Iniciando o PHP e o MySQL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Iniciando o PHP e o MySQL"

Transcrição

1 Iniciando o PHP e o MySQL 3 Tome se como exemplo a base de dados de uma livraria, que contém informações sobre os livros disponíveis, autores e vendas, em que o elemento central desta base de dados serão os próprios livros. Neste caso, podiam ser utilizadas três tabelas, com a estrutura que a Figura 3.3 mostra. FIGURA 3.3 Tabelas da base de dados livraria Quando se criam tabelas em bases de dados, é fundamental que haja um campo que identifique inequivocamente cada um dos registos. Por exemplo, no caso de uma livraria, poderia utilizar se o ISBN 1 como número identificativo de cada livro mas, para o caso dos autores, teria de se utilizar um outro código, que pode ser atribuído pelo próprio sistema informático, aquando do registo de um novo autor. Isto é feito inserindo um novo campo de identificação, que aumenta de 1 em 1, de cada vez que é feito um novo registo, seja livro, autor ou venda. A este novo campo dá se o nome de chave primária, uma vez que é esta chave que identifica o registo da tabela. Os outros campos da tabela podem funcionar como chaves estrangeiras, uma vez que podem assumir se como chave primária noutra tabela diferente. Nalguns programas, é assumido automaticamente o primeiro campo da tabela como sendo a chave primária; noutros, aparece identificado o campo com o símbolo de uma chave. Entre a chave primária e a chave estrangeira pode ser estabelecida uma relação. A relação entre a chave primária e a chave estrangeira é muito importante para quem trabalha em bases de dados, pois permite obter os valores de uma determinada tabela de forma quase automática, através da relação estabelecida entre ambas. 1 ISBN é a sigla de International Standard Book Number número que identifica cada livro de forma única, sendo utilizado em livros e publicações não periódicas. FCA Editora de Informática 45

2 5 Desenvolvimento de Aplicações em PHP Funções de data e hora Em linguagem PHP, existem funções que permitem trabalhar com datas, sendo de grande utilidade quando se pretende construir um calendário. As funções que permitem trabalhar com datas e horas são várias, entre as quais se destacam: date() Permite formatar uma data ou hora; getdate() Retorna a informação sobre uma data ou hora; checkdate() Permite obter informação sobre a data ou hora; time() Devolve o timestamp em utilização; mktime() Permite obter um timestamp para uma data ou hora específica. A função date() pode incluir diferentes argumentos que mostrarão a data ou hora num determinado formato. Os argumentos desta função no que diz respeito a datas podem corresponder a informação sobre dias, meses, anos ou datas completas, mas todos eles são devolvidos em inglês, pelo que é necessário converter para português. A função date() é utilizada quando se pretende trabalhar com datas (Tabela 5.2). Argumento Resultado D d N n y Y F Devolve o mês do ano, em formato de texto Devolve o dia do mês, com dois dígitos (por exemplo, 02 ou 31) Devolve cada dia em formato numérico (ISO 8601), sendo o número 1 a segunda feira Devolve cada mês em formato numérico, sem zeros (por exemplo, janeiro = 1; dezembro = 12) Devolve o ano com apenas dois dígitos (por exemplo, 98 ou 12) Devolve o ano com quatro dígitos (por exemplo, 1998 ou 2012) Devolve o mês por extenso (por exemplo, January, February) TABELA 5.2 Argumentos da função date()para datas No caso em que se pretende obter o nome dos meses ou dias por extenso, e como o resultado é devolvido em inglês, é necessário criar uma instrução que os faça corresponder aos respetivos nomes dos meses/dias em português, o que é conseguido através de um switch/case. Esta situação será objeto de tratamento ao longo da criação do calendário e será aplicada sempre que se revele necessário. 112 FCA Editora de Informática

3 5 Desenvolvimento de Aplicações em PHP 5.5. Utilização de Javascript no calendário online A linguagem Javascript é de grande aplicabilidade em páginas Web pois permite executar operações do lado do cliente. Por exemplo, quando se pretende verificar se um formulário foi totalmente preenchido, não é necessário executar uma operação do lado do servidor, uma vez que o formulário está do lado do cliente e pode ser verificado antes do processamento. Outro exemplo ocorre quando se pretende inserir uma hiperligação que volte à página que foi visualizada anteriormente, o que pode ser feito recorrendo à instrução javascript:history.back(); Janela de aviso Um exemplo de utilização de Javascript em páginas Web poderia ser dado com a utilização de uma janela de aviso para o utilizador. As janelas de aviso podem ser incluídas sempre que se pretenda avisar o utilizador de algo que ocorre na aplicação e, no caso do calendário, estas irão aparecer quando o utilizador, por engano, colocar uma hora de início do evento que seja superior à hora de fim do evento. Para que surja uma janela de aviso, recorre se à instrução alert(), onde se inclui o alerta que se pretenda dar ao utilizador: <script> alert('a hora de fim não pode ser inferior à hora de início! Clique para continuar...'); window.location.href='calendario.php'; </script> Desta forma, o utilizador é avisado sobre o problema em causa (Figura 5.9). FIGURA 5.9 Janela de aviso com Javascript 134 FCA Editora de Informática

4 Fórum para a comunidade 6 O código que se segue funciona por pequenos blocos que têm objetivos específicos. Para ser mais fácil a sua compreensão, resumem se de seguida as diferentes tarefas que estes terão de desempenhar: Tarefa 1: procurar tópicos associados ao fórum e ordená los por data O código referente a esta tarefa tem como objetivo aceder à base de dados, procurar os tópicos associados ao fórum identificado em id_forum e ordenar todos os registos obtidos. Caso não sejam encontrados tópicos, o utilizador é informado desta situação; Tarefa 2: calcular o número de mensagens já colocadas e associadas a cada tópico Nesta tarefa irão ser pesquisadas as mensagens associadas a cada tópico, através da chave id_topico, cujo valor será utilizado no cruzamento das tabelas topicos e mensagens; Tarefa 3: elaborar a tabela que apresenta os tópicos com título, número de mensagens, autor e data da criação do tópico O código referente a esta tarefa irá apresentar uma tabela na qual o utilizador pode visualizar título, número de mensagens, autor do tópico e data da criação do tópico, sendo a data convertida para o formato português; Tarefa 4: se o utilizador é administrador, colocar hiperligação que permite eliminar o tópico Esta hiperligação solicita o ficheiro apagar_topico.php, que se encontra na pasta administrador, passando por URL a indicação do tópico que deve ser eliminado (id_topico). A primeira tarefa é realizada pelo seguinte script: // procurar tópicos associados ao fórum selecionado $sql_topicos = "SELECT MAX(data_topico) AS ultima_data, topicos.*, utilizadores.* FROM topicos, utilizadores WHERE topicos.id_utilizador = utilizadores.id_utilizador AND topicos.id_forum = ". $id_forum. " GROUP BY topicos.id_topico ORDER BY ultima_data DESC;"; // realizar consulta $consulta_topicos = mysql_query($sql_topicos); $resultado_topicos = mysql_num_rows($consulta_topicos); A instrução MAX(data_topico) permite que seja obtida a data mais recente do total dos tópicos registados, à qual se atribui a designação ultima_data, o que permite fazer a ordenação da data mais recente para a data mais antiga, utilizando depois a instrução ORDER BY ultima_data DESC. FCA Editora de Informática 165

5 Fórum para a comunidade Administração do fórum No caso de um fórum, existem funções específicas que apenas estão disponíveis para administradores. Entre estas funções, incluem se: iniciar ou eliminar categorias, fóruns, tópicos ou mensagens, bem como gerir os utilizadores Menu de administração O acesso ao menu de administração é feito com base na hiperligação presente no cabeçalho, disponível apenas para administradores, tal como foi explicado. Ao clicar se nessa hiperligação, é solicitado o ficheiro menu_admin.php que apresenta uma tabela com um conjunto de opções que irão permitir executar diferentes tarefas: Criar ou eliminar categorias; Criar fóruns; Validar utilizadores ou torná los inativos; Ver lista de utilizadores. O aspeto deste menu é o que vemos representado na Figura FIGURA 6.12 Menu de administração O script do ficheiro menu_admin.php é aquele que permite construir esta página, sendo realizado sobretudo em linguagem HTML e constituído por uma tabela que apresenta diferentes hiperligações, que solicitam os respetivos ficheiros. Os únicos casos em que é utilizada a linguagem PHP são a solicitação da ligação à base de dados e a inclusão do cabeçalho: <!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN" "http://www.w3.org/tr/xhtml1/dtd/xhtml1-transitional.dtd"> FCA Editora de Informática 181

6 Mailing list CAPTCHA Para evitar o registo de utilizadores em massa, pode utilizar se um sistema que obrigue o utilizador a inserir um código que é gerado aleatoriamente quando um determinado utilizador pretende realizar um registo. Este sistema pode ser aplicado em inúmeras situações, como aquelas que foram vistas no capítulo anterior (por exemplo, no registo de utilizadores ou envio de mensagens para o fórum), designando se por CAPTCHA. A sigla CAPTCHA é o acrónimo para Completely Automated Public Turing test to tell Computers and Humans Apart, referindo se a um teste que pode ser realizado para determinar se um dado utilizador é humano ou não, baseado no Teste de Turing, proposto por Alan Turing na década de Apesar de poder parecer um pouco estranho, existe a possibilidade de haver registos feitos continuamente por outros computadores, de forma automática, pelo que o objetivo do CAPTCHA é precisamente prevenir o registo automático e posterior envio de spam, a partir de contas criadas sem intervenção humana. No caso de uma mailing list, esta situação torna se especialmente relevante, pois poderia haver a tentativa de registo de utilizadores de forma automática, com vista a produzir um ataque informático. Numa explicação muito simplista, podia afirmar se que este sistema se baseia na comparação entre uma informação que é mostrada ao utilizador e a respetiva replicação dessa informação, por parte do utilizador. A informação, que é gerada aleatoriamente quando o script é executado, pode ser uma pergunta comum, a soma de dois números (em que o utilizador tem de colocar o resultado), a cor da imagem mostrada ou ainda um texto que o utilizador tem de replicar. De seguida, ambos os códigos são comparados e, caso coincidam, o script continua a ser executado; caso contrário, é gerado um novo exemplo e o utilizador tem de efetuar nova tentativa de acesso. Atualmente, é possível gerar códigos que apareçam ondulados ou distorcidos, com vista a dificultar ainda mais o acesso indevido, uma vez que alguns programas já conseguiam decifrar a resposta que era necessário inserir. Nota Aquando da codificação da chave gerada, pode ser utilizado o algoritmo do tipo SHA1 em vez do algoritmo MD5. Tal como explicado no Capítulo 4, a chave gerada também é diferente. A título de exemplo, cria se o ficheiro captcha.php, que vai conter o script que dará origem ao procedimento de verificação do registo feito por um utilizador humano. Este irá gerar um código aleatório, baseado na função RAND(), o qual será codificado utilizando o algoritmo SHA1. FCA Editora de Informática 205

