAS DE CONTROLE DE QUALIDADE DE ALIMENTOS ÁGUA MINERAL OBJETIVOS: Avaliar condições higiênico-sanitárias da água mineral, gaseificada ou não. Verificar adequação da rotulagem dos produtos. Nº DE COLHEITAS: 31 LAUDOS: SATISFATÓRIOS: 28 INSATISFATÓRIOS: 03

74 O PAPEL DAS VISAs NA ÁREA DE ALIMENTOS PAPEL PUNITIVO Agir de modo coercitivo quando os estabelecimentos produtores de alimentos não obedecem à legislação sanitária, na garantia da saúde população. I - advertência; II - multa; III - apreensão de produto; IV - inutilização de produto; V - interdição de produto; VI - suspensão de vendas e/ou fabricação de produto; VII - cancelamento de registro de produto; VIII - interdição parcial ou total do estabelecimento; IX - cancelamento de autorização para funcionamento de empresa; X - cancelamento do alvará de licenciamento de estabelecimento. Lei 6437/1977

75

Vigilância Sanitária

Vigilância Sanitária Secretaria Municipal da Saúde Coordenadoria de Vigilância Ambiental Vigilância Sanitária Setor de Produtos e Estabelecimentos de Interesse da Saúde SPEIS Comércio atacadista e varejista de alimentos de

Leia mais

ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014

ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014 Reunião ILSI São Paulo, 5 de dezembro de 2013 ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014 William Cesar Latorre Gerente de Inspeção e Controle de Riscos em Alimentos Gerência Geral

Leia mais

ALVARÁ SANITÁRIO. 1 Fonte: adaptado da SUVISA/RN

ALVARÁ SANITÁRIO. 1 Fonte: adaptado da SUVISA/RN ALVARÁ SANITÁRIO 1) Definição Alvará Sanitário é o documento emitido pela Autoridade Sanitária após análises das condições higiênico-sanitárias de estabelecimentos, veículos e/ou equipamentos que desenvolvam

Leia mais

ANEXO IX TABELA DE RECEITA Nº IX VIGILÂNCIA SANITÁRIA. ATACADISTA DE ALIMENTOS / FABRICAS E INDUSTRIA DE ALIMENTOS Atividades.

ANEXO IX TABELA DE RECEITA Nº IX VIGILÂNCIA SANITÁRIA. ATACADISTA DE ALIMENTOS / FABRICAS E INDUSTRIA DE ALIMENTOS Atividades. ANEXO IX TABELA DE RECEITA Nº IX VIGILÂNCIA SANITÁRIA ATACADISTA DE ALIMENTOS / FABRICAS E INDUSTRIA DE ALIMENTOS Armazém Distribuidora de Água e Alimentos (Atacadista) Distribuidora e Deposito de Bebidas

Leia mais

Regulamentação das águas no Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)

Regulamentação das águas no Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) Regulamentação das águas no Brasil (ANVISA) Elisabete Gonçalves Dutra Gerencia Geral de Alimentos LEI Nº 9.782, DE 26 DE JANEIRO DE 1999 Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência Nacional

Leia mais

AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA EM ALIMENTOS COMERCIALIZADOS EM TERESINA - PI

AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA EM ALIMENTOS COMERCIALIZADOS EM TERESINA - PI AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA EM ALIMENTOS COMERCIALIZADOS EM TERESINA - PI Ferreira, L.C.R.P. (1) ; Lima, N.A. (1) ; Muratori, M.C.S. (1) ; Júnior, M.H.K. (1) ; Costa, M.S.J. (2) ; Nascimento, I.V.

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda Estado do Rio de Janeiro

Câmara Municipal de Volta Redonda Estado do Rio de Janeiro Lei Municipal Nº 3.704 1 CAPÍTULO V DO LICENCIAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS Artigo 68 - Nenhum estabelecimento sediado no município e que se enquadram no presente Código Sanitário poderá funcionar sem prévia

Leia mais

TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS

TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS Lei nº 5.655/91 TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS DISCRIMINAÇÃO DE INCIDÊNCIA Divisão de Controle da Qualidade dos Alimentos - D.C.Q.A. 1 Estabelecimentos que lidam com gêneros alimentícios

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS PARA EMISSÃO DE ALVARÁ SANITÁRIO

LISTA DE DOCUMENTOS PARA EMISSÃO DE ALVARÁ SANITÁRIO LISTA DE DOCUMENTOS PARA EMISSÃO DE ALVARÁ SANITÁRIO I - ABERTURA DE EMPRESA: EMPRESA DE PESSOA JURÍDICA 1- CÓPIA DE DOCUMENTOS DOS SÓCIOS (RG E CPF); 2- CÓPIA DO ENDERECO COMERCIAL; 3- VISTORIA DO CORPO

