1. Contexto político-social no Concelho da Amadora

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. Contexto político-social no Concelho da Amadora"

Transcrição

1 Proposta Resolução Política Assembleia das Organizações do Sector de Empresas e Célula da Câmara Municipal da Amadora 6 de Abril de 2013 «Por Abril, pelo socialismo, um Partido mais forte nas Empresas e Locais de Trabalho!» 1. Contexto político-social no Concelho da Amadora A Amadora é um concelho com uma vasta história de resistência e luta operária e das populações. É também um dos concelhos mais fortemente atingidos por décadas de política de direita protagonizada pela troika nacional (PSD, PS e CDS), de repressão sobre os trabalhadores, de destruição do aparelho produtivo e de diminuição das condições de vida da população. Esta situação foi agravada pela assinatura do Pacto de Agressão, que visa acentuar a exploração e a consequente pauperização das condições de vida, a destruição dos direitos laborais e a diminuição brutal dos serviços públicos. E, em contrapartida, enche os bolsos dos capitalistas e os grandes grupos monopolistas atingem lucros fabulosos. A destruição do aparelho produtivo levou a que grandes áreas industriais fossem reconvertidas em zonas de habitação ou grandes superfícies comerciais. Segundo o INE, em 2010 existiam empresas no concelho da Amadora, sendo que tinham menos de 10 trabalhadores, 463 tinham 10 a 49 trabalhadores, 79 tinham 50 a 249 trabalhadores, e 20 tinham mais de 250 trabalhadores. Isto mostra um tecido económico marcado por micro empresas (ou empresas de cariz familiar), e a predominância do comércio e serviços. Praticamente sem indústria (de significativo existe apenas a Siemens/Nokia, a BA/Sotancro, a Dinis & Cruz e algumas empresas farmacêuticas, para além de empresas do sector da reparação e comércio de automóveis), o sector do comércio e serviços, nomeadamente a grande distribuição, cresceu à custa do grande número de desempregados e da posição do concelho na malha da Área Metropolitana de Lisboa. No âmbito da administração pública existem concentrações significativas de trabalhadores nas escolas, no Tribunal, nas Finanças e na área da saúde, com o Hospital Fernando da Fonseca à cabeça. Para além destes serviços, a Câmara Municipal da Amadora concentra um grande número de trabalhadores, em particular na área operária, apesar da crescente tendência da contratação de serviços externos por parte das autarquias. Com o desemprego a galopar (em Fevereiro de 2013 existiam no concelho inscritos no IEFP), a tarefa de reforçar o Partido entre os trabalhadores é, para além de uma necessidade, um imperativo do nosso trabalho e a nossa primeira prioridade. 2. Os comunistas e a célula de empresa Os comunistas devem ser trabalhadores exemplares, de modo a ganhar o respeito e o prestígio junto dos seus camaradas de trabalho, qualidades que lhes permitem ser a voz eleita no momento de exigir melhores condições de trabalho. O papel do militante do Partido dentro da empresa é pois de imensa responsabilidade. Não só tem a obrigação de desempenhar exemplarmente as suas

2 2 funções como trabalhador, como tem de estar atento a situações que devem ser denunciadas e saber debatê-las junto dos outros trabalhadores, para que sejam criadas condições para desenvolver a luta em torno dessas mesmas situações. Estabelecendo uma boa relação entre os camaradas de trabalho, estão, pois, criadas as condições para os membros do Partido divulgarem o Programa e os Estatutos, assim como as várias posições do Partido nas mais diversas áreas. É papel dos militantes comunistas intervir junto do seu sindicato de classe, da CGTP-IN, assim como na sua célula de empresa de forma a contribuir para a sua actividade e o seu reforço. A célula de empresa é assim o mais importante meio de organização do Partido, pois é nos locais de trabalho que a ofensiva mais se faz sentir e onde os trabalhadores sentem o choque de classe entre o capital e o trabalho. É a acção conjunta do trabalho dos vários camaradas da célula que dá forma ao papel agitador e organizativo e à capacidade de intervenção do Partido dentro das empresas. 3. Empresas prioritárias No seguimento da orientação traçada nas Assembleias de Organização Regional de Lisboa e da Concelhia da Amadora, no que diz respeito ao concelho foram vistas como prioritários as empresas BA / Sotancro, Siemens, Hospital Fernando Fonseca; Câmara Municipal da Amadora; Dinis e Cruz e os sectores das Grandes Superfícies e Vigilância. Devido à existência de vários camaradas no Sector dos Professores e ao incremento da ofensiva do Governo nesta frente, nomeadamente com o anunciado avanço de mega-agrupamentos, viu-se a necessidade de priorizar a intervenção também nesta frente. Assim, segue-se uma breve caracterização sobre a situação social de cada uma destas empresas e sectores, sendo que, em vários casos, a pouca informação deve-se à inexistência de camaradas nos locais de trabalho, ou à falta de contacto com os mesmos Câmara Municipal da Amadora A Autarquia é hoje um dos maiores empregadores do Concelho da Amadora, com 1700 trabalhadores (1014 mulheres e 696 homens), número a que se deve acrescentar os trabalhadores dos restantes órgãos autárquicos, cujo levantamento é fundamental para termos a noção do número total de trabalhadores autárquicos. Em 1997, a CDU perdeu o mandato que mantinha desde a passagem da Amadora a concelho em Com este facto, e com as sequentes e gravosas políticas de direita e as dificuldades da luta organizada, a célula ressentiu-se fortemente. Actualmente reúnem cerca de 4 a 5 camaradas no secretariado, pese, no entanto, alguma irregularidade na presença de todos os seus membros. Registou-se nos dois últimos anos a saída de quadros destacados no trabalho da célula por se terem reformado e que, obviamente, passaram para outras organizações, apesar de, em diferentes momentos, continuarem a dar a sua contribuição. O trabalho sindical é umas das frentes que mais camaradas envolve, embora este envolvimento não corresponda à grande participação destes na vida e organização do Partido, facto que cria algumas dificuldades e constrangimentos ao trabalho partidário. A tarefa de recolha da quotização e da venda do «Avante! assenta grandemente no trabalho de um camarada reformado, situação que tem de ser invertida, pelo que é imperioso definir metas e distribuir estas tarefas por forma a envolver mais camaradas. Existem alguma deficiências no acompanhamento do trabalho realizado junto dos operários do estaleiro municipal. No entanto é lá que se encontra grande parte dos camaradas e é lá que se encontram também os trabalhadores mais conscientes e mais preparados para a luta.

