MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO"

Transcrição

1 MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO ITEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO OB IMORTANTE: Vê dquiind um pdu d gunç. Vifiqu m Engnhi pnáv d b, nd nidd p nd á Ind, pi d quipmn d gunç dv ind d d m pj pvd p ógã mpn m nfmidd m nm nini, dui muniipi. Td inçã dv fi mn p pfiini quifid b inçã di d ngnhi pnáv p pj. A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. Tm d Gn A EQUIEL gu ppiái d ph gn d 06 (i) m p d d d miã d n fi d vnd, nd (ê) m pz d gn g p Códig d Df d Cnumid, mi (ê) m ndid p fábi. A bu d gn é n ququ dfi d pç u d fbiçã, dd qu, iéi d u éni uizd, n fh m ndiçõ nmi d u d ph. A piçã d pç dfiu xuçã d viç dn d gn mn ã izd n idd nd EQUIEL mn v fiin /u viç uizd. N dmi idd dp d np d ph /u éni m p n d in. O pdu dv mpnh d m dvidmn pnhid /u n fi p v. Ex nçã d Gn du nm d pz d vidd. mu u d quipmn /u p id igd d mni in. dn ud p gn d nuz (i u dg éi). dn ud p idn. id dud/d p i à EQUIEL. 1 INTRODUÇÃO A Cn d Dçã Am d Inêndi md ECAI TANDARD fbid p EQUIEL, é d ip Cnvnin upviind, pdnd b infmçõ d D Aumái, Aind Mnui, Vávu d Fux u ph hmd d dipiiv d End, pd nvi imnçã p dipiiv d m m in Eôni, Avid Áudi Viui, Cn, u, hmd d dipiiv d íd. Tn dipiiv d nd m dipiiv d íd ã d ip nvnin, nd qu dvã nd pdõ d nã d num, dmind p pifiçõ éni d n. A infmçõ d Am nvid p dipiiv d nd (in d Fg ini d Avi), ã pnd n n vé d Ld`, mbém p infmçõ i m um pin d íi fixd n, nd qu d infmçõ ã i m puguê, d fái mpnã. A n é çã d im, infmnd d vn id innnmn, m f d ngi éi, pbm n bi, pbm n imnçã d d, upviinnd d dipiiv ind, dnnd d çõ d m pvi n u nfiguçã. mi pd viuiz d indiçõ nái n vn d Fg u Dfi, idnifind d mn individumn, mdin um p d qu pd n 0, 40 u 64. É xmmn impn qu p nvvid m pj, dnvvimn, inçã, mnipuçã mnunçã d d im, nhm nhimn d funinmn d n d u dipiiv d nd d íd (ind, d, inizd,...). A inçã mnunçõ piódi vim m qu m pbm m dip m f, infêni xn qu pdm mpm im um pfi funinmn d im, ingidd d upn d d inçã. O quipmn fm dnvvid m b n nm Bii (NBR 1740), p xuçã d im d dçã m d nêndi, nd nn mbém infmçõ p u inçã.

2 Dd Téni: Tnã d d éi: Tnã d funinmn: Tnã d Fuuçã: Cnum médi d ngi éi: Tip d bi: Cn máxim d g: Fuív d pçã d d: Fuív d pçã (bi): Tip d gbin: Cpidd: Mi d p: Gu d pçã: C: Tip d pinu: Fixçã: Dimnõ d pdu: íquid: Ei 0 m bi 17 u 0 V 1 V 1, 1,5 V 7 w G d 1V/7 Ah 600 ma 0,5 A 7 A Mái 0 individui Aíi i mm Ip0 Bn Epxi bp 10x55x75 mm. 4,6 kg Ei 40 m bi 17 u 0 V 1 V 1, 1,5 V 7 w G d 1V/7 Ah 600 ma 0,5 A 7 A Mái 40 individui Aíi i mm Ip0 Bn Epxi bp 44x55x75 mm. 5,4 kg Ei 64 m bi 17 u 0 V 1 V 1, 1,5 V 7 w G d 1V/7 Ah 600 ma 0,5 A 7 A Mái 64 individui Aíi i mm Ip0 Bn Epxi bp 44x40x75 mm. 5,8 kg Dd Téni: Tnã d d éi: Tnã d funinmn: Tnã d Fuuçã: Cnum médi d ngi éi: Cn máxim d g: Fuív d pçã d d: Fuív d pçã (bi): Tip d gbin: Cpidd: Mi d p: Gu d pçã: C: Tip d pinu: Fixçã: Dimnõ d pdu: íquid: Ei 0 m bi 17 u 0 V 1 V 1, 1,8 V 7 w 600 ma 0,5 A 7 A Mái 0 individui Aíi i mm Ip0 Bn Epxi bp 10x55x80 mm.,4 kg Ei 40 m bi 17 u 0 V 1 V 1, 1,8 V 7 w 600 ma 0,5 A 7 A Mái 40 individui Aíi i mm Ip0 Bn Epxi bp 44x55x75 mm. 4. kg Ei 64 m bi 17 u 0 V 1 V 1, 1,8 V 7 w 600 ma 0,5 A 7 A Mái 64 individui Aíi i mm Ip0 Bn Epxi bp 44x40x75 mm. 4.7 kg FUNÇÕE DA CHAVE E LED Chv Bõ R: Ud p m im. Bip Dfi: v p dig indid n d dfi. âni: Ud p fz um dip g n im. in g: Chv qu dig in g Bip dfi é ind. Indiçã Viu Ld Ld Fg: A, indi qu hv pâni fi pind u huv um dip n ind qub vid, d umái u ququ dipiiv d nd. Ld im Ligd: A, Indi qu quipmn á igd m upviã. Ld Dfi n Aimnçã d d: A, indi dfi n fiçã d d umái u fuív F d 5 Ah, (p pinip) quimd. Ld F d ngi éi u fuív: A, indi f d ngi éi u fuív F1 d 0,5 A, (p pinip) quimd. Ld Dfi n Bi: A, Indi pbm n Bi (nã bix u dnifid). Ld in G digd: A, indi qu in d ind ququ u dipiiv d íd á dbiid. INDICAÇÃO ONORA. A Cn pui di indid n diin p iniz Dfi Fg. O indid n d DEFEITO á ind n guin fh: Qund: F ngi éi u fuív F1 iv quimd. Qund: Huv dfi n Aimnçã d d. Qund: Huv dfi n Bi (nã bix u dnifid). Qund: O Bã d in G iv n piçã digd. O indid n d FOGO inizá qund: Qund: F pind hv âni. Qund: Huv dip d ind Qub Vid.. Qund: Huv dip d d umái. u qund ququ u dipiiv d nd f ivd. ATENÇÃO! inibi vi n d fg n Aind/ Avid ququ u dipiiv d íd, pin bã in G. E pdimn nã ini n qu ninuá m dip. ini n digu Chv Lig/Dig n p pinip. E pdimn dvá izd mn p éni uizd, 4

