Igreja de Cristo Ministério Apostólico Nova Terra. Reunião de Liderança Março/2010

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Igreja de Cristo Ministério Apostólico Nova Terra. Reunião de Liderança Março/2010"

Transcrição

1 Igreja de Cristo Ministério Apostólico Nova Terra Reunião de Liderança Março/2010

2 CRI ATI VI DADE NA I GREJA?

3 Tive uma boa idéia! Não vai dar certo. Já tentamos isso antes. Não é o momento certo. Não dá para fazer. Não é assim que costumamos fazer. As coisas funcionam Vai sair muito caro. Vamos discutir isso sem ela. na próxima reunião.

4 Ganhar Almas X Tempo de Consolidação É preciso Criatividade!!

5 O que é inovação? Criar novidades? Fazer coisas novas? Mudar ou modificar as coisas atuais? Fazer diferente dos outros? Acabar com a rotina e a mesmice? Instaurar a imaginação e a criatividade? Melhorar sempre e sempre? Criticar o statu quo? Desenvolver espírito crítico? Fazer melhor que os outros? Adiantar se no tempo em relação aos outros?

6 Pensar

7 Pensar Variar

8 Pensar Variar Imaginar

9 Pensar Variar Imaginar Criar

10 Os caminhos da inovação Pensar Variar Imaginar Criar Inovar

11 P or que algumas igreja são inovadoras e outras não?

12 Crentes

13 Cargo Crentes

14 Arquitetura Cargo Crentes

15 Cultura Familiar Arquitetura Interna Cargos de Liderança Crentes

16 Estilo de Gestão Cultura Familiar Arquitetura Interna As jaulas e cadeias progressivas. Cargos de Liderança Crentes

17 Quais são as fontes de inovação em na Igreja?

18 Inovação P essoas

19 1. P essoas geram Talentos e Novos relacionamentos

20 Competências Saber Conhecimento

21 Competências Saber Fazer Saber Habilidades Conhecimento

22 Competências Saber Fazer Saber Fazer Acontecer Saber Atitude Habilidades Conhecimento

23 Ter pessoas... nem sempre significa ter talentos e novos relacionamentos.

24 Atrair e pessoas é suficiente?

25 Fatores Críticos Igreja x pessoas 4 Gestão de Talentos

26 4 Gestão de Talentos Agregar Talentos

27 Fatores Críticos Igreja x pessoas 4 Gestão de Talentos Agregar Talentos Aplicar Talentos

28 Fatores Críticos Igreja x pessoas 4 Gestão de Talentos Agregar Talentos Aplicar Talentos Recompensar Talentos

29 Fatores Críticos Igreja x pessoas 4 Gestão de Talentos Agregar Talentos Aplicar Talentos Recompensar Talentos Desenvolver Talentos

30 Fatores Críticos Igreja x pessoas 4 Gestão de Talentos Agregar Talentos Aplicar Talentos Recompensar Talentos Desenvolver Talentos Manter Talentos

31 Fatores Críticos Igreja x pessoas 4 Gestão de Talentos Agregar Talentos Aplicar Talentos Recompensar Talentos Desenvolver Talentos Manter Talentos Monitorar Talentos

32 E quem deve cuidar dos talentos? Somente o P astor ou a P astora?

33 Cultura Familiar Inovação Talentos

34 2. Cultura P ara reter pessoas talentosas e fazer Uma grande colheita para Jesus, é Necessário sair da mesmice e mudar a Cultura da pequenês e sonhar grande e realizar grande.

35 Cultura de: Engajamento e participação Aprendizado constante Mudança e renovação Excelência Foco em resultados Agregar mais pessoas à aquilo que acreditamos.

