COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL NAS ORGANIZAÇÕES: Um estudo epistemológico do processo sistêmico Wilson de Moura Filho MBA em Marketing - ESAMC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL NAS ORGANIZAÇÕES: Um estudo epistemológico do processo sistêmico Wilson de Moura Filho MBA em Marketing - ESAMC"

Transcrição

1 COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL NAS ORGANIZAÇÕES: Um estudo epistemológico do processo sistêmico Wilson de Moura Filho MBA em Marketing - ESAMC Resumo Sem o compromisso de esgotar o assunto, e por observar que são muitos os trabalhos acadêmicos sobre comunicação organizacional, mas poucos aqueles que têm seu foco na comunicação interpessoal, e menos ainda, aqueles que tratam o assunto do ponto de vista epistemológico e sistêmico, o texto, em um primeiro momento, trata de: fazer uma revisão bibliográfica do assunto; localizar este tipo de comunicação dentro do composto da comunicação integrada; e definir as premissas que darão base para este estudo. Em um segundo momento, considerando a interdisciplinaridade que é peculiar de todas as ciências humanas, identifica outras disciplinas que podem contribuir, neste caso, a PNL Programação Neurolingüística, a Inteligência Emocional, e a Quântica, para então, desconstruir o processo e compor, de forma gráfica, a estrutura do fenômeno, contendo não só os seus componentes, mas também o fluxo sistêmico do processo. Palavras-Chave: Comunicação, Organizacional, Interpessoal. Abstract Without the commitment to deplete the subject and for observing that they are very academic works about organizational communication, but a few those has focus in the interpersonal communication, and less still, those that they deal with the subject the epistemological and systemic point of view. The text, at a first moment, deals with: to make a bibliographical revision of the subject; to inside locate this type of communication of the made up of the integrated communication; and to define the premises that will give base for this study. At as a moment, considering the interdisciplinary that is peculiar of all sciences human beings, identifies others disciplines that they can contribute, in this in case that, the NLP - Neurolinguistic programming, Emotional Intelligence, and the Quantum, one, for then, let us say thus, to discompose the process and to compose in graphical form, the structure of the phenomenon, not Página 113

2 only contend its components but also the systemic flow of the process. Key words: Comunication, Organizacional, Interpersonal. Introdução O presente trabalho não esgota, nem pretende esgotar, o estudo epistemológico sobre o assunto. Porém, levanta aqueles que acreditamos ser, os principais aspectos que merecem reflexão sobre o tema. A proposta é se fazer uma análise da comunicação interpessoal nas organizações, sob uma perspectiva do processo sistêmico, com o objetivo de definir com clareza, quais os elementos que compõem este processo, assim como, considerando que este é interdisciplinar, quais as áreas de estudo que dele fazem parte, e precisam ser aprofundadas. O objetivo é produzir material que dê sustentação ao desenvolvimento de ferramentas que possam auxiliar na construção de uma comunicação mais clara, objetiva, e com o menor nível de ruído possível, já que este tem sido um dos maiores desafios para as organizações nos dias de hoje. Organização e Comunicação Acreditamos que a melhor forma de retratar esta relação seja através da Metáfora da Pessoa, idealizada por nós, nos moldes daquelas utilizadas por Linda L.Putnam, Nelson Philips e Pamela Chapman, no cap. 3: Metáforas da Comunicação e da Organização, do livro Handbook de Estudos Organizacionais, (2004), pois esta prática é extremamente útil principalmente em casos como este, ou seja, de grande complexidade e dinamismo. Aliás, quanto ao valor das metáforas, iremos retornar ao assunto, mostrando em que se baseia a sua eficiência, no tópico relativo à Neurolingüistica. Metáfora da Pessoa: Corpo Uma organização, a nosso ver, foi sabiamente inspirada na pessoa humana. Possui um corpo, onde departamentos se destinam Página 114

3 ao desempenho de funções específicas, assim como nossos órgãos, estes coexistem em uma estrutura e uma relação de interdependência vital. Também possui um cérebro, presidência e diretoria, que o orienta, que dirige e coordenas todas as ações funcionais. Neste quadro as pessoas seriam vistas como sendo as células deste corpo. Personalidade. Como bem percebemos, cada organização também possui uma personalidade própria e única, com uma estrutura física, aparência, imagem, cultura, personalidade, reações, comportamentos, que são sempre diferentes de qualquer outra, mesmo que sejam estas, do mesmo tamanho, produzam os mesmos produtos, nas mesmas condições e volumes. Nesta analogia, onde então estaria o papel da Comunicação? O papel da comunicação é perfeitamente representado por nosso sistema neural. Sistema Nervoso. Seria então, o sistema nervoso, que ligado ao cérebro e entre si, transmitem e recebem informações e comandos tanto físicofuncionais, quanto emocionais, que por sua vez, além de provocar ações e reações nos diversos órgãos também determinam comportamentos, atitudes, que se sintetizam na postura. Estas informações permeiam a rede neural, e possuem também, emissores, receptores, os neurônios, e canais representados pelos nervos. Além disto, o sistema também emite e recebe informações ambientais e situacionais. A metáfora da pessoa foi propositalmente formulada em função de se perceber que ainda existem pessoas que vêem às organizações, não como uma forma natural e necessária do homem, de se organizar produtivamente, para obter alimento, segurança, abrigo, ou seja, sobreviver, mas sim como grandes máquinas opressoras, capazes de dominar, destruir, esmagar, aprisionar quase como um OVNI posado na terra cheios de ET s, e parecendo esquecer, que o tecido que as compõe é feito de pessoas, seres humanos como eles. Isto nos faz lembrar uma frase do filósofo, físico e matemático Pascal, que diz: O homem é o único animal que pensa que não é animal. Página 115

4 Algo a ser observado e considerado no estudo do processo, é que em grande parte dos autores, há a tentativa de demarcação de território próprio para a comunicação, de forma a criar uma espécie de competição sem sentido e profundamente prejudicial. Um exemplo disto encontramos no texto de Putnam, Philips, e Chapman, na mesma obra já citada, onde se coloca como um duvida importante: A relação da produção passa, então, pelo seguinte dilema: qual, a priori, surge primeiro, a comunicação ou a organização... (p78). ou ainda no parágrafo seguinte:... a organização é colocada no primeiro plano..., se referindo a Black, 1962, e Taylor, Tudo isto a nosso ver é algo absolutamente sem sentido e esta competitividade, característica do angloamericano, retarda o desenvolvimento desta ciência. Outra coisa que também que só retarda o andamento dos trabalhos, e que encontramos de forma recorrente nos textos de Putnam, Eisemberg, e Daniels, quando falam de perspectivas, são as críticas quanto à forma de estruturação das comunicações nas organizações, que parece não perceber que na verdade estão criticando a própria forma de estruturar a organização. Tal fato é totalmente impróprio, e demonstra uma falta de consciência da realidade e das necessidades organizacionais, afinal a Administração de Empresas é uma Ciência já bastante madura e suficientemente estabilizada. O que é incompreensível, para nós, é como não é percebido por ambas as áreas, que esta é uma relação de interdependência, mais do que isto, simbiótica e vital, da mesma forma que o é, o corpo humano e o sistema nervoso. Ou seja, não há organização sem comunicação organizacional, assim como não há comunicação organizacional sem organização. A Comunicação Interpessoal. A comunicação interpessoal pode ser vista por diversas perspectivas, uma dela, por exemplo, é a dos autores de Comunicação Humana, Ronald B. Adler e George Rodman, que no livro, colocam como interpessoal apenas a comunicação presencial e em um nível mais intenso. Certamente este tipo de visão não serve ao propósito deste, ou de qualquer outro estudo da comunicação humana nos dias de hoje, a não ser no caso restrito da Psicologia. Não obstante isto, ainda encontramos trabalhos, que as consideram. Página 116

5 Em função disto, achamos por bem definir com clareza as premissas básicas e a abrangência, necessárias à compreensão da comunicação interpessoal nas organizações. São elas: Dá-se única e exclusivamente entre duas pessoas; Independe da forma ou canal que seja utilizado; Independe do grau de profundidade, intensidade, ou do tempo em que ocorre; Independe da motivação que lhe dá origem, ou seja, funcional, (administrativa ou institucional), pessoal, ou mercadológica; Independe do local em que ocorre desde que em horário de trabalho, ou no exercício da função. Toda a comunicação interpessoal é interativa, ou seja, sempre há o retorno, a uma mensagem emitida, seja ela, na mesma forma e canal, ou através de gestos ou expressões, ou ainda o próprio silêncio, que pode também ser considerado, uma resposta 22. Uma observação importantíssima a se fazer sobre este assunto, é que o vertiginoso desenvolvimento das Tecnologias de Informação e de Telecomunicação, transformou a face das comunicações organizacionais interpessoais, tanto interna quanto externa, dando lhes a qualidade de interativas. No primeiro caso, as internas, são os messegers internos, possibilitados pela Intranet, ou através de sistemas de telefonia avançados. No segundo, as externas, tiveram também, um crescimento bastante significativo, são a internet e os sistemas de telefonia, fixa e móvel, que possibilitaram inúmeras formas de contato pessoal, como, s, Atendimentos On-line, serviços de Telemarketing, Atendimento ao Cliente, etc. Chamamos a atenção, inclusive, para a necessidade de mais pesquisa e produção acadêmica sobre o assunto Interatividade na Comunicação Organizacional, que trouxe para o âmbito da interpessoalidade muitas formas de contato que antes não o eram. Deve ser observado também, que os paradigmas atuais precisam ser 22 Como cita Artur Roman, em seu artigo, Comunicação Organizacional Quem não se comunica se trumbica, na revista FAEBUSINESS, n.4, dez Página 117

6 revistos, o que não nos parece estar sendo feito com a intensidade e urgência necessárias. Comunicação Interpessoal dentro do Composto da Comunicação Integrada Para demonstramos a participação da comunicação interpessoal dentro do composto da comunicação integrada, utilizaremos a gráfico da Prof. Dra. Margarida Kunsch, publicado no livro, Relações Públicas e a Filosofia da Comunicação Integrada, p151. Comunicação Integrada Composto da comunicação Comunicação Interna Comunicação administrativa Fluxo Redes formal e informal veículo Comunicação Institucional Comunicação Organizacional Comunicação Mercadológica Relações públicas Acessoria de Imprensa Editoração Multimídia Imagem Corporativa Propaganda Institucional Marketing Social Marketing Cultura Marketing Propaganda Promoção de Vendas Feiras e Exposições Marketing Direto Merchandising Venda Pessoal A comunicação interpessoal está presente em todas as áreas da comunicação, qual seja Comunicação Interna, Comunicação Mercadológica e Comunicação Institucional, e usando das mais variadas formas como descrevemos no item anterior. No caso da Comunicação Interna, a comunicação interpessoal possui diversos fluxos, como bem descreve Guaudêncio Torquato, Página 118

7 em sua obra, Tratado de Comunicação Organizacional e Política, p40/41, que os denomina: fluxo ascendente, fluxo descendente, fluxo lateral e fluxo diagonal. Ela tem sua presença, tanto na rede informal quanto formal, e se dá, tanto no âmbito interno, entre os funcionários, quanto no externo, com fornecedores, parceiros, consultores, entre outros. No caso da Comunicação Mercadológica, em geral administrada pela área de Marketing, está presente através das Promoções de Vendas, do Telemarketing, Marketing Direto, Venda Pessoal, Feiras e Exposições, Atendimento ao Cliente, Parceiros Comerciais, entre outros. E no Caso da Comunicação Institucional, ela tem lugar principalmente através dos profissionais de Relações Públicas. Interdisciplinaridade. Como toda a ciência na área de humanas, na comunicação existe um alto grau de interdisciplinaridade. Especificamente na comunicação organizacional interpessoal, temos, por exemplo, Sociologia, Antropologia, Psicologia, Administração e Marketing, Tecnologia de Informação, entre outras. Este fato, infelizmente nem sempre é lembrado, ou muitas vezes é negligenciado propositalmente, em uma tentativa, em geral frustrada, de demarcar território, ou até mesmo de se colocar em destaque. Por outro lado, há aqueles pesquisadores conscientes que têm o cuidado de considerá-las. É evidente que tais disciplinas, utilizam visões sob outras óticas, e se aprofundam muito mais do que seria o nosso interesse, mas isto não invalida aquilo que disse. Em nosso caso, após este estudo, foram selecionadas três disciplinas, que deram importante contribuição no mapeamento do processo, que em seguida são detalhadas, são elas: a Programação Neurolingüística; a Inteligência Emocional; e a Quântica. Contribuição da Neurolingüistica. A maior contribuição que a Programação Neurolinguística (PNL) nos trouxe, foi na estruturação, do mapa do processo, visto que, como se disse a pouco, ela estuda a logística da comunicação, tanto no que se refere àquela ocorrida entre duas pessoas, Página 119

8 Interpessoal, quanto a comunicação que as pessoas têm com consigo mesmas, Intrapessoal. Vejamos, então, quais são os fundamentos em que ela mais contribui. Os pilares da PNL são os princípios em que se baseiam a conduta das pessoas. Abaixo, selecionamos os que nos dizem respeito, e os interpretamos segundo nosso objetivo. São eles: Você- Estado emocional e nível de habilidade. Um bom nível de habilidade de se comunicar, mais, um emocional equilibrado, mais, a congruência, ou seja, o que a pessoa faz e diz sejam coerentes entre si, e esteja de acordo com suas crenças, metas e valores. Rapport- É a qualidade no relacionamento. Estabelecer Rapport na comunicação, que é, não só ter o máximo de conhecimento possível do outro, mas também saber se colocar no lugar dele. Feedback- É como saber se o que esta fazendo está dando certo. Saber dar, e estar aberto para receber, o retorno, Feedback, da mensagem, que enviou. Flexibilidade- Para, se o que estiver fazendo não estiver dando certo, faça diferente. Ser persistente, e não teimoso, ou seja, ser flexível, primeiro para admitir que a comunicação não está funcionando, e segundo para procurar novas formas de se comunicar com a outra pessoa. Esta atitude vale também para o próprio conteúdo da mensagem. Os Níveis Neurológicos, é um modelo desenvolvido por Robert Dits, que mapeia o que se chama de, Ambiente Interno, de uma pessoa, que une a personalidade, o conhecimento, o estado emocional, e a situação naquele momento. Os Níveis Neurológicos são seis, como segue: Ambiente: O onde e o quando; Comportamento: O o quê; Capacidade: O como; Crenças e Valores: O porque; Identidade: O quem; e Além de Identidade: Conexão. Página 120

9 A importância deste mapeamento é grande, pois o Ambiente Interno é fator determinante na interpretação e significação da mensagem para o receptor, e assim quanto mais se conhecer o receptor nestes aspectos, melhor podemos preparar a mensagem de forma que esta seja melhor compreendida. Finalmente, os Sistemas Perceptuais. Mesmo quem apenas ouviu falar sobre PNL, sabe que temos três canais de recebimento de informações ou mensagens, do mundo externo. São eles: Visual: representado pelas imagens que recebemos ou que simplesmente formamos em nossas mentes, a partir da informação recebida; Auditivo: representado por aquilo que ouvimos ou imaginamos estar ouvindo no momento da recepção, da mensagem, ou informação; e Sinestésico: representado, por tudo aquilo que sentimos fisicamente, tato, odor, paladar, sensações de frio calor, etc. Através de pesquisas e observações a PNL percebeu algo importante para a comunicação entre duas pessoas, é que elas sempre possuem um canal predominante, variando de pessoa para pessoa, por exemplo, uma mulher tende a ser mais auditivas, e um homem em geral é mais visual. Este fato pode parecer insignificante, porem é aquele que mais causa problemas, na interpretação das mensagens, provocando distorções e até o não entendimento delas. O motivo disto é que, ao nos comunicarmos com alguém, fazemos uso constante, de analogias metafóricas, por exemplo, dizemos eu estou vendo que isto não vai dar certo, para uma pessoa mais visual isto é perfeito para representar a gravidade de uma situação, porem para um Sinestésico, isto pode não ser percebido com a mesma intensidade, para ele isto seria melhor entendido se fosse dito assim, - Eu estou sentindo que isto não vai dar certo. Um exemplo de aplicação disto seria, se você precisar apresentar uma idéia ao seu chefe, ou cliente, se ele for um homem, procure usar bastante gráficos, e se for uma mulher, mesmo com o uso de gráficos, procure detalhar o máximo possível, também oralmente. Página 121

10 Contribuição da Inteligência Emocional As obras básicas, que utilizamos são, Goleman, ph. D, Inteligência Emocional, Objetiva, 1997, e, Travis Bardberry, ph. D. e Jean Greaves, ph. D., Desenvolva a sua Inteligência Emocional, Sextante, A Inteligência Emocional é um dos ramos de pesquisa da Psicologia, e foi formulada pela primeira vez, com este nome por Daniel Goleman, ph. D., que lançou um livro com o mesmo nome, na década de 90, porém, estudos já vinham sendo feito desde a década de 30, para que se pudesse identificar o porque, apenas um alto QI, Quociente de Inteligência lógica ou racional, não determinava, nem o sucesso profissional, nem o pessoal de ninguém. A Inteligência Emocional divide as habilidades em dois grupos: Intra-Pessoal; e Inter-Pessoal. O primeiro envolve três tipos de habilidades, Auto-Conhecimento, Auto-Controle e Auto- Motivação. E o segundo, as habilidades de Consciência Social e Administração dos Relacionamentos com os outros. São as habilidades da Inteligência Emocional de uma pessoa, que criam o Ambiente Interno, e determinam todo o comportamento e os critérios que são utilizados para receber, interpretar e também enviar as mensagens e informação. Pela experiência que temos, em quase todas as organizações onde há reclamações quanto à comunicação, é exatamente neste aspecto, que está o problema, ou seja, o baixo nível de QIE dos empregados. O caso se torna ainda mais sério, quando isto ocorre nos cargos diretivos e de chefia,pois neste caso os reflexos negativos, afetam todas as pessoas dentro e fora do trabalho, gerando grande stress e tensão. Na maioria dos casos isto também acaba trazendo resultados financeiros, negativos. Há apenas um tipo de ação nestes casos, o treinamento, que deve ser tão intensivo quanto for necessário. Observamos que esta é uma tarefa bastante desafiadora, mas extremamente compensadora em todos os sentidos, principalmente financeira. Página 122

11 A Contribuição da Quântica. A Quântica é a parte da Física, que estuda as partículas subatômicas, ou seja, que formam o átomo. O Físico alemão, Max Planck no início do século XX, formulou a teoria da Mecânica Quântica com base na descoberta de que os átomos são formados por partículas subatômicas e que estas são formadas por energia ondulatória, ou vibratória. Foi daí que Einstein se baseou quando disse: Tudo no universo é energia. Ela é o estudo dos movimentos ondulatórios ou vibratórios. Durante as pesquisas que fazia, Planck constatou que o simples fato de haver um observador alterava o comportamento vibratório destas partículas, donde concluiu que nossa mente, nossos pensamentos, também produzem energia vibratória. Esta é, portanto, a explicação, das sensações de peso, leveza, bem estar, mal estar, empatia, antipatia, que temos quando estamos nos relacionando, com alguém, ou seja, nada mais é, que a energia dos pensamentos da pessoa com quem estamos nos comunicando. Em outras palavras, existe uma outra forma de comunicação, que não se costuma considerar, a Comunicação Quântica. Processo Sistêmico de Comunicação Interpessoal nas Organizações, PSCIO. Como resultado de tudo aquilo que expusemos até o momento, formulamos a representação gráfica do Processo Sistêmico da Comunicação existente em uma Organização como segue: Página 123

12 Representação Gráfica do PSCIO. Fonte: do Autor Podemos descrever os componentes do PSCIO da seguinte maneira: Fluxo: A comunicação interpessoal ocorre, a partir da Necessidade ou Desejo de uma pessoa em transmitir um conhecimento, um procedimento, um comando, uma informação ou uma emoção, à outra pessoa. Emissão. A partir deste momento, inicia-se o processo, onde o Emissor, consulta seus conhecimentos armazenados, o conhecimento que tem do receptor e dos canais disponíveis, busca estabelecer Rapport com o receptor, e, influenciado pelo ambiente externo e interno prepara a mensagem. Envio. Mensagem preparada; escolhe o canal mais apropriado e faz o envio. Recepção. O Receptor ao receber-la, consulta os seus conhecimentos armazenados, o conhecimento que tem do Emissor, e influenciado, pelos ambientes externo e interno, analisa e interpreta a mensagem, armazena o que lhe é de interesse, e inicia o processo de retorno, Feedback. A partir Página 124

13 daí ele se transforma em um emissor, cumprindo da mesma forma as etapas de Preparação da Mensagem, e envio exatamente como descrevemos antes. Ambientes: Para efeitos didáticos separamos o processo em três partes como se pode notar na representação gráfica, são elas: Emissão/Recepção; Envio; e Recepção/Emissão. Ambiente Externo: entendemos como Ambiente Externo, a organização, o clima organizacional, a cultura organizacional, o país, a cultura local, o mercado, a cronologia, os fatos relevantes daquele momento, a situação econômico social, ou seja, tudo o que forma o contexto que envolve a comunicação. Ambiente Interno: entendemos como Ambiente Interno, o conjunto que compõe o perfil da pessoa que faz o papel de Emissor/Receptor, ou seja: origem, país região; posição hierárquica; situação financeira; nível cultural; formação; conhecimento do assunto; o conhecimento do outro; habilidades técnicas; inteligência lógica, QI; Inteligência Emocional, QE; habilidades comportamentais; experiências vividas; hábitos; momento emocional; e momento de vida. Funções: Emissão/Recepção Recepção/Emissão. Esta dualidade, que é colocada no modelo, na verdade pode se inverter se durante comunicação, aquele que esta na área a direita, iniciar um novo assunto provocado por ele. Ou seja, no caso do receptor virar o emissor de algo novo. Desejo ou Necessidade. Os dois se processam dentro do ambiente interno, porém o Desejo tem sempre uma motivação interna do próprio Emissor, já a necessidade pode ter uma motivação interna ou externa a ele. Preparação da Mensagem/ Preparação do Feedback. Devemos considerar que estas têm sempre uma forte influência, do Ambiente Externo, do Ambiente Interno do Emissor, e em menor grau, mas também do Ambiente Interno do Receptor. Página 125

14 Recepção e Análise. No que se refere à influência esta sofre as mesmas que a Preparação. Envio. Referimos-nos aqui, ao ato de enviar, considerando os canais naturais quando, a intercomunicação for presencial, e quando não, aos canais tecnológicos, já citados. Considerações Finais Gostaríamos apenas de acrescentar, duas observações a este trabalho. A primeira, é que tudo aquilo que aqui foi dito, incluindose aí a comunicação quântica, vale para qualquer meio utilizado, seja ele, portanto, presencial ou através de canais tecnológicos. A segunda, é que este trabalho deve ser encarado como uma visão geral do assunto, ou seja, deve ser visto como algo que identifica os pontos a serem aprofundados, e dá os primeiros passos, no caminho das pesquisas. Referências: DANIELS, Tom D., SPIKER Barry; PAPA, Michael. Perspectives on organizational communication. Fouth edition. Dubuque, USA: Brown & Benchmark Publishers, EINSBERG, Eric M. e GOODALL Jr. H.L. Organiztional communication: balancing, creativity and constraint. Second edition. New York, USA: St Martin s Press, KUNSCH, Margarida M. K. Planejamento de Relações Públicas na Comunicação Integrada. 4.ed. revisada, atualizada e ampliada. São Paulo:Summus, PUTMAN, Linda L., PHILIPS, Nelson e CHAPMAN, Pamela. Handbook de Estudos Organizacionais, Vol. 3, São Paulo, Atlas, (2004). TORQUATO, Gaudêncio. Tratado de Comunicação Organizacional e Política. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, Página 126

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

Corpo e Fala EMPRESAS

Corpo e Fala EMPRESAS Corpo e Fala EMPRESAS A Corpo e Fala Empresas é o braço de serviços voltado para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações. Embasado nos pilares institucionais do negócio, ele está estruturado

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2014.2 MATERIAL COMPLEMENTAR I DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA/TUTORA: MONICA ROCHA

SEMIPRESENCIAL 2014.2 MATERIAL COMPLEMENTAR I DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA/TUTORA: MONICA ROCHA SEMIPRESENCIAL 2014.2 MATERIAL COMPLEMENTAR I DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA/TUTORA: MONICA ROCHA Gestão de Carreira Gestão de Carreira é um dos temas que mais ganhou destaque nesta última década,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO. A importância da comunicação na negociação. Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO. A importância da comunicação na negociação. Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO A importância da comunicação na negociação Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto TUTOR: EDUARDO VIEIRA 13/05/2013 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL RESUMO Caroline Ferreira 1 O objetivo deste artigo é falar sobre Noticia institucional e o interesse cada vez maior das empresas em cuidar da sua imagem institucional.

Leia mais

Competência individual essencial

Competência individual essencial Competência individual essencial Introdução Objetivo Reflexão e aprofundamento sobre o processo básico da comunicação, a fim de que haja maior exatidão na compreensão do significado daquilo que se quer

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão de Recursos Humanos DISCIPLINA: Ferramentas de Gestão de Recursos Humanos ALUNO(A):Aline de Souza MATRÍCULA:51811 Ribeiro da Rocha NÚCLEO REGIONAL: DATA:

Leia mais

Sem Mais Desculpas Treinamentos E porque? O que é vender no mundo de hoje O que você verá neste curso:

Sem Mais Desculpas Treinamentos E porque? O que é vender no mundo de hoje O que você verá neste curso: A Sem Mais Desculpas Treinamentos defende um conceito chamado Comportamento Comercial. Acreditamos que todas as pessoas, em todas as funções, necessitam ter uma visão e uma atitude comercial daquilo que

Leia mais

FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA:

FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA: FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA: CRESCENDO PESSOAL E PROFISSIONALMENTE. 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Onde você estiver que haja LUZ. Ana Rique A responsabilidade por um ambiente

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

A importância da comunicação como instrumento. de gestão de pessoas. Glaucia Falcone Fonseca

A importância da comunicação como instrumento. de gestão de pessoas. Glaucia Falcone Fonseca como instrumento de gestão de pessoas Glaucia Falcone Fonseca Todos sabem que a comunicação é vital para a organização, mas nem todos são capazes de criar o tipo de ambiente de trabalho rico em informações

Leia mais

APRENDIZAGEM EMOCIONAL

APRENDIZAGEM EMOCIONAL APRENDIZAGEM EMOCIONAL Escrito por Mauricio Aguiar Saudações a você que vem acompanhando o trabalho do POINT DOS AMORES e com a sua participação e interesse contribui para o crescimento do POINT. Nesta

Leia mais

PNL Tecnologia, Metodologia e Atitude

PNL Tecnologia, Metodologia e Atitude 1 Dossiê Gilberto C. Cury Presidente da SBPNL - Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística Responsável por trazer a PNL ao Brasil, em 1981 gilberto@pnl.com.br PNL Tecnologia, Metodologia e Atitude

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

GEEF Grupo de Estudos de Empresas Familiares Gvlaw OUT/2014

GEEF Grupo de Estudos de Empresas Familiares Gvlaw OUT/2014 GEEF Grupo de Estudos de Empresas Familiares Gvlaw OUT/2014 Quem sou eu em 3 fases Há 18 anos Reinventando identidade Pessoas Governança Familiar PMC Mesa Coerentia Ekilibra Marketing Lage e Magy Itau

Leia mais

NEUROSSEMÂNTICA. www.pnl.med.br

NEUROSSEMÂNTICA. www.pnl.med.br NEUROSSEMÂNTICA Jairo Mancilha M.D. Ph.D. Trainer Internacional em Neurolingüística, Coaching e Neurossemântica; Diretor do INAp-Instituto de Neurolingüística Aplicada e do InCoaching-Instituto Internacional

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores NÚCLEO AVANÇADO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores De acordo com a Resolução n o 1 de 08/06/2007 da CES do CNE do MEC Coordenação

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

COMUNICAÇÃO COMO FERRAMENTA DE PODER QUEM NÃO COMUNICA NÃO LIDERA

COMUNICAÇÃO COMO FERRAMENTA DE PODER QUEM NÃO COMUNICA NÃO LIDERA COMUNICAÇÃO COMO FERRAMENTA DE PODER QUEM NÃO COMUNICA NÃO LIDERA Não há mais lugar para a empresa que se cala, nem para o dirigente que confina sua atividade ao gabinete fechado. Luiz Carlos Trabuco

Leia mais

MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO

MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO RINALDIi, Andréia Cristina Alves; ROSA, Antonio Valin; TIVO,,Emerson dos Santos; OLIVEIRA JÚNIOR, José Mendes de; REIS, Marcela Alves dos; SANTOS JÚNIOR,Sergio Silva dos; FREITAS,

Leia mais

Liderança de equipes. Estudo. 6 ecoenergia Julho/2013. A indústria do petróleo e seus derivados no

Liderança de equipes. Estudo. 6 ecoenergia Julho/2013. A indústria do petróleo e seus derivados no Estudo Liderança de equipes Damáris Vieira Novo Psicóloga organizacional, mestre em administração, professora da FGVe consultora em gestão de pessoas dvn.coach@hotmail.com A indústria do petróleo e seus

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

Prof. Paulo Barreto www.paulobarretoi9consultoria.com.br REVISÃO DE PROVA

Prof. Paulo Barreto www.paulobarretoi9consultoria.com.br REVISÃO DE PROVA Prof. Paulo Barreto www.paulobarretoi9consultoria.com.br REVISÃO DE PROVA Grupo 01 Conceitos de Negociação Negociação é um processo de comunicação bilateral, com o objetivo de se chegar a uma decisão conjunta

Leia mais

O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1

O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1 O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1 Evelyn Nascimento Bastos 2 Palavras-chaves: Meios de Comunicação; Imagem Empresarial;

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores)

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) Negociação: conceitos e aplicações práticas Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) 2 a edição 2009 Comunicação na Negociação Comunicação, visão sistêmica

Leia mais

Estudo de caso de relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho.

Estudo de caso de relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho. Estudo de caso de relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho. Giovanna Ferreira Curvelo 1 Resumo. Este ensaio tem a finalidade de estudar a importância da Inteligência Emocional no ambiente de

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL Autor: Adalberto de Carvalho Júnior CPFL Paulista, uma empresa do Grupo CPFL Energia RESUMO A promoção do entendimento do indivíduo com relação a sua

Leia mais

O QUE É IMAGEM? O QUE ESTÁ POR TRÁS DAS IMAGENS? COACHING DE IMAGEM

O QUE É IMAGEM? O QUE ESTÁ POR TRÁS DAS IMAGENS? COACHING DE IMAGEM O QUE É IMAGEM? O QUE ESTÁ POR TRÁS DAS IMAGENS? O QUE É IMAGEM? O QUE ESTÁ POR TRÁS DA NOSSA IMAGEM? É a Imagem Forma. A Imagem Essência. É tudo que estabelece a nossa representação visual, ou seja, valores,

Leia mais

Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional,

Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional, Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional, Planejamento Estratégico e Governança Corporativa Palestras Temáticas e Motivacionais v.03/15 Neurotreinamentos Neurobusiness

Leia mais

Perfil e Competências do Coach

Perfil e Competências do Coach Perfil e Competências do Coach CÉLULA DE TRABALHO Adriana Levy Isabel Cristina de Aquino Folli José Pascoal Muniz - Líder da Célula Marcia Madureira Ricardino Wilson Gonzales Gambirazi 1. Formação Acadêmica

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design.

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design. Projetar, foi a tradução mais usada no Brasil para design, quando este se refere ao processo de design. Maldonado definiu que design é uma atividade de projeto que consiste em determinar as propriedades

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1

Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1 Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1 Ediane Barbosa Oliveira 2 ECOS/UCPel Resumo: O trabalho busca um estudo sobre uma ferramenta estratégica do ciberespaço no meio da comunicação

Leia mais

Estruturas Organizacionais

Estruturas Organizacionais Estruturas Organizacionais Deve ser delineado de acordo com os objetivos e estratégias estabelecidos pela empresa. É uma ferramenta básica para alcançar as situações almejadas pela empresa. Conceito de

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Unidade: Comunicação e Liderança como Fator Motivacional. Unidade I:

Unidade: Comunicação e Liderança como Fator Motivacional. Unidade I: Unidade: Comunicação e Liderança como Fator Motivacional Unidade I: 0 Unidade: Comunicação e Liderança como Fator Motivacional http://pro.corbis.com/enlarge ment/enlargement.aspx?id=4 2-22634984&caller=search

Leia mais

Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book

Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book O Caderno de Evidências (Book) acompanhará o questionário da empresa na pesquisa. É importante lembrar que o envio desse material,

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e MBA Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Março e Abril de 2014 Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Planejamento Estratégico

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria Agentes Financiadores Notícias e atualidades sobre Agentes Financiadores nacionais e internacionais página inicial A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores

Leia mais

ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL

ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL COMUNICAÇÃO E IMAGEM COMO FACTORES COMPETITIVOS A sua empresa tem problemas ao nível da comunicação interna? Promover a Comunicação assertiva no relacionamento

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

É a atividade humana dirigida para a satisfação das necessidades e desejos, através dos processos de troca.

É a atividade humana dirigida para a satisfação das necessidades e desejos, através dos processos de troca. Marketing Pessoal O que é MARKETING? É a atividade humana dirigida para a satisfação das necessidades e desejos, através dos processos de troca. Um conjunto de estratégias e ações visando promover o lançamento,

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 O COACHING...4 ORIGENS...5 DEFINIÇÕES DE COACHING...6 TERMOS ESPECÍFICOS E SUAS DEFINIÇÕES...7 O QUE FAZ UM COACH?...8 NICHOS DE ATUAÇÃO DO COACHING...9 OBJETIVOS DO COACHING...10

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração. 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias

USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração. 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias Evolução da Administração e as Escolas Clássicas Anteriormente XVIII XIX 1895-1911 1916 1930 Tempo

Leia mais

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Desenvolvimento motor do deficiente auditivo A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada

Leia mais

MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA.

MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA. 1 MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA. Profa. Arlete Embacher MiniWeb Educação S/C Ltda webmaster@miniweb.com.br Resumo Este relato descreve como surgiu

Leia mais

PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO. AGUIAR, Oscar Xavier de

PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO. AGUIAR, Oscar Xavier de PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO AGUIAR, Oscar Xavier de Docente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: oscarxa@bol.com.br

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO

A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO Luiz Carlos Bresser-Pereira Revista Marketing n. 7, vol. II, 1968: 24-32. Um programa mercadológico é um instrumento para se pensar com antecedência, para se estabelecer

Leia mais

Os pressupostos básicos para a teoria de Bertalanffy foram os seguintes:

Os pressupostos básicos para a teoria de Bertalanffy foram os seguintes: Teoria Geral de Sistemas Uma introdução As Teorias Clássicas (Administração Científica e Teoria Clássica), a Abordagem Humanística (Teoria das Relações Humanas), a Teoria Estruturalista e a Teoria da Burocracia

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Sobre a diferença entre música e musicalidade: considerações para educação musical

Sobre a diferença entre música e musicalidade: considerações para educação musical Sobre a diferença entre música e musicalidade: considerações para educação musical Rafael Beling Unasp rafaelbeling@gamil.com Resumo: os termos música e musicalidade, por sua evidente proximidade, podem

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

Silvia Palma. Hair Brasil 2011

Silvia Palma. Hair Brasil 2011 Silvia Palma Hair Brasil 2011 silviapalmarh@gmail.com São Paulo Brasil Apresentar o conjunto de competências que todo profissional precisa desenvolver e que possibilitam desempenhar determinada função

Leia mais

Coaching como metodologia de desenvolvimento de lideranças

Coaching como metodologia de desenvolvimento de lideranças Coaching como metodologia de desenvolvimento de lideranças Lilian Langer Cleiane Weinmann 1 LILIAN LANGER lilian@vielmolanger.com.br Executive Coach e Consultora Organizacional. Especialização em Administração

Leia mais

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Comunicar significa transmitir ideias, sentimentos ou experiências de uma pessoa para outra, tornar comum, participar, fazer saber, transmitir. ANDRADE (2008, p. 45) O resultado

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

MILLENNIAL 1980~2000 BABY BOOMER 1945~1965 GERAÇÃO X 1965~1980 GERAÇÃO Z 2000~

MILLENNIAL 1980~2000 BABY BOOMER 1945~1965 GERAÇÃO X 1965~1980 GERAÇÃO Z 2000~ O QUE A GERAÇÃO O QUE A GERAÇÃO MILLENNIAL ESTÁ ESPERANDO DAS EMPRESAS ESTÁ ESPERANDO DAS EMPRESAS O QUE A GERAÇÃO BABY BOOMER 1945~1965 GERAÇÃO X 1965~1980 MILLENNIAL 1980~2000 GERAÇÃO Z 2000~ Trabalhar

Leia mais

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE. Maio de 2010

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE. Maio de 2010 Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE Maio de 2010 Emoção: a outra inteligência Muitos estudiosos discutem a relação entre pensamento e emoções. Algumas definições segundo o artigo de Grewal e

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO.

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

As Organizações e o Processo de Inclusão

As Organizações e o Processo de Inclusão As Organizações e o Processo de Inclusão Introdução Não há nada permanente, exceto a mudança. Heráclito, filósofo grego (544-483 a.c.). Mudança é o processo no qual o futuro invade nossas vidas. Alvin

Leia mais

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º 18. DICAS PARA A PRÁTICA Orientação para o trabalho A- Conhecimento de si mesmo Sugestão: Informativo de Orientação Vocacional Aluno Prezado Aluno O objetivo deste questionário é levantar informações para

Leia mais

Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS. Profa. Ani Torres

Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS. Profa. Ani Torres Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Profa. Ani Torres Desenvolvendo pessoas O desenvolvimento e a manutenção de pessoas estão relacionados com a evolução das equipes de trabalho e com a

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

O Paradigma da nova liderança

O Paradigma da nova liderança O Paradigma da nova liderança Robert B. Dilts Um dos mais importantes conjuntos de habilidades Um dos mais importantes conjuntos de habilidades necessárias num mundo em transformação são as habilidades

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula você aprenderá a diferenciar um desenhista de um ilustrador e ainda iniciará com os primeiros exercícios de desenho. (Mateus Machado) O DESENHISTA E O ILUSTRADOR Ainda que não sejam profissionais

Leia mais

CollaborativeBook. número 4. Feedback

CollaborativeBook. número 4. Feedback CollaborativeBook número 4 Feedback Feedback 2 www.apoenarh.com.br Nesta nova publicação abordaremos o tema feedback, usando com o objetivo de instrumentalizar o indivíduo para ação e desenvolvimento.

Leia mais

O COACHING ESTRATÉGICO A Abordagem para uma Nova Cultura Organizacional. Luiz Cláudio Binato Belo Horizonte, 12 de Maio de 2011

O COACHING ESTRATÉGICO A Abordagem para uma Nova Cultura Organizacional. Luiz Cláudio Binato Belo Horizonte, 12 de Maio de 2011 O COACHING ESTRATÉGICO A Abordagem para uma Nova Cultura Organizacional Luiz Cláudio Binato Belo Horizonte, 12 de Maio de 2011 Organização Realização O QUE É COACHING? É um PROCESSO no qual um profissional

Leia mais

Prof. Clovis Alvarenga Netto

Prof. Clovis Alvarenga Netto Escola Politécnica da USP Departamento de Engenharia de Produção Março/2009 Prof. Clovis Alvarenga Netto Aula 05 Organização da produção e do trabalho Pessoas e sua Organização em Produção e Operações

Leia mais

O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso

O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso Maiane Bertoldo Lewandowski Consultora de RH Hospital Mãe de Deus TRANSFORMAÇÕES NO MERCADO DE TRABALHO Mudança de modelo mental; Escassez

Leia mais

Fluxo Ampliado de Marketing

Fluxo Ampliado de Marketing Fluxo Ampliado de Marketing No estudo deste fluxo ampliado de marketing, chega-se a conclusão da importância de um composto mercadológico mais intenso e realmente voltado ao atendimento das necessidades

Leia mais

Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo

Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo BRIEFING DE PRODUTO Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo Modelo Extraído dos livros: Tudo o que você queria saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 15 - Sugestões que podem melhorar a coordenação organizacional O objetivo final da coordenação é obter a sinergia organizacional. Não existem regras mágicas

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

O sucesso na Interaçao com o Conselho

O sucesso na Interaçao com o Conselho 24-09-2013 14:45 O sucesso na Interaçao com o Conselho Jose Francisco Moraes QAIP Team Leader IIA Brasil ESTOU PREPARADO PARA: SER PROMOVIDO? Promovido = dar publicidade a uma imagem pessoal desejada Foco

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 DO MARKETING À COMUNICAÇÃO Conceitualmente, Marketing é definido por Kotler

Leia mais

FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO

FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO BEATRIZ APARECIDADE MOURA JOYCE SOARES RIBAS JUCIELE OTTONE MALAQUIAS MARTINS LUANA PÉRSIA DINIZ MÍRIAN DUARTE MACHADO GONZAGA DA SILVA O PAPEL DO GESTOR E A AUTO-ESTIMA DOS FUNCIONÁRIOS UMA ANÁLISE DA

Leia mais

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para QUAL NEGÓCIO DEVO COMEÇAR? No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para então definir seus objetivos e sonhos.

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

PS COMUNICAÇÃO PROFISSIONAL

PS COMUNICAÇÃO PROFISSIONAL Gino Cammarota PS COMUNICAÇÃO PROFISSIONAL Especializada em cursos, treinamentos, workshops, palestras e programas de apoio que abordam a Comunicação Comportamental e os Relacionamentos Interpessoais no

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

OFICINA DA PESQUISA DISCIPLINA: COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL

OFICINA DA PESQUISA DISCIPLINA: COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL OFICINA DA PESQUISA DISCIPLINA: COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivo Geral da Disciplina: Apresentar

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE DESENVOLVIMENTO HUMANO FORMAÇÃO DE LÍDER EMPREENDEDOR Propiciar aos participantes condições de vivenciarem um encontro com

Leia mais

Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade

Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade O Instituto ABERJE de Pesquisas (DATABERJE) realizou uma pesquisa de opinião sobre sustentabilidade com mulheres da área de comunicação,

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais