PODER JUDICIÁRIO. Médico Clínico Geral. Concurso Público. 2. Prova Objetiva

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PODER JUDICIÁRIO. Médico Clínico Geral. Concurso Público. 2. Prova Objetiva"

Transcrição

1 PODER JUDICIÁRIO Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Concurso Público 2. Prova Objetiva Médico Clínico Geral INSTRUÇÕES Você recebeu sua folha de respostas e este caderno contendo 90 questões objetivas. Confira a versão de seu caderno com a versão constante na etiqueta da sua carteira. Confira seu nome e número de inscrição impressos na capa deste caderno. Leia cuidadosamente as questões objetivas e escolha a resposta que você considera correta. Marque na tira a alternativa que julgar certa e transcreva-a para a folha de respostas, com caneta de tinta azul ou preta. Responda a todas as questões. A duração da prova é de 4 horas. O candidato que se retirar da sala após 1 hora do início da prova deverá entregar ao fiscal o caderno de questões e a folha de respostas. O candidato que se retirar da sala após 2 horas do início da prova deverá entregar ao fiscal a folha de respostas e poderá levar o caderno de questões. Aguarde a ordem do fiscal para abrir este caderno de questões

2 Língua portuguesa Leia o texto a seguir para responder às questões de números 01 a 10. Em apenas 17 anos, a Inglaterra viu nascer três das mais importantes obras de sua cultura pelo significado que tiveram para a religião, a literatura e a medicina: a tradução autorizada da Bíblia pelo rei James I (1611), a edição das peças de William Shakespeare (1623) e o tratado médico Exercitatio anatomica de motu cordis et sanguinis in animalibus (1628). Este último livro, escrito por William Harvey ( ), é tido como o modelo fundador e o protótipo do método científico da pesquisa médica atual. Conhecido como De motu cordis, o tratado foi lançado em março pela editora Unifesp com o nome de Estudo anatômico do movimento do coração e do sangue nos animais, em edição trilíngue (latim, francês e português). O estudo de Harvey foi publicado em Frankfurt, na Alemanha, por precaução. Na época, ainda imperavam os ensinamentos do médico grego Galeno de Pérgamo ( d.c.), estudioso e praticante da medicina hipocrática na Roma imperial. Galeno descreveu corretamente a anatomia do coração e percebeu que ele funcionava como uma bomba, porém acreditava que o sangue era fabricado no fígado, de onde era distribuído aos outros órgãos e aos diversos tecidos. Também achava que havia um espírito vital, criado no coração, que percorria as artérias e as veias junto com o sangue. Essas impressões de Galeno perduraram por 14 séculos, até o início do século XVII. Nesse período, foram ligeiramente modificadas por outros médicos, como os italianos Realdo Colombo ( ) e Andrea Cesalpino ( ), sendo definitivamente contestadas no De motu cordis. No livro, Harvey refere-se à oposição que esperava receber de anatomistas que se empenhavam em demolir a nova doutrina, em caluniá-la. Ele sabia que poderia ser perigoso contrariar as centenárias doutrinas de Galeno, daí a escolha de Frankfurt para publicar seu tratado. (...) (Pesquisa Fapesp, 159, maio de Adaptado) 01. De acordo com o texto, (A) a tradução da Bíblia do grego para o inglês foi realizada pelo rei James I. (B) publicaram-se livros importantes na Inglaterra, no século XVII. (C) o livro De motu cordis foi traduzido em março de (D) De motu cordis tinha, originalmente, versão em latim e inglês. (E) aos 17 anos, William Harvey fundou a pesquisa moderna em medicina. 02. De acordo com o texto, (A) Galeno processaria Harvey, se De motu cordis fosse publicado na Inglaterra. (B) um espírito vital estaria vinculado ao coração, segundo Galeno de Pérgamo. (C) artérias e veias, coração e pulmões faziam parte do chamado espírito vital. (D) a hipocrisia de médicos gregos tradicionais causava temor em William Harvey. (E) as ideias de Harvey foram, em parte, contestadas por Colombo e Cesalpino. TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1 2

3 03. Assinale a alternativa que apresenta sinônimos, respectivamente, de tratado e protótipo (1. o parágrafo), no mesmo sentido em que essas palavras estão empregadas no texto. (A) feito sistema. (B) suporte tipo. (C) trabalho padrão. (D) periódico teste. (E) exercício artefato. 04. Há uso do sentido figurado das palavras em: (A) O estudo de Harvey foi publicado em Frankfurt, na Alemanha,... (B)... porém acreditava que o sangue era fabricado no fígado,... (C) Essas impressões de Galeno perduraram por 14 séculos,... (D) Nesse período, foram ligeiramente modificadas por outros médicos,... (E)... se empenhavam em demolir a nova doutrina, em caluniá-la. 05. Assinale a alternativa que substitui, sem alteração de sentido, a conjunção porém em porém acreditava que o sangue era fabricado no fígado, (2. o parágrafo). (A) apesar disso. (B) em virtude disso. (C) posto que. (D) conclusivamente. (E) por causa disso. 06. Considere as seguintes orações: I. A Inglaterra viu nascer importantes obras de sua cultura. II. A Inglaterra viu nascerem importantes obras de sua cultura. III. A Inglaterra viu-as nascer. Assinale a alternativa que avalia adequadamente a concordância verbal dessas orações. (A) Apenas I está correta. (B) Apenas II está correta. (C) Apenas I e III estão corretas. (D) Apenas II e III estão corretas. (E) I, II e III estão corretas. 07. Assinale a alternativa em que as vírgulas são empregadas pelos mesmos motivos pelos quais aparecem no trecho: Na época, ainda imperavam os ensinamentos do médico grego Galeno de Pérgamo ( d.c.), estudioso e praticante da medicina hipocrática na Roma imperial. (A) Em fevereiro, durante o carnaval, Jânio ainda não havia proibido o biquíni e o lança-perfume. (B) Tudo ia bem até que, disse meu interlocutor, começaram a querer implementar a legislação ambiental. (C) Agora, essas forças mostram uma sociedade brasileira, apesar de tudo, moderna e democrática. (D) Nos anos 60, não tínhamos saído ainda dos anos 50, época do cigarro Hollywood e do Topo Gigio. (E) Pesquisas, sondagens e queixas de desanimados apontam, principalmente, para a falta de experiência dos jovens. 08. Assinale a alternativa que apresenta uma oração na voz ativa. (A) o sangue era fabricado no fígado, de onde era distribuído aos outros órgãos (B) o tratado foi lançado em março pela editora Unifesp (C) Essas impressões de Galeno perduraram por 14 séculos, (D) O estudo de Harvey foi publicado em Frankfurt, (E) Nesse período, foram ligeiramente modificadas por outros médicos, 09. Assinale a alternativa em que o acento da crase está empregado de acordo com a norma culta da língua portuguesa. (A) de onde era distribuído à cabeça, às pernas e a diversos tecidos. (B) de onde era distribuído a cabeça, as pernas e à diversos tecidos. (C) de onde era distribuído à cabeça, as pernas e à diversos tecidos. (D) de onde era distribuído à cabeça, as pernas e a diversos tecidos. (E) de onde era distribuído a cabeça, às pernas e a diversos tecidos. 10. Assinale a alternativa em que as palavras são acentuadas graficamente pelas mesmas regras que justificam os acentos, respectivamente, de médico, distribuído, caluniá-la. (A) Harém, Luís, vaciná-la. (B) Município, juízes, técnico. (C) Vários, até, fórum. (D) Hipocrática, saúde, café. (E) Ótimo, Austrália, inglês. 3 TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1

4 conhecimentos gerais 11. Segundo a Agência Brasil ( ), o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), classificou como um absurdo o pagamento de R$ 6 milhões em horas extras para 3,8 mil funcionários da Casa durante o mês de janeiro, período de recesso parlamentar, quando não são feitas sessões, reuniões ou votações de matérias: Acho um absurdo. Não acho correto. É preciso verificar o que aconteceu. No dia 12 de março, o 1º. Secretário do Senado, Heráclito Fortes, informou, a respeito desse assunto, que (A) será criado um setor de Recursos Humanos no Senado para impedir abusos como esse. (B) os salários de todos os funcionários beneficiados serão suspensos até a solução do problema. (C) o Senado decidiu criar uma comissão de sindicância para punir os culpados. (D) se estuda terceirizar todos os serviços do Senado. (E) os funcionários terão os valores recebidos descontados de seus salários em dez vezes sem juros. 14. Tomando como ponto de partida os crimes praticados pelo funcionário público contra a administração em geral, assinale a alternativa correta. I. O crime de emprego irregular de verbas ou rendas públicas consiste no desvio de destinação da verba pública para outra finalidade que não a especificada em lei. II. O funcionário público que intencionalmente inutilizar a página de um processo na qual havia uma cota do representante do Ministério Público pratica crime punido com pena de reclusão. III. A exigência de vantagem indevida, em razão da função pública, caracteriza o crime de concussão. (A) Somente a afirmativa II está correta. (B) Somente a afirmativa III está correta. (C) Somente as afirmativas I e III estão corretas. (D) Somente as afirmativas II e III estão corretas. (E) Todas as afirmativas estão corretas. 12. Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, para Stiglitz, a crise atual é uma derrota do pensamento de direita. Ele disse que a derrocada do mercado subprime e de derivativos foi ser a prova de que a ideia de que o mercado se regula sozinho provou que estava errada. Segundo o professor, que foi prêmio Nobel de Economia em 2001, os economistas de direita acreditavam que havia uma seleção natural, que os mais aptos sobreviviam, não foi o que se viu entre os bancos americanos. A essa seleção natural o estudioso americano chamou de (A) positivismo financeiro. (B) dialética de mercado. (C) darwinismo econômico. (D) surrealismo compensatório. (E) marketing ideológico. 13. A primeira extração de petróleo da camada pré-sal foi feita em maio deste ano em poço da bacia de Santos. Geograficamente, a bacia de Santos ocupa uma área de aproximadamente 352 mil km 2, abrangendo (A) o litoral do Rio de Janeiro e Espírito Santo, toda a faixa litorânea de São Paulo, do Paraná e Santa Catarina e parte do litoral do Rio Grande do Sul. (B) parte do litoral do Espírito Santo, toda a faixa litorânea do Rio de Janeiro, de São Paulo, do Paraná e Santa Catarina. (C) parte do litoral do Rio de Janeiro, toda a faixa litorânea de São Paulo, do Paraná e Santa Catarina e parte do litoral do Rio Grande do Sul. (D) parte do litoral do Rio de Janeiro, toda a faixa litorânea de São Paulo e do Paraná e parte do litoral de Santa Catarina. (E) parte do litoral do Rio de Janeiro, toda a faixa litorânea de São Paulo e parte do litoral do Paraná. TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V Se uma professora da rede pública de ensino, em razão de uma falha no sistema bancário, recebe um salário maior do que o que lhe é devido, e intencionalmente não devolve o dinheiro aos cofres públicos, (A) pratica o crime de peculato, previsto no art. 312 do CP. (B) pratica o crime de peculato mediante erro de outrem, previsto no art. 313 do CP. (C) pratica o crime de concussão. (D) pratica o crime de corrupção passiva. (E) não pratica crime algum, pois não teve nenhuma participação na falha do sistema bancário. 16. Para que o crime de prevaricação em umas das suas formas legais reste configurado, é preciso que o funcionário público (A) retarde a execução de um ato de ofício com a finalidade de obter vantagem financeira para si ou para outrem. (B) retarde a execução de um ato de ofício com a finalidade de obter vantagem patrimonial ou pessoal. (C) deixe de praticar ato de ofício para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. (D) deixe de praticar ato de ofício, sem qualquer finalidade especial. (E) retarde a execução de um ato de ofício, sem qualquer finalidade especial.

5 17. Condescendência criminosa (A) é um crime que o funcionário público pratica motivado pela indulgência. (B) é uma modalidade criminosa para a qual é previsto expressamente o chamado perdão judicial, ou seja, o juiz deverá, ao analisar o caso concreto, deixar de aplicar a pena caso entenda ser ela desnecessária para a punição do delito. (C) é um crime que pode ser praticado por qualquer pessoa e que tem pena de reclusão de um a três anos. (D) era a conduta típica prevista no art. 320 do Código Penal, que recentemente foi revogado. (E) é uma conduta que não tipifica crime previsto no Código Penal. 18. No tocante à responsabilidade civil dos médicos, é correto o que se afirma em: (A) é regulada pelas normas do Código Civil e pelo Código de Defesa do Consumidor, por ser uma relação de consumo. (B) a relação jurídica entre o médico e o paciente é extracontratual, exceto se houver contrato escrito. (C) a obrigação do médico é de resultado, devendo aplicar todos os meios necessários para a cura de seu paciente. 20. Considere as assertivas a seguir. I. Caracteriza-se erro médico não investigar a capacidade e resistência pulmonar de recém-nascido que, por duas vezes, procura atendimento para um quadro que acusava previsível hipótese de pneumonia. II. Entre os deveres do médico, no tocante à sua responsabilidade civil, não está incluído o de informar sobre como o paciente deve se alimentar. III. A obrigação do profissional da saúde, ao propiciar meios de cura, é de diligência ou de meio. IV. Em se tratando de infecção hospitalar, a responsabilidade recai exclusivamente sobre o ambiente hospitalar, ainda que o médico seja contratado pelo hospital. V. O profissional médico responde pelos danos causados a seu paciente em razão da teoria do risco profissional. Está correto apenas o que se afirma em (A) I e II. (B) II e V. (C) I e III. (D) III, IV e V. (E) II, III e IV. (D) devido aos riscos da atividade médica, o médico responde pelos danos causados aos pacientes, mesmo não comprovado o erro. (E) o médico responderá sempre que houver dano a seu paciente e nexo de causalidade com a sua atividade. 21. Observe a figura. Informática 19. Quanto ao erro de diagnóstico médico, aponte a alternativa correta. (A) Sendo a responsabilidade contratual, o médico responde se houver erro ao definir a enfermidade de seu paciente. (B) Haverá responsabilidade se o erro decorrer de falta de prudência na avaliação clínica do paciente. (C) Se o atendimento tiver sido em decorrência da indicação de outro profissional de saúde, não há erro na avaliação médica posterior. (D) Só haverá responsabilidade se o erro decorreu de um ato doloso do profissional médico. (E) Haverá responsabilidade mesmo que o erro de diagnóstico não tenha influenciado na evolução da doença. Em uma planilha não protegida do MS Excel 2000 na sua configuração original, a célula G8 contém uma fórmula. Na formatação dessa célula, a aba Proteção foi acessada e marcada como mostra a figura. Após clicar em OK, a fórmula (A) e a coluna G estarão ocultas. (B) e os dados da célula G8 estarão ocultos. (C) e os dados da célula G8 estarão visíveis. (D) estará visível, mas o dado da G8 estará oculto. (E) estará oculta e o dado da célula G8 estará visível. 5 TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1

6 22. O Dr. João Carlos gravou, em seu HD, vários trabalhos que ele desenvolveu utilizando diferentes softwares: PowerPoint, Microsoft Word, Microsoft Excel, Microsoft Access e Bloco de Notas; no entanto, não se lembra do nome dos arquivos nem em qual pasta do HD foram gravados. Para encontrar os arquivos referentes aos softwares mencionados, ele deve utilizar o gerenciador de arquivos do WinXP. Na janela do gerenciador, deve ativar a opção pesquisar da barra de ferramentas e, no item Todos os arquivos e pastas, deve preencher o campo Todo ou parte do nome do arquivo com: (A).ppt,.doc,.xls,.rar,.txt (B).doc,.mdb,.txt,.ppt,.aiv (C).ppt,.doc,.pdf,.txt,.mdb (D).doc,.ppt,.xls,.aiv,.txt (E).mdb,.ppt,.doc,.txt,.xls CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Leia o enunciado para responder às questões de números 25 a 27. Homem de 75 anos de idade refere, há 5 dias, dores em região de hemiface esquerda com sensação de ferroadas e agulhadas seguidas de surgimento de erupção vesicular sob base eritematosa em topo grafia idêntica (regiões malar e auricular esquerdas). Nega febre no referido período, mas hoje a filha do paciente notou desvio de sua rima bucal para o lado direito. 25. A algia de face relatada pelo paciente é tipicamente (A) osteomuscular. (B) neuropática. (C) vascular. (D) tenso-vascular. (E) inflamatória. 23. O Dr. João Carlos, médico ginecologista, está usando o Internet Explorer para realizar uma busca na Internet sobre a patologia apresentada por uma de suas pacientes, por meio do site Na pesquisa, ele deseja desprezar o conteúdo das páginas e concentrar a busca nas URLS. Assinale a alternativa que contém a expressão que ele deve utilizar antes da palavra a ser pesquisada. (A) inurl: (B) link: (C) intext: (D) intitle: (E) filetype: 24. A Internet é uma rede pública de comunicação de dados, com controle descentralizado, e que utiliza o conjunto de protocolos TCP/IP como base para a estrutura de comunicação e seus serviços de rede. A arquitetura TCP/IP não só fornece os protocolos que habilitam a comunicação de dados entre redes, como também define uma série de aplicações que contribuem para eficiência e sucesso da arquitetura. Assinale a alternativa que estabelece a relação correta entre as colunas PROTOCOLO e SERVIÇO. PROTOCOLO TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1 SERVIÇO 1 - HTTP Associação do nome da máquina ao endereço IP 2 - FTP Envio de 3 - SMTP Login remoto seguro 4 - SSH Navegação na World Wide Web 5 - DNS Transporte de arquivos 6 - TELNET Sessão de trabalho numa máquina remota (A) 5, 2, 3, 4, 1, 6 (B) 5, 3, 4, 1, 2, 6 (C) 5, 3, 1, 4, 6, 2 (D) 6, 3, 4, 1, 5, 2 (E) 4, 3, 5, 1, 2, A propedêutica neurológica do paciente em questão evidenciará, caracteristicamente, um(a) (A) apagamento do sulco nasogeniano direito. (B) incapacidade de fechamento ocular do lado esquerdo. (C) incapacidade de fechamento ocular do lado direito. (D) hipoacusia à esquerda. (E) hipoacusia à direita. 27. A tomografia computadorizada de crânio desse paciente evidenciaria (A) área hipoatenuante em região temporal direita. (B) área hipoatenuante em região temporal esquerda. (C) área hiperatenuante em região temporal direita. (D) área hiperatenuante em região temporal esquerda. (E) ausência de anormalidades significativas. Leia o enunciado para responder às questões de números 28 e 29. Homem de 25 anos de idade foi atingido por automóvel ao atravessar a rua, sendo arremessado a 7 metros de distância. Foi levado consciente pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros ao pronto-socorro em uso de colar cervical e sobre prancha rígida. 28. O atendimento inicial deve incluir, nesta ordem, (A) obtenção de acesso venoso; ausculta pulmonar e cardíaca; avaliação neurológica. (B) verificação da permeabilidade das vias aéreas; verificação da ventilação; verificação da circulação (pulso e pressão arterial). (C) avaliação neurológica completa; ausculta pulmonar e cardíaca; obtenção de acesso venoso. (D) verificação da ventilação; verificação da permeabilidade das vias aéreas; verificação da circulação (pulso e pressão arterial). (E) verificação da circulação (pulso e pressão arterial); verificação da permeabilidade das vias aéreas; verificação da ventilação.

7 29. Durante a avaliação inicial, constata-se que o paciente encontra-se taquidispneico (respondendo perguntas simples com dificuldade pelo desconforto respiratório), com pressão arterial de 7x4 cmhg e pulso de 140 bpm (batimentos por minuto). A ausculta pulmonar evidenciou murmúrios vesiculares abolidos em hemitórax direito com hipertimpanismo à percussão do mesmo hemitórax. A conduta imediatamente posterior deve incluir a (A) realização de radiografia de tórax. (B) expansão volêmica com cristaloides. (C) pericardiocentese à Marfan. (D) punção do segundo espaço intercostal direito com jelco calibroso seguida de drenagem. (E) realização de toracotomia direita imediata. 32. Após terapia específica, o paciente evoluiu clinicamente estável, com melhora considerável do nível de consciência. Todavia, no quinto dia de internação, passou a apresentar agitação intensa, diaforese, afirmando, assustado, ver cobras e lagartos rastejando pelas paredes da enfermaria. Nesse momento, sua PA era de 180x110 mmhg e seu pulso, de 130 bpm. A abordagem terapêutica correta deve incluir a administração de (A) diazepan e propranolol. (B) difenil-hidantoína e propranolol. (C) diazepan e nitroprussiato de sódio. (D) difenil-hidantoína e nitroprussiato de sódio. (E) fenobarbital e propranolol. Considere o caso clínico para responder às questões de números 30 a 32. Homem de 32 anos de idade é levado ao pronto-socorro pelo irmão por relato de sonolência há 2 horas da admissão. O familiar refere que o irmão é alcoólatra há 5 anos, mas que reduzira a ingestão de álcool nos últimos 7 dias após ter-se envolvido em brigas nos bares que frequentava. Ao ser avaliado, o paciente apresenta escoriações na face e crostas hemáticas no couro cabeludo e desperta apenas ao estímulo doloroso, não movimentando o hemicorpo direito. Apresenta propedêutica pulmonar e cardíaca normais, embora com PA de 190x100 mmhg e pulso de 50 bpm. 30. A abordagem inicial do rebaixamento de nível de consciência em questão deve envolver, além de oxigenioterapia e obtenção de acesso venoso periférico, a administração parenteral, nesta ordem, de: (A) tiamina e glicose. (B) glicose e tiamina. (C) flumazenil e tiamina. (D) tiamina e flumazenil. (E) tiamina e naloxone. 31. O paciente em questão não obteve melhora clínica após a abordagem inicial e foi submetido à realização de tomografia computadorizada de crânio que evidenciou (A) área hipoatenuante em topografia de núcleos da base à esquerda. (B) área hipoatenuante em topografia de núcleos da base à direita. (C) área isoatenuante em formato de lente biconvexa subdural esquerda. (D) área isoatenuante em formato de lente biconvexa subdural direita. (E) área hipoatenuante arredondada em topografia cerebelar. Leia o enunciado para responder às questões de números 33 a 35. Mulher de 81 anos de idade encontra-se no quarto dia de pósoperatório de artroplastia total de quadril direito. Subitamente, apresenta dispneia e dor torácica ventilatório-dependente em base do hemitórax esquerdo. O exame físico evidenciou apenas expansividade reduzida em hemitórax esquerdo, sendo sua PA de 140x80 mmhg e seu pulso de 110 bpm (rítmico). A radiografia de tórax realizada não evidenciou anormalidades e o ECG, nesse momento, revelou apenas taquicardia sinusal. 33. O perfil gasimétrico arterial mais provavelmente encontrado evidenciará (A) pha: 7,30; pao2: 70; paco2: 29; BIC: 18; sao2: 95%. (B) pha: 7,30; pao2: 55; paco2: 29; BIC: 18; sao2: 86%. (C) pha: 7,45; pao2: 70; paco2: 29; BIC: 22; sao2: 95%. (D) pha: 7,45; pao2: 55; paco2: 29; BIC: 22; sao2: 86%. (E) pha: 7,23; pao2: 55; paco2: 50; BIC: 18; sao2: 86%. 34. Caso a determinação de dímero D da paciente em questão fosse de 320 ng/ml (valor normal abaixo de 500 ng/ml), a conduta terapêutica inicial compreenderia, além de analgesia, a (A) fibrinólise imediata com rt-pa. (B) fibrinólise imediata com estreptoquinase. (C) terapia antiagregante com ácido acetilsalicílico. (D) terapia antiagregante com ácido acetilsalicílico e clopidogrel. (E) heparinização plena. 7 TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1

8 35. A realização de cintilografia pulmonar com ventilação e perfusão evidenciou área de hipoperfusão em ápice esquerdo e língula, com ventilação normal. Pode-se inferir, nesse caso, que a determinação do dímero D é de (A) grande utilidade, haja vista seu elevado valor preditivo negativo. (B) grande utilidade, haja vista seu elevado valor preditivo positivo. (C) grande utilidade, haja vista sua elevada sensibilidade para a detecção de eventos tromboembólicos. (D) utilidade relativa, pois seu valor preditivo negativo elevado só se aplica às populações com probabilidade préteste baixa a intermediária para a ocorrência de eventos tromboembólicos. (E) utilidade relativa, pois seu valor preditivo negativo elevado só se aplica às populações com probabilidade pré-teste elevada para a ocorrência de eventos tromboembólicos. Analise o enunciado para responder às questões de números 39 a 41. Mulher de 67 anos de idade, hipertensa há 25 anos e com seguimento irregular, iniciou, há 4 dias, palpitações precordiais taquicárdicas arrítmicas associadas a progressiva dispneia aos esforços, sem dor torácica ou demais comemorativos. Ao exame físico, apresenta-se taquidispneica (3+/4+), corada e afebril. A oximetria de pulso evidencia sao2: 87%, com pulso de 120 bpm (arrítmico) e PA de 160x100 mmhg. A ausculta pulmonar evidencia crepitações teleinspiratórias em terços médios e inferiores de ambos os hemitóraces. A ausculta cardíaca evidencia ritmo cardíaco irregular, sem sopros. Segue traçado de ritmo do eletrocardiograma obtido no momento do atendimento. Considere o caso clínico para responder às questões de números 36 a 38. Homem de 28 anos de idade apresentou, há 2 semanas, lesão única no sulco bálano-prepucial que remitiu espontaneamente após perdurar cerca de 8 dias. Há 2 dias passou a apresentar adinamia e febre. Ao exame físico constata-se temperatura de 37,8 C, poliadenopatia, máculas e pápulas em face, tronco, palmas das mãos e plantas dos pés. 36. A etiologia da doença ilustrada é (A) bacteriana, causada por uma espiroqueta. (B) bacteriana, causada por um cocobacilo Gram-negativo. (C) fúngica, causada pela Candida albicans. (D) viral, causada pelo vírus herpes simples. (E) autoimune, provavelmente traduzindo acometimento pelo lúpus eritematoso sistêmico. 37. A abordagem terapêutica adequada requer a utilização de (A) cefepime. (B) itraconazol. (C) ganciclovir. (D) metilprednisolona. (E) benzilpenicilina benzatina. 38. O paciente em questão deverá, além de tratamento e seguimento apropriados, (A) realizar sorologia para hepatites B e C. (B) realizar sorologia para HIV. (C) submeter-se a punção liquórica. (D) realizar sorologia para hepatites B e C, e para HIV, além de orientar seu(s) parceiro(s) sexual(is) a procurar(em) assistência médica. (E) proceder à coleta de exame protoparasitológico de fezes. TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V A radiografia de tórax dessa paciente evidenciará (A) aumento de área cardíaca e linhas B de Kerley. (B) aumento de área cardíaca e derrame pleural em todo o hemitórax direito. (C) área cardíaca normal, mas com alargamento de mediastino. (D) o sinal de Westermark. (E) atelectasia de lobos inferiores. 40. Constitui abordagem terapêutica correta, além de oxigenioterapia e posicionamento adequado da paciente, a administração de (A) amiodarona, nitroprussiato de sódio e furosemida. (B) morfina, nitroglicerina e furosemida. (C) morfina, nitroprussiato de sódio e amiodarona. (D) amiodarona, furosemida e nitroglicerina. (E) propafenona, furosemida e nitroglicerina. 41. A restituição do ritmo sinusal, nesse caso, após adoção das medidas iniciais, (A) deve ser imediata, procedendo-se à sedação com propofol e à realização de cardioversão elétrica. (B) pode ser realizada após 24 horas de anticoagulação plena, desde que a ecocardiografia transesofágica não evidencie trombos intracavitários. (C) pode ser realizada após a ecocardiografia transesofágica, caso não existam trombos intracavitários, dispensando-se, nesse caso, a necessidade de anticoagulação. (D) poderá apenas ser realizada após, pelo menos, três semanas consecutivas de anticoagulação adequada. (E) está contraindicada pelo risco de ocorrência de eventos embólicos.

9 Considere o caso clínico para responder às questões de números 42 e 43. Homem de 53 anos de idade, tabagista acentuado e diabético, procura o serviço de pronto-atendimento por dor precordial opressiva iniciada há 1 hora, irradiada ao dorso e epigastro, de forte intensidade, associada a palidez e sudorese profusa. Ao exame físico geral, encontra-se com fáscies de dor, diaforético e dispneico (tiragem de intercostal), com PA de 120x70 mmhg e pulso de 53 bpm (rítmico). Ao exame específico, nota-se, à ausculta pulmonar, a presença de crepitações teleinspiratórias em terços inferiores de ambos os hemitóraces. A propedêutica dos demais aparelhos não evidenciou anormalidades. Segue o ECG realizado. 45. Considere as condições descritas a seguir. I. Edema agudo dos pulmões. II. Coarctação da aorta. III. Anemia ferropriva com hemoglobina sérica de 8,2 g/dl. IV. Obstrução arterial aguda de membro inferior direito. V. Intoxicação por tiocianato. Cursam com cianose, provavelmente, apenas (A) I, II e III. (B) I, II e IV. (C) I, III e V. (D) I, IV e V. (E) III, IV e V. Considere o quadro clínico para responder às questões de números 46 e A abordagem terapêutica inicial deve incluir (A) expansão volêmica, nitrato sublingual e oxigenioterapia. (B) dobutamina e oxigenioterapia. (C) monitorização cardíaca, oxigenioterapia, obtenção de acesso venoso, administração de AAS e nitrato sublingual. (D) cineangiocoronariografia imediata para abertura da artéria relacionada ao infarto. (E) fibrinólise imediata com rt-pa. 43. A classificação adequada do evento descrito é (A) Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) de parede anterior evoluindo em Killip I. (B) IAM de parede inferior evoluindo em Killip I. (C) IAM de parede anterior evoluindo em Killip II. (D) IAM de parede inferior evoluindo em Killip II. (E) IAM de parede lateral evoluindo em Killip II. 44. A presença de sopro contínuo com reforço sistólico em borda esternal esquerda superior sugere a presença de (A) comunicação interatrial. (B) comunicação interventricular. (C) persistência de canal arterial. (D) dupla disfunção valvar aórtica. (E) dupla disfunção valvar mitral. Mulher de 56 anos de idade procura atendimento médico relatando febre vespertina diária de até 38,2 C, com calafrios e tosse seca há 4 semanas, associada a perda de 5 kg nesse período. À propedêutica, não se observam linfadenomegalias, mas há redução da expansividade do hemitórax direito, com submacicez à percussão da metade inferior desse hemitórax e redução da ausculta da voz nessa topografia. 46. A radiografia de tórax, nesse caso, deverá evidenciar um(a) (A) derrame pleural. (B) pneumotórax. (C) infiltrado alveolar. (D) atelectasia. (E) elevação da cúpula frênica direita. 47. O resultado de investigação complementar que se correlaciona com o quadro clínico descrito é a presença de (A) bolhas subpleurais à tomografia computadorizada do tórax. (B) células neoplásicas à biópsia transbrônquica. (C) compressão extrínseca de brônquio do lobo inferior direito à broncoscopia. (D) sinais de processo inflamatório crônico granulomatoso em histopatologia da pleura direita. (E) bacilos álcool-ácido-resistentes (BAAR) à análise de amostra de escarro. 9 TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1

10 Leia o enunciado para responder às questões de números 48 e 49. Homem de 18 anos de idade recebeu, no pronto-socorro, administração de penicilina para tratamento de amigdalite bacteriana e desenvolveu, após 20 minutos, desconforto respiratório agudo com estridor laríngeo e dificuldade para se comunicar. 48. Além da utilização de oxigênio, a conduta imediata nesse caso deve incluir a administração de (A) epinefrina inalatória. (B) epinefrina subcutânea. (C) epinefrina intramuscular. (D) difenidramina. (E) corticoterapia parenteral. 49. Constitui terapia antimicrobiana adequada, para posterior tratamento de infecção semelhante nesse paciente, o(a) (A) cefalexina. (B) acetilcefuroxima. (C) claritromicina. (D) cefaclor. (E) amoxicilina associada ao clavulanato. 50. Jovem de 18 anos de idade é levado ao pronto-atendimento 1 hora após ter utilizado cocaína e ingerido álcool. Encontra-se agressivo, agitado, apresentando palidez cutânea e sudorese profusa. Seu pulso é de 180 bpm e sua PA, de 170x110 mmhg. Após monitorização, nota-se a presença de taquiarritmia, cujo traçado é o seguinte: 51. Homem de 64 anos de idade é admitido em pronto-socorro com pressão arterial aferida em 220x120 mmhg. Caracteriza potencial emergência hipertensiva a presença dos referidos níveis tensionais associados à ocorrência de (A) febre. (B) hematúria. (C) cefaleia. (D) epistaxe. (E) dor torácica. 52. As reações urticariformes caracterizam-se por eritema, edema, prurido variável e (A) artralgia. (B) fugacidade. (C) edema labial. (D) edema periorbital. (E) adenopatia regional. 53. Mulher de 68 anos de idade iniciou quadro de dor progressiva em fossa ilíaca esquerda nos últimos 7 dias, com irradiação ao dorso (região lombar) há 3 dias, associada a febre de 38 C. Evitou procurar assistência médica no início dos sintomas, automedicando-se com escopolamina e dipirona, com melhora parcial. Há 2 dias passou a apresentar disúria e polaciúria, adinamia e anorexia. A propedêutica abdominal evidencia dor à palpação da fossa ilíaca esquerda com tumoração palpável e sinal de Giordano presente. A alternativa que correlaciona adequadamente o achado de exame complementar que melhor justifica toda a apresentação clínica da paciente e a terapia antimicrobiana empírica inicial apropriada é: (A) formação cística em anexo uterino à esquerda à ultrassonografia de pelve; ceftriaxona. (B) dilatação pielocalicial à esquerda à ultrassonografia de abdômen; ciprofloxacina. (C) dilatação pielocalicial à esquerda com imagem de cálculo de 1,8 cm em terço médio do ureter esquerdo à ultrassonografia de abdômen; ceftriaxona. Constitui abordagem inicial correta, a administração de (A) diazepan e nitroprussiato de sódio. (B) diazepan e propranolol. (C) fenobarbital e adenosina. (D) fenobarbital e propranolol. (E) diazepan e diltiazem. (D) tumoração em cólon esquerdo com linfadenopatia mesentérica e compressão de ureter esquerdo à tomografia computadorizada de abdômen; ceftriaxona associada a metronidazol. (E) espessamento parietal de cólon sigmoide associado à densificação de planos adiposos adjacentes com coleção líquida e espessamento da parede vesical à tomografia computadorizada de abdômen; ciprofloxacina associada a metronidazol. TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1 10

11 54. O dr. Archibald Joseph Cronin, médico e escritor escocês, escreveu, em 1937, o romance A cidadela. Nele, o autor descreve a trajetória e a carreira do dr. Andrew Manson, iniciada na pequena cidade de Blaenelly (sul do País de Gales). O trecho transcrito do livro inicia-se com um bilhete escrito ao dr. Manson: Venha imediatamente. Quero que me ajude a atestar um caso de loucura perigosa. (...) Temos que mandá-lo quanto antes para Pontynewad. O atestado requer duas assinaturas. (...) O caso parece bem grave comentou Andrew arrastadamente. Bem, vou ver o homem! (...) Encaminhou-se para Emlyn, a quem no primeiro momento quase não reconheceu. A mudança era total. Era ainda Emlyn que estava ali, mas um Emlyn alterado, desfeito, com qualquer coisa de embrutecido nas feições. O rosto parecia inchado, as narinas intumescidas, a pele macerada, tendo apenas uma leve mancha vermelha a estender-se pelo nariz. Todo o seu aspecto era pesado, apático. Andrew falou-lhe. Ele resmungou uma resposta ininteligível. E, então, torcendo as mãos, saiu-se com uma série de tolices agressivas, que vinham em auxílio da opinião de Bramwell, para tornar ainda mais positiva a necessidade de sua remoção. Deve existir uma razão, pensava Manson teimosamente. Os sintomas não se manifestam à toa. Fitando as feições inchadas que tinha diante dele, quebrando a cabeça para decifrar a charada, instintivamente estendeu o braço e tocou a face intumescida, notando, subconscientemente, ao fazer isso, que o calcar do dedo não deixava nenhuma depressão no rosto edematoso. Após complementar sua minuciosa propedêutica, o dr. Andrew Manson perceberia também um (A) diferencial de pressão arterial alargado. (B) flapping de extremidades. (C) reflexo aquileu alentecido. (D) atrito pericárdico. (E) aumento da temperatura corporal. Leia o enunciado para responder às questões de números 55 e 56. Considere as seguintes condições clínicas relacionadas, em que os pacientes apresentavam níveis de potássio sérico de 6,2 meq/l. I. Homem de 38 anos de idade, alcoólatra, encontrado adormecido após 3 dias de perda de contato com familiares, e apresentando níveis de CPK (creatinofosfoquinase) de 3500 UI/L. II. Mulher de 73 anos de idade, admitida em pronto-atendimento com desidratação acentuada e glicemia de 640 mg/dl. III. Homem de 56 anos de idade com plaquetose ao hemograma (800 mil plaquetas/mm³). IV. Homem de 58 anos de idade, portador de insuficiência renal crônica dialítica, que perdera suas duas últimas sessões de hemodiálise. V. Mulher de 63 anos de idade, hipertensa e diabética há 20 anos, em uso de enalapril e espironolactona. 55. Apresentam nível de potássio corporal total aumentado, apenas os pacientes representados pelos itens (A) I e II. (B) II e III. (C) II e IV. (D) III e IV. (E) IV e V. 56. Apresenta nível de potássio corporal total reduzido, apenas o(a) paciente representado(a) pelo item (A) I. (B) II. (C) III. (D) IV. (E) V. 57. Dor em faixa em andar superior de abdômen, com caráter recorrente há vários meses, irradiada ao dorso, associada a esteatorreia, pode coexistir com (A) hipocalcemia. (B) hipercalcemia. (C) hiponatremia. (D) hipernatremia. (E) hipocalemia. Leia o enunciado para responder às questões de números 58 e 59. Mulher de 24 anos de idade iniciou, há cerca de 2 horas e meia, episódio de cefaleia hemicraniana à esquerda, com caráter pulsátil, associada a náuseas e um episódio de vômito, além de fotofobia. Não apresentava, no período de evolução, febre medida. O exame físico neurológico não revelou anormalidades. 58. A hipótese diagnóstica mais provável é (A) cefaleia em salva. (B) meningite aguda. (C) crise de enxaqueca. (D) trombose do seio venoso. (E) cefaleia tensional. 59. Após a administração de medicação específica para o controle da dor, a paciente referiu precordialgia de forte intensidade em aperto. A medicação provavelmente administrada foi (A) dipirona sódica. (B) tramadol. (C) paracetamol + codeína. (D) sumatriptano. (E) cetoprofeno. 11 TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1

12 60. Homem de 67 anos de idade com antecedente de gastrectomia total curativa por neoplasia gástrica há 5 anos, refere, há 6 meses, perda de memória, sensação de fraqueza, parestesia em membros inferiores e palidez cutânea. O exame físico evidenciou palidez cutâneo-mucosa, taquicardia (frequência cardíaca de 108 bpm), diminuição de reflexos profundos em membros inferiores e marcha atáxica. O diagnóstico mais provável é (A) anemia megaloblástica por deficiência de vitamina B12. (B) metástase cerebral. (C) síndrome de Zollinger-Ellison. (D) anemia ferropriva. (E) síndrome de Guillain-Barré. 61. Paciente do sexo masculino, 24 anos de idade, usuário crônico de drogas intravenosas, dá entrada no pronto-atendimento com quadro de hemiparesia direita e confusão mental de início relativamente súbito, acompanhada de febre e cefaleia. Há alguns meses, de acordo com o acompanhante, vinha apresentando emagrecimento. A tomografia de crânio evidenciou lesões nodulares, com aspecto de anel, em núcleos da base e córtex cerebral, além de edema e discreto desvio de linha média. O tratamento correto a ser instituído é (A) ceftriaxone 4 g/dia. (B) anfotericina IV. (C) esquema tríplice com rifampicina, isoniazida e pirazinamida. (D) sulfadiazina, pirimetamina e ácido folínico. (E) zidovudina, lamivudina e efavirenz. O enunciado deverá ser utilizado para responder às questões de números 62 a 64. Paciente do sexo feminino, 16 anos de idade, é levada ao pronto-atendimento com história de 3 dias de sede intensa, aumento da ingesta hídrica e poliúria. Há 1 dia com adinamia, prostração, náuseas e vômitos. O exame físico evidenciou desidratação, sonolência, taquipneia e hálito cetônico; PA 85x60 mmhg, FC 120 bpm e FR 29 ipm; auscultas cardíaca e pulmonar normais; dor abdominal difusa à palpação profunda. A análise de urina evidenciou presença de corpos cetônicos e glicosúria acentuada. A gasometria arterial revelou ph = 7,10 e bicarbonato = 12 meq/l. 62. A conduta terapêutica inicial correta é (A) administração de solução fisiológica 0,45% e insulina regular subcutânea. (B) administração de solução fisiológica 0,9% e insulina regular intravenosa. (C) administração de solução fisiológica 0,9% e bicarbonato de sódio 8,4% intravenoso. (D) administração de bicarbonato de sódio 8,4% e insulina regular intravenosos. (E) administração de solução fisiológica 0,9% e insulina NPH subcutânea. TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V A complicação hidroeletrolítica mais comum após a abordagem terapêutica inicial é (A) hipocloremia. (B) hipomagnesemia. (C) hipernatremia. (D) hipercalemia. (E) hipocalemia. 64. No terceiro dia de tratamento adequado, a paciente ainda apresenta cetonúria residual, dificuldade no controle glicêmico e três picos febris de 38 ºC nas últimas 12 horas. A conduta mais apropriada nesse momento será (A) solicitar radiografia de tórax e passar a administrar solução glicosada. (B) manter o tratamento atual já que a febre é esperada na evolução desses pacientes. (C) iniciar antibioticoterapia empírica e pesquisar foco infeccioso. (D) iniciar hidrocortisona intravenosa. (E) iniciar cobertura antifúngica. 65. Considere as gasometrias arteriais: I. ph = 7,18 / pco2 = 71 / po2 = 49 / HCO3 = 28 / BE = +6. II. ph = 7,08 / pco2 = 16 / po2 = 79 / HCO3 = 8 / BE = 9. A alternativa que reúne as condições patológicas que melhor correspondem, respectivamente, a elas é (A) I. Pneumotórax agudo; II. Insuficiência renal aguda. (B) I. Polirradiculoneurite; II. DPOC descompensado. (C) I. DPOC descompensado; II. Cetoacidose diabética. (D) I. Pneumonia lobar; II. Uso abusivo de diurético de alça. (E) I. Insuficiência renal aguda; II. Hiperemese. 66. Durante avaliação de rotina de um paciente assintomático, foram solicitadas algumas sorologias. Os resultados dos exames mostraram: HBsAg: não reagente. Anti-HBs: reagente. HBeAg: não reagente. Anti-HBe: reagente. Anti-HBc Total: reagente. Anti-HCV: não reagente. A correta interpretação desse painel sorológico é: (A) trata-se de hepatite B crônica com replicação viral ativa. (B) o paciente recebeu vacina e foi imunizado contra a hepatite B. (C) trata-se de hepatite B aguda. (D) o paciente é portador crônico do vírus da hepatite C. (E) o paciente foi infectado pelo vírus da hepatite B e desenvolveu imunidade.

13 67. Em relação ao Helicobacter pylori, é correto afirmar que (A) sua pesquisa é apenas possível por via endoscópica, dificultando seu diagnóstico. (B) seu tratamento é incompatível com o uso concomitante de bloqueadores da bomba de prótons. (C) trata-se de agente oportunista, sem relação causal com doenças pépticas. (D) está fortemente associado a gastrite atrófica autoimune e anemia perniciosa. (E) deve ser pesquisado e erradicado em pacientes portadores de úlcera gástrica. 68. Assinale a alternativa que não satisfaz adequadamente o binômio medicamento / efeito colateral potencial. (A) Espironolactona / ginecomastia. (B) Anfotericina / hiponatremia. (C) Enalapril / tosse seca. (D) Propiltiuracil / agranulocitose. (E) Beclometasona inalatória / monilíase oral. 69. Mulher de 72 anos de idade, portadora de diabetes mellitus tipo 2, iniciou há 1 semana queixa de polaciúria, disúria e febre baixa. Há 3 dias, sem procurar atendimento médico, passou a apresentar febre alta de 39 ºC e dor lombar à direita. A introdução de antibiótico deve ser (A) adiada até o recebimento final da urocultura, a menos que haja piora clínica. (B) evitada, pois dificultaria o diagnóstico etiológico. (C) evitada, pois o exame de urina I foi normal. (D) iniciada de maneira empírica, voltada para o trato urinário. (E) apenas iniciada após constatação de leucocitúria em repetição de exame de urina I. O enunciado deverá ser utilizado para responder às questões de números 70 e 71. Mulher de 42 anos de idade, previamente hígida, refere astenia e cansaço ao desempenhar suas atividades habituais, com gradual progressão nos últimos 3 meses. Ao exame físico, apresenta-se em bom estado geral, hipocorada (2+ a 3+/4+) e eupneica. Sua PA é de 130x60 mmhg e o pulso, de 104 bpm em repouso. O hemograma evidenciou: Hb = 8,6 g/dl, Ht = 26%, VCM (volume corpuscular médio) = 61 e HCM = 23, leucócitos (diferenciação normal) e 230 mil plaquetas. 70. O provável comportamento bioquímico do ferro sérico, da ferritina e da transferrina é, respectivamente, (A) ferro sérico reduzido; ferritina reduzida; transferrina aumentada. (B) ferro sérico reduzido; ferritina normal; transferrina aumentada. (C) ferro sérico reduzido; ferritina reduzida; transferrina reduzida. (D) ferro sérico normal; ferritina normal; transferrina reduzida. (E) ferro sérico normal; ferritina reduzida; transferrina reduzida. 71. Inicialmente, essa paciente deverá ser tratada com (A) transfusão sanguínea imediata, por estar taquicárdica em repouso. (B) reposição de vitamina B12. (C) reposição de ácido fólico e vitamina B12. (D) reposição de sulfato ferroso. (E) administração de eritropoetina. 72. Homem de 42 anos de idade, etilista crônico (equivalente a 80 g de etanol ao dia), foi admitido no pronto-socorro após apresentar vários episódios de vômito seguidos por hematêmese. Apresentava PA de 80x60 mmhg e pulso de 124 bpm. O provável sítio de lesão e a conduta mais apropriada para o caso são, respectivamente, (A) estômago; expansão volêmica com cristaloide e endoscopia digestiva alta. (B) duodeno; expansão volêmica com hemoderivado e endoscopia digestiva alta. (C) papila duodenal; dopamina e colangiopancreatografia. (D) cavidade oral; expansão volêmica com coloide e laringoscopia. (E) transição esôfago-gástrica; expansão volêmica com cristaloide e endoscopia digestiva alta. O enunciado deverá ser utilizado para responder às questões de números 73 a 75. Paciente de 57 anos de idade, sexo masculino, diabético e tabagista, apresenta quadro de tosse produtiva com laivos de sangue e febre há 2 dias. Ao exame físico, ele se encontra em regular estado geral, T = 39,5 C, PA = 120x80 mmhg, FC = 112 bpm, FR = 28/minuto, anictérico, desidratado 1+/4+. O exame físico do aparelho respiratório evidenciou submacicez e estertores crepitantes nos terços médio e inferior do hemitórax direito. 73. A melhor conduta a ser adotada é (A) solicitar pesquisa de BAAR no escarro e PPD. (B) solicitar radiografia de tórax e iniciar antibioticoterapia com ceftriaxone 2 g/dia e claritromicina. (C) administrar benzilpenicilina benzatina e reavaliar em 48 horas. (D) solicitar sorologia para Mycoplasma pneumoniae e iniciar carbapenêmico. (E) iniciar cefalexina via oral e solicitar cultura de escarro. 13 TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1

14 74. O paciente evoluiu com piora clínica, piora da expectoração e febre persistente. No terceiro dia de internação, logo após o almoço, o paciente internado ao lado grita por ajuda. À chegada da equipe médica, o paciente foi encontrado em seu leito com rebaixamento do nível de consciência, respiração do tipo gasping, cianose de extremidades e pulsos centrais não palpáveis. Observou-se ao seu lado e em sua cavidade oral, restos de vômito. O mecanismo fisiopatológico mais provável da parada cardiorrespiratória e o ritmo que se espera encontrar no monitor são, respectivamente, (A) hipoxemia e taquicardia sinusal. (B) acidose metabólica e fibrilação ventricular. (C) hipercalemia e fibrilação ventricular. (D) hipoxemia e assistolia. (E) hipocalemia e fibrilação ventricular. O enunciado deverá ser utilizado para responder às questões de números 78 a 80. Paciente do sexo masculino, 78 anos de idade, portador de nefropatia hipertensiva e insuficiência renal crônica dialítica, com diurese residual, após não ter comparecido às duas últimas sessões de hemodiálise, é levado ao pronto-atendimento com queixa de mal-estar intenso, dispneia, náuseas e vômitos. O paciente encontra-se dispneico, com FC = 53 bpm, FR = 22 ipm, PA = 160x100 mmhg e saturação de oxigênio de 90%. O exame físico revela presença de estertores crepitantes em bases de ambos os pulmões. O eletrocardiograma do paciente, realizado no momento da admissão, encontra-se representado a seguir: 75. A primeira droga a ser utilizada, após o início das manobras de ressuscitação cardiopulmonar, será (A) adrenalina. (B) atropina. (C) bicarbonato de sódio. (D) amiodarona. (E) dopamina. 76. O pulso paradoxal será encontrado mais frequentemente durante a evolução de um paciente com (A) bloqueio atrioventricular de segundo grau Mobitz 2. (B) pericardite constritiva. (C) bloqueio atrioventricular de terceiro grau. (D) insuficiência aórtica. (E) estenose aórtica. 77. Paciente asmática grave, 33 anos de idade, em uso de beta-agonista inalatório com corticoide, é levada ao prontoatendimento com crise reentrante de asma há pelo menos 24 horas, sem melhora após o uso de diversas inalações. Ao exame de admissão, encontra-se sonolenta, impossibilitada de falar, sudoreica, cianótica e com retração de fúrcula e tiragem intercostal. Sua pressão arterial é de 100x60 mmhg, FC = 130 bpm e FR = 38 ipm. A ausculta pulmonar evidencia diminuição global do murmúrio vesicular, com raros sibilos. A conduta imediata mais adequada nesse momento é (A) administrar corticoide intravenoso e instalar CPAP. (B) administrar aminofilina intravenosa. (C) administrar corticoide e aminofilina intravenosos. (D) solicitar radiografia de tórax e administrar beta-agonista inalatório. (E) realizar intubação orotraqueal e ventilação mecânica controlada. 78. A medicação que deverá ser imediatamente administrada após a realização desse ECG é o(a) (A) bicarbonato de sódio 8,4%. (B) solução de insulina e glicose. (C) gluconato de cálcio. (D) amiodarona. (E) metoprolol. 79. Após melhora inicial, o paciente evoluiu com elevação dos níveis pressóricos PA 180x110 mmhg, piora da dispneia e ansiedade intensa. A ausculta pulmonar revelou intensificação da estertoração crepitante, agora até o ápice de ambos os pulmões. Houve também queda da saturação, agora em 83%. O conjunto de medidas adequadas, nesse momento, inclui (A) oxigênio, captopril sublingual, AAS e trombólise com estreptoquinase. (B) oxigênio, diazepan intravenoso, furosemida e metoprolol. (C) oxigênio, nitrato SL e IV, morfina e furosemida. (D) oxigênio, nitroprussiato de sódio, diltiazem e furosemida. (E) intubação orotraqueal, nitrato SL e IV, morfina e betabloqueador. TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1 14

15 80. Após início das medidas e melhora transitória do ECG, o paciente evoluiu com nova piora eletrocardiográfica (padrão semelhante ao traçado inicial), rebaixamento do nível de consciência, pressão arterial inaudível e ausência de pulsos centrais. A conduta a ser prontamente adotada é (A) cardioversão elétrica não sincronizada com 200 joules. (B) instalação de pás de marca-passo transcutâneo e início de estimulação com FC de 70 bpm. (C) intubação orotraqueal imediata. (D) início de compressão torácica intercalada com ventilação pulmonar. (E) administração de bicarbonato de sódio e noradrenalina. O enunciado deverá ser utilizado para responder às questões de números 83 a 85. Paciente de 58 anos de idade, sexo masculino, hipertenso, diabético tipo 2, portador de insuficiência coronariana crônica (angioplastia com stent farmacológico em artéria circunflexa há dois anos), não apresenta antecedentes de alergias a medicamentos e vem em uso de atenolol 25 mg ao dia, anlodipina 10 mg ao dia e metformina 850 mg antes do almoço e do jantar. Está atualmente assintomático e deseja continuar o acompanhamento clínico. Seu exame físico mostra pressão arterial de 160x100 mmhg (confirmada em duas medidas em condições apropriadas) e FC = 96 bpm. Não apresenta outras anormalidades. Exames laboratoriais atuais: Glicemia de jejum 152 mg/dl, Colesterol total 188 mg/dl, LDL 123 mg/dl, HDL 30 mg/dl, Triglicérides 209 mg/dl. Hemograma, função renal e tireoideana normais. O enunciado deverá ser utilizado para responder às questões de números 81 e 82. Paciente do sexo masculino, 82 anos de idade, portador de estenose aórtica moderada, relata adinamia, prostração e febre diária de 37,5 38 ºC há pelo menos 2 meses. O exame físico revelou sopro sisto-diastólico aórtico e petéquias conjuntivais, e três pares de hemocultura revelaram a presença de Streptococcus bovis. 81. O tratamento de escolha deverá ser 83. Em relação à hipertensão arterial desse paciente, a melhor conduta a ser tomada será (A) aumentar a dose de anlodipina. (B) associar diurético tiazídico ao tratamento. (C) suspender as medicações anti-hipertensivas e solicitar um MAPA de 24 horas. (D) administrar nifedipina sublingual e associar diurético tiazídico. (E) aumentar a dose do atenolol. (A) ampicilina e ceftriaxone. (B) penicilina cristalina e gentamicina. (C) penicilina cristalina e eritromicina. (D) vancomicina e meropenem. (E) oxacilina e amicacina. 82. Exames obrigatórios a serem realizados durante a internação desse paciente são 84. Em relação à dislipidemia desse paciente, a melhor conduta a ser tomada será (A) associar bezafibrato ao tratamento. (B) associar fibrato e estatina ao tratamento. (C) manter o tratamento atual, visto que o colesterol total é menor que 200 mg/dl. (D) reforçar orientação nutricional e prescrever estatina. (E) reforçar orientação nutricional e prescrever fenofibrato. (A) endoscopia digestiva alta e ecocardiograma. (B) colonoscopia e ecocardiograma. (C) dosagem de PCR ultrassensível e urocultura. (D) holter de 24 horas e ecocardiograma. (E) dispensáveis, pois não há necessidade de exames complementares. 85. Além das medidas anteriormente adotadas, o(s) medicamento(s) que deverá(ão) ser associado(s) é(são) (A) o ácido acetilsalicílico. (B) o clopidogrel e a glibenclamida. (C) o clopidogrel e o ácido acetilsalicílico. (D) a ticlopidina e a glimepirida. (E) o ácido nicotínico. 15 TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1

16 86. São achados clássicos da doença de Basedow-Graves: (A) ganho de peso, intolerância ao frio, bradicardia e queda de pelos. (B) taquicardia, intolerância ao calor, exoftalmia e perda de peso. (C) edema de membros inferiores, macroglossia e bradicardia. (D) arritmia cardíaca, pele seca, incontinência fecal e ganho de peso. (E) sudorese, palpitações, edema de papila ocular e picos hipertensivos. 87. De acordo com o Código de Ética Médica, é vedado ao médico (A) recusar-se a exercer sua profissão em instituição pública ou privada onde as condições de trabalho não sejam dignas ou possam prejudicar o paciente. (B) internar e assistir seus pacientes em hospitais privados, ainda que não faça parte do seu corpo clínico. (C) apontar, ao CRM e à comissão de ética de sua região, falhas nos regulamentos e normas das instituições em que trabalhe. (D) efetuar qualquer procedimento médico sem o esclarecimento e o consentimento prévios do paciente ou de seu responsável legal, salvo iminente perigo de vida. (E) recusar a realização de atos médicos que sejam contrários aos princípios de sua consciência. 89. Os achados laboratoriais que estão diretamente associados com o mecanismo fisiopatológico de síncope nesse paciente são (A) hiponatremia e anemia. (B) anemia e insuficiência renal. (C) hipocalemia e insuficiência renal. (D) hiponatremia e insuficiência renal. (E) hipocalemia e anemia. 90. Dentre as medicações utilizadas por esse paciente, duas delas, comprovadamente, aumentam a sobrevida de pacientes com insuficiência cardíaca congestiva. São elas: (A) captopril e furosemida. (B) furosemida e carvedilol. (C) digoxina e captopril. (D) digoxina e amiodarona. (E) carvedilol e captopril. O enunciado deverá ser utilizado para responder às questões de números 88 a 90. Paciente proveniente da Bahia, sexo masculino, 69 anos de idade, portador de miocardiopatia dilatada de etiologia chagásica, vem apresentando episódios recorrentes de síncope há pelo menos 2 semanas. Os episódios não possuem pródromos e refere ter apresentado traumatismo craniano leve em evento ocorrido há um dia. Explica que os únicos sintomas que apareceram na última semana foram náuseas, visão discretamente amarelada e oligúria. Chega no pronto-atendimento relatando uso de carvedilol 25 mg/dia, captopril 100 mg/dia, amiodarona 200 mg/dia, digoxina 0,25 mg/dia, furosemida 60 mg/dia, gingko biloba e em vigência de restrição hídrica de ml/dia. O exame físico evidencia FC = 50 bpm, FR = 12 ipm, PA = 100x60 mmhg, ausculta cardíaca com ritmo regular e sopro sistólico 2+/4+ regurgitativo em foco mitral e ausculta pulmonar com estertores crepitantes em bases de ambos os pulmões. Estão disponíveis os seguintes exames laboratoriais: Creatinina = 2,3 mg/dl, Uréia = 92 mg/dl, Na = 129 meq/l, K = 2,9 meq/l, Hb = 10,2 g/dl e Ht = 33%. O eletrocardiograma de repouso revelou bradicardia sinusal, bloqueio atrioventricular de primeiro grau e bloqueio do ramo direito. 88. O mecanismo fisiopatológico provavelmente responsável pelas síncopes do paciente é (A) arritmia ventricular complexa. (B) hipotensão postural. (C) distúrbio do sistema de condução elétrica do coração. (D) neurocardiogênico. (E) fibrilação atrial paroxística com alta resposta ventricular. TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V1 16

17 PODER JUDICIÁRIO Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Concurso Público 2. Prova Objetiva Médico Clínico Geral INSTRUÇÕES Você recebeu sua folha de respostas e este caderno contendo 90 questões objetivas. Confira a versão de seu caderno com a versão constante na etiqueta da sua carteira. Confira seu nome e número de inscrição impressos na capa deste caderno. Leia cuidadosamente as questões objetivas e escolha a resposta que você considera correta. Marque na tira a alternativa que julgar certa e transcreva-a para a folha de respostas, com caneta de tinta azul ou preta. Responda a todas as questões. A duração da prova é de 4 horas. O candidato que se retirar da sala após 1 hora do início da prova deverá entregar ao fiscal o caderno de questões e a folha de respostas. O candidato que se retirar da sala após 2 horas do início da prova deverá entregar ao fiscal a folha de respostas e poderá levar o caderno de questões. Aguarde a ordem do fiscal para abrir este caderno de questões

18 Informática 01. Observe a figura. Em uma planilha não protegida do MS Excel 2000 na sua configuração original, a célula G8 contém uma fórmula. Na formatação dessa célula, a aba Proteção foi acessada e marcada como mostra a figura. Após clicar em OK, a fórmula (A) e a coluna G estarão ocultas. (B) e os dados da célula G8 estarão ocultos. (C) e os dados da célula G8 estarão visíveis. (D) estará visível, mas o dado da G8 estará oculto. (E) estará oculta e o dado da célula G8 estará visível. 02. O Dr. João Carlos gravou, em seu HD, vários trabalhos que ele desenvolveu utilizando diferentes softwares: PowerPoint, Microsoft Word, Microsoft Excel, Microsoft Access e Bloco de Notas; no entanto, não se lembra do nome dos arquivos nem em qual pasta do HD foram gravados. Para encontrar os arquivos referentes aos softwares mencionados, ele deve utilizar o gerenciador de arquivos do WinXP. Na janela do gerenciador, deve ativar a opção pesquisar da barra de ferramentas e, no item Todos os arquivos e pastas, deve preencher o campo Todo ou parte do nome do arquivo com: (A).ppt,.doc,.xls,.rar,.txt (B).doc,.mdb,.txt,.ppt,.aiv (C).ppt,.doc,.pdf,.txt,.mdb (D).doc,.ppt,.xls,.aiv,.txt (E).mdb,.ppt,.doc,.txt,.xls TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V3 2

19 03. O Dr. João Carlos, médico ginecologista, está usando o Internet Explorer para realizar uma busca na Internet sobre a patologia apresentada por uma de suas pacientes, por meio do site Na pesquisa, ele deseja desprezar o conteúdo das páginas e concentrar a busca nas URLS. Assinale a alternativa que contém a expressão que ele deve utilizar antes da palavra a ser pesquisada. (A) inurl: (B) link: (C) intext: (D) intitle: (E) filetype: 04. A Internet é uma rede pública de comunicação de dados, com controle descentralizado, e que utiliza o conjunto de protocolos TCP/IP como base para a estrutura de comunicação e seus serviços de rede. A arquitetura TCP/IP não só fornece os protocolos que habilitam a comunicação de dados entre redes, como também define uma série de aplicações que contribuem para eficiência e sucesso da arquitetura. Assinale a alternativa que estabelece a relação correta entre as colunas PROTOCOLO e SERVIÇO. PROTOCOLO SERVIÇO 1 - HTTP Associação do nome da máquina ao endereço IP 2 - FTP Envio de 3 - SMTP Login remoto seguro 4 - SSH Navegação na World Wide Web 5 - DNS Transporte de arquivos 6 - TELNET Sessão de trabalho numa máquina remota (A) 5, 2, 3, 4, 1, 6 (B) 5, 3, 4, 1, 2, 6 (C) 5, 3, 1, 4, 6, 2 (D) 6, 3, 4, 1, 5, 2 (E) 4, 3, 5, 1, 2, 6 conhecimentos gerais 05. Segundo a Agência Brasil ( ), o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), classificou como um absurdo o pagamento de R$ 6 milhões em horas extras para 3,8 mil funcionários da Casa durante o mês de janeiro, período de recesso parlamentar, quando não são feitas sessões, reuniões ou votações de matérias: Acho um absurdo. Não acho correto. É preciso verificar o que aconteceu. No dia 12 de março, o 1º. Secretário do Senado, Heráclito Fortes, informou, a respeito desse assunto, que (A) será criado um setor de Recursos Humanos no Senado para impedir abusos como esse. (B) os salários de todos os funcionários beneficiados serão suspensos até a solução do problema. (C) o Senado decidiu criar uma comissão de sindicância para punir os culpados. (D) se estuda terceirizar todos os serviços do Senado. (E) os funcionários terão os valores recebidos descontados de seus salários em dez vezes sem juros. 06. Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, para Stiglitz, a crise atual é uma derrota do pensamento de direita. Ele disse que a derrocada do mercado subprime e de derivativos foi ser a prova de que a ideia de que o mercado se regula sozinho provou que estava errada. Segundo o professor, que foi prêmio Nobel de Economia em 2001, os economistas de direita acreditavam que havia uma seleção natural, que os mais aptos sobreviviam, não foi o que se viu entre os bancos americanos. A essa seleção natural o estudioso americano chamou de (A) positivismo financeiro. (B) dialética de mercado. (C) darwinismo econômico. (D) surrealismo compensatório. (E) marketing ideológico. 07. A primeira extração de petróleo da camada pré-sal foi feita em maio deste ano em poço da bacia de Santos. Geograficamente, a bacia de Santos ocupa uma área de aproximadamente 352 mil km 2, abrangendo (A) o litoral do Rio de Janeiro e Espírito Santo, toda a faixa litorânea de São Paulo, do Paraná e Santa Catarina e parte do litoral do Rio Grande do Sul. (B) parte do litoral do Espírito Santo, toda a faixa litorânea do Rio de Janeiro, de São Paulo, do Paraná e Santa Catarina. (C) parte do litoral do Rio de Janeiro, toda a faixa litorânea de São Paulo, do Paraná e Santa Catarina e parte do litoral do Rio Grande do Sul. (D) parte do litoral do Rio de Janeiro, toda a faixa litorânea de São Paulo e do Paraná e parte do litoral de Santa Catarina. (E) parte do litoral do Rio de Janeiro, toda a faixa litorânea de São Paulo e parte do litoral do Paraná. 3 TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V3

20 08. Tomando como ponto de partida os crimes praticados pelo funcionário público contra a administração em geral, assinale a alternativa correta. I. O crime de emprego irregular de verbas ou rendas públicas consiste no desvio de destinação da verba pública para outra finalidade que não a especificada em lei. II. O funcionário público que intencionalmente inutilizar a página de um processo na qual havia uma cota do representante do Ministério Público pratica crime punido com pena de reclusão. III. A exigência de vantagem indevida, em razão da função pública, caracteriza o crime de concussão. (A) Somente a afirmativa II está correta. (B) Somente a afirmativa III está correta. 11. Condescendência criminosa (A) é um crime que o funcionário público pratica motivado pela indulgência. (B) é uma modalidade criminosa para a qual é previsto expressamente o chamado perdão judicial, ou seja, o juiz deverá, ao analisar o caso concreto, deixar de aplicar a pena caso entenda ser ela desnecessária para a punição do delito. (C) é um crime que pode ser praticado por qualquer pessoa e que tem pena de reclusão de um a três anos. (D) era a conduta típica prevista no art. 320 do Código Penal, que recentemente foi revogado. (E) é uma conduta que não tipifica crime previsto no Código Penal. (C) Somente as afirmativas I e III estão corretas. (D) Somente as afirmativas II e III estão corretas. (E) Todas as afirmativas estão corretas. 09. Se uma professora da rede pública de ensino, em razão de uma falha no sistema bancário, recebe um salário maior do que o que lhe é devido, e intencionalmente não devolve o dinheiro aos cofres públicos, (A) pratica o crime de peculato, previsto no art. 312 do CP. (B) pratica o crime de peculato mediante erro de outrem, previsto no art. 313 do CP. (C) pratica o crime de concussão. (D) pratica o crime de corrupção passiva. (E) não pratica crime algum, pois não teve nenhuma participação na falha do sistema bancário. 10. Para que o crime de prevaricação em umas das suas formas legais reste configurado, é preciso que o funcionário público (A) retarde a execução de um ato de ofício com a finalidade de obter vantagem financeira para si ou para outrem. (B) retarde a execução de um ato de ofício com a finalidade de obter vantagem patrimonial ou pessoal. (C) deixe de praticar ato de ofício para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. (D) deixe de praticar ato de ofício, sem qualquer finalidade especial. (E) retarde a execução de um ato de ofício, sem qualquer finalidade especial. 12. No tocante à responsabilidade civil dos médicos, é correto o que se afirma em: (A) é regulada pelas normas do Código Civil e pelo Código de Defesa do Consumidor, por ser uma relação de consumo. (B) a relação jurídica entre o médico e o paciente é extracontratual, exceto se houver contrato escrito. (C) a obrigação do médico é de resultado, devendo aplicar todos os meios necessários para a cura de seu paciente. (D) devido aos riscos da atividade médica, o médico responde pelos danos causados aos pacientes, mesmo não comprovado o erro. (E) o médico responderá sempre que houver dano a seu paciente e nexo de causalidade com a sua atividade. 13. Quanto ao erro de diagnóstico médico, aponte a alternativa correta. (A) Sendo a responsabilidade contratual, o médico responde se houver erro ao definir a enfermidade de seu paciente. (B) Haverá responsabilidade se o erro decorrer de falta de prudência na avaliação clínica do paciente. (C) Se o atendimento tiver sido em decorrência da indicação de outro profissional de saúde, não há erro na avaliação médica posterior. (D) Só haverá responsabilidade se o erro decorreu de um ato doloso do profissional médico. (E) Haverá responsabilidade mesmo que o erro de diagnóstico não tenha influenciado na evolução da doença. TJSP0901/02-MédicoClínicoGeral-V3 4

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel Insuficiência respiratória aguda O que é!!!!! IR aguda Incapacidade do sistema respiratório de desempenhar suas duas principais funções: - Captação de oxigênio para o sangue arterial - Remoção de gás carbônico

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO

CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Programa de Educação Tutorial PET Medicina CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO Paulo Marcelo Pontes Gomes de Matos OBJETIVOS Conhecer o que é Edema Agudo

Leia mais

Cardiologia Hemodinâmica

Cardiologia Hemodinâmica 1 Concurso Público 2011 Cardiologia Hemodinâmica Questão 1: Homem de 40 anos de idade, brasileiro (RJ), solteiro e comerciante, apresentou dor precordial intensa, acompanhada de palpitações e desencadeada

Leia mais

b) indique os exames necessários para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau de comprometimento da doença. (8,0 pontos)

b) indique os exames necessários para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau de comprometimento da doença. (8,0 pontos) 01 Um homem de 30 anos de idade, que morou em área rural endêmica de doença de Chagas até os 20 anos de idade, procurou banco de sangue para fazer doação de sangue e foi rejeitado por apresentar sorologia

Leia mais

6/1/2014 DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO. Perfusão sanguínea

6/1/2014 DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO. Perfusão sanguínea DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO Lilian Caram Petrus, MV, Msc Equipe Pet Cor de Cardiologia Doutoranda FMVZ-USP Vice- Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Veterinária Estado de baixa perfusão

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC)

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC) INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC) Categorias: - ICC aguda sem diagnóstico prévio - ICC crônica agudizada - ICC crônica refratária Apresentações clínicas: - Edema agudo de pulmão: rápido aumento da

Leia mais

a. CONSIDERAÇÕES ESPECIAIS DE AVALIAÇÃO Objetivos do tratamento pré-hospitalar da síndrome coronariana aguda

a. CONSIDERAÇÕES ESPECIAIS DE AVALIAÇÃO Objetivos do tratamento pré-hospitalar da síndrome coronariana aguda Parte II P R O T O C O L O S D E D O E N Ç A S C A R D I O V A S C U L A R E S [111] 47. SÍNDROME CORONARIANA AGUDA a. CONSIDERAÇÕES ESPECIAIS DE AVALIAÇÃO A isquemia do miocárdio resulta do desequilíbrio

Leia mais

- Miocardiopatias. - Arritmias. - Hipervolemia. Não cardiogênicas. - Endotoxemia; - Infecção Pulmonar; - Broncoaspiração; - Anafilaxia; - Etc..

- Miocardiopatias. - Arritmias. - Hipervolemia. Não cardiogênicas. - Endotoxemia; - Infecção Pulmonar; - Broncoaspiração; - Anafilaxia; - Etc.. AULA 13: EAP (EDEMA AGUDO DE PULMÃO) 1- INTRODUÇÃO O edema agudo de pulmão é uma grave situação clinica, de muito sofrimento, com sensação de morte iminente e que exige atendimento médico urgente. 2- CONCEITO

Leia mais

DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO

DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: : FLÁVIA NUNES DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO ENDOCARDITE REUMÁTICA O desenvolvimento da endocardite reumática é atribuído diretamente à febre reumática, uma doença

Leia mais

Paciente de 89 anos, vem à consulta médica relatando nauseas e vômitos há 2 dias. Previamente à consulta encontravase bem, assintomática.

Paciente de 89 anos, vem à consulta médica relatando nauseas e vômitos há 2 dias. Previamente à consulta encontravase bem, assintomática. Paciente de 89 anos, vem à consulta médica relatando nauseas e vômitos há 2 dias. Previamente à consulta encontravase bem, assintomática. Faz tratamento para hipertensão arterial e insuficiência cardíaca

Leia mais

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 28 de Fevereiro

Leia mais

SISTEMA CIRCULATÓRIO II

SISTEMA CIRCULATÓRIO II SISTEMA CIRCULATÓRIO II Conceito: Edema pulmonar é o acúmulo anormal de líquidos nos pulmões. Observação: se a cada batimento, o VD bombear apenas 1 gota a mais de sangue que o VE, dentro de 2 horas o

Leia mais

Justificativa Depende dos exames escolhidos. Residência Médica Seleção 2014 Prova Clínica Médica Expectativa de Respostas. Caso Clínico 1 (2 pontos)

Justificativa Depende dos exames escolhidos. Residência Médica Seleção 2014 Prova Clínica Médica Expectativa de Respostas. Caso Clínico 1 (2 pontos) Caso Clínico 1 (2 pontos) Uma mulher de 68 anos, hipertensa, é internada com afasia e hemiparesia direita de início há meia hora. A tomografia de crânio realizada na urgência não evidencia sangramento,

Leia mais

Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP)

Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) É parada súbita e inesperada da atividade mecânica ventricular útil e suficiente

Leia mais

Aparelho Cardiovascular

Aparelho Cardiovascular Aparelho Cardiovascular DOR TORÁCICA Angina IAM Dissecção Hidrotórax Pneumotórax TEP Pericardite Perfuração do esôfago ECG. Raio X Enzimas Cardíacas. Gasometria arterial se FR alta ou cianose Estável Instituir

Leia mais

2. HIPERTENSÃO ARTERIAL

2. HIPERTENSÃO ARTERIAL TESTE ERGOMETRICO O teste ergométrico serve para a avaliação ampla do funcionamento cardiovascular, quando submetido a esforço físico gradualmente crescente, em esteira rolante. São observados os sintomas,

Leia mais

Protocolo de Dor Torácica / Doença Arterial Coronariana (DAC)

Protocolo de Dor Torácica / Doença Arterial Coronariana (DAC) Protocolo de Dor Torácica / Doença Arterial Coronariana (DAC) 1 - Epidemiologia No Brasil, as doenças cardiovasculares (DCV) representam a principal causa de mortalidade. Calcula-se que existam 900.000

Leia mais

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac DENGUE Treinamento Rápido em Serviços de Saúde Médico 2015 Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac O Brasil e o estado de São Paulo têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos

Leia mais

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2015

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2015 Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2015 PROVA PARA OS PROGRAMAS DE: HEMODINÂMICA E CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA; ECOCARDIOGRAFIA DADOS DO CANDIDATO NOME: INSCRIÇÃO: CADEIRA: COMISSÃO ESTADUAL

Leia mais

Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria

Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria 2012 Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria UNIPAC-Araguari Santa Casa de Araguari 2012 2 INTRODUÇÃO Pneumonia é uma inflamação ou infecção dos pulmões que afeta as unidades de troca

Leia mais

Fibrilação atrial Resumo de diretriz NHG M79 (segunda revisão parcial, agosto 2013)

Fibrilação atrial Resumo de diretriz NHG M79 (segunda revisão parcial, agosto 2013) Fibrilação atrial Resumo de diretriz NHG M79 (segunda revisão parcial, agosto 2013) grupo de estudos NHG-fibrilação atrial traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para

Leia mais

ADA. ão, acesso venoso, e drogas. desfibrilação

ADA. ão, acesso venoso, e drogas. desfibrilação C - CIRCULAÇÃO BÁSICA B E AVANÇADA ADA Monitoração, desfibrilação ão, acesso venoso, e drogas Hospital Municipal Miguel Couto Centro de Terapia Intensiva Dr David Szpilman CONCEITO DE PCR: Cessação súbita

Leia mais

Síndrome Coronariana Aguda

Síndrome Coronariana Aguda Síndrome Coronariana Aguda CLASSIFICAÇÃO DA DOR TORÁCICA AGUDA. - Dor anginosa típica (tipo A) - Dor provavelmente anginosa (tipo B) - Dor provavelmente não anginosa (tipo C) - Dor não anginosa (tipo D):

Leia mais

EXAME NACIONAL DE REVALIDAÇÃO D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS.

EXAME NACIONAL DE REVALIDAÇÃO D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS. D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS Prova Discursiva LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Verifique se, além deste caderno, você recebeu

Leia mais

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO)

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO) DADOS DO PACIENTE PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO) Iniciais: Registro: Sexo: ( ) Feminino ( ) Masculino Data de nascimento: / /

Leia mais

PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA

PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA Nome: Dia: 20 de dezembro de 2012. 01 - A conduta inicial em embolia

Leia mais

CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE

CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE DOR TORÁCICA CARDÍACA LOCAL: Precordio c/ ou s/ irradiação Pescoço (face anterior) MSE (interno) FORMA: Opressão Queimação Mal Estar FATORES DESENCADEANTES:

Leia mais

Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados

Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados - O que são palpitações cardíacas? A palpitação ocorre quando passamos a perceber os batimentos cardíacos ECG demonstrando batimento

Leia mais

Caso Clínico. Luana Silva Bessa Guimarães

Caso Clínico. Luana Silva Bessa Guimarães Caso Clínico Luana Silva Bessa Guimarães Identificação Id: sexo masculino, 31 anos, natural e procedente de Fortaleza, pardo, católico, auxiliar de produção. Cansaço e inchaço nas pernas" Queixa Principal

Leia mais

DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL

DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL As doenças do coração são muito freqüentes em pacientes com insuficiência renal. Assim, um cuidado especial deve ser tomado, principalmente, na prevenção e no controle

Leia mais

I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS

I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS CT de Medicina I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CREMEC/Conselho Regional de Medicina do Ceará Câmara Técnica de Medicina Intensiva Câmara

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 52

PROVA ESPECÍFICA Cargo 52 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 52 QUESTÃO 26 Em relação à hipertensão do avental branco, marque a afirmativa INCORRETA: a) Normalmente, ocorre em pacientes do sexo feminino e em jovens. b) Apresenta risco cardiovascular

Leia mais

HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016

HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016 HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 2 de Fevereiro

Leia mais

ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes

ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes Situação/problema Criança com desidratação e diarreia Um menino com 6 anos de idade e com peso de 18 kg, desenvolve quadro de desidratação

Leia mais

Cetoacidose Diabética. Prof. Gilberto Perez Cardoso Titular de Medicina Interna UFF

Cetoacidose Diabética. Prof. Gilberto Perez Cardoso Titular de Medicina Interna UFF Cetoacidose Diabética Prof. Gilberto Perez Cardoso Titular de Medicina Interna UFF Complicações Agudas do Diabetes Mellitus Cetoacidose diabética: 1 a 5% dos casos de DM1 Mortalidade de 5% Coma hiperglicêmico

Leia mais

Pós Operatório. Cirurgias Torácicas

Pós Operatório. Cirurgias Torácicas Pós Operatório Cirurgias Torácicas Tipos de Lesão Lesões Diretas fratura de costelas, coluna vertebral ou da cintura escapular, hérnia diafragmática, ruptura do esôfago, contusão ou laceração pulmonar.

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc Insuficiência Cardíaca Conceito É a incapacidade do coração em adequar sua ejeção às necessidades metabólicas do organismo, ou fazê-la

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA

ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA Leia os dois casos clínicos abaixo e as perguntas que fizemos sobre eles. Mas não comece a responder ainda. Depois de analisar bem os dois casos, abra o texto Pneumonia Diretriz

Leia mais

Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial. Classificação das Arritmias (Segundo a Freqüência Cardíaca Associada)

Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial. Classificação das Arritmias (Segundo a Freqüência Cardíaca Associada) Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial Prof. Dr. Luiz F. Junqueira Jr. Universidade de Brasília Departamento de Clínica Médica - Laboratório Cardiovascular Hospital Universitário de

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

Resposta: Dilatação dos brônquios na tomografia (bronquiectasia) e nível hidro-aéreo na radiografia do tórax (abscesso).

Resposta: Dilatação dos brônquios na tomografia (bronquiectasia) e nível hidro-aéreo na radiografia do tórax (abscesso). 1 a Questão: (20 pontos) Um paciente de 35 anos, com história de sarampo na infância, complicada por pneumonia, informa que há mais de cinco anos apresenta tosse com expectoração matinal abundante e que

Leia mais

TERAPÊUTICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA

TERAPÊUTICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA Disciplina: Farmacologia Curso: Enfermagem TERAPÊUTICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA Professora: Ms. Fernanda Cristina Ferrari Controle da Pressão Arterial Sistêmica Controle Neural estimulação dos

Leia mais

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função respiratória é prioritária em qualquer situação de intercorrência clínica. O paciente

Leia mais

Síndrome coronária aguda Resumo de diretriz NHG M80 (dezembro 2012)

Síndrome coronária aguda Resumo de diretriz NHG M80 (dezembro 2012) Síndrome coronária aguda Resumo de diretriz NHG M80 (dezembro 2012) Frans Rutten, Carel Bakx, Madeleine Bruins Slot, Bernadette van Casteren, Con Derks, Ravee Rambharose, Jako Burgers, Tjerk Wiersma, Paul

Leia mais

Diretrizes de reanimação cardiopulmonar

Diretrizes de reanimação cardiopulmonar Enf: Karin Scheffel Diretrizes de reanimação cardiopulmonar Atendimento inicial suporte básico (BLS) ou suporte primário Atendimento avançado ACLS (Circulation. 2010;122[suppl 3]:S787 S817.) http://circ.ahajournals.org/content/122/18_suppl_3/s787.full

Leia mais

Ivan da Costa Barros Pedro Gemal

Ivan da Costa Barros Pedro Gemal Semiologia Abordagem ao paciente cardiopata Ivan da Costa Barros Pedro Gemal DESAFIO!! 2011 Universidade Federal Fluminense 1. Paciente idoso procura PS à noite queixando- se de falta de ar, taquicárdico

Leia mais

PNEUMONIA. Internações por Pneumonia segundo regiões no Brasil, 2003

PNEUMONIA. Internações por Pneumonia segundo regiões no Brasil, 2003 PNEUMONIA Este termo refere-se à inflamação do parênquima pulmonar associada com enchimento alveolar por exudato. São infecções das vias respiratórias inferiores gerando um processo inflamatório que compromete

Leia mais

DISCIPLINA DE CARDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ARRITMIAS CARDÍACAS

DISCIPLINA DE CARDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ARRITMIAS CARDÍACAS DISCIPLINA DE CARDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ARRITMIAS CARDÍACAS Prof. Humberto Villacorta Arritmias Cardíacas Ritmo Sinusal, taquicardia e bradicardia sinusais Bradiarritmias Extra-sístoles

Leia mais

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da 2 A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da inflamação, o que dificulta a realização das trocas gasosas.

Leia mais

Insuficiência Respiratória. Vias aéreas difíceis

Insuficiência Respiratória. Vias aéreas difíceis Insuficiência Respiratória Síndrome da Angústia Respiratória Aguda Vias aéreas difíceis Mailton Oliveira 2015.2 INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA Incapacidade do sistema respiratório de atender as demandas

Leia mais

Informações sobre anestesia

Informações sobre anestesia Informações sobre anestesia Estamos fornecendo este documento para ajudar os pacientes que serão submetidos a anestesia, para melhor entendimento do processo. Leia-o cuidadosamente e entenda o conteúdo.

Leia mais

Residente de Reumatologia da UNIFESP. São Paulo 03/08/2011

Residente de Reumatologia da UNIFESP. São Paulo 03/08/2011 Dra. Bruna Castro Residente de Reumatologia da UNIFESP São Paulo 03/08/2011 S EVOLUÇÃO DISCUSSÃO IDENTIFICAÇÃO HDA AMP VAB, 33 anos, feminina, i branca, solteira, auxiliar de enfermagem, natural de Monte

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO GERIATRA

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO GERIATRA 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO GERIATRA QUESTÃO 21 Em relação à fisiopatologia da hipertensão arterial no paciente idoso, marque a alternativa CORRETA: a) A pressão diastólica tende a ficar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: CARDIOLOGISTA CLÍNICO C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA E EDEMA AGUDO DE PULMÃO. Prof. Dr. José Carlos Jucá Pompeu Filho Cardiologista- Ecocardiografista

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA E EDEMA AGUDO DE PULMÃO. Prof. Dr. José Carlos Jucá Pompeu Filho Cardiologista- Ecocardiografista INSUFICIÊNCIA CARDÍACA E EDEMA AGUDO DE PULMÃO Prof. Dr. José Carlos Jucá Pompeu Filho Cardiologista- Ecocardiografista CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM

Leia mais

1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS

1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS 1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS MEDICINA 01. A tuberculose, ainda hoje, apresenta-se como um grave problema de saúde pública mundial. A via de transmissão do seu agente etiológico mais comum, o Mycobacterium

Leia mais

Anexo 2. Documento elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com:

Anexo 2. Documento elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com: Anexo 2 Recomendação para o tratamento da hipertensão arterial sistêmica Documento elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com: Sociedade Brasileira de Cardiologia - Departamento

Leia mais

Capacitação em Serviço: Dengue em 15 minutos

Capacitação em Serviço: Dengue em 15 minutos Capacitação em Serviço: Dengue em 15 minutos Situação Epidemiológica O Brasil é responsável por 75% dos casos de dengue na América Latina A partir de 2002, houve grande aumento de casos de dengue e das

Leia mais

FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA

FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA Maria Beatriz Cardoso Ferreira Departamento de Farmacologia Instituto de Ciências Básicas da Saúde - UFRGS Paciente de 68 anos procura atendimento

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES

CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES Nome do Candidato: ASSINE SOMENTE NESSE QUADRO assinatura RESIDÊNCIA MÉDICA - 2016 Especialidades Pediátricas Prova de Respostas Curtas CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES Verifique se você recebeu um CADERNO

Leia mais

American Heart Association. Suporte Avançado de Vida Cardiovascular. Autoavaliação escrita Pré-Curso. 7 de março de 2012

American Heart Association. Suporte Avançado de Vida Cardiovascular. Autoavaliação escrita Pré-Curso. 7 de março de 2012 A C E American Heart Association Suporte Avançado de Vida Cardiovascular Autoavaliação escrita Pré-Curso 7 de março de 2012 2012 American Heart Association Autoavaliação Pré-curso Escrito de SAVC 2012

Leia mais

B) Quais os três medicamentos que devem ser prescritos de imediato?

B) Quais os três medicamentos que devem ser prescritos de imediato? Caso Clínico 1 (2 pontos) Primigesta com 36 semanas de gestação é admitida na maternidade com queixas de náuseas, epigastralgia e cefaleia. Gesta II Para I (Parto normal). Ao exame, encontra - se eupneica,

Leia mais

MEDICINA/GERIATRIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO

MEDICINA/GERIATRIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO MEDICINA/GERIATRIA PARTE I: MÚLTIPLA ESCOLHA 01 A surdez pode ser efeito colateral do uso de:

Leia mais

Definição IAM. Infarto Agudo do Miocárdio (IAM)

Definição IAM. Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) Definição Acometimento cardíaco aco causado pela limitação ou obstrução do fluxo sanguíneo neo coronariano (alimentação para o coração) de tal magnitude e duração que resulta

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM URGÊNCIAS SANTA CATARINA

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM URGÊNCIAS SANTA CATARINA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM URGÊNCIAS SANTA CATARINA EDEMA AGUDO DE PULMÃO Dra. CRISTINA MACHADO PIRES Enf. CYNTHIA DE AZEVEDO JORGE O GRAU DE URGÊNCIA O Edema Agudo de Pulmão é uma situação de emergência, classificada

Leia mais

Doenças do Sistema Circulatório

Doenças do Sistema Circulatório Doenças do Sistema Circulatório Dados Mundiais: Mortes por grupos de causas - 2000 Total de Mortes: 55.694.000 Causas Externas ( 9.1%) Doenças Não Transmissíveis (59.0%) Doenças transmissíveis, mortalidade

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 67

PROVA ESPECÍFICA Cargo 67 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 67 QUESTÃO 26 São contra-indicações absolutas à ventilação não-invasiva, EXCETO: a) Arritmias Cardíacas. b) Hemorragia Digestiva alta. c) Insuficiência Coronariana Aguda. d) Grande

Leia mais

INSTITUTO DE PERINATOLOGIA DA BAHIA - IPERBA

INSTITUTO DE PERINATOLOGIA DA BAHIA - IPERBA PROTOCOLO - OBS 032 DATA: 24/09/2005 PÁG: 1 / 5 1. CONCEITOS - Infecção do trato urinário inferior: colonização bacteriana na bexiga e/ou uretra acompanhada de resposta inflamatória CISTITES, URETRITES.

Leia mais

Actualizado em 28-09-2009* Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações

Actualizado em 28-09-2009* Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações 1. Introdução A evolução da epidemia causada pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 implica que as medidas sejam adaptadas

Leia mais

MINI BULA CARVEDILOL

MINI BULA CARVEDILOL MINI BULA CARVEDILOL Medicamento Genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÃO: Comprimido 3,125mg: caixas contendo 15, 30; Comprimido 6,25 mg: caixa contendo 15, 30; Comprimido 12,5 mg: caixa contendo

Leia mais

ALTERAÇÕES RENAIS. Texto extraído do Editorial do Endocrinologia&Diabetes clínica e experimental vol. 7 número 3, julho/2007.

ALTERAÇÕES RENAIS. Texto extraído do Editorial do Endocrinologia&Diabetes clínica e experimental vol. 7 número 3, julho/2007. ALTERAÇÕES RENAIS E.D. teve seu diabetes diagnosticado em 1985, nessa época tinha 45 anos e não deu muita importância para os cuidados que seu médico lhe havia recomendado, sua pressão nesta época era

Leia mais

Angina. Prof. Claudia Witzel

Angina. Prof. Claudia Witzel Angina Angina Angina de peito ou angor pectoris é uma dor no peito devida ao baixo abastecimento de oxigênio ao músculo cardíaco; São devidas a aterosclerose nas artérias cardíacas (coronárias). O termo

Leia mais

Abordagem do Choque. Disciplina de Terapia Intensiva Ricardo Coelho Reis

Abordagem do Choque. Disciplina de Terapia Intensiva Ricardo Coelho Reis Abordagem do Choque Disciplina de Terapia Intensiva Ricardo Coelho Reis CONCEITO Hipóxia tecidual secundária ao desequilíbrio na relação entre oferta e consumo de oxigênio OU a incapacidade celular na

Leia mais

DOENTE DE RISCO EM CIRURGIA ORAL

DOENTE DE RISCO EM CIRURGIA ORAL DOENTE DE RISCO EM CIRURGIA ORAL I AVALIAÇÃO PRÉVIA DO DOENTE Uma boa metodologia para avaliação de um doente candidato a cirurgia oral é tentar enquadrá-lo na classificação da American Society of Anesthesiologists

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (SERVIÇO DE CARDIOLOGIA E CIRURGIA CARDIOVASCULAR)

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (SERVIÇO DE CARDIOLOGIA E CIRURGIA CARDIOVASCULAR) HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (SERVIÇO DE CARDIOLOGIA E CIRURGIA CARDIOVASCULAR) REVISÃO DE DOENÇA DE ARTÉRIA CORONÁRIA Seu coração é uma bomba muscular poderosa. Ele é

Leia mais

Propedêutica Cardiovascular. Marcio Gianotto

Propedêutica Cardiovascular. Marcio Gianotto Propedêutica Cardiovascular Marcio Gianotto Diagnóstico??? Anamnese Exames Complementares Diagnóstico??? Exame Físico Hipóteses Dx Principais sintomas associados a doenças cardiovasculares Dor torácica

Leia mais

TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1

TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1 TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1 A Dengue A dengue é uma doença infecciosa de origem viral, febril, aguda, que apesar de não ter medicamento específico exige

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016

RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 NOME INSCRIÇÃO SALA LUGAR DOCUMENTO DATA DE NASC ESPECIALIDADE PROVA DISSERTATIVA ESPECIALIDADES CIRÚRGICAS ASSINATURA DO CANDIDATO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Ciências Médicas LOTE

Leia mais

ENADE 2004 FISIOTERAPIA

ENADE 2004 FISIOTERAPIA ENADE 2004 FISIOTERAPIA QUESTÃO 38 Maurício Gomes Pereira. Epidemiologia teoria -- prática. Rio de Janeiro: Guanabra Koogan S.A., 1995, p. 31 (com adaptações). O gráfico acima demonstra os possíveis padrões

Leia mais

Organizador. Autores

Organizador. Autores ROSTO Apresentação O Guia de Emergências Clínicas foi estruturado a fim de orientar o profissional que lida a todo instante com situações diversas e que exigem diferentes abordagens na emergência clínica,

Leia mais

Gestos que Salvam Vidas..

Gestos que Salvam Vidas.. Gestos que Salvam Vidas.. O que é o SBV (suporte básico de vida)? Conjunto de medidas utilizadas para restabelecer a vida de uma vitima em paragem cardio-respiratória. Com o objectivo de recuperar a vitima

Leia mais

Prof.ª Dr.ª Rosângela de Oliveira Alves Carvalho

Prof.ª Dr.ª Rosângela de Oliveira Alves Carvalho Prof.ª Dr.ª Rosângela de Oliveira Alves Carvalho Exame Físico Geral Atitude Depressão Perda de interesse pelo ambiente Postura Cavalete Condição Física Respiração Edema Pulso jugular pulso carótida Focos

Leia mais

DENGUE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS

DENGUE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS DENGUE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE SINAIS/SINTOMAS SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS CLÁSSICOS MANIFESTAÇÕES MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS HEMORRÁGICAS SINAIS SINAIS DE DE ALERTA ALERTA SINAIS SINAIS DE DE CHOQUE CHOQUE

Leia mais

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç )

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç ) TESTE ERGOMÉTRICO (Teste de esforço) Definição - um dos exames mais importantes de diagnóstico, avaliação clínica e prognóstico dos pacientes com doença arterial coronariana (DAC). - método rápido, barato,

Leia mais

Necessidades humanas básicas: oxigenação. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo

Necessidades humanas básicas: oxigenação. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo Necessidades humanas básicas: oxigenação Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo Revisão Revisão O Fatores que afetam a oxigenação Fisiológicos; Desenvolvimento; Estilo de vida; Ambiental. Fisiológicos

Leia mais

, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao (à) médico(a)

, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao (à) médico(a) TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

Passos para a prática de MBE Elaboração de uma pergunta clínica Passos para a prática de MBE

Passos para a prática de MBE Elaboração de uma pergunta clínica Passos para a prática de MBE Passos para a prática de MBE Elaboração de uma pergunta clínica Dr. André Deeke Sasse 1. Formação da pergunta 2. Busca de melhor evidência resposta 3. Avaliação crítica das evidências 4. Integração da

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia de Tórax

Imagem da Semana: Radiografia de Tórax Imagem da Semana: Radiografia de Tórax Figura 1: Radiografia de tórax realizada em decúbito dorsal Enunciado MHS, sexo feminino, 63 anos, foi atendida no Centro de Saúde de seu novo bairro. Apresentava

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO INTENSIVISTA ADULTO

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO INTENSIVISTA ADULTO 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO INTENSIVISTA ADULTO QUESTÃO 21 São causas de hipocalemia, EXCETO: a) Síndrome de Bartter. b) Acidose tubular renal do tipo II. c) Acidose tubular renal tipo

Leia mais

DENGUE NA GRAVIDEZ OBSTETRÍCIA

DENGUE NA GRAVIDEZ OBSTETRÍCIA DENGUE NA GRAVIDEZ Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro OBSTETRÍCIA É doença febril aguda, de etiologia viral, de disseminação urbana, transmitida pela

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Dispepsia

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Dispepsia Caso complexo Natasha Especialização em Fundamentação teórica DISPEPSIA Vinícius Fontanesi Blum Os sintomas relacionados ao trato digestivo representam uma das queixas mais comuns na prática clínica diária.

Leia mais

Relatos de casos de Strongyloides stercoralis. Isabelle Assunção Nutrição

Relatos de casos de Strongyloides stercoralis. Isabelle Assunção Nutrição Relatos de casos de Strongyloides stercoralis Isabelle Assunção Nutrição RECIFE/2011 INTRODUÇÃO A estrongiloidíase é uma helmintíase predominantemente intestinal causada pelo Strongyloides stercoralis,

Leia mais

Processo Seletivo Residência Médica 2011

Processo Seletivo Residência Médica 2011 Processo Seletivo Residência Médica 2011 Nome Identidade Órgão Exp.: Assinatura COMISSÃO DE PROCESSOS SELETIVOS E TREINAMENTOS Fone: (81) 3412-0800 Fax: (81) 3412-0808 Clínica Médica - R3/R4 Opcional 01.

Leia mais

Tudo Exige Preparo. Para a guerra. Para o sexo. Para o banho

Tudo Exige Preparo. Para a guerra. Para o sexo. Para o banho Dr. Gustavo Santos Tudo Exige Preparo Para a guerra Para o sexo Para o banho Falhar em se preparar é preparar-se para falhar Benjamin Franklin Preparo Pré-Operatório: Por Quê? Identificar problemas não-conhecidos

Leia mais

Como interpretar a Gasometria de Sangue Arterial

Como interpretar a Gasometria de Sangue Arterial Como interpretar a Gasometria de Sangue Arterial Sequência de interpretação e estratificação de risco 08/01/2013 Daniela Carvalho Objectivos da Tertúlia Sequência de interpretação da GSA - Método dos 3

Leia mais

Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014)

Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014) Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014) Dekker F, Van Duijn NP, Ongering JEP, Bartelink MEL, Boelman L, Burgers JS, Bouma M, Kurver MJ traduzido do original em holandês

Leia mais

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir:

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir: 01 Concurso Público Menina de sete anos de idade apresentou imagem radiológica de pneumatoceles em ambos os pulmões. História pregressa de rash neonatal, atraso da dentição e fraturas recorrentes devido

Leia mais