FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7 CURSO GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO GESTÃO DE MARKETING E

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7 CURSO GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO GESTÃO DE MARKETING E"

Transcrição

1 FACULDADE 7 DE SETEMBRO FA7 CURSO GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO GESTÃO DE MARKETING E DIFERENCIAL COMPETITIVO: CASO MCDONALDS. GILVANA MARQUES FREITAS FORTALEZA 2009

2 GILVANA MARQUES FREITAS RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO GESTÃO DE MARKETING E DIFERENCIAL COMPETITIVO. CASO MCDONALDS Monografia apresentada ao Curso de Comunicação Social da Faculdade Sete de Setembro, como requisito para a finalização do curso de graduação em Publicidade e Propaganda. Professor Orientador: Tiago Seixas Themudo, Dr. FORTALEZA 2009

3 RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO GESTÃO DE MARKETING E DIFERENCIAL COMPETITIVO: CASO MCDONALDS. Monografia apresentada ao Curso de Comunicação Social da Faculdade Sete de Setembro, como requisito para a finalização da habilitação em Publicidade e Propaganda. Gilvana Marques Freitas Monografia aprovada em: / / Banca examinadora: Profº. Dr. Tiago Seixas Themudo Orientador Profº. Dr. Paulo Germano Barrozo de Albuquerque Membro Prof.º Ms. Leonardo Macedo de Paiva Membro

4 DEDICATÓRIA Dedico primeiramente a Deus e a Jesus Cristo. A eles dedico o sucesso desse trabalho. Com toda a fé que foi determinante. Dedico aos meus pais, pelo exemplo e base de educação, indispensáveis para a definição de quem sou hoje; Dedico ao meu amigo, companheiro, príncipe e namorado de todas as horas, Marcelo, pelo estimulo e força para a conclusão deste trabalho.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço aos meus irmãos Bibia e Juninho que permitiram usar o computador; Ao Profº. Leonardo Macedo que foi determinante para a criação do meu primeiro projeto sobre o assunto, a quem me deu as primeiras direções; Ao meu orientador e amigo Tiago Seixas, por sua paciência e perseverança, que ao meu lado, permitiram a conclusão desse trabalho. Obrigada pela orientação, horas de conversas e conselhos. Obrigada por ser esse profissional e que tenho profundo respeito; Aos meus professores que durante quatro anos de curso foram responsáveis por minha educação profissional; Aos meus amigos e amigas Juliana Acioly, Madox, Natalia Milerio, Pedro Marques, Carol, Juliane Pereira, Mabel Albuquerque e Isabella Mota pela convivência diária. Foram muitos risos, lágrimas e momentos de estresse com tantos trabalhos e notas. Aos meus amigos de curso que participaram do meu crescimento pessoal e profissional; Aos meus amigos de trabalho pelas horas cedidas para que eu conseguisse concluir, finalmente, esse trabalho; Agradeço a todos que de alguma forma contribuíram comigo.

6 RESUMO FREITAS, Gilvana Marques Responsabilidade Social como gestão de marketing e diferencial competitivo. Monografia. FA7, Faculdade Sete de Setembro. Fortaleza, Em decorrência de uma maior conscientização do consumidor e também pela procura por produtos e práticas que gerem melhoria para o meio ambiente e/ou comunidade, o mundo empresarial vê na responsabilidade social, uma nova estratégia para aumentar seu lucro e potencializar seu desenvolvimento. Essa responsabilidade social teve seu conceito evoluído desde seu primeiro uso no século XIX. O que antes era uma ação voltada para benefícios sociais almejando lucro, evoluiu para filantropia e hoje, aborda ações alem investir em projetos sociais. A empresa que adere a sustentabilidade e a ações socialmente corretas precisam ter preocupação com a qualidade de vida dos seus funcionários, com seus fornecedores, com a sua relação com o meio ambiente e principalmente com a comunidade que estar inserida. Em um primeiro momento se faz necessário a apresentação do conceito de responsabilidade social em todas as suas vertentes, a apresentação da evolução desse conceito, sua aplicação no cenário brasileiro e também uma argumentação sobre a utilização da responsabilidade social como diferencial competitivo. No segundo momento, atentou-se para o discurso praticado pelas corporações quando se utilizam do consumo consciente como gestão de marketing fazendo também uma discussão sobre escândalos vividos pela Nike e Shell com denuncias de exploração de mão de obra infantil e danos ao meio ambiente, respectivamente. E por fim, em um terceiro momento, feito uma analise da evolução histórica do McDonalds, estudo das suas estratégias de marketing visando a responsabilidade social e fazendo um cruzamento desse discurso com as ações que realmente são praticadas. Ações essas que não são socialmente corretas. Palavras chave: Responsabilidade Social, Sustentabilidade, Consumo Consciente, Marketing Social, Cidadania Empresarial, Vantagem Competitiva, McDonalds.

7 ABSTRACT As a result of increased consumer awareness and also by demand for products and practices that better manage the environment and / or community, the business world sees social responsibility, a new strategy to increase your profits and enhance their development. This social responsibility was his concept evolved from its first use in the nineteenth century. What was an action-oriented social benefits targeting profit, philanthropy and evolved into today, addresses actions besides investing in social projects. The company that adheres to sustainability and socially correct actions need to be concerned about the quality of life of its employees, their suppliers, their relationship with the environment and are within the community to be inserted. At first it is necessary to the presentation of the concept of social responsibility in all its aspects, the presentation of the evolution of this concept, its application in the Brazilian and also an argument for the use of social responsibility and competitive advantage. Secondly, it looked to the speech practiced by corporations when using the conscious consumption and marketing management also making a discussion of scandals experienced by Nike and Shell with complaints of exploitation of child labor and environmental damage, respectively. Finally, a third time, made an analysis of the historical development of the McDonalds, the study of marketing strategies aimed at social responsibility and making an intersection of this discourse with the actions that are actually practiced. These actions are not socially correct. Keywords - Keywords: Social Responsibility, Sustainability, Conscious Consumption, Social Marketing, Corporate Citizenship, Competitive Advantage, McDonalds.

8 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO 10 II. A ERA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL Evolução do conceito Definições e Conceitos Responsabilidade Social como diferencial competitivo Responsabilidade Social no Brasil 20 III. UM CENÁRIO AS AVESSAS Discurso da Responsabilidade Social A Teoria e a prática da Responsabilidade Social Caso Nike Caso Shell Responsabilidade Social como gestão de marketing 38 IV. CASO MCDONALDS A trajetória da Mcdonalização Construção da marca de arcos dourados O porta voz O discurso da Responsabilidade Social praticada A prática da Responsabilidade Social Mc Donalds 54

9 9 V. CONSIDERAÇÕES FINAIS 65 VI. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 69

10 10 I. INTRODUÇÃO A sociedade da informação, a receptividade da imprensa e a globalização trazem ao mundo um novo conceito de negócios, uma nova realidade em que as empresas estão precisando se adaptar para conquistar as margens de lucros propostas. O incremento da produtividade, o avanço da tecnologia e a difusão do conhecimento levaram a uma competitividade maior entre as empresas. Dessa maneira, essas empresas estão precisando encontrar novos diferenciais e apostar em uma nova gestão para conquistar seus clientes potenciais. A saída encontrada para esse desafio proposto está na responsabilidade sustentável. A procura por produtos e práticas que proporcionem uma melhoria para o meio ambiente e para a comunidade. Cada vez mais, as empresas estão percebendo que de nada vale criar estratégias de marketing, ampliar seu mercado, aumentar sua porcentagem de lucro se não houver um entendimento do processo da cadeia produtiva. E esse processo é baseado no desempenho das empresas em um contexto de responsabilidade social e de uma postura correta ligado às questões ambientais. Os novos tempos estarão a exigir novos modelos de gestão e, conseqüentemente, novas formas de gestão ambiental com maior responsabilidade social. Esse novo caminho encontrado pelas empresas, no quesito tecnologia, no processo de produção, na maneira de organização, na comunicação da empresa com seus funcionários, fornecedores e com a comunidade, tanto no lado social como ambiental, se referem a um tema que não é novo, mas que nos últimos anos vem ganhando importância nos negócios. A responsabilidade social surge com uma saída não só para as empresas, como também para os problemas sociais encontrados no Brasil e no restante do mundo. Problemas como a pobreza, a miséria, desigualdade social que vem assolando a todos, desempregando milhões e levando-os a uma vida miserável e sem expectativa. Trata-se,

11 11 portanto de uma nova proposta de ação no campo social com foco em valores de gestão ligado a ações de parceria e em projetos sociais. Nesse novo caminho proposto, todos os envolvidos saem lucrando. As empresas possuem a oportunidade de agregar valor ao seu negócio trabalhando com o lado social, a comunidade pode melhorar a sua capacidade de mobilização e de eficiência operacional e o governo que se desfaz das estruturas burocráticas. Diante da realidade exposta, observa-se a necessidade de compreender melhor a evolução do conceito de responsabilidade social e como está sendo feita sua aplicação na prática, para que assim, possamos cada vez mais trabalhar na construção da ética, da transparência com todos os públicos relacionados, da produção sem agredir o meio ambiente, do respeito ao consumidor e aos funcionários. Enfim, a própria comunidade. É objetivo geral deste trabalho, explorar as diversas formas de utilização da responsabilidade social pela publicidade e propaganda na comunicação institucional das empresas, apresentando o conceito da responsabilidade social, bem como, entender como as empresas interpretam esse significado e o praticam. Do objetivo geral apresentado, pretende-se como objetivo específico, identificar as inúmeras vantagens que as empresas passarão a ter se adotarem como gestão a responsabilidade social e mostrar também que ser socialmente responsável passou a ser uma ferramenta de gestão e sobrevivência em longo prazo. E por fim, mostrar a finalidade real de algumas empresas que se utilizam de ações socialmente responsáveis, se é realmente de punho social ou, apenas almejam mais lucros para suas instituições. Nos últimos dez anos, tem-se verificado uma crescente produção de trabalhos científicos sobre Responsabilidade Social, mesmo seu conceito ainda estando em fase de construção. A intensidade do impacto que esse assunto vem provocando em praticamente todas as sociedades do mundo globalizado, parece justificar esse excesso de atenção à questão. Levando isso em consideração, a fundamentação teórica utilizada foi justamente a desses autores que discutem responsabilidade social, marketing social e cidadania empresarial.

12 12 A metodologia utilizada foi o levantamento de uma pesquisa bibliográfica, utilizando dados secundários. Dessa forma, no primeiro capítulo procurou-se apresentar a evolução do conceito de responsabilidade social, suas definições, bem como as vantagens competitivas que o mundo empresarial pode vir a ter se adotar a questão social como estratégia de marketing e, concluindo o capitulo, uma apresentação do assunto no Brasil com casos em Londrina e no Pará. No segundo capítulo, será apresentado o cenário do mundo empresarial que se utiliza da responsabilidade social, a teoria verso a prática de duas grandes multinacionais e uma analise do uso da responsabilidade social como gestão de marketing. E por fim, um estudo de caso com a maior empresa de alimentação fast-food mundial, Mc Donalds. Feito uma avaliação da sua trajetória de sucesso econômico, da evolução da sua marca e de seus personagens, da avaliação de suas ações sociais e também um levantamento de paradoxo entre o discurso e a pratica.

13 13 II. A ERA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL 2.1. Evolução do conceito A ética e a responsabilidade social foram aceitas como doutrina a partir do século XIX, nos Estados Unidos e na Europa, no momento em que conduzir negócios era uma tarefa do Estado ou da Monarquia e não um interesse econômico privado. Os monarcas expediam alvarás para as corporações de capital aberto que prometessem benefícios públicos, como a exploração e a colonização do Novo Mundo. Com a independência dos Estados Unidos, os estados aprovaram a auto-incorporação como alternativa à incorporação por ato legislativo específico. Assim, até o início do século XX, a legislação sobre corporações tinha como propósito a obtenção de lucros para seus acionistas. Os defensores da ética e da responsabilidade social corporativa começaram a debater que, se a filantropia era uma ação da corporação, entre outras ações que priorizam objetivos sociais em relação aos retornos financeiros dos acionistas seriam de igual legitimidade, como o abandono de linhas de produto lucrativas, porém nocivas ao ambiente natural e social. Inicia-se assim, no meio empresarial e acadêmico, a importância da responsabilidade social corporativa pela ação de seus dirigentes e administradores, inicialmente nos Estados Unidos e, posteriormente no final da década de 1960, na Europa. (ASHLEY, 2005) Há algumas décadas, na Europa, expandiu-se o uso da responsabilidade social para fins sociais, tendo em vista a discussão da responsabilidade social da empresa. Esta consume recursos naturais, renováveis ou não, direta ou indiretamente que são o enorme patrimônio gratuito da humanidade; utiliza capitais financeiros e tecnológicos que no fim da cadeia pertencem a pessoas físicas e, conseqüentemente, à sociedade; também utiliza a capacidade de trabalho da sociedade, finalmente, subiste em função da organização do Estado que a sociedade lhe viabiliza como parte das condições de sobrevivência. Assim, a empresa gira em torno da sociedade e do que ela pertence, devendo, em força, no mínimo prestar-lhe contas da eficiência com que usa todos esses recursos. (DESCONHECIDO, 1997).

14 14 Para o professor da FEA-USP Denis Donaire (1999), a responsabilidade social das corporações, que excede a produção de bens e serviços, tem-se intensificado nas últimas décadas, notadamente a partir dos anos 60, em resposta às mudanças ocorridas nos valores de nossa sociedade. Mudanças essas que incluem a responsabilidade social de ajudar a sociedade a resolver alguns de seus problemas sociais, muitos dos quais as próprias organizações ajudaram a criar. Em uma visão econômica clássica, a empresa socialmente responsável é aquela que responde às expectativas de seus acionistas e de seus públicos atuais. A ordem de mudança organizacional, que se inicia com mudanças conservadoras e finaliza com mudanças radicais, está diretamente relacionada ao grau de amplitude de inclusão e de consideração pela empresa quanto às suas reações com seus públicos. Abaixo, possui uma ilustração de uma tendência histórica a partir da perspectiva de para quem a empresa deve ser responsável. Fonte: ASHLEY, 2005 O conceito de responsabilidade social, devido ao dever das corporações de promover o desenvolvimento social, desde 1970, passou a ser acompanhado do termo responsabilidade social corporativa. Essa categoria responsabilidade social corporativa faz com que as empresas sejam obrigadas a cumprir suas responsabilidades sociais e morais antes de explorarem os lucros, funcionando como um controle social e uma base para a confiança nas relações humanas e organizacionais. De acordo com Ashley (2005), o papel da administração das organizações na criação de meios que usem a prática de desempenho social corporativo, como a formulação de estratégias, a distribuição de recursos e os sistemas de recompensa. Nesse modelo há três tipos de abordagens que podem ser utilizadas ao se lidar com a responsabilidade social corporativa: a pré-convencional, a convencional e a pós-convencional. A abordagem préconvencional se dá apenas no próprio individuo os outros são meios para benefícios e o prazer dele próprio, que se auto-engrandece. Na abordagem convencional, o foco são as

15 15 obrigações negativas para com os outros, mas sempre dentro de limites externos à organização. E a ênfase, na abordagem pós-convencional, recai as obrigações positivas, internacionalizando-se o respeito pelos outros e o dever de promover o bem-estar. O conceito de responsabilidade social não se resume as práticas sociais da empresa, mas por um conjunto das práticas econômicas, ambientais e sociais, que se relacionam e se definem. Desse modo, o objetivo da responsabilidade social empresarial vai além dos fatores de produção, passando para uma maneira de organização que una os interesses do indivíduo, da sociedade e da natureza, transitando do antropocêntrico, no qual a empresa é centro de tudo, para o ecocêntrico no qual o meio ambiente é o mais importante, e a empresa, assim como outros agentes, insere-se nele. A responsabilidade social vista pela abordagem tradicional, busca o aumento das riquezas dos acionistas ou proprietários da empresa, tem como principais princípios a alienação da sociedade influenciando ao consumismo, a competição entre as relações de produção e consumo e a relação de posse da natureza pelo ser humano e antropocentrismo. Já a abordagem ecocêntrica, exige uma nova reflexão para a empresa, deixando de lado as relações de produção e o consumo nas coletividades humanas e levando mais em conta as relações entre ser humano e natureza, sustentabilidade e qualidade de vida, bem estar de seus públicos, e principalmente, o marketing agindo para a educação do ato de consumo. (ASHLEY, 2005) Definições e Conceitos Tanto se escreve sobre responsabilidade social, mas afinal, o que é responsabilidade social? A expressão de responsabilidade suscita uma série de interpretações. Para alguns, representa a idéia de responsabilidade ou obrigação legal, para outros, um dever, que se impõe às empresas. Há os que a traduzem, de acordo com o avanço das discussões, como prática social, papel social e função social. Outros a vêem associada ao comportamento eticamente responsável ou a uma contribuição caridosa. Há ainda os que acham que seu significado transmitido é ser responsável por ou socialmente consciente e os que a associam a um simples sinônimo de legitimidade ou a um antônimo

16 16 de socialmente irresponsável ou não responsável. (DUARTE E DIAS, 1986). Responsabilidade social pode ser conceituada como um compromisso que uma organização deve ter com a sociedade que está inserida, seja por meio de atos e atitudes positivos que reforce o seu papel na sociedade e a sua prestação de contas com ela. No geral, é toda e qualquer ação que possa contribuir para a melhoria da qualidade de vida e da sociedade. (ASHLEY, 2003). Responsabilidade social significa algo, mas nem sempre a mesma coisa, para todos. Para alguns, ela representa a idéia de responsabilidade ou obrigação legal; para outros, significa um comportamento responsável no sentido épico; para outros, ainda, o significado transmitido é o de responsável por, num modo causal. Muitos, simplesmente, equiparam-na a uma contribuição caridosa; outros tomam na pelo sentido de socialmente consciente. Responsabilidade social pode ser também o compromisso que a empresa tem com o desenvolvimento, bem-estar e o melhoramento da qualidade de vida dos empregados, suas famílias e comunidade em geral. (VOTAW, 1986: 55). Além disso, a responsabilidade social é o resultado dos questionamentos e das críticas que as empresas receberam, devido a suas ações no campo social, ético e econômico. (ASHLEY, 2003). Mas o aspecto mais importante e fundamental a ser considerado para a integração da área ambiental junto às demais áreas funcionais é à disposição da administração da empresa em transformar a causa ideológica em um principio básico da empresa, superando o temor de trabalhar de forma transparente seu envolvimento com a questão ambiental. (DONAIRE, 1999). O que se espera de uma empresa realmente preocupada em contribuir para a solução de base na sociedade é que ela tenha uma política institucional firme, ética, dinâmica e empreendedora, e que a responsabilidade social seja um processo natural, fluindo como a responsabilidade social em cada cidadão. (MATIAS, 1999:79). Para Melo Neto (2005), a responsabilidade social de uma empresa consiste na sua iniciativa de participar das ações desenvolvidas na comunidade em que está presente e pelo esforço de minorar os danos ambientais causados decorrentes da atividade exercida.

17 17 Ressaltando que apoiar o desenvolvimento da comunidade e preservar o meio ambiente não são suficientes para contribuir a uma empresa de socialmente responsável. É preciso investir no bem-estar dos seus funcionários, trabalhando em um bom ambiente saudável e promovendo relações de comunicações transparentes com os acionistas, seus parceiros e garantindo a satisfação de seus clientes e/ou funcionários. O conceito de responsabilidade social está se ampliando, passando da filantropia, que é a relação socialmente compromissada da empresa com a comunidade, para abranger todas as relações da empresa com seus funcionários, clientes, fornecedores, acionistas, concorrentes, meio ambiente e organizações públicas e estatais. (GRAJEW, 2000: B-2). Para a Revista EXAME (2003), as principais características de uma empresa socialmente responsável são: - Envolvimento forte baseado em valores éticos e responsáveis - Vontade de progresso contínuo e uma atitude baseada na humildade - Compreensão e uma aceitação da interdependência da empresa com seus meios. - Visão a longo prazo baseada na responsabilidade face as gerações futuras - Principio de precaução como regra de decisão - Prática regulada de diálogo e de consulta de todas as partes envolvidas - Prática de informação e transparência - Capacidade de responder pelos seus atos e de prestar contas sobre as conseqüências diretas e indiretas de sua atividade. A essência da doutrina da Responsabilidade Social sob o ponto de vista empresarial, na concepção de Duarte e Dias (1985), está baseada em três pressupostos básicos: primeiro, a ampliação do alcance da responsabilidade da empresa, que não mais se limita aos interesses dos acionistas; segundo, a mudança da natureza das responsabilidades que ultrapassam o âmbito legal e envolvem as obrigações morais ditadas pela ética; terceiro, a adequação às demandas sociais mais atuantes e exigentes.

18 18 O objetivo da responsabilidade social é garantir o desempenho ético e correto e o desempenho ambiental adequado da empresa, melhorar a qualidade de vida dos funcionários e dependentes, usar a sua estratégia para mobilizar a todos a serem socialmente responsáveis, trabalhar o respeito ao consumidor e atos de solidariedade, usar da comunicação para transmitir valores e informações de interesse da comunidade, etc. O exercício da cidadania empresarial parte do principio de se trabalhar duas gestões diferentes: a gestão de responsabilidade interna e a gestão de responsabilidade externa. A responsabilidade social interna trabalha o público-interno da empresa, seus empregados e dependentes. Modos de contratação, seleção, treinamento e capacitação. Procurar investir no bem estar e na qualificação dos empregados e seus dependentes. Procurar motivar toda a equipe para que todos trabalhem juntos procurando o melhor para a empresa. Já a responsabilidade social externa tem como foco a comunidade mais próxima da empresa ou o local onde ela está situada. Trabalhar através de doações de produtos, equipamentos e materiais em geral, transferência de recursos em regime de parceria para órgãos públicos, prestação de serviço voluntário para a comunidade pelos funcionários da empresa, aplicações de recursos em ativistas de preservação do meio ambiente, geração de empregos, patrocínio de projetos sociais e investimentos na comunidade. (MELO NETO, 2005) A responsabilidade social engloba o público externo e interno, além do investimento na preservação ambiental, sem privilegiar uma área. Essas áreas trabalhadas direcionam para o processo de gestão empresarial para o fortalecimento da dimensão social da empresa e facilitam o investimento das empresas na responsabilidade social, pois permitem o seguimento de alguns padrões. (ASHLEY, 2003).

19 Responsabilidade Social como diferencial competitivo Segundo a BSR 1, mais de dois terços dos consumidores mundiais preferem produtos desenvolvidos por empresas socialmente responsáveis. E no campo brasileiro, pesquisa realizada pelo Instituto Ethos e pelo jornal Valor mostrou que 31% dos consumidores brasileiros prestigiaram ou puniram uma empresa com base em sua conduta social. Entre consumidores identificados como líderes de opinião, esse índice chega a 50% e, entre os entrevistados com maior nível de escolaridade, 40% revelaram o mesmo comportamento. Para 51% dos consumidores, a ética nos negócios é um dos principais fatores para avaliar se uma empresa é boa ou ruim. (ASHLEY, 2003). Assim, o que vemos é uma maior preocupação por parte da população sobre de onde vêm os produtos fabricados, e melhor, como tal empresa está chegando a certos lucros agredindo ou não o meio ambiente. Ou seja, responsabilidade social, tornou-se uma maneira de estar vivo no mercado mundial. E de acordo com uma pesquisa realizada pela IBM 2, onde 75% dos profissionais entrevistados afirmaram que uma empresa com responsabilidade social e um plano de trabalho voluntário atrai e retém talentos. E outra pesquisa feita pela You & Company com aproximadamente 2000 alunos de MBA 3, constatou que 83% dos que procuravam por empregos afirmaram que escolheriam a oferta da empresa que demonstrasse maior Responsabilidade Social, e 50% deles mencionaram preferir trabalhar em companhias éticas mesmo com salários menores. (ASLHEY, 2005) A empresa sabendo trabalhar a responsabilidade social de forma assumida, consistente e inteligente, pode contribuir de forma decisiva para a sustentabilidade e o desempenho empresarial. Tudo começa com um clima de maior simpatia para a imagem da 1 Business for Social Responsibility (BSR). 2 International Business Machines. 3 MBA é a sigla, em inglês, para Master in Business Administration, ou, em Português, Mestre em Administração de Negócios. Traduzindo, MBA é um curso de formação de executivos, nas diversas disciplinas da administração, onde são estudadas matérias de marketing, finanças, RH, contabilidade etc.

20 20 empresa. De repente, a empresa deixa de ser vilã, responsável pela prática de preços abusivos e demissões e fonte geradora de lucros exobirtantes e, em muitos casos, a responsável pela depredação da natureza. Torna-se uma empresa cidadã, que se traduz numa imagem corporativa de consciência social comprometida com a busca de soluções para os graves problemas sociais que assolam a comunidade. Muda sua imagem, fruto do seu novo posicionamento de empresa-cidadã. Com a marca reforçada, a empresa torna-se mais conhecida e vende mais. Seus produtos, serviços e, principalmente, sua empresa ganham maior visibilidade. Os clientes tornam-se orgulhosos em comprar produtos e serviços de uma empresa cidadã. Fornecedores sentem-se motivados em trabalhar como parceiros de uma empresa desta grandeza. O governo e a sociedade civil tornam-se parceiros desta empresa em seus empreendimentos sociais. Os concorrentes reconhecem o ganho de valor desta empresa. É o uso da cidadania empresarial como vantagem competitiva. Quando a empresa deixa de cumprir suas obrigações sociais em relação aos seus funcionários, acionistas, consumidores, parceiros e comunidade, ela perde a imagem construída, perde o capital de responsabilidade social. O primeiro indicador é a perda de credibilidade. Sua imagem é prejudicada. Se o problema for à responsabilidade social interna, os primeiros problemas são a quebra do clima organizacional, com os funcionários desmotivados, surgem conflitos que acarretam em greves, paralisações, baixa produtividade e aumento de acidentes de trabalho, além de altos índices de faltas e atrasos. Sendo a responsabilidade externa a principal área de problema, os efeitos são ainda maiores: acusações de injustiça social, boicote de consumidores, perda de clientes, reclamações de fornecedores e revendedores, queda nas vendas, gastos extras com passivo ambiental, ações na justiça, risco de invasões e até mesmo a falência. (MELO NETO, 2005) Responsabilidade Social no Brasil No Brasil, ética e responsabilidade social nos negócios são temas em ascendente difusão e discussão. O cenário já se alterou bastante desde meados da década de 1970, em

21 21 especial no final da década de 1990, pela crescente produção acadêmica, lançamento de premiações e fundação de organizações associativas promotoras do conceito, em especial o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. 4 (ASHLEY, 2005). É natural, pela relevância do tema, que existam limitações quanto a sua empregabilidade, principalmente se tratando da realidade empresarial brasileira. O conceito, difundido na Europa e Estados Unidos, está imerso em outros aspectos reais e culturais, impossibilitando uma adaptação precisa ao cenário brasileiro. É inoportuno querer adotar estratégias empresariais elaboradas em outros países, esperando que os resultados se expressem da mesma forma aqui, no Brasil. O aspecto cultural de uma nação, região ou localidade, determina o que se pode esperar como resultado de determinada atitude ou ação. É necessário, assim, que as estratégias de responsabilidade social empresarial sejam criadas e desenvolvidas de acordo com a realidade brasileira e das distintas regionalidades deste imerso país. Aprender com as experiências dos outros países é interessante, desde que não queira empregá-los como solução para os problemas locais. (ASHLEY, 2005). Nesse contexto, as empresas devem se calcar em valores fundamentais da vida no âmbito social, econômico e ambiental, como direitos humanos, dos funcionários, colaboradores da empresa e dos grupos de interesse; proteção ambiental, envolvimento comunitário, relação com fornecedores e clientes; monitoramento e avaliação de desempenho. (ALMEIDA, 1999). As primeiras discussões sobre o tema no Brasil tem como protagonista a ADCE 5, cujo objetivo era promover o debate sobre o balanço social. A questão passava necessariamente pela dinâmica da responsabilidade social, que dava a tônica de seminários e congressos, palestras e colóquios. O pioneirismo da ADCE- Brasil em promover atividades sobre a responsabilidade social das empresas marca, de forma contundente, a relevância de pensar a dinâmica social da empresas com mais intensidade no Brasil. Dessa maneira, o valor social, deve ser encarado como assunto estratégico nas agendas das 4 Uma organização sem fins lucrativos que ajuda as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente responsável. 5 Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresas Brasil.

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Camila Cristina S. Honório 1 Maristela Perpétua Ferreira 1 Rosecleia Perpétua Gomes dos Santos 1 RESUMO O presente artigo tem por finalidade mostrar a importância de ser

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social Por Daiane Fontes 1 A preocupação da sociedade com relação aos temas ética, cidadania, direitos humanos, desenvolvimento econômico, Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

Glossário do Investimento Social*

Glossário do Investimento Social* Glossário do Investimento Social* O IDIS Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social é uma organização da sociedade civil de interesse público, que tem como missão promover e estruturar o investimento

Leia mais

Profa. Cláudia Palladino. Unidade I RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS

Profa. Cláudia Palladino. Unidade I RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS Profa. Cláudia Palladino Unidade I RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES Antes de falarmos sobre RSE Ambiente das empresas: Incertezas Pressões das partes interessadas em: desempenho global que promova

Leia mais

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS A Copagaz A Copagaz, primeira empresa do Grupo Zahran, iniciou suas atividades em 1955 distribuindo uma tonelada de Gás Liquefeito de Petróleo - GLP por dia nos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL. A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social

RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL. A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social Ana Paula P. Mohr Universidade do Vale do Rio dos Sinos ana.mohr@gerdau.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL. Roberta Dalvo

RESPONSABILIDADE SOCIAL. Roberta Dalvo RESPONSABILIDADE SOCIAL Roberta Dalvo Objetivo: Histórico e definições Panorama Social Oportunidades para as empresas (Vantagem Competitiva) Pesquisa realizada pelo Instituto Ethos/Valor Casos de sucesso

Leia mais

A história do Balanço Social

A história do Balanço Social C A P Í T U L O 1 A história do Balanço Social D esde o início do século XX registram-se manifestações a favor de ações sociais por parte de empresas. Contudo, foi somente a partir da década de 1960, nos

Leia mais

INDICADORES ETHOS. De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000

INDICADORES ETHOS. De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000 INDICADORES ETHOS De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000 Instrumento de avaliação e planejamento para empresas que buscam excelência e sustentabilidade em seus negócios Abril/2000

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE Ética para viver Ética para viver MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro colaborador, A Bandeirante possui missão, visão e valores definidos. Eles estão discriminados em um documento amplamente difundido dentro e

Leia mais

Sustentabilidade: Hoje ou Amanhã?

Sustentabilidade: Hoje ou Amanhã? Sustentabilidade: Hoje ou Amanhã? Sustentabilidade O que isto significa? Tem implicações nas vidas das pessoas e organizações? Os cidadãos e os executivos estão comprometidos com isto? Surgem muitas organizações

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 PALAVRA DA DIRETORIA Apresentamos, com muito prazer, o do Grupo Galvão, que foi elaborado de maneira participativa com representantes dos colaboradores

Leia mais

COMMUNICATION ON PROGRESS

COMMUNICATION ON PROGRESS COMMUNICATION ON PROGRESS (COP) 2014 1. Declaração de Compromisso Esta é a primeira comunicação de Progresso (COP) que fazemos abrangendo o período de Dezembro de 2013 a Dezembro de 2014. Quero reforçar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. Questão nº 1. Padrão de Resposta Esperado:

ADMINISTRAÇÃO. Questão nº 1. Padrão de Resposta Esperado: Questão nº 1 Produto Para fazer frente ao problema de prazo de entrega do produto, a Megabooks poderia compensá-lo com uma agregação de valor ao produto. Poderia, por exemplo, utilizar uma sobrecapa personalizada

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

A FUNÇÃO SOCIAL DA EMPRESA SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO

A FUNÇÃO SOCIAL DA EMPRESA SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO A FUNÇÃO SOCIAL DA EMPRESA SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Bruna Medeiros David de Souza Advogada. Pós-graduanda em Direito Civil pela Faculdade de Direito Milton Campos. A função social da

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ²

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² A Responsabilidade Social tem sido considerada, entre muitos autores, como tema de relevância crescente na formulação de estratégias empresarias

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Patrocínio Esportivo como ferramenta de Comunicação Organizacional 1

Patrocínio Esportivo como ferramenta de Comunicação Organizacional 1 Patrocínio Esportivo como ferramenta de Comunicação Organizacional 1 Éder Simões Uria¹ 2 Resumo: Investir no esporte é uma estratégia de marketing em constante crescimento, utilizada pelas empresas de

Leia mais

Profa. Ligia Vianna. Unidade II PRINCÍPIOS BÁSICOS DA

Profa. Ligia Vianna. Unidade II PRINCÍPIOS BÁSICOS DA Profa. Ligia Vianna Unidade II PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ADMINISTRAÇÃO Num passado não muito distante, a ordem sociopolítica compreendia apenas dois setores, ou seja, um público e outro privado. Esses setores

Leia mais

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES Ítalo Camilo da Silva Nogueira Mestrando em Desenvolvimento Regional (mídias sociais), docente na Faculdade Nossa Senhora Aparecida/FANAP-GO.

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00 Páginas 1/8 1. OBJETIVO O Código de Ética é um conjunto de diretrizes e regras de atuação, que define como os empregados e contratados da AQCES devem agir em diferentes situações no que diz respeito à

Leia mais

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social Características essenciais de Responsabilidade Social Incorporação por parte da organização de considerações sociais e ambientais nas suas decisões tornando-se

Leia mais

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados Comunicação e Reputação 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados 1 Introdução Ao contrário do que alguns podem pensar, reputação não é apenas um atributo ou juízo moral aplicado às empresas.

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

Responsabilidade social empresarial na região de Campinas, Estado de São Paulo: características e expectativas

Responsabilidade social empresarial na região de Campinas, Estado de São Paulo: características e expectativas Responsabilidade social empresarial na região de Campinas, Estado de São Paulo: características e expectativas Cândido Ferreira da Silva Filho (UNISAL) candido.silva@am.unisal.br Gideon Carvalho de Benedicto

Leia mais

Vida Segura Empresarial Bradesco:

Vida Segura Empresarial Bradesco: PRÊMIO ANSP 2005 Vida Segura Empresarial Bradesco: A democratização do acesso ao Seguro de Vida chega às Micro e Pequenas Empresas. 1 SUMÁRIO 1. Sinopse 3 2. Introdução 4 3. O desafio de ser o pioneiro

Leia mais

UNIDADE 2 Empreendedorismo

UNIDADE 2 Empreendedorismo UNIDADE 2 Empreendedorismo O mundo tem sofrido inúmeras transformações em períodos de tempo cada vez mais curtos. Alguns conceitos relativos à administração predominaram em determinados momentos do século

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: MAIS UMA ESTRATÉGIA DAS EMPRESAS PARA OBTEREM VANTAGEM COMPETITIVA? Luciana de Góis Aquino Teixeira 1 Marcos de Moraes Sousa 2

MARKETING AMBIENTAL: MAIS UMA ESTRATÉGIA DAS EMPRESAS PARA OBTEREM VANTAGEM COMPETITIVA? Luciana de Góis Aquino Teixeira 1 Marcos de Moraes Sousa 2 MARKETING AMBIENTAL: MAIS UMA ESTRATÉGIA DAS EMPRESAS PARA OBTEREM VANTAGEM COMPETITIVA? Luciana de Góis Aquino Teixeira 1 Marcos de Moraes Sousa 2 RESUMO O marketing é uma função da administração que

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil.

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. RADIOBRÁS Empresa Brasileira de Comunicação S. A. Diretoria de Gestão de Pessoas e Administração

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Política de Comunicação Fundação Luterana de Diaconia

Política de Comunicação Fundação Luterana de Diaconia Política de Comunicação Fundação Luterana de Diaconia Missão da FLD Apoiar e acompanhar programas e projetos de grupos organizados da sociedade civil que fortaleçam o protagonismo das pessoas e suas comunidades,

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA2

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA2 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA2 ESTRATÉGIAS E INSTRUMENTOS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMBIENTAL E

Leia mais

Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar

Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar Sumário Prefácio: Os hospitais não são essenciais Introdução: O sistema hospitalar mudou, mas continua o mesmo! Imagem pública

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

PRISMA EDIFICAÇÕES E ENGENHARIA

PRISMA EDIFICAÇÕES E ENGENHARIA PRISMA EDIFICAÇÕES E ENGENHARIA 2 Código de Conduta Prisma Edificações e Engenharia I - O que é o Código de Conduta da Prisma Edificações e Engenharia? O Código de Conduta da Prisma é um instrumento criado

Leia mais

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY Instrumental e modular, o Ferramentas de Gestão é uma oportunidade de aperfeiçoamento para quem busca conteúdo de qualidade ao gerenciar ações sociais de empresas

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL Uma estratégia para o aumento de receita financeira nas empresas.

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL Uma estratégia para o aumento de receita financeira nas empresas. RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL Uma estratégia para o aumento de receita financeira nas empresas. Clayton Queiroz Coutinho A questão da responsabilidade socioambiental é um tema polêmico e dinâmico no mundo

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA APRESENTAÇÃO O Banco da Amazônia S.A., consciente da importância da ética nas relações com a comunidade em que atua, divulga este Código de Ética, que contém os padrões

Leia mais

Marketing de Causas Sociais

Marketing de Causas Sociais Marketing de Causas Sociais Denilson Motta denilson.motta@yahoo.com.br AEDB Lúcia Maria Aparecido Vieira lucivie3@hotmail.com UBM Vanderléia Duarte potter_van@yahoo.com.br AEDB Rayanna Mattos Viana rayannamviana@gmail.com

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização Cristiane dos Santos Schleiniger * Lise Mari Nitsche Ortiz * O Terceiro Setor é o setor da sociedade que emprega aproximadamente 1 milhão de pessoas.

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

Como participar pequenos negócios Os parceiros O consumidor

Como participar pequenos negócios Os parceiros O consumidor Movimento incentiva a escolha pelos pequenos negócios na hora da compra A iniciativa visa conscientizar o consumidor que comprar dos pequenos é um ato de cidadania que contribui para gerar mais empregos,

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA 23 de julho de 2015 ÍNDICE Pág. Introdução... 3 Objetivos... 3 Princípios gerais de atuação... 4 Princípios específicos de atuação... 7 Mecanismos de desenvolvimento,

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Edição: agosto/2014 1 ÍNDICE Visão, Missão e Valores 6 Fornecedores e prestadores de serviço 14 Objetivos 7 Brindes, presentes e entretenimento 15 Princípios

Leia mais

Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999.

Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999. GESTÃO PARA UM MUNDO MELHOR Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999. RESUMO: Para o consultor e empresário Oscar Motomura, a sociedade global precisa evoluir, abandonando sua ganância

Leia mais

Elas formam um dos polos mais dinâmicos da economia brasileira, e são o principal sustentáculo do emprego e da distribuição de renda no país.

Elas formam um dos polos mais dinâmicos da economia brasileira, e são o principal sustentáculo do emprego e da distribuição de renda no país. Fonte: http://www.portaldaindustria.org.br 25/02/2015 PRONUNCIAMENTO DO PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO NACIONAL (CDN) DO SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE), NA SOLENIDADE

Leia mais

Nossos. Princípios. de Atuação

Nossos. Princípios. de Atuação Nossos Princípios de Atuação O cumprimento de nossos Princípios de Atuação nos ajuda a tomar decisões e atuar com integridade e profissionalismo. CARTA DO PRESIDENTE O Grupo Telefônica passou por mudanças

Leia mais

Visão do Significado de Responsabilidade Social sob a Ótica das Empresas Paraenses

Visão do Significado de Responsabilidade Social sob a Ótica das Empresas Paraenses 1 Visão do Significado de Responsabilidade Social sob a Ótica das Empresas Paraenses RESUMO Ivanete Modesto do Amaral 1 O artigo apresenta e discute os resultados de uma pesquisa sobre a visão de responsabilidade

Leia mais

A ENERGIA NUCLEAR, A OPINIÃO PÚBLICA E O TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES NUCLEARES

A ENERGIA NUCLEAR, A OPINIÃO PÚBLICA E O TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES NUCLEARES A ENERGIA NUCLEAR, A OPINIÃO PÚBLICA E O TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES NUCLEARES Valéria Pastura 1, Antônio Carlos de A. Mól 1,2,3, Ana Paula Legey 1,2,3, e Celso Marcelo F. Lapa 1,2,3 Instituto

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA GSIME TECNOLOGIA E INFORMÁTICA LTDA Nome Fantasia: GTI Solution

CÓDIGO DE ÉTICA DA GSIME TECNOLOGIA E INFORMÁTICA LTDA Nome Fantasia: GTI Solution CÓDIGO DE ÉTICA DA GSIME TECNOLOGIA E INFORMÁTICA LTDA Nome Fantasia: GTI Solution GTI Solution Código de Ética: GSIME TECNOLOGIA E INFORMÁTICA LTDA 1. INTRODUÇÃO A GSIME TECNOLOGIA E INFORMÁTICA LTDA

Leia mais

Responsabilidade Socioambiental, Negócios e Sustentabilidade

Responsabilidade Socioambiental, Negócios e Sustentabilidade Responsabilidade Socioambiental, Negócios e Sustentabilidade SUSTENTABILIDADE Fonte figura: Projeto Sigma Paula Chies Schommer CIAGS/UFBA Novembro 2007 O que define uma empresa como sustentável? 2 Objetivos

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Gestão de iniciativas sociais

Gestão de iniciativas sociais Gestão de iniciativas sociais Leia o texto a seguir e entenda o conceito do Trevo e as suas relações com a gestão organizacional. Caso queira ir direto para os textos, clique aqui. http://www.promenino.org.br/ferramentas/trevo/tabid/115/default.aspx

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES.

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 417 CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Alice da Silva

Leia mais

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 Índice 1. Ética empresarial...3 2 1. ÉTICA EMPRESARIAL É neste contexto, e com o objetivo de o mundo empresarial recuperar a confiança, que vai surgindo a ética Empresarial.

Leia mais

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO Resumo: Reafirma o comportamento socialmente responsável da Duratex. Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS 3.3. IMPACTO 3.4. TEMAS

Leia mais

4 O CASO PETROBRAS 4.1 HISTÓRICO DA PETROBRAS

4 O CASO PETROBRAS 4.1 HISTÓRICO DA PETROBRAS 4 O CASO PETROBRAS 4.1 HISTÓRICO DA PETROBRAS A Petrobras foi criada em 3 de outubro de 1953, pela Lei 2.004, assinada pelo então presidente Getúlio Vargas, em meio a um ambiente de descrédito em relação

Leia mais

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ José Alves de SOUZA² Maria Stella Galvão SANTOS³ Universidade Potiguar (UnP ), Natal, RN RESUMO Este Plano de Comunicação refere-se a um estudo

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Responsabilidade social empresarial Uma ferramenta estratégica de gestão

Responsabilidade social empresarial Uma ferramenta estratégica de gestão Responsabilidade social empresarial Uma ferramenta estratégica de gestão Sônia de Oliveira Morcerf sonia.oliveira@csn.com.br Universidade Federal Rural do Estado do Rio de Janeiro - UFRRJ Mestrado em Gestão

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

ISO 9001 ISO 14001. Relatório Comunicação de Progresso COP 2014

ISO 9001 ISO 14001. Relatório Comunicação de Progresso COP 2014 Relatório Comunicação de Progresso COP 2014 Detalhes da Comunicação de Progresso Nome da Empresa Signatária Copastur Viagens e Turismo País Brasil Setor Turismo Agenciamento de Viagens Período de Relato

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende *

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado é a expressão da participação da sociedade na vida pública mais significativa da atualidade. Os movimentos de participação

Leia mais

Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Comunicação de Progresso - 2006

Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Comunicação de Progresso - 2006 Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA Comunicação de Progresso - 2006 Quem somos: Número de funcionários: 781 Número de empresas listadas: 391 Volume financeiro diário: R$ 2,4 bilhões Market Cap: R$

Leia mais

ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ.

ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ. ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros Agosto/2013 Introdução É notória nos dias de hoje a dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego nas empresas

Leia mais

O meio ambiente e o planejamento estratégico

O meio ambiente e o planejamento estratégico O meio ambiente e o planejamento estratégico Roberto Sanches Garcia, Prof.Dr.Alfredo Colenci Junior Mestrado em Tecnologia: Gestão, Desenvolvimento e Formação. CEETEPS - São Paulo SP Brasil roberto.sanches4@terra.com.br;

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Comunicação Institucional Visão de Futuro

Comunicação Institucional Visão de Futuro Comunicação Institucional Visão de Futuro Organograma Presidente Comunicação Institucional Assistente Imagem Corporativa e Marcas Comitê Estratégico Imprensa Planejamento e Gestão Atendimento e Articulação

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas Desenvolvimento Sustentável Social Econômico Ambiental Lucro Financeiro Resultado Social

Leia mais

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

NOSSA VIDA É FACILITAR A SUA.

NOSSA VIDA É FACILITAR A SUA. NOSSA VIDA É FACILITAR A SUA. SUMÁRIO Carta do Diretor / Conselho de Administração... 03 Diretrizes... 04 Introdução... 05 Missão e Visão... 06 Valores... 07 Princípios e Condutas... 08 Comitê de Conduta

Leia mais

Cartilha para os. Colaboradores. Rua 105-C, nº 16 Setor Sul - Goiânia/GO CEP: 74.080-310. 62 3224-4767 www.pontaleng.com.br contato@pontaleng.com.

Cartilha para os. Colaboradores. Rua 105-C, nº 16 Setor Sul - Goiânia/GO CEP: 74.080-310. 62 3224-4767 www.pontaleng.com.br contato@pontaleng.com. Cartilha para os 62 3224-4767 www.pontaleng.com.br contato@pontaleng.com.br Rua 105-C, nº 16 Setor Sul - Goiânia/GO CEP: 74.080-310 Colaboradores Cartilha para o colaborador A PONTAL ENGENHARIA acredita

Leia mais