Leia mais

LEI N. 3.714 DE 30 DE DEZEMBRO DE 1997. O PREFEITO MUNICIPAL DE CAICÓ, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI N. 3.714 DE 30 DE DEZEMBRO DE 1997. O PREFEITO MUNICIPAL DE CAICÓ, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: PREFEITURA MUNICIPAL DE CAICO Rua Felipe Guerra, 379 CGC (MF) 08.385.940/0001-58 LEI N. 3.714 DE 30 DE DEZEMBRO DE 1997. Dispões sobre a expedição de alvará de funcionamento sanitário pela Secretaria Municipal

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda Estado do Rio de Janeiro

Câmara Municipal de Volta Redonda Estado do Rio de Janeiro Lei Municipal Nº 3.704 1 SEÇÃO IV DAS PENALIDADES I DO COMÉRCIO DE FEIRAS LIVRES, AMBULANTES, QUIOSQUES E EVENTUAIS Artigo 35 - As infrações a este Código estão sujeitas às seguintes penalidades: a- sanção:

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DE PROMOÇÃO A SAÚDE GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Orientações

SECRETARIA EXECUTIVA DE PROMOÇÃO A SAÚDE GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Orientações SECRETARIA EXECUTIVA DE PROMOÇÃO A SAÚDE GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Orientações 2014 Vigilância Sanitária Lei Federal 8.080 de 19 de setembro de 1990 1º Entende-se

Leia mais

INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS

INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS Para efeito de seleção das categorias que possuem divisão de 1 o, 2 o,3 o, vigoram os seguintes paramentos abaixo listados: 1 o categoria Contrato social acima de R$ 30.000,00

Leia mais

FLUXOGRAMAS DE PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DE ALVARÁS DE FUNCIONAMENTO

FLUXOGRAMAS DE PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DE ALVARÁS DE FUNCIONAMENTO FLUXOGRAMAS DE PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DE ALVARÁS DE FUNCIONAMENTO FOZ DO IGUAÇU PR 2008 INSTRUÇÕES PARA USO DESTE MATERIAL Este material foi elaborado para facilitar o acesso às exigências tributárias

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSARIOS PARA REQUERER ALVARÁ SANITÁRIO

DOCUMENTOS NECESSARIOS PARA REQUERER ALVARÁ SANITÁRIO DOCUMENTOS NECESSARIOS PARA REQUERER ALVARÁ SANITÁRIO PESSOA JURIDICA. Cópia CNPJ; Nº Inscrição estadual; Nº telefone; Comprovante de endereço; Cópia RG e CPF resp. Legal; Cópia RG e CPF resp. Técnico;

Leia mais

Alimentos Minimamente Processados : controle sanitário e legislação

Alimentos Minimamente Processados : controle sanitário e legislação Alimentos Minimamente Processados : controle sanitário e legislação REGINALICE MARIA DA GRAÇA A BUENO Gerência de Inspeção e Controle de Riscos de Alimentos - ANVISA Controle sanitário dos alimentos Ações

Leia mais

AÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SOBRE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS

AÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SOBRE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS AÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SOBRE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS WILLIAM CESAR LATORRE Diretor de Alimentos Centro de Vigilância Sanitária SES / SP Decreto Lei 986, de 21/10/1969 Institui normas

Leia mais

SIMPÓSIO EM COMEMORAÇÃO AO CENTENÁRIO DA INSPEÇÃO SANITÁRIA DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL NO BRASIL. 09 a 12 de setembro de 2015

SIMPÓSIO EM COMEMORAÇÃO AO CENTENÁRIO DA INSPEÇÃO SANITÁRIA DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL NO BRASIL. 09 a 12 de setembro de 2015 SIMPÓSIO EM COMEMORAÇÃO AO CENTENÁRIO DA INSPEÇÃO SANITÁRIA DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL NO BRASIL 09 a 12 de setembro de 2015 Local de Realização: Escola de Veterinária Universidade Federal de Minas Gerais

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 10.462

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 10.462 Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 10.462 Regulamenta critérios para operação e manutenção de reservatórios de água potável superiores e inferiores (cisternas), de estabelecimentos

Leia mais

COMIDA DE RUA: SEGURANÇA ALIMENTAR E CRITÉRIOS DE FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA

COMIDA DE RUA: SEGURANÇA ALIMENTAR E CRITÉRIOS DE FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA Salvador, 07 de agosto de 2014 COMIDA DE RUA: SEGURANÇA ALIMENTAR E CRITÉRIOS DE FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA Diretoria de Vigilância á Saúde Vigilância Sanitária SPEIS COMIDA DE RUA: linhas de ação Ambulantes;

Leia mais

2. Conforme exigido no Anexo II, item 1.4 do edital os produtos devem atender às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e emprego.

2. Conforme exigido no Anexo II, item 1.4 do edital os produtos devem atender às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e emprego. Ilmo. Sr. Dr. Pregoeiro SESI/BA Pregão Eletrônico 20/2012 Objeto: Razões de Recurso IMUNOSUL DISTRIBUIDORA DE VACINAS E PRODUTOS MÉDICOS HOSPITALARES LTDA, já qualificada, em face do Pregão Presencial

Leia mais

DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO ÚNICO

DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO ÚNICO LEI N 2.232, DE 11 DE MAIO DE 1998 Institui o Sistema Municipal de Vigilância Sanitária e contém outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE QUIRINÓPOLIS APROVOU E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO PARA O TRANSPORTE DE ALIMENTOS, MATÉRIA- PRIMA, INGREDIENTES E EMBALAGENS.

