Planejamento Estratégico Quatro Projetos da Equipe 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planejamento Estratégico 2007 2008. Quatro Projetos da Equipe 1"

Transcrição

1 Planejamento Estratégico Objetivo Estratégico: Estimular criação / desenvolvimento e fortalecimento de programas estaduais e setoriais. Quatro Projetos da Equipe 1 revisão em 26/09/2007

2 Missão: Promover, fortalecer e integrar programas estaduais e setoriais de QPC, visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil e a qualidade de vida de seus cidadãos. Visão: Ser o principal impulsionador dos programas estaduais e setoriais de QPC na promoção do desenvolvimento sustentável do Brasil. Foco de Atuação Partes Interessadas Promover a articulação entre as diversas partes interessadas Consolidação, crescimento e consistência dos programas de qualidade Estimular criação / desenvolvimento e fortalecimento de programas regionais e setoriais Estimular cooperação e integração entre os programas Disseminar conteúdos para a melhoria contínua dos programas Buscar consistência técnica nos diversos programas e premiações existentes Apoio no desenvolvimento de produtos Promover a qualidade, a produtividade e a competitividade no país Promoção de Resultados nos Setores Prioritários da Rede QPC Coordenar a permanente identificação e priorização de oportunidades e necessidades Articular a viabilização e coordenar a implementação das soluções Liderar o desenvolvimento e compartilhamento de melhores práticas Financeira Garantir sustentabilidade financeira Gestão e Relacionamento Captar e aplicar recursos de forma eficiente Buscar parcerias e estabelecer redes Sustentação Promover a educação continuada de membros e gestores Desenvolver a gestão do conhecimento Estimular voluntariado Promover o uso de tecnologias de gestão

3 Missão: Promover, fortalecer e integrar programas estaduais e setoriais de QPC, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do Brasil e a qualidade de vida de seus cidadãos. Visão 2010: Ser o principal impulsionador dos programas estaduais e setoriais de QPC na promoção do desenvolvimento sustentável do Brasil. Foco de Atuação Partes Interessadas Promover a articulação entre os membros do fórum Consolidação, crescimento e consistência dos programas de qualidade Estimular criação / desenvolvimento e fortalecimento de programas estaduais e setoriais Buscar consistência técnica nos diversos programas e premiações Disseminar conteúdos para a melhoria contínua dos programas Estimular cooperação e integração entre os programas e as premiações Apoio no desenvolvimento de produtos Promover a QPC no país e a qualidade de vida dos cidadãos Promoção de Resultados nos Setores Prioritários da Rede QPC Coordenar a permanente identificação e priorização de oportunidades e necessidades Articular a viabilização e coordenar a implementação das soluções Liderar o desenvolvimento e compartilhamento de melhores práticas Financeira Garantir sustentabilidade financeira Gestão e Relacionamento Captar e aplicar recursos de forma eficiente Buscar parcerias e estabelecer redes Sustentação Promover a educação continuada de membros e gestores Desenvolver a gestão do conhecimento Estimular voluntariado Promover o uso de tecnologias de gestão

4 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T 1T 2T 3T 4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios rios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais ais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários rios 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos n do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

5 OBJETIVO: NOME DO PROJETO AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS PELOS CRITÉRIOS DOS 500 PONTOS Estimular os Programas a utilizarem o modelo de gestão pelos critérios dos 250 pontos primeiros passos para utilização dos Critérios de Excelência. 02 EQUIPE: MG -Kedhy/AL - Nádia SE - Roberto Diniz/ES - Sônia RO -Juciana/PB Marilda MS - Maria Elisa; PA Eda Maria PADRINHO: Marcel Indicador N N PESQPC s avaliados Prazo Junho 2008 AÇÕES PROPOSTAS / PRAZOS: 1. Concluir implementação da pesquisa de maturidade (verificar quais programas não realizaram a pesquisa e motivá-los); 2. Divulgar modelo de plano de ação com base na pesquisa de maturidade e discutir no Fórum; 3. Sensibilizar os Programas para iniciarem o processo de autoavaliação; 4. Capacitar os Programas para nivelar conhecimento sobre autoavaliação e seu processo; 5. Aplicar auto-avaliação nos Programas; 6. Padronizar plano de ação de melhorias com base na autoavaliação 7. Sistematizar, para as reuniões do Fórum QPC, apresentações de Programas avaliados (divulgação de boas práticas e ativos existentes). Junho 2008 DATA DE CONCLUSÃO DO PROJETO STATUS DAS EXECUÇÕES 1. Pesquisa de maturidade enviada a todos os Programas e respondida por alguns. 2. Modelo de Plano de Ação elaborado pelo MCS colocado à disposição de todos os Programas e continua á disposição. 3. Régua de medição alterada para 250 pontos e não 500 pontos. 4. PB possui ferramenta e enviará para todos que funciona como formulário de evidências. 5. É senso comum que todos os Movimentos possuem conhecimento para aplicar a auto avaliação. INDICADORES DE CONCLUSÃO DO PROJETO: 10 Programas avaliados até junho 2008 (MS, PA, ES, PR, SE, RS, MG, RJ, BA, SP além de outros interessados)

6 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T 1T 2T 3T 4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios rios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais ais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários rios 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos n do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

7 OBJETIVO: NOME DO PROJETO DESENVOLVIMENTO E CRIAÇÃO DE NOVOS PESQPC 08 EQUIPE: MG -Kedhy/AL - Nádia SE - Roberto Diniz/ES - Sônia RO -Juciana/PB Marilda MS - Maria Elisa; PA Eda Maria PADRINHO SE- Marcel: Incentivar a criação, a Consolidação e desenvolvimento e integração dos programas estaduais e setoriais Indicadores - Número de programas estabelecidos AÇÕES PROPOSTAS / PRAZOS: 1. Analisar o status de cada um dos programas; 2. Realizar reuniões de sensibilização das governanças estaduais (governo + iniciativa privada e terceiro setor); 3. Priorizar Estados: Roraima, Acre, Amapá, Ceará, Rio Grande do Norte,Tocantins, Maranhão, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e Piauí 4. Estimular a participação de programas nos setores considerados prioritários na reunião do Forum QPC; 5. Definir metodologia / modelo de gestão para programas/ termos de parcerias/regimentos/estatutos no site; 6. Preparar manuais, cartilhas e roteiros para a implementação e desenvolvimento dos programas (solicitar liberação do RJ e RS para utilizar os seus modelos); 7. Conscientizar os diversos programas a implantarem o modelo de gestão (com suas diversas fases: planejar a ação necessária em cada um dos programas; Validar o planejamento com os respectivos líderes; Acompanhar a execução) 8. Incluir as informações de ativos, levantamento de demandas e planejamento estratégico do GERAAÇÃO no portal INDICADORES DE CONCLUSÃO DO PROJETO: - Manual / cartilha produzida; Prazo Dezembro/2008 STATUS DAS DAS EXECUÇÕES 1. Levantamento de Informações (Incluindo contatos nos estados com Cadastro por Programas Estaduais, Setoriais e Entidades). 2. Levantamento de ativos, Demandas e Planejamento Estratégico Termo de Referência. DATA DE CONCLUSÃO DO PROJETO Dezembro/ Plano de consolidação / desenvolvimento entregue

8 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T 1T 2T 3T 4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios rios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais ais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários rios 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos n do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

9 OBJETIVO: NOME DO PROJETO PLANO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING Executar o plano de comunicação definido visando promover o alinhamento das ações para o fortalecimento da imagem do Fórum QPC EQUIPE: MG -Kedhy/AL --Nádia SE --Roberto Diniz/ES --Sônia RO -Juciana/ MS --Maria Elisa; PA Eda Maria, SE --Marcel Madrinha: PB Marilda 12 Indicador -Número de aparições dos Programas na mídia; - N de acessos da Rede de Portais Prazo Dezembro/2008 AÇÕES PROPOSTAS / PRAZOS: 1. Execução do plano de comunicação (que consta nos próximos 5 slides) ; 2. Acompanhamento; STATUS DAS EXECUÇÕES 1. Plano de comunicação elaborado e apresentado no Fórum de QPC. 3. Avaliação; 4. Ações de melhoria. DATA DE CONCLUSÃO DO PROJETO Dezembro/2008 INDICADORES DE CONCLUSÃO DO PROJETO: - Publicações na Rede de Portais; - Centímetros /coluna; - Inserções na mídia.

10 Plano de Comunicação e Marketing (FORTALECIMENTO DA IMAGEM DO FÓRUM QPC) Objetivo 1 ) Desenvolver o n Desenvolver o nível de comunicação das ações a do Fórum F QPC no ambiente de domínio dos programas estaduais, setoriais e entidades envolvidas, promovendo uma maior integração e coordenação das ações a de comunicação. Objetivo 2) Caracterizar o Fórum F QPC como fonte da informação e referência nos temas Qualidade, Produtividade e Competitividade em seus respectivos estados / setores. Objetivo 3) Facilitar as articulações através s do processo de comunicação em rede, visando mobilizar os programas estaduais e setoriais, assim como os prêmios, nacional, estadual e setorialmente.

11 Plano de Comunicação e Marketing 1) Agenda nacional 2) Assessoria de Imprensa Mobilizar veículos existentes nos Programas Cadastro de relacionamento Produção de notícias e conteúdos Estrutura de eventos Publicação no Portal Clipagem / Relatórios Material promocional meio impresso 3) Portal na Internet Hotsite do Fórum F QPC Portal Qualidade.com Rede de Conexão entre os programas do FórumF Newsletter da Rede PQC 4) Rede de intranet AÇÕES

12 Plano de Comunicação e Marketing Disseminação da informação Fortalecimento da marca e da imagem Relacionamento Notícias Newsletter ASSESSORIA DE IMPRENSA Resultados Rede Eventos Agenda Mailing cadastro Clipagem Relatórios

13 Monitorar o cadastro das áreas de comunicação / imprensa dos programas que integram o Fórum F QPC. (mailling list) Plano de Comunicação e Marketing (ASSESSORIA DE IMPRENSA) Gerar conteúdos para veículos de comunicação em geral (mídia) e para publicação no Hotsite do Fórum F QPC e na Rede de Conexão dos Programas. (treinamento para os programas) Enviar material pertinente para entidades parceiras com vistas a publicação nos seus veículos de comunicação sobre andamento dos projetos do PE do Fórum. F Traduzir conteúdo técnico t para linguagem jornalística de entendimento para o grande público p ( e disseminá-la a nível n nacional) Pesquisar na internet e outras fontes de informação relacionadas a qualidade, produtividade e competitividade, conteúdos para divulgação com abordagem de interesse da estratégia do Fórum F QPC. (estrutura própria pria disponibilizando no portal para divulgação no site de cada estado e inclusive na mídia m estadual) Realizar cobertura dos principais eventos do Fórum F QPC da agenda nacional. (estrutura própria pria disponibilizando no portal para divulgação no site de cada estado e inclusive na mídia m estadual) Divulgar cases de sucesso de diferentes programas do Fórum F QPC. ( criar padrão para os cases no portal) Facilitar a cobertura jornalística dos veículos de comunicação, produzindo material qualificado para atender necessidades específicas. (inclusive release de eventos nacionais) Sugerir e assessorar na produção de encartes ou cadernos/projetos especiais sobre o tema da Qualidade, produtividade e competitividade. (inclusive projeto para disseminação deste conhecimento pelo rádio r em linguagem adequada) Preparar conteúdo para divulgação em colunas permanentes de jornais e/ou informes de entidades de classe. (estrutura própria pria disponibilizando no portal para divulgação no site de cada estado e inclusive na mídia m estadual)

14 Plano de Comunicação e Marketing EXEMPLOS PÚBLICOS Campeões de Classe NECESSIDADES Exemplos, Segmento, Imagem PRODUTOS Entrevistas / Notícias / Fotos Propaganda institucional Empresários rios Balisamento/referenciais, fornecedores, desmistificação Serviços, eventos, cases Técnicos Conhecimento, novidades Macetes, eventos, serviços, artigos Programas Estaduais/ Setoriais Comunidade em geral Referencial, apoio técnico, t parceiros Esclarecimento, informação Cadastro, rede, notícias prontas Divulgação Noticias, eventos, serviços, caravanas da qualidade, missões técnicast

15 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T 1T 2T 3T 4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios rios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais ais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários rios 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos n do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

16 NOME DO PROJETO PROMOVER INTEGRAÇÃO DO GESPÚBLICA COM OS PROGRAMAS ESTADUAIS OBJETIVO: Promover integração dos Núcleos do GESPÚBLICA com os programas estaduais 13 EQUIPE: MG -Kedhy/AL --Nádia SE --Roberto Diniz/ES --Sônia RO -Juciana/PB Marilda MS --Maria Elisa; PA Eda Maria PADRINHO: : SE --Marcel Indicador Participação de de Gespública nas reuniões do do Fórum Prazo Dez/2008 AÇÕES PROPOSTAS / PRAZOS: 1. Incentivar a participação do GESPÚBLICA nos eventos do Fórum QPC; 2. Convidar para reuniões / seminários regionais os núcleos do GESPÚBLICA que fazem parte da região onde acontece o evento; 3. Identificar os cases de organizações públicos visando divulgálos nos eventos ; 4. Estimular as organizações públicas para participarem do Gespública e/ou do Movimento da Qualidade do Estado 5. Colocar as estruturas dos programas estaduais à disposição dos núcleos do Gespública viabilizando parcerias STATUS DAS EXECUÇÕES 1. Convite ao GESPÚBLICA para participação nas reuniões do Fórum QPC. 2. Realização das reuniões das 5 Entidades Nacionais DATA DE CONCLUSÃO DO PROJETO Dezembro/2008 INDICADORES DE CONCLUSÃO DO PROJETO: Participação do Gespública Nacional e do Núcleo Local em todas as reuniões do Fórum QPC

Planejamento Estratégico 2007-2008

Planejamento Estratégico 2007-2008 Planejamento Estratégico 2007-2008 Missão: Promover, fortalecer e integrar programas estaduais e setoriais de QPC, visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil e a qualidade de vida

Leia mais

Gestão Colaborativa. Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009. Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise INOVAÇÃO

Gestão Colaborativa. Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009. Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise INOVAÇÃO Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise Gestão Colaborativa INOVAÇÃO SUSTENTABILIDADE GESTÃO COLABORATIVA EMPREENDEDORISMO CRIATIVIDADE Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009

Leia mais

Planejamento Estratégico 2007-2008

Planejamento Estratégico 2007-2008 Planejamento Estratégico 2007-2008 Missão: Promover, fortalecer e integrar programas estaduais e setoriais de QPC, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do Brasil e a qualidade de vida de seus

Leia mais

Movimento Brasil Competitivo

Movimento Brasil Competitivo Movimento Brasil Competitivo O NOVO CONPI Conselho das Partes Interessadas Irani Carlos Varella Presidente do CONPI Assessor do Presidente da Petrobras Belém, 25 de setembro de 2007 Revisão das Atribuições

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 Cruz das Almas BA 2013 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO

Leia mais

Projeto 05. Plano de intercâmbio / parceria entre os examinadores de diferentes Estados e Setores

Projeto 05. Plano de intercâmbio / parceria entre os examinadores de diferentes Estados e Setores Projeto 05 Plano de intercâmbio / parceria entre os examinadores de diferentes Estados e Setores Estimular intercâmbio/ parceria entre os examinadores de diferentes estados e setores Desenvolver plano

Leia mais

A Inovação. como Fator de Desenvolvimento das MPEs. Luiz Carlos Barboza. Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional. 27 de outubro 2009

A Inovação. como Fator de Desenvolvimento das MPEs. Luiz Carlos Barboza. Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional. 27 de outubro 2009 A Inovação como Fator de Desenvolvimento das MPEs Luiz Carlos Barboza Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional 27 de outubro 2009 Ambiente Institucional Pro-inovaç inovação Fundos setoriais (16) estabilidade

Leia mais

RUMO DAS FORMAS DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE DOS PROGRAMAS

RUMO DAS FORMAS DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE DOS PROGRAMAS Natureza Jurídica Característica da Qualidade Rio Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços do Rio de Janeiro Critérios de Excelência da FNQ e Norma ISO 9001:2000

Leia mais

Fórum Nacional QPC. 30 de setembro de 2009 Claudio L. Gastal Diretor Presidente

Fórum Nacional QPC. 30 de setembro de 2009 Claudio L. Gastal Diretor Presidente Fórum Nacional QPC 30 de setembro de 2009 Claudio L. Gastal Diretor Presidente Diretriz do MBC Movimento Brasil Competitivo Estimular iniciativas estaduais de Qualidade, Produtividade e Competitividade

Leia mais

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE 1 Agradecimentos e reflexões iniciais 2 Normas e Sistema de Gestão Integrado 3 Modelo de Excelência na Gestão 4 Interfaces

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança Metodologia Seleção

Leia mais

Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado

Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado Consultor Sebrae Nacional PARCERIAS MPOG - Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão/SLTI CONSAD Conselho Nacional de Secretários

Leia mais

G e s t ã o Colaborativa, Humanizada e Sustentável. Luiz Ildebrando Pierry Coordenador Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade

G e s t ã o Colaborativa, Humanizada e Sustentável. Luiz Ildebrando Pierry Coordenador Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade G e s t ã o Colaborativa, Humanizada e Sustentável Luiz Ildebrando Pierry Coordenador Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Mudanças Estratégias Escolhas Circunstâncias O momento que vivemos:

Leia mais

Gerência de Comunicacão

Gerência de Comunicacão Gerência de Comunicacão Quem somos? Representação política e institucional Representação sindical Educação cooperativista, promoção social e monitoramento Gecom Marketing Publicidade e propaganda Assessoria

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) procura

Leia mais

Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade

Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade A BUSCA CONTÍNUA DA EXCELÊNCIA DA GESTÃO É O QUE NOS MOVE! A Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) é uma instituição sem fins lucrativos, que conta com uma rede

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Atualização: 26/outubro Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança

Leia mais

RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS

RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS RESULTADOS PESQUISA COM COMITÊS Definição e significado do PGQP para os comitês: Definições voltadas para ao Programa Significado do PGQP Qualificação das organizações

Leia mais

Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009

Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009 Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009 Estrutura da AQRS/PGQP 2009/2010 CONSELHO SUPERIOR CONSELHO FISCAL CTSA CTSA CONSELHO DIRETOR SECRETARIA EXECUTIVA Comitês Setoriais Comitês Regionais Org. com Termo de

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ)

Leia mais

Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros

Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros Denise Mafra Gonçalves; Maria Cristina Abreu Martins de Lima;

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

NOSSA MISSÃO NOSSA ASPIRAÇÃO NOSSOS CLIENTES

NOSSA MISSÃO NOSSA ASPIRAÇÃO NOSSOS CLIENTES NOSSA MISSÃO Estimular e apoiar as organizações para o desenvolvimento e evolução de sua gestão, por meio da disseminação dos Fundamentos e Critérios de Excelência, para que se tornem sustentáveis, cooperativas

Leia mais

Programa Excelência na Gestão das Organizações de Software

Programa Excelência na Gestão das Organizações de Software Programa Excelência na Gestão das Organizações de Software EQPS Recife PE - 26 SET 05 Carlos Mathias Mota Varga CBM Tecnologia POLÍTICA DE SOFTWARE - QUALIDADE META DA POLÍTICA AUMENTAR A COMPETITIVIDADE

Leia mais

Projeto Rede QPC +20

Projeto Rede QPC +20 Projeto Rede QPC +20 O QUE É É uma rede nacional de entidades que possuem a missão de aumentar a competitividade das organizações e do Brasil, por meio da promoção da melhoria da Gestão Empresarial. QUEM

Leia mais

Reunião do Comitê de Marketing 13 e 14 de janeiro de 2011

Reunião do Comitê de Marketing 13 e 14 de janeiro de 2011 ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Reunião do Comitê de Marketing 13 e 14 de janeiro de 2011 Memória Presentes: membros do

Leia mais

ATA DE REUNIÃO XXXV FÓRUM NACIONAL DOS PROGRAMAS DE QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE. P a r t i c i p a n t e s

ATA DE REUNIÃO XXXV FÓRUM NACIONAL DOS PROGRAMAS DE QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE. P a r t i c i p a n t e s ATA DE REUNIÃO XXXV FÓRUM NACIONAL DOS PROGRAMAS DE QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE DATA: 24 DE OUTUBRO DE 2006 Inicio: 10:20 horas LOCAL: Vitória/ES - Salão de Recepção da FINDES- Avenida Nossa

Leia mais

REDE NACIONAL DE QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE E O MOVIMENTO COMPETITIVO SERGIPE

REDE NACIONAL DE QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE E O MOVIMENTO COMPETITIVO SERGIPE REDE NACIONAL DE QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE E O MOVIMENTO COMPETITIVO SERGIPE Aladio Antonio de Sousa Petrobras/UN-SEAL Marcel Menezes Fortes Petrobras/DSG/PG Movimento Competitivo Sergipe

Leia mais

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação Título da apresentação DEFINIÇÃO: É um sistema de resolução de problemas técnico-gerenciais e tecnológicos que visa incrementar a competitividade e promover a cultura exportadora empresarial e estrutural

Leia mais

Programas de Apoio à Exportação

Programas de Apoio à Exportação INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Programas de Apoio à Exportação ENCOMEX JARAGUÁ DO SUL Flávio Martins Pimentel Coordenação-Geral de Programas de Apoio à Exportação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional Desafio Fomentar o Uso do Poder de Compra do Governo Junto aos Pequenos Negócios para Induzir

Leia mais

Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a FNQ é uma instituição sem fins lucrativos, cujo objetivo é disseminar

Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a FNQ é uma instituição sem fins lucrativos, cujo objetivo é disseminar Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a FNQ é uma instituição sem fins lucrativos, cujo objetivo é disseminar os Fundamentos da Excelência em Gestão para organizações

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ LUÍS MÁRIO LUCHETTA DIRETOR PRESIDENTE GESTÃO 2005/2008 HISTÓRICO

Leia mais

Estratégias de atuação da FNQ

Estratégias de atuação da FNQ Estratégias de atuação da FNQ Mudanças na estrutura organizacional FNQ Estrutura organizacional principais mudanças Direção Executiva COMEX Diretor Executivo: Ricardo Correa Martins Principais Processos

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

O Engajamento em Programas Empresariais: funcionários, gestão e áreas parceiras. Trabalho em Grupo Encontro de 03/08/2011

O Engajamento em Programas Empresariais: funcionários, gestão e áreas parceiras. Trabalho em Grupo Encontro de 03/08/2011 O Engajamento em Programas Empresariais: funcionários, gestão e áreas parceiras Trabalho em Grupo Encontro de 03/08/2011 Resumo Mesa 1 Questão 1 O que dá significado/contribui para a participação do funcionário

Leia mais

DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE COMPRAS ESTADUAIS

DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE COMPRAS ESTADUAIS DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DOS MODELOS DE COMPRAS ESTADUAIS Grupo de trabalho Metodologia BID ENAP Modelo colaborativo de construção e desenvolvimento do projeto com grupo multidisciplinar

Leia mais

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar:

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar: Introdução É grande a parcela da população das nações mais desenvolvidas do mundo que está se organizando em sociedades e associações civis que defendem interesses comuns. Essas pessoas já perceberam que

Leia mais

Planejamento Estratégico 2013-2017 O NEP-MA RUMO A EXCELÊNCIA NA GESTÃO

Planejamento Estratégico 2013-2017 O NEP-MA RUMO A EXCELÊNCIA NA GESTÃO Planejamento Estratégico 2013-2017 O NEP-MA RUMO A EXCELÊNCIA NA GESTÃO O NEP-MA RUMO A EXCELÊNCIA NA GESTÃO POR QUE EXISTIMOS? NOSSA MISSÃO: Apoiar a construção de organizações públicas excelentes, premiando

Leia mais

II Seminário de Intercâmbio de Experiências Exitosas apara o Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Rede IDEEA

II Seminário de Intercâmbio de Experiências Exitosas apara o Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Rede IDEEA II Seminário de Intercâmbio de Experiências Exitosas apara o Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Rede IDEEA Salvador, Bahia Brasil, 19 e 20 de novembro de 2009 Mobilização Mundial Conferências

Leia mais

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas o Docente universitária na disciplina Fundamentos de marketing o 12 anos de experiência em comunicação

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA Programa Nacional de Capacitação e Qualificação ABLA Convênio nº 635/2007. Objeto: Aumentar a qualidade na prestação de serviços e competitividade dos

Leia mais

A LB Comunica desenvolve estratégias e ações de marketing e comunicação, feitas sob medida para a realidade e as necessidades de cada cliente.

A LB Comunica desenvolve estratégias e ações de marketing e comunicação, feitas sob medida para a realidade e as necessidades de cada cliente. .a agência A LB Comunica desenvolve estratégias e ações de marketing e comunicação, feitas sob medida para a realidade e as necessidades de cada cliente. Nosso compromisso é auxiliar empresas e organizações

Leia mais

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil Após um mais de ano de trabalho e experiências adquiridas a CRIC apresenta à diretoria regional as diretrizes que regem

Leia mais

Data: 23 e 24 de maio de 2013 Horário: 08h00-17h00 Centro de Convenções Rebouças. Av. Rebouças, 600 (estacionamento) Av. Dr.

Data: 23 e 24 de maio de 2013 Horário: 08h00-17h00 Centro de Convenções Rebouças. Av. Rebouças, 600 (estacionamento) Av. Dr. Data: 23 e 24 de maio de 2013 Horário: 08h00-17h00 Centro de Convenções Rebouças. Av. Rebouças, 600 (estacionamento) Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 23 (portaria 1) Cerqueira Cesar São Paulo - SP Todos

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

BPM Congress 27 e 28-11-2012. Palestrante: Ranussy Gonçalves

BPM Congress 27 e 28-11-2012. Palestrante: Ranussy Gonçalves BPM Congress 27 e 28-11-2012 Palestrante: Ranussy Gonçalves O SEBRAE-MG Mais de 700 funcionários Orçamento para 2012 de mais de R$ 185 milhões 130 mil empresas atendidas em 2011 e 150 mil para 2012 O início

Leia mais

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO 1.1. O Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) é um concurso jornalístico instituído pelo Sebrae Nacional Serviço Brasileiro

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa

Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa COMEMORAÇÃO DOS 29 ANOS DO ICICT/FIOCRUZ Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa O papel da COSAPI no incentivo de experiências exitosas de

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012.

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. PROPOSTA Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. 1 Apresentação No campo da Política Nacional de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), o Grupo de Trabalho Permanente

Leia mais

Seminário Regional em Busca de Excelência. Programa de Excelência em Gestão SESDEC

Seminário Regional em Busca de Excelência. Programa de Excelência em Gestão SESDEC Seminário Regional em Busca de Excelência Programa de Excelência em Gestão SESDEC Criado em 2007 o PEG tem por objetivo qualificar a gestão da SESDEC utilizando os modelos preconizados pela FNQ, GESPÚBLICA

Leia mais

Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015

Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015 Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015 A proposta de plano de comunicação elaborada pela Coordenação- Geral de Comunicação e Editoração

Leia mais

REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA

REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA VALIDAÇÃO DO MODELO CONCEITUAL DE GC DOS CORREIOS POR MEIO DO PROCESSO PILOTO CEP Alceu Roque Rech CORREIOS 17.06.13

Leia mais

Programa de Relacionamento _ 2016. publicidade. Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção

Programa de Relacionamento _ 2016. publicidade. Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção publicidade Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção Ao longo dos seus 20 anos de existência,

Leia mais

REDE DE COMUNICADORES CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO (CBIC)

REDE DE COMUNICADORES CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO (CBIC) REDE DE COMUNICADORES CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO (CBIC) Objetivo, metodologia e amostra OBJETIVO DO TRABALHO Identificar as práticas de Comunicação dos profissionais que fazem parte da

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015 Governança Pública O Desafio do Brasil Contra a corrupção e por mais desenvolvimento Governança de Municípios Março/2015 João Augusto Ribeiro Nardes Ministro do TCU Sumário I. Introdução-OTCUeocombateàcorrupção

Leia mais

Programa de Inovação. nas Pequenas Empresas ABINEE TEC 2009 ENITEE

Programa de Inovação. nas Pequenas Empresas ABINEE TEC 2009 ENITEE Programa de Inovação nas Pequenas Empresas ABINEE TEC 2009 ENITEE Inovação Competitividade Direcionamento do Sistema SEBRAE 2015 Promover a inovação nas MPE Incentivar a cultura de inovação nas MPE,buscando

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Informações Básicas Recursos Humanos Foram pesquisadas as pessoas que trabalhavam na administração direta e indireta por vínculo empregatício e escolaridade;

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2013

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2013 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2013 Cruz das Almas BA 2014 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

Plano de Melhoria da Gestão

Plano de Melhoria da Gestão Plano de Melhoria da Gestão Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização Sanatório de Messejana Instituição Privada para Tratamento de Tuberculose administrado por religiosas; Capacidade instalada

Leia mais

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013 Atuação das Instituições GTP- APL Sebrae Brasília, 04 de dezembro de 2013 Unidade Central 27 Unidades Estaduais 613 Pontos de Atendimento 6.554 Empregados 9.864 Consultores credenciados 2.000 Parcerias

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

PROCESSO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS TURÍSTICOS

PROCESSO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS TURÍSTICOS AGOSTO, 2009 PROCESSO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS TURÍSTICOS Meios de Transportes Atrativo Turístico Necessidades do Turista Turista O turista compra direto com a rede de prestadores de serviços turísticos

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Pactuação do processo de construção da Estratégia de Educação Permanente do Sisan para os próximos 4 anos. 9º Encontro Caisan 11/03/2015

Pactuação do processo de construção da Estratégia de Educação Permanente do Sisan para os próximos 4 anos. 9º Encontro Caisan 11/03/2015 Pactuação do processo de construção da Estratégia de Educação Permanente do Sisan para os próximos 4 anos 9º Encontro Caisan 11/03/2015 Contribuição das Conferências de SAN ao debate da educação e formação

Leia mais

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF Dezembro de 2013 OBJETIVO Promover a competitividade das micro e pequenas empresas

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006 SELEÇÃO E CREDENCIAMENTO DE PARCEIROS PARA OPERAÇÃO DESCENTRALIZADA DO PROGRAMA DE APOIO À PESQUISA EM EMPRESAS NA MODALIDADE SUBVENÇÃO A MICRO E PEQUENAS

Leia mais

Plano de Marketing Operacional

Plano de Marketing Operacional Plano de Marketing Operacional CONTEÚDO 1. Oportunidade do projecto APCMC +Inovação... iii 2. Plano de comunicação... viii 3. Controlo e revisão... xvi ii 1. Oportunidade do projecto APCMC +Inovação A

Leia mais

Programa Tear. Objetivo: Propósito: Sustentabilidade. Competitividade

Programa Tear. Objetivo: Propósito: Sustentabilidade. Competitividade Programa Tear Objetivo: Competitividade & Sustentabilidade Propósito: Implementação da RSE em PMEs da cadeia de valor de empresas estratégicas em 07 setores da economia Parceiros Parceiros do projeto:

Leia mais

Atualização constante, o segredo do S U C E S S O D A F N Q

Atualização constante, o segredo do S U C E S S O D A F N Q Atualização constante, o segredo do S U C E S S O D A F N Q Instituição atualiza Fundamentos da Excelência e lança produtos que ajudam empresas a melhorar seus sistemas de gestão Ao longo dos 15 anos de

Leia mais

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL JUSTIFICATIVA A experiência na implementação da primeira versão do Programa Contabilizando o Sucesso

Leia mais

As Compras Públicas, Simplificação, Sustentabilidade e Micro e Pequenas Empresas. Maurício Zanin Consultor SEBRAE Nacional

As Compras Públicas, Simplificação, Sustentabilidade e Micro e Pequenas Empresas. Maurício Zanin Consultor SEBRAE Nacional As Compras Públicas, Simplificação, Sustentabilidade e Micro e Pequenas Empresas Maurício Zanin Consultor SEBRAE Nacional OBJETIVO DAS NORMAS (linhas da esquerda para a direita) 8.666/93 Lei Geral de

Leia mais

Projeto de Inovação Tecnológica - (PIT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção. Projeto 6 Capacitação para a Inovação

Projeto de Inovação Tecnológica - (PIT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção. Projeto 6 Capacitação para a Inovação Projeto de Inovação Tecnológica - (PIT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção Projeto 6 Capacitação para a Inovação Vicente Mattos Sinduscon-BA Coordenador Geral: Equipe Técnica Vicente Mattos

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor 2 Apresentando as etapas da Metodologia Tear de forma simplificada, esta versão resumida foi preparada para permitir um acesso rápido

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO SETORIAL DE AÇÃO - 2012 PROCURADORIAS E PROMOTORIAS DE JUSTIÇA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO SETORIAL DE AÇÃO - 2012 PROCURADORIAS E PROMOTORIAS DE JUSTIÇA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO SETORIAL DE AÇÃO - 202 PROCURADORIAS E PROMOTORIAS DE JUSTIÇA SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA PARA ASSUNTOS DE PLANEJAMENTO INSTITUCIONAL SUBPLAN DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO

Leia mais

RELATÓRIO DE IMPACTO SGE 2014

RELATÓRIO DE IMPACTO SGE 2014 RELATÓRIO DE IMPACTO SGE 2014 ÍNDICE I.SEMANA GLOBAL DO EMPREENDEDORISMO NO MUNDO II. SEMANA GLOBAL DO EMPREENDEDORISMO NO BRASIL III. QUEM FEZ A SGE ACONTECER IV. RESULTADOS 2014 V. COMUNICAÇÃO DA SGE

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

Combate à Pobreza, Crescimento Inclusivo e Nova Agenda Social. Centro de Políticas Sociais FGV Wanda Engel Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2015

Combate à Pobreza, Crescimento Inclusivo e Nova Agenda Social. Centro de Políticas Sociais FGV Wanda Engel Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2015 Combate à Pobreza, Crescimento Inclusivo e Nova Agenda Social Centro de Políticas Sociais FGV Wanda Engel Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2015 Marcos da Política de Combate à Pobreza Antecedentes: Assistência

Leia mais

V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012

V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012 V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012 Federação Nacional das Empresas de Serviços de Limpeza Ambiental (FEBRAC) Um dia de cidadania faz o mundo melhor Introdução Após analisar

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

Plano de Comunicação do Planejamento Estratégico Nacional do Ministério Público 2011-2015

Plano de Comunicação do Planejamento Estratégico Nacional do Ministério Público 2011-2015 Plano de Comunicação do Planejamento Estratégico Nacional do Ministério Público 2011-2015 Brasília, dezembro de 2011 APRESENTAÇÃO Este plano de comunicação tem a finalidade de programar a divulgação do

Leia mais

Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte

Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Empresas Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno

Leia mais