ANAIS DA JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA CURSOS: JORNALISMO PUBLICIDADE E PROPAGANDA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANAIS DA JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA CURSOS: JORNALISMO PUBLICIDADE E PROPAGANDA"

Transcrição

1 ANAIS DA JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA CURSOS: JORNALISMO PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 DE 28/05 A 01/06/2012

2 FACULDADE ARAGUAIA Unidade Centro Endereço: Rua 18 nº 81 - Centro - Goiânia-GO, CEP: Fone: (62) Unidade Bueno Endereço: Av. T-10 nº 1.047, Setor Bueno - Goiânia-GO, CEP: Fone: (62) Site Institucional Diretoria Geral: Prof. Arnaldo Cardoso Freire Diretoria Financeira: Profª. Adriana Cardoso Freire Diretora Administrativa Profª. Ana Angélica Cardoso Freire Diretoria Pedagógica: Profª. Ms. Rita de Cássia R.Del Bianco Diretor de Pós-Graduação: Profª. Hernalde Menezes Coordenadora do Curso de Jornalismo: Profª. Mesd. Núbia da Cunha Simão Coordenadora do Curso de Publicidade e Propaganda: Profª. Espec. Cláudia Temponi

3 Colegiado Docente Profº. Dr. Marcus Vinícius Minuzzi Profª. Mstd. Núbia da Cunha Simão Profª. Ms. Roberta Elaine de Souza Nascimento Barros 3 Profª. Ms. Gildésio Bonfim de Oliveira Profª. Ms. Welliton Carlos da Silva Profª. Ms.Adailton Lopes Torres da Silva Profª. Mstd. Francislanda Rodrigues da Penha Profª. Ms. Flávio Gomes de Oliveira Profª. Ms. Gabriella Luccianni Morais Souza Profª. Ms.Lívia Santos Brisolla Profª. Ms. Milton Luiz Pereira Profª. Esp. Márcio Venício Nunes Prof. Esp. Patrícia Drummond Gonçalves Profª. Ms. Paola Regina Carloni Profª. Ms. Sandra Regina Paro Profª. Ms. Silvana Rodrigues Monteiro Prof. Esp. Uiara Ferreira Machado Profª. Ms. Welliton Carlos da Silva

4 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 7 PROGRAMAÇÃO DO EVENTO RESUMO DOS TRABALHOS Propaganda e Meio Ambiente: uma análise do discurso ecologicamente correto nas propagandas para o público infantil Um olhar sobre a estética da resistência: ampliando as práticas do ver O papel da imprensa na construção e queda de um mito: análise do filme Simonal: ninguém sabe o duro que dei Consumo e desejo através do estímulo sonoro Folk Comunicação Nova música independente brasileira O Rock em Goiânia A imagem da mulher no funk brasileiro: de 2000 a A música como crítica social durante a Ditadura Militar no Brasil Cultura Popular Musical em Goiás: limites do projeto Grande Hotel revive o choro Estandardização e Música Sertaneja: o que é Sertanejo Universitário A representação social do publicitário na cinematografia brasileira: uma análise fílmica de "Se eu fosse você 1" e "Cilada.com" A representação do alcoolismo na telenovela brasileira Samba, a imagem do Brasil Música tema: The time of my life - do filme Dirty Dancing, Rítmo-Quente A imagem de Lady Gaga na música Pop Imagens do Regime Militar no Brasil e as músicas de Chico Buarque... 28

5 Sobre Música Popular O Material Musical: as duas esferas da música Música, Comunicação e Mercado Características da Música Popular Características da Música Séria O marketing nas empresas brasileiras: a responsabilidade social enquanto argumento publicitário O Youtube enquanto um instrumento para Publicidade e Propaganda: cases que ilustram estratégias bem sucedidas O papel da propaganda na aceitação das marcas regionais: estudo de caso da empresa M Como uma marca pode se tornar um objeto de desejo O mito do herói jornalista nos quadrinhos: Superman, Homem Aranha e Miracleman O uso do Facebook como fonte jornalistica na imprensa goiana O programa Profissão Repórter e a imagem do jornalista brasileiro..., 40 Mídia e moda: uma análise de conteúdo dos blogs de plus size Livro-reportagem sobre a vida do contador de causos Geraldinho Nogueira: produção editorial impressa com embasamento teórico Comunicação Comunitária: a elaboração de um jornal impresso para a Associação de Idosos do Brasil Jornalismo Popular: o caso do Jornal da Linha A comunicação e sua função social: o jornalismo e a emancipação do homem Cobertura Jornalística Goiana sobre Crack: o discurso silenciador dos jornais Marquetin Viral nas Redes Sociais: o caso dos Pôneis Malditos e da chuva de Twix Um estudo sobre valores notícia A recepção do folhetin Mulheres Apaixonadas Uma reflexão crítica sobre a TV Globo... 50

6 Estudo sobre Flash Mob: a materialização da virtualização As transformações da música sertaneja a partir da indústria cultural: um estudo semiótico

7 APRESENTAÇÃO O curso de Jornalismo da Faculdade Araguaia tem na sua matriz, reformulada em 2008, a disciplina Seminários Temáticos Integradores, que representa, especialmente, o incentivo à leitura, à escrita e à pesquisa acadêmica. Através dessa disciplina, tem-se a articulação do Eixo temático que elege um tema central e partir daí trabalha a interdisciplinaridade nas diversas disciplinas do curso. 7 Também cresce, a cada período, o trabalho de pesquisa científica nas disciplinas norteadoras do Eixo e demais disciplinas, especialmente com o advento da revistas científicas da Faculdade Araguaia - a Renefara e o Anuário Acadêmico. Os debates vêm sendo enriquecidos com as constantes leituras e pesquisas na área que podem ser conferidas nas publicações científicas presentes na revista. É crescente também a participação de docentes e discentes nos eventos científicos da área com destaque para o Intercom Regional e Nacional realizado pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, que este ano será no Mato Grosso do Sul e em Fortaleza, cujas participações científicas de docentes já foram confirmadas. Neste semestre o curso de Jornalismo da Faculdade Araguaia, representado por seu corpo docente e também por seu corpo discente representado pelo Centro Acadêmico de Comunicação, com apoio dos estudantes escolheu como tema Música e Comunicação. O tema foi amplamente trabalho nos períodos por diversas disciplinas, especialmente Seminários Temáticos Integradores..

8 I - Justificativa O tema Música e Comunicação foi escolhido tendo por base o texto Sobre Música Popular de Theodor Adorno (1986). No texto o autor faz um apelo para que discutam as questões de estética presentes na música e que exercem influência social, política, econômica e cultural sobre os indivíduos de determinada sociedade. 8 Importante ressaltar que Adorno discute a música partindo do conceito de estética. Para ele, todo padrão que se quer estético tem uma leitura política que deve ser feita, quando ao momento histórico em que o produto cultural foi produzido e as condições sócio-históricas do agente produtor. O autor faz uma discussão muito atual sobre músicas estandardizadas e músicas puras. As primeiras são aquelas feitas para serem comercializadas, como um produto, em que se definindo o público alvo faz-se uma pesquisa e produz-se algo que tem ampla aceitação e, portanto traga lucro. A este tipo de música Adorno chama de estandardizadas. Já as músicas puras são aquelas em o músico cria, compõe algo novo e a partir do movimento de criação surge então um público, que no início pode ser restrito apenas a ele próprio, mas que possui relevância para no futuro ser criado um público. É uma opção claramente política. Porém, ao discutir a estética como elemento político, Adorno explora a estrutura, ou seja, o arranjo dado às notas

9 musicais, como uma escolha que pode conduzir tanto à alienação quanto à emancipação humana. Portanto, o tema Música e Comunicação foi proposto para agregar o conhecimento sobre estética enquanto decisão política, tão caro à formação do Jornalista enquanto profissional que de uma maneira ou de outra termina por colaborar com a formação das opiniões de boa parte dos grupos sociais. 9

