2 Índice

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2 www.isce-turismo.com. Índice"

Transcrição

1 Instituto Superior de Ciências Educativas 2014

2 Índice 1. Contactos O ISCE Porquê Turismo? O Departamento de Turismo do ISCE Missão e Objetivos do Departamento de Turismo Objetivos específicos Saídas Académicas / Entradas Profissionais Parcerias Os cursos Saídas Profissionais Career Opportunities Duração e Cronograma Duration and Schedule Módulos Modules Full course load Presence Sessions Synchronous distance sessions Perfil do diplomado do Departamento de Turismo Competências de Formação dos alunos do Departamento de Turismo Competências gerais Competências específicas Requisitos de Acesso aos Cursos de Licenciatura Requisitos de Acesso aos Cursos de Pós-Graduação Mais-valias em estudar no Departamento de Turismo do ISCE Diversidade e exclusividade de cursos e actividades de formação Modelo B-Learning de Formação Mobilidade / Parcerias Internacionais Estágios e Empregabilidade A Competitividade vs Empreendedorismo Chefe Vítor Sobral e showrooms de cozinha Os pontos fortes de destaque do Departamento de Turismo Testemunhos de antigos alunos Os bons momentos em imagens

3 Bem-vindos ao Departamento de Turismo 3

4 1. Contactos Instituto Superior de Ciências Educativas Rua Bento Jesus Caraça, 12, Serra da Amoreira Ramada - Odivelas Tel.: Fax: Site: Departamento de Turismo Instituto Superior de Ciências Educativas Rua Bento Jesus Caraça, 12, Serra da Amoreira Ramada - Odivelas Tel.: Ext * Fax: Diretor: Professor Doutor Nuno Alexandre Abranja Co-coordenadora: Dra. Ana Patrícia Marques Site: Facebook: https://www.facebook.com/departamentodeturismoisce?ref=hl 2. O ISCE O ISCE é uma instituição particular de ensino superior que, reconhecida pelo Decreto-Lei nº 415/88 como Escola Superior, oferece cursos superiores de formação de profissionais de educação, Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico (1º e 2º Ciclos), Educadores Sociais e Animadores Culturais e Turismo. No que toca à formação turística, funciona, desde 1995, um curso que conjuga, pela primeira vez, o domínio amplo do Turismo com os vectores estritos da Hotelaria, Restauração, Gastronomia e Termalismo. Para além da formação inicial, tem cabido dentro do projecto do ISCE as formações pós-graduada e contínua. O ISCE acompanha os seus diplomados durante toda a sua carreira ao mesmo tempo que responde às solicitações dos profissionais e da própria sociedade. As iniciativas desportivas e artísticas, as exposições, as actividades de ocupação dos tempos livres, o associativismo, as festas académicas, etc., são expressões de uma vitalidade autêntica. 4

5 Posto de Transformação Edifícios de Serviços Edifícios de salas de aula Edifícios de salas de aula e apoio à piscina Piscina Ginásio Parque de estacionamento Parque de estacionamento subterrâneo Cantina Refeitório e Bar Pavilhão Gimnodesportivo Centro de Documentação Biblioteca, Mediateca Sala de Informática Acesso wireless à internet Sala de estudo Centro de Fotocópias Anfiteatro e auditório 3 Campos de Jogos Jardins Capela Espaço de Exposições Laboratórios Centro de Investigação Gabinete de Relações Internacionais ISCE.Vida.Activa Provedoria do Estudante Gabinete de Avaliação Promoção da Qualidade Gabinete Psico-Pedagógico Editora Figura 1 Mapa do Campus Educativo de Odivelas (Sede) 3. Porquê Turismo? São hoje reconhecidas as condições favoráveis para o desenvolvimento do turismo em Portugal. Considerado como um sector estratégico, o turismo figura entre os eixos de sustentação do modelo de desenvolvimento económico e social nacional e configura, juntamente com o lazer, num dos clusters com maiores margens de crescimento. 5

6 Contudo, o desenvolvimento sustentável do turismo e de todas as actividades inerentes depende, em grande parte, do sucesso das políticas que preconizam uma atenuação dos constrangimentos endógenos e exógenos negativos ao sector, apostando na formação sólida do planeamento turístico integrado e na gestão cuidada, consubstanciadas numa valorização do património natural e histórico-cultural e no ordenamento do território turístico. 4. O Departamento de Turismo do ISCE O Turismo nasce no ISCE em 1994, quando a instituição, atenta às realidades e à evolução dos domínios do saber, abre-se a outras áreas e outras profissões, optando, nomeadamente, pela formação turística. Funciona, assim, nesta área, um curso que conjuga, pela primeira vez, o domínio amplo do turismo com os vectores estritos da hotelaria e termalismo. A Portaria nº.1110/94 de 12 de Dezembro autorizou e reconheceu o curso de bacharelato em Turismo, Hotelaria e Termalismo para ser leccionado no Instituto Superior de Ciências Educativas. Entretanto, novos cursos foram criados e novo grau se exigia no mercado. Nove anos mais tarde foi aprovada pela Portaria nº.100/03, de 23 de Janeiro, a licenciatura do mesmo curso. Com a abertura do espaço europeu e a necessidade de integrar uma política de educação comum europeia, surge a adaptação do curso actual de turismo, através de um upgrade do plano de estudos, no sentido de garantir a qualificação dos nossos alunos num espaço transnacional, concretizando o Processo de Bolonha. Com esta viragem europeia procuramos, igualmente, melhorar a qualidade e a pertinência das nossas 6

7 formações, continuar a incrementar a mobilidade dos nossos alunos e a internacionalização das nossas acções formativas. Com os tempos que correm e com a necessidade cada vez maior de uma oferta formativa adequada ao que os estudantes e profissionais desejam, foi criado em 2010 o Departamento de Turismo de forma a constituir-se como uma estrutura que viesse dar maior solidez à formação turística e similar. É neste sentido que o Departamento de Turismo reforça o actual curso de Turismo, em termos práticos, e contrata novos professores de renome nacional. Para além desta intervenção, apresentou em Dezembro de 2010, para aprovação ministerial, uma Licenciatura em Gestão Hoteleira e da Restauração e um Mestrado em Políticas do Desenvolvimento em Recursos Humanos no Turismo, que iniciará, após aprovação, em Setembro de Também neste mês, o Departamento de Turismo abre quatro Pós-Graduações que vão seguramente satisfazer muitas lacunas formativas no mercado de trabalho turístico. São elas em: Organização e Gestão de Eventos de Negócios, Desportivos e de Animação Turística; Turismo Acessível com Intervenção Social e Sénior; Turismo de Saúde e Bem-Estar e em Turismo e Sustentabilidade Cultural e Ambiental. Estas formações tratam, acima de tudo, de uma alteração dos paradigmas e da operacionalização por todos os agentes envolvidos. Isto é, o turismo desempenha um papel crucial no processo de desenvolvimento nacional, mas o seu contributo será tanto maior quanto mais elevada for a capacidade de inovar e desenvolver novos produtos, novos processos e novas formas de gestão e de organização. Com base na Declaração de Bolonha, registamos três grandes objectivos para os quais direccionamos estes nossos cursos, como sejam: (i) a mobilidade, que depende da implementação do sistema de créditos ECTS e do Suplemento de Diploma, e que os nossos cursos já se ajustaram; (ii) a empregabilidade, com os cursos mais próximos ainda da realidade profissional e com uma bolsa criada de emprego e estágio; e (iii) a competitividade, conceito que pretendemos incutir nos nossos alunos, de forma saudável, visto que presenciamos hoje um espaço cada vez mais competitivo dentro e fora do país, onde urge alcançar a qualidade. O caminho a trilhar no sentido da persecução destes três objectivos apresentados tem sido feito através de: 7

8 1. definição de parcerias institucionais, nacionais e transnacionais, no sentido de promover a mobilidade e sustentar a empregabilidade de um número cada vez maior de alunos no espaço multicultural europeu, fomentando a competitividade e a atractividade; 2. criação de políticas de coesão europeias com o objectivo de aproximar todos os cursos ao funcionamento de empresas/instituições não nacionais, de forma a cultivar uma consciência europeia inovadora nos nossos alunos, com forte aposta na investigação e na tecnologia; 3. reestruturação das acções formativas do curso de modo a irem ao encontro dos interesses dos estudantes e profissionais, oferecendo um maior e mais qualitativo leque de empregos com a concretização da satisfação pessoal e profissional de cada aluno. Assim, procura-se proporcionar aos nossos diplomados conhecimentos que levem à prática de um turismo assente numa relação de compromisso entre organizações, produtos e destinos turísticos inovadores e tradicionais, em novos métodos de gestão, maiores competências profissionais, melhores formações e mais qualificações. 5. Missão e Objetivos do Departamento de Turismo O Departamento de Turismo tem como missão fundamental a formação de quadros de técnicos de Turismo, Hotelaria e Restauração capazes de actuar com profissionalismo e exactidão nestas grandes áreas, procurando sempre o aperfeiçoamento da nossa estrutura turística, de forma a fomentar o contacto entre diferentes realidades linguísticas, sociais, culturais e religiosas, cultivando a educação para a cidadania e para o desenvolvimento. 8

9 5.1 Objetivos específicos O Departamento visa assim formar quadros médio-superiores de Turismo, Hotelaria e Restauração capazes de coordenar, operacionalizar e gerir actividades/operações em instituições públicas e privadas, com funções de supervisão de operacionais e/ou responsabilidade pela aplicação e transmissão de um saber pericial. Neste sentido, pretende-se dotar os discentes de sólidos alicerces teórico-práticos susceptíveis de lhes proporcionarem a qualidade de execução das tarefas na área escolhida. Recorrendo à sistematização dos conhecimentos científicos adquiridos e da prática profissional pretende-se, com a obtenção de qualquer dos cursos escolhidos, que os alunos atinjam os seguintes objectivos específicos: adquirir uma formação de banda larga e específica em Turismo, Hotelaria e Restauração; criar gosto pelo conhecimento e pelo saber-ser e saber-estar no campo da actividade turística; obter ensinamentos de assessoria, planeamento e gestão em empresas e/ou instituições públicas e privadas do sector turístico; construir competências e atitudes teórico-práticas para o desenvolvimento sustentável do turismo; criar um espírito empreendedor que leve a iniciativas profissionais, como o auto-emprego, adequadas ao mercado de trabalho; desenvolver domínios técnicos e tecnológicos de turismo, com vista a estimular a qualidade, inovação e investigação no sector; criar um pensamento estratégico global conducente à intervenção local e regional; construir aptidões que permitam agir nas relações que se desenvolvem entre as comunidades turística e residente, incrementando a capacidade de integrar diferentes conteúdos científicos na actividade profissional; Desenvolver capacidades de liderança, de intercomunicação, de integração em equipa e de adaptação à mudança. 9

10 6. Saídas Académicas / Entradas Profissionais Entidades públicas da Administração central, regional e local - Secretaria de Estado de Turismo (Turismo de Portugal, I. P.) - INATEL - TAP - Organismos e/ou Associações Regionais de desenvolvimento e promoção do turismo (Entidades Regionais de Turismo; Pólos de Desenvolvimento Turístico); Agências de Desenvolvimento; Associações com intervenção turística; etc.) - Autarquias (Postos de turismo; Gabinetes de Turismo...) Organizações privadas de Turismo, Hotelaria e Restauração - Organismos de marketing e informação turística - Estabelecimentos hoteleiros; conjuntos turísticos/resorts; Unidades de alojamento em espaço rural; Parques de Campismo, Caravanismo e Glamping. - Agências de viagens, Operadores turísticos e Rent-a-cars. - Companhias aéreas e Aeroportos. - Empresas organizadoras de Eventos e de Animação Turística. - Estâncias termais e SPA s. - Casinos. - Campos de Golfe. - Portos, Marinas e Operadores marítimo-turísticos. - Restaurantes, Catering e Bares. - Parques temáticos. 10

11 Instituições de ensino, investigação e consultoria - Escolas de hotelaria e turismo. - Escolas Secundárias, Institutos e Centros de formação e investigação no sector; - Empresas de estudos, planeamento turístico e consultoria. 6.1 Parcerias As parcerias aqui registadas visam implementar e dinamizar acções de cooperação que desenvolvam, em termos genéricos, domínios da formação de todos os utentes da referida escola, nomeadamente nas áreas do turismo, hotelaria e restauração, com vista à constante actualização de conhecimentos e recondução de competências já adquiridas, ou aquisição de novas, numa perspectiva de aprendizagem ao longo da vida, de forma a contribuir para o aumento dos padrões de qualidade da oferta turística nacional. As parcerias estabelecidas abrangem um conjunto variado de acções, e em áreas que sirvam os objectivos das partes envolvidas, podendo assumir formas como: a. intercâmbio de experiências, conhecimentos e estudos no domínio da formação profissional, graduada e pós-graduada; b. realização de programas de desenvolvimento de recursos humanos para o mercado de trabalho planeados, coordenados e executados conjuntamente entre o ISCE e instituição parceira; c. desenvolvimento dos recursos humanos de ambas as instituições, ao nível formativo; d. disseminação sistematizada de informações e promoção de acções de divulgação e de intercâmbio de documentação, resultantes das actividades de cada uma das instituições; e. intercâmbio de técnicos e especialistas de ambas as instituições; f. estágios pedagógicos e profissionais (contextos de trabalho); g. cursos e seminários; h. consultorias técnicas; i. visitas educacionais a ambos os parceiros; j. investigação conjunta e realização de estudos e projectos de interesse comum; k. Qualquer outra modalidade que possa surgir durante o desenvolvimento entre ambas as Instituições. 11

12 Assim, com vista à concretização das acções atrás referidas e visando a integração no mercado de trabalho, o ISCE, através do seu Departamento de Turismo, celebrou acordos com empresas e instituições que melhor se adequam à especificidade da área de formação, bem como às características do mercado de trabalho. Parceiros Instituições Públicas Direção Regional de Turismo da Madeira ERT Região de Lisboa INATEL TAP Portugal Turismo de Portugal, I. P. Associações Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira - APRAM Associação de Hotelaria de Portugal - AHP Associação Portuguesa de Agências de Viagem e Turismo APAVT Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos - APECATE Associação de Profissionais de Turismo de Portugal - APTP Associação Turismo do Algarve - ATA Associação Turismo de Lisboa - ATL Aeroportos ANAM - Aeroportos da Madeira Groundforce Câmaras Municipais C. M. Cascais (Centro de Interpretação Ambiental) C. M. Loures C. M. Lousada C. M. Mafra C. M. Mangualde C. M. Odivelas C. M. Penafiel C. M. Sintra C.M. Vila Franca de Xira Hotéis AC Porto AC Sottomayor Lisboa Amazónia Lisboa Amazónia Jamor Amazónia Lennox Estoril Aviz Baleira Porto Santo Campanile Setúbal Cascais Mirage Choupana Hills Resort & Spa Cidadela Cascais Evidência Belverde Atitude Hotel Grande Real Villa Itália Hotel e SPA HF Fénix Garden HF Fénix Music 12

13 HF Fénix Porto HF Fénix Lisboa HF Fénix Urban HF Ipanema Park HF Ipanema Porto HF Tuela Porto Hotel Escola da Madeira (Escola Profissional de Hotelaria e Turismo da Madeira) La Várzea Polo e Golf Resort Lezíria Parque Marriot Lisboa Hotel NH Campo Grande NH Liberdade NH Parque Lisboa Novotel Orca Praia Pestana Palace Porto Palácio Hotel Quinta da Marinha Quinta das Lágrimas Quinta Penha de França Raga Roca Mar Sana Lisboa Solplay Hotel Apartamentos Tivoli Lisboa Tryp Aeroporto Tryp Oriente Tuela Porto Vila Galé Ericeira Vila Galé Ópera Vip Art s Vip Santa Iria Westin Campo Real Estâncias Termais e SPAs Alma Livre, Lda. (Acqua Lisboa City SPA) Caldas da Felgueira Termas de São Pedro do Sul. Agências de viagens Abreu Viagens Amo-te Marrocos Best Travel Clickviaja.com Fieltour Gomes Alves Halcon Viagens Paredes Oficina do Turismo Stopover Top Atlântico Operadores Turísticos: Club 1840 Grantur Mundo Vip 13

14 Solférias Travelplan Grupos Turístico-Hoteleiros Almeida Viagens Espírito Santo Viagens HF Hotéis Fénix Pestana Hotels e Resorts Porto Bay Hotéis e Resorts Sol Meliá Europa Restauração Academia Vítor Sobral Casa do Largo Centro de Formação Profissional do Sector Alimentar CFPSA Escola Profissional de Hotelaria e Turismo da Madeira Kimera Cakes Portugália Restaurantes Restaurante Pipo Recursos Humanos Randstad RHTurismo Turijobs Organizadoras de Eventos, Animação Turística & Catering Ecoturismo Montanha Viva Luso Parques, Construção e Exploração de Parques de Diversão (Bracalândia) Maria Papoila Mundiconvenius No Tecto do Mundo - Animação Turística e Eventos Culturais Parque Aventura Sniper Rota dos Cetáceos The OF Prodution Eventos Transportes Inside Tours Jetlimo (Transportes de Luxo) Outros Centro de Interpretação Ambiental de Cascais Centro de Promoção e Informação Turística de Macau Cofre De Previdência dos Funcionários e Agentes do Estado Conforturis (Consultoria turística) ILM-THR International Tourism Advisers OMelhorDoTurismo Publituris (Jornal) Parcerias Internacionais Almeida Viajes Château de Montreuil, Relais & Chateaux Hotel (França) DisneyWorld/Universidade da Florida (ESTHE) Grupo Sol Meliá (Europa) Hi Hotels (Grupo Thomas Cook) Hotel Hameau Albert Ier (França) Hotel Palace (Guiné-Bissau) Hotel Relais et Chateau Montreuil (França) 14

15 Hotel Sol Balmoral (Espanha) Hotel Sol Ibiza (Espanha) Hotel Sol Mastines Chihuahuas (Espanha) Hotel Sol Milanos Pinguinos (Espanha) Hotel Sol S Argamassa (Espanha) Hotel Sol Tenerife (Espanha) Hotel Tryp Ambassador Madrid (Espanha) Instituto do Turismo de Macau [em negociação] Mindelhotel (Cabo Verde) Stage Malta (Malta) Universidade Agostinho Neto (Angola) Universidade de Arcada (Finlândia) Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, Centro de Excelência em turismo (Brasil) Universidade Colinas de Bué (Guiné-Bissau) Universidad Mediterrani (Espanha) Universidade Pública de Cabo Verde Uni-CV (Cabo Verde) Universidade de Salamanca (Espanha) V.b. Sochava Institute of Geography the Siberian Branch of the Russian Academy of Sciences (Rússia) 7. Os cursos I. LICENCIATURA EM TURISMO Coordenação Coordination: Professor Doutor (PhD) Nuno Abranja Número de Registo Registration number: R/B - AD-471/ D.R. II Série de 23/06/ Apresentação Presentation O Turismo é um eixo central de sustentação do modelo de desenvolvimento económico e social nacional constituindo-se como um dos clusters com maiores margens de crescimento. A nossa licenciatura em Turismo está estruturada para responder aos mais altos padrões de qualidade nas áreas do Turismo, Hotelaria e Restauração definidos pelo modelo de Bolonha, fundamentalmente: Tourism is a central axis of support of national economic and social development model constitutes one of the largest growth margins clusters. Our Tourism degree is structured to respond to the highest quality standards in the areas of tourism, hotel and restaurant management defined by the Bologna model, fundamentally: 1. Modelo b-learning de formação. Os alunos dispõem de uma plataforma (Blackboard) que facilita a 15

16 gestão dos tempos de aprendizagem. B-learning training model. Students have a platform (Blackboard) that facilitates the management of learning times. 2. Possibilidade de estágios internacionais na Europa, Estados Unidos e nos países de Língua Oficial Portuguesa. Possibility of international trainings in Europe, United States and Portuguese-speaking countries. 3. Titulação reconhecida em todos os países europeus aderentes ao processo de Bolonha. Titration recognized in all Bologna process European countries. 4. Acesso a BOLSAS de Estudo do MEC-DGES para todos os alunos com baixos rendimentos. Access to scholarships of MEC-DGES for all students with low incomes. 5. Possibilidade de conciliar a vida profissional dos alunos com a frequência do curso. Possibility to reconcile professional life of students with the frequency of the course. 6. Disponibilidade de acesso ao ensino superior através dos regimes geral de acesso e especial de ingresso (maiores de 23 anos, transferência, reingresso e mudança de curso). Availability of access to higher education through general access and special admission systems (over 23 years, transfer, reentry and change of course). A integração profissional dos nossos estudantes é a principal preocupação do Departamento de Turismo do ISCE. Os alunos ao inscreverem-se num dos cursos deste Departamento serão automaticamente integrados, e de forma permanente, numa bolsa de estágio e emprego nacional que permite facilitar a empregabilidade. Esta bolsa é sustentada pelas parcerias com empresas e instituições, referidas no ponto 6.1, que facilitam emprego e/ou estágios aos nossos alunos e diplomados. The professional integration of our students is the main concern of the Department of tourism of the ISCE. Students will be automatically integrated, and permanently, in a bag of stage and national job that allows facilitate employability as fast as register in one of the courses of this Department. This network is supported by partnerships with companies and institutions, referred to in point 6.1, which facilitate employment and/or internships to our students and graduates. Estamos certos de que a frequência desta licenciatura será uma experiência frutuosa aos níveis académico, social e pessoal. Estamos, igualmente, seguros de que esta formação será uma mais-valia profissional para todos os que gostam do Turismo e apostam, verdadeiramente, na sua qualificação. 16

17 We are certain that the frequency of this degree will be a fruitful experience to academic, social and personal levels. We are also confident that this training will be a professional added value for all who like tourism and bet, truly, on your own qualification. 2. Duração Duration 1º Ciclo: 6 semestres (180 ECTS) - Licenciatura em Turismo 1 st cycle: 6 semesters (180 ECTS) - Degree in Tourism 3. Objetivos Objectives 1. Formar técnicos capazes de atuar com profissionalismo no aperfeiçoamento da estrutura turística, de forma a entender as diferenças socioculturais presentes no ambiente de trabalho, cultivando a educação para a cidadania e para o desenvolvimento, garantindo a inserção profissional e a mobilidade geográfica. To form technicians capable to act with professionalism in the improvement of tourism structure in order to understand the sociocultural differences in the workplace environment, cultivating the citizen education and to the development, ensuring employability and geographical mobility. 2. Formar quadros médio-superiores capazes de coordenar, conceber, operacionalizar e gerir atividades/operações turísticas e hoteleiras, com funções de supervisão e aplicação e transmissão de um saber pericial. To form medium-superior staff capable to coordinate, conceive, operate and managing tourism activities/operations, with supervision functions and application and transmission of expert knowledge. 3. Fornecer saberes novos e diferentes, em especial no que reporta à adaptação a novas metodologias, tecnologias, línguas, competências comunicacionais, de integração em equipa e de adaptação à mudança. To provide new and different knowledge, especially in what is related to the adaptation of technologies, languages, communicational skills, team integration and change adaptation. 4. Desenvolver o sentido de responsabilidade em relação a materiais e equipamentos e à qualidade, inovação, empreendedorismo, investigação e liderança no serviço prestado. To develop a sense of responsibility related with materials and equipments and to quality, innovation, entrepreneurship, research and leadership in service. 1. Fortalecer uma cultura geral básica e um conhecimento genérico da envolvente social, económica e cultural do universo de trabalho. Strengthen a general culture and a general knowledge from the social, economic and cultural environment of work universe. 17

18 4. Provas de Ingresso Uma das seguintes provas: 09 - Geografia 11 - História 18 - Português 5. Áreas científicas Scientific areas Área Científica Scientific Area Sigla Acronym ECTS Obrigatórios Mandatory ECTS ECTS Optativos Optional ECTS* 812. Turismo e lazer Tourism & leisure TUR Humanidades Humanities HUM Ciências empresariais Business sciences CEM Ciências sociais e do comportamento Social and behavioural sciences CSC Informática IT INF Estatística Statistics EST Total Plano de Estudos Program of studies Unidades Curriculares Units 1º Ano - 1º Semestre 1 st Year 1 st Semester Carga Horária Load Time ECTS Introdução ao Turismo Introduction to Tourism Contabilidade Geral General Accounting 80 3 Estrutura Política e Legislação do Turismo Political Structures and Tourism Legislation Inglês - Língua English - Language Português - Língua Portuguese Sociologia da Cultura e do Lazer Sociology of Culture and Leisure º Ano - 2º Semestre 1 st Year 2 nd Semester História Socio-Económica do Turismo Socio-economic History of Tourism 80 3 Geografia Turística e Planeamento do Território Tourism Geography and Territorial Planning Introdução à Economia Introduction to Economics 80 3 Inglês - Cultura e Língua English Culture and Language Metodologias de Investigação Research Methodologies Métodos Estatísticos em Ciências Sociais Statistical Methods in Social Sciences

19 2º Ano - 1º Semestre 2 nd Year 1 st Semester Fundamentos e Controlo de Gestão Fundamentals and Control Management 80 3 Inglês - Língua e Comunicação English Language and Communication Património Histórico, Artístico e Museologia Historical, Artistic Heritage and Museology TIC e Software Aplicado à Hotelaria IT and Software applied to Hotel Businesses Psicologia e Comportamento do Turista Psychology and Tourist Behaviour 80 3 Opção Língua Option Language Espanhol Spanish Mandarim Mandarin Russo Russian 2º Ano - 2º Semestre 2 nd Year 2 nd Semester Economia do Turismo Economics of Tourism 80 3 Inglês - Cultura e Comunicação English Culture and Communication Património Natural e Recursos Turísticos Natural Heritage and Tourism Resources 80 3 Animação Turística e Organização de Eventos Tourism Animation and Event Organisation TIC e Software Aplicado ao Turismo IT and Software applied to Tourism Opção Cultura e Língua Option Language and Culture Espanhol Spanish Mandarim Mandarin Russo Russian º Ano - 1º Semestre 3 rd Year 1 st Semester Gestão Hoteleira e da Restauração Hotel and Catering Management Técnicas de Informação e Itinerários Turísticos Infromation Techniques and Tourism Itineraries 80 3 Empreendedorismo e Marketing no Turismo Entrepreneurship and Marketing in Tourism 80 3 Opção Língua e Comunicação Option Language and Communication Espanhol Spanish Mandarim Mandarin Russo Russian Opção I Logística e Transporte Logistics and Transportation Negociação e E-commerce Negotiation and E-commerce Estratégia e Marketing Digital Strategy and Digital Marketing Seminários Temáticos Thematic Seminars º Ano - 2º Semestre 3 rd Year 2 nd Semester Gestão de Recursos Humanos em Turismo Management of Human Resources in Tourism 80 3 Gestão de Destinos e Mercados Turísticos Destination and Tourism Markets Management 80 3 Gestão de Agências de Viagens e Operadores Turísticos Travel Agencies and Tour Operators Management Opção II 80 3 Enologia Enology Etiqueta e Protocolo Etiquette and Protocol Motricidade e Desporto Aventura Motricity and Adventure Sport Gestão Financeira de Empresas Turísticas Financial Management of Tourism Companies Estágio/Projeto Training/ Project

20 II. PÓS-GRADUAÇÃO EM ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE EVENTOS DE NEGÓCIOS, DESPORTIVOS E DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA Coordenação Coordination: Professor Doutor (PhD) Nuno Abranja 1. Objetivos Objectives Com este curso, fornecer-se-ão instrumentos e informação científica atualizada e adequada para os domínios da organização, gestão e animação de eventos. Pretende-se: With this course, will be provided tools and actualized scientific information and suitable for the organization domains, management and events entertainment. We aim to: Desenvolver capacidades turísticas nos alunos, no que concerne à organização e gestão de eventos. To develop touristic capacities in the students regarding to the events organization and management. Fornecer aprendizagens teóricas adequadas às solicitações da organização e gestão de eventos. Provide theoretical learning appropriated to the demands of the events organization and management. Conhecer as novas tecnologias em voga no sector, desenhando e aplicando ferramentas criativas e inovadoras no âmbito da comunicação e divulgação de eventos. To know the new technologies in vogue in the industry, drawing and applying creative and innovative tools in the area of events communication and promotion. Conhecer e aplicar os instrumentos de controlo, orçamentação, coordenação, gestão e avaliação dos processos inerentes à dinâmica dos eventos. To know and apply the tools of control, budgeting, management and evaluation of processes inherent to the events dynamic. Avaliar o potencial empreendedor de cada indivíduo, desenvolvendo uma visão estratégica do negócio e promovendo a criação de novas oportunidades profissionais. Evaluate the potential entrepreneur of each individual, developing a strategic vision of the business and promoting the creation of new professional opportunities. 2. Destinatários Target Profissionais de unidades Turístico-Hoteleiras Professionals of tourism and hotels units 20

Ensino por módulos Ser mais e melhor.

Ensino por módulos Ser mais e melhor. Ensino por módulos Ser mais e melhor. Formação Superior de acordo com o Modelo de Bolonha 1. Licenciatura em Turismo com enfoque em hospitality and Tourism Management 2. Mestrados em: Empreendedorismo

Leia mais

ENTIDADES/ORGANISMOS ONDE SE TÊM VINDO A REALIZAR AS COMPONENTES PRÁTICAS DOS DIFERENTES CURSOS:

ENTIDADES/ORGANISMOS ONDE SE TÊM VINDO A REALIZAR AS COMPONENTES PRÁTICAS DOS DIFERENTES CURSOS: ENTIDADES/ORGANISMOS ONDE SE TÊM VINDO A REALIZAR AS COMPONENTES PRÁTICAS DOS DIFERENTES CURSOS: Animação Sócio-Cultural: - Associação A Tenda - Biblioteca Municipal D. Dinis - Câmara Municipal de Loures

Leia mais

ERASMUS+ PROGRAM 2015/16 Degree Year Sem. Code Subject Subject (English) ECTS Notes

ERASMUS+ PROGRAM 2015/16 Degree Year Sem. Code Subject Subject (English) ECTS Notes ERASMUS+ PROGRAM 2015/16 Degree Year Sem. Code Subject Subject (English) ECTS Notes Busin. Manag. 1º 1 LGE1104 Contabilidade Empresarial I Business Accounting I 6 Not available in English Busin. Manag.

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA PARECER DO GRUPO DE TRABALHO DO TURISMO

IMPLEMENTAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA PARECER DO GRUPO DE TRABALHO DO TURISMO IMPLEMENTAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA PARECER DO GRUPO DE TRABALHO DO TURISMO ÍNDICE 1.INTRODUÇÃO... 3 2. PERFIS E COMPETÊNCIAS DE FORMAÇÃO... 5 2.1. PERFIS PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL... 5 2.2.A. COMPETÊNCIAS

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

em - Corporate Reporting (1.ª Edição) Executive Master

em - Corporate Reporting (1.ª Edição) Executive Master www. indeg. iscte-iul. pt EXPERIÊNCIA DE IMERSÃO AVANÇADA NO STATE OF THE ART E NAS ALTERAÇÕES MAIS RECENTES NAS TEMÁTICAS, NORMATIVAS E MÉTODOS DE REPORTE INTEGRADO DAS ORGANIZAÇÕES VISANDO UM DESEMPENHO

Leia mais

1911 2011 A caminho do Centenário

1911 2011 A caminho do Centenário 1911 2011 A caminho do Centenário Licenciaturas ISEG 1º Ciclo de Bolonha ISEG: Uma Escola de referência. O ISEG forma Economistas e Gestores com espírito de liderança e inovação assente numa sólida capacidade

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18 de maio

Leia mais

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Outubro de 2009 Agenda EM DESTAQUE Estágios e Suplemento ao Diploma- uma aposta no futuro! Índice Nota Editorial Eventos/Notícias Na Primeira Pessoa Manz

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS

O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS João Vinagre Santos A ESTBarreiro/IPS Criação em Julho de 1999, pelo Ministro da Educação Prof. Marçal Grilo 4ª Escola do IPS, 2ª Escola de Tecnologia, 1ª Escola

Leia mais

SUPLEMENTO AO DIPLOMA DA UNIVERSIDADE DO MINHO (MESTRADO EM ENGENHARIA URBANA) (2º CICLO)

SUPLEMENTO AO DIPLOMA DA UNIVERSIDADE DO MINHO (MESTRADO EM ENGENHARIA URBANA) (2º CICLO) SUPLEMENTO AO DIPLOMA DA UNIVERSIDADE DO MINHO (MESTRADO EM ENGENHARIA URBANA) (2º CICLO) 1 Principal(ais) área(s) de estudo da qualificação: Engenharia Civil - Planeamento Urbanístico Engenharia Civil

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA Ano 2008/2009 Data 30/12/2009 Página 1 de 11 RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2008/2009 (em cumprimento do Artigo 66º do Decreto-Lei nº 107/2008, de 25 de Junho)

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

Proposta de Criação do Mestrado em Gestão Logística. III - Informação Relativa ao Suplemento ao Diploma

Proposta de Criação do Mestrado em Gestão Logística. III - Informação Relativa ao Suplemento ao Diploma Proposta de Criação do Mestrado em Logística III - Informação Relativa ao Suplemento ao Diploma De acordo com o Despacho RT 41/2005 de 19 de Setembro Universidade do Minho Escola de Economia e Departamento

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

Licenciaturas. Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo

Licenciaturas. Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo Licenciaturas Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo L I C E N C I A T U R A O R G A N I Z A Ç Ã O E G E S T Ã O H O T E L E I R A O B J E T I V O Formar profissionais competentes para

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

CET. Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial

CET. Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial CET Cursos de Especialização Tecnológica Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170

ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170 ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170 A Escola de Protocolo, Comunicação e Artes da Madeira (EPCA) surgiu para ir ao encontro

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS O presente regulamento foi homologado pelo Presidente

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

MESTRADO EM FISCALIDADE

MESTRADO EM FISCALIDADE MESTRADO EM FISCALIDADE 1 - APRESENTAÇÃO Grau Académico: Mestre em Fiscalidade Duração do curso: 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema Europeu de Transferência de Créditos:

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação)

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) Rua Castilho 90 2ºesq 1250-071 Lisboa, Portugal Rua José Gomes Ferreira nº219 - Aviz 4150-442 Porto, Portugal info@beill.pt / www.beill.pt Sobre A Beill

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS Rua Bento de Jesus Caraça, 12 Serra da Amoreira 2620-379 Ramada Odivelas Portugal Telf: 219 347 135 Fax: 219 332 688 E-mail: geral@isce.pt www.isce.pt REGULAMENTO

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

Licenciatura em Ciências da Comunicação, Vertente Jornalismo, pela Universidade Autónoma de Lisboa, completada com média final de 13 valores

Licenciatura em Ciências da Comunicação, Vertente Jornalismo, pela Universidade Autónoma de Lisboa, completada com média final de 13 valores Informação Pessoal Nome Nuno Miguel Fernandes Aires Data de Nascimento 24 de Julho de 1971 Morada Avenida 5 Outubro, 25 6º andar 8000 Faro Nacionalidade Portuguesa Telemóvel 915 333 112 E-mail naires@msn.com

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS RELATÓRIO ANUAL (2009/2010) Índice 1 Cumprimento do plano estratégico e do plano anual... 2 1.1. Do plano estratégico... 2 1.1.1. - Desenvolvimento e Inovação

Leia mais

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL porto. aveiro. lisboa LICENCIATURA & MESTRADO THE MARKETING SCHOOL Somos uma escola vocacionada essencialmente para as empresas e mercados. Queremos qualificar

Leia mais

Grupo Parlamentar. Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO

Grupo Parlamentar. Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO Grupo Parlamentar Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO O chamado processo de Bolonha não é, por essência, negativo, particularmente se for adoptado numa óptica de estímulo

Leia mais

4928-(5) c) Os n. os 3.1 e 3.2 do anexo III.B (mestrados); d) O n.º 1 do anexo III.C (ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre).

4928-(5) c) Os n. os 3.1 e 3.2 do anexo III.B (mestrados); d) O n.º 1 do anexo III.C (ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre). N.º 65 31 de Março de 2006 DIÁRIO DA REPÚBLICA II SÉRIE 4928-(5) Despacho n. o 7287-B/2006 (2. a série). O regime jurídico dos graus académicos e diplomas do ensino superior prevê que os estabelecimentos

Leia mais

Agrupamento de Escolas. Dr. Jorge Augusto Correia Tavira

Agrupamento de Escolas. Dr. Jorge Augusto Correia Tavira Agrupamento de Escolas Dr. Jorge Augusto Correia Tavira Oferta Educativa Ano Letivo 2015/2016 Cursos Vocacionais Básico Cursos Científico Humanísticos Cursos Profissionais Cursos Vocacionais Secundário

Leia mais

CEF/0910/27461 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/27461 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/27461 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Ese

Leia mais

SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS

SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS 2015 /16 ESTÁGIOS ERASMUS EM ESCOLAS * ERASMUS PLACEMENTS IN SCHOOLS * [POR FAVOR, PREENCHA O FORMULÁRIO NA (NUMA DAS) LÍNGUA(S) DE TRABALHO DO ESTÁGIO:

Leia mais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S C T e S P Cursos Técnicos Superiores Profissionais GESTÃO ADMINISTRATIVA DE RECURSOS HUMANOS GESTÃO COMERCIAL E DE MARKETING ORGANIZAÇÃO

Leia mais

RECONHECIMENTO 13. O que é ECTS? 14. Como se compara ECTS com sistemas de pontos de créditos noutros países? 15. O que é um Suplemento ao Diploma?

RECONHECIMENTO 13. O que é ECTS? 14. Como se compara ECTS com sistemas de pontos de créditos noutros países? 15. O que é um Suplemento ao Diploma? PMFs Perguntas Mais Frequentes Nesta página da web pode encontrar as respostas a todas as perguntas que talvez queira fazer sobre estudos musicais na Europa. Perguntas Mais Frequentes PORQUÊ EU? 1. Porque

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE

ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo

Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo Página 1 de 5 Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo De acordo com o disposto nos artigos 75.º e seguintes do

Leia mais

Relatório de atividades do IPAM- Aveiro

Relatório de atividades do IPAM- Aveiro Relatório de atividades do IPAM- Aveiro 2013 2014 Índice INTRODUÇÃO... 4 1. Grau de cumprimento do plano estratégico e do plano anual e dos respetivos objetivos... 5 Enquadramento: plano e objetivos...

Leia mais

T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2015 / 2016. Projeto candidato a co-financiamento pelo Fundo Social Europeu

T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2015 / 2016. Projeto candidato a co-financiamento pelo Fundo Social Europeu T e S P Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2015 / 2016 Projeto candidato a co-financiamento pelo Fundo Social Europeu REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA REPÚBLICA PORTUGUESA UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

Leia mais

Gestão do Lazer e Animação Turística Apresentação do curso

Gestão do Lazer e Animação Turística Apresentação do curso Gestão do Lazer e Animação Turística Apresentação do curso Francisco Silva francisco.silva@eshte.pt Director do Curso de Gestão do Lazer e Animação Turística Maio 2011 ESHTE Curso de Gestão do Lazer e

Leia mais

Localização. Visão. Missão. Entidades promotoras

Localização. Visão. Missão. Entidades promotoras ESCOLA TECNOLÓGICA DO LITORAL ALENTEJANO ETLA Localização A Escola Tecnológica do Litoral Alentejano fica situada no Complexo Petroquímico da empresa Repsol na ZILS. Perto da realidade industrial, a sua

Leia mais

AVISO. Admissão de Pessoal. (m/f)

AVISO. Admissão de Pessoal. (m/f) AVISO Admissão de Pessoal (m/f) A AJITER Associação Juvenil da Ilha Terceira pretende admitir jovens recém-licenciados à procura do primeiro emprego, para estágio no seu serviço, ao abrigo do Programa

Leia mais

CURSO DE 2º CICLO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Manual de ESTÁGIOS A COORDENAÇÃO DO CURSO DE 2º CICLO EM GRHCO

CURSO DE 2º CICLO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Manual de ESTÁGIOS A COORDENAÇÃO DO CURSO DE 2º CICLO EM GRHCO CURSO DE 2º CICLO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Manual de ESTÁGIOS A COORDENAÇÃO DO CURSO DE 2º CICLO EM GRHCO Coimbra 2014-2015 1 Introdução 1. Competências gerais do estágio

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae In pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada Institucional Rosa, Julieta Alves () Faculdade de Economia CIEO 8005 139 Faro Telefone(s) 289 800 900 (ext. 7161) 289 244 406

Leia mais

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ Semestre 15-16 Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Animação Turística Inglês para Animação I Língua Estrangeira I (Espanhol I / Alemão

Leia mais

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Aviso (extracto) n.º 23548/2011 Nos termos do disposto no n.º 6 do artigo 12.º da Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E

M O D E L O E U R O P E U D E M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Rua António Pereira Carrilho, n.º 38, 4.º, 1000-047 Lisboa Telefone/Fax +351.218.444.200 / +351.218.444.209 Correio

Leia mais

GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO

GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO Acolhimento - Acções que visam proporcionar ao colaborador um conjunto de referências e conhecimentos, relacionados com o ambiente organizacional e a função, tendo como objectivo

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

- Gestão Estratégica do Turismo - Projetos de Investimentos Turísticos - Gestão da Qualidade. IESF Instituto de Estudos Superiores de Fafe

- Gestão Estratégica do Turismo - Projetos de Investimentos Turísticos - Gestão da Qualidade. IESF Instituto de Estudos Superiores de Fafe Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido - Nome BORGES, Isabel Maria Martins Morada Rua Manuel Silva Barros, 23 5º - Hab. 26 4470-337 Maia Telemóvel 91.6921285 Correio electrónico isabel.borges.pt@gmail.com

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões. Aprovado na reunião do Conselho Científico de / /

Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões. Aprovado na reunião do Conselho Científico de / / Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões REGULAMENTO GERAL DE CURSOS NÃO CONFERENTES DE GRAU Aprovado na reunião do Conselho Científico de / / Lisboa 2007 2 Regulamento Geral de Cursos não Conferentes

Leia mais

MBA especialização em GesTão De projectos

MBA especialização em GesTão De projectos MBA especialização em GESTão DE projectos FORMEDIA Instituto Europeu de Empresários e Gestores FORMEDIA e INSTITUTO EUROPEO DE POSGRADO FORMEDIA - Instituto Europeu de Empresários e Gestores A FORMEDIA

Leia mais

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Relatório de Estágio Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Rui Neves Lisboa, 21 de Junho de 2011 Índice Introdução... 3 Caracterização da Base de Dados... 4 Recolha e validação

Leia mais

BHMS Business & Hotel Management School Um membro do Bénédict Education Group Switzerland

BHMS Business & Hotel Management School Um membro do Bénédict Education Group Switzerland BHMS Business & Hotel Management School Um membro do Bénédict Education Group Switzerland A BHMS Business & Hotel Management School está localizada na cidade de Lucerna e é membro do grupo suíço de escolas

Leia mais

PROJECTO DE ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO ESHTE I&D

PROJECTO DE ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO ESHTE I&D PROJECTO DE ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO ESHTE I&D CAPÍTULO I NATUREZA, SEDE E FINS ARTIGO 1º Natureza A Fundação ESHTE I&D, adiante designada simplesmente por Fundação, é uma instituição de direito privado,

Leia mais

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto As Jornadas de Educação Pelo Desporto alinham-se com os objetivos gerais do Diálogo Estruturado na área da juventude, uma vez que

Leia mais

GUIA DO VOLUNTÁRIO. Sociedade Central de Cervejas

GUIA DO VOLUNTÁRIO. Sociedade Central de Cervejas GUIA DO VOLUNTÁRIO Sociedade Central de Cervejas ÍNDICE 1. A RESPONSABILIDADE SOCIAL NA SCC: O NOSSO COMPROMISSO... 3 2. O NOSSO COMPROMISSO COM O VOLUNTARIADO... 4 2.1 A ESTRUTURAÇÃO DO VOLUNTARIADO EMPRESARIAL...

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2 Nome UC Construção, Território e Ambiente CU Name Código UC 11 Curso LEC Semestre do plano de estudos 2 Área científica Engenharia Civil Duração Semestral Horas de trabalho 95 ECTS 3.5 Horas de contacto

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY POSSIBILIDADE DE FREQUÊNCIA À DISTÂNCIA

PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY POSSIBILIDADE DE FREQUÊNCIA À DISTÂNCIA PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY POSSIBILIDADE DE FREQUÊNCIA À DISTÂNCIA TESTEMUNHOS A Pós-Graduação Qualidade na Saúde permitiu-me adquirir e consolidar conhecimentos nesta área.

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Há escolhas no bairro-e5g Programa Escolhas Promotor: Mediar - Associação Nacional de Mediação Sócio-Cultural 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto

Leia mais

design de jogos digitais o essencial da licenciatura

design de jogos digitais o essencial da licenciatura design de jogos digitais o essencial da licenciatura ÍNDICE ciclo de estudos plano de estudos metodologias de ensino perfil de saída candidaturas ipb virtual Dados do ciclo de estudos ciclo de estudos

Leia mais

Pós-Graduação Gestão Hoteleira

Pós-Graduação Gestão Hoteleira Coordenação: Mestre Filipe Ferrão Pós-Graduação Gestão Hoteleira O Curso de Pós-Graduação em Gestão de Hotelaria visa proporcionar uma especializada, que alie o conhecimento das técnicas de gestão fundamentais

Leia mais

Health Management Future

Health Management Future 2012 Health Management Future COM O PATROCÍNIO DE O grupo BIAL tem como missão desenvolver, encontrar e fornecer novas soluções terapêuticas na área da Saúde. Fundado em 1924, ao longo dos anos BIAL conquistou

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ

1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ DO CURSO DE LICENCIATURA EM RELAÇÕES PÚBLICAS E COMUNICAÇÃO 1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ 1. A quem devo dirigir-me, caso tenha dúvidas

Leia mais

Curriculum Vitae. Período Título Instituição Classificação. Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Curriculum Vitae. Período Título Instituição Classificação. Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra Curriculum Vitae Dados pessoais Nome: Jorge Humberto Soares Marques Data de nascimento: 18/01/1979 País de nacionalidade: Portugal Contacto: jorgehsm@sapo.pt Instituição: Centro de Estudos em Geografia

Leia mais

Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK)

Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK) UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK) Maputo, Julho de 2015 UDM 1

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA FICHA TÉCNICA Publicação editada ao abrigo do novo Acordo Ortográfico, exceto a transposição de conteúdos de documentos elaborados

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

Curso de Técnico Comercial Bancário

Curso de Técnico Comercial Bancário Curso de Técnico Comercial Bancário Este curso é integralmente financiado pelo Estado Português e Fundo Social Europeu não tendo quaisquer custos para os participantes. OBJECTIVOS Os Cursos de Aprendizagem

Leia mais

APRESENTAÇÃO AEFCUP. Informações. AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

APRESENTAÇÃO AEFCUP. Informações. AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto APRESENTAÇÃO AEFCUP Informações AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Rua do Campo Alegre, 1021 4150 180 Porto GPS: 41º 11'10.25'' N 8º41'25.32''W Tlf. AEFCUP

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação Gestão Logística Edital 1ª Edição 2012 1 Enquadramento Tem vindo a ser reconhecida, por políticas governamentais

Leia mais

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A

ES C O L A S U PERI O R A G RÁ RI A Licenciatura em Ecoturismo Ref.ª : 1832001 Ano lectivo: 2012-13 DESCRITOR DA UNIDADE CURRICULAR GESTÃO TURÍSTICA TOURISM MANAGEMENT 1. Unidade Curricular: 1.1 Área científica: 4 - Ciências Empresariais

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Formador Profissional / Coordenador Pedagógico / Consultor de Formação Nome POEIRAS, VITOR JOAQUIM GALRITO Naturalidade Sumbe, Quanza Sul, Angola

Leia mais

ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA SUPLEMENTO AO DIPLOMA (versão em português) A estrutura do suplemento ao diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. Tem por objetivo fornecer

Leia mais

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Rocha Luís

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Rocha Luís Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido/ Nome Morada Endereço de correio electrónico R. Francisco Oliveira Ferreira, 43 2º Esq..º P-4100-263 Porto (Portugal) Telefone Telemóvel 932 687 567 ou 913 697

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTUDOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

REGULAMENTO DE ESTUDOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA NORMAS REGULAMENTARES De acordo com o estipulado pelos artigos 14.º e 26.º do Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de Junho REGULAMENTO DE ESTUDOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA Regulamento n.º 487/2010,

Leia mais

Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF BANK MANAGEMENT

Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF BANK MANAGEMENT BSUPERIOR DE GESTÃO INSTITUTO 0101011010101001010 0101011010101001010 Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO no Sector Financeiro 2005 2006 Associação Portuguesa de Bancos INSTITUTO SUPERIOR

Leia mais

ACEF/1112/12687 Guião para a auto avaliação

ACEF/1112/12687 Guião para a auto avaliação ACEF/1112/12687 Guião para a auto avaliação Caracterização do ciclo de estudos. A1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: ISPA, Crl A1.a. Descrição da instituição de ensino superior /

Leia mais

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012 Mestrado Construção Civil Edital 3ª Edição 2011-2012 Barreiro, Maio de 2011 ENQUADRAMENTO O curso de Mestrado em Construção Civil da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro do Instituto Politécnico de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA ESTUDANTE INTERNACIONAL

UNIVERSIDADE DE LISBOA ESTUDANTE INTERNACIONAL UNIVERSIDADE DE LISBOA ESTUDANTE INTERNACIONAL EM PORTUGAL, A ULISBOA É LÍDER NOS PRINCIPAIS RANKINGS INTERNACIONAIS Academic Ranking of World Universities 2014 (Shanghai) 2.ª Universidade Ibero-Americana

Leia mais

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas ENQUADRAMENTO DO CURSO As escolas são estabelecimentos aos quais está confiada uma missão de serviço público, que consiste em dotar todos e cada um dos

Leia mais

2015/2016. Página 1 de 11 I. NOTA INTRODUTÓRIA 2. EIXOS ESTRATÉGICOS 2.1. OFERTA EDUCATIVA, NOVOS PÚBLICOS, ATRATIVIDADE. Código IMP.EM.EI.

2015/2016. Página 1 de 11 I. NOTA INTRODUTÓRIA 2. EIXOS ESTRATÉGICOS 2.1. OFERTA EDUCATIVA, NOVOS PÚBLICOS, ATRATIVIDADE. Código IMP.EM.EI. 2015/2016 I. NOTA INTRODUTÓRIA A missão, os princípios e os valores de uma instituição são fulcrais para a sua definição estratégica, conforme expresso nos seus estatutos. O Instituto Superior de Ciências

Leia mais