36 EMPOWERMENT

37 P oder Roda do Crescimento Dar poder às pessoas. Delegar autoridade e responsabilidade Confiar nas pessoas Dar liberdade às pessoas Dar importância às pessoas

38 Roda do Crescimento Motivação P roporcionar motivação I ncentivar as pessoas Reconhecer o bom trabalho Recompensar pessoas P articipação nos resultados Festejar o alcance de metas P oder Dar poder às pessoas. Delegar autoridade e responsabilidade Confiar nas pessoas Dar liberdade às pessoas Dar importância às pessoas

39 Roda do Crescimento Motivação P roporcionar motivação I ncentivar as pessoas Reconhecer o bom trabalho Recompensar pessoas P articipação nos resultados Festejar o alcance de metas P oder Dar poder às pessoas. Delegar autoridade e responsabilidade Confiar nas pessoas Dar liberdade às pessoas Dar importância às pessoas Liderança P roporcionar liderança Orientar as pessoas Definir objetivos e metas Abrir novos horizontes Avaliar o desempenho P roporcionar retroação

40 Roda do Crescimento P oder Dar poder às pessoas. Delegar autoridade e responsabilidade Confiar nas pessoas Dar liberdade às pessoas Dar importância às pessoas Motivação P roporcionar motivação I ncentivar as pessoas Reconhecer o bom trabalho Recompensar pessoas P articipação nos resultados Festejar o alcance de metas Desenvolvimento Dar recursos às pessoas Treinar e desenvolver pessoas P roporcionar informação Gestão do conhecimento Ensinar novas técnicas Criar e desenvolver talentos Liderança P roporcionar liderança Orientar as pessoas Definir objetivos e metas Abrir novos horizontes Avaliar o desempenho P roporcionar retroação

41 Cultura Organizacional Inovação Arquitetura e P rocessos Talentos

42 3. Arquitetura Níveis Áreas

43 Verticais Derrubar fronteiras: Horizontais Externas Verticais Construir pontes: Horizontais Externas

44 Cultura familiar Estilo de Liderança Comando Inovação Arquitetura e P rocessos I nternos P essoas Talentosas

45 4. Estilo de Liderança

46 Liderança renovadora Coaching Mentoring

47 P or onde começar?

48 Cultura familiar Estilo de Gestão Comando Inovação Arquitetura e P rocessos I nternos P essoas Talentosas

49 Quais os caminhos que levam à inovação?

50 I mpedimentos à I novação Forte compromisso com práticas ultrapassadas. Inabilidade em desaprender. Cultura Falta de prioridade institucional ou desdobramentos pessoais. Falta de incentivos apropriados. Pessoas inapropriadas. Ambiente físico desfavorável. Falta de tecnologia apropriada. Tecnologia Tecnologia difícil de utilizar. Tecnologia ameaçadora ao negócio. Medições inapropriadas ou inexistentes. Mensuraçõ es Ênfase em medições errôneas. Ênfase em medições financeiras.

51 I mpedimentos à I novação Habilitadores da I novação Cultura Tecnologia Mensurações Forte compromisso com práticas ultrapassadas. Inabilidade em desaprender. Falta de prioridade institucional ou desdobramentos pessoais. Falta de incentivos apropriados. Pessoas inapropriadas. Ambiente físico desfavorável. Falta de tecnologia apropriada. Tecnologia difícil de utilizar. Tecnologia ameaçadora ao negócio. Medições inapropriadas ou inexistentes. Ênfase em medições errôneas. Ênfase em medições financeiras. Força de trabalho energizada e diversificada. Paixão institucional pela inovação. Ambiente físico criativo e inovador. Ambiente de descoberta e de aprendizado. Forte compartilhamento do conhecimento. Tecnologia de alta utilidade. Tecnologia ergonômica e fácil. Acessibilidade à tecnologia. Encorajamento da experimentação. Ênfase sobre o aprendizado e adaptação. Utilização de medidas multifatoriais. Ênfase nos resultados de longo prazo.

52 Inovação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como: 1. Desafio e envolvimento das pessoas

53 Inovação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como: 1. Desafio e envolvimento das pessoas 1. Conflitos

54 