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO PARA O TRANSPORTE DE ALIMENTOS, MATÉRIA- PRIMA, INGREDIENTES E EMBALAGENS. RESOLUÇÃO.../SESA/PR O Secretário Estadual de Saúde, no uso de suas atribuições legais e: CONSIDERANDO a Portaria nº 326/1997/SVS/MS, a Resolução RDC nº275/2002, a Resolução RDC nº 216/2004, da ANVISA,

Leia mais

DATA: 04/05/2015 ARENA DO CONHECIMENTO TEMA: BOAS PRÁTICAS NA MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS PALESTRANTE: NÁDYA MOLINA

DATA: 04/05/2015 ARENA DO CONHECIMENTO TEMA: BOAS PRÁTICAS NA MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS PALESTRANTE: NÁDYA MOLINA DATA: 04/05/2015 ARENA DO CONHECIMENTO TEMA: BOAS PRÁTICAS NA MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS PALESTRANTE: NÁDYA MOLINA Boas Práticas Para um bom resultado na manipulação de alimentos deve-se trabalhar aplicando

Leia mais

Normas Gerais da Vigilância Sanitária

Normas Gerais da Vigilância Sanitária Normas Gerais da Vigilância Sanitária INTRODUÇÃO A vigilância sanitária é exercida para preservar a saúde da população. Além dos produtos alimentícios, outros produtos ou atividades estão sujeitos à inspeção

Leia mais

RESOLUÇÃO VISA/SMSA-SUS/BH Nº 002/00

RESOLUÇÃO VISA/SMSA-SUS/BH Nº 002/00 RESOLUÇÃO VISA/SMSA-SUS/BH Nº 002/00 Dispõe sobre Registro e Dispensa da Obrigatoriedade de Registro de Produtos pertinentes à Área de Alimentos no âmbito do Município. A Vigilância Sanitária Municipal,

Leia mais

Componente Curricular: Deontologia e Bioética Farmacêutica PLANO DE CURSO

Componente Curricular: Deontologia e Bioética Farmacêutica PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Deontologia e Bioética Farmacêutica Código: FAR - 106 Pré-requisito: - Período

Leia mais

Art. 1º Aprovar o REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LEITE EM PÓ MODIFICADO, em anexo.

Art. 1º Aprovar o REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LEITE EM PÓ MODIFICADO, em anexo. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 12 DE JUNHO DE 2007 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

RESPONSABILIDADE TÉCNICA T COMÉRCIO DE PRODUTOS VETERINÁRIOS

RESPONSABILIDADE TÉCNICA T COMÉRCIO DE PRODUTOS VETERINÁRIOS Serviço o Público P Federal Conselho Regional de Medicina Veterinária ria do RS Setor de Fiscalização RESPONSABILIDADE TÉCNICA T NO COMÉRCIO DE PRODUTOS VETERINÁRIOS RIOS Mateus da Costa Lange Médico Veterinário

Leia mais

PRINCIPAIS LEGISLAÇÕES SANITÁRIAS REFERENTES A ESTABELECIMENTOS DE SAÙDE PROJETOS UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR

PRINCIPAIS LEGISLAÇÕES SANITÁRIAS REFERENTES A ESTABELECIMENTOS DE SAÙDE PROJETOS UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 1 PRINCIPAIS LEGISLAÇÕES SANITÁRIAS REFERENTES A ESTABELECIMENTOS DE SAÙDE PROJETOS RDC/ANVISA nº 50 de 21 de fevereiro de 2002 RDC/ANVISA nº 307 de 14/11/2002 Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento,

Leia mais

RENOVAÇÃO GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

RENOVAÇÃO GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA ESTABELECIMENTOS DESTINADOS À PRODUÇÃO, FABRICO, PREPARO, BENEFICIAMENTO, MANIPULAÇÃO, ACONDICIONAMENTO, TRANSPORTE, DEPÓSITO, VENDA OU CONSUMO DE ALIMENTOS (BARES, LANCHONETES, RESTAURANTES, PADARIAS

Leia mais

Os documentos obrigatórios que devem estar presentes numa licitação para aquisição de correlatos

Os documentos obrigatórios que devem estar presentes numa licitação para aquisição de correlatos Os documentos obrigatórios que devem estar presentes numa licitação para aquisição de correlatos Aldem Johnston Barbosa Araújo Advogado da UEN de Direito Administrativo do Escritório Lima & Falcão e assessor

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do

Leia mais

ANEXO I IDENTIFICADOR DO PRODUTO. Fato Gerador (DV)

ANEXO I IDENTIFICADOR DO PRODUTO. Fato Gerador (DV) ANEXO I TABELA DE DESCONTOS DA TAXA DE FISCALIZAÇÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA IDENTIFICADOR DO PRODUTO TIPO DE EMPRESA ITENS DESCRIÇÃO DO FATO GERADOR Fato Gerador (DV) GRUPO I GRANDE GRUPO II GRANDE GRUPO

Leia mais

ANEXO I DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA

ANEXO I DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA ANEXO I DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO: responsável técnico; identificação) do identificação) do identificação) do identificação) do FARMÁCIAS E DROGARIAS identificação) do identificação)

Leia mais

Resolução RDC nº 273, de 22 de setembro de 2005

Resolução RDC nº 273, de 22 de setembro de 2005 Resolução RDC nº 273, de 22 de setembro de 2005 Aprova o "REGULAMENTO TÉCNICO PARA MISTURAS PARA O PREPARO DE ALIMENTOS E ALIMENTOS PRONTOS PARA O CONSUMO". D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo,

Leia mais

RESOLUÇÃO SESA Nº 465/2013 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9036, de 04/09/13)

RESOLUÇÃO SESA Nº 465/2013 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9036, de 04/09/13) RESOLUÇÃO SESA Nº 465/2013 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9036, de 04/09/13) O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE, usando da atribuição que lhe confere o Art. 45, Inciso XIV, da Lei Estadual nº 8.485

Leia mais

RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002

RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002 RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do Regulamento da ANVISA aprovado pelo

Leia mais

Art. 1º - O artigo 104 do Decreto Estadual nº 31.455, de 20 de fevereiro de 1987, passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 1º - O artigo 104 do Decreto Estadual nº 31.455, de 20 de fevereiro de 1987, passa a vigorar com a seguinte redação: DECRETO Nº 2, DE 8 DE JANEIRO DE 2015. Altera e acresce dispositivos ao Decreto nº 31.455, de 1987, que regulamenta os arts. 30 e 31 da Lei nº 6.320, de 20 de dezembro de 1983, que dispõem sobre alimentos

Leia mais

VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Prefeitura publica a nova tabela da VigilânciaSanitária

VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Prefeitura publica a nova tabela da VigilânciaSanitária Diário Oficial Ano: 3 Páginas: 12 VIGILÂNCIA SANITÁRIA Prefeitura publica a nova tabela da VigilânciaSanitária A Prefeitura de Canavieiras promoveu a atualização da tabela de preços e multas aplicadas

Leia mais

PROBLEMAS SANITÁRIOS NA PRÁTICA

PROBLEMAS SANITÁRIOS NA PRÁTICA PROBLEMAS SANITÁRIOS NA PRÁTICA Dr. Alessandro Vieira De Martino Farmacêutico Bioquímico CRF 33754 Formado no curso de Farmácia e Bioquímica pela Universidade Bandeirante de São Paulo UNIBAN Pós-Graduado

Leia mais

Programação para 2011

Programação para 2011 Visadoc Assessoria em Vigilância Sanitária e Regulatória Curso de Assuntos Regulatórios e Registro de Produtos - Aplicados à Vigilância Sanitária Por que participar? O Curso de Assuntos Regulatórios e

Leia mais

PARCERIAS MAPA MS ABIA INMETRO ABNT PIF ANDEF SUPORTE INSTITUCIONAL

PARCERIAS MAPA MS ABIA INMETRO ABNT PIF ANDEF SUPORTE INSTITUCIONAL PARCERIAS MAPA MS ABIA INMETRO ABNT PIF ANDEF SUPORTE INSTITUCIONAL ABRANGÊNCIA DO PAS INDÚSTRIA COMERCIALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO CONSUMIDOR FINAL INDÚSTRIA DISTRIBUIÇÃO MESA CADEIA PRODUTIVA AÇÕES ESPECIAIS

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS SANEANTES EM DOMICÍLIOS DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA (RS)¹.

UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS SANEANTES EM DOMICÍLIOS DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA (RS)¹. UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS SANEANTES EM DOMICÍLIOS DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA (RS)¹. DEON, Bárbara Cecconi ²; HECKTHEUER, Luiza Helena³; SACCOL, Silvana 4 ; MEDEIROS, Laissa Benites 5 ; ORSOLIN, Giulianna

Leia mais

Entendendo o que é o Dossiê de Produtos

Entendendo o que é o Dossiê de Produtos Entendendo o que é o Dossiê de Produtos Alberto Keidi Kurebayashi Protocolo Consultoria Personal e Health Care Todas as empresas e profissionais que atuam no setor cosmético, sejam indústrias fabricantes

Leia mais

Resolução nº 23, de 15 de março de 2000 (DOU 16/03/2000)

Resolução nº 23, de 15 de março de 2000 (DOU 16/03/2000) Resolução nº 23, de 15 de março de 2000 (DOU 16/03/2000) Dispõe sobre O Manual de Procedimentos Básicos para Registro e Dispensa da Obrigatoriedade de Registro de Produtos Pertinentes à Área de Alimentos

