Caminhando em branco: fotoetnografia da festa de Yemanjá em João Pessoa, PB. Walking on White: photoethnography of Yemanjá Feast in João Pessoa, PB

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caminhando em branco: fotoetnografia da festa de Yemanjá em João Pessoa, PB. Walking on White: photoethnography of Yemanjá Feast in João Pessoa, PB"

Transcrição

1 Caminhando em branco: fotoetnografia da festa de Yemanjá em João Pessoa, PB Walking on White: photoethnography of Yemanjá Feast in João Pessoa, PB Thiago de Lima Oliveira 1 Vamos, meu povo... temos que cantar e mostrar à cidade a nossa fé, assim pai Gilberto chama seus filhos e convidados a tomarem parte na procissão que marca publicamente as comemorações do Dia de Yemanjá em João Pessoa, capital paraibana. A fala, em seu misto de imperativo e injunção, mais que convocar os participantes à unirem-se junto à massa vestida em branco, possibilita refletir alguns dos elementos da vivência dos cultos afrobrasileiros na contemporaneidade aos quais venho me dedicando a refletir a partir de um entrecruzamento entre uma antropologia dos rituais e uma antropologia urbana. Na esteira desses processos, o trabalho aqui apresentado busca evidenciar elementos das práticas religiosas desde uma perspectiva dos modos de significação e construção da experiência urbana em cidade de pequeno e médio porte. Em suma, o exercício aqui construído busca pensar o fluxo devocional manifesto pela caminhada como uma disputa e negociação da cidade. A festa de Yemanjá é um dos principais momentos do calendário festivo das religiões afrobrasileiras na cidade de João Pessoa. Na cidade a festividade é realizada no dia 8 de dezembro, comemoração do dia de Nossa Senhora da Conceição, entendida como Yemanjá na lógica sincretista. A festa é organizada e financiada pelo Palácio de Xangô Alafim, terreiro da nação Moçambique dirigido pelo babalorixá pai Gilberto. O ápice é a caminhada da panela de Yemanjá, momento em que se realiza uma procissão desde o Palácio de Xangô, no bairro de cruz das Armas, zona oeste da cidade, até a Praia de Tambaú, região de classe média-alta. Participam da procissão os frequentadores do terreiro, além de curiosos e pesquisadores. Carros alugados ou emprestados conduzem cada uma das divindades louvadas na festa: Exu, Pombagira, Oxossi, Ogun, Omolu, Nanã, Yansã, Oxum, Yemanjá, Xangô e Oxalá. Ainda que não seja honrada como orixá, adverte pai Gilberto, a Pombagira é honrada pela sua 1 Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

2 importância e papel no culto da nação Moçambique. Outros orixás participam da festa mas não têm um lugar na procissão. Os cultos da nação Moçambique têm se constituído como um território de disputa intensa na cidade. Apesar da Festa de Yemanjá ser uma das maiores manifestações públicas e de visibilidade das religiões afro-brasileiras na cidade de João Pessoa, tal nação é representada em contexto local quase que unicamente por pai Gilberto e seus filhos e filhas. Na cidade, uma parte significativa das casas de culto de candomblé e umbanda estão vinculadas à Federação dos Cultos Africanos da Paraíba, uma associação que visa promover uma maior integração e proteção às religiões afro-brasileiras e de matriz africana na cidade. O Palácio de Xangô Alafin não é confederado à tal associação, e o pouco conhecimento sobre a real existência ou não de uma nação Moçambique tem sustentado uma série de disjunções e intrigas. No escopo desse trabalho, tomo tais intrigas e fofocas como um processo de disputa pelo poder-saber (FOUCAULT, 2003) sobre os rituais. Em outros termos trata-se de uma disputa efetiva e simbólica sobre o controle do fluxo de informações e conhecimentos que caracterizam o campo religioso do candomblé, ou nos termos de Hannerz (1992) um processo de gestão do fluxo de conhecimentos e informações culturais que, se por uma lado viabiliza a produção de distinções e agregados sociais os de nação nagô, os de nação queto; aqui fazemos assim, na outra nação se faz de modo distinto, por exemplo também devem ser pensados como um processo de disputa pelo próprio conhecimento sobre alguma verdade da religião e sobre a efetividade e benefícios de suas práticas mágicas e devocionais-religiosas. Em seu trajeto desde o terreiro até o ponto de encontro os devotos vão desenhando uma trilha branca sobre o asfalto preto, invertendo assim a ordem cotidiana que condiciona sua fé às margens das normas hegemônicas e à própria periferia da cidade. Durante todo o percurso pontos, músicas e toques são entoados, anunciando aos residentes a profissão de fé. No caminho os devotos encontram-se com outros terreiros abertos por filhos e netos de Pai Gilberto que saem das suas cidades e bairros para o grande encontro no Palácio de Yemanjá, construído na praia com madeiras e tecidos para receber as procissões e grupos de diversas cidades. Ali, ao chegar, são depositadas as jarras com ofertas que serão entregues à deusa no fim das apresentações. Ao redor do Palácio, devotos, crentes e curiosos acendem suas velas e entregam seus presentes à divindade jogando-os ao mar, agradecem ou barganham dádivas. Entre aplausos e gritos, cada orixá entra e faz sua dança no palácio, cabendo aos acompanhantes da procissão fazer somar suas ofertas para a divindade no pedestal central localizado no centro do palácio onde as ofertas vão amontoando-se. Terminadas as apresentações, as ofertas públicas são levadas até o mar pelos barcos e os participantes da festa começam a desmontar-se de suas fantasias e roupas santas e encaminhar-se em grupos para os pontos de ônibus com o objetivo de regressar às suas casas.

3 Nos 16 quilômetros que separam o templo principal, o Palácio de Xangô Alafin, do local de destino, o Palácio de Yemanjá na praia de Tambaú, área nobre da cidade, conflitos e tensões são ensaiados e estratégias de contornos que eventualmente passem desapercebidas no cotidiano se tornam evidentes. Aqui, de um modo ritualístico e temporalmente circunscrito, o jogo de posições que determina o lugar dos cultos afro-brasileiros e seus devotos e as religiões cristãs são embaralhados. A missa católica dá uma pausa momentânea e alguns devotos seguem até a escadaria para visualizar de que se trata o burburinho externo; ali, candomblecistas e cristãos ora se cumprimentam cada um orgulhoso de sua fé, ora trocam insultos e acusações. Enfrentam os olhares de desaprovação da maioria branca nas janelas dos edifícios, ou de uma parcela protestante que segue a caminhada acompanhando-a das janelas dos ônibus. Ao fim, curiosos e participantes da marcha vindos de diversas partes ainda são confrontados por missionários neopentecostais que portando pequenos amplificadores e material informativo buscam dissuadir o público sobre os propósitos daquele evento. Na tentativa de resolução ou mesmo afastamento dos conflitos na ocasião da festa estratégias diversas são adotadas. Desde aquelas de caráter mágico e religioso, como o uso do branco, de galhos de arruda e braceletes especiais, até mesmo táticas de natureza civil, como a convocação das forças policiais e das instâncias competentes pelo transporte e mobilidade urbana para que se dê conta de conter e disciplinar determinadas ações ofensivas e geradoras de contenda entre o grupo e outros atores. Referencial Bibliográfico FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. São Paulo: Edições, Loyola, HANNERZ, Ulf. Cultural Complexity: studies in the social organization of meaning. Nova York: Columbia University, 1992.

4 Figura 1: Devota adornada com símbolos, enfeites e proteções no salão do templo antes da saída da procissão.

5 Figura 2: Devotos iniciam a chegar de outras regiões e municípios vizinhos e encontram-se frente ao palácio de Xangô Alafin para dar início à procissão. Todos vestem branco, seguindo as orientações da fé e pedido do patriarca, Pai Gilberto, yalorixá responsável pelo templo e pela festa. Figura 3: Já montada no carro, menina de 14 anos representada e vestida com as roupas ritualísticas atribuídas à Yemanjá se apresenta para o público de religiosos e curiosos.

6 Figura 4: Já a caminho, os devotos vestidos de branco e adornados com suas guias seguem cantando pontos devotados aos orixás, fazendo preces e entoando músicas. Sobre a cabeça, muitos participantes levam um pequeno ramo de arruda com fins de afastar a má sorte e os desejos negativos daqueles com os quais cruzam nos 16 quilômetros de caminhada. Figura 5: Pontos, encruzilhadas e caminhos desenham o trajeto dos devotos pelos espaços da cidade.

7 Figura 6: Encontro com grupos e templos de outras cidades vizinhas nas proximidades do Palácio de Yemanjá, aprontado para a ocasião do ritual nas areias da Praia de Tambaú, uma das áreas mais nobres da cidade. Figura 7: Tendo chegado ao palácio da homenageada, os devotos levam suas ofertas à divindade: perfumes, flores, espelhos, pentes, velas e adereços que remetem à beleza e ao mar são os principais objetos oferecidos.

8 Figura 08: Os orixás começam a entrar no Palacio de Yemanjá, onde serão apresentados e farão sua dança após a entrega das ofertas para o responsável pelo templo.

9

10 Figura 09: Adereço de Omolu. Tradicionalmente chamado de contra-egun, tal peça é usada para repelir a ação dos gênios desencarnados que podem causar mal aos viventes. Omolu, aqui na condição de deus da doença e da cura, é seu principal portador. Figura 10: A dança dos orixás no Palácio de Yemanjá. Ao chegar no Palácio cada orixá é devidamente apresentado ao público e em seguida performatiza sua dança. Na imagem, o auxiliar do yalorixá (de branco, no primeiro plano) recepciona a divindade Omolu que se apresenta enquanto seus colaboradores (ao lado esquerdo, segurando um cesto) lançam pipoca em torno do terreiro para purificar o espaço. Na margem extrema esquerda, Exu e Pombagira, cantam e saúdam seu companheiro.

11 Figura 11: Oxum, aqui tomada por uma jovem adolescente, espera sua entrada e apresentação no Palácio, como os demais orixás. Na ocasião a plateia interage com a aparição de cada uma das divindades, ora cantando, ora vibrando ou tão somente fazendo suas preces de modo individual.

12 Figura 12: Xangô, por tantas vezes tomado como companheiro mitológico de Yemanjá chega ao Palácio e é recepcionado pela anfitriã e seus demais orixás convidados. Da esquerda para a direita: Oxossi, Omolu, Nanã, Yansã e Oxum. Na ponta direita a representação de Yemanjá. Figura 13: Uma das personagens mais esperadas da noite, finalmente chega ao palácio Yemanjá. Aqui uma jovem representa todo o cuidado e apreço da deusa pela beleza.

13 Figura 14: Ao fim das apresentações, os responsáveis rituais pela música, os ogams, convidam orixás e participantes para a deusa. Após esse momento, a panela é finalmente levada aos barcos pelos devotos e responsáveis pelo Palácio. Nos barcos ela será conduzida até o mar onde será oferecida de modo próprio.

Cultura Afro-Indígena Brasileira. Prof. Ms. Celso Ramos Figueiredo Filho

Cultura Afro-Indígena Brasileira. Prof. Ms. Celso Ramos Figueiredo Filho Cultura Afro-Indígena Brasileira Prof. Ms. Celso Ramos Figueiredo Filho Religiões Afro-Brasileiras Introdução - Escravidão miscigenação e sincretismo (Angola, Moçambique, Congo) - 3 a 5 milhões de africanos

Leia mais

A CROMOTERAPIA NA UMBANDA

A CROMOTERAPIA NA UMBANDA A CROMOTERAPIA NA UMBANDA I. INTRODUÇÃO A utilização da cor em qualquer religião, ou melhor, em qualquer processo mágico remonta aos tempos mais antigos. A luz é uma vibração energética, da mesma forma

Leia mais

Religiões Afro-Brasileiras

Religiões Afro-Brasileiras Religiões Afro-Brasileiras Apresentação Em continuidade ao Estudo Multidisciplinar Baía de Todos os Santos (Projeto BTS), estão sendo realizadas investigações com foco nas baías da Bahia, com envolvimento

Leia mais

CADÊ MEU AJEUM? A COMIDA E SEUS VÁRIOS SIGNIFICADOS NOS TERREIROS DE CANDOMBLÉ DE ARACAJU

CADÊ MEU AJEUM? A COMIDA E SEUS VÁRIOS SIGNIFICADOS NOS TERREIROS DE CANDOMBLÉ DE ARACAJU CADÊ MEU AJEUM? A COMIDA E SEUS VÁRIOS SIGNIFICADOS NOS TERREIROS DE CANDOMBLÉ DE ARACAJU Janaina Couvo Teixeira Maia de Aguiar Universidade Federal da Bahia janainacouvo@gmail.com GT 04 - O Alimento como

Leia mais

AS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DA UMBANDA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS¹. NASCIMENTO, Taiane Flores do²; SACCOL, Paloma Tavares³; BEZZI, Meri Lourdes 4

AS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DA UMBANDA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS¹. NASCIMENTO, Taiane Flores do²; SACCOL, Paloma Tavares³; BEZZI, Meri Lourdes 4 AS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DA UMBANDA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS¹ NASCIMENTO, Taiane Flores do²; SACCOL, Paloma Tavares³; BEZZI, Meri Lourdes 4 1 Trabalho de Pesquisa NERA/CCNE/UFSM 2 Acadêmica do

Leia mais

YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS)

YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS) YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS) YEMANJA, YEMANJA...(BIS) RAINHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR...BIS É BONITO O CANTO DE YEMANJA SEMPRE

Leia mais

01- NA CACHOEIRA. Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis)

01- NA CACHOEIRA. Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis) 01- NA CACHOEIRA Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis) Colhendo lírio, lírio ê... Colhendo lírio, lírio a... Colhendo lírios, P'ra enfeitar nosso congá. (bis) 02- BRADO DE MAMÃE

Leia mais

1 A sociabilidade Religiosa Afro-brasileira. um relato sobre as Procissões de Orixás no Bairro do IPSEP 1

1 A sociabilidade Religiosa Afro-brasileira. um relato sobre as Procissões de Orixás no Bairro do IPSEP 1 1 A sociabilidade Religiosa Afro-brasileira um relato sobre as Procissões de Orixás no Bairro do IPSEP 1 Silvania Maria Maciel 2 Introdução A sociabilidade é um fenômeno social, talvez a forma mais genuína

Leia mais

CUIDAR DA NATUREZA RESPEITANDO OS ORIXÁS E ENTIDADES

CUIDAR DA NATUREZA RESPEITANDO OS ORIXÁS E ENTIDADES Ambiente em Ação CUIDAR DA NATUREZA RESPEITANDO OS ORIXÁS E ENTIDADES Orientações para práticas culturais/religiosas em unidades de conservação e áreas naturais protegidas por lei. Bem vindo(a)! componente

Leia mais

13 Festa do Divino Espírito Santo em São Paulo promove intercâmbio cultural e religioso com São Luís do Maranhão

13 Festa do Divino Espírito Santo em São Paulo promove intercâmbio cultural e religioso com São Luís do Maranhão 13 Festa do Divino Espírito Santo em São Paulo promove intercâmbio cultural e religioso com São Luís do Maranhão Festa popular, que acontece de 12 a 29 de maio de 2012 no Espaço Cachuera!, apresenta tradição

Leia mais

ABERTURA. Hino da Umbanda

ABERTURA. Hino da Umbanda ABERTURA Hino da Umbanda Refletiu a Luz Divina Com todo seu esplendor Vem do reino de Oxalá Onde há paz e amor Luz que refletiu na terra Luz que refletiu no mar Luz que veio de Aruanda Para tudo iluminar

Leia mais

Tipo de atividade: Passeio/visita e redação. Objetivo: Conhecer alguns centros e templos religiosos existentes no bairro/cidade e desenvolver

Tipo de atividade: Passeio/visita e redação. Objetivo: Conhecer alguns centros e templos religiosos existentes no bairro/cidade e desenvolver A série Sagrado é composta por programas que, através de um recorte históricocultural, destacam diferentes pontos de vista das tradições religiosas. Dez representantes religiosos respondem aos questionamentos

Leia mais

COTIDIANO QUILOMBOLA EM MITUAÇU

COTIDIANO QUILOMBOLA EM MITUAÇU COTIDIANO QUILOMBOLA EM MITUAÇU Felipe Agenor de Oliveira Cantalice Universidade Estadual da Paraíba/CH Orientador: Prof. Dr. Waldeci Ferreira Chagas Neste trabalho analisamos o cotidiano dos moradores

Leia mais

SINCRETISMO RELIGIOSO, NATAL FESTEJA IEMANJÁ 1

SINCRETISMO RELIGIOSO, NATAL FESTEJA IEMANJÁ 1 SINCRETISMO RELIGIOSO, NATAL FESTEJA IEMANJÁ 1 Antônio da Silva PINTO Netto 2 Joabson Bruno de Araújo COSTA 3 Giovana Alves ARQUELINO 4 Sebastião Faustino PEREIRA Filho 5 Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

ESCADARIA FLORIDA. 22 Lavagem da escadaria da Catedral Metropolitana de Campinas

ESCADARIA FLORIDA. 22 Lavagem da escadaria da Catedral Metropolitana de Campinas Revista de Antropología Experimental nº 7, 2007. Texto 13: 161-167. Universidad de Jaén (España) ISSN: 1578-4282 ISSN (cd-rom): 1695-9884 Deposito legal: J-154-2003 www.ujaen.es/huesped/rae ESCADARIA FLORIDA.

Leia mais

ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA

ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA Cultura afro-brasileira é o resultado do desenvolvimento da cultura africana no Brasil, incluindo as influências recebidas das culturas portuguesa e indígena que se manifestam

Leia mais

CONTEÚDOS. Candomblé Umbanda Xamanismo

CONTEÚDOS. Candomblé Umbanda Xamanismo CONTEÚDOS Candomblé Umbanda Xamanismo HABILIDADES Conhecer as religiões afrodescendentes e anímicas PAUTA DO DIA Acolhida Problematização Entrevista Exibição do Vídeo Leitura de Imagem Aprofundando o tema-

Leia mais

OCASIÕES ESPECIAIS. Batismo 1. Composição: Bitty/ Gilda Máximo

OCASIÕES ESPECIAIS. Batismo 1. Composição: Bitty/ Gilda Máximo OCASIÕES ESPECIAIS Amaci Composição: Leonardo Guimarães A todos que olham > A todos que estão aqui > Muita atenção, hoje é noite de Amaci >2x Filhos de fé respeitem o pano branco Babalaô preparou seu banho

Leia mais

UMA OFERENDA A YEMANJÁ: A RELIGIOSIDADE PRESENTE NA FESTA DE 1º DE JANEIRO NAS PRAIAS CARIOCAS. PALITOT, Fernanda Souto Maior (UERJ/NEPEC)

UMA OFERENDA A YEMANJÁ: A RELIGIOSIDADE PRESENTE NA FESTA DE 1º DE JANEIRO NAS PRAIAS CARIOCAS. PALITOT, Fernanda Souto Maior (UERJ/NEPEC) UMA OFERENDA A YEMANJÁ: A RELIGIOSIDADE PRESENTE NA FESTA DE 1º DE JANEIRO NAS PRAIAS CARIOCAS. PALITOT, Fernanda Souto Maior (UERJ/NEPEC) A pesquisa, em fase inicial, faz parte de um estudo maior sobre

Leia mais

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 28 ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 FORMAÇÃO DE PROFESSORES A PARTIR DA LEI 10.639/03: UMA EXPERIÊNCIA NO PROJETO DE EDUCAÇÃO ANTIRRACISTA NO COTIDIANO ESCOLAR, DESENVOLVIDO PELA

Leia mais

Xirê: uma performance corporal de restauração da energia vital

Xirê: uma performance corporal de restauração da energia vital Xirê: uma performance corporal de restauração da energia vital Tatiana Maria Damasceno Universidade Federal do Rio de Janeiro Professora assistente do Departamento de Arte Corporal Resumo: Axé, energia

Leia mais

O Espaço Público e o Espaço Sagrado na Festa de São Jorge em Quintino, cidade do Rio de Janeiro

O Espaço Público e o Espaço Sagrado na Festa de São Jorge em Quintino, cidade do Rio de Janeiro O Espaço Público e o Espaço Sagrado na Festa de São Jorge em Quintino, cidade do Rio de Janeiro João Victor Gonçalves Ferreira Universidade Federal do Rio de Janeiro Jvferreira07@gmail.com Introdução O

Leia mais

A FORMAÇÃO E EXPANSÃO DO MERCADO RELIGIOSO DOS BENS SIMBÓLICOS DOS ORIXÁS: FENÔMENO DA HIPERTROFIA NA METRÓPOLE GOIANA

A FORMAÇÃO E EXPANSÃO DO MERCADO RELIGIOSO DOS BENS SIMBÓLICOS DOS ORIXÁS: FENÔMENO DA HIPERTROFIA NA METRÓPOLE GOIANA A FORMAÇÃO E EXPANSÃO DO MERCADO RELIGIOSO DOS BENS SIMBÓLICOS DOS ORIXÁS: FENÔMENO DA HIPERTROFIA NA METRÓPOLE GOIANA Jailson Silva de Sousa Graduando do curso de geografia da Universidade Estadual de

Leia mais

RIF Ensaio Fotográfico

RIF Ensaio Fotográfico RIF Ensaio Fotográfico Salve Jorge! Devoção popular em vermelho e branco... Em reza e samba Diego Dionísio 1 1 Graduado em Comunicação Social. Técnico de inventário do Patrimônio Imaterial na América Latina

Leia mais

A água poderá concentrar uma vibração positiva ou negativa, dependendo do seu emprego.

A água poderá concentrar uma vibração positiva ou negativa, dependendo do seu emprego. Sua utilidade é variada. Serve para os banhos de amacis, para cozinhar, para lavar as guias, para descarregar os maus fluídos, para o batismo. Dependendo de sua procedência (mares, rios, chuvas e poços),

Leia mais

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ. F159u

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ. F159u CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ F159u Falasco, Alexandre Cesar Umbanda de barracão / Alexandre Cesar Falasco ; coordenação Diamantino Fernandes Trindade.

Leia mais

Resistência e afirmação cultural: um olhar fotográfico e etnográfico sobre a comemoração à Iemanjá em Maceió AL 1

Resistência e afirmação cultural: um olhar fotográfico e etnográfico sobre a comemoração à Iemanjá em Maceió AL 1 Resistência e afirmação cultural: um olhar fotográfico e etnográfico sobre a comemoração à Iemanjá em Maceió AL 1 Larissa Fontes 2 Marcelo Góes Tavares 3 Faculdade Integrada Tiradentes, Maceió, AL RESUMO

Leia mais

PRIMEIRA VERSÃO PRIMEIRA VERSÃO ANO II, Nº110 - AGOSTO - PORTO VELHO, 2003 VOLUME VII PINTANDO O SANTO MARTA VALÉRIA DE LIMA & NILZA MENEZES

PRIMEIRA VERSÃO PRIMEIRA VERSÃO ANO II, Nº110 - AGOSTO - PORTO VELHO, 2003 VOLUME VII PINTANDO O SANTO MARTA VALÉRIA DE LIMA & NILZA MENEZES UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA (UFRO) CENTRO DE HERMENÊUTICA DO PRESENTE PRIMEIRA VERSÃO ANO II, Nº110 - AGOSTO - PORTO VELHO, 2003 VOLUME VII PRIMEIRA VERSÃO ISSN 1517-5421 lathé biosa 110 ISSN 1517-5421

Leia mais

jorgetorresjoias@gmail.com 55.71.91358970 / 81538471 jorgetorresjoias.blogspot.com.br

jorgetorresjoias@gmail.com 55.71.91358970 / 81538471 jorgetorresjoias.blogspot.com.br jorgetorresjoias@gmail.com 55.71.91358970 / 81538471 jorgetorresjoias.blogspot.com.br Preços se referem a compras via depósito. Para comprar via Pagsegure veja: http://jorgetorresjoias-afrobrasileiro.blogspot.com.br/

Leia mais

Jornalismo Cultural: A Abordagem Dada a Reportagens Especializadas no Culto aos Orixás 1

Jornalismo Cultural: A Abordagem Dada a Reportagens Especializadas no Culto aos Orixás 1 Jornalismo Cultural: A Abordagem Dada a Reportagens Especializadas no Culto aos Orixás 1 Agnes Maria Araújo ANJOS 2 Natália Alberto de MELO 3 Cintia Cerqueira CUNHA 4 Universidade de Uberaba, Uberaba,

Leia mais

Israel Operadora. Autoridade no Turismo Religioso. Peregrinações Religiosas no Brasil

Israel Operadora. Autoridade no Turismo Religioso. Peregrinações Religiosas no Brasil Israel Operadora Autoridade no Turismo Religioso Peregrinações Religiosas no Brasil Nossa Especialidade A Israel Operadora, empresa do Grupo Skill Supertravel é especializada em turismo religioso. Com

Leia mais

SÃO JOÃO/CAÔ: FESTA RELIGIOSA DOS XUKURU DO ORORUBÁ (PESQUEIRA-PE) Edson Silva

SÃO JOÃO/CAÔ: FESTA RELIGIOSA DOS XUKURU DO ORORUBÁ (PESQUEIRA-PE) Edson Silva 1 SÃO JOÃO/CAÔ: FESTA RELIGIOSA DOS XUKURU DO ORORUBÁ (PESQUEIRA-PE) Edson Silva Mulheres, crianças, jovens e homens xukurus, muitas pessoas curiosas se concentram por volta da três horas da tarde do dia

Leia mais

Congado de Uberlândia ] livro 01/02

Congado de Uberlândia ] livro 01/02 Congado de Uberlândia ] livro 01/02 1 2 Trocar foto >> sumário 3 livro 01/02 1. Introdução 1.1 Apresentação 1.2. Pesquisa: reconhecimento dos sujeitos 1.2.1. Metodologia Geral 1.2.2. Metodologia dos Inventários

Leia mais

Uma Reflexão Sobre o Surgimento do Candomblé

Uma Reflexão Sobre o Surgimento do Candomblé Uma Reflexão Sobre o Surgimento do Candomblé Os estudos sobre a África e as culturas africanas têm ganhado espaço nas últimas décadas. No Brasil esse estudo começou, basicamente, com Nina Rodrigues em

Leia mais

Centro Espírita Cabana de Oxóssi. Regimento Interno

Centro Espírita Cabana de Oxóssi. Regimento Interno Regimento Interno 1 Objetivos: O presente regimento interno dispõe sobre os objetivos de Organizar e orientar a conduta dos freqüentadores e trabalhadores, do Centro Espírita Cabana de Oxóssi (CECO). Deve

Leia mais

Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011

Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011 Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011 27ºDOMINGO DO TEMPO COMUM (02/10/11) Parábola dos Vinhateiros Poderia ser feito um mural específico para esta celebração com uma das frases: Construir a Igreja

Leia mais

Sessão de Consultas e Passes: continuidade e mudança no contexto umbandista soteropolitano

Sessão de Consultas e Passes: continuidade e mudança no contexto umbandista soteropolitano Sessão de Consultas e Passes: continuidade e mudança no contexto umbandista soteropolitano Mackely Ribeiro Borges Universidade Federal da Bahia mackelyrb@gmail.com Sumário: Este artigo discute, à luz de

Leia mais

Candomblé: miscigenação genuinamente brasileira uma visão sobre as influências e comportamentos religiosos na cidade de Jataí 2008

Candomblé: miscigenação genuinamente brasileira uma visão sobre as influências e comportamentos religiosos na cidade de Jataí 2008 Candomblé: miscigenação genuinamente brasileira uma visão sobre as influências e comportamentos religiosos na cidade de Jataí 2008 THIAGO LEANDRO DA SILVA* DANIELLE SOUSA MARQUES** Este trabalho é resultado

Leia mais

EXPOSIÇÃO IYÁS: UM OLHAR DA PRESENÇA E O PODER FEMININO NO CANDOBLÉ NO BRASIL

EXPOSIÇÃO IYÁS: UM OLHAR DA PRESENÇA E O PODER FEMININO NO CANDOBLÉ NO BRASIL EXPOSIÇÃO IYÁS: UM OLHAR DA PRESENÇA E O PODER FEMININO NO CANDOBLÉ NO BRASIL Thayane Caroline de Moura caroline.thayane@yahoo.com.br (021) 3659-1313 / 8022-3016 / 3344-0869 Tulani Pereira da Silva tulani.ufrj@hotmail.com

Leia mais

Enredo Carnaval 2015

Enredo Carnaval 2015 Enredo Carnaval 2015 PRESIDENTE: ANTÔNIO MARCOS TELES (TÊ) FUNDAÇÃO: 02/12/1940 CORES: VERDE E BRANCO CARNAVALESCO: JÚNIOR PERNAMBUCANO PESQUISADOR DE ENREDOS: MARCOS ROZA 1 G.R.E.S.E. IMPÉRIO DA TIJUCA

Leia mais

Mensageiros da Cura (1 a 34)

Mensageiros da Cura (1 a 34) Mensageiros da Cura (1 a 34) 1 2 1 Mensageiro (Mestre,95) Te levanta, te levanta Levanta quem está sentado Para receber o Mensageiro Dentro do Jardim Dourado. Vai seguindo, vai seguindo Dentro do jardim

Leia mais

Religiosidade Africana

Religiosidade Africana UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRPPG MECM CONHECIMENTO E DIVERSIDADE CULTURAL Religiosidade Africana Douglas Aires GOIÂNIA, 2012 Religião Africana O africano tem a religião como um modo de vida que é caracterizada,

Leia mais

Ogum Guerreiro no canto da Guerreira Clara Nunes. 1

Ogum Guerreiro no canto da Guerreira Clara Nunes. 1 Ogum Guerreiro no canto da Guerreira Clara Nunes. 1 Como quem por talento, para cantar às heranças africanas a cultura brasileira, Clara Nunes (1942-1983), fez do seu canto louvação e saudação aos Orixás

Leia mais

Dança dos Espíritos Uma Noite no Centro de Candomblé

Dança dos Espíritos Uma Noite no Centro de Candomblé Dança dos Espíritos Uma Noite no Centro de Candomblé Pedro Vale de Andrade Arruda CÂMARA 1 Emanoel Francisco Pinto BARRETO 2 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN RESUMO A reportagem impressa

Leia mais

ROMARIA DA FESTA DAS ROSAS E DOS CESTOS VOTIVOS PARTE II

ROMARIA DA FESTA DAS ROSAS E DOS CESTOS VOTIVOS PARTE II ROMARIA DA FESTA DAS ROSAS E DOS CESTOS VOTIVOS PARTE II Em 1622 Frei Bartolomeu religioso da Ordem dos Beneditinos, funda em Vila Franca, perto de Viana do Castelo, a Confraria de Nossa Senhora do Rosário.

Leia mais

EM NOME DO SENHOR JESUS : ANÁLISE DO CONFLITO RELIGIOSO ENTRE A IURD E OS TERREIROS DE CANDOMBLÉ

EM NOME DO SENHOR JESUS : ANÁLISE DO CONFLITO RELIGIOSO ENTRE A IURD E OS TERREIROS DE CANDOMBLÉ EM NOME DO SENHOR JESUS : ANÁLISE DO CONFLITO RELIGIOSO ENTRE A IURD E OS TERREIROS DE CANDOMBLÉ Alex de Souza Ivo alexivo@pop.com.br Denise Pereira da Silva denisesilva13@hotmail.com Este trabalho originalmente

Leia mais

Revista África e Africanidades Ano 2 - n. 5 - Maio. 2009 - ISSN 1983-2354 www.africaeafricanidades.com

Revista África e Africanidades Ano 2 - n. 5 - Maio. 2009 - ISSN 1983-2354 www.africaeafricanidades.com Homenagem Maria Stella de Azevedo Santos Mãe Stella de Oxossi Por Juliana Faria Escritora, Psicóloga e Presidente do Centro de Referência e Estudos da Tradição e Cultura Afro- Brasileira do Ilê-Axé Pilão

Leia mais

Casas de artigos religiosos e a constituição de espaços sincréticos no centro da cidade de São Luis do Maranhão. Thiago Lima dos Santos

Casas de artigos religiosos e a constituição de espaços sincréticos no centro da cidade de São Luis do Maranhão. Thiago Lima dos Santos Casas de artigos religiosos e a constituição de espaços sincréticos no centro da cidade de São Luis do Maranhão. Thiago Lima dos Santos. UFMA, Graduando em História. thiagolima.santos@yahoo.com.br GP Religiões

Leia mais

Ouidah: Parada obrigatória no Benim para aprender sobre vodum e tráfico de escravos

Ouidah: Parada obrigatória no Benim para aprender sobre vodum e tráfico de escravos Ouidah: Parada obrigatória no Benim para aprender sobre vodum e tráfico de escravos por Por Dentro da África - sábado, março 08, 2014 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/ouidah-parada-obrigatoria-no-benim-para-aprender-sobre-acultura-fon-vodum-e-trafico-de-escravos

Leia mais

O LUGAR DA INFÂNCIA NA RELIGIÃO DE MATRIZ AFRICANA Jaqueline de Fátima Ribeiro UFF Agência Financiadora: CAPES

O LUGAR DA INFÂNCIA NA RELIGIÃO DE MATRIZ AFRICANA Jaqueline de Fátima Ribeiro UFF Agência Financiadora: CAPES O LUGAR DA INFÂNCIA NA RELIGIÃO DE MATRIZ AFRICANA Jaqueline de Fátima Ribeiro UFF Agência Financiadora: CAPES Resumo O texto em questão é parte da pesquisa em desenvolvimento (mestrado) que tem como objetivo

Leia mais

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA SAGRADA Nº 8 - Mar/15 PRESTA atenção RELIGIÃO! BÍBLIA Apresentação Esta nova edição da Coleção Presta Atenção! vai tratar de um assunto muito importante: Religião. A fé é uma questão muito pessoal e cada

Leia mais

MISTIFICAÇÃO CARICATA DAS RELIGIÕES DE RAIZ AFRICANA NO QUADRO A GALINHA PRETA PINTADINHA DO PROGRAMA TÁ NO AR: A TV NA TV DA REDE GLOBO

MISTIFICAÇÃO CARICATA DAS RELIGIÕES DE RAIZ AFRICANA NO QUADRO A GALINHA PRETA PINTADINHA DO PROGRAMA TÁ NO AR: A TV NA TV DA REDE GLOBO MISTIFICAÇÃO CARICATA DAS RELIGIÕES DE RAIZ AFRICANA NO QUADRO A GALINHA PRETA PINTADINHA DO PROGRAMA TÁ NO AR: A TV NA TV DA REDE GLOBO José Wanderley Pereira Segundo UERN (wanderley.segundo@hotmail.com)

Leia mais

Questões - Festas populares do mês de junho

Questões - Festas populares do mês de junho Questões - Festas populares do mês de junho 1. Descreva os elementos característicos da Festa Junina presentes nas imagens. Abertura de São João 2011, no Pelourinho http://commons.wikimedia.org/wiki/file:s%c3%a3o_jo%c3%a3o_no_pel%c3%b4_2.jpg

Leia mais

FRATERNIDADE TABAJARA

FRATERNIDADE TABAJARA 1. Hino Oficial da Linha de Ogum: Vamos saravá Ogum no Terreiro! bis Ogum de noite e no dia inteiro! bis Ogum quando chega lá de Aruanda! bis Vem de Humaitá, Ogum! Já venceu demanda! bis Ogum Naruê, Ogum,

Leia mais

PASCOM. A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos,

PASCOM. A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos, PASCOM A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos, t e x t o s e i d é i a s p a r a a s matérias! Nossa Senhora da Penha, que sabe o nome de cada

Leia mais

EBA-IBCU Out/Nov 2012. Wagner Fonseca João Mengaldo

EBA-IBCU Out/Nov 2012. Wagner Fonseca João Mengaldo EBA-IBCU Out/Nov 2012 Wagner Fonseca João Mengaldo ESPIRITISMO Em uma década, católicos perdem mais espaço para os evangélicos Entre 2000 e 2010, fatia de católicos cai 12% no total da população brasileira;

Leia mais

Cerimonial religioso Texto: Kathia Pompeu Ilustração: Ricardo Rocha

Cerimonial religioso Texto: Kathia Pompeu Ilustração: Ricardo Rocha 182 Cerimonial religioso Texto: Kathia Pompeu Ilustração: Ricardo Rocha PASSO A PASSO DO CORTEJO Rico em tradições e costumes, o casamento atravessa os séculos alimentando o sonho romântico de casais apaixonados.

Leia mais

ENTRE ORIXÁS E SANTOS NASCE UM YAWO

ENTRE ORIXÁS E SANTOS NASCE UM YAWO ENTRE ORIXÁS E SANTOS NASCE UM YAWO Rômulo Leite Amorim Graduando em Ciências Sociais, UFCG No inicio da disciplina métodos II, nos foi recomendado que fosse escolhido algum objeto para ser etnográfado.

Leia mais

ADEPTOS DO CANDOMBLÉ E SUA REPRESENTAÇÃO SOCIAL INTERGRUPAL

ADEPTOS DO CANDOMBLÉ E SUA REPRESENTAÇÃO SOCIAL INTERGRUPAL ADEPTOS DO CANDOMBLÉ E SUA REPRESENTAÇÃO SOCIAL INTERGRUPAL Kueyla Andrade Bitencourt Faculdade Juvêncio Terra (orientador) kueyla@yahoo.com.br Geralda Alves Faria FJT gerinha12@hotmail.com Patrícia Rosângela

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

ASSINTEC Associação Inter-Religiosa de Educação e Cultura. Organização: Borres Guilouski Diná Raquel D. da Costa

ASSINTEC Associação Inter-Religiosa de Educação e Cultura. Organização: Borres Guilouski Diná Raquel D. da Costa ASSINTEC Associação Inter-Religiosa de Educação e Cultura Organização: Borres Guilouski Diná Raquel D. da Costa CANÇÃO Borres Guilouski Somos diversos E somos plurais Somos diferentes E somos iguais Respeito

Leia mais

COMUNIDADE DO TAQUARAL

COMUNIDADE DO TAQUARAL COMUNIDADE DO TAQUARAL Histórico Taquaral, localizada na região da morraria era uma sesmaria, que originou aos primeiros tempos da fundação da então Vila Maria do Paraguai. É um povoado antigo e tradicional,

Leia mais

O Candomblé: Uma religião que os negros ensinaram aos brasileiros. Etapa I do ciclo II, referente a 3 série do Ensino Fundamental.

O Candomblé: Uma religião que os negros ensinaram aos brasileiros. Etapa I do ciclo II, referente a 3 série do Ensino Fundamental. 1. TEMA O Candomblé: Uma religião que os negros ensinaram aos brasileiros. 2. TURMA A QUE SE DESTINA Etapa I do ciclo II, referente a 3 série do Ensino Fundamental. 3. BLOCOS TEMÁTICOS PROPOSTOS Ensino

Leia mais

Alabê Ketujazz: espiritualidade, jazz e referências africanas sobre o palco

Alabê Ketujazz: espiritualidade, jazz e referências africanas sobre o palco Alabê Ketujazz: espiritualidade, jazz e referências africanas sobre o palco por Por Dentro da África - terça-feira, novembro 24, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/alabe-ketujazz-espiritualidade-jazz-e-referencias-africanassobre-o-palco

Leia mais

O nosso jeito de falar, de gesticular, de cultuar e rezar, de ser e de viver, é profundamente marcado pela presença dos africanos no Brasil.

O nosso jeito de falar, de gesticular, de cultuar e rezar, de ser e de viver, é profundamente marcado pela presença dos africanos no Brasil. ATIVIDADE 01 MANIFESTAÇÕES DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA O nosso jeito de falar, de gesticular, de cultuar e rezar, de ser e de viver, é profundamente marcado pela presença dos africanos no Brasil. Com eles

Leia mais

Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina

Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina ANO I EDIÇÃO DE AGOSTO DE 2014 Nº 01 EDITORIAL Mudança. Uma palavra que poucas pessoas gostam de ouvir e muito menos de realizar. Por que nós

Leia mais

IV Reunião Equatorial de Antropologia. XIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste. 04 a 07 de agosto de 2013. Fortaleza-CE.

IV Reunião Equatorial de Antropologia. XIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste. 04 a 07 de agosto de 2013. Fortaleza-CE. IV Reunião Equatorial de Antropologia XIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste 04 a 07 de agosto de 2013 Fortaleza-CE. Grupo de Trabalho: Religiões de matriz Africana no Brasil: memórias, narrativas

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro As festas juninas fazem parte da tradição católica, mas em muitos lugares essas festas perderam essa característica.

Leia mais

Curso de Umbanda BANHOS

Curso de Umbanda BANHOS Curso de Umbanda BANHOS Em qualquer época, nos Centros e Terreiros de Umbanda, os banhos tem sido de grande importância na fase de iniciação espiritual; por isso, torna-se necessário o conhecimento do

Leia mais

Confira a opinião de profissionais para organizar uma cerimônia requintada e econômica

Confira a opinião de profissionais para organizar uma cerimônia requintada e econômica Confira a opinião de profissionais para organizar uma cerimônia requintada e econômica Existem alguns fatores que devem ser levados em consideração quando os noivos decidem se casar na igreja. separaramos

Leia mais

Levantando o Mastro CD 02. Bom Jesus da Cana Verde. Divino Espírito Santo Dobrado. Areia areia

Levantando o Mastro CD 02. Bom Jesus da Cana Verde. Divino Espírito Santo Dobrado. Areia areia CD 02 Bom Jesus da Cana Verde [ai bom Jesus da Cana Verde é nosso pai, é nosso Deus (bis)] ai graças a Deus para sempre que tornamos a voltar ai com o mesmo Pombo Divino da glória celestial ai Meu Divino

Leia mais

Grupo Gay da Bahia. Regras Básicas para a realização de uma Parada do Orgulho Gay.

Grupo Gay da Bahia. Regras Básicas para a realização de uma Parada do Orgulho Gay. Grupo Gay da Bahia Rua Frei Vicente, 24 _ Pelourinho 40010025 Salvador, Bahia, Fones (71) 3322 2552 99894748 Regras Básicas para a realização de uma Parada do Orgulho Gay. 01 A presença de Gays [ de alguma

Leia mais

Colégio Umbandista Luz Dourada

Colégio Umbandista Luz Dourada Conteúdo Programático do Curso Doutrina e Cultura Umbandista Esse curso é a base inicial a todos que buscam seus fundamentos e sua história. Apresentaremos nossa liturgia, nossos rituais e práticas religiosas

Leia mais

TERREIROS CONTEMPORÂNEOS: IMAGENS E ESPAÇOS EM TEMPOS DE CONTROLE 1. Palavras-chave: Etnofotografia, Candomblé, Poder, Geopolítica

TERREIROS CONTEMPORÂNEOS: IMAGENS E ESPAÇOS EM TEMPOS DE CONTROLE 1. Palavras-chave: Etnofotografia, Candomblé, Poder, Geopolítica TERREIROS CONTEMPORÂNEOS: IMAGENS E ESPAÇOS EM TEMPOS DE CONTROLE 1. Graziano Magalhães dos Reis 2 Universidade Estadual de Goiás-UEG/CieAA graziano.magalhaes@gmail.com RESUMO: O desdobramento investigativo

Leia mais

Na casa dos orixás. Bastidores. del. localizada na zona norte do Rio de Janeiro, receberam naquele sábado. As doações fazem parte das

Na casa dos orixás. Bastidores. del. localizada na zona norte do Rio de Janeiro, receberam naquele sábado. As doações fazem parte das Porto del Leandro O terreiro distribuiu 250 cestas básicas no dia de Cosme e Damião Na casa dos orixás Carlos Heitor Monteiro e Leandro Del Porto A manhã era de chuva, mas nada dispersava o aglomerado

Leia mais

Representações do Sagrado: ratificando o domínio da emoção e do sentimento do ser-no-mundo

Representações do Sagrado: ratificando o domínio da emoção e do sentimento do ser-no-mundo Representações do Sagrado: ratificando o domínio da emoção e do sentimento do ser-no-mundo Zeny Rosendahl UERJ Coordenadora do NEPEC rosendahl@pesquisador.cnpq.br Nesta reflexão, enfatiza-se a experiência

Leia mais

18/3/2011 EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE. Temas Principais. Tema 5: Sexualidade em sala de aula Tema 6: Religiosidade e Educação

18/3/2011 EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE. Temas Principais. Tema 5: Sexualidade em sala de aula Tema 6: Religiosidade e Educação Para ajudar a proteger sua privacidade, o PowerPoint impediu o download automático desta imagem externa. Para baixar e exibir esta imagem, clique em Opções na Barra de Mensagens e clique em Habilitar conteúdo

Leia mais

Expo Religião: Rio de Janeiro recebe o maior evento religioso da América Latina

Expo Religião: Rio de Janeiro recebe o maior evento religioso da América Latina Expo Religião: Rio de Janeiro recebe o maior evento religioso da América Latina por Por Dentro da África - terça-feira, novembro 24, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/expo-religiao-rio-de-janeiro-recebe-o-maior-evento-religiosoda-america-latina

Leia mais

Expressão Cultural selecionada: Rezadeiras

Expressão Cultural selecionada: Rezadeiras Município: Ipaporanga Estado: CE Mobilizador Cultural: Cyria Mayrellys Lima Expressão Cultural selecionada: Rezadeiras Prática desenvolvida na Europa, durante da Idade Média, estritamente dentro do modelo

Leia mais

PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO

PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO Apresentação da Disciplina O Ensino Religioso busca a valorização do pluralismo e a diversidade cultural. Sendo assim ele faz parte dos patrimônios

Leia mais

CALENDÁRIO DE FESTAS E RITUAIS PÚBLICOS PROGRAMADOS EM 2002 POR ALGUNS TERREIROS DA ILHA DE SÃO LUÍS (ver nota *)

CALENDÁRIO DE FESTAS E RITUAIS PÚBLICOS PROGRAMADOS EM 2002 POR ALGUNS TERREIROS DA ILHA DE SÃO LUÍS (ver nota *) CALENDÁRIO DE FESTAS E RITUAIS PÚBLICOS PROGRAMADOS EM 2002 POR ALGUNS TERREIROS DA ILHA DE SÃO LUÍS (ver nota *) MÊS/ TERREIROS PESQUI- DIA** SADOS (ver nota***) Janeiro 1 M10; J03; J05; J08; J09; H04

Leia mais

Candomblé: partículas da história de resistência de uma religião em Londrina

Candomblé: partículas da história de resistência de uma religião em Londrina Candomblé: partículas da história de resistência de uma religião em Londrina Jamile Carla Baptista (Ciências Sociais UEL.) jamile_baptista@hotmail.com Prof. Dr. Fabio Lanza (Ciências Sociais UEL - orientador)

Leia mais

Palestra: Cambono CENTRO ESPÍRITA DE UMBANDA CABOCLA JUREMA ARIANA VARELA & RICARDO BERTONI MARÇO DE 2014

Palestra: Cambono CENTRO ESPÍRITA DE UMBANDA CABOCLA JUREMA ARIANA VARELA & RICARDO BERTONI MARÇO DE 2014 Palestra: Cambono CENTRO ESPÍRITA DE UMBANDA CABOCLA JUREMA ARIANA VARELA & RICARDO BERTONI MARÇO DE 2014 Origem e definição A palavra Cambono é originada do termo Kamdondo, Kambono, Kambundu e nada mais

Leia mais

Menu. Comidas típicas. Contribuições para o Brasil e Ijuí. Significado da bandeira Árabe. Costumes

Menu. Comidas típicas. Contribuições para o Brasil e Ijuí. Significado da bandeira Árabe. Costumes Árabes Componentes: Sabrina, Lucille,Giovana, M, Lucas C, João Vitor Z, Samuel. Disciplina: Estudos Sociais, Informática Educativa, Língua Portuguesa. Professores: Uiliam Michael, Cristiane Keller, Daniele

Leia mais

MOVIMENTOS RITUALÍSTICOS NO CANDOMBLÉ:

MOVIMENTOS RITUALÍSTICOS NO CANDOMBLÉ: UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS VIII PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA HUMANA E GESTÃO SOCIOAMBIENTAL ANTÔNIO

Leia mais

MEMÓRIAS EM FESTA: Uma Cartografia das Congadas em Atibaia 1

MEMÓRIAS EM FESTA: Uma Cartografia das Congadas em Atibaia 1 MEMÓRIAS EM FESTA: Uma Cartografia das Congadas em Atibaia 1 Mariana TARGA GONÇALVES 1 Ana Beatriz PEREIRA DE ANDRADE 2 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp, Bauru, SP RESUMO

Leia mais

Candomblé de Angola: a reinvenção da África no Brasil 1. Défani MOREIRA 2 João MARCELO 3 Universidade de Taubaté, Taubaté, SP

Candomblé de Angola: a reinvenção da África no Brasil 1. Défani MOREIRA 2 João MARCELO 3 Universidade de Taubaté, Taubaté, SP Candomblé de Angola: a reinvenção da África no Brasil 1 Défani MOREIRA 2 João MARCELO 3 Universidade de Taubaté, Taubaté, SP RESUMO O ensaio fotográfico Candomblé de Angola A reinvenção da África no Brasil

Leia mais

TAMBOR DE MINA E UMBANDA: O culto aos caboclos no Maranhão Mundicarmo Ferretti

TAMBOR DE MINA E UMBANDA: O culto aos caboclos no Maranhão Mundicarmo Ferretti TAMBOR DE MINA E UMBANDA: O culto aos caboclos no Maranhão Mundicarmo Ferretti Publicado no Jornal do CEUCAB-RS: O Triangulo Sagrado, Ano III, n. 39 (1996), 40 e 41 (1997). 2 TAMBOR DE MINA E UMBANDA:

Leia mais

XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF

XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF ==> Download: XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF - Are you searching for Xango Meu Pai O Orixa Rei Books? Now, you will be happy that at this time

Leia mais

TERREIROS E QUILOMBOS: ESPACIALIDADES E ARTICULAÇÕES

TERREIROS E QUILOMBOS: ESPACIALIDADES E ARTICULAÇÕES 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( X ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA TERREIROS E QUILOMBOS: ESPACIALIDADES E ARTICULAÇÕES Caio

Leia mais

Preto-Velho, Caboclo, Orixás, Exus e Pomba-Giras

Preto-Velho, Caboclo, Orixás, Exus e Pomba-Giras Preto-Velho, Caboclo, Orixás, Exus e Pomba-Giras Preto-velho é o espírito de um escravo de origem africana, que procura repartir com as pessoas encarnadas na Terra a sua sabedoria, a sua experiência de

Leia mais

1. Com base na leitura do texto, escreva Certo (C) ou Errado (E) para as afirmações a seguir.

1. Com base na leitura do texto, escreva Certo (C) ou Errado (E) para as afirmações a seguir. Salvador da Bahia Leitura: atividades A festa é do povo 1. Com base na leitura do texto, escreva Certo (C) ou Errado (E) para as afirmações a seguir. A) O casamento na roça faz parte dos festejos juninos

Leia mais

O TEMPLO DOS ORIXÁS. Site Oficial: http://www.tfca.com.br E-mail: tfca@tfca.com.br

O TEMPLO DOS ORIXÁS. Site Oficial: http://www.tfca.com.br E-mail: tfca@tfca.com.br O TEMPLO DOS ORIXÁS Quando, na experiência anterior, eu tive a oportunidade de assistir a um culto religioso, fiquei vários dias pensando a que ponto nossa inconsciência modificou o mundo espiritual. Conhecendo

Leia mais

Rituais de festa em uma morte anunciada. anos. Filha de Maria Dias da Silva, mãe solteira, lavadeira, vendedora de lenha, entre outros serviços

Rituais de festa em uma morte anunciada. anos. Filha de Maria Dias da Silva, mãe solteira, lavadeira, vendedora de lenha, entre outros serviços Rituais de festa em uma morte anunciada Profª Drª Temis Gomes Parente Universidade Federal do Tocantins Campus de Porto Nacional - TO. Email: temis.parente@uol.com.br No dia 29 de maio de 2004, em Natividade-

Leia mais

Seminário internacional Herança, identidade, educação e cultura: gestão dos sítios e lugares de memória ligados ao tráfico negreiro e à escravidão.

Seminário internacional Herança, identidade, educação e cultura: gestão dos sítios e lugares de memória ligados ao tráfico negreiro e à escravidão. Seminário internacional Herança, identidade, educação e cultura: gestão dos sítios e lugares de memória ligados ao tráfico negreiro e à escravidão. Palestra: Apresentação da experiência do Complexo Histórico

Leia mais

Disciplina ENSINO RELIGIOSO Ano Letivo 2015 Carga Horária 2 Turma 6º B Regime Anual Curso Ensino Fundamental Anos Finais Bimestre 1º

Disciplina ENSINO RELIGIOSO Ano Letivo 2015 Carga Horária 2 Turma 6º B Regime Anual Curso Ensino Fundamental Anos Finais Bimestre 1º PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) Curso Ensino Fundamental Anos Finais Bimestre 1º * Respeito à diversidade religiosa * Declaração universal dos direitos Humanos e Constituição brasileira: respeito à liberdade

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO General Carneiro 2010 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO. O Ensino Religioso existiu num primeiro

Leia mais

Palavras-chave: dinheiro, religiões afro- brasileiras, práticas simbólicas.

Palavras-chave: dinheiro, religiões afro- brasileiras, práticas simbólicas. OMOLU E A CENTRALIDADE DO DINHEIRO NUMA CERIMÔNIA DE CANDOMBLÉ Beatriz Moura 1 Resumo Em 2012, ainda na graduação, iniciei trabalho de campo em terreiros de religiões de matriz afro-brasileira e lojas

Leia mais

OS MANDAMENTOS DE UM MÉDIUM UMBANDISTA Por Rubens Saraceni. Publicação no Jornal de Umbanda Sagrada Ed. 155 Abril/2013

OS MANDAMENTOS DE UM MÉDIUM UMBANDISTA Por Rubens Saraceni. Publicação no Jornal de Umbanda Sagrada Ed. 155 Abril/2013 OS MANDAMENTOS DE UM MÉDIUM UMBANDISTA Por Rubens Saraceni Publicação no Jornal de Umbanda Sagrada Ed. 155 Abril/2013 01 Amar a Olorum, aos Orixás e à Umbanda acima de todas as coisas e das outras religiões.

Leia mais

entrevista a yá habiba de osun

entrevista a yá habiba de osun entrevista a yá habiba de osun No passado dia 04 de Outubro Yá Habiba do Ilê Asè Oxum Abalô, localizado na Áustria, visitou o Terreiro Ilê Asé Omim Ogun e a sede da Coordenação Internacional da FENACAB,

Leia mais