3 3 A célula tem editado com regularidade mensal o seu boletim «Intervir», que tem grande importância para fazer chegar a voz dos comunistas aos restantes trabalhadores, denunciando e abordando quer os assuntos específicos do município, quer as políticas de direita e apelando para as lutas que se vão travando Hospital Fernando Fonseca Pelo elevado número de trabalhadores no ramo da saúde, e pela importância estratégica que a saúde tem para nós comunistas, ficou decidido na última Assembleia de Organização do PCP da Amadora, a criação da célula do Hospital Fernando Fonseca, devendo ser encarada como uma das prioridades para o nosso trabalho no que ao sector empresas diz respeito. Contudo, devido às dificuldades para criar a supracitada célula, e por uma questão de organização do trabalho, foi decidido criar uma célula mais abrangente, que envolvesse todos os trabalhadores comunistas do sector da saúde no concelho. De momento, à parte contactos e algumas conversas, nada de formal se conseguiu, mas devido ao aumento de contactos derivado da mudança de estratégia alguns passos deverão ser dados, principalmente a marcação de uma reunião com os militantes Barbosa & Almeida/Sotancro A Barbosa & Almeida/Sotancro é uma das poucas empresas do sector produtivo que ainda se mantém. A ofensiva do patronato tem subido de tom nos últimos anos, o que nos levou a uma situação em que, no momento actual, não existe uma estrutura dentro da empresa que defenda os trabalhadores, dado que não têm sido encontradas soluções a nível sindical, e quanto à CT, a mesma cessou funções em Dezembro passado. As ameaças, notas de culpa e muitos outros tipos de pressão multiplicam-se. A informação chega tardia ao Partido devido ao deficiente acompanhamento decorrente das dificuldades em reunir com os camaradas que ainda se lá se encontram e à inexistência de uma estrutura sindical. No decorrer do último ano foram tomadas medidas para tentar reverter a situação. O documento denominado «Aos Trabalhadores da Sotancro», denominado agora de «O Vidreiro Vermelho Boletim dos trabalhadores comunistas da BA/Sotancro», começou a sair com maior regularidade, tendo-se fixado agora com uma periodicidade mensal, obrigando a que, pelo menos uma vez por mês, o Partido esteja à porta da empresa em contacto com os trabalhadores. A participação dos trabalhadores nas greves gerais é disso reflexo, sendo que, após o reforço da presença do Partido, assim como do Sindicato à porta da empresa, a adesão e a participação dos trabalhadores no piquete de greve foram muito maiores. Em Março de 2012, de 6 trabalhadores que fizeram greve e nenhum a participar no piquete passou-se, em Novembro do mesmo ano, para cerca de 25 trabalhadores do primeiro turno, que além de fazerem greve participaram também no piquete, sem contar com os que apenas fizeram greve. Neste momento estão a dar-se passos para a eleição de uma nova Comissão Sindical, mas registam-se bastantes dificuldades na formação da lista, que conta já com um levantamento de nomes, incluindo alguns trabalhadores que se destacaram na greve de Novembro Siemens A Siemens, em Alfragide, engloba uma série de empresas do grupo que contam com sensivelmente 2000 trabalhadores, incluindo operários e quadros técnicos, o que faz desta uma das empresas prioritárias do concelho. Apesar de termos alguns camaradas a trabalhar nesta empresa e recentemente ter sido eleita uma dirigente sindical (que não é militante do Partido), é pouca a informação que

4 4 temos do que lá se passa. Nos últimos tempos tem-se distribuído propaganda do Partido à porta da empresa, bem como a realização de Bancas de venda de EP's no período da preparação da Festa do «Avante!». A responsabilização de um camarada por esta empresa é de extrema importância. Só assim será possível tomar medidas consequentes com vista a dinamizar o trabalho junto dos trabalhadores Grandes Superfícies O Comércio e as Grandes Superfícies é neste momento o sector mais predominante no concelho. Existe, no entanto, uma enorme dificuldade de intervenção devido aos poucos camaradas organizados, assim como à dispersão dos locais de trabalho. Durante o decorrer do ano de 2012 tivemos diversas acções de contacto com os trabalhadores do Alegro, Dolce Vita, Continente, IKEA, os vários Pingo Doces do concelho (em especial o da Venda Nova) e vários Mini-Preços. Conseguiu-se formar, a dada altura, uma célula de sector com três camaradas, sendo que a indisponibilidade horária, aliada à dispersão dos locais de trabalho, não permitiu dar seguimento ao trabalho. Este sector é também um sector prioritário pois engloba as maiores concentrações de trabalhadores no concelho onde o número de trabalhadores imigrantes é cada vez maior, e onde as condições praticadas na grande maioria dos locais de trabalho são cada vez mais miseráveis, com salários baixos, contratos de trabalho precários, horas extras e completo desrespeito pela contratação colectiva Vigilância O sector da vigilância é um dos sectores prioritários na DORL, sendo que existe o organismo regional da Limpeza e Vigilância. Os trabalhadores do sector da vigilância multiplicam-se pelas várias empresas no concelho, com especial destaque para as médias e grandes empresas, assim como nas grandes superfícies comerciais e CMA. Estes trabalhadores estão, portanto, em contacto quase permanente com a grande maioria dos outros trabalhadores do concelho, recebendo muitas vezes orientação do patronato para servirem de instrumento repressivo junto dos outros trabalhadores. Os vigilantes estão sujeitos a baixos salários, ao abuso da carga horária, à repressão e muitas vezes à obrigação de executar tarefas que não se enquadram na sua função, assim como muitos outros atropelos à contratação colectiva. É, pois, essencial que se reforce a influência do Partido junto dos trabalhadores deste sector, orientando-os no sentido de se organizarem no seu sindicato de classe e defenderem os seus direitos. Temos alguns camaradas organizados neste sector a trabalhar no concelho, havendo possibilidades de desenvolvimento de trabalho. A dispersão dos locais de trabalho e as características já mencionadas conferem a este sector um cariz prioritário e implicam que seja responsabilizado um camarada para o acompanhamento deste sector Trabalho junto dos professores Segundo os dados disponíveis na Carta Educativa, no ano lectivo de 2006/07 o concelho tinha 35 escolas do 1º ciclo e Jardim-de-Infância pertencentes à rede pública, integrados em 12 agrupamentos verticais sedeados em escolas do 2º e 3º ciclo, ou 3º ciclo e secundário. Existiam ainda 3 escolas secundárias não agrupadas também na rede pública. Para além desta oferta pública, existiam ainda 31 estabelecimentos particulares e 25 IPSS na Educação Pré-escolar, 29 particulares e cooperativos no 1º ciclo e 6 no 2º, 3º ciclo e secundário; 2 escolas profissionais e 2 centros de formação particulares e 3

5 5 estabelecimentos de ensino superior público. Os dados referentes ao sector público, no ano lectivo 2012/13, indicam a existência de 1583 professores, dos quais 1290 têm tarefas lectivas, 21 são professores que prestam apoios educativos, 37 são do Ensino Especial e 235 exercem outras funções educativas. A influência do Partido neste universo de docentes é desconhecida, uma vez que apenas um número muito reduzido de militantes comunistas e amigos está actualmente recenseado e distribuído pelas escolas Cardoso Lopes, D. FM Melo, José Cardoso Pires, Mães D'Água e Roque Gameiro; ainda neste sector temos camaradas na IPSS Casal Popular. Deste conjunto de professores apenas um reúne regularmente no sector de professores da ORL, pertencendo ao respectivo organismo de direcção. No Concelho, reúne-se um pequeno colectivo composto por 4 a 5 camaradas, que participam regularmente, no qual também entram alguns professores desempregados. O panorama existente aponta para a necessidade de encontrar formas de mobilizar estes professores para tarefas de reflexão sobre os problemas da profissão e sobre as mudanças que se vão verificar na organização das escolas nos tempos mais próximos. Passa também pela necessidade de procurar alargar a base de influência do Partido e da CDU, recenseando outros professores que, nas escolas, mostrem interesse e sensibilidade pelas posições do Partido referentes às questões educativas. Finalmente, é imprescindível envolver na discussão das matérias relacionadas com e educação e o ensino todos os professores filiados no Partido que residem ou trabalham no concelho, mas cujas tarefas partidárias e organização não passam pelo sector de professores Dinis e Cruz A «Dinis e Cruz» é uma empresa do sector têxtil na qual trabalham cerca de 150 trabalhadoras. Já há alguns anos que se têm feito esforços no sentido de criar organização nesta empresa, mas sem grandes resultados. Têm-se feito algumas acções de contacto, nomeadamente na preparação das grandes acções de protesto, e em datas específicas como o Dia Internacional da Mulher e o 1º de Maio. É necessário tomar medidas de reforço do trabalho junto desta empresa, como por exemplo criar condições para editar um documento que reflicta os problemas específicos da empresa. 4. Orientações para o reforço do Partido nas Empresas e Locais de Trabalho A situação da organização do Partido nas Empresas e Locais de trabalho no concelho da Amadora é extremamente frágil como se pode verificar. As dificuldades de intervenção não são alheias ao número de camaradas a pagar quota (43%), ou a ler a imprensa do Partido (15 Avantes e 3 militantes por via orgânica). Para responder às necessidades que o agravamento da situação social e política nas empresas levanta, é necessário tomar medidas urgentes que, como já foi referido, passarão também por ser a responsabilização de camaradas por diversas células e frentes de trabalho. Está colocado ao Organismo de Direcção do Sector de Empresas do Concelho da Amadora e ao Secretariado da Célula da CMA dirigir trabalho no sentido de: Contribuir para o desenvolvimento da luta dos trabalhadores no concelho da Amadora; Ter um mínimo de 80% dos militantes a pagar a sua quotização;

6 6 Aumentar significativamente a leitura do «Avante!» e de «O Militante», sendo que sem estas duas ferramentas nenhum militante se encontra realmente informado e preparado para intervir junto dos colegas; Colocar o recrutamento como objectivo central para o reforço do colectivo, fazendo regularmente levantamento de nomes dos trabalhadores que se destacam; Fazer o levantamento, junto das comissões de freguesia, de todos os militantes a trabalhar no concelho com menos de 55 anos para que se cumpra a orientação do Partido da transferência dos mesmos para as células de empresa; Avançar no sentido de conhecer a realidade das empresas do sector farmacêutico e de lhe dar prioridade dentro da organização; Realizar um mínimo de 3 cursos de formação ideológica por ano para camaradas que intervêm junto das empresas e locais de trabalho; Dar regularidade aos boletins existentes e avançar no sentido de criar propaganda própria onde ela ainda não existe; Avançar no sentido de responsabilizar camaradas trabalhadores com a tarefa de acompanhar a célula em que participam; Reforçar o contacto entre o sector sindical e o sector de empresas. Criar linhas de trabalho no sentido de reforçar a intervenção junto dos trabalhadores desempregados do concelho.

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 331/XII-2ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 331/XII-2ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 331/XII-2ª COMBATE A PRECARIEDADE LABORAL E REFORÇA A PROTECÇÃO DOS TRABALHADORES NA CONTRATAÇÃO A TERMO Desde a apresentação do Programa

Leia mais

ENCONTRO Juventude e Igualdade entre Mulheres e Homens

ENCONTRO Juventude e Igualdade entre Mulheres e Homens ENCONTRO Juventude e Igualdade entre Mulheres e Homens RESOLUÇÃO LUTAR CONTRA AS DISCRIMINAÇÕES CONSTRUIR A IGUALDADE Marinha Grande 15 de Maio de 2015 RESOLUÇÃO Lutar contra as discriminações Construir

Leia mais

CGTP-IN APRESENTA PETIÇÃO: PELO DIREITO AO EMPREGO E À PROTECÇÃO SOCIAL NO DESEMPREGO

CGTP-IN APRESENTA PETIÇÃO: PELO DIREITO AO EMPREGO E À PROTECÇÃO SOCIAL NO DESEMPREGO CGTP-IN APRESENTA PETIÇÃO: PELO DIREITO AO EMPREGO E À PROTECÇÃO SOCIAL NO DESEMPREGO O direito ao trabalho e ao emprego com direitos é cada vez mais posto em causa no nosso país. As políticas seguidas

Leia mais

PROPOSTA DA DIRECÇÃO DO SPN

PROPOSTA DA DIRECÇÃO DO SPN PROPOSTA DA DIRECÇÃO DO SPN ESTATUTOS DO SINDICATO DOS PROFESSORES DO NORTE PROPOSTA DE ALTERAÇÃO 24.NOV.2009 TEXTO ACTUAL TEXTO DA PROPOSTA (alterações a vermelho e sublinhadas) Capítulo I - DA CONSTITUIÇÃO,

Leia mais

Cork Information Bureau 2015. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015. EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor.

Cork Information Bureau 2015. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015. EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015 EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor.pt Exportações de Cortiça crescem 7,8% As exportações portuguesas de cortiça registaram, no primeiro

Leia mais

Associação Contraditório. Estatutos

Associação Contraditório. Estatutos Associação Contraditório Estatutos CAPÍTULO I Denominação, Princípios e Objectivos Artigo 1º (Denominação, sede e duração) 1. A associação, sem fins lucrativos, adopta a denominação ASSOCIAÇÃO CONTRADITÓRIO,

Leia mais

Estatutos da Associação de Estudantes da Escola Secundária Emídio Navarro

Estatutos da Associação de Estudantes da Escola Secundária Emídio Navarro Estatutos da Associação de Estudantes da Escola Secundária Emídio Navarro A verde o que queremos acrescentar ou rectificar e a vermelho o que queremos retirar. A Associação de Estudantes da Escola Secundária

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADE E DE CONTAS REFERENTE AO 1º ANO DO STCC (SETEMBRO 2014/2015)

RELATÓRIO DE ACTIVIDADE E DE CONTAS REFERENTE AO 1º ANO DO STCC (SETEMBRO 2014/2015) RELATÓRIO DE ACTIVIDADE E DE CONTAS REFERENTE AO 1º ANO DO STCC (SETEMBRO 2014/2015) Introdução O documento em apreço procura traduzir a complexa actividade realizada, bem como alguns sucessos, as dificuldades

Leia mais

REVISÃO DA CARREIRA. PONTO DA SITUAÇÃO

REVISÃO DA CARREIRA. PONTO DA SITUAÇÃO Comunicado 23/09/2015 REVISÃO DA CARREIRA. PONTO DA SITUAÇÃO COLEGAS Pelas 21 horas, do dia 21 de Setembro de 2015, pôs-se um ponto final na primeira parte, da primeira fase do processo negocial da revisão/criação

Leia mais

"É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes"

É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes INTERVENÇÃO DE JERÓNIMO DE SOUSA, SECRETÁRIO-GERAL, LISBOA, REUNIÃO METROPOLITANA SOBRE TRANSPORTES PÚBLICOS E MOBILIDADE 10 Março 2016 "É imperiosa a necessidade de inverter a política de transportes"

Leia mais

Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª. Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora

Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª. Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora Preâmbulo O distrito de Évora vive hoje uma situação preocupante do

Leia mais

POR UM SINDICATO MAIS FORTE NAS ESCOLAS E COM OS PROFESSORES

POR UM SINDICATO MAIS FORTE NAS ESCOLAS E COM OS PROFESSORES Sobre a MOÇÃO B POR UM SINDICATO MAIS FORTE NAS ESCOLAS E COM OS PROFESSORES Rosa Vaz* Ao longo dos últimos anos temos vindo a sentir os efeitos perversos de políticas governativas de direita que optam

Leia mais

Sobre o combate à pobreza

Sobre o combate à pobreza PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Resolução nº 482/XI-1ª Sobre o combate à pobreza O Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza assinala-se em Portugal num preocupante quadro

Leia mais

Boletim de Informação Sindical

Boletim de Informação Sindical Boletim de Informação Sindical Ano 40 N 18 18 setembro 2015 Respostas dos partidos Como noticiamos no BIS nº 12, após a ronda de reuniões de sensibilização dos partidos políticos com assento na Assembleia

Leia mais

Conselho Nacional de Saúde MS OPAS-OMS

Conselho Nacional de Saúde MS OPAS-OMS Conselho Nacional de Saúde MS OPAS-OMS Seminário internacional: Inclusão dos cidadãos em políticas públicas de saúde A participação dos cidadãos no sistema de saúde português Mauro Serapioni Centro de

Leia mais

Capítulo I Denominação, sede e objecto. Artigo 1º. (Firma e sede) Artigo 2º. (Agências, filiais, delegações e outras formas de representação)

Capítulo I Denominação, sede e objecto. Artigo 1º. (Firma e sede) Artigo 2º. (Agências, filiais, delegações e outras formas de representação) Capítulo I Denominação, sede e objecto Artigo 1º (Firma e sede) 1 - A sociedade adopta a firma de APOR - Agência para a Modernização do Porto, S.A. e tem a sua sede na Rua Justino Teixeira, nº 861, 4300-281

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Preâmbulo

REGULAMENTO INTERNO. Preâmbulo REGULAMENTO INTERNO Preâmbulo O (adiante designado de Pacto Territorial), é uma plataforma de intervenção integrada, criada no âmbito do Projecto EQUAL Migrações e Desenvolvimento com vista à dinamização

Leia mais

RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015

RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015 RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015 Elaborado por: Rede Social de 0 Índice Sumário Executivo... 2 Capítulo I - Avaliação do Plano de Ação/2014... 4 Capítulo II - Plano de Ação de 2015... 10

Leia mais

Comissão Social de Freguesia de São Julião do Tojal

Comissão Social de Freguesia de São Julião do Tojal Acta Constituinte Comissão Social de Freguesia de São Julião do Tojal ( Resolução do Conselho de Ministros, 197/97 de 17 de Novembro, com as alterações introduzidas pela Declaração de Rectificação nº10-0/98

Leia mais

para um novo ano lectivo

para um novo ano lectivo Ano Lectivo 2008/09 20 medidas de política para um novo ano lectivo Este documento apresenta algumas medidas para 2008/09: Apoios para as famílias e para os alunos Modernização das escolas Plano Tecnológico

Leia mais

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL)

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) Com as alterações introduzidas pelas seguintes leis: Lei n.º 80/98, de 24 de Novembro; Lei n.º 128/99, de 20 de Agosto; Lei n.º 12/2003,

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO: GRUPO DE TRABALHO (ALTERAÇÃO):

GRUPO DE TRABALHO: GRUPO DE TRABALHO (ALTERAÇÃO): GRUPO TRABALHO: CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ESTELA SILVA CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO JOANA VERGAS CRUZ VERMELHA PORTUGUESA DÁRIO COSTA GRUPO TRABALHO (ALTERAÇÃO): CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO CONCEIÇÃO

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIEIRA DO MINHO REGIMENTO INTERNO A lei nº 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo19º, nº 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL REGULAMENTO. Artigo 1º. (Natureza) Artigo 2º. (Objectivos)

CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL REGULAMENTO. Artigo 1º. (Natureza) Artigo 2º. (Objectivos) CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL REGULAMENTO Artigo 1º (Natureza) O Conselho Municipal de Desenvolvimento Económico e Social (CMDES) é um órgão de reflexão e consulta no domínio

Leia mais

RESOLUÇÃO PROPOSTA DE LEI DO CÓDIGO DE TRABALHO CONTINUA INACEITÁVEL NEGOCIAÇÃO DEVE PROSSEGUIR

RESOLUÇÃO PROPOSTA DE LEI DO CÓDIGO DE TRABALHO CONTINUA INACEITÁVEL NEGOCIAÇÃO DEVE PROSSEGUIR RESOLUÇÃO PROPOSTA DE LEI DO CÓDIGO DE TRABALHO CONTINUA INACEITÁVEL NEGOCIAÇÃO DEVE PROSSEGUIR 1. Desde que em Julho passado o Governo anunciou a apresentação de um projecto de Código Laboral, decorreram

Leia mais

PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006

PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006 PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006 Documento elaborado pelo: Conselho Local de Acção Social do Concelho do Núcleo

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

Como Vamos Melhorar a Educação nos Próximos Anos?

Como Vamos Melhorar a Educação nos Próximos Anos? Como Vamos Melhorar a Educação nos Próximos Anos? Apresentação do Debate Nacional Sobre a Educação Assembleia da República, 22 de Maio de 2006 Júlio Pedrosa de Jesus, Presidente do Conselho Nacional de

Leia mais

Encontros do Observatório 2014 Pobreza Infantil

Encontros do Observatório 2014 Pobreza Infantil º Uma iniciativa: Com apoio: 1 Encontros do Observatório, 23 Maio 2014 1. Contextualização O Observatório de Luta contra a Pobreza na Cidade de Lisboa definiu como prioridade temática para 2014 a, problema

Leia mais

8 DE MAIO 2013. ONDE NASCE O NOVO EMPREGO EM PORTUGAL Teresa Cardoso de Menezes

8 DE MAIO 2013. ONDE NASCE O NOVO EMPREGO EM PORTUGAL Teresa Cardoso de Menezes 8 DE MAIO 2013 ONDE NASCE O NOVO EMPREGO EM PORTUGAL Teresa Cardoso de Menezes a empresa activa mais antiga em Portugal nasceu em 1670? 2001 foi o ano em que nasceram mais empresas em Portugal? ontem quando

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS E AMIGOS DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA RIO DE MOURO ESTATUTOS

ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS E AMIGOS DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA RIO DE MOURO ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS E AMIGOS DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA RIO DE MOURO ESTATUTOS ARTIGO 1º (Constituição) A Associação dos Antigos Alunos e Amigos da Escola Secundária de Leal da Câmara,

Leia mais

1º CONTRIBUTO DA UGT O EMPREGO DOS JOVENS INICIATIVA OPORTUNIDADE PARA A JUVENTUDE

1º CONTRIBUTO DA UGT O EMPREGO DOS JOVENS INICIATIVA OPORTUNIDADE PARA A JUVENTUDE 1º CONTRIBUTO DA UGT O EMPREGO DOS JOVENS INICIATIVA OPORTUNIDADE PARA A JUVENTUDE I. Enquadramento A UGT regista o lançamento da Iniciativa Oportunidade para a Juventude em Dezembro de 2011 e, no âmbito

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001)

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião

Leia mais

1. (PT) - Diário de Notícias, 14/08/2013, Células estaminais travam doença 1

1. (PT) - Diário de Notícias, 14/08/2013, Células estaminais travam doença 1 14-08-2013 Revista de Imprensa 14-08-2013 1. (PT) - Diário de Notícias, 14/08/2013, Células estaminais travam doença 1 2. (PT) - Diário de Notícias, 14/08/2013, Identificar Alzheimer antes dos sintomas

Leia mais

F O R M A Ç Ã O. ÓRGÃOS das

F O R M A Ç Ã O. ÓRGÃOS das F O R M A Ç Ã O ÓRGÃOS das AUTARQUIAS JORGE GASPAR AUTARQUIAS LOCAIS Noção e enquadramento As autarquias locais são pessoas colectivas territoriais, dotadas de órgãos representativos, que visam a prossecução

Leia mais

DIREITOS SINDICAIS I DISPOSIÇÕES GERAIS

DIREITOS SINDICAIS I DISPOSIÇÕES GERAIS DIREITOS SINDICAIS O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Direito de Associação Sindical I DISPOSIÇÕES GERAIS Os trabalhadores têm o direito de constituir associações sindicais a todos os níveis para defesa e promoção

Leia mais

Relatório de Actividades 2008

Relatório de Actividades 2008 Relatório de Actividades 2008 Elaborado por: Grupo Dinamizador da Comissão Social de Freguesia de Stº Antº dos Cavaleiros, 2009 Nota Introdutória O presente documento tem como principal objectivo a avaliação

Leia mais

MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Acta n.º3/2004

MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Acta n.º3/2004 MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Acta n.º3/2004 Aos dez dias do mês de Maio do ano de 2004, no Auditório Municipal da Quinta das Pratas, reuniu o Conselho Municipal de Educação do Concelho

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE MÉDICOS DE SAÚDE PÚBLICA

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE MÉDICOS DE SAÚDE PÚBLICA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE MÉDICOS DE SAÚDE PÚBLICA Mudança "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades Muda-se o Ser, mudase a confiança; Todo mundo é composto de mudança, Tomando sempre novas qualidades."

Leia mais

Ficha 1 Actividade Sindical

Ficha 1 Actividade Sindical Direito de Associação Sindical art. 475º Liberdade de Sindicalização art. 479º Proibição de Actos Discriminatórios art. 453º Em caso de transferência art. 457º Quotização Sindical art. 492º, 494º e 495º

Leia mais

Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO

Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO Maio de 2011 Preâmbulo As alterações demográficas que se têm verificado na população portuguesa

Leia mais

MUNICÍPIO DE VAGOS Câmara Municipal Rua da Saudade 3840-420 VAGOS

MUNICÍPIO DE VAGOS Câmara Municipal Rua da Saudade 3840-420 VAGOS --------------------------ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO-------------------------- -----------------------------------------------------ATA Numero Quatro-------------------------------------------

Leia mais

RESOLUÇÃO SOBRE O CONTEÚDO DE TRABALHO NAS ORGANIZAÇÕES DE BASE DO PARTIDO

RESOLUÇÃO SOBRE O CONTEÚDO DE TRABALHO NAS ORGANIZAÇÕES DE BASE DO PARTIDO RESOLUÇÃO SOBRE O CONTEÚDO DE TRABALHO NAS ORGANIZAÇÕES DE BASE DO PARTIDO 1 FICHA TÉCNICA Regulamento Geral de Organização e Funcionamento das Estruturas do MPLA Edição: COMITÉ CENTRAL DO MPLA Ano de

Leia mais

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS Plano de Actividades e Orçamento Exercício de 2012 Plano de Actividades e Orçamento para o exercício de 2012 Preâmbulo: O Plano de Actividades do ano de 2012 foi concebido com a prudência que resulta da

Leia mais

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado Social de Lagoa O Banco de Voluntariado LagoaSocial será enquadrado num conjunto de medidas e acções

Leia mais

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 1 Índice: I Enquadramento II Eixos de Intervenção Estratégica III Proposta de Orçamento IV Candidaturas a Programas de Apoio 2 I Enquadramento Estratégico

Leia mais

Relatório sobre o funcionamento da Escola Básica Integrada da Charneca da Caparica

Relatório sobre o funcionamento da Escola Básica Integrada da Charneca da Caparica Relatório sobre o funcionamento da Escola Básica Integrada da Charneca da Caparica Dezembro de 2005 Trabalho realizado por: Joana Alves nº. 16071 Relatório da Escola Básica Integrada da Charneca da Caparica

Leia mais

ASSINATURA DA CARTA DE AALBORG

ASSINATURA DA CARTA DE AALBORG PROPOSTA ASSINATURA DA CARTA DE AALBORG Desde sempre, desde as sociedades primitivas, o Homem usou os recursos naturais para viver. Porém durante muito tempo, a exploração de recursos era diminuta e a

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Projecto IMCHE/2/CP2 1 ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EPIDEMIOLOGIA ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO ÂMBITO E OBJECTIVOS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EPIDEMIOLOGIA ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO ÂMBITO E OBJECTIVOS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EPIDEMIOLOGIA ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO ÂMBITO E OBJECTIVOS ARTIGO 1º 1. É constituida uma associação portuguesa científica e técnica, por tempo indeterminado e sem fins lucrativos,

Leia mais

2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS

2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS - DOCUMENTO 15 Extractos dos Referentes Externos e Internos que suportam o Referencial 2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS REFERENTES EXTERNOS LEGISLAÇÃO Lei nº 31/2002 de 20 de Dezembro CAPÍTULO I Sistema

Leia mais

CEBE. Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO

CEBE. Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO CEBE Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO ÍNDICE Introdução 3 Pag 1 Regime de funcionamento 4 1.1 Horário 5 1.2 Acesso, circulação e saída da CEBE 6 2 Estrutura Pedagógica e Administrativa

Leia mais

NOTÍCIAS À SEXTA 05.12.2014

NOTÍCIAS À SEXTA 05.12.2014 RELATÓRIO Portugal-Saúde Mental em Números 2014 O relatório "Portugal - Saúde Mental em Números 2014", que se baseia no 1º Estudo Epidemiológico Nacional de Saúde Mental divulgado em 2013, afirma que um

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE

PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE A promoção da educação para a saúde em meio escolar é um processo em permanente desenvolvimento para o qual concorrem os sectores da Educação

Leia mais

PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO. (Denominação)

PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO. (Denominação) PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO (Denominação) O Agrupamento adopta a denominação de Monte - Desenvolvimento Alentejo Central,

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA E DE TEMAS PARA DISCUSSÃO

PROPOSTA DE PROGRAMA E DE TEMAS PARA DISCUSSÃO PROPOSTA DE PROGRAMA E DE TEMAS PARA DISCUSSÃO 2. INOVAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO O objectivo está adquirido, como está adquirida a consciência da sua importância. O que não está adquirido é a forma de

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SER BEBÉ

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SER BEBÉ ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SER BEBÉ Associação Portuguesa para a Saúde Mental da Primeira Infância (versão corrigida de acordo com as indicações da Procuradoria da República) Artigo 1º 1 - Denominação e natureza

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE O MUNICIPIO DE SETÚBAL E A CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DAS COLECTIVIDADES DE CULTURA, RECREIO E DESPORTO Considerando: a) As atribuições da Câmara Municipal de Setúbal, conferida

Leia mais

DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS

DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO 2015/2016 I APRESENTAÇÃO A educação pré-escolar contribui de forma significativa para o desenvolvimento

Leia mais

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro)

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) O sistema de avaliação e autorização de introdução no mercado de medicamentos, que tem vindo

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA NOTA JUSTIFICATIVA A Lei 159/99, de 14 de Setembro, estabelece no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos locais de Educação. A Lei 169/99, de 18

Leia mais

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007)

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Excelentíssimos membros do Conselho Directivo, excelentíssimos professores, caríssimos alunos, É com enorme satisfação que

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO y Câmara Municipal de Redondo CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO O DL 7/2003, de 15 de Janeiro, que prevê a constituição do Conselho Municipal de Educação, regulou as suas competências

Leia mais

6. Participação da comunidade

6. Participação da comunidade O ambiente é actualmente um elemento estruturante do desenvolvimento da sociedade e do território, não sendo possível conceber políticas ou planos sem uma forte componente de ambiente e qualidade ambiental.

Leia mais

Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR

Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR Aprovado pela Câmara em 6/02/2003, alterado em Reunião de Câmara de 18/09/2003 Aprovado pela Assembleia Municipal em

Leia mais

Critérios para Avaliação do Desempenho

Critérios para Avaliação do Desempenho Critérios para Avaliação do Desempenho Índice AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO...5 INFORMAÇÃO...5 O QUE É A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO?...5 OBJECTIVOS DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO...5 A ENTREVISTA DE AVALIAÇÃO...6 OBJECTIVOS

Leia mais

ESTATUTOS ACPP. Capítulo Primeiro. Artº 1º

ESTATUTOS ACPP. Capítulo Primeiro. Artº 1º Capítulo Primeiro Artº 1º A Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal é uma pessoa colectiva de interesse privado com fins humanitários, formativos, informativos, culturais e recreativos e sem

Leia mais

MUNICIPIO DE ALMADA. Assembleia Municipal MOÇÃO/DELIBERAÇÃO. (Cooperativas em Almada: A Alternativa para o Consumo e Economia Locais)

MUNICIPIO DE ALMADA. Assembleia Municipal MOÇÃO/DELIBERAÇÃO. (Cooperativas em Almada: A Alternativa para o Consumo e Economia Locais) MOÇÃO/DELIBERAÇÃO (Cooperativas em Almada: A Alternativa para o Consumo e Economia Locais) Uma cooperativa é uma associação autónoma de pessoas que se unem, voluntariamente, para satisfazer aspirações

Leia mais

Regulamento Interno. Preâmbulo

Regulamento Interno. Preâmbulo Regulamento Interno Preâmbulo A Resolução de Conselho de Ministros 197/97 de 18 de Novembro define a Rede Social como um fórum de articulação e congregação de esforços baseado na adesão livre das autarquias

Leia mais

Mudança - PS,BE,PND,MPT, PTP e PAN

Mudança - PS,BE,PND,MPT, PTP e PAN Autárquicas 2013 Funchal Situação Política, financeira, económica e social O Concelho do Funchal vive uma situação dramática, a pior desde a implementação da democracia, da autonomia e do poder local democrático.

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO

FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO ESPAÇO RESERVADO AO TI: PROPOSTA Nº DATA DA ENTRADA: / / RECEBIDO POR: I. IDENTIFICAÇÃO DO PROMOTOR NOME: Nº DE SÓCIO: MORADA: CÓDIGO POSTAL - LOCALIDADE: CONCELHO: TELEFONE:

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO RANCHO FOLCLÓRICO SAMPAENSE

REGULAMENTO INTERNO RANCHO FOLCLÓRICO SAMPAENSE REGULAMENTO INTERNO RANCHO FOLCLÓRICO SAMPAENSE CAPITULO I ENQUADRAMENTO Artigo 1º. Denominação No âmbito das actividades e ao abrigo dos antigos estatutos sociais da S.R.L.S., foi fundado e organizado

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE LAFÕES

ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE LAFÕES ADRL ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE LAFÕES ESTATUTOS CAPÍTULO I Da associação ARTIGO PRIMEIRO Constituição 1 É constituída uma associação sem fins lucrativos, denominada ADRL Associação de Desenvolvimento

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete A construção de um futuro impõe que se considere fundamental investir na capacitação e formação das pessoas,

Leia mais

RESOLUÇÃO SECRETARIADO NACIONAL DE 29 DE JANEIRO DE 2015

RESOLUÇÃO SECRETARIADO NACIONAL DE 29 DE JANEIRO DE 2015 RESOLUÇÃO SECRETARIADO NACIONAL DE 29 DE JANEIRO DE 2015 O ano de 2015 é o primeiro em que nos encontramos integralmente fora da alçada da Troika e no qual o Governo poderia ter operado uma real mudança

Leia mais

MOÇÃO Solidariedade com os trabalhadores da Gestnave/Ereta

MOÇÃO Solidariedade com os trabalhadores da Gestnave/Ereta Deliberações de 1 de Fevereiro de 2008 1 de Fevereiro de 2008 Auditoria externa das Contas Aprovada a contratação da Sociedade de Revisores Oficiais de Contas Sebastião & Santos, para prestação de serviços

Leia mais

LOURES ELEIÇÃO DA COORDENADORA CONCELHIA. ELEIÇÕES 5 de ABRIL Sede Loures/Odivelas Rua Fernão Lopes, nº 5 Loja Odivelas das 14h00 às 19h00

LOURES ELEIÇÃO DA COORDENADORA CONCELHIA. ELEIÇÕES 5 de ABRIL Sede Loures/Odivelas Rua Fernão Lopes, nº 5 Loja Odivelas das 14h00 às 19h00 MANDATO 2014 / 2016 ELEIÇÃO DA COORDENADORA CONCELHIA LOURES ELEIÇÕES 5 de ABRIL Sede Loures/Odivelas Rua Fernão Lopes, nº 5 Loja Odivelas das 14h00 às 19h00 LISTA A MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA UMA ESQUERDA

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141. Portaria n.º 1633/2007

Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141. Portaria n.º 1633/2007 Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141 Portaria n.º 1633/2007 de 31 de Dezembro A Lei n.º 66 -B/2007, de 28 de Dezembro, que estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação

Leia mais

visão global do mundo dos negócios

visão global do mundo dos negócios Senhor Primeiro Ministro Senhor Ministro da Saúde Senhor Presidente da AM Senhor Presidente do CA da Lenitudes Senhores Deputados Srs. Embaixadores Srs. Cônsules Senhores Vereadores e Deputados Municipais

Leia mais

Plano de Atividades. Relatório de Atividades Intervenção Precoce

Plano de Atividades. Relatório de Atividades Intervenção Precoce Plano de Atividades Relatório de Atividades Intervenção Precoce Mod221/V01.PG01 (02.02.2015) Página 1 de 14 Mod221/V01.Org (09.02.2015) Página 1 de 14 2014 Elaborado: Ângela Madureira Data: 20.02.2015

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Ao décimo primeiro dia do mês de março de dois mil e treze, pelas nove horas e trinta minutos, no edifício da Junta de Freguesia de Viana do Alentejo, reuniu o Conselho

Leia mais

PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL

PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL A Amnistia Internacional Portugal defende a manutenção Formação Cívica nos 2.º

Leia mais

A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas

A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas Psicologia organizacional A Psicologia Organizacional, inicialmente

Leia mais

NÚCLEO DE MEDICINA INTERNA DOS HOSPITAIS DISTRITAIS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS

NÚCLEO DE MEDICINA INTERNA DOS HOSPITAIS DISTRITAIS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS Art. 1 - O Núcleo de Medicina Interna dos Hospitais Distritais, também designado abreviadamente por N. M. I. H. D., é uma Associação sem fins lucrativos

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais

EMPREGO E DESEMPREGO NO NORTE DE PORTUGAL

EMPREGO E DESEMPREGO NO NORTE DE PORTUGAL Seminário NORTE 2015 O Desenvolvimento Regional no Novo Horizonte Europeu: O caso do Norte de Portugal 25.Maio.2005 EMPREGO E DESEMPREGO NO NORTE DE PORTUGAL JOSÉ M. VAREJÃO Enquadramento Trajectória desfavorável

Leia mais

1 - OFENSIVA CAPITALISTA APROFUNDA DESIGUALDADES E INJUSTIÇAS

1 - OFENSIVA CAPITALISTA APROFUNDA DESIGUALDADES E INJUSTIÇAS 1 1 - OFENSIVA CAPITALISTA APROFUNDA DESIGUALDADES E INJUSTIÇAS A situação internacional caracteriza-se pelo aprofundamento da crise do capitalismo que tendo o seu epicentro nos EUA e assumindo particular

Leia mais

Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado.

Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado. 1 Só um ou, quando muito, dois membros do órgão de gestão ou administração da empresa local pode ser remunerado. Artigo 25.º, n.ºs 3 e 4 da Lei n.º 50/2012, de 31 de agosto O valor da remuneração do(s)

Leia mais

Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000)

Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000) Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000) CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, SEDE, DURAÇÃO, OBJECTIVOS, ÂMBITO Art.º 1º

Leia mais

Artigo 2.º (Definições) Para efeitos da aplicação do SIADAP no seio da UC, entende-se por: a) «Dirigente máximo do serviço», o reitor.

Artigo 2.º (Definições) Para efeitos da aplicação do SIADAP no seio da UC, entende-se por: a) «Dirigente máximo do serviço», o reitor. 1 Nos termos do disposto no n.º 3 do artigo 110.º do RJIES, a aprovação do presente regulamento, elaborado ao abrigo do estatuído no artigo 3.º da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro, é precedida da sua

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL Gabinete do Presidente

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL Gabinete do Presidente Diário da Sessão n.º 008 de 25/01/01 Vamos passar ao ponto nº 4 da nossa ordem do dia, ou seja, à Proposta de Resolução Medidas de Combate à Leptospirose. Tem a palavra o Sr. Deputado Bento Barcelos. Deputado

Leia mais

Promover emprego e trabalho com qualidade: dinamizar a contratação colectiva, valorizar e proteger

Promover emprego e trabalho com qualidade: dinamizar a contratação colectiva, valorizar e proteger Promover emprego e trabalho com qualidade: dinamizar a contratação colectiva, valorizar e proteger SEM MAIS EMPREGO NÃO É POSSÍVEL A RECUPERAÇÃO ECONÓMICA DO PAÍS Slides utilizados na intervenção que fiz

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Viana do Alentejo Preâmbulo

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Viana do Alentejo Preâmbulo Regimento do Conselho Municipal de Educação de Viana do Alentejo Preâmbulo A Lei nº 159/99, de 14 de setembro, visou estabelecer um quadro de transferências de atribuições e competências da Administração

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social

Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social Enquadramento Com base numa visão estratégica de desenvolvimento social que valorize a rentabilização dos recursos técnicos e financeiros

Leia mais

Regimento Interno da Articulação de Esquerda

Regimento Interno da Articulação de Esquerda Regimento Interno da Articulação de Esquerda A Articulação de Esquerda (AE) é uma tendência interna do Partido dos Trabalhadores. Existe para a defesa de um PT de luta, de massa, democrático, socialista

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

Leia mais

Regulamento Do Arquivo da Junta de Freguesia de Avanca. Junta de Freguesia de Avanca Sector de Arquivo

Regulamento Do Arquivo da Junta de Freguesia de Avanca. Junta de Freguesia de Avanca Sector de Arquivo Regulamento Do Arquivo da Junta de Freguesia de Avanca Junta de Freguesia de Avanca Sector de Arquivo Avanca 2009 Preâmbulo O Arquivo é, sem dúvida, a materialização da memória colectiva. É com base neste

Leia mais

Plano Municipal de Cascais contra a Violência Doméstica 2008-2011

Plano Municipal de Cascais contra a Violência Doméstica 2008-2011 Plano Municipal de Cascais contra a Violência Doméstica 2008-2011 A violência doméstica é um fenómeno complexo que requer uma intervenção concertada e multidisciplinar. 1 PLANO MUNICIPAL CONTRA A VIOLÊNCIA

Leia mais