7 7 Desenvolvimento de Aplicações em PHP Funcionamento da paginação de resultados Se é verdade que o crescente número de registos traduz um crescente interesse nas novidades que podem ser recebidas através de uma newsletter, também é verdade que será quase inevitável que a base de dados aumente exponencialmente de tamanho. Uma vez que há um número cada vez maior de registos de endereços de correio eletrónico que poderia ser apresentado, torna se necessário limitar o número de registos que cada página apresenta, para que a gestão e mesmo a visualização se tornem confortáveis para o administrador. Quando se pretende paginar um elevado número de registos de uma base de dados, é necessário calcular o número total de registos na base de dados, fixar o total de registos que vão ser mostrados por página e depois dividir o número de registos por várias páginas, mantendo as sempre com o mesmo aspeto gráfico, além de ser necessário percorrer os registos por blocos que vão sendo exibidos em função do número de página selecionado. As operações referidas são realizadas por etapas, uma vez que o cálculo do número total de registos está ligado a operações relacionadas com a base de dados, enquanto a visualização dos resultados por página está relacionada com a tabela que os apresenta. Essas etapas são realizadas em sequência e, com vista a ser mais fácil compreender o sistema de paginação que vai ser desenvolvido, apresenta se de seguida um resumo das mesmas: 1) Verificar o número de página inicial (por predefinição, deve ser a página 1). 2) Percorrer a base de dados, obtendo um número definido de registos de cada vez 3) Apresentar os registos obtido. 4) Adicionar uma página ao valor da página inicial e repetir novamente os passos 2 e 3. 5) Mostrar hiperligações para as páginas seguintes e anteriores, à medida que estas vão sendo apresentadas. Para verificar o número de página atual, pode utilizar se a variável $_GET['pagina '], que vai confirmar se já existe um número de página (caso não seja a página inicial). No caso de ser a primeira página que está a ser exibida por solicitação de outro ficheiro, esta variável está vazia, pelo que lhe é atribuído o valor 1 ; nas seguintes, este valor é alterado em função da página que se está a visualizar. Quanto ao segundo passo, define se o total de registos a serem obtidos através da aplicação da instrução LIMIT() na consulta SQL, o que permite informar a base de dados sobre o número de registos que queremos que esta devolva. Esta instrução tem a sintaxe LIMIT (A, B), em que a letra A diz respeito ao primeiro registo onde deve ser iniciada a contagem e a letra B se refere ao total de registos mostrados de cada vez. 216 FCA Editora de Informática

8 Gráficos e relatórios Desenhos com PHP A linguagem PHP permite a obtenção de figuras simples (por exemplo, quadrados) ou mesmo a construção de gráficos do mesmo género dos que são apresentados nas comuns folhas de cálculo. Contudo, o termo gráfico não se limita apenas a gráficos, mas sim a todo um conjunto de figuras (desenhos) que se podem produzir, uma vez que as mesmas bibliotecas e classes podem até ser utilizadas para produzirem códigos de barras. No entanto, e apenas por uma questão de coerência, designar se á por desenhos todos os comuns desenhos, como quadrados, círculos, circunferências ou retângulos, enquanto a designação gráficos será atribuída a todos os gráficos idênticos aos obtidos num programa de folha de cálculo. Nota Conforme o browser utilizado, a localização dos desenhos/gráficos construídos com a biblioteca Graphics Draw pode variar, tendo se detetado que podiam aparecer localizados à esquerda sobre um fundo branco (Internet Explorer) ou no centro da página sobre um fundo negro (Mozilla Firefox) Biblioteca Graphics Draw instalação Para se poderem construir desenhos ou gráficos em linguagem PHP, é necessário ter instalada uma biblioteca de funções que dá pelo nome de Graphics Draw, cuja confirmação de instalação é necessária antes de se iniciar o desenvolvimento de uma aplicação que dela necessite. Se esta biblioteca estiver presente e a funcionar corretamente, poderá experimentar executar o seguinte script, que permitirá visualizar no monitor um pequeno retângulo verde: <?php header("content-type: image/jpeg"); $imagem = imagecreate (300, 100); $cor_imagem = imagecolorallocate ($imagem, 40, 170, 40); imagejpeg ($imagem); imagedestroy ($imagem);?> FCA Editora de Informática 247

9 8 Desenvolvimento de Aplicações em PHP A Figura 8.14 mostra o resultado deste código de barras que é gerado dinamicamente, em função do texto inserido na penúltima instrução: $Barcode->draw($myPicture,"Código de barras a funcionar!",50,50,$settings); FIGURA 8.14 Código de barras produzido com a classe pchart Caso se pretenda, em vez de se inserir um texto estático, pode fazer se a ligação à base de dados e obter valores que podem gerar códigos de barras, por exemplo, em função do número de série de um artigo ou do tipo de produto, tal como acontece com os códigos de barras que se encontram em produtos alimentares. Uma vez que a classe utiliza a normalização EAN128 ou EAN39, os códigos gerados podem ser lidos por qualquer leitor comum de códigos de barras. A classe pchart apenas disponibiliza este tipo de normalização, pese embora também pudessem ser gerados gráficos do tipo QRCode Criação de gráficos dinâmicos com bases de dados Para criar um gráfico dinâmico, pode utilizar se qualquer uma das classes referidas até aqui, mas o facto de se poder utilizar a classe pchart torna muito mais simples e eficaz a criação dos gráficos, pelo que se irá desenvolver todo o trabalho utilizando esta classe. Os scripts que foram desenvolvidos para a criação de gráficos estáticos poderiam ser adaptados e utilizados para a criação dos gráficos dinâmicos com bases de dados, uma vez que a principal diferença entre este tipo de gráficos e os apresentados antes (estáticos) está relacionada com a forma como é criado o array para serem exibidos os valores no gráfico. 274 FCA Editora de Informática

10 10 Desenvolvimento de Aplicações em PHP Upload de ficheiros As operações de envio de ficheiros de imagem para o álbum apenas podem ser realizadas por utilizadores registados, embora todos os que acedam à aplicação possam ver as imagens que já se encontram disponíveis. O envio de ficheiros de imagem obriga à criação de vários scripts, tal como foi exemplificado no Capítulo Selecionar ficheiros para upload O envio de ficheiros de imagem (ou outro tipo) assenta num formulário que disponibiliza um campo de procura desses ficheiros e, de seguida, solicita um script que verifica o estado do ficheiro e o copia para uma pasta do servidor, registando, simultaneamente, diversos itens na base de dados, como a identificação do utilizador ou a categoria a que pertence. Poderia desenvolver se o formulário que se apresenta na Figura FIGURA Formulário para envio de imagens No caso do álbum de fotos, cria se o ficheiro envio_imagem.php, no qual se encontra um script que elabora o formulário apresentado na figura e que permite inserir dados; este formulário tem de conter a indicação de que vai ser submetido um tipo de dados diferente do tipo texto, utilizando se para o efeito a expressão enctype= multipart/form-data. Esta informação permite que os dados sejam reconhecidos como formato de dados e não como texto, mas é também necessário especificar (no campo de submissão) que a hiperligação que aparece diz respeito a um ficheiro, o que é feito através da expressão <input name=" " type="file"/>. 384 FCA Editora de Informática

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

Manual de Utilização. Site Manager. Tecnologia ao serviço do Mundo Rural

Manual de Utilização. Site Manager. Tecnologia ao serviço do Mundo Rural Manual de Utilização Site Manager Tecnologia ao serviço do Mundo Rural Índice 1. Acesso ao Site Manager...3 2. Construção/Alteração do Menu Principal...4 3. Inserção/ Alteração de Conteúdos...7 4. Upload

Leia mais

Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante)

Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante) Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante) 1. Introdução I 2. Primeiros passos I 3. Unidade Curricular I 4. Recursos e atividades O e-campus do ISPA - Instituto

Leia mais

Estrutura de um endereço de Internet

Estrutura de um endereço de Internet Barras do Internet Explorer Estrutura de um endereço de Internet Na Internet, cada servidor tem uma identificação única, correspondente ao endereço definido no IP (Internet Protocol). Esse endereço é composto

Leia mais

O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet eagenda? Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde. O que é o eagenda?

O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet eagenda? Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde. O que é o eagenda? O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde Pedir Receitas A de pela Internet, no âmbito do Programa Simplex, surge no seguimento do

Leia mais

PDR2020 Manual do Balcão do Beneficiário

PDR2020 Manual do Balcão do Beneficiário PDR2020 Manual do Balcão do Beneficiário Versão 1.0 Data última alteração 15-11-2014 Página 1/28 Índice 1 Introdução... 5 1.1 Organização do manual... 5 2 Acesso ao Balcão... 5 3 Registo de entidade...

Leia mais

Manual do utilizador. Aplicação de agente

Manual do utilizador. Aplicação de agente Manual do utilizador Aplicação de agente Versão 8.0 - Otubro 2010 Aviso legal: A Alcatel, a Lucent, a Alcatel-Lucent e o logótipo Alcatel-Lucent são marcas comerciais da Alcatel-Lucent. Todas as outras

Leia mais

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Editora Carlos A. J. Oliviero Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto 1a Edição 2 Reimpressão São Paulo 2011 Érica Ltda. Noções Livrarse Preparação muitas muita Sumário

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-76-3 Depósito legal: 202574/03

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-76-3 Depósito legal: 202574/03 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. * O leitor consente,

Leia mais

Administração da disciplina

Administração da disciplina Administração da disciplina Agrupamento Vertical de Escolas de Tarouca Documento disponível em: http://avetar.no-ip.org 1.Acesso e utilização da plataforma:. Seleccione a opção Entrar, que se encontra

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

Adenda R4. Entidades Adjudicantes. Uma Empresa Certificada ISO 9001 e ISO 27001

Adenda R4. Entidades Adjudicantes. Uma Empresa Certificada ISO 9001 e ISO 27001 Adenda R4 Entidades Adjudicantes Uma Empresa Certificada ISO 9001 e ISO 27001 Índice 1. Introdução 2. Novas Funcionalidades anogov R4 3. Novas Abordagens anogov R4 4. Novas Soluções anogov R4+ 5. Índice

Leia mais

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU Imagina que queres criar o teu próprio site. Normalmente, terías que descarregar e instalar software para começar a programar. Com a Webnode não é preciso instalar nada.

Leia mais

EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE. GestProcessos Online. Manual do Utilizador

EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE. GestProcessos Online. Manual do Utilizador EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE GestProcessos Online Manual do Utilizador GestProcessos Online GABINETE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EAmb Esposende Ambiente, EEM Rua da Ribeira 4740-245 - Esposende

Leia mais

Manual de Utilizador. Caderno. Recursos da Unidade Curricular. Gabinete de Ensino à Distância do IPP. http://eweb.ipportalegre.pt. ged@ipportalegre.

Manual de Utilizador. Caderno. Recursos da Unidade Curricular. Gabinete de Ensino à Distância do IPP. http://eweb.ipportalegre.pt. ged@ipportalegre. Manual de Utilizador Caderno Recursos da Unidade Curricular Gabinete de Ensino à Distância do IPP http://eweb.ipportalegre.pt ged@ipportalegre.pt Índice RECURSOS... 1 ADICIONAR E CONFIGURAR RECURSOS...

Leia mais

1 2 3 W O R K S H O P 4 5 6 W O R K S H O P 7 W O R K S H O P 8 9 10 Instruções gerais para a realização das Propostas de Actividades Para conhecer em pormenor o INTERFACE DO FRONTPAGE clique aqui 11 CONSTRUÇÃO

Leia mais

Office Web Apps para Professores Passo-a-passo

Office Web Apps para Professores Passo-a-passo Office Web Apps para Professores Passo-a-passo Usar o Office Web Apps no Windows Live Para usar o Office Web Apps no Windows Live precisa de ter uma conta Microsoft, Windows Live ou Office 365 um endereço

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011 Plano [1] Guia de Acesso à Formação Online 2011 [2] ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...4 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...5 5. Avaliação...6 6. Apresentação

Leia mais

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes Microsoft Access Nível I Introdução Objectivos Introdução; Criar tabelas; Fazer consultas; Elaborar formulários; Executar relatórios. 2 Introdução aos Sistemas de Gestão de Bases de Dados (SGBD) Desde

Leia mais

Publicação web. Será ativado um assistente de publicação que lhe guiará em todas as etapas a seguir apresentadas.

Publicação web. Será ativado um assistente de publicação que lhe guiará em todas as etapas a seguir apresentadas. Publicação web Pré requisitos: Lista de questões Formulário multimídia Este tutorial tem como objetivo, demonstrar de maneira ilustrativa, todos os passos e opções que devem ser seguidos para publicar

Leia mais

Manual de Utilização. GESTOR DE METADADOS DOS AÇORES (GeMA) Setembro de 2015. Versão 4.0

Manual de Utilização. GESTOR DE METADADOS DOS AÇORES (GeMA) Setembro de 2015. Versão 4.0 Manual de Utilização GESTOR DE METADADOS DOS AÇORES (GeMA) Setembro de 2015 Versão 4.0 FICHA TÉCNICA TÍTULO: Manual de Utilização do Gestor de Metadados dos Açores (GeMA) AUTORIA: Grupo de Trabalho INSPIRE

Leia mais

Criação de Páginas Web - MS Word 2000

Criação de Páginas Web - MS Word 2000 Gestão Comercial e da Produção Informática I 2003/04 Ficha de Trabalho N.º 9 Criação de Páginas Web - MS Word 2000 1. Criação de uma página Web (HTML): Escreva o seu texto e introduza as imagens pretendidas

Leia mais

Logo abaixo temos a Barra de Menus que é onde podemos acessar todos os recursos do PHP Editor.

Logo abaixo temos a Barra de Menus que é onde podemos acessar todos os recursos do PHP Editor. Nessa aula iremos estudar: A anatomia da janela do PHP Editor Iniciando o servidor Web O primeiro exemplo de PHP Anatomia da janela do PHP Editor Barra de Títulos: É a barra azul que se encontra na parte

Leia mais

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho Outlook 2003 Nivel 1 Objectivos gerais Enviar e Responder a mensagens de correio electrónico, e gestão de contactos, marcação de compromissos e trabalhar com notas. Objectivos específicos Começar a trabalhar

Leia mais

Oficina de Construção de Páginas Web

Oficina de Construção de Páginas Web COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Oficina de Construção de Páginas Web Criação e Publicação Guião Páginas WWW com o editor do Microsoft Office Word 2003 1. Introdução. 2. Abrir uma página Web. 3. Guardar

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VII Acesso a Bases de Dados via Web Duração: 50 tempos Conteúdos (1) Conceitos

Leia mais

P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A. Criar uma relação mestre-detalhe. Pesquisa de informação

P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A. Criar uma relação mestre-detalhe. Pesquisa de informação P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A Módulo 18 Ferramentas de Desenvolvimento de Páginas Web Criar uma relação mestre-detalhe 1. Cria uma cópia da página «listaferram.php»

Leia mais

UNIVERSIDADE DO MINDELO. Unidade de Gestão de Investigação Desenvolvimento e Inovação UG I+D+i MANUAL DE UTILIZAÇÃO MOODLE PARA ALUNOS

UNIVERSIDADE DO MINDELO. Unidade de Gestão de Investigação Desenvolvimento e Inovação UG I+D+i MANUAL DE UTILIZAÇÃO MOODLE PARA ALUNOS UNIVERSIDADE DO MINDELO Unidade de Gestão de Investigação Desenvolvimento e Inovação UG I+D+i MANUAL DE UTILIZAÇÃO MOODLE PARA ALUNOS Apresentação e Utilização Rápida da Plataforma Versão Zero Março de

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

COMO FUNCIONA UM FORMULÁRIO

COMO FUNCIONA UM FORMULÁRIO FORMULÁRIOS Constitui-se numa das formas de a máquina cliente enviar informações para que um programa no servidor receba estes dados, processe-os e devolva uma resposta ao usuário, por meio do navegador,

Leia mais

HTML - 7. Vitor Vaz da Silva Paula Graça

HTML - 7. Vitor Vaz da Silva Paula Graça HTML - 7 Vitor Vaz da Silva Paula Graça 1 Formulários Os formulários forms no HTML, são utilizados para a introdução de dados de uma determinada aplicação Os programas JavaScript têm como um dos seus maiores

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 1 Este é o seu teste de avaliação de frequência. Leia as perguntas com atenção antes de responder. Escreva as suas respostas nesta folha de teste, marcando um círculo em volta da opção ou opções que considere

Leia mais

ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Moodle Guia rápido

ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Moodle Guia rápido ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Guia rápido ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria Unidade de Ensino a Distância Equipa Guia

Leia mais

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS 1 NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS Este primeiro capítulo aborda conceitos elementares relacionados com bases de dados. Os conceitos abordados neste capítulo são necessários para trabalhar adequadamente

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Formulários e Aula 3 Relembrando HTML 5 Tag Form o Utilizada para marcar a região do formulário. o Os atributos mais importantes são o method e o action.

Leia mais

Para uma melhor compreensão das ferramentas disponíveis no ambiente, é importante:

Para uma melhor compreensão das ferramentas disponíveis no ambiente, é importante: Módulo A Introdutório - Bases legais, ao Curso políticas, e ao conceituais Ambiente Virtual e históricas da educação Apresentação Este módulo tem por objetivo promover o conhecimento do Ambiente Virtual

Leia mais

Pesquisa e organização de informação

Pesquisa e organização de informação Pesquisa e organização de informação Capítulo 3 A capacidade e a variedade de dispositivos de armazenamento que qualquer computador atual possui, tornam a pesquisa de informação um desafio cada vez maior

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012. Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012. Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012 Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica Este documento contém a descrição detalhada do objeto a ser contratado, os serviços

Leia mais

Guião para as ferramentas etwinning

Guião para as ferramentas etwinning Guião para as ferramentas etwinning Registo em etwinning Primeiro passo: Dados de quem regista Segundo passo: Preferências de geminação Terceiro passo: Dados da escola Quarto passo: Perfil da escola Ferramenta

Leia mais

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Alunos: Justino Santos, Paulo Neto E-mail: eic10428@student.estg.ipleiria.pt, eic10438@student.estg.ipleiria.pt Orientadores: Prof. Filipe Neves, Prof. Paulo Costa

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Docentes Universidade Atlântica 1 Introdução O conceito do Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) foi criado em 2001 por Martin Dougiamas, o conceito

Leia mais

1.4.4 Configurar serviços de armazenamento

1.4.4 Configurar serviços de armazenamento 1.4.4 Configurar serviços de armazenamento Esta versão do Office permite guardar os documentos na nuvem do OneDrive, de modo que possa posteriormente aceder aos seus conteúdos a partir de qualquer dispositivo

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 4 INTERNET

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 4 INTERNET CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 4 INTERNET O que é a Internet? É a ligação em escala mundial de milhões de computadores para a troca de informações. As informações, na Internet, trafegam quase que instantaneamente.

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir Linguagem de Script e PHP @wre2008 1 Sumário Introdução; PHP: Introdução. Enviando dados para o servidor HTTP; PHP: Instalação; Formato básico de um programa PHP; Manipulação

Leia mais

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I APRESENTAÇÃO... 1 AMBIENTE DE TRABALHO... 2 A folha de cálculo... 2 O ambiente de trabalho do Excel... 3 Faixas de Opções do Excel... 4 - Guia

Leia mais

Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora

Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora Objectivos: Criar as tabelas da base de dados Editora Criar o diagrama da base de dados Editora Inserir registos com os dados de teste Criar as tabelas da base

Leia mais

Como desbloquear pop-ups?

Como desbloquear pop-ups? Informações técnicas básicas Pop-ups O pop-up é uma janela extra que abre no navegador quando se visita uma página web ou se acessa uma hiperligação; ele é utilizado pelos criadores dos sites para abrir

Leia mais

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL OBJECTIVOS Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL O objecto DOCMD Este objecto permite o acesso a todas as operações sobre todos os objectos

Leia mais

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Objectivos: Junção externa (Outer JOIN) Junção externa à esquerda (LEFT Outer JOIN) Junção externa à direita (RIGHT Outer JOIN) Junção externa completa

Leia mais

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno Guia Rápido de Utilização Ambiente Virtual de Aprendizagem Perfil Aluno 2015 APRESENTAÇÃO O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) open source¹. Esta Plataforma tornouse popular e hoje é utilizada

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo Departamento de Engenharia Informática 2014/2015 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO TERMINAL DE PORTA

MANUAL DE UTILIZAÇÃO TERMINAL DE PORTA MANUAL DE UTILIZAÇÃO TERMINAL DE PORTA www.xdsoftware.pt Resumo da Aplicação O XD Terminal de Porta é um módulo do XD Disco destinado a coletores de dados com o sistema operativo Windows mobile. Junta

Leia mais

Tecnologias da Internet (T) Avaliação de Frequência (v1) 60 minutos * 09.05.2012

Tecnologias da Internet (T) Avaliação de Frequência (v1) 60 minutos * 09.05.2012 1 Este é o seu teste de avaliação de frequência. Leia as perguntas com atenção antes de responder e tenha atenção que algumas perguntas podem ter alíneas de resposta em páginas diferentes. Escreva as suas

Leia mais

Google Apps para o Office 365 para empresas

Google Apps para o Office 365 para empresas Google Apps para o Office 365 para empresas Mude O Office 365 para empresas tem um aspeto diferente do Google Apps, por isso, ao iniciar sessão, obterá esta vista para começar. Após as primeiras semanas,

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem TelEduc GUIA DO FORMADOR. Curso de Especialização em Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva

Ambiente Virtual de Aprendizagem TelEduc GUIA DO FORMADOR. Curso de Especialização em Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva Ambiente Virtual de Aprendizagem TelEduc GUIA DO FORMADOR Curso de Especialização em Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva http://teleduc.cefetmt.br Edição 2006/2 Curso de Especialização em Educação

Leia mais

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados Curso Profissional de Técnico de Multimédia 12ºAno Disciplina: Sistemas de Informação Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema

Leia mais

internet http://www.uarte.mct.pt internet... abrir o programa... pag.. 6 ecrã do internet explorer... ligações... escrever um endereço de internet...

internet http://www.uarte.mct.pt internet... abrir o programa... pag.. 6 ecrã do internet explorer... ligações... escrever um endereço de internet... internet 1 http://www.uarte.mct. internet...... pag.. 2 abrir o programa...... pag.. 3 ecrã do internet explorer... pag.. 4 ligações...... pag.. 5 escrever um endereço de internet... pag.. 6 voltar à página

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

Publicação de uma pesquisa na web

Publicação de uma pesquisa na web Publicação de uma pesquisa na web Pré-requisitos: Lista das questões Formulário multimídia A publicação de pesquisas na web possibilita que pesquisas sejam respondidas de qualquer computador com acesso

Leia mais

Manual do Ambiente Virtual Moodle

Manual do Ambiente Virtual Moodle Manual do Ambiente Virtual Moodle versão 0.3 Prof. Cristiano Costa Argemon Vieira Prof. Hercules da Costa Sandim Outubro de 2010 Capítulo 1 Primeiros Passos 1.1 Acessando o Ambiente Acesse o Ambiente Virtual

Leia mais

MANUAL UTILIZADOR SERVIÇO FTP

MANUAL UTILIZADOR SERVIÇO FTP Edição: 1.0 Data: 07/08/15 Pág.: 1/10 O sistema de FTP é um serviço de transmissão de ficheiros bilateral, disponibilizado pela Monoquadros para os seus parceiros de negócio, com vista á fácil e rápida

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) /curriculum Julho de 2008 Versão 1.1 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador da Plataforma

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

ADSE DIRETA - PROTOCOLOS DE DOCUMENTOS REGIME LIVRE

ADSE DIRETA - PROTOCOLOS DE DOCUMENTOS REGIME LIVRE ADSE DIRETA - PROTOCOLOS DE DOCUMENTOS REGIME LIVRE MANUAL DE APOIO ÀS ENTIDADES EMPREGADORAS Este documento destina-se a apoiar as entidades empregadoras na elaboração dos protocolos dos documentos de

Leia mais

SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO SERVIÇOS E PATRIMÔNIO MANUAL DO USUÁRIO

SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO SERVIÇOS E PATRIMÔNIO MANUAL DO USUÁRIO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO

Leia mais

Ferramentas como, por exemplo, linhas de conexão, formas automáticas, sombras pendentes, WordArt, etc.

Ferramentas como, por exemplo, linhas de conexão, formas automáticas, sombras pendentes, WordArt, etc. Ambiente de trabalho Ambiente de trabalho Porquê criar páginas web? A World Wide Web é a melhor forma das pessoas comunicarem umas com as outras. Nos dias de hoje, é importante poder comunicar com outras

Leia mais

Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Extracção de Conhecimento da Internet Mestrado em Inteligência Artificial e Computação Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Leia mais

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR)

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) 2- FÓRUM O fórum serve para avaliar os alunos através da participação na discussão sobre um ou mais assuntos, inserção de textos ou arquivos. Os fóruns de discussão compõem uma

Leia mais

Área de Administração

Área de Administração Área de Administração versão 1.1 Partir de 2012/01/14 aplica-se para a versão phpcontact 1.2.x www.phpcontact.net Geral A área de administração é utilizado para uma fácil configuração do software elaboraçao

Leia mais

0777 Processador de Texto

0777 Processador de Texto 0777 Processador de Texto Objectivo (s) Utilizar aplicações informáticas de processamento de texto. Processador de texto conceitos gerais Criação de um documento Abertura de documentos Gravação de documentos

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Entrega de Folhas de Férias

Entrega de Folhas de Férias Entrega de Folhas de Férias Guia do Utilizador Versão 4.0 Agosto/ 2014 Índice 1. Introdução 2. Criar/ Validar Folhas de Férias 3. Acesso à funcionalidade 4. Inserir/ Consultar Folhas de Férias 5. Comprovativo

Leia mais

Realizador por: Prof. José Santos

Realizador por: Prof. José Santos Realizador por: Prof. José Santos Objectivo Este guia tem como objectivo fornecer aos Encarregados de Educação uma breve explicação sobre o funcionamento da Plataforma de Aprendizagem Moodle do Colégio

Leia mais

Esta é a tela inicia, aqui podemos visualizer os relatórios de envio, gráficos de inscrições,cancelamentos, etc.

Esta é a tela inicia, aqui podemos visualizer os relatórios de envio, gráficos de inscrições,cancelamentos, etc. CRIANDO UMA CAMPANHA Esta é a tela inicia, aqui podemos visualizer os relatórios de envio, gráficos de inscrições,cancelamentos, etc. O primeiro passo é adicionar uma lista, as lista basicamente são grupos

Leia mais

Microsoft Office FrontPage 2003

Microsoft Office FrontPage 2003 Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão Área Interdepartamental de Tecnologias de Informação e Comunicação Microsoft Office FrontPage 2003 1 Microsoft Office FrontPage 2003 O Microsoft

Leia mais

Manual de Utilização Moodle@ISPAB

Manual de Utilização Moodle@ISPAB Manual de Utilização Moodle@ISPAB [Estudante] Pedro Valente Gabinete de Avaliação e Qualidade (GAQ) gaq@ispab.pt Criado em: 07/10/2014 Última alteração em: 07/10/2014 Versão: 0.9 1 Sumário O manual de

Leia mais

Tolerância a Falhas em sistemas distribuídos (programação)

Tolerância a Falhas em sistemas distribuídos (programação) Tolerância a Falhas em sistemas distribuídos (programação) Arthur Zavattieri Cano Lopes Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Maio de 2009. Resumo

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

16. Assinale a alternativa que NÃO apresenta uma vantagem dos Sistemas Operacionais com interface gráfica:

16. Assinale a alternativa que NÃO apresenta uma vantagem dos Sistemas Operacionais com interface gráfica: ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO 7 INFORMÁTICA QUESTÕES DE 16 A 35 16. Assinale a alternativa que NÃO apresenta uma vantagem dos Sistemas Operacionais com interface gráfica: a) Possibilita a ativação de vários

Leia mais

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz 15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL GETEC 01 2/13 Como acessar o Webmail da Secretaria de Educação? Para utilizar o Webmail da Secretaria de

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

Manual de Autenticação na Plataforma

Manual de Autenticação na Plataforma Manual de Autenticação na Plataforma Índice 1. Autenticação na Plataforma... 3 1.1 Autenticação Via Certificado... 3 1.2 Autenticação Via Cartão de Cidadão... 3 2. Autenticação Via Certificado... 4 2.1

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-73-9 Depósito legal: 201828/03

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-73-9 Depósito legal: 201828/03 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. * O leitor consente,

Leia mais

Programação para Internet I. 2. O protocolo HTTP. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Programação para Internet I. 2. O protocolo HTTP. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Programação para Internet I 2. O protocolo HTTP Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Protocolos Conjunto de regras que define o modo como aplicações informáticas comunicam entre si. Permite

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

Objectivos. No painel de tarefas selecciona a opção Web site de uma página.

Objectivos. No painel de tarefas selecciona a opção Web site de uma página. Curso Profissional De Técnico De Tecnologias de Informação e Comunicação 10.º Ano Módulo III Páginas WEB -- FrontPage -- 2011/2012 Ficha de Trabalho n.º 1 GUIA Criar um Web site no MS FrontPage Guardar

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Instrução de Trabalho Base de Conhecimento

Instrução de Trabalho Base de Conhecimento Aprovado por Comitê da Qualidade Analisado criticamente por Dono do processo 1. OBJETIVOS Esta instrução de trabalho tem como objetivo orientar os colaboradores da SINFO, de como a será mantida e acessada.

Leia mais

Simulador de Expressões Regulares para Livros

Simulador de Expressões Regulares para Livros 1 Simulador de Expressões Regulares para Livros Everson F. Leite 1, Tiago Ap. Silva 1 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Câmpus Muzambinho (IFSULDEMINAS) - Estrada

Leia mais

Manual do Instar Mail Sumário

Manual do Instar Mail Sumário Manual do Instar Mail Sumário 1 - Apresentação do sistema... 2 2 - Menu cliente... 2 3 - Menu Importação... 5 4 - Menu Campanhas... 9 5 - Menu banco de arquivos... 16 6 - Menu agendamento... 16 7 - Menu

Leia mais

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO / NÃO 1 Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação Registro de sugestões de compra de materiais bibliográficos

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC. Treinamento Básico do Correio Eletrônico

Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC. Treinamento Básico do Correio Eletrônico Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC Treinamento Básico do Correio Eletrônico Brasília Março de 2012 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 1.1 Como acessar

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

Conteúdo Manual do sistema de ajuda do KDE

Conteúdo Manual do sistema de ajuda do KDE 2 Conteúdo 1 Manual do sistema de ajuda do KDE 5 1.1 Sistema de ajuda do KDE................................. 5 1.1.1 Instalação...................................... 5 1.2 Invocar a ajuda.......................................

Leia mais