3 AJUTE INTERNO Chv çã d Tm E hv v p ip d m d in d ind ip qub vid. C n d inçã hj u ip d m m m mhn d m d inêndi, vê pd ip d m pinnd hv. Ançã! mn p ind njugd md Equip. Timp Inân / Tmpizd O Timp Tp ju mp d d d dip g. d jud p um mpizçã d 0 6 minu. Chv Lig/Dig Uiizd p ig dig Cn. Cm hv n piçã ig, d im igd pmná. Cm hv n piçã dig, mn gd p d pmnã funinnd. Vj pdimn n póxim pgin. LACA DE ETORE Ld` d fg Ld Cg A indi qu bi á nd gd. id indi qu mm ingiu d d fuuçã 1, à 1,8V. E Ld indi qu m m. Cn d igçã Fuív F Fuív d 7A d pçã d bi. E n v p inig p d dipiiv d nd (Aind, D ). Ançã! Cd n pnd. Fuív F1 Fuív d 0,5A d pçã d d éi A. Cn Cn p inigçã d quipmn m n. Ançã! Cuidd p mini, u um fmn dqud. Fuív F Fuív d 5A d pçã d imnçã d d. 5 AJUTE MODO INTANTÂNEO / TEMORIZADO MODO INTANTANEO: A Cn jud n md (T NO ZERO) in d dipiiv d íd imdimn pó b um in d nd. Exmp 1 p p 4. ndnd nd indind nd fi ind 1. O Aind u D é ind. Dipiiv d nd. Envi um in p n. 5. Td dipiiv d íd ã ind imdimn. (dip d in, dip d inizd viui,.... Cn mii um in n indind Fg MODO TEMORIZADO: A n jud n md (T AJUTADO), in d dipiiv d íd dpi d n um mp pé pgmd pó b um in d nd. Exmp p p 1. O Aind u D é ind 4. ndnd nd indind nd fi ind. Dipiiv d nd. Envi um in p n.. Cn mii um in n indind Fg 5. Td dipiiv d íd ã ind pó mp jud, mp qu pd vi n 0 6 minu. (dip d in, dip d inizd viui,...) 6

4 ROCEDIMENTO DE INTALAÇÃO d fiçã m ubuçã pífi p im. Nã u mm ubuçã d d éi. Td mnd dv dvidmn nhd (dd) p vi mu n. U fi u b bindd d b quidd n pifiçõ dmind p pj. igçõ ubân, u b m içã pi. Fix Cn fix n n pd, dv i pin inn m uidd. A n dv ind m d fái viuizçã. mp qu pív b vigiâni humn pmnn. Dv ind guind mp pifiçõ dmind n pj. Fix Cmpnn In quipmn, ind, d u ph n i dmind p pj. Cn fiçã d quipmn n n, nfm qum d igçã d d um. Cn fi d bi (pind pidd), Cqu hv ig/dig n piçã ig. Apó ig hv, Cn dv iniz guin: Ld im igd. E hv inn n p pinip. Ld F d Engi éi u fuív. Bip dfi ind. C iniz u vn, nu mnu n p Eiminnd Dfi. Cn d éi n Cn. mn Ld im igd Ld m g (inn) fiã. Td u indiçõ viui dvm pgd. Td indiçõ n dvm inid. C gum nmidd vi igçã, i mnu fç pdimn im. 08 Fç ju d md Innân u Tmpizd. 09 Riz um g d im. 10 Rqu pin inn d n. (uidd m bã). 11 Idnifiqu uiiznd m nm qu mpnh n. 1 Chm pnáv, xpiqu d funinmn pdimn m d Am u Fh. RECOMENDAÇÕE IMORTANTE O fi p Bi dvm d,5mm (máxim 10 m), dmi pdm d 0,75mm (é, n máxim, 100 m). An d n Cn n d éi u á, n bi im, pi Cn nã funin m uidd p nã inv pidd d bi n Cn. 7 im m upviã LIGADO (pn p iniz ququ dfi u m) FUNCIONAMENTO A n pmn igd, mn d vd d ITEMA LIGADO, vmh d CARGA, pmná n n. O ind dvã m d vd d upviã. O d dvã m u d' d upviã pind. Ququ u dipiiv d nd dv igd, m upviã pn p funin, m d mgêni. im m Am FOGO (iniznd qu huv um dip d gum dipiiv d nd, n mii ê ini) in á viu d fg, nd inizd vé d d fg. in á viu n, indi m qu fi ind. n d fg, n mii in xuiv d fg. im m Fh DEFEITO (iniz qu huv gum dfi n im, nd m i u funinmn á miid di ini). in n, n mii um in xuiv d dfi. in viu, indind vé d d' m qu dfi qu u, qu pdm qu. * F d Engi éi u fuív quimd. * Dfi n imnçã d d * Dfi n bi * in g digd Ob. N qu um in n xuiv p d funçã d fg u dfi. 8

5 Indúi Eôni Lig Dig Dig Lig Lig Dig O qu fz qund Am dip. Fg Fg Fg I im Ligd F d ngi éi u fuív N Dfi n imnçã d D Dfi n Bi C Viuiz ind R Bip dfi âni in G digd Dfi / Fh ROCEDIMENTO Vifiqu igm d dfi Digu hv Bip dfi Ê N D in G Chm éni I FUNÇÃO DA CHAVE R Ud p m im Bip dfi v p dig indid n d dfi âni Ud p fz um dip g n im O Vifiqu igm d dip é vddi u f. vddi in G Chv qu dig in g Bip dfi é ind ATENÇÃO! Nun dix hv in G digd mnnh im mp funinnd pfimn fznd mnunçõ piódi. Inêndi f nfimd, in Bmbi pig m pdimn d bndn d. (Ap mp pépgmd Cn dip in g) 19 f dip nã f, digu hv in g, v pbm u hm iêni éni. Lig in G Dig 1) O Ld Fg ndá indind qu gum dipiiv fi ind. ) Um bip d á n ini d Cn. ) O Ld ndá indind ind. 9 ELIMINANDO DEFEITO Dfi Ld F d ngi éi u fuív nã pg Ld dfi n Aimnçã d d nã pg Ld dfi n Bi nã pg Ld nã pg Ld in G digd nã pg Ld upviã d ind nã nd in nã dipm Ld Fg nã pg in d ind nã Cn nã nd nd in d ind mui bix Bip d dfi nã Invnçã F d ngi éi n Cn. Fuív F1 d 0,5 A quimd. Fiçã d d umái m u u invid. Fuív F d 5 Ah quimd. Bi dnd d n Tnã bix u bi dnifid. Aind m vid u m mp. D m m (fumç u mpu) Chv in g pind. Fiçã inmpid Cn n md mpizd Chv in g digd Vifi bã d ind á pind. Vifi igçã d d umái ( jump dv n piçã NA). Vifi hv pâni á pind. Ligçã in Chv in g digd nã nd n mini d ind. Chv ig dig (inn),digd. Fuív F quimd Fiçã mui ng (im d 100 m) Qunidd d ind im d pidd (v qum igçã d ind). Chv Bip dfi pind 10

6 Digm Unifi d nxã d im inizd n Viu inizd n Módu d in Did Tfôni Aph Eéi Lâmpd Ou MÓDULO DE IRENE AMLIFICADOR Linh Exn Gnd Di NA Gnd Di Gnd Di Gnd B. Di Gnd B. C Di NA C NA Rd Eéi 17 u 0 1 V GND Gnd ud Di C NA Gnd Gnd C NA Gnd Gnd ud Gnd Gnd Bi Aind d Cn Rpid Cix ó Chv D Aumái n d Gz Chv d Fux 11 Equm d igçã Aind p im nvnini. (MOD. TANDARD AC01) A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. Ligçã Individu Ligçã m Lç Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Ançã! E n up n máxim 0 nd n mini. inçõ im d 0 buzz dv u módu Ampifid (vid pg. 17 n nu d n) Limi máxim p igçã 01 Aind p Ançã! E n up n máxim 0 nd n mini. inçõ im d 0 buzz dv u módu Ampifid (vid pg. 17 n nu d n) Limi máxim p igçã 0 Aind p 1

7 Equm d igçã Aind d inêndi p im nvnini. (MOD. I55) Ligçã Individu Ligçã m Lç Am Am Am Am Am Am Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Limi máxim p igçã 01 Aind p Limi máxim p igçã 0 Aind p A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. 1 Equm d igçã INALIZADOR ONORO VIUAL (MOD. EAVI) Bi V Bi V Ançã! Vifiqu qum d igçã d n mbém pidd d d m qunidd d.v ind. íd Cn N/A End Cn N/A Bi V Bi V Cn 1 V Bbin 1V Bi V Bi V Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Limi máxim p igçã 04 pç m 1 bi 1/07 Amp 10 pç m 1 bi 1/0 Amp Cm bi 0 A mndm u d fn uxii. V qum LIGANDO FONTE AUXILIAR Limi máxim p igçã 40 pç m bi 1/45 Amp Cm bi im d 0 A mndm u d fn uxii. V qum LIGANDO FONTE AUXILIAR Aim d qunidd nu n dpmn éni. (47) 7655 A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. 14

8 Equm d igçã p D Ópi d Fumç Md. Ligçã Individu Ligçã m Lç Jump Bi Jump Bi Jump Bi 6 5 Bi 6 5 Bi 6 5 Bi Jump Bi Jump Bi Jump Bi 6 5 Bi 6 5 Bi 6 5 Bi Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Limi máxim p igçã 01 D p u Tip M d D, nu n dpmn éni (47) 7655 Limi máxim p igçã 15 D p u Tip M d D, nu n dpmn éni (47) 7655 A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. 15 Equm d igçã p Cix Emgêni Chv. (MOD. TANDARD CEC) Ligçã Individu 0 Ligçã m Lç 0 Ligu n n d Bã Ligu n n d Bã Cn d Cn md Ei ndd Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD A ix v p gud ópi d hv d um p d íd d Emgêni. A ix v p gud ópi d hv d um p d íd d Emgêni. A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. 16

9 Equm d igçã p Módu d in Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Ançã! E n up n máxim 0 buzz nd n mini. D Bi Bi MÓDULO DE IRENE AMLIFICADOR A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. Ançã! E módu up n máxim 0 buzz nd n mini. 17 Equm d igçã p in 115dB ip n Ançã! Vifiqu qum d igçã d n mbém pidd d d m qunidd d in ind. íd Cn N/A End Cn N/A Cn 1 V Bbin 1V Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZERE UD Limi máxim p igçã 10 pç m 1 bi 1/07 Amp 0 pç m 1 bi 1/0 Amp Cm bi 0 A mndm u d fn uxii. Limi máxim p igçã 50 pç m bi 1/45 Amp Cm bi im d 0 A mndm u d fn uxii. V qum LIGANDO FONTE AUXILIAR Aim d qunidd nu n dpmn éni. (47) 7655 A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. 18

10 Equm d igçã p u pdu Ligçã Div Ligçã Did Tfôni Rd Eéi Lâmpd Linh fôni Am Aph Eéi in Indui Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD O Did Tfôni v p fz hmd p vái fn u mi pvimn mmizd. Dv inigd n nfm qum im. Limi máxim p igçã 1000 w m 0 v. 500 w m 110 v. Aim d pêni uiiz n u nu n dpmn éni (47) 7655 A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. 19 Equm d igçã p u pdu Ligçã Chv d Fux 0 Ligçã n d Gz 0 Cn* N/F* Cn* N/A* Cn *C* Dfini qu piçã Dv ngizd nfm d md 17V 0 V 4 V 1 V Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Cn d Cn md Ei ndd V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD A Chv d Cn d Fux v p indi pnç u uêni d fux dn d ubuçã, und m um dipiiv mpmn d gunç pçã p iv m. Dv inigd n nfm qum im. O n d Gz, é um dipiiv ôni qu indi xiêni d vzmn d gá. Dvm inigd n nfm qum im. A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. 0

11 0 17 0V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD V BAT BAT BAT DET DIC C NA IRENE UD Equm d Ligçã n Cni Ei ndd E ip d igçã fi dind, p qund nidd d muniçã n du ni, v p indi m um n, qu um u n m md d dip g. Cn A Cn B Exmp: Du ni fm ind m gpõ difn Cn A Cn B Qund n A dip g (d íd ivd), u n n B infmnd qu n A fi dipd. Qund n B dip g (d íd ivd), u n n A infmnd qu n B fi dipd. Lig n V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Lig n V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD N: A ni mn inizã dip, qund f g, p i mndm n ip d igçã uiiz du ni n md innân. A n uiiz um p inizçã d u n. Obvçõ impn: Cd n dv pui u bi individu. Td inizçõ, d dfi n bi, f d ngi, fg,..., fim individui p d n. A dini n du ni nã dv up 100 m. Cd n dv um dipnív p fi inigçã. Td dipiiv d nd (ind,d,...) íd (in, inizd,..), fim xuiv d d n. O Bn (mini) 'C' 'NA' d du ni dvm dipnívi. A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu. 1 Equm d Ligçã n Cn ubn Ei ndd E ip d igçã fi dind p qund nidd d vi ni nd mnid p um úni n. Exmp: Em um ndmíni d 5 b, fm ind 5 ni um m d b, ã ubni. N pi fi ind um n, p mni ubni. E é n pinip. Lig n Cn inip Qund ququ um d ubni dip g, u n n pinip, qu ubn dipu individumn. M nã u d ubn V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD N: n pinip iniz dip d um ubn, mn qund f um dip g. A n pinip uiiz p iniz ubni. A n pinip mbém pd b, dipiiv d nd íd m in, ind, d,... Obvçõ impn: ubcn 1 ubcn ubcn * Cd n dv pui u bi individu. * Td inizçõ, d dfi n bi, f d ngi, fg,..., fim individui p d n. * A dini n ubni n pinip nã dv up 100 m. * Td dipiiv d nd (ind,d,...) íd (in, inizd,..), fim xuiv d d n. * O n 'C' 'NA' d d ubni dvm dipnívi. * Rmndm n ip d igçã uiiz d ni n md innân. * O imi d ubni fi imid qunidd d iv n n pinip. C NA C NA C NA Ançã! O imi máxim p igçã ubcni vi dpnd d qun ivm dipnívi n Cn pinip. A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu.

12 Ligçã d Fn Auxii E quipmn dv uiizd qund n b um bi im d 0Ah. Dv ind m p m fi B B d n. ig qum d. Rd Eéi 17 u V BAT BAT BAT DET DIC C NA BUZZER UD Epifiçõ Téni Tnã d End 17/0 V Tnã d íd 1V Cn d íd A Tip d ix Mái Tip d inu Epóxi C Bn Gu d çã I 0 Dimnõ 140 x 165 x g A Equip nã pnbiiz p inçõ m fi p u indqud d pdu.

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32 QUEEDORES & PRESSURIZDORES 2014 F114 lg qud 2014 400x200.indd 1 04/06/14 10:32 Linh Águ Qun Obi. Mi fiin, i unávl. S unávl é uiliz u nui d f i inlign. É iiz uld, duzi dpdíi, g i i fiz. É i qu Linh Águ

Leia mais

P a. e s. q u i. Gestão de Recursos. I n. s s a d a s. Entrada

P a. e s. q u i. Gestão de Recursos. I n. s s a d a s. Entrada SO TS 16949:2002 A uu d pcfcçã écnc E g pná cnc d m d gã d quldd, uu d pcfcçã écnc SO TS 16949:2002 bdgm d m d quldd umv. A pcfcçã écnc SO TS 16949:2002 é bd n pncíp d gã d quldd pnd n nm NBR SO 9001:2000:

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 3- t D q vz? Jé Rid Mi Cpítl 1 P gt Td é di pfit p l: U liv lgl, d lid. E t d di fz d! P Hê: U di vô lá íti, vid hitói d tp q l id gt. P Hit: Ah, di d ihd, it l, it ág, it hi! P L:

Leia mais

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos 2º/3º cicl s O Ã Ç T N E M I d pguns u m mu um p z pdms f ps O qu sudávl? blnç d i c n c id p Sá d p d n cm p, ic mbém é g á s n v ic. Dsc ís f m f civ b id v m u i d lóics. c s impânc s g õs sb ç n s

Leia mais

Módulo I MOTORES DE BUSCA NA INTERNET

Módulo I MOTORES DE BUSCA NA INTERNET Módul MOTORES E BUSCA NA NTERNET duç Pqu d ç d gé Pqu d ç B d d Ulzç d d -l F d duç -l @2007 v 1 O qu é? A é d udl d d d ud qu uç l qulqu ud d ud, d lh u C u? Avé d u ju d l (g d uç TCP/P) qu ê gd vg d

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Tratamento hidrófilo do permutador com produção e velocidade do ciclo de descongelamento melhorada.

Tratamento hidrófilo do permutador com produção e velocidade do ciclo de descongelamento melhorada. 05W APRESENTAÇÃO - CARATERÍSTICAS 04 SA CA/MCA SP/MSP MB/XB MC MD/XD XC Cbu -ã ã áu T hóf u uã g h M 2 gu áx ê u x -15 C A fu, u x u bx (DC-INVERTER -15ºC) Cfguã ub b z u u gé T G F ó uã é ã qu fã bóg

Leia mais

! " #! $! %! " & ' ( )!! " * + " *, %

!  #! $! %!  & ' ( )!!  * +  *, % ! " #! $! % "! &' ( )!! " * + " *, % ! " # $ %!"#$%#&'()%#*&+ *', #%!-").%",')/&%001 #2% '.32"!'.)%#%2'%%4"'&)'#.)* *.'*#' 2)%#&"'&)' *'!&%5'/65*#'& &*#78% 2*5#%#2)'29:* #;!')*

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

PLR Por quê? d L i i q u e z b l d d R t i i e n a a e b d E i t a d d d P t i i ro u v a e é l l d B F t i R t u s c a e r n c a e p o e su a o

PLR Por quê? d L i i q u e z b l d d R t i i e n a a e b d E i t a d d d P t i i ro u v a e é l l d B F t i R t u s c a e r n c a e p o e su a o .. u p v g c C C O ) F h C I ( É, - p c c ç u u g w w p g c u F C I ã ) A U E ( C D h W k N f N h C F. z c v p ç p g u ) k M U ( E ã A M ) P S ( M P S E k M G p v h F C O ã b S Apc gc Agc Ag c R z O v

Leia mais

O EMPREITEIRO. Copatrocínio

O EMPREITEIRO. Copatrocínio KH T M W TÃ G A N F NAL UC Lp D CA -A 1200 ÁT X A JT - / A ã 5 1 0 2 D m 26 A A ç p 27 MW c áb fz h C J F g c h Lb 290/ -116 6 1 0 y 2 w h çã f pc G pc m D x f L ª 4 G c M A Jg q A b é C gh H V V g ã M

Leia mais

LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS RESUMO

LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS RESUMO LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS T K Dí Mz 1 (UFAL) mz.p@hm.m V C B 2 (UFAL) v2@yh.m.b M Lm Qz F 3 (UFAL) 12@hm.m RESUMO N g pm p á bvçõ z m m m pó-fbzçã jv, m m púb. O f vgçã - fmçã p zçã

Leia mais

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça,

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça, g u f R d Qum ã? Um fugd é td p qu dvd tm d pgud p mtv d ç, lgã, ncnldd, p ptnc dtmnd gup cl p u pnõ plítc, ncnt f d pí d u ncnldd nã p u nã qu c à ptçã d tl pí. Ou qu, ccnd d ncnldd tnd f d pí nd tv u

Leia mais

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo Flh d Clul O qu é: U Flh d Clul é, dç, u ju d élul qu u glh u bl qu d l- vé d xõ lóg /u O qu : Ogzç ç d bl l d vl; F, í,, qu jud xu lul lx; Auzç d, vé d gç u d ódg d lul u d uld; Rç g d ç; d bl ulzd çõ

Leia mais

SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350)

SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350) SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350) NOTAS IMPORTANTES 1. Documento atualizado mensalmente com o objetivo de ser o referencial do

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL E DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO A EQUIPEL assegura ao proprietário deste aparelho garantia de 01 ano contra qualquer defeito de peça ou de fabricação desde que,

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Análises de sistemas no domínio da frequência

Análises de sistemas no domínio da frequência prmno d Engnhri Químic d Prólo UFF iciplin: TEQ0- COTROLE E PROCESSOS náli d im no domínio d frquênci Prof inok Boorg Rpo d Frquênci Cliqu pr dir o ilo do xo mr COCEITO: Coni d um méodo gráfico-nlíico

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos Tipo de entidade Rótulos de Linha 3101 Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação De Aldreu 96-46-HD 37-36-XP 66-NX-49 75-IS-24 78-32-MM 3102 Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação De Amares 25-98-LI 03-88-QU

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA

CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA A i i uiv b ufu uáv. Ri Ji, RJ, Bi, 13 16 uub 2008 CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA Cb Ch Gzz (UFSCAR) bzz@i..b

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

! " ! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$

!  ! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$ xfghdfgh!" # ! " $$! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$ &! '! -! 95,()!! +)- *$ - :! ' ')!0 ') );!4 ' -! ',*$!7 < )) 6 +=!>? @ ) *$!)2 3 ) - :! -), "

Leia mais

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS 1. Objetivo: 1. Esta rotina permite importar para o banco de dados do ibisoft Empresa o cadastro de pessoas gerado por outro aplicativo. 2. O cadastro de pessoas pode

Leia mais

Cleber Giorgetti Assessoria e Consultoria. Business & Strategy Marketing & Sales Products & Services Technology & Innovation

Cleber Giorgetti Assessoria e Consultoria. Business & Strategy Marketing & Sales Products & Services Technology & Innovation Cb Gg A C B & Sgy Mkg & S P & Sv Thgy & v Qm Sm N m 2002, mp v x mp çm bjv gó, m m f óg, pb-h m mpv. Apçã hm é gó q vé xpê 20 f, q xm pçõ gã m pçõ m: G Tg, Avy, L Thg, B Lb, AT&T, SD T,. R m p m gó g,

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO OSASCO - COMPOSIÇÃO POR SETORES

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO OSASCO - COMPOSIÇÃO POR SETORES DA D NN GÃ AC CMPÇÃ P UP Í GNA NV PA 2 G MAN PA D B CA ADUA CA ADUA AC VH XA, PFª JÃ BAA D B, PF JÉ BA, PF JÉ GAD VA GACAN AM JÉ MAA DGU, PF GUHM D VA GM, DP VAN FUY M, PF U XNA CFAM D AC U XNA FUNA ANÓ

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Termo de Garantia. Extinção da Garantia

Termo de Garantia. Extinção da Garantia OBS IMPORTANTE: Você esta adquirindo um produto de segurança. Verifique com o Engenheiro responsável da obra, se ele atende as necessidades para o local onde será Instalado, pois todo o equipamento de

Leia mais

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães Diretor de Operações Adriano de Magalhães Manual de Saneamento pág. 2 !"#"$%% &#'()*+&,-&.&,-&/0'12

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

! &! $ '()*+,-./01234435 #78!99

! &! $ '()*+,-./01234435 #78!99 1 ! ""#$ %! &! $ '()*+,-./01234435 634432 #78!99 #:;&9 2 !" # " $!" %" # $ &'()*+(,$$#% -.*/0(1)2)3425 3 Marcelo O. Coutinho de Lima 4 )*+, 9 82 "! 9!2 $ $ $?$@; *7 A> =" " ); B$" 9 $

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

TEMA 1 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. Filipa, 12 anos

TEMA 1 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. Filipa, 12 anos 2º/3º ciclo O Ã Ç A T N E M A LIndo d pgunt u u ni u i ct n u Exit co? d d dit, d á l tção, f n ão p t t N n nci li ê f p tnt o p i hábito i g ê t d indic udávl. o ã ç t n d li Filip, 12 no lid 1 EguNntTAÇÃO

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

Peso máximo do utilizador: 150kg victory com fecho de somier. fabricamos modelos sob medidas especiais (consultar)

Peso máximo do utilizador: 150kg victory com fecho de somier. fabricamos modelos sob medidas especiais (consultar) VICTORY, linha recomendada para ambientes com risco bacteriológico médio/alto, como clinicas, lares, unidades de cuidados continuados. Estrutura em aço epoxy 60 x 30 x 1,5mm. Somier tripartido com 3 corpos

Leia mais

Visão Geral Métodos construtivos Métodos construtivos O Mercado Visão de Negócios Alguns números Principais diferenciais

Visão Geral Métodos construtivos Métodos construtivos O Mercado Visão de Negócios Alguns números Principais diferenciais Shw C TÓPICOS Vã Gl Mé cv Mé cv O Mc Vã Ngóc Alg ú Pcp fc Rl N vç Pc Q fz Vã Gl A ESTRUTURA ECOLÓGICA CONSTRUTORA, g c l é c cçã à v pcpçã q lz écc clógc. Sb p v é pf pívl v, p g cl c fã. N çã ppc c, c

Leia mais

Rita Alexandra Manso Araújo. As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais

Rita Alexandra Manso Araújo. As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais Rita Alexandra Manso Araújo As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde UMinho 2012 Rita Alexandra Manso Araújo As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde Universidade

Leia mais

"# # $ % & ' (' ) * + ', -#(

# # $ % & ' (' ) * + ', -#( WinPto v9.0 ! "# # $ % & ' (' ) * + ', -#( -#". / 0 00 1 02 " '3' 0 ' 0 "# 3 4 ' 2 1 2 & ( 5 64 7 8 95 14 8 4:5 5 '; < 9 50 "#! 5 4 5* $%( 5 & ( (&=9 0 1/ < 9 2 4: > 64 " 4 (" * 9? @ *5 @ ; ) *5 $.% 4

Leia mais

10 anos. com clientes e parceiros. o r. p a. n o. s a. NEWS GATEWAY GATEWAY celebrou. www.gateway-portugal.com. Gateway: o seu sucesso...

10 anos. com clientes e parceiros. o r. p a. n o. s a. NEWS GATEWAY GATEWAY celebrou. www.gateway-portugal.com. Gateway: o seu sucesso... NEWS GATEWAY GATEWAY celebu Gwy Ptugl um evet cm clie e cei Eecil eu egóci PORTUGAL ge ge eu egóci eu egóci g e 2-2 - Gwy celeb Gwy: eu uce... met www.gwy-tugl.cm Bletim Ifmtiv Gwy 3ª Ediçã Eecil A Ptugl

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE A fl Clg, Al Glbg: l g q PÁGINA 8 N10 A 13 ú 48 bl//jh 2013 Pblçã l Fçã AlMl Bl ESCOLAS DA DIVERSIDADE Pj Fçã AlMl Bl úbl b blh lã ç fê l l l PÁGINAS 4 E 5 ARUIVO FUNDAÇÃO ARCELORMITTAL BRASIL O l Jé f

Leia mais

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DMNSTRÇÃ FNNCER Uma bordagem Prática 5a. Edição Editora tlas Masakazu Hoji NTRDUÇÃ À Capítulo 1 DMNSTRÇÃ FNNCER 1.1 dministração financeira nas empresas 1.2 ntegração dos conceitos contábeis com os conceitos

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação!" !" $%& '( ) %) * +, - +./0/1/+10,++$.(2

Leia mais

CHANDER FIRE DO BRASIL. equipamentos de segurança

CHANDER FIRE DO BRASIL. equipamentos de segurança CHANDER FIRE DO BRASIL equipamentos de segurança www.chanderfiredobrasil.com.br SISTEMA ENDEREÇÁVEL CENTRAL ENDEREÇÁVEL DE 250 ENDEREÇOS Especificações Técnicas: - Alimentação primária: 110V ou 220V AC

Leia mais

RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores. Manual de Procedimentos

RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores. Manual de Procedimentos RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores Manual de Procedimentos!" ESTRUTURA DESTE MANUAL &'( ) *+,-./0-1 *+,2 % *+,3-445-"-4 6 *+,"-47.2-4 8 *+,4349!.4 : ; 4';

Leia mais

Aulas Teóricas e de Problemas de Álgebra Linear

Aulas Teóricas e de Problemas de Álgebra Linear Aulas Teóricas e de Problemas de Álgebra Linear Nuno Martins Departamento de Matemática Instituto Superior Técnico Maio de Índice Parte I (Aulas teóricas e chas de exercícios) Matrizes e sistemas de equações

Leia mais

Aula 4 Ângulos em uma Circunferência

Aula 4 Ângulos em uma Circunferência MODULO 1 - AULA 4 Aula 4 Ângulos em uma Circunferência Circunferência Definição: Circunferência é o conjunto de todos os pontos de um plano cuja distância a um ponto fixo desse plano é uma constante positiva.

Leia mais

Manual de Instruções Central de Alarme de Incêndio Convencional.

Manual de Instruções Central de Alarme de Incêndio Convencional. Manual de Instruções Central de Alarme de Incêndio Convencional. ICS 24 INTRODUÇÃO. Parabéns pela aquisição da central convencional digital da ILUMAC, modelo ICS 24, este equipamento será uma excelente

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00004 Sexta-Feira Quit-Feira 08 11 de Março Janeiro de de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Nº

Leia mais

Discrete Automation and Motion. Catalog. motors

Discrete Automation and Motion. Catalog. motors Discrete Automation and Motion Catalog Motores de baixa tensão Low voltage Linhas M3AA e M3BP Process performance motors Informações para compra Formas construtivas Motor montado IM B3 IM V5 IM V6 IM B6

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Física e Química A Versão Teste Intermédio Física e Química A Versão Duração do Teste: 90 minutos 30.05.01 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de março Na folha de

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais

ANTENAS ALCAD / TELEVÉS

ANTENAS ALCAD / TELEVÉS ANTENAS ALCAD / TELEVÉS ANTENAS UHF ALCAD SÉRIE CINZA REFLECTOR PEQUENO 200.BU-269 200.BU-453 200.BU-454 200.BU-569 200.BU-547 200.BU-539 200.BU-455 ALCAD 200.BU-229 200.BU-238 200.BU-469 ANTENA UHF 21/69

Leia mais

NOTAÇÕES. +... + a n. , sendo n inteiro não negativo k =1. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares.

NOTAÇÕES. +... + a n. , sendo n inteiro não negativo k =1. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária, i = z: módulo do número z Re(z): parte real do número z Im(z): parte imaginária do número z det

Leia mais

faz toda diferença em sua dieta. Escolha seu prato principal e

faz toda diferença em sua dieta. Escolha seu prato principal e Há i d 10 n, COMABEM - Rfiçõ Ditétic - v tund pciliznd n fncint d fiçõ fc cngld, ppd d ni udávl. Aqui, vcê ncnt vái pçõ c bix t clóic vind duçã d p, lh d qulidd d vid qund ptd d lgu ptlgi, nutnçã d p c

Leia mais

Contatos auxiliares retardados/adiantados adicionais garantem dupla segurança em caso de necessidade de chaveamento extrema.

Contatos auxiliares retardados/adiantados adicionais garantem dupla segurança em caso de necessidade de chaveamento extrema. h aol C t eê n Ss Ei em P de r iae be a D ue f, S ul m es V R ne bleitg I G eai no M O vreer S A o Sn U s toe T ck b i nddeu nfgo zr um m t ia ev r een?? Re GA À ipglue n NA (statd t Ah CeOi N sd s IaÇrÃbOeSi

Leia mais

PAINEL DE ALARME MONITORÁVEL ACTIVE 9 ULTRA

PAINEL DE ALARME MONITORÁVEL ACTIVE 9 ULTRA PAINEL DE ALARME MONITORÁVEL ACTIVE 9 ULTRA FUNÇÕES BÁSICAS. MODO DE PROGRAMAÇÃO Com o alarme desarmado pressione ESC por segundos (led PROBLEMA pisca e a tecla ESC acende) mais a senha do instalador para

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

Engrenagens III. A máquina de uma empresa se quebrou. O. Conceituação. Características e cálculos de engrenagem com dentes helicoidais

Engrenagens III. A máquina de uma empresa se quebrou. O. Conceituação. Características e cálculos de engrenagem com dentes helicoidais A U A UL LA Engrenagens III Introdução A máquina de uma empresa se quebrou. O mecânico de manutenção foi chamado. Depois de desmontá-la, identificou o defeito: a engrenagem helicoidal estava quebrada.

Leia mais

!" # $ % & ' ( ) ) ( *+, # -

! # $ % & ' ( ) ) ( *+, # - !" # $ % & ' ( ) ) ( *+, # - # INTRODUÇÃO ".//".01234"556574"58246".4.0.215"/9/615":58759/6.58/"1/".46515" ;"0:8/""/.2" 1/ 7/4 8/75.432" 5 =8?14.2" 514=42654"@ 54"/9/615"

Leia mais

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012 Prova Discursiva Medicina 16/12/2012 Caderno de Prova Este caderno, com 16 páginas numeradas sequencialmente, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação Periódica dos Elementos

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Série SSF 815 Transporte Reto

Série SSF 815 Transporte Reto Top Metálica Série SSF 815 Transporte Reto Aço Inox CORRENTES Aplicação: Uso geral. Vantagens: Excelente planicidade; Econômica. Código Descrição AISI 304 Passo L Raio de Flexão Contrário Mínimo Características

Leia mais

Cláudia Augusta Ferreira Deud e Ednalva Maria G. Farias de David Consultoras Legislativas da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário

Cláudia Augusta Ferreira Deud e Ednalva Maria G. Farias de David Consultoras Legislativas da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário Cláudia Augusta Ferreira Deud e Ednalva Maria G. Farias de David Consultoras Legislativas da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo

Leia mais

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores)

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes C, diamante C, grafite Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes TEV: rede 3D de ligações covalentes C, diamante (sp

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL FÊNIX-20L

MANUAL TÉCNICO DA CENTRAL FÊNIX-20L MANUAL TÉCNICO SUMÁRIO CARACTERÍSTICAS GERAIS... 3 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 3 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 3 PAINEL... 4 FUNÇÕES DO PAINEL... 4 FUNÇÕES INTERNAS PLACA DE CONTROLE... 6 FUNÇÕES INTERNAS

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

Contatores de Potência 3RT10, 3TF6

Contatores de Potência 3RT10, 3TF6 Contatores de Potência 3RT10, 3TF6 3RT10 26 3RT10 36 3RT10 65 3TF69 Motores trifásicos Contator 1) Potências máximas Corrente Corrente AC-2 / AC-3, 60 z em nominal nominal 220 V 380 V 440 V máxima máxima

Leia mais

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA Rosário Mauritti Resumo Este artigo começa por analisar a influência das origens sociais nas trajectórias de

Leia mais

LUDMILA SANTOS DE ANDRADE

LUDMILA SANTOS DE ANDRADE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM ARQUITETURA E URBANISMO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: TECNOLOGIA A CONTRIBUIÇÃO DOS SISTEMAS BIM PARA

Leia mais

($,)!'"$ *! %%- ' % &" -./ %)0///

($,)!'$ *! %%- ' % & -./ %)0/// !"#$ %&" '!&" ($!)% ' *($' +!!% % %!($ ($,)!'"$ *! %%- ' % &"!&" -./ %)0/// & %' ($356 %%!($! & " - " % ($ '- %'& %'!($ 2 )7 " *!% ($ * "!,($ *% *%1 ' )($ ' )& ' ) "1- +! '&% ' ' % *%($ % '! "%'+!*(% 8+!

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 24.10.10

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 24.10.10 VESTIBULAR FGV 2011 OUTUBRO/2010 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA APLICADA QUESTÃO 1 O gráfico no plano cartesiano expressa a alta dos preços médios de televisores de tela plana e alta definição,

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais

Técnica de conexões caixas de linha Caixas de linha série CN1. Catálogo impresso

Técnica de conexões caixas de linha Caixas de linha série CN1. Catálogo impresso Técnica de conexões caixas de linha Caixas de linha série CN Catálogo impresso Técnica de conexões caixas de linha Caixas de linha série CN Caixa de linha formato A Caixa de linha, Série CN 8 mm ISO 4400,

Leia mais

Avalanche de Informação

Avalanche de Informação Avalanche de Informação Marcos N. Lessa Xerox Global Services marcos.lessa@xerox.pt SIAP 2009 1 Qual é o problema? Sobrecarga de infoem papel: O mito do escritório sem papel: 15,2 triliões de páginas são

Leia mais

15 SENTIDOS BUFFET DE GALA 30.12.2013. FOUR VIEWS BAÍA 20h 02h VER MENU

15 SENTIDOS BUFFET DE GALA 30.12.2013. FOUR VIEWS BAÍA 20h 02h VER MENU 15 BFF G 30.12.2013 F VW BÍ 20h 02h V ua das aravilhas, 74 lha da adeira, ortugal el: (+351) 291 700 200 15 BFF G 30.12.2013 F VW BÍ 20h 02h Í 1 2 ÁV HF Õ BÇ 3 ÇÃ G 5 7 F 4 6 B À H 9 Z 8 VV FH V V B FÂ

Leia mais

ÍNDICE. 1. Introdução... 3 2. Metodologia... 4 3. Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas... 5. 4. Resultados Académicos...

ÍNDICE. 1. Introdução... 3 2. Metodologia... 4 3. Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas... 5. 4. Resultados Académicos... ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Metodologia... 4 3. Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas... 5 3.1 CONTEXTO FÍSICO E SOCIAL 3.2 DIMENSÃO E CONDIÇÕES FÍSICAS DO AGRUPAMENTO 3.3 CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE MOTORES COM CARGA ACIONADA

DIMENSIONAMENTO DE MOTORES COM CARGA ACIONADA Eletricidade Industrial Fatec Mogi Mirim Prof. Gerson R. Luqueta DIMENSIONAMENTO DE MOTORES COM CARGA ACIONADA Para dimensionamento necessitamos conhecer: Conjugado requerido pela carga Rotação requerida

Leia mais

Servidor de e-mail Interno ou na Nuvem?

Servidor de e-mail Interno ou na Nuvem? Svi -il It Nv? 4 CLOUD SOLUTIONS Pgt q t p vi fz p ã p pi. Svi -il It Nv? 4 Pgt q t p vi fz p ã p pi. CLOUD SOLUTIONS Mi. S Epilit Cl. E-il é lg tã pt i i p, tã bái p fit qlq gizçã, q ã é p igi q l fi

Leia mais

Missa Ave Maris Stella

Missa Ave Maris Stella Missa Av Maris Stlla Para coro a calla a quatro vozs SATB Notas sobr a comosição A rsnt comosição constituis a artir d um ordinário da missa m latim ara coro a quatro vozs a calla, sm divisi Sorano, Alto,

Leia mais

Central de alarme Ventura GSM

Central de alarme Ventura GSM Central de alarme Ventura GSM Manual do Usuário 1 Índice: 1 Aplicação:... 3 2 Características:... 3 3 Características de funcionamento... 3 4- Apresentação da Central... 4 4.1 Parte externa... 4 4.2 Parte

Leia mais

Dispositivos de proteção

Dispositivos de proteção Dispositivos de proteção Introdução Panorama da linha Tipo 3RV10 3RV11 3RV13 3RV14 3RV16 3RV16 3RV17 Disjuntor 3RV1 até 100 A Aplicações Proteção de instalações 1) 1) Proteção de motores Proteção de motores

Leia mais

Artigo Inicial: 4 Artigo I ("A Semente é a Palavra de Deus"): 9 Artigo II ("Alvo de Contradição"): 20 Artigo III ("Novo Adão e Nova Eva"): 26 Artigo

Artigo Inicial: 4 Artigo I (A Semente é a Palavra de Deus): 9 Artigo II (Alvo de Contradição): 20 Artigo III (Novo Adão e Nova Eva): 26 Artigo 1 !" #!#!$" %&''() 2 Artigo Inicial: 4 Artigo I ("A Semente é a Palavra de Deus"): 9 Artigo II ("Alvo de Contradição"): 20 Artigo III ("Novo Adão e Nova Eva"): 26 Artigo IV ("São José"): 37 Artigo V ("Corpo

Leia mais

metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável

metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável Arames Barras chatas Bobinas Cantoneiras Chapas Discos Perfis Buchas Tubos Tubos de cobre para refrigeração Vergalhões, redondos, sextavados e

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir:

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar, escrever

Leia mais

ENSINO ENS. FUNDAMENTAL PROFESSOR(ES) TURNO. 01. A) 83 16 B) 3 2005 D) 103 a. 02. A) 5 2 B) 3 2 C) 6 2 D) a 2006 E) (ab) 3 F) (3a) p 03.

ENSINO ENS. FUNDAMENTAL PROFESSOR(ES) TURNO. 01. A) 83 16 B) 3 2005 D) 103 a. 02. A) 5 2 B) 3 2 C) 6 2 D) a 2006 E) (ab) 3 F) (3a) p 03. SÉRIE 8º ANO OLÍMPICO ENSINO ENS. FUNDAMENTAL PROFESSOR(ES) SEDE ALUNO(A) Nº RESOLUÇÃO TURMA TURNO DATA / / ÁLGEBRA CAPÍTULO POTENCIAÇÃO Exercícios orientados para a sua aprendizagem (Pág. 6 e 7) 0. A)

Leia mais

O (doce) lanche. brasileira. Um retrato inédito

O (doce) lanche. brasileira. Um retrato inédito O (d) l ç bl U éd É VITL çã U bíl N lb vl d l q q d f q ff d d d v lld q d l q v q x qd.tb q q lb.f q d.offd f q dl b d d x f d qbx q qq bl dl d b x d vl dl l q q q ll d v. N f dl d q q xd d blb f x f

Leia mais

(A Themistocles Machado)

(A Themistocles Machado) (A Th Mh) BRAZL á 58 Hh Dg Bh fô gv g Bz v F Hh Pg ê h F f 598 A 585 gv L B A< Pb F Bb v v ãó f z v Phyb vz vzg f fz N v x h P Ch S; Aç h b fv T ffê fz á J? 4 REVSTA bb hb g j çõ fz v h b z ç gv g Dg Bh

Leia mais

Soluções em Bombeamento

Soluções em Bombeamento Linha INI www.imbil.com.br 3 4 www.imbil.com.br 3 2 1 MCA 4 3 2 4-1 4 1 2 3 1 2 3 1 3 MCA 2 1 32-.1 2 1 2 3 1 2 3 www.imbil.com.br Modelos Cavalete Largura do rotor Unidade mm 32-32- 9 32-2 4-4- 4-2 -

Leia mais