Hidrômetros Monojato 11 Hidrômetros Residenciais de Interiores 23 Hidrômetros Multijato e Volumétricos a Pistão 31. Hidrômetros Woltman 51

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Hidrômetros Monojato 11 Hidrômetros Residenciais de Interiores 23 Hidrômetros Multijato e Volumétricos a Pistão 31. Hidrômetros Woltman 51"

Transcrição

1 Hidrôetros Monojato 11 Hidrôetros Internos 23 Hidrôetros Multijato 31 Hidrôetros Monojato 11 Hidrôetros Residenciais de Interiores 23 Hidrôetros Multijato e Voluétricos a Pistão 31 Hidrôetros Woltan 51 Hidrôetros Woltan 51 Acessórios Mecânicos 63 Medidores de Calor 75 Acessórios Mecânicos 63 Medidores de Calor 75 Acessórios Eletrônicos 91 Acessórios Eletrônicos 91 Alocadores Calefação 107 Voluétricos 111 Alocadores dos Custos de Calefação 107 Medidores Voluétricos 111 Generalidades Novidades e projetos 6 Encoendas pela internet 10 Leasing 115 Recoendações iportantes 117 Endereços 119 Tendências e destaques Novidades e projetos a partir da página 5 Inforações atualizadas e encoendas pela internet Página 10 Leasing de instruentos Locação descoplicada de contadores Página 115 3

2 ... porque cada gota de água conta Qualidade e Eficiência Ainda no início do século, quando e 1903 Karl Adolf Zenner I, e Saarbrücken - Aleanha - lançou a pedra fundaental do que hoje é o grupo de epresas ZENNER, ningué ainda poderia iaginar que a água viria a tornar-se u dos ais iportantes recursos naturais da atualidade e principalente do futuro. Co base neste fato, nossa filosofia epresarial, be coo todos nossos esforços, adquire ua aplitude que se projeta para uito alé da próxia década. O ano de 1999 te, tanto para a tradicional epresa failiar ZENNER, atualente sob a direção do Dr. Peter Zenner, quanto para sua sede, a cidade de Saarbrücken, u significado uito especial. Dados arcantes da história da epresa, neste ano, são: Karl Adolf Zenner I As coeorações dos 75 anos da Fábrica de Hidrôetros Karl Adolf Zenner. As coeorações dos 95 anos na atividade de venda de hidrôetros. Os ais de 150 anos da antiga Fundição Zenner de Prensas para o Vinho, no Moinho de água de Saarburg. E agora, sob u único teto, a nova fábrica, ao pé do antigo Teplo Roano de Mitras, e Saarbrücken. Alé disso, as coeorações do prieiro ilênio da cidade de Saarbrücken, a partir da prieira enção docuentada ao castelo Sarabruca, a ipleentação do Euro e, naturalente tabé, a chegada do novo ilênio nos otiva a lhe apresentar, neste catálogo, o aior ipulso inovador na história do grupo ZENNER. Karl Adolf Zenner II Mais de 200 novos produtos e variações são possíveis a partir de nossos coponentes, todos construídos segundo o princípio de projeto odular; até o ano 2002 eles estarão disponíveis e sua totalidade. Ua parte você já encontra neste catálogo. 4 Dr. Peter Zenner Mais de 10% do contingente de funcionárias e funcionários do grupo ZENNER no undo trabalha na área de pesquisa e desenvolviento. Co ua produção de ais de 2 ilhões de hidrôetros e conjuntos de contadores a cada ano, já fazeos parte dos cinco ais iportantes fabricantes undiais no rao. Não só e relação a nossos produtos, as tabé e relação às epresas de nosso grupo seguios rigorosos padrões de qualidade, buscando sepre a áxia produtividade e dando a nossos produtos a confiabilidade pela qual eles tornara-se conhecidos. Prova disto é o certificado DIN EN ISO 9001, que os acopanha. Tabé trabalhaos para certificar segundo a nora ISO 9001 todas as nossas 25 unidades de produção espalhadas pelo undo. Até 1999 nossos sete ais iportantes centros de produção e ontage já havia alcançado este objetivo.

3 Co ZENNER você pode contar Alguns dos colaboradores da equipe internacional da ZENNER E prieiro lugar, gostaríaos de apresentar, co este novo catálogo, u panoraa das inovações da ZENNER para u futuro próxio, proporcionando ua visão de nossa política de desenvolviento e de epreendiento. No próxio capítulo, dareos particular iportância aos sisteas autoatizados de leitura e faturaento. Novo laboratório de testes, autorizado pelo governo aleão para realizar verificações iniciais aleãs e européias. Fábrica de injeção de plástico Produção anual: contadores e kits de contadores Funcionários da ZENNER no undo 5

4 ... porque cada gota de água conta Novidades e Projetos Os sisteas AMR (leitura autoática de contadores) abre novas oportunidades de negócio E parcerias co filiais, clientes, fornecedores e colaboradores e diversos países, a ZENNER desenvolve, atualente, u sistea autoático de leitura e de faturaento, baseado e produtos inovadores que serão distribuídos no undo inteiro. A instalação destes sisteas ainda está e fase inicial, as pode ser acelerada co a colaboração de parceiros interessados. Ofereceos a aior parte dos diversos étodos disponíveis no ercado para leitura de contadores de água, gás e energia térica e seu posterior faturaento. Módulo de rádio Monojato Multijato Woltan Calor Gás Calefação Leitura por ondas de rádio co terinal portátil de leitura (TPL) Atualente existe no ercado sisteas unidirecionais e bidirecionais de transissão de dados. A ZENNER coloca à disposição de seus clientes u sistea bidirecional para leitura à distância (banda FM) co terinal portátil. U ódulo totalizador de pulsos, que conté seções de transissão e recebiento de sinais, e ua carcaça de plástico, perite a leitura de até quatro contadores siultaneaente. Todos os tipos de hidrôetros co gerador de ipulsos, be coo o processador do caloríetro ZENNER ultidata S1 (na versão co eissão de ipulso, -AA), pode ser acoplados ao terinal. Devido a estes sisteas apenas registrare e arazenare o consuo realizado, eles são vantajosos, especialente, se acoplados a equipaentos de diferentes tipos. O alocador eletrônico de custos de calefação Preos-Bi tabé é u destes equipaentos co transissão bidirecional de dados, co ódulos de eissão e recebiento de sinais integrados ao aparelho. Assi, pode ser registrado todo o consuo, de contadores de água até alocadores dos custos de calefação, e a leitura pode ser feita no local, por eio do terinal portátil de leitura(tpl). Alé do apresentado, existe ainda outro sistea, tabé bidirecional, poré co odulação de aplitude, concebido especialente para constatação de consuo co hidrôetros onojato especiais. O ódulo de rádio pode ser ontado posteriorente. U software para constatação e trataento dos dados e coputador e u prograa de auxílio copleenta o sistea. As instalações são efetuadas por nossos funcionários ou por funcionários do Grupo Mether, be coo por copanhias de etrologia a estas associadas. No undo inteiro, as copanhias subsidiárias e parceiras de ZENNER adotarão estes procedientos. Co nosso novo reed ring é possível tabé equipar posteriorente nossa nova série de hidrôetros ono e ultijato do tipo ETK-N e MTK- N para a leitura co terinal portátil de rádio. U ódulo de rádio copacto pode ser fixado sobre o reed ring (anel do gerador de contato reed). Esse ódulo de rádio ainda se encontra e fase de testes. A produção e série deverá coeçar e breve. Os hidrôetros de jato últiplo de quase todos os fabricantes aleães e estrangeiros pode ser convertidos e geradores de ipulso nas trocas futuras. Os hidrôetros ultijato disponíveis co preparação para gerador de ipulso dos tipos MNK- N e MNK-RP-N pode tabé ser convertidos. 6

5 Novidades e Projetos Leitura co M-Bus, ZR-Bus, RS-232, EIB- Bus, LON-Bus e ode: ZENNER oferece sisteas abrangentes e baratos de leitura, onitoraento e registro de dados através do sistea Bus. Estes sisteas são especialente concebidos para prédios novos e instalações de forneciento de água. Até dois hidrôetros co gerador de ipulsos pode ser acoplados, e série, a nosso processador ultidata S1 ou, e separado, ao ódulo de contage de ipulsos IZM 972. O sistea M-Bus adite a ligação e rede de ua grande quantidade de contadores, por exeplo: hidrôetros, edidores de calor, contadores de gás, alocadores dos custos de calefação. Meso que estes esteja localizados a quilôetros de distância uns dos outros, pode ser lidos, desde que ligados a ua fonte de energia externa e repetidores. Alé disso, é possível detectar co facilidade e a baixo custo fugas de água e rupturas da tubulação e redes de abasteciento de água, be coo ipleentar tarifas diferenciadas para os períodos diurno e noturno. Sobre tudo se pode instalar u sistea de faturaento autoático via ode e coputador. Os dados são lidos via ode e, autoaticaente iportados para o prograa MS Excel, ou fica disponíveis para exportação ao nosso software de faturaento. Segundo nossas estiativas, os custos extras por contador fica e torno de 40 a 60 Euros, dependendo do sistea utilizado. A versão deonstrativa do software de leitura para PSION workabout e coputador pessoal está disponível no site: Leitura através de terinal portátil de leitura co dispositivo óptico ou de dispositivo de leitura Os dados do processador ultidata ZENNER - e co ele de contadores de todo o tipo - pode ser lidos através de u dispositivo ótico acoplado a u equipaento PSION workabout ou através de u notebook acoplado a ua toada especial para a leitura de dados. U dispositivo para leitura externa, inclusive co leitor Touchread para abientes expostos a intepéries cliáticas, já está e desenvolviento. A carcaça do processador ultidata e do ódulo de contage de ipulsos IZM 972 pode ser ipereabilizada usando-se gel silicone. O novo hidrôetro onojato ETK-E Classe C, provido de contador eletrônico, pode ser lido por eio de u equipaento PSION workabout tabé e abiente externo reoto. * Sistea Bus: rede de instruentos de edição 7

6 ... porque cada gota de água conta Cartão agnético Novidades e Projetos Introduza o cartão nesta direção! K. A. Zenner Wasserzählerfabrik GbH Röerstadt Saarbrücken Tel.: 06 81/ Fax: 06 81/ http: //www.zenner.de Autoleitura co cartão agnético Para as séries ETK-N, ETW-N e MTK-N estará disponível e breve u leitor de cartões agnéticos, que será afixado sobre o reed ring. O cartão agnético lê tarifas, indicação de consuo, núero de série do contador e estará a disposição e epresas de etrologia e copanhias de saneaento. Ele poderá ainda ser enviado pelo correio ao consuidor, que o inserirá no leitor agnético para registro dos dados no cartão. A posterior devolução do cartão, que conterá os dados de consuo, à copanhia responsável tabé pode ser por via postal. Você já pode encoendar os contadores adequados a esse sistea, e instalar o leitor agnético posteriorente. As vantagens do sistea são evidentes: não há ais necessidade de acesso ao doicílio para fins de leitura do contador, e não ocorrerão ais erros de leitura. O investiento é pequeno e o selo para devolução do cartão por via postal estará ipresso no envelope fornecido pela copanhia responsável. É ua solução siples e prática, tanto para o usuário coo para a epresa. Leitura através de decodificador óptico ou eletroecânico Contadores co decodificador, cuja posição dos rolos pode ser transitida através de u circuito externo proveniente do aparelho de leitura torna dispensável a utilização de pilhas, as leva o usuário a deixar o contador por uito tepo ligado à rede elétrica. Após 10 anos de uso, uitos contadores, independenteente da série e do fabricante não ais garante u funcionaento livre de erros. ZENNER considera este sistea de leitura antiquado. Baterias tê atualente ua vida útil de ais de 10 anos. O desenvolviento tecnológico no setor de baterias progride a olhos vistos, e perite ua diinuição dos custos. A leitura efetuada pelo próprio consuidor é, se sobra de dúvidas, a alternativa ais econôica; perite, poré, o ais alto índice de erros. Para evitar a falta de pagaento, pode-se instalar o contador pré-pago Sarteter por aproxiadaente 100 Euros. A válvula agnética co bateria consoe enos de 1 W. Quando o cartão pré-pago acaba, a válvula se fecha iediataente e não perite o consuo ne de água, ne de calor. A vantage: a copanhia de saneaento ou o proprietário do prédio recebe seu dinheiro antecipado. Assi, eliina-se o problea de devedores insolventes. O software Pode-se encontrar o ais oderno software de edição e faturaento no capítulo Acessórios Eletrônicos Leitura e configuração fácil e flexível o PSION workabout c WkReadS1 Cálculos no Microsoft-EXCEL 97 Leia, processe e apresente dados dos edidores XlReadS1 os Leitura e configuração eficiente co PC ou Laptop PcReadS1 Software para laboratório de testes configure, teste, progra e DialogS1 8

7 E breve será possível a leitura de hidrôetros via internet O software Selfbill possibilitará e breve aos proprietários de prédios, iobiliárias e epresas de etrologia a leitura de contadores via internet. Software de faturaento Selfbill Zenner dispõe de u software de faturaento próprio: Selfbill, que já está testado e funciona co diferentes tipos de contadores: hidrôetros, edidores de calor, contadores de gás, alocadores dos custos de calefação. O software já está disponível e aleão, húngaro, russo e roeno e é epregado pelas copanhias de etrologia do grupo Mether, que atua na Europa. Selfbill está disponível para qualquer cliente que utilize equipaentos Zenner e trabalhe co leitura e faturaento. Se for de seu interesse, entre e contato conosco. Dareos-lhe aiores inforações sobre as condições de uso e licença. O que é Selfbill? O Software está instalado e servidores nacionais descentralizados e cada país onde as subsidiárias da Zenner ou as epresas Mether estão localizadas. Ele esta disponível localente e coputadores dos centros de cálculo e estudo. Os dados não são transitidos através de fronteiras. A anutenção do software é assegurada por nossa filial e Bratislava, na Eslováquia. As atualizações são feitas via ode ou internet (e-ail). O software de leitura e ipressão é independente e gratuito, podendo-se baixá-lo da internet. Coo funciona o software de faturaento? Qualquer pessoa que tenha participado de u curso de treinaento e nossos centros e tenha obtido ua licença de foração pode utilizar o software. Essa pessoa pode, ela esa, fazer a leitura ou, e ua de nossas filiais, solicitar a leitura. As faturas são ipressas e distribuídas pelo utilizador do software. O envio dos dados pode ser de diversas aneiras: Qualquer pessoa que possua u coputador ligado à internet pode enviar os dados de consuo via e- ail para os serviços de etrologia da ZENNER ou Mether, que estão presentes e diversos países. E breve será possível acessar o software de leitura e ipressão via internet: O software e breve estará disponível tabé na linguage de prograação Java, de fora que poderá ser utilizado e abiente Windows, observando-se as adaptações específicas a cada país. É possível tabé solicitar a leitura dos contadores aos serviços de etrologia associados a Mether, que instala hidrôetros e alocadores dos custos de calefação. Eles tabé pode eitir a fatura, que é enviada à iobiliária por e-ail. A iobiliária iprie e distribui as faturas. Independenteente de coo os dados chega ao coputador (via rádio, internet, cartão agnético, leitura, bus, ode), nosso software opera co estes dados perfeitaente. Não existe u sistea de faturaento ais econôico Sr. locatário, instalador ou proprietário de ióvel, infore-se junto a nós sobre este sistea e ganhe dinheiro adicional por conta dos serviços prestados aos inquilinos. Mether, ZENNER e parceiros possue serviços de faturaento e diversos países do undo. Desde 1999 estão à disposição 11 centros de treinaento: Aleanha: Eslováquia: Hungria: Bielorússia: Rússia: Kazaquistão: Ucrânia: Roênia: Saarbrücken Bratislava Csongrad Minsk Moscou e Tosk Aktubinsk, Pavlodar e Alaty Kiev Arad Novidades e Projetos envio do cartão agnético, disquete, forulários, internet/e-ail: 9

8 ... porque cada gota de água conta Novidades e Projetos Parcerias Contate-nos se você te interesse e ua boa estratégia na área de coercialização e faturaento ou da adinistração de contadores e torne-se u de nossos parceiros na prestação de serviços e distribuição de edidores. O cliente tabé pode adquirir u pacote copleto de edição de calor (ontage do equipaento, edição, leitura, ipressão e envio da fatura), caso haja u parceiro da ZENNER e sua região. Atenção copanhias de saneaento! Está à sua disposição, e nossos centros de treinaento, u software que opera no abiente Windows e responde a suas necessidades relativas aos contadores eletrônicos, de gás, de água e de energia. Encoendas via internet! Todos os produtos ZENNER tabé pode ser encoendados via internet. Acesse o site: Na página de abertura escolha o idioa co o qual deseja trabalhar e na página seguinte clique sobre o botão Product info/ordering. Você encontrará o prograa copleto de produtos ZENNER e as aneiras de encoendá-los. Os preços apresentados na internet são sugestões se representar coproisso aos revendedores e instaladores. ZENNER vende soente a atacadistas especializados e acessórios de água e calefação. Diversos atacadistas especializados, epresas de edição de calor, coo, por exeplo, o grupo Mether e epresas de instalação e vários países, representa nossos produtos. Pedidos de clientes particulares enviados a ZENNER via internet são repassados à nossa filial ais próxia ou ao distribuidor da região, que, por sua vez, os repassa ao instalador ou revendedor ais próxios. Para os atacadistas e seus revendedores e instaladores vale os preços proocionais cobinados, eso que os pedidos seja feitos pela internet. Assi, os preços citados na internet não se aplica a eles. Leasing Veja nossas ofertas de leasing de equipaentos edidores na página 115 deste catálogo. Inovação e vários países: serviço de troca de contadores E todo o undo, ZENNER conta co ais de 80 bancadas de teste, co ua capacidade de calibração de ais de 5 ilhões de edidores, onde são testados e controlados contadores novos e recuperados. Atenção copanhias de saneaento! ZENNER desenvolveu ua nova série de contadores recuperados co os dispositivos de edição correspondentes, que possibilita a recuperação de hidrôetros ultijato danificados das ais diversas arcas. Os hidrôetros recondicionados são equipados co novos insertos de edição preparados para instalação posterior de geradores de ipulsos. Isso significa que contadores usados pode ser recuperados e adaptados às ais novas tecnologias de transissão de dados via rádio, bus ou coputadores portáteis. Os insertos de edição estão disponíveis e 3 versões: co ostrador seco, co ostrador olhado, co ostrador olhado co câara de rolos protegida e preenchida co glicerina. Alguns deles estão disponíveis na classe etrológica C. Alé disso, existe quatro foras de carcaça que se ipusera undialente, na Europa, Aérica, África e Ásia: carcaças WVG, que são usadas por vários fabricantes, carcaças SPX-Meinecke-Soca, carcaças ZENNER -Schluberger, carcaças Bosco e carcaças Maddalena. Soente ZENNER fornece, de oento, os dispositivos adequados para todos os tipos de carcaça. Co isso, nós acreditaos ter ipleentado u padrão undial, eso que alguns fabricantes tenha reagido co variações de bitola que e nada contribue para o cliente. ISH 1999 e Frankfurt Nesta feira internacional de produtos sanitários e calefação fora apresentados ais de 200 novas variações de contadores. Ua lista destes produtos pode ser obtida na Internet. 10

9 Instruent Lease O leasing tabé é possível Atenção: copanhias de etrologia construtoras proprietários de ióveis Você sabia que é possível alugar todos os instruentos de edição para água e calor, be coo alocadores de custos de calefação e terostatos da ZENNER e de outros fabricantes? A epresa Instruent Lease é parceira das copanhias de etrologia. Co base e u contrato de locação conjunto, nós colocaos a sua inteira disposição nossos instruentos de edição. Tabé as aferições necessárias durante o uso dos instruentos estão incluídas no preço. A locação de instruentos de edição é extraordinariaente siples: A epresa de locação Instruent Lease infora à ZENNER quais os edidores de que você precisa. A ercadoria é, então, entregue por ZENNER diretaente no endereço desejado. A copanhia etrológica faz u contrato de locação co a iobiliária (sublocação) e envia à Instruent Lease ua cópia do contrato. Locação de Instruentos de Medição Extraordinariaente Siples Se você tiver interesse nesta fora confortável e oderna de cooperação, fale co a gente. A locação de instruentos é vantajosa para você e tabé para seus clientes. Nós lhe fareos u orçaento detalhado se coproissos. Instruent Lease faz, então, u contrato de locação co a copanhia etrológica. Instruent Lease GbH Röerstadt 4, Saarbrücken, Tel.: ; Fax:

10 ... porque cada gota de água conta Referências Legais O que você precisa saber sobre as leis e regulaentos O profissional deve conhecer as iplicações jurídicas de sua atividade antes de deparar-se co situações adversas. Por isso transcreveos alguas inforações que achaos ser tabé do interesse do leitor. Extratos do regulaento aleão de etrologia datado de Art. 2 Parágrafo 1 Instruentos de edição utilizados no coércio ou na adinistração, na prevenção da saúde, no trabalho ou para a proteção contra a radiação deve ser aprovados e aferidos, para assegurar a confiabilidade na edição efetuada. Parágrafo 4 A verificação será efetuada pelas autoridades copetentes e pelos laboratórios reconhecidos pelo estado de verificação etrológica para eletricidade, gás, água e energia (aferição estatal). A aferição de equipaentos novos de edição pode ser tabé efetuada pelo fabricante, de acordo co os critérios do presente regulaento (aferição do fabricante). Verificação obrigatória do aferiento Art. 25 É proibida a utilização de todo e qualquer equipaento destinado à edição de copriento, superfície, volue, energia térica ou elétrica para finalidades coerciais se que o eso tenha sido aferido antes de sua utilização. Extratos do regulaento aleão de etrologia datado de Art. 12 Parágrafo 1 A validade da aferição é restrita a u período de dois anos, desde que não haja outra indicação desta parte ou do anexo B. Parágrafo 2 O instituto aleão de física e técnica pode deterinar, quando da aprovação de u equipaento etrológico, prazo de validade inferior ao acia citado. Esta disposição não se refere às aprovações européias, cuja validade é fixada e 10 anos. Parágrafo 3 Se a validade da aferição for enor que u ano, a validade inicia no térino do ano corrente, no qual o equipaento foi aferido. E caso de aferição co atraso nos prieiros três eses de u ano, a validade da aferição pretendida será edida. Prorrogação da vigência Art. 14 Caso a exatidão etrológica seja constatada por teste aleatório antes do térino da validade da aferição, prolonga-se a esa pelo tepo previsto no anexo B. O teste aleatório deve ser aplicado confore regra o anexo B. Extratos do regulaento de construção do estado de Saarland datado de (siilar ao de outros estados) Art. 21 Para cada residência ou qualquer outra unidade de consuo deve estar disponíveis instalações para edição do consuo de água; isto vale tabé para residências ou outras unidades de consuo e prédios já construídos, quando a instalação d água for refeita ou substancialente odificada

11 Referências iportantes para a instalação Instruções de Instalação Todos os regulaentos relativos à utilização da água requere a observância das deterinações sobre a condução de água potável e terrenos na República Federal Aleã contidas na nora DIN 1988.E uitos países do undo existe regras parecidas. Por isso, para a ontage de hidrôetros deve-se observar o seguinte: Posição de instalação (funcionaento) A posição de instalação do hidrôetro está indicada no ostrador; por exeplo: H para horizontal V para vertical H+V para horizontal e vertical A posição do hidrôetro é definida pela posição do ostrador. Bolhas de ar A instalação ideal é e local junto à parede interna do porão, no ponto ais baixo da tubulação, para evitar a foração de bolhas de ar dentro do hidrôetro e para facilitar o escoaento da tubulação, quando necessário. Dispositivos auxiliares Para instalação antes do hidrôetro: - registro (tabé chaado válvula de entrada do hidrôetro ) Para instalação após o hidrôetro: - registro - dispositivo de esvaziaento da tubulação - válvula de retorno Isto noralente dá-se co a utilização de ua válvula de escoaento livre cobinada co ua válvula de retorno (válvula KFR). Pode-se, no entanto, utilizar outras válvulas específicas para esta finalidade. A instalação do hidrôetro ultijato deve ocorrer exataente na vertical, pois assi o hidrôetro apresenta a aior sensibilidade etrológica. Hidrôetros de tubulação ascendente e descendente deve ser soente ontados neste tipo de tubulação. Tubetes de fixação O hidrôetro é ontado junto à tubulação por eio de tubetes de fixação. Proteção contra o congelaento O hidrôetro deve ser instalado e local protegido do congelaento e de fácil acesso. Caso necessário, deve-se isolar a tubulação e o hidrôetro contra o congelaento. Medidas DIN e lacres Nossos hidrôetros residenciais estão e conforidade co a nora DIN ISO 4046 Parte 1 e DIN Parte 3. Os hidrôetros ZENNER estão protegidos contra tentativas de anipulação externa por u lacre. O lacre tabé indica a aferição do instruento. Ele apresenta de u lado o síbolo do laboratório de aferição ZENNER reconhecido pelo estado do outro o ano da aferição. E caso de danificação do lacre quando da instalação do hidrôetro, ou posteriorente, o eso perde sua aferição e deve ser desontado e enviado à ZENNER para a atualização da aferição

12 ... porque cada gota de água conta Endereços ZENNER Internacional Karl Adolf Zenner Wasserzählerfabrik GbH Röerstadt 4 D Saarbrücken Tel.: + (49) (49) Telefax: + (49) (49) E-ail: Bielorússia Bel Zenner ul. Tiirjaseva, 65 BLR Minsk Tel.: +(3 75) (3 75) Fax: +(3 75) Brasil Zenner do Brasil Instruentos de Medição Ltda. Rua Bartoloeu de Gusão, 2444 Canudos - Novo Haburgo - Rio Grande do Sul Cep: Tel.: +(55) Fax: +(55) E-ail: Bulgária Zenner Delta GbH Kot Androvanti, 5 BG-8000 Burgas Tel.: + (359) Fax.: + (359) E-ail: China Zenner Fuzhou Water Meter Ltd. Fuda Road, Fuxing Touziqu Fuzhou/China Tel.: +(86) (86) Fax: +(86) E-ail: Eslováquia Zenner Bratislava spol.sr.o. Lietavská 3 SK Bratislava Tel.: + (4 21) (4 21) Fax: + (4 21) (4 21) E-ail: Espanha Zenner España - CAF S.A. C/ Electricistas 23, Polígono Los Llanos, Nave 24 E Villaviciosa de Odón (Madrid) Tel.: + (34) Fax: + (34) E-ail: França Copteurs Zenner S.a.r.l. Endereço coercial 7, rue Gustave Eiffel F Le Palais / Vienne Tel.: + (33) Fax: + (33) E-ail: França Copteurs Zenner S.a.r.l. 1, rue de l Europe F Spicheren Tel.:+ (33) Fax:+ (33) Hungria Zenner Magyorország Kft. Koppány u H-1097 Budapest Tel.: +(36) Fax: +(36) E-ail: Hungria Zenner Metall Kft. + Zenner Magyarország Kft. (Produção) István u. 35 H-6640 Csongrád Tel.: +(36) Fax: +(36) E-ail: Índia Anand Zenner Copany Pvt. Ltd. XL/478 M.G. Road Cochin, Kerala, India Tel.: + (91) (91) Fax: + (91) E-ail: Itália Zenner Italia Contatori S.r.l. Via Malvicino, 119/H I Castell San Giovanni (PC) Tel.: + (39) Fax: + (39) E-ail: Kazaquistão Zenner Kristina pr. Dostyk, 46, ofis 36 KZ Alaty Tel.: +(7) Fax: +(7) Kazaquistão TOO Zenner Aktobe ul. Ahtanova, 48 KZ Aktobe Tel.: +(7) (7) Fax: +(7)

13 Kazaquistão Zenner Suan pr. Abaja, 12 a KZ Schikent Tel.: +(7) Fax: +(7) Kazaquistão Too Zenner Zähler GbH Pr. Abaja 223 KZ Astana Tel: +(7) Fax: +(7) Kazaquistão Zenner Walgert & Co. ul. K. Marksa, 328 KZ Pawlodar Tel: +(7) Fax: +(7) Malásia Zenner Malaysia SDN BHD Lot 30, Kawasan Miel Jalan Modal 23/2 MAL Shah Ala, Selangor DE Tel.: + (60) Fax: + (60) E-ail: Naíbia Zenner Meters Pty. Ltd. 91, Newcastle Street Northern Industrial Windhoek, Naibia Tel.: + (264) Fax.: + (264) E-ail: Polônia Zenner Polska Fabryka Wodoierzy Sp.z.o.o. ul. Srodkowa 2/4 PL Warschau Tel.: + (48) (48) Fax: + (48) (48) E-ail: Roênia S.C. Contor Zenner S.R.L. Calea Bodrogului Nr. 2-4 RO-2900 Arad Tel.: +(40) (40) Fax: +(40) (40) E-ail: Rússia Zenner Sibir Ltd. Pr. Mira, 48 RU Tosk Tel.: +(7) (7) Fax: +(7) E-ail: Rússia Zenner Vodopribor Ltd. ul. Novoalekseevskaja, do 16 RU Moskau Tel.: +(7) Fax: +(7) E-ail: Rússia OR Zenner ul. Oktjebrskaje, 27 RU Orel Tel.: +(7) Fax: +(7) Senegal MACZEN Zenner Doaine Industriel 14, Rue Prolongée x Avenue Bourguiba SN-Dakar YOFF Tel.: +(2 21) Fax: +(2 21) Turquia sarteter - Elektronik Sisteler Arastira ve Gelistire San. Tic. Ltd. Sti. Kuskondu Sokak 7/1 TR Çankaya / Ankara Tel.: +(90) Fax: +(90) E-ail: Ucrânia Zenner Ukraina Ltd. ul. Tschistjakovskaja, 23 UR Kiew Tel.: +(38) (38) Fax: +(38) E-ail: Uzbekistão Taschkent-Zenner ul. Gavchar 122 USB-Taschkent-81 Tel.: +(998) Fax: +(998) Vietnã Zenner Coa JVC. Construction Machinery Copany 125 D Minh Khai Street VN-Hanoi Tel.: +(84) Fax: +(84) E-ail: Endereços ZENNER Internacional Maiores inforações sobre filiais e associados ZENNER pode ser encontradas na Internet: E-ail:

14 ZENNER internacional Pode-se encontrar inforações atualizadas sobre as filiais e epresas associadas da ZENNER na internet sob Matriz Filiais Epresas associadas Reservadas odificações técnicas. Não assuios a responsabilidade por erros e/ou enganos de qualquer natureza. ZENNER é ua arca registrada da epresa K. A. Zenner Wasserzählerfabrik GbH. WZF-HK-E-05/00

Hidrômetros de Interiores

Hidrômetros de Interiores Hidrôetros de Interiores ETK ETW Hidrôetros de Chuveiro e Banheira Hidrôetros de Pia Hidrôetros de Torneira Seis soluções copletas co nosso hidrôetro onojato universal de ou de copriento Hidrôetros Ebutidos

Leia mais

Macromedidores Série ZF

Macromedidores Série ZF ZENNER do Brasil Instr. de Medição Ltda. Rua Bartoloeu de Gusão, 2.444 - Canudos - Novo Haburgo - RS Tel.: +55 (51) 30 35 55 30 Fax: +55 (51) 30 35 33 30 E-ail: zenner@zenner.co.br http: //www.zenner.co.br

Leia mais

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização Classificação: Docuento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 20/203-BNDES Rio de Janeiro, 7 de aio de 203 Ref.: Produto BNDES Autoático Ass.: Prograa BNDES para o Desenvolviento da Indústria Nacional

Leia mais

Building Services. Circuladores para sistemas de aquecimento, sanitários e refrigeração Série ECOCIRC TLC FLC

Building Services. Circuladores para sistemas de aquecimento, sanitários e refrigeração Série ECOCIRC TLC FLC Circuladores para sisteas de aqueciento, sanitários e refrigeração Série ECOCIRC TLC FLC Série Ecocirc TLC FLC O otivo da escolha A vasta gaa de circuladores da ITT Lowara é a sua prieira escolha devido

Leia mais

XRV 1000 SD5 XRW 1000 SD5 XRXS 566 XRYS 557 / 577 OEM OILTRONIX. Atlas Copco Compressores de Ar Portáteis Maior produtividade em todas as situações

XRV 1000 SD5 XRW 1000 SD5 XRXS 566 XRYS 557 / 577 OEM OILTRONIX. Atlas Copco Compressores de Ar Portáteis Maior produtividade em todas as situações Atlas Copco Copressores de Ar Portáteis Maior produtividade e todas as situações XRV 1000 SD5 XRW 1000 SD5 XRXS 566 XRYS 557 / 577 OEM OILTRONIX A Atlas Copco é líder undial e copressores de ar portáteis,

Leia mais

ecotec pro O futuro é Vaillant Vaillant, especialistas em Condensação www.vaillant.pt info@vaillant.pt

ecotec pro O futuro é Vaillant Vaillant, especialistas em Condensação www.vaillant.pt info@vaillant.pt O futuro é Vaillant Vaillant, especialistas e Condensação ecotec pro www.vaillant.pt info@vaillant.pt Caldeira ural ista de condensação, co pré-aqueciento de A.Q.S. Vaillant Group International GbH Berghauser

Leia mais

2 O Preço Spot de Energia Elétrica do Brasil

2 O Preço Spot de Energia Elétrica do Brasil 2 O Preço Spot de Energia Elétrica do Brasil Inicialente, vai se expor de ua fora uita sucinta coo é criado o preço spot de energia elétrica do Brasil, ais especificaente, o CMO (Custo Marginal de Operação).

Leia mais

Projetos de Redes Aéreas Urbanas de Distribuição de Energia Elétrica

Projetos de Redes Aéreas Urbanas de Distribuição de Energia Elétrica Projetos de Redes Aéreas Urbanas de Distribuição Revisão 05 07/2015 NORMA ND.22 ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejaento e Operação Rua

Leia mais

A Teoria dos Jogos é devida principalmente aos trabalhos desenvolvidos por von Neumann e John Nash.

A Teoria dos Jogos é devida principalmente aos trabalhos desenvolvidos por von Neumann e John Nash. Teoria dos Jogos. Introdução A Teoria dos Jogos é devida principalente aos trabalhos desenvolvidos por von Neuann e John Nash. John von Neuann (*90, Budapeste, Hungria; 957, Washington, Estados Unidos).

Leia mais

4 UM MODELO DE SAZONALIZAÇÃO DA GARANTIA FÍSICA DE PCHS EM PORTFOLIOS PCH+BIOMASSA

4 UM MODELO DE SAZONALIZAÇÃO DA GARANTIA FÍSICA DE PCHS EM PORTFOLIOS PCH+BIOMASSA EM PORTFOLIOS PCH E BIOMASSA 48 4 UM MODELO DE SAZONALIZAÇÃO DA GARANTIA FÍSICA DE PCHS EM PORTFOLIOS PCH+BIOMASSA Confore explicado no capitulo anterior, a decisão do agente hidráulico de coo sazonalizar

Leia mais

Manipulação, Armazenamento, Comercialização e Utilização de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP)

Manipulação, Armazenamento, Comercialização e Utilização de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO DE OPERAÇÕES DE DEFESA CIVIL Departaento de Proteção Contra Incêndio, Explosão e Pânico NORMA TÉCNICA n. 28/2008 Manipulação,

Leia mais

LEITURA E INTERPRETAÇÃO NBR ISO 9001:2008

LEITURA E INTERPRETAÇÃO NBR ISO 9001:2008 LEITURA E INTERPRETAÇÃO NBR ISO 9001:2008 APRESENTAÇÃO Instrutora: Noe: Márcia Assunção Foração: Graduada e Pós-graduada... Exp. Profissional:... 10 anos Objetivo do curso: Disseinar a interpretação dos

Leia mais

Capítulo VII. Por Sérgio Feitoza Costa*

Capítulo VII. Por Sérgio Feitoza Costa* 44 Equipaentos para subestações de T&D Capítulo VII Distâncias de segurança de subestações e sisteas de proteção contra incêndios e subestações Este fascículo ve apresentando conceitos de engenharia para

Leia mais

1. Definições Iniciais

1. Definições Iniciais O Básico da Criptografia usada na Internet Alessandro Martins Mestrando e Redes de Coputadores - PESC/COPPE Universidade Federal do Rio de Janeiro {artins@ufrj.br} RESUMO O objetido deste texto é apresentar

Leia mais

UMA HEURÍSTICA PARA RESOLUÇÃO DO PROBLEMA DE CARREGAMENTO DE CONTAINER

UMA HEURÍSTICA PARA RESOLUÇÃO DO PROBLEMA DE CARREGAMENTO DE CONTAINER Pesquisa Operacional na Sociedade: Educação, Meio Aente e Desenvolviento 2 a 5/09/06 Goiânia, GO UMA HEURÍSTICA PARA RESOLUÇÃO DO PROBLEMA DE CARREGAMENTO DE CONTAINER E. Vendraini Universidade Estadual

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica inistério de inas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 319, DE 26 DE SETEBRO DE 2008. Estabelece o procediento de aprovação dos projetos de geração, transissão e distribuição de energia elétrica

Leia mais

Construção de um sistema de Realidade Virtual (1 a Parte) O Engine Físico

Construção de um sistema de Realidade Virtual (1 a Parte) O Engine Físico Construção de u sistea de Realidade Virtual (1 a Parte) O Engine Físico Roberto Scalco, Fabrício Martins Pedroso, Jorge Tressino Rua, Ricardo Del Roio, Wellington Francisco Centro Universitário do Instituto

Leia mais

CONCORRÊNCIA Nº 007/2012/CPL-GERAL/CML/SEMAD/PVH PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO-RO

CONCORRÊNCIA Nº 007/2012/CPL-GERAL/CML/SEMAD/PVH PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO-RO CONCORRÊNCIA Nº 7/212/CPL-GERAL/CML/SEMAD/PVH PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO-RO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PARQUE DAS ÁGUAS

Leia mais

NPT 024 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS PARA ÁREAS DE DEPÓSITOS

NPT 024 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS PARA ÁREAS DE DEPÓSITOS Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 024 Sistea de chuveiros autoáticos para áreas de depósitos CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 01 Nora de Procediento Técnico 104páginas SUMÁRIO 1 2 3 4 5 Objetivo

Leia mais

Brasília, junho de 2014

Brasília, junho de 2014 ORIENTAÇÕES PARA NOTIFICAÇÃO E GERENCIAMENTO DOS DADOS NO SISTEMA NOTIVISA PARA NÚCLEOS DE SEGURANÇA DO PACIENTE (NSP) E COORDENAÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Brasília, junho de 2014 NOTIVISA EVENTOS ADVERSOS

Leia mais

PESO OPERACIONAL MÁXIMO POTÊNCIA LÍQUIDA DO MOTOR

PESO OPERACIONAL MÁXIMO POTÊNCIA LÍQUIDA DO MOTOR PESO OPERACIONAL MÁXIMO POTÊNCIA LÍQUIDA DO MOTOR 21190kg 172HP Diensões e ilíetros Copriento da esteira sobre o solo Copriento total do chassi Largura do Chassi Largura da áquina co sapatas de 50 Largura

Leia mais

Conheça nossos produtos e soluções hidráulicas. Conte com a nossa parceria.

Conheça nossos produtos e soluções hidráulicas. Conte com a nossa parceria. Hydro Z Unikap atua na construção civil, e instalações hidráulicas prediais, residenciais, coerciais e industriais, co ais de il itens produzidos confore as noras vigentes, garantindo total segurança na

Leia mais

Andaime para fachadas UNI 70/100

Andaime para fachadas UNI 70/100 válido a partir de 01-08-2015 Stark gerüstet. Andaie para fachadas UNI 70/100 s Português 2 Índice Índice Modelo Vantagens do sistea 2-3 Vantagens do sistea 4-5 Arações 6-7 Pranchas 8 Pranchas Acessos

Leia mais

Método Simbólico. Versus. Método Diagramas de Euler. Diagramas de Venn

Método Simbólico. Versus. Método Diagramas de Euler. Diagramas de Venn IV Método Sibólico Versus Método Diagraas de Euler E Diagraas de Venn - 124 - Método Sibólico Versus Método Diagraas de Euler e Diagraas de Venn Para eplicar o que é o Método Sibólico e e que aspecto difere

Leia mais

SALTO CAXIAS UM PROBLEMA DE FLUTUAÇÃO NA COROA POLAR EVIDENCIADO PELO AGMS

SALTO CAXIAS UM PROBLEMA DE FLUTUAÇÃO NA COROA POLAR EVIDENCIADO PELO AGMS SALTO CAXIAS UM PROBLEMA DE FLUTUAÇÃO NA COROA POLAR EVIDENCIADO PELO AGMS Pedro Massanori Sakua, Álvaro José Noé Fogaça, Orlete Nogarolli Copel Copanhia Paranaense de Energia Paraná Brasil RESUMO Este

Leia mais

Decreto-Lei n.º168/99 de 18 de Maio

Decreto-Lei n.º168/99 de 18 de Maio Decreto-Lei n.º168/99 de 18 de Maio O Decreto-Lei n.º 189/88, de 27 de Maio, estabeleceu as regras aplicáveis à produção de energia eléctrica a partir de recursos renováveis e à produção cobinada de calor

Leia mais

Tecnologia Global, Soluções Locais

Tecnologia Global, Soluções Locais Medição de Teperatura Se Contato, Iageaento Térico e Visão de Processos Industriais Tecnologia Global, Soluções Locais Terôetros Infraverelhos Fixos Pontuais e Portáteis Raytek Faília Marathon MR Terôetro

Leia mais

Índice de Custo Benefício (ICB) de Empreendimentos de Geração Termelétrica

Índice de Custo Benefício (ICB) de Empreendimentos de Geração Termelétrica Índice de Custo Benefício (ICB) de Epreendientos de Geração Terelétrica Metodologia de Cálculo Coordenação Geral Maurício Tiono Tolasqui José Carlos de Miranda Farias Equipe Técnica Danielle Bueno de Andrade

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Eng. Mecânica. Introdução aos ciclos de refrigeração

Programa de Pós-Graduação em Eng. Mecânica. Introdução aos ciclos de refrigeração Nov/03 Prograa de Pós-Graduação e Eng. Mecânica Disciplina: Siulação de Sisteas Téricos Introdução aos ciclos de refrigeração Organização: Ciclo de Carnot Ciclo padrão de u estágio de copressão Refrigerantes

Leia mais

F. Jorge Lino Módulo de Weibull MÓDULO DE WEIBULL. F. Jorge Lino

F. Jorge Lino Módulo de Weibull MÓDULO DE WEIBULL. F. Jorge Lino MÓDULO DE WEIBULL F. Jorge Lino Departaento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Rua Dr. Roberto Frias, 4200-465 Porto, Portugal, Telf. 22508704/42,

Leia mais

b) Dalton proporções definidas. c) Richter proporções recíprocas. d) Gay-Lussac transformação isobárica. e) Proust proporções constantes.

b) Dalton proporções definidas. c) Richter proporções recíprocas. d) Gay-Lussac transformação isobárica. e) Proust proporções constantes. APRFUDAMET QUÍMIA 2012 LISTA 9 Leis ponderais e voluétricas, deterinação de fórulas, cálculos quíicos e estudo dos gases. Questão 01) A Lei da onservação da Massa, enunciada por Lavoisier e 1774, é ua

Leia mais

Plano de ação setorial de racionalização das TIC no Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

Plano de ação setorial de racionalização das TIC no Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social Plano de ação setorial de racionalização das TIC no Horizonte 2012-2016 Versão de Trabalho Dezebro 2014 Grupo de Projeto para as Tecnologias de Inforação e Counicação 1 Título: Plano de ação setorial de

Leia mais

Modelagem e Simulação de um Sistema de Comunicação Digital via Laço Digital de Assinante no Ambiente SIMOO

Modelagem e Simulação de um Sistema de Comunicação Digital via Laço Digital de Assinante no Ambiente SIMOO Modelage e Siulação de u Sistea de Counicação Digital via Laço Digital de Assinante no Abiente SIMOO Luciano Agostini 1 Gaspar Steer 2 Tatiane Capos 3 agostini@inf.ufrgs.br gaspar@inf.ufrgs.br tatiane@inf.ufrgs.br

Leia mais

Ensino Fundamental no Brasil: a Média do Gasto Por Aluno, o IDEB e Sua Correlação nos Municípios Brasileiros.

Ensino Fundamental no Brasil: a Média do Gasto Por Aluno, o IDEB e Sua Correlação nos Municípios Brasileiros. Ensino Fundaental no Brasil: a Média do Gasto Por Aluno, o IDEB e Sua Correlação nos Municípios Brasileiros. Autoria: Jaie Crozatti Resuo: Para contribuir co a discussão da gestão de políticas públicas

Leia mais

NOVOS PRODUTOS Micrómetro Laser Scan USB com leitor incorporado LSM 5200

NOVOS PRODUTOS Micrómetro Laser Scan USB com leitor incorporado LSM 5200 NOVOS PRODUTOS Micróetro Laser Scan USB co leitor incorporado LSM 5200 Inforação detalhada na página 336. Micróetros Laser Scan Micróetros Laser Unidades de Medição Páginas 333 335 Micróetros Laser LSM

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DOCUMENTAL EM FLORIANÓPOLIS: ANÁLISE DE FUNCIONALIDADES BASEADA NOS REQUISITOS DO E-ARQ BRASIL

SISTEMAS DE GESTÃO DOCUMENTAL EM FLORIANÓPOLIS: ANÁLISE DE FUNCIONALIDADES BASEADA NOS REQUISITOS DO E-ARQ BRASIL SISTEMAS DE GESTÃO DOCUMETAL EM FLORIAÓPOLIS: AÁLISE DE FUCIOALIDADES BASEADA OS REQUISITOS DO E-ARQ BRASIL Suélle Chrystina Leal da lva Graduanda no Curso de Arquivologia UFSC suelle.lealdasilva@gail.co

Leia mais

Aula 6 Primeira Lei da Termodinâmica

Aula 6 Primeira Lei da Termodinâmica Aula 6 Prieira Lei da Terodinâica 1. Introdução Coo vios na aula anterior, o calor e o trabalho são foras equivalentes de transferência de energia para dentro ou para fora do sistea. 2. A Energia interna

Leia mais

Componentes de um sistema de realidade virtual

Componentes de um sistema de realidade virtual p prograação Coponentes de u sistea de realidade virtual Neste artigo apresenta-se a idéia de u projeto que perite a siulação de u passeio ciclístico utilizando a realidade virtual. Os sentidos do ciclista

Leia mais

FÍSICA DADOS. 10 v som = 340 m/s T (K) = 273 + T( o C) s = 38) 27) Q = mc T = C T 39) i = 30) U = Q τ 42) 31) Instruções:

FÍSICA DADOS. 10 v som = 340 m/s T (K) = 273 + T( o C) s = 38) 27) Q = mc T = C T 39) i = 30) U = Q τ 42) 31) Instruções: FÍSICA DADOS 9 N. g = 0 k 0 = 9,0 0 s C 8 c = 3,0 0 v so = 340 /s T (K) = 73 + T( o C) s 0) d = d 0 + v 0 t + at 4) E p = gh 6) 0) v = v 0 + at 5) E c = v 03) v = 04) T= f 05) 0 PV P V = 38) T T V = k0

Leia mais

Plano de ação sectorial de racionalização das TIC no Ministério da Solidariedade e da Segurança Social

Plano de ação sectorial de racionalização das TIC no Ministério da Solidariedade e da Segurança Social Plano de ação sectorial de racionalização das TIC no Horizonte 2012-2016 Grupo de Projeto para as Tecnologias de Inforação e Counicação 1 Título: Plano de ação sectorial de racionalização das TIC no Ministério

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MODELO DE TRANSFORMADORES EM FUNÇÃO DA FREQUÊNCIA

AVALIAÇÃO DO MODELO DE TRANSFORMADORES EM FUNÇÃO DA FREQUÊNCIA Universidade de Brasília Faculdade de Tecnologia Departaento de Engenaria Elétrica AVALIAÇÃO DO MODELO DE TANSFOMADOES EM FUNÇÃO DA FEQUÊNCIA Por Alexandre de Castro Moleta Orientador: Prof.Dr. Marco Aurélio

Leia mais

ATIVIDADE DE COMPOSTAGEM

ATIVIDADE DE COMPOSTAGEM ATIVIDADE DE COMPOSTAGEM 1. Identificação Epresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-ail: Atividade: Localização do epreendiento (Endereço): Bairro: CEP: Contato:

Leia mais

2007.2. Como o Pensamento Sistêmico pode Influenciar o Gerenciamento de Projetos

2007.2. Como o Pensamento Sistêmico pode Influenciar o Gerenciamento de Projetos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - UFPE CENTRO DE INFORMÁTICA CIN GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 2007.2 Coo o Pensaento Sistêico pode Influenciar o Gerenciaento de Projetos TRABALHO DE GRADUAÇÃO

Leia mais

Aparelho de elevação ABS 5 kn

Aparelho de elevação ABS 5 kn 1 597 0503 PT 01.2013 pt Instruções de ontage e de serviço Tradução das instruções originais www.sulzer.co Instruções de ontage e de serviço Instruções de ontage e de serviço para aparelho de elevação

Leia mais

Estudo da viabilidade económica da implementação de uma microturbina

Estudo da viabilidade económica da implementação de uma microturbina Departaento de Engenharia Mecânica Rao de Terodinâica e fluidos Gestão da Energia Estudo da viabilidade econóica da ipleentação de ua icroturbina Coordenação do trabalho: Professor Fausto Freire André

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG.. Cabos Elétricos e Acessórios 02.1. Geral 02.2. Noras 02.3. Escopo de Forneciento 02 T-.1. Tabela 02.4. Características Construtivas 04.4.1. Aplicação 04.4.2. Diensionaento 04.4.3.

Leia mais

OS PRIMEIROS PASSOS DA CONFIABILIDADE NA MANUTENÇÃO DOUGLAS LINO MARCHALEK ENGº ELETRICISTA - UTFPR ANTONIO WOTECOSKI ENGº ELETRICISTA - UTFPR

OS PRIMEIROS PASSOS DA CONFIABILIDADE NA MANUTENÇÃO DOUGLAS LINO MARCHALEK ENGº ELETRICISTA - UTFPR ANTONIO WOTECOSKI ENGº ELETRICISTA - UTFPR OS PRIEIROS PASSOS DA CONFIABILIDADE NA ANUTENÇÃO DOUGLAS LINO ARCHALEK ENGº ELETRICISTA - UTFPR ANTONIO WOTECOSKI ENGº ELETRICISTA - UTFPR APRESENTAÇÃO CONSIDERAÇÕES E QUESTIONAENTOS O PRIEIRO PASSO EXEPLO

Leia mais

INCORPORAÇÃO DOS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS POSITIVOS RELACIONADOS AOS USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA NOS ESTUDOS DE INVENTÁRIO HIDRELÉTRICO

INCORPORAÇÃO DOS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS POSITIVOS RELACIONADOS AOS USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA NOS ESTUDOS DE INVENTÁRIO HIDRELÉTRICO INCORPORAÇÃO DOS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS POSITIVOS RELACIONADOS AOS USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA NOS ESTUDOS DE INVENTÁRIO HIDRELÉTRICO Katia Cristina Gacia 1 ; Jorge M. Daázio; Silvia Helena Pires; Denise

Leia mais

3.3. O Ensaio de Tração

3.3. O Ensaio de Tração Capítulo 3 - Resistência dos Materiais 3.1. Definição Resistência dos Materiais é u rao da Mecânica plicada que estuda o coportaento dos sólidos quando estão sujeitos a diferentes tipos de carregaento.

Leia mais

Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Nome: R.A. Gabarito 4 a lista de exercícios

Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Nome: R.A. Gabarito 4 a lista de exercícios Engenharia Quíica Físico Quíica I. O abaixaento da pressão de vapor do solvente e soluções não eletrolíticas pode ser estudadas pela Lei de Raoult: P X P, onde P é a pressão de vapor do solvente na solução,

Leia mais

Recebimento da Documentação e da Proposta 18 /12 /2013 às 10:00 h

Recebimento da Documentação e da Proposta 18 /12 /2013 às 10:00 h 1 PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO CONCORRÊNCIA nº 003/2013 Regido pela Lei nº 8.666/1993, pela Lei Copleentar nº 123/2006 Tipo: Menor Preço Objeto: Contratação de

Leia mais

UM MODELO DE PROGRAMAÇÃO DINÂMICA PARA COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA DE GERADORES HIDRELÉTRICOS E EÓLICOS POR CONSUMIDORES LIVRES

UM MODELO DE PROGRAMAÇÃO DINÂMICA PARA COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA DE GERADORES HIDRELÉTRICOS E EÓLICOS POR CONSUMIDORES LIVRES UM MODELO DE PROGRAMAÇÃO DINÂMICA PARA COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA DE GERADORES HIDRELÉTRICOS E EÓLICOS POR CONSUMIDORES LIVRES George Martins Silva Universidade Estadual do Ceará - UECE Av. Dr. Silas Munguba,

Leia mais

IT - 22 ARMAZENAGEM DE LÍQUIDOS INFLAMÁVEIS E COMBUSTÍVEIS

IT - 22 ARMAZENAGEM DE LÍQUIDOS INFLAMÁVEIS E COMBUSTÍVEIS IT - 22 ARMAZENAGEM DE LÍQUIDOS INFLAMÁVEIS E COMBUSTÍVEIS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo A - Tabelas de distanciaentos 2 Aplicação B - Detalhe de arruação de arazenage fracionada 3 Referências Norativas e Bibliográficas

Leia mais

Andaime de fachada UNI 70/100

Andaime de fachada UNI 70/100 Stark gerüstet. Andaie de fachada 70/100 s Português válido a partir de 15.04.2013 Índice Estrutura / vantagens do sistea 2-3 Quadros verticais 4-5 Revestientos 6 Acessos a andaies interiores 7 Acessos

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - Nº 21492/2013

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - Nº 21492/2013 SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - Nº 21492/2013 Prezados Senhores, Brasília, 06 de abril de 2013. O Prograa das Nações Unidas para o Desenvolviento PNUD solicita a apresentação de Proposta para o forneciento dos

Leia mais

07. Obras célebres da literatura brasileira foram ambientadas em regiões assinaladas neste mapa:

07. Obras célebres da literatura brasileira foram ambientadas em regiões assinaladas neste mapa: 6 FUVEST 09/0/202 Seu é Direito nas Melhores Faculdades 07. Obras célebres da literatura brasileira fora abientadas e regiões assinaladas neste apa: Co base nas indicações do apa e e seus conhecientos,

Leia mais

Recomenda-se que os requisitos gerais desta Norma sejam adequados pela autoridade competente à legislação específica local.