Leia mais

AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA EM TERESINA - PI

AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA EM TERESINA - PI AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA EM TERESINA - PI Ferreira, L.C.R.P. (1) ; Lima, N.A. (2) ; Muratori, M.C.S. (3) ; Júnior, M.H.K. (3) ; Aragão, L.V.O. (4) ligia_calina@hotmail.com (1) Programa

Leia mais

IV - medição e monitoramento da pressão arterial;

IV - medição e monitoramento da pressão arterial; AUTÓGRAFO DO PROJETO DE LEI Nº 086/2014 Dispõe sobre a prestação de serviços farmacêuticos pelas farmácias e drogarias e adota outras providências. A Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina,

Leia mais

Comida de Rua: segurança alimentar e critérios de fiscalização sanitária. Andréa Barbosa Boanova

Comida de Rua: segurança alimentar e critérios de fiscalização sanitária. Andréa Barbosa Boanova Comida de Rua: segurança alimentar e critérios de fiscalização sanitária Andréa Barbosa Boanova Segurança Alimentar A Segurança Alimentar e Nutricional Compreende a realização do direito de todos ao acesso

Leia mais

REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS

REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS I Reunião Anual da Vigilância Sanitária de Alimentos 15 a 17 de maio/2007 João Pessoa Amanda Poldi

Leia mais

Atualizada.: 19/04/2012 ANEXO 1 E

Atualizada.: 19/04/2012 ANEXO 1 E COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA E AMBIENTAL MEDIA COMPLEXIDADE ANEXO 1 E Ótica; Creches; Instituições de longa permanência para idosos; Instituições que prestem serviços de atenção a pessoas com

Leia mais

WebSite da Vigilância Sanitária

WebSite da Vigilância Sanitária Página 1 de 5 SERVIÇOS MAIS ACESSADOS: Selecione um Serviço Página Principal Quem somos Regularize sua Empresa Roteiros Denúncias e Reclamações Vigilância e Fiscalização Sanitária em Indústrias de Alimentos

Leia mais

DETERMINAÇÃO DOS PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICO DOS REFRIGERANTES

DETERMINAÇÃO DOS PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICO DOS REFRIGERANTES DETERMINAÇÃO DOS PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICO DOS REFRIGERANTES Tiago Cavalcante dos Santos Graduando em Química Industrial / DQ / CCT / UEPB Rene Pinto da Silva Graduado em Química Industrial / DQ / CCT

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA. Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013.

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA. Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013. SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013. BOAS PRÁTICAS PARA COMÉRCIO AMBULANTE DE ALIMENTOS A Secretaria do

Leia mais

Autores: Patrícia Turqueto Azzoni ¹, Virginia Swain Muller ², Fabiana Cristina Pereira Guimarães³.

Autores: Patrícia Turqueto Azzoni ¹, Virginia Swain Muller ², Fabiana Cristina Pereira Guimarães³. Título: Controle sanitário de estabelecimentos comerciais farmacêuticos com dispensação de produtos sujeitos ao controle da Portaria SVS/MS nº 344/98, e suas atualizações. Autores: Patrícia Turqueto Azzoni

Leia mais

Segurança Alimentar no Ambiente Escolar

Segurança Alimentar no Ambiente Escolar 4 Segurança Alimentar no Ambiente Escolar Cleliani de Cassia da Silva Especialista em Nutrição, Saúde e Qualidade de Vida UNICAMP segurança alimentar e nutricional é definida pelo Conselho Nacional de

Leia mais

Os Desafios da VISA. Prof. Ismar Araujo de Moraes Departamento de Fisiologia e Farmacologia da UFF Médico Veterinário S/SUBVISA-RIO

Os Desafios da VISA. Prof. Ismar Araujo de Moraes Departamento de Fisiologia e Farmacologia da UFF Médico Veterinário S/SUBVISA-RIO Os Desafios da VISA Prof. Ismar Araujo de Moraes Departamento de Fisiologia e Farmacologia da UFF Médico Veterinário S/SUBVISA-RIO Cabe a ANVISA o controle de portos aeroportos e fronteiras CRISE ECONÔMICA

Leia mais

Aspectos da conservação de alimentos segundo a Regulação Sanitária

Aspectos da conservação de alimentos segundo a Regulação Sanitária SENADO FEDERAL/AUDIÊNCIA PÚBLICA IMPACTO DA CONSERVAÇÃO DO ALIMENTO NA SAÚDE PÚBLICA Brasília, 29 de março de 2012 Aspectos da conservação de alimentos segundo a Regulação Sanitária Denise de Oliveira

Leia mais

Vigilância Sanitária de Serviços de Alimentação em Shoppings de Brasília-DF

Vigilância Sanitária de Serviços de Alimentação em Shoppings de Brasília-DF Vigilância Sanitária de Serviços de Alimentação em Shoppings de Brasília-DF Monitoramento da Qualidade de Alimentos no DF produtos analisados e motivos da condenação no Distrito Federal, 2014 85% 15% Sem

Leia mais

R E S O L V E: II - O Item 1.5 é revogado, uma vez que não haverá PROVA PRÁTICA, pois não há Lei Municipal que discipline a mesma.

R E S O L V E: II - O Item 1.5 é revogado, uma vez que não haverá PROVA PRÁTICA, pois não há Lei Municipal que discipline a mesma. CONCURSO PÚBLICO N 001/20 EDITAL COMPLEMENTAR Nº 02/20 DISPÕE SOBRE A RETIFICAÇÃO DO EDITAL DO CONCURSO PÚBLICO N 001/20, DE 11 DE MARÇO DE 20, ATRAVÉS DO EDITAL COMPLEMENTAR N 02/20, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 264, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 264, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. título: Resolução RDC nº 264, de 22 de setembro de 2005 ementa não oficial: Aprova o "REGULAMENTO TÉCNICO PARA CHOCOLATE E PRODUTOS DE CACAU". publicação: D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo,

Leia mais

CARTILHA SOBRE ESTABELECIMENTOS QUE PROCESSAM ALIMENTOS SOBRE INSPEÇÃO SANITÁRIA DE. www.seminariossuasa.com.br

CARTILHA SOBRE ESTABELECIMENTOS QUE PROCESSAM ALIMENTOS SOBRE INSPEÇÃO SANITÁRIA DE. www.seminariossuasa.com.br CARTILHA SOBRE INSPEÇÃO SANITÁRIA DE ESTABELECIMENTOS QUE PROCESSAM ALIMENTOS CARTILHA www.seminariossuasa.com.br SOBRE INSPEÇÃO SANITÁRIA DE 1 CARTILHA SOBRE INSPEÇÃO SANITÁRIA DE ESTABELECIMENTOS QUE

Leia mais

Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários.

Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários. Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários. Nº PROCESSO REQUERIMENTO RAZÃO SOCIAL IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO NOME DE FANTASIA NÚMERO DO CNPJ NÚMERO ÚLTIMO

Leia mais

DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE

DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE Lei 8080/90 Art. 6º, 1º: Entende-se por vigilância sanitária um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET BRASIL ABRIL de 2015 Matriz Cultural do Mercado O Brasil é grande consumidor de produtos gourmet, porém existe logicamente um processo seletivo destes

Leia mais

Aspectos regulatórios referentes à conservação de alimentos pelo frio

Aspectos regulatórios referentes à conservação de alimentos pelo frio 2ª REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA SETORIAL DE ALIMENTOS DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (Anvisa) Brasília, 11 de dezembro de 2012 Aspectos regulatórios referentes à conservação de alimentos

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Fiscalização de Alimentos Importados nos Portos, Aeroportos e Postos de Fronteira no Brasil

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Fiscalização de Alimentos Importados nos Portos, Aeroportos e Postos de Fronteira no Brasil Fiscalização de Alimentos Importados nos Portos, Aeroportos e Postos de Fronteira no Brasil Brasília, 21 de outubro de 2014 Postos da ANVISA 77 Postos da Anvisa em todo o território que Realizam atividades

Leia mais

adota a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação: Resolução - RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002(*) Republicada no D.O.U de 06/11/2002 Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores

Leia mais

Programação e Controle de Qualidade

Programação e Controle de Qualidade MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FNDE DIRETORIA DE AÇÕES EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE SBS Q.2 Bloco F Edifício Áurea

Leia mais

NOVA PORTARIA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PORTARIA Nº 2619/2011-SMS.G QUE REVOGA A PORTARIA Nº 1210

NOVA PORTARIA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PORTARIA Nº 2619/2011-SMS.G QUE REVOGA A PORTARIA Nº 1210 NOVA PORTARIA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PORTARIA Nº 2619/2011-SMS.G QUE REVOGA A PORTARIA Nº 1210 Panificador leia com atenção. Essa cartilha possui informações essenciais sobre a portaria, nª 2619/2011 SMS.G

Leia mais

EDITAL Nº 013, DE 06 DE DEZEMBRO DE 2011.

EDITAL Nº 013, DE 06 DE DEZEMBRO DE 2011. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS JI-PARANÁ Rua Rio Amazonas, 151 Bairro Jardim dos Migrantes 76900-730 Ji-Paraná RO EDITAL Nº 013, DE 06 DE DEZEMBRO DE 2011. EDITAL PARA SELEÇÃO

Leia mais

VIGILÂNCIA SANITÁRIA:

VIGILÂNCIA SANITÁRIA: VIGILÂNCIA SANITÁRIA: O papel da AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA) e a atuação em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados (GGPAF) FELIPE BENTO JUNG Especialista em Regulação

Leia mais

COMO REGULARIZAR PERFUMES, COSMÉTICOS E PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL NO BRASIL

COMO REGULARIZAR PERFUMES, COSMÉTICOS E PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL NO BRASIL 1 Associação dos Distribuidores e Importadores de Perfumes, Cosméticos e Similares Rua Tabapuã, 649 Cj 74 São Paulo SP - CEP 04533-012 - Brasil Tel/Fax: (0XX)11-3168-4518 adipec@adipec.com.br http://www.adipec.com.br

Leia mais

Plano Escrito de Procedimentos. Monitorização Ações corretivas Verificação Registros

Plano Escrito de Procedimentos. Monitorização Ações corretivas Verificação Registros Profª Celeste Viana Plano Escrito de Procedimentos (requisitos das BPF) Monitorização Ações corretivas Verificação Registros PPHO 1 Potabilidade da água PPHO 2 PPHO 3 PPHO 4 PPHO 5 PPHO 6 Higiene das superfícies

Leia mais

ANEXO IX PARTE A 1 ALVARÁ SANITÁRIO ANUAL (POR ATIVIDADE DESENVOLVIDA) R$

ANEXO IX PARTE A 1 ALVARÁ SANITÁRIO ANUAL (POR ATIVIDADE DESENVOLVIDA) R$ TABELA DE RECEITA Nº VIII TAXA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA ALTERADA PELAS LEIS Nº 7.727/2009 e Nº 7.995/2011 ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2012, CONFORME O DEC. Nº 22.528/11 11 INDÚSTRIA DE ALIMENTOS ANEXO

Leia mais

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária Secretária Nutricionista Gerente Nutricionista Planejamento

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública nº 95, de 21 de dezembro de 2009. D.O.U de 22/12/09 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

Atualizada.: 20/08/2013 BAIXA COMPLEXIDADE

Atualizada.: 20/08/2013 BAIXA COMPLEXIDADE BAIXA COMPLEXIDADE Atualizada.: 20/08/2013 OUTROS ANEXO 1 B Depósito de produtos não relacionados à saúde; Estação rodoviária; veículo de transporte coletivo interestadual com banheiro (ônibus); Academias

Leia mais

TERMO DE AJUSTE DE CONDUTAS n. 0026/2014/01PJ/SBS

TERMO DE AJUSTE DE CONDUTAS n. 0026/2014/01PJ/SBS Inquérito Civil n.º 06.2014.00002449-0 1.ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE SÃO BENTO DO SUL TERMO DE AJUSTE DE CONDUTAS n. 0026/2014/01PJ/SBS Pelo presente instrumento, o Órgão do MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO

Leia mais

CONGRESSO ENQUALAB-RESAG/2014

CONGRESSO ENQUALAB-RESAG/2014 Ministério da Saúde CONGRESSO ENQUALAB-RESAG/2014 A QUALIDADE DA ÁGUA NO ÂMBITO DA SAÚDE São Paulo,SP 31 de outubro de 2014 Por Mariângela Torchia do Nascimento Gerência de Laboratórios de Saúde Pública/GELAS/ANVISA

Leia mais

Implicações Legais Relacionadas ao Processamento de Artigos que RE 2605/2606

Implicações Legais Relacionadas ao Processamento de Artigos que RE 2605/2606 Implicações Legais Relacionadas ao Processamento de Artigos que Constam da Lista de Proibições RE 2605/2606 Luciana Pereira de Andrade Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária Gerência Geral de

Leia mais

Rotulagem de Alergênicos em Alimentos e Bebidas

Rotulagem de Alergênicos em Alimentos e Bebidas Rotulagem de Alergênicos em Alimentos e Bebidas Resolução ANVISA/RDC Nº 26 DE 02/07/2015 Tendências e Estrutura do Setor de Sorvete SINDSORVETE /MG Magda Regina Gonçalves de Paula Ferreira 04 de dezembro

Leia mais

Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás Gerencia de Vigilância Sanitária em Produtos Coordenação Fiscalização de Alimentos

Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás Gerencia de Vigilância Sanitária em Produtos Coordenação Fiscalização de Alimentos Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás Gerencia de Vigilância Sanitária em Produtos Coordenação Fiscalização de Alimentos Legislação Sanitária em Alimentos Boas Praticas de Fabricação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Curso de Capacitação em Boas Práticas para Serviços de Alimentação. 1.2 Câmpus

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DA PRODUÇÃO NO SISTEMA DE INFORMAÇÃO AMBULATORIAL (SIA/SUS)

ALIMENTAÇÃO DA PRODUÇÃO NO SISTEMA DE INFORMAÇÃO AMBULATORIAL (SIA/SUS) manual para as vigilâncias sanitárias ALIMENTAÇÃO DA PRODUÇÃO NO SISTEMA DE INFORMAÇÃO AMBULATORIAL (SIA/SUS) Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa - 1 - Conteúdo APRESENTAÇÃO...5 PROCEDIMENTOS

Leia mais

SEGURANÇA DOS ALIMENTOS E LEGISLAÇÃO. Nutricionista M. Sc. Sabrina Bartz CRN-2 3054

SEGURANÇA DOS ALIMENTOS E LEGISLAÇÃO. Nutricionista M. Sc. Sabrina Bartz CRN-2 3054 SEGURANÇA DOS ALIMENTOS E LEGISLAÇÃO Nutricionista M. Sc. Sabrina Bartz CRN-2 3054 Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) no RS o Mais de 3200 surtos notificados de 1987 a 2006 (DVS/RS). o Principais

Leia mais

Anvisa - Alimentos - Informes Técnicos

Anvisa - Alimentos - Informes Técnicos Página 1 de 7 English Español Institucional Anvisa Publica Serviços Áreas de Atuação Legislação Buscar Informes Técnicos Informe Técnico nº. 36, de 27 de junho de 2008 Orientações sobre a declaração da

Leia mais

COMBATE À FALSIFICAÇÃO E FRAUDE DE MEDICAMENTOS E PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO BRASIL

COMBATE À FALSIFICAÇÃO E FRAUDE DE MEDICAMENTOS E PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO BRASIL COMBATE À FALSIFICAÇÃO E FRAUDE DE MEDICAMENTOS E PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO BRASIL Antônio Carlos da Costa Bezerra ANVISA - BRASIL VII EAMI - Cancun / México M - 15 a 17 de Outubro de 2008 Lei nº. 9.782,

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO PARA REGISTRO E FISCALIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTOS QUE MANIPULAM PRODUTOS DE USO VETERINÁRIO

REGULAMENTO TÉCNICO PARA REGISTRO E FISCALIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTOS QUE MANIPULAM PRODUTOS DE USO VETERINÁRIO REGULAMENTO TÉCNICO PARA REGISTRO E FISCALIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTOS QUE MANIPULAM PRODUTOS DE USO VETERINÁRIO 1. Objetivo Este Regulamento Técnico fixa os requisitos mínimos exigidos para o registro e

Leia mais

Formalização do Funcionamento de. Nutrição. Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos

Formalização do Funcionamento de. Nutrição. Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos Formalização do Funcionamento de Unidades de Alimentação e Nutrição Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos A sobrevivência de agrupamentos humanos está diretamente relacionada à existência de objetivos

Leia mais

UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CTC - CENTRO TECNOLÓGICO EQA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS

UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CTC - CENTRO TECNOLÓGICO EQA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CTC - CENTRO TECNOLÓGICO EQA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS RODRIGO MIZUKAWA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO OTIMIZE

Leia mais

Resolução RDC nº 52/2009 - SERVIÇO CONTROLE DE PRAGAS (DEDETIZAÇÃO) - FUNCIONAMENTO - NOVAS REGRAS - ADEQUAÇÃO EM 180 DIAS

Resolução RDC nº 52/2009 - SERVIÇO CONTROLE DE PRAGAS (DEDETIZAÇÃO) - FUNCIONAMENTO - NOVAS REGRAS - ADEQUAÇÃO EM 180 DIAS Resolução RDC nº 52/2009 - SERVIÇO CONTROLE DE PRAGAS (DEDETIZAÇÃO) - FUNCIONAMENTO - NOVAS REGRAS - ADEQUAÇÃO EM 180 DIAS Resolução - RDC nº 52, de 22 de outubro de 2009 Dispõe sobre o funcionamento de

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Deontologia e Bioética Farmacêutica - Farmáci Código: FAR - 116 Pré-requisito: Nenhum Período

Leia mais

Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde

Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde 4º Simpósio de Segurança Alimentar Gramado/RS, 29 e 30/05/2012 Antonia Maria de Aquino GPESP/GGALI/ANVISA Missão da Anvisa Promover

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO EM ESTABELECIMENTOS QUE COMERCIALIZAM CARNES

PROJETO DE INTERVENÇÃO EM ESTABELECIMENTOS QUE COMERCIALIZAM CARNES .Sistema Único de Saúde Ministério da Saúde Governo do Estado de Goiás Secretaria de Estado da Saúde Superintendência de Vigilância Sanitária e Ambiental Coordenadoria de Saúde do Trabalhador PROJETO DE

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 40, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1.999

LEI COMPLEMENTAR N 40, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1.999 Prefeitura Municip~1 de Jabotic~~ GOVERNO DEMOCRATICO E POPULAR T\ M '007 LEI COMPLEMENTAR N 40, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1.999 (Altera a Tabela I prevista no artigo 1 da Lei Complementar n" 36, de 31 de dezembro

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 Procedimento Administrativo Tutela Coletiva nº 1.34.030.000124/2009-41 RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República signatário, no uso de suas atribuições constitucionais

Leia mais

Tecnologia em Radiologia: Sistemas de Dosimetria

Tecnologia em Radiologia: Sistemas de Dosimetria Tecnologia em Radiologia: Sistemas de Dosimetria João Henrique Campos de Souza, PhD. Especialista em regulação e vigilância sanitária GRECS/GGTES/Anvisa Rio de Janeiro, 16 de abril de 2013. Constituição

Leia mais

1.5. Dados pessoais que devem constar na receita médica. 1.6. Validade das receitas de medicamentos antimicrobianos

1.5. Dados pessoais que devem constar na receita médica. 1.6. Validade das receitas de medicamentos antimicrobianos Atualizado: 10 / 05 / 2013 FAQ AI 1. Controle de medicamentos antimicrobianos (antibióticos) 1.1. Informações gerais 1.2. Uso contínuo (tratamento prolongado) 1.3. Retenção da segunda via da receita médica

Leia mais