$GPLQLVWUDomRGH&3' 3URILVVLRQDLVGH7, SLQKHLURFDVVLR#LJFRPEU FDVVLRRUJIUHHFRP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "$GPLQLVWUDomRGH&3' 3URILVVLRQDLVGH7, SLQKHLURFDVVLR#LJFRPEU FDVVLRRUJIUHHFRP"

Transcrição

1 $GPLQLVWUDomRGH&3' 3URILVVLRQDLVGH7, &ivvlr'%3lqkhlur SLQKHLURFDVVLR#LJFRPEU FDVVLRRUJIUHHFRP

2 2EMHWLYRV $SUHVHQWDUDVSULQFLSDLVSURILVV}HVH FDUDFWHUtVWLFDVGRVSURILVVLRQDLVGDiUHD GH7,UHVVDOWDQGR &DUDFWHUtVWLFDVSURILVVLRQDLV +DELOLGDGHVH&DSDFLGDGHV &DSDFLWDomRHP1tYHO6XSHULRU 1RYDV7HQGrQFLDV

3 6XPiULR $(YROXomRGD,QIRUPiWLFD $,QIRUPiWLFDFRPR&LrQFLD &DUDFWHUtVWLFDVGR3URILVVLRQDO $V3URILVV}HV0DLV&RPXQV 23URILVVLRQDOGH1tYHO6XSHULRU $,QWHUQHWHDV1RYDV3URILVV}HV

4 $(YROXomRGD,QIRUPiWLFD ± &DOFXODGRUDVPDLVUiSLGDVHFRQWURODGDVSRU SURJUDPD ± &RPSXWDGRUHVSURJUDPiYHLVHVXSRUWHD DWLYLGDGHVGLYHUVDV ± 7UDQVLVWRUHVHDVOLQJXDJHQVGHSURJUDPDomR ± 3URJUDPDGRUHV ± &LUFXLWRVLQWHJUDGRVPXOWLSURJUDPDomR H LQtFLRGDGLVVHPLQDomRHGHVHQYROYLPHQWRGRVRIWZDUH± $QDOLVWDV [[ ± &RPSXWDGRUHVSHVVRDLVPDLRUYHORFLGDGH SRSXODUL]DomRGRFRPSXWDGRU± 3RSXODUL]DomRGD SURILVVmR

5 $,QIRUPiWLFDFRPR&LrQFLD 7HPFRPRSULQFLSDOREMHWLYRRVXSRUWH WpFQLFRDRXWUDVFLrQFLDV,QLFLDGDSRUWpFQLFRVGHRXWUDViUHDVGH FRQKHFLPHQWR(QJHQKDULD(OpWULFD (VSHFLDOLGDGHVQmREHPGHILQLGDV DEVRUYLGDVSHORPHUFDGRGHWUDEDOKR 5HTXHUFRQKHFLPHQWRDPSORSRUSDUWH GRSURILVVLRQDO

6 &DUDFWHUtVWLFDVGR3URILVVLRQDO &DSDFLGDGHVH7DUHIDV%iVLFDV Projetar e desenvolver os recursos básicos necessários para tornar o computador acessível aos usuários; Desenvolver tecnologias para atender necessidades da sociedade e para a aplicação nos interesse das organizações; Gerenciar projetos de sistemas e dirigir o treinamento de usuários; Efetuar perícias, arbitramentos, auditorias e emissão de pareceres relativos ao processamento eletrônico de informações.

7 &DUDFWHUtVWLFDVGR3URILVVLRQDO +DELOLGDGHV1HFHVViULDV Examinar viabilidade e conveniência da aplicação da informática, estimando custos e definindo recursos Usar técnicas modernas e eficazes para especificação do projeto e desenvolvimento de sistemas Implantar processos de automação dos sistemas das organizações de forma que os benefícios obtidos não gerem questões sociais negativas; Fazer uso eficiente da Informática, reunindo a tecnologia da computação e a tecnologia da administração

8 $V3URILVV}HV0DLV&RPXQV 'LJLWDGRU ±,QVHUomRGHGDGRV 2SHUDGRU ± 0DQXWHQomRGR)XQFLRQDPHQWR 3URJUDPDGRU ± 7UDGXomRGDVHVSHFLILFDo}HVWpFQLFDV SDUDOLQJXDJHQVGHSURJUDPDomR $QDOLVWDGH6LVWHPDV ± 7UDGXomRGDVHVSHFLILFDo}HVGRV XVXiULRVHPHVSHFLILFDo}HVWpFQLFDV $QDOLVWDGH6XSRUWH ± 6XSRUWHWpFQLFRFRQVXOWRULDH DXGLWRULD $GPLQLVWUDGRUGH%DQFRGH'DGRV ± 'HILQLomRH PDQXWHQomRGDVHVSHFLILFDo}HVGH%DQFRVGH'DGRV *HUHQWHGH5HGHV 'HILQLomRHPDQXWHQomRGDV HVSHFLILFDo}HVGDVUHGHVGHFRPXQLFDomRGHGDGRV

9 23URILVVLRQDOGH1tYHO6XSHULRU %DFKDUHOHP&LrQFLDGD&RPSXWDomRRX (QJHQKDULDGH&RPSXWDomR 7HPDFRPSXWDomRFRPRDWLYLGDGHILP 'HVHQYROYLPHQWRFLHQWtILFRHWHFQROyJLFRGD FRPSXWDomR 3HVTXLVDVSURMHWRHFRQVWUXomRGHVRIWZDUHH SURMHWRGHKDUGZDUH,GpLDVLQRYDGRUDVFDSD]HVGHDODYDQFDU HRX WUDQVIRUPDURPHUFDGRGHWUDEDOKR &DQGLGDWRVSRWHQFLDLVDVHJXLUHPFDUUHLUD DFDGrPLFDDWUDYpVGHHVWXGRVGHSyVJUDGXDomR

10 23URILVVLRQDOGH1tYHO6XSHULRU %DFKDUHOHP6LVWHPDVGH,QIRUPDomR 7HPDFRPSXWDomRFRPRDWLYLGDGHPHLR,PSRUWDQWHSDUDDWHQGHUDVQHFHVVLGDGHVGR PHUFDGRGHWUDEDOKRFRUUHQWH $XWRPDomRGRVVLVWHPDVGHLQIRUPDomRGDV RUJDQL]Do}HV 5H~QHPDWHFQRORJLDGDFRPSXWDomRHD WHFQRORJLDGDDGPLQLVWUDomR %XVFDUTXDQGRQHFHVViULRXPDDWXDOL]DomRGH VXDIRUPDomRDWUDYpVGHFXUVRVGHHVSHFLDOL]DomR

11 23URILVVLRQDOGH1tYHO6XSHULRU /LFHQFLDGRHP&RPSXWDomR (GXFDGRUHVSDUDRHQVLQRPpGLRHP LQVWLWXLo}HVTXHLQWURGX]HPDFRPSXWDomR HPVHXVFXUUtFXORV &RQKHFLPHQWRVGHWHFQRORJLDGD FRPSXWDomRHUHFXUVRVSHGDJyJLFRV &XPSULPHQWRGDVHVSHFLILFDo}HVGD/'%

12 $,QWHUQHWHDV1RYDV3URILVV}HV :HE 'HVLJQ 3DUWHYLVXDOIRUPDWDomRHGLDJUDPDomR GR6LWH &ULDWLYLGDGHHERPFRQKHFLPHQWRGHDUWHV JUiILFDVHPDQLSXODomRGHLPDJHQV 5HODWLYRFRQKHFLPHQWRGHOLQJXDJHQVGH SURJUDPDomRSDUD:HE 1Ro}HVGHDFHVVRDVLVWHPDVGHGDGRV 0pGLDVDODULDOGH52XW

13 $,QWHUQHWHDV1RYDV3URILVV}HV :HE 0DVWHU 'HVHQYROYLPHQWRPDQXWHQomRH JHUHQFLDPHQWRGR6LWH 9ROWDGRSDUDiUHDWpFQLFD 3URJUDPDomRHVXSRUWHSDUD5HGHV 7&3,3± 6HUYLoRVH6HJXUDQoD +70/HOLQJXDJHQVGH6FULSW 0pGLDVDODULDOGH5

14 $,QWHUQHWHDV1RYDV3URILVV}HV :HE 'HYHORSHU 3URJUDPDGRUSDUDSiJLQDV:HE $FHVVRHPDQLSXODomRDEDQFRGHGDGRV 3URJUDPDomR:HE HP/LQJXDJHQVGH PDQLSXODomRGHGDGRV 3URIXQGRFRQKHFLPHQWRHPOLQJXDJHQVGH SURJUDPDomR 0pGLDVDODULDOGH5

15 $,QWHUQHWHDV1RYDV3URILVV}HV :HE 5HGDWRU 9ROWDGRD6LWHV GHQRWtFLDV 'LJLWDHSURGX]WH[WRVTXHVHUmRFRORFDGRV QR6LWH $ILQLGDGHFRPiUHDMRUQDOtVWLFDRXVHU ³HVSHFLDOLVWD QRFRQWH~GRGR6LWH 0pGLDVDODULDOGH5

16 $,QWHUQHWHDV1RYDV3URILVV}HV 2XWUDV3URILVV}HV 3URILVVmR &RRUGHQDGRUGHHFRPPHUFH 'LUHWRUGH7HFQRORJLD $GP%DQFRGH'DGRV $QDOLVWDGH7, 0HG6DO5

Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos

Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos GLOSSÁRIO Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos nele apresentados, embora aplicáveis em outros contextos. Análise atividade que envolve a determinação

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Informata - que engloba todos os profissionais de Informática. O Congresso Nacional

Leia mais

Clientes gerentes Usuarios finais do sistema Clientes engenheiros Gerentes contratantes Arquitetos do sistema. Definicao de requisitos

Clientes gerentes Usuarios finais do sistema Clientes engenheiros Gerentes contratantes Arquitetos do sistema. Definicao de requisitos А А А А Definicao de de do software Clientes gerentes Usuarios finais Clientes engenheiros Gerentes contratantes Arquitetos Usuarios finais Clientes engenheiros Arquitetos Desenvolvedores de software Clientes

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

Vocabulário básico em avaliação da Conformidade e Metrologia NORMA ABNT/ISO 17000

Vocabulário básico em avaliação da Conformidade e Metrologia NORMA ABNT/ISO 17000 Vocabulário básico em avaliação da Conformidade e Metrologia NORMA ABNT/ISO 17000 Alfredo Lobo Diretoria da Qualidade - DQUAL dqual@inmetro.gov.br Avaliação da conformidade: Demonstração de que os requisitos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais

SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE OURO PRETO SEMAE-OP CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2007 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE OURO PRETO SEMAE-OP CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2007 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS CARGO: 100 ADMINISTRADOR ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS Reportar-se ao Diretor de Gestão, de quem recebe orientação e supervisão; Redigir documentos e ter domínio de ferramentas de informática; Efetuar

Leia mais

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA TÓPICOS INSTRUMENTOS LEGAIS APLICÁVEIS LEGISLAÇÃO: CONSTITUIÇÃO FEDERAL, LEIS, DECRETOS e RESOLUÇÕES FORMAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL DELIBERAÇÕES NORMATIVAS

Leia mais

ISO 14000. Prof. William da Cruz Sinotti sinottiw@gmail.com

ISO 14000. Prof. William da Cruz Sinotti sinottiw@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO SISTEMA DE SELEÇÃO USINICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA ISO 14000

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI Nº 815, DE 1995

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI Nº 815, DE 1995 1 COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI Nº 815, DE 1995 (Apensados os Projetos de Lei nº 2.194, de 1996, nº 981, de 1999, nº 6.639, de 2002, nº 6.640,

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação. Plano Diretor de Informática

Administração de Sistemas de Informação. Plano Diretor de Informática Administração de Sistemas de Informação Plano Diretor de Informática Plano Diretor de Informática Prof. Orlando Rocha 2 Por que o Plano Diretor de Informática? A empresa necessita atualmente de dados gerenciais

Leia mais

MANUAL RELATÓRIOS DE CONFERÊNCIAS DIÁRIAS

MANUAL RELATÓRIOS DE CONFERÊNCIAS DIÁRIAS MANUAL RELATÓRIOS DE CONFERÊNCIAS DIÁRIAS [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMATICA AVANÇO INFORMATICA Material Desenvolvido para a Célula

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AUDITORIA

RELATÓRIO FINAL DE AUDITORIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO AUDITORIA INTERNA Rua do Rouxinol, 115 - Bairro do Imbuí - CEP: 41720052

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Sistema Gestão Comercial 2012

Sistema Gestão Comercial 2012 Sistema Gestão Comercial 2012 Charles Mendonça Analista de Sistemas Charles Informática Tecnologia & Sistemas Charles System Gestão Empresarial O Charles System é um software para empresas ou profissionais

Leia mais

NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações. O Papel do Engenheiro Mecânico

NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações. O Papel do Engenheiro Mecânico NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações 24 de julho de 2014 ABEMEC-RS Eng Mec. Milton Mentz julho 2014 1 Responsabilidade do Profissional Habilitado x Responsabilidade do Empregador: julho 2014

Leia mais

Proposta Comercial Curso: Security Officer Foundation

Proposta Comercial Curso: Security Officer Foundation Proposta Comercial Curso: Security Officer Foundation Proposta 1307DVPA/2012 A DATA SECURITY LTDA A DATA SECURITY é formada por profissionais com mais de 15 anos no mercado de segurança da informação com

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros com sólidos e atualizados conhecimentos científicos

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CJ-3) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

Sistema de Automação Comercial

Sistema de Automação Comercial Sistema de Automação Comercial Características» Funciona no sistema operacional Windows 98,ME,Millenium, NT, 2000, XP e Windows Vista» Trabalha em rede com acesso remoto» Acesso individualizado para usuário

Leia mais

SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR

SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR MISSÃO DA UNIDADE: O PRODEC tem como objetivo promover o equilíbrio nas relações de consumo entre fornecedor e consumidor, baseado nos princípios

Leia mais

REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL

REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 30/04 REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Olivos para a Solução de Controvérsias no MERCOSUL

Leia mais

1º SEMINÁRIO NACIONAL DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES IBAPE-MG. Engº Franck Esteves Ruffo

1º SEMINÁRIO NACIONAL DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES IBAPE-MG. Engº Franck Esteves Ruffo 1º SEMINÁRIO NACIONAL DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES IBAPE-MG Engº Franck Esteves Ruffo OS AGENTES FINANCEIROS E AVALIAÇÃO DE BENS 1º Seminário Nacional de Engenharia de Avaliações IBAPE-MG CONTEXTO BRASIL:

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Torres Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Gestão

Estado do Rio Grande do Sul Município de Torres Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Gestão LEI MUNICIPAL N o 4.345, DE 22 DE OUTUBRO DE 2010. Cria e extingue cargos no Quadro de Servidores Públicos do. O PREFEITO MUNICIPAL DE TORRES, Estado do Rio Grande do Sul, em conformidade com o art. 93,

Leia mais

Política de uso da Federação CAFe: provedores de serviço. DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços

Política de uso da Federação CAFe: provedores de serviço. DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços Política de uso da Federação CAFe: provedores de serviço DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços Julho de 2011 Sumário 1. Apresentação...3 2. Definições...3 3. Público alvo...4 4. Credenciamento...4

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Capítulo 10: Desenvolvendo Soluções para as Empresas com a Tecnologia da Informação 10-1 Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da Internet James A. O'Brien Saraiva S/A Livreiros Editores,

Leia mais

Ilustríssimo Coordenador Regional no Convênio PLANO PASA (Plano de Assistência à Saúde do Aposentado da Vale)

Ilustríssimo Coordenador Regional no Convênio PLANO PASA (Plano de Assistência à Saúde do Aposentado da Vale) OF/CRFa.6ª/COM/Nº 41/2014 Belo Horizonte, 30 de outubro de 2014. Ilustríssimo Coordenador Regional no Convênio PLANO PASA (Plano de Assistência à Saúde do Aposentado da Vale) De acordo com a lei 6.965

Leia mais

HORÁRIO - 2015.2. 1º Período - Turma: 05011

HORÁRIO - 2015.2. 1º Período - Turma: 05011 HORÁRIO - 2015.2 MANHÃ 1º Período - Turma: 05011 Aplicados à Aplicados à Aplicados à Ambiente Econômico e Regional Ambiente Econômico e Regional Ambiente Econômico e Regional Aplicados à Ambiente Econômico

Leia mais

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS Mais de uma década de experiência e evolução é o que dá ao sistema uma vasta gama de funcionalidades. Esse conhecimento que faz total diferença para sua empresa. xp+

Leia mais

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Tema: Apresentador: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Objetivo desta palestra será resolver as seguintes questões: Porque fazer um PDTI? Quais os benefícios

Leia mais

Manual da Qualidade. Controle de documentos 18/8/2011. A norma recomenda: A norma recomenda um procedimento documentado que contenha controles para:

Manual da Qualidade. Controle de documentos 18/8/2011. A norma recomenda: A norma recomenda um procedimento documentado que contenha controles para: Manual da Qualidade A norma recomenda: o escopo do sistema de gestão da qualidade, incluindo detalhes e justificativas para quaisquer exclusões os procedimentos documentados estabelecidos para o sistema

Leia mais

provedores de identidade

provedores de identidade Política de uso da Comunidade Acadêmica Federada (CAFe): provedores de identidade DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços Julho de 2011 Sumário 1. Apresentação...3 2. Definições...3 3. Público alvo...4

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO 132 ARQUITETURA E URBANISMO COORDENADORA DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Aline Werneck Barbosa de Carvalho abarbosa@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 133 CURRÍCULO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

Leia mais

CALENDÁRIO ACADÊMICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS A DISTÂNCIA - POLO SÃO LUÍS 2015.1

CALENDÁRIO ACADÊMICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS A DISTÂNCIA - POLO SÃO LUÍS 2015.1 UNIVERSIDADE CEUMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD CALENDÁRIO ACADÊMICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS A DISTÂNCIA - POLO SÃO LUÍS 2015.1 MATRIZ CURRICULAR 2011.0 Período

Leia mais

Cybersis Informática Ltda http://www.cybersis.com.br

Cybersis Informática Ltda http://www.cybersis.com.br Cybersis Informática Ltda http://www.cybersis.com.br Manual de instalação do CGS v0.9 Apresentação Este manual visa ilustrar os passos para a instalação do Cgs v0.9 em seu computador. Nota: Embora tenhamos

Leia mais

Case automação de processos internos

Case automação de processos internos Case automação de processos internos Novembro, 2014 2014 Deloitte Touche Tohmatsu 1 Agenda 1 A Deloitte 2 A Necessidade 3 A Solução 4 Por que Bizagi 5 Fatores críticos de sucesso 2014 Deloitte Touche Tohmatsu

Leia mais

PLANO DE AUDITORIAS DE LONGO PRAZO 2 0 1 4 / 2 0 1 7

PLANO DE AUDITORIAS DE LONGO PRAZO 2 0 1 4 / 2 0 1 7 PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO PLANO DE AUDITORIAS DE LONGO PRAZO 2 0 1 4 / 2 0 1 7 Exercício de 2014 Auditoria nas alterações contratuais

Leia mais

HORÁRIO DAS AVALIAÇÕES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2015.1 FACULDADE SALESIANA DO NORDESTE EM 04/02/2015

HORÁRIO DAS AVALIAÇÕES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2015.1 FACULDADE SALESIANA DO NORDESTE EM 04/02/2015 HORÁRIO DAS AVALIAÇÕES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2015.1 FACULDADE SALESIANA DO NORDESTE EM 04/02/2015 Introdução à Administração 1º PERÍODO PRIMEIRA AVALIAÇÃO Temas Noções de Direito Fundamentais

Leia mais

AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL IDADE E SEXO ÁREA TA AFRFB

AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL IDADE E SEXO ÁREA TA AFRFB Perfil dos candidatos classificados no último Concurso Público para os cargos de Auditor- Fiscal da Receita Federal do Brasil e de Analista-Tributário da Receita Federal do Brasil (2005/2006): AUDITOR-FISCAL

Leia mais

Caderno de Requisitos de Titulações Automação Industrial Integrado ao Ensino Médio

Caderno de Requisitos de Titulações Automação Industrial Integrado ao Ensino Médio Caderno de Requisitos de Titulações Automação Industrial Integrado ao Ensino Médio 1. Aplicativos Informatizados (Automação Industrial Integrado ao Ensino Médio) Engenharia de Telecomunicações Engenharia

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA INTERNA

PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA INTERNA 1/8 Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 1 Objetivo Este Procedimento tem como objetivo descrever a rotina aplicável aos procedimentos de auditoria interna

Leia mais

Gerenciamento da Qualidade. Marcelo Sakamori

Gerenciamento da Qualidade. Marcelo Sakamori Gerenciamento da Qualidade Marcelo Sakamori Qualidade Qual das Obras seguintes cumprem os requisitos de qualidade? Qualidade Fonte: SINDICOND, 2014 Qualidade Fonte: ARCHITECTURALDIGEST, 2014 Qualidade

Leia mais

MELHORIA DO PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS

MELHORIA DO PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MELHORIA DO PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1 - CONSIDERAÇÕES BÁSICAS A Beware possui diversos serviços que são customizados de acordo com a necessidade do cliente. O fundamental é que a melhoria

Leia mais

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE 01 NOSSOS SERVIÇOS Após 35 anos de experiência na área de edificações para o mercado imobiliário gaúcho, a BENCKEARQUITETURA, juntamente com a BENCKECONSTRUÇÕES,

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 012-CONSET/SESA/I/UNICENTRO, DE 31 DE MARÇO DE 2009. Aprova as diretrizes para realização de Estágio Não-Obrigatório no curso sequencial de Formação Específica em Gestão Pública, vinculado

Leia mais

Ferramentas da Contabilidade. Tipos de Auditoria. Tipos de Auditoria. Tipos de Auditoria. Objetivo da Auditoria Contábil

Ferramentas da Contabilidade. Tipos de Auditoria. Tipos de Auditoria. Tipos de Auditoria. Objetivo da Auditoria Contábil Ferramentas da Contabilidade Tipos de Auditoria Escrituração Contabilidade de Custos Análise das Demonstrações Contábeis Auditoria * Balanço Patrimonial -- BP, BP, Demonstração do do Resultado do do Exercício

Leia mais

Plano Plurianual 2010-2013. Lei nº 11.176/2011 - Anexo III - Programas de Governo

Plano Plurianual 2010-2013. Lei nº 11.176/2011 - Anexo III - Programas de Governo Pagina 1 de 5 Programa: 66 Edificações Públicas Tipo de Programa: Finalístico Eixo Estratégico: 7 Desenvolvimento Urbano e Qualificação Ambiental Objetivo Setorial: 7 Infraestrutura Objetivo: Construção,

Leia mais

Gestão Ambiental. Aula 5 Prof. Pablo Bosco

Gestão Ambiental. Aula 5 Prof. Pablo Bosco Gestão Ambiental Aula 5 Prof. Pablo Bosco Proposito da aula ISO 14001 2 ISO 14001 O que é a ISO 14001? A ISO 14001 é uma Norma pertencente a família das ISO 14000 que trata de Sistema de Gestão Ambiental

Leia mais

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti. TI Aplicada Aula 02 Áreas e Profissionais de TI Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos

Leia mais

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2 DENOMINAÇÃO: PORTARIA DE AUTORIZAÇÃO: PORTARIA DE RECONHECIMENTO: REGIME ESCOLAR: NÚMERO DE VAGAS ANUAIS: TURNOS DE FUNCIONAMENTO: NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA:

Leia mais

TREINAMENTO. Estar posicionada entre as maiores e melhores provedoras de solução de gestão empresarial do Brasil.

TREINAMENTO. Estar posicionada entre as maiores e melhores provedoras de solução de gestão empresarial do Brasil. TREINAMENTO Visão Estar posicionada entre as maiores e melhores provedoras de solução de gestão empresarial do Brasil. Missão Desenvolvimento e fornecimento de soluções e serviços através de softwares

Leia mais

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS 2012 Relevância: Impacta diretamente na saúde do paciente, na qualidade do produto e na integridade dos dados que devem provar que o sistema

Leia mais

Gestão Estratégica de Escritórios Nelson Acar ArqProd (www.arqprod.com.br)

Gestão Estratégica de Escritórios Nelson Acar ArqProd (www.arqprod.com.br) Gestão Estratégica de Escritórios Nelson Acar ArqProd (www.arqprod.com.br) Roteiro da Apresentação (duração estimada 45minutos) : O uso de TI nas empresas O uso estratégico de TI nas empresas de arquitetura

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DOS CARGOS

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DOS CARGOS DENOMINAÇÃO DO CARGO: ADMINISTRADOR Planejar, organizar, controlar e assessorar as organizações nas áreas de recursos humanos, patrimônio, materiais, informações, financeira, tecnológica, entre outras;

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

PORTARIA Nº 114, DE 19/9/2007

PORTARIA Nº 114, DE 19/9/2007 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação PORTARIA Nº 114, DE 19/9/2007 Aprova normas para padronização, instalação e controle de programas de computador no âmbito da Câmara dos Deputados.

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EXTERNO

PROCESSO SELETIVO EXTERNO ANEXO I EDITAL N 06/24, DE 29 DE SETEMBRO DE 24 UNIDADE TERESINA CÓDIGO CARGO (PROFISSIONAL) A- Assessor Técnico IV (Recrutamento, Seleção, Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas) A-02 Assessor Técnico

Leia mais

ENSINO SUPERIOR DIPLOMADOS ATENÇÃO: É INDISPENSÁVEL A LEITURA DAS INSTRUÇÕES ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO IMPRESSO

ENSINO SUPERIOR DIPLOMADOS ATENÇÃO: É INDISPENSÁVEL A LEITURA DAS INSTRUÇÕES ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO IMPRESSO 6. Grau: MESTRADO - 2º CICLO 7. Curso: Engenharia de Electrónica e Telecomunicações 6 3 5 7 8. Ramo: Área de especialização: Electrónica 9. Duração do curso: 3 semestres letivos 23 anos 0 0 24 anos 1 1

Leia mais

Aula 11. Word Administrativo. Solicitamos que guarde seus arquivos, para o projeto final do módulo

Aula 11. Word Administrativo. Solicitamos que guarde seus arquivos, para o projeto final do módulo Aula 11 Solicitamos que guarde seus arquivos, para o projeto final do módulo Tema da aula: Currículo Parte 2 Abrindo o arquivo Currículo 1 Abra o arquivo Currículo da aula anterior na Guia Arquivo > Abrir.

Leia mais

EDITAL Nº 08 /GR, de 24 /11/2011 ANEXO I DESCRIÇÃO DOS CARGOS E REQUISITOS NIVEL SUPERIOR NIVEL DE CLASSIFICAÇÃO E 40 HORAS

EDITAL Nº 08 /GR, de 24 /11/2011 ANEXO I DESCRIÇÃO DOS CARGOS E REQUISITOS NIVEL SUPERIOR NIVEL DE CLASSIFICAÇÃO E 40 HORAS EDITAL Nº 08 /GR, de 24 /11/2011 ANEXO I DESCRIÇÃO DOS CARGOS E REQUISITOS NIVEL SUPERIOR NIVEL DE CLASSIFICAÇÃO E ADMINISTRADOR REQUISITO DE QUALIFICAÇÃO PARA ESCOLARIDADE: Curso Superior em Administração

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Fiscalização

Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Fiscalização Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Fiscalização Projeto de Modernização Fiscal do Tocantins (PMF/TO) Banco Interamericano de Desenvolvimento

Leia mais

WILLIAM DEN HARTOG 38 anos Holandês Casado 1 Filho

WILLIAM DEN HARTOG 38 anos Holandês Casado 1 Filho WILLIAM DEN HARTOG 38 anos Holandês Casado 1 Filho Tel. 98202-0143 (celular) / 3853-0734 (residencial) E-mail: hartog.william@yahoo.com.br Objetivo Síndico Profissional Formação Acadêmica Graduação: Administração

Leia mais

SchindlerID. Muito mais do que um sistema de controle de elevadores. O começo de uma nova era.

SchindlerID. Muito mais do que um sistema de controle de elevadores. O começo de uma nova era. SchindlerID. Muito mais do que um sistema de controle de elevadores. O começo de uma nova era. Elevadores de Passageiros Schindler Personalização Um chip de identificação especial pode ser instalado em

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS CICLO DE VIDA DE PROJETOS (viabilidade até a entrega / iniciação ao encerramento) RELEVÂNCIA SOBRE AS AREAS DE CONHECIMENTO FATORES IMPACTANTES EM PROJETOS

Leia mais

esags.edu.br Santo André > Av. Industrial, 1455 - Bairro Jardim (11) 4433-6161 Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13) 2127-0003

esags.edu.br Santo André > Av. Industrial, 1455 - Bairro Jardim (11) 4433-6161 Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13) 2127-0003 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS APRESENTAÇÃO: A maior parte das micro e pequenas empresas surge da iniciativa de empreendedores que não têm experiência com controles financeiros.

Leia mais

COACHING NO PLANEJAMENTO E ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS

COACHING NO PLANEJAMENTO E ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS COACHING NO PLANEJAMENTO E ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS Esta consultoria consiste no apoio aos gerentes de projeto no planejamento e acompanhamento de projetos, onde a própria equipe do projeto elabora os

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Assistente Técnico em Mecânica

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Assistente Técnico em Mecânica Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código : 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Técnico em Mecânica Qualificação:

Leia mais

Política Corporativa de Segurança da Informação

Política Corporativa de Segurança da Informação Política Corporativa de Segurança da Informação Emissão 12/08 /201 3 Aprovação - Diretoria / Presidência Página: 1 Sumário 1. OBJETIVO DA POLÍTICA... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. CONTEXTO JURÍDICO... 4 4.

Leia mais

Os 6 Passos Para Você Vender Consultoria em Vendas Online Através de Palestras Online

Os 6 Passos Para Você Vender Consultoria em Vendas Online Através de Palestras Online Os 6 Passos Para Você Vender Consultoria em Vendas Online Através de Palestras Online Palestra online é uma das maneiras mais simples, rápida e eficiente de vender serviço 01 - Recebem elogios mas não

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

A Gestão por Processos e a Automação na Administração de Pessoal. Paulo Beck Agens TI paulo.beck@agens.com.br www.agens.com.br

A Gestão por Processos e a Automação na Administração de Pessoal. Paulo Beck Agens TI paulo.beck@agens.com.br www.agens.com.br A Gestão por Processos e a Automação na Administração de Pessoal Paulo Beck Agens TI paulo.beck@agens.com.br www.agens.com.br Os Principais Elementos na Realização das Atividades nos Escritórios Pessoas

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 Etec Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça EE: Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação

Leia mais

AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES

AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES 1 AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES Alessandra Cristina Rubio¹ Josiane Marcacini Silva² RESUMO Thiago Silva Guimarães³ A auditoria interna é de suma importância para as organizações,

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 03 Profissões de TI Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos respectivos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, BACHARELADO CURRÍCULO 1610 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0 SOBRE O CURSO O mercado de trabalho precisa de profissionais completos, com habilidades de gestão e que liderem equipes multidisciplinares em empresas de todos os setores econômicos

Leia mais

Manual de Novos Lançamentos para Fisco Contábil

Manual de Novos Lançamentos para Fisco Contábil 1. VISÃO GERAL 1.1 MOTIVAÇÃO: Evolução dos controles contábeis e fiscais para as Empresas. 1.2 ÍNDICE 1 Visão Geral... 01 1.1 Motivação... 01 1.2 Índice... 01 1.3 Introdução... 01 1.4 Movimento Fiscal

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS ETEBRAX. Módulo de Nivelamento

CURSOS TÉCNICOS ETEBRAX. Módulo de Nivelamento CURSOS TÉCNICOS ETEBRAX Módulo de Nivelamento COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Conhecer o Método Teleport de Ensino Interativo. Conhecer os cursos ofertados pela Etebrax. Conhecer as principais

Leia mais

Índice EMPRESA... 03 ESPECIALIDADES... 03 TRABALHOS REALIZADOS... 04 PRODUTOS... 05 SERVIÇOS... 06

Índice EMPRESA... 03 ESPECIALIDADES... 03 TRABALHOS REALIZADOS... 04 PRODUTOS... 05 SERVIÇOS... 06 Apresentação Índice EMPRESA... 03 ESPECIALIDADES... 03 TRABALHOS REALIZADOS... 04 PRODUTOS... 05 SERVIÇOS... 06 2 EMPRESA CDN&T Informática e Suporte Ltda, empresa que atua a mais de 15 anos no mercado

Leia mais

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da Projeto Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e ( pt ) Automação na Wikipédia Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da ( 2009 UFLA (II Professores: Roberto

Leia mais

Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira Grade Curricular. Faculdade de Ciências Administrativas e Contábeis de Itabira

Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira Grade Curricular. Faculdade de Ciências Administrativas e Contábeis de Itabira Renovação de Reconhecimento - Portaria Nº 653 de 02/06/10 - DOU: 04/06/10. Emissão: 08/07/15 :34 Página: 1/5 0 GSI0 Libras () 0 GSI067 Gestão de Serviços () 0 GSI068 Jogos Empresariais () 0 GSI069 Administração

Leia mais

33201 - Instituto Nacional do Seguro Social

33201 - Instituto Nacional do Seguro Social Quadro Síntese - Função, Subfunção e Programa Total Órgão Total Unidade Função Total Subfunção Total Programa Total 09. Previdência Social 5.338.121.201 122. Administração Geral 1.919.387.533 0083. Previdência

Leia mais

Perícia Contábil Judicial: Uma Análise Crítica. Paulo Cezar Ferreira de Souza

Perícia Contábil Judicial: Uma Análise Crítica. Paulo Cezar Ferreira de Souza Perícia Contábil Judicial: Uma Análise Crítica. Paulo Cezar Ferreira de Souza Resumo A Perícia Contábil no Brasil, apesar de já contar com regras claras, emanadas pelo CFC e de uma legislação adequada,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

Controle de Processos: Introdução

Controle de Processos: Introdução Controle de Processos: Introdução Prof. Eduardo Stockler Tognetti & David Fiorillo Laboratório de Automação e Robótica (LARA) Dept. Engenharia Elétrica - UnB Conteúdo 1. Panorama da engenharia de controle

Leia mais

ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0

ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0 ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0 SOBRE O CURSO Mercados dinâmicos demandam profissionais com formação completa e abrangente, aptos a liderarem equipes multidisciplinares em empresas de todos os setores econômicos

Leia mais

HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL

HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL Quem somos: Somos HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL Ltda. um grupo multidisciplinar de profissionais com conhecimentos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL N.º 51/2014 UNIFESSPA, DE 21 DE JULHO DE 2014 ANEXO I

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Semestre 1 Semestre 2

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Semestre 1 Semestre 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Cálculo I 40 Cálculo II 40 Princípios Desenvolvimento de Algoritmos I 80 Princípios Desenvolvimento de Algoritmos II 80 Matemática 40 Lógica Matemática 40 Probabilidade

Leia mais

VEXPRESSCRM. Manual do Usuário. Automação da força de vendas. MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2.

VEXPRESSCRM. Manual do Usuário. Automação da força de vendas. MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2. 1 Manual do Usuário VEXPRESSCRM Automação da força de vendas MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2.0 2 Acesso Para acessar o sistema VEXPRESS-CRM é necessário

Leia mais

FACILITADOR: Vitor Maciel Feira de Santana - BA

FACILITADOR: Vitor Maciel Feira de Santana - BA PROJETO SIGA SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AUDITORIA FACILITADOR: Vitor Maciel Feira de Santana - BA PROMOEX PROGRAMA NACIONAL DE MODERNIZAÇÃO DO CONTROLE EXTERNO PROCESSO DE AUDITORIA DE CONTAS GOVERNO

Leia mais

CEP - DA. Controle Estatístico do Processo

CEP - DA. Controle Estatístico do Processo CEP - DA Controle Estatístico do Processo Principais Funcionalidades Automatiza as rotinas do Controle Estatístico do Processo A solução para CEP da Directa Automação, composta de software e hardware,

Leia mais