COMO CONSTRUIR SUA CALÇADA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMO CONSTRUIR SUA CALÇADA"

Transcrição

1 PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA HIDROMINERAL DE AMPARO COMO CONSTRUIR SUA CALÇADA Guia Prático para deixar nossa cidade ainda mais bonita e acessível

2 ÍNDICE A Prefeitura Municipal de Amparo, vem, através deste guia, conscientizar seus habitantes quanto a questão da acessibilidade, e, ao mesmo tempo, auxiliar a população de Amparo a executar suas calçadas, mantendoas adequadas e acessíveis. Este guia é também um convite ao exercício da cidadania, pois, para termos o resultado esperado, é necessária a adesão da população. Com a colaboração de cada cidadão, toda a Cidade será beneficiada! 1. QUAIS SÃO AS LEIS FEDERAIS QUE REGULAMENTAM A ACESSIBILIDADE? O QUE É ACESSIBILIDADE? ACESSIBILIDADE NA CIDADE DE AMPARO COMO FAÇO PARA ENTRAR NA MINHA GARAGEM? E O ESCOAMENTO DE ÁGUAS DE CHUVA? ORIENTAÇÃO PARA A EXECUÇÃO DE CALÇADAS RUAS INCLINADAS RUAS INCLINADAS E COM DEGRAUS ALGUNS ERROS MAIS COMUNS NA EXECUÇÃO DE CALÇADAS... 17

3 1- QUAIS SÃO AS LEIS FEDERAIS QUE REGULAMENTAM A ACESSIBILIDADE? 2- O QUE É ACESSIBILIDADE? Acessibilidade significa facilitar o acesso e suas normas são estabelecidas através do Decreto Federal nº 5296 de 2 de dezembro de 2004, o qual regulamenta as Leis Federais n , de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e nº , de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade. Segundo texto do Decreto nº5296/2004, em seu Capítulo III, Das Condições Gerais da Acessibilidade, Art. 8, Inciso I, acessibilidade é condição para utilização, com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação, por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida; 4 5

4 3- ACESSIBILIDADE NA CIDADE DE AMPARO A Cidade de Amparo tem um relevo acidentado e realmente é difícil aplicar as Leis de acessibilidade, principalmente nos bairros onde as ruas são íngremes. Porém, a acessibilidade é direito de todos os cidadãos, e, o Município de Amparo tem por obrigação fazer cumprir as Leis Federais que regulamentam a acessibilidade, no que diz respeito aos espaços públicos ou privados, mobiliários e equipamentos urbanos, edificações, e demais espaços. CIDADE DE AMPARO 6 7

5 4- COMO FAÇO PARA ENTRAR NA MINHA GARAGEM? De acordo com a Lei nº 3300/2007, em seu artigo 132, parágrafo único, será permitida a acomodação ao nível do passeio, a partir da guia rebaixada, através de rampa com largura máxima de 0,40 m (quarenta centímetros), devendo-se já prever a compensação da inclinação da via. 5- E O ESCOAMENTO DE ÁGUAS DE CHUVA? Segundo texto do Decreto Municipal nº2.672/2001, o qual dispõe sobre a limpeza pública do Município de Amparo, pelo artigo 36, é proibido obstruir, com material de qualquer natureza, bueiros, sarjetas, valas, valetas e outras passagens de águas pluviais, bem como reduzir sua vazão pelo uso de tubulações, pontilhões e outros dispositivos. Calçada Rua Rampa com largura máxima de 0,40 m Calçada com degrau e rampa na sarjeta

6 6- ORIENTAÇÃO PARA A EXECUÇÃO DE CALÇADAS Uma forma de organização sugerida pela Prefeitura, seria a divisão (imaginária) das calçadas em 01 ou 02 faixas. A faixa 01 - faixa de serviço será reservada para rampas de acesso de veículos e/ou portadores de necessidades especiais, plantação de árvores, mobiliário urbano, postes de iluminação e sinalização. A faixa 02 - faixa livre (obrigatória) será destinada exclusivamente a circulação de pedestres, devendo ter largura mínima de 1,20 m (um metro e vinte centímetros), não poderá ter obstáculos físicos e desníveis, e deverá ter piso contínuo e antiderrapante. Faixa 01 faixa de serviço Sem medida definida Faixa 02 faixa livre obrigatória Mínimo 1,20 m 10 11

7 7- RUAS INCLINADAS Sempre devemos possibilitar a circulação de pedestres em geral, principalmente dos portadores de necessidades especiais, idosos, gestantes, mães com carrinhos de bebê, e outros casos de mobilidade reduzida. Caso a rua seja inclinada, lembre-se que a calçada deverá seguir a mesma inclinação da rua, tanto no sentido longitudinal, quanto transversal. Não podemos deixar a calçada virar rampa de acesso de veículos, deixando vários degraus por toda a calçada. A finalidade da calçada é o transito de pedestres e, se a rua não tem degraus, a calçada também não deve ter. rua inclinada com calçada rua inclinada com calçada com sem degraus degraus

8 8- CALÇADAS INCLINADAS E COM DEGRAUS Este caso é o mais problemático e ao mesmo tempo comum na Cidade de Amparo, podendo apenas ser solucionado em conjunto com os vizinhos. Para dar um bom exemplo no seu quarteirão, você pode começar determinando o nível correto da sua calçada, baseando-se no ponto médio de cada degrau formado pelos desníveis. A linha imaginária, formada da ligação entre os pontos Em caso de inviabilidade de implantação destas médios, servirá de eixo para acomodação da orientações, deverá ser apresentada proposta de faixa 02 (faixa livre), a qual deverá atender os adequação de sua calçada junto a Prefeitura preceitos anteriormente citados referente a faixa Municipal de Amparo, através de requerimento 02 e seguir a inclinação longitudinal da rua. O protocolado na Central de Atendimento, de forma seu vizinho de cima e o debaixo deverão fazer o que atenda as Leis de acessibilidade. mesmo. Com a adesão de toda a rua, teremos a Há descontos no IPTU para terrenos vagos que calçada acessível a todos. possuírem calçadas e fechamentos com muro. Consulte a Prefeitura e saiba como obtê-los

