Fundamentos de Segurança da Informação. Prof. M.Sc. Luiz Fernando Sirotheau Serique Junior

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fundamentos de Segurança da Informação. Prof. M.Sc. Luiz Fernando Sirotheau Serique Junior"

Transcrição

1

2 Fundamentos de Segurança da Informação Prof. M.Sc. Luiz Fernando Sirotheau Serique Junior

3 Conceito de Segurança da Informação a proteção dos sistemas de informação contra a negação de serviço a usuários autorizados, assim como contra a intrusão, e a modificação não-autorizada de dados ou informações, armazenados, em processamento ou em trânsito, abrangendo a segurança dos recursos humanos, da documentação e do material, das áreas e instalações das comunicações e computacional, assim como as destinadas a prevenir, detectar, deter e documentar eventuais ameaças a seu desenvolvimento (NBR 17999, 2003)

4 Tríade da Segurança da Informação Confidencialidade: apenas as pessoas autorizadas devem acessar a informação Integridade: a informação deve permanecer em seu estado original, sem modificações desautorizadas Disponibilidade: a informação deve estar disponível quando solicitada pelos usuários autorizados

5 Outras propriedades da SI Autenticidade: correta identificação das partes do sistema, sejam elas: recursos tecnológicos, transações, usuários ou outros sistemas. Garantia de que a parte é quem ela diz ser. Não-repúdio: impõe que nenhuma parte autorizada poderá negar a manipulação ou a transmissão uma informação na rede. Autorização: prevê que o acesso a um serviço da rede seja controlado. Auditoria: rastreabilidade dos diversos passos que um negócio ou processo realizou ou que uma informação foi submetida, identificando os participantes, os locais e horários de cada etapa Legalidade: conformidade com um sistema de legislação. Privacidade: a informação privada deve ser acessada apenas pelo seu dono. Confiabilidade: o teor de uma informação ou sistema é verdadeiro.

6 Questões sobre SI Podemos ter confidencialidade sem privacidade? Podemos ter integridade sem confiabilidade? Podemos ter não-repúdio sem autenticidade? Podemos ter auditoria sem integridade?

7 Conceitos Ativo: tudo aquilo que tem valor e precisa ser protegido Ameaça: evento potencialmente prejudicial aos ativos Medidas de proteção (controles): controles que visam livrar os ativos de situações danosas, reduzindo o campo de ação das ameaças Vulnerabilidades: ausência ou falhas de mecanismos de proteção Incidente: a concretização da ação de uma ameaça (evento) devido a existência de vulnerabilidades Agente: agente que executa o ataque Impacto: tamanho do prejuízo causado após a concretização de uma ameaça (incidente) Risco: probabilidade de ocorrência da ameaça x impacto

8 Relações dos Conceitos

9 Relação dos Conceitos

10 Ativos

11 Classificação Classificação Tangíveis: ocupam espaço e o seu furto o fazem desaparecer. Exemplos: documentos impressos ou digitais, impressoras, móveis, computadores. Intangíveis: não ocupam espaço. Exemplos: Imagem da empresa, confiabilidade do órgão, marca, dados, informação, conhecimento (knowhow). Segundo a ISO Ativos de informação: bancos de dados, documentações, materiais de treinamento, políticas de segurança, arquivos Ativos de software: aplicações, sistemas operacionais, ferramentas de desenvolvimento, utilitários Ativos físicos: computadores, equipamentos de rede, mídias digitais Serviços: serviços de computação e redes, utilidades gerais

12 Classificação Segundo a RFC 2196 (1) Hardware: CPUs, boards, keyboards, terminals, workstations, personal computers, printers, disk drives, communication lines, terminal servers, routers. (1) Software: source programs, object programs, utilities, diagnostic programs, operating systems, communication programs. (2) Data: during execution, stored on-line, archived off-line, backups, audit logs, databases, in transit over communication media. (3) People: users, administrators, hardware maintainers. (4) Documentation: on programs, hardware, systems, local administrative procedures. (5) Supplies: paper, forms, ribbons, magnetic media.

13 Levantamento de Ativos É essencial saber o que precisa ser protegido, bem como sua natureza e relevância para a organização Fontes de dados de ativos (assets) Ferramentas de inventário (Cacic, Altiris, ITIL CMDB, IBM Tivoli, Nagios, Cacti, OCS, etc) Banco de RH e colaboradores Declaração de missão e valores da organização Contratos sociais, regimentos internos, stakeholders Garantir a consistência do banco de ativos (baixa acoplamento e alta coesão) Nem sempre é fácil identificar os ativos consultorias

14 Atacantes

15 Tipos de Atacantes Script kiddies ou newbies Cyberpunks Insiderz Coders White hats, black hats e grey hats Zombies Cyberterroristas Vírus Worms Trojans Softwares defeituosos (bugs) Botnets

16 Ameaças

17 Top 10 Top 10 Security Threats 2010 Perimeter 1. Malwares 2. Malicious Insiders 3. Vulnerability Exploiting 4. Careless Employees 5. Mobile Devices 6. Social Networking 7. Social Engineering 8. Zero-day Exploits 9. Cloud Computing 10.Cyber Espionage

18 Pesquisa em Profissionais CompTIA fontes

19 Pesquisa em Empresas Ernest & Young GISS fontes

20 Pesquisa Nacional X Pesquisa Nacional de Segurança da Informação Módulo

21 Fontes de Informação Fonte Banco de dados Link Symantec ISTR Internet Security Threat Report 240 mil sensores em mais de 200 países 133 milhões de clientes, servidores e gateways 5 milhões de contas de decoy /theme.jsp?themeid=threatreport SOPHOS Específico para malwares. Mais de malwares em pic/security-report-2010.html Microsoft Security Intelligence Report Mais de 600 milhões de sistemas sir/default.aspx Trendmicro Threat Reports Mais de 80 milhões de usuários atch/research-and-analysis/threatreports/index.html Mcafee Threat Center Milhões de sistemas e usuários. enter/default.asp Cisco Global Threat Report Específico de spam. Mais de 100 mil gateways. pndevc/annual_security_report.htm Cloud Security Alliance Específico de cloud computing. g/topthreats.html Fortinet Threat Research Geral

22 Incidentes

23 Incidentes Chamado no mercado de Ataque ou Intrusão Tipos Interceptação Interrupção Modificação Fabricação

24 Principais Técnicas Engenharia Social Força bruta Malwares Bombas lógicas BHOs Spoofing Flooding Scanning Sniffing Pharming Denial-of-Service Exploits Loggers Scamming Phishing Injection Cross-site Scripting Poisoning Man-In-The-Middle Session Hijacking

25 Fontes de Incidentes - CERTs CERT Brasil - CERT Sede -

26 Medidas de Proteção (Controles)

27 Classificação Classificação dos controles Lógico: permissões em sistemas de arquivos, firewalls e perfis de usuário Físico: portas, fechaduras e guaritas Administrativo: políticas, normas e procedimentos Mecanismos Desencorajador, limitador Monitorador, detector Preventivo, reativo, corretivo

28 Controles Administrativos Leis locais e nacionais e acordos internacionais Lei Orgânica do DF, Constituição, CLT, Lei 8112, Decreto Legislativo 126/2007 (Brasil/França) Normas de referência BS 17799, ISO 2700X, ISO 15408, SOX, COBIT, ITIL Regimentos, estatutos e portarias Políticas de segurança: Diretrizes, normas, procedimentos, cartilhas Treinamentos e campanhas Planos de continuidade de negócio Auditorias

29 Políticas de Segurança

30 Requisitos das Políticas

31 Planos de Continuidade de Negócio

32 Treinamentos e Campanhas O segredo do sucesso é a implementação contínua e gradual. Ex: filmes educativos, cartilhas e guias. Exemplos Cartilha de segurança na Internet CERT Videos educativos CGI.BR

33 Controles Físicos Os controles físicos complementam a segurança dos demais controles. Normas: EN : Proteção contra fogo, aumento de temperatura e nível de umidade, impacto de carga; EN 60529/IP: Proteção contra água e poeira; NBR 10636: Resistência ao fogo e carga; DIN : Proteção contra fumaça e gases; DIN V ENV 1627/WK: Resistência à arrombamento; NBR 11515: Condições ambientais para ambientes TI; NFPA 2001 e ASTM E779: Determinação do grau de estanqueidade.

34 Classificação de Controles Físicos

35 Exemplos

36 Controles Lógicos Controles Computacionais Arquiteturas AAA (Autentication, Autorization, Accounting) Antimalware: Antivirus, Antitrojan e Antispyware Sistemas criptográficos simétricos e assimétricos Hashes Esteganografia Certificação digital Assinatura digital Listas de controle de acesso Automação de patching

37 Controles Lógicos Controles de Perímetro Firewalls de Rede Firewalls de Aplicação Sistemas de Detecção de Intrusão IDS Sistemas de Prevenção de Intrusão IPS Proxies de Aplicação VPN Gateways Unified Threat Management Security Information and Event Management Switches Layer x e NAC Blacklists

38 Vulnerabilidades

39 Buscando Vulnerabilidades Podem ocorrer em qualquer tipo de ativo Tipos Técnica Social Como encontrá-las? Sites de fabricantes Sites especializados em vulnerabilidades Ferramentas de varredura Testes de segurança

40 Avisos de Vulnerabilidades Fonte Link SANS Institute SecurityFocus Microsoft Security Advisorys Microsoft Security Bulletins LinuxSecurity Redhat Security Response Team https://www.redhat.com/security Debian Security Oracle Security Center ex.html Open Source Vulnerability Database Common Vulnerabilities and Exposures National Vulnerability Database Open Web Application Security Project

41 Vulnerabilidades em Aplicações

42 Vulnerabilidades por Camadas

43 Gestão da Segurança da Informação A segurança envolve: Tecnologia Processos Pessoas

44 Gestão da Segurança da Informação

45 Verdades Não existe segurança absoluta! A segurança é complexa, pois envolve aspectos de negócio, tecnológicos, humanos, processuais e jurídicos. O aumento de funcionalidades deixam os sistemas mais inseguros. A segurança reduz a produtividade. É preciso equilibrar a relação entre custos e segurança.

46 Mitos Isso nunca acontecerá conosco Nunca fomos atacados, não precisamos de mais segurança Já estamos seguros com o firewall Nossos fornecedores nos avisarão sobre alguma vulnerabilidade Ninguem vai descobrir essa brecha no nosso sistema Vamos colocar para funcionar, depois vemos a segurança O problemas de segurança são da TI Nosso parceiro é confiável. Podemos liberar todo acesso a ele. Segurança é um luxo para quem tem dinheiro.

47 Estratégias de Segurança Least Privilege Defense in Depth Weakest Link Choke Point Security through Obscurity Fail-safe Stance Diversity of Defense Simplicity Universal Participation

48 Defesa em Camadas

EN-3611 Segurança de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt

EN-3611 Segurança de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt EN-3611 Segurança de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, maio de 2012 Roteiro PARTE I Apresentação da Disciplina PARTE II Introdução à Segurança de Redes Apresentação

Leia mais

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores. Segurança Lógica

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores. Segurança Lógica Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores Segurança Lógica 1 Segurança Lógica Mecanismos de Controle A Segurança Lógica é aspecto abrangente e complexo, requerendo, consequentemente, um estudo

Leia mais

Riscos, Ameaças e Vulnerabilidades. Aécio Costa

Riscos, Ameaças e Vulnerabilidades. Aécio Costa Riscos, Ameaças e Vulnerabilidades Aécio Costa Riscos, Ameaças e Vulnerabilidades Independente do meio ou forma pela qual a informação é manuseada, armazenada, transmitida e descartada, é recomendável

Leia mais

Segurança da Informação. Prof. Glauco Ruiz glauco.ruiz@uol.com.br

Segurança da Informação. Prof. Glauco Ruiz glauco.ruiz@uol.com.br Segurança da Informação Prof. Glauco Ruiz glauco.ruiz@uol.com.br Segurança da Informação Segurança é importante? Qual o nosso nível de dependência? Quanto tempo podemos ficar sem nossos dados? Quanto tempo

Leia mais

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Agenda Segurança o que é? Informação o que é? E Segurança da Informação? Segurança da Informação na UFBA

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

Insider Threats Estamos convidando os inimigos a entrar?

Insider Threats Estamos convidando os inimigos a entrar? Insider Threats Estamos convidando os inimigos a entrar? Miriam von Zuben miriam@cert.br! Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil Núcleo de Informação e Coordenação

Leia mais

Introdução a Segurança de Redes Segurança da Informação. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br

Introdução a Segurança de Redes Segurança da Informação. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução a Segurança de Redes Segurança da Informação Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Objetivos Entender a necessidade de segurança da informação no contexto atual de redes de computadores;

Leia mais

Segurança e Proteção da Informação. Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br

Segurança e Proteção da Informação. Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br Segurança e Proteção da Informação Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br 1 Segurança da Informação A informação é importante para as organizações? Por que surgiu a necessidade de se utilizar

Leia mais

AVDS Vulnerability Management System

AVDS Vulnerability Management System DATA: Agosto, 2012 AVDS Vulnerability Management System White Paper Brazil Introdução Beyond Security tem o prazer de apresentar a nossa solução para Gestão Automática de Vulnerabilidade na núvem. Como

Leia mais

Conteúdo. Introdução. Introdução Segurança da Informação Barreiras de segurança Exemplos Conclusão Bibliografia

Conteúdo. Introdução. Introdução Segurança da Informação Barreiras de segurança Exemplos Conclusão Bibliografia Segurança da informação FATEC Americana Tecnologia em Análise de Sistemas e Tecnologias da Informação Diagnóstico e solução de problemas de TI Prof. Humberto Celeste Innarelli Segurança da informação 1

Leia mais

Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa

Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa Professor Gedalias Valentim Informática para Banca IADES Segurança da Informação Segurança da Informação Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa 1 Segurança da Informação

Leia mais

Daniel Moreno. Novatec

Daniel Moreno. Novatec Daniel Moreno Novatec Novatec Editora Ltda. 2015. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo, sem prévia

Leia mais

Aula 13 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL

Aula 13 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Aula 13 Mecanismos de Proteção Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Agenda ü Mecanismos de Proteção ü Antivírus ü Antimalware ü Antivírus ü Um sistema de sistema de antivírus detecta códigos maliciosos

Leia mais

Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações

Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações Símbolos Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador) que tem uma determinada

Leia mais

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral Plano de Ensino Introdução à Segurança da Informação Princípios de Criptografia Segurança de Redes Segurança de Sistemas Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador)

Leia mais

MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação

MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação Conceitos de Segurança da Informação Italo Valcy Italo Valcy Seg e Auditoria de SI, 2013.1 O que é segurança da Informação Importância

Leia mais

EMBRATEL- Business Security. Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider

EMBRATEL- Business Security. Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider EMBRATEL- Business Security Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider Daniela Ceschini Especialista em Segurança da Informação 1 AGENDA Panorama e desafios

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas

Auditoria e Segurança de Sistemas Auditoria e Segurança de Sistemas BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Segurança em ambientes Físicos e Lógicos Para garantir

Leia mais

Segurança de Redes. Introdução

Segurança de Redes. Introdução Segurança de Redes Introdução Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Apresentação Ementa Conceitos de Segurança. Segurança de Dados, Informações

Leia mais

Nova Prestech.net. Gerenciamento de Segurança da Informação com Software Livre. Consultoria e Soluções em Informática. http://www.prestech.com.

Nova Prestech.net. Gerenciamento de Segurança da Informação com Software Livre. Consultoria e Soluções em Informática. http://www.prestech.com. Consultoria e Soluções em Informática Gerenciamento de Segurança da Informação com Software Livre http://www.prestech.com.br Victor Batista da Silva Santos victor@prestech.com.br +55 21 8762-6977 +55 21

Leia mais

Evolução Tecnológica e a Segurança na Rede

Evolução Tecnológica e a Segurança na Rede Evolução Tecnológica e a Segurança na Rede Miriam von Zuben miriam@cert.br! Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasill Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CJF-POR-2015/00104 de 6 de março de 2015

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CJF-POR-2015/00104 de 6 de março de 2015 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL PORTARIA Nº CJF-POR-2015/00104 de 6 de março de 2015 Dispõe sobre a aprovação do documento acessório comum "Política de Segurança para Desenvolvimento,

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Segurança e Vulnerabilidades em Aplicações Web jobona@terra.com.br Definição: Segurança Segundo o dicionário da Wikipédia, o termo segurança significa: 1. Condição ou estado de

Leia mais

INTRODUÇÃO A SEGURANÇA EM REDES

INTRODUÇÃO A SEGURANÇA EM REDES INTRODUÇÃO A SEGURANÇA EM REDES Prof. Msc. Hélio Esperidião POR QUE SE PREOCUPAR COM A SEGURANÇA? Senhas, números de cartões de crédito Conta de acesso à internet Dados pessoais e comerciais Danificação

Leia mais

3º SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

3º SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 3º SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO AS AMEAÇAS SÃO DINÂMICAS E OS VELHOS HÁBITOS PERSISTENTES Cristiano Pimenta Diretor de Recursos Corporativos O QUE MUDOU? Um cenário de transformação Mudamos na

Leia mais

Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo

Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo (para cada problema, algumas soluções!) Rafael Soares Ferreira Diretor de Resposta a Incidentes e Auditorias rafael@clavis.com.br Conceitos

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Roubo de identidade Hackers e cibervandalismo Roubo de informações pessoais (número de identificação da Previdência Social, número da

Leia mais

Conceitos de segurança da informação. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com

Conceitos de segurança da informação. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Conceitos de segurança da informação Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Introdução A infraestrutura de rede, os serviços e dados contidos nos computadores ligados a ela são bens pessoais,

Leia mais

Ataques e Intrusões. Invasões Trashing e Engenharia Social. Classificação de Hackers

Ataques e Intrusões. Invasões Trashing e Engenharia Social. Classificação de Hackers Ataques e Intrusões Professor André Cardia andre@andrecardia.pro.br msn: andre.cardia@gmail.com Ataques e Intrusões O termo genérico para quem realiza um ataque é Hacker. Essa generalização, tem, porém,

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 5ª. Série Segurança de Redes CST em Redes de Computadores A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

Aula 14 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL

Aula 14 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Aula 14 Mecanismos de Proteção Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Agenda ü Mecanismos de Proteção ü Antivírus ü Antimalware ü Antivírus ü Um sistema de sistema de antivírus detecta códigos maliciosos

Leia mais

SEGURANÇA COMO PARTE INTEGRAL NO CICLO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

SEGURANÇA COMO PARTE INTEGRAL NO CICLO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE SEGURANÇA COMO PARTE INTEGRAL NO CICLO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Nome: Vinícius Oliveira Ferreira Email: viniciusoliveira@acmesecurity.org PGP Key ID: 0xE7960563 Agenda 2 O atual cenário da segurança

Leia mais

(In)Segurança em Aplicações Web. Marcelo Mendes Marinho mmarinho@br.ibm.com Thiago Canozzo Lahr tclahr@br.ibm.com

(In)Segurança em Aplicações Web. Marcelo Mendes Marinho mmarinho@br.ibm.com Thiago Canozzo Lahr tclahr@br.ibm.com (In)Segurança em Aplicações Web Marcelo Mendes Marinho mmarinho@br.ibm.com Thiago Canozzo Lahr tclahr@br.ibm.com Agenda Introdução Porque segurança em aplicações é prioridade? Principais causas de vulnerabilidades

Leia mais

João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br. José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br

João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br. José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br BCInfo Consultoria e Informática 14 3882-8276 WWW.BCINFO.COM.BR Princípios básicos

Leia mais

Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional

Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional Seminário de Segurança da Informação 2014 Painel "A dinâmica do cenário de ameaças à rede interna frente a um contexto GRC e às novas ferramentas

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) André Gustavo Assessor Técnico de Informática MARÇO/2012 Sumário Contextualização Definições Princípios Básicos de Segurança da Informação Ameaças

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Auditoria i e Análise de Segurança da Informação Segurança e Confiabilidade Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Dados e Informação Dado é a unidade básica

Leia mais

Segurança e Informação Ativo de ouro dessa nova era Aula 01. Soraya Christiane / Tadeu Ferreira

Segurança e Informação Ativo de ouro dessa nova era Aula 01. Soraya Christiane / Tadeu Ferreira Segurança e Informação Ativo de ouro dessa nova era Aula 01 Soraya Christiane / Tadeu Ferreira Informação É o ativo que tem um valor para a organização e necessita ser adequadamente protegida (NBR 17999,

Leia mais

Aula 03 Malware (Parte 01) Visão Geral. Prof. Paulo A. Neukamp

Aula 03 Malware (Parte 01) Visão Geral. Prof. Paulo A. Neukamp Aula 03 Malware (Parte 01) Visão Geral Prof. Paulo A. Neukamp Mallware (Parte 01) Objetivo: Descrever de maneira introdutória o funcionamento de códigos maliciosos e os seus respectivos impactos. Agenda

Leia mais

Sumário. Parte I Introdução... 19. Capítulo 1 Fundamentos da infra-estrutura de chave pública... 21. Capítulo 2 Conceitos necessários...

Sumário. Parte I Introdução... 19. Capítulo 1 Fundamentos da infra-estrutura de chave pública... 21. Capítulo 2 Conceitos necessários... Agradecimentos... 7 O autor... 8 Prefácio... 15 Objetivos do livro... 17 Parte I Introdução... 19 Capítulo 1 Fundamentos da infra-estrutura de chave pública... 21 Introdução à ICP... 21 Serviços oferecidos

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 2 0 1 5 EMPRESA A Connection está presente no mercado desde 1993 atuando nas áreas de Segurança da Informação e Gestão da Tecnologia da Informação com atuação nos três estados

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Segurança na Internet Aula 4 Profa. Rosemary Melo Segurança na Internet A evolução da internet veio acompanhada de problemas de relacionados a segurança. Exemplo de alguns casos de falta

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Professor: Cleber Schroeder Fonseca cleberfonseca@charqueadas.ifsul.edu.br 8 1 SEGURANÇA EM REDES DE COMPUTADORES 2 Segurança em redes de computadores Consiste na provisão de políticas

Leia mais

Tema 4a A Segurança na Internet

Tema 4a A Segurança na Internet Tecnologias de Informação Tema 4a A Segurança na Internet 1 Segurança na Internet Segurança Ponto de Vista da Empresa Ponto de vista do utilizador A quem Interessa? Proxy Firewall SSL SET Mecanismos 2

Leia mais

PORTARIA N Nº 182 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012.

PORTARIA N Nº 182 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012. PORTARIA N Nº 182 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012. ACRESCENTA A ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE - e-pingrio, NO SEGMENTO SEGURANÇA DE TECNOLOGIA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Leia mais

1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada no processo criptográfico.

1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada no processo criptográfico. Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha Criptografia (CESPE/PCF-PF 03 2002) 1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas: Apresentação da Disciplina

Auditoria e Segurança de Sistemas: Apresentação da Disciplina Auditoria e Segurança de Sistemas: Apresentação da Disciplina Adriano J. Holanda http://holanda.xyz 4 de agosto de 2015 Ementa Segurança em informática como fator crítico de sucesso nas empresas; Planos

Leia mais

Não podemos mudar os ventos mas podemos ajustar as velas

Não podemos mudar os ventos mas podemos ajustar as velas Não podemos mudar os ventos mas podemos ajustar as velas Segurança da Informação em Ambientes Informáticos Ética nas Redes Informáticas a) falsidade informática; b) dano sobre dados ou programas informáticos;

Leia mais

TOCI08 Segurança em Redes de Computadores Módulo 04: Análise de Riscos e Pré-Análise

TOCI08 Segurança em Redes de Computadores Módulo 04: Análise de Riscos e Pré-Análise TOCI08 Segurança em Redes de Computadores Módulo 04: Análise de Riscos e Pré-Análise Prof. M.Sc. Charles Christian Miers e-mail: charles@joinville.udesc.br Análise de Riscos Considerações sobre Análise

Leia mais

Coordenação de Segurança cooseg@celepar.pr.gov.br. 1 de 37

Coordenação de Segurança cooseg@celepar.pr.gov.br. 1 de 37 Implementando Segurança em Software Livre Coordenação de Segurança cooseg@celepar.pr.gov.br 1 de 37 Internet Incidente de Segurança Ataques Ameaças Vulnerabilidades Riscos Estatísticas Agenda Políticas

Leia mais

3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN. Segurança da Informação

3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN. Segurança da Informação 3 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA NATAL/RN Segurança da Informação 2 COMPETÊNCIAS DA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS produzir informações e conhecimentos estratégicos que possam subsidiar

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 2 0 1 4 EMPRESA A Connection está presente no mercado desde 1993 atuando nas áreas de Segurança da Informação e Gestão da Tecnologia da Informação com atuação nos três estados

Leia mais

5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB. Segurança da Informação

5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB. Segurança da Informação 5 CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM OUVIDORIA PÚBLICA JOÃO PESSOA/PB Segurança da Informação 2 COMPETÊNCIAS DA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS produzir informações e conhecimentos estratégicos que possam

Leia mais

Desafios e Soluções em Detecção de Intrusão

Desafios e Soluções em Detecção de Intrusão Empresa FIREWALLS Desafios e Soluções em Detecção de Intrusão Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC O que é a Firewalls? - Empresa Especializada em Segurança; - Profissionais Certificados; - Atenta

Leia mais

Expandindo a proteção do seu datacenter

Expandindo a proteção do seu datacenter Expandindo a proteção do seu datacenter André Alves Sales Engineer César Cândido Sr. Sales Manager 1/16/2012 1 Cyber Threats Atacante Consumerização Empregado Cloud & Virtualiza4on TI Cyber Threats A?ackers

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E b o o k E x c l u s i v o SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO P r i n c í p i o s e A p l i c ações Especialista em Serviços Gerenciados de S e g u r a n ç a de Perímetro Sumário Princípios Conceito P.3 Breve Histórico

Leia mais

Baseline de Segurança da Informação

Baseline de Segurança da Informação Diretoria de Segurança Corporativa Superintendência de Segurança da Informação Baseline de Segurança da Informação Avaliação de Fornecedor E-mail Marketing SUMÁRIO: 1. SEGURANÇA DA REDE:... 3 2. PATCHES

Leia mais

Os requisitos de SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dentro de uma organização passaram por duas mudanças importantes nas últimas décadas:

Os requisitos de SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dentro de uma organização passaram por duas mudanças importantes nas últimas décadas: $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR 6(*85$1d$($8',725,$'(6,67(0$6 ³6HJXUDQoDGH,QIRUPDo}HV &\QDUD&DUYDOKR

Leia mais

Segurança Física e Segurança Lógica. Aécio Costa

Segurança Física e Segurança Lógica. Aécio Costa Segurança Física e Segurança Lógica Aécio Costa Segurança física Ambiente Segurança lógica Programas A segurança começa pelo ambiente físico Não adianta investir dinheiro em esquemas sofisticados e complexos

Leia mais

GTS.15 Grupo Técnico em Segurança de Redes Marco Antônio Abade

GTS.15 Grupo Técnico em Segurança de Redes Marco Antônio Abade GTS.15 Grupo Técnico em Segurança de Redes Marco Antônio Abade sobre o Autor Bacharel em Análise de Sistemas pela Universidade de Ribeirão Preto e Pós-graduado em Segurança da Informação pelo ITA Instituto

Leia mais

A Evolução dos Problemas de Segurança e Formas de Proteção

A Evolução dos Problemas de Segurança e Formas de Proteção A Evolução dos Problemas de Segurança e Formas de Proteção Cristine Hoepers cristine@cert.br Klaus Steding-Jessen jessen@cert.br Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil

Leia mais

Segurança de Redes e Internet

Segurança de Redes e Internet Segurança de Redes e Internet Prof. MSc Thiago Pirola Ribeiro sg_02 alqbarao@yahoo.com.br 1 Guia Básico para Segurança de uma Rede Identificar o que se está tentando proteger; Identificar contra quem está

Leia mais

SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ:

SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ: Dados da Empresa Dados da SYSTEMBRAS SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ: 00.000.000/0001-00 Rua Paramoti, 04 Vila Antonieta SP Cep: 03475-030 Contato: (11) 3569-2224 A Empresa A SYSTEMBRAS tem como

Leia mais

Os riscos que rondam as organizações

Os riscos que rondam as organizações Os riscos que rondam as organizações Os potenciais atacantes O termo genérico para identificar quem realiza o ataque em um sistema computacional é hacker. Os hackers, por sua definição original, são aqueles

Leia mais

Segurança em Ambientes Corporativos

Segurança em Ambientes Corporativos Segurança em Ambientes Corporativos 1º Encontro de Profissionais de TI Setembro de 2010 AGENDA Conceitos Importantes História Demanda de Novos Negócios Desafios Tecnológicos Pessoas Processos EVOLUÇÃO

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores Gerência de Redes de Computadores As redes estão ficando cada vez mais importantes para as empresas Não são mais infra-estrutura dispensável: são de missão crítica, ou

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 2 0 1 5 EMPRESA A Connection está presente no mercado desde 1993 atuando nas áreas de Segurança da Informação e Gestão da Tecnologia da Informação com atuação nos três estados

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações A utilização das redes na disseminação das informações Elementos de Rede de computadores: Denomina-se elementos de rede, um conjunto de hardware capaz de viabilizar e proporcionar a transferência da informação

Leia mais

Horário da Aula: 19h30min às 20h45min / 21h às 22h23min

Horário da Aula: 19h30min às 20h45min / 21h às 22h23min Lembretes Horário da Aula: 19h30min às 20h45min / 21h às 22h23min Solicitar cadastro na seg-l Página do curso: http://www.unisinos.br/graduacao/seguranca-dainformacao/apresentacao Página do Professor:

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE SEGURANÇA DE REDES Alta disponibilidade.

QUESTIONÁRIO DE SEGURANÇA DE REDES Alta disponibilidade. QUESTIONÁRIO DE SEGURANÇA DE REDES Alta disponibilidade. 1. Quais os principais métodos para garantir alta disponibilidade? Controle de disponibilidade de hardware, controle de acesso à discos, controle

Leia mais

EN-3611 Segurança de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt

EN-3611 Segurança de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt EN-3611 Segurança de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, setembro de 2015 Roteiro PARTE I Apresentação da Disciplina PARTE II Introdução à Segurança de Redes Apresentação

Leia mais

Fortaleza Digital. Aker FIREWALL UTM. Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital.

Fortaleza Digital. Aker FIREWALL UTM. Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital. Aker FIREWALL UTM Fortaleza Digital Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital. Ideal para o ambiente corporativo, com o Aker Firewall UTM você tem o controle total das informações

Leia mais

Segurança na Internet Brasileira: Principais Ameaças e

Segurança na Internet Brasileira: Principais Ameaças e Segurança na Internet Brasileira: Principais Ameaças e Recomendações para Prevenção Luiz Eduardo Roncato Cordeiro Marcelo H. P. C. Chaves {cordeiro,mhp}@cert.br Centro de Estudos, Resposta e Tratamento

Leia mais

Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA.

Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA. 00 dd/mm/aaaa 1/11 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Conceitos

Leia mais

Empresa FIREWALLS. IDS x IPS. http://www.firewalls.com.br. Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC

Empresa FIREWALLS. IDS x IPS. http://www.firewalls.com.br. Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC Empresa FIREWALLS IDS x IPS Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC O que é a Firewalls? - Empresa Especializada em Segurança; - Profissionais Certificados; - Atenta a Padrões Internacionais; - Parceira

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação Código: PSI_1.0 Versão: 1.0 Data de Publicação: 28/05/2014 Controle de Versão Versão Data Responsável Motivo da Versão 1.0 28/05/2014 Heitor Gouveia Criação da Política

Leia mais

2015 Check Point Software Technologies Ltd. 1

2015 Check Point Software Technologies Ltd. 1 2015 Check Point Software Technologies Ltd. 1 Fontes de informação do 2015 Security Report: Mais de 16.000 Organizações 1.300 Relatórios Security Checkup 3.000 Gateways de segurança monitorados 1 Milhão

Leia mais

O que temos pra hoje?

O que temos pra hoje? O que temos pra hoje? Temas de Hoje: Firewall Conceito Firewall de Software Firewall de Softwares Pagos Firewall de Softwares Grátis Firewall de Hardware Sistemas para Appliances Grátis UTM: Conceito Mão

Leia mais

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Escola Naval Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Segurança da informação nas organizações Supervisão das Politicas de Segurança Computação em nuvem Fernando Correia Capitão-de-fragata

Leia mais

A Segurança da informação está relacionada a diferentes aspectos que são referentes à integridade, confiabilidade e disponibilidade das informações.

A Segurança da informação está relacionada a diferentes aspectos que são referentes à integridade, confiabilidade e disponibilidade das informações. Módulo 5 Segurança da Informação 2.1 Segurança da Informação A Segurança da informação está relacionada a diferentes aspectos que são referentes à integridade, confiabilidade e disponibilidade das informações.

Leia mais

ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONCEITOS BÁSICOS 1. Arquitetura e organização de computadores. 2. Conhecimentos básicos de hardware e software. 3. Configuração e administração

Leia mais

FERNANDO BRACALENTE GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EM REDE CORPORATIVA LOCAL ANALISANDO VULNERABILIDADES TÉCNICAS E HUMANAS.

FERNANDO BRACALENTE GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EM REDE CORPORATIVA LOCAL ANALISANDO VULNERABILIDADES TÉCNICAS E HUMANAS. FERNANDO BRACALENTE GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EM REDE CORPORATIVA LOCAL ANALISANDO VULNERABILIDADES TÉCNICAS E HUMANAS. Trabalho apresentado à Faculdade de Vinhedo para a obtenção do grau de Bacharel

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

Segurança + Conformidade. Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda

Segurança + Conformidade. Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda Segurança + Conformidade Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda Segurança e Conformidade via Software-as-a-Service (SaaS) Hoje em dia, é essencial para as empresas administrarem riscos de segurança

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR Nome: André Luís Belini

Leia mais

4.1 Analisando / avaliando os riscos de segurança da informação.

4.1 Analisando / avaliando os riscos de segurança da informação. 4.Analise / avaliação e tratamento de riscos. Devemos identificar os riscos de segurança e depois priorizar cada risco com base nos critérios, verificar o que é mais critico para a empresa. Deve-se fazer

Leia mais

Soluções em Mobilidade

Soluções em Mobilidade Soluções em Mobilidade Soluções em Mobilidade Desafios das empresas no que se refere a mobilidade em TI Acesso aos dados e recursos de TI da empresa estando fora do escritório, em qualquer lugar conectado

Leia mais

Segurança de Redes. FUMEC Upgrade Ciência da Computação Márcio H. C. d Ávila 2001 / 1º Semestre. Sumário

Segurança de Redes. FUMEC Upgrade Ciência da Computação Márcio H. C. d Ávila 2001 / 1º Semestre. Sumário Segurança de Redes FUMEC Upgrade Ciência da Computação Márcio H. C. d Ávila 2001 / 1º Semestre Sumário Introdução a Segurança Vulnerabilidades, Ameaças e Ataques Criptografia Autenticação Segurança de

Leia mais

Para cada questão responda se a afirmativa está certa ou errada, JUSTIFICANDO:

Para cada questão responda se a afirmativa está certa ou errada, JUSTIFICANDO: Exercícios de Segurança de Informação Ameaças lógicas Para cada questão responda se a afirmativa está certa ou errada, JUSTIFICANDO: 1) Vírus de macro infectam arquivos criados por softwares que utilizam

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Prof. Me. Humberto Moura humberto@humbertomoura.com.br Evolução da TI Postura TI Níveis de TI Princípios de TI (papel da TI perante o negócio) Arquitetura

Leia mais

Segurança nas Nuvens Onde Coloco Meus Dados?

Segurança nas Nuvens Onde Coloco Meus Dados? Segurança nas Nuvens Onde Coloco Meus Dados? Expectativa de 20 minutos Uma abordagem prática e sensata de usar os Serviços em Nuvem de forma segura. Segurança nas Nuvens O que é? Quais as Vantagens das

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Tópicos Motivação; Características; Histórico; Tipos de detecção de intrusão; Detecção de intrusão baseada na rede; Detecção

Leia mais

Serviços Técnicos de Campo

Serviços Técnicos de Campo Serviços Técnicos de Campo Advanta possui um amplo portfólio de serviços técnicos de campo disponível em todo o território nacional por meio de seu corpo técnico especializado. As competências multi-vendor

Leia mais

Disciplina: Administração de Redes de Computadores.

Disciplina: Administração de Redes de Computadores. Disciplina: Administração de Redes de Computadores. Abordagem: Segurança Prof. Leandro Meireles 2011.2 Sistema Seguro Confidencialidade Integridade Disponibilidade Porque se preocupar com a segurança?

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE TAQUARITINGA PLANO DE ENSINO 2013 2º SEMESTRE DE 2013 14 ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE TAQUARITINGA PLANO DE ENSINO 2013 2º SEMESTRE DE 2013 14 ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS 1 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE TAQUARITINGA ANO PLANO DE ENSINO 2013 2º SEMESTRE DE 2013 DEPARTAMENTO 14 ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISCIPLINA 1435 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROFESSOR RESPONSÁVEL

Leia mais