JBS Marginal Direita do Rio Tietê nº 500 SÃO PAULO. BLOCO III e outros MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JBS Marginal Direita do Rio Tietê nº 500 SÃO PAULO. BLOCO III e outros MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS"

Transcrição

1 JBS Marginal Direita do Rio Tietê nº 500 SÃO PAULO BLOCO III e outros MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS Emissão (Item 2)(Eficiência Energética de Motores) Pág. 1/14

2 JBS Marginal Direita do Rio Tietê nº 500 SÃO PAULO BLOCO III e outros MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS 1 - INTRODUÇÃO O presente memorial trata das instalações hidráulicas do Bloco III da JBS, na sede da Av. Marginal Direita do Rio Tietê nº 500 em São Paulo-SP. As especificações e critérios contidos no presente documento não poderão ser alterados sem previa autorização da contratante OBJETIVO O presente memorial contém as especificações de mão de obra de execução, materiais e equipamentos correspondentes aos serviços a serem executados pela empresa instaladora. O empreiteiro deverá verificar o projeto das instalações e esclarecer eventuais dúvidas sobre o escopo de fornecimento ou relativas a especificações, antes de iniciar as obras RELAÇÕES DE DESENHOS (Projeto Hidráulico Bloco III e outros) Ver Lista de Desenhos anexa ao memorial 2 NORMAS APLICÁVEIS A execução das instalações Hidráulicas, bem como os materiais empregados, atenderá os requisitos das últimas edições das normas da ABNT: -NBR Instalação Predial de Esgoto Sanitário. -NBR Instalações Prediais de Água Fria. Pág. 2/14

3 -NBR Instalações de Águas Pluviais -NBR Instalações internas de Gás Natural Eficiência Energética de Moto-Bombas Os motores elétricos dos conjuntos moto-bombas especificados no projeto deverão atender a eficiência mínima nominal a plena carga indicada na Tabela 10.8 da norma ASHARE para motores de indução de corrente alternada. Modelo de referência: Motores W22 Premium da WEG. 3 COMPONENTES DO PROJETO E INSTALAÇÃO O escopo de instalação das instalações hidráulicas compreende os sistemas a seguir: ITENS INCLUÍDOS: - TUBULAÇÕES DE ÁGUA FRIA - TUBULAÇÃO DE ESGOTO - TUBULAÇÃO DE GÁS NATURAL - TUBULAÇÃO DE ÓLEO DIESEL - TUBULAÇÕES DE DRENAGEM DE AR CONDICIONADO - CONEXÕES NAS REDES EXISTENTES - RESERVATÓRIOS E CASA DE BOMBAS - DESVIO DAS REDES EXTERNAS DE ÁGUAS PLUVIAIS - TESTES - DOCUMENTAÇÃO (Projeto Conforme Construído). - GARANTIA. 4 DESCRITIVO DOS SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS 4.1 Geral - Hidráulica A instalação a ser fornecida pelo instalador atenderá os seguintes ambientes e locais: (1) 2º SS (área geral) do Bloco III, instalações completas para: Reservatórios e Casa de Bombas (2º subsolo) o Reservatório de Águas Pluviais o Caixa de Esgoto Pág. 3/14

4 o Poços de Águas Pluviais (PAP-01 e 02) o Reservatório de Água de Consumo e de Incêndio o Poços de Esgoto (PE-01 a PE-04) (2) 1º SS do Bloco III (Irrigação de jardineiras e rede de águas pluviais) instalações completas para: Captação de águas pluviais das jardineiras e pontos de irrigação. (3) 1º Pav. do Bloco III (Completo) instalações completas para: Sanitários, casas de máquinas, áreas de serviço, etc. (4) Terraço de cobertura (CAG) do Bloco III, instalações completas para: Drenagem da casa de máquinas, águas pluviais, rede de gás natural (5) Interligações das redes externas ao Bloco III com as linhas de: Águas Pluviais Esgoto Sanitário Água Fria (desde a linha do hidrômetro existente) Gás Natural Óleo Diesel (6) Desvio das redes externas na área do Bloco III de águas pluviais e caixas especiais o Desvio das duas redes AP (atravessando o terreno do Bloco III) o Nova caixa elevatória o Nova caixa de retardo 4.2 Itens de instalação a serem atendidos; instalações completas para: o Sanitários (Água e Esgoto) o Copas (Água e Esgoto) o Casa de Máquinas de Ar Condicionado (drenagem de ar condicionado) o Central de Água Gelada (alimentação de água e rede de águas pluviais) o Coberturas (Águas Pluviais) o Reservatórios e Caixas (redes de águas pluviais, de água potável, de esgoto e de drenagem, etc. o Casas de Bombas do 2º SS (geral) Pág. 4/14

5 4.3 Caixas, Reservatórios, Poços e Casa de Bombas (2º Subsolo) O escopo dos serviços nesta área prevê a execução das instalações hidráulicas das tubulações das redes de águas pluviais, esgoto, óleo diesel e água potável dos respectivos reservatórios, tubulações de sucção e recalque, bombas e componentes auxiliares do sistema. O instalador instalará e testará os conjuntos moto-bombas dos sistemas acima descritos Captação, Poços e Reservatório de Águas Pluviais e de Água Recuperada. Captação do lado da área de serviços do Bloco III (área dos fundos do bloco). Caixa de Águas Pluviais e Recuperada. O reservatório de água pluvial do 2º SS (também destinado à água recuperada para irrigação) é alimentado pela água captada por gravidade nas calhas e lajes de cobertura (lado da área de serviços do Bloco III). Outra parte da água captada na cobertura é desviada diretamente para a rede externa de AP através de prumadas independentes. Na caixa de águas pluviais (água recuperada) um sistema de duas bombas (tipo poço seco), sendo uma unidade de reserva, esvazia o reservatório de forma automática através de controles de nível. As duas bombas operarão de forma simultânea caso seja atingido o nível crítico (nível extra-alto) evitando a extra-vazão da água do reservatório. A reserva de água de irrigação será reposta em períodos de estiagem através da rede do hidrômetro, usando-se uma tubulação com válvula solenoide controlada por chaves de boia, permitindo repor a falta de água de chuva para essa finalidade. A água pluvial é recalcada à caixa externa da nova rede do Bl III que conduz as águas pluviais desta parte do bloco à caixa de retardo prevista na área do estacionamento. O sistema de supervisão acompanha a operação das bombas registrando seu histórico funcional e emitindo alarmes de níveis críticos e de defeitos das bombas através do monitoramento de bóias e contatos auxiliares (contatores de força, relés térmicos etc.). Parte da água captada é reservada para irrigação da área ajardinada externa. Pág. 5/14

6 Poços de Águas Pluviais de jardineiras e de Drenagem do subsolo No 2º SS também são captadas ás águas pluviais das jardineiras laterais localizadas no nível do 1º SS. A água é conduzida a uma rede de captação prevista junto às paredes diafragma e rede enterrada sob o piso do 2º SS. A seguir é conduzida a dois poços (PAP-1 e 2) de águas pluviais na área da casa de bombas. Os poços recebem também a água de drenagem captada pela rede de drenagem do subsolo (projeto de terceiros), correspondente à agua do lençol freático sob o piso do 2º SS. Os poços de águas pluviais (PAP-01 e 02) são equipados com bombas submersas de pedestal, duas por poço. Uma terceira unidade (moto-bomba diesel) está prevista para operar em caso de falha no fornecimento de energia elétrica ou falha das bombas elétricas. O conjunto moto-bomba diesel terá as seguintes caraterísticas: Bomba centrífuga autoescorvante Vazão: 143 m3/h Altura manométrica: 17 mca Motor diesel para bomba de água pluvial e de resíduos sólidos 24 CV Partida automática por bateria e motor de arranque Unidade digital com interface TCP-IP Ref.: Bombas Buffalo, Bombas Branco, Megadiesel Através da unidade digital o sistema de supervisão acompanha a operação das bombas registrando seu histórico funcional e emitindo alarmes de níveis críticos e de defeitos das bombas através do monitoramento de boias e contatos auxiliares (contatores de força, relés térmicos etc.). Captação do lado da área da frente do Bloco III. A água pluvial de cobertura da área da frente do Bloco III (metade da cobertura) é conduzida por gravidade à canaleta de AP do subsolo; a partir dessa canaleta a água pluvial é conduzida por gravidade até a Caixa de Retardo de águas pluviais localizada na área de estacionamento externa. Pág. 6/14

7 4.1.2 Caixa de Esgoto. A caixa de esgoto do 2º SS é alimentada pelas prumadas de esgoto dos sanitários (lado da área de serviços do Bloco III) por gravidade. Um sistema de duas bombas de pedestal (tipo submersas), sendo uma unidade de reserva, esvazia o reservatório de forma automática através de controles de nível. As duas bombas operarão de forma simultânea caso seja atingido o nível crítico (nível extra-alto) evitando a extra-vazão do esgoto do reservatório. O esgoto é recalcado à caixa externa da rede existente dos Blocos I e II. O sistema de supervisão acompanha a operação das bombas registrando seu histórico funcional e emitindo alarmes de níveis críticos e de defeitos das bombas através do monitoramento de bóias e contatos auxiliares (contatores de força, relés térmicos etc.) Poços de Esgoto (PE-1, 2, 3 e 4). A área da casa de bombas do 2º SS possui dois poços de captação de esgoto (PE-1 e 2); esse esgoto, formado por água de extravasamento ou de limpeza dos reservatórios, é recalcado à rede de esgoto externa através de sistema automático de duas bombas submersas, sendo uma unidade de reserva. Na área de estacionamento do 2º SS foram também previstos dois poços do mesmo tipo, destinados a captar o esgoto dos sanitários dos lados direito e esquerdo da frente do Bloco III. As duas bombas operarão de forma simultânea caso seja atingido o nível crítico (nível extra-alto) evitando a extra-vazão dos poços. O sistema de supervisão acompanha a operação das bombas registrando seu histórico funcional e emitindo alarmes de níveis críticos e de defeitos das bombas através do monitoramento de bóias e contatos auxiliares (contatores de força, relés térmicos etc.) Reservatório de Água Potável e de Incêndio: O reservatório é alimentado por água potável proveniente do ramal do hidrômetro do complexo. Um sistema de bombas em série pressurizam a rede de forma contínua visando fornecer água potável por sensoriamento de pressão constante. As bombas trabalharão por sistema de variação de freqüência e controle digital. Pág. 7/14

8 O conjunto de bombas (fornecido pela Grundfos) alimentará as instalações de forma automática através de controle de pressão. Será prevista uma válvula reguladora de pressão em cada nível (pavimento) visando ajustar a pressão residual nessas áreas. A reserva de incêndio é preservada pela cota de instalação da tomada de água para o sistema de pressurização (tomada de sucção) da água de consumo Conjuntos Moto-Bombas de Água, Esgoto e Águas Pluviais O instalador fornecerá e instalará os conjuntos moto-bombas especificados nas plantas do projeto, apresentando para aprovação do projetista os modelos propostos, sempre que tais modelos sejam diferentes aos especificados no projeto (outros modelos de fabricação). Os componentes dos modelos de bombas submersas com pedestal (esgoto e águas pluviais) serão adquiridos do mesmo fabricante das bombas; tais como, hastes para içamento, pedestal, suportes de base, etc., e instalados seguindo os procedimentos dos fabricantes Rede de Gás Natural A instalação contará com uma nova rede interna de gás natural com origem no novo medidor de gás da COMGÁS a ser instalado do lado da Rua João Irineu Bordon. O novo ramal correrá enterrado pela área externa até as proximidades da nova cozinha; também alimentará a Central de Água Gelada na cobertura do Bloco III. O instalador executará o novo medidor de gás e ramal de distribuição, executará os testes de estanqueidade conforme normas NBR No Bloco III a tubulação será instalada de forma aparente, desde a fachada dos fundos do bloco até a cobertura. A partir desse ponto o instalador de ar condicionado executará os ramais de alimentação dos Chillers a gás Tanque e Rede de óleo Diesel Serviços a executar: Corresponderá ao instalador das instalações hidráulicas a execução dos seguintes serviços externos à área do tanque de óleo e das bombas de óleo diesel: Pág. 8/14

9 A instalação contará com uma rede de óleo diesel com origem no abrigo de bombas localizado junto ao tanque óleo. Três conjuntos de tubulação alimentam os tanques pulmão de geradores do bloco de utilidades, geradores do Data Center e das bombas diesel de águas pluviais. Os ramais de alimentação e retorno correrão enterrados até as salas correspondentes. Corresponderá ao instalador das instalações hidráulicas a execução dos ramais externos para os pontos de consumo citados; isto é: 1º Ramal de alimentação e retorno até o tanque pulmão de óleo diesel dos geradores do bloco de utilidades, desde o abrigo de bombas. 2º Ramal de alimentação e retorno até o tanque pulmão de óleo diesel dos geradores do bloco do Data Center, desde o abrigo de bombas. 3º Ramal de alimentação e retorno até o tanque pulmão de óleo diesel dos conjuntos moto-bombas diesel do 2º SS (bombas de águas pluviais). Corresponderá ao instalador executar os testes de pressão e emitir relatórios de testes. Observação: A execução da instalação do tanque e bombas de óleo diesel (abrigo de bombas) corresponderá a instalador especializado de sistemas de óleo diesel, conforme especificação técnica Rede de Água Fria Serviços a executar: Rede de água terá seu ponto de origem na caixa inferior do 2º SS. O sistema de pressurização será composto por conjunto da Grundfos de controle de pressão constante por variação de frequência. A rede correrá aparente no teto do 2º SS com tubulação de cobre classe A e nos lances dentro dos shafts com tubulação PN-20 (Polipropileno). A partir das válvulas redutoras de pressão - previstas em cada ambiente com pontos de consumo de água - a rede será instalada em material PN-20 (Polipropileno) quando embutido em alvenaria. A rede atenderá sanitários, área de Café e áreas de serviço. Pág. 9/14

10 4.2 Desvio das Redes Externas de Água Pluviais. Caixas Elevatórias e de Retardo. O terreno a ser ocupado pelo Bloco III é atravessado por duas linhas coletoras de águas pluviais de padrão de rede pública. Uma linha é originada na Escola e outra na área externa do Bl II. Ambas as linhas serão desviadas de forma que continuem operacionais com a mesma função embora com bitolas aumentadas para compensar o caimento da rede. A linha do Bl II possuirá uma caixa elevatória equipada com bombas submersas de águas pluviais previstas para otimizar o desempenho da rede; a caixa também dispõe de uma tubulação de extra-vazão (tipo ladrão) visando garantir o escoamento da água, ainda que com falha no fornecimento de energia elétrica. A linha da Escola conduz a água até emendar a rede desviada com a rede existente do outro lado do Bl III. Por último, a rede de água pluvial da segunda metade do Bl III será conduzida à nova rede externa deste bloco e descarregada na Caixa de Retenção prevista na área de estacionamento. Tanto na caixa elevatória como na caixa de retardo as águas pluviais serão recalcadas através de bombas submersas de operação automática, alternada e com operação simultânea em caso de extra-vazão. O sistema de supervisão acompanha a operação das bombas registrando seu histórico funcional e emitindo alarmes de níveis críticos e de defeitos das bombas através do monitoramento de bóias e contatos auxiliares (contatores de força, relés térmicos etc.). Ver nas plantas do projeto as caraterísticas das bombas, esquemas de bóias de nível e alturas de instalação. 5 CONDIÇÕES GERAIS DE EXECUÇÃO Os serviços de execução das Instalações Hidráulicas seguirão as seguintes indicações: A elaboração do projeto está de acordo com estudos desenvolvidos em conjunto com os demais sistemas, não devendo, portanto, haver modificação alguma sem prévia autorização da Fiscalização. Pág. 10/14

11 A instaladora, antes do início das instalações, deverá conferir todos os desenhos, especificações, confirmar cotas e detalhes de montagem e demais elementos. A instaladora é diretamente responsável pela exatidão e observância das medidas e características técnicas das instalações objeto deste projeto. Quaisquer dúvidas em relação aos desenhos especificações, normas, medidas, recomendações ou interpretações, deverão ser esclarecidas em consulta à Fiscalização. Desenhos e detalhes de execução elaborados pela instaladora, contendo modificações de projeto, serão previamente aprovados pela Fiscalização. Somente poderão se empregados na obra materiais novos, atendendo às Normas aprovadas ou recomendadas. Especificações e métodos de ensaio serão aplicados conforme ABNT. As citações de marcas ou produtos deste memorial têm a função de especificar características mínimas dos equipamentos a serem empregados. Serão aceitas marcas com características equivalentes às citadas, prévia aprovação da Fiscalização. Ao terminar a obra, e antes da entrega definitiva, a Instaladora deverá fornecer à Construtora (ou Fiscalização) um jogo de plantas contendo todas as modificações introduzidas no projeto, constituindo-se assim no projeto "Conforme Construído". A Instaladora deverá fornecer, na fase de término da obra, pastas contendo catálogos, desenhos construtivos e manuais de operação de todos os equipamentos e componentes aplicados na instalação. Pág. 11/14

12 6 ENTREGA E ACEITAÇÃO DAS INSTALAÇÕES A entrega das instalações será condicionada a: 1) Execução dos testes, ensaios e inspeções previstos no escopo. 2) Aceitação formal dos testes e procedimentos de recebimento. 3) Entrega dos desenhos Conforme Construído". 4) Atendimento das condições solicitadas pela Fiscalização. 5) Cumprimento integral do escopo contratual, inclusive no tocante aos aspectos administrativos e legais. 7 ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 7.1 ESGOTO / DRENAGEM a) Tubos e conexões de PVC (lances horizontais) - Tubos e conexões de PVC Branco de junta elástica, para esgoto primário e junta soldada para esgoto secundário, conforme norma ABNT NBR-5688 (EB-608), marca Tigre. b) Tubos e conexões de PVC-R (prumadas e/ou linhas de recalque) 7.2 ÁGUA FRIA a) Tubos e conexões de cobre, para instalações aparentes. - Tubos de cobre classe A, conforme ABNT NBR-7417 e NBR 7542 da marca Eluma. Pág. 12/14

13 - Conexões de cobre classe A, conforme EB-366 da ABNT, de cobre ou bronze, marca Eluma. - Tubos e conexões de polipropileno PN-20 (PPR- Polipropileno Copolímero). c) Registro - Registros de gaveta e pressão brutos terão corpo de latão fundido, haste do mesmo material, volante de ferro fundido, para pressão de 10 ATM. 7.3 ÁGUAS PLUVIAIS (a) Rede Externa Tubos TC com junta elástica - Tubos de Concreto Armado PA-3 com junta elástica, conforme NBR 8890/07. Rede Interna às caixas elevatórias e de retenção. (b) Rede Interna - Tubos de PVC e PVC-R. Rede Interna, linhas secundárias, conforme projeto. (c) Rede Interna às Caixas Elevatória e de Retenção - Tubos e conexões RPVC - Tubos e conexões de PVC tipo RPVC (Tigre). 8 TESTES Será requerido, antes do revestimento final de alvenaria, prova de pressão em todas as instalações abaixo citadas: a) Tubulação de Água Fria: A tubulação de água fria deverá ser submetida a uma pressão hidrostática, igual ao dobro da pressão de trabalho normal prevista, sem que apresentem qualquer vazamento durante seis horas. Pág. 13/14

14 A pressão mínima, em qualquer ponto da mesma, deverá ser 10 mca (1 Kg/cm2). Os testes deverão ser feitos antes do revestimento das paredes. b) Tubulação de Esgoto: Todas as canalizações primárias da instalação serão testadas com água ou ar comprimido sob pressão mínima de 3,5 mca, antes do revestimento das paredes e pisos e submetidas a uma prova de fumaça sob pressão de 25mm de coluna de água, depois da colocação dos aparelhos. O limite máximo de 3,5 mca deve ser ultrapassado sempre que for verificado que um entupimento em um trecho da tubulação ocasionar uma pressão superior a esta. No trecho em que for constatada esta situação, será executado um ensaio com ar a uma pressão igual à pressão máxima resultante do eventual entupimento. Em ambas as provas, as canalizações devem permanecer sob pressão de prova de 15 minutos. 9 PROJETO CONFORME CONSTRUÍDO E DOCUMENTAÇÃO Ao término da obra, e antes da sua entrega definitiva, a Instaladora fornecerá à Fiscalização ou Gerenciadora uma cópia em papel e arquivo magnético das plantas da instalação com arquivos DWG e PLT contendo as modificações introduzidas no projeto, constituindo-se assim no projeto "Conforme Construído". A Instaladora fornecerá, na fase final da obra, uma pasta contendo manuais de manutenção, manuais de operação, desenhos de fabricação e catálogos dos equipamentos por ela fornecidos; principalmente, bombas de recalque de água, de águas pluviais e de esgoto. 10 GARANTIA O instalador-fornecedor outorgará o prazo de três (3) anos de garantia para a mão de obra de execução das instalações e dois (2) anos de garantia para equipamentos e componentes, tais como bombas, válvulas, registros e acessórios de tubulação. Pág. 14/14

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Agência SHS Novas Instalações Código do Projeto: 1641-11 Pág. 2 Índice 1. Memorial Descritivo da Obra...3

Leia mais

PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DO RESTAURANTE E VESTIÁRIOS Rev. 0: 09/01/13 1. INTRODUÇÃO Este memorial visa descrever os serviços e especificar os materiais do projeto

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB P SUL Ceilândia - DF Novas Instalações Código do Projeto: 3946-11 SIA Sul Quadra 4C Bloco D Loja 37

Leia mais

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 1/7 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 01 ESGOTAMENTO COM BOMBAS... 3 02 REBAIXAMENTO DE LENÇOL FREÁTICO COM PONTEIRAS FILTRANTES... 3 03 REBAIXAMENTO DE LENÇOL

Leia mais

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO 1. GENERALIDADES O presente memorial descritivo trata das instalações hidrossanitárias do prédio acima descrito, o qual foi elaborado segundo as normas

Leia mais

CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS

CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS DANCOR S.A INDÚSTRIA MECÂNICA Professor: José Luiz Fev/2012 CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR 1- BOMBAS D ÁGUA (MÁQUINAS DE FLUXO): 1.1 DEFINIÇÃO Máquinas de fluxo

Leia mais

A) GENERALIDADES: UNIDADES USUAIS

A) GENERALIDADES: UNIDADES USUAIS Hidr ulica Residencial A) GENERALIDADES: UNIDADES USUAIS 1 kgf/cm² = 10 m.c.a 1 MPa = 10 kgf/cm² = 100 m.c.a. 1 kgf/cm² = 14,223355 lb/pol² Etapas a serem executadas a de alvenaria, as instalações hidráulicas

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA MEMORIAL DESCRITIVO DOS PROJETOS DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS, SANITÁRIAS E PLUVIAL MERCADO PÚBLICO DO SÃO JOAQUIM TERESINA PI AGOSTO/2014 IDENTIFICAÇÃO Obra: Mercado do São Joaquim Endereço: Bairro São

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL 1 OBJETIVO: Padronizar os diversos tipos de sistemas de bomba de incêndio das edificações, seus requisitos técnicos, componentes, esquemas elétricos-hidráulicos e memória de cálculo, de acordo com os parâmetros

Leia mais

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS 1 MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS A presente especificação destina-se a estabelecer as diretrizes básicas e definir características técnicas a serem observadas para execução das instalações da

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Os equipamentos do Kit Chuva atendem as exigências da norma NBR 15527: Água de chuva - Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis Requisitos. KIT CHUVA Filtro

Leia mais

3.5 SANTOS DUMONT. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local, através da Secretaria de Obras.

3.5 SANTOS DUMONT. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local, através da Secretaria de Obras. Esta unidade compõe-se de três conjuntos moto-bombas idênticos, dos quais dois operam em paralelo, ficando o terceiro como unidade de reserva e/ou rodízio. Estão associados, cada um, a um motor elétrico

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS UNIDADE ONCO CIRÚRGICA

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS UNIDADE ONCO CIRÚRGICA CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS UNIDADE ONCO CIRÚRGICA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA Marília/SP PROJETO: Engº Civil Marcos Stroppa Rua Lupércio Garrido, 47 - Bairro Barbosa 17501-443

Leia mais

ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONAL

ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONAL ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONAL GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DATA: FEV/2011 1 de 10 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. NORMAS E ESPECIFICAÇÕES... 3 3. SISTEMAS

Leia mais

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES Complexo Esportivo de Deodoro Edital 1.10 1. Instalações Hidráulicas e Sanitárias Os serviços de manutenção de instalações hidráulicas e sanitárias,

Leia mais

INSTRUÇÃO DE PROJETO jun/2006 1 de 15 INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DIRETORIA DE ENGENHARIA. Projeto. Instalação. Hidráulica. PR 009866/18/DE/2006

INSTRUÇÃO DE PROJETO jun/2006 1 de 15 INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DIRETORIA DE ENGENHARIA. Projeto. Instalação. Hidráulica. PR 009866/18/DE/2006 TÍTULO INSTLÇÕES HIDRÁULICS ÓRGÃO DIRETORI DE ENGENHRI PLVRS-CHVE Projeto. Instalação. Hidráulica. INSTRUÇÃO DE PROJETO jun/2006 1 de 15 PROVÇÃO PROCESSO PR 009866/18/DE/2006 DOCUMENTOS DE REFERÊNCI OBSERVÇÕES

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Águas Lindas GO Novas Instalações Código do Projeto: 3947-11 SIA Sul Quadra 4C Bloco D Loja 37 Brasília-DF

Leia mais

PROJETO HIDROSSANITÁRIO

PROJETO HIDROSSANITÁRIO PROJETO HIDROSSANITÁRIO Ampliação Comercial 1/10. PROJETO HIDROSSANITÁRIO CLIENTE : Rosangela Slomp Obra : Ampliação Comercial Endereço: Rua Dr. Mauricio Cardoso Hamburgo Velho Novo Hamburgo - RS Área

Leia mais

V 2. 1.7 Perda de carga localizada (h L. Borda-Belanger formulou que

V 2. 1.7 Perda de carga localizada (h L. Borda-Belanger formulou que 1.7 Perda de carga localizada (h L ) Borda-Belanger formulou que h L K l V 2 2g onde k L é um coeficiente de perda de carga localizada que é função do número de Reynolds e da geometria da peça. É obtido

Leia mais

Memorial Descritivo CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

Memorial Descritivo CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 1/8 GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO AMAPÁ DIVISÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS 1. Normas de referência: NBR 10.897-ABNT 1.1. Outras normas: 2. Nome

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O H I D R O S S A N I T Á R I O COREN CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS

MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS Considerando o índice pluvialmétrico histórico da Cidade do Salvador, de 1800 mm por ano. Tendo em mente a correspondência de 1 mm de chuva ser equivalente a 1 (um) litro

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS HC1 PISO TÉRREO ALA B - HEMODINÂMICA HOSPITAL DE CLÍNICAS DE MARÍLIA MARÍLIA SP PROJETO: ENGEST ENGENHARIA LTDA Eng. Civil Marcos Stroppa Rua Lupércio

Leia mais

3.3 CATAGUASES. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a responsabilidade pela sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local.

3.3 CATAGUASES. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a responsabilidade pela sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local. Da caixa de areia a água chega às quatro câmaras onde estão interligadas as tubulações de sucção das bombas, essas unidades de bombeamento são em número de quatro, cada uma com capacidade de recalque de

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELEGRAFOS

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELEGRAFOS MEMORIAL DESCRITIVO I N S T A L A Ç Õ E S H I D R O - S A N I T Á R I A S EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELEGRAFOS AC. CERES ENDEREÇO: AV. PRESIDENTE VARGAS, Nº220, CENTRO, CERES - GO. Página 1 de 8

Leia mais

Sistemas Hidráulicos Sanitários. Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás

Sistemas Hidráulicos Sanitários. Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás Sistemas Hidráulicos Sanitários Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás Sistemas Hidráulicos Sanitários Instalação hidro-sanitária água fria Processo Executivo 1) Colocar todas

Leia mais

FÓRUM DE VITÓRIA DA CONQUISTA

FÓRUM DE VITÓRIA DA CONQUISTA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA FÓRUM DE VITÓRIA DA CONQUISTA MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E SANITÁRIAS EMPRESA RESPONSÁVEL: Senemig Engenharia LTDA RESPONSÁVEIS

Leia mais

IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo A - Hidrantes de recalque do sistema de chuveiros automáticos 2 Aplicação B Sinalização dos Hidrantes de Recalque do Sistema de chuveiros

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDRO SANITÁRIO OBRA: ANEXO 01 Proprietário: CREA SC - CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SANTA CATARINA Responsável Projeto: Eng Civil Cleber Giordani

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS Página 1 GRUPO RESPONSÁVEL PELA ELA- BORAÇÃO DO PROJETO: REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS PROJETO INSPECIONADO: DATA DA INSPEÇÃO: AUTOR DESTE CHECKLIST MARCOS LUÍS ALVES DA SILVA Sistema de instalações

Leia mais

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUAS PLUVIAIS 2 INTRODUÇÃO A água da chuva é um dos elementos

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC) SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC) SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC)

Leia mais

Elevatórias de Esgoto Sanitário. Profª Gersina N.R.C. Junior

Elevatórias de Esgoto Sanitário. Profª Gersina N.R.C. Junior Elevatórias de Esgoto Sanitário Profª Gersina N.R.C. Junior Estações Elevatórias de Esgoto Todas as vezes que por algum motivo não seja possível, sob o ponto de vista técnico e econômico, o escoamento

Leia mais

Tipo: joelho 45º PVC soldável, diâmetros 50, 32 e 25 mm. Fabricação: Tigre, Amanco ou equivalente. Aplicação: na mudança de direção das tubulações.

Tipo: joelho 45º PVC soldável, diâmetros 50, 32 e 25 mm. Fabricação: Tigre, Amanco ou equivalente. Aplicação: na mudança de direção das tubulações. ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 05.01.000 ÁGUA FRIA 05.01.200 Tubulações e Conexões de PVC Rígido 05.01.201 Tubo Tipo: tubo PVC rígido soldável, classe 15, diâmetros 85, 60, 50, 32 e 25 mm. Aplicação: nas

Leia mais

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 10-26

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 10-26 5. MATERIAIS Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 10-26 Numa instalação hidráulica, os materiais são classificados em tubos, conexões e válvulas, os quais abrangem uma grande variedade de tipos,

Leia mais

DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000

DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000 DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000 Aprova a Norma Técnica nº 004/2000-CBMDF, sobre o Sistema de Proteção

Leia mais

IEE INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA USP SÃO PAULO/SP

IEE INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA USP SÃO PAULO/SP IEE INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA USP SÃO PAULO/SP SEDE DO CENDAT MEMORIAL DESCRITIVO DE REVISÃO 09/09/23 Rua Crasso, 392 Vila Romana São Paulo Cep 05043-0 Tel. (11) 36751335 QUADRO DE REVISÕES

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS ANEXO XVIII AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica visa a adequar o texto da norma NBR 10897, que dispõe sobre

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC) SISTEMA DE ÁGUA NEBULIZADA (MULSIFYRE)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC) SISTEMA DE ÁGUA NEBULIZADA (MULSIFYRE) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC)

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS - SANITÁRIA - Arquivo 828-M-SAN.DOC Página 1 1. SERVIÇOS COMPLEMENTARES Serão executados

Leia mais

EXECUÇÃO DE REBAIXAMENTO DO NÍVEL D ÁGUA ATRAVÉS DE POÇOS COM INJETORES

EXECUÇÃO DE REBAIXAMENTO DO NÍVEL D ÁGUA ATRAVÉS DE POÇOS COM INJETORES pág.1 EXECUÇÃO DE REBAIXAMENTO DO NÍVEL D ÁGUA ATRAVÉS DE POÇOS COM INJETORES O presente trabalho vem apresentar metodologia básica a serem empregadas na instalação e operação de sistema de rebaixamento

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II ESGOTO SANITÁRIO 1 Conjunto de tubulações, conexões e

Leia mais

Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSSANITÁRIOS PREDIAIS

Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSSANITÁRIOS PREDIAIS Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSSANITÁRIOS PREDIAIS Caxias do Sul 2015 2 LISTA DE TABELAS Tabela 1: Determinação do número de contribuintes...

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUA FRIA, ÁGUA QUENTE, ESGOTO SANITÁRIO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUA FRIA, ÁGUA QUENTE, ESGOTO SANITÁRIO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUA FRIA, ÁGUA QUENTE, ESGOTO SANITÁRIO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3

Leia mais

ECV 5644 Instalações II

ECV 5644 Instalações II SISTEMA DE GÁS CENTRALIZADO Fonte: ETFSC Este Sistema também é conhecido como SISTEMA DE GÁS COMBUSTIVEL CENTRALIZADO, é constituído basicamente das seguintes instalações: 1. Central de Gás (Central de

Leia mais

Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Escola Edgar Graeff SHAU 2. Notas de aula

Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Escola Edgar Graeff SHAU 2. Notas de aula Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Escola Edgar Graeff SHAU 2 Notas de aula Tabelas, e recomendações. Esgoto Sanitário. Prof. Ms. Gerson Antonio Lisita Lopes Arantes Agosto/2004

Leia mais

Sistemas de recuperação de águas pluviais

Sistemas de recuperação de águas pluviais Ambietel Tecnologias Ambientais, Lda UPTEC P.MAR Av. Liberdade, s/n 4450-718 Leça da Palmeira Telef: +351 225 096 087 Sistemas de recuperação de águas pluviais A água da chuva é um recurso natural que

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS HIDRAULICAS PARA ESTAÇÕES ELEVATÓRIA DE ESGOTO (EEE)

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS HIDRAULICAS PARA ESTAÇÕES ELEVATÓRIA DE ESGOTO (EEE) SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS HIDRAULICAS PARA ESTAÇÕES ELEVATÓRIA DE ESGOTO (EEE) Página: 2 de 7 1. PROJETO DA EEE O projeto da EEE deverá ser executado

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E MEMORIAL DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRO

MEMORIAL DESCRITIVO E MEMORIAL DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRO MEMORIAL DESCRITIVO E MEMORIAL DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRO CONSTRUÇÃO AC SÃO PAULO DE OLIVENÇA / AM TIRADENTES, S/Nº- CENTRO CEP 69.600-000 SÃO PAULO DE OLIVENÇA/AM GEREN/DR/AM MANAUS mal/smds MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

Apresentação. Apresentação. ltda. PABX: (31) 2535.7762

Apresentação. Apresentação. ltda. PABX: (31) 2535.7762 Apresentação Apresentação Fundada em 2003, a Masterfer é, hoje, uma renomada fornecedora de produtos para saneamento. Prima por possuir um atendimento de forma única e objetiva, o que a credencia apresentar

Leia mais

Eng. Moacir de Oliveira Junior, Esp.

Eng. Moacir de Oliveira Junior, Esp. www.viptec.com.br Eng. Moacir de Oliveira Junior, Esp. Contato: (47) 3349-7979 E-mails: moaciroj@gmail.com (Orkut) moaciroj@univali.br moaciroj@hotmail.com (Facebook) moacir@viptec.com.br @Eng_Moacir (Twitter)

Leia mais

COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS

COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS Arancibia Rodríguez, Marco A. (1); Novaes, Rogério (2) (1) Eng. Civil, Mestre em Engenharia, Doutorando em

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE RECOLHIMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE RECOLHIMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE RECOLHIMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO PROPRIETÁRIO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES

MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES PAX_PERDIZES é composto por 1 torre residencial com 8 pavimentos com 4 unidades cada. As vagas de estacionamento estão distribuídas em 2 subsolos. O acesso ao Empreendimento

Leia mais

Sistemas de recuperação de águas pluviais

Sistemas de recuperação de águas pluviais Ambietel Tecnologias Ambientais, Lda UPTEC P.MAR Av. Liberdade, s/n 4450-718 Leça da Palmeira Telef: +351 225 096 087 Sistemas de recuperação de águas pluviais A água da chuva é um recurso natural que

Leia mais

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100.

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. PARECER TÉCNICO DAS ANOMALIAS ENCONTRADAS NA EDIFICAÇÃO DE GARANTIA POR PARTE DA CONSTRUTORA. 1ªPARTE TORRES 1 a 3. CONDOMÍNIO: Brink Condomínio Clube. ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. CIDADE/UF:

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II ÁGUA QUENTE 1 UTILIZAÇÃO Banho Especiais Cozinha Lavanderia INSTALAÇÕES

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, HIDRÁULICAS, SANITÁRIA, COMBATE A INCÊNDIO E GRUPO

Leia mais

GERAL GERAL INSTALAÇÕES DE ÁGUAS PLUVIAIS GERAL GE.01/502.75/00865/04

GERAL GERAL INSTALAÇÕES DE ÁGUAS PLUVIAIS GERAL GE.01/502.75/00865/04 04 NORMAS, CRITÉRIOS AMBIENTAIS, TIPO/ESPECIFICAÇÃO MAI/07 EPPJ-2 - EDMUNDO 03 ALTERAÇÃO NOMENCLATURA TÉCNICA JUN/06 EPPJ-2 - EDMUNDO 02 REVISÃO GERAL ABR/04 EPPJ-2 - ANDRE 01 REVISÃO CRITÉRIOS AMBIENTAIS

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas:

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas: 3.4 MURIAÉ Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Os sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da cidade de Muriaé são operados e mantidos

Leia mais

01 Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 ODEBRECHT. Projeto Básico de Instalações Hidráulicas. Memorial Descritivo

01 Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 ODEBRECHT. Projeto Básico de Instalações Hidráulicas. Memorial Descritivo Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 N o Revisões Responsável Data Visto MARINHA DO BRASIL ESTALEIRO E BASE NAVAL (CONTRATO 40000/2008-006/00) ODEBRECHT PROJETO GERENCIAMENTO NÚMERO

Leia mais

LEME RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades

LEME RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE LEME PRESTADOR: SAECIL SUPERINTENDÊNCIA DE ÁGUA E ESGOTOS DA CIDADE DE LEME Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE III - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE III - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE III - Teoria) Projeto Hidráulico TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS INICIAIS

Leia mais

Palestrante : Maj BM Polito

Palestrante : Maj BM Polito SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIRETORIA GERAL DE SERVIÇOS TÉCNICOS Palestrante : Maj BM Polito SUMÁRIO 1- PARÂMETROS PARA EXIGÊNCIAS DE SISTEMAS

Leia mais

POSTOS E SISTEMAS RETALHISTAS DE COMBUSTÍVEIS ROTEIRO PARA POSTOS NOVOS REFORMA E AMPLIAÇÕES PROCEDIMENTOS PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE POSTOS E SISTEMAS RETALHISTAS DE COMBUSTÍVEIS CAD ADASTRO ASTRO

Leia mais

3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO

3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO 3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Em Visconde de Rio Branco, o sistema público de abastecimento de água é operado e mantido pela

Leia mais

PROJETO QUADRA POLIESPORTIVA - SESI

PROJETO QUADRA POLIESPORTIVA - SESI PROJETO QUADRA POLIESPORTIVA - SESI Contratante: SESI - FIEB Localização: Unidade SESI Simões Filho BA. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS, DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS Memorial Descritivo

Leia mais

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha Carazinho, RS, 30 de junho de 2014. APRESENTAÇÃO OBRA: Tanque Séptico Escola Municipal

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO GUANHÃES MG INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011 MÓDULO 2 Projetista SAS Pequeno Porte Passo a Passo de Instalação ABRAVA -São Paulo,Maio de 2011 Luciano Torres Pereira Leonardo Chamone Cardoso

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS. Introdução

MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS. Introdução MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS Introdução O presente projeto pretende dimensionar e posicionar na edificação toda rede hidrossanitária. Estas instalações devem ser realizadas de acordo

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 020

Norma Técnica SABESP NTS 020 Norma Técnica SABESP NTS 020 ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS Elaboração de Projetos Procedimento São Paulo Revisão 1 - Maio 2003 NTS 020 : 2003 - rev. 1 Norma Técnica SABESP S U M Á R I O 1 RECOMENDAÇÕES DE PROJETO...1

Leia mais

Linha. Booster. Soluções em Bombeamento

Linha. Booster. Soluções em Bombeamento Linha Booster Booster ESTAÇÃO PRESSURIZADORA TIPO BOOSTER MOVÉL As Estações Pressurizadoras IMBIL do tipo Booster Móvel são utilizadas nos segmentos de Saneamento, Empresas Estaduais, Municipais, SAAEs,

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DO MEIO AMBIENTE

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DO MEIO AMBIENTE C A T Á L O G O D E P R O D U T O S SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DO MEIO AMBIENTE CISTERNA MUITO MAIS INOVAÇÃO E FACILIDADE PARA ARMAZENAR ÁGUA DA CHUVA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções

Leia mais

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Reservatórios e Redes de Distribuição de Água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de

Leia mais

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: O sistema conta com dois mananciais, ambos com captações superficiais:

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: O sistema conta com dois mananciais, ambos com captações superficiais: 3.8 SÃO JOÃO NEPOMUCENO Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul A Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, é o órgão responsável pela operação e manutenção

Leia mais

ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS Resp. Técnico: Carlos A. N. Viani MD-1944/02-HP-001 Rev. 0 1. OBJETIVO Este memorial

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA -2

TERMO DE REFERÊNCIA -2 TERMO DE REFERÊNCIA -2 1. O PROJETO Título do Projeto: Reforma e Ampliação das Promotorias de Justiça de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público e Promotorias de Justiça de Ações Constitucionais

Leia mais

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1 - INTRODUÇÃO. A escolha do material a empregar (tipo de tubulação) nas redes coletoras de esgotos sanitários é função das características dos esgotos,

Leia mais

TECNOLOGIAS ÁGUA AGENDA ÁGUA

TECNOLOGIAS ÁGUA AGENDA ÁGUA TECNOLOGIAS ÁGUA AGENDA ÁGUA Carla Sautchúk 21/06/2011 1 Cenário da água PANORAMA DA ÁGUA NO BRASIL Detém 12% da água do mundo e 53% da água do continente sul americano; 90% dos recursos hídricos são utilizados

Leia mais

Continuação aula 3 - unidades do Sistema de Esgotamento Sanitário

Continuação aula 3 - unidades do Sistema de Esgotamento Sanitário Continuação aula 3 - unidades do Sistema de Esgotamento Sanitário e) Órgãos acessórios: Dispositivos fixos e não mecanizados destinados a facilitar a inspeção e limpeza dos coletores, construídos em pontos

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS DE ESGOTO SANITÁRIO

SISTEMAS PREDIAIS DE ESGOTO SANITÁRIO Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia Civil Curso de Engenharia Civil 4º ANO SISTEMAS PREDIAIS DE ESGOTO SANITÁRIO Prof. MSc. Ricardo Prado Abreu Reis Setembro - 2007 CV VP CV VP Cob. 7 1

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS NORMA TÉCNICA 20/2010 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR CHUVEIROS AUTOMÁTICOS SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 REFERÊNCIAS

Leia mais

AMBIENTAL MS PROJETOS EQUIPAMENTOS E SISTEMAS

AMBIENTAL MS PROJETOS EQUIPAMENTOS E SISTEMAS AMBIENTAL MS PROJETOS EQUIPAMENTOS E SISTEMAS MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SISTEMA DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL MS TAC 4000 REV.02 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE TRATAMENTO PARA REUSO....

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDROSSANITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDROSSANITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO HIDROSSANITÁRIO OBRA: Biblioteca do câmpus Ibirama LOCALIZAÇÃO: Rua Dr. Getúlio Vargas, 3006 Ibirama/SC 89140-000 SISTEMAS A SEREM EXECUTADOS: Sistema de Água Fria Potável Sistema

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO I - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1. OBRA: Regularização e Ampliação de um Complexo Esportivo. 1.2. ENDEREÇO: Conjunto Manuel Julião, Rio

Leia mais

OSCAR NIEMEYER MONUMENTAL (AVENIDA VISCONDE DE RIO BRANCO, 200 - NITERÓI) MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO

OSCAR NIEMEYER MONUMENTAL (AVENIDA VISCONDE DE RIO BRANCO, 200 - NITERÓI) MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO CHL Desenvolvimento Imobiliário S/A OSCAR NIEMEYER MONUMENTAL (AVENIDA VISCONDE DE RIO BRANCO, 200 - NITERÓI) MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO (27/03/2014) 1 ACABAMENTO DAS UNIDADES AUTÔNOMAS 1.1 UNIDADES

Leia mais

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO HIDRÁULICO E EXECUÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA POTÁVEL Deverão ser obedecidas as normas

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. PROCEDIMENTOS... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS...

Leia mais

DIRETORIA DE ENGENHARIA - DEN

DIRETORIA DE ENGENHARIA - DEN 01 CANTEIRO DE OBRAS 0,00 CANTEIRO DE OBRAS EM BARRACÃO PARA ESCRITÓRIO TIPO A5, CONSTANDO DE CERCA DE 6 FIOS, BARRACÃO ABERTO, SANITÁRIOS E CHUVEIROS, REFEITÓRIO, ALOJAMENTO E MOBILIZAÇÃO E 01.01 DESMOBILIZAÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO - SISTEMAS HIDRÁULICOS HOSPITAL METROPOLITANO DE BELO HORIZONTE

MEMORIAL DESCRITIVO - SISTEMAS HIDRÁULICOS HOSPITAL METROPOLITANO DE BELO HORIZONTE MEMORIAL DESCRITIVO - SISTEMAS HIDRÁULICOS HOSPITAL METROPOLITANO DE BELO HORIZONTE OBRA: Contrato: 77009 Revisão: 2 Data: 15/12/2009 1. OBJETIVO Este memorial tem por objetivo descrever os sistemas hidráulicos

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS ÁGUA FRIA, ESGOTO SANITÁRIO E ÁGUAS PLUVIAIS

INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS ÁGUA FRIA, ESGOTO SANITÁRIO E ÁGUAS PLUVIAIS INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS ÁGUA FRIA, ESGOTO SANITÁRIO E ÁGUAS PLUVIAIS INTRODUÇÃO Este CADERNO TÉCNICO define um conceito para os projetos dentro de padrões segurança, em obediência as Normas Técnicas

Leia mais

Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS

Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS MEMORIAL DESCRITIVO: APRESENTAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: LOCALIZAÇÃO: Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS DESCRIÇÃO: Edifício

Leia mais

ORÇAMENTO DETALHADO DO CUSTO DA CONSTRUÇÃO

ORÇAMENTO DETALHADO DO CUSTO DA CONSTRUÇÃO OBRA: CONSTRUÇÃO DO HOSPITAL DO - 1ª ETAPA 0100 SERVIÇOS PRELIMINARES 0101 Canteiro de Obras 1,00 vb 111.320,00 111.320,00 0102 Instalações Elétricas e Hidráulicas Provisórias 1,00 vb 33.530,00 33.530,00

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA -2

TERMO DE REFERÊNCIA -2 TERMO DE REFERÊNCIA -2 1. O PROJETO Projeto executivo para construção do prédio das Promotorias da Infância e Juventude. 2. OBJETIVOS O presente Termo de Referência tem como objetivo nortear a contratação

Leia mais

DESDE. Catálogo de Produtos

DESDE. Catálogo de Produtos DESDE Catálogo de Produtos 2004 FILTROS PARA APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA Ciclo 250 Realiza a separação automática de até 99% dos resíduos sólidos; Filtra até 90% da água captada; Fácil manutenção,

Leia mais