MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA E N S I N O MCA 37-53

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA E N S I N O MCA 37-53"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA RONÁUTICA E N S I N O MCA PLANO DE UNIDADES DIDÁTICAS DA INSTRUÇÃO TÉCNICO-ESPECIALIZADA DO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS ESPECIALISTAS EM COMUNICAÇÕES (PUD CFOE COM) 2010

2

3 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA RONÁUTICA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA RONÁUTICA E N S I N O MCA PLANO DE UNIDADES DIDÁTICAS DA INSTRUÇÃO TÉCNICO-ESPECIALIZADA DO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS ESPECIALISTAS EM COMUNICAÇÕES (PUD CFOE COM) 2010

4

5 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA RONÁUTICA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA RONÁUTICA PORTARIA CIAAR Nº 26-T/SDCC, DE 16 DE DEZEMBRO DE Aprova a reedição do Manual que trata do Plano de Unidades Didáticas da Instrução Técnico-Especializada do Curso de Formação de Oficiais Especialistas em Comunicações (PUD CFOE COM). O COMANDANTE DO CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA RONÁUTICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11, inciso III, do Regulamento do Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica, aprovado pela Portaria nº 448/GC3, de 27 de abril de 2006, resolve: Art. 1º Aprovar a reedição do MCA Plano de Unidades Didáticas da Instrução Técnico-Especializada do Curso de Formação de Oficiais Especialistas em Comunicações. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º Revoga-se a Portaria CIAAR nº 08/CMDO, de 1º de setembro de Brig Ar JOSÉ GERALDO FERREIRA MALTA Comandante do CIAAR (Publicado no BCA n 082, de 2 de maio de 2011)

6

7 MCA 37-53/2010 SUMÁRIO 1 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FINALIDADE ÂMBITO LISTA DE ABREVIATURAS COMPLEMENTAÇÃO DA INSTRUÇÃO DETALHAMENTO DAS UNIDADES DIDÁTICAS DISPOSIÇÕES FINAIS ÍNDICE...105

8 MCA 37-53/2010

9 MCA 37-53/2010 PREFÁCIO Esta publicação estabelece o Plano de Unidades Didáticas, referente ao ano de 2010, para a Instrução Técnico-Especializada do Curso de Formação de Oficiais Especialistas em Comunicações. Este Plano de Unidades Didáticas complementa o Currículo Mínimo da Instrução Técnico-Especializada do Curso de Formação de Oficiais Especialistas em Comunicações (ICA ) e contém a previsão de todas as atividades que o instruendo realizará sob a orientação do Centro para atingir os objetivos do curso em que está matriculado. Contém dados relativos ao desenvolvimento das Unidades Didáticas que compõem as disciplinas do Curso acima mencionado. Destina-se, especificamente, aos docentes, discentes e ao uso administrativo deste Centro.

10 MCA 37-53/2010

11 MCA 37-53/ DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 FINALIDADE Esta Instrução tem por finalidade estabelecer o Plano de Unidades Didáticas a ser adotado para a Instrução Técnico-Especializada do Curso de Formação de Oficiais Especialistas em Comunicações (CFOE COM). 1.2 ÂMBITO Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR).

12 10 MCA 37-53/ LISTA DE ABREVIATURAS - Aula Expositiva An - Análise Ap - Aplicação APt - Aula Prática C - Conferência Ce - Cerimônia Cn - Conhecimento Cp - Compreensão Ctc - Crítica Cv - Caracterização por um valor ou complexo de valores DDr - Discussão Dirigida Dem - Demonstração EO - Exposição Oral ES - Exercício em Sala Exc - Exercício Og - Organização Ot - Orientação POt - Prática Orientada RC - Resposta Aberta Complexa Re - Resposta RM - Resposta Mecânica RO - Resposta Orientada Se - Seminário TG - Trabalho de Grupo TI - Trabalho Individual Va - Valorização Vi - Visita Técnica

13 MCA 37-53/ COMPLEMENTAÇÃO DA INSTRUÇÃO Carga horária: 154 Tempos ATIVIDADES OBJETIVOS OPERACIONALIZADOS CH TEC ESTÁGIO SUPERVISIONADO CINDACTA I a) estagiar nas Seções de manutenção da Subdivisão de Telecomunicações (TEL) (Ap); b) estagiar nas Seções de manutenção da Subdivisão de Tecnologia da Informação (STI) (Ap); c) estagiar nas Seções de manutenção da Subdivisão de Radares (RAD) (Ap); d) estagiar nas Seções de manutenção da Subdivisão de Navegação e Infra-estrutura (NAV) (Ap); e) identificar os equipamentos utilizados no fornecimento de Energia elétrica ao CINDACTA I (Cn); e f) estagiar nas Seções operacionais da Subdivisão de Telecomunicações Aeronáuticas (COM) (Ap). 16 POt/ Vi COMDABRA a) identificar os Sistemas de Telecomunicações (Sistema de Energia, Enlace de Voz e Dados, Comunicações Terra-Avião, Visualização Radar, Meios Informatizados e Automatização na Defesa Aérea) empregados nas atividades do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileira (COMDABRA) (Cn); e b) identificar a estrutura e funcionamento do COMDABRA (Cn). 09 Vi

14 12 MCA 37-53/2010 ATIVIDADES OBJETIVOS OPERACIONALIZADOS CH TEC DTS a) identificar a estrutura de funcionamento do DTS (Cn); b) identificar a estrutura de Telecomunicações via satélite existente no DTS (Cn); e c) identificar a importância das atividades desenvolvidas pelo DTS no contexto de uma estrutura militar de guerra (Cn). 04 Vi DTCEA- BR a) identificar a estrutura de funcionamento do DTCEA (Cn); b) identificar os equipamentos empregados no enlace de micro-ondas do CINDACTA I (Cn); c) identificar a estrutura RADAR existente no DTCEA e sua integração com o Sistema (Cn); d) identificar a estrutura de Telecomunicações existente no DTCEA (Cn); e e) realizar estágio na Seção de manutenção Radar do DTCEA (Ap). 09 Vi DTCEA-GAMA a) identificar a estrutura de funcionamento do DTCEA (Cn); b) identificar os equipamentos empregados no enlace de micro-ondas do CINDACTA I (Cn); c) identificar a estrutura RADAR existente no DTCEA e sua integração com o Sistema (Cn); d) identificar a estrutura de Telecomunicações existente no DTCEA (Cn); e e) realizar estágio na Seção de manutenção Radar do DTCEA (Ap). 04 Vi BABR a) identificar as atividades e equipamentos da SCOAM, no que se refere a Telecomunicações (Cn); b) descrever o Esquadrão de Eletrônica da BABR (Cn); c) identificar, em uma aeronave, a localização dos equipamentos de Rádio Navegação e suas antenas (Cn); e d) realizar estágio na Seção de manutenção Eletrônica das Aeronaves (Ap). 09 Vi

15 MCA 37-53/ GTE a) identificar o Sistema de Telecomunicações existente na aeronave de apoio presidencial (Cn); e b) identificar os recursos humanos e materiais, existentes para apoio de manutenção eletrônica e operação das aeronaves operadas pelo GTE (Cn). 09 Vi DTCEATM-RJ a) identificar a infra-estrutura de comunicações via satélite empregada na INTRR (Cn); b) identificar a infra-estrutura da Rede Metropolitana do complexo Santos Dumont (Cn); e c) identificar a infra-estrutura da Rede de Telecomunicações utilizada no SISCEAB (Cn); 09 Vi CGNA a) identificar a importância do CGNA no contexto do SISCEAB (Cn); e b) identificar as atividades desenvolvidas pelo CGNA (Cn). 09 Vi GEIV a) identificar a importância do Grupo Especial de Inspeção em Voo no contexto do SISCEAB (Cn); e b) identificar as atividades desenvolvidas pelo Grupo Especial de Inspeção em Vôo. 09 Vi DTCEA-PCO a) identificar a estrutura de funcionamento do DTCEA-PCO; b) identificar os diversos tipos de equipamentos empregados no enlace de microondas, bem como a área apoiada por esse sistema (Cn); c) identificar os tipos de RADARES existentes no DTCEA-PCO e sua integração com o Sistema (Cn); e d) identicar a estrutura de Telecomunicações existente no DTCEA-PCO (Cn). 09 Vi PAME-RJ a) identificar a importância do PAME-RJ no contexto do SISCEAB (Cn); b) identificar a estrutura de funcionamento do PAME-RJ (Cn); c) identificar as atividades desenvolvidas nas diversas Subdivisões da Divisão Técnica do PAME-RJ (Cn); e d) identificar a sistemática de trabalho do Laboratório de Calibração nas atividades de manutenção e de ajuste de instrumentos (Cn). 16 Vi

16 14 MCA 37-53/2010 ATIVIDADES OBJETIVOS OPERACIONALIZADOS CH TEC a) identificar a estrutura de funcionamento do 1º GCC (Cn); 1º GCC b) identificar a importância das atividades desenvolvidas pelo 1º GCC e seus esquadrões subordinados no cenário das comunicações e controle, no âmbito do SISCEAB (Cn); e c) identificar os equipamentos e sistemas operados pelos esquadrões subordinados (Cn). 08 Vi VISITAS DTCEA-CF AUXÍLIOS a) identificar os equipamentos de radionavegação aérea, Estação de telecomunicações e Centro Meteorológico (Cn); 04 Vi/Dem DTCEA CONFINS RADAR a) identificar as características e facilidades típicas, enfrentadas pelo DTCEA, na manutenção de RADARES (Cn). 04 Vi/Dem DTCEA CONFINS COMUNICAÇÕES VIA SATELITE a) identificar as características e facilidades típicas enfrentadas pelo DTCEA na manutenção do Sistema TELESAT (Cn). 04 Vi/Dem PALESTRAS DTCEA a) descrever a estrutura de um DTCEA (Cn); b) discutir as dificuldades encontradas por um Comandante de DTCEA isolado, com relação a pessoal (Cp); e c) apontar a necessidade do estreito relacionamento com as Empresas públicas e privadas e suas responsabilidades na administração do Destacamento (Cn). 04

17 MCA 37-53/ ATIVIDADES OBJETIVOS OPERACIONALIZADOS CH TEC GNSS a) identificar a estrutura do Sistema GNSS (Cn); b) descrever a finalidade do Sistema GNSS no CNS/ATM (Cn); c) identificar a estrutura do Aeronautical Mobile Satellite Service (AMSS) (Cn); d) conceituar o Sistema GLONASS (Cn); e) conceituar o Sistema GPS (Cn); f) explicar os requisitos operacionais acuracidade, integridade, disponibilidade e confiabilidade necessários ao GPS (Cp); g) identificar o emprego dos sistemas de aumentação (GBAS, SBAS e ABAS) no GNSS (Cn); h) esboçar a evolução da Navegação por satélite (Cn); i) identificar o mecanismo de correção de sinais no GPS (Cn); j) identificar o projeto e evolução do GPS (Cn); k) apontar os modos de posicionamento do GPS (Cn); l) destacar a visualização geral do GPS (Cn); e m) identificar a finalidade das estações DGPS (Cn). 04

18 16 MCA 37-53/2010 ATIVIDADES OBJETIVOS OPERACIONALIZADOS CH TEC VOO DE INSTRUÇÃO NO AVIÃO LABORATÓRIO (GEIV) AUXÍLIOS a) identificar a função do Oficial de Comunicações na operação dos equipamentos instalados a bordo (Cn); b) identificar a localização das antenas dos diversos equipamentos de comunicações e de navegação da aeronave (Cn); e c) demonstrar, em um voo de instrução, as atividades básicas de um operador de painel de inspeção em voo (Ap). 08 APt VOO DE INSTRUÇÃO (2º/6ºGAV) AVIÔNICA a) realizar um voo em uma aeronave (Ap); b) identificar a operação dos instrumentos de vôo (Cn); c) identificar a operação dos equipamentos de navegação (Cn); d) identificar a operação dos equipamentos radionavegação (Cn); e) identificar a operação do Sistema PA e do Sistema HF (Cn); e f) identificar as características do gerenciamento de voo (Cn). 06 APt PERFIL DE RELACIONAMENTO 1) O estágio no CINDACTA 1 deverá ser antecedido de uma palestra sobre sua estrutura, seguida de uma visita às instalações. Após as visitas, os estagiários deverão ser alocados por 02 (dois) dias, alternadamente, em cada uma das Subdivisões e/ou Seções discriminadas nos objetivos operacionalizados. Os estagiários deverão acompanhar, nos Setores, as atividades inerentes à Chefia de cada um deles em conformidade com os objetivos operacionalizados citados na visita ao CINDACTA1 e constantes do quadro anterior, o mesmo devendo acontecer durante os estágios no DTCEAGAMA e no DTCEABR; 2) Uma visita ao DTCEA-CF deverá ser realizada no decorrer da disciplina de Auxílios à Navegação Aérea e Aproximação; 3) Uma visita ao DTCEA-CF deverá ser realizada no decorrer da disciplina de Sistemas de RADAR; 4) Uma visita ao DTCEA-CF deverá ser realizada no decorrer da disciplina de Comunicações via Satélite; 5) O voo de instrução do GEIV deverá ser realizado ao final da disciplina de Auxílios à Navegação Aérea e Aproximação; e 6) O voo de instrução do 2º/6º GAV deverá ser realizado ao final da disciplina de Aviônica.

19 MCA 37-53/ DETALHAMENTO DAS UNIDADES DIDÁTICAS CAMPO: TÉCNICO-ESPECIALIZADO DISCIPLINA 1: ELETRÔNICA ÁREA: ENGENHARIAS CARGA HORÁRIA: 45 TEMPOS OBJETIVO ESPECÍFICO DA DISCIPLINA: a) identificar os conceitos, as funcionalidades e as características dos dispositivos e circuitos eletrônicos na eletrônica analógica e digital (Cp). UNIDADES DIDÁTICAS UNIDADE 1.1: ELETRÔNICA ANALOGICA CH: 25 OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA UNIDADE: a) descrever as características dos dispositivos especiais (Cn); b) descrever as características operacionais do retificador em uma fonte de força (Cp); c) descrever o funcionamento dos amplificadores (Cp); e d) interpretar o funcionamento dos filtros ativos e dos osciladores (Cp) CIRCUITOS A DIODO a) identificar o funcionamento de um circuito retificador meia onda e de onda completa com transformador de tomada central e com circuito em ponte (Cp); b) identificar a finalidade de circuito regulador (Cp); c) revisar uma fonte de alimentação (Cn); e d) revisar os circuitos: limitador, dobradores de tensão e grampeador (Cp) TRANSISTOR BIPOLAR a) relacionar as tensões do transistor (Cp); b) discutir as configurações base comum, emissor comum e coletor comum (Cp); c) revisar as curvas características das configurações (Cp); d) revisar ganhos de corrente, de tensão e de potência em um transistor (Cp); e) revisar polarização de transistor e seus circuitos básicos (Cp); e f) revisar saturação e ponto de corte no transistor (Cp) AMPLIFICADOR LINEAR a) identificar as características do amplificador linear (Cp); b) descrever um amplificador diferencial (Cp); c) citar os tipos de acoplamento de amplificadores lineares (Cn); d) classificar os amplificadores lineares (Cp); e) ar os amplificadores de baixa e alta freqüência (Cp); f) identificar os amplificadores de tensão, corrente e de potência (Cn); e g) identificar um amplificador push-pull (Cn). 03

20 18 MCA 37-53/ a) revisar as características do amplificador operacional AMPLIFICADOR ideal (Cp); OPERACIONAL b) revisar ampliador diferencial e sua função básica (Cp); c) identificar o símbolo e as características do ampliador operacional (Cn); d) revisar os circuitos dos ampliadores operacionais como: inversor, sem inversão, seguidor de fonte, somador c/ inversão, somador s/ inversão, subtrator, diferenciador, integrador e comparador (Cn); e e) identificar os tipos de filtros nos ampliadores operacionais (Cp) OSCILADORES SENOIDAIS a) explicar as características básicas do oscilador senoidal (Cp); b) descrever o funcionamento básico do oscilador RC expressando a fórmula (Cp); c) explicar o funcionamento do oscilador Armstrong expressando o seu circuito e a fórmula (Cp); d) explicar o funcionamento básico do oscilador Hartley expressando o seu circuito (Cp); e) explicar o funcionamento básico do oscilador Colpitts expressando o seu circuito (Cp); f) explicar o funcionamento básico do oscilador a cristal expressando o seu circuito (Cp); e g) identificar as aplicações dos osciladores (Cp) OSCILADORES NÃO SENOIDAIS a) identificar os osciladores não senoidais (Cp); b) descrever as características dos multivibradores biestável, monoestável e astável (Cp); c) expressar o circuito básico dos multivibradores biestável, monoestável e astável (Cp); e d) identificar as características básicas de um gerador de base de tempo (Cp). 02

21 MCA 37-53/ NOÇÕES DE CIRCUITOS a) conceituar microeletrônica (Cn); b) descrever a tecnologia de fabricação do circuito integrado (Cn); INTEGRADOS c) comparar os componentes integrados com os convencionais, considerando as técnicas de fabricação e tamanho (Cp); d) discutir o emprego de CI em projetos (Cn); e e) apontar os circuitos integrados mais utilizados na indústria, identificando suas funções (Cn) DECIBEL a) identificar o conceito de decíbel (Cn); b) calcular o ganho, em db, de um amplificador (Ap); c) identificar os níveis de referência para esboçar as relações entre dbm, db e dbw (Cn); d) identificar as relações de tensão e corrente (Cn); e) identificar os medidores (Cn); e f) identificar a medida de potência em dbm (Cn) DISPOSITIVOS ESPECIAIS a) conceituar diodo Túnel, Varistor, Varactor, Gumn, Pin (Cp); b) conceituar Termistor (Cn); c) identificar os símbolos, as características e as aplicações dos dispositivos fotossensíveis (Cp); d) identificar a estrutura, a simbologia e o circuito equivalente do transistor unijunção (UJT) (Cn); e) identificar a estrutura, o funcionamento e a simbologia de um JFET (Cn); f) revisar a estrutura, o funcionamento e a simbologia de um MOSFET modo crescimento e depleção (Cn); g) identificar as características de um LED (Cp); h) citar as características de um SCR e um TRIAC (Cp); e i) explicar o funcionamento de um diodo zener (Cp) FILTROS ATIVOS a) identificar a finalidade e o funcionamento básico do filtro passa-alta (Cp); b) identificar a finalidade e o funcionamento básico do filtro passa-faixa (Cp); c) identificar a finalidade e o funcionamento básico do filtro passa-baixa (Cp); d) identificar a finalidade e o funcionamento básico do filtro rejeita-faixa (Cp); e e) apontar as aplicações desses filtros (Cp). 01

22 20 MCA 37-53/2010 UNIDADE 1. 2: ELETRÔNICA DIGITAL CH: 20 OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA UNIDADE: a) descrever os sistemas de numeração (Cp); b) identificar os conceitos básicos da álgebra Booleana e dos conversores (Cp); c) esboçar os circuitos combinacionais, seqüenciais, multiplex e de memória (Cn); e d) apontar as características de famílias de circuitos lógicos (Cp) SISTEMAS DE NUMERAÇÃO a) revisar os sistemas de numeração (Cp); b) converter os sistemas binário, decimal, octal e hexadecimal entre si (Cp); c) revisar as operações aritméticas no sistema binário (Cp); e d) identificar o complemento de um número, sinalmódulo, sinal-complemento 1, sinal complemento 2 e transbordamento da capacidade do sistema (Cn) ÁLGEBRA BOOLEANA a) explicar o funcionamento das funções lógicas AND, OR, NOT, NAND, NOR E XOR (Cp); b) distinguir os circuitos representativos, os símbolos e as tabelas verdade das funções lógicas (Cp); c) descrever os postulados, as propriedades e o teorema de Morgan (Ap); d) identificar o diagrama de Karnaugh nas simplificações das expressões booleanas (Ap); e) identificar as variáveis e expressões de Boole (Cn); f) enunciar as equivalências de blocos lógicos (Cn); e g) exemplificar uma expressão lógica através da tabela verdade (Cp) CIRCUITOS COMBINACIONAIS a) identificar o conceito de circuitos combinacionais (Cn); b) identificar os circuitos lógicos básicos, universais e comparadores (Cn); c) identificar os tipos de códigos (Cn); d) explicar o funcionamento dos circuitos codificadores decimal/binário e decodificador binários/decimal (Cp); e) explicar o funcionamento de um meio somador e de um somador completo (Cp); f) explicar o funcionamento de um meio subtrator e de um subtrator completo (Cp); g) diferenciar um somador paralelo de um somador série (Cp); e h) explicar o funcionamento dos multiplexadores e do demultiplexadores (Cp). 03

23 MCA 37-53/ CIRCUITOS SEQUENCIAIS a) identificar as características de funcionamento dos flip-flop RS básico, assíncronos, RS com clock, tipo D, tipo T, JK, máster-slave e os com clear e preset (Cp); b) identificar os tipos de registradores de deslocamento (Cp); c) identificar os tipos de contadores síncronos e assíncronos (Cp); d) esboçar os circuitos dos registradores e dos contadores (Cn); e e) citar na sala de aula as aplicações práticas das funções lógicas (Cp) CONVERSORES a) identificar os conversores digital-analógicos (Cn); b) identificar o conversor analógico-digital (Cn); e c) identificar os geradores de formas de onda digital (Cn) FAMÍLIAS DE CIRCUITOS LÓGICOS a) identificar as características das famílias de circuitos lógicos DTL, RTL, RCTL, HTL, STTL, ECL, PMOS, NMOS e C-MOS (Cn); e b) esboçar os circuitos DTL, DTL, DCTL, RTL, RCTL, HTL, TTL, ECL, PMOS, NMOS e C-MOS (Cn). 04 RECOMENDAÇÕES METODOLÓGICAS A disciplina de Eletrônica deverá ser desenvolvida adotando-se o método expositivo e exercícios em sala de aula. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BOYLESTAD, Robert e NASHELSKY, Louis. Dispositivos Eletrônicos e Teoria de circuitos. MALVINO, Albert Paul. Eletrônica Vol. 1 e 2. Editora McGraw-Hill. IDOETA, Ivan V. & CAPUANO, Francisco G. Elementos de Eletrônica Digital, Editora Érica. PERFIL DE RELACIONAMENTO A disciplina de Eletrônica deverá ser ministrada no início do Curso.

24 22 MCA 37-53/2010 CAMPO: TÉCNICO-ESPECIALIZADO ÁREA: ENGENHARIAS CARGA HORÁRIA DISCIPLINA 2: ELETROTÉCNICA 50 tempos OBJETIVOS ESPECÍFICOS: a) discutir a utilização de equipamentos elétricos na distribuição e consumo de energia (Cp); e b) interpretar o funcionamento de redes de distribuição de energia e de instalações elétricas (Cp). UNIDADES DIDÁTICAS UNIDADE 2.1: ENERGIA ELÉTRICA CH 08 OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA UNIDADE: a) explicar o processo de produção, transmissão, distribuição e consumo de energia elétrica (Cp); b) apontar os equipamentos de fornecimento de energia de emergência (Cn); c) esboçar a definição diferencial de potência, energia, corrente e tensão nos circuitos elétricos (Cp); e d) identificar o comportamento dos circuitos elétricos RLC quanto aos transitórios (Cp) PRODUÇÃO a) definir as características da produção de energia elétrica (Cn); b) descrever as principais fontes geradoras de energia elétrica (Cn); e c) identificar as principais características de uma usina hidrelétrica (Cn). 01 /ES TRANSMISSÃO a) definir as características da transmissão de energia elétrica (Cn); b) apontar os níveis de tensão CA usadas nas linhas de transmissão (Cn); c) identificar os tipos de sinalizadores visuais utilizados nas linhas de transmissão (Cn); d) identificar os componentes básicos instalados em uma linha de transmissão de energia (Cn); e) descrever as características de um cabo de CC de alta voltagem (Cn); e f) apontar as características dos cabos de força submarinos, utilizados na transmissão de energia (Cn). 01 /ES DISTRIBUIÇÃO a) esboçar as características de distribuição de energia elétrica (Cn); b) distinguir distribuição primária de distribuição secundária (Cp); e c) descrever os tipos de subestações utilizados na distribuição de energia (Cn). 01 /S

25 MCA 37-53/ UNIDADES OBJETIVOS OPERACIONALIZADOS CH TEC CONSUMO a) discutir potência instalada em uma rede de energia (Cp); b) discutir os fatores de demanda, de diversidade e de carga (Cp); c) distinguir os tipos de carga e de fator de potência (Cp); e d) discutir as técnicas de correção de fator de potência a cargas reativas (Cp). 02 /ES ENERGIA DE EMERGÊNCIA a) apontar os tipos de fontes de energia de emergência (Cn); b) definir Grupo Gerador (Cn); c) definir Unidade de Supervisão de Corrente Alternada (USCA) (Cn); d) definir fonte de força ininterrupta (UPS) (Cn); e e) apontar os tipos de fontes de força ininterrupta (Cn). 03 /ES UNIDADE 2.2: SISTEMAS POLIFÁSICOS CH 21 OBJETIVO ESPECÍFICO DA UNIDADE: a) discutir a utilização dos sistemas polifásicos nas redes elétricas (Cp). a) explicar o funcionamento de sistemas monofásicos (Cp); SISTEMAS b) explicar o funcionamento de sistemas bifásicos (Cp); e c) explicar o funcionamento de sistemas trifásicos (Cp) EQUILÍBRIO DE CARGAS a) discutir circuito monofásico equivalente (Cp); b) identificar carga equilibrada em triângulo (Cn); c) identificar carga equilibrada em estrela (Cn); d) explicar a equivalência entre carga equilibrada em triângulo e em estrela (Cp); e) identificar carga desequilibrada em triângulo e em estrela, com quatro condutores (Cp); f) explicar carga desequilibrada, em estrela, com três condutores (Cp); e g) apontar o método do deslocamento do neutro na carga desequilibrada em estrela a três condutores (Cn). 04 /ES

26 24 MCA 37-53/ WATTÍMETROS a) explicar a potência nas cargas trifásicas equilibradas (Cp); e b) explicar o método dos dois wattímetros a cargas equilibradas (Cp) DEFINIÇÃO DIFERENCIAL a) identificar a potência média em um circuito AC (Cn); b) definir energia elétrica em função da potência instantânea (Cn); c) definir a tensão nos terminais de um indutor em função da taxa de variação de corrente (Cn); d) definir a corrente em um capacitor em função da taxa de variação de tensão (Cn); e e) calcular os valores de potência, tensão e corrente através de equações diferenciais (Ap) VALORES MÉDIO E EFICAZ DE FORMAS DE ONDAS a) identificar o valor médio de uma forma de onda periódica realizando exemplos (Cn); b) identificar o valor eficaz de uma forma de onda periódica, com realização de exemplos (Cn); e f) calcular os valores médio e eficaz de formas de onda, através de equações diferenciais (Ap) IMPEDANCIA COMPLEXA a) recapitular as operações dos números complexos (Cn); b) converter as formas de números complexos (Cn); c) identificar diagrama de fasores e de impedância (Cn); d) interpretar a impedância em um circuito reativo, com exemplificação (Cn); e e) distinguir os circuitos no domínio do tempo e da freqüência (Cp) TRANSITÓRIOS EM CIRCUITOS a) conceituar transitórios em corrente continua nos circuitos RL, RC e RLC (Cn); b) conceituar transitórios em corrente alternada nos circuitos RL, RC e RLC (Cn); c) identificar noções elementares da aplicação da serie de Fourier para as formas de ondas, com exemplificação (Cn); e d) identificar o método da transformada de Laplace aplicado nos transitórios, com exemplificação (Cn). 04

27 MCA 37-53/ UNIDADE 2.3: MÁQUINAS ELÉTRICAS CH 05 OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA UNIDADE: a) explicar as principais características de um transformador (Cp); e b) explicar as principais características dos motores e geradores (Cp) TRANSFOR- MADORES a) apontar os tipos de transformadores utilizados em sistemas elétricos (Cn); b) distinguir os transformadores de potência, corrente e tensão (Cp); c) discutir construção, proteção e instalação de transformadores (Cp); d) apontar as características dos transformadores, funcionamento a vazio e com carga (Cn); e e) apontar as aplicações dos transformadores em uma rede elétrica (Cn) MOTORES E GERADORES a) apontar os tipos de motores elétricos (Cn); b) apontar os tipos de geradores elétricos (Cn); c) diferenciar motores de geradores (Cp); d) apontar as características dos motores elétricos (Cn); e e) apontar as características dos geradores elétricos (Cn). 02 UNIDADE 2.4: SISTEMAS DE CONTROLE E DE PROTEÇÃO CH 08 OBJETIVO ESPECÍFICO DA UNIDADE: a) discutir os principais sistemas de controle e proteção utilizados nas instalações elétricas (Cp) a) discutir circuitos elétricos de proteção (Cp); SISTEMAS DE b) discutir os fusíveis de alta e baixa tensão (Cp); PROTEÇÃO c) descrever seccionadores tipo fusível, disjuntores e chave-faca (Cn); d) identificar relé de curto-circuito, de sobrecarga, de subtensão (Cn); e) citar raios, hastes de descarga e zona de proteção (Cn); f) explicar os princípios de funcionamento de pára-raios (Cp); g) identificar o aterramento elétrico como forma de proteção (Cp); h) definir as características dos dispositivos de comando para baixa tensão (Cn); i) identificar interruptores de uma, duas e três seções (Cn); e j) distinguir interruptor three way de four way (Cp). 04

28 26 MCA 37-53/ SISTEMA DE a) identificar as características dos contatores e das chaves magnéticas (Cn); CONTROLE b) apontar os defeitos mais comuns em contatores e disjuntores e suas causas (Cn); e c) enunciar os tipos de comando para alta tensão (Cn). 04 UNIDADE 2.5: CLIMATIZAÇÃO CH 08 OBJETIVO ESPECÍFICO DA UNIDADE: a) identificar os parâmetros envolvendo a climatização de um ambiente (Cp) NOÇÕES DE REFRIGERAÇÃO a) revisar os conceitos de calor, capacidade térmica, calor específico, condução de calor, calor sensível e calor latente (Cp); b) expressar a primeira e a segunda Leis da Termodinâmica (Cp); c) discutir mistura ar-vapor d'água (Cp); d) distinguir umidificação e desumidificação (Cp); e) interpretar vazão necessária de ar (Cp); f) expressar conceitos de refrigeração (Cp); g) apontar os tipos de Sistemas de refrigeração (Cn); e h) identificar os principais cuidados com a manutenção de Sistemas de refrigeração (Cn) NOÇÕES DE CARGA TÉRMICA a) discutir carga devido à condução, insolação, dutos, pessoas, equipamentos, infiltração, ventilação (Cp); e b) discutir ar de insuflamento, absorção da umidade de recintos, calor latente e calor total (Cp). 04 /ES RECOMENDAÇÕES METODOLÓGICAS A disciplina de Eletrotécnica deverá ser desenvolvida adotando-se o método expositivo, com resolução de exercícios em sala de aula, visita às instalações elétricas do CIAAR. As aulas de Prática Orientada deverão ser realizadas em Laboratório de informática com softwares relativos à Eletrotécnica utilizando, por exemplo, o software MATLAB. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Creder, Hélio Instalações Elétricas, 13ª Edição Revista. Vicente Soares Neto e Francisco Teodoro Assis Carvalho Proteção de Circuitos Livros Técnicos e Científicos. João Mamede Filho Instalações Elétricas Livro Técnico e Científico. Coleção Schaum McGraw-Hill Sistema Polifásico Livro. PERFIL DE RELACIONAMENTO A disciplina de Eletrotécnica deverá ser ministrada no início do curso.

29 MCA 37-53/ CAMPO: TÉCNICO-ESPECIALIZADO ÁREA: ENGENHARIAS PROPAGAÇÃO DE SINAIS CARGA HORÁRIA DISCIPLINA 3: ELETROMAGNÉTICOS 42 tempos OBJETIVO ESPECÍFICO DA DISCIPLINA: a) analisar o comportamento dos sinais eletromagnéticos nos meios de propagação (An). UNIDADES DIDÁTICAS UNIDADE 3.1: SINAIS ELETROMAGNÉTICOS CH : 02 OBJETIVO ESPECÍFICO DA UNIDADE: a) apontar as características dos sinais eletromagnéticos (Cn) ESPECTRO a) apontar a distribuição das frequências no espectro eletromagnético (Cn); ELETROMAGNÉTICO b) identificar as faixas de frequências utilizadas em Telecomunicações (Cn); e c) identificar as faixas de frequências utilizadas no Comando da Aeronáutica (Cn). 01 /ES PROPAGAÇÃO a) distinguir as características de propagação nas respectivas faixas de frequência (Cp); e b) distinguir as características de ruído, interferência e desvanecimento nas respectivas faixas de frequência (Cp). 01 /ES

30 28 MCA 37-53/2010 UNIDADE 3.2: MEIOS DE PROPAGAÇÃO CH 17 OBJETIVO ESPECÍFICO DA UNIDADE: a) interpretar as leis físicas relacionadas com as antenas e linhas de transmissão (Cp) a) relacionar as camadas da atmosfera terrestre (Cn); e RADIOCOMU- NICAÇÃO b) apontar as características de propagação da onda eletromagnética na atmosfera (Cp) LINHAS DE TRANSMISSÃO a) descrever o comportamento físico de uma linha de transmissão (Cn); b) explicar coeficiente de reflexão (Cp); c) expressar a forma de impedância de entrada de uma linha de transmissão com os diversos tipos de carga (Cp); d) definir as expressões para a relação de onda estacionária (ROE) (Cn); e) descrever as equações gerais das linhas de transmissão incluindo efeitos de perda (Cn); f) discutir as razões para se efetuar transformações de balanceamento para desbalanceamento e vice-versa (Cp); g) identificar a utilização do transformador de 1/4 de onda, como dispositivo de casamento de impedância e divisor de potência (Cn); e h) descrever as características de propagação em fibras óticas (Cn) ANTENAS E DIAGRAMAS DE IRRADIAÇÃO a) recordar os conceitos de elemento irradiante (Cn); b) recordar os conceitos de onda irradiada (Cn); c) discutir campos elétricos e magnéticos na antena (Cp); d) definir o diagrama de irradiação formado por um par de antenas, em fase (Cn); e) definir o diagrama de irradiação em oposição de fase (Cn); f) definir o diagrama de irradiação de dois ou mais pares de antena (Cn); e g) identificar os principais tipos de antenas (Cn). 08

AVIÔNICOS II - ELETRÔNICA

AVIÔNICOS II - ELETRÔNICA CAPÍTULO 1 - CIRCUITOS REATIVOS AVIÔNICOS II - ELETRÔNICA SUMÁRIO Circuito Reativo em série... 1-1 Circuito RC em série... 1-5 Circuito RCL em série... 1-8 Ressonância em série... 1-10 Circuito RL em paralelo...

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM ELETRÔNICA ANALÓGICA E DIGITAL

SISTEMA DE TREINAMENTO EM ELETRÔNICA ANALÓGICA E DIGITAL SISTEMA DE TREINAMENTO EM ELETRÔNICA ANALÓGICA E DIGITAL MODELO: CARACTERÍSTICAS Terminais banhados à ouro Fácil visualização dos circuitos 18 Módulos envolvendo os principais conceitos de elétrica e eletrônica

Leia mais

Parte 1 Introdução... 1

Parte 1 Introdução... 1 Sumário SUMÁRIO V Parte 1 Introdução... 1 Capítulo 1 Unidades de Medida... 3 Introdução...3 Grandezas Físicas...3 Múltiplos e Submúltiplos...4 Arredondamentos...6 Exercícios...7 Capítulo 2 Simbologia...

Leia mais

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico;

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico; EMENTA DE CONTEÚDOS Eletricidade Conceitos fundamentais da eletricidade; Circuitos elétricos de corrente contínua; Tensão alternada; Gerador de funções; Operação do osciloscópio; Tensão e corrente alternadas

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA

CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA Bases Tecnológicas DESENHO TÉCNICO I Utilização de instrumentos para a elaboração de desenhos; Construções geométricas; Normas gerais de desenho técnico; Projeções ortogonais;

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DEE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DEE P L A N O D E E N S I N O DEPARTAMENTO: Engenharia Elétrica DISCIPLINA: Eletrônica Digital SIGLA: ELD0001 PRÉ-REQUISITOS: ALB0001 CARGA HORÁRIA TOTAL: 108 h/aula TEORIA: 72 h/aula PRÁTICA: 36 h/aula CURSO:

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação

TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 66303 ESTRUTURA DE DADOS I 68/0 ENG. DE

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DA DISCIPLINA 1 2 Curso: Engenharia Elétrica Código: 20 3 4 Modalidade(s): Bacharelado Currículo(s): 2005/1 5 Turno(s):

Leia mais

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Introdução às Telecomunicações 2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Elementos de um Sistemas de Telecomunicações Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Telecomunicações 2 1 A Fonte Equipamento que origina

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico. 1 Semestre

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico. 1 Semestre Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec 1 Semestre Etec: DR. JÚLIO CARDOSO Código: 078 Município: Franca Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

Capítulo 8. Segurança de redes

Capítulo 8. Segurança de redes Capítulo 8 Segurança de redes slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice Hall,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO: Técnico de Instalações Elétricas DISCIPLINA: Eletricidade / Eletrónica N.º TOTAL DE MÓDULOS: 8 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 N.º 1 30 Corrente Contínua Identificar

Leia mais

NOME DA DISCIPLINA: TELEMÁTICA BÁSICA NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS

NOME DA DISCIPLINA: TELEMÁTICA BÁSICA NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS 1- IDENTIFICAÇÃO CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4 HORAS CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 80 HORAS PERÍODO: NOTURNO NOME DA DISCIPLINA: TELEMÁTICA BÁSICA NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS 2- EMENTA

Leia mais

Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/

Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ STJ 2008 Com relação a transmissão de dados, julgue os itens

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof.

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof. Aula 04 Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware:

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR 1 Validade: A partir de 01/91 Departamento Acadêmico de: Engenharia Elétrica Curso: Engenharia Industrial Elétrica Carga Horária: 60H ( Teórica: 30H Lab.: 30H Exerc.: 00H ) Créditos: 03 Pré-requisitos:

Leia mais

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22 DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Redes de Computadores I PROFESSOR: SERGIO ROBERTO VILLARREAL SIGLA: RED I E-MAIL: sergio.villarreal@udesc.br CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA:

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Parte II: Camada Física Dezembro, 2012 Professor: Reinaldo Gomes reinaldo@computacao.ufcg.edu.br Meios de Transmissão 1 Meios de Transmissão Terminologia A transmissão de dados d

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 Etec Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça EE: Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA - SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA - SANTIAGO DO CACÉM p./9 Grupo Disciplinar: 540 Ano Lectivo: 008/009 -Circuitos sequenciais síncronos.. Aplicações com contadores síncronos... Registos. Utilizar circuitos CMOS da série 74HCT ou 4000. Testar o funcionamento

Leia mais

Capítulo. Meta deste capítulo Entender o princípio de funcionamento de osciladores a cristal.

Capítulo. Meta deste capítulo Entender o princípio de funcionamento de osciladores a cristal. 9 Osciladores Capítulo a Cristal Meta deste capítulo Entender o princípio de funcionamento de osciladores a cristal. objetivos Entender o princípio de funcionamento de osciladores a cristal; Analisar osciladores

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

EDI-34 Instalações Elétricas

EDI-34 Instalações Elétricas EDI-34 Instalações Elétricas Plano de Disciplina 2º semestre de 2015 1. Identificação Sigla e título: EDI-34 Instalações Elétricas Curso de Engenharia Civil-Aeronáutica Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O diodo de junção possui duas regiões de materiais semicondutores dos tipos N e P. Esse dispositivo é amplamente aplicado em circuitos chaveados, como, por exemplo, fontes de

Leia mais

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Agosto/2004 V2 INTRODUÇÃO Este guia foi preparado para auxilio às aulas de laboratório para o curso de Engenharia

Leia mais

Anexo VI Conteúdos Programáticos. Cargos de Nível Médio. Conhecimentos Básicos

Anexo VI Conteúdos Programáticos. Cargos de Nível Médio. Conhecimentos Básicos Anexo VI Conteúdos Programáticos Cargos de Nível Médio Conhecimentos Básicos Língua Portuguesa (comum a todas as áreas de atuação) Fonética e Fonologia: Relações entre ortografia, fonética e fonologia:

Leia mais

Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento

Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento 1 2 3 Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento digital - (Sistemas Digitais: Princípios e Aplicações

Leia mais

DISCIPLINA: Eletrônica II

DISCIPLINA: Eletrônica II DISCIPLINA: Eletrônica II Vigência: a partir de 2007/1 Período Letivo: 7º semestre Carga Horária Total: 60h Código: EE.761 Ementa: Amplificadores diferenciais e de múltiplos estágios, circuitos eletrônicos

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva

Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva Arquitetura de Computadores Introdução Ivan Saraiva Silva Sumário Introdução Bibliografia Recomendada O que é um computador Organização de um Computador Modelo de Von Neumann IAS Máquina de Von Neuman

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Capítulo1 - Introdução à Redes 1 Requisitos para Conexão à Internet Para disponibilizar o acesso de um computador à rede, devem ser levados em consideração 03 parâmetros:

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CTS DE REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a história e a evolução

Leia mais

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS CÓDIGO: EXA803 DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO CARGA HORÁRIA: 60h EMENTA:

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais

SIS17-Arquitetura de Computadores

SIS17-Arquitetura de Computadores Sistema de Computação SIS17-Arquitetura de Computadores Apresentação da Disciplina Peopleware Hardware Software Carga Horária: 40 horas 2 Computadores atuais Unidade Central de Processamento Entrada Computadores

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS Curso Profissional de Técnico de Inst. Elétricas 2012/2013 Eletricidade e Eletrónica (117 h 156t)

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS Curso Profissional de Técnico de Inst. Elétricas 2012/2013 Eletricidade e Eletrónica (117 h 156t) Eletricidade e Eletrónica (117 h 1t) Total de Aulas Previstas ( min) 1 1º Período - 13 SET / 1 DEZ 2º Período - 3 JAN / 1 MAR 1 3º Período - 2 ABR / 0 Módulo : - Transístor Bipolar - (27h / 3t) Conhecer

Leia mais

CLP Controlador Lógico Programável

CLP Controlador Lógico Programável CLP Controlador Lógico Programável O primeiro controlador Lógico Programável nasceu na General Motors Americana em 1968, em função da dificuldade de se alterar a lógica dos circuitos em painéis de relés

Leia mais

Edeyson Andrade Gomes

Edeyson Andrade Gomes Sistemas Operacionais Conceitos de Arquitetura Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Roteiro da Aula Máquinas de Níveis Revisão de Conceitos de Arquitetura 2 Máquina de Níveis Máquina de níveis Computador

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Lista de Exercícios de Eletricidade Básica e Eletrônica CEV 2012

Lista de Exercícios de Eletricidade Básica e Eletrônica CEV 2012 Lista de Exercícios de Eletricidade Básica e Eletrônica CEV 2012 1) Calcule a tensão de R4 no circuito abaixo. a) 3 V b) 7 V c) 10 V d) 50 V 2) Em um circuito elétrico, composto de cinco lâmpadas, iguais,

Leia mais

Tecnologia Inversor: Freqüência de saída Capacidade de sobrecarga: Fusíveis de Proteção: Proteção da Bateria:

Tecnologia Inversor: Freqüência de saída Capacidade de sobrecarga: Fusíveis de Proteção: Proteção da Bateria: Sistema de proteção e fornecimento de energia elétrica ininterrupto, com tempo limitado a capacidade das baterias, autonomia de 10 (dez) minutos em plena carga, capacidade de 30KVA, 24.000W, entrada e

Leia mais

Computador, transistores, registradores e circuitos integrados

Computador, transistores, registradores e circuitos integrados Computador, transistores, registradores e circuitos integrados 1 Filosofia da disciplina EA869...1 2 Portas lógicas...3 3 Lógica seqüencial...5 4 Flip-flops: um sumário...6 5 Registradores e o computador...8

Leia mais

Descrição de circuitos algebricamente, álgebra de Boole e circuitos lógicos, teorema de boole e De Morgan. Simplificação e projeto.

Descrição de circuitos algebricamente, álgebra de Boole e circuitos lógicos, teorema de boole e De Morgan. Simplificação e projeto. EMENTA: Ferramentas para simulação e projeto de sistemas digitais. Equipamentos e componentes para montagem de sistemas digitais. Equipamentos para mensuração e teste na implementação de sistemas digitais.

Leia mais

Sumário. Parte 1. Capítulo 1 O Estudo da Eletrônica 1. Capítulo 5 Circuitos em Série 59. Capítulo 2 Eletricidade 15

Sumário. Parte 1. Capítulo 1 O Estudo da Eletrônica 1. Capítulo 5 Circuitos em Série 59. Capítulo 2 Eletricidade 15 Sumário Parte 1 Capítulo 1 O Estudo da Eletrônica 1 1.1 Influência nas nossas vidas... 1 1.2 Principais segmentos da indústria eletrônica... 1 1.3 Indústria convergente... 4 1.4 Empregos e carreiras na

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE INFORMÁTICA

Leia mais

Aula III Redes Industriais

Aula III Redes Industriais Aula III Redes Industriais Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Disciplina: Instrumentação e Automação Industrial I(ENGF99) Professor: Eduardo Simas(eduardo.simas@ufba.br) 1 Introdução Muitas

Leia mais

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução Modelo OSI Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Crescimento das redes de computadores Muitas redes distintas International Organization for Standardization (ISO) Em 1984 surge o modelo OSI Padrões

Leia mais

Segunda Lista de Exercícios

Segunda Lista de Exercícios INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Segunda Lista de Exercícios 1. Qual é a posição dos meios de transmissão no modelo OSI ou Internet? Os meios de transmissão estão localizados abaixo

Leia mais

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Composição Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Aterramento Fio de boa qualidade A fiação deve ser com aterramento neutro (fio Terra) trabalhando em tomadas tripolares Fio negativo,

Leia mais

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull Informática Aplicada I Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull 1 Conceito de Sistema Operacional Interface: Programas Sistema Operacional Hardware; Definida

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I. Introdução. Ivan Saraiva Silva Leonardo Casillo

Organização e Arquitetura de Computadores I. Introdução. Ivan Saraiva Silva Leonardo Casillo Organização e Arquitetura de Computadores I Introdução Ivan Saraiva Silva Leonardo Casillo Sumário Introdução Bibliografia Recomendada O que é um computador Organização de um Computador Modelo de Von Neumann

Leia mais

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Redes Industriais Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Capítulo 2 Meio Físicos A automação no meio produtivo Objetivos: Facilitar os processos produtivos

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais

Mecânico de Manutenção Aeronáutica AVIÔNICOS II INSTITUTO DE AVIAÇÃO CIVIL ELETRÔNICA. 1ª Edição 23 de Outubro de 2003

Mecânico de Manutenção Aeronáutica AVIÔNICOS II INSTITUTO DE AVIAÇÃO CIVIL ELETRÔNICA. 1ª Edição 23 de Outubro de 2003 Mecânico de Manutenção Aeronáutica AVIÔNICOS II ELETRÔNICA 1ª Edição 23 de Outubro de 2003 INSTITUTO DE AVIAÇÃO CIVIL DIVISÃO DE INSTRUÇÃO PROFISSIONAL PREFÁCIO Este volume, Eletrônica, contendo as matérias

Leia mais

PROVA DE AVALIAÇÃO TÉCNICO-MILITAR (PARTE ESPECÍFICA) Mecânicos de Electricidade MELECT

PROVA DE AVALIAÇÃO TÉCNICO-MILITAR (PARTE ESPECÍFICA) Mecânicos de Electricidade MELECT PROVA DE AVALIAÇÃO TÉCNICO-MILITAR (PARTE ESPECÍFICA) Mecânicos de MELECT ESTRUTURA DA PROVA Disciplina Capítulo Nº de questões Automação 01 3 02 2 03 2 01 1 Instalações Eléctricas 03 1 04 1 05 1 06 1

Leia mais

Flip-Flops (Aplicações) Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara

Flip-Flops (Aplicações) Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Flip-Flops (Aplicações) Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 2h/60h Pulsos Digitais Pulso positivo: executa sua função quando está em nível alto Pulso negativo: executa sua função quando

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO SENAC PLANO DE ENSINO

CENTRO UNIVERSITARIO SENAC PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO Nome do candidato: Aurélio Candido da Silva Junior Unidade: Lapa Tito Curso: Gestão Tecnológica em redes Convergentes Disciplina: Arquitetura e Redes de Computadores

Leia mais

MÓDULO N.º 1 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO HORAS / TEMPOS CONTEÚDOS OBJETIVOS AVALIAÇÃO

MÓDULO N.º 1 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO HORAS / TEMPOS CONTEÚDOS OBJETIVOS AVALIAÇÃO ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO-402011 CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS SISTEMAS DIGITAIS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES 10º 12 PLANIFICAÇÃO MODULAR MÓDULO N.º 1

Leia mais

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões FACSENAC ECOFROTA Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.5 Data: 21/11/2013 Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: FacSenac

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos - SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» HARDWARE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» HARDWARE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» HARDWARE «21. Considere a tabela da verdade abaixo e assinale a alternativa que contém a expressão booleana simplificada que representa a tabela. A B C D S 0 0 0 0 1 0 0 0 1

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações A utilização das redes na disseminação das informações Elementos de Rede de computadores: Denomina-se elementos de rede, um conjunto de hardware capaz de viabilizar e proporcionar a transferência da informação

Leia mais

Módulo Didático para Eletrônica Geral - XG102 -

Módulo Didático para Eletrônica Geral - XG102 - T e c n o l o g i a Módulo Didático para Eletrônica Geral - XG102 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. INTRODUÇÃO Módulo Didático para Eletrônica Geral

Leia mais

Matriz Curricular. Carga Horária: 1760 h/a 1467 horas mais 240 h/a 200 horas de Estágio Supervisionado Organização Semestral SEMESTRES 1º 2º 3º 4º

Matriz Curricular. Carga Horária: 1760 h/a 1467 horas mais 240 h/a 200 horas de Estágio Supervisionado Organização Semestral SEMESTRES 1º 2º 3º 4º 1 Matriz Curricular Estabelecimento: Centro Estadual de Educação Profissional de Curitiba Município: 0690 Curitiba Curso: 792 CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA Forma: Subseqüente Implantação gradativa a partir

Leia mais

1a LISTA DE EXERCÍCIOS

1a LISTA DE EXERCÍCIOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS SÃO JOSÉ COORDENADORIA DE ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com COMUTAÇÃO CIRCUITOS PACOTES É necessário estabelecer um caminho dedicado entre a origem e o

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de

Leia mais

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores ALGUNS CONCEITOS Rede de Computadores Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 OBJETIVO 1. Compartilhar recursos computacionais disponíveis sem considerar a localização física

Leia mais

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto Introdução Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 1. Introdução i. Conceitos e Definições ii. Tipos de Rede a. Peer To Peer b. Client/Server iii. Topologias

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO DIGITAL Modelo: ED-2970

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO DIGITAL Modelo: ED-2970 SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO DIGITAL Modelo: DESCRIÇÃO O sistema de treinamento em comunicação digital apresenta fácil aprendizado em princípios e aplicações da moderna tecnologia de comunicação

Leia mais

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura

Leia mais

Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a)

Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a) Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a) Mostrar a evolução do computador ao longo da história; Propiciar ao aluno conhecimentos básicos sobre os computadores

Leia mais

Segurança de Redes. em Ambientes Cooperativos. Emilio Tissato Nakamura Paulo Lício de Geus. Novatec

Segurança de Redes. em Ambientes Cooperativos. Emilio Tissato Nakamura Paulo Lício de Geus. Novatec Segurança de Redes em Ambientes Cooperativos Emilio Tissato Nakamura Paulo Lício de Geus Novatec sumário Agradecimentos...11 Palavra dos autores...13 Sobre os autores...14 Sobre este livro...15 Apresentação...16

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES

MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES www.lanuniversity.com.br MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES Preparatório para certificações Mandriva Systems Administrator, Mandriva Network Administrator, e exames do LPI Nível

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

PLANEJAMENTO DIDÁTICO PEDAGÓGICO

PLANEJAMENTO DIDÁTICO PEDAGÓGICO PLANEJAMENTO DIDÁTICO PEDAGÓGICO Componente Curricular: ELETROELETRÔNICA APLICADA Módulo I Professor: Danilo de Carvalho / Danilo Ramos Stein / Enrico André Santos Castro Carga Horária prevista: 60 horas

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO ANEXO II ESPECIFICAÇÕES PARA UCD / CONCENTRADOR DE DADOS A2. Unidade Controle Digital Remota / Concentrador de Dados 2.1. Introdução Esta seção tem a finalidade de especificar tecnicamente a Unidade de

Leia mais

Fundamentos de Administração de Sistemas

Fundamentos de Administração de Sistemas Fundamentos de Administração de Sistemas Este curso tem como objetivo ensinar aos alunos conceitos de administração de um sistema Linux. Isto inclui o gerenciamento de contas de usuários, automação de

Leia mais

Catálogo de Cursos TELECOMUNICAÇÃO SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

Catálogo de Cursos TELECOMUNICAÇÃO SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL TELECOMUNICAÇÃO SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS Catálogo de Cursos 1. TÍTULO ANTENISTA Proporcionar ao treinando conhecimentos necessários 2. OBJETIVO para o desenvolvimento

Leia mais

Um estudo dos principais Circuitos Elétricos utilizados na Engenharia Elétrica.

Um estudo dos principais Circuitos Elétricos utilizados na Engenharia Elétrica. Unidade Universitária Escola de Engenharia Curso Engenharia Eletrônica e Engenharia Elétrica Disciplina Eletricidade I Professor Paulo Guerra Junior Carga horária 4 Código da Disciplina 161.1303.9 Etapa

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Diretoria do Campus Curitiba Gerência de Ensino e Pesquisa Departamento Acadêmico de Eletrônica CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E Prof. Luís Rodolfo Unidade I REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO C Redes de computadores e telecomunicação Objetivo: apresentar os conceitos iniciais e fundamentais com relação às redes de computadores

Leia mais

Material apresentado exclusivamente aos alunos da disciplina, com conteúdo referenciado da literatura e disponível na www NÃO CIRCULAR

Material apresentado exclusivamente aos alunos da disciplina, com conteúdo referenciado da literatura e disponível na www NÃO CIRCULAR Coletor automático de dados (datalogger) e sensores elétricos Disciplina ACA 221 Instrumentos Meteorológicos e Métodos de Observação Humberto Ribeiro da Rocha, Helber Freitas, Eduardo Gomes apoio à Aula

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Por que redes de computadores? Tipos de redes Componentes de uma rede IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 Quando o assunto é informática, é impossível não pensar em

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 05

PROVA ESPECÍFICA Cargo 05 10 PROVA ESPECÍFICA Cargo 05 QUESTÃO 21 Durante a leitura de um dado de arquivo, são necessários o endereço da trilha e do setor onde o dado se encontra no disco, além da posição da memória onde o dado

Leia mais

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia PROJETO BÁSICO Serviço de Comunicação Multimídia xxxxxxxxxx, xx de xxxxx de 2009 PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. n 272 da Anatel - SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) O B J E T O SOLICITAÇÃO DE

Leia mais

8.2.11 Quebras de página 8.3 Exercícios para fixação

8.2.11 Quebras de página 8.3 Exercícios para fixação SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1.1 Conceitos básicos de informática e alguns termos usuais 1.2 Geração dos computadores 1.3 Evolução da tecnologia dos computadores 1.4 Sistema de informática 1.5 Tipos

Leia mais

4. Rede de Computador

4. Rede de Computador Definição Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por um sub-sistema de comunicação, ou seja, é quando

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

Noções básicas de Informática: Software

Noções básicas de Informática: Software Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Noções básicas de Informática: Software DCA0800 - Algoritmos e Lógica de Programação Heitor Medeiros 1 Sobre

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Eletricidade, Máquinas e Medidas Elétricas: 1.1. Princípios da Eletrodinâmica: Tensão Elétrica, Corrente Elétrica, Resistores Elétricos, Potência Elétrica e Leis de OHM; 1.2. Circuitos

Leia mais

Sistema UPS (Uninterruptible Power Supply) 160 kva

Sistema UPS (Uninterruptible Power Supply) 160 kva Sistema UPS (Uninterruptible Power Supply) 160 kva 1. Características gerais 1.1. Sistema de alimentação ininterrupta trifásico, especificado para no mínimo 160 kva, na configuração SINGELO, contendo banco

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Arquitetura de Computadores 1

Arquitetura de Computadores. Arquitetura de Computadores 1 Computadores Computadores 1 Introdução Componentes: Processador; UC; Registradores; ALU s, FPU s, etc. Memória (Sistema de armazenamento de informações; Dispositivo de entrada e saída. Computadores 2 Introdução

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2014 Realização: FRAMINAS - http://www.gestaoconcurso.com.br - comunicacao@gestaoconcurso.com.br

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2014 Realização: FRAMINAS - http://www.gestaoconcurso.com.br - comunicacao@gestaoconcurso.com.br RETIFICAÇÃO 01 DO EDITAL 01/2014 A Cemig Telecomunicações S.A. - CEMIGTelecom, no uso de suas atribuições constitucionais, torna público as alterações abaixo especificadas relativas ao do Edital 01/2014

Leia mais

Planejamento e Implantação de Servidores

Planejamento e Implantação de Servidores Planejamento e Implantação de Servidores Professor Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Aula 01 - Servidores Abordagem geral Teoria e práticas Servidores Linux Comandos Linux 2 Bibliografias da apoio

Leia mais