INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CAROLINE MIDORI MORI LIA AYUMI TAKIGUCHI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CAROLINE MIDORI MORI LIA AYUMI TAKIGUCHI"

Transcrição

1 INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CAROLINE MIDORI MORI LIA AYUMI TAKIGUCHI SISTEMA DE MONITORAMENTO DE VEÍCULOS SIMON PARANAGUÁ

2 CAROLINE MIDORI MORI LIA AYUMI TAKIGUCHI SISTEMA DE MONITORAMENTO DE VEÍCULOS SIMON Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao curso de Técnico em Informática - Ensino Médio Integrado do Instituto Federal do Paraná como requisito de parcial de avaliação. Orientador: MSc. Gil Eduardo de Andrade Co-Orientadora: Dra. Gislaine Garcia Faria PARANAGUÁ

3 Dedicamos este trabalho, apesar de seus humildes resultados, a cidade de Paranaguá, e que no futuro outros trabalhos mais eficazes possam agracia-la da forma que merece. 3

4 AGRADECIMENTOS Ao orientador, MSc. Gil Eduardo de Andrade, por nos motivar quando tudo parecia dar errado. À co-orientadora, Dra. Gislaine Garcia Faria, pela sua inextinguível paciência. Aos professores do Eixo de Comunicação e Informação pela confiança e incentivo. Ao colega e amigo Luiz Gabriel Dalago Gouvêa pela luz que nos trouxe nos momentos finais. Às famílias por seus esforços a nos garantir uma educação de qualidade. Ao IFPR por nos proporcionar uma nova visão de mundo. A todos as pessoas que direta ou indiretamente contribuíram para nos manter no rumo. 4

5 Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe. Oscar Wilde. Tornei-me insano com longos intervalos de horrível sanidade. Edgar Allan Poe 5

6 RESUMO Nestes anos de curso, observando o dia-a-dia dos estudantes, notou-se como a inconstância no serviço de transporte público parnanguara afeta, não só os alunos, mas também toda população dependente dele. No caso específico do IFPR Paranaguá, existem diversos agravantes para piorar a questão. Além dos horários flutuantes, há apenas uma linha que atende ao bairro em que a instituição está localizada, e o número de ônibus e os intervalos com que eles passam não suprem eficientemente as demandas dos alunos. Para amenizar o problema, propõe-se o desenvolvimento de um sistema web que permita aos usuários do serviço público de transporte, bem como a qualquer outra pessoa ou entidade interessada, o acompanhamento remoto dos ônibus ou outros tipos de veículo. Com esse fim, SIMON, Sistema de Monitoramento de Veículos, como foi chamado o projeto, tenciona monitorar objetos móveis através de páginas rodando no navegador de dispositivos portadores do sistema operacional Android. Palavras-chave: Geoposicionamento. Monitoramento de veículos. Android. Web. 6

7 ABSTRACT In these course years, watching the daily life of the students, it was noted how the inconstancy on public transportation service in Paranaguá affects, not only scholars, but also the entire population dependent on that. In the specific case of the IFPR local campus, there are diverse aggravating factors to worsen the question. Besides the floating schedule, there is only one line that serves the neighborhood in which the institution is located, and the number of buses and the intervals they pass by do not suppress efficiently the students demands. To ease the issue, it is purposed the development of a web system that allows users of public transportation system as well as any other person or entity interested to follow the buses or other kinds of vehicle remotely. With this end, SIMON, Vehicle Monitoring System, as was called the project, intends to observe mobile objects by pages working on Android operating system devices navigator Keywords: Geopositioning. Vehicle monitoring. Android. Web. 7

8 LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 Diagrama de Caso de Uso do módulo Admin FIGURA 2 Diagrama de Caso de Uso do módulo Cliente FIGURA 3 Diagrama de Caso de Uso do módulo Veículo FIGURA 4 Diagrama de Sequência do módulo Admin FIGURA 5 Diagrama de Sequência do módulo Cliente FIGURA 6 Diagrama de Sequência do módulo Veículo FIGURA 7 Modelo Entidade Relacionamento SIMON FIGURA 8 Diagrama Relacional do banco de dados do sistema FIGURA 9 Tela de login do módulo Admin FIGURA 10 Tela inicial do módulo Admin com um menu à esquerda mostrando suas funcionalidades FIGURA 11 Tela de identificação do veículo a ser monitorado FIGURA 12 Tela de envio no Android FIGURA 13 Tela de envio no Windows FIGURA 14 Tela do módulo Cliente

9 LISTA DE TABELAS TABELA 1 Tabela Veículo TABELA 2 Tabela Usuario TABELA 3 Tabela TipoVeiculo TABELA 4 Tabela CaminhoPercorrido TABELA 5 Tabela PontoPercorrido

10 LISTA DE SIGLAS API Application Programming Interface BD Banco de Dados CSS Cascading Style Sheets GPS Global Positioning System HTML Hypertext Markup Language IDE Integrated Development Environment IFPR Instituto Federal do Paraná IP Internet Protocol PHP Personal Home Page SIMON Sistema de Monitoramento de Veículos SQL Structured Query Language WHATWG Web Hypertext Application Technology Working Group 10

11 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO JUSTIFICATIVA DESAFIOS CONTRIBUIÇÕES ESPERADAS OBJETIVOS Objetivos Gerais Objetivos Específicos FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ANDROID Desenvolvimento de Aplicações Android HTML API GEOLOCATION DO HTML API GOOGLE MAPS V METODOLOGIA ANÁLISE DE REQUISITOS Módulo Admin Módulo Veículo Módulo Cliente MODELAGEM DO SISTEMA Diagramas de Caso de Uso Diagramas de Classes MODELAGEM DO BANCO DE DADOS Modelo Entidade-Relacionamento Modelo Relacional

12 Dicionário de Dados RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS TRABALHOS FUTUROS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

13 1. INTRODUÇÃO Propôs-se neste trabalho o desenvolvimento de um sistema que permita o monitoramento de veículos urbanos, em especial dos ônibus que compõem a frota do transporte municipal. O sistema é composto de três grandes módulos: o programa administrador, onde a empresa cadastrará seus veículos; o programa que ficará em um dispositivo móvel dentro do veículo monitorado e que será encarregado de informar a posição deste no mapa ao banco de dados num servidor remoto; e o aplicativo destinado à população, que permitirá consultar a localização desses veículos CONTEXTUALIZAÇÃO Na cidade de Paranaguá, apenas uma empresa é responsável pelo transporte coletivo municipal e opera com uma frota de cerca de 50 ônibus 1. As informações sobre os horários e rotas dos veículos são apresentadas em uma página na internet. Essas informações, porém, são apresentadas de forma pouco intuitivas, de maneira que um visitante que não conhece os trajetos teria dificuldade em compreendê-las. Os horários divulgados encontram-se divididos em tabelas para cada rota e dia da semana (segunda a sexta-feira; sábados; domingos/feriados). As tabelas são, ainda, classificadas em Saída do Terminal e Saída do Bairro, onde mostram apenas as horas em que o veículo saí do ponto de início e o final, sem dados dos pontos intermediários. Quanto aos caminhos por onde passam as linhas, estes estão apenas registrados de modo escrito, sem o apoio de mapas ou outras imagens, que auxiliariam os prospectivos passageiros na compreensão desses dados. Em contrapartida, já funcionam na cidade de Curitiba softwares que atuam na melhora da qualidade da oferta do serviço de transporte urbano. Dois exemplos deles são o Busão Curitibano e o TáxiJá. O primeiro programa permite a identificação de linhas que passam próximo ao local onde o usuário está e o acompanhamento em tempo real dos veículos. O segundo busca o táxi mais próximo de um cliente e permite que o taxista seja chamado para apanhá-lo. 1 Viação Rocio, disponível no site: 13

14 1.2. JUSTIFICATIVA Na atualidade, há uma crescente preocupação com o tempo. As pessoas estão sempre com pressa. Prazos e datas são estabelecidos para qualquer tipo de atividade. Vive-se em função de um cronograma. Em contraste a essa demanda por pontualidade, encontramos serviços falhos ou inconstantes. Sendo assim, devido aos muitos transtornos gerados pelos horários irregulares do transporte coletivo nas imediações do IFPR - Campus Paranaguá, enxergou-se a possibilidade de elaborar um trabalho que pudesse contribuir em amenizar um problema inserido em nossa realidade e, mais além, em toda a nossa cidade DESAFIOS Os principais desafios no desenvolvimento do projeto são relacionados à utilização da tecnologia de geoposicionamento (GPS) combinada com a programação voltada a dispositivos móveis e a transmissão de dados desses dispositivos a um servidor remoto. Essas foram consideradas as maiores dificuldades por envolverem conhecimentos até então não adquiridos CONTRIBUIÇÕES ESPERADAS Espera-se que, com a realização do projeto, seja possível apresentar um software que facilite a vida de usuários de algum tipo de rede de veículos, de forma a otimizar o tempo dessas pessoas e evitar desencontros com as unidades móveis monitoradas. De uma forma mais específica, deseja-se aplicar o sistema sobre o transporte coletivo municipal para permitir o melhor gerenciamento do tempo dos estudantes do IFPR no que tange ao seu deslocamento. 14

15 1.5. OBJETIVOS Objetivos Gerais Desenvolver sistema composto por: um software que permita a leitura e transmissão das coordenadas geográficas de veículos, sejam eles ônibus, viaturas, ou qualquer outro tipo de automóvel; uma página web que possibilite aos administradores o controle dos dados do sistema; e um aplicativo para dispositivos móveis que permita ao usuário acompanhar a localização e o deslocamento dos tais veículos a fim de aperfeiçoar a oferta de determinados serviços à população Objetivos Específicos - Cadastrar veículos; - Manter usuários para administrar o sistema; - Determinar a posição de um veículo e transmitir suas coordenadas a um servidor; - Mostrar a localização de veículos. 15

16 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 2.1. ANDROID O sistema operacional Android estava sendo desenvolvido por uma pequena empresa, a Android Inc., baseando-se no kernel Linux, com o objetivo de ser uma plataforma flexível que pudesse proporcionar uma fácil customização para os fabricantes de dispositivos móveis. A Google, que tinha na época intenções de se expandir para a área de sistemas operacionais móveis, conquistou, em 2005, o controle da Android Inc., ainda no estágio inicial. Em 2008, o Android finalmente chega ao mercado norte americano. Android, porém, não se refere apenas a um sistema operacional, mas sim a toda uma plataforma que envolve, além do SO, middleware e aplicações (SCHEMBERGER; FREITAS; VANI, 2009?) Desenvolvimento de Aplicações Android Com o lançamento da plataforma Android, veio também a sua primeira versão de ambiente de desenvolvimento (LECHETA, 2010, p. 17). O Android SDK é um conjunto de ferramentas que permite o desenvolvimento de aplicativos que inclui API para linguagem Java, emulador de celular e demais utilitários. Por ser baseada em Java, a programação para Android pode ser feita por meio de IDEs convencionais, tais como o NetBeans e o Eclipse. Há ainda outra forma de se produzir aplicativos para dispositivos Android, esta envolve o desenvolvimento de páginas web convencionais, as quais podem ser rodadas no navegador do aparelho em questão. Usa-se no presente projeto este último meio e, para isso adota-se a IDE NetBeans HTML 5 O HTML foi criado com a função de ser independente de qualquer plataforma, evitando limitações e incompatibilidade de formatos, sendo assim, acessível, não importando as diferentes características dos dispositivos em que será empregado. Com o crescimento e evolução do HTML novas versões foram surgindo e o HTML 5 foi fruto de uma aprimoração do HTML 4 feita pelo grupo WHATWG, Web Hypertext Application Technology Working Group. Uma das atualizações feitas pelo grupo foi habilitar ferramentas como o CSS e o Java Script inexistentes na versão 16

17 anterior, com objetivo de facilitar ao desenvolvedor a manipulação de elementos de forma que não seja intrusiva e que fique transparente para o usuário final API GEOLOCATION DO HTML 5 A API Geolocation do HTML 5 possibilita a localização de um ponto no globo, porém sempre pedindo a autorização ao usuário para obter essa informação sobre sua máquina. Ela também não exige que o dispositivo requerente da informação possua algum dispositivo de GPS, pois consegue rastreá-lo por meio de seu endereço IP, este, porém, constitui em um fator responsável por gerar imprecisões nas consultas, já que o método baseia-se em cálculos e estimativas do posicionamento da máquina na rede API GOOGLE MAPS V3 Essa API da Google permite a utilização de mapas dinâmicos e de outros recursos oferecidos gratuitamente por um dos produtos dessa empresa, o Google Maps. Através dela, pode-se mostrar informações dentro de mapas, sendo que tais informações podem ser atualizadas de modo assíncrono na aplicação. Além disso, recursos como o do Street View podem ser habilitados. 17

18 3. METODOLOGIA Para a realização do projeto proposto, inicialmente foram empregadas as devidas etapas da Engenharia de Software: Análise de Requisitos; Modelagem do Sistema; Modelagem do Banco de Dados. Paralelamente ao processo de modelagem do sistema, realizou-se o estudo da programação voltada ao Android. O sistema é dividido em módulos para garantir uma melhor organização no desenvolvimento e facilitar nos testes. O primeiro, um programa administrador para manter e editar os registros do banco de dados, este é o módulo Admin. O segundo, o módulo Veículo, é um software responsável por mandar as coordenadas do veículo ao servidor BD. E o terceiro, módulo Cliente, a interface com o usuário final, que apresentará as informações processadas a partir dos dados do banco. Todo o sistema foi desenvolvido em PHP e JavaScript, com organização e design em HTML e CSS. Para o armazenamento dos dados, emprega-se um banco de dados SQL, sob o gerenciador MySQL utilizando a ferramenta administrativa phpmyadmin ANÁLISE DE REQUISITOS Nos tópicos a seguir serão descritas as funcionalidades para cada um dos três módulos do sistema. 18

19 Módulo Admin Neste módulo serão realizados os seguintes processos: Autenticação do login; Cadastro de veículos; Edição nos dados dos veículos; Exclusão de veículos; Cadastro de usuários do módulo; Edição nos dados do usuário; Exclusão de usuários; Exclusão de rotas; Exclusão de pontos Módulo Veículo processos: Neste módulo, voltado a dispositivos Android serão realizados os seguintes Identificar veículo; Identificar rota; Envio de coordenadas. 19

20 Módulo Cliente No módulo Cliente, serão realizados os seguintes processos: Localizar veículo; Procurar se possui rota; Mostrar rota; Calcular tempo. 20

21 3.2. MODELAGEM DO SISTEMA Diagramas de Caso de Uso A FIGURA 1 representa o diagrama do módulo Admin, o qual é responsável pelo controle dos dados do sistema. O usuário administrador pode manter os registros de veículos e funcionários. No diagrama do módulo Cliente (FIGURA 2), é descrita a funcionalidade disponível ao usuário comum do sistema, cliente ou monitorador dos veículos, que é simplesmente visualizar o percurso realizado por estes. Na FIGURA 3, tem-se o diagrama do módulo Veículo, onde é ilustrada a interação do usuário desse módulo com o sistema: a identificação do veículo e o desencadeamento dos envios periódicos das coordenadas geográficas do veículo em que está esse usuário e seu software. FIGURA 1 Diagrama de Caso de Uso do módulo Admin 21

22 FIGURA 2 Diagrama de Caso de Uso do módulo Cliente FIGURA 3 Diagrama de Caso de Uso do módulo Veículo 22

23 Diagramas de Classes Visto que o sistema não é baseado no paradigma orientado a objetos, devido aos rumos tomados ao longo do projeto, não há diagramas de classes Diagramas de Sequência Os diagramas de sequência exemplificam o fluxo das ações executadas por um usuário operando o sistema. Assim sendo, a FIGURA 4 traz o diagrama de sequência do módulo Admin, onde o usuário, para acessar as funcionalidades, tem que, primeiramente, fazer login no sistema, então, lá ele pode optar por manter veículos ou funcionários, ou seja, outros usuários do módulo Admin. FIGURA 4 Diagrama de Sequência do módulo Admin. 23

24 No diagrama de sequência do módulo Cliente (FIGURA 5) está uma representação da interação do usuário com a página web, que consiste basicamente em consultar dados tratados provenientes do banco de dados do SIMON. Já na FIGURA 6, há o diagrama de sequência do módulo Veículo, no qual um funcionário dentro do veículo interage com o sistema, ligando-o e indicando o código da máquina monitorada. A partir de uma correspondência desse código no banco, o módulo começa a enviar as coordenadas ao servidor, as quais servirão para alimentar o módulo Cliente. FIGURA 5 Diagrama de Sequência do módulo Cliente. FIGURA 6 Diagrama de Sequência do módulo Veículo. 24

25 3.3. MODELAGEM DO BANCO DE DADOS Modelo Entidade-Relacionamento O modelo entidade-relacionamento do SIMON é apresentado na FIGURA 7, onde são organizados os dados que serão armazenados no banco de dados. A base de dados é o elo de todo o SIMON. A tabela usuário, porém, é apenas acessada pelo módulo Admin para que se possa haver um controle de quem acessa esse software. FIGURA 7 Modelo Entidade Relacionamento SIMON 25

26 Modelo Relacional O modelo relacional do banco de dados do SIMON (FIGURA 7) é apresentado a seguir. O modelo inclui tabelas utilizadas nos três módulos com o detalhamento dos tipos dos dados que serão mantidos. Dando uma atenção especial aos campos de latitude e longitude, estes são do tipo double, um tipo de dado que armazena números reais, apesar de que quando estudadas em cartografia, essas grandezas são utilizadas comumente em graus, minutos e segundos. FIGURA 8 Diagrama Relacional do banco de dados do sistema 26

27 Dicionário de Dados No Dicionário de Dados, são apresentados em tabelas todos os dados registrados no banco de dados e a descrição deles. Na Tabela Veiculo (TABELA 1), há o cadastro dos veículos que serão monitorados, aos quais é atribuído um tipo e podem cumprir uma determinada rota. A Tabela Usuario (TABELA 2) traz o registro dos usuários para o controle do acesso à edição dos dados do sistema. Dados para a caracterização de um veículo, onde, de modo geral, pode-se armazenar seu modelo ou a presença ou não de estrutura para atendimento de portadores de necessidades especiais, por exemplo, são gravados na Tabela TipoVeiculo (TABELA 3). A Tabela CaminhoPercorrido (TABELA 4) descreve o caminho percorrido por um veículo numa determinada viagem, ou seja, é um agrupamento de pontos percorridos. A Tabela PontosPercorridos (TABELA 5) descreve os pontos em que um veículo esteve, nesta tabela são registradas as coordenadas geográficas, armazenadas em formato double, pois é desse modo que são trabalhadas pela API Geolocation e pela API Google Maps do JavaScript. 27

28 Tabela Veículo Campo Tipo de Dado Descrição Tamanho Observação PK numveiculo INT Id do veículo Não nulo FK codtipo INT Não nulo TABELA 1 Tabela Veículo Tabela Usuario Campo Tipo de Dado Descrição Tamanho Observação PK CPF VARCHAR 11 Não nulo Login VARCHAR 25 Não nulo Senha VARCHAR 10 Não nulo TABELA 2 Tabela Usuario Tabela TipoVeiculo Campo Tipo de Dado Descrição Tamanho Observação PK codtipo INT Não nulo, AI Descrição VARCHAR Especificações 30 Não nulo TABELA 3 Tabela TipoVeiculo Tabela CaminhoPercorrido Campo Tipo de Dado Descrição Tamanho Observação PK codcaminhopercorrido INT Id da rel. Não nulo, AI FK codrota INT Id da rota FK numveiculo INT Id do veiculo Não Nulo TABELA 4 Tabela CaminhoPercorrido 28

29 Tabela PontoPercorrido Campo Tipo de Dado Descrição Tamanho Observação PK codpontopercorrido INT Id da rel. Não nulo, AI Latitude DOUBLE Não nulo Longitude DOUBLE Não Nulo FK Hora codcaminhopercorrido ida TABELA 5 Tabela PontoPercorrido DATETIME INT BOOLEAN Id do Caminho Percorrido Não nulo Não Nulo Não Nulo 29

30 4. RESULTADOS OBTIDOS O sistema foi trabalhado em três módulos como planejado, a saber: Módulo Admin, Módulo Cliente e Módulo Veículo; todos em PHP e JavaScript, com apoio na organização visual de HTML e CSS. A FIGURA 9 e a FIGURA 10 exibem a tela de login e o menu inicial do módulo Admin, respectivamente. FIGURA 9 Tela de login do módulo Admin. 30

31 FIGURA 10 Tela inicial do módulo Admin com um menu à esquerda mostrando suas funcionalidades. Na FIGURA 11, tem-se a tela que o funcionário dentro do veículo monitorado verá ao ligar inicializar o SIMON, o veículo terá de ter sido inicialmente cadastrado no módulo Admin para que o sistema prossiga e envie sua posição ao servidor. À esquerda, há a tela rodando no Android e, à direita, ela no Windows. FIGURA 11 Tela de identificação do veículo a ser monitorado. 31

32 Feito o login no módulo Veículo, a aplicação já inicia o envio das coordenadas do aparelho, que, por consequência, serão as mesmas do veículo em que ele está. A FIGURA 12 ilustra a aparência do módulo em Android e a FIGURA 13 o apresenta em funcionamento na plataforma Windows. Um notável detalhe desta imagem é o símbolo que aparece em seu canto superior direito, um alvo, que indica que a página executada requer a localização do usuário. FIGURA 12 Tela de envio no Android. FIGURA 13 Tela de envio no Windows. 32

33 No módulo Cliente é exibido o percurso realizado pelo veículo monitorado através de linhas vermelhas (FIGURA 14), onde um marcador destaca o ponto atual dele. Não se pôde exibir o percurso de diversos veículos como planejado, porém é mostrado que, com a metodologia proposta, é, sim, viável implantar um sistema de monitoramento relativamente simples e funcional em frotas urbanas. FIGURA 14 Tela do módulo Cliente. 33

34 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS O processo de desenvolvimento do SIMON rendeu um aprendizado em diversas áreas do conhecimento. Ao longo do projeto, além do esperado estudo voltado à programação, também se pôde discutir questões relacionadas à política e à geografia do município em que estamos inseridos e ainda exercitar a língua inglesa, visto que parte das fontes acerca dos temas abordados é escrita nesse idioma. No que tange à área técnica, através de pesquisas houve a possibilidade de enriquecer e aprofundar os conteúdos vistos na grade curricular do curso, além de que, durante a gestação do SIMON, caminhos completamente distintos dos percorridos em sala de aula foram estudados, ainda que seus resultados não tenham sido implementados no produto final do trabalho. Como um todo, os objetivos definidos no projeto foram atingidos. Após remodelações nas ideias iniciais, obteve-se um sistema que captura e envia o posicionamento de um veículo em um módulo e o exibe para o cliente em outro. Tudo interligado através de um banco de dados em comum, o qual é manipulado, ainda, por um terceiro módulo TRABALHOS FUTUROS Apesar de os objetivos terem sido atendidos, as expectativas não o foram completamente. Assim, em trabalhos futuros, pretende-se realizar melhoramentos no sistema, para que ele possa: monitorar diversos veículos simultaneamente; permitir o cadastro e o controle rotas; controlar horários e verificar atrasos. 34

35 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CHERUBINI, F. Aplicativos de Ônibus em Curitiba. Gazeta do Povo, Curitiba, 20 abr Disponível em: <http://www.gazetadopovo.com.br/gaz/mundobit/mobilidade-a-um-clique-docelular/>. Acesso em: 08 dez EIS,D.; FERREIRA, E. HTML5: Curso W3C Escritório Brasil. Disponível em: < Acesso em: 24 out FLANAGAN, D. JavaScript: o guia definitivo. Tradução José Eduardo Nóbrega Tortello. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, GOMES, R. C.; FERNANDES, J. A. R.; FERREIRA, V. C. Sistema Operacional Android. Disponível em: < Acesso em: 18 abr GOOGLE. API Android do Google Maps. Disponível em: <https://developers.google.com/maps/documentation/android/?hl=pt-br>. Acesso em: 11 abr GOOGLE. Google Maps JavaScript API v3: Getting started. Disponível em: <https://developers.google.com/maps/documentation/javascript/tutorial>. Acesso em: 26 set GOOGLE. Google Maps JavaScript API v3: Simple Polylines. Disponível em: <https://developers.google.com/maps/documentation/javascript/examples/polyli ne-simple >. Acesso em: 14 nov LECHETA, R. R. Google Android: aprenda a criar aplicações para dispositivos móveis com o Android SDK. 2 ed. São Paulo: Novatec,

36 PEREIRA, R. Google Maps API v3: Criando um mapa personalizado. Disponível em: <http://www.princiweb.com.br/blog/programacao/googleapis/google-maps-api-v3-criando-um-mapa-personalizado.html>. Acesso em: 04 dez SCHEMBERG, E. E.; FREITAS, I.; VANI, R. Plataforma Android. Disponível em: <http://www.jornaltech.com.br/wpcontent/uploads/2009/09/artigo_android.pdf>. Acesso em: 18 abr SILVA, M. S. HTML 5: A linguagem de marcação que revolucionou a web. São Paulo: Novatec,

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

GuiBi: Um aplicativo para plataforma Android com um guia comercial da cidade de Bambuí MG

GuiBi: Um aplicativo para plataforma Android com um guia comercial da cidade de Bambuí MG GuiBi: Um aplicativo para plataforma Android com um guia comercial da cidade de Bambuí MG Bruno Alberto Soares Oliveira 1,3 ; Lucas Vieira Murilo 1,3 ; Maik Olher Chaves 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento

O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery http://re.granbery.edu.br - ISSN 1981 0377 Curso de Sistemas de Informação - N. 7, JUL/DEZ 2009 O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG

Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG Henrique de Oliveira Graduando em Sistemas de Informação Fernando Roberto Proença Mestre em Ciência

Leia mais

TÍTULO: IBUS: INTELIGÊNCIA EM MOBILIDADE URBANA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA

TÍTULO: IBUS: INTELIGÊNCIA EM MOBILIDADE URBANA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA TÍTULO: IBUS: INTELIGÊNCIA EM MOBILIDADE URBANA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO AUTOR(ES):

Leia mais

Acessando a Plataforma de Rastreamento

Acessando a Plataforma de Rastreamento Acessando a Plataforma de Rastreamento Para acessar a plataforma digite no seu navegador preferido o endereço: xxxxxxxx.mloc.com.br onde xxxxxxxx é o nome da sua empresa de rastreamento. Ex: rastreadora.mloc.com.br

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO E PESQUISA FORMULÁRIO II: Relatório de Atividades de Pesquisa

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO E PESQUISA FORMULÁRIO II: Relatório de Atividades de Pesquisa PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO E PESQUISA FORMULÁRIO II: Relatório de Atividades de Pesquisa 1. IDENTIFICAÇÃO TÍTULO TMCAP Tecnologia Móvel para Captura e Armazenamento

Leia mais

SIGMAON SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRAFICA PARA MONITORAMENTO DE ALAGAMENTOS ON-LINE

SIGMAON SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRAFICA PARA MONITORAMENTO DE ALAGAMENTOS ON-LINE SIGMAON SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRAFICA PARA MONITORAMENTO DE ALAGAMENTOS ON-LINE Marcio Jose Mantau,1 Giovane Farias Aita2, Jaison Ademir Savegnani3, Carlos Alberto Barth4 Palavras-chave: Sistemas de

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID Alessandro Teixeira de Andrade¹; Geazy Menezes² UFGD/FACET Caixa Postal 533,

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA Rodrigo Luiz da Rosa Estrela 2012 EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação TÍTULO: SISTEMA DE LOCADORA AUTOR:

Leia mais

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROF. ERWIN ALEXANDER UHLMANN Universidade Guarulhos Página 1 Agradecimentos Agradeço a todos os alunos que com suas dúvidas me ajudaram a

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS Leandro Guilherme Gouvea 1, João Paulo Rodrigues 1, Wyllian Fressatti 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil leandrog.gouvea@gmail.com,

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG CURSO SUPERIOR EM TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG CURSO SUPERIOR EM TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG CURSO SUPERIOR EM TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Eduardo Lagares dos Santos Luiz Henrique do Vale Brasileiro Machado Maurílio Henrique

Leia mais

MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER

MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER Alex Lage de Morais 1 ; Wilson Cabral de Sousa Jr. 2 ;Elaine Nolasco Ribeiro 3 RESUMO - Uma parte do projeto

Leia mais

PROTÓTIPO DE APLICAÇÃO PARA O PROBLEMA DE ROTEAMENTO DE VEÍCULOS EM DISPOSITIVOS MÓVEIS NA PLATAFORMA ANDROID

PROTÓTIPO DE APLICAÇÃO PARA O PROBLEMA DE ROTEAMENTO DE VEÍCULOS EM DISPOSITIVOS MÓVEIS NA PLATAFORMA ANDROID PROTÓTIPO DE APLICAÇÃO PARA O PROBLEMA DE ROTEAMENTO DE VEÍCULOS EM DISPOSITIVOS MÓVEIS NA PLATAFORMA ANDROID Acadêmica: Shaiane Mafra Casa Orientador: Jacques Robert Heckmann 07/2013 Roteiro Introdução

Leia mais

AUTOR(ES): CARLOS ANTONIO PINHEIRO PINTO, ERMÍNIO PEDRAL SANTANA, GUILHERME CASSIANO DA SILVA

AUTOR(ES): CARLOS ANTONIO PINHEIRO PINTO, ERMÍNIO PEDRAL SANTANA, GUILHERME CASSIANO DA SILVA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SISTEMA MÓVEL DE COMPRAS POR QR CODE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

SISTEMA PARA LOCALIZAÇÃO E GERENCIAMENTO DE TÁXIS 1 SYSTEM FOR LOCATION AND MANAGEMENT OF TAXIS

SISTEMA PARA LOCALIZAÇÃO E GERENCIAMENTO DE TÁXIS 1 SYSTEM FOR LOCATION AND MANAGEMENT OF TAXIS Disciplinarum Scientia. Série: Naturais e Tecnológicas, Santa Maria, v. 16, n. 1, p. 95-107, 2015. Recebido em: 25.05.2015. Aprovado em: 29.06.2015. ISSN 2176-462X SISTEMA PARA LOCALIZAÇÃO E GERENCIAMENTO

Leia mais

7 Utilização do Mobile Social Gateway

7 Utilização do Mobile Social Gateway 7 Utilização do Mobile Social Gateway Existem três atores envolvidos na arquitetura do Mobile Social Gateway: desenvolvedor do framework MoSoGw: é o responsável pelo desenvolvimento de novas features,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 Prezados Senhores da comissão de licitação da UENF, seguem alguns questionamentos acerca do edital de concorrência 01/2013 para esclarecimentos: 1. ANEXO

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS

Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS Alcides Vaz da Silva 1 Luiz Gustavo Galves Mählmann 2 Newton Muller 3 RESUMO Este artigo apresenta o projeto de desenvolvimento de um Sistema de Informação

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1

SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1 615 SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1 Guilherme Paulo de Barros 2, Arthur Lemos 3, Heber Fernandes Amaral 4 Resumo: Nos dias atuais, com a popularização

Leia mais

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL Solução Tecnologia Monitoramento Instalação SOLUÇÃO A solução de rastreamento Unepxmil foi desenvolvida para atender as principais necessidades

Leia mais

Android e Bancos de Dados

Android e Bancos de Dados (Usando o SQLite) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido Arquitetura Roteiro Arquitetura Tipos de Arquitetura Centralizado Descentralizado Hibrido Questionário 2 Arquitetura Figura 1: Planta baixa de uma casa 3 Arquitetura Engenharia de Software A arquitetura

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE DRAGAGEM META 03

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE DRAGAGEM META 03 SISTEMA DE GERENCIAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE DRAGAGEM META 03 Thiago Duarte Mota (Engenheiro, IVIG/COPPE/UFRJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação dos Programas de Pós-Graduação e Pesquisa

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO MÓVEL PARA AUXÍLIO NA PREVENÇÃO DE TRAGÉDIAS EM DECORRÊNCIA DE ENCHENTES

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO MÓVEL PARA AUXÍLIO NA PREVENÇÃO DE TRAGÉDIAS EM DECORRÊNCIA DE ENCHENTES DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO MÓVEL PARA AUXÍLIO NA PREVENÇÃO DE TRAGÉDIAS EM DECORRÊNCIA DE ENCHENTES Autores: Luciano GONÇALVES JUNIOR, Natália Maria Karmierczak DA SILVA, Paulo César Rodacki GOMES,

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

Aula 1 Desenvolvimento Web. Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme

Aula 1 Desenvolvimento Web. Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme Aula 1 Desenvolvimento Web Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme Plano de Aula Ementa Avaliação Ementa Noções sobre Internet. HTML

Leia mais

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile 393 Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile Lucas Zamim 1 Roberto Franciscatto 1 Evandro Preuss 1 1 Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (CAFW) Universidade Federal de Santa Maria

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR

ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR Acompanhe o ritmo de aceleração dos ciclos de lançamento. Descubra a automatização com um toque humano EXECUTE UM TESTE 26032015 Com a Borland, tanto analistas de negócios

Leia mais

Sistema de Entrega para Suporte Varejista Utilizando a Metaheurística GRASP

Sistema de Entrega para Suporte Varejista Utilizando a Metaheurística GRASP Sistema de Entrega para Suporte Varejista Utilizando a Metaheurística GRASP Gil Romeu A. Pereira 1, Ivairton M. Santos 1 1 Universidade Federal de Mato Grosso(UFMT) Campus Universitário do Araguaia Instituto

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET WEBSITE MUNDO MULHER GABRIELA DE SOUZA DA SILVA LUANA MAIARA DE PAULA SILVA

Leia mais

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7 Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio Grande do Sul Informação e Comunicação: Habilitação Técnica de Nível Médio Técnico em Informática Programação Android na IDE Eclipse PROGRAMANDO ANDROID

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 3 Implementação do SMD 93

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 3 Implementação do SMD 93 Capítulo 3 Implementação do SMD 93 CAPÍTULO 3 IMPLEMENTAÇÃO DO SMD Este capítulo reserva-se à apresentação da implementação do SMD tomando como partida o desenvolvimento do Projeto Preliminar que consta

Leia mais

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Website PRO. Manual do Usuário

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Website PRO. Manual do Usuário Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes Website PRO Manual do Usuário ÍNDICE Login Página Inicial Rastreamento em Tempo Real Configurações Janela Adicionar Veículo Editar Veículo

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CERVA TOISS. por

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CERVA TOISS. por UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CERVA TOISS por Daniel Teixeira Braga Trabalho de Conclusão de curso II Prof. Marcos Echevarria

Leia mais

MONITOR E PREDITOR DE CONECTIVIDADE WIRELESS BASEADA EM LOCALIZAÇÃO GPS

MONITOR E PREDITOR DE CONECTIVIDADE WIRELESS BASEADA EM LOCALIZAÇÃO GPS MONITOR E PREDITOR DE CONECTIVIDADE WIRELESS BASEADA EM LOCALIZAÇÃO GPS Aluna: Eleonora Cominato Weiner Orientador: Markus Endler Introdução A palavra mobilidade ganha mais importância a cada instante,

Leia mais

Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4

Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4 Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4 Guilherme Miranda Martins 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Sistema Web de Ensino Voltado aos Conteúdos da Física

Sistema Web de Ensino Voltado aos Conteúdos da Física Sistema Web de Ensino Voltado aos Conteúdos da Física Fábio Luiz P. Albini 1 Departamento de Informática, Instituto Federal do Paraná (IFPR) Curitiba, Paraná 81520-000, Brazil. fabio.albini@ifpr.edu.br

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web;

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; CONCEITOS INICIAIS Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; O que é necessário para se criar páginas para a Web; Navegadores; O que é site, Host, Provedor e Servidor Web; Protocolos.

Leia mais

HTML5 E SUAS NOVIDADES

HTML5 E SUAS NOVIDADES HTML5 E SUAS NOVIDADES Gabrie Dalla Porta 1, Julio César Pereira 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil gabrieldallap@gmail.com, juliocesarp@gmail.com Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

Universidade Católica de Pelotas. Centro Politécnico. Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING. Por. Guilherme Carvalho Gehling

Universidade Católica de Pelotas. Centro Politécnico. Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING. Por. Guilherme Carvalho Gehling Universidade Católica de Pelotas Centro Politécnico Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING Por Guilherme Carvalho Gehling Documento de conclusão da disciplina de Trabalho de Curso II Orientador.

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITECNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Cadê Meu Ônibus?

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITECNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Cadê Meu Ônibus? UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITECNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Cadê Meu Ônibus? Por Matheus Dittgen Xavier Trabalho de curso II submetido como requisito parcial

Leia mais

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Objetivo O objetivo do projeto é especificar o desenvolvimento de um software livre com a finalidade de automatizar a criação de WEBSITES através do armazenamento

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

APLICATIVO PARA OFERTA E OBTENÇÃO DE CARONAS NA PLATAFORMA ANDROID

APLICATIVO PARA OFERTA E OBTENÇÃO DE CARONAS NA PLATAFORMA ANDROID UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - BACHARELADO APLICATIVO PARA OFERTA E OBTENÇÃO DE CARONAS NA PLATAFORMA ANDROID João Paulo Conceição Prof. Jacques Robert Heckmann, Orientador

Leia mais

A plataforma Android: Uma Introdução

A plataforma Android: Uma Introdução A plataforma Android: Uma Introdução Android Iniciativa da Google de prover uma plataforma aberta para Web móvel Open Handset Alliance Associação de um grupo bastante heterogêneo de empresas (operadoras,

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

Collaboration Map Collaboration Map. Figura 6.1: Arquitetura da aplicação

Collaboration Map Collaboration Map. Figura 6.1: Arquitetura da aplicação 6 Estudo de caso A utilização de um modelo de componentes orientado a serviços possibilita a construção de aplicações por meio da conexão entre componentes em tempo de execução. O middleware Kaluana utiliza-se

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNÓLOGO EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNÓLOGO EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNÓLOGO EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Sistema de Controle de Viaturas por Pablo Wasculewsky de Matos Orientador: Prof. Me. André Vinicius

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web

Introdução à Tecnologia Web Introdução à Tecnologia Web JavaScript Histórico e Características Índice 1 JAVASCRIPT... 2 1.1 Histórico... 2 1.2 Aplicações de JavaScript... 2 a) Interatividade... 2 b) Validação de formulários... 2

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO

HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO Djalma Gonçalves Costa Junior¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí - PR - Brasil djalma.g.costajr@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

Action Vision Visão. Versão 1.0. Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/08/2014 1.0 Visão geral do projeto Matheus Camilo

Action Vision Visão. Versão 1.0. Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/08/2014 1.0 Visão geral do projeto Matheus Camilo Action Vision Visão Versão 1.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/08/2014 1.0 Visão geral do projeto Matheus Camilo Página 1 de 12 Sumário 1. INTRODUÇÃO...3 1.1 Finalidade...3 1.2 Escopo...3

Leia mais

Manual do Cliente. Alu Tracker Monitoramento Veicular

Manual do Cliente. Alu Tracker Monitoramento Veicular Alu Tracker Monitoramento Veicular Manual do cliente Manual do Cliente Alu Tracker Monitoramento Veicular Introdução Este manual faz parte do contrato de prestação de serviços. Obrigado por escolher a

Leia mais

Curso da Ciência da Computação Disciplina Desenvolvimento de Aplicações Web

Curso da Ciência da Computação Disciplina Desenvolvimento de Aplicações Web Curso da Ciência da Computação Disciplina Desenvolvimento de Aplicações Web Semestre 2011.02 Turma 852 Trabalho Final 1. Descrição dos Requisitos da Aplicação Construir uma aplicação Java que implemente

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET 1 CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET DST S A PREVENÇÃO É O MELHOR REMÉDIO - UM NOVO ATRATIVO DE CONHECIMENTO -

Leia mais

Guia de usuário Auvo @

Guia de usuário Auvo @ Guia de usuário Auvo @ Sobre a Auvo O Auvo é um serviço gratuito que comunica todas as pessoas de sua empresa em todas as plataformas (desktop, web e mobile) de maneira muito fácil. Além disso nós ajudamos

Leia mais

APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA

APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA Autores: Claudiléia Gaio BANDT; Tiago HEINECK; Patrick KOCHAN; Leila Lisiane ROSSI; Angela Maria Crotti da ROSA Identificação autores: Aluna do Curso

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS Servidor: O servidor é todo computador no qual um banco de dados ou um programa (aplicação) está instalado e será COMPARTILHADO para outros computadores,

Leia mais

MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO

MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO UTILIZANDO O HIBERNATE Rafael Laurino GUERRA, Dra. Luciana Aparecida Martinez ZAINA Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba FATEC-ID 1 RESUMO Este artigo apresenta

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal do Ceará Bacharelado em Computação cadeira de Engenharia de Software Estudo de Viabilidade Equipe: Carlos H. Sindeaux Edilson Júnior Emanuelle Vieira Franklin Chaves José M. Silveira

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza Ementa Características dos dispositivos móveis. Arquiteturas de aplicação móvel. Infraestrutura móvel.

Leia mais

AUTOR(ES): VINICIUS RUIZ PONTES SILVA, JAQUELINE CRISTINA DA SILVA, JOÃO PAULO DE OLIVEIRA HONESTO

AUTOR(ES): VINICIUS RUIZ PONTES SILVA, JAQUELINE CRISTINA DA SILVA, JOÃO PAULO DE OLIVEIRA HONESTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA PARA INTERCÂMBIOS ESTUDANTIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO DO TIPO SECRETÁRIO VIRTUAL PARA A PLATAFORMA ANDROID

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO DO TIPO SECRETÁRIO VIRTUAL PARA A PLATAFORMA ANDROID DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO DO TIPO SECRETÁRIO VIRTUAL PARA A PLATAFORMA ANDROID Maik Olher CHAVES 1 ; Daniela Costa Terra 2. 1 Graduado no curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Conceitos Básicos

www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Conceitos Básicos Desenvolvimento Andrique web Amorim II www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Conceitos Básicos Sites e Aplicações Web Normalmente, as pessoas utilizam o termo SITE quando se referem a blogs, sites

Leia mais

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento.

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento. Documento de Requisitos 1 Documento de Requisitos Versão 1.2 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento. Camilo Fernandes

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA AGNALDO CITADIN JHONY BRESSAN DA SILVA

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA AGNALDO CITADIN JHONY BRESSAN DA SILVA UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA AGNALDO CITADIN JHONY BRESSAN DA SILVA DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS PARA USUÁRIOS DE SERVIÇOS DE TÁXI UTILIZANDO A PLATAFORMA ANDROID

Leia mais

PHP AULA1. Prof. Msc. Hélio Esperidião

PHP AULA1. Prof. Msc. Hélio Esperidião PHP AULA1 Prof. Msc. Hélio Esperidião NAVEGADOR O navegador também conhecido como web browseré um programa que habilita seus usuários a interagirem com documentos hospedados em um servidor Web. SERVIDOR

Leia mais

Demanda por um sistema integrado de mobilidade urbana, acessível por órgãos gestores, operadoras de transporte e população!

Demanda por um sistema integrado de mobilidade urbana, acessível por órgãos gestores, operadoras de transporte e população! Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico - Turma 17 Sistema de Informação de Usuários Michel Costa da Silva (*) No Brasil, o crescimento demográfico das grandes capitais, o apoio governamental

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

Sistemas Embarcados Android

Sistemas Embarcados Android Engenharia Elétrica UFPR 13 de novembro de 2014 Desenvolvido para sistemas móveis pelo Google: Android Open Source Project (AOSP) Grande sucesso, devido a combinação de: open source licensing aggressive

Leia mais

Programação de Servidores CST Redes de Computadores. Marx Gomes Van der Linden

Programação de Servidores CST Redes de Computadores. Marx Gomes Van der Linden Programação de Servidores CST Redes de Computadores Marx Gomes Van der Linden Programação de Servidores Aplicações cliente/servidor para web. Fundamentos de HTML+CSS. Linguagem de programação de servidor:

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Marcelo.augusto@Microsoft.com

Marcelo.augusto@Microsoft.com Marcelo.augusto@Microsoft.com Aplicativos Relatórios Painéis Consultas em linguagem natural Dispositivo móvel A plataforma de Dados da Microsoft Orquestração Gerenciamento de informações Processamento

Leia mais

Google Maps. Gabriel Carvalho - Desenvolvimento de Negócios, Google Maps for Work LATAM

Google Maps. Gabriel Carvalho - Desenvolvimento de Negócios, Google Maps for Work LATAM Google Maps Gabriel Carvalho - Desenvolvimento de Negócios, Google Maps for Work LATAM Maps transformou nossas vidas Mundo cada vez mais digital 40% possuem smartphone 95% usam serviços em nuvem 230 mil

Leia mais

Tecnologia WEB III. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. PHP e MySQL. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012.

Tecnologia WEB III. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. PHP e MySQL. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. Tecnologia WEB III Prof. Erwin Alexander Uhlmann PHP e MySQL UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. Agradecimentos Agradeço à minha esposa Kátia por entender minha

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciências da Computação. Raphael Ottoni Santiago Machado de Faria

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciências da Computação. Raphael Ottoni Santiago Machado de Faria Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciências da Computação Raphael Ottoni Santiago Machado de Faria MONOGRAFIA DE PROJETO ORIENTADO EM COMPUTAÇÃO I Rastreamento

Leia mais

CLASSCEEP MATEMÁTICA NAS REDES SOCIAIS

CLASSCEEP MATEMÁTICA NAS REDES SOCIAIS Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia e Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia MOSTRATEC Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira Ilhéus

Leia mais

Biblioteca Virtual de Soluções Assistivas

Biblioteca Virtual de Soluções Assistivas 264 Biblioteca Virtual de Soluções Assistivas Maria Helena Franciscatto 1 Adriana Soares Pereira 1 Roberto Franciscatto 1 Liliana Maria Passerino 2 1 Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Colégio

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS EDILBERTO SILVA 1, AQUILA ISRAEL (1316079) 2, CYNTHIA FERREIRA (1316079) 2, MARKO DE CASTRO (1316119) 2, RAFAELA ALMEIDA (1316189)

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

Desenvolvimento de um aplicativo básico usando o Google Android

Desenvolvimento de um aplicativo básico usando o Google Android Desenvolvimento de um aplicativo básico usando o Google Android (Organização do Ambiente) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus

Leia mais

Treinamento em PHP. Aula 1. Ari Stopassola Junior stopassola@acimainteractive.com

Treinamento em PHP. Aula 1. Ari Stopassola Junior stopassola@acimainteractive.com Treinamento em PHP Aula 1 Ari Stopassola Junior stopassola@acimainteractive.com Introdução PHP Hypertext Preprocessor Nome original era Personal Home Page Tools Criada por Rasmus Lerdorf e atualmente mantida

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS Lilian R. M. Paiva, Luciene C. Oliveira, Mariana D. Justino, Mateus S. Silva, Mylene L. Rodrigues Engenharia de Computação - Universidade de Uberaba (UNIUBE)

Leia mais