Recomenda-se que os requisitos gerais desta Norma sejam adequados pela autoridade competente à legislação específica local. AGO 2000 NBR 14570 ABNT Associação Brasileira de Noras Técnicas Instalações internas para uso alternativo dos gases GN e GLP - Projeto e execução Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP

Leia mais

Escavadeiras Hidráulicas 312C 312C L

Escavadeiras Hidráulicas 312C 312C L Escavadeiras Hidráulicas 312C 312C L Pesos Peso e Operação* 13.140 kg 28.970 lb Motor Modelo do Motor 3064 T Caterpillar Potência Bruta 70 kw 94 hp Potência no Volante 67 kw 90 hp Mecaniso do Giro Torque

Leia mais

ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS JS220 LONGO ALCANCE

ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS JS220 LONGO ALCANCE PESO OPERACIONAL MÁXIMO: 23.742 POTÊNCIA DO MOTO: 128 kw (172HP) DIMENSÕES, COM A MÁQUINA PARADA Diensões e ilíetros A Copriento da esteira sobre o solo B Copriento total do chassi C Vão livre - contrapeso

Leia mais

COMPONENTES DE SISTEMAS DE ESGOTOS SANITÁRIOS

COMPONENTES DE SISTEMAS DE ESGOTOS SANITÁRIOS COMPONENTES DE SISTEMAS DE ESGOTOS SANITÁRIOS 4.1. Introdução A coleta e o transporte das águas residuárias desde a orige até o lançaento final constitue o fundaento básico do saneaento de ua população.

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE UM CALORÍMETRO ISOTÉRMICO DIFERENCIAL DE ALTA SENSIBILIDADE E BAIXO CUSTO

CONSTRUÇÃO DE UM CALORÍMETRO ISOTÉRMICO DIFERENCIAL DE ALTA SENSIBILIDADE E BAIXO CUSTO Qui. Nova, Vol. 32, No. 6, 1651-1654, 29 CONSTRUÇÃO DE UM CALORÍMETRO ISOTÉRMICO DIFERENCIAL DE ALTA SENSIBILIDADE E BAIXO CUSTO Rafael Bergao Trinca*, Carlos Eduardo Perles e Pedro Luiz Onófrio Volpe

Leia mais

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 5 2. ORIENTAÇÃO DE CONSULTA À NORMA... 5 3. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES... 6

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 5 2. ORIENTAÇÃO DE CONSULTA À NORMA... 5 3. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES... 6 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-0 ÍNDICE. INTRODUÇÃO... 5. ORIENTAÇÃO DE CONSULTA À NORMA... 5 3. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES...

Leia mais

CIRCUITOS ELÉTRICOS REGIME PERMANENTE SENOIDAL, REPRESENTAÇÃO FASORIAL E POTÊNCIAS ELÉTRICAS

CIRCUITOS ELÉTRICOS REGIME PERMANENTE SENOIDAL, REPRESENTAÇÃO FASORIAL E POTÊNCIAS ELÉTRICAS CICUIOS EÉICOS EGIME PEMANENE SENOIDA, EPESENAÇÃO FASOIA E As análises de circuitos até o presente, levou e consideração a aplicação de fontes de energia elétrica a u circuito e conseqüente resposta por

Leia mais

PD 42. Printed: 07.07.2013 Doc-Nr: PUB / 5140869 / 000 / 00

PD 42. Printed: 07.07.2013 Doc-Nr: PUB / 5140869 / 000 / 00 PD 42 Bedienungsanleitung Operating instructions Mode d eploi Istruzioni d uso Manual de instrucciones Manual de instruções Gebruiksaanwijzing Οδηγιες χρησεως Kulllana Taliatı de en fr it es nl el tr ar

Leia mais

Plano de ação sectorial de racionalização das TIC no MEC 2.0

Plano de ação sectorial de racionalização das TIC no MEC 2.0 Plano de ação sectorial de racionalização das TIC no 2.0 Horizonte 2014-2016 Grupo de Projeto para as Tecnologias de Inforação e Counicação 1 Título: Plano de ação sectorial de racionalização das TIC no

Leia mais

SOBRE O PROBLEMA DA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA DE UM CORPO

SOBRE O PROBLEMA DA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA DE UM CORPO 44 SOBRE O PROBLEMA DA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA DE UM CORPO Resuo Jair Sandro Ferreira da Silva Este artigo abordará a aplicabilidade das Equações Diferenciais na variação de teperatura de u corpo. Toareos

Leia mais

Normas para o Projeto das Estradas de Rodagem

Normas para o Projeto das Estradas de Rodagem MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM Noras para o Projeto das Estradas de Rodage Aprovadas pelo Senhor Ministro da Viação e Obras Públicas consoante Portarias núeros

Leia mais

:: Física :: é percorrida antes do acionamento dos freios, a velocidade do automóvel (54 km/h ou 15 m/s) permanece constante.

:: Física :: é percorrida antes do acionamento dos freios, a velocidade do automóvel (54 km/h ou 15 m/s) permanece constante. Questão 01 - Alternativa B :: Física :: Coo a distância d R é percorrida antes do acionaento dos freios, a velocidade do autoóvel (54 k/h ou 15 /s) peranece constante. Então: v = 15 /s t = 4/5 s v = x

Leia mais

Tubos Jaquetados e com Isolamento

Tubos Jaquetados e com Isolamento www.swagelok.co s Jaquetas e co Isolaento Características Disponíveis nos taanhos 1/4" a " e 6 a 12 e aço inoxidável 316/316L e cobre s e aço inoxidável co e se costura Jaqueta e PVC para baixa teperatura

Leia mais

1ª LISTA DE DINÂMICA E ESTÁTICA. está inicialmente em repouso nas coordenadas 2,00 m, 4,00 m. (a) Quais são as componentes da

1ª LISTA DE DINÂMICA E ESTÁTICA. está inicialmente em repouso nas coordenadas 2,00 m, 4,00 m. (a) Quais são as componentes da Universidade do Estado da Bahia UNEB Departaento de Ciências Exatas e da Terra DCET I Curso de Engenharia de Produção Civil Disciplina: Física Geral e Experiental I Prof.: Paulo Raos 1 1ª LISTA DE DINÂMICA

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Física Trabalho de Conclusão de Curso MAGNETRON: DO RADAR AO FORNO DE MICRO-ONDAS

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Física Trabalho de Conclusão de Curso MAGNETRON: DO RADAR AO FORNO DE MICRO-ONDAS Pró-Reitoria de Graduação Curso de Física Trabalho de Conclusão de Curso MAGNETRON: DO RADAR AO FORNO DE MICRO-ONDAS Autor: Karla Susane Borges dos Santos Orientador: Dr. Sérgio Luiz Garavelli Co-orientador:

Leia mais

Índice de Custo Benefício (ICB) de Empreendimentos de Geração Termelétrica

Índice de Custo Benefício (ICB) de Empreendimentos de Geração Termelétrica Índice de Custo Benefício (ICB) de Epreendientos de Geração Terelétrica Metodologia de Cálculo Leilões de Copra de Energia Elétrica Proveniente de Novos Epreendientos de Geração Ministério de Minas e Energia

Leia mais

PREGÃO (ELETRÔNICO) N. 56/2011

PREGÃO (ELETRÔNICO) N. 56/2011 PREGÃO (ELETRÔNICO) N. 56/2011 O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL - TRE/RS, por interédio de sua Seção de Licitações, tendo e vista os atos constantes no processo adinistrativo eletrônico

Leia mais

Patente dos Estados Unidos 5.676.977. Método de Cura com AIDS Tetrasilver Tetróxido Crystal Molecular Devices. 14 de outubro de 1997 ~ Cl.

Patente dos Estados Unidos 5.676.977. Método de Cura com AIDS Tetrasilver Tetróxido Crystal Molecular Devices. 14 de outubro de 1997 ~ Cl. Patente dos Estados Unidos 5.676.977 Método de Cura co AIDS Tetrasilver Tetróxido Crystal Molecular Devices Resuo ~ 14 de outubro de 1997 ~ Cl. 424/618 Marvin S. Antelan O seicondutor diaagnético tetrasilver

Leia mais

Impermeabilização de túnel com geomembrana de PVC

Impermeabilização de túnel com geomembrana de PVC RESUMO Para atender ao plano de recuperação da Estação da Luz (TM) no centro da cidade de São Paulo e visando facilitar o deslocaento dos usuários dos serviços de transporte de assa, a Copanhia Paulista

Leia mais

MANUAL PARA OBSERVADORES

MANUAL PARA OBSERVADORES Anexo 17 MANUAL PARA OBSERVADORES Estratégia Multiodal da OMS para a elhoria da higienização das ãos (c) Organização Pan-Aericana da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária 2008. É peritida a reprodução

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 14 e 85 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando ais. Pouco iporta o destino: a verdade é que

Leia mais

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Sistemas de Partículas

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Sistemas de Partículas www.engenhariafacil.weebly.co Resuo co exercícios resolvidos do assunto: Sisteas de Partículas (I) (II) (III) Conservação do Moento Centro de Massa Colisões (I) Conservação do Moento Na ecânica clássica,

Leia mais

A escolha inteligente em conforto

A escolha inteligente em conforto Refrigerante Condicionadores de Ar Split A escolha inteligente e conforto FUJITSU GENERAL DO BRASIL High Wall Inverter ASBA09J ASBA12J C C 9.000 12.000 ASBA09L C 9.000 H 10.000 ASBA12L C 12.000 H 14.000

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CARTA CONVITE Nº 04/2011

EDITAL DE LICITAÇÃO CARTA CONVITE Nº 04/2011 EDITAL DE LICITAÇÃO CARTA CONVITE Nº 04/2011 Processo: CCL n.º 04/2011 Tipo: Menor Preço Entrega dos Envelopes Até às 09:30 horas do dia 16/01/2012 Abertura Às 09:30 horas do 16/01/2012 Local: Edifício

Leia mais

APLICAÇÃO DO MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS: PROBLEMA DO PARAQUEDISTA EM QUEDA LIVRE

APLICAÇÃO DO MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS: PROBLEMA DO PARAQUEDISTA EM QUEDA LIVRE APLICAÇÃO DO MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS: PROBLEMA DO PARAQUEDISTA EM QUEDA LIVRE Tatiana Turina Kozaa 1 Graziela Marchi Tiago E diversas áreas coo engenharia, física, entre outras, uitas de suas aplicações

Leia mais

2 Podemos representar graficamente o comportamento de (1) para alguns ângulos φ, que são mostrado nas figuras que se seguem.

2 Podemos representar graficamente o comportamento de (1) para alguns ângulos φ, que são mostrado nas figuras que se seguem. POTÊNCIA EM CARGAS GENÉRICAS Prof. Antonio Sergio C. de Menezes. Depto de Engenharia Elétrica Muitas cargas nua instalação elétrica se coporta de fora resistiva ou uito aproxiadaente coo tal. Exeplo: lâpadas

Leia mais

Curso Profissional de Técnico de Energias Renováveis 1º ano. Módulo Q 2 Soluções.

Curso Profissional de Técnico de Energias Renováveis 1º ano. Módulo Q 2 Soluções. Curso Profissional de Técnico de Energias Renováveis 1º ano Docuento de apoio Módulo Q 2 Soluções. 1. Dispersões 1.1. Disperso e dispersante Dispersão Ua dispersão é ua istura de duas ou ais substâncias,

Leia mais

Talhas Elétricas de Corrente Troles Elétricos e Manuais

Talhas Elétricas de Corrente Troles Elétricos e Manuais Talhas Elétricas de orrente Troles Elétricos e Manuais Talha Elétrica de orrente odestar Talha Elétrica de orrente odestar ap. No.( t) *Vel. Elevação Motor (P) Trao correntes ap. No.( t) *Vel. Elevação

Leia mais

Armazenagem de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis

Armazenagem de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bobeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 27/2004 Arazenage de Líquidos Inflaáveis e Cobustíveis SUMÁRIO ANEXOS

Leia mais

Armazenagem de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis

Armazenagem de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bobeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 27/2004 Arazenage de Líquidos Inflaáveis e Cobustíveis SUMÁRIO ANEXOS

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nisoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoraento do IBM SVC ib_svc série 1.0 Aviso de copyright do CA Nisoft Monitor Snap Este sistea de ajuda online (o Sistea ) destina-se soente para fins

Leia mais

A Unicamp comenta suas provas COMISSÃO PERMANENTE PARA OS VESTIBULARES

A Unicamp comenta suas provas COMISSÃO PERMANENTE PARA OS VESTIBULARES A Unicap coenta suas provas COMISSÃO PERMANENTE PARA OS VESTIBULARES As questões de Física do Vestibular Unicap versa sobre assuntos variados do prograa (que consta do Manual do Candidato). Elas são foruladas

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADINISTRAÇÃO Participação acionária Participações Ltda. Albarpa Participações Ltda. Shopping Boulevard S.A. 0,00 0,00 Shopping Boulevard Belé S.A.,00,00 Yangon Participações Ltda. (ii) BSC

Leia mais

Ficha de Dados de Segurança

Ficha de Dados de Segurança Ficha de Dados de Segurança SECÇÃO 1: Identificação da substância/istura e da sociedade/epresa 1.1. Identificador do produto: Tinteiro EPSON T6309 1.2. Utilizações identificadas relevantes da substância

Leia mais

ACESSÓRIOS PARA CARREGADORES ACESSÓ- RIOS PARA CARREGADORES ORIGINAIS STOLL.

ACESSÓRIOS PARA CARREGADORES ACESSÓ- RIOS PARA CARREGADORES ORIGINAIS STOLL. ACESSÓRIOS PARA CARREGADORES ACESSÓ- RIOS PARA CARREGADORES ORIGINAIS STOLL. PARA USO UNIVERSAL PARA UM TRANSPORTE SEGURO ROBUST EM QUALQUER CASO 2 QUALIDADE E RENDIMENTO. Os acessórios de orige da STOLL

Leia mais

QUÍMICA PRISE II SOLUÇÕES 4.1 FENÔMENO DE SATURAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO. Sal (soluto) Água (solvente) 1. INTRODUÇÃO

QUÍMICA PRISE II SOLUÇÕES 4.1 FENÔMENO DE SATURAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO. Sal (soluto) Água (solvente) 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO QUÍMICA PRISE II SOLUÇÕES 4.1 FENÔMENO DE SATURAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO Quando a istura apresenta as esas características e toda a extensão do recipiente teos ua istura hoogênea e, se tiver ais

Leia mais

As vacinas são muito superiores às imunoglobulinas (Tabela 1).

As vacinas são muito superiores às imunoglobulinas (Tabela 1). Roberta Ferlini Elza Daniel de Mello Introdução É notória a iportância da iunização através de vacinas, dada a sua capacidade e erradicar, controlar surtos e prevenir diversas doenças. No Brasil, o Prograa

Leia mais

Aula 4. Inferência para duas populações.

Aula 4. Inferência para duas populações. Aula 4. Inferência para duas populações. Teos duas aostras independentes de duas populações P e P : população P aostra x, x,..., x n população P aostra y, y,..., y Observação: taanho de aostras pode ser

Leia mais

Polícia vai investigar causas de acidente em parque de diversões QUESTÃO 04 QUESTÃO 01. Observe as fotos a seguir.

Polícia vai investigar causas de acidente em parque de diversões QUESTÃO 04 QUESTÃO 01. Observe as fotos a seguir. QUESTÃO 01 Ua célula te copriento da orde de 10-6 e o átoo, u diâetro de 10-10. Sendo assi, qual a orde de grandeza do núero de átoos que deveos enfileirar para copor o copriento de ua célula? a) 10 2

Leia mais

Anexo 4 Regras de faturação

Anexo 4 Regras de faturação Anexo 4 Regras de faturação Data: 01 Dezebro 2014 Página: 1/8 Versão: V0 Índice 1 Introdução 3 2 Regras de facturação 3 2.1 Análise de Viabilidade de Ocupação 3 2.1.1 Pedido de Viabilidade 3 2.2 Serviço

Leia mais

CALORIMETRIA. Relatório de Física Experimental III 2004/2005. Engenharia Física Tecnológica

CALORIMETRIA. Relatório de Física Experimental III 2004/2005. Engenharia Física Tecnológica Relatório de Física Experiental III 4/5 Engenharia Física ecnológica ALORIMERIA rabalho realizado por: Ricardo Figueira, nº53755; André unha, nº53757 iago Marques, nº53775 Grupo ; 3ªfeira 6-h Lisboa, 6

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE MATO GROSSO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE MATO GROSSO 04.101.01 PROC. ADM. N. 1108/2010 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 013/2011 PARA INSTALAÇÃO DE SISTEMA DE TELEFONIA VOIP COM FORNECIMENTO

Leia mais

Prezado Candidato, O Forte é de construção antiga. A frase do texto que justifica esta afirmação é:

Prezado Candidato, O Forte é de construção antiga. A frase do texto que justifica esta afirmação é: Prezado Candidato, a universidade Federal Fluinense, nos últios anos, te elaborado a prova da prieira etapa de seu vestibular adotando u deterinado critério no sequenciaento das questões - eixos teáticos.

Leia mais