Síncope Neuromediada FISIOPATOLOGIA. que. Aqueles. sofrem. de entes e severos morrem mais subitamente.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Síncope Neuromediada FISIOPATOLOGIA. que. Aqueles. sofrem. de entes e severos morrem mais subitamente."

Transcrição

1 TRATAMENTO FÍSICO F NAS SÍNCOPES S NEUROMEDIADAS Aqueles que sofrem de desmaios freqüentes entes e severos morrem mais subitamente. Prof. Giulliano Gardenghi, Ph.D Aforisma de Hipócrates crates,, 1000 a.c. Síncope Neuromediada Perda súbita e momentânea da consciência e do tônus postural, seguida de recuperação espontânea, sem seqüelas neurológicas. Síncope Relevância da Recorrência 66% mudam estilo de vida 64% param de dirigir automóveis 39% mudam de emprego 73% desenvolvem desordens neuropsiquiátricas (depressão, ansiedade, somatização, pânico) 17 a 35% apresentam traumas físicos associados acidentes automobilísticos em 1 a 5% Síncope - Prevalência das Várias Etiologias Prevalência média % Variação % Neuromediada Arrítmica Neurológica HO Situacional Doença Cardíaca aca Medicamentosa Psiquiátrica HSC Indeterminada FISIOPATOLOGIA Queda súbita da oxigenação cerebral Fluxo sangüí üíneo cerebral Falta de nutrientes cerebrais (glicose) Fluxo sangüí üíneo cerebral Kapoor in: Grubb B; B; Olshansky B.. Syncope: Mechanisms and Management,

2 Fisiopatologia Mecanismos de Hipofluxo Cerebral TRAÇADO DE DOPPLER TRANSCRANIANO Redução do débito cardíaco (DC=FCxVS) Redução da pressão arterial sistêmica Aumento da pressão intra-craniana TRAÇADO DE DOPPLER TRANSCRANIANO Fisiopatologia da Síncope Neuromediada e o Teste de Inclinação Retorno Venoso SNS (catecolaminas) Cavidade Vazia SNP Bezold-Jarisch Bradicardia / Vasodilatação TESTE DE INCLINAÇ INCLINAÇÃO RESPOSTA MISTA TESTE DE INCLINAÇ INCLINAÇÃO - RESPOSTA CARDIOINIBITÓ CARDIOINIBITÓRIA DDH= DECÚ DECÚBITO DORSAL HORIZONTAL DDH= DECÚ DECÚBITO DORSAL HORIZONTAL TILT= INCLINAÇ INCLINAÇÃO ORTOSTÁ ORTOSTÁTICA PA=PRESSÃO ARTERIAL FC= FREQÜ FREQÜÊNCIA CARDÍ CARDÍACA TILT= INCLINAÇ INCLINAÇÃO ORTOSTÁ ORTOSTÁ TICA 2

3 Barorreflexo Arterial na Síncope S Neuromediada SÍNCOPE NEUROMEDIADA Maiores volumes no leito venoso. Vasoconstrição diminuída da após estresse ortostático tico e durante exercício cio dinâmico. Redução no volume central de sangue, com redistribuição alterada. Béchir et al. Circulation 2003;107: Morillo et al. Cardiology Clinics 1997;15(2): Síncope Neuromediada Tratamento Medidas gerais e dietéticas Evitar fatores desencadeantes Reconhecer os sintomas prodrômicos TRATAMENTO FARMACOLÓGICO: (Betabloqueadores, fludrocortisona, inib. da recap. de serotonina) Treinamento Postural Passivo 3 sessões semanais; Ambiente tranqüilo, sem riscos de trauma físico, supervisionados por um familiar; Interrupção frente ao primeiro sintoma. Treinamento Postural Passivo Indivíduo em pé; Dorso encostado na parede; Pés afastados 15 cm da mesma; Posição fixa por minutos. Negativação do Teste de Inclinação após Treinamento Postural Passivo no Tratamento da Síncope Neurocardiogênica Gardenghi G 1,2, Rondon MUPB 1, Bastos SC 2, Pezzin F 2, Negrão CE 1,3, Sosa E 2, Hachul DT 2. 1.Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício - Instituto do Coração (InCor) HC-FMUSP 2.Unidade Clínica de Arritmias - Instituto do Coração (InCor) HC- FMUSP 3.Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo Revista da Sociedade de Cardiologia do estado de São Paulo, v. 12. p

4 Metodologia 10 pacientes (8 femininos) foram selecionados junto ao Ambulatório de Síncope do InCor; Portadores de síncope neurocardiogênica; Idade: 23 ± 4 anos; Teste de inclinação positivo; Média de 2.8 episódios sincopais/mês Realizaram o treinamento postural passivo por um período de quatro meses; Submetidos a novo teste de inclinação. Resultados A resposta ao teste foi negativa em todos os casos, correlacionada com a reversão de episódios sincopais no grupo estudado. TILT TRAINING Treinamento Postural Passivo N-3 Dados derivados de análise cuidadosa de estudos nãorandomizados ou de registros observacionais. TILT TRAINING Tilt training: does it have a role in preventing vasovagal syncope? (Pacing Clin Electrophysiol;30(12): , 2007) Is home orthostatic self-training effective in preventing neurally mediated syncope? (Pacing Clin Electrophysiol; 30(5):638-43, 2007) Arq Bras Cardiol volume 79, (suplemento V), 2002 TILT TRAINING Limitações: DUAS SESSÕES POR DIA (01 HORA/SESSÃO); FATOR MELHORA/TEMPO ; BAIXA ADERÊNCIA. Definição vigente: Pacientes devem estar motivados! O TREINAMENTO FÍSICO NAS SÍNCOPES NEUROMEDIADAS Alternativa para tratamento? 4

5 Arterial Baroreflex Sensitivity (P<0,05) -100 bpm trained sedentary mmhg -150 Rondon, E. Am J Physiol Heart Circ Physiol Dec;291(6):H Muscle Symphathetic Nerve Activity % MSNA trained sedentary (P<0,05) mmhg Rondon, E. Am J Physiol Heart Circ Physiol Dec;291(6):H Eur Heart J Nov;28(22): Eur Heart J Nov;28(22):

