Estrutura e calendarização dos Workshops Formador Inovador

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estrutura e calendarização dos Workshops Formador Inovador"

Transcrição

1 Estrutura e calendarização dos Workshops 1

2 Parceiros do CESSIT: SPI Ana Solange Leal URL: RPIC-ViP, s.r.o. Eva Homolová URL: E.N.T.E.R. Petra Kampf URL: DIT Thomas Cooney URL: AHE Justyna Rodej URL: LAEA Ingrida Mikisko URL: ASSOCIATED PARTNER: APTES Claudia Gonzalez URL: 2

3 ÍNDICE 1 Introdução Descrição do workshop Objectivo do workshop (geral) Metodologia do Workshop Públicos-alvo Participação Dimensão do grupo Formadores Datas e locais Material e recursos formativos Avaliação/Certificação Benefícios para os participantes Resultados Programa dos workshops O Papel da Criatividade O Espírito Empreendedor Acções para o futuro Síntese

4 1 Introdução Porque a inovação, a criatividade e o empreendedorismo são cada vez mais importantes no mercado laboral actual, especialmente numa sociedade em constante movimento que exige trabalhadores mais flexíveis, o projecto CESSIT tem como objectivo providenciar os formadores de adultos com as ferramentas necessárias para desenvolverem estas características na população que abandonou precocemente a escola. Com início em Outubro de 2009, o projecto CESSIT tem uma duração de 2 anos, sendo financiado pelo Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida no âmbito do Grundtvig, e conta com actividades planeadas para 6 países europeus: Áustria, Irlanda, Letónia, Polónia, Portugal e República Checa. Todas as actividades serão também realizadas na Suíça por um parceiro associado. O projecto visa contactar directamente com o público-alvo, designadamente educadores de adultos, em geral, e aqueles lidam com pessoas que abandonaram precocemente a escola (ESL), em particular. A parceria entende por ESL as pessoas que abandonaram a escola antes da idade limite da escolaridade obrigatória do seu país ou antes de possuírem a documentação legal exigível. Assim, para atingir o fim a que se propõe, o consórcio definiu os seguintes objectivos específicos: Avaliar as necessidades dos educadores de adultos que trabalham com ESL; Identificar técnicas e métodos de formação utilizados por formadores e que tenham sido bem sucedidos no desenvolvimento de novas competências (nomeadamente, criatividade e espírito empreendedor) nos seus alunos; Providenciar uma ferramenta para educadores de adultos e gestores de formação que lhes permita desenvolver competências transversais como a criatividade e o espírito empreendedor, assim como sensibilizá-los para a sua importância; Promover workshops práticos a nível nacional para que os educadores de adultos possam partilhar experiências e discutir o impacto da criatividade e do empreendedorismo na formação e desenvolvimento de competências; Disseminar os resultados do projecto a nível europeu entre os públicos-alvo; 4

5 Promover a sustentabilidade dos produtos desenvolvidos durante o projecto. A Academia de Humanidades e Economia de Lodz (AHE), na Polónia, tem um vasto conhecimento e experiência na preparação de workshops. Em cooperação com o Centro de Criatividade e Empreendedorismo desenvolve actividades de formação desde As principais actividades previstas na Fase 3 do projecto sob a responsabilidade da AHE são as seguintes: Manual de Apoio para Formadores e Gestores de Formação a ser usado como ferramenta de trabalho, tanto por formadores como por gestores de formação, para apoio no desenvolvimento de competências transversais, como a criatividade e o espírito empreendedor, nos cursos de formação destinados a ESL; Workshops nacionais para formadores cada país parceiro irá promover 3 workshops gratuitos, onde se irão debater os aspectos relacionados com a criatividade e o empreendedorismo e o seu impacto na formação e desenvolvimento de competências. O projecto CESSIT tem como objectivo geral apoiar os educadores de adultos a melhorarem a sua abordagem pedagógica e aumentar a eficácia e atractividade da formação de adultos. Acreditamos que os workshops nacionais bem como o manual constituirão uma fonte essencial de apoio para educadores e gestores de formação que trabalham com ESL. 5

6 2 Descrição do workshop 2.1 Objectivo do workshop (geral) O workshop é um dos métodos mais eficazes para adquirir know-how, para desenvolver competências práticas, principalmente pela troca de experiências e discutir o impacto da criatividade e os aspectos do empreendedorismo na formação e desenvolvimento de competências. É possível adquirir conhecimento através da participação em seminários e palestras, no entanto, realmente acreditamos que os métodos activos, como workshops, permitem ter uma experiência individual própria, e transformar o conhecimento científico em actividade e prática diária. Esta forma de ensino é especialmente importante pois uma das razões pelas quais os beneficiários finais do projecto, ESL, deixaram o sistema educacional foi "demasiada teoria e assuntos que não eram úteis", de acordo com os resultados do levantamento de necessidades realizado no início do projecto CESSIT. Os workshops contribuem para o desenvolvimento do espírito de abertura, da capacidade de comunicação e de escuta activa, sendo que estas competências foram das consideradas mais relevantes pelos ESL. O seu carácter activo melhora não só o conhecimento sobre a criatividade, o empreendedorismo e didáctica, mas também as habilidades sociais necessárias para o trabalho com as pessoas, como a autoridade baseada no respeito e não no medo, e a construção da motivação através do impulsionar das capacidades dos formandos para alcançar todo o seu potencial, assim como pelo assumir da responsabilidade das próprias decisões e comportamentos. De acordo com os resultados presentes no Relatório de Diagnóstico de Necessidades, estas são as competências mais essenciais aos educadores. Participar neste tipo de workshops significa desenvolver métodos de trabalho de uma forma prática, mas também constitui uma oportunidade para desenvolvimento pessoal, que é a base para o trabalho com as pessoas, onde uma das formas de ensinar é pela modelagem. Formadores eficazes são aqueles que podem usar o conhecimento e demonstrar as competências aos seus formandos, e não apenas falar sobre os mesmos. De salientar ainda a oportunidade de possibilitar aos participantes dos workshops do CESSIT um espaço para encontrar uma motivação e inspiração renovada para a sua actividade profissional, através da partilha de experiências e de uma atitude criativa. 6

7 2.2 Metodologia do Workshop A metodologia apresentada a seguir é proposta para ser adoptada durante o desenvolvimento dos workshops, no entanto, cada parceiro é livre de decidir qual metodologia que irá seguir. Os métodos propostos são criados pelo Prof. M. K. Stasiak (AHE, Lodz). A base destes workshops são especialmente actividades construtivas, denominadas de actividades "tente outra vez", que ajudam a desenvolver a atitude criativa e a capacidade de atravessar os próprios limites a fim de encontrar novas soluções. Workshop estrutura de acordo com o Prof. M.K. Stasiak 1. Construção do grupo 2. Identificação da principal dificuldade 3. Confrontação 4. Aprendizagem mútua 5. Integrar as novas competências nos hábitos diários projectar. A estrutura dos workshop foi delineada sobre a teoria da criatividade intencional e processos de grupo. Inclui a realização dos objectivos dos workshops de uma forma em que os participantes têm a oportunidade de resolver dificuldades reais e problemas sobre o tema e terminá-lo com soluções práticas, inspirações e pensamentos, provenientes da partilha de conhecimento e trabalho individual. Baseia-se, de igual modo, em teorias de processo de grupo, havendo espaço para o uso das emoções que surgem durante o workshop, sendo que o terreno emocional do processo de aprendizagem torna-o mais eficiente. Os parceiros do projecto CESSIT planearam os três workshops como parte de um processo, e por isso não só cada workshop é baseado na estrutura dada abaixo, mas os três fazem parte de um ciclo, que tem a mesma estrutura para alcançar os objectivos do projecto. O método "tenta outra vez" destaca-se como uma valiosa ferramenta para aumentar, não apenas o número de soluções encontradas, mas também a consciência dos outros e a capacidade de usar as diferenças para o desenvolvimento pessoal. Baseia-se na teoria da criatividade intencional, onde o principal enfoque é colocado no desenvolvimento da 7

8 autonomia do formando e na sua capacidade de, intencionalmente, procurar diversas soluções, bem como para encontrar inspiração nas outras pessoas, que por vezes apresentam perspectivas surpreendentes. Este método focaliza-se no suscitar da curiosidade nos outros, encontrando nas diferenças uma oportunidade de desenvolvimento pessoal. O método tenta outra vez permite confrontar soluções, atitudes, pensamentos e valores dos participantes, usando essa confrontação para criar acções inovadoras que poderão ser implementadas mais tarde na vida quotidiana. O acto inovador nesta teoria significa não somente uma solução completamente nova, mas também aquela que traz algo de bom para quem a identifica e para o seu próprio contexto envolvente. Actividade estrutura de acordo com o Prof. M.K. Stasiak 1. Instrução 2. Execução da tarefa 3. Confrontação 4. Instrução Tenta outra vez 5. Execução da tarefa 6. Confrontação e reflexão Este tipo de actividade permite aos participantes confrontar suas próprias ideias com as dos outros, discuti-las, e desenvolver soluções inteiramente novas. Permite também avaliar a autonomia das pessoas, a aptidão para resistir a mudar sua/seu ponto de vista, bem como entender as ideias dos outros como fonte de inspiração para mudanças na própria forma de estar/ser. Pleno respeito pelos participantes e pelos seus pontos de vista, atitudes e soluções ajuda a desenvolver a capacidade de aceitar futuros educandos e a maneira de perspectivar a sua vida e, simultaneamente, o workshop permitirá estimular a capacidade de confrontá-los com os resultados do seu pensamento e motivá-los para a mudança - abordagem subjectiva. 2.3 Públicos-alvo Os principais públicos-alvo dos workshops do CESSIT são: Professores e formadores de ESL e outros agentes que lidam com ESL; Gestores de formação. 8

9 Os participantes dos workshop serão recrutados entre estes grupos de pessoas, já que constituem os principais beneficiários directos do projecto. Os ESL constituem os beneficiários de longo termo das actividades do projecto. 2.4 Participação A participação nos workshop é gratuita. Não é necessária qualquer preparação prévia. Se possível, o mesmo grupo de participantes deverá frequentar os 3 workshops previstos, embora não seja obrigatório. Todos os workshop serão implementados a nível nacional e cada parceiro é responsável por recrutar os participantes do seu próprio país. 2.5 Dimensão do grupo Cada workshop deverá ter um grupo formativo constituído por um mínimo de 8-10 participantes. 2.6 Formadores O número de formadores para cada workshop deverá ser decidido por cada parceiro, de acordo com as competências internas e disponibilidade de elementos do staff. É recomendável que os formadores trabalhem em duplas, contudo, a decisão final será tomada por cada parceiro. Se os formadores foram distintos nos vários workshops, recomenda-se a realização de uma reunião entre os vários formadores no sentido de se partilhar os resultados e assuntos abordados nos workshops precedentes. 2.7 Datas e locais Cada workshop deverá ter a duração de 2 dias, se possível consecutivos, cada dia com cerca de 6-8 horas, incluindo hora de almoço e pausas para café. Contudo, esta estrutura poderá ser ajustada às realidades locais e necessidades dos participantes. O primeiro workshop, O Papel da Criatividade, irá ocorrer entre Outubro e Novembro de 2010; O segundo workshop, O Espírito Empreendedor, irá ocorrer no início de Janeiro de 2011; O terceiro workshop, Acções para o Futuro, será promovido em 2 sessões separadas. Cada sessão deverá ocorrer após a realização de cada um dos workshops antecedentes. Assim, a primeira sessão deverá ocorrer entre Novembro e Dezembro de 2010 e a segunda sessão entre Janeiro e Fevereiro de

10 Os vários workshop deverão obedecer à seguinte ordem: W1 - O Papel da Criatividade (2 dias) em Outubro/Novembro de 2010; W3 - Acções para o Futuro (Parte I - 1 dia) em Novembro/Dezembro de 2010 (antes do W2); W2 - O Espírito Empreendedor (2 dias) em Janeiro de 2011; W3 - Acções para o Futuro (Parte II - 1 dia) em Janeiro/Fevereiro de 2011 (após o W2). As datas concretas e locais de realização dos workshops deverá ser definida por cada parceiro, de acordo com a sua preferência. 2.8 Material e recursos formativos O material e recursos formativos necessários à implementação dos workshops serão organizados por cada um dos parceiros, de acordo com as necessidades de cada formador. 2.9 Avaliação/Certificação Todos os workshops serão avaliados. Os participantes irão receber um certificado por cada workshop em que participem: 1 certificado para o workshop O Papel da Criatividade ; 1 certificado para o workshop O Espírito Empreendedor ; 1 certificado para o workshop Acções para o Futuro (Parte I) ; 1 certificado para o workshop Acções para o Futuro (Parte II) Benefícios para os participantes Os participantes irão descobrir novas soluções para trabalhar com ESL através do recurso a métodos criativos e empreendedores. Irão aprender como aplicar o conhecimento sobre como desenvolver competências criativas e espírito empreendedor, no sentido de motivarem os seus formandos a apostar no seu desenvolvimento. Os workshops serão ainda uma oportunidade para os participantes reforçarem as suas competências sociais e de iniciativa, assim como para compreender a relevância das mesmas para se tornarem educadores mais activos e disponíveis. O percurso formativo em criatividade, empreendedorismo e acções para o futuro constitui um meio para uma maior consciência 10

11 sobre as próprias competências e comportamentos. Adicionalmente, as ferramentas de apoio ao pensamento criativo exploradas nos workshop podem contribuir a planear alterações importantes nas actividades do quotidiano Resultados No final dos workshops os participantes terão: desenvolvido competências nas áreas da criatividade e empreendedorismo; reunido várias ideias sobre soluções inovadoras a aplicar no trabalho com ESL. 11

12 3 Programa dos workshops No sentido de atingir os objectivos do projecto CESSIT, a parceria desenvolveu 3 workshops: 1. O Papel da Criatividade 2 dias consecutivos; 2. O Espírito Empreendedor 2 dias consecutivos; 3. Acções para o Futuro (Parte I) 2 dias separados. 3.1 O Papel da Criatividade O workshop de criatividade tem como objectivo melhorar as competências de criatividade e explorar abordagens criativas através da introdução de diferentes métodos criativos e o seu uso na formação. Assim, o workshop focaliza-se na atitude criativa no trabalho e na vida dos participantes e na exploração de soluções criativas para os problemas. Quando: Outubro/Novembro de 2010 Objectivos: Desenvolver abordagens criativas; Promover competências de criatividade; Explorar métodos criativos como brainstorming, mind-mapping, try again e o seu uso na formação; Potenciar uma atitude criativa no trabalho e na vida; Explorar soluções criativas para os problemas. Duração: 7/8 horas por dia 12

13 Conteúdos/Programa: Dia 1 HORÁRIO CONTEÚDO Apresentação dos participantes. Apresentação do projecto CESSIT e dos objectivos do Workshop. Sessão da Manhã 3.5/4 horas Construção do grupo (actividades que permitem aos participantes e formadores a conhecerem-se mutuamente, nomes, profissão, experiências, passatempos, etc., num processo de grupo criativo e estimulante; actividades que permitem conversas pessoais, em pares e pequenos grupos, outras actividades de grupo para promover o trabalho de grupo). Sessão da Tarde 3.5/4 horas Identificação das necessidades e estabelecimento do contrato (Nesta parte os participantes estabelecem um conjunto de regras como: não criticar, falar na sua vez, expressão livre de emoções e opiniões. Os formadores deverão identificar as necessidades e expectativas dos participantes face ao workshop, no sentido de poder satisfazer as mesmas. Apresentação do projecto e dos resultados do levantamento de necessidades). Introdução à criatividade (Conjunto de actividades de introdução à criatividade e ao seu papel na vida diária das pessoas. Estas actividades deverão introduzir também os métodos de brainstorming e mind-mapping que serão reforçadas mais à frente no workshop). Brainstorming: recomendações para potenciar a criatividade na formação. Conteúdos/Programa: Dia 2 HORÁRIO Sessão da Manhã 3.5/4 horas Sessão da Tarde 3.5/4 horas CONTEÚDO Desenvolvimento do pensamento criativo (Conjunto de actividades que apoiam o desenvolvimento de competências criativas ilustradas na teoria: pensamento indutivo, pensamento dedutivo, metáforas, associações, abstracções e transformação). Criatividade no dia-a-dia. (Conjunto de actividades que permitem aos participantes definir esquemas, rotinas e estereótipos que ocorrem no seu dia-a-dia e motivá-los para a mudança. Actividades realizadas nesta parte irão permitir o crescimento e desenvolvimento pessoal.) Criatividade no trabalho. (Conjunto de actividades para explorar os estereótipos associados à profissão de educador no que respeita aos seus formandos, esquemas de trabalho, métodos adoptados (o que é eficaz e o que não é). Estas actividades irão permitir a partilha de experiências de situações problemáticas com que os educadores se deparam diariamente; identificar os obstáculos e as oportunidades de desenvolvimento no seu contexto profissional.) Brainstorming: recomendações para promover as competências criativas junto dos ESL. Avaliação e encerramento do workshop. 13

14 3.2 O Espírito Empreendedor Este workshop irá combinar dois aspectos. O primeiro dia focar-se-á no desenvolvimento das competências empreendedoras dos formadores de adultos e o segundo dia no desenvolvimento de atitudes empreendedoras. Serão abordados e explorados diversos exercícios e técnicas que deverão ser usados por formadores de adultos para promover o espírito empreendedor. Quando: Janeiro de 2011 Objectivos: Desenvolver abordagens empreendedoras; Promover o espírito e as competências empreendedoras; Explorar métodos como o brainstorming e o seu uso na formação para promover o empreendedorismo; Potenciar uma atitude empreendedora no trabalho e na vida; Explorar o conteúdo de um plano de negócios Duração: 6/7 horas por dia Conteúdos/Programa: Dia 1 HORÁRIO CONTEÚDO Apresentação dos participantes. Apresentação do projecto CESSIT. Sessão da Manhã 3/3.5 horas Sessão da Tarde 3/3.5 horas O que é o empreendedorismo. Histórias de empreendedorismo. Obstáculos ao empreendedorismo e como os ultrapassar Plano pessoal de desenvolvimento empreendedor. 14

15 Conteúdos/Programa: Dia 2 HORÁRIO CONTEÚDO Sessão da Manhã 3/3.5 horas Geração de ideias. Comunicação. O plano de negócios Sessão da Tarde 3/3.5 horas Síntese do workshop Avaliação e encerramento do workshop. 3.3 Acções para o futuro O principal objectivo do workshop Acções para o Futuro é o de discutir os resultados dos workshops anteriores e as medidas que devem ser tomadas para promover as competências de criatividade e empreendedorismo junto da população que abandonou precocemente a escola. Assim, o workshop será dividido em duas partes uma parte relacionada com O Papel da Criatividade, e outra parte com o Espírito Empreendedor. Dia 1 Acções para o Futuro Parte I: Promover a Criatividade na Formação. Quando: depois de realizar o workshop O Papel da Criatividade Objectivos: Apresentar o projecto e os seus objectivos; Apresentar os resultados do Workshop 1 O Papel da Criatividade; Explorar a relação entre Criatividade e Formação; Elaborar recomendações para promover a Criatividade na Formação. Duração: 6 horas 15

16 Conteúdos/Programa: HORÁRIO Sessão da Manhã 3 horas Sessão da Tarde 3 horas CONTEÚDO Apresentação dos participantes Apresentação do projecto CESSIT e dos objectivos do Workshop Criatividade: explorar o conceito Criatividade e Educação de Adultos: apresentação dos principais resultados do 1º workshop (participantes, actividades realizadas, feedback dos participantes e formadores, etc.) Apresentação de Casos de Estudo (técnicas, programas formativos, seminários, workshops, outras actividades que tenham demonstrado ter sucesso na promoção da criatividade na formação) Brainstorming: recomendações para promover a criatividade na formação. Avaliação e encerramento do workshop. Dia 2 Acções para o Futuro Parte II: Promover as Competências Empreendedoras das pessoas que abandonaram precocemente a escola. Quando: depois de realizar o workshop O Espírito Empreendedor Objectivos: Apresentar o projecto e os seus objectivos; Apresentar os resultados do Workshop 2 O Espírito Empreendedor; Explorar a relevância das competências empreendedoras para o mercado de trabalho; Debater o papel da Formação na promoção das competências empreendedoras; Elaborar recomendações para promover as competências empreendedoras junto da população que abandonou precocemente a escola. Duração: 6 horas 16

17 Conteúdos/Programa: HORÁRIO Sessão da Manhã 3 horas Sessão da Tarde 3 horas CONTEÚDO Apresentação dos participantes Apresentação do projecto CESSIT e dos objectivos do Workshop Empreendedorismo e o Mercado de Trabalho: explorar a relação Educação de Adultos como meio para promover as competências empreendedoras: apresentação dos principais resultados do 2º workshop (participantes, actividades realizadas, feedback dos participantes e formadores, etc.) Apresentação de Casos de Estudo (técnicas, programas formativos, seminários, workshops, outras actividades que tenham demonstrado ter sucesso na promoção de competências empreendedoras junto de ESL Brainstorming: Recomendações para promover competências empreendedoras junto das pessoas que abandonaram precocemente a escola. Avaliação e encerramento do workshop. 17

18 4 Síntese Cada workshop será um breve percuso formativo intensivo enfatizando a interacção e a partilha de conhecimentos, informações e experiências entre os participantes do Projecto CESSIT. Os participantes terão uma oportunidade para desenvolver suas competências formativas de modo muito prático; participar em diferentes actividades irá potenciar um autoconhecimento mais profundo, mas também uma maior compreensão da importância do papel da criatividade e do empreendedorismo na sua vida profissional. O workshop O Papel da Criatividade destina-se ao desenvolvimento do pensamento criativo e à exploração de ferramentas de aprendizagem inovadoras. Irá contribuir para derrubar preconceitos e encontrar soluções diversas para situações potencialmente difíceis ou invulgares do quotidiano. O workshop O Espírito Empreendedor irá incidir na promoção do espírito empreendedor dos participantes e demonstrar-lhe meios para motivar os seus formandos ESL a apostar na aprendizagem contínua. O terceiro workshop Acções para o Futuro irá permitir aos participantes conhecer os resultados dos workshops anteriores e discutir formas de melhorar as suas competências formativas. Trabalhar com pessoas, em especial formar outras pessoas, exige muito trabalho, dedicação, desenvolvimento contínuo e procura de novas soluções que permitam melhorar as competências pedagógicas e formativas. Acreditamos que os workshops a promover no âmbito do projecto CESSIT, irão possibilitar aos participantes desenvolver competências transversais como a criatividade e o espírito empreendedor, sensibilizando-os para a relevância crescente destes aspectos quando se lida com ESL. 18

Relatório de Diagnóstico de Necessidades

Relatório de Diagnóstico de Necessidades Relatório de Diagnóstico de Necessidades 1 Parceiros do CESSIT SPI Ana Solange Leal E-mail: analeal@spi.pt URL: http://www.spi.pt RPIC-ViP, s.r.o. Eva Homolová E-mail: homolova@rpic-vip.cz URL: http://www.rpic-vip.cz

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

Curriculum do Voluntário Universitário PROGRAMA

Curriculum do Voluntário Universitário PROGRAMA Curriculum do Voluntário Universitário PROGRAMA A frequência do ensino superior coincide, na maioria das situações, com uma fase de desenvolvimento psicológico e social muito significativa, especialmente,

Leia mais

Projecto de Empreendedorismo nas Escolas. ano lectivo 2011/2012

Projecto de Empreendedorismo nas Escolas. ano lectivo 2011/2012 Projecto de Empreendedorismo nas Escolas ano lectivo 2011/2012 As Fases do Projecto ANO LECTIVO 2011/2012 Fase a fase Formação de Professores Disseminação do projecto Ateliers de Criatividade 4 acções

Leia mais

JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Tem entre 30 e 45 anos? A sua experiência profissional é superior a 5 anos? Encontra-se numa situação de desemprego há pelo menos 6 meses? Está

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO. Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO. Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2 CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

Leia mais

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO EM COACHING EXECUTIVO

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO EM COACHING EXECUTIVO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO EM COACHING EXECUTIVO de acção mediante a aquisição de novas formas de pensamento que lhes permitam levar a cabo diferentes acções. O percurso formativo do coach está dividido

Leia mais

Gestão da Formação. > Formação Pedagógica Inicial de Formadores 101. > Formação Pedagógica Contínua de Formadores 102

Gestão da Formação. > Formação Pedagógica Inicial de Formadores 101. > Formação Pedagógica Contínua de Formadores 102 > Formação Pedagógica Inicial de Formadores 101 > Formação Pedagógica Contínua de Formadores 102 > Diagnóstico de Necessidades de Formação 103 > Avaliação da Formação 104 Gestão da Formação 99 Calendário

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO Esta formação de professores visa

Leia mais

1. Motivação para o sucesso (Ânsia de trabalhar bem ou de se avaliar por uma norma de excelência)

1. Motivação para o sucesso (Ânsia de trabalhar bem ou de se avaliar por uma norma de excelência) SEREI UM EMPREENDEDOR? Este questionário pretende estimular a sua reflexão sobre a sua chama empreendedora. A seguir encontrará algumas questões que poderão servir de parâmetro para a sua auto avaliação

Leia mais

Formação Nacional de Formadores para a Participação Juvenil

Formação Nacional de Formadores para a Participação Juvenil Contexto Não é claro, nem na Convenção Europeia sobre os Direitos Humanos nem na Declaração Universal dos Direitos Humanos, como é que a participação (juvenil) na sociedade civil é assegurada como Direito

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO ACÇÃO-TIPO: 2.3.1 ACÇÕES DE FORMAÇÃO NA ROTA DA QUALIFICAÇÃO VALORIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO SECTOR AGRO-ALIMENTAR E TURÍSTICO CURSO N..ºº 11 TTÉCNI

Leia mais

1º edição. 20 empresas 200 participantes

1º edição. 20 empresas 200 participantes 1º edição 20 empresas 200 participantes O primeiro programa de Liderança interempresas, a realizar em Luanda, que desafia cada participante a explorar o seu potencial enquanto gestor de pessoas. Há diversos

Leia mais

Qualificação dos Profissionais da. Administração Pública Local

Qualificação dos Profissionais da. Administração Pública Local Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local Amarante - 2009 A sessão de hoje 3 Novembro2009 Objectivos gerais: 1. a) Enquadramento Teórico b) Actividade n.º 1: Descobrindo as Etapas de

Leia mais

Tipologia de Intervenção 6.4

Tipologia de Intervenção 6.4 Documento Enquadrador Tipologia de Intervenção 6.4 Qualidade dos Serviços e Organizações Acções de consultoria inseridas no processo que visa conferir uma certificação de qualidade às organizações que

Leia mais

PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO. Princípios orientadores

PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO. Princípios orientadores PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO Princípios orientadores O Ensino Secundário no Colégio Pedro Arrupe orienta-se de forma coerente para o desenvolvimento integral do aluno, promovendo um crescimento

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA Acção de formação Módulo, curso, curso livre, curso multidisciplinar ou seminário realizado no âmbito da Educação Contínua ou da Aprendizagem

Leia mais

Coaching I Formação I Certificação

Coaching I Formação I Certificação Coaching I Formação I Certificação 2011 Business Consultants, Inc. Publicado por EHP, Elemento Humano Portugal. www.thehumanelement.com.pt 1 Uma solução integrada à problemática humana nas organizações

Leia mais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Curso de Formação 2011 Índice PROPOSTA FORMATIVA... 3 Introdução... 3 Objectivo geral... 3 Estrutura... 3 Metodologias... 3

Leia mais

Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260

Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260 Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260 Boas práticas na utilização de plataformas de aprendizagem colaborativa como modo de incentivar a criatividade e identificar boas práticas no setor da metalúrgica Relatório

Leia mais

O Storytelling. T- Story NEWSLETTER. Junho 2013 1ª Edição. Porquê utilizar o Storytelling

O Storytelling. T- Story NEWSLETTER. Junho 2013 1ª Edição. Porquê utilizar o Storytelling Apresentamos a newsletter oficial do projeto T-Story - Storytelling Aplicado à Educação e Formação, um projeto financiado pela ação transversal Atividade-chave 3 Tecnologias de Informação e Comunicação,

Leia mais

1º CONTRIBUTO DA UGT O EMPREGO DOS JOVENS INICIATIVA OPORTUNIDADE PARA A JUVENTUDE

1º CONTRIBUTO DA UGT O EMPREGO DOS JOVENS INICIATIVA OPORTUNIDADE PARA A JUVENTUDE 1º CONTRIBUTO DA UGT O EMPREGO DOS JOVENS INICIATIVA OPORTUNIDADE PARA A JUVENTUDE I. Enquadramento A UGT regista o lançamento da Iniciativa Oportunidade para a Juventude em Dezembro de 2011 e, no âmbito

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores MÓDULOS CARGA HORÁRIA Acolhimento 1 O formador face aos sistemas e contextos de formação 8 Factores e processos de aprendizagem 6 Comunicação e Animação de Grupos

Leia mais

CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações

CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações Representado por: 1 OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS! Adquirir as 11 competências do coach de acordo com o referencial da ICF! Beneficiar

Leia mais

Relatório de Execução do Projeto MENTOR. Whatever Consulting Group Whatever it takes to grow a culture of innovation

Relatório de Execução do Projeto MENTOR. Whatever Consulting Group Whatever it takes to grow a culture of innovation Relatório de Execução do Projeto MENTOR Whatever Consulting Group Whatever it takes to grow a culture of innovation Junho de 2014 Índice Índice... 2 1. Enquadramento... 3 2. Objetivos... 4 3. Âmbito do

Leia mais

Manual de Boas Práticas

Manual de Boas Práticas Manual de Boas Práticas 1 Parceiros do CESSIT SPI Ana Solange Leal E-mail: analeal@spi.pt URL: http://www.spi.pt RPIC-ViP, s.r.o. Eva Homolová E-mail: homolova@rpic-vip.cz URL: http://www.rpic-vip.cz E.N.T.E.R.

Leia mais

Projeto INQUIRE - Formação em Biodiversidade e Sustentabilidade OBJETIVOS

Projeto INQUIRE - Formação em Biodiversidade e Sustentabilidade OBJETIVOS Projeto INQUIRE - Formação em Biodiversidade e Sustentabilidade OBJETIVOS Projeto INQUIRE: Formação em biodiversidade e sustentabilidade Objectivos do projeto Inquire O programa pan-europeu INQUIRE é uma

Leia mais

Escolher o futuro O papel do/a psicólogo/a clínico/a no contexto de intervenção em comunidades socioeconómicas desfavorecidas 1

Escolher o futuro O papel do/a psicólogo/a clínico/a no contexto de intervenção em comunidades socioeconómicas desfavorecidas 1 Escolher o futuro O papel do/a psicólogo/a clínico/a no contexto de intervenção em comunidades socioeconómicas desfavorecidas 1 Mário Jorge Silva (psicólogo clínico) e Marli Godinho (psicóloga clínica)

Leia mais

PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS

PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS Projecto do PNUD financiado pela Cooperação Espanhola Ministério da Hotelaria e Turismo República de Angola Angola PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO PNUD / CNUCED "GESTÃO DE PROJECTOS

Leia mais

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA Extracto do PARECER TÉCNICO emitido pelo Especialista da Formação PREÂMBULO O presente Parecer tem como objectivo a análise do Projecto de Investigação

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

LEARNING MENTOR. Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219. Perfil do Learning Mentor. Módulos da acção de formação

LEARNING MENTOR. Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219. Perfil do Learning Mentor. Módulos da acção de formação LEARNING MENTOR Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219 Perfil do Learning Mentor Módulos da acção de formação 0. Pré-requisitos para um Learning Mentor 1. O papel e a função que um Learning Mentor

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO DE SANTARÉM

ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO DE SANTARÉM COORDENAÇÃO DE CURSO GESTÃO DE EMPRESAS PLANO 2003/ Apresentado por Fernando dos Santos Lucas Jan. Plano de Actividades da Coordenação do Curso de Gestão de Empresas

Leia mais

Qual é o seu desafio?

Qual é o seu desafio? APRESENTAÇÃO Qual é o seu desafio? Quer concretizar uma grande mudança que lhe trará mais sucesso pessoal, profissional ou no seu negócio? Está a lutar com o stress, com a gestão de tempo, quer um maior

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL. Lisboa, 8 de Janeiro de 2008

EDUCAÇÃO ESPECIAL. Lisboa, 8 de Janeiro de 2008 EDUCAÇÃO ESPECIAL Lisboa, 8 de Janeiro de 2008 DL 3/2008, de 7 de Janeiro: Sumário Define os apoios especializados a prestar na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário dos sectores público,

Leia mais

ÁREA A DESENVOLVER. Formação Comercial Gratuita para Desempregados

ÁREA A DESENVOLVER. Formação Comercial Gratuita para Desempregados ÁREA A DESENVOLVER Formação Comercial Gratuita para Desempregados Índice 8. Sobre nós 7. Como pode apoiar-nos 6. Datas de realização e inscrição 5. Conteúdos Programáticos 4. Objectivos 3. O Workshop de

Leia mais

O desafio de informar melhor. Juntos, uma comunicação de sucesso

O desafio de informar melhor. Juntos, uma comunicação de sucesso O desafio de informar melhor Juntos, uma comunicação de sucesso Janeiro 2006 1.Introdução Dar a conhecer à população (e sensibilizar os potenciais beneficiários) o papel que os financiamentos comunitários

Leia mais

Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil

Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil Saída Profissional: Operador CAD Certificação ao nível do 9º Ano / Nível II Laboral Bem-Vindo/a à FLAG! A FLAG é uma

Leia mais

Q u i d e i a? Criatividade Inovação Empreendedorismo. W o r k s h o p. t h e m i s t y g a r d e n ~ 1 ~

Q u i d e i a? Criatividade Inovação Empreendedorismo. W o r k s h o p. t h e m i s t y g a r d e n ~ 1 ~ Q u i d e i a? W o r k s h o p Criatividade Inovação Empreendedorismo t h e m i s t y g a r d e n ~ 1 ~ 1. DESCRIÇÃO DO WORKSHOP Objectivos, metodologia, resultados esperados Alguns especialistas definem

Leia mais

CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES

CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES NAS EMPRESAS PLANEAR PARA A REDUÇÃO DE CUSTOS E OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES 19 e 20 Fevereiro 2013 Auditório dos CTT- Correios de Portugal Lisboa Horário Laboral: 09h30

Leia mais

Glossário. Competência para a acção. (questionário em competências para a acção e actividade)

Glossário. Competência para a acção. (questionário em competências para a acção e actividade) Conceito Competência para a acção Explicação Competência para a acção compreende todas as habilidades, competências e experiências de uma pessoa, que lhe possibilita auto-organizar-se para realizar correctamente

Leia mais

Certificação Internacional em Coaching

Certificação Internacional em Coaching Certificação Internacional em Coaching O CURSO O Coaching apresenta-se hoje como uma das formas mais eficazes de desenvolvimento pessoal, ajudando a extrair o máximo potencial de si e dos outros, com vista

Leia mais

Avaliação do valor educativo de um software de elaboração de partituras: um estudo de caso com o programa Finale no 1º ciclo

Avaliação do valor educativo de um software de elaboração de partituras: um estudo de caso com o programa Finale no 1º ciclo Aqui são apresentadas as conclusões finais deste estudo, as suas limitações, bem como algumas recomendações sobre o ensino/aprendizagem da Expressão/Educação Musical com o programa Finale. Estas recomendações

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8

Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8 Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR INTRODUÇÃO ÍNDICE - Objectivos de Educação Pré-Escolar - Orientações Curriculares - Áreas de Conteúdo/Competências - Procedimentos de Avaliação - Direitos e Deveres dos Encarregados de Educação - Calendário

Leia mais

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

UDAL - União Desportiva Alta de Lisboa ISU - Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária

UDAL - União Desportiva Alta de Lisboa ISU - Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária REFERÊNCIA: 062 DESIGNAÇÃO: Altarix Empreende BIP/ZIP em que pretende intervir: 20. Sete Céus 21. Galinheiras - a) Ameixoeira b) Charneca 26. Pedro Queiróz Pereira 66. Charneca do Lumiar 67. Alta de Lisboa

Leia mais

Satisfaça os seus Patrocinadores

Satisfaça os seus Patrocinadores Satisfaça os seus Patrocinadores Orador: Dr. José António Cardoso Director-Geral da Desejo Sem Limites Sinopse Cada vez mais existe a necessidade do promotor adaptar as suas propostas às realidades do

Leia mais

Situação Geográfica e História

Situação Geográfica e História Centro de Formação e de Consulta para Crianças e Adolescentes Deficientes Auditivos Escolas Públicas com externato e internato D 79252 Stegen Sobre a Escola Situação Geográfica e História Em 1970 o estabelecimento

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

1 REDACÇÃO CRIATIVA E EFICAZ ESCRITA EMPRESARIAL. - 7 horas 2 TREINE A ESCUTA ACTIVA PARA UMA COMUNICAÇÃO DE SUCESSO. - 7 horas

1 REDACÇÃO CRIATIVA E EFICAZ ESCRITA EMPRESARIAL. - 7 horas 2 TREINE A ESCUTA ACTIVA PARA UMA COMUNICAÇÃO DE SUCESSO. - 7 horas 5 Seminários // 35 horas formação 1 REDACÇÃO CRIATIVA E EFICAZ ESCRITA EMPRESARIAL 2 TREINE A ESCUTA ACTIVA PARA UMA COMUNICAÇÃO DE SUCESSO 3 PROTOCOLO EMPRESARIAL E RELAÇÕES PUBLICAS: COMPORTAMENTOS QUE

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO

PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1. Identificação do Curso Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Recursos Humanos 2. Destinatários Profissionais em exercício de funções na área de especialização do curso ou novos

Leia mais

O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)?

O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)? O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)? São unidades especializadas de apoio educativo multidisciplinares que asseguram o acompanhamento do aluno, individualmente ou em grupo, ao longo

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS PRINCIPIOS GERAIS I. OS FUNDAMENTOS DO ENOTOURISMO 1. Por enotourismo queremos dizer que são todas as actividades e recursos turísticos, de lazer e de tempos livres, relacionados com as culturas, materiais

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

EUNEDS INTRODUÇÃO FINALIDADE E OBJECTIVOS

EUNEDS INTRODUÇÃO FINALIDADE E OBJECTIVOS EUNEDS INTRODUÇÃO O mandato para desenvolver uma Estratégia para a Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS) decorre da declaração apresentada pelos ministros do ambiente da CEE/ONU na 5ª Conferência

Leia mais

CONSULTORIA POSITIVA

CONSULTORIA POSITIVA O consultor é uma pessoa que, pela sua habilidade, postura e posição, tem o poder de influenciar as pessoas, grupos e organizações, mas não tem o poder directo para produzir mudanças ou programas de implementação.

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Azevedo Neves

Agrupamento de Escolas Dr. Azevedo Neves Agrupamento de Escolas Dr. Azevedo Neves REGULAMENTO DOS CURSOS EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS NÍVEL SECUNDÁRIO Anexo ao Regulamento Interno Aprovado em Conselho Geral a 26 de março de 2014 1 de 10 Índice

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA Nô Pintcha Pa Dizinvolvimentu UE-PAANE - Programa de Apoio aos Actores Não Estatais TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATO DE ASSISTÊNCIA TECNICA PARA FORMADOR/A EM COMUNICAÇÃO E VISIBILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES UE-PAANE

Leia mais

Regulamento (Aprovado em Conselho Pedagógico de 12 de Maio de 2009)

Regulamento (Aprovado em Conselho Pedagógico de 12 de Maio de 2009) ESCOLA SECUNDÁRIA DE PEDRO ALEXANDRINO CURSOS EFA Educação e Formação de Adultos Regulamento (Aprovado em Conselho Pedagógico de 12 de Maio de 2009) I Legislação de Referência Portaria n.º 230/2008 de

Leia mais

YA ENTREPRENEURSHIP SCHOOL

YA ENTREPRENEURSHIP SCHOOL YA ENTREPRENEURSHIP SCHOOL YA Entrepreneurship School é um projeto que pretende fomentar o empreendedorismo nos jovens dos 13 aos 18 anos. YA Entrepreneurship School pretende ser uma rampa de lançamento

Leia mais

Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial

Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial ANO LETIVO 2015 / 2016 Departamento de Educação Especial Proposta para o Ano Letivo 2015 / 2016 Avaliação dos alunos com NEE de carácter

Leia mais

Manager Survival Workshop

Manager Survival Workshop www.pwcacademy.pt Manager Survival Workshop 19 e 20 de Dezembro de 2011 Programa especial da Academia da PwC para quadros médios e superiores, líderes de equipas e responsáveis de departamentos que irá

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Vamos ensinar a Fazer Contas à Vida - Adultos!

Vamos ensinar a Fazer Contas à Vida - Adultos! ADULTOS ADULTOS Vamos ensinar a Fazer Contas à Vida - Adultos! O nosso objectivo é ensinar adultos de contextos sociais mais desfavorecidos, a Fazer Contas à Vida Adultos, dotando-os de conhecimentos e

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

Programa de Apoio à Qualidade nas Escolas (PAQUE)

Programa de Apoio à Qualidade nas Escolas (PAQUE) Programa de Apoio à Qualidade nas Escolas (PAQUE) 1. Título alusivo à iniciativa Programa de Apoio à Qualidade nas Escolas (PAQUE). 2. Entidades parceiras Identificação das organizações (Organismo público,

Leia mais

COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO

COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO DEFINIÇÕES OPERACIONAIS E INDICADORES COMPORTAMENTAIS Pag. 1 Elaborada por Central Business Abril 2006 para o ABRIL/2006 2 COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO

Leia mais

Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas. - Ano Lectivo 2010/2011 -

Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas. - Ano Lectivo 2010/2011 - Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas - Ano Lectivo 2010/2011 - Empreendedorismo como ensiná-lo aos nossos jovens? Contudo, e mesmo sendo possível fazê-lo, o espírito empresarial não é normalmente

Leia mais

Colaborações em ambientes online predispõem a criação de comunidades de

Colaborações em ambientes online predispõem a criação de comunidades de Ficha de Leitura Tipo de documento: Artigo Título: Colaboração em Ambientes Online na Resolução de Tarefas de Aprendizagem Autor: Miranda Luísa, Morais Carlos, Dias Paulo Assunto/Sinopse/Resenha: Neste

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCURSO Liga-te aos Outros

REGULAMENTO DE CONCURSO Liga-te aos Outros Página1 REGULAMENTO DE CONCURSO Liga-te aos Outros 1. Apresentação O presente concurso é uma iniciativa promovida pela, no âmbito do Ano Europeu das Actividades Voluntárias que promovam uma Cidadania Activa

Leia mais

O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de aprendizagem?

O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de aprendizagem? Rui Trindade Universidade do Porto Portugal trindade@fpce.up.pt I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA UNDIME/MG Belo Horizonte 11 de Abril de 2012 O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de

Leia mais

ANEXO 19 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS EFA

ANEXO 19 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS EFA ANEXO 19 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS EFA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014 ÍNDICE Introdução 2 1. Objecto 2 2. Destinatários 2 3. Percursos Formativos 3 4. Organização

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO CONCELHIO DE PREVENÇÃO DAS TOXICODEPENDÊNCIAS (PECPT)

PLANO ESTRATÉGICO CONCELHIO DE PREVENÇÃO DAS TOXICODEPENDÊNCIAS (PECPT) PLANO ESTRATÉGICO CONCELHIO DE PREVENÇÃO DAS TOXICODEPENDÊNCIAS (PECPT) Plano de Actividades 2009/10 Odivelas 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO 1 1 IDENTIDADE E COMUNICAÇÃO 2 2 FUNCIONAMENTO DA REDE DE PARCERIA 4 2.2

Leia mais

ANA AEROPORTOS REDES DE CONHECIMENTO

ANA AEROPORTOS REDES DE CONHECIMENTO PARTILHAR PARTILHAR ANA AEROPORTOS REDES DE CONHECIMENTO A ORGANIZAÇÃO O sector da aviação civil, dada a sua natureza, está sujeito a regulamentação internacional, europeia e nacional, que regula e uniformiza

Leia mais

Conceito O2. O futuro tem muitos nomes. Para a Conceito O2 é Coaching. Sinta uma lufada de ar fresco. :!:!: em foco

Conceito O2. O futuro tem muitos nomes. Para a Conceito O2 é Coaching. Sinta uma lufada de ar fresco. :!:!: em foco :!:!: em foco Conceito O2 Sinta uma lufada de ar fresco Executive Coaching Através do processo de Executive Coaching a Conceito O2 realiza um acompanhamento personalizado dos seus Clientes com objectivo

Leia mais

Regulamento Cursos de Educação e Formação - EFA

Regulamento Cursos de Educação e Formação - EFA Regulamento Cursos de Educação e Formação - EFA 1 Preâmbulo Artigo 1.º - Objeto e âmbito Artigo 2.º Modelo de formação Artigo 3.º - Modelo de formação Artigo 4.º - Posicionamento nos percursos de educação

Leia mais

Coordenador das Comunidades de Aprendizagem Carlos Ribeiro CRC APRENDENTES. Clusters, Comunidades de Aprendizagem e projecto CRC Aprendentes

Coordenador das Comunidades de Aprendizagem Carlos Ribeiro CRC APRENDENTES. Clusters, Comunidades de Aprendizagem e projecto CRC Aprendentes Coordenador das Comunidades de Aprendizagem Carlos Ribeiro CRC APRENDENTES II Clusters, Comunidades de Aprendizagem e projecto CRC Aprendentes Comunidades de Aprendizagem Modo de Funcionamento Metodologia

Leia mais

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development luanda www.letstalkgroup.com 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE Gestão da Formação 14

Leia mais

O Coaching contém em si mesmo um processo de análise, de reflexão, de desafio e de operacionalização.

O Coaching contém em si mesmo um processo de análise, de reflexão, de desafio e de operacionalização. Coaching Executivo Os espanhóis têm uma máxima de que gosto muito: falem de mim nem que seja mal, o importante é que falem. O Coaching está na moda! Vários artigos sobre o tema estão a ser publicados em

Leia mais

Braga, 10 de Janeiro de 2011.

Braga, 10 de Janeiro de 2011. Braga, 10 de Janeiro de 2011. Página 1 de 20 INDICE INTRODUÇÃO... 3 Págs. CARACTERIZAÇÃO DO SERVIÇO DE FORMAÇÃO... 10 BALANÇO DAS ACTIVIDADES DEP. FORMAÇÃO.11 PRIORIDADES DE MELHORIA. 15 CONCLUSÃO.. 16

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

Empreendedorismo De uma Boa Ideia a um Bom Negócio

Empreendedorismo De uma Boa Ideia a um Bom Negócio Empreendedorismo De uma Boa Ideia a um Bom Negócio 1. V Semana Internacional A Semana Internacional é o evento mais carismático e que tem maior visibilidade externa organizado pela AIESEC Porto FEP, sendo

Leia mais

CATÁLOGO DE ATIVIDADES

CATÁLOGO DE ATIVIDADES 2015 CATÁLOGO DE ATIVIDADES 2 1 1 Fotografia da Capa: Architectural Concepts By Roman Vlasov com Wendy F. Strange In 3dfirstaid Visual Architecture INTRODUÇÃO A SENTIDO DIRECTO desenvolve, de forma sistemática,

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO CARTA EUROPEIA DO DESPORTO Objectivo da Carta... 3 Definição e âmbito de aplicação da Carta... 3 O movimento desportivo... 4 Instalações e actividades... 4 Lançar as bases... 4 Desenvolver a participação...

Leia mais

Auto-formação para colaboradores

Auto-formação para colaboradores Formação e familiarização directa com o posto de trabalho é, muitas vezes, da responsabilidade da organização. Para uma organização eficaz desta tarefa, o instrutor/tutor necessita não só do conhecimento

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

COACHING EXECUTIVO. YouUp 2008. Para mais informações contacte-nos através do nº. 213 162 650 ou envie um email para: info@youup.

COACHING EXECUTIVO. YouUp 2008. Para mais informações contacte-nos através do nº. 213 162 650 ou envie um email para: info@youup. COACHING EXECUTIVO Os espanhóis têm uma máxima de que gosto muito: falem de mim nem que seja mal, o importante é que falem. O Coaching está na moda! Vários artigos sobre o tema estão a ser publicados em

Leia mais

Programa da Rede Social CLAS Mesão Frio. Plano de Acção. O Plano de Acção do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de

Programa da Rede Social CLAS Mesão Frio. Plano de Acção. O Plano de Acção do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de O do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidos alguns Projectos (com o desejo de uma projecção num futuro próximo), a serem desenvolvidos para se concretizarem

Leia mais

Considerações Finais. Resultados do estudo

Considerações Finais. Resultados do estudo Considerações Finais Tendo em conta os objetivos definidos, as questões de pesquisa que nos orientaram, e realizada a apresentação e análise interpretativa dos dados, bem como a sua síntese final, passamos

Leia mais