COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA"

Transcrição

1 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto Contratação de empresa especializada para serviços de elaboração do projeto de atendimento ao cliente e ao público da SULGÁS, que inclua o projeto de estruturação da área de atendimento, incorporando atuais e novos canais de contato com o cliente e o público. 2. Definições Cliente: entende-se como cliente pessoa física ou jurídica a ser prospectada, em prospecção, em contratação, contratada consumindo ou não. Utilities: entende-se por Utilities empresa da área de saneamento, energia, telefonia ou óleo e gás. Áreas solucionadoras: área técnica e finalística para dar solução às demandas que os clientes e o público enviam para aos canais de relacionamento. 3. Objetivo Geral Projetar a estrutura de relacionamento da SULGÁS com os clientes e o público, desenvolvendo uma gestão do atendimento estratégica, estruturada, com uma comunicação ágil e objetiva, através de um atendimento integrado, com foco na qualidade e na melhoria contínua, considerando a previsão de crescimento em número de clientes consumindo gás natural de 100 mil até o ano de Especificação do Serviço O Planejamento Estratégico da SULGÁS definiu como uma das prioridades da empresa ampliar o relacionamento e aprimorar a comunicação com os clientes. No entanto, a SULGÁS atualmente não possui canais integrados de relacionamento e nem um contact center, reduzindo a eficiência no atendimento, dificultando a gestão e o acompanhamento da satisfação dos clientes. A empresa possui atendimento ao cliente espalhado nas áreas, necessitando ainda de politicas e procedimentos claros e adequados para cada segmento.

2 Portanto, deverá ser desenvolvido projeto de atendimento ao cliente e ao público que privilegie a autonomia no relacionamento, a interação ágil, integrada e uniforme, devendo estar alinhada às diretrizes da SULGÁS de acordo com seus segmentos. Também os diferentes setores da empresa deverão possuir procedimentos alinhados com a missão do atendimento ao cliente. Para que o cliente e o público recebam uma comunicação uniforme, a SULGÁS deverá possuir um atendimento integrado e coordenado, alinhado à estratégia de atendimento e viabilizado por tecnologias específicas de informatização (Sistemas de CRM ou similar) e apoiado através de processos adequados. O projeto de atendimento ao cliente e ao público deverá contemplar um contact center, mas também o atendimento especializado pelas diferentes áreas da SULGÁS. Deverá ser considerado no projeto os seguintes canais de atendimento, sendo eles existentes ou novos: - Atendimento telefônico; - URA Unidade de Resposta Audível; - Sites de internet; - ; - SMS; - Mídias Sociais; - Chat; - Portal do Cliente; - Fale Conosco; - Atendimento pessoal; - APPs Mobile; - Fax; - Correio; O projeto de atendimento ao cliente e ao público deve considerar ainda a inclusão de novos serviços a serem oferecidos, além dos já disponibilizados: - Prestação de serviços extra-garantia. A SULGÁS presta serviços de assistência técnica em garantia, mas passará a prestar serviços extragarantia pagos; - Débito automático. A SULGÁS oferecerá o serviço de pagamento por débito automático da fatura de gás natural.

3 Para tanto, a empresa CONTRATADA deverá realizar o serviço de elaboração do projeto de atendimento ao cliente e ao público, com as seguintes etapas: a) PLANO DE TRABALHO: elaborar plano de trabalho detalhado da consultoria, o qual deve incluir todas as etapas, áreas da SULGÁS envolvidas, método a ser utilizado, as atividades a serem realizadas, cronograma com datas e prazos das atividades e entregas, recursos materiais e humanos necessários, definição dos objetivos e verificação de restrições. PRODUTO: Plano de trabalho detalhado com cronograma. b) ANÁLISE DE ADERÊNCIA: apresentar as melhores práticas em processos de atendimento a clientes, em notação de Modelagem de Processos (BPMN na versão mais atual) e outros, caso necessário; estudar os dados coletados pela Comissão de Comunicação e Relação Externa da SULGÁS sobre o cenário atual para conhecer e analisar o estado dos canais atuais de relacionamento, forma de atuação, elementos e instrumentos de que dispõe para atendimento às demandas, tipos de demanda predominantes e público-alvo. Nesse trabalho, a consultoria deve definir o método a ser utilizado para o levantamento de dados, considerando a necessidade de reuniões e levantamentos de informações com as várias áreas da SULGÁS. PRODUTO: Relatório de aderência com os levantamentos, análises realizadas, o método utilizado e aderência do cenário atual da SULGÁS às melhores práticas apresentadas. c) DESENHO DE PROCESSOS: definir e desenhar os processos de atendimento utilizando notação de Modelagem de Processos (BPMN na versão mais atual) alinhados ao relatório de aderência, às melhores práticas do mercado, definir as atribuições e responsabilidades das áreas solucionadoras da SULGÁS, do contact center, das futuras lojas de atendimento da SULGÁS e demais canais de relacionamento. A consultoria deve escolher o método a ser utilizado, considerando a necessidade da participação das várias áreas solucionadoras da SULGÁS e da Comissão de Comunicação e Relação Externa na definição dos requisitos e desenho dos processos, os quais devem construir uma visão compartilhada, consultores e SULGÁS. No mapeamento dos processos, a estratégia oferece a visão estratégica da área, norteia e direciona a definição dos acordos internos de serviços, que são os prazos de atendimento das áreas solucionadoras, o desenho da cadeia de valor, indicadores de desempenho dos processos e

4 outros aspectos importantes. PRODUTO: Desenho dos processos em BPMN, definição de indicadores e procedimentos, manual de procedimentos de atendimento ao cliente. d) POLÍTICAS E DIRETRIZES: definir as políticas, as diretrizes, os objetivos e as estratégias de atendimento, incluindo o modelo de relacionamento, definindo a divisão de papéis entre o contact center, as áreas solucionadoras e os demais canais de relacionamento e quais são os níveis de competência e delegação. Para definir a estratégia de atendimento é preciso considerar os objetivos do planejamento estratégico da SULGÁS e os principais aspectos relacionados à qualidade do atendimento. PRODUTO: Relatório com as políticas, as diretrizes, os objetivos, as estratégias e o modelo de relacionamento justificados. e) PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS: elaborar os procedimentos operacionais para o atendimento ao cliente que inclua todos os canais de atendimento e as áreas gestoras da SULGÁS e definir os relatórios gerenciais de acompanhando do atendimento ao cliente. Definição da árvore de ocorrências e workflow das manifestações e outros. PRODUTO: Documento com os procedimentos operacionais, relatórios gerenciais, árvore de ocorrências e workflow. f) DIMENSIONAMENTO DO ATENDIMENTO: definir e dimensionar a infraestrutura necessária para o atendimento ao cliente, atual e futura, considerando os indicadores de atendimento e os estudos já realizados na SULGÁS, tais como Planejamento Estratégico e Mapeamento de Competências com previsão de crescimento da estrutura de atendimento até Considerar a necessidade de criação de uma estrutura organizacional para a gestão do atendimento ao cliente e uma estrutura de ouvidoria. Definição dos recursos físicos e arquitetura tecnológica: Auto-serviço URAs e transações sistêmicas de atendimento, solução de DAC base de dados de chamadas recebidas, definição das aplicações de suporte e suas respectivas informações, workforce management, sistema de Gravação Digital, sistema de captura de telas de atendimento, aplicação CTI. PRODUTO: Relatório com o dimensionamento do atendimento ao cliente, incluindo organograma, serviços terceirizados e justificativa da estrutura, com descrição de funções e perfil de profissionais.

5 g) REQUISITOS DE SISTEMA: definir os requisitos funcionais e não funcionais para avaliação e aquisição de ambiente computacional fundamentado na plataforma Customer Relationship Management CRM conforme Produtos das etapas acima. PRODUTO: Documento de Requisitos orientadores para aquisição de plataforma CRM. h) AVALIAÇÃO DE SOFTWARE: avaliar as seguintes plataformas de mercado para gestão do relacionamento com o cliente e o público (CRM): Microsoft Dynamics, TOTVS/Datasul e GGAS, a CONTRATADA deverá sugerir e analisar outro software além dos já citados, conforme critérios da norma NBR Deve ser avaliada também a aderência de cada software com os requisitos definidos na etapa G, a integração com softwares utilizados pela Sulgás [ERP TOTVS/Datasul, Sistema Supervisório, Sistema Georreferenciado (GISSulgás) e Softexpert Excellence Suite, os custos de parametrização e implantação para cada software, possibilidade de melhorias e customizações futuras. PRODUTO: Documento de avaliação de softwares incluindo planilha comparativa, análise crítica e conclusões indicando e justificando a solução que melhor atente as necessidades da Sulgás. i) ESTIMATIVA DE CUSTOS: estimar os custos da estrutura de atendimento ao cliente: infraestrutura, necessidade de mão de obra (carga horária/dia, intervalos, treinamentos e outros), níveis hierárquicos, atendimento da NR 17 e demais legislações aplicáveis, incluindo roadmap com priorização dos canais de atendimento, já mencionados, com custos de instalação e operação para cada canal. PRODUTO: Relatório com estimativa de custos de estrutura interna e externa para o atendimento ao cliente da SULGÁS. j) TREINAMENTOS: definir o programa de treinamento dos integrantes do contact center, das áreas solucionadoras da SULGÁS e demais canais de relacionamento, contemplando o planejamento do programa de treinamento, carga horária e conteúdo programático, material de treinamento sobre a estratégia de atendimento, a metodologia de mapeamento, redesenho de processos e a importância da nova central de relacionamento e gestão do relacionamento. PRODUTO: Programas de treinamento. k) APRESENTAÇÃO DO TRABALHO: apresentação do trabalho aos colaboradores da SULGÁS contemplando, no mínimo, a estratégia de atendimento, os novos processos de atendimento ao cliente, a importância da nova central de relacionamento e a gestão do relacionamento. Tempo de

6 apresentação: 2 (duas) horas. A SULGÁS fornecerá espaço e equipamentos para a realização da apresentação. PRODUTO: Execução da apresentação. l) TERMO DE REFERÊNCIA: elaborar termo de referência e anexos para contratação de serviço de contact center terceirizado para atender ao projeto de atendimento ao cliente, estabelecendo os acordos de níveis de serviço, obrigações da contratada e da contratante, forma de medição, penalidades, indicadores de desempenho, relatórios gerenciais, equipe e suas funções, perfil dos profissionais, programa de treinamentos, requisitos técnicos e funcionais, requisitos de qualidade dos serviços. Deverão ser considerados os editais já realizados por outras distribuidoras de gás natural do país, os quais estão disponíveis para consulta. PRODUTO: Termo de referência e anexos para licitação do contact center. m) PLANO DE IMPLANTAÇÃO: plano de implantação detalhado com previsão de crescimento da estrutura de atendimento até 2020 considerando as metas comerciais estabelecidas pelo planejamento estratégico da SULGÁS. Definição de prioridades e identificação de limitações, bem como detalhamento de como e em que datas serão feitas as migrações dos atendimentos atuais para o novo modelo e quais as etapas de implantação. PRODUTO: Plano de implantação com cronograma. 5. Entregas e recebimento do serviço 5.1. O serviço deverá ser realizado pela CONTRATADA conforme descrito nesse termo de referência, sendo que cada subitem será considerado como uma etapa, tendo um produto específico como entrega Todas as etapas deverão ser realizadas com o acompanhamento do gestor e fiscal do Contrato e da Comissão de Comunicação e Relação Externa da SULGÁS. Sempre que houver a necessidade, a SULGÁS solicitará à CONTRATADA os ajustes necessários no plano de trabalho ou nos produtos a serem entregues Os produtos entregues nas etapas deverão ser disponibilizados em meio físico (impresso) e digital, devendo ser apresentados para a Comissão de Comunicação e Relação Externa da SULGÁS e para o gestor e fiscal do Contrato Sempre que solicitado pela CONTRATANTE, a CONTRATADA fará a apresentação de uma ou mais etapas entregues para a Diretoria Executiva da

7 SULGÁS, também com o objetivo de ajustar as entregas aos requisitos da diretoria e aprová-la O serviço será pago por etapa entregue, após aprovação do Gestor do Contrato e da Comissão de Comunicação e Relação Externa da SULGÁS e, quando for solicitado, da Diretoria Executiva da SULGÁS O atraso na execução das etapas, conforme cronograma acordado, estará sujeito às penalidades previstas no item 12.1.b, inciso VII, do Anexo III, Minuta do Contrato. 6. Dos Prazos dias O prazo para a execução do projeto é de, no máximo, 180 (cento e oitenta) 7. Do local da Prestação dos serviços Os serviços serão prestados na sede da SULGÁS, na Rua Sete de Setembro, º e 10º andares, Centro Histórico, Porto Alegre, RS. 8. Qualificação da equipe 8.1. No momento da assinatura do contrato a empresa deverá comprovar o vinculo do(s) consultor(es) apresentados na habilitação através de cópia da ficha ou livro de registro de empregado registrado na SRT ou cópia da Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Contrato Social da empresa ou Contrato de prestação de serviço A CONTRATADA deverá indicar um Gerente de Projeto, que deverá ser do quadro permanente ou sócio da empresa. 9. Substituição de Profissionais 9.1. Havendo necessidade de substituição do(s) profissional(s) da consultoria por parte da CONTRATADA, esta deverá informar a CONTRATANTE No caso de substituição deverão ser entregues os documentos solicitados no item Qualificação da equipe deste neste termo de referência para que seja aprovada a substituição.

8 10. Critério de Confidencialidade COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Todos os dados, informações, opiniões e documentos levantados ou produzidos durante o processo de desenvolvimento e implementação dos serviços contratados, independentemente de seu formato, serão considerados bens patrimoniais da SULGÁS, não podendo ser utilizados para outros fins que não os estritamente necessários para a consecução dos serviços contratados de acordo com este neste termo de referência, sendo vetado o seu uso e armazenamento fora da SULGÁS em qualquer meio e formato, após o recebimento final dos serviços. 11. Outras disposições As reuniões serão realizadas na sede da SULGÁS em Porto Alegre Os valores ajustados previamente não poderão sofrer novos reajustes em função dos deslocamentos e demais necessidades dos profissionais da CONTRATADA, cabendo à CONTRATADA verificar durante a participação no certame se o valor ajustado será suficiente para a execução de todos os serviços estabelecidos neste instrumento. 12. Informações sobre a SULGÁS A CONTRATADA deverá considerar em seu serviço as especificidades e necessidades da SULGÁS. A Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul (SULGÁS) é a empresa responsável pela comercialização e distribuição de gás natural canalizado no Estado do Rio Grande do Sul. Criada em 1993, atua como uma sociedade de economia mista, tendo como acionistas o Estado do Rio Grande do Sul e a Petrobras Gás S/A Gaspetro. Iniciou a comercialização do gás natural em 2000, com a conclusão do gasoduto Bolívia-Brasil. A Companhia objetiva promover o crescimento do mercado de gás natural, cuja utilização, comprovadamente, resulta em menor impacto ao meio ambiente, além de buscar alternativas diferenciadas para todas as suas aplicações, com segurança e rentabilidade. Neste sentido, dinamicamente, estende e diversifica as ações destinadas ao atendimento dos setores industrial, urbano residencial e comercial -, cogeração de energia, veicular (GNV) e gás natural comprimido (GNC), para os municípios distantes da rede. Para tanto, tem como meta ampliar o número de

9 clientes, que em fevereiro de 2014 eram , para cerca de clientes em A missão da Sulgás é promover o crescimento do mercado de gás natural, buscando soluções para todas as suas aplicações, atuando de forma segura e rentável, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social do Rio Grande do Sul. A Sulgás está dividida em 3 diretorias: Presidência, Diretoria de Administração e Finanças e Diretoria Técnica Comercial, conforme organograma abaixo Sulgás em Março de 2014 Nº funcionários: 144 funcionários e 24 estagiários 03 Diretorias e 13 gerências Rede canalizada: 750,5 Km Municípios atendidos: 38 (21 por rede canalizada e 22 com GNC) Número de clientes: , nos seguintes segmentos: Unidades Residenciais (apartamentos ou casas) Estabelecimentos Comerciais 402 Indústrias 113 Postos de GNV 81

10 Geração no horário de ponta 13 Cogeração 02 Termoelétrico 01 COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Previsão de crescimento conforme o planejamento estratégico: CARTEIRA DE CLIENTES (unidades) 2013 Novos até 2020 Total em 2020 %13/20 Industrial ,3% Comercial ,6% Veicular ,0% Residencial ,9% Cogeração - PPT ,0% Geração Ponta / Climatização ,5% Geração Elétrica ,0% TOTAL ,9% Setores diretamente envolvidos no projeto de atendimento: GEURB: Gerência Executiva de Mercado Urbano GELOG: Gerência Executiva de Logística de Operações GENGE: Gerência Executiva de Engenharia GEFIN: Gerência Executiva de Finanças e Contabilidade GEPLAN: Gerência Executiva de Planejamento de Mercado e Novos Negócios GGC: Gerência Executiva de Grandes Consumidores GECOM: Gerência Executiva de Comunicação e Marketing QSMS: Gerência Executiva de Segurança, Meio Ambiente e Saúde GETI: Gerência Executiva de Tecnologia da Informação GEGP: Gerência Executiva de Gestão de Pessoas GEJUR: Gerência de Assessoria Jurídica GECI: Gerência de Controle Interno GESUS: Gerência de Suprimentos e Serviços Números de atendimentos da SULGÁS no primeiro semestre/2013 Número de atendimentos da Sulgás: Número de novos pedidos de atendimentos pelo telefone de emergência (0800) realizado por clientes residenciais, comerciais, GNV, geração e industrial e de público em geral: 61/mês;

11 Número de novos pedidos de atendimentos de assistência técnica de clientes residenciais e comerciais: 63/mês; Número de novos registros de Fale conosco através do site da SULGÁS: 62/mês; Número de novos pedidos de conversões de aparelhos a gás em clientes de novos empreendimentos residenciais (construtoras): 40/mês; Registros de telefonemas e s diretos das áreas: não registrado Registro de telefonemas para o PABX de Porto Alegre: 471/mês; Sedes da Sulgás Sede Porto Alegre Rua Sete de Setembro, º andar Porto Alegre/RS Fone: Fax: Escritórios Operacionais Canoas Rua Major Zezefredo, 723 CEP Fone: Caxias do Sul - Rua Inspetor Valdemar Fich Arruda, 366 Sanvitto CEP Fone: / Uruguaiana - Av. Presidente Getúlio Vargas, 3759 Centro CEP Fone:

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE (CTIS)

REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE (CTIS) Página 1 de 12 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília MGS Plano de execução de serviço Projeto de transformação de Processos Estrutura do Documento 1. Introdução

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração.

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração. . Quem somos //Sobre A Oficina1 é uma consultoria direcionada à tecnologia da informação, com foco na implementação dos ERPs Protheus e OpenBravo, além do aplicativo de Service Desk SysAid, abrangendo

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Relacionamento Clientes

Relacionamento Clientes FENÍCIA CRM & SRM O Fenícia CRM (Customer Relationship Management - Sistema de Gerenciamento do Relacionamento com os Clientes) é uma ferramenta de gestão com foco no cliente, essencial para angariar e

Leia mais

PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011)

PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011) PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011) Dispõe sobre as competências da Secretaria de Infraestrutura de Tecnologia da

Leia mais

MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES

MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES TÍTULO DO CARGO: Diretor Comercial Garantir as melhores condições de rentabilidade para a empresa, na prospecção, desenvolvimento, contratação de obras e serviços. Superior

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses.

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência [OBJETO] 1 Termo de Referência Serviço de envio de mensagens

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4011 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: Iphan Central 28 - Republicação 3. Qualificação educacional: Profissional com nível superior em Direito preferencialmente

Leia mais

HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO

HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO Perfil A Hoepers S.A se posiciona no mercado como uma das três maiores empresas de recuperação de

Leia mais

S e g u r a n ç a. d a. I n f o r m a ç ã o 2007

S e g u r a n ç a. d a. I n f o r m a ç ã o 2007 S e g u r a n ç a d a I n f o r m a ç ã o 2007 Uma corrente não é mais forte do que seu elo mais fraco. Tem medo de ataques? Tranque sua rede numa sala!. Só gerenciamos aquilo que medimos, só medimos aquilo

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais 2 www.nbs.com.br Soluções eficazes em Gestão de Negócios. Nossa Visão Ser referência em consultoria de desenvolvimento e implementação de estratégias, governança, melhoria

Leia mais

Manual Brasileiro NR: MA 1 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000. LIDERANÇA E ADMINISTRAÇÃO Data desta Revisão: 06/03/2006

Manual Brasileiro NR: MA 1 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000. LIDERANÇA E ADMINISTRAÇÃO Data desta Revisão: 06/03/2006 Manual Brasileiro NR: MA 1 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000 LIDERANÇA E ADMINISTRAÇÃO Esta seção agrupa os componentes relacionados ao sistema de governo da Organização, aos aspectos

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros

Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros A experiência da Copel na implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros COPEL Projeto

Leia mais

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio Software de Gestão Rural ADM Rural 4G 2011 ADM Rural 4G Agenda de Apresentação E Empresa Planejar O Software ADM Rural 4G Diferenciais Benefícios em

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale 1.1 Histórico da Prática Eficaz Por meio do Departamento

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL PARA ATUALIZAÇÃO DOS BALANÇOS HÍDRICOS DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DE JOANES- IPITANGA,

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

CDSOFT GerConstrução O SOFWARE DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. CDSOFT Tecnologia

CDSOFT GerConstrução O SOFWARE DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. CDSOFT Tecnologia CDSOFT GerConstrução O SOFWARE DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. O GerConstrução é um software de Gestão Empresarial (ERP) especializado em soluções para processos e negócios da Indústria da Construção Civil.

Leia mais

Planos de Logística e Contratações Sustentáveis

Planos de Logística e Contratações Sustentáveis Planos de Logística e Contratações Sustentáveis Jhéssica Cardoso Brasília, 5 de fevereiro de 2015 Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Elaborando Planos de Gestão de Logística Sustentável

Leia mais

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO CONTEÚDO 1 APRESENTAÇÃO 2 PÁGINA 4 3 4 PÁGINA 9 PÁGINA 5 PÁGINA 3 APRESENTAÇÃO 1 O cenário de inovação e incertezas do século 21 posiciona o trabalho

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada CONSULTA PÚBLICA O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES está preparando processo licitatório para contratação de serviços de consultoria técnica especializada, conforme detalhado

Leia mais

PLANO BÁSICO DE ORGANIZAÇÃO

PLANO BÁSICO DE ORGANIZAÇÃO Conforme 97ª reunião do Conselho de Administração, Pauta 041/11 de 30/11/11 PLANO BÁSICO DE ORGANIZAÇÃO 1. OBJETIVO 1.1. O Plano Básico de Organização tem por objetivo estabelecer a estrutura geral de

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Serviços Jurídicos

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural

Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural Júlio César Marques de Lima Agenda O Processo de Expansão AT da CEMIG-D. Cronograma

Leia mais

Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005

Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005 REQUEST FOR PROPOSAL Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005 Data Limite para Submissão de Propostas: 26/05/2005 Conteúdo 1. Overview da Empresa 2. Objetivo da RFP 3. Escopo do Projeto 4. Diretrizes para

Leia mais

01 Analista de TI sênior. Local de trabalho: Campinas (disponibilidade para viagens)

01 Analista de TI sênior. Local de trabalho: Campinas (disponibilidade para viagens) Oportunidades de trabalho na CCM7 01 Analista de TI sênior (disponibilidade para viagens) Responsável pela manutenção e controle dos hardwares e softwares da organização; Projetar e prestar manutenção

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

Elaboração dos documentos

Elaboração dos documentos Estudo de Caso Área de conhecimento Gerência de Escopo Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes

Leia mais

Extração de indicadores Garantias Ocorrências. Agenda de vendas Gestão de qualidade Históricos Agenda de tarefas

Extração de indicadores Garantias Ocorrências. Agenda de vendas Gestão de qualidade Históricos Agenda de tarefas Fenícia CRM & SRM Introdução O Fenícia CRM (Customer Relationship Management - Sistema de Gerenciamento do Relacionamento com os Clientes) é uma ferramenta de gestão com foco no cliente, essencial para

Leia mais

Gestão Estratégica da Informação

Gestão Estratégica da Informação Valorizando o Rio de Janeiro Gestão Estratégica da Informação Visão e Aplicações Palestrante: Prof.: Marcelo Almeida Magalhães "Many of us underestimated just how fast business process modeling would become

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 CENTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 Anexo II 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de suporte técnico assistido

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Governança da Capacidade de TI

Governança da Capacidade de TI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança da Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Governança da... 04 3 Governança da... 05 4 Principais Serviços para Governança

Leia mais

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015/1 SELEÇÃO PARA CURSOS TECNICOS SUBSEQUENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM AGRIMENSURA Aprovado

Leia mais

Tecnologia da Informac aõ como aliada. PETRUS, Abril 2014

Tecnologia da Informac aõ como aliada. PETRUS, Abril 2014 Tecnologia da Informac aõ como aliada PETRUS, Abril 2014 Evolução da TI 60 70 80 90 A Era do Processamento de Dados A Era dos Sistemas de Informações A Era da Inovação e Vantagem Competitiva A Era da Integração

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO BOLETIM

Leia mais

"A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia" Marta Gaino Coordenadora PMO

A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia Marta Gaino Coordenadora PMO "A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia" Marta Gaino Coordenadora PMO Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia A Sefaz/BA é um órgão da Administração Pública Direta

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE ASSESSORIA E CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO, ELABORAÇÃO DE PROJETOS E PLANO DE NEGÓCIOS. Contatos Valter Fernandes (Gerente do Projeto)

Leia mais

EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX

EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX Campinas 16 de abril de 2009. EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX A convida empresas especializadas em

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos.

POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos. POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos. 1. OBJETIVO Este documento tem a finalidade de estabelecer diretrizes para a aquisição de bens e serviços nas empresas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS 1. Objeto: 1.1.1. Contratação de empresa para prestação, sob demanda, de serviços de planejamento, organização, coordenação, execução, fiscalização e avaliação de eventos com a viabilização de infra-estrutura

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

Tem a missão de assessorar a Presidência em assuntos a ela delegados, agindo em apoio aos demais órgãos da empresa.

Tem a missão de assessorar a Presidência em assuntos a ela delegados, agindo em apoio aos demais órgãos da empresa. PRESIDÊNCIA (DIPRE) A missão da Presidência é assegurar a sobrevivência, o crescimento e a diversificação sinergética da Guimar, em consonância com as orientações estratégicas emanadas do Conselho de Administração,

Leia mais

GESTÃO, PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO, PROJETOS E RESULTADOS. EMPRESA REGISTRADA 13-0177

GESTÃO, PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO, PROJETOS E RESULTADOS. EMPRESA REGISTRADA 13-0177 GESTÃO, PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO, PROJETOS E RESULTADOS. EMPRESA REGISTRADA 13-0177 TECHNIQUE A Technique atua desde 1997 nas áreas de infraestrutura, construção civil e industrial, através de consultoria

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2)

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Ministério do Meio Ambiente MMA Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA Termo de Referência PNMA nº 02/2013 O presente

Leia mais

Para aa Fornecedores. Rede de Obras. Serviço de Informações Oportunidades d de obras para comercial, marketing e vendas

Para aa Fornecedores. Rede de Obras. Serviço de Informações Oportunidades d de obras para comercial, marketing e vendas Para aa Fornecedores Rede de Obras Serviço de Informações Oportunidades d de obras para comercial, marketing e vendas Informações de acordo com a sua necessidade Com o objetivo de atender a sua empresa

Leia mais

OUVIDORIA GERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO OPERAÇÃO EM REDE

OUVIDORIA GERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO OPERAÇÃO EM REDE OUVIDORIA GERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO OPERAÇÃO EM REDE OUVIDORIA PÚBLICA Canal de escuta que tem como foco a aproximação do cidadão com o poder público visando a garantia de direitos e promoção da cidadania.

Leia mais

PROJETO DE REABILITAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ELETROBRAS BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO - IBRD - Empréstimo: 7884 BR

PROJETO DE REABILITAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ELETROBRAS BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO - IBRD - Empréstimo: 7884 BR PROJETO DE REABILITAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ELETROBRAS BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO - IBRD - Empréstimo: 7884 BR TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: FORNECER ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD - RS

PROGRAMA PROREDES BIRD - RS PROGRAMA PROREDES BIRD - RS TERMO DE REFERÊNCIA Nº TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA COM VISTAS À DEFINIÇÃO, ELABORAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA PARA O DEPARTAMENTO

Leia mais

Pesquisa Investimentos em Marketing Digital 2013

Pesquisa Investimentos em Marketing Digital 2013 Investimentos em Marketing Digital 2013 - 1º Edição Investimentos em Marketing Digital 2013 Como as empresas estão alocando seus orçamentos de marketing digital para o ano de 2013? Quais canais, disciplinas

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA UNIDADE: COORDENAÇÃO DE LOGÍSTICA - COLOG (GESUS) 1 de 10 1. DO OBJETO O objeto da licitação é a contratação de empresa especializada no fornecimento e montagem de Estruturas Metálicas Tipo Cantilever

Leia mais

PARA QUE SERVE O CRM?

PARA QUE SERVE O CRM? Neste mês, nós aqui da Wiki fomos convidados para dar uma entrevista para uma publicação de grande referência no setor de varejo, então resolvemos transcrever parte da entrevista e apresentar as 09 coisas

Leia mais

Metodologia. Gestão de Projetos. Gestão do Conhecimento. Visão SAESP 2014-2015

Metodologia. Gestão de Projetos. Gestão do Conhecimento. Visão SAESP 2014-2015 Metodologia - Definição de valores, missão e visão - Definição e avaliação de cenários - Posicionamento estratégico e identificação e estabelecimento de metas - Definição e priorização de ações a partir

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre o Modelo de Governança do Planejamento Estratégico do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR

TERMO DE REFERÊNCIA - TR TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 014/2009 ANEXO II 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico assistido ao PRODERJ, sob demanda, para o desenvolvimento e implantação de soluções

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO OBJETIVO DA SEÇÃO Esta seção apresenta a Competência, Conscientização e do Sistema da Qualidade da TELEDATA que atende ao item 6.2.2 Norma ISO 9001:2008. DIRETRIZES

Leia mais

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A.

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. Estudo de Caso Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes um novo serviço, que foi denominado de

Leia mais

BPM Uma abordagem prática para o sucesso em Gestão de Processos

BPM Uma abordagem prática para o sucesso em Gestão de Processos BPM Uma abordagem prática para o sucesso em Gestão de Processos Este curso é ideal para quem está buscando sólidos conhecimentos em como desenvolver com sucesso um projeto de BPM. Maurício Affonso dos

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA Boletim GESTÃO DE PESSOAS & RECURSOS HUMANOS IPEA, 13 de outubro de 2010 EXTRA Nº 2 OUTUBRO INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 385, DE 13 DE OUTUBRO DE 2010. Institui, no âmbito do IPEA,

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 2 Referência: Pregão Eletrônico n. 61/2008 Data: 17/12/2008 Objeto: Contratação de empresa especializada para fornecimento de solução informatizada e integrada para o acompanhamento

Leia mais

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas (Produto 1) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE EXTERNO DOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO OEI/TOR/FNDE/CGETI

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO IV REFERENTE AO EDITAL DE PREGÃO Nº 022/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE Nº 001/2013 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a Contratação de empresa

Leia mais

Carga horária e duração. O curso tem carga horária de 360 horas/aula. Duração: aproximadamente 24 meses Horário: terças e quintas 7h às 9h30

Carga horária e duração. O curso tem carga horária de 360 horas/aula. Duração: aproximadamente 24 meses Horário: terças e quintas 7h às 9h30 Pós-Graduação em Gestão do Entretenimento Público-alvo Indicado para profissionais que atuam com entretenimento e cultura tanto em produtoras de cinema, de eventos e de conteúdo, centros culturais, consultorias

Leia mais

Guia Canais de Distribuição PLANETFONE 2016

Guia Canais de Distribuição PLANETFONE 2016 Guia Canais de Distribuição PLANETFONE 2016 Av. Nossa Senhora do Carmo, 1.191, 3º andar, Sion, Belo Horizonte/MG - www.planetfone.com.br 1 SUMÁRIO 1. A PLANETFONE... 03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 04

Leia mais

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR Projeto Básico da Contratação de Serviços: Contratação de empresa para prestação de serviços de consultoria, análise e mapeamento em gestão comercial para a Gramadotur. Dos Fatos:

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

BENEFÍCIOS COM A SMALL

BENEFÍCIOS COM A SMALL BENEFÍCIOS COM A SMALL 2012. Small Consultoria Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 530 Casa Verde, São Paulo S.P. Tel. 11 2869.9699 / 11 2638.5372 Todos os direitos reservados. A IDEIA Dentre os exemplos

Leia mais