10 PROGRAMAÇÃO DO EVENTO CURSOS: PUBLICIDADE E PROPAGANDA E JORNALISMO COORDENADORES DO EVENTO: Professoras Núbia Simão e Cláudia Temponi LOCAL: Faculdade Araguaia - unidade Bueno HORÁRIO COMUNICAÇÔES ORAIS TURMAS SALA ORIENTADOR 10 18h30-20h20 20h30-22h00 O papel da imprensa na construção e queda de um mito: análise do filme Simonal: ninguém sabe o duro que dei. Um olhar sobre a estética da resistência: ampliando as práticas do ver Consumo e desejo através do estímulo sonoro Folk Comunicação Nova música independente brasileira 1º JO 2º JO 201 Gildésio Bomfim Gildésio Bomfim Lívia Brisola Lívia Brisola Lívia Brisola O Rock em Goiânia Lívia Brisola 18h30-20h20 A imagem da mulher no funk brasileiro: de 2000 a 2012 A música como crítica social durante a Ditadura Militar no Brasil Cultura Popular Musical em Goiás: limites do projeto Grande Hotel revive o choro Estandardização e Música Sertaneja: o que é Sertanejo Universitário A representação social do publicitário na cinematografia brasileira: uma análise fílmica de "Se eu fosse você 1" e "Cilada.com" Propaganda e Meio Ambiente: uma análise do discurso ecologicamente correto nas propagandas para o público infantil A representação social do alcoólatra na telenovela brasileira 3º JO 321 Lívia Brisola Dérika Kiara Roberta Barros Roberta Barros Roberta Barros Roberta Barros Roberta Barros Samba, a imagem do Brasil Sandra Paro 20h30-22h00 Música tema: The time of my life - do filme Dirty Dancing, Rítmo-Quente A imagem de Lady Gaga na música Pop 4º JO 321 Sandra Paro Sandra Paro 18h30-20h20 Imagens do Regime Militar no Brasil e as músicas de Chico Buarque Sobre Música Popular O Material Musical: as duas esferas da música Música, Comunicação e Mercado 5º JO 312 Sandra Paro Núbia Simão Núbia Simão Características da Música Popular Núbia Simão

11 Característica da Música Seria Núbia Simão O marketing nas empresas brasileiras: a responsabilidade social enquanto argumento publicitário Paola Carloni 20h30-22h00 18h30-20h20 20h30-22h00 O Youtube Enquanto um Instrumento para Publicidade e Propaganda: cases que ilustram estratégias bem sucedidas O papel da propaganda na aceitação das marcas regionais: estudo de caso da empresa M Como uma marca pode se tornar um objeto de desejo O mito do herói jornalista nos quadrinhos: Superman, Homem Aranha e Miracleman O uso do Facebook como fonte jornalistica na imprensa goiana O programa Profissão Repórter e a imagem do jornalista brasileiro Mídia e moda: uma análise de conteúdo dos blogs de plus size Livro-reportagem sobre a vida do contador de causos Geraldinho Nogueira: produção editorial impressa com embasamento teórico Comunicação Comunitária: a elaboração de um jornal impresso para a Associação de Idosos do Brasil Jornalismo Popular: estudo de caso do Jornal da Linha A comunicação e sua função social: o jornalismo e a emancipação do homem Cobertura Jornalística Goiana sobre Crack: o discurso silenciador dos jornais Marquetin Viral nas Redes Sociais: o caso dos Pôneis Malditos e da chuva de Twix 8º PP 312 8º JO 325 7º JO 325 Paola Carloni Paola Carloni Paola Carloni Marcus Minuzzi Marcus Minuzzi Marcus Minuzzi Marcus Minuzzi Marcus Minuzzi Roberta Barros Roberta Barros Roberta Barros Roberta Barros Roberta Barros 11 Um estudo sobre valores notícia Welliton Carlos A recepção do folhetin Mulheres Apaixonadas Welliton Carlos 18h30-20h20 Uma reflexão crítica sobre a TV Globo Estudo sobre Flash Mob: a materialização da virtualização As transformações da música sertaneja a partir da indústria cultural: um estudo semiótico 8º JO Laboratório de TV Welliton Carlos Welliton Carlos Welliton Carlos

12 RESUMO DOS TRABALHOS IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHO Autor: Polyanna Cristina Costa Alves; Roberta Barros Modalidade de Trabalho: Exposição Oral Área do Conhecimento: Comunicação e Meio Ambiente Orientador (es): Profª. Roberta Elaine de Souza Nascimento Barros 12 Propaganda e Meio Ambiente: uma análise do discurso ecologicamente correto nas propagandas para o público infantil Alves, P 1.; Barros, R 2. A proposta inicial deste trabalho se embasa na análise e no estudo do discurso ecologicamente correto nas propagandas para o público infantil. O consumismo é fato notório na sociedade contemporânea, e foi crescendo na medida em que a sociedade foi evoluindo, ocasionando aumento da demanda, levando ao fato de que o consumo atualmente não supre apenas necessidades básicas, se tornando algo supérfluo também. Muito se tem discutido sobre a influência do consumismo nas crianças, que hoje desenvolvem autonomia suficiente na hora da compra de um produto. Tal incentivo em um consumo tão precoce pode não ser muito favorável à sustentabilidade do planeta, pois uma criança que aprende desde a infância a ser consumista carrega essa ideia em toda sua evolução. A questão de um discurso ecologicamente correto para o público infantil chama atenção, pois une dois atuais pontos de discussão presentes na publicidade, o consumo infantil e a sustentabilidade. Palavras-chave: Propaganda; Meio-ambiente; Consumo; Ecologia 1 Aluna do 8º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 2 Professora Ms. dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia É formada em Jornalismo e Direito.

13 Autor (es): Diouser Pereira, Gildésio Bomfim, Maria Lorrani Cardoso, Antonio Bezerra Júnior, Debora Martins Modalidade do Trabalho: Exposição oral Área do Conhecimento: Comunicação Social Publicidade e Propaganda Orientador (res): Gildésio Bomfim de Oliveira Um olhar sobre a estética da resistência: Ampliando as práticas do ver Oliveira, GB 3 ; Pereira, D 4 ; Cardoso, ML 5 ; Bezerra Júnior, A Ao longo da história da arte as práticas do ver têm sido relacionadas a um modelo eurocêntrico e, portanto ocidental, que se tornou por forças impositivas, padrão hegemônico de avaliação para se considerar um objeto belo ou artístico. Na contramão das hegemonias, há uma variedade de estéticas alternativas que desafiam as convenções formais, em favor de estratégias como o grotesco, o dissonante, o carnavalesco, a antropofagia. Conforme Robert Stam (2006), essa variedade inclui filmes e vídeos e exploram narrativas não ocidentais, com ênfase no corpo, na sensualidade e no cotidiano coletivo, principalmente no terceiro mundo. Neste trabalho, ampliamos nossa percepção sobre as estéticas da resistência, procurando observar em outras práticas visuais formas de oposição e modelos contra-hegemônicos, que rompem com os determinismos históricos e nos fazem pensar a respeito do papel do publicitário na produção das imagens, as quais representam nossa vida cotidiana. O trabalho partiu da realização de um seminário que teve como foco a leitura de Robert Stam (Idem), trazendo à tona discussões e visões de toda a sala em relação aos conceitos de beleza herdados por nós ocidentais, demonstrando o uso freqüente deste padrão em campanhas publicitárias, filmes e na televisão. Paralelo a isso procuramos criar uma atmosfera de interrelações com outras disciplinas como a Historia da Arte, observando a influência Greco Romana em nosso julgamento do que é belo e na própria noção de arte. Em relação à sociologia, há conexões também com as idéias de Durkheim, principalmente no que diz respeito aos fatores que implicam na percepção de como os padrões de beleza pré estabelecidos pela sociedade agem sobre nós e nos moldam diante do novo e inesperado.para tratar deste tema partimos da leitura de textos afins, tentando criar conexões com a publicidade e propaganda transformando toda a apresentação em um vídeo de bolso, em que todas estas questões são expostas e debatidas por todo o grupo. Dessa forma exploramos imagens do cotidiano e citamos exemplos de filmes e outros produtos culturais, que romperam com as hegemonias, desconstruindo discursos e propondo novas formas de ver e de sentir, desafiando o espectador a deslocar-se do centro à periferia. Palavras chave: Estética, Beleza, Arte, Publicidade. 3 Professor Ms. dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 4 Acadêmico do 1º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 5 Acadêmico do 1º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 6 Acadêmico do 1º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia.

14 Autor (es): Bruno Dourado da Silva, Gildésio Bomfim Modalidade do Trabalho: Exposição oral Área do Conhecimento: Comunicação Social Jornalismo Orientador (res): Prof. Gildésio Bomfim de Oliveira O papel da imprensa na construção e queda de um mito: Análise do filme, Simonal: ninguém sabe o duro que dei Oliveira, GB 7 ; Da Silva, BD O objetivo deste trabalho é desenvolver uma resenha crítica acerca do documentário Simonal: Ninguém sabe o duro que dei. Com o olhar analítico, busca-se aprofundar o conteúdo do filme procurando entender, principalmente, como se deu a origem, auge e queda de um mito da música popular brasileira. A análise se dá a partir do vídeo, das discussões em sala de aula, principalmente na disciplina de Seminários Temáticos Integradores I e da trajetória do cantor. Essas relações são feitas tendo como referências as ideias de Bill Nichols (2007) e Almeida Filho (2009), que nos ajudam a compreender o papel do documentário na construção de narrativas biográficas. Assim sendo, o filme documentário é visto como importante instrumento para captação de uma dada realidade do mundo social. Esse é o objetivo do documentário: registrar fragmentos da realidade com a menor intervenção possível, por parte de seu realizador. No caso da trajetória de Wilson Simonal, o documentário dirigido por Claudio Manoel, Micael Langer, Calvito Leal, de 2008, busca através de depoimentos de quem conviveu com o artista e inclusive de seus dois filhos, intercalando com imagens de shows e músicas do cantor demonstrar a ascensão e queda de um verdadeiro mito da música popular brasileira em sua época. A resenha foca no papel da imprensa na construção e desconstrução da carreira do cantor, ídolo dos anos 60. Nesse sentido, a análise indica que houve equívocos na cobertura do fato que teria levado Wilson Simonal ao ostracismo. Sua suposta relação com a ditadura militar, acusado de favorecer o regime como delator, o levou a ser esquecido pela mídia. O documentário lança uma grande dúvida: Simonal teria mesmo contribuído com o regime militar? Palavras-chave: Documentário, mídia, mito. 7 Professor Ms. dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 8 Acadêmico do 1º período do curso de Jornalismo da Faculdade Araguaia.

15 Autor (es): Bruna Araújo, Charlie Rabelo, Fabiana Júlia, Lívia Brisola, Thiago Xistus, Pâmala Trezze Modalidade do Trabalho: Exposição Oral Área do Conhecimento: Música e Comunicação Orientador (res): Prof. Lívia Brisolla Consumo e desejo através do estímulo sonoro 15 Brisolla, LS 9 ; Araújo, B 10 ; Rabelo, C 11 ; Júlia, F 12 ; Xistus, T 13 ; Trezze, P 14. Este estudo propõe discutir sobre as músicas ambientes em shoppings e também as músicas tocadas nos interiores das lojas, levando a compreensão das variáveis que influenciam o comportamento do consumidor, para crescimento da empresa. O objetivo do estudo é entender como essas músicas ambientes podem influenciar no comportamento dos clientes e como isso leva as empresas que adotam ao um maior crescimento. A discussão nos leva a analisar que essas estratégias de músicas ambientes em lugares comerciais entra em um contexto de marketing, onde os consumidores acabam sendo atraídos pelo ambiente que muitas vezes se tornam mais aconchegantes e agradáveis para realizarem suas compras. Cada loja que adota esse modo de trabalho com as músicas ambientes possuem estilos diferentes. Em lugares mais sofisticados são preferidos músicas mais calmas e mais leves, no qual o público alvo são os jovens. O marketing sensorial são músicas modernas que estão em evidencia no mercado. Porém apesar de diferentes músicas e público alvo, a música ambiente tem sido cada vez mais utilizada no marketing das empresas, buscando agradar os seus clientes e atrair clientes novos. Palavras-chave: música, ambientes e comportamento 9 Professora dos cursos de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. Cursa doutorado em educação pela Universidade Federal de Goiás UFG. 10 Acadêmico do 3 o período de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia 11 Acadêmico do 3 o período de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia 12 Acadêmico do 3 o período de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia 13 Acadêmico do 3 o período de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia 14 Acadêmico do 3 o período de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia

16 Autor (es): Lívia Brisolla, Nathany Silva Rodrigues Modalidade do Trabalho: Exposição Oral Área do Conhecimento: Música e Comunicação Orientador (res): Prof.ª Lívia Brisolla Folk Music Brisolla, LS 15 ; Rodrigues, NS Durante o século XX, o termo "folk music" recebeu um segundo significado: um tipo específico de música popular que é descendência cultural da música tradicional rural, ou de outro modo influenciada por ela. A música folclórica sobrevive melhor em zonas onde a sociedade, geralmente rural, ainda não é afetada pela comunicação de massas e pela comercialização da cultura. Assim, muitas destas canções expressam crenças religiosas ou políticas de um povo ou descrevem sua história. A melodia e a letra de uma canção popular podem sofrer modificações no decorrer de um tempo, pois normalmente a transmissão é oral e passam de geração em geração. A presente pesquisa busca refletir sobre o conceito e lugar que o folk music ocupa no cenário globalizado e sua relação com as diferentes culturas. Para tanto destaca a força da música popular e sua influência sobre a cultura de uma sociedade. Palavras-chave: folk music, música popular, cultura 15 Professora dos cursos de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. Cursa doutorado em educação pela Universidade Federal de Goiás UFG. 16 Acadêmica do 2º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia.

17 Autor (es): Daniele Aline, Guilherme Almeida, Lívia Brisola, Renan Bragança Modalidade do Trabalho: Exposição Oral Área do Conhecimento: Música e Comunicação Orientador (res): Profª. Lívia Brisolla Nova música independente brasileira Brisolla, LS 17 ; Aline, D 18 ; Almeida, G 19 ; Bragança, R Cada vez mais, muito vem se falando sobre música independente e toda a cultura que a cerca: selos, shows e festivais. Mas, o que é música independente? Quando um artista pode ser considerado independente? Por definição, uma banda é independente se não for vinculada a nenhuma gravadora multinacional, as denominadas majors. Uma banda independente tem facilidade de produção e divulgação, mas ainda tem a questão da distribuição do trabalho. Percebe-se que a internet é o meio mais utilizado para divulgação da música independente no país, pois proporciona maior facilidade de acesso e por atingir um público específico e conseqüentemente por estimular um novo meio de fazer música. O que se propõe é traçar um panorama da música independente no Brasil, assim como verificar como a internet vem contribuindo para o seu crescimento. Será feito um levantamento dos sites de músicas independentes no Brasil e a partir desses dados discutiremos o conceito de música independente, as principais bandas e sua organização no cenário digital. Palavras-chave: Música, Internet, Música independente 17 Professora dos cursos de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. Cursa doutorado em educação pela Universidade Federal de Goiás UFG. 18 Acadêmica do 2º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 19 Acadêmico do 2º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 20 Acadêmico do 2º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia.

18 Autor (es): Cristielen Rocha, Dayane Gonçalves, Fernando Costa, Lívia Brisola e Kamila Karen Modalidade do Trabalho: Exposição Oral Área do Conhecimento: Música e Comunicação Orientador (res): Profª.Lívia Brisolla O Rock em Goiânia Brisolla, LS 21 ; Rocha, C 22 ; Gonçalves, D 23. ; Costa, F 24 ; Karen, K O trabalho acadêmico propõe discutir sobre o tema do eixo temático Música. O estudo busca investigar o gênero musical Rock, pois é considerado agressivo e revolucionário por alguns autores. O foco consiste em refletir sobre a imagem do Rock na sociedade goiana. O objetivo é traçar um histórico do Rock na sociedade goiana, citando suas influências musicais para a sociedade e o espaço que se busca em Goiânia. Esse trabalho acadêmico tem o foco de apresentar não só a historia e conceitos do Rock, mas também expor o Rock como um gênero musical que visa se expressar com letras de protestos, com um visual agressivo e atitudes machistas para chamar a atenção da sociedade. Palavras-chave: Rock, história, música 21 Professora dos cursos de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. Cursa doutorado em educação pela Universidade Federal de Goiás UFG. 22 Acadêmica do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 23 Acadêmica do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 24 Acadêmico do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 25 Acadêmica do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia.

19 Autor (es): Glauciene Ramos; Halyni de Paula; José Lucas; Luiz Roberto; Lívia Brisolla, Mayloon Oliveira, Poliana Rocha Modalidade do Trabalho: Exposição Oral Área do Conhecimento: Música e Comunicação Orientador (res): Prof.ª Lívia Brisolla A imagem da mulher no funk brasileiro, de 2000 a Brisolla, LS 26 ; Ramos, G 27 ; de Paula, H 28 ; Lucas, J 29 ;Roberto, L 30 ; Oliveira, M 31 ; Rocha, P 32 O funk surgiu nos Estados Unidos da América e foi trazido para o Brasil por volta dos anos 90, com influências do rock e do jazz, somados ao axé. Quando o funk começou a ser inserido na cultura brasileira, as letras eram criadas de acordo com a realidade da massa, e com o passar dos anos essas músicas se popularizaram não somente entre as classes sociais menos abastadas economicamente, mas também entre a elite, passaram a diferir das premissas iniciais e começaram a ser carregadas de sugestões ou mesmo exclamações ao: tráfico, dinheiro, poder, armas e a vulgarização da imagem da mulher. Com esse estudo pretende-se entender qual é o real impacto da imagem da mulher no funk brasileiro e como as mulher tem se comportado diante de tal situação. A imagem da mulher foi sendo inserida aos poucos nas letras das músicas e também no contexto social onde o ritmo está presente. O objetivo e fazer um estudo das letras de algumas músicas e refletir a partir dessas letras o comportamento das mulheres ao som dessas músicas. Palavras-chave: funk, mulher, imagem 26 Professora dos cursos de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. Cursa doutorado em educação pela Universidade Federal de Goiás UFG. 27 Acadêmica do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 28 Acadêmica do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 29 Acadêmico do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 30 Acadêmico do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 31 Acadêmico do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 32 Acadêmica do 3º período do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia.

20 Autor (es): Dérika Kiara, Flávyo Santos Teles, Guilherme Iago dos Santos, Letícia de Lima Souza e Patrick Cândido de Oliveira Modalidade do Trabalho: Exposição Oral Área do Conhecimento: Política, música e comunicação Orientador (res): Prof.ª Dérika Kyara de Oliveira Carrijo A música como crítica social durante a Ditadura Militar no Brasil Carrijo, DKO 33 ; Teles, FS 34 ; dos Santos, GI 35 ; Souza, LL 36 ; de Oliveira, PC A Ditadura Militar no Brasil, que aconteceu de 1964 à 1985, foi marcada por momentos de crises e opressões em toda a na sociedade da época, além da censura para com os Meios de Comunicação. O objetivo geral do presente estudo foi determinar a relação existente entre música, política e comunicação, tendo como referência este período, tido como momento relevante no quadro da história política brasileira. Enquanto a opressão, consequência de um regime autoritário norteava a população, a imprensa e a música eram tidas como transformadora, a qual os artistas e a população acreditavam que por meio de sua letra e melodia poderiam transformar o regime presente na sociedade. Entre os anos de 1968 e 1981, o autoritarismo atingiu grande parte do cenário musical brasileiro, bem como o controle do Estado autoritário sobre os músicos. A justificativa se concentrava em controlar o espaço público. Uma das canções mais famosas durante a ditadura foi Pra não dizer que não falei das flores``, de Geraldo Vandré. As pessoas buscavam se expressar através da música. Outros compositores também criticados pelo regime foram: Caetano Veloso e Gilberto Gil. Em 1968, aconteceu o III Festival Internacional da Canção, realizado pela TV Globo, verificou-se neste ato, uma relação próxima entre a emissora e o governo da ditadura militar. O governo da época fazia vistas grossas para possíveis parcerias com empresas estrangeiras, no caso da Rede Globo, houve através de um acordo firmado com uma empresa estrangeira uma expansão da sua marca por todo o território brasileiro. O desejo de liberdade e de expressão deve ser visto como um elemento indispensável na vida do homem em seu espaço social. E a música se insere nesse contexto. Palavras-chave: Ditadura, Política, Comunicação. 33 Bacharel em Comunicação, habilitação em Jornalismo; Especialista em Assessoria Linguística e Revisão Textual e Tutora em EaD na Faculdade Araguaia. 34 Acadêmico do 5º período de Jornalismo da Faculdade Araguaia. 35 Acadêmico do 5º período de Jornalismo da Faculdade Araguaia. 36 Acadêmico do 5º período de Jornalismo da Faculdade Araguaia. 37 Acadêmico do 5º período de Jornalismo da Faculdade Araguaia.

21 Autor (es): Charleston Fernandes, Rayana Caetano, Roberta Barros, Taís Dutra e Yana Maia. Modalidade do Trabalho: Projeto de Pesquisa Área do Conhecimento: Cultura, Música e Comunicação Orientadora: Profª. Roberta Elaine de Souza Nascimento Barros Cultura Popular Musical em Goiás: limites do Projeto Grande Hotel Vive o Choro 21 Barros, R 38.; C. Fernandes 39 ; Caetano. R 40.; Dutra, T. 41 ; Y. Maia 42 Tendo em vista o Tema Integrador do semestre: Música e Comunicação, as turmas de terceiro período do Curso de Jornalismo e Publicidade e Propaganda apresentaram Seminários e produziram Pré-Projetos de Pesquisa. Este trabalho se insere nesta proposta e apresenta a temática do Chorinho como manifestação cultural popular autêntica e discute também a necessidade de ações públicas para garantir o acesso da população da cidade de Goiânia. Destaca-se a cultura como um bem inalienável e como direito constitucional de todo cidadão brasileiro ter amplo acesso às manifestações culturais. Propõe-se a análise específica do Chorinho como manifestação cultural em Goiânia e, detidamente, do evento cultural chamado Projeto Grande Hotel Vive o Choro, em face da atual instabilidade que acomete o projeto. Visa-se a discussão das questões pertinentes ao tema, elencando os principais problemas para a continuidade do projeto e buscando junto aos responsáveis as possíveis soluções e políticas pertinentes que possam não só manter o Projeto Grande Hotel Vive o Choro, mas ampliar o acesso da população a ele. Palavras-chave: Cultura popular; Manifestação cultural; Manifestação popular 38 Professor Ms. dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia. 39 Acadêmico do 3º período do curso de Jornalismo da Faculdade Araguaia. 40 Acadêmica do 3º período do curso de Jornalismo da Faculdade Araguaia. 41 Acadêmica do 3º período do curso de Jornalismo da Faculdade Araguaia. 42 Acadêmica do 3º período do curso de Jornalismo da Faculdade Araguaia.

Currículo Referência em Música Ensino Médio

Currículo Referência em Música Ensino Médio Currículo Referência em Música Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior.

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior. Cotas Pra Quê? 1 Sarah Rocha MARTINS 2 Luan Barbosa OLIVEIRA 3 Camilla Alves Ribeiro PAES LEME 4 Instituto de Ensino Superior de Rio Verde, Rio Verde, Goiás RESUMO Este documentário foi planejado e desenvolvido

Leia mais

FORMAÇÃO CULTURAL: ESTUDO SOBRE A BOSSA NOVA COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1

FORMAÇÃO CULTURAL: ESTUDO SOBRE A BOSSA NOVA COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 FORMAÇÃO CULTURAL: ESTUDO SOBRE A BOSSA NOVA COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 SANTOS, D. C. C. 2 Relato de Experiência GT: Diálogos Abertos sobre a Educação Básica RESUMO O presente relato de experiência,

Leia mais

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR Carga Horária Semestral por Disciplina Disciplinas 1º semestre 2º semestre 3º semestre 4º semestre 5º semestre 6º semestre 7º semestre 8º semestre Total Obrigatórias Optativas Fundamentos

Leia mais

MPB ou música popular brasileira?

MPB ou música popular brasileira? junho/01 8 o e 9 o anos MPB ou música popular brasileira? A expressão música popular brasileira se refere aos estilos musicais criados no Brasil, por compositores e cantores brasileiros, em língua portuguesa,

Leia mais

DIVISÕES TEMÁTICAS DT

DIVISÕES TEMÁTICAS DT DIVISÕES TEMÁTICAS DT Divisão Temática Coordenador Data Horário DT 1 - Jornalismo Prof. Dr. Bruno Barreto (Unigran) 08/06-09/06 14:00 DT 2 e 3 - Publicidade e Propaganda e Relações Públicas e Organizacional

Leia mais

de 20, à criação do samba no Rio de Janeiro ou ao cinema novo. Ao mesmo tempo procurei levar em conta as aceleradas transformações que ocorriam nesta

de 20, à criação do samba no Rio de Janeiro ou ao cinema novo. Ao mesmo tempo procurei levar em conta as aceleradas transformações que ocorriam nesta 5 Conclusão A década de 70 foi com certeza um período de grande efervescência para a cultura brasileira e em especial para a música popular. Apesar de ser muito difícil mensurar a constituição de um termo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Educação Musical; Formação de Professores; Oficina de Violão; Educação básica.

PALAVRAS-CHAVE: Educação Musical; Formação de Professores; Oficina de Violão; Educação básica. INICIAÇÃO À DOCÊNCIA EM MÚSICA: RESULTADOS DO PIBID EM DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DE GOIÂNIA/GO Luna Borges MELO luna.borges.melo@gmail.com Larissa dos Santos MARTINS Escola de Música e Artes Cênicas - UFG

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de massa. Os tipos

Leia mais

Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno)

Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno) Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno) Disciplina Ementa Pré- requisito C.H. Curso Assessoria de Comunicação Conhecimento geral, reflexão e prática

Leia mais

Joaozinho, o repórter 1. Fábio Willard de OLIVEIRA 2 Tárcio ARAUJO 3 Moises Henrique Cavalcante de ALBUQUERUQUE 4

Joaozinho, o repórter 1. Fábio Willard de OLIVEIRA 2 Tárcio ARAUJO 3 Moises Henrique Cavalcante de ALBUQUERUQUE 4 Joaozinho, o repórter 1 Fábio Willard de OLIVEIRA 2 Tárcio ARAUJO 3 Moises Henrique Cavalcante de ALBUQUERUQUE 4 Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Mossoró, RN. RESUMO O documentário Joãozinho,

Leia mais

Antes que me esqueçam, meu nome é Edy Star

Antes que me esqueçam, meu nome é Edy Star Antes que me esqueçam, meu nome é Edy Star O documentário aborda a trajetória artística de Edvaldo Souza, o Edy Star, cantor, ator, dançarino, produtor teatral e artista plástico baiano. Edy iniciou a

Leia mais

Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM

Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM JORNALISMO JO 01 Agência Jr. de Jornalismo (conjunto/ série) Modalidade voltada a agências de jornalismo experimentais, criadas, desenvolvidas

Leia mais

Mestres 1 RESUMO. 4. Palavras-chave: Comunicação; audiovisual; documentário. 1 INTRODUÇÃO

Mestres 1 RESUMO. 4. Palavras-chave: Comunicação; audiovisual; documentário. 1 INTRODUÇÃO Mestres 1 Tiago Fernandes 2 Marcelo de Miranda Noms 3 Mariane Freitas 4 Tatiane Moura 5 Felipe Valli 6 Bruno Moura 7 Roberto Salatino 8 Conrado Langer 9 Prof. Msc. Luciana Kraemer 10 Centro Universitário

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

Palavras-chave: 1. Artes; 2. Audiovisual 3. Educação; 4. Rádio; 5. Vídeo

Palavras-chave: 1. Artes; 2. Audiovisual 3. Educação; 4. Rádio; 5. Vídeo Artes Audiovisuais: Estratégia cooperativa na modalidade Educação Jovem e Adulta - EJA STEFANELLI, Ricardo 1 Instituto Federal de Educação Tecnológica de São Paulo RESUMO O presente trabalho na disciplina

Leia mais

Gaveta de Letras 1. Trabalho submetido ao XXII Prêmio Expocom 2015, na Categoria Produção Transdisciplinar, modalidade Produção Multimídia.

Gaveta de Letras 1. Trabalho submetido ao XXII Prêmio Expocom 2015, na Categoria Produção Transdisciplinar, modalidade Produção Multimídia. Gaveta de Letras 1 Maria Anna leal MARTINS 2 Ana Roberta Amorim da SILVA 3 Edmilson Rodrigues de Souza FILHO 4 Lara TORRÊS 5 Matheus Fábio da SILVA 6 Pedro Alves Ferreira JÚNIOR 7 Arlene Carvalho de Souza

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Comunicação

Universidade. Estácio de Sá. Comunicação Universidade Estácio de Sá Comunicação A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como Faculdades

Leia mais

PROGRAMAÇÃO. Professora Doutora Simone Tuzzo (UFG) Professor Mestre Luciano Mendes (UNB) Simone Antoniaci Tuzzo:

PROGRAMAÇÃO. Professora Doutora Simone Tuzzo (UFG) Professor Mestre Luciano Mendes (UNB) Simone Antoniaci Tuzzo: PROGRAMAÇÃO Data: 19/11/2013 Conferência de abertura: Professora Doutora Simone Tuzzo (UFG) Professor Mestre Luciano Mendes (UNB) Simone Antoniaci Tuzzo: Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade

Leia mais

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é a diferença entre cinema e vídeo, audiovisual e multimídia, não é mesmo?

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é a diferença entre cinema e vídeo, audiovisual e multimídia, não é mesmo? Pré-Vestibular Social Grupo SOA Suporte à Orientação Acadêmica Ela faz cinema Ela faz cinema Ela é demais (Chico Buarque) CINEMA Chegou o momento de escolher um curso. Diante de tantas carreiras e faculdades

Leia mais

MEMÓRIA SOCIAL - UM REGISTRO DE COSTUMES DA SOCIEDADE DE JOÃO PESSOA NO SÉCULO XX

MEMÓRIA SOCIAL - UM REGISTRO DE COSTUMES DA SOCIEDADE DE JOÃO PESSOA NO SÉCULO XX MEMÓRIA SOCIAL - UM REGISTRO DE COSTUMES DA SOCIEDADE DE JOÃO PESSOA NO SÉCULO XX MOURA FILHA 1, Maria Berthilde CAVALCANTI FILHO 2, Ivan QUEIROZ 3, Louise Costa GONDIM 4, Polyanna Galvão RESUMO Nos últimos

Leia mais

Rumos da cultura da música: negócios, estéticas, linguagens e audibilidades

Rumos da cultura da música: negócios, estéticas, linguagens e audibilidades Rumos da cultura da música: negócios, estéticas, linguagens e audibilidades Rumos da cultura da música: negócios, estéticas, linguagens e audibilidades Organização Simone Pereira de Sá Adriana Amaral

Leia mais

Mudanças Climáticas e Cidades Políticas ambientais e o desenvolvimento econômico das cidades

Mudanças Climáticas e Cidades Políticas ambientais e o desenvolvimento econômico das cidades PROJETO Sustentabilidade: Uma Questão Matemática Fonte: Estudantes - 8º s Anos BLOCO TEMÁTICO Mudanças Climáticas e Cidades Políticas ambientais e o desenvolvimento econômico das cidades JUSTIFICATIVA

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de

Leia mais

17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO. 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo

17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO. 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo 17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo APRESENTAÇÃO O 17º Festival Brasileiro de Cinema Universitário acontecerá de 6 a 12 de agosto de 2012,

Leia mais

Programação Geral. Música Regional Brasileira. A música do Brasil - Seg/Dom 6h.

Programação Geral. Música Regional Brasileira. A música do Brasil - Seg/Dom 6h. Programação Geral Música Regional Brasileira A música do Brasil - Seg/Dom 6h. Programa destinado a divulgar a música típica das regiões do Brasil. Toca os grandes mestres da música nordestina e mostra

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som Imagens Sonoras por Caio Amon A Expansão da Imagem pelo Som Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida Aprenda a produzir som e trilha para seus projetos. Imagens Sonoras A Expansão

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PRODUÇÃO TEXTUAL INDIVIDUAL 7º SEMESTRE DISCIPLINA Gestão de Projetos Administração da Produção e Logística Empreendedorismo e Plano de Negócios PROFESSOR Prof. Marco Ikuro Hisatomi Prof. Luíz Antônio

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA Aline Mendes da SILVA, Marcilene Cardoso da SILVA, Reila Terezinha da Silva LUZ, Dulcéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES, Departamento de Educação UFG - Campus

Leia mais

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 BOGUSZEWSKI, Luiza. 2 SCHETTERT, Gabriela Antunes. 3 MENEZES, Sérgio. 4 Universidade Positivo, Curitiba, PR. 2013 RESUMO Com a disseminação da cultura norte-americana

Leia mais

TEMA: SAMBA DE GAFIEIRA

TEMA: SAMBA DE GAFIEIRA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DESANTA CATARINA IFSC-CAMPUS JOINVILLE CURSO DE ASSISTENTE EM PRODUÇÃO CULTURAL-PRONATEC TURMA 1 2013 PLANO COREOGRÁFICO TEMA: SAMBA DE GAFIEIRA CARLOS

Leia mais

SERVIÇOS. Captação de Recursos. Infraestrutura e Produção de Eventos Estruturação de Equipes de Produção. Análise Técnica e Financeira de Projetos

SERVIÇOS. Captação de Recursos. Infraestrutura e Produção de Eventos Estruturação de Equipes de Produção. Análise Técnica e Financeira de Projetos Empresas coligadas: SERVIÇOS Elaboração e Produção de Projetos Culturais, Sociais e Esportivos Infraestrutura e Produção de Eventos Estruturação de Equipes de Produção Assessoria Técnica e Consultoria

Leia mais

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS Eixo: Políticas para a Infância e Formação de Professores Contempla as produções acadêmico-científicas que tratam de ações políticas e legislações referentes à Educação Infantil e a infância. Aborda pesquisas

Leia mais

PÔSTER A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL OS JOGOS E AS BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PÔSTER A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL OS JOGOS E AS BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO CONTINUADA uuada XVII CONGRESSO REGIONAL DE EDUCADORES DE UBERABA E DO TRIÂNGULO MINEIRO "SISTEMA ESTRUTURADO DE ENSINO: ULTRAPASSANDO

Leia mais

Captação através da fidelização: segmentar como oportunidade

Captação através da fidelização: segmentar como oportunidade Captação através da fidelização: segmentar como oportunidade A essência da vida é aproximar as pessoas. Tempo, espaço, tecnologia, números. Nada na vida é tão autossuficiente que não precise de interferência

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE: RESOLUÇÃO Nº /00-CEPE 1 Fixa o Currículo Pleno do Curso de Comunicação Social, Habilitações em Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda, do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes. O,

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

Dança x Mídia: A Arte e o Entretenimento. Iêgo José. Raija Almeida Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB

Dança x Mídia: A Arte e o Entretenimento. Iêgo José. Raija Almeida Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB 1 Dança x Mídia: A Arte e o Entretenimento 2 Iêgo José 3 Raija Almeida Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB RESUMO A arte da Dança sempre caminhou junto com o homem em sua evolução,

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE DESENHOS ANIMADOS NA CULTURA VISUAL EDUCAÇÃO INFANTIL

A UTILIZAÇÃO DE DESENHOS ANIMADOS NA CULTURA VISUAL EDUCAÇÃO INFANTIL 20 a 24 de outubro de 2008 A UTILIZAÇÃO DE DESENHOS ANIMADOS NA CULTURA VISUAL EDUCAÇÃO INFANTIL Caroline de Souza Gervazio 1 ; Luciana Figueiredo Lacanallo 2, Maria Ângela Garcia de Almeida 3 RESUMO:

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA JORNALISMO

Leia mais

A CONTRACULTURA NA MÚSICA DOS ANOS 60 - SCRIPT DO JOGRAL

A CONTRACULTURA NA MÚSICA DOS ANOS 60 - SCRIPT DO JOGRAL 1 DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES LICENCIATURA EM LETRAS COM A LÍNGUA INGLESA LITERATURA BRASILEIRA JOÃO BOSCO DA SILVA (prof.bosco.uefs@gmail.com) A CONTRACULTURA NA MÚSICA DOS ANOS 60 - SCRIPT DO JOGRAL

Leia mais

SEMANA DO SERVIDOR PÚBLICO sugestão de palestrantes. Otimize seu orçamento e mantenha um bom nível de palestrantes.

SEMANA DO SERVIDOR PÚBLICO sugestão de palestrantes. Otimize seu orçamento e mantenha um bom nível de palestrantes. SEMANA DO SERVIDOR PÚBLICO sugestão de palestrantes Otimize seu orçamento e mantenha um bom nível de palestrantes. resultados positivos para os servidores? qualidade de vida fernando rocha wesley schunk

Leia mais

Natura apresenta o Show de Lançamento do CD Lia Sophia

Natura apresenta o Show de Lançamento do CD Lia Sophia Natura apresenta o Show de Lançamento do CD Lia Sophia Lia Sophia mistura os ritmos locais com batidas internacionais, para criar uma música original e de alta qualidade. Ela não veio para ficar. Ela já

Leia mais

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames.

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames. C U R S O S ESPECIAIS I n s t i t u t o C e r v a n t e s d e B r a s i l i a CURSOS ESPECIAIS O Instituto Cervantes de Brasília dispõe de uma ampla oferta de cursos especiais para se adaptar as necessidades

Leia mais

Televisão brasileira: o início da problemática 1

Televisão brasileira: o início da problemática 1 Televisão brasileira: o início da problemática 1 AUTOR: QUINTANA JÚNIOR, José CURSO: Comunicação Social Jornalismo/Unifra, Santa Maria, RS OBRA: CAPARELLI, Sérgio. Televisão e capitalismo no Brasil: com

Leia mais

UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA

UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA Wanda Patrícia de Sousa Gaudêncio (UFPB/PROFLETRAS) wandapatricia@evl.com.br Sandra Regina Pereira

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE NOVEMBRO DE 2012 EREM ANIBAL FERNANDES

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE NOVEMBRO DE 2012 EREM ANIBAL FERNANDES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA HENRIQUE BEZERRA IGOR FERNANDES PAULO HENRIQUE WILMA DE ANDRADE WILLIAM FREIRE RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE

Leia mais

MOBILIZAÇÃO COMUNITÁRIA, RESILIÊNCIA E CRIANÇAS: NARRATIVAS EM ASSENTAMENTOS URBANOS NA PERIFERIA DE NATAL - RN

MOBILIZAÇÃO COMUNITÁRIA, RESILIÊNCIA E CRIANÇAS: NARRATIVAS EM ASSENTAMENTOS URBANOS NA PERIFERIA DE NATAL - RN CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES Niterói RJ: ANINTER-SH/ PPGSD-UFF, 03 a 06 de Setembro de 2012, ISSN 2316-266X MOBILIZAÇÃO COMUNITÁRIA, RESILIÊNCIA E CRIANÇAS: NARRATIVAS

Leia mais

Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul

Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul 1919 X Salão de Iniciação Científica PUCRS Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul Pâmela de Freitas Machado 1, Helena B.K.Scarparo 1 (orientadora) 1 Faculdade Psicologia,

Leia mais

MEDIA KIT. http://boxdeseries.com.br contato@boxdeseries.com.br @boxdeseries

MEDIA KIT. http://boxdeseries.com.br contato@boxdeseries.com.br @boxdeseries MEDIA KIT http://boxdeseries.com.br contato@boxdeseries.com.br @boxdeseries 2 CONTEÚDO BREVE HISTÓRICO...03 MINICURRÍCULO DA EQUIPE...04 SOBRE O SITE...05 EDITORIAS...06 SOBRE O PODCAST...06 ESTATÍSTICAS

Leia mais

INFORMAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

INFORMAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC) 1 INFORMAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC) Curso: Música, Bacharelado - Habilitação em Composição Campus: Cuiabá Docente da habilitação: Prof. Dr. Roberto Pinto Victorio Ato interno de criação

Leia mais

Núcleo de Comunicação e Educação Popular (NCEP)

Núcleo de Comunicação e Educação Popular (NCEP) Núcleo de Comunicação e Educação Popular (NCEP) Mostra Local de: Curitiba Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Universidade Federal

Leia mais

PRAIEIRO. Lili Araujo

PRAIEIRO. Lili Araujo PRAIEIRO Lili Araujo APRESENTAÇÃO: "PRAIEIRO" será o terceiro trabalho fonográfico solo da cantora e compositora carioca Lili Araujo. Haverá a produção de uma tiragem mínima do CD em formato físico (1.000

Leia mais

TÍTULO / TÍTULO: TV EXPERIMENTAL DE COMUNICAÇÃO: PROJETO INTEGRADO DE EXTENSÃO E COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA

TÍTULO / TÍTULO: TV EXPERIMENTAL DE COMUNICAÇÃO: PROJETO INTEGRADO DE EXTENSÃO E COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA TÍTULO / TÍTULO: TV EXPERIMENTAL DE COMUNICAÇÃO: PROJETO INTEGRADO DE EXTENSÃO E COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA AUTOR / AUTOR: Ruy Alkmim Rocha Filho INSTITUIÇÃO / INSTITUCIÓN: Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular PERÍODO: 1º MU096- CANTO 1A OBRIG 0 60 60 2.0 Fórmula: MU055 MU055- PERCEPCAO RITMICA MU271- CANTO CORAL 1 OBRIG 0 30 30 1.0 Fórmula: MU096 MU096- CANTO 1A PRÁTICA DA POLIFONIA VOCAL A DUAS E TRÊS VOZES.

Leia mais

A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO

A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO Gabriela Gonçalves da Silva 1 Jonney Gomes de Freitas Abreu 2 Marielli Gomes Mendonça 3 Mônica Mitchell de Morais Braga 4 Murilo Raphael Dias

Leia mais

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 (Orientador) Profa. Dra. Tatiana Machiavelli Carmo Souza 2 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

Ações de Comunicação Realizadas pelo Ministério da Saúde de 2007 a 2010

Ações de Comunicação Realizadas pelo Ministério da Saúde de 2007 a 2010 Ações de Comunicação Realizadas pelo Ministério da Saúde de 2007 a 2010 O período entre 2007 e 2010 foi de grande desafio para a comunicação. Além de inovar em campanhas tradicionais do setor, como amamentação,

Leia mais

ALVES, Giovanni. MACEDO, Felipe. Cineclube, Cinema e Educação etrópolis: Vozes,

ALVES, Giovanni. MACEDO, Felipe. Cineclube, Cinema e Educação etrópolis: Vozes, ALVES, Giovanni. MACEDO, Felipe. Cineclube, Cinema e Educação etrópolis: Vozes, 2009. Editora Práxis, 2010. Autêntica 2003. 11 Selma Tavares Rebello 1 O livro Cineclube, Cinema e Educação se apresenta

Leia mais

Quando toca o Coração

Quando toca o Coração Quando toca o Coração Apresentação Quando Toca o Coração é uma peça construída a partir de canções populares que envolvem temas como paixão, traição, desejo e saudade. O espetáculo conta com canções de

Leia mais

A ARTE DOS ENCONTROS: OS PROFESSORES E O CINEMA 1

A ARTE DOS ENCONTROS: OS PROFESSORES E O CINEMA 1 A ARTE DOS ENCONTROS: OS PROFESSORES E O CINEMA 1 RECH, Indiara 2 ; OLIVEIRA, VALESKA FORTES DE 3 ; BREOLIN, Caroline Ferreira 4 ; ZINI, Hallana Cristina Peransoni 5 ; FORTES, Nátali Dezordi 6 1 Trabalho

Leia mais

6 Cultura e ideologia

6 Cultura e ideologia Unidade 6 Cultura e ideologia Escrever sobre cultura no Brasil significa trabalhar com muitas expressões como festas, danças, canções, esculturas, pinturas, gravuras, literatura, mitos, superstições e

Leia mais

Guia de Produção da Música Independente Bahia

Guia de Produção da Música Independente Bahia Guia de Produção da Música Independente Bahia Memória do trabalho de conclusão do curso de Comunicação Social, com Habilitação em Produção em Comunicação e Cultura. Faculdade de Comunicação da Universidade

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sousa Fundação Municipal de Cultura Sandoval Silva de Assis

Prefeitura Municipal de Sousa Fundação Municipal de Cultura Sandoval Silva de Assis 12 a 14 DE JULHO 2013 I - INTRODUÇÃO: A FUNDAÇÃO MUNICÍPAL DE CULTURA DE CULTURA, apresenta o projeto Festival Sertanejo da Canção, que será realizado nos dos dias 12, 13 e 14 de Julho de 2013 com a finalidade

Leia mais

Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais

Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais importantes que marcaram a trajetória da MPB nos últimos

Leia mais

Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XVI Prêmio Expocom 2009 Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação

Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XVI Prêmio Expocom 2009 Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação Jornal Laboratório Páginas Abertas - Produzido pela Central de Produções Jornalísticas (CPJ), do Curso de Jornalismo do Centro Universitário Newton Paiva 1. Uma Parceria com o Pré-Vestibular Lima Barreto

Leia mais

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Sétimo Fórum Nacional de Professores de Jornalismo Praia dos Ingleses, SC, abril de 2004 GT: Laboratório de Jornalismo Eletrônico Trabalho: TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Autora: Célia Maria Ladeira

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Programa de vivência, criação e circulação artística e cultural. Programa de vivência, criação e circulação artística e cultural

Programa de vivência, criação e circulação artística e cultural. Programa de vivência, criação e circulação artística e cultural 1 1. Apresentação // 4 2. Objetivos e metas // 8 3. Estratégia - Música e Economia criativa // 9 4. Temáticas // 9 5. Programas // 10 6. Projetos Especiais // 10 7. Conselho gestor // 11 1. Apresentação

Leia mais

5.1. As significações do vinho e o aumento de seu consumo

5.1. As significações do vinho e o aumento de seu consumo 5 Conclusão Para melhor organizar a conclusão desse estudo, esse capítulo foi dividido em quatro partes. A primeira delas aborda as significações do vinho e como elas se relacionam com o aumento de consumo

Leia mais

Cinema como ferramenta de aprendizagem¹. Angélica Moura CORDEIRO². Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB.

Cinema como ferramenta de aprendizagem¹. Angélica Moura CORDEIRO². Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB. Cinema como ferramenta de aprendizagem¹ Angélica Moura CORDEIRO² Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB. RESUMO Este artigo pronuncia o projeto Criancine que

Leia mais

DISCURSOS SOBRE ALFABETIZAÇÃO DENTRO DO CONTEXTO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA

DISCURSOS SOBRE ALFABETIZAÇÃO DENTRO DO CONTEXTO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA 1 DISCURSOS SOBRE ALFABETIZAÇÃO DENTRO DO CONTEXTO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA Lilian Simone Leal Machado URZEDO 1, Rosely Ribeiro LIMA 2 (UFG/CAJ) lilianmachadoinove@hotmail.com

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Publicidade e Propaganda 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Publicidade e Propaganda 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Publicidade e Propaganda 2011-2 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO CAMPANHA DE POSICIONAMENTO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: artistas locais; cultura; experimentação; fome de quê?

PALAVRAS-CHAVE: artistas locais; cultura; experimentação; fome de quê? Fome de quê? por que a gente não quer só comida 1 Lorena Santiago Simas 2 Fabíola Moura 3 Universidade do Estado da Bahia, Juazeiro, BA RESUMO O programa Fome de quê? foi elaborado com a intenção de valorizar

Leia mais

7 Congresso de Pós-Graduação O ENSINO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA EM DISSERTAÇÕES E TESES NO BANCO DE DADOS DA CAPES

7 Congresso de Pós-Graduação O ENSINO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA EM DISSERTAÇÕES E TESES NO BANCO DE DADOS DA CAPES 7 Congresso de Pós-Graduação O ENSINO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA EM DISSERTAÇÕES E TESES NO BANCO DE DADOS DA CAPES Autor(es) CHRISTINE BARBOSA BETTY Orientador(es) BRUNO PUCCI 1.

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015

PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015 PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015 O Sesc em Minas comunica a relação nominal com as notas da prova ocorrida entre os dias 07/06/2015 à 14/06/2015 Considerando o que está previsto no subitem 5.1.3.1 do Descritivo

Leia mais

Rock Vinil: a nostalgia dos vinis 1

Rock Vinil: a nostalgia dos vinis 1 Rock Vinil: a nostalgia dos vinis 1 Nádia MOCCELIN 2 Caio César BUDEL 3 Isabela Leticia LESSAK Janete Regina Sirichuki CARVALHO Kryssia KOSMOS Letícia Olher FERRARI Naiara Namma Perdigão PERSEGONA Paula

Leia mais

As Múltiplas Faces De Um Prédio Histórico 1

As Múltiplas Faces De Um Prédio Histórico 1 As Múltiplas Faces De Um Prédio Histórico 1 Bruno Rafael dos SANTOS 2 Amanda Barbosa LEMES 3 Ana Cristina Herrero de MORAIS 4 Cezar Augusto MOREIRA 5 Debora Cristina dos SANTOS 6 Drieli Costa LOPES 7 Jéssica

Leia mais

Arquivo Público do Estado de São Paulo

Arquivo Público do Estado de São Paulo Arquivo Público do Estado de São Paulo Oficina: O(s) Uso(s) de documentos de arquivo na sala de aula Ditadura Militar e Anistia (1964 a 1985). Anos de Chumbo no Brasil. Ieda Maria Galvão dos Santos 2º

Leia mais

AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO

AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO Resumo Hoje muitas crianças convivem com narrativas audiovisuais na tv, no cinema e na Internet. Como se relacionam

Leia mais

Adriane Cristina de Jesus

Adriane Cristina de Jesus Adriane Cristina de Jesus Alexandre Coelho Rodrigues Gomes Alexandre Montenegro Nascimento Vilarinhos Ana Carolina Nogueira Ana Carolina Rodrigues Oliveira Ana Luiza de Paiva Silva Ana Luiza dos Anjos

Leia mais

PROJETO TE VEJO NA ESCOLA

PROJETO TE VEJO NA ESCOLA PROJETO TE VEJO NA ESCOLA Flávia Oliveira Machado 1 Isabela Mayara Cheida José Leonardo Gallep Maria do Carmo Palhaci (coordenadora) Maria Helena Gamas (coordenadora) RESUMO O projeto em questão visa a

Leia mais

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Claudia Maria da Cruz Consultora Educacional FEVEREIRO/2015 CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ênfase na operacionalização escrita dos documentos curriculares municipais é

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Jornalismo 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Jornalismo 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Jornalismo 2011-2 O PAPEL DO YOUTUBE NA CONSTRUÇÃO DE CELEBRIDADES INSTANTÂNEAS Aluno: Antonio,

Leia mais

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima.

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima. Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público Alexia Melo Clebin Quirino Michel Brasil Gracielle Fonseca Rafaela Lima Satiro Saone O projeto Rede Jovem de Cidadania é uma iniciativa da Associação

Leia mais

EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 3ª CHAMADA IFRJ NOME DO CANDIDATO

EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 3ª CHAMADA IFRJ NOME DO CANDIDATO EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 IFRJ Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA DOCUMENTO ORIENTADOR CGEB Nº 11 DE 2014 COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA SÃO PAULO JUNHO DE 2014 Governador Geraldo Alckmin Vice-Governador

Leia mais

5 201 O LI Ó RTF PO 1

5 201 O LI Ó RTF PO 1 1 PORTFÓLIO 2015 Um pouco da trajetória do Colégio Ação1 QUANDO TUDO COMEÇOU 1993 Experientes profissionais fundaram, no bairro do Méier, a primeira unidade da rede Ação1. O foco do trabalho era a preparação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente - 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente - 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2014 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Componente Curricular: Artes Série:

Leia mais

Telejornal Sala 221 1

Telejornal Sala 221 1 Telejornal Sala 221 1 Thayane dos Santos MOREIRA 2 Gabriela Barbosa NEVES 3 Kamila Katrine Nascimento de FREITAS 4 Marcelo LIMA 5 Maryjane da Costa PEREIRA 6 Cogenes Felipe Silva de LIRA 7 Zulmira NÓBREGA

Leia mais

A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1

A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1 A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1 Fernanda de Assis Oliveira 2 Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS Resumo: Este relato descreve

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO E D I T A L - 2016 O Departamento de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro torna pública a abertura

Leia mais

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Letícia BARROSO 2 Thaís PEIXOTO 3 Centro Universitário Fluminense Campus II- Campos/RJ RESUMO: A falta de espaço nos veículos convencionais

Leia mais

Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1

Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1 Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1 Simone MARIANO 2 Sheilla REIS 3 Mariana BRASIL 4 Mariane FREITAS 5 Amanda CARVALHO 6 Jéssica SANTOS 7 Suelen VALENTE 8 Universidade Católica

Leia mais

E D I T A L 2016. 1. INSCRIÇÕES 1.1. Poderão inscrever-se aqueles que concluíram curso de Mestrado em Comunicação Social ou áreas afins.

E D I T A L 2016. 1. INSCRIÇÕES 1.1. Poderão inscrever-se aqueles que concluíram curso de Mestrado em Comunicação Social ou áreas afins. PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE DOUTORADO E D I T A L 2016 O Departamento de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro torna pública a abertura

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA CRECHE. Projeto AMBIENTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA CRECHE. Projeto AMBIENTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA CRECHE Projeto AMBIENTE Goiânia, outubro, 2009. PROJETO DE ENSINO 1. TÍTULO: PROJETO AMBIENTE 2.

Leia mais

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Diálogos - Revista do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História ISSN: 1415-9945 rev-dialogos@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil Amarante Oliveira, Wellington Em busca

Leia mais