6 Conclusion In conclusion, physical training improved vagal and sympathetic arterial baroreflex gain, in neurally mediated syncope patients, whereas the other treatments did not achieve the same results. This fact can justify the current prescription of exercise in the management of neurally mediated syncope. Eur Heart J Nov;28(22): Eur Heart J Nov;28(22): LONGAS DISTÂNCIAS CALOR Treinamento Físico F Moderado 3 sessões semanais, com duração de 60 minutos: 5 MINUTOS DE ALONGAMENTO; 40 MINUTOS DE EXERCÍCIOS AERÓBIOS, (LA - 10% abaixo do PCR) - FC; 10 MINUTOS DE EXERCÍCIOS LOCALIZADOS; 5 MINUTOS DE RELAXAMENTO. LA LA PCR PCR 6

7 Pharmacological therapy, tilt training and physical training in neurocardiogenic syncope. IDATE - Scores Anxiety levels Untrained: High levels of anxiety Trained: Marked decrease in anxiety scores, returning to normal control levels. Ansiedade - IDATE (pontos) Índices de Ansiedade CO TFM TPP TF Pré 4 Meses P<0,05 Gardenghi G et al. Heart Rhythm - NASPE, 2005, New Orleans, v. 2. p. S186-S186 Gardenghi G. Tese de Doutorado, Cardiologia (USP) 1 Tempo médio m até a 1 a síncope PROBABILIDADE (teste log-rank) P= Tempo até 1ª síncope (m) TEMPO (meses) Tratamento = Controle Tratamento = Trat. Farmacológico Tratamento = Trein. Físico Tratamento = Tilt Training 5 0 Controle Tilt Training Trat. Farmacológico Trein. Físico Gardenghi G. Tese de Doutorado, Cardiologia (USP) Gardenghi G. Tese de Doutorado, Cardiologia (USP) 7

8 IMPLICAÇÕES CLÍNICAS IMPLICAÇÕES CLÍNICAS + = CONTRA - MANOBRAS Krediet P. et al - Circulation 2002, Vol 106: Eur Heart J Nov;28(22):

9 MUITO OBRIGADO! 9

Programa de Reabilitação Cardiovascular para Síncope Reflexa: Reabilitação Autonômica

Programa de Reabilitação Cardiovascular para Síncope Reflexa: Reabilitação Autonômica Programa de Reabilitação Cardiovascular para Síncope Reflexa: Reabilitação Autonômica Responsáveis pela Elaboração Dra. Luciana Diniz Nagem Janot de Matos Dr. Romeu Sérgio Meneghelo Dra. Fátima Dumas Cintra

Leia mais

SÍNCOPE VAGAL. SERVIÇO DE ARRITMIA, ELETROFISIOLOGIA E ESTIMULAÇÃO CARDÍACA Rede D Or Dr. Leonardo Siqueira

SÍNCOPE VAGAL. SERVIÇO DE ARRITMIA, ELETROFISIOLOGIA E ESTIMULAÇÃO CARDÍACA Rede D Or Dr. Leonardo Siqueira SÍNCOPE VAGAL SERVIÇO DE ARRITMIA, ELETROFISIOLOGIA E ESTIMULAÇÃO CARDÍACA Rede D Or Dr. Leonardo Siqueira Sincope: Epidemiologia 40% da população 1-6% das admissões hospitalares 1% dos atendimentos de

Leia mais

1-1 Orientador do Projeto, 2 Acadêmicas, 3 Colaborador

1-1 Orientador do Projeto, 2 Acadêmicas, 3 Colaborador SÍNCOPE NEUROCARDIOGÊNICA TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO. UM ESTUDO DE REVISÃO. Profª M.Sc. Mara Lílian Soares Nasrala; Ariádyne Luzia F. Miranda & Ludmilla Roehrs C. Proceski; Profª Esp.Viviane Martins

Leia mais

Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia Região Sul 20 a 24 de setembro de 2006 ACM - Florianópolis

Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia Região Sul 20 a 24 de setembro de 2006 ACM - Florianópolis Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia Região Sul 20 a 24 de setembro de 2006 ACM - Florianópolis Dr. José Carlos Moura Jorge Laboratório de Eletrofisiologia de Curitiba Bradicardia Sinusal. Doença

Leia mais

Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico. Costantini

Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico. Costantini Caso Clínico 1 Módulo: DAC Métodos Diagnósticos Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico Costantini Caso 01 IFV, 59 anos, feminino Assintomática Fatores de Risco: história familiar Pressão arterial

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO NOS PARÂMETROS DE MÉDIA E DA VARIABILIDADE DA PRESSÃO ARTERIAL E NOS SINTOMAS DOS PACIENTES COM SÍNCOPE VASOVAGAL

A INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO NOS PARÂMETROS DE MÉDIA E DA VARIABILIDADE DA PRESSÃO ARTERIAL E NOS SINTOMAS DOS PACIENTES COM SÍNCOPE VASOVAGAL UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE EDUCAÇÃO FÍSICA CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA ANTONIO GREGORIO JUNIOR A INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO NOS PARÂMETROS DE MÉDIA

Leia mais

FACULDADES INTEGRADA PROMOVE CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM SÍNCOPE: CARACTERIZAÇÃO E DIAGNÓSTICO

FACULDADES INTEGRADA PROMOVE CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM SÍNCOPE: CARACTERIZAÇÃO E DIAGNÓSTICO FACULDADES INTEGRADA PROMOVE CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM SÍNCOPE: CARACTERIZAÇÃO E DIAGNÓSTICO Edilson Pereira Martins Dennys Theylor Ataide Ramos Orientador: Alexandre Soares Taguatinga 2013 4

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA DISCIPLINA: FISIOLOGIA HUMANA EXERCÍCIO FÍSICO PARA POPULAÇÕES ESPECIAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA DISCIPLINA: FISIOLOGIA HUMANA EXERCÍCIO FÍSICO PARA POPULAÇÕES ESPECIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA DISCIPLINA: FISIOLOGIA HUMANA EXERCÍCIO FÍSICO PARA POPULAÇÕES ESPECIAIS Prof. Mestrando: Marcelo Mota São Cristóvão 2008 POPULAÇÕES ESPECIAIS

Leia mais

Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados

Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados - O que são palpitações cardíacas? A palpitação ocorre quando passamos a perceber os batimentos cardíacos ECG demonstrando batimento

Leia mais

CONCEITO: PRC. (Moraes RS, et al. Diretriz de Reabilitação Cardíaca. Arq Bras Cardiol 2005; 84: 431-40.)

CONCEITO: PRC. (Moraes RS, et al. Diretriz de Reabilitação Cardíaca. Arq Bras Cardiol 2005; 84: 431-40.) CONCEITO: PRC OMS: é o somatório das atividades necessárias para garantir aos pacientes portadores de cardiopatia as melhores condições física, mental e social, de forma que eles consigam, pelo seu próprio

Leia mais

Revista Portuguesa de. Cardiologia. Portuguese Journal of Cardiology. www.revportcardiol.org

Revista Portuguesa de. Cardiologia. Portuguese Journal of Cardiology. www.revportcardiol.org Rev Port Cardiol. 2012;31(7-8):469-476 Revista Portuguesa de Cardiologia Portuguese Journal of Cardiology www.revportcardiol.org ARTIGO ORIGINAL O treino de ortostatismo (tilt training) aumenta a reserva

Leia mais

EXERCÍCIO FÍSICO: ESTRATÉGIA PRIORITÁRIA NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DA QUALIDADE DE VIDA.

EXERCÍCIO FÍSICO: ESTRATÉGIA PRIORITÁRIA NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DA QUALIDADE DE VIDA. 1 EXERCÍCIO FÍSICO: ESTRATÉGIA PRIORITÁRIA NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DA QUALIDADE DE VIDA. Tales de Carvalho, MD, PhD. tales@cardiol.br Médico Especialista em Cardiologia e Medicina do Esporte; Doutor em

Leia mais

IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS?

IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS? IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS? Prof. Dr. Flávio Tarasoutchi Unidade de Valvopatias Instituto do Coração (InCor) - Hospital das Clínicas Universidade de São Paulo

Leia mais

Hemodinâmica. Cardiovascular. Fisiologia. Fonte: http://images.sciencedaily.com/2008/02/080226104403-large.jpg

Hemodinâmica. Cardiovascular. Fisiologia. Fonte: http://images.sciencedaily.com/2008/02/080226104403-large.jpg Fonte: http://images.sciencedaily.com/2008/02/080226104403-large.jpg Fisiologia Cardiovascular Hemodinâmica Introdução O sistema circulatório apresenta várias funções integrativas e de coordenação: Função

Leia mais

Arritmias Cardíacas e Morte Súbita

Arritmias Cardíacas e Morte Súbita Arritmias Cardíacas e Morte Súbita SOBRAC Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas www.sobrac.org (Marco Paulo Tomaz Barbosa) Qual o órgão mais importante do corpo humano? Claro que EU sou o mais Importante!!!

Leia mais

ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS

ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS Sobre a Avaliação: O profissional conecta os sensores nos dedos do cliente para que possam captar os sinais do sistema nervoso e enviá-los ao computador, gerando resultados

Leia mais

Programa de Condicionamento Cardiovascular

Programa de Condicionamento Cardiovascular Programa de Condicionamento Cardiovascular Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2010 Responsáveis pela Elaboração Dra. Luciana Diniz Nagem Janot de Matos Dr. Romeu Sérgio Meneghelo Fta. Andrea Kaarina

Leia mais

O TAMANHO DO PROBLEMA

O TAMANHO DO PROBLEMA FÍSICA MÉDICA O TAMANHO DO PROBLEMA Quantos hipertensos existem no Brasil? Estimativa de Prevalência de Hipertensão Arterial (1998) 13 milhões se considerar cifras de PA > 160 e/ou 95 mmhg 30 milhões

Leia mais

O que é O que é. colesterol?

O que é O que é. colesterol? O que é O que é colesterol? 1. O que é colesterol alto e por que ele é ruim? Apesar de a dislipidemia (colesterol alto) ser considerada uma doença extremamente prevalente no Brasil e no mundo, não existem

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA EM SÍNCOPE

CENTRO DE REFERÊNCIA EM SÍNCOPE CENTRO DE REFERÊNCIA EM SÍNCOPE Prezado(a) Colega, O Lâmina Medicina Diagnóstica mais uma vez confirma o seu compromisso com a inovação e qualidade com o Centro de Referência em Síncope. O objetivo deste

Leia mais

Vertigem na emergência. Dra. Cristiana Borges Pereira

Vertigem na emergência. Dra. Cristiana Borges Pereira Vertigem na emergência Dra. Cristiana Borges Pereira Dra. Cristiana Borges Pereira Doutorado FMUSP Tratamento domiciliar da vertigem de posicionamento paroxística benigna Responsável pelo ambulatório de

Leia mais

Dr. Ivan Paredes. Mal Súbito. 11º Congresso Paranaense de Clínica Médica - 2013

Dr. Ivan Paredes. Mal Súbito. 11º Congresso Paranaense de Clínica Médica - 2013 Dr. Ivan Paredes Mal Súbito 11º Congresso Paranaense de Clínica Médica - 2013 Mal Súbito Mal Súbito Mal Súbito? Mal Súbito? PCR? Hipóxia? Drop attack? Hipoglicemia? Vertigem? Epilepsia? AVC? Mal Súbito

Leia mais

Objetivo da participação:

Objetivo da participação: Objetivo da participação: Contribuir para facilitar o entendimento da prescrição da intensidade do exercício em pacientes pós IAM em programas de reabilitação. BENEFÍCIOS: Isquemia miocárdica 1- Melhora

Leia mais

PRESSÃO ARTERIAL E MECANISMOS DE REGULAÇÃO. Profa. Dra. Monica Akemi Sato

PRESSÃO ARTERIAL E MECANISMOS DE REGULAÇÃO. Profa. Dra. Monica Akemi Sato PRESSÃO ARTERIAL E MECANISMOS DE REGULAÇÃO Profa. Dra. Monica Akemi Sato Pressão Arterial O que é? É a força exercida pelo sangue sobre as paredes do vaso, sofrendo mudanças contínuas durante todo o tempo,

Leia mais

Programa de Reabilitação Metabólica no DM2

Programa de Reabilitação Metabólica no DM2 Programa de Reabilitação Metabólica no DM2 Luíz Antônio de Araújo Presidente do Instituto de Diabetes de Joinville IDJ Diretor do Departamento de Neuroendocrinologia da SBEM Diretor da Comissão de Campanhas

Leia mais

Adaptações Cardiovasculares da Gestante ao Exercício

Adaptações Cardiovasculares da Gestante ao Exercício Desde as décadas de 60 e 70 o exercício promove Aumento do volume sanguíneo Aumento do volume cardíaco e suas câmaras Aumento do volume sistólico Aumento do débito cardíaco que pode ser alcançado Aumento

Leia mais

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida Colesterol O que é Isso? X O que é o Colesterol? Colesterol é uma gordura encontrada apenas nos animais Importante para a vida: Estrutura do corpo humano (células) Crescimento Reprodução Produção de vit

Leia mais

AMBULATÓRIO DE DISTÚRBIOS VESTIBULARES. Cristiana B. Pereira

AMBULATÓRIO DE DISTÚRBIOS VESTIBULARES. Cristiana B. Pereira AMBULATÓRIO DE DISTÚRBIOS VESTIBULARES Cristiana B. Pereira Resumo dos dados: nov/1999 a fev/2009 número de atendimentos: 822 140 120 100 80 60 40 20 0 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008

Leia mais

Tonturas e vertigens. Isabela M. Benseñor Hospital das Clínicas da FMUSP

Tonturas e vertigens. Isabela M. Benseñor Hospital das Clínicas da FMUSP Isabela M. Benseñor Hospital das Clínicas da FMUSP Tontura e vertigem são condições muito freqüentes na prática médica, e, na grande maioria das vezes, não estão associadas a problema clínico grave. O

Leia mais

Efeitos do exercício cio na fisiologia cardiovascular. Helena Santa-Clara

Efeitos do exercício cio na fisiologia cardiovascular. Helena Santa-Clara Efeitos do exercício cio na fisiologia cardiovascular Helena Santa-Clara Conteúdos Adaptações agudas e crónicas ao exercício Frequência cardíaca Volume sistólico e fracção de ejecção Débito cardíaco Pressão

Leia mais

Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano

Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano CONHECENDO MEU CORPO DURANTE O EXERCÍCIO DESCUBRA PORQUE É TÃO IMPORTANTE ACOMPANHAR OS BATIMENTOS CARDÍACOS ENQUANTO VOCÊ SE EXERCITA E APRENDA A CALCULAR SUA FREQUÊNCIA

Leia mais

São Paulo, São José do Rio Preto, Rio de Janeiro, Porto Alegre

São Paulo, São José do Rio Preto, Rio de Janeiro, Porto Alegre 579 Recomendações do Departamento de Arritmias e Eletrofisiologia Clínica (DAEC) da Sociedade Brasileira de Cardiologia para Indicações de Implante de Marcapasso Definitivo, Escolha do Modo de Estimulação

Leia mais

Artigo. Diagnóstico diferencial de taquicardia de QRS estreito

Artigo. Diagnóstico diferencial de taquicardia de QRS estreito rtigo Revista da SOCIEDDE DE CRDIOLOGI DO ESTDO DO RIO GRNDE DO SUL Diagnóstico diferencial de taquicardia de QRS estreito *Eduardo Bartholomay **Rafael Moraes ***Guilherme Gazzoni ****Renata Etchepare

Leia mais

Adaptações. Estruturais. Funcionais em Repouso Funcionais em Exercício EFEITOS DO TREINAMENTO FÍSICO SOBRE O SISTEMA CARDIOVASCULAR

Adaptações. Estruturais. Funcionais em Repouso Funcionais em Exercício EFEITOS DO TREINAMENTO FÍSICO SOBRE O SISTEMA CARDIOVASCULAR Adaptações EFEITOS DO TREINAMENTO FÍSICO SOBRE O SISTEMA CARDIOVASCULAR Prof. Márcio Oliveira de Souza Estruturais Funcionais em Repouso Funcionais em Exercício EFEITOS DO TREINAMENTO FÍSICO NA FREQUÊNCIA

Leia mais

2. HIPERTENSÃO ARTERIAL

2. HIPERTENSÃO ARTERIAL TESTE ERGOMETRICO O teste ergométrico serve para a avaliação ampla do funcionamento cardiovascular, quando submetido a esforço físico gradualmente crescente, em esteira rolante. São observados os sintomas,

Leia mais

PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II

PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II III SIMPÓSIO DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA 30 de Outubro a 02 de Novembro de 2004 DAIANA CRISTINE BÜNDCHEN INSTITUTO DE CARDIOLOGIA DE CRUZ ALTA-CT SERVIÇO

Leia mais

Derrame cerebral Resumo de diretriz NHG M103 (dezembro 2013)

Derrame cerebral Resumo de diretriz NHG M103 (dezembro 2013) Derrame cerebral Resumo de diretriz NHG M103 (dezembro 2013) Beusmans GHMI, Van Noortwijk-Bonga HGC, Risseeuw NJ, Tjon-A-Tsien MRS, Verstappen WHJM, Burgers JS, Wiersma Tj, Verburg AFE traduzido do original

Leia mais

6/1/2014 DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO. Perfusão sanguínea

6/1/2014 DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO. Perfusão sanguínea DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO Lilian Caram Petrus, MV, Msc Equipe Pet Cor de Cardiologia Doutoranda FMVZ-USP Vice- Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Veterinária Estado de baixa perfusão

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM URGÊNCIAS SANTA CATARINA

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM URGÊNCIAS SANTA CATARINA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM URGÊNCIAS SANTA CATARINA REANIMAÇÃO CÁRDIO RESPIRATÓRIA NO ADULTO Enf. KEYLA CRISTIANE DO NASCIMENTO Dr. MARIO COUTINHO GRAU DE URGÊNCIA A Parada Cárdio-Respiratória (PCR) é uma urgência

Leia mais

Atividade Física para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica: recomendações para o trabalho da Atenção Básica

Atividade Física para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica: recomendações para o trabalho da Atenção Básica Atividade Física para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica: recomendações para o trabalho da Atenção Básica 5 HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA Neste capítulo serão abordadas as recomendações essenciais

Leia mais

Exercício físico, hipertensão e controle barorreflexo da pressão arterial

Exercício físico, hipertensão e controle barorreflexo da pressão arterial 89 Exercício físico, hipertensão e controle barorreflexo da pressão arterial Carlos Eduardo Negrão, Maria Urbana P. Brandão Rondon Resumo O exercício físico agudo e crônico, desde que adequadamente planejado

Leia mais

INCOR REALIZA MUTIRÃO NESTE FINAL DE SEMANA PARA CORREÇÃO DE ARRITMIA

INCOR REALIZA MUTIRÃO NESTE FINAL DE SEMANA PARA CORREÇÃO DE ARRITMIA SUGESTÃO DE PAUTA INCOR Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP São Paulo, 31 de agosto de 2012. INCOR REALIZA MUTIRÃO NESTE FINAL DE SEMANA PARA CORREÇÃO DE ARRITMIA Estima se que até 20%

Leia mais

06/05/2014. Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com. Prof. Me Alexandre Rocha

06/05/2014. Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com. Prof. Me Alexandre Rocha Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Personal Trainer Prof. Me Alexandre Rocha 1 Hipertensão Arterial - Exercício Hipertensão Arterial

Leia mais

Imunodepressão em Atletas Os marcadores Laboratoriais

Imunodepressão em Atletas Os marcadores Laboratoriais Imunodepressão em Atletas Os marcadores Laboratoriais Quem Sou? Carlos Ballarati : Formação Medicina: Formado em Medicina pela PUC-SP Sorocaba em 1988. Residência Médica: Clinica Medica Unicamp em 1989

Leia mais

A prática de exercício físico pode ser utilizada como meio de tratamento da hipertensão arterial?

A prática de exercício físico pode ser utilizada como meio de tratamento da hipertensão arterial? A prática de exercício físico pode ser utilizada como meio de tratamento da hipertensão arterial? Enéas Van Der Maas do Bem Filho 1 Resumo As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Cardiologia

Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Cardiologia Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Cardiologia Gustavo de Castro Lacerda PREVALÊNCIA E PREDITORES DA RESPOSTA CARDIOINIBITÓRIA

Leia mais

Síncope de Origem Indeterminada e sua Relação com Distúrbios Psiquiátricos

Síncope de Origem Indeterminada e sua Relação com Distúrbios Psiquiátricos Atualização Síncope de Origem Indeterminada e sua Relação com Distúrbios Psiquiátricos André Gomes Andrighetto, Ângela Beatriz John, Juarez Neuhaus Barbisan, José Geraldo Vernet Taborda Porto Alegre, RS

Leia mais

TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto ) em portadores de fibrilação atrial crônica

TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto ) em portadores de fibrilação atrial crônica NT 65 Data: 08/04/2014 Solicitante: Dr. Eduardo Soares de Araújo Juiz de Direito Especial da Comarca Pública de Andradas Número do Processo: 0016044-91.2014.8.13.0026 TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto

Leia mais

TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto ) em portadores de fibrilação atrial crônica

TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto ) em portadores de fibrilação atrial crônica Data: 07/04/2014 NT/63 Solicitante: Dr. Eduardo Soares de Araújo Juiz de Direito Especial da Comarca Pública de Andradas Número do Processo: 0015970-37.2014.8.13.0026 TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DO ABC MANTIDA PELA FUNDAÇÃO DO ABC EXAMES REALIZADOS NOS ÁRBITROS DA DO ABC FMABC

FACULDADE DE MEDICINA DO ABC MANTIDA PELA FUNDAÇÃO DO ABC EXAMES REALIZADOS NOS ÁRBITROS DA DO ABC FMABC RELATÓRIO DOS EXAMES REALIZADOS NOS ÁRBITROS DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL PELA FACULDADE DE MEDICINA DO ABC FMABC O Núcleo de Saúde no Esporte da Faculdade de Medicina do ABC FMABC, utilizando as suas

Leia mais

REABILITAÇÃO CARDÍACA

REABILITAÇÃO CARDÍACA REABILITAÇÃO CARDÍACA Reabilitação cardíaca Reabilitação de pacientes cardíacos: atividades necessárias para assegurar as melhores condições físicas, sociais e mentais possíveis, de maneira que eles sejam

Leia mais

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA TREINAMENTO FUNCIONAL PARA PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA Profª Msc. Clarissa Rios Simoni Graduada em Licenciatura Plena em Educação Física UFSC 2004 Especialista em Personal Trainer UFPR

Leia mais

Teste de inclinação no diagnóstico e tratamento da síncope [120]

Teste de inclinação no diagnóstico e tratamento da síncope [120] ARTIGOS DE REVISÃO Teste de inclinação no diagnóstico e tratamento da síncope [120] ANA TERESA TIMÓTEO, MÁRIO MARTINS OLIVEIRA Serviço de Cardiologia Hospital de Santa Marta, Centro Hospitalar de Lisboa

Leia mais

Em pleno novo milênio nossa sociedade aparece com uma

Em pleno novo milênio nossa sociedade aparece com uma 8 Epidemiologia da Atividade Física & Doenças Crônicas: Diabetes Dênis Marcelo Modeneze Graduado em Educação Física Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde-UNICAMP Em pleno

Leia mais

FUNÇÕES DO SISTEMA CARDIOVASCULAR DURANTE O EXERCÍCIO

FUNÇÕES DO SISTEMA CARDIOVASCULAR DURANTE O EXERCÍCIO FUNÇÕES DO SISTEMA CARDIOVASCULAR DURANTE O EXERCÍCIO RESPOSTAS CARDIOVASCULARES FC VS DC RVP PAS PAM PAD DP TIPO DE EXERCÍCIO Dinâmico ou Isotônico Estático ou Isométrico Contração muscular e movimento

Leia mais

Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS. Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz:

Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS. Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz: Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS Conceitos Básicos Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz: - perda da consciência (narcose), - supressão da percepção dolorosa (analgesia)

Leia mais

PARADA CARDIO-RESPIRATÓRIA EM RECÉM-NASCIDO

PARADA CARDIO-RESPIRATÓRIA EM RECÉM-NASCIDO Protocolo: Nº 46 Elaborado por: Wilhma Castro Ubiratam Lopes Manoel Emiliano Última revisão: 03//2011 Revisores: Manoel Emiliano Ubiratam Lopes Wilhma Alves Samantha Vieira Eduardo Gonçalves PARADA CARDIO-RESPIRATÓRIA

Leia mais

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN 1981-9900 versão eletrônica

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN 1981-9900 versão eletrônica 106 EFEITOS CARDIORRESPIRATÓRIOS E HEMODINÂMICOS APÓS 12 MESES DE CONDICIONAMENTO FÍSICO EM UM GRUPO DE CARDIOPATAS. EFFECT CARDIO RESPIRATORY AND HEMODYNAMIC AFTER 12 MONTHS OF PHYSICAL CONDITIONING IN

Leia mais

Papel da Estimulação Artificial na Administração da Síncope Neurocardiogênica

Papel da Estimulação Artificial na Administração da Síncope Neurocardiogênica Página Inicial SCVC Area: English - Español - Português Papel da Estimulação Artificial na Administração da Síncope Neurocardiogênica Dr. Paul A. Levine St. Jude Medical CRMD, Escola de Medicina da Universidade

Leia mais

SÍNCOPE EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

SÍNCOPE EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES SÍNCOPE EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES RICARDO GARBE HABIB, ROGÉRIO B. ANDALAFT, DALMO ANTONIO R. MOREIRA, LUIS ROBERTO DE MORAES, CARLOS ANÍBAL SIERRA REYÉS, JULIO CÉSAR GIZZI Setor de Eletrofisiologia Clínica

Leia mais

Update. Síndromes Neuralmente Mediadas. Atualização. e34. Palavras-chave. Neurally Mediated Syndromes

Update. Síndromes Neuralmente Mediadas. Atualização. e34. Palavras-chave. Neurally Mediated Syndromes Update Atualização Neurally Mediated Syndromes Eduardo Arrais Rocha Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina UFC CE e Hospital Prontocardio - Fortaleza, CE A síncope é uma perda temporária de consciência

Leia mais

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira O QUE É HIPERTENSÃO ARTERIAL? Condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados

Leia mais

Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins

Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins HAP Definição Condição patológica caracterizada pela elevação da pressão arterial pulmonar média acima de 25mmHg com

Leia mais

APMT. Avaliação do trabalhador em Altura. Ponto de Vista do Cardiologista APM 26/10/2013 1

APMT. Avaliação do trabalhador em Altura. Ponto de Vista do Cardiologista APM 26/10/2013 1 APMT Avaliação do trabalhador em Altura Ponto de Vista do Cardiologista José Carlos Dias Carneiro APM 26/10/2013 1 35.4.1.1 Considera-se trabalhador autorizado para trabalho em altura aquele capacitado,

Leia mais

O desafio de deixar de fumar

O desafio de deixar de fumar O desafio de deixar de fumar O uso do cigarro tem como objetivo a busca por efeitos prazerosos desencadeados pela nicotina, melhora ime - diata do raciocínio e do humor, diminuição da ansiedade e ajuda

Leia mais

FISIOTERAPIA QUESTÕES DISCURSIVAS

FISIOTERAPIA QUESTÕES DISCURSIVAS ENADE-2007- PADRÃO DE RESPOSTA FISIOTERAPIA QUESTÕES DISCURSIVAS QUESTÃO 37 a) O início da resposta inflamatória é determinado por uma vasoconstrição originada de um reflexo nervoso que lentamente vai

Leia mais

Relevância Diagnóstica da Massagem do Seio Carotídeo Durante Teste de Inclinação

Relevância Diagnóstica da Massagem do Seio Carotídeo Durante Teste de Inclinação Relevância Diagnóstica da Massagem do Seio Carotídeo Durante Teste de Inclinação Diagnostic Relevance of the Carotid Sinus Massage During a Head Up Tilt Table Test (HUTT) Marcos Benchimol 1,2, Ricardo

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA O CONCURSO DE PROFICIÊNCIA NA ÁREA DE ARRITMIA CLÍNICA. Período de Inscrição: de 09 de agosto a 21 de setembro de 2010.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA O CONCURSO DE PROFICIÊNCIA NA ÁREA DE ARRITMIA CLÍNICA. Período de Inscrição: de 09 de agosto a 21 de setembro de 2010. 1 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA O CONCURSO DE PROFICIÊNCIA NA ÁREA DE ARRITMIA CLÍNICA Local: Durante o XXVII Congresso Brasileiro de Arritmias Cardíacas no Centro de Convenções na Rua Constante Sodré, nº.

Leia mais

A Educação Física FONTES DE ENERGIA DO CORPO

A Educação Física FONTES DE ENERGIA DO CORPO A Educação Física A Educação Física não se restringe ás atividades práticas, como jogar, correr, saltar etc., mas envolve também o entender, o modificar e o adaptar-se para praticar as atividades físicas

Leia mais

:: Taquicardia ventricular catecolaminérgica

:: Taquicardia ventricular catecolaminérgica :: Taquicardia ventricular catecolaminérgica Formas específicas: Síndrome de Andersen (forma específica da síndrome de QT longo congénito com taquicardia ventricular bidireccional) Definição: A taquicardia

Leia mais

Síncope: avaliação cardiológica ou neurológica?

Síncope: avaliação cardiológica ou neurológica? Síncope: avaliação cardiológica ou neurológica? Syncope: cardiac or neurological assessment? Alcirley de Almeida Luiz 1 Aiessa Zanchett Fedrigo² Liliãn Cabral dos Santos² Natália Nicola Thomé² Milena Colombo

Leia mais

CORPO MOVIMENTO; SISTEMA NERVOSO; SISTEMA CARDIORESPIRATÓRIO; SISTEMA MUSCULOESQUELÉTICO. SISTEMA ENDÓCRINO

CORPO MOVIMENTO; SISTEMA NERVOSO; SISTEMA CARDIORESPIRATÓRIO; SISTEMA MUSCULOESQUELÉTICO. SISTEMA ENDÓCRINO CORPO X MACONHA CORPO MOVIMENTO; SISTEMA NERVOSO; SISTEMA CARDIORESPIRATÓRIO; SISTEMA MUSCULOESQUELÉTICO. SISTEMA ENDÓCRINO CORPO - MOVIMENTO CORPO - MOVIMENTO Movimentos estão presentes em todas as atividades

Leia mais

MATERNIDADE ESCOLA ASSIS CHATEAUBRIAND CARDIOTOCOGRAFIA MEAC-UFC 1

MATERNIDADE ESCOLA ASSIS CHATEAUBRIAND CARDIOTOCOGRAFIA MEAC-UFC 1 MATERNIDADE ESCOLA ASSIS CHATEAUBRIAND CARDIOTOCOGRAFIA MEAC-UFC 1 CARDIOTOCOGRAFIA Gilberto Gomes Ribeiro Paulo César Praciano de Sousa 1. DEFINIÇÃO: Registro contínuo e simultâneo da Freqüência Cardíaca

Leia mais

APLICADO AO EXERCÍCIO

APLICADO AO EXERCÍCIO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA LABORATÓRIO DE METABOLISMO DE LIPÍDEOS SISTEMA CARDIORRESPIRATÓRIO APLICADO AO EXERCÍCIO Prof. Dr: Luiz

Leia mais

FISIOPATOLOGIA DA INSUFICIÊNCIA CARDÍACA EM CÃES

FISIOPATOLOGIA DA INSUFICIÊNCIA CARDÍACA EM CÃES FISIOPATOLOGIA DA INSUFICIÊNCIA CARDÍACA EM CÃES BAZAN, Christovam Tabox MONTEIRO, Maria Eduarda Discentes da Faculdade de Medicina Veterinária De Garça - FAMED BISSOLI, Ednilse Galego Docente da Faculdade

Leia mais

Nº.11. Dr. Carlos Morais [CARDIOLOGISTA] REVISÃO CIENTÍFICA: fundação portuguesa de cardiologia COLABORAÇÃO E APOIO: AMIGOS do Coração

Nº.11. Dr. Carlos Morais [CARDIOLOGISTA] REVISÃO CIENTÍFICA: fundação portuguesa de cardiologia COLABORAÇÃO E APOIO: AMIGOS do Coração TUDO O QUE DEVE SABER SOBRE MAIO 2009 fundação portuguesa de cardiologia ARRITMIAS Uma arritmia é um problema relacionado com o ritmo dos batimentos cardíacos. Se o ritmo cardíaco for demasiado lento (inferior

Leia mais

"Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos, manias e grande potencial.

Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos, manias e grande potencial. Lesão Medular Dra. Beatriz G. Castiglia Especialista em Medicina Física e Reabilitação "Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos,

Leia mais

Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso

Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso Dra. Maria Odila Jacob de Assis Moura Centro de Hematologia de São Paulo Setembro/2006 Guidelines 1980 National Institutes of Health 1984 American

Leia mais

Réus: Município de Belo Horizonte e Estado de Minas Gerais

Réus: Município de Belo Horizonte e Estado de Minas Gerais NOTA TÉCNICA 66/2014 Solicitante: Dra. Patricia Santos Firmo Juíza de Direito Data: 09/04/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Réus: Município de Belo Horizonte e Estado de Minas Gerais Processo

Leia mais

INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS

INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS Ciliane Valerio

Leia mais

Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014)

Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014) Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014) Dekker F, Van Duijn NP, Ongering JEP, Bartelink MEL, Boelman L, Burgers JS, Bouma M, Kurver MJ traduzido do original em holandês

Leia mais

Coração do Atleta é Anormal? ABORDANDO O TEMA... ABORDANDO O TEMA... Conceito de normalidade. Clássica Alternativa e talvez possa contribuir mais

Coração do Atleta é Anormal? ABORDANDO O TEMA... ABORDANDO O TEMA... Conceito de normalidade. Clássica Alternativa e talvez possa contribuir mais Coração do Atleta: o que há de novo para interpretarmos o fisiológico e o patológico? Dr. Claudio Gil Araújo ABORDANDO O TEMA... Clássica Alternativa e talvez possa contribuir mais Congresso do DERC Rio

Leia mais

ASSISTÊNCIA AO NEONATO EM ESTADO GRAVE. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREN/SP 42883

ASSISTÊNCIA AO NEONATO EM ESTADO GRAVE. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREN/SP 42883 ASSISTÊNCIA AO NEONATO EM ESTADO GRAVE Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREN/SP 42883 Classificação do Recém-Nascido n n n Pré-Termo São todas as crianças nascidas vivas, antes da 38ª semana, ou seja

Leia mais

TERAPÊUTICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA

TERAPÊUTICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA Disciplina: Farmacologia Curso: Enfermagem TERAPÊUTICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA Professora: Ms. Fernanda Cristina Ferrari Controle da Pressão Arterial Sistêmica Controle Neural estimulação dos

Leia mais

TEP - Evolução. Após episódio de TEP agudo, em 85 a 90% dos casos ocorre. trombólise espontânea ou farmacológica e recanalização do vaso

TEP - Evolução. Após episódio de TEP agudo, em 85 a 90% dos casos ocorre. trombólise espontânea ou farmacológica e recanalização do vaso Fabio B. Jatene Prof. Titular do Departamento de Cardiopneumologia -HC HC-FMUSP TEP Agudo 1cm TEP - Evolução Após episódio de TEP agudo, em 85 a 90% dos casos ocorre trombólise espontânea ou farmacológica

Leia mais

Boletim Informativo 6-2006

Boletim Informativo 6-2006 PEETT IMAGEEM I DIAGNÓSSTTI ICOSS VEETTEERRI INÁRRI IOSS NNOVVI IIDDAADDEESS NNO SS IITTEE I Estamos constantemente disponibilizando em nosso site novidades em serviços, dowloads e notícias, visite-o e

Leia mais

A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas

A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas A juventude americana não participa de

Leia mais

ATIVIDADES EM ESPACOS CONFINADOS

ATIVIDADES EM ESPACOS CONFINADOS ATIVIDADES EM ESPACOS CONFINADOS ROTINAS DE EXAMES ADMISSIONAIS, PERIÓDICOS E DEMISSIONAIS GASTOS RACIONAIS E IRRACIONAIS x PASSIVOS TRABALHISTAS Frederico Bicalho Garcia não projetado para ocupacão

Leia mais

8º Congresso de Pós-Graduação INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO FÍSICO AERÓBIO SOBRE A PRESSÃO ARTERIAL SISTÊMICA DE SUJEITOS COM DOENÇA ARTERIAL CORONARIANA

8º Congresso de Pós-Graduação INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO FÍSICO AERÓBIO SOBRE A PRESSÃO ARTERIAL SISTÊMICA DE SUJEITOS COM DOENÇA ARTERIAL CORONARIANA 8º Congresso de Pós-Graduação INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO FÍSICO AERÓBIO SOBRE A PRESSÃO ARTERIAL SISTÊMICA DE SUJEITOS COM DOENÇA ARTERIAL CORONARIANA Autor(es) TAIS MENDES DE CAMARGO Co-Autor(es) ESTER

Leia mais

CEFALÉIA RECORRENTE NA INFÂNCIA MOMENTO II PROF. RICARDO CARAFFA ABRIL 2010 CEFALÉIA RECORRENTE - PREVALÊNCIA 1962 - BO BILLE, 9059 CRIANÇAS, AOS 7 E 15 ANOS: Aos 7 anos, mais de um terço havia apresentado

Leia mais

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA INTRODUÇÃO Antonio Quaresma de Melo Neto NOVAFAPI Marcos Maciel Soares e Silva NOVAFAPI Marcelo

Leia mais

Journal of Applied Physiology Outubro 2009

Journal of Applied Physiology Outubro 2009 INFLUÊNCIA DO COMANDO CENTRAL E ATIVAÇÃO DE AFERÊNCIAS MUSCULARES SOBRE A VELOCIDADE DO SANGUE NA ARTÉRIA CEREBRAL ANTERIOR EM RESPOSTA A EXERCÍCIO DE PANTURRILHA EM HUMANOS Lauro C. Vianna 1,2, Claudio

Leia mais

Miocardiopatia Hipertrófica: Casuística da ULS da Guarda. Anexo 1: Tabela 1- Distribuição da população de doentes identificada com o

Miocardiopatia Hipertrófica: Casuística da ULS da Guarda. Anexo 1: Tabela 1- Distribuição da população de doentes identificada com o ANEXOS INDÍCE DE ANEXOS ANEXOS Anexo 1: Tabela 1- Distribuição da população de doentes identificada com o código diagnóstico do ICD-9...pág.3 Anexo 2: Questionário aplicado aos doentes com MCH..pág.3 Anexo

Leia mais

TÍTULO: ALTERACOES CARDIACAS EM DEPENDENTES QUIMICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM

TÍTULO: ALTERACOES CARDIACAS EM DEPENDENTES QUIMICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM TÍTULO: ALTERACOES CARDIACAS EM DEPENDENTES QUIMICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE BAURU AUTOR(ES): ELAINE CORREA MARCILIANO,

Leia mais

Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial. Classificação das Arritmias (Segundo a Freqüência Cardíaca Associada)

Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial. Classificação das Arritmias (Segundo a Freqüência Cardíaca Associada) Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial Prof. Dr. Luiz F. Junqueira Jr. Universidade de Brasília Departamento de Clínica Médica - Laboratório Cardiovascular Hospital Universitário de

Leia mais

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC ALGUNS TERMOS TÉCNICOS UNESC FACULDADES - ENFERMAGEM PROFª.: FLÁVIA NUNES Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica Ortopneia: É a dificuldade

Leia mais

Dissertação de Mestrado

Dissertação de Mestrado Dissertação de Mestrado Eficácia da compressão dos membros inferiores no manejo da síncope reflexa ensaio clínico randomizado cruzado duplo-cego placebo controlado Rafael Queiroz dos Santos INSTITUTO DE

Leia mais

HIDROTERAPIA PARA GESTANTES

HIDROTERAPIA PARA GESTANTES HIDROTERAPIA PARA GESTANTES Profa. Ms. DANIELA VINCCI LOPES ANATOMIA DO ABDOME E DA PELVE ÚTERO 3 camadas de músculos. NÃO GESTANTE GESTANTE FORMA ESFÉRICA CILÍNDRICA VOLUME 500 ml 5000 ml MASSA 70 g 1100

Leia mais

INTOLERÂNCIA ORTOSTÁTICA EM PACIENTES COM FIBRILAÇÃO ATRIAL ISOLADA PAROXÍSTICA OU PERSISTENTE

INTOLERÂNCIA ORTOSTÁTICA EM PACIENTES COM FIBRILAÇÃO ATRIAL ISOLADA PAROXÍSTICA OU PERSISTENTE DÉBORA LEE SMITH INTOLERÂNCIA ORTOSTÁTICA EM PACIENTES COM FIBRILAÇÃO ATRIAL ISOLADA PAROXÍSTICA OU PERSISTENTE Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau acadêmico de Mestre, ao

Leia mais

VIII. Fibrilação Atrial 2 FIBRILAÇÃO ATRIAL Voce já ouviu falar de Huang Ti? Que era imperador chinês?... Pois sim meus amigos, conta a lenda que este senhor preocupado com a longevidade de seu povo, lá

Leia mais