9 9- ALGUNS ERROS MAIS COMUNS NA EXECUÇÃO DE CALÇADAS ERRADO: As calçadas não podem ter degraus, desníveis, escadas, etc... ERRADO: Calçada com rampa que se inicia no alinhamento e avança sobre a via pública (leito da rua) ERRADO: Desnível entre as residências, rampa na ERRADO: A rampa em declive iniciada na guia, sarjeta, piso descontínuo, irregular. utilizando o passeio público e seguindo até dentro do lote 16 17

10 ERRADO: Rampa na via pública, rampa, desnível e lixeira na calçada ERRADO: Lançamento de águas pluviais sobre a calçada ERRADO: Degrau, desnível, mureta, rampa, grelha, rampa na via pública Vale informar que a passagem das águas pluviais vindas dos condutores deverão passar por debaixo da calçada, sendo lançadas nas sarjetas

11 BIBLIOGRAFIA ABNT NBR 9050/2004 Decreto-lei Federal nº 5296 de 2 de dezembro de 2004 Lei Federal n , de 8 de novembro de 2000 Lei Federal nº , de 19 de dezembro de 2000 Lei Municipal nº2672, de 24 de maio de 2001 Lei Municipal nº3.300 de 18 de setembro de 2007 Código Tributário Municipal Cartilha do Programa Passeio Livre Prefeitura de São Paulo Guia Prático Para a Construção de Calçadas Prefeitura de Mogi-Guaçu 20

O QUE É O PROGRAMA CALÇADA SEGURA?...4 QUEM É O RESPONSÁVEL PELAS CALÇADAS?...4 COMO DEVE FICAR MINHA CALÇADA?...5

O QUE É O PROGRAMA CALÇADA SEGURA?...4 QUEM É O RESPONSÁVEL PELAS CALÇADAS?...4 COMO DEVE FICAR MINHA CALÇADA?...5 Guia_calcadas_01.indd 1 Guia_calcadas_01.indd 2 ÍNDICE O QUE É O PROGRAMA CALÇADA SEGURA?...4 QUEM É O RESPONSÁVEL PELAS CALÇADAS?...4 COMO DEVE FICAR MINHA CALÇADA?...5 O QUE FAZER A RESPEITO DO IMOBILIÁRIO

Leia mais

PROVA DISCURSIVA. ano. Gráfico População Brasileira 1900-2050. IBGE 1940, 1950, 1960, 1970, 2000 E 2008b. Internet:<http://aplicativos.fipe.org.br>.

PROVA DISCURSIVA. ano. Gráfico População Brasileira 1900-2050. IBGE 1940, 1950, 1960, 1970, 2000 E 2008b. Internet:<http://aplicativos.fipe.org.br>. PROVA DISCURSIVA Nesta prova, faça o que se pede, usando os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para as respectivas folhas do CADERNO DE TEXTOS DEFINITIVOS

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº. 4.280, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009.

LEI MUNICIPAL Nº. 4.280, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009. -Dispõe sobre construção e conservação de muros e passeios públicos, e dá outras providências. LUIZ GONZAGA VIEIRA DE CAMARGO, Prefeito Municipal de Tatuí, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.7 Especificações de Garagem PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 ESPECIFICAÇÕES DE GARAGEM... 2 1.1Instalações... 2 1.2Pátio... 2 1.3Posto de Abastecimento... 2 1.4Lavagem... 3 1.5Inspeção

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N o 2.974, DE 2015 (Apenso: PL 3.577, de 2015) Acrescenta o art. 47-A à Lei n 10.741, de 1º de outubro de 2003, e o art. 21-A

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA EDIFICAÇÕES DE USO PÚBLICO ACESSIBILIDADE

DIRETRIZES BÁSICAS PARA EDIFICAÇÕES DE USO PÚBLICO ACESSIBILIDADE DIRETRIZES BÁSICAS PARA EDIFICAÇÕES DE USO PÚBLICO ACESSIBILIDADE julho de 2012 APRESENTAÇÃO Neste documento estão reunidas informações extraídas de normas técnicas e legislação vigente em esfera federal

Leia mais

LEI Nº 085, de 31 de Março de 1998.

LEI Nº 085, de 31 de Março de 1998. LEI Nº 085, de 31 de Março de 1998. SÚMULA: Dispõe sobre a adaptação dos logradouros, dos edifícios de uso público e dos veículos de transporte coletivo, a fim de garantir acesso adequado às pessoas portadoras

Leia mais

5:1 Vaga de bicicleta por estabelecimento 1:10 Vaga por leito 1:100 Vaga por leito para ônibus (2)

5:1 Vaga de bicicleta por estabelecimento 1:10 Vaga por leito 1:100 Vaga por leito para ônibus (2) ANEXO I RM H Residencial multifamiliar Hotéis Pousada, pensões e albergues. 1:1 Vaga por unidade até 100 m 2 de área privativa 1:1,5 Vaga por unidade de quitinete 2:1 Vaga por unidade > que 100 m 2 de

Leia mais

6 nov 09 APDE Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência

6 nov 09 APDE Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência APDE Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência 242 anos São José dos Campos População estimada: 615.000 habitantes Pólo industrial e tecnológico Três fortes segmentos: Automotivo, Petrolífero

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 142/2011 de 11 de Novembro de 2011

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 142/2011 de 11 de Novembro de 2011 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 142/2011 de 11 de Novembro de 2011 A promoção da acessibilidade constitui um direito consagrado constitucionalmente, uma vez que é condição

Leia mais

Concepção da Forma Arquitetônica_2 bares e restaurantes _ dimensionamento básico

Concepção da Forma Arquitetônica_2 bares e restaurantes _ dimensionamento básico Concepção da Forma Arquitetônica_2 bares e restaurantes _ dimensionamento básico fonte: PANERO, Julius; ZELNIK, Martin. Las Dimensiones en los Espacios Interiores. Mexico: Gustavo Gili, 1996 [1979]. Pg

Leia mais

PROJETO E CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS

PROJETO E CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS 27 PROJETO E CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS PROJETO GEOMÉTRICO DE VIAS 4 SEÇÃO TRANSVERSAL 4.1 ELEMENTOS BÁSICOS DIMENSÕES Perpendicularmente ao eixo, a estrada pode ser constiutída pelos seguintes elementos:

Leia mais

05. COMUNICAÇÃO VISUAL EXTERNA

05. COMUNICAÇÃO VISUAL EXTERNA 05. COMUNICAÇÃO VISUAL EXTERNA 5.1 COMUNICAÇÃO VISUAL EXTERNA AGÊNCIAS Agências sem recuo em relação à calçada 1 2 3 4 Elementos de comunicação visual As fachadas das agências dos Correios, sem recuo em

Leia mais

NORMA TÉCNICA 34/2014

NORMA TÉCNICA 34/2014 ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 34/2014 Hidrante Urbano SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO PUBLICADO EM PLACAR Em / / LEI COMPLEMENTAR Nº 194, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009 O PREFEITO DE PALMAS Altera dispositivos da Lei Complementar n 107, de 30 de setembro de 2005, que dispõe sobre o Código Tributário

Leia mais

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aula 17 Instalações de Esgoto Profª Heloise G. Knapik 1 Instalações prediais de esgotamento sanitário Objetivo

Leia mais

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO Reproduzir as plantas baixa, de cobertura e de localização, cortes e fachada frontal da residência apresentada abaixo. O projeto pode sofrer mudanças,

Leia mais

DECRETO N 11295/2012. O Prefeito Municipal de Niterói, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO N 11295/2012. O Prefeito Municipal de Niterói, no uso de suas atribuições legais e, Publicado em 29 de dezembro de 2012 DECRETO N 11295/2012 Regulamenta a Lei nº 2.624, de 29 de dezembro de 2008, no que trata dos passeios públicos do Município de Niterói, instituindo a obrigatoriedade

Leia mais

Parada Obrigatória. Dê a Preferência. Velocidade Máxima Permitida. Sentido Obrigatório. Passagem Obrigatória. Siga em Frente

Parada Obrigatória. Dê a Preferência. Velocidade Máxima Permitida. Sentido Obrigatório. Passagem Obrigatória. Siga em Frente Compõe-se de luzes acionadas alternada ou intermitentemente através de sistema elétrico/eletrônico, cuja função é controlar os deslocamentos em trânsito. Sinalização semafórica de regulamentação Tem a

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº..., DE 2012. (Do Deputado REGUFFE)

PROJETO DE LEI Nº..., DE 2012. (Do Deputado REGUFFE) PROJETO DE LEI Nº..., DE 2012. (Do Deputado REGUFFE) Acrescenta o inciso XX ao caput do art. 181 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro, para proibir o

Leia mais

PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 47, DE 2015

PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 47, DE 2015 PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 47, DE 2015 (Nº 3.575/2012, NA CASA DE ORIGEM) Altera os arts. 3º, 15 e 71 da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências.

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

Evolução da Acessibilidade

Evolução da Acessibilidade Evolução da Acessibilidade no Metrô de São Paulo Rampas Estação São Joaquim Estação Saúde Rampas Estação Sumaré Estação São Bento Rampas Elevadores Estação Brigadeiro Elevadores Estação Armênia Elevadores

Leia mais

LEI Nº 8553. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 8553. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 8553 Dispõe sobre a instalação de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetros no Município de Porto Alegre e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 03. Procedimento para GCR (Guarda Corpo e Rodapé)

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 03. Procedimento para GCR (Guarda Corpo e Rodapé) Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. Objetivo Este procedimento tem como objetivo, assegurar que todas as obras efetuem o sistema de Guarda Corpo e Rodapé, o qual destina-se a promover a proteção contra riscos

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 349 DE 17 DE MAIO DE 2010

RESOLUÇÃO N. 349 DE 17 DE MAIO DE 2010 RESOLUÇÃO N. 349 DE 17 DE MAIO DE 2010 Dispõe sobre o transporte eventual de cargas ou de bicicletas nos veículos classificados nas espécies automóvel, caminhonete, camioneta e utilitário. O CONSELHO NACIONAL

Leia mais

CALÇAdA cidada. Conheça as regras para pavimentar sua calçada.

CALÇAdA cidada. Conheça as regras para pavimentar sua calçada. CALÇAdA cidada Essa publicação tem por objetivo divulgar o regramento de construção e manutenção das calçadas da cidade de Canoas. Apresentação Cuidar de sua calçada é um sinal de amor à cidade e de respeito

Leia mais

A Câmara Municipal de Santa Bárbara d Oeste decreta:

A Câmara Municipal de Santa Bárbara d Oeste decreta: PROJETO DE LEI N 18/09 Dispõe sobre a instituição do Programa de Inspeção Ambiental Veicular no Município de Santa Bárbara d Oeste e dá outras providências. A Câmara Municipal de Santa Bárbara d Oeste

Leia mais

DECRETO Nº 20.604 DE 20 DE AGOSTO DE 2004

DECRETO Nº 20.604 DE 20 DE AGOSTO DE 2004 Publicado no DOM de 2108/2004 DECRETO Nº 20.604 DE 20 DE AGOSTO DE 2004 EMENTA: Regulamenta a Lei nº. 16.890, de 11 de agosto de 2003, que altera a seção IV do capítulo II, título IV da Lei 16.292, de

Leia mais

COMUNICADO SESP nº 001 2016 Para o Credenciamento de interessados em exercer Atividade de Comércio Ambulante temporário para o CARNAVAL 2016

COMUNICADO SESP nº 001 2016 Para o Credenciamento de interessados em exercer Atividade de Comércio Ambulante temporário para o CARNAVAL 2016 COMUNICADO SESP nº 001 2016 Para o Credenciamento de interessados em exercer Atividade de Comércio Ambulante temporário para o CARNAVAL 2016 A PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS, através da SECRETARIA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Figura 01: Meio fio de concreto

MEMORIAL DESCRITIVO. Figura 01: Meio fio de concreto MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO: MELHORIAS CALÇADAS QUADRA CENTRO ADMINISTRATIVO PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL SERAFINA CORRÊA-RS LOCALIZAÇÃO: QUADRA COMPREENDIDA ENTRE RUA ORESTES ASSONI, RUA CASTELO

Leia mais

O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS

O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS Redesenho/Reestruturação Orgânica da Política de Assistência Social estão Estabelecidos em 4 Instrumentos Básicos: Política Nacional de

Leia mais

Operação de Empilhadeira

Operação de Empilhadeira Operação de Empilhadeira PROFESSOR AZEVEDO REVELA EXATAMENTE TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O ASSUNTO Treinamento Básico de Segurança para Operadores de Empilhadeira Neste ebook você vai saber os

Leia mais

Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito e aplicação

Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito e aplicação Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Âmbito e aplicação O Plano de Pormenor da Rua das Flores abrange a área assinalada na planta de zonamento e que

Leia mais

LEI MUNICIPAL N 4.774, DE 13 DE JUNHO DE 2013.

LEI MUNICIPAL N 4.774, DE 13 DE JUNHO DE 2013. -Dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de edificações para aprovação na Prefeitura Municipal de Tatuí, e dá outras providencias. JOSÉ MANOEL CORREA COELHO MANÚ, Prefeito Municipal de Tatuí,

Leia mais

NPT 034 HIDRANTE URBANO

NPT 034 HIDRANTE URBANO Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 034 Hidrante Urbano CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 9páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências Normativas e Bibliográficas

Leia mais

Governo do Estado e Prefeitura de Fortaleza lançam projeto Praia Acessível na Praia de Iracema

Governo do Estado e Prefeitura de Fortaleza lançam projeto Praia Acessível na Praia de Iracema Com idealização do Governo do Estado, o projeto Praia Acessível tem como objetivo promover acessibilidade de idosos, pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida à praia. Idosos, pessoas com deficiência

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 34/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 34/2015 Instrução Técnica nº 34/2011 - Hidrante urbano 719 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 34/2015 Hidrante

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO. O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos.

MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO. O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos. MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos. ÍNDICE O QUE É ABRIGO MODELO? VANTAGENS DO NOVO ABRIGO COMO INSTALAR POSIÇÕES POSSÍVEIS PARA INSTALAÇÃO MATERIAIS

Leia mais

ANEXO X. Especificações Técnicas. Concorrência nº. 003/2011

ANEXO X. Especificações Técnicas. Concorrência nº. 003/2011 ANEXO X Especificações Técnicas Concorrência nº. 003/2011 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA COM MÃO-DE-OBRA ESPECIALIZADA, VISANDO À EXECUÇÃO INDIRETA, POR PREÇO UNITÁRIO, DE SERVIÇOS TÉCNICOS ENVOLVENDO O MANEJO

Leia mais

Transportes. Fase I - Levantamento e Diagnóstico Volume II. Plano Local de Promoção da Acessibilidade do Município de Peniche

Transportes. Fase I - Levantamento e Diagnóstico Volume II. Plano Local de Promoção da Acessibilidade do Município de Peniche Transportes 6 1 6.1. Introdução A acessibilidade deve ser considerada um direito universal, e para isso deve contemplar não só a deslocação em espaço público, o acesso aos edifícios, mas também o pleno

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 065, DE 27 DE AGOSTO DE 2007.

LEI COMPLEMENTAR Nº 065, DE 27 DE AGOSTO DE 2007. LEI COMPLEMENTAR Nº 065, DE 27 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre o uso da bicicleta e o Sistema Cicloviário do Município de Paranaguá, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PARANAGUÁ, Estado do

Leia mais

ATENDIMENTO NAS FILIAIS

ATENDIMENTO NAS FILIAIS ATENDIMENTO NAS FILIAIS Brasília, Salvador, São Luís e São Paulo ANS - Nº33967-9 www.centralnacionalunimed.com.br ÍNDICE ATENDIMENTO NAS FILIAIS CONHEÇA AS NOSSAS FACILIDADES AUTORIZAÇÕES ON-LINE SOLICITAÇÃO

Leia mais

ESTRUTURA TARIFÁRIA DA CAGECE

ESTRUTURA TARIFÁRIA DA CAGECE ESTRUTURA TARIFÁRIA DA CAGECE O modelo tarifário da Cagece leva em consideração os custos dos serviços de água e esgoto e uma parcela destinada a investimentos. Estes custos são representados pelas despesas

