... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações"

Transcrição

1 ... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações Proposta Comercial Objeto : Proposta : CTBC Bit Stream Cliente : Contato : Página 1 de 13

2 Apresentação CTBC Telecom A Companhia de Telecomunicações do Brasil Central - CTBC Telecom, foi fundada em 15 de fevereiro de A CTBC Telecom tem sua sede administrativa em Uberlândia/MG e hoje é a única empresa de telecomunicações do país a oferecer todas as soluções em telecomunicações para seus clientes. Graças a um trabalho que começou há 46 anos, o Brasil Central está ligado não só a todo o país, mas ao mundo, através de meios de transmissão modernos, de tecnologia de ponta e de produtos e serviços que oferecem soluções eficientes aos clientes e seus parceiros. Encurtando as distâncias e oferecendo meios para a transmissão de informações, a CTBC presta serviços da mais alta qualidade neste setor. Para oferecermos esta qualidade desenvolvemos novas tecnologias, implantamos os melhores produtos, educamos para um aproveitamento racional e eficiente de cada conquista. A CTBC Telecom comprometida com a qualidade total e com o desenvolvimento tecnológico, não poupa esforços para oferecer a seus clientes as melhores soluções em telecomunicações. A área de atuação da CTBC Telecom estende-se por 102 mil km2, abrangendo 303 cidades de quatro Estados brasileiros: Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul, atendendo uma população de cerca de 2,5 milhões habitantes. Página 2 de 13

3 CTBC Bit Stream O serviço CTBC Bit Stream compreende a cessão de direito de uso da rede de acesso ADSL da CTBC para outras operadoras de telecomunicações, permitindo-lhes a prestação de serviços de transporte de sinais digitais de telecomunicações baseados na tecnologia de comutação por pacotes, através de sua infra-estrutura de rede metálica instalada. 1. Componentes do Serviço CTBC Bit Stream 1.1 Compartilhamento de Meio Físico Compreende o compartilhamento da infraestrutura de rede de aceso metálica do STFC, desde o site do assinante até o centro de fios da CTBC, a saber: Par Telefônico O mesmo par telefônico que é utilizado para acesso ao serviço telefônico é compartilhado em banda com o serviço CTBC Bit Stream, não havendo efeitos de degradação mútua dos dois serviços. A separação dos dois sinais (STFC e Bit Stream) será feita no lado do centro de fios por equipamentos fornecidos pela CTBC, e no lado do assinante pelo CONTRATANTE. Para oferecer o nível de qualidade que o serviço CTBC Bit Stream requer, a CTBC apresenta no ANEXO I os procedimentos padrões de qualificação do loop de assinante ADSL Acessórios de Interligação São os blocos de interligação, blocos protetores, fios jumpers e cabos internos ao centros de fios da CTBC, que são necessários para uso e compartilhamento dos pares metálicos pelos dois serviços (STFC e Bit Stream). 1.2 Plataforma ADSL No conceito desta proposta, plataforma ADSL compreende o uso compartilhado dos multiplexadores de acesso ADSL (DSLAMs), equipamentos agregadores de sessões do tipo B-RAS (Broadband RAS), e todos os links ATM metropolitanos e interurbanos da rede da CTBC, necessários ao transporte e entrega do serviço CTBC Bit Stream na velocidade contratada até o ponto de interconexão acordado com o CONTRATANTE. O CONTRATANTE deverá fornecer o CPE (modem ADSL tipo ATU-R) e os splitters ao assinante e também sua instalação, configuração e manutenção. 2. Das Responsabilidades das Partes 2.1 Atividades de responsabilidade da CTBC Testes de qualificação do loop do assinante, visando avaliar e escolher par telefônico com qualidade requerida para o serviço CTBC Bit Stream na velocidade contratada; Interligação dos pares de fios oriundos do DSLAM e da Central Telefônica no centro de fios da CTBC; Página 3 de 13

4 Configuração e gerência da Plataforma ADSL; Fornecimento de relação de CPE qualificados para utilização pelo CONTRATANTE no CTBC Bit Stream, destacando o nome dos fornecedores e os modelos aprovados; Manutenção da Plataforma ADSL em perfeito funcionamento, garantindo a qualidade do serviço de acordo com o especificado no Anexo II. 2.2 Responsabilidades do CONTRATANTE Obter de cada assinante um termo de concordância do mesmo com o compartilhamento de seu par metálico com o serviço CTBC Bit Stream, destacando o nome do CONTRATANTE que lhe fornecerá o serviço; Obter de cada assinante um termo de concordância do mesmo com a interrrupção temporária do serviço telefônico na sua linha, na data e horário acertados para instalação do serviço CTBC Bit Stream; Instalar somente CPEs constantes da relação de homologação fornecida pela CTBC; Providenciar o fornecimento, transporte, instalação, configuração e manutenção do CPE no ambiente do assinante, incluindo materiais, softwares e acessórios eventualmetne necessários ao provisionamento do serviço para o mesmo; Providenciar um serviço de Help Desk, disponível 24 horas por dia, e com tempo médio de espera menor que 1 minuto, todos os dias da semana, inclusive sábados, domingos e feriados, para que o assinante possa acioná-lo sempre que necessário para dúvidas e reclamações de mau funcionamento do serviço CTBC Bit Stream; Possuir quadro técnico especializado e treinado para instalação, configuração, testes e manutenção dos CPEs instalados no ambiente do assinante; O quadro técnico do CONTRATANTE deverá trajar-se e portar-se adequadamente no ambiente do assinante, não contrariando as normas do mesmo enquanto permanecer em seu ambiente; Contratar da CTBC link de interconexão da Plataforma ADSL da CTBC com o seu backbone este link deverá ser um link ATM com interface STM-1. A forma de contratação deste link seguirá os procedimentos de contratação de links EILDs; Realizar processo de atendimento a reclamações do assinante com triagem dos defeitos, de forma que seja repassado à CTBC somente problemas na Plataforma ADSL ou no loop metálico do assinante, até o ponto de conexão com a sua rede interna; Zelar pelo nome e marcas da CTBC. 3. Disposições Gerais 3.1 O CONTRATANTE concorda que, por quaisquer motivos que eventualmente o obriguem a cessar a prestação do serviço junto ao assinante, este ficará livre para escolher outro provedor para dar-lhe continuidade na prestação do serviço. 3.2 Fica o CONTRATANTE ciente que não está incluso o CPE ou qualquer procedimento de instalação no ambiente do assinante no serviço CTBC Bit Stream, sendo estes itens de sua responsabilidade. Página 4 de 13

5 3.3 A CTBC reserva-se o direito de alterar equipamentos e demais componentes da infraestrutura do CTBC Bit Stream sempre que necessário, e com aviso prévio de 30 dias ao CONTRATANTE, respeitando apenas a continuidade e qualidade do serviço contratado. 3.4 O CONTRATANTE deverá prover o serviço de interligação com a Rede Internet ou outro serviço que venha oferecer ao assinante. Assim, não é responsabilidade da CTBC nem o provimento desses serviços que não fazem parte do CTBC Bit Stream,nem qualquer eventual conseqüência dos mesmos junto ao assinante, aos órgãos regulatórios ou a terceiros. 3.5 O fornecimento do serviço CTBC Bit Stream para cada assinante solicitado pelo CONTRATANTE estará sujeito à disponibilidade técnica na Plataforma ADSL no respectivo centro de fios, e também à análise de loop de assinante, executada de acordo com o PROCEDIMENTO DE QUALIFICAÇÃO DE LOOP DE ASSINANTE (Anexo I). 4. Modalidades do CTBC Bit Stream O serviço CTBC Bit Stream poderá ser contratado em duas categorias básicas: CTBC Bit Stream com tecnologia PPPoE (PPP over Ethernet); CTBC Bit Stream com tecnologia PPPoA (PPP over ATM). O Anexo III mostra algumas características das duas tecnologias, através de um quadro comparativo. 5. Tabela de Preços do CTBC Bit Stream (**) Inclusos Pis/Confins CTBC Bit Stream Modalidade Taxa (Kbps) * Preço Líquido Comercial Protocolo Downstream Upstream Mensal Instalação ADSL 128 K PPPoA ,75 150,00 ADSL 256 K PPPoA ,25 150,00 ADSL 512 K PPPoA ,25 150,00 ADSL 1 Mb PPPoA ,75 150,00 ADSL 2 Mb PPPoA ,25 150,00 ADSL 128 K PPPoE ,75 150,00 ADSL 256 K PPPoE ,25 150,00 ADSL 512 K PPPoE ,25 150,00 ADSL 1 Mb PPPoE ,75 150,00 ADSL 2 Mb PPPoE ,25 150,00 (*) Não inclui Banda Internet 6. Forma de Pagamento e Reajustes dos Preços O CONTRATANTE pagará o serviço CTBC Bit Stream mensalmente. A taxa de instalação será faturada na primeira mensalidade. O serviço será reajustado anualmente, Página 5 de 13

6 de acordo com o IGP-M da Fundação Getúlio Vargas, ou outro índice que venha substituí-lo. ANEXO I PROCEDIMENTOS DE QUALIFICAÇÃO DO LOOP DE ASSINANTE Escopo: Este Procedimento se aplica somente à Rede Metálica da CTBC Telecom, e deverá ser executado apenas por ela ou por empresas que a mesma venha designar. Confidencialidade: Todas as informações e critérios expostos neste anexo são de uso restrito da CTBC Telecom. Fica proibida a divulgação e/ou uso destas informações por outras empresas. P1. PROCEDIMENTOS FÍSICOS P1.1 Verificação de Pertinência do Loop do Assinante a Equipamento PCM-x P1.1.1 Procedimento: Verificação de Pertinência do Loop do Assinante a Equipamento Multiplexador de Linhas Metálicas tipo PCM-x. P1.1.2 Objetivo: Verificar se o Loop de Assinante é atendido por equipamento multiplexador de linhas do tipo PCM-x. P1.1.3 Metodologia Análise do Cadastro de Facilidades da CTBC para o número telefônico do assinante. P1.1.4 Critério de Decisão Se no cadastro do número telefônico estiver marcado que o mesmo é atendido via PCMx, está qualificado o atendimento. P1.1.5 Ação Executar manobra de par para o número de telefone do assinante. P1.1.6 Registro do Resultado Após execução da manobra de par, deverá ser atualizada as novas facilidades de rede para o número de telefone do assinante. Também deverá constar no Formulário de Qualificação de Loop de Assinante esta ação. Página 6 de 13

7 P1.2 Verificação de Paralelismos no Loop de Assinante P1.2.1 Procedimento: Verificação de Paralelismos no Loop de Assinante. P1.2.2 Objetivo: Verificar se existem paralelismos no Loop de Assinante. P1.2.3 Metodologia: Análise do Cadastro de Facilidades de Rede da CTBC para o número de telefone do assinante. P1.2.4 Critério de Decisão Se no cadastro do número telefônico estiver registrado que o mesmo é atendido por caixa terminal de rede com sufixo alfabético (A, B, C, D, E) significa que existe paralelismo na Rede Secundária que o atende. P1.2.5 Ação Eliminar todo e qualquer paralelismo existente no loop até o ponto de conexão com a Rede Interna do prédio do assinante. P1.2.6 Registro do Resultado Após a eliminação física dos paralelismos, deverá ser executada atualização no Cadastro de Facilidades de Rede da CTBC e no Formulário de Qualificação de Loop de Assinante. P2. PROCEDIMENTOS ELÉTRICOS P2.1 Medição da Resistência de Isolação P2.1.1 Procedimento: Medição da Resistência de Isolação e Desequilíbrio Resistivo. P2.1.2 Objetivo: Verificar se a Resistência de Isolação e o Desequilíbrio Resistivo do par estão dentro dos limites estabelecidos. P2.1.3 Metodologia MΩ A B Página 7 de 13

8 Instrumento utilizado: Megohmetro Tensão de teste: 500 V Passos: Medir a resistência entre A e B, R A/B, durante 1 minuto e anotar o valor; Medir a resistência entre A e Terra, R A/T, durante 1 minuto e anotar o valor 1 ; Medir a resistência entre B e Terra, R B/T, durante 1 minuto e anotar o valor 1. 1 Para esta medição, ao se medir um fio, o outro deverá estar aterrado, juntamente com o pino G do Megohmetro. Após executados os testes, deverá-se aterrar instantaneamente os fios A e B para eliminar a carga elétrica presente no par físico, devida à tensão de teste aplicada. P2.1.4 Critério de Decisão P Resistência de Isolação Para um dado comprimento de cabo, o par atenderá ou não, se, ao computar-se o comprimento do mesmo, a resistência de isolação medida estiver maior que o limite mínimo MΩ.Km (R medido >= MΩ. Km). Este limite vale para R A/B, R A/T e R B/T. Decisão: Se R medido > R min, o par atende à especificação. Se R medido <= R min, o par não atende à especificação. Por exemplo: Se o valor da resistência de isolação medida entre o fio A e B de um par foi 500 MΩ (R A/B = 500 MΩ ) e a resistência do loop foi de 700 Ω,sendo a bitola do par 26 AWG, verificar se o mesmo atende à especificação. Solução: Distância em Km : d = 700/288 = 2,43 Km Valor mínimo requerido para resistência de isolação: Rmin = MΩ. Km /2,43 Km. Rmin = 411,5 MΩ. Decisão: Como R medido > R min, o par atende à especificação, pelo critério de Resistência de Isolação R A/B. P Desequilíbrio Resistivo O par sob teste atenderá ou não o critério de Desequilíbrio Resistivo ( R ) se: R = (R A/T R A/B )/R A/B * 100% < 25% e R = (R B/T R A/B )/R A/B * 100% < 25% Obs: Os valores de R são absolutos (desprezar o sinal). Página 8 de 13

9 P2.1.5 Ação Se o par atender à especificação, nenhuma ação será realizada; senão, deverá ser executada manobra de par até encontrar um par que atenda aos limites mínimos estabelecidos. Se, eventualmente, não for possível encontrar nenhum par com valores dentro dos limites mínimos estabelecidos, a área de Rede Metálica da CTBC deverá ser imediatamente informada para que sejam tomadas providências para melhorar a qualidade dos pares da seção em análise. P2.1.6 Registro dos Resultados Após a eliminação física dos paralelismos, deverá ser executada atualização no Cadastro de Facilidades de Rede e no Formulário de Qualificação de Loop de Assinante. P2.2 Medição da Resistência de Loop P2.2.1 Procedimento: Medição da Resistência de Loop de Assinante. P2.2.2 Objetivo: Obter o valor numérico da Resistência de Loop de Assinante. P2.2.3 Metodologia Ω A B Passos: Instrumento utilizado: Multímetro (modo Ohmímetro) Escala: 2K ou 5K Desconectar o par sob teste da rede interna do Cliente; Em uma das extremidades (DG CTBC ou BLI Cliente), executar um loop físico entre os fios A e B; Medir a resistência do Loop do Assinante R loop e anotar o valor. Página 9 de 13

10 P2.2.4 Critério de Decisão P Para taxas até 2,5 Mbit/s (ADSL) Se Rloop < 1300 Ω, o par sob teste atende ao critério de Resistência de Loop; Se Rloop >=1300 Ω, o par sob teste não atende ao critério de Resistência de Loop. ANEXO II GARANTIA DE QUALIDADE DO SERVIÇO AII-1 Garantia de Taxa de Acesso Nominal e Taxa de Erro Máxima Sendo a tecnologia ADSL caracterizada pela assimetria de velocidade no downlink/uplink, a garantia da taxa de acesso nominal consiste na taxa efetiva de bits entre o modem ATU-R (lado cliente) e o modem ATU-C (DSLAM). Os procedimentos de qualificação de loop de assinante (Anexo I) proporcionam a maneira efetiva de se garantir que a taxa de acesso efetiva seja a taxa nominal contratada, com uma tolerânica de 0.1%. Associada a esta tolerância está a taxa de erro de bit máxima do acesso que não ultrapassa 1x10-7 medida em intervalos de 15 minutos. Esta taxa deverá ser medida pelo CONTRATANTE tanto para o downstream quanto para o upstream durante a ativação do serviço ou durante eventuais manutenções. AII-2 Garantia de Desempenho do CTBC Bit Stream A CTBC alocará recursos e sistemas de suporte, de forma a garantir ao CONTRATANTE as melhores condições de acesso e transporte das informações pertinentes aos serviços oferecidos, dentro do escopo dos serviços oferecidos. O desempenho do CTBC Bit Stream será regido em acordo com os itens abaixo. a) O serviço CTBC Bit Stream estará disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, desde que a infra-estrutura física do site do CONTRATANTE esteja em perfeito funcionamento e condições de uso; b) A indisponibilidade do serviço será calculada para um período de 01 (hum) mês, através da seguinte equação, mantidas as ressalvas do item anterior (item a) : I =[1 - (43200 Ti)/43200] Onde : I = fator de indisponibilidade (varia de 0 a 1); Ti = somatório dos tempos das interrupções do equipamento durante o período de operação (01 mês), em minutos. Página 10 de 13

11 c) No caso de inoperância do serviço causada por responsabilidade da CTBC, serão concedidos descontos conforme abaixo, limitado ao valor mensal do CTBC Bits Stream. D = 1,3 * I x P Onde : D = desconto em R$ (reais) relativo ao CTBC Bit Stream em falha. I = fator de indisponibilidade P = preço mensal do CTBC Bit Stream contratado. Para efeito de descontos, o tempo de interrupção do CTBC Bit Stream deverá ser considerado entre o início da interrupção e a sua total recuperação, por um período contínuo de 30 (trinta) minutos. O tempo mínimo para cálculo será de 30 minutos, por chamada. d) O prazo máximo de recuperação do equipamento, quando este sofrer interrupção, não deverá ser maior que 12 (doze) horas, contado no período de 8:00 às 18:00 horas; e) Pelo não cumprimento do prazo de 10 (dez) horas para reparo e restabelecimento do equipamento em 100% (cem porcento) de operabilidade, além dos descontos previstos no item d acima, a CTBC arcará com uma multa no valor de 0,2% (zero vírgula dois por cento) da mensalidade do serviço CTBC Bit Stream para o referido acesso defeituoso, por hora ou fração de inoperância, que exceda o prazo para recuperação. Essa multa será limitada ao valor mensal do serviço CTBC Bit Stream; f) No caso de inoperância reincidente num período de 03 (três) horas, contados a partir do restabelecimento do acesso, considerar-se-á como tempo de indisponibilidade do serviço CTBC Bit Stream, o intervalo entre o início da primeira inoperância até o final da última inoperância, quando o equipamento estiver totalmente operacional; g) O CTBC Bit Stream será considerado indisponível quando o tráfego, a partir da rede da CONTRATANTE não puder ser roteado, por problemas de responsabilidade da CTBC, desde que a infra-estrutura do CONTRATANTE e do assinante estejam operacionais; h) Interrupções programadas, para manutenções preventivas na Plafaforma ADSL, deverão ser efetuadas no período compreendido entre 04:00 e 08:00 horas, horário de Brasília, às quintas-feiras, e comunicadas ao CONTRATANTE com antecedência mínima de 03 (três) dias. As interrupções programadas não são consideradas como indisponibilidade; i) Quando o prazo mínimo de 03 (três) dias de comunicação não for atendido, ou o CONTRATANTE não for informando, deverá ser concedido desconto por interrupção. Página 11 de 13

12 ANEXO III COMPARAÇÃO DAS TECNOLOGIAS PPPoE E PPPoA TUNELAMENTO PPPoE PPPoA CARACTERÍSTICA Significado PPP-over-Ethernet - mecanismo de encapsulamento de informações PPP dentro de quadros Ethernet. Requer a instalação de um software client em cada Sim estação de trabalho. Muitos usuários podem Sim, até 8 usuários simultâneos. compartilhar o mesmo acesso PPP-over-ATM mecanismo de encapsulamento de informações PPP dentro de células ATM. Não Sim, não existe limite de usuários. Acesso simultâneos a mais de um ISP através do mesmo acesso DSL ou Cable Sim. Esta característica permite que coexistam sessões distintas (em PCs distintos, claro) para provedores distintos. Tipo de CPE utilizado Modem Bridge Modem Router Não. Uma vez que o modem é o usuário que faz a atenticação (o username e password estão previamente gravados no modem), apneas um serviço poderá ser logado por vez. CPE pode realizar função de NAT Tipo de mídia de acesso Apropriado para uso residencial Não. XDSL, Cable Modem e Wireless Modem. Sim. Sim, uma vez que é o modem quem loga, ele poderá realizaar a função de NAT para a LAN do cliente. XDSL. Não. É uma tecnologia mais cara. Página 12 de 13

13 Trabalha com sistemas Windows, Mac e Linux. Sim. CTBC Bit Stream Não. Permite controle do usuário pelo ISP Sim, uma vez que é o usuário (PC) quem loga, pode-se fazer um accounting completo de sua sessão. Não. Como é o modem quem loga, o ISP não tem controle de quem (dentro da LAN do cliente) está utilizando os recursos da Internet, nem os dados das sessões de cada usuário. Preço do CPE Mais barato. Mais caro. Normalmente o CPE que faz PPPoA (modo Router) pode também funcionar como Bridge (PPPoE). Quando funcionando como router, ele executa as funções básica de um router de acesso. Vantagens operacionais para o assinante Melhora a segurança porque o logon na rede é feito máquina por máquina, não o barramento inteiro, como no cado do PPPoA. Vantagens para o ISP Controle de logon e accounting de cada usuário logado. Facilidade de acesso rápido ao provedor Internet. É só ligar o CPE xdsl, e pronto. O cliente poderá utilizar quantos PCs na sua LAN quando desejar. A mesma senha é compartilhada por todos os usuários de um acesso, uma vez que é o modem quem loga, não os usuários. Página 13 de 13

A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições:

A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições: REGULAMENTO Duo Negócios A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições: 1. Das Definições Para esta, aplicam-se as seguintes definições: 1.1. : Oferta especial para a aquisição dos produtos

Leia mais

terá a capacidade inicial de 32Mb, com possibilidade de expansão mínima de até 128Mb.

terá a capacidade inicial de 32Mb, com possibilidade de expansão mínima de até 128Mb. MEMORIAL DESCRITIVO Objeto 1.1 O objeto do presente Termo de Referência (TR) é a contratação de empresa, ou consórcio de empresas, para o provimento de serviço de acesso à rede Internet no município SANTO

Leia mais

ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS

ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS No caso de aplicação de glosa referente ao mesmo indicador deste caderno de métricas, durante três meses consecutivos, ou cinco meses intervalados durante

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Proposta Comercial. ... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações. Objeto : Proposta : Cliente : Contato :

Proposta Comercial. ... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações. Objeto : Proposta : Cliente : Contato : ... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações Proposta Comercial Objeto : Prestação de Serviços de Co-Billing Proposta : Cliente : Contato : Apresentação CTBC Telecom A Companhia de Telecomunicações

Leia mais

Diretoria de Operação

Diretoria de Operação Diretoria de Operação Superintendência de Telecomunicações e Sistemas de Controle Departamento de Telecomunicações Divisão de Operação e Gerenciamento de Recursos de Telecomunicações TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

CAPÍTULO 13. Conectividade Linhas Privativas Comercias LINHAS PRIVATIVAS COMERCIAIS

CAPÍTULO 13. Conectividade Linhas Privativas Comercias LINHAS PRIVATIVAS COMERCIAIS CAPÍTULO 13 LINHAS PRIVATIVAS COMERCIAIS Todos os serviços de conectividade e comunicação de dados oferecidos por qualquer operadora de telecomunicações, devem terminar nos pontos finais de utilização

Leia mais

4.1 A Parte que recebeu a notificação de anormalidade deverá encaminhá-la imediatamente a um órgão responsável, para resolver a anormalidade.

4.1 A Parte que recebeu a notificação de anormalidade deverá encaminhá-la imediatamente a um órgão responsável, para resolver a anormalidade. ANEXO 8: GERENCIAMENTO DE ANORMALIDADES DA REDE 1 As Partes reconhecem que é de seu mútuo interesse estabelecer um processo eficiente e efetivo para comunicar e resolver as anormalidades de rede que repercutam

Leia mais

ANEXO XII PADRÃO DE CONTRATAÇÃO DE LINKS DE DADOS DO TIPO LPCDSLDD ADOTADO NO ÂMBITO DA PCRJ

ANEXO XII PADRÃO DE CONTRATAÇÃO DE LINKS DE DADOS DO TIPO LPCDSLDD ADOTADO NO ÂMBITO DA PCRJ PADRÃO DE CONTRATAÇÃO DE LINKS DE DADOS DO TIPO LPCDSLDD ADOTADO NO ÂMBITO DA PCRJ 1. Objetivo - Finalidade Objetivo: Especificar/descrever e detalhar a contratação de prestação de Serviços de Rede de

Leia mais

Tabela de Preços MARKETING B2B

Tabela de Preços MARKETING B2B 1. SOLUÇÔES DE DADOS E ACESSO A INTERNET... 2 1.1. TC IP ECONÔMICO SAT... 2 1.2. TC VPN CONNECT... 4 1.3. TC DATA... 4 1.4. TC PAC... 6 1.5. TC PAC DEDICADO... 7 1.6. TC FRAME WAY... 12 1/15 1. SOLUÇÔES

Leia mais

DESCRITIVO DO SERVIÇO VPN IP (ANEXO ÀS CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS)

DESCRITIVO DO SERVIÇO VPN IP (ANEXO ÀS CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS) 1. DESCRIÇÃO DESCRITIVO DO SERVIÇO VPN IP (ANEXO ÀS CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS) 1.1 O serviço VPN IP (Rede Virtual Privada) é utilizado para interconexão de Redes Locais entre a matriz e

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO A presente licitação tem como objeto a contratação de empresa, especializada e devidamente autorizada pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações, prestadora

Leia mais

VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência

VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência Pregão Conjunto nº 27/2007 VIDEOCONFERÊNCIA ANEXO I Termo de Referência Índice 1. Objetivo...3 2. Requisitos técnicos e funcionais...3 2.1.

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA OI S.A., REFERENTES AO PREGÃO ELETRÔNICO N 02/2012.

RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA OI S.A., REFERENTES AO PREGÃO ELETRÔNICO N 02/2012. RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA OI S.A., REFERENTES AO PREGÃO ELETRÔNICO N 02/2012. Questionamento 01 1 - Quanto ao item 6. 2 DEFINIÇÃO DAS CLASSES (Anexo I - Termo de Referencia): 6.2.1. CLASSE

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS PÁG. 1 DE 13 PRÁTICA DE SERVIÇO DE BANDA LARGA REQUISITOS MÍNIMOS PARA OS PRESTADORES DE SERVIÇO DO PROGRAMA NACIONAL DE BANDA LARGA - PNBL Sumário 1.OBJETIVO... 2 2.CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 3.DEFINIÇÕES...

Leia mais

ADSL BÁSICO ADSL. A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante.

ADSL BÁSICO ADSL. A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante. ADSL ADSL A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante. Trata-se de uma tecnologia que permite a transferência digital de dados em alta velocidade por meio da linha telefônica. É

Leia mais

Regulamento. PROMOÇÃO DUO Plano Fale a Vontade e Banda Larga

Regulamento. PROMOÇÃO DUO Plano Fale a Vontade e Banda Larga PROMOÇÃO DUO Plano Fale a Vontade e Banda Larga Esta Promoção é realizada pela TELEFÔNICA BRASIL S.A., com sede na Rua Martiniano de Carvalho, 851 - São Paulo - SP, inscrita no CNPJ sob o nº 02.558.157/0001-62,

Leia mais

Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta

Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta Como funciona o sinal DSL INTRODUÇÃO: A Linha Digital de Assinante, conhecida por DSL, do inglês Digital Subscriber Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta

Leia mais

Contrato de Adesão. As partes, acima qualificadas, têm entre si justas e acordadas as seguintes cláusulas e condições:

Contrato de Adesão. As partes, acima qualificadas, têm entre si justas e acordadas as seguintes cláusulas e condições: A Contratada Fundação CPqD Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações, sediada na Rodovia Campinas/Mogi-Mirim (SP-340), Km 118,5, em Campinas SP, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 02.641.663/0001-10

Leia mais

TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA)

TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA) TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA) Código do Serviço: 3005001 Nome do Serviço: Data de Publicação: 30/04/2013 Entrada em Vigor: SAN AUTENTICAÇÃO 01/06/2013 Versão: 1.0000 Status: Publicado

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 11/11/2002).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 11/11/2002). ADSL (Speedy, Velox, Turbo) Este tutorial apresenta a tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) desenvolvida para prover acesso de dados banda larga a assinantes residenciais ou escritórios através

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD 1. EMPRESA Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. 2. NOME DO PLANO Plano PAS 236 LDN 3. MODALIDADE DO

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO

PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO OUTORGA DE SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA SCM sendo um serviço fixo de telecomunicações de interesse

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DUO

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DUO REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DUO Esta Promoção é realizada pela Telefônica Brasil S.A., com sede na Rua Martiniano de Carvalho, 851 - São Paulo - SP, inscrita no CNPJ sob o nº 02.558.157/0001-62, doravante

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 009 - Plano Conta Light Requerimento de Homologação Nº 3556 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária 14 BRASIL

Leia mais

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação:

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação: PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E FORNECIMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE ACESSO A SERVIÇOS INTERNET DE BANDA ESTREITA DIAL PROVIDER Pelo presente instrumento particular, de um lado, na

Leia mais

REGULAMENTO. Cliente Telefônica - Forme seu DUO ou TRIO

REGULAMENTO. Cliente Telefônica - Forme seu DUO ou TRIO REGULAMENTO Cliente Telefônica - Forme seu DUO ou TRIO Esta Promoção é realizada pela Telecomunicações de São Paulo S/A TELESP, com sede na Rua Martiniano de Carvalho, nº 851 - São Paulo - SP, inscrita

Leia mais

MODEM ADSL 2+ Guia Rápido

MODEM ADSL 2+ Guia Rápido MODEM ADSL 2+ Guia Rápido Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações necessárias para a

Leia mais

Projeto Básico - Prestação de Serviços

Projeto Básico - Prestação de Serviços Diretoria de Tecnologia Gerência de Fornecimento de TI Projeto Básico - Prestação de Serviços 1. Objeto: 1.1 Contratação de empresa para prestação de serviços especializados de escuta de gravações e monitoração

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE PROVIMENTO DE ACESSO INTERNET E DE TELECOMUNICAÇÕES

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE PROVIMENTO DE ACESSO INTERNET E DE TELECOMUNICAÇÕES CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE PROVIMENTO DE ACESSO INTERNET E DE TELECOMUNICAÇÕES CONDIÇÕES GERAIS MLM & SANTOS INFO LTDA, empresa sediada na Rua Paturi 276 frente Jacarepaguá, inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment Emissor Receptor Meio Físico Mensagem Protocolo Emissor e Receptor Data Terminal Equipment Data Communications Equipment (DTE) + (DCE) Meio Físico Mensagem ( pacote ) O meio físico É o elemento que transmite

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMILIA

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMILIA CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMILIA Por este instrumento, em que são partes: de um lado a TELEFÔNICA BRASIL S.A., concessionária do Serviço Telefônico Fixo

Leia mais

Redes Roteadas. Estudo rápido de como implantar uma rede roteada fácil

Redes Roteadas. Estudo rápido de como implantar uma rede roteada fácil Redes Roteadas Estudo rápido de como implantar uma rede roteada fácil Edmilson José de Almeida Filho Analista e Consultor ISP Suporte a Provedores desde 2001 Suporte Linux desde 2001 Suporte Mikrotik desde

Leia mais

Regulamento Oferta Banda Larga Popular Mais

Regulamento Oferta Banda Larga Popular Mais TELEMAR NORTE LESTE S/A, com sede na cidade e estado do Rio de Janeiro, na Rua do Lavradio, n 71 Centro, inscrita no CNPJ sob o n 33.000.118/0001-79, TELEMAR INTERNET LTDA, com sede na cidade e estado

Leia mais

REGULAMENTO. Cliente Telefônica - Forme seu DUO ou TRIO

REGULAMENTO. Cliente Telefônica - Forme seu DUO ou TRIO REGULAMENTO Cliente Telefônica - Forme seu DUO ou TRIO Esta Promoção é realizada pela Telecomunicações de São Paulo S/A TELESP, com sede na Rua Martiniano de Carvalho, nº 851 - São Paulo - SP, inscrita

Leia mais

A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante.

A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante. ADSL ADSL A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante. Trata-se de uma tecnologia que permite a transferência digital de dados em alta velocidade por meio da linha telefônica. É

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Termos de Serviço Streaming de áudio e vídeo

Termos de Serviço Streaming de áudio e vídeo Termos de Serviço Streaming de áudio e vídeo CONTRATADA: Estado Virtual, sociedade com razão social Estado Virtual Soluções Corporativas Ltda e sede em SRTVS Quadra 701 Bloco O Sala 676 Ed. Multi Empresarial

Leia mais

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona SDH A SDH, Hierarquia Digital Síncrona, é um novo sistema de transmissão digital de alta velocidade, cujo objetivo básico é construir um padrão internacional unificado, diferentemente do contexto PDH,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Pelo presente instrumento particular ( Contrato ), de um lado, ALGAR TELECOM S/A, prestadora de serviços de telecomunicações, inscrita no

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO NA MODALIDADE LOCAL PLANOS DE SERVIÇO CLARO FIXO.

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO NA MODALIDADE LOCAL PLANOS DE SERVIÇO CLARO FIXO. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO NA MODALIDADE LOCAL PLANOS DE SERVIÇO CLARO FIXO. Objeto O objeto do presente Contrato é a prestação, pela EMBRATEL, do Serviço Telefônico Fixo

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMÍLIA

CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMÍLIA CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMÍLIA Pelo presente contrato particular, a TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S/A TELESP, com sede na Rua Martiniano de Carvalho,

Leia mais

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Comentários MINUTA TERMO DE REFERENCIA Lote 9A ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Resposta: Fica mantido o texto da minuta do TR. 2.2 O provimento

Leia mais

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO 1. Introdução 1.1. Descrição do serviço Este documento disciplina a cessão de uso permanente da solução de software para Gestão

Leia mais

Termos de Serviço Web Conferência

Termos de Serviço Web Conferência Termos de Serviço Web Conferência CONTRATADA: Estado Virtual, sociedade com razão social Estado Virtual Soluções Corporativas Ltda e sede em SRTVS Quadra 701 Bloco O Sala 676 Ed. Multi Empresarial - Brasília,

Leia mais

MODELO DO CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE REDE INTERNA

MODELO DO CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE REDE INTERNA CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE REDE INTERNA São partes no presente instrumento, de um lado, (i) o usuário dos serviços de telecomunicações da Brasil Telecom S.A., doravante individualmente

Leia mais

TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE DO GVT SOS DISPOSITIVOS

TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE DO GVT SOS DISPOSITIVOS TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE DO GVT SOS DISPOSITIVOS Pelo presente Termo de Uso, de um lado a GVTXXXXXXXXX., sociedade com sede social na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na XXXXXXXXXXXXXXXXXX,

Leia mais

D R A F T. Irregularidades praticadas pela Telemar na comercialização do serviço de acesso a Internet denominado Velox.

D R A F T. Irregularidades praticadas pela Telemar na comercialização do serviço de acesso a Internet denominado Velox. D R A F T Irregularidades praticadas pela Telemar na comercialização do serviço de acesso a Internet denominado Velox. 1. O que é o serviço Velox da Telemar? O Velox é um serviço de acesso a Internet de

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano Fale Light PAS 068 Modalidade do STFC Local. Descrição

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 036 Modalidade

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL N. 23/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

PREGÃO PRESENCIAL N. 23/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 PREGÃO PRESENCIAL N. 23/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Objeto PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET BANDA LARGA ATRAVÉS DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LINK DE INTERNET VIA REDE

Leia mais

SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA RODRIGO SANTANA DOS SANTOS ANATEL

SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA RODRIGO SANTANA DOS SANTOS ANATEL 1 SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA RODRIGO SANTANA DOS SANTOS ANATEL 2 Sumário Conceitos Gerais SCM em Números Proteção e Defesa de Direitos dos Assinantes Regulamentos em Estudo 3 Conceitos Gerais Lei

Leia mais

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011 CONTROLE DE VERSÃO EILD PADRÃO BRASIL TELECOM S.A. ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011 1. Alterações realizadas no corpo do contrato: Alteradas as qualificações da CONTRATADA e CONTRATANTE O Anexo

Leia mais

PLANO BÁSICO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO DE TELEFONIA FIXA COMUTADA NA MODALIDADE LONGA DISTÂNCIA INTERNACIONAL

PLANO BÁSICO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO DE TELEFONIA FIXA COMUTADA NA MODALIDADE LONGA DISTÂNCIA INTERNACIONAL PLANO BÁSICO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO DE TELEFONIA FIXA COMUTADA NA MODALIDADE LONGA DISTÂNCIA INTERNACIONAL TIM CELULAR S.A., com sede na Cidade de São Paulo SP, à Av. Giovani Gronchi, 7143 - Vila Andrade,

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO PACOTE DE INTERNET DIÁRIO PRÉ PAGO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO PACOTE DE INTERNET DIÁRIO PRÉ PAGO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO PACOTE DE INTERNET DIÁRIO PRÉ PAGO O presente Termo tem a finalidade de regular as relações entre a CLARO S.A., empresa autorizatária do Serviço Móvel Pessoal, inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

1.264 Aula 22. Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local

1.264 Aula 22. Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local 1.264 Aula 22 Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local TV a cabo Permite a transferência de voz e dados nos estados permitidos (poucos até o momento) À LEC foi permitida a transferência

Leia mais

TERMO DE SUBLICENCIAMENTO E AUTORIZAÇÃO DE USO DE SOFTWARE

TERMO DE SUBLICENCIAMENTO E AUTORIZAÇÃO DE USO DE SOFTWARE TERMO DE SUBLICENCIAMENTO E AUTORIZAÇÃO DE USO DE SOFTWARE GLOBAL VILLAGE TELECOM S.A., com sede na cidade de Maringá, estado do Paraná, na Rua João Paulino Vieira Filho, nº 752, 2º andar, Novo Centro,

Leia mais

Informações sobre a tecnologia ADSL. Seleção de protocolo e de driver. Índice. visão geral. instalação do modem ECI USB ADSL

Informações sobre a tecnologia ADSL. Seleção de protocolo e de driver. Índice. visão geral. instalação do modem ECI USB ADSL um cap tulo capítulo visão geral 3 5 6 14 Índice visão geral informações sobre a tecnologia ADSL seleção de protocolo e de driver recursos instalação do modem ECI USB ADSL instalação do drive ADSL USB

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO - LINHA CONTROLE 80

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO - LINHA CONTROLE 80 CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO - LINHA CONTROLE 80 Pelo presente instrumento particular, a TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S/A TELESP, com sede na Rua Martiniano

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO DE MULTIMIDA - (SCM)

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO DE MULTIMIDA - (SCM) CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO DE MULTIMIDA - (SCM) Nº Pelo presente instrumento de Prestação de Serviços de Comunicação de Multimídia, de um lado TRIXNET CNPJ 08.468.479/0001-05, com

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Via Fone Fale Simples Modalidade do STFC Local. Descrição Resumida A adesão a este plano

Leia mais

PROTOCOLO PPP. Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2

PROTOCOLO PPP. Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2 PROTOCOLO PPP Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2 RESUMO Neste trabalho é apresentado o Protocolo PPP, Suas principais características e seu funcionamento. Suas variações também são enfocadas

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE SPEB

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE SPEB INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE SPEB Pelo presente Instrumento Particular de Contrato de Licença de Uso de Software ( Contrato ), de um lado, a MAQUINAWEB SOLUÇÕES EM TI

Leia mais

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA Luiz Fernando Fauth Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL ibusiness 2011 Curitiba, 24/11/2011 SUMÁRIO Cenário atual do SCM Consulta Pública

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

Acordo de Nível de Serviço

Acordo de Nível de Serviço VERSÃO 20120815 Acordo de Nível de Serviço Gestão Compartilhada Página. 2 de 13 Sumário PARTE 1... 3 1 INTRODUÇÃO... 3 2 DEFINIÇÕES... 4 2.1 GESTÃO COMPARTILHADA... 4 2.2 PROVEDOR... 4 2.3 CLIENTE... 4

Leia mais

Conceitos sobre TCP/IP. Endereços IP (Internet Protocol) Introdução

Conceitos sobre TCP/IP. Endereços IP (Internet Protocol) Introdução Conceitos sobre TCP/IP Endereços IP (Internet Protocol) Introdução O uso de computadores em rede e, claro, a internet, requer que cada máquina tenha um identificador que a diferencie das demais. Para isso,

Leia mais

ADSL. Esta tecnologia é utilizada pelo Speedy da Telefonica, Turbo da Brasil Telecom, Velox da Telemar e Turbonet da GVT.

ADSL. Esta tecnologia é utilizada pelo Speedy da Telefonica, Turbo da Brasil Telecom, Velox da Telemar e Turbonet da GVT. ADSL Este tutorial apresenta a tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) desenvolvida para prover acesso de dados banda larga a assinantes residenciais ou escritórios através da rede de pares

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO DO SERVIÇO

TERMO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO DO SERVIÇO TERMO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO DO SERVIÇO INTERNET TODA HORA Pelo presente instrumento particular de contrato de prestaçào de serviço (o Contrato ), de um lado, a BRASIL TELECOM S/A, doravante denominada

Leia mais

Redes Físicas de Acesso em Banda Larga

Redes Físicas de Acesso em Banda Larga Redes Físicas de Acesso em Banda Larga Prof. Rafael Guimarães Redes de Alta Velocidade Tópico 5 - Aula 1 Tópico 5 - Aula 1 Rafael Guimarães 1 / 58 Sumário Sumário 1 Motivação 2 Objetivos 3 Introdução 4

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE Pelo presente Instrumento Particular de Contrato de Licença de Uso de Software ( Contrato ), de um lado, a VIRTUAL WORKS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Planos de Serviço Regulamento Oferta MegaVelocidade Fibra

Planos de Serviço Regulamento Oferta MegaVelocidade Fibra 1 Prestadora: Modalidade: Código da Oferta: W3 LUCAS EIRELI EPP Planos de Serviço de Provimento de Acesso à Internet 2016FIBRALRV1 1. Clientes elegíveis, vigência e área de abrangência 1.1 Estes Planos

Leia mais

Termos de Serviço Hospedagem de sites e Revenda

Termos de Serviço Hospedagem de sites e Revenda Termos de Serviço Hospedagem de sites e Revenda CONTRATADA: Estado Virtual, sociedade com razão social Estado Virtual Soluções Corporativas Ltda e sede em SRTVS Quadra 701 Bloco O Sala 676 Ed. Multi Empresarial

Leia mais

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET 1. Objetivo 1.1. Contratação de serviços para fornecimento de uma solução de conexão IP Internet Protocol que suporte aplicações TCP/IP e disponibilize a PRODEB acesso a rede mundial de computadores Internet,

Leia mais

Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 001 - Plano de Referência de Serviço Requerimento de Homologação Nº 4657 1 - Aplicação Este Plano de Referência de Serviço é aplicável pela Oi, no Estado

Leia mais

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia PROJETO BÁSICO Serviço de Comunicação Multimídia xxxxxxxxxx, xx de xxxxx de 2009 PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. n 272 da Anatel - SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) O B J E T O SOLICITAÇÃO DE

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Você conectado ao mundo com liberdade APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL > ÍNDICE Sobre a TESA 3 Telefonia IP com a TESA 5 Portfólio de produtos/serviços 6 Outsourcing 6 Telefonia 7 Web

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSFERÊNCIA ELETRÔNICA DE ARQUIVOS - EDI

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSFERÊNCIA ELETRÔNICA DE ARQUIVOS - EDI 1 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSFERÊNCIA ELETRÔNICA DE ARQUIVOS - EDI Contrato AJDG Nº 105/14 Das Partes: CONTRATANTE: O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, por intermédio da, órgão administrativo

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DOS PLANOS CLARO INTERNET PÓS PAGO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DOS PLANOS CLARO INTERNET PÓS PAGO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DOS PLANOS CLARO INTERNET PÓS PAGO O presente Termo tem a finalidade de regular as relações entre a CLARO S.A., empresa autorizatária do Serviço Móvel Pessoal, inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL D. MODALIDADE DE STFC COBERTA

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL D. MODALIDADE DE STFC COBERTA A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL PA-27 local. D. MODALIDADE DE STFC COBERTA Plano específico para a modalidade LOCAL.

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES LOCADOR: Obra24horas Soluções Web para Engenharia Ltda., com sede na Rua Formosa, 75 1º andar

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano 093 Local Modalidade do STFC Local. Descrição Resumida A adesão a este plano de serviço

Leia mais

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO Nome da Prestadora: 14 BRASIL TELECOM CELULAR S.A. Área 7 (AC, GO, MT, MS, RO, TO e DF) Número: 001/REF/SMP Brasil Telecom GSM. Página 1 de 9 1

Leia mais

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Estes são os termos que determinarão o nosso relacionamento Este contrato refere-se ao sistema Diário de Obras Online, abrangendo qualquer uma de suas versões

Leia mais

Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC

Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC Sumário Pré-Requisitos de Instalação Física e Lógica do SISLOC...3 Servidores de Dados...3 Servidores de Aplicação (Terminal Service)...3 Estações

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes

Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Incidentes Os usuários do negócio ou os usuários finais solicitam os serviços de Tecnologia da Informação para melhorar a eficiência dos seus próprios processos de negócio, de forma que

Leia mais

(NOME DO PROVEDOR), (QUALIFICAÇÃO DO PROVEDOR), doravante denominada simplesmente PROVEDOR.

(NOME DO PROVEDOR), (QUALIFICAÇÃO DO PROVEDOR), doravante denominada simplesmente PROVEDOR. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE BILHETAGEM E VALORAÇÃO DE CHAMADAS PARA INTERNET, ATENDIMENTO À CLIENTES E LANÇAMENTO DE CRÉDITO EM CONTA TELEFÔNICA, firmado entre TELEMAR NORTE LESTE S/A de um lado

Leia mais

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL Plano Básico de Serviço Local. D. MODALIDADE DE STFC COBERTA Plano específico para

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CESSÃO DE DIREITOS DE USO DO SOFTWARE CONTMATIC FINANCEIRO PHOENIX

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CESSÃO DE DIREITOS DE USO DO SOFTWARE CONTMATIC FINANCEIRO PHOENIX CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CESSÃO DE DIREITOS DE USO DO SOFTWARE CONTMATIC FINANCEIRO PHOENIX Pelo presente instrumento, de um lado SOFTMATIC SISTEMAS AUTOMÁTICO DE INFORMÁTICA LTDA, inscrita

Leia mais

Data de Alteração: 25/07/2005

Data de Alteração: 25/07/2005 Data de Alteração: 25/07/2005 8. TABELA DE PREÇOS 8.1 SOLUÇÕES DE TELEFONIA BÁSICA...2 LINHA NÃO RESIDENCIAL...2 LINHA TRONCO...2 8.2 SOLUÇÕES DE TELEFONIA AVANÇADA...3 TC DIGITRONCO / TC ISDN...3 TC DIGITRONCO

Leia mais

REGULAMENTO. Cliente Telefônica - Forme seu DUO

REGULAMENTO. Cliente Telefônica - Forme seu DUO REGULAMENTO Cliente Telefônica - Forme seu DUO Esta Promoção é realizada pela Telefônica Brasil S/A, com sede na Rua Martiniano de Carvalho, nº 851 - São Paulo - SP, inscrita no CNPJ sob o nº 02.558.157/0001-62

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais