MBA Executivo Gestã o de Projetos. Gestão de Marketing

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MBA Executivo Gestã o de Projetos. Gestão de Marketing"

Transcrição

1 MBA Executiv Gestã de Prjets Gestã de Marketing Prfessr August Massini Turma 17 Case: Integrantes: Aderval Jr Alessandra Rsa Alessandra d Valle Cláudi Lima Hug Lenard Alves Juliana Ferreira Paula Mell Rne Felipe

2 Nascida em Atlanta, Gergia, ns Estads Unids, em 1886, pelas mãs d farmacêutic Jhn Pembertn, a Cca-Cla chegu infrmalmente a Brasil em 1942, pr Pernambuc. A prduçã cmeçu n Recife, na Fábrica de Água Mineral Santa Clara, mas lg se espalhu pela capital pernambucana cm pequenas fábricas, nada mais d que kits cntend s equipaments básics. Simultaneamente, a Cca-Cla estendeu-se pr tda a cidade de Natal, n Ri Grande d Nrte. O bjetiv era matar a sede ds pracinhas americans e brasileirs que circulavam pel chamad "Crredr da Vitória", parada brigatória ds navis para a África d Nrte e Eurpa na Segunda Guerra Mundial. Cumprind a prmessa de que cada sldad american fra ds EUA encntraria uma Cca- Cla gelada a equivalente a 5 cents e a distância de um braç A primeira fábrica "de verdade" d país fi instalada na entã capital brasileira, Ri de Janeir (até 1960), n bairr de Sã Cristóvã, pól industrial da cidade. Fi ainda na década de 1940 que a Cca-Cla implantu sistema de franquias n Brasil. A primeira autrizaçã para a fabricaçã d prdut fi cncedida à Industrial de Refrescs, d Ri Grande d Sul, seguida pela Spal Indústria Brasileira de Bebidas S/A, em Sã Paul. A Cca-Cla Cmpany está presente em mais de 200 países e respnde pr mais de 500 marcas de bebidas nã alcólicas, entre estas, quatr das cinc marcas mais cnsumidas n planeta: Cca-Cla, Cca-Cla Zer, Fanta e Sprite. Missã Refrescar Mund; Inspirar mments de timism através de nssas marcas e ações; Criar valr e fazer a diferença nde quer que atuems. Visã Lucr: Maximizar retrn para nsss investidres; Pessas: Ser melhr lugar para se trabalhar ande as pessas pssam dar melhr que pssam; Prtfóli: Ter um prtfóli que antecipe necessidades e refresque; Parceirs: Cnstruir uma rede de parceirs cm lealdade mútua; Planeta: Ser respnsável fazend a diferença n mund. Valres Paixã Liderança Ética Invaçã Brilh ns lhs; Sede pr mais; Persistência. Cragem para mdelar um futur melhr; Encarar de frente s desafis; Liderar cresciment cntínu d negóci. Respeit mútu Fazer " crret" e que se diz Ser autêntic e dizer que pensa Quebrar paradigmas e estimular a criatividade; Buscar inesperad e surpreender sempre; Aprveitar as prtunidades.

3 Respnsabilidade Qualidade Cmunicaçã Clabraçã Se tem que ser, depende de mim; Cumprir cmprmisss; Agir cm dn d negóci. Exigir sempre mais; O que fazems, fazems bem feit; Deixar tud melhr d que cm encntrams. Adequada; Transparente; Cntínua e integrada. Valrizar s diferentes pnts de vista; Explrar trabalh cletiv; Estar dispnível e cmpartilhar cnheciment. A plítica de Qualidade da Cca-Cla Brasil visa: Nrmatizar s prcesss das empresas que cnstituem Sistema Cca-Cla Brasil de acrd cm Sistema de Qualidade da Cca-Cla - SQCC, que incrpra s requisits ds mais avançads e recnhecids padrões internacinais. Alinhar a gestã das empresas que cnstituem Sistema Cca-Cla Brasil a mdel de gestã d Prêmi Nacinal da Qualidade, incrprand fundaments essenciais para a excelência d desempenh. A razã d sucess d refrigerante mais cnsumid n Brasil e n mund está em sua aceitaçã pr tds s tips de públic, sem distinçã de classe scial u idade. Em tds s mercads em que está presente, a Cca-Cla se psicina cm refrigerante que "traz que há de melhr n espírit human para trnar meu mund um puc melhr". Qualidade, refrescância e prdut dispnível em qualquer lugar sã s benefícis esperads pels clientes. A cmunicaçã da Cca-Cla é única, ela transmite cm clareza e a mesm temp cm simplicidade tud que cnsumidr precisa saber, e cm uma facilidade extrardinária cnsegue atingir tds s públics, tdas as classes sciais, ela cria uma linha de cmunicaçã cm diferentes tips de cnsumidr. Sabe-se que nenhuma empresa cnsegue alcançar sucess pr acas, pr trás de tda essa cnquista glrisa existe muit trabalh, muit esfrç, e é nesse pnt que entra a questã relevante deste trabalh, que é mstrar cm a liderança e marketing cntribuíram e cntinuam cntribuind para grande sucess da Cca-Cla. A Cca-Cla está sempre invand para agradar seus cnsumidres, anualmente a empresa realiza pesquisas que medem amr ds cnsumidres pela marca em td mund. O Brasil é lugar nde é registrad mair sentiment pela Cca-Cla. Para manter td esse sucess cm s cnsumidres, realizar prmções se trnu essencial, é através dessas prmções que vai se criand um mair relacinament mais próxim das pessas, é quase impssível nã se lembrar de uma prmçã feita pela marca da Cca-Cla. A marca Cca-Cla é cnhecida pr 99,9% da ppulaçã mundial, dificilmente alguém nunca cmpru uma, além diss, ela pde ser encntrada desde ambiente mais requintad até mais simples estabeleciment cmercial.

4 Cm sua ampla gama de bebidas, é segmentada em diverss grups de prduts individualmente. Direcinand para a linha vermelha, a Cca-Cla cm benefíci básic um refrigerante a base de cla cm sabr exclusiv e diferenciad, benefíci central e esperad d prdut é saciar a sede e refrescância, cliente espera a sensaçã de bem estar, clima festiv, embalagens exclusivas e atraentes, brindes, prmções cm valr ampliad. Para abrdarms a estratégia de preçs, a Cca-Cla, hje, cmpete pels cnsumidres, agregand valr a marca, que atualmente é um ds fatres mais decisivs n prcess de tmada de decisã d cnsumidr. Manter a marca frte é, hje em dia, sinônim de bas percepções d prdut, e acima de tud, grandes lembranças na mente d cnsumidr na hra da cmpra. Segund, Ktler (2001), a marca pde ferecer até seis níveis de significad a cnsumidr: atributs, benefícis, valres, cultura, persnalidade e tip de usuári. A Cca-Cla dispõe a seus usuáris tds eles, cm seus slgans e prpagandas. Cm iss, a estratégia de preç é diversificada e segmentada gegraficamente, de acrd cm as cndições culturais e sciais. Apenas a Cca-Cla Clássica, pssui pel mens 13 diferentes tips de embalagem. As principais questões relacinadas à distribuiçã estã diretamente ligadas à grandisidade d prdut. Segund Ktler e Keller as empresas usam canais de distribuiçã para apresentar, vender e entregar prduts e/u serviçs as seus clientes e para iss fazem us de atacadistas, varejistas e utrs agentes. A Cca-Cla é quart vlume n sistema mundial da The Cca-Cla Cmpany, cm prduçã de mais de 10 bilhões de litrs e mais de 1 milhã de pnts de vendas. Para que td vlume chegue a cnsumidr a Cca- Cla cnta cm aprximadamente 300 distribuidres e uma frta de mais de nve mil veículs, a mair frta privada d Brasil. Td esse sistema pssibilita a Cca-Cla estar a alcance d seu cnsumidr em quase tds s lugares d país. Os canais de distribuiçã dividen-se em Tradicinal (Bares, Btecs e Padarias), On Premise (Ljas de Cnveniência, Cinemas), HORECA (Htéis, Restaurantes e Casas Nturnas), Key Accunts (Cadeias de Fast Fd e Supermercads), Cash & Carry (Atacadã, Makr, etc.) e Mdern Trade (Mercadinhs cm até 6 check ut) e Nvs Canais ( Bancas de Jrnais, Cabeleireirs, Hspitais, etc.) Para atingir seu mercad alv a Cca-Cla utiliza uma frte campanha de divulgaçã da marca em váris canais cm revistas, rádi, televisã, utdrs, banners, arquivs de áudi digitais e a internet através das redes sciais cm Facebk, além dessas mídias a empresa usa apel visual da sua marca ns pnts de vendas cm freezers persnalizads e exclusivs. Aliada à sua Missã de Inspirar mments de Otimism e Criar Valr e Fazer a diferença, utra estratégia utilizada e aliar a marca a Grandes events de massa, cm Rck in Ri e a Cpa d Mund FIFA. A Cca-Cla também adta prjets sciais cm frma de alinhar sua marca cm a respnsabilidade scial, cm diverss prjets que cnscientizam sbre a preservaçã d mei ambiente, cnsum cnsciente e prgramas vltads para educaçã e a capacitaçã de cmunidades carentes, faz cm que a Cca-Cla se trne um prdut vist e desejad pr tdas as classes sciais. A Cca Cla atua frtemente ns pnts de venda de md a criar uma interface psitiva cm cliente. Em canais cm Supermercads, Mercads e Minimercads s prduts devem ser bem psicinads nas gôndlas, cm as embalagens íntegras, limpas, sem rasgs u amassads.

5 Quand prdut é para cnsum imediat, u seja, s dispnibilizads ns freezers, mesm deve estar numa temperatura ideal para cnsum, ist é, bem gelad. Esta é uma prva física muit relevante que prmve uma experiência de prazer cm cnsum e está assciada à missã da empresa de Refrescar Mund. Ns pnts de venda, s materiais utilizads para a expsiçã ds prduts criam um ambiente de identificaçã e uma aparência fidedigna à marca. Diversas ações de endmarketing sã realizadas cm intuit de prmver engajament ds funcináris a negóci e à marca, criand um relacinament de prximidade e de fidelidade. Inicialmente, quand um funcinári é cntratad, a empresa lhe ferece um kit de bas vindas cm seus prduts. Desta frma, já refrça víncul d funcinári cm a empresa e suas marcas. Além diss, s funcináris pdem cnsumir livremente n ambiente de trabalh qualquer prdut nã alcólic gratuitamente. N escritóri, a decraçã é feita utilizand a marca e s materiais usads ns pnts de venda, criand uma prximidade d funcinári cm as ações realizadas ns diverss canais. Existe a lja de vestuáris Cca Cla Clthing, cm rupas e acessóris que levam nme da marca e que sã vendids cm descnt para s funcináris. Tda campanha prmcinal realizada para cnsumidr também é realizada internamente cm s funcináris. Recentemente, na Cpa das Cnfederações 2013, a empresa deu brindes cm bla de futebl, mascte d event e até ingresss para s jgs para tds seus funcináris e prestadres de serviçs. O bjetiv mair da estratégia de negóci da Cca Cla é aumentar vlume, expandir mundialmente seu mercad cm bebidas nã alcólicas, maximizand caixa de lng praz, fazend- perene, criand valr e melhrand sempre lucr. O sistema Cca- Cla tem 16 milhões de clientes a redr d mund que vendem u servem seus prduts. A Cca-Cla se esfrça para entender negóci e as necessidades de cada cliente, quer cliente seja uma lja sfisticada em um desenvlvid mercad, u seja, um dn de um quisque em um mercad emergente. Sua prpaganda atende a tdas as nuances deste mercad. A marca atende as 5 dimensões da qualidade quand tem frte apel visual em seus cmerciais remetend a frescr quand d cnsum, a aparência sempre jvial ds participantes ds cmerciais em tdas as mídias. Qualquer pessa recnhece uma máquina autmática através d visual marcante (Dimensã ds Tangíveis). A Cca-Cla desenvlve uma gama de ações visand cnexã de suas atividades cm retrn psitiv a mei ambiente, usand cm el, pessas cmuns. Exempls diss sã s prgramas de reciclagem que envlve pessas de cmunidades carentes, prgrama de lgística cm parceirs engarrafadres. A campanha Cada garrafa tem uma história, que pde ser entendida n site mstra pessas cmuns saind de uma cndiçã primária u cm uma ideia básica, u cm prjets engavetads, para uma cndiçã nde tud ist se transfrma em ações cncretas seja executand prjets, u adquirind cnheciment para atuar n mercad. Tud ist cm ajuda de prjets iniciads

6 pr áreas internas da Cca-Cla (Dimensã da Empatia, Dimensã da Rapidez nas Respstas). Td prcess de divulgaçã d prdut e suas campanhas cnta cm um prcess ns bastidres cnhecidamente padrnizad, que garante alt nível de qualidade d prdut, cnhecid e adrad mundialmente. A Cca-Cla é a líder mundial em entrega de refrigerantes e prdut Cca-Cla é mais acessível em qualquer parte d mund. Sua rede de distribuiçã é regular e perene garantind s níveis de entrega de um prdut que nã quer ser pçã, mas sim a principal (Dimensã da Garantia da qualidade ds serviçs, Dimensã da Cnfiabilidade). Observand s principais mments da verdade, s pssíveis gaps de serviçs e s meis que estã send empregads para minimizá-ls, tems: Cm mments da verdade sã cada um ds mments de cntat e relacinament entre a empresa e seus clientes. Sã s aspects que afetam nível de satisfaçã, também cnhecids cm mments mágics u trágics, sã aqueles experimentads pels clientes em cada cntat cm a empresa a lng d chamad cicl de atendiment. Neste cicl, cliente cmpara atendiment recebid cm as suas expectativas. Ele julga a qualidade ds serviçs prestads cnfrme s seus própris critéris de avaliaçã, cnsante cm as infrmações recebidas e experiências vivenciadas anterirmente. Vai além da crdialidade e inclui cisas cm a dispnibilidade das mercadrias em estque, bem cm sua expsiçã em um ambiente limp e agradável. O pnt de venda é nde acntece a mairia das decisões, nde cnsumidr quer satisfazer uma necessidade, às vezes imediata. Pr iss, a Cca-Cla vem investind em persnalizaçã, através de mapeament de características ds diferentes pnts de vendas. A td, existem mapeads aprximadamente 80 tips de pnts de venda e para cada um deles uma lista pré-determinada de quais equipaments e cmunicaçã estarã em determinad lugar, além d tip de prmçã e d prdut. Imprtante mencinar também que existe a precupaçã de criar indicadres diferentes de desempenh para cada um destes 80 perfis de pnt de venda. Cm relaçã as pssíveis gaps de serviçs utilizarems mdel SERVQUAL, que é uma ferramenta para a análise da satisfaçã de clientes na aquisiçã de serviçs basead na cmparaçã das expectativas d cliente em relaçã a serviç, cm a sua percepçã d mesm. Cnsiste em um instrument para a peracinalizaçã da mediçã das expectativas e percepções ds clientes, através da identificaçã de lacunas em algumas dimensões de qualidade. Cm base nesse mdel, analisarems cinc ptenciais falhs na gestã ds prduts cm a marca Cca-Cla. O GAP1 cnsiste na distância existente entre a percepçã que s frnecedres têm a respeit das expectativas ds clientes e as expectativas ds clientes prpriamente ditas. A identificaçã destas lacunas tem a funçã de ajudar a evidenciar atributs nde há ptencial

7 prtunidade de desinvestiment (expectativa d cliente superestimada), u investiment (expectativa d cliente subestimada). Visand eliminar uma ptencial falha nesta lacuna a Cca-Cla realiza pesquisas de satisfaçã anualmente cm a base de clientes, a fim de detectar suas expectativas sbre cada um ds atributs ds prduts, e assciar desta frma, a percepçã da empresa sbre essas expectativas. Neste cas, cnstatams que existe uma percepçã muit precisa das expectativas de seus clientes, que indica trajetória crreta de investiments de seu prtfóli em seu planejament estratégic. O GAP2 é a distância entre a percepçã das empresas a respeit das expectativas ds clientes e a frma cm tal percepçã é traduzida em especificações. A Cca-Cla pssui grande cerência em suas especificações, u seja, a falha em traduzir as expectativas d cliente em especificações ds serviçs fi nvamente minimizada pelas diversas pesquisas de satisfaçã realizadas anualmente cm a base de clientes. O GAP3 crrespnde à diferença entre serviç especificad e efetivamente prestad. A Cca-Cla pr sua vez, tende a se cmprmeter demasiadamente cm alternativas que algumas vezes nã cnseguem ser atendidas. Um exempl deste cas é cm relaçã à trca de prduts etiquetads, que muitas vezes nã sã cncretizadas pr falta de cmunicaçã e treinament n pnt de venda. A validade ds prduts também é um quesit de atençã desta lacuna, dad que muitas vezes a clientela pde nã ficar satisfeita cm prcediment utilizad para a devluçã de mercadrias. Esta ptencial falha pde ser crrigida cm estreitament da relaçã cm pnt de venda, dand treinament e capacitaçã as varejistas para resluçã desses questinaments ds cnsumidres. Já GAP4 cnsiste na discrepância entre a prestaçã ds serviçs e a cmunicaçã frnecedr/cliente, sb a frma de prmessas exageradas u incapacidade de mstrar as varejistas esfrç desempenhad para servi-ls da melhr frma pssível. A Cca-Cla divulgu uma campanha publicitária de televisã, em que um menin cm trajes de superherói, perdid de sua mãe, é encntrad pr um mtrista da empresa. Ele ferece a menin um refrigerante e, pacientemente, aguarda pela mãe da criança. A mãe aparece e educad e prestativ mtrista recebe a capa d menin cm recmpensa. Para públic cnsumidr final, esta campanha passa uma frte e psitiva imagem crprativa, mas um pnt de atençã é cm relaçã à expectativa d varejista, que pde ficar superestimada a respeit d cmprtament ds mtristas da Cca-Cla. O GAP5 se traduz na diferença entre a percepçã d cliente e sua expectativa a respeit da qualidade de serviçs, que é funçã das lacunas existentes entre que a empresa entende cm expectativa d cliente e sua expectativa real (GAP 1), entre que a empresa entende cm expectativa d cliente e a especificaçã d serviç (GAP 2), entre serviç especificad e realizad (GAP 3), além da capacidade da empresa em cmunicar a cliente a qualidade entregue (GAP4). Para este tópic, pdems citar cm pnt de atençã a percepçã negativa sbre a plítica para devluçã, em que para alguns cass de

8 prduts em latas, só sã permitidas devluções em ltes de 24 unidades. Outr imprtante ptencial de falhas cmetidas pr grandes empresas, cm a Cca-Cla, é cm relaçã à impsiçã da administraçã de seu flux de caixa, uma vez que s prazs de pagament pderiam ser trabalhads de frma mais flexível cm s varejistas, cm vistas a criar um efetiv relacinament de parceria. O GAP6 é uma adaptaçã das cinc lacunas já mencinadas anterirmente e visa administrar a discrepância entre prdut que é entregue e a percepçã ds clientes d cnteúd d prdut recebid, de acrd cm as diversas capacidades de avaliaçã ds cnsumidres. Nesse cntext, a Cca-Cla vem investind em geraçã de cnteúd pel cliente e n entendiment d cenári que cerca, através de pesquisa prprietária que avalia cm as pessas enxergam a marca, além das tradicinais pesquisas de mercad. O GAP7 também é uma adaptaçã das cinc lacunas já mencinadas anterirmente, e tem cm bjetiv mensurar a relaçã entre as prmessas das prpagandas cm relaçã as prduts e a percepçã d cliente cm relaçã a que aquele prdut ferece. Neste cas, pdems dizer que existe bastante precupaçã da Cca-Cla cm relaçã à percepçã da marca pel cnsumidr, de frma que fram elabrads cerca de dze atributs que refletem cm a marca está cmunicand seu psicinament, e mensalmente é realizada uma leitura desses atributs, para as 54 cidades d Brasil. O fc é entender direcinament percebid de determinada marca e avaliar tip de açã que deve ser tmada para ptencializar que está ind bem u crrigir que está ind mal. Os gestres analisam cmprtament d cnsumidr atual e exigem mudanças na frma cm as marcas se cmunicam cm as pessas, acarretand em diversas implicações, desde geraçã de cnteúd à mudança de exigências. Existem campanhas cada vez mais persnalizadas, específicas para adlescentes, mães, jvens adults, adults e em cada uma delas há um jeit deferente de falar. Essa percepçã ds diferentes cnsumidres e abrdagens sã avaliadas através de pesquisas de tendências e até mesm um grup em Atlanta de inteligência de mercad. Prtant, marketing da Cca-Cla também enfrenta desafis, dad que para manter a liderança d mercad de refrigerantes, é precis entender um cnsumidr mutante, que tem nvs hábits, e mensurar tds seus resultads, ds cmerciais de televisã a pnt de venda, passand pel mund digital, de md a manter uma cmunicaçã eficiente e eficaz cm seu public alv.

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Semana 3: Distribuição em Serviços

Semana 3: Distribuição em Serviços 1 Semana 3: Distribuiçã em Serviçs 1. Distribuiçã O prcess de distribuiçã da ferta da empresa insere-se n cntext d cmpst de marketing cm a funçã respnsável pr trnar prdut acessível a cnsumidr. Em serviçs

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

Desempenho de Vendas 1º Trimestre/2015

Desempenho de Vendas 1º Trimestre/2015 Sã Paul, Brasil, 13 de abril de 2015 - O GPA [BM&FBOVESPA: PCAR4 (PN); NYSE: CBD] e Via Varej S.A. [BM&FBOVESPA:VVAR3 e VVAR11] anunciam desempenh das vendas d 1º trimestre de 2015. Desempenh de Vendas

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

Plano de Assessoria de Comunicação do Projeto de Estágio e Empregabilidade - PROJEM

Plano de Assessoria de Comunicação do Projeto de Estágio e Empregabilidade - PROJEM XX Prêmi Expcm 2013 Expsiçã da Pesquisa Experimental em Cmunicaçã Plan de Assessria de Cmunicaçã d Prjet de Estági e Empregabilidade - PROJEM August Sares de Mel e SOUZA 1 Felipe de Oliveira TODESCHINI

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi Benefícis ds serviçs de transprte de táxis cmpartilhads Shared-transprt / Shared-taxi Reuniã de Especialistas sbre Transprte Urban Sustentável: Mdernizand e Trnand Eclógicas as Frtas de Táxis nas Cidades

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

Programa de coaching e inteligência relacional para mulheres Por Thirza Reis, Master Coach

Programa de coaching e inteligência relacional para mulheres Por Thirza Reis, Master Coach Vem Ser Mulher Prgrama de caching e inteligência relacinal para mulheres Pr Thirza Reis, Master Cach Sbre Thirza Reis Thirza Reis é master cach, especialista em Inteligência Relacinal; Cm mestrad em desenvlviment

Leia mais

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Intrduçã A Faculdade Santa Marcelina é recnhecida nacinalmente pel seu pineirism pr lançar a primeira graduaçã de mda

Leia mais

WWW.CLICK-MENTAL.COM

WWW.CLICK-MENTAL.COM Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes WWW.CLICK-MENTAL.COM Criad pr: Click Mental - Sistemas de Infrmaçã, Lda. Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes O que é? O Fidelity é um sftware

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

Antropologia do Consumo no Marketing

Antropologia do Consumo no Marketing Antrplgia d Cnsum n Marketing Objetivs Demnstrar cm as influências culturais estã relacinadas cm s hábits de cnsum, a relaçã cm as Marcas e cmprtament de cmpra, evidenciand assim, prcess fundamental para

Leia mais

Política de Privacidade Qrush Cards

Política de Privacidade Qrush Cards Plítica de Privacidade Qrush Cards Última atualizaçã em 21/09/2013 A Qrush Tecnlgia e Serviçs Ltda repeita a privacidade de seus clientes e usuáris e desenvlveu esta Plítica de Privacidade para demnstrar

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

O que é sucessão de responsabilidades?

O que é sucessão de responsabilidades? GLOSSÁRIO DO EMPREENDEDOR O que é capital inicial? É capital de gir necessári para iniciar as atividades de seu negóci e "rdar" as perações até cmeçar a gerar receita suficiente para equilibrar este capital.

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

Artigo 13 Como montar um Lava Jato para Caminhões

Artigo 13 Como montar um Lava Jato para Caminhões Artig 13 Cm mntar um Lava Jat para Caminhões O lava jat para caminhões tem cm diferencial atender veículs grandes e mercad específic, pis já está estabelecid nich de mercad. O sucess para este empreendiment

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

Como identificar, vender e comercializar com os prospectos de pequenas empresas Parte 2/3

Como identificar, vender e comercializar com os prospectos de pequenas empresas Parte 2/3 Cm identificar, vender e cmercializar cm s prspects de pequenas empresas Parte 2/3 A pequena empresa é um mercad massiv em imprtante cresciment, que alcançu uma maturidade em terms de prtunidade para s

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 DISPOSIÇÕES GERAIS A campanha d Dia Mundial de Cmbate à Plimielite (também cnhecida cm paralisia infantil), celebrad n dia 24 de utubr,

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica XVIII Seminári Nacinal de Distribuiçã de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de utubr 7.2 Olinda - Pernambuc - Brasil Autmaçã na Distribuiçã: O Prcess de autmaçã ds equipaments de linha na rede CELPE.

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Març 2015 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT MORADA Estrada de Benfica, nº 372 - Lisba Tel./Fax. 217780073 Email funda_champagnat@maristascmpstela.rg Índice I. Intrduçã.1

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 ESTRATÉGIA DESEGMENTAÇÃO ESTRATÉGIA DE SEGMENTAÇÃO Estrutura segmentada vltada a estratégia

Leia mais

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal;

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal; Requeriments de Obstáculs Hipism Crss Cuntry: Requeriments Mandatóris: Tda madeira e demais prduts flrestais utilizads devem ser cmpsts de fibra reciclada (us n pós-cnsum) u vir de fntes legais e respnsáveis,

Leia mais

DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL

DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL Disciplina Empreendedrism Prfessr(a) Sônia Maria de Barrs Lureir Módul II 2009.1 - Empreendedrism Prfessr(a): Sônia Maria de Barrs Lureir Disciplina: Empreendedrism Carga Hrária:

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estud de Cas Camila Gmes da Silva 1, Vilma da Silva Sant 2, Paul César Ribeir Quintairs 3, Edsn Aparecida de Araúj Querid Oliveira 4 1 Pós-graduada em

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463 Mdel de Negócis Trabalh n âmbit da disciplina de Mdelaçã de dads. Criaçã de uma platafrma utilizand as tecnlgias SQL PHP e Javascript.. TRABALHO REALIZADO POR: Antni Gme- 2007009 // Jrge Teixeira - 2008463

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira CAPÍTULO IV Valres, Crenças, Missã, Visã.e Plítica da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira Há alguns ans, quand tínhams ótims atletas, perdíams a Cpa d Mund de futebl, as Olimpíadas, errand em cisas básicas.

Leia mais

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal;

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal; Requeriments de Obstáculs Hipism Salts: Requeriments Mandatóris: Tda madeira e demais prduts flrestais utilizads devem ser cmpsts de fibra reciclada (us n pós-cnsum) u vir de fntes legais e respnsáveis,

Leia mais

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul A Estratégia d Tribunal de Justiça d Ri Grande D Sul PODER JUDICIÁRIO Missã: De acrd cm fundament d Estad, Pder Judiciári tem a Missã de, perante a sciedade, prestar a tutela jurisdicinal, a tds e a cada

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO POLÍTICA SOBRE PRESENTESE ENTRETENIMENTO Oferecer u receber presentes cmerciais e entreteniment é frequentemente uma frma aprpriada

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

Objetivos. A quem se destina. Programa. Comportamento de Compra do Shopper. Natureza da compra. Lógica de escolha. Compras planejadas e não planejadas

Objetivos. A quem se destina. Programa. Comportamento de Compra do Shopper. Natureza da compra. Lógica de escolha. Compras planejadas e não planejadas Sluções in Stre Objetivs Evidenciar s pilares fundamentais para desenvlviment de um trabalh cm categrias e marcas n Pnt de Venda, munind s participantes de infrmações que permitam cnhecer shpper e sua

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic 1 Simuland uma Cadeia e planejand seus estques Lcal: em sala de aula Material

Leia mais

ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), - 2/3 2013 2-3 DEZEMBRO

ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), - 2/3 2013 2-3 DEZEMBRO Encntr de Alt Dirigentes - Viseu 2/3 Dez 2013 Cm Invar para Ser Mais Cmpetitiv ENCONTRO de ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), 2-3 DEZEMBRO 2013 Apresentaçã Crprativa Cnfidencial Cnclusões finais Página

Leia mais

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC)

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) 1 III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) III.3.1. DEFINIÇÃO A tecnlgia HFC refere-se a qualquer cnfiguraçã de fibra ótica e cab caxial que é usada para distribuiçã lcal de serviçs de cmunicaçã faixa

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic Simuland Cadeias de Supriments v2.0 Lcal: em sala de aula Material Necessári:

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Profa. Dra. Silvia M de Paula

Profa. Dra. Silvia M de Paula Prfa. Dra. Silvia M de Paula Espelhs Esférics Certamente tds nós já estivems diante de um espelh esféric, eles sã superfícies refletras que têm a frma de calta esférica. Em nss ctidian ficams diante de

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

Exercícios de Java Aula 17

Exercícios de Java Aula 17 Exercícis de Java Aula 17 Link d curs: http://www.liane.cm/2013/10/curs-java-basic-java-se-gratuit/ 1. Faça um prgrama que peça uma nta, entre zer e dez. Mstre uma mensagem cas valr seja inválid e cntinue

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%.

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%. 1. TEORIA Para prcesss específics de utilizaçã, é necessári manter cndições de temperatura e umidade relativa d ar em cndições específicas para prduçã e u trabalh. Prcesss de desumidificaçã visam manter

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

Traz para sua empresa:

Traz para sua empresa: Traz para sua empresa: Link Internet para Prfissinais Liberais, Pequenas e Médias Empresas e inclusive as Grandes Empresas Características Nex Cnnect Small Business é serviç de Link Internet destinad às

Leia mais

TEORIA DO OLIGOPÓLIO, MODELOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS.

TEORIA DO OLIGOPÓLIO, MODELOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS. Ntas de Aula Ecnmia Industrial Nta_aula_4_Preç-Oligpli TEORIA DO OLIGOPÓLIO, MODELOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS. Bibligrafia: KON, Anita. Ecnmia Industrial. Sã Paul: Nbel, 2001. (CAPÍTULO 2) PINDYCK, RS e RUBINFELD,

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

Para a sua Casa Para a sua Casa A Shamah sabe a dificuldade que s clientes têm em arrumar uma empresa de cnfiança para slucinar a manutençã da sua casa, sabems a dificuldade de hráris que nsss clientes

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 Índice 1. Missã, Visã e Valres 2. Enquadrament 3. Prjects e Actividades 4. Cnslidaçā Interna 4.1. Aspects Gerais da Organizaçā e Funcinament da AJU 4.2. Recurss Humans 4.3. Frmaçā

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Modelos 3D e Vinhetas Animadas

ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Modelos 3D e Vinhetas Animadas ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Mdels 3D e Vinhetas Animadas Cntrataçã de prdutra para desenvlviment ds mdels 3D das marcas e das vinhetas de animaçã 3D O Cmitê Ri 2016 pretende cm este prcess seletiv

Leia mais

1 Institucional. 1.1 Sobre a Vensis. 1.2 Missão, Políticas e Valores. 1.2.1 Missão. 1.2.2 Política da Qualidade

1 Institucional. 1.1 Sobre a Vensis. 1.2 Missão, Políticas e Valores. 1.2.1 Missão. 1.2.2 Política da Qualidade Institucinal 1 Institucinal 1.1 Sbre a Vensis A Vensis é uma empresa especializada n desenvlviment de sluções integradas para gestã de empresas. Atuand n mercad de tecnlgia da infrmaçã desde 1998, a empresa

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5 Agenda: Event Sage AEBB Legislaçã inventári permanente (reduçã ds limites) Cnfigurações inventári permanente (ligaçã à CTB) O inventári a 31 de dezembr (imprtância d cntrl stcks, sage inventáris cntagem

Leia mais

MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmio Braztoa de Sustentabilidade

MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmio Braztoa de Sustentabilidade MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmi Brazta de Sustentabilidade Sã Paul - 2014 Seja bem vind a 3 Prêmi Brazta de Sustentabilidade É ntória as crescentes demandas que setr de turism tem cm tema

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS. Ranieri Fonseca Carneiro Monteiro

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS. Ranieri Fonseca Carneiro Monteiro UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS Ranieri Fnseca Carneir Mnteir FATORES DE DECISÃO DE COMPRA EM SUPERMERCADOS VIRTUAIS Prt Alegre

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA COMO CONQUISTAR O MERCADO DE PERSONAL TRAINER. Por: Fuad Jorge Cury Filho

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA COMO CONQUISTAR O MERCADO DE PERSONAL TRAINER. Por: Fuad Jorge Cury Filho UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA COMO CONQUISTAR O MERCADO DE PERSONAL TRAINER Pr: Fuad Jrge Cury Filh Orientadr Prf: Jrge Vieira Ri de Janeir 2012 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 A Diretria d SEBRAE/RS trna públic presente edital e cnvida Artesãs representads pr Assciações e/u Cperativas de Artesanat d Ri Grande d Sul a inscreverem-se

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL...

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... Respnsável pela elabraçã d trabalh: Fernanda Juli Barbsa Camps

Leia mais

MÍDIA KIT MUNDO POSITIVO

MÍDIA KIT MUNDO POSITIVO MÍDIA KIT MUNDO POSITIVO Cmunicaçã Direta em devices Psitiv Janeir/2014 GRUPO POSITIVO 41 ans de história n Mercad Brasileir! 3 ÁREAS DE ATUAÇÃO: EDUCACIONAL: Clégi, Cursinh e Universidade. EDITORIAL:

Leia mais