Leia mais

Tabela de Preços e Condições

Tabela de Preços e Condições Tabela de Preços e Condições PREÇOS ASSOCIADOS CBL / SNEL / ABDL / ANL / LIBRE Período de inscrição Preço área livre Área + Montagem Básica Padrão A Área + Montagem Básica Padrão B Área + Montagem Básica

Leia mais

Folha: Revisão: Inicial 1/7. Título: MESAS E CADEIRAS EM RUAS, PASSEIOS E PRAÇAS VISTORIA E APREENSÃO. Aprovador: Normatizador

Folha: Revisão: Inicial 1/7. Título: MESAS E CADEIRAS EM RUAS, PASSEIOS E PRAÇAS VISTORIA E APREENSÃO. Aprovador: Normatizador 1/7 1. FINALIDADE Estabelecer os procedimentos para os serviços de vistoria e apreensão de mesas e cadeiras em ruas, passeios e praças, com o objetivo de garantir as informações mínimas necessárias para

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Biológicas Curso de Fisioterapia

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Biológicas Curso de Fisioterapia REGULAMENTO E MANUAL PARA USO DO LABORATÓRIO DO CURSO DE FISIOTERAPIA Aprovado pelo Colegiado do em 23/02/2016 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º- O laboratório de ensino do destina-se prioritariamente

Leia mais

ANEXO I GLOSSÁRIO. AFASTAMENTO FRONTAL: menor distância entre a edificação e o alinhamento medida perpendicularmente a este.

ANEXO I GLOSSÁRIO. AFASTAMENTO FRONTAL: menor distância entre a edificação e o alinhamento medida perpendicularmente a este. ANEXO I GLOSSÁRIO ACESSIBILIDADE: Possibilidade e condição de alcance, para a utilização com segurança e autonomia de edificações, espaço, mobiliário, equipamento urbano e elementos adequados, sem barreiras

Leia mais

Melhorias alcançadas (Ações): -Terminal de Integração; -Estações de Transferência; - Reestruturação de Corredores; (Avenida Bernardo Vieira e Hermes

Melhorias alcançadas (Ações): -Terminal de Integração; -Estações de Transferência; - Reestruturação de Corredores; (Avenida Bernardo Vieira e Hermes Consolidação da Rede Cooperativa de Pesquisa Cidades Interativas: Mobilidade Urbana, Acessibilidade e Governo Eletrônico. Melhorias alcançadas (Ações): -Terminal de Integração; -Estações de Transferência;

Leia mais

AGÊNCIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO, TRASPORTES E MOBILIDADE AMT PORTARIA Nº 224/2011 AMT

AGÊNCIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO, TRASPORTES E MOBILIDADE AMT PORTARIA Nº 224/2011 AMT AGÊNCIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO, TRASPORTES E MOBILIDADE AMT PORTARIA Nº 224/2011 AMT O PRESIDENTE DA AGÊNCIA DE TRÂNSITO, TRASPORTES E MOBILIDADE, no uso de suas atribuições legais, em conformidade com

Leia mais

3.3. Edificado 3.3.6. Recreio. Capítulo III Propostas de Intervenção. Plano Municipal de Acessibilidade Para Todos Município da Maia Entrega Final

3.3. Edificado 3.3.6. Recreio. Capítulo III Propostas de Intervenção. Plano Municipal de Acessibilidade Para Todos Município da Maia Entrega Final Capítulo III Propostas de Intervenção 3.3. Edificado 3.3.6. Recreio Março 2010 Capítulo III Propostas de Intervenção Identificação Designação: Espaço Internet da Maia Localização: Rua Simão Bolivar Parque

Leia mais

Conheça o projeto. Saiba sobre as mudanças. Inclui cartilha para o motorista. Apoio

Conheça o projeto. Saiba sobre as mudanças. Inclui cartilha para o motorista. Apoio Conheça o projeto Saiba sobre as mudanças Inclui cartilha para o motorista Apoio Índice 4 Apresentação Explicação sobre o projeto Conduta 6 10 12 Mudanças - ônibus O que muda na sina;ização dos veículos

Leia mais

INSTRUÇÃO N o. 01/2005: APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS

INSTRUÇÃO N o. 01/2005: APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE COLOMBO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO DEPARTAMENTO DE URBANISMO INSTRUÇÃO N o. 01/2005: APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS Os projetos arquitetônicos a

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Impermeabilização da laje de cobertura do prédio principal FÁBRICAS DE CULTURA

TERMO DE REFERÊNCIA Impermeabilização da laje de cobertura do prédio principal FÁBRICAS DE CULTURA TERMO DE REFERÊNCIA laje de cobertura do prédio principal FÁBRICAS DE CULTURA BRASILÂNDIA ÍNDICE DO TERMO DE REFERÊNCIA TÉCNICA 1. OBJETIVO GERAL 2. JUSTIFICATIVA 3. DA MODALIDADE DA CONTRATAÇÃO 4. DISPOSIÇÕES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE POMPÉU PRAÇA GOVERNADOR VALADARES, 12 CENTRO FONE: (37) 3523-1000 FAX: (37) 3523-1391 35.640-000 POMPÉU/MG

PREFEITURA MUNICIPAL DE POMPÉU PRAÇA GOVERNADOR VALADARES, 12 CENTRO FONE: (37) 3523-1000 FAX: (37) 3523-1391 35.640-000 POMPÉU/MG LEI COMPLEMENTAR Nº 002/2009 DISPÕE SOBRE O PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA NO MUNICÍPIO DE POMPÉU, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Pompéu/MG, por seus representantes legais, aprovou e

Leia mais

Secretaria da Habitação e Saneamento

Secretaria da Habitação e Saneamento Secretaria da Habitação e Saneamento APRESENTAÇÃO O programa BANCO DE TERRAS surgiu na necessidade de ampliarmos o programa MCMV no estado do Rio Grande do Sul para famílias com renda de até 3 salários

Leia mais

ENSINO SUPERIOR E REFORMULAÇÃO CURRICULAR

ENSINO SUPERIOR E REFORMULAÇÃO CURRICULAR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DIRETORIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Linhas de Crédito. Linha Global BEI. 16 de Dezembro de 2013. Marketing Empresas e Institucionais

Linhas de Crédito. Linha Global BEI. 16 de Dezembro de 2013. Marketing Empresas e Institucionais Linhas de Crédito Linha Global BEI 16 de Dezembro de 2013 Linha Global BEI Montante Objetivo 200M - Valor máximo de enquadramento - 12,5M por empresa Apoio a projetos de investimento (prioritário) e a

Leia mais

Acessibilidade do Cadeirante às Calçadas na Avenida Djalma Batista Manaus-AM

Acessibilidade do Cadeirante às Calçadas na Avenida Djalma Batista Manaus-AM Faculdade de Faipe Pós Graduação em Ergonomia Maxminiano Pontes de Miranda Acessibilidade do Cadeirante às Calçadas na Avenida Djalma Batista Manaus-AM Trabalho de Conclusão de Curso Manaus 2015 Maxminiano

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA UNIDADE DE FOMENTO E DIFUSÃO DA PRODUÇÃO CULTURAL RESOLUÇÃO SC Nº 14, DE 10 DE MARÇO DE 2015

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA UNIDADE DE FOMENTO E DIFUSÃO DA PRODUÇÃO CULTURAL RESOLUÇÃO SC Nº 14, DE 10 DE MARÇO DE 2015 RESOLUÇÃO SC Nº 14, DE 10 DE MARÇO DE 2015 Estabelece procedimentos quanto aos limites dos valores de incentivo fiscal, previsto no artigo 24, I, do Decreto nº 54.275, de 27 de abril de 2009 e dá outras

Leia mais

LEI Nº, DE DE 2003. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº, DE DE 2003. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO DE LEI LEI Nº, DE DE 2003 Dispõe sobre o Plano Plurianual para o período 2004/2007. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º

Leia mais

A perspectiva da Inclusão como Direito Fundamental E Inovações do Estatuto da Pessoa com Deficiência

A perspectiva da Inclusão como Direito Fundamental E Inovações do Estatuto da Pessoa com Deficiência A perspectiva da Inclusão como Direito Fundamental E Inovações do Estatuto da Pessoa com Deficiência INCLUSÃO # O que é? A inclusão propõe um único sistema educacional de qualidade para todos os alunos,

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETROTÉCNCIA FOLHA 1 de 5 ÍNDICE DE REVISÕES

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO. Aprovada Lei que Regulamenta Loteamentos Fechados no Distrito Federal

BOLETIM INFORMATIVO. Aprovada Lei que Regulamenta Loteamentos Fechados no Distrito Federal MATEUS LEANDRO DE OLIVEIRA ANDRÉ PANIZZA DAYANA ANDRADE SUELLEN NASCIMENTO HÉLIO VIRGILIO JÚNIOR ISABELA AMORELLI NATHÁLIA BJAIJE ILKA S. NOZAWA DE OLIVEIRA CONSULTORES: VERA AMORELLI FERNANDO MIL HOMENS

Leia mais

Você sabe o que é GISS? A partir de Março ela agilizará o Serviço Tributário

Você sabe o que é GISS? A partir de Março ela agilizará o Serviço Tributário Secretaria da Fazenda Como utilizar o GISSONLINE Você sabe o que é GISS? A partir de Março ela agilizará o Serviço Tributário O que é a GISS? A GISS é uma Guia de Informação e Escrituração Eletrônica de

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 249, de 2012.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 249, de 2012. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 249, de 2012. Dispõe sobre a atividade dos corretores de seguros de ramos elementares e dos corretores de seguros de vida,

Leia mais

Att. Cesar Riboli Coordenador do Curso de Direito

Att. Cesar Riboli Coordenador do Curso de Direito Convite para participação da Chamada para Submissão de Resumos/ Modalidade Oral e Pôsteres e Artigos no XX Ciclo de Estudos Jurídicos do Curso de Direito da Uri-FW O Curso de Direito, têm o prazer de lhes

Leia mais

3 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS. 3.1 Sistema Direto

3 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS. 3.1 Sistema Direto 3 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS 3.1 Sistema Direto No sistema direto, as peças de utilização do edifício estão ligadas diretamente aos elementos que constituem o abastecimento, ou seja, a instalação é a própria

Leia mais

LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências

LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências O Povo do Município de Viçosa, por seus representantes

Leia mais

Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos:

Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos: Proposta de Governo Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos: - As Pessoas em Primeiro Lugar - Desenvolvimento Econômico e Identidade Local - Território Ordenado

Leia mais

LEI Nº 5.985 DE 5 DE OUTUBRO DE 2015. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 5.985 DE 5 DE OUTUBRO DE 2015. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 5.985 DE 5 DE OUTUBRO DE 2015. Institui incentivos fiscais a investimentos na prestação de serviços de representação realizados através de centrais de teleatendimento estabelecidas nas áreas que

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara

Leia mais

M a n u a l d o P r o U n i 2 0 1 6 P á g i n a 1

M a n u a l d o P r o U n i 2 0 1 6 P á g i n a 1 M a n u a l d o P r o U n i 2 0 1 6 P á g i n a 1 O Programa Universidade para Todos (Prouni) foi criado pelo Governo Federal em 2004 e tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais

Leia mais

Concurso Natal Ecológico. Regulamento

Concurso Natal Ecológico. Regulamento Concurso Natal Ecológico Regulamento Dos Objetivos 1.1 O Concurso Natal Ecológico, realizado pelo Serviço Colatinense de Meio Ambiente e Saneamento Ambiental SANEAR, tem por objetivos: a) Sensibilizar

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MARÍLIA Estado de São Paulo CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA Lei Complementar nº 42, de 28 de setembro de 1992 (Atualizada até a Lei Complementar nº 506, de

Leia mais

E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S

E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S SUBGRUPO: 180400 CERCA / MURO FOLHA: SUMÁRIO 1. CERCA COM TELA DE ARAME GALVANIZADO E ESTACAS DE CONCRETO...1 1.1 OBJETIVO E DEFINIÇÕES...1 1.2 MATERIAIS...1 1.3 EQUIPAMENTOS...2 1.4 EXECUÇÃO...2 1.5 CONTROLE...2

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 520, 29 de JANEIRO de 2015.

RESOLUÇÃO Nº 520, 29 de JANEIRO de 2015. RESOLUÇÃO Nº 520, 29 de JANEIRO de 2015. Dispõe sobre os requisitos mínimos para a circulação de veículos com dimensões excedentes aos limites estabelecidos pelo CONTRAN. O Conselho Nacional de Trânsito

Leia mais

DECRETO No- 7.559, DE 1o- DE SETEMBRO DE 2011

DECRETO No- 7.559, DE 1o- DE SETEMBRO DE 2011 DECRETO No- 7.559, DE 1o- DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o Plano Nacional do Livro e Leitura - PNLL e dá outras providências. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art.

Leia mais

DECRETO Nº3172 DE 10 DE JULHO DE 2013

DECRETO Nº3172 DE 10 DE JULHO DE 2013 DECRETO Nº3172 DE 10 DE JULHO DE 2013 Regulamenta a realização anual de Encontro de Carros Antigos, denominado Guararema Classic Cars Maestro Fernando Tancredi e dá outras providências. O Senhor MARCIO

Leia mais

Caderno de Diretrizes Cicloviárias. Projeto de Sinalização

Caderno de Diretrizes Cicloviárias. Projeto de Sinalização Caderno de Diretrizes Cicloviárias Projeto de Sinalização INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE LONDRINA 2014 Elaboração: INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE LONDRINA - IPPUL DIRETORIA

Leia mais

Regulação do uso intensivo do viário urbano. Consulta Pública Proposta de Decreto Municipal 29 de dezembro de 2015

Regulação do uso intensivo do viário urbano. Consulta Pública Proposta de Decreto Municipal 29 de dezembro de 2015 Regulação do uso intensivo do viário urbano Consulta Pública Proposta de Decreto Municipal 29 de dezembro de 2015 Em 08 de outubro de 2015, Decreto Nº 56.489 estabelecia a criação de grupo de estudos sobre

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA SEGUNDA VARA CIVEL DA COMARCA DE ARARAQUARA - SP

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA SEGUNDA VARA CIVEL DA COMARCA DE ARARAQUARA - SP fls. 234 EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA SEGUNDA VARA CIVEL DA COMARCA DE ARARAQUARA - SP PROCESSO Nº 1006977-89.2014.8.26.0037 AUTOS DE PROCEDIMENTO ORDINÁRIO REQUERENTE: REQUERIDA: ADRIANA

Leia mais

ANEXO VII PROPOSTA TÉCNICA

ANEXO VII PROPOSTA TÉCNICA ANEXO VII PROPOSTA TÉCNICA 1 Introdução 2 Propostas Técnica 2.1. Economia de Combustível 2.2. Controle da Frota e da Segurança Interna dos Veículos 2.2.1. GPS para Monitoramento da Frota 2.2.2. Câmera

Leia mais

ÍNDICE 1. ZONEAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO 2. 1.2 CORREDORES DE USO ESPECIAL : Z8 CR2, Z8 CR3 e Z8 CR4 3 2. IMPLANTAÇÃO DA EDIFICAÇÃO 5

ÍNDICE 1. ZONEAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO 2. 1.2 CORREDORES DE USO ESPECIAL : Z8 CR2, Z8 CR3 e Z8 CR4 3 2. IMPLANTAÇÃO DA EDIFICAÇÃO 5 ÍNDICE 1. ZONEAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO 2 1.1 OUTORGA ONEROSA DO DIREITO DE CONSTRUIR 3 1.2 CORREDORES DE USO ESPECIAL : Z8 CR2, Z8 CR3 e Z8 CR4 3 1.3 LARGURA DA RUA 3 1.4 LOTES DE ESQUINA / CANTO

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE TAUÁ Administração Fazendo Acontecer

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE TAUÁ Administração Fazendo Acontecer LEI MUNICIPAL Nº 1425 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2006. ASSEGURA DIREITOS ÀS PESSOAS DEFICIENTES E IDOSOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA MUNICIPAL DE TAUÁ, no uso de suas atribuições legais: Lei: Faço saber

Leia mais

PORTARIA DETRO N. 809/07 DE 03 DE ABRIL DE 2007.

PORTARIA DETRO N. 809/07 DE 03 DE ABRIL DE 2007. PORTARIA DETRO N. 809/07 DE 03 DE ABRIL DE 2007. ALTERA A PORTARIA DETRO/PRES. N 437/97 QUE DISPÕE SOBRE A APROVAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS PARA OPERAÇÃO NO SISTEMA INTERMUNICIPAL DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA SEGUNDA VARA CIVEL DA COMARCA DE ARARAQUARA - SP

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA SEGUNDA VARA CIVEL DA COMARCA DE ARARAQUARA - SP fls. 81 EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA SEGUNDA VARA CIVEL DA COMARCA DE ARARAQUARA - SP PROCESSO Nº 1009450-48.2014.8.26.0037 AUTOS DE PROCEDIMENTO ORDINÁRIO REQUERENTE: REQUERIDO: EVA

Leia mais

Lei 9.795/2009 estabeleceu valores do IPTU de 2010 e 2011

Lei 9.795/2009 estabeleceu valores do IPTU de 2010 e 2011 IPTU 2016 Lei 9.795/2009 estabeleceu valores do IPTU de 2010 e 2011 Reajustes do IPTU pelo IPCA-E/IBGE A partir de 2012 o IPTU é reajustado com base no IPCA-E/IBGE IPTU/2016 reajustado pelo IPCA-E 2015

Leia mais

PROPOSIÇÃO DE LEI Nº 742/2015

PROPOSIÇÃO DE LEI Nº 742/2015 PROPOSIÇÃO DE LEI Nº 742/2015 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA SUPRESSÃO, TRANSPLANTE OU PODAS DE ESPÉCIMES VEGETAIS NO ÂMBITO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O povo do Município de Santana do Riacho,

Leia mais

JUSTIFICATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 006, DE XX DE JANEIRO DE 2014. Senhores Vereadores,

JUSTIFICATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 006, DE XX DE JANEIRO DE 2014. Senhores Vereadores, JUSTIFICATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 006, DE XX DE JANEIRO DE 2014. PREFEITURA Senhora Presidente, Senhores Vereadores, O presente Projeto de Lei cria a possibilidade de regularização de parcelamento com

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS JUNTO OU NA VIA PÚBLICA 2 DESCRIÇÃO Os trabalhos junto à via pública ou na via pública, bem como o depósito de

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL DO TRT DA 13ª REGIÃO

RELATÓRIO DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL DO TRT DA 13ª REGIÃO RELATÓRIO DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL DO TRT DA 13ª REGIÃO A Presidência do Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região, através da Assessoria de Gestão Estratégica AGE, realizou em consonância

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PROJETO-PILOTO CIDADES DIGITAIS

PLANO DE TRABALHO PROJETO-PILOTO CIDADES DIGITAIS PLANO DE TRABALHO PROJETO-PILOTO CIDADES DIGITAIS 1 DADOS CADASTRAIS Nome da prefeitura CNPJ Endereço da sede da prefeitura Cidade UF CEP DDD/Telefone DDD/FAX E-mail da prefeitura Nome do prefeito C.I./Órgão

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS

ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS Este resumo foi preparado listando as informações mais importantes para que se desenvolvam desenhos de arquitetura com clareza, critério e precisão.

Leia mais

Está na hora do povo apostar em um candidato a prefeito do próprio povo. Edinaldo e Newtinho Matsumoto vão continuar os avanços em Petrolina e

Está na hora do povo apostar em um candidato a prefeito do próprio povo. Edinaldo e Newtinho Matsumoto vão continuar os avanços em Petrolina e Está na hora do povo apostar em um candidato a prefeito do próprio povo. Edinaldo e Newtinho Matsumoto vão continuar os avanços em Petrolina e implantar novos programas para a cidade crescer ainda mais.

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PARANÁ APÊNDICE I LEGISLAÇÃO APLICADA A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL E NO ESTADO DO PARANÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PARANÁ APÊNDICE I LEGISLAÇÃO APLICADA A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL E NO ESTADO DO PARANÁ APÊNDICE I LEGISLAÇÃO APLICADA A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL E NO ESTADO DO PARANÁ Constituição Federal Constituição Federal, de 5/10/1988. Dispõe nos artigos 206, 208 e 227 sobre a igualdade de acesso

Leia mais

SENADO FEDERAL (*)PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 388, DE 2012

SENADO FEDERAL (*)PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 388, DE 2012 SENADO FEDERAL (*)PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 388, DE 2012 Altera a Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana; revoga dispositivos dos

Leia mais

Art. 1º Estabelecer orientações para a implementação no âmbito do Projeto Bolsa- Formação dos ciclos especiais de capacitação:

Art. 1º Estabelecer orientações para a implementação no âmbito do Projeto Bolsa- Formação dos ciclos especiais de capacitação: PORTARIA MJ Nº 183, DE 9 DE FEVEREIRO DE 2010 Regulamenta os arts. 9º, 10 e 15 do Decreto nº 6.490, de 19 de junho de 2008, alterados pelo Decreto nº 7.081, de 26 de janeiro de 2010, e dá outras providências.

Leia mais

ACESSO DE VIATURAS NA EDIFICAÇÃO E ÁREAS DE RISCO

ACESSO DE VIATURAS NA EDIFICAÇÃO E ÁREAS DE RISCO NORMA TÉCNICA No. 06/2012 NORMA TÉCNICA NO. 06/2012 ACESSO DE VIATURAS NA EDIFICAÇÃO E ÁREAS DE RISCO ACESSO DE VIATURAS NA EDIFICAÇÃO E ÁREAS DE RISCO CBMGO - CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: APLICATIVOS INFORMATIZADOS NA ENFERMAGEM

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: APLICATIVOS INFORMATIZADOS NA ENFERMAGEM Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã (SP) Eixo Tecnológico: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais