Esporte, Infância e Adolescência: Caminho para a Cidadania. Assembleia Legislativa de Minas Gerais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Esporte, Infância e Adolescência: Caminho para a Cidadania. Assembleia Legislativa de Minas Gerais"

Transcrição

1 Novembro

2 2 Esporte, Infância e Adolescência: Caminho para a Cidadania Assembleia Legislativa de Minas Gerais

3 3 Iniciação Esportiva, Categorias de Base e Competições Sergio Bruno Zech Coelho Presidente do Minas Tênis Clube e do Conselho de Clubes Formadores de Atletas Olímpicos (CONFAO)

4 4 Iniciação esportiva no Minas > Histórico A prática da atividade física e do esporte orientado faz parte da essência do Minas Tênis Clube: vocação para a formação esportiva. As escolinhas caracterizam essa vocação, que foi despertada nas aulas de ginástica e jogos do professor Antônio Mendes Macedo, Seu Macedo, nos anos 50.

5 5 Iniciação esportiva no Minas > Histórico Evolução e expansão dos cursos: melhor atendimento e qualidade nos resultados para os associados. Escolinhas Recreativas passam a ser Cursos de Esportes. Hoje são Cursos de Formação Esportiva, conectados pelo Programa Integra-Ações às categorias de base da área competitiva.

6 6 Iniciação esportiva no Minas > Metodologia O Clube desenvolveu metodologia própria Manual de Formação e Desenvolvimento Esportivo, adotado como documento oficial que norteia e subsidia o trabalho de iniciação esportiva do Minas para todas as modalidades.

7 7 Iniciação esportiva no Minas > Fluxo de formação e desenvolvimento esportivo no Minas

8 8 Iniciação esportiva no Minas > Alunos em cursos de formação esportiva Modalidade Faixa etária Nº alunos Curso Básico de Esportes 3 a 9 anos 873 Basquete 8 a 17 anos 236 Futsal 6 a 17 anos 439 Ginástica Artística 5 a 17 anos 289 Judô 6 a 17 anos 298 Natação 5 a 17 anos 970 Tênis 5 a 17 anos 609 Vôlei 9 a 17 anos 564 TOTAL 4278

9 9 Iniciação esportiva no Minas Total modalidades de Cursos > 21 Além dos cursos de formação esportiva, o Minas mantém cursos complementares (dança, musicalização infantil, coral infantil) e academia (ginástica de condicionamento, ginástica livre, spinning, Pilates e ioga). Total de alunos nos Cursos > 11 mil

10 10 Iniciação esportiva no Minas > ISO 9001 Em novembro/2009, o Minas teve a certificação NBR ISO 9001 renovada, por mais três anos, em oito cursos de formação esportiva:. Basquete. Futsal. Ginástica Artística. Judô. Natação. Tênis. Vôlei. Curso Básico de Esportes. A Natação Competitiva também tem ISO 9001.

11 11 Iniciação esportiva no Minas > Franquia Escola de Esporte Minas Tênis Clube Oferece a exclusiva metodologia de formação e desenvolvimento esportivo do Minas. 16 franqueados (colégios, academias e clubes) > BH, Sete Lagoas, Juiz de Fora, Divinópolis, Nova Lima e Santos/SP. Modalidades > basquete, curso básico de esportes, futebol soçaite, futsal, ginástica artística, hidroginástica, judô, natação, tênis, vôlei.

12 12 Esporte de competição no Minas > Competição: atletas de base Projeto Formação Atletas > Lei de Incentivo ao Esporte Modalidades Nº atletas Basquete 104 Futebol de Salão 129 Ginástica Artística 23 Judô 72 Natação 387 Tênis 49 Vôlei Feminino 84 Vôlei Masculino 90 Ginástica Trampolim 20 TOTAL 958

13 Esporte de competição no Minas > Competição: equipes de ponta Modalidades Nº atletas Basquete 15 Futebol de Salão 16 Ginástica de Trampolim 11 Ginástica Artística 13 Judô 29 Natação 60 Tênis 57 Vôlei Feminino 16 Vôlei Masculino 16 TOTAL

14 14 > Alguns títulos principais Esporte de competição no Minas. Nove vezes campeão brasileiro de Vôlei Masculino. Bicampeão brasileiro de Vôlei Feminino. Campeão do Grand Prix e do VIII Troféu Brasil de Judô. 1º colocado do Ranking Nacional de Clubes de Natação. Campeão sul-americano de Basquete. Tênis Infanto-juvenil (até 18 anos): 266 títulos nacionais em 2009, sendo 133 de campeão e 133 de vice). Bicampeão brasileiro de Ginástica Artística. Campeão da Liga Sudeste de Futsal

15 15 > Infraestrutura Esporte de competição no Minas Centro de Treinamento JK (15,6 mil m²). Arena Vivo. Quadras Poliesportivas. Medicina Esporte. Prep.Física. Suporte Adm.. Negócios e MKT. Assessoria de Imprensa

16 16 > Infraestrutura Esporte de competição no Minas Ginásio de Ginástica (aprovado pela FIG)

17 17 > Infraestrutura Esporte de competição no Minas Centro de Excelência de Judô

18 18 > Infraestrutura Esporte de competição no Minas Parque Aquático de competição (aprovado pela FINA)

19 19 Esporte de competição no Minas > Infraestrutura Centro de Excelência de Tênis (Minas Country)

20 20 Cenário brasileiro Clubes com sede própria* clubes centenários (pioneirismo no esporte brasileiro) mil empregos diretos*.. 1,3 milhão de empregos indiretos.. Aproximadamente 55 milhões de associados. *Fonte: IBGE

21 Cenário brasileiro 21

22 22 Cenário brasileiro > Na estrutura esportiva do Brasil, os clubes são os principais formadores e mantenedores de atletas e equipes de base e de alto rendimento das diversas modalidades. > Os clubes atuam com recursos próprios e, desde 2008, contam com a Lei de Incentivo ao Esporte.

23 23 Cenário Brasileiro > Lei Federal de Incentivo ao Esporte nº /06 (aprovada em setembro/2007). Os Clubes têm que investir na elaboração dos projetos a ser levados ao Ministério do Esporte e no controle dos recursos captados.. Os Clubes são os responsáveis pela captação dos recursos junto às Empresas, o que representa a maior dificuldade na viabilização dos projetos.

24 24 Cenário Brasileiro > O Minas foi o primeiro clube social do Brasil a se beneficiar da Lei de Incentivo ao Esporte.. Dois projetos aprovados em dezembro/2007 Valor: R$ 5,2 milhões Beneficiados: 788 atletas ( 6 a 16 anos) Execução: Mais dois projetos aprovados em dezembro/2008 Valor: R$ 23,8 milhões Beneficiados: 958 atletas (6 a 21 anos) Execução: biênio 2009/2010

25 25 Cenário brasileiro. Os Clubes têm know how, infraestrutura, equipamentos e recursos humanos para formação e treinamento de atletas.. Os Clubes estão engajados no esforço nacional para colocar o Brasil entre os 10 primeiros do ranking de medalhas dos Jogos Olímpicos Rio/2016, conforme meta do Governo Federal.

26 26 Cenário brasileiro > Somente os oito fundadores do CONFAO (Conselho de Clubes Formadores de Atletas Olímpicos) reúnem:. 9,2 mil atletas federados em equipes de ponta e de base;. 1,2 mil profissionais do esporte;. 26 mil crianças e jovens em cursos de formação esportiva.

27 27 Cenário brasileiro > Olimpíadas de Pequim/ atletas na Seleção Brasileira 213 (77%) de Clubes > Mundial de Natação de Roma/ atletas da Seleção Brasileira 25 de Clubes

28 Organização dos Clubes 28

29 29 Organização dos Clubes > Confederação Brasileira de Clubes (CBC) Tem a missão de representar e defender os interesses dos clubes esportivos sociais, visando o reconhecimento da importância dos mesmos na sociedade, além de criar condições favoráveis à evolução do segmento. Conselho Superior Interclubes (CSI) É formado por 29 clubes, entre os mais representativos de todas as regiões do Brasil. Define as diretrizes de atuação da CBC.

30 Organização dos Clubes 30

31 31 Organização dos Clubes > Regulamento. O CONFAO é órgão da Confederação Brasileira de Clubes (CBC).. Clubes fundadores do CONFAO: Flamengo, Vasco da Gama, Pinheiros, Fluminense, Grêmio Náutico União, Minas Tênis Clube, Sociedade de Ginástica Porto Alegre (Sogipa), Corinthians.. O convite aos clubes, para se tornarem membros do CONFAO, é feito pela presidência do Conselho e aprovado em reunião da Diretoria.

32 32 Organização dos Clubes. Para fazer parte do CONFAO, o clube tem que atender a critérios mínimos: a) ter sede própria; b) ter mais de 10 (dez) anos de existência; c) ser filiação à CBC; d) manter a formação e o treinamento de atletas olímpicos em pelo menos cinco modalidades olímpicas, sendo duas coletivas (masculino e/ou feminino), disputando campeonatos oficiais em, no mínimo, duas categorias, ou ter participado com atletas em três olimpíadas seguidas ou em cinco alternadas, independentemente do número de modalidades.

33 33 Organização dos Clubes > Meta do CONFAO Despertar no poder público a consciência da importância dos clubes formadores na adoção e na consolidação de uma política estruturada e Eficaz de desenvolvimento do esporte olímpico no Brasil, cumprindo as expectativas da sociedade em geral quanto à vocação olímpica do País.

34 34 > Fundadores do CONFAO Organização dos Clubes Clube Modalidades Idade Olímpicas Corinthians/SP Esporte Clube Pinheiros/SP Flamengo/RJ Fluminense/RJ Grêmio Náutico União/RS Minas Tênis Clube/MG Sogipa/RS Vasco da Gama/RJ

35 35 Organização dos Clubes > Comissão de Estudos constituída pela Portaria nº 52 do Ministério do Esporte, publicada em 20/03/ Participação de representante do CONFAO na Comissão encarregada de elaborar estudos, propondo nova redação ao Decreto nº 5.139, de 12/07/2004, que regulamenta a Lei , de 16/07/20001 (Lei Agnelo Piva).. Foram elaboradas três propostas, e o estudo foi encaminhado ao Conselho Nacional do Esporte.

36 36 > Lei Agnelo/Piva - Lei Federal /06 Organização dos Clubes. Determina que 2% da arrecadação das loterias federais sejam destinados ao COB - Comitê Olímpico Brasileiro (85%) e ao CPB Comitê Paraolímpico Brasileiro (15%).. No ciclo olímpico 2005/2008, o COB recebeu R$ 288 milhões.. Os Comitês têm autonomia para administrar os recursos e repassá-los às Confederações.. Nada chega aos Clubes, que ainda têm que pagar pesadas taxas às Confederações e Federações.

37 37 Organização dos Clubes > Substitutivo ao Projeto de Lei 5.186/ alteração da Lei Pelé (relatado pelo deputado José Rocha) O artigo 56 do Substitutivo altera os percentuais do repasse da Lei Agnelo/Piva, destinando 30% aos Clubes Formadores de Atletas Olímpicos.

38 38 Grandes eventos > O Brasil vive período histórico no esporte. Jogos Pan-americanos Rio V Jogos Mundiais Militares Rio Copa das Confederações de Futebol Copa do Mundo de Futebol Jogos Olímpicos Rio 2016

39 39 Legados > Legados dos grandes eventos esportivos no Brasil. Patrimonial e Econômico: são mais evidentes.. Esportivo, Social e Cultural: são essenciais.

40 40 OBRIGADO! ESTOU À DISPOSIÇÃO.

I Simpósio de Gestão do Esporte em Unidades Esportivas "Desafios para a Formação da Rede Nacional de Treinamento

I Simpósio de Gestão do Esporte em Unidades Esportivas Desafios para a Formação da Rede Nacional de Treinamento I Simpósio de Gestão do Esporte em Unidades Esportivas "Desafios para a Formação da Rede Nacional de Treinamento O papel dos clubes na Rede Nacional de Treinamento, palestrando sobre O modelo clube-empresa

Leia mais

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 06/2013 PUBLICAÇÃO DO RESULTADO FINAL DAS PROPOSTAS HABILITADAS E CLASSIFICADAS Aos doze dias do

Leia mais

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 06/2013 PUBLICAÇÃO DO RESULTADO FINAL DOS RECURSOS INTERPOSTOS E RESULTADO FINAL DAS PROPOSTAS HABILITADAS

Leia mais

Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016: Planejamento, Gestão e Legado. 20 de maio de 2015

Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016: Planejamento, Gestão e Legado. 20 de maio de 2015 Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016: Planejamento, Gestão e Legado 20 de maio de 2015 INTRODUÇÃO 1ª Olimpíada da América do Sul 2 de outubro de 2009 LEGADO OPORTUNIDADES RESULTADOS JOGOS OLÍMPICOS

Leia mais

OLIMPIUNI INFORMAÇÕES GERAIS DO EVENTO.

OLIMPIUNI INFORMAÇÕES GERAIS DO EVENTO. OLIMPIUNI Resgatando uma antiga tradição do Curso de Educação Física do UniBH, o UniBH realiza o OlimpiUNI, com a execução da AECS (Associação Esportiva Cultural e Social). O evento reunirá estudantes

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC

REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC DAS FINALIDADES I- O presente regulamento disciplina todas as atividades desenvolvidas pelo Departamento de Vôlei do clube. DA COMPOSIÇÃO II- O Clube disponibiliza equipes

Leia mais

Ginástica Artística Masculina

Ginástica Artística Masculina GINÁSTICA A Ginástica Brasileira é formada por sete modalidades: Artística Masculina e Feminina, Rítmica, Trampolim, Aeróbica, Acrobática e Para Todos, sendo quatro delas olímpicas: Artística Feminina,

Leia mais

DISPÕE SOBRE AS NORMAS PARA A COMPOSIÇÃO DOS ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA:

DISPÕE SOBRE AS NORMAS PARA A COMPOSIÇÃO DOS ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA: Folha: 1/9 DISPÕE SOBRE AS A COMPOSIÇÃO DOS ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA: 1. Para a composição da Seleção Brasileira, no mês de janeiro de cada ano, os atletas deverão passar por um Processo Seletivo,

Leia mais

67º Jogos do SESI Fase Estadual 2014. Modalidades

67º Jogos do SESI Fase Estadual 2014. Modalidades 67º Jogos do SESI Fase Estadual 2014 Os Jogos do SESI tem por finalidade incentivar a prática organizada dos esportes, promovendo a confraternização entre os trabalhadores dos segmentos industriários,

Leia mais

Seleção Brasileira de Judô Equipe Olímpica Londres 2012

Seleção Brasileira de Judô Equipe Olímpica Londres 2012 Seleção Brasileira de Judô Equipe Olímpica Londres 2012 Sarah Gabrielle Cabral de Menezes Nascimento: 26/3/90, Teresina, PI Altura: 1,54m Peso: 48kg Principais títulos: 3ª colocada no Mundial Sênior de

Leia mais

realizações do exercício.

realizações do exercício. Cumprindo o determinado no artigo 55, inciso XVI do Estatuto do Grêmio Náutico União, apresentamos o Relatório da Administração de 2015, contendo os principais fatos que marcaram os resultados e as realizações

Leia mais

A pesquisa foi feita dentro de um período de 09/05/2016 até 26/05/2016.

A pesquisa foi feita dentro de um período de 09/05/2016 até 26/05/2016. G18 AS MAIORES TORCIDAS DO BRASIL POR BRUNO MARTINELI No futebol números são essenciais, seja o número da camisa dos jogadores, o placar da partida, a colocação na tabela, o número de pontos no campeonato

Leia mais

Art. 1º Estabelecer orientações para a implementação no âmbito do Projeto Bolsa- Formação dos ciclos especiais de capacitação:

Art. 1º Estabelecer orientações para a implementação no âmbito do Projeto Bolsa- Formação dos ciclos especiais de capacitação: PORTARIA MJ Nº 183, DE 9 DE FEVEREIRO DE 2010 Regulamenta os arts. 9º, 10 e 15 do Decreto nº 6.490, de 19 de junho de 2008, alterados pelo Decreto nº 7.081, de 26 de janeiro de 2010, e dá outras providências.

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMBOR

REGULAMENTO DO CAMBOR REGULAMENTO DO CAMBOR CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ORIENTAÇÃO 2016 (Em vermelho as atualizações da AGO de 31/01/16) CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ORIENTAÇÃO Fundada em 11 de janeiro de 1999 Filiada à Federação

Leia mais

Análise da estrutura e organização esportiva da natação no Estado de São Paulo

Análise da estrutura e organização esportiva da natação no Estado de São Paulo Análise da estrutura e organização esportiva da natação no Estado de São Paulo Análise da estrutura e organização esportiva da natação CDD. 20.ed. 796.06 797.2 http://dx.doi.org/10.1590/1807-55092015000400583

Leia mais

10ºCorrida e Caminhada de Alcântara

10ºCorrida e Caminhada de Alcântara 10ºCorrida e Caminhada de Alcântara 12 de Abril de 2015 Realização: Profº ZECO 10ºCorrida e Caminhada de Alcântara 12 de Abril de 2015 1- Identificação A Corrida Rústica será de pedestres do Alcântara,

Leia mais

IV Meeting dos Profissionais do Direito Privado Brasileiro

IV Meeting dos Profissionais do Direito Privado Brasileiro IV Meeting dos Profissionais do Direito Privado Brasileiro EDITAL OLIMPÍADAS DO CONHECIMENTO JURÍDICO A Academia Brasileira de Direito Civil (ABDC), nos termos do presente edital, torna público que estão

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS E FISCALIZ SISTEMA DE ELABOR DE EMENDAS ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS Página: 1 de 28 A EMENDA 1 COMISSÃO Participação da União na implantação do PRODETUR NACIONAL 10X0 Participação

Leia mais

ACADEMIA DE ARTES. Canavieiras ganha mais uma Academiade Artes Marciais

ACADEMIA DE ARTES. Canavieiras ganha mais uma Academiade Artes Marciais Diário Oficial Ano: 3 Edição: 360 Páginas: 6 ACADEMIA DE ARTES Canavieiras ganha mais uma Academiade Artes Marciais O professor de artes marciais FranklinMenezes inauguraem 6 de março próximo, em Canavieiras,

Leia mais

FEDERAÇÃO ALAGOANA DE JUDÔ

FEDERAÇÃO ALAGOANA DE JUDÔ REGULAMENTO Prezados Presidentes e Professores, I COPA CIDADE DE MACEIÓ DE JUDÔ Vimos por meio desta, convidar este conceituado estabelecimento de ensino a participar da I COPA CIDADE DE MACEIÓ DE JUDÔ

Leia mais

Políticas de Alto Rendimento no Esporte Paralímpico

Políticas de Alto Rendimento no Esporte Paralímpico Políticas de Alto Rendimento no Esporte Paralímpico Síntese 1. Cenário: perfil, metas e desafios 2. Criação da estrutura programática 3. Criação da estrutura administrativa 1. Cenário: perfil, metas e

Leia mais

A P O MATRIZ DE RESPONSABILIDADES JOGOS OLÍMPICOS E PARAOLÍMPICOS RIO2016

A P O MATRIZ DE RESPONSABILIDADES JOGOS OLÍMPICOS E PARAOLÍMPICOS RIO2016 Tema: REGIÃO BARRA Valor Total (R$ MM): 5.955,0 JOGOS OLÍMPICOS E PARAOLÍMPICOS RIO2016 BR BR.01 Projetos básicos e executivos das instalações esportivas 5 mar/13 Concluído 31,1 - - - 31,1 BR.02 Construção

Leia mais

MUSEU DE ESPORTES CADASTRO DE DIVULGAÇÃO Tipo: Cartaz - 04_03

MUSEU DE ESPORTES CADASTRO DE DIVULGAÇÃO Tipo: Cartaz - 04_03 PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS SECRETARIA DE ESPORTES E LAZER MUSEU DE ESPORTES CADASTRO DE DIVULGAÇÃO Tipo: Cartaz - 04_03 Número: Título: II Mostra de Futsal Data/Ano: Novembro e Dezembro

Leia mais

Confederação Brasileira de Voleibol

Confederação Brasileira de Voleibol Confederação Brasileira de Voleibol Modelo de Gestão CBV foi a primeira instituição a conseguir: Entidade privada sem fins econômicos, responsável pela gestão do voleibol no Brasil. Administração totalmente

Leia mais

A P O MATRIZ DE RESPONSABILIDADES JOGOS OLÍMPICOS E PARAOLÍMPICOS RIO2016

A P O MATRIZ DE RESPONSABILIDADES JOGOS OLÍMPICOS E PARAOLÍMPICOS RIO2016 Tema: REGIÃO BARRA Valor Total (R$ MM): 5.675,7 BR.01 Projetos básicos e executivos das instalações esportivas JOGOS OLÍMPICOS E PARAOLÍMPICOS RIO2016 5 mar/13 Concluído 31,1 31,1 BR BR.02 Construção do

Leia mais

REFORMA DA LEI ROUANET

REFORMA DA LEI ROUANET REFORMA DA LEI ROUANET O que é a Lei Rouanet? Lei Rouanet Lei de incentivo fiscal Lei do mecenato Lei que institui o PRONAC Hoje, a maior parte dos recursos investidos em cultura no país vem por meio da

Leia mais

Currículo do Curso de Bacharelado em Educação Física 2006.1

Currículo do Curso de Bacharelado em Educação Física 2006.1 Currículo do Curso de Bacharelado em Educação Física 2006.1 Criação: Resolução Nº 003/CEG/2005, de 08 de junho de 2005 Portaria Nº 164/PREG/2005 Objetivo do Curso: O objetivo do Curso de Bacharelado em

Leia mais

COLÉGIO RESSURREIÇÃO ESCOLA DE ESPORTES 2009 NORMAS E PROCEDIMENTOS

COLÉGIO RESSURREIÇÃO ESCOLA DE ESPORTES 2009 NORMAS E PROCEDIMENTOS COLÉGIO RESSURREIÇÃO ESCOLA DE ESPORTES 2009 NORMAS E PROCEDIMENTOS Ficha de Inscrição Eu autorizo meu filho (a) da série a participar das atividades esportivas relacionadas nesta cartilha. Estou ciente

Leia mais

Regulamento Específico. Ginástica Rítmica Módulo I

Regulamento Específico. Ginástica Rítmica Módulo I Regulamento Específico Ginástica Rítmica Módulo I 2015 Art. 1º - A competição de ginástica rítmica dos Jogos Escolares de Minas Gerais JEMG/2015 será regida de acordo com as regras oficiais da Federação

Leia mais

Fundação Municipal de Esportes e Lazer

Fundação Municipal de Esportes e Lazer QUADRA VIVA Fundação Municipal de Esportes e Lazer PREFEITO MUNICIPAL Carlos Amastha PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO Tenente Cleyton Alen EQUIPE TÉCNICA Allan de Brito Dutra Fabion Giorggio Rego de Arruda Lúcio

Leia mais

Instituto de Educação Ivoti GEGA 2015. Interturmas/Interséries 10 de novembro de 2015. Regulamento

Instituto de Educação Ivoti GEGA 2015. Interturmas/Interséries 10 de novembro de 2015. Regulamento Instituto de Educação Ivoti GEGA 2015 Interturmas/Interséries 10 de novembro de 2015 Regulamento 1.Participantes Cada turma será considerada uma equipe. Sendo assim, cada equipe poderá ser representada

Leia mais

REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO DA

REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO DA REGULAMENTO DAS EQUIPES DE ALTO RENDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON JANEIRO 2011 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON CAPÍTULO I INTRODUÇÃO As Equipes de Alto Rendimento da Confederação

Leia mais

Boletim Informativo 01/2016

Boletim Informativo 01/2016 Confederação Brasileira de Remo 04/03/2016 Boletim Informativo 01/2016 Campeonato Brasileiro de Barcos Curtos Seletiva Nacional 2016 O Campeonato Brasileiro de Barcos Curtos será realizado entre os dias

Leia mais

Projeções para público e renda do Campeonato Brasileiro 2014

Projeções para público e renda do Campeonato Brasileiro 2014 PLURI Especial Projeções para público e renda do Campeonato Brasileiro 2014 Economista, Especialista em Gestão e Marketing do Esporte e Pesquisa de Mercado, Diretor da Pluri Consultoria, da BrSM e Sportfood

Leia mais

OIDS: Saiba quais as modalidades que serão disputadas Agência Diref 23 de janeiro de 2015

OIDS: Saiba quais as modalidades que serão disputadas Agência Diref 23 de janeiro de 2015 OIDS: Saiba quais as modalidades que serão disputadas Agência Diref 23 de janeiro de 2015 O Comitê Organizador Nacional (CON) e o Conselho Nacional Permanente dos Jogos (CNPJ), estiveram reunidos no início

Leia mais

1.1 Processo: 58701.004156/2010-22 Proponente: ADVENTURECLUB - Associação dos Esportistas de Corrida de Aventura Projeto: Na Trilha Certa

1.1 Processo: 58701.004156/2010-22 Proponente: ADVENTURECLUB - Associação dos Esportistas de Corrida de Aventura Projeto: Na Trilha Certa MINISTÉRIO DO ESPORTE COMISSÃO TÉCNICA DA LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE INSTITUÍDA PELA PORTARIA Nº 172 DE 28 DE SETEMBRO DE 2009 E PORTARIA Nº 130 DE 05 DE JULHO DE 2010. LEI Nº 11.438/06, REGULAMENTADA

Leia mais

Esportes Estéticos e Rítmicos

Esportes Estéticos e Rítmicos Esportes Estéticos e Rítmicos Aula 2 Saltos ornamentais e nado Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais dois esportes da categoria ESPORTES ESTÉTICOS E RÍTMICOS e suas principais regras. 2 Conhecer

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE TORCIDAS NOVEMBRO/ DEZEMBRO 2003 OPP 231 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA - Levantar junto a população da área em estudo opiniões relacionadas a torcidas

Leia mais

COPA PAULISTA DE FUTSAL SÉRIE A3 MENORES 2016 REGULAMENTO

COPA PAULISTA DE FUTSAL SÉRIE A3 MENORES 2016 REGULAMENTO DISPOSIÇÕES INICIAIS Federação Paulista de Futebol de Salão COPA PAULISTA DE FUTSAL SÉRIE A3 MENORES 2016 REGULAMENTO 1 - A Copa Paulista de Futsal Categorias Menores, tem como objetivo a promoção e divulgação

Leia mais

5.4 PLANO DE EXECUÇÃO CURRICULAR

5.4 PLANO DE EXECUÇÃO CURRICULAR 5.4 PLANO DE EXECUÇÃO CURRICULAR Bacharelado em Educação Física 429F Plano Curricular de Duração Média 4 anos Autorização: Resolução CEPE nº 55/01, de 18 de setembro de 2001. Carga Horária Mínima CFE:

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO DE ADESÃO VOLUNTÁRIA À PARTICIPAÇÃO NO PROJETO DE CONSULTORIA PARA CERTIFICAÇÃO ISSO 9001 NA APAC DE NOVA LIMA

EDITAL DO PROCESSO DE ADESÃO VOLUNTÁRIA À PARTICIPAÇÃO NO PROJETO DE CONSULTORIA PARA CERTIFICAÇÃO ISSO 9001 NA APAC DE NOVA LIMA EDITAL DO PROCESSO DE ADESÃO VOLUNTÁRIA À PARTICIPAÇÃO NO PROJETO DE CONSULTORIA PARA CERTIFICAÇÃO ISSO 9001 NA APAC DE NOVA LIMA De ordem do Professor Paulo Henrique Sousa Leite, Diretor da Faculdade

Leia mais

MODELOS DE FICHAS DIVERSAS

MODELOS DE FICHAS DIVERSAS ANEXO I MODELOS DE FICHAS DIVERSAS E TERMOS DE RESPONSABILIDADE E CESSÃO DE DIREITOS 1 FICHA DE INDICAÇÃO DAS CORES DOS UNIFORMES Modalidade e gênero Especificação Uniforme 1 (cor predominante) Uniforme

Leia mais

MARINHA DO BRASIL CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ALMIRANTE ADALBERTO NUNES (CEFAN) COMISSÃO DE DESPORTOS DA MARINHA (CDM)

MARINHA DO BRASIL CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ALMIRANTE ADALBERTO NUNES (CEFAN) COMISSÃO DE DESPORTOS DA MARINHA (CDM) MARINHA DO BRASIL CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ALMIRANTE ADALBERTO NUNES (CEFAN) COMISSÃO DE DESPORTOS DA MARINHA (CDM) 1 SUMÁRIO Sumário -----------------------------------------------------------------------

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CONSED

RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CONSED GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE ESPORTES E LAZER RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CONSED Estabelece normas que definem critérios de prioridades para concessão da bolsa-atleta nas categorias

Leia mais

Foto: Harald Schistek

Foto: Harald Schistek Foto: Harald Schistek 43 A adolescência é uma fase especial de afirmação da autonomia do indivíduo, vital para o exercício da cidadania e de seus múltiplos direitos. Caracteriza-se por uma etapa do desenvolvimento

Leia mais

PROJETOS INCENTIVADOS Minas Tênis Clube. Projeto Formação e Desenvolvimento de Atletas por meio da Integração das Ciências do Esporte

PROJETOS INCENTIVADOS Minas Tênis Clube. Projeto Formação e Desenvolvimento de Atletas por meio da Integração das Ciências do Esporte PROJETOS INCENTIVADOS Minas Tênis Clube Projeto Formação e Desenvolvimento de Atletas por meio da Integração das Ciências do Esporte Lei de Incentivo ao Esporte PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS TRIBUTADAS PELO

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO - 2014

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO - 2014 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO - 2014 Aprovados pelo IV Forum Atletismo do Brasil em 11.12.2009 Aprovados pela Assembléia Geral da CBAt em 13.12.2009 Revisados

Leia mais

EIXOS TEMÁTICOS EDUCAÇÃO FÍSICA

EIXOS TEMÁTICOS EDUCAÇÃO FÍSICA EIXOS TEMÁTICOS EDUCAÇÃO FÍSICA 1º ANO Jogo Ginástica experimentação em dança Corpo humano e saúde Jogos e brincadeiras da cultura popular Dança, cultura popular e criação possibilidades e limitações do

Leia mais

Rio das Ostras, 07 de outubro de 2014

Rio das Ostras, 07 de outubro de 2014 Rio das Ostras, 07 de outubro de 2014 Prezados professores, Temos o prazer de convidar esta conceituada instituição para participar da 1ª FEST GIRO, a ser realizada nos dias 6 e 7 de dezembro de 2014,

Leia mais

Geografia População (Parte 1)

Geografia População (Parte 1) Geografia População (Parte 1) 1. População Mundial: Define-se população mundial como o número total de humanos vivos no planeta num dado momento. Em 31 de Outubro de 2011 a Organização das Nações Unidas

Leia mais

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Camila Araújo, sócia de Gestão de Riscos Empresariais e responsável do Centro de Governança Corporativa da Deloitte A pauta da ética e da transparência nunca

Leia mais

LIGA TUBARONENSE DE FUTEBOL

LIGA TUBARONENSE DE FUTEBOL LIGA TUBARONENSE DE FUTEBOL (Filiada a Federação Catarinense de Futebol) COPA MASTER DE FUTEBOL - QUARENTÃO REGULAMENTO ESPECÍFICO Disposições preliminares: CAPÍTULO I Art. 1º: A Copa Master da Liga Tubaronense

Leia mais

LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE

LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE EDUCACIONAL Palestra: Douglas Morato Ferrari Aspectos Normativos e a Manifestação Esporte Educacional. Enquadramento Normativo Elementos e Focos de Análise Técnica Disfunções

Leia mais

Respeitados os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade previstas na Constituição.

Respeitados os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade previstas na Constituição. 1) Acrescenta-se art. 5ºA: Art. 5º A O investimento público total em educação oferecida nas instituições públicas estatais deve atingir, no primeiro ano de vigência do Plano, no mínimo 5% do PIB de Natal.

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO RUA HAROLDO HAMILTOM CENTRO TOLEDO PARANÁ CEP 85900-000 FONE (45)3378-5343 PLANO DE TRABALHO DOCENTE

COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO RUA HAROLDO HAMILTOM CENTRO TOLEDO PARANÁ CEP 85900-000 FONE (45)3378-5343 PLANO DE TRABALHO DOCENTE COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO RUA HAROLDO HAMILTOM CENTRO TOLEDO PARANÁ CEP 85900-000 FONE (45)3378-5343 PLANO DE TRABALHO DOCENTE ENSINO FUNDAMENTAL(8 e 9 ano) EDUCACAO FÍSICA TOLEDO- PR FEV/2014 COLÉGIO

Leia mais

Horário de Aula 2016/1 - Educação Física - LICENCIATURA

Horário de Aula 2016/1 - Educação Física - LICENCIATURA TURMA L1 (1º Período) Horário de Aula 2016/1 - Educação Física - LICENCIATURA 07:00 Antropologia e Ed. Fís. Formação e Atuação em Ed. História e Ed. Física Ginástica ESP055 ESP054-11:40 Física EEF021 EFI041

Leia mais

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ORIGEM DOS CLUBES DE FUTEBOL Grupos de amigos de bairro ou colônias de imigrantes PROFISSIONALISMO Nos anos 30, o embrião do Profissionalismo no Brasil, mas apenas entre os atletas: dirigentes continuam,

Leia mais

A Legislação, Documentos e trajetória da Educação do Campo

A Legislação, Documentos e trajetória da Educação do Campo A Legislação, Documentos e trajetória da Educação do Campo I. Trajetória da Educação do Campo no Brasil O Relatório Final da I Conferência Nacional por uma Educação Básica nas Escolas do Campo, realizado

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude ATA DE SEÇÃO PÚBLICA PROGRAMA JOGANDO JUNTO

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude ATA DE SEÇÃO PÚBLICA PROGRAMA JOGANDO JUNTO ATA DE SEÇÃO PÚBLICA PROGRAMA JOGANDO JUNTO Às 15 horas do dia 01 do mês Setembro do ano de 2015, tendo por local Rua México, 125 2º andar foi realizada a seleção pública convocada pelo Chamamento Público

Leia mais

Linha do Tempo. Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica

Linha do Tempo. Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica Linha do Tempo Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica 1909 O presidente Nilo Peçanha assina o Decreto Nº 7.566/1909, criando inicialmente 19 Escolas de Aprendizes Artífices subordinadas ao

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão da Responsabilidade Social

Certificação de Sistemas de Gestão da Responsabilidade Social Certificação de Sistemas de Gestão da Responsabilidade Social Ana Júlia Ramos Pesquisadora do Inmetro 20% Visão do Mundo da população detêm 86% do PIB mundial; desde 1998, 86% do acréscimo de renda vem

Leia mais

Ronaldo, sinônimo de vitória

Ronaldo, sinônimo de vitória UFCG/CEEI/DSC Ciclo de Seminários Não Técnicos Ronaldo, sinônimo de vitória Apresentador Arthur Silva Freire outubro, 2010 Agenda Nasce um Fenômeno Primeiros Passos Cruzeiro 1993 a 1994 Copa de 1994 PSV

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERNOS DA UFRR 25 ANOS

REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERNOS DA UFRR 25 ANOS REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERNOS DA UFRR 25 ANOS 1 Sumário TÍTULO I...3 CAPÍTULO I DA FINALIDADE DO EVENTO...3 TÍTULO II...3 CAPÍTULO I DA REALIZAÇÃO...3 CAPÍTULO II DAS RESPONSABILIDADES...3 TÍTULO

Leia mais

Unidade: Competições Quadra Aryzão - Saquarema/RJ Período 12 a 15/11/2010

Unidade: Competições Quadra Aryzão - Saquarema/RJ Período 12 a 15/11/2010 Nota Oficial nº 209/10 de 05 de Novembro 2010. 2 1. VÔLEI MASTER 2010 Local Aryzão - Saquarema/RJ Período 12 a 15/11/2010 Congresso Técnico 11/11/2010-19:00h 2. EQUIPES PARTICIPANTES - FEMININO CATEGORIA:

Leia mais

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO Ministério do Meio Ambiente O Projeto de Elaboração do Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável Socioambientais Prioritários/Vale do

Leia mais

Desfile Cívico Temático e competições. estudantis nos festejos do Dia da Cidade

Desfile Cívico Temático e competições. estudantis nos festejos do Dia da Cidade Páginas: 6 DESFILE CÍVICO TEMÁTICO E COMPETIÇÕES ESTUDANTIS NOS FESTEJOS DO DIA DA CIDADE Desfile Cívico Temático e competições estudantis nos festejos do Dia da Cidade Em homenagem aos 125 anos de emancipação

Leia mais

PARACANOAGEM CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2016 E SELEÇÃO DE ATLETAS PARA O CENTRO DE TREINAMENTO

PARACANOAGEM CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2016 E SELEÇÃO DE ATLETAS PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Versão 1-10/12/2015 CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2016 E Sumário 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. ELEGIBILIDADE...3 4. CALENDÁRIO DE EVENTOS INTERNACIONAIS,PRIORIDADES DE

Leia mais

FEDERAÇÃO CEARENSE DE FUTEBOL REC. Regulamento Específico - 2ª Divisão CAMPEONATO CEARENSE DA SEGUNDA DIVISÃO 2012

FEDERAÇÃO CEARENSE DE FUTEBOL REC. Regulamento Específico - 2ª Divisão CAMPEONATO CEARENSE DA SEGUNDA DIVISÃO 2012 CAMPEONATO CEARENSE DA SEGUNDA DIVISÃO 2012 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º - O Campeonato Cearense da Segunda Divisão de 2012, doravante denominado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE GRADUAÇÃO Nº XX DE XXXXXX DE XXXX Dispõe sobre normas gerais para as atividades complementares dos cursos de formação interdisciplinar da Universidade Federal do ABC A (CG) da

Leia mais

GINÁSTICA NA ESCOLA CONTEÚDO DAS AULAS EXTRA-CURRICULAR CURRICULAR. Gláucia Bocalon Pilla

GINÁSTICA NA ESCOLA CONTEÚDO DAS AULAS EXTRA-CURRICULAR CURRICULAR. Gláucia Bocalon Pilla GINÁSTICA NA ESCOLA CONTEÚDO DAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA EXTRA-CURRICULAR CURRICULAR Gláucia Bocalon Pilla CONTEÚDO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA A FORMA MAIS COMUM DE SER ENCONTRADA NAS ESCOLAS PARTICULARES,

Leia mais

Nº / ANO DA PROPOSTA: 093945/2010 DADOS DO CONCEDENTE OBJETO:

Nº / ANO DA PROPOSTA: 093945/2010 DADOS DO CONCEDENTE OBJETO: MINISTERIO DA JUSTICA PORTAL DOS CONVÊNIOS SICONV - SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIOS Nº / ANO DA PROPOSTA: 093945/2010 OBJETO: DADOS DO CONCEDENTE Capacitação de profissionais de Segurança Pública e Gestores

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. Único Só poderão participar os funcionários efetivamente locados nesse empreendimento.

REGULAMENTO GERAL. Único Só poderão participar os funcionários efetivamente locados nesse empreendimento. REGULAMENTO GERAL I OBJETIVOS Artigo 1 - Reunir e integrar socialmente, através do desporto, empresas e funcionários, estimulando a prática esportiva de atividade física e intelectual nas empresas, promovendo

Leia mais

COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa FIFA 2014 Brasil

COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa FIFA 2014 Brasil COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa FIFA 2014 Brasil BRASIL - UM PAÍS DIFERENCIADO Megadiversidade ambiental e social Reconhecido como país estratégico no cenário global Sequência de mega eventos com visibilidade

Leia mais

Norma para a criação da Comissão de Apoio Técnico à Tecnologia da Informação CATI

Norma para a criação da Comissão de Apoio Técnico à Tecnologia da Informação CATI Norma para a criação da Comissão de Apoio Técnico à Tecnologia da Informação CATI Justificativa A Norma Derivada nº 005/95, de 14 de dezembro de 1995 instituiu o Conselho de Usuários de Informática CI

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO ATLETISMO Art. 1º - As competições de Atletismo serão regidas pelas Regras de Competições da Federação Internacional de Atletismo Amador, pelas normas da CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo), por

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015

ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015 ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015 NOME DO PROJETO: ORGANIZAÇÃO PROPONENTE: DATA : / / ÍNDICE DO PROJETO ASSUNTO PÁG. I - CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO - TÍTULO

Leia mais

O maior desafio do administrador público não éde ordem econômica ou social, mas gerencial. Quanto mais escassos forem os recursos e maiores as demanda

O maior desafio do administrador público não éde ordem econômica ou social, mas gerencial. Quanto mais escassos forem os recursos e maiores as demanda Procuradoria-Geral de Justiça l O maior desafio do administrador público não éde ordem econômica ou social, mas gerencial. Quanto mais escassos forem os recursos e maiores as demandas sociais, maior capacidade

Leia mais

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou à Unidade 3 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 5 o ano Avaliação 3 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

Política de Comunicação Corporativa

Política de Comunicação Corporativa Assistência de Comunicação Institucional Julho de 2012 Introdução Nesta Política de Comunicação estão apresentados os fundamentos da estratégia de comunicação da Celesc Holding e das suas subsidiárias

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS DEMONSTRATIVO DAS METAS ANUAIS (Artigo 4º da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS DEMONSTRATIVO DAS METAS ANUAIS (Artigo 4º da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS DEMONSTRATIVO DAS METAS ANUAIS (Artigo 4º da Lei Complementar nº 101/2000) Encontram-se neste anexo o conjunto de metas fiscais que deverão nortear

Leia mais

DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO - PDBM

DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO - PDBM NOTA OFICIAL Nº 049.2015 DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO - PDBM 1. Convocar a Seleção Mineira - categoria Sub 15, naipe masculino, visando a participação no Campeonato Brasileiro de

Leia mais

Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares

Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares Metodologia Público-alvo Pesquisa doméstica Turistas domésticos em viagem ao Rio de Janeiro, durante os Jogos

Leia mais

05 aulas semanais Natação - R$147,00 R$188,00 R$252,00. 01 aula semanal

05 aulas semanais Natação - R$147,00 R$188,00 R$252,00. 01 aula semanal N 01/2016 PROCEDIMENTOS PARA ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS NAS MODALIDADES DA ESCOLA DE ESPORTES E CULTURA DO COLÉGIO DOS JESUÍTAS EM 2016 O Colégio dos Jesuítas comunica abaixo as normas para o Processo de

Leia mais

Audiência Pública Capoeira no Brasil. Câmara dos Deputados no dia 25 de agosto de 2015

Audiência Pública Capoeira no Brasil. Câmara dos Deputados no dia 25 de agosto de 2015 Audiência Pública Capoeira no Brasil Câmara dos Deputados no dia 25 de agosto de 2015 Bem Cultural Nacional Marco: 20 de novembro de 2008 o IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T SETEC EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA XXXV ENDP Porto Alegre, 02 de setembro de 2015. Histórico Organização da Educação Brasileira EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Formação Inicial e Continuada

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1. IDENTIFICAÇÃO DO DOCENTE DOCENTE: NICOLLE MARRA IVANOSKI SIAPE: 2213521 REGIME DE TRABALHO: ( X ) Dedicação Exclusiva ( X ) 40 h ( ) 20 h CONTRATO: ( X ) EFETIVO ( ) TEMPORÁRIO

Leia mais

GRUPO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIENCIAS CAMPUS DE MARILIA

GRUPO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIENCIAS CAMPUS DE MARILIA GRUPO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIENCIAS CAMPUS DE MARILIA 1. INTRODUÇÃO RELATORIO FINAL DE ATIVIDADES DO EXERCÍCIO DE 2014 De acordo com o Programa

Leia mais

FEDERAÇÃO DE GINÁSTICA DE SANTA CATARINA

FEDERAÇÃO DE GINÁSTICA DE SANTA CATARINA 1 GENERALIDADES TORNEIO ESTADUAL DE GINÁSTICA RÍTMICA REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1.1 É aberta a participação no Torneio Estadual de Ginástica Rítmica a qualquer entidade filiada ou não à FGSC. 1.2 As inscrições

Leia mais

O direito humano à água

O direito humano à água Seminário: Democratização da política de serviços de saneamento básico por meio de inovações sociotécnicas. Lições para enfrentar os desafios O direito humano à água Francisco Lopes Secretário Executivo

Leia mais

REGULAMENTO 2ª COPA SANTA MÔNICA DE FUTSAL INFANTIL

REGULAMENTO 2ª COPA SANTA MÔNICA DE FUTSAL INFANTIL REGULAMENTO 2ª COPA SANTA MÔNICA DE FUTSAL INFANTIL 1 - DOS OBEJTIVOS: A 2ª Copa Santa Mônica de Futsal Infantil, tem como objetivo a integração dos atletas de futsal do clube, associados, e demais interessados

Leia mais

FORMAÇÃO SUPERIOR EM EDUCAÇÃO FÍSICA. Prof.ª Dr.ª Iguatemy Lucena Mar@ns - CREF 0001- G/ PB

FORMAÇÃO SUPERIOR EM EDUCAÇÃO FÍSICA. Prof.ª Dr.ª Iguatemy Lucena Mar@ns - CREF 0001- G/ PB FORMAÇÃO SUPERIOR EM EDUCAÇÃO FÍSICA Prof.ª Dr.ª Iguatemy Lucena Mar@ns - CREF 0001- G/ PB Educação Superior e Preparação Profissional Formar cidadãos para exercer atividades que requerem preparo técnico,

Leia mais

PROJETO INCENTIVADO - ICMS CENTRO DE TREINAMENTO DE REMO ADAPTÁVEL. Este é um Projeto Aprovado pela Lei Estadual de Incentivo ao Esporte KMC

PROJETO INCENTIVADO - ICMS CENTRO DE TREINAMENTO DE REMO ADAPTÁVEL. Este é um Projeto Aprovado pela Lei Estadual de Incentivo ao Esporte KMC PROJETO INCENTIVADO - ICMS CENTRO DE TREINAMENTO Este é um Projeto Aprovado pela Lei Estadual de Incentivo ao Esporte Realização Apoio Sobre a Lei Foi sancionada em dezembro de 2009 a Lei Estadual nº 1.137/2009,

Leia mais

ENSINO SUPERIOR E REFORMULAÇÃO CURRICULAR

ENSINO SUPERIOR E REFORMULAÇÃO CURRICULAR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DIRETORIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Seminário: Controle Externo em Ação: Presente e Futuro da Fiscalização de TI

Seminário: Controle Externo em Ação: Presente e Futuro da Fiscalização de TI Seminário: Controle Externo em Ação: Presente e Futuro da Fiscalização de TI Cristiano Rocha Heckert Brasília, 02 de junho de 2015 Histórico Governo Eletrônico Decreto de 18 de Outubro de 2000 Decreto

Leia mais

SELETIVA OLIMPÍADA RIO 2016

SELETIVA OLIMPÍADA RIO 2016 SELETIVA OLIMPÍADA RIO 2016 Versão 2.0 (10/11/2015) DA COMPOSIÇÃO DA EQUIPE OLÍMPICA ARTIGO 1 O presente documento tem por finalidade estabelecer as regras do Sistema de Seletiva para vaga na Seleção Brasileira

Leia mais

Disciplina: Manejo de Fauna Professor ANTÔNIO L. RUAS NETO

Disciplina: Manejo de Fauna Professor ANTÔNIO L. RUAS NETO Disciplina: Manejo de Fauna Professor ANTÔNIO L. RUAS NETO Tema: Espécies oficialmente ameaçadas no Rio Grande do Sul e no Brasil. Dinâmica: Questões dirigidas aos grupos 1. Biomas O Brasil tem uma área

Leia mais

fundadoras e filiadas ativas nesta temporada

fundadoras e filiadas ativas nesta temporada Poderão participar do Desafio NDU de Basquete, as Atléticas fundadoras e filiadas ativas nesta temporada. Não haverá custo de inscrição ou arbitragem para a Atlética. Novas Atléticas que estiverem interessadas

Leia mais

TABELA BÁSICA DO CAMPEONATO BRASILEIRO/SÉRIE A - 2009

TABELA BÁSICA DO CAMPEONATO BRASILEIRO/SÉRIE A - 2009 TABELA BÁSICA DO CAMPEONATO BRASILEIRO/SÉRIE A - 2009 TABELA DO TURNO Rodada 01 10/05-Dom Rodada 02 17/05-Dom Corinthians x Internacional São Paulo x Atlético/PR Palmeiras x Santos x Goiás Santo André

Leia mais

COPA SESI DE FUTSAL MASCULINO E FEMININO BOLETIM Nº 01 SÃO LUÍS MA

COPA SESI DE FUTSAL MASCULINO E FEMININO BOLETIM Nº 01 SÃO LUÍS MA COPA SESI DE FUTSAL MASCULINO E FEMININO BOLETIM Nº 01 SÃO LUÍS MA 2015 Sr. Edilson Baldez das Neves Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão - FIEMA Roseli de Oliveira Ramos Superintendente

Leia mais