O acetábulo elástico sem cimento MBA : resultados de 105 implantes com histórico médio de 9,5 anos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O acetábulo elástico sem cimento MBA : resultados de 105 implantes com histórico médio de 9,5 anos"

Transcrição

1 O acetábulo elástico sem cimento MBA : resultados de 105 implantes com histórico médio de 9,5 anos PH. ESCARÉ INTRODUÇÃO Em 1962, John Charnley implantava sua PTH definitiva, baseada no princípio da low friction com uma cabeça de 22,2 mm, e aquele do chumbamento. Desde então, muitas séries foram publicadas com históricos às vezes superiores a 30 anos, confirmando a qualidade deste conceito. Em especial, a prótese cotiloidiana em polietileno selada acoplada a uma cabeça metálica de diâmetro 22,2 mm é considerada como a prótese de referência. A fixação sem cimento foi imaginada por Robert Judet em 1971 e foi progressivamente melhorada com o titânio e os revestimentos de superfície. O objetivo deste trabalho é estudar com um histórico de 9 a 12,5 anos, o resultado de uma cúpula elástica, sem cimento, munida de um inserto em polietileno acoplado a uma cabeça metálica, 22,2 mm. Trata-se de uma estudo retrospectivo homogêneo : um único operador e um único implante. Fig. 1 : O acetábulo elástico MBA sem cimento Conceitos e geometria A geometria do metal-back O acetábulo MBA (fig. 1) é provido de 3 fendas de 0,5 mm conferindo-lhe um caráter elástico próximo da elasticidade do acetábulo ósseo. Ele é também provido de 4 pinos destinados a aumentar sua estabilidade em rotação e em balanço. Sua face convexa é coberta com um revestimento bicamada T40 e HAP permitindo a fixação secundária, associando as propriedades osteocondutoras do HAP à rugosidade e à porosidade do titânio poroso para a ancoragem óssea.

2 Enfim, o acetábulo possui furos permitindo aumentar a estabilidade do acetábulo com ajuda de parafuso. O núcleo em polietileno Ele existe em 3 versões : cobrindo com um rebordo, plano ou retentor. Cada núcleo apresenta-se em vários diâmetros externos e com dois diâmetros de cabeças possíveis : 22,2 e 28 mm. A gama de núcleos permite atender às indicações clássicas da artroplastia do quadril mas também estender-se ao tratamento das luxações recidivas. O bloqueio do núcleo na cúpula metálica é realizado por arestas situadas no interior da cúpula metálica, e pela expansão do acetábulo metálico durante a impacção que ocorre com força. Para não ser incomodado pelas partes moles peri-articulares quando da impacção, o núcleo apresenta um flange situado num plano ligeiramente retraído em relação à periferia da cúpula. O núcleo é prolongado por um rebordo de 2 mm restabelecendo o hemisfério ; de fato, a cúpula metálica por si apresenta uma forma hemisférica retraída de 2 mm do equador para que esta parte metálica possa inscrever-se totalmente dentro do acetábulo ósseo. MATERIAL E MÉTODO A série No total, 102 acetábulos sem cimento MBA foram colocados em primeira intenção por um operador entre janeiro de 1998 e novembro de Os acetábulos eram associados a hastes JVC cimentadas e Héliante cimentadas e não cimentadas. O par de fricção era metal/polietileno (22,2 mm) exceto num paciente onde um par Zircônio/polietileno (28 mm) foi escolhido em razão de uma alergia ao Níquel. Nenhum critério não foi definido nesta série para limitar a inclusão dos pacientes no estudo. A intervenção A planificação em sépias está sistemática. A via de abordagem é postero-externa. A preparação cotiloidiana usa fresas de diâmetro crescente a partir de 42 ou 44 até a obtenção de uma cavidade hemisférica óssea desprovida de cartilagem, tangente ao plano de fundo cotiloidiano, mas sacrificando o menos possível o material ósseo. Os implantes de testes são sistematicamente utilizados, e na maioria das vezes é o implante do tamanho superior à última fresa que será impactado. É necessário assegurar-se que o implante está completamente introduzido dentro da cavidade óssea e, de um outro lado, osteofitas volumosos são cortados. A antibioprofilaxia é sistemática bem como o tratamento anticoagulante por HBPM.

3 Critérios de avaliação Principal Avaliar o desempenho e a segurança do acetábulo sem cimento MBA pela estimação de sua probabilidade de sobrevivência (retomada cirúrgica com mudança de tudo ou parte do implante qualquer seja a causa) sobre uma série consecutiva de pacientes para ser representativo da prática clínica diária. Secundários As complicações não requerendo nenhuma retomada cirúrgica do implante eram também registradas. O critério de avaliação clínico escolhido era a procura do melhoramento pós-operatório da pontuação de Postel Merle-d'Aubigné [1]. Era também solicitado o nível de satisfação do paciente. A avaliação radiológica incluía a procura de uma osteólise bem como qualquer modificação óssea peri-protética, e a medida do desgaste do polietileno de acordo com o método de Charnley e Stauffer [2] : E=(a-b)/2. Dados levantados Os dados pré-operatórios dizendo respeito ao paciente eram o sexo, o peso e a altura, a idade quando da intervenção, o lado operado, a pontuação PMA pré-operatória (mínimo 0 ponto - máximo 18 pontos) e a etiologia. As informações relativas à intervenção incluíam a data de intervenção, as características do implante : diâmetro da cabeça, tipo de acetábulo e tamanho bem como os eventuais incidentes operatórios. A visita de acompanhamento era destinada, de um lado, a identificar a ocorrência das complicações, quaisquer sejam as causas, e o eventual tratamento da complicação com noção de retomada cirúrgica com ou sem mudança de todo ou parte do implante e, de um outro lado, a medir a pontuação PMA, a satisfação do paciente bem como a avaliação das radiografias. O peso, tamanho e nível de atividade do paciente eram também levantados quando da visita de acompanhamento. A data do último acompanhamento era sempre inferior a dois anos. Caso contrário, o paciente ou o médico eram contatados por telefone ou pelo correio com base um questionário pré-estabelecido. Análise estatística As variáveis qualitativas foram descritas por proporções, as variáveis quantitativas pelas suas médias, desvio padrão, mediana, mínimo e máximo.

4 O melhoramento pós-operatório da pontuação PMA foi avaliado por um teste paramétrico de Student emparelhado. Os dados censurados foram analisados pelo método de Kaplan-Meier (com intervalo de confiança em 95 % da probabilidade de sobrevivência). A data de origem era a data de colocação do dispositivo, e a data de ponto o dia 3 de novembro de Um sujeito era considerado como perdido de vista quando ele não tinha sido revisto há mais de 2 anos da data de ponto. Todos os testes eram bilaterais no patamar de 5 %. As análises foram realizadas com Stata 5. RESULTADOS Os dados analisados eram aqueles disponíveis em 03 de novembro de Descritivo da população quando da inclusão Cento e dois artroplastias de quadril em 90 pacientes (12 artroplastias bilaterais) foram incluídas nesta série. A população era composta de uma maioria de mulheres (59 %). A indicação dominante era a coxartrose, seguida pela osteonecrose asséptica da cabeça femoral. Trata-se de uma série consecutiva de casos. As características dos pacientes quando da inclusão constam das tabelas 1 e 2. Tabela 1 : Características da população quando da inclusão Característica N n (%) Sexo 105 Mulher 62 (59.0) Lado operado 105 Direito 56(53.3) Etiologia 105 Coxartrose primária 93 (88.6) Osteonecrose asséptica da cabeça 8 (7.6) femoral Osteonecrose pós-radica 1(1,0) Osteonecrose pós-traumática 1 (1.0) Fratura do colo do fêmur 1 (1.0) Retomada 1 (1.0) Tabela 2 : Características da população quando da inclusão Característica N Média (E) Med (mini-max) Idade, ano ,6(9.2) 72 (46-92) Pontuação PMA pré-operatória (1,3) 8,5 (6-12)

5 Tabela 3 : Características dos implantes Característica N n (%) Tamanho acetábulo 104 Tamanho 46 5 (4.8) Tamanho 48 16(15,4) Tamanho 50 20(19.2) Tamanho (22.1) Tamanho 54 14(13.5) Tamanho 56 13(12.5) Tamanho 58 7(6,7) Tamanho 60 6(5,8) Diâmetro cabeça femoral mm (Inox) 103 (99.0) 28 mm (Zircônio) 1 (1.0) Características dos implantes As características dos implantes constam da tabela 3. O par de fricção era metal/polietileno (22,2 mm) exceto num paciente onde um par Zircônio/polietileno (28 mm) foi escolhido em razão de uma alergia ao Níquel. Em três casos, o acetábulo foi estabilizado por parafuso (2 a 3 parafusos). Os resultados de acompanhamento Compilação dos dados Na época da estudo, os pacientes eram hospitalizados entre 10 e 15 dias. Nos 102 acetábulos MBA, 24 % foram vistos em consulta e 76 % foram contatados por telefone. Probabilidade de sobrevivência do implante Entre os 102 acetábulos MBA, 47 saíram do estudo pelos motivos a seguir : - 23 pacientes faleceram (28 quadris), ou seja 26,0 %. Os motivos do óbito eram sem conexão com o dispositivo, - 4 acetábulos retomados cirurgicamente com mudança de implante, ou seja 4,0 %, - 17 pacientes perdidos de vista, ou seja 17,0 %. O histórico médio era de 106,0 meses (± 38,9) (ou seja 9 anos), mediano de 116,3 meses (ou seja 9,5 anos, mínimo 5 meses, máximo 151 meses). A probabilidade de sobrevivência do acetábulo (retomada qualquer seja a causa com troca de todo ou parte do implante) a 120 meses era de 95,3 % IC95 % [87,9-98,2] calculada em 40 acetábulos ainda incluídos na análise como é ilustrado na figura 2.

6 Histórico em meses Fig. 2 : Probabilidade de sobrevivência do acetábulo MBA Quatro retomadas cirúrgicas com troca de uma parte do implante foram realizadas para episódios de luxações recidivas, ocorridas entre 5 e 15 meses pós-operatórios, tratadas pela troca do inserto (passagem de um inserto plano 22 mm para um inserto em polietileno de rebordo com uma cabeça 28 mm). Complicações não tendo requerido a retomada do implante Dois pacientes apresentaram um ou dois episódios de luxação no primeiro ano pósoperatório tratada por meio de redução ortopédica e não tendo apresentado recidiva desde então. Melhoramento da pontuação clínica PMA O melhoramento foi testado em pacientes que foram revistos em consulta, ou seja 24 quadris em 23 pacientes. O PMA médio passou de 8,7 +/-1,3 em pré-operatório a 17,5 ± 0,8 quando do último acompanhamento (p < 0,01). Satisfação do paciente Todos os pacientes declararam-se muito satisfeitos ou satisfeitos no último histórico. Avaliação radiológica Desgaste Nos 23 pacientes (24 quadris) revistos em consulta com radiografias, o desgaste médio, em mm/ano, de acordo com o método descrito por Charnley e Stauffer, era de 0,09 mm/ano (desvio padrão 0,069). O mínimo era de 0,01 mm/ano num paciente com a idade de 70 anos quando da intervenção, pesando 67 kg no último histórico e com atividade ativa (pontuação de Devane igual 4). O máximo, 0,31 mm/ano. foi observado num paciente com a idade de 49 anos quando da intervenção, pesando 85 kg no último histórico e muito ativo (pontuação de Devane igual 5). Modificações ósseas Fêmur Um caso de osteólise (paciente assintomático) com 12 anos de histórico foi constatado (geode diafisário) nos 24 quadris revistos em consulta com radiografias, ou seja uma taxa de 4 % (fig. 3). Três outros casos de remanejamentos ósseos femorais foram também observados com subida de um nível da qualidade do chumbamento na classificação de Barrack (3). Acetábulo

7 Um empobrecimento da textura óssea do teto do acetábulo em forma de domo com acentuação dos vãos em zona periférica, foi constatado em 10 pacientes nos quais 8 mulheres. Essas imagens, 8 vezes discretas, 2 vez mais marcadas (fig. 4) evocam um mecanismo de "stress shielding" e assinariam a boa osteointegração do implante [4]. De um outro lado, nenhuma marca foi observada nem de geode de osteólise. Fig.3: Osteólise femoral. Radiografias pós-operatórias imediatas (a) e a 12 anos (b) Fig. 4: Remodelagem do teto do acetábulo. Radiografias pós-operatórias a 12,5 anos (paciente 1 a esquerda) e 12 anos (paciente 2, a direita). DISCUSSÃO Com um histórico modesto de 9,5 anos, os resultados clínicos deste acetábulo elástico são satisfatórios já que sua integração óssea parece excelente e que não há nenhuma retomada para mobilização. Sua utilização per-operatória é facilitada, a fixação é econômica em osso já que ela não precisa de furos de chumbamento. Se seu posicionamento não for satisfatório a qualidade da fixação primária autoriza removê-lo e reposiciona-lo. Em caso de luxação recidiva, é possível trocar o inserto em polietileno por um inserto de rebordo ou um inserto retentor por meio de uma simples artrotomia. Radiologicamente, a osteointegração é excelente sem marcas. A elasticidade do acetábulo é talvez um fator favorecedor, mas ela obriga a usar um inserto em polietileno e proíbe o par cerâmica-cerâmica. A rarefação óssea sub-cotiloidiana, provavelmente por stress-shielding, é preocupante pois muito frequente, sobretudo na mulher, e é legítimo questionar suas consequências a longo prazo. Probabilidade de sobrevivência Nossa série objetivou uma probabilidade de sobrevivência de 95,3 % IC95 % [87,9-98,2] a 120 meses de histórico. Outros estudos realizados em dispositivos considerados próximos, em especial, os estudos realizados no acetábulo ATLAS apresentaram resultados similares a nosso estudo em termo de sobrevivência. O estudo de Dambreville de 2009 observou uma taxa de sobrevivência global (haste e acetábulo) de 98 % a 10 anos com, como complicações encontradas, 2 casos de perda da selagem do acetábulo a 6 e 9 anos pós-operatórios, ligada, para o último caso, a uma queda do paciente [5]. Naudi, no seu artigo de 2007, relatou também uma taxa de sobrevivência global satisfatória mas num período mais curto : 97,8 % de sobrevivência a 5 anos. Tratava-se

8 além disso, da sobrevivência da PTH global [6], indicando que a sobrevivência do acetábulo por si é pelo menos de 97,8 % a 5 anos. Enfim, o estudo de Philippe 7] deu resultados com um maior histórico clínico. Este último publicou, de fato, os resultados de um estudo no qual foram implantados 164 acetábulos ATLAS não revestidos (ATLAS II) e 120 acetábulos ATLAS revestidos (ATLAS III). A taxa de sobrevivência global informada no estudo, a falha visando tanto a cúpula quanto a haste quaisquer fossem as causas, foi relatada como sendo igual a 80,73 %. O autor, contudo, quis refinar seus resultados e pude assim destacar uma taxa de sobrevivência do acetábulo ATLAS III muito satisfatória de 94,85 % a 15 anos de histórico clínico [7]. Um tal resultado evidencia que a falha é mais vezes ligada ao componente femoral do que ao acetábulo elástico. Ele mostra também que a taxa de sobrevivência do componente acetabular é mais importante, a 15 anos de histórico clínico, quando este último é revestido. Desgaste Na nossa série, o desgaste médio era de 0,09 mm/ano. Esta taxa comparada aos dados clássicos dos acetábulos cimentados (8-11) [8-11] (0,06 a 0,13 mm/ano) é moderada. A taxa de desgaste anual média, publicada por Dambreville sobre o acetábulo ATLAS, era similar, mm/ano. Contudo, no seu último relatório sobre a artroplastia de quadril, a Alta Autoridade de Saúde [12] (HAS) concluiu que o desgaste de um polietileno num acetábulo metal-back é superior ao desgaste de um polietileno maciço cimentado, todas as características dos implantes sendo idênticas (diâmetro da cabeça femoral, diâmetro do acetábulo, espessura do polietileno, modos de esterilização do polietileno, etc.). Os estudos nos quais essas conclusões foram baseadas eram testes comparativos randomizados e o desgaste medido era mais importante no grupo acetábulo metal-back do que no grupo polietileno maciço cimentado. Entretanto, as taxas médias de desgaste dos acetábulos de polietileno maciço cimentados, quando eles eram relatados (planilha 4), variavam de 0,07 mm/ano a 0,1 mm/ano, taxas próximas daquela observada em nossa série de 0,09 mm/ano. Em contradição com a conclusão da HAS, Markel [13] tendo estudado 134 quadris com cabeça 22 mm de aço ou em cromo-cobalto não constatou, ao contrário, nenhuma diferença de desgaste quer o acetábulo fosse metal-back (0,078 mm/ano) quer totalmente em polietileno (0,08 mm/ano) a oito anos de histórico. Além disso, os estudos comparativos identificados pela HAS não evidenciaram nenhuma diferença significante em termos de probabilidade de sobrevivência (planilha 4), significando que as diferenças encontradas não tinham nenhuma repercussão nefasta para o paciente. É necessário também manter em mente que a medição do desgaste do polietileno depende do método utilizado (manual, assistido por computador).

9 Tabela 4 : Dados comparativos sobre o desgaste e a retomada dos acetábulos metal-back não cimentados e de polietileno maciço cimentados. Estudo prospectivo comparativo randomizado Metal-back não cimentado McCombe 162 PTH anos Retomada qualquer 4,78 e Williams seja a causa 160) 2004 Desgaste linear anual 0,15 mm/ano 0/84 PE cimentado 0.07 mm/ano Diferença não testada DS (p < 0.001) Estudos retrospectivos comparativos Nashed el al 39 PTH anos (161)1995 Clohisy e. al. 90 PTH - 8,6 anos (146) 2001 Revista de literatura Oparaugo et al. 8 estudos (183)2001 comparativos randomizados e não randomizados Desgaste linear anual 0.15 mm/ano 0.1 mm/ano DS(p< 0.001) Retomada qualquer seja a causa Taxa de desgaste 2/45 1/45 DNS Taxa a mais elevada Taxa a mais baixa (com cabeça em metal 22 e 28 mm) Trabalhos recentes parecem mostrar [14] que a impacção do inserto em polietileno numa cúpula elástica apresenta o risco de resultar numa deformação do inserto com um aperto da cabeça responsável por um desgaste anormal. Este perigo teórico é reduzido por uma espessura importante de polietileno o que é caso com uma cabeça de 22,2 mm. Evocou-se também a possibilidade de um desgaste da face escondida do inserto em polietileno, para este problema a elasticidade do acetábulo metálico é favorável através de seu efeito de bloqueio sobre o polietileno. A taxa de desgaste depende também de vários fatores diferentes do modo de fixação : modo de fabricação do polietileno, tipo de esterilização [11]. Todos esses fatores podem explicar também as diferenças das taxas de desgaste observadas nos numerosos estudos sobre o assunto. CONCLUSÃO Os resultados clínicos e radiológicos do acetábulo M.B.A. são satisfatórios. Sempre poder-se-á reclamar de um histórico insuficiente para afirmar que ele é igual ao seu irmão mais velho, o acetábulo cimentado, considerando, antes de tudo, a anterioridade deste último. Entretanto, é incontestável que sua utilização é mais flexível; em especial, em casos de luxação recidiva já que ele é compatível com uma retomada "rápida" interessante em certos casos específicos, adaptados à indicação e ao estado do paciente. É importante e assegurador constatar que na nossa série, as taxa de desgaste medidas do polietileno são da mesma ordem de grandeza do que aquelas das melhores séries de acetábulo em polietileno monobloco cimentado publicadas. Além disso, a elasticidade oferecida pelas fendas e também a impacção do inserto correspondente permite reforçar o press-fit com uma incidência positiva sobre a estabilidade primária e, então, secundária do implante como o demonstram as imagens de reforço preferencial da trama óssea na zona equatorial que comprovam a boa osteointegração. Um controle radiológico a longo prazo é necessário para validar a evolução das consequências eventuais deste stress-shielding que contribui a "descarregar" os esforços do teto do acetábulo.

10 Enfim, é importante notar que nossa série com um histórico de quase 10 anos, não permitiu evidenciar a presença de geodes osteolíticos em relação às fendas ou aos furos de parafusos susceptíveis para alguns autores de passar a ser poços de partículas de desgaste. Acreditamos que seja o modo de estabilização do inserto na sua cúpula que garante a ausência desses geodes. REFERÊNCIAS l] D AUBIGNE RM. POSTEL M. Functional results of hip arthroplasty with acrylic prosthesis. Journal of Bone and Joint.Surgery Jun I; 36(3): [2] STAUFFER RN Ten-year follow-up study of lotal hip replacement. J Bone Joint Surg AM 1982 Sep; 64(7): [3] BARRACK RL. MULROY RD.JR. HARRIS WH. Improved cementing techniques and femoral component loosening in young patienis wiih hip arthroplasty. A 12 year radiographic review. J Bone Joint Surg Br 992 May; 74(3): [4] COHEN G, ROSSET P, Résultats de 76 prothèses de hanche sans ciment â revêtement complet d'hydroxyapatite avec recul minimum de cinq ans. Rev Chir Orthop 2009; 955: [5] D AMBREVILLE A. Le cotyle ATLAS HAP à plus de 10 ans. atluship.com./fr/dixans htm [6] NAUDI S, MEHDI N, DAUPLAT G, STAQUET V, MESTDAGH H, MAYNOU C. [Hydroxyapatite-coated Esop modular femoral stem: three to ten year outcome in 155 cases]. Rev Chir Orthop Réparatrice Appar Mot 2007 May; 93(3): [7] PHILIPPE MP. AMEIL M. Courbes de survie du cotyle ATLAS [8] ROTHMAN RH, COHN JC. Cemented versus cementless total hip arthroplasty A critical review. Clin Orthop Relat Res 1990 May;(254): ] CHARNLEY J, The long-term results of low-friction arthroplasty of the hip performed as a primary intervention. J Bone Joint Surg Br 1972 Feb: 54d): [10] LIVERMORE J, ILSTRUP D, MORREY B, Effect of femoral head size on wear of the poly-ethylene acetabular component J Bone Joint Surf Am MM Apr, 72(4); [11] BANKSTON AB, KEATING EM, RANAWAT C, FARIS PM, RITTER MA. Comparison of polyethylene wear in machined versus molded polyethylene. Clin Orthop 1995; (317): [12] HAS. Evaluation des prothèses de hanche Révision des descriptions génériques de la liste de produits et prestations remboursables implants articulaires de hanche. Paris. HAS [13] MARKEL DC, HUO MH, KATKIN PD, SAI.VATl EA. Use of cemented allpolyethylene and metal-backed acetabular components in total hip arthroplasty. A comparative study. J Arthroplasty 1995: 10 Suppl: S1-S7. [14] TRICOT P. La fixation acétabulaire sans ciment des prothèses totales de hanche de première intention. Conférence d'enseignement de la SOFCOT. Masson ed

Atualizações em Artroplastia do Quadril. Dr. Ademir Schuroff Hospital Universitário Cajuru PUC-PR / Curitiba

Atualizações em Artroplastia do Quadril. Dr. Ademir Schuroff Hospital Universitário Cajuru PUC-PR / Curitiba Atualizações em Artroplastia do Quadril Dr. Ademir Schuroff Hospital Universitário Cajuru PUC-PR / Curitiba Hospital Universitário Cajuru PUC-PR Curitiba/Paraná Brasil Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni

Leia mais

Artroplastia Total do Quadril. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella

Artroplastia Total do Quadril. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella Artroplastia Total do Quadril Manual para Pacientes Dr. Richard Prazeres Canella Florianópolis SC Introdução O quadril, para o médico, é a junção do fêmur (osso da coxa) com a bacia. As pessoas leigas

Leia mais

PROTESE TOTAL QUADRIL Dr. Gladyston Introdução ATQ procedimento alívio dor, ganho funcional e melhora qualidade de vida Sucesso depende: Escolha paciente ideal Uso de implantes adequados Habilidade técnica

Leia mais

Influência da forma das hastes femorais sem cimento nas PTH de primeira intenção.

Influência da forma das hastes femorais sem cimento nas PTH de primeira intenção. Influência da forma das hastes femorais sem cimento nas PTH de primeira intenção. A respeito de uma série de 304 casos de haste Targos L. DESCAMPS, J. M. PUCH, G. DERHI, M. REMI REALIZAÇÃO DE UMA PTH Durante

Leia mais

sistema de artroplastia total de quadril

sistema de artroplastia total de quadril sistema de artroplastia total de quadril sistema de artroplastia total de quadril Sobrevida.% Sobrevida.% 100.00 100.00 99.00 99.00 98.00 98.00 97.00 97.00 96.00 96.00 95.00 95.00 94.00 94.00 93.00 93.00

Leia mais

Longevidade e estabilidade

Longevidade e estabilidade Por que a dupla mobilidade? Um pequeno diâmetro leva a um desgaste reduzido, princípio do "baixo atrito". Um grande diâmetro de cabeça fornece uma grande estabilidade. A combinação dos dois conceitos permite

Leia mais

A evidência já diz tudo.

A evidência já diz tudo. A evidência já diz tudo. 1,2,3,4,5,6,7,8,9 Serviços/Educação JRI Financiamento de pesquisas Atendimento de suporte Treinamento de profissionais de enfermagem Verificações de estoque de remessa: Implantes

Leia mais

Luxação da prótese total do quadril em pacientes com fratura do colo do fêmur *

Luxação da prótese total do quadril em pacientes com fratura do colo do fêmur * Luxação da prótese total do quadril em pacientes com fratura do colo do fêmur * RUDELLI SÉRGIO ANDREA ARISTIDE 1, EMERSON HONDA 2, GIANCARLO POLESELLO 3, EDSON HIDENORI MIASHIRO 4, SANDRO DA SILVA REGINALDO

Leia mais

Avaliação clínica e radiológica da artroplastia do quadril com prótese bipolar não cimentada *

Avaliação clínica e radiológica da artroplastia do quadril com prótese bipolar não cimentada * Avaliação clínica e radiológica da artroplastia do quadril com prótese bipolar não cimentada * LUIZ OSÓRIO 1, PAULO COUTO 2, CLAUDE CHAMBRIARD 3, ZARTUR MENEGASSI 4, ANDERSON COSTA 5, NELSON CUELLO SENA

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Zimmer (Argentina) Revisão Modular de Quadril O primeiro objetivo de uma revisão de quadril é estabelecer uma fixação, dessa maneira se alivia

Leia mais

ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL

ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DA CIRURGIA. Prof. Dr. Luiz Sérgio Marcelino Gomes - Chefe do Grupo de Quadril do Hospital Celso Pierro- PUC-Campinas.SP. - Chefe do Serviço

Leia mais

O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade

O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade 1 O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade há vários anos. Faz parte integral da filosofia de

Leia mais

QUADRIL. Soluções em Artroplastia Total de Quadril Soluciones en la Artroplastia Total de Cadera Solutions for Total Hip Arthroplasty

QUADRIL. Soluções em Artroplastia Total de Quadril Soluciones en la Artroplastia Total de Cadera Solutions for Total Hip Arthroplasty QUADRIL Soluções em Artroplastia Total de Quadril Soluciones en la Artroplastia Total de Cadera Solutions for Total Hip Arthroplasty www.mdt.com.br Métodos e Desenvolvimento Tecnológico para a Vida Índice

Leia mais

DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS

DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS Por Paulo Alencar # e Rogério Fuchs * # Cirurgião Ortopedista, médico do Hospital de Clínicas da UFPR, em Curitiba,

Leia mais

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS Técnica Cirúrgica 8.30 - ALPHA - Cemented Femoral Prosthesis Prótese Femoral Cimentada ALPHA Colaboradores Dr. Flávio Turíbio Dr. Milton Roos Material INOX ASTM F.138

Leia mais

Artroplastia total do quadril com prótese CO-10: resultados preliminaries*

Artroplastia total do quadril com prótese CO-10: resultados preliminaries* Artroplastia total do quadril com prótese CO-10: resultados preliminaries* JOÃO RODRIGUES QUEIROZ, JOSÉ WAGNER DE BARROS INTRODUÇÃO A artroplastia do quadril é um procedimento utilizado há quase meio século

Leia mais

Instrução de Uso Sistema Híbrido para Artroplastia de Quadril Amplitude

Instrução de Uso Sistema Híbrido para Artroplastia de Quadril Amplitude Código do Produto Legendas dos símbolos utilizados nas embalagens Número de Lote Produto de Uso Único Data de Validade Atenção Ler as Instruções de Uso Não utilizar se a embalagem estiver violada ESTÉRIL

Leia mais

New Wave. Prótese Total de Joelho Rotacional

New Wave. Prótese Total de Joelho Rotacional Eliminando complicações mecânicas iniciais Centro de Rotação Condilar Sistema Central de Estabilização Alta elevação para eliminar qualquer risco de deslocamento. Aprofundado para evitar tensões patelares.

Leia mais

Manual de cuidados pré e pós-operatórios

Manual de cuidados pré e pós-operatórios 1. Anatomia O quadril é uma articulação semelhante a uma bola no pegador de sorvete, onde a cabeça femoral (esférica) é o sorvete e o acetábulo (em forma de taça) é o pegador. Esse tipo de configuração

Leia mais

Artroplastia total do quadril não cimentada em pacientes com artrite reumatóide *

Artroplastia total do quadril não cimentada em pacientes com artrite reumatóide * 336 ARTIGO ORIGINAL Artroplastia total do quadril não cimentada em pacientes com artrite reumatóide * Uncemented total hip arthroplasty in patients with rheumatoid arthritis BRUNO TAVARES RABELLO 1, FERNANDO

Leia mais

Descrição: Prótese Total de Quadril

Descrição: Prótese Total de Quadril QUADRIL IMPORTADO Descrição: Prótese Total de Quadril Marca: Lépine (França). Hastes Femorais Desenho Quadrangular Auto Bloqueante com Longo Recuo de Resultados Clínicos. Opção de Haste com / sem Apoio

Leia mais

Artroplastia total do joelho conceitos e indicações

Artroplastia total do joelho conceitos e indicações Fernando Fonseca, MD PhD Hospitais da Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências da Saúde / Universidade da Beira Interior fm.fonseca@sapo.pt 1860 Ferguson Artroplastia de ressecção 1890 Th. Gluck

Leia mais

REVISÃO DE ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL COM PRÓTESE MODULAR NÃO-CIMENTADA DE FIXAÇÃO DISTAL TIPO ZMR. ANÁLISE CLÍNICA E RADIOGRÁFICA DE 30 CASOS

REVISÃO DE ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL COM PRÓTESE MODULAR NÃO-CIMENTADA DE FIXAÇÃO DISTAL TIPO ZMR. ANÁLISE CLÍNICA E RADIOGRÁFICA DE 30 CASOS ARTIGO ORIGINAL REVISÃO DE ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL COM PRÓTESE MODULAR NÃO-CIMENTADA DE FIXAÇÃO DISTAL TIPO ZMR. ANÁLISE CLÍNICA E RADIOGRÁFICA DE 30 CASOS REVISION TOTAL HIP ARTHROPLASTY USING A

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia

Ortopedia e Traumatologia Ortopedia e Traumatologia Fixação Interna Orthofix A Orthofix é uma companhia reconhecida mundialmente no desenvolvimento de soluções para fixação externa e interna na área de Traumatologia e Ortopedia.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PARAFUSOS ÓSSEOS METÁLICOS UTILIZADOS EM OSTEOSSÍNTESE

AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PARAFUSOS ÓSSEOS METÁLICOS UTILIZADOS EM OSTEOSSÍNTESE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PARAFUSOS ÓSSEOS METÁLICOS UTILIZADOS EM OSTEOSSÍNTESE Iêda Caminha¹, Hugo Keide², Walter Ferreira3, Ibrahim Abud4, Renato Machado5, Rafael Oliveira6 ¹ Instituto Nacional de

Leia mais

COMPARAÇÃO DA ARTROPLASTIA DO QUADRIL NA OSTEOARTRITE DE ORIGEM MECÂNICA E REUMATOLÓGICA

COMPARAÇÃO DA ARTROPLASTIA DO QUADRIL NA OSTEOARTRITE DE ORIGEM MECÂNICA E REUMATOLÓGICA Artigo Original COMPARAÇÃO DA ARTROPLASTIA DO QUADRIL NA OSTEOARTRITE DE ORIGEM MECÂNICA E REUMATOLÓGICA COMPARISON OF TOTAL HIP ARTHROPLASTY IN OSTEOARTHRITIS OF MECHANICal AND RHEUMATOLOGIC CAUSES Leandro

Leia mais

Serviços/Educação JRI. Atendimento de suporte. Financiamento de pesquisas. Verificações de estoque de remessa:

Serviços/Educação JRI. Atendimento de suporte. Financiamento de pesquisas. Verificações de estoque de remessa: Serviços/Educação JRI Financiamento de pesquisas Treinamento de profissionais de enfermagem Visitas à fábrica Cursos da Furlong Hip Atendimento de suporte Verificações de estoque de remessa: s Instrumentos

Leia mais

Avaliação de pacientes submetidos à prótese total de quadril não cimentada referente aos aspectos Radiológicos, Clínicos e de Qualidade de Vida.

Avaliação de pacientes submetidos à prótese total de quadril não cimentada referente aos aspectos Radiológicos, Clínicos e de Qualidade de Vida. Avaliação de pacientes submetidos à prótese total de quadril não cimentada referente aos aspectos Radiológicos, Clínicos e de Qualidade de Vida. Evaluation of patients submitted to total hip uncemented

Leia mais

Haste Avenir Müller. Técnica Cirúrgica

Haste Avenir Müller. Técnica Cirúrgica Haste Avenir Müller Técnica Cirúrgica Haste Avenir Müller Técnica cirúrgica 3 Haste Avenir Müller Técnica Cirúrgica Índice Aprender com o Passado 4 Indicações e Contra-indicações 6 Descrição dos Implantes

Leia mais

LAUDO MÉDICO PERICIAL.

LAUDO MÉDICO PERICIAL. 1 LAUDO MÉDICO PERICIAL. Preâmbulo. Aos vinte e quatro dias do mês de abril do ano 2003, o Perito Dr. OSCAR LUIZ DE LIMA E CIRNE NETO, designado pelo MM Juiz de Direito da 13.ª Vara Cível da Comarca da

Leia mais

implantes ortopédicos deficiências das articulações

implantes ortopédicos deficiências das articulações implantes ortopédicos deficiências das articulações quando um paciente se queixa de dor na articulação (da anca ou joelho) a causa mais usual é a artrite. a substituição da articulação natural por uma

Leia mais

Programa de Especialização Cirurgia do Quadril (R4) Treinamento Avançado em Cirurgia do Quadril. Goiânia GO / Maio de 2015.

Programa de Especialização Cirurgia do Quadril (R4) Treinamento Avançado em Cirurgia do Quadril. Goiânia GO / Maio de 2015. SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DE GOIÁS HOSPITAL DE URGÊNCIA DE GOIÂNIA (HUGO) / HOSPITAL GERAL DE GOIÂNIA ALBERTO RASSI () SERVIÇO DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA / SERVIÇO DE CIRURGIA DO QUADRIL

Leia mais

Fabio Stuchi Devito. Eficácia do Uso do Templating na Artroplastia Total do Quadril

Fabio Stuchi Devito. Eficácia do Uso do Templating na Artroplastia Total do Quadril Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde Fabio Stuchi Devito Eficácia do Uso do Templating na Artroplastia Total do Quadril São José do Rio Preto 2009

Leia mais

ANEXO I - DA ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA

ANEXO I - DA ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA ANEXO I - DA DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA GRANDES FRAGMENTOS 1 Parafuso cortical em aço inoxidável antimagnético, diâmetro da rosca de 4,5mm, diâmetro do núcleo de 3,0mm, hexágono interno de 3,5mm

Leia mais

Furação e Alargamento

Furação e Alargamento UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ Faculdade de Engenharia de Joinville Furação e Alargamento DEPS Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Visão sistêmica de um processo de usinagem

Leia mais

Sistema de Prótese Total de Quadril Não Cimentada Self Locking

Sistema de Prótese Total de Quadril Não Cimentada Self Locking INSTRUÇÕES DE USO Sistema de Prótese Total de Quadril Não Cimentada Self Locking Fabricante, comércio e distribuição: Prosintese Indústria e Comércio de Produtos Médico Hospitalares Ltda Rua San José,

Leia mais

Marcos de Camargo Leonhardt

Marcos de Camargo Leonhardt Estudo comparativo da osteointegração da haste femoral não cimentada nas artroplastias totais do quadril em pacientes com má qualidade óssea e com boa qualidade óssea Dissertação apresentada à Faculdade

Leia mais

Prótese total de joelho com disco móvel estabilizado New Wave Conceitos e resultados em cinco anos de retrospectiva média

Prótese total de joelho com disco móvel estabilizado New Wave Conceitos e resultados em cinco anos de retrospectiva média Prótese total de joelho com disco móvel estabilizado New Wave Conceitos e resultados em cinco anos de retrospectiva média J. L. PRUDHON INTRODUÇÃO Neste artigo, não insistiremos no caminho que conduziu

Leia mais

Eventos Cirurgias ao Vivo em SP, RJ, BH e Campinas com o criador da haste de revisão modular curva Revitan - Prof. Bernd Fink.

Eventos Cirurgias ao Vivo em SP, RJ, BH e Campinas com o criador da haste de revisão modular curva Revitan - Prof. Bernd Fink. Revista eletrônica da Medsíntese Ano 2014 Nº3 Conheça mais sobre a haste Curta metafisária Fitmore - Zimmer Artigo escrito pelo Dr. Rogério Naim Sawaia EDUCAÇÃO CONTINUADA Realizada pela Zimmer Institute

Leia mais

Tomografia Computorizada Dental

Tomografia Computorizada Dental + Universidade do Minho M. I. Engenharia Biomédica Beatriz Gonçalves Sob orientação de: J. Higino Correia Tomografia Computorizada Dental 2011/2012 + Casos Clínicos n Dentes privados do processo de erupção

Leia mais

IMPLANTE OSSOINTEGRÁVEL DE CARGA IMEDIATA: RELATO DE CASO CLÍNICO

IMPLANTE OSSOINTEGRÁVEL DE CARGA IMEDIATA: RELATO DE CASO CLÍNICO IMPLANTE OSSOINTEGRÁVEL DE CARGA IMEDIATA: RELATO DE CASO CLÍNICO * - Graduando em odontologia na Universidade Cidade de São Paulo ** - Graduando em odontologia na Universidade Cidade de São Paulo ***

Leia mais

TIBIAL LOCKING NAIL. Técnica Cirúrgica 72.30 - Haste Tibial Intramedular

TIBIAL LOCKING NAIL. Técnica Cirúrgica 72.30 - Haste Tibial Intramedular TIBIAL LOCKING NAIL Técnica Cirúrgica 72.30 - Tibial Locking Nail COLABORADORES: Dr. Geraldo Motta Filho MATERIAL: Aço inox NBR ISO 5832-1 Indicações Para fixação intramedular das fraturas da tíbia. Esta

Leia mais

www.dentaladvisor.com Quick Up Editors Choice + + + + +

www.dentaladvisor.com Quick Up Editors Choice + + + + + www.dentaladvisor.com Material autopolimerizável para a fixação de attachments e elementos secundários em próteses Editors Choice + + + + + A SOLUÇÃO EM UM KIT É muito comum as próteses totais apresentarem

Leia mais

Artroplastia Total do Joelho. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella

Artroplastia Total do Joelho. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella Artroplastia Total do Joelho Manual para Pacientes Dr. Richard Prazeres Canella Florianópolis SC Introdução O joelho, para o médico, é a junção do fêmur (osso da coxa) com a tíbia (osso da perna). Também

Leia mais

Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur

Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur Prof André Montillo Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Elementos Ósseos Cabeça do Fêmur Trocanter Maior Colo

Leia mais

Resultado a curto prazo de 2 implantes diferentes

Resultado a curto prazo de 2 implantes diferentes Artroplastia total trapézio-metacarpiana. Resultado a curto prazo de 2 implantes diferentes R. CLARO (1), A. VILAÇA (1), P. NEGRÃO (2), M. TRIGUEIROS (2), C. SILVA (3) SERVIÇO DE ORTOPEDIA. HOSPITAL GERAL

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA CARTILAGEM

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA CARTILAGEM CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA CARTILAGEM Radiológicos Classificação de Tönnis de osteoartrose da anca Grau 0 Sem sinais de osteoartrose Grau I Esclerose aumentada, ligeira diminuição do espaço articular, sem

Leia mais

Moraes, Mauricio de 1; Rodrigues, Rubens 2; Barr, Robert 3; Ono, Nelson K 4; Milani, Carlo 5

Moraes, Mauricio de 1; Rodrigues, Rubens 2; Barr, Robert 3; Ono, Nelson K 4; Milani, Carlo 5 ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES COM MENOS DE 6 ANOS DE IDADE SUBMETIDOS À ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL METALMETAL DE SUPERFÍCIE ( RESURFACING ) Moraes, Mauricio de ; Rodrigues, Rubens ; Barr,

Leia mais

Técnica operacional do sistema de revisão modular

Técnica operacional do sistema de revisão modular Técnica operacional do sistema de revisão modular Conteúdo Razões do design do sistema Securus Linha de implantes Securus 1 Razões do design Securus 2 Contraindicações 3 Avaliações pré-operatórias 4 Preparação

Leia mais

Femoral com Enxerto Impactado. (Técnica Exeter)

Femoral com Enxerto Impactado. (Técnica Exeter) Rodrigo Pereira Guimarães Avaliação Clínica e Radiográfica de Revisão Femoral com Enxerto Impactado (Técnica Exeter) Tese apresentada ao Curso de Pós-graduação da Faculdade de Ciências Médicas da Santa

Leia mais

Métodos por Imagem no Diagnóstico da Displasia Coxofemoral Canina

Métodos por Imagem no Diagnóstico da Displasia Coxofemoral Canina Métodos por Imagem no Diagnóstico da Displasia Coxofemoral Canina Bruno Baessa Chagas 1, Daniela Patrícia Vaz 2 1 Aluno do Curso de Pós-graduação em Imaginologia da Faculdade Método de São Paulo. (e-mail:

Leia mais

Níveis de referência de ions metálicos em fluidos corpóreos e tecidos humanos

Níveis de referência de ions metálicos em fluidos corpóreos e tecidos humanos Florianópolis, 30 de agosto de 2011 Ref: Resposta ao Of. Circular 11/2001 UTVIG/NUVIG/ANVISA Dados e informações sobre os riscos da utilização do aço 316L na fabricação de implantes ortopédicos. INTRODUÇÃO

Leia mais

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral INTRODUÇÃO Oque é Luxação Gleno Umeral? Luxação é o termo empregado quando há perda de contato entre os ossos que compõem uma articulação. No caso do ombro a articulação

Leia mais

Patologias dos membros inferiores

Patologias dos membros inferiores Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias dos membros inferiores Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Doenças do quadril Doenças do joelho Doenças do pé e tornozelo Introdução Doenças

Leia mais

...... Nome:... Dados:......

...... Nome:... Dados:...... Estabelecimento O seu cirurgião Nome:... Dados:... Caro(a) Senhor(a) Sofre de uma doença que desgasta a sua articulação da anca. As consequências desse desgaste levaram o seu cirurgião ortopedista a recomendarlhe

Leia mais

Alterações ósseas e articulares

Alterações ósseas e articulares Alterações ósseas e articulares Renato Cesar Sacchetto Tôrres Júlio César Cambraia Veado Índice Alterações nutricionais e metabólicas Osteopenia Osteopatia hipertrófica (pulmonar) Hipervitaminose A Osteopatia

Leia mais

ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL

ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL ANATOMIA DO QUADRIL: A articulação do quadril é formada por uma parte chamada de cabeça femoral, que é o osso da coxa, e uma cavidade chamada de acetábulo, que fica no osso

Leia mais

Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para :

Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para : JOELHO JOELHO RM do Joelho Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para : ligamentos, meniscos e tendões músculos, vasos e tecido adiposo osso cortical ( hipointenso

Leia mais

ENSAIOS DE INTEGRIDADE ESTRUTURAL DE PLACAS ANGULARES DE FIXAÇÃO DE FRACTURAS ÓSSEAS DO FÉMUR

ENSAIOS DE INTEGRIDADE ESTRUTURAL DE PLACAS ANGULARES DE FIXAÇÃO DE FRACTURAS ÓSSEAS DO FÉMUR ENSAIOS DE INTEGRIDADE ESTRUTURAL DE PLACAS ANGULARES DE FIXAÇÃO DE FRACTURAS ÓSSEAS DO FÉMUR P. A. M. Talaia 1, C. Relvas 1, L. Almeida 2, J. Salgado 2 e J. A. Simões 1 1 Departamento de Engenharia Mecânica,

Leia mais

unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ LIANA PAULA QUEIROZ

unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ LIANA PAULA QUEIROZ unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ LIANA PAULA QUEIROZ SIMULAÇÃO NUMÉRICA ATRAVÉS DO MÉTODO DOS ELEMENTOS FINITOS E COMPARAÇÃO EXPERIMENTAL PARA OBTENÇÃO

Leia mais

inbe.com.br JOELHO OMBRO QUADRIL www.tmmedical.com.br MÃO

inbe.com.br JOELHO OMBRO QUADRIL www.tmmedical.com.br MÃO QUADRIL inbe.com.br www.tmmedical.com.br MÃO 02 Í N D I C E G E S T Ã O 03 EQUIPAMENTOS ARTROSCÓPICOS QUADRIL 04. FMS Varp 07. RigidFix Bio-Intrafix Milagro 08. Orthosorb Rapidloc Agulhas para sutura de

Leia mais

Utilização da crista ilíaca nas reconstruções ósseas da cavidade oral. Relato de caso

Utilização da crista ilíaca nas reconstruções ósseas da cavidade oral. Relato de caso Artigo Inédito 1 41 2 42 3 4 Utilização da crista ilíaca nas reconstruções ósseas da cavidade oral. Relato de caso 43 44 7 47 8 9 Claudio Ferreira NóIA*de OlIveIRA**NóIA*** Rafael Ortega lopes****mazzonetto*****

Leia mais

TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP

TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA QUESTÃO 21 Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: a) O politrauma é a uma das principais causas

Leia mais

Reabilitação de Espaços Reduzidos no Sentido Mésio-Distal com Implantes de Pequeno Diametro Caso clínico

Reabilitação de Espaços Reduzidos no Sentido Mésio-Distal com Implantes de Pequeno Diametro Caso clínico Artigo Técnico Implantologia Reabilitação de Espaços Reduzidos no Sentido Mésio-Distal com Implantes de Pequeno Diametro Caso clínico José Ferreira Médico dentista Prática clínica em Implantologia Aluno

Leia mais

OBJETO: Aquisição de Material para órtese e prótese em Ortopedia em regime de consignação e comodato.

OBJETO: Aquisição de Material para órtese e prótese em Ortopedia em regime de consignação e comodato. 2ª RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 296/2015 - CPL 04 FUNDHACRE OBJETO: Aquisição de Material para órtese e prótese em Ortopedia em regime de consignação e comodato. A PREGOEIRA

Leia mais

Nesta aula, você vai estudar exatamente isso. E para acabar com o suspense, vamos a ela.

Nesta aula, você vai estudar exatamente isso. E para acabar com o suspense, vamos a ela. Mete broca! Nesta aula, vamos estudar uma operação muito antiga. Os arqueólogos garantem que ela era usada há mais de 4000 anos no antigo Egito, para recortar blocos de pedra. Ela é tão comum que você

Leia mais

Com muita história. Nasceu a tecnologia.

Com muita história. Nasceu a tecnologia. Com muita história. Nasceu a tecnologia. Mesmo sendo revolucionário em princípios e design, o Scorpio baseia-se em uma diversidade de princípios biomecânicos da anatomia e fisiologia do joelho. O ponto

Leia mais

ESTUDO DA FORMA E DA RUGOSIDADE EM PRÓTESES ORTOPÉDICAS DE QUADRIL. Marcos Motta de Souza

ESTUDO DA FORMA E DA RUGOSIDADE EM PRÓTESES ORTOPÉDICAS DE QUADRIL. Marcos Motta de Souza ESTUDO DA FORMA E DA RUGOSIDADE EM PRÓTESES ORTOPÉDICAS DE QUADRIL Marcos Motta de Souza Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Engenharia Mecânica, COPPE, da Universidade Federal

Leia mais

Efeitos da haste press-fit na artroplastia total do joelho: Influência da haste tibial no fémur e da haste na tíbia

Efeitos da haste press-fit na artroplastia total do joelho: Influência da haste tibial no fémur e da haste na tíbia Biomecánica, 14 (2), 2006, pp. 52-63 Efeitos da haste press-fit na artroplastia total do joelho: Influência da haste tibial no fémur e da haste na tíbia Resumo 1 2 1 A. COMPLETO, F. FONSECA, J.A. SIMÕES.

Leia mais

Catálogo de. Produtos

Catálogo de. Produtos Catálogo de Produtos Índice Introdução 5 Implantes Auto-Rosqueável Inserção Direta ID Auto-Rosqueável Standard STD Auto-Rosqueável Cônico HI Expansor Ósseo Wedge Mini-Implante Ortodôntico Ancodent Provisório

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO. Eimattstrasse 3 Eimattstrasse 3 PRODUTO NÃO ESTÉRIL PROIBIDO REPROCESSAR CE 0123

INSTRUÇÕES DE USO. Eimattstrasse 3 Eimattstrasse 3 PRODUTO NÃO ESTÉRIL PROIBIDO REPROCESSAR CE 0123 INSTRUÇÕES DE USO Nome Técnico: Nome Comercial: Sistema Implantável para Osteossíntese Dispositivo para Fixação da Calota Cranial Fabricante: Distribuidor: Synthes Synthes Eimattstrasse 3 Eimattstrasse

Leia mais

Impacto Fêmoro Acetabular e Lesões do Labrum

Impacto Fêmoro Acetabular e Lesões do Labrum Impacto Fêmoro Acetabular e Lesões do Labrum O termo Impacto Fêmoro Acetabular (I.F.A.) refere-se a uma alteração do formato e do funcionamento biomecânico do quadril. Nesta situação, ocorre contato ou

Leia mais

A substituição protética é geralmente indicada para pacientes que atingiram a maturidade óssea.

A substituição protética é geralmente indicada para pacientes que atingiram a maturidade óssea. Página 1 INFORMAÇÕES MÉDICAS IMPORTANTES As indicações para a utilização de qualquer dispositivo de endoprótese bipolar devem ser baseadas numa seleção cuidadosa dos pacientes e de suas expectativas. Para

Leia mais

Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP

Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP Quarta-feira, 25 de agosto Grupo A Quarta-feira, 25 de agosto Grupo B 13:30-13:40 Abertura Moderador: R. Canto Apresentação do Curso e dos instrutores

Leia mais

M E T A B I O I N D U S T R I A L L T D A.

M E T A B I O I N D U S T R I A L L T D A. I N S T R U Ç Õ E S D E U S O PRÓTESE PARA ARTROPLASTIA DE QUADRIL - META BIO Titânio (P R Ó T E S E D E Q U A D R I L) 1. As instruções de uso devem conter as seguintes informações, conforme aplicáveis:

Leia mais

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril.

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril. A UU L AL A Mandrilamento Nesta aula, você vai tomar contato com o processo de mandrilamento. Conhecerá os tipos de mandrilamento, as ferramentas de mandrilar e as características e funções das mandriladoras.

Leia mais

Prótese de Joelho (Sistema para Artroplastia de Joelho) Manual do Usuário - Implantes

Prótese de Joelho (Sistema para Artroplastia de Joelho) Manual do Usuário - Implantes Prótese de Joelho (Sistema para Artroplastia de Joelho) Manual do Usuário - Implantes Descrição As Próteses de Joelho Scorpio TS compreendem componentes femorais e patelares, bandejas tibiais, inserções

Leia mais

REVISÃO SISTEMÁTICA DA PERDA ÓSSEA AO REDOR DE IMPLANTES EM PRÓTESES MÚLTIPLAS E UNITÁRIAS

REVISÃO SISTEMÁTICA DA PERDA ÓSSEA AO REDOR DE IMPLANTES EM PRÓTESES MÚLTIPLAS E UNITÁRIAS REVISÃO SISTEMÁTICA DA PERDA ÓSSEA AO REDOR DE IMPLANTES EM PRÓTESES MÚLTIPLAS E UNITÁRIAS Marcela Melo Dos Santos ¹ Guaracilei Maciel Vidigal Júnior ² Na implantologia oral, as complicações mais comuns

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO. Hastes PROFEMUR TL Classic. (Haste não modular para artroplastia de quadril)

INSTRUÇÕES DE USO. Hastes PROFEMUR TL Classic. (Haste não modular para artroplastia de quadril) INSTRUÇÕES DE USO Hastes PROFEMUR TL Classic (Haste não modular para artroplastia de quadril) DEFINIÇÕES Podem ser usados símbolos e abreviaturas nos rótulos da embalagem. O quadro seguinte fornece as

Leia mais

DOENÇA DE LEGG-CALVÉ- PERTHES EM HAMSTER SÍRIO (MESOCRICETUS AURATUS) - RELATO DE CASO

DOENÇA DE LEGG-CALVÉ- PERTHES EM HAMSTER SÍRIO (MESOCRICETUS AURATUS) - RELATO DE CASO 1 RAPHAEL DE CARVALHO CLÍMACO 1, MAÍRA SANTOS SEVERO CLÍMACO 2, JÉSSICA SOUZA DIAS 3, CAMILA CAROLINE CARLINI 3, WEMERSON DE SANTANA NERES 3, DANIELA DOS SANTOS 3 1 Médico Veterinário Autônomo, Centro

Leia mais

Aliança para um Futuro Livre de Cárie

Aliança para um Futuro Livre de Cárie Creme dental com alto teor de fluoreto Resumo completo Descrição: Os dentifrícios fluoretados foram introduzidos pela primeira vez na década de 1950. [1] O primeiro dentifrício fluoretado continha fluoreto

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO

A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO AUTORES: André Zétola Rafaela Larson Introdução A procura

Leia mais

Haste CLS Spotorno. Técnica Cirúrgica

Haste CLS Spotorno. Técnica Cirúrgica Haste CLS Spotorno Técnica Cirúrgica Técnica Cirúrgica Haste CLS Spotorno Índice Haste CLS Spotorno 4 Indicações para a Haste CLS Spotorno 5 Planeamento pré-operatório 10 Técnica Cirúrgica 12 Objecto

Leia mais

FABIANA REIS DA SILVA. COMPLICAÇÕES NO PÓS-OPERATÓRIO DE ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL: assistência e conhecimento da Enfermagem

FABIANA REIS DA SILVA. COMPLICAÇÕES NO PÓS-OPERATÓRIO DE ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL: assistência e conhecimento da Enfermagem MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA E PESQUISA EM SAÚDE ESCOLA GHC FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ FIOCRUZ INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

Leia mais

Athletic Participation After Hip and Knee Arthroplasty

Athletic Participation After Hip and Knee Arthroplasty Athletic Participation After Hip and Knee Arthroplasty Bulletin of the NYU Hospital for Joint Diseases 2010; 68(2):76-83 Alexander Golant, M.D., Dimitrios C. Christoforou, M.D., James D. Slover, M.D.,

Leia mais

Qualidade de vida com implantes dentários 1

Qualidade de vida com implantes dentários 1 DENTES BONITOS Qualidade de vida com implantes dentários 1 VOCÊ PODE REALMENTE IMPLANTAR ALEGRIA? Algumas vezes uma pequena peça de titânio pode revitalizar o seu sorriso e estimular a sua autoconfiança.

Leia mais

Planejamento pré-operatório de artroplastias totais primárias de quadril com o uso de radiografias convencionais

Planejamento pré-operatório de artroplastias totais primárias de quadril com o uso de radiografias convencionais rev bras ortop. 2014;49(2):140 148 www.rbo.org.br Artigo Original Planejamento pré-operatório de artroplastias totais primárias de quadril com o uso de radiografias convencionais Edson Hidenori Miashiro

Leia mais

Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo.

Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo. Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo. A Dentoflex vai ainda mais longe A Dentoflex está no mercado odontológico há mais de 30 anos e não para de se reiventar. Para ser

Leia mais

Artrodese do cotovelo

Artrodese do cotovelo Artrodese do cotovelo Introdução A Artrite do cotovelo pode ter diversas causas e existem diversas maneiras de tratar a dor. Esses tratamentos podem ter sucesso pelo menos durante um tempo. Mas eventualmente,

Leia mais

INFLUÊNCIA DO DIÂMETRO E DO MATERIAL NAS PRESSÕES DE CONTACTO NA COMPONENTE ACETABULAR DE UMA PRÓTESE TOTAL DA ANCA

INFLUÊNCIA DO DIÂMETRO E DO MATERIAL NAS PRESSÕES DE CONTACTO NA COMPONENTE ACETABULAR DE UMA PRÓTESE TOTAL DA ANCA INFLUÊNCIA DO DIÂMETRO E DO MATERIAL NAS PRESSÕES DE CONTACTO NA COMPONENTE ACETABULAR DE UMA PRÓTESE TOTAL DA ANCA Diogo Moreira Campos Ferreira de Almeida Dissertação para a obtenção do Grau de Mestre

Leia mais

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001 23/05/2012 10:23:44 Gestor: - Secretaria Estadual da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul Página: 1 PASSO FUNDO COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC:

Leia mais

Componentes Cerâmicos em Substituições Articulares Protéticas: Onde estamos hoje?

Componentes Cerâmicos em Substituições Articulares Protéticas: Onde estamos hoje? Venha buscar o seu Voucher para 1 Pendrive. Para todos os participantes. Componentes Cerâmicos em Substituições Articulares Protéticas: Onde estamos hoje? Simpósio 4 de Setembro de 2015, das 12:30 as 14:00

Leia mais

Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral

Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral Maio/Junho 2010 Caso Clínico Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral Di Alberti L, Donnini F, Camerino M, Di Alberti C, Rossi G, Perfetti G, Dolci M, Trisi P do Department of

Leia mais

VITUS VITUS. Sistema de Haste Femoral Proximal Vitus PF PhD Dr. Axel Probst Dr. Werner Henke

VITUS VITUS. Sistema de Haste Femoral Proximal Vitus PF PhD Dr. Axel Probst Dr. Werner Henke VITUS PhD Dr. Axel Probst Dr. Werner Henke Indicações 1. Indicações para a haste curta Vitus-PF Fraturas da região trocantérica (Tipo 31A1-3, segundo a classificação AO) Fratura transcervical do colo femoral

Leia mais

CURSO DE EPIDEMIOLOGIA BÁSICA PARA PNEUMOLOGISTAS

CURSO DE EPIDEMIOLOGIA BÁSICA PARA PNEUMOLOGISTAS CURSO DE EPIDEMIOLOGIA BÁSICA PARA PNEUMOLOGISTAS Ana M.B. Menezes 1 e Iná da S. dos Santos 2 1 Prof a Titular de Pneumologia Faculdade de Medicina UFPEL 1 Presidente da Comissão de Epidemiologia da SBPT

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR

COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR Maria de Fátima Leandro Marques¹; Suely Aragão Azevêdo Viana² ¹ Bióloga do Centro de Assistência Toxicológico do Hospital

Leia mais

Avaliação biomecânica do desempenho de prótese femoral. com rigidez variável

Avaliação biomecânica do desempenho de prótese femoral. com rigidez variável Avaliação biomecânica do desempenho de prótese femoral com rigidez variável Kelly Magalhães Trabalho de Projeto apresentada à Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança para

Leia mais

Avaliação clínica e radiográfica tardia da meniscectomia medial aberta *

Avaliação clínica e radiográfica tardia da meniscectomia medial aberta * ARTIGO ORIGINAL Avaliação clínica e radiográfica tardia da meniscectomia medial aberta * GILBERTO LUÍS CAMANHO 1, ALEXANDRE DE CHRISTO VIEGAS 2, MARCELO DA SILVA TERRA 3 RESUMO Com o objetivo de avaliar

Leia mais