Programa de Fundamentos em Trading

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de Fundamentos em Trading"

Transcrição

1 Programa de Fundamentos em Trading Manual do Aluno 2014

2 O objetivo deste livro é fornecer uma visão abrangente dos valores da Academy of Financial Trading, um resumo do curso em que você decidiu se matricular, orientação sobre o processo de avaliação e uma revisão profunda das políticas e normas internas da Academy of Financial Trading. Somos orgulhosos do apoio que oferecemos aos nossos alunos. Estamos sempre disponíveis durante horário comercial por telefone ou para assegurarmos de que você resolva todas suas dúvidas de forma eficaz. Nos esforçamos para fornecer cursos completos e consistentes sem a necessidade de que o aluno tenha que assistir cursos de múltiplos níveis, cada vez mais caros para se chegar ao final. Nos garantimos apoio e assistência completos, durante qualquer um dos programas de estudos que oferecemos. Nos também fornecemos a todos os Traders que assistem nosso curso acesso as gravações de cada uma de nossas aulas ao vivo. Esta é uma oferta única e muito benéfica para todos nossos alunos. Nos desenvolvemos esse método porque sabemos o quão ocupado pode se tornar o dia-a-dia e que as vezes não podemos nos comprometer a assistir todas as aulas ao vivo. Esta é uma forma eficaz de garantir seu aprendizado. Nos empenhamos em implementar nossa Politica de melhoria continua em todos os programas que oferecemos. Você pode encontrar mais informações sobre nossa política em nossa página. A Academy of Financial Trading se esforça para promover uma formação clara, honesta e objetiva, em um ambiente baseado na diversidade e na Igualdade a todo momento.

3 Programa de Fundamentos em Trading Ao longo do curso de 10 módulos de uma hora, distribuídos por quatro semanas, os alunos são imediatamente confrontados com os aspetos técnicos e fundamentais do Trading com a nossa ajuda e apoio contínuos, sendo-lhes fornecida uma compreensão sólida sobre o que é necessário para negociar com sucesso nos mercados. Entre os principais elementos do curso, podemos destacar os seguintes: Curso para todos os níveis. Principiantes e profissionais. Você poderá obter uma segunda fonte de renda, aprendendo a investir nos diferentes mercados financeiros obtendo uma grande rentabilidade. Aulas transmitidas ao vivo em que você participara ativamente. Você terá todo o material e aulas gravadas para revisa-las a qualquer momento. Chat direto com professores para você fazer perguntas e tirar suas dúvidas. Apoio total de Traders profissionais durante e após o curso. Você irá realizar simulações reais de Investimentos onde você verá todo o resultado de sua aprendizagem utilizando a plataforma do Trader. Aprendera a gerenciar uma segunda fonte de renda, maximizando sua rentabilidade e gerindo seu risco. Ao fim do curso você terá um certificado de uma Academia de renome internacional. Ideal para seu currículo Escola premiada como Best Online Trading Academy Europe 2014, Best Online Trading Academy U.S.A y Best Online Trading Academy Australasia 2014, concedidos por Global Banking & Finance Review Awards 2014 Descrição do curso: Aula 1: A base para o seu Programa de Introdução ao Trading a. Porquê negociar? O velho estilo de Trading, de adquirir e deter, que fez com que Traders inexperientes parecessem "especialistas" até ao advento da crise global de 2008, não está a funcionar nos dias de hoje, tal como concordariam muitos dos que compraram e ficaram com ações de bancos. Os contratos por diferença dão ao Trader a oportunidade de vender e comprar. Tendo

4 em conta o estado atual dos mercados globais, existe uma quantidade enorme de oportunidades de compra e venda a serem debatidas. b. O que negociar? Aqui escolhemos os instrumentos negociáveis (câmbios de divisas, mercadorias, índices, ações individuais) e avaliamos cada um individualmente para explicar as suas características únicas e interdependências. c. Quem mais está a negociar? Em quase todas as outras áreas de negócio e comércio, os participantes consideram importante perceber quem são os seus concorrentes. No Trading, a maioria dos Traders não tem em consideração, nem sabe quem mais está a negociar e quais são as partes dominantes nesse processo. Com isto em mente, os novos Traders aprendem a não remar contra a maré, evitando assim negociar contra os impulsionadores do mercado. Aula 2: A mecânica do Trading O que é a alavancagem? Quais são os benefícios e riscos associados? Aqui faremos uma análise franca sobre o que é a alavancagem, de que forma esta torna os mercados acessíveis à maioria e como tomar partido da mesma. Esta é uma área muitas vezes negligenciada e assume especial importância num momento de alta volatilidade dos mercados globais. Em suma, sem alavancagem a maioria dos Traders comuns não seria capaz de negociar fisicamente. Embora a alavancagem conceda uma oportunidade de lucro aos indivíduos, uma vez que lhes permite o acesso ao Trading financeiro, esta acarreta também um risco permanente. Os Traders inexperientes devem compreender como utilizar a alavancagem a seu favor. Além disso, toda a gíria irrelevante é simplificada e são fornecidas demonstrações claras para trabalhar as dimensões de negociação e os riscos individuais importantes para os mercados em negociação. Aula 3: Metodologias de análise de mercado Explicamos de que é constituída a análise fundamental e as fontes de informação, de modo a ajudar os clientes a especializarem-se nos seus instrumentos de negociação preferidos. Avaliamos também os fatores que afetam a oferta e procura para cada instrumento, que no final refletem o preço atual. Explicamos, também, por que razão este conceito inclui algumas das maiores armadilhas para os novos Traders e como estas podem criar oportunidades com soluções rentáveis para o novo Trader bem formado. Aula 4: Gráficos de velas - A iluminar as oportunidades A análise técnica é sinónimo de ver, aceitar e negociar. O Trading baseia-se no que está à frente dos seus olhos, não nas suas previsões ou nas de um especialista. Nesta útil lição, fazse uma introdução às ações de preço, à leitura de gráficos de velas, Dojis, abrangendo também a formação de padrões e o Trading de mercado de balcão. Lição 5: Mapeamento técnico individual

5 A lição anterior é expandida de modo a desenvolver técnicas de range Trading (intervalo) e de Trend Trading (tendências), destacando as quebras, o suporte e a resistência, com técnicas de entrada e saída estratégicas do mercado de balcão para cada negociação efetuada. Aula 6: Construa o seu kit de ferramentas de Trading Com base nas aulas técnicas anteriores, esta sessão abrange triângulos descendentes/ascendentes, indicadores voláteis, osciladores e retrações de Fibonacci, dando uma ênfase particular às técnicas de Trading de mercado de balcão, que impedem cometer e explorar erros que os típicos Traders de retalho cometem - sempre orientada para a oportunidade. Aula 7: Pratique o Trading no mundo real - vantagens e desvantagem Como aceder e configurar uma conta de treino gratuita no Metatrader com uma gama alargada de instrumentos de negócio e introdução de dados em tempo real. Além disso, será também explicado como fazer operações básicas de forma prática, efetuar ordens, predefinir stop losses e limites (take profit), modificar pedidos e inserir indicadores técnicos juntamente com o acesso a feeds de notícias e áudio independentes. Aula 8: Torne-se um Trader de mercado de balcão Esta aula agrupa todas as lições anteriores de análise técnica com enfoque em alguns métodos muito simples para descobrir oportunidades de negociação de mercados de balcão - a nossa especialidade. Alguns destes métodos incluem a avaliação de médias móveis - cruzamentos, simples, exponenciais e ordens corretas - todas centradas na tentativa de encontrar a confirmação para negociar que precisamos. Esta aula é uma das mais bem recebidas e não deve ser perdida. Aula 9: Gestão de risco - proteja o seu capital O Trading, como todas as outras formas de investimento, acarreta riscos. É através desse risco que os lucros podem fluir. Uma compreensão da natureza inseparável e interconectada entre risco e retorno é fundamental para o Trading rentável. Aqui apresentaremos os conceitos de gestão de risco para que, de forma premeditada, os Traders minimizem as suas negociações com prejuízo e maximizem as lucrativas. Aula 10: Os passos finais - a praticidade do Trading do mundo real Não há espaço para a emoção nem para surpresas no Trading. Qualquer entrada ou saída numa negociação é pré-planeada e registada no seu diário de Trader. A razão pela qual entrou ou saiu de uma negociação deveria ter sido planeada com antecedência. Se realizou negociações lucrativas e não sabe porquê, então tem o capital em risco! São discutidas explicações da vida real e exemplos das dificuldades que os Traders enfrentam diariamente. São apresentados etapas práticas para reduzir as dificuldades psicológicas enfrentadas por Traders reais. A melhor forma de o conseguir é através do conhecimento das razões que, em primeira instância, despoletaram esses problemas. Com as emoções em cheque, todo o Trader lucrativo necessita de metas e objetivos numéricos de Trading estabelecidos de forma realista e em consonância com o seu estilo de vida. Quer os bons como os maus resultados fazem parte do plano que, se construído corretamente, não deverá dar origem a uma má negociação.

6 Qualificação Fornecemos um Certificado de Conclusão aos participantes que tenham completado o nosso Programa de Fundamentos em Trading, e que tenham completado o nosso questionário final. Assim que tirar acima de 70% neste questionário, o seu Certificado de Conclusão ser-lhe-á fornecido. Essa avaliação será baseada nos seguintes critérios: Conhecimento Você ira adquirir conhecimento amplo e concreto sobre Trading (baseado na teoria, explicação e definição de termos financeiros), com elementos de aplicação teórica. Técnicas e habilidades Você precisa demostrar que possui certas habilidades e praticas e cognitivas assim como a capacidade para escolher entre uma vasta gama de procedimentos e aplicar soluções conhecidas a uma variedade de problemas. Competência Você deverá aplicar seu conhecimento tanto em contextos familiares como desconhecidos e ser capaz de atuar de forma responsável e autónoma, assim como ser responsável pelo seu próprio aprendizado em um ambiente controlado (mediante acesso as gravações). Você ira assumir responsabilidade por sua parte no processo de auto aprendizado - faca perguntas, peca ajuda durante nosso webinar quando necessário, fique em dia com as gravações e esteja atento a s e ligações. Avaliação Se trata de um questionário com a seleção de 57 perguntas em relação aos tópicos estudados durante nosso curso de fundamentos em Trading. Para obter o certificado de conclusão você deverá obter uma pontuação mínima de 70%. Não se preocupe se não conseguir da primeira vez, já que poderá repetir o exame quantas vezes for necessário. Não há limite de tempo para completar a avaliação.

7 PROGRAMA DE MELHORIA CONTÍNUA O política interna do Programa de melhora contínua (PMC) da Academy of Financial Trading tem como objetivo analisar e avaliar cada um de nossos cursos, assegurando que o desenvolvimento, formação, apresentação, apoio, avaliação, concessão e análise de cada programa sejam constantemente revisados sob rigorosos critérios. O objetivo desta política é garantir que a especificação de cada programa seja - e continue sendo - concisa e adequada aos prêmios concedido a Academia. Esta política também fornece a Academy of Financial Trading visão do futuro potencial de seus programas. A adequação a uma necessidade de negócio específica pode ser definida como o grau em que esta politica responde aos requisitos do programa Literalmente uma garantia de que a academia e extremamente Auto consciente a todo momento. Os requisitos são pesados e classificados em uma série de perguntas obrigatórias ("sim / não"), juntamente com questões mais profundas. Estas questões são, essencialmente, uma forma da Academia estar constantemente ciente de que suas normas e padrões estão sendo cumpridos a todos os momentos. O Potencial de uma necessidade de negócio identifica as consequências indiretas ligadas à utilização do programa proposto, seja em termos de análise e avaliação do impacto da sua utilização, ou avaliar a sua possível evolução. As ideias provenientes do critério de adaptação também podem ser expressas com as seguintes perguntas: Aplicabilidade: 1.1: O que é especificado nos requisitos dos programas identificados? É claro quem deve usar o programa proposto e para que aplicações? Relevância: 1.2: Em que nível a participação no programa proposto precisa de ajuda para atender as necessidades identificadas? 1.3: Os requisitos do programa envolvem os recursos-chave necessários para apoiar a necessidade funcional do aluno? 1.4: Qual é a sua funcionalidade completa? 1.5: Os requisitos do programa foram projetados de modo a ter em conta a avaliação necessária? Quais são os mecanismos existentes ou previstos para implementar a avaliação? 1.6: Como é que os requisitos do programa levam em conta as necessidades de acessibilidade? Uma análise adicional dos futuros resultados e as consequências indiretas de participar no

8 programa proposto finalizam a avaliação dos requisitos; os critérios associados a esta análise - agrupadas sob os critérios potenciais focam nos vários Aspectos ligados ao impacto da escolha, bem como para a possível evolução do programa. Avaliar o impacto de uso significa identificar os riscos e as oportunidades oferecidas pelo programa proposto. Essa identificação é a primeira etapa e uma avaliação a nível global é necessária. Ela pode ser refinada em uma segunda fase com uma análise semelhante ligada às implementações das exigências do programa. Analisar a possível evolução das exigências do programa identificado implica olhar para a sua escalabilidade; em outras palavras, ate que ponto o sistema implementado pode ou lidar com quantidades crescentes de trabalho de forma simples ou ser ampliada prontamente. Extensibilidade também é uma possível forma de evolução; ela indica o grau em que os requisitos dos programas identificados podem ser adaptados a outras áreas. A extensibilidade para outros campos de requisitos formais é reforçada se houver uma metodologia adequada. A estabilidade da necessidade comercial está fortemente ligada à qualidade do processo de manutenção. Manutibilidade aborda a facilidade com que uma especificação formal pode ser modificada e analisa a governança da evolução das exigências do programa identificado, incluindo a difusão de novas versões e a estabilidade do processo de manutenção. As ideias por trás dos critérios Potenciais também podem ser expressas com as seguintes perguntas: Impacto: 1.7: Qual é o impacto de escolher o programa proposto? ou seja, quais são os riscos e as oportunidades identificadas? 1.8: Qual é o impacto financeiro? Quais são os custos incorridos? Quais são os benefícios? 1.9: Qual é o impacto organizacional? Existe uma continuidade do processo? Há processos de negócios a serem mudados? Qual é o escopo do Gerenciamento de Mudanças a serem previstos (ou seja, treinamento...)? 1.10: Quais são os aspectos de privacidade? ou seja, as consequências da escolha e outras ações para garantir a privacidade? 1.11: Qual é o impacto sobre a carga administrativa? Escalabilidade: 1.12 Até que ponto o programa proposto pode se adaptar ao tamanho das necessidades, ou seja, sua capacidade de suportar um número crescente de implementações e / ou interações entre as implementações? Extensibilidade: 1.13: A que grau ou com que facilidade o programa e expansível para outra área? Estabilidade: 1.14: Por quanto tempo esta necessidade de negócio existiu? 1.15: Por quanto tempo o programa e suas futuras modificações poderão ser usados e ainda manter a sua qualidade?

9 1.16: Com que frequência novas versões são lancadas e com que tipo de mudança? 1.17: Essas mudanças foram previstas? Essas mudanças foram controladas? 1.18: Existem problemas de compatibilidade "reversa", reportados / documentados para a versão anterior da necessidade de negócio identificada? 1.19: Que é o esforço necessário para uma organização usando a necessidade de negócio identificadas em atualizar para uma nova versão? Manutenção: 1.20: O processo de manutenção dos requisitos do programa identificado e estável? 1.21: Os requisitos identificados ao programa se beneficiam de um forte sistema de suporte ao consumidor? 1.22: Existe alguma entidade encarregada de avaliar regularmente as exigências do programa contra a evolução das necessidades e tecnologias disponíveis? Um processo pré-definido deve existir para assegurar que uma avaliação legítima possa ser fornecida a cada aluno. Este processo deve fornecer uma plataforma clara, precisa e inequívoca em que o aluno tenha a oportunidade de participar de um exame relevante, que irá testar o nível de conhecimento alcançado por sua participação na necessidade de negócio identificada. O exame associado deve cumprir dois critérios distintos - 1. Avaliar o que o aluno sabe e pode fazer 2. Creditar O que o aluno sabe e pode fazer É política de toda a empresa que o aluno / aluno em potencial seja base para tudo o que é feito. A empresa deve fornecer informação confiável e clara sobre a necessidade de negócio identificada e as qualificações associadas a sua conclusão bem-sucedida. Um processo de verificação interna é necessário, a fim de assegurar a equidade da marcação de cada avaliação. Um avaliador interno independente é necessário para que se cumpram estes critérios, a fim de assegurar que não haja conflito de interesses e que o resto da marcação seja totalmente justa e consistente. Monitoramento consistente e autoavaliação devem ser feitos de forma contínua idealmente quando cada programa de estudo for concluído. Esta autoavaliação deve ter uma abordagem holística e não deve ser limitada a uma única necessidade de negócio específica. A empresa como um todo deve ser examinada para para assegurar que os padrões pré-definidos sejam cumpridos a todos os momentos. As ideias por trás do critério de avaliação também podem ser expressas com as seguintes perguntas: Manutenção: 1.23: É possível fornecer uma plataforma clara, precisa e inequívoca, onde um aluno pode acessar a sua avaliação pertinente? 1.24: Toda a informação relativa a qualificação associada É descrita de forma clara e confiável?

10 1.25: É possível acessar a avaliação descrita em tempo hábil e direta? Verificação: 1.26: O verificador interno foi identificado? 1.27: Existe uma clara separação entre o autor da questão e o verificador interno? 1.28: O verificador interno tem a capacidade de acessar as avaliações concluídas, a fim de monitorar os resultados para garantir a imparcialidade? 1.29: O verificador interno possui a qualificação ou experiência relevante necessários para completar a sua tarefa de forma satisfatória? Avaliação: 1.30: Existe a consciência em toda a empresa de que a responsabilidade em garantir que as normas pré-determinadas pelas necessidades do negócio precisam permanecer altas, encontra-se principalmente com o provedor? 1.31: Existe uma pessoa específica nomeada, que tem a responsabilidade de assegurar que o planejamento necessário, recursos e compromisso sejam fornecidos em todos os momentos? 1.32: É de conhecimento comum que a melhoria constante é o objetivo final do PMC, e que este processo deve aumentar a transparência? 1.33: Cada membro da equipe esta ciente de que tanto a propriedade e compreensão desta política por sua gerência e funcionários são absolutamente cruciais? Queixas e Recursos Caso tenha, na qualidade de estudante, membro da equipe ou empregador alguma queixa a fazer à Academy of Financial Trading ou gostaria de recorrer de algum dos procedimentos de avaliação, resultados ou qualquer outro assunto com a Academy of Financial Trading, por favor contate-nos detalhando o problema da seguinte forma: Recursos: Por favor envie um correio eletrónico para o endereço ou ligue para o número de telefone Queixas: Por favor envie um correio eletrónico para o endereço ou ligue para o número de telefone Qualquer reclamação ou recurso notificados à Academy of Financial Trading serão tratados com a maior das discrições. A sua reclamação será investigada e respondida no prazo de 48 horas a contar da notificação (num dia útil). Entraremos em contato consigo e com qualquer outros interessados e/ou afetados até que uma resolução satisfatória para ambas as partes, com todas as comunicações a serem respondidas no prazo de 48 horas (num dia útil). Não sendo possível chegar a uma solução acordada por ambas as partes, um perito, independente e apropriado, em arbitragem, baseado em Dublin, na Irlanda, será contatado

11 pela Academy of Financial Trading para auxiliar na resolução da disputa. Caso o processo de arbitragem seja considerado insatisfatório por qualquer uma das partes, cada parte reserva o direito de obter aconselhamento legal, que se reja e seja interpretado pela Lei Irlandesa; as partes interessadas e prejudicadas aqui aceitam, de forma irrevogável, submeter-se à jurisdição dos Tribunais Irlandeses. CÓDIGO DE CONDUTA CONFIDENCIALIDADE Temos o compromisso de manter o mais elevado grau de integridade em todas as nossas relações com potenciais, atuais e antigos clientes, tanto em termos de confidencialidade comercial normal, bem como a proteção de todas as informações pessoais recebidas no curso da prestação dos nossos serviços. Estendemos os mesmos padrões a todos os nossos clientes, fornecedores e colaboradores. ÉTICA Nós sempre conduzimos nosso próprio trabalho de forma honesta e honrada, e esperamos que os nossos clientes e fornecedores façam o mesmo. Nossas instruções de aprendizagem, assistência estratégica e os métodos transmitidos através dos nossos treinamentos, levam em conta considerações éticas, juntamente com a proteção e valorização da posição moral dos nossos clientes e fornecedores. DEVERES Nossas ações e padrões educacionais estão sempre de acordo com a legislação pertinente, e acreditamos que todas as companhias e organizações, incluindo esta empresa, devem evitar causar qualquer efeito adverso sobre os direitos humanos das pessoas nas organizações com que lidamos, aos ambientes locais e globais, e ao bem-estar da sociedade em geral. PAGAMENTO Nosso objetivo é ser o mais flexível possível na maneira que os nossos serviços são cobrados. Alguns clientes preferem pagamentos fixos; outros são mais felizes com pagamentos a prazo, e tentamos encaixar com o que será melhor para o cliente. Nós não fazemos nenhuma tentativa de cobrar juros de mora, por isso esperamos que os pagamentos sejam feitos quando acordado. PROPRIEDADE INTELECTUAL E DIREITOS MORAIS Reservamo-nos os direitos morais e de posse de toda a propriedade intelectual que criamos, salvo acordo em contrário com antecedência com os nossos clientes. Em troca, nós respeitamos o direito autoral moral e intelectual investido em propriedade intelectual de nossos clientes (se aplicável).

12 GARANTIA DE QUALIDADE Nós mantemos a qualidade do que fazemos por meio de revisão constante com nossos clientes, de todos os objetivos, atividades, resultados e custo-benefício de cada atividade. Nós encorajamos reuniões regulares de revisão e providenciamos relatórios periódicos de progresso. Mais detalhes estão disponíveis mediante solicitação. CONDUTA PROFISSIONAL Realizamos todas as nossas atividades com profissionalismo e integridade. Tomamos grande cuidado para sermos completamente objetivos em nosso julgamento, para que as questões nunca sejam influenciadas por qualquer coisa que não seja o melhor e adequado interesse dos nossos alunos. IGUALDADE E DISCRIMINAÇÃO Nós sempre nos esforçamos para ser justos e objetivos em nossos conselhos e ações, e nunca somos influenciados em nossas decisões, atos ou recomendações por questões de gênero, raça, sexualidade, credo, cor, idade ou deficiência pessoal.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, a primeira norma ambiental internacional do mundo tem ajudado milhares de

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Versão preliminar Revisão da implementação do programa

Versão preliminar Revisão da implementação do programa Versão preliminar Revisão da implementação do programa 16 de setembro de 2015 Este relatório, apresentado na forma preliminar para comentário público, tem como objetivo fornecer uma visão geral de alto

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI)

Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) (The Instructional Design (ID) Domains, Competencies and Performance Statements) International Board of Standards for Training,

Leia mais

INFO Network: Abordagens eficazes a princípios fundamentais

INFO Network: Abordagens eficazes a princípios fundamentais INFO Network: Abordagens eficazes a princípios fundamentais Setembro de 2014 A International Network of Financial Services Ombudsman Schemes (a INFO Network) é a associação mundial de ouvidores/ombudsmen

Leia mais

Código de Fornecimento Responsável

Código de Fornecimento Responsável Código de Fornecimento Responsável Breve descrição A ArcelorMittal requer de seus fornecedores o cumprimento de padrões mínimos relacionados a saúde e segurança, direitos humanos, ética e meio ambiente.

Leia mais

Código de Ética e Conduta Profissional da MRC Consultoria e Sistema de Informática Ltda. - ME

Código de Ética e Conduta Profissional da MRC Consultoria e Sistema de Informática Ltda. - ME 1 - Considerações Éticas Fundamentais Como um colaborador da. - ME eu devo: 1.1- Contribuir para a sociedade e bem-estar do ser humano. O maior valor da computação é o seu potencial de melhorar o bem-estar

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

Questão em foco: Gerenciamento do Portfólio de Produto em uma estratégia de PLM. Fechando o ciclo de planejamento do produto

Questão em foco: Gerenciamento do Portfólio de Produto em uma estratégia de PLM. Fechando o ciclo de planejamento do produto Questão em foco: Gerenciamento do Portfólio de Produto em uma estratégia de PLM Fechando o ciclo de planejamento do produto Tech-Clarity, Inc. 2010 Sumário Introdução à questão... 3 As Primeiras Coisas

Leia mais

Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação

Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação Educação Especial Informe de Assistência Técnica SPED 2009-2: Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação Para: Superintendentes, diretores,

Leia mais

Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes

Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes Sumário INFORMAÇÕES GERAIS... 1 SYMANTEC UNIVERSITY PARA PARCEIROS... 1 TREINAMENTO... 2 SERVIÇO DE INFORMAÇÕES... 4 COLABORAÇÃO... 5 Informações

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7. Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.5, 7.5.1, 7.5.2, 7.6, 7.6.1, 7.6.2 Exercícios 7 Competência

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

O que é ISO 9001:2000?

O que é ISO 9001:2000? O que é ISO 9001:2000? Um guia passo a passo para a ISO 9001:2000 SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Conteúdo * SISTEMAS DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E PDCA... 1 * OITO PRINCÍPIOS DE GESTÃO DA QUALIDADE...

Leia mais

Introdução ao OpenUP (Open Unified Process)

Introdução ao OpenUP (Open Unified Process) Introdução ao OpenUP (Open Unified Process) Diferentes projetos têm diferentes necessidades de processos. Fatores típicos ditam as necessidades de um processo mais formal ou ágil, como o tamanho da equipe

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

Perfil e Competências do Coach

Perfil e Competências do Coach Perfil e Competências do Coach CÉLULA DE TRABALHO Adriana Levy Isabel Cristina de Aquino Folli José Pascoal Muniz - Líder da Célula Marcia Madureira Ricardino Wilson Gonzales Gambirazi 1. Formação Acadêmica

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011

PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011 CENTRO DA QUALIDADE, SEGURANÇA E PRODUTIVIDADE PARA O BRASIL E AMÉRICA LATINA PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011 Diretrizes para auditorias de sistemas de gestão da qualidade e/ou ambiental

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA G UPO

CÓDIGO DE ÉTICA G UPO CÓDIGO DE ÉTICA G UPO 1 Sumário APRESENTAÇÃO... 2 1. APLICABILIDADE... 3 ESCLARECIMENTOS... 3 O COMITÊ DE ÉTICA... 3 ATRIBUIÇÕES DO COMITÊ... 3,4 2. ASSUNTOS INTERNOS... 4 OUVIDORIA... 4 PRECONCEITO...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução. Os princípios Éticos que formam a consciência e fundamentam nossa imagem no segmento de recuperação de crédito e Call Center na conduta de nossa imagem sólida e confiável. Este

Leia mais

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO PESQUISA-AÇÃO Forma de pesquisa interativa que visa compreender as causas de uma situação e produzir mudanças. O foco está em resolver algum problema encontrado por indivíduos ou por grupos, sejam eles

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Princípios de Ética no Grupo DB

Princípios de Ética no Grupo DB Princípios de Ética no Grupo DB Código de conduta Objetivo do código de conduta Estipulamos com valor vinculativo os nossos padrões e as expectativas relativas aos nossos negócios diários. Para todos os

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS VISÃO GERAL DE CAPACIDADES SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS AT-RISK International oferece Análise de Riscos, Proteção, Consultoria, Investigações e Treinamento em Segurança, nas Américas,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO MICROSOFT DYNAMICS AX 4.0 FINANCEIRO I

INTRODUÇÃO AO MICROSOFT DYNAMICS AX 4.0 FINANCEIRO I Introdução INTRODUÇÃO AO MICROSOFT DYNAMICS AX 4.0 FINANCEIRO I E-Learning O treinamento é um componente vital para a retenção do valor de investimento do seu Microsoft Dynamics. Um treinamento de qualidade,

Leia mais

Certificação para Parceiros de Canais Axis

Certificação para Parceiros de Canais Axis Axis Communications' Academy Certificação para Parceiros de Canais Axis O mais novo requisito para Parceiros de Soluções também é um dos seus melhores benefícios. Axis Certification Program o padrão mundial

Leia mais

Ministério da Educação. Primavera 2014. Atualização do Redesenho do Currículo

Ministério da Educação. Primavera 2014. Atualização do Redesenho do Currículo Ministério da Educação Primavera 2014 Atualização do Redesenho do Currículo Em 2010, o Ministério da Educação começou a transformar o sistema educacional de British Columbia, Canadá, Ensino Infantil Médio

Leia mais

Código de Ética para Psicólogos de acordo com a FEAP

Código de Ética para Psicólogos de acordo com a FEAP Código de Ética para Psicólogos de acordo com a FEAP Federação Europeia de Associações de Psicólogos Código Geral de Ética Aceite pela Assembleia Geral, Atenas, 1 Julho 1995. 1. Preâmbulo. Os Psicólogos

Leia mais

22 DICAS para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER. em Clínicas de Imagem

22 DICAS para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER. em Clínicas de Imagem para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER em Clínicas de Imagem Objetivo Um atendimento eficiente e personalizado é um dos principais fatores que o cliente leva em consideração ao iniciar um processo de fidelização

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS Finanças DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE CONSERVATÓRIO REGIONAL DE GAIA Ano Letivo 2013 2014 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE Regulamento Artigo 1.º Âmbito 1. O presente Regulamento de Avaliação de Desempenho aplica-se a todos os docentes com

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE Extraído do Livro "Gerenciamento de Programas e Projetos nas Organizações" 4ª Edição (a ser lançada) Autor: Darci Prado Editora INDG-Tecs - 1999-2006

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 9001, a norma líder mundial em qualidade internacional, ajudou milhões de organizações a melhorar sua qualidade

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 Planejar e Organizar Gerenciar Projetos Pedro Rocha http://rochapedro.wordpress.com RESUMO Este documento trás a tradução do objetivo de controle PO10 (Gerenciamento

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

Capacitando Profissionais

Capacitando Profissionais Capacitando Profissionais 2014 Setup Treinamentos & Soluções em TI www.setuptreinamentos.com APRE SENTA ÇÃ O A atual realidade do mercado de trabalho, que cada dia intensifica a busca por mão-de-obra qualificada,

Leia mais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa Informações gerais Produzido por BSD Brasil. Pode ser reproduzido desde que citada a fonte. Introdução Lançada em novembro de 1999, em versão

Leia mais

BUSINESS PARTNER EMC SERVICES PARTNER PROGRAM ESCOLHA. FLEXIBILIDADE. OPORTUNIDADE.

BUSINESS PARTNER EMC SERVICES PARTNER PROGRAM ESCOLHA. FLEXIBILIDADE. OPORTUNIDADE. BUSINESS PARTNER EMC SERVICES PARTNER PROGRAM ESCOLHA. FLEXIBILIDADE. OPORTUNIDADE. TRANSFORME SEU RELACIONAMENTO COM O CLIENTE E SUA RENTABILIDADE O EMC Services Partner Program fornece aos parceiros

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611

Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611 Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611 CNPJ: 61.460.077/0001-39 / INSCR: 105.657.106.110 Gestão

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. O presente Código de Conduta da Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. (a Companhia ), visa cumprir com as disposições do Regulamento

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI GUIA PARA MELHORAR O SEU Principais Práticas para a Proteção de PI PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI 2013 Centro para Empreendimento e Comércio Responsáveis TABELA DE CONTEÚDO CAPÍTULO 1: Introdução à Proteção

Leia mais

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA Líderes eficazes devem encontrar maneiras de melhorar o nível de engajamento, compromisso e apoio das pessoas, especialmente durante os períodos

Leia mais

COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS

COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS 2003 É criada a G-COMEX ÓLEO & GÁS com o objetivo de prover soluções logísticas sob medida para o mercado de óleo, gás, energia e indústria

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 Código de prática para a gestão da segurança da informação A partir de 2007, a nova edição da ISO/IEC 17799 será incorporada ao novo esquema de numeração como ISO/IEC 27002.

Leia mais

Perfil de Competências de Gestão. Nome: Exemplo

Perfil de Competências de Gestão. Nome: Exemplo Perfil de Competências de Gestão Nome: Exemplo Data: 8 maio 2008 Perfil de Competências de Gestão Introdução Este perfil resume como é provável que o estilo preferencial ou os modos típicos de comportamento

Leia mais

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO COM O MERCADO GUIA DE CURSO Tecnologia em Sistemas de Informação Tecnologia em Desenvolvimento Web Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnologia em Sistemas

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Programa Para Aprendizes de Língua Inglesa (ELL) Escolas Públicas de Norwood

Programa Para Aprendizes de Língua Inglesa (ELL) Escolas Públicas de Norwood Programa Para Aprendizes de Língua Inglesa (ELL) Escolas Públicas de Norwood As Escolas Públicas de Norwood acolhem estudantes de diversas origens e experiências culturais. Nós estamos atualmente prestando

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD

www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD O SUCESSO DA IMCD É BASEADO NO ESTABELECIMENTO DE UM AMBIENTE QUE PROMOVE A RESPONSABILIDADE, CONFIANÇA E O RESPEITO. IMCD Código de Conduta 3 1. Introdução O

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil O futuro é (deveria ser) o sucesso Como estar preparado? O que você NÃO verá nesta apresentação Voltar

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Educação Financeira Responsável. Escola de Operadores

Educação Financeira Responsável. Escola de Operadores Escola de Operadores Escola de Operadores Treinamentos e Ltda. São Paulo, SP, Brasil Telefone: (5511) 3022-4528 (5511) 99103-9827 www.escoladeoperadores.com.br Contato@escoladeoperadores.com.br http://twitter.com/operadoresbr

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA Permissão obtida junto ao proprietário dos direitos autorais, The Institute of Internal Auditors, 247 Maitland Avenue, Altamonte Springs, Florida 32701-4201, USA, para publicar esta tradução, a qual reflete

Leia mais

compromisso com a segurança além da excelência Eficiência operacional conformidade do subcontratado gestão de registros saúde e segurança

compromisso com a segurança além da excelência Eficiência operacional conformidade do subcontratado gestão de registros saúde e segurança desempenho em segurança gestão de competências controle de acesso compromisso com a segurança além da excelência Eficiência operacional conformidade do subcontratado gestão de registros saúde e segurança

Leia mais

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Exame simulado IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Edição outubro 2011 Copyright 2011 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA

REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA Patrocinada e reconhecida pela Comissão Europeia no âmbito dos programas Sócrates. Integração social e educacional de pessoas com deficiência através da actividade

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto.

Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto. Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto. Instituto Educacional BM&FBOVESPA e Endeavor: Negócios de Alto Impacto. Com reconhecida experiência, o Instituto Educacional BM&FBOVESPA, a Escola de Negócios

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação

Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Corporação Financeira Internacional 26 de agosto de 2009 SUMÁRIO PÁGINA Resumo executivo...

Leia mais

Ética A GUARDIAN disponibiliza o presente Código de Conduta a todos os colaboradores, Clientes, Fornecedores e Parceiros.

Ética A GUARDIAN disponibiliza o presente Código de Conduta a todos os colaboradores, Clientes, Fornecedores e Parceiros. Âmbito de aplicação O presente Código de Conduta aplica-se a toda a estrutura GUARDIAN Sociedade de Mediação de Seguros, Lda., seguidamente designada por GUARDIAN, sem prejuízo das disposições legais ou

Leia mais

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES JANEIRO 2013 ÍNDICE DE CONTEÚDOS Introdução...1 Antes das Três Linhas: Supervisão do Gerenciamento

Leia mais

Aula Anterior. Capítulo 2

Aula Anterior. Capítulo 2 Capítulo 2 Clique Ciclo para de Vida editar e o estilo do Organização título do mestre Projeto O Ciclo de vida do projeto Características do ciclo de vida do projeto Relações entre o ciclo de vida do projeto

Leia mais

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

INFORMAÇÕES ADICIONAIS APRENDA SOBRE GOVERNANÇA DE TI Programa de Qualificação COBIT 5 Presencial ou EAD O COBIT 5 define as necessidades das partes interessadas da empresa como ponto de partida das atividades de governança

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH

NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH Norma de Responsabilidade Social Firmenich Atualizado em Março de 2013 Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Como parte do nosso compromisso contínuo com um negócio ético

Leia mais

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil 10Minutos Futuro do trabalho Pesquisa sobre impactos e desafios das mudanças no mundo do trabalho para as organizações no B O futuro do trabalho Destaques Escassez de profissionais, novos valores e expectativas

Leia mais

Análise do Ambiente estudo aprofundado

Análise do Ambiente estudo aprofundado Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Análise do Ambiente estudo aprofundado Agenda: ANÁLISE DO AMBIENTE Fundamentos Ambientes

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

COMO CONTRATAR UM CONSTRUTOR. web. www.2030studio.com email.contato@2030studio.com telefone. 55 41 8413 7279

COMO CONTRATAR UM CONSTRUTOR. web. www.2030studio.com email.contato@2030studio.com telefone. 55 41 8413 7279 COMO CONTRATAR UM CONSTRUTOR Nós moldamos nossos edifícios. Depois eles nos moldam. - Winston Churchill Encontrar o melhor empreiteiro para seu projeto residencial é uma decisão extremamente importante.

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA

COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA 1 OBJETIVOS 1. Como nossa empresa pode medir os benefícios de nossos sistemas de informação? Quais modelos deveríamos usar para

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004 Sistemas de Gestão O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 Material especialmente preparado para os Associados ao QSP. QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004

Leia mais

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS*

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* * Release elaborado pela BM&FBOVESPA baseado nos dados informados pelo Banco Mundial para o 2º Workshop de Divulgação

Leia mais

Control Self Assessment no processo de Gestão de Contrato de Terceiros

Control Self Assessment no processo de Gestão de Contrato de Terceiros 21 de junho de 2013 Control Self Assessment no processo de Gestão de Contrato de Terceiros Fernando Lage Sócio-Diretor KPMG Risk Advisory Services Definição A definição de Control Self Assessment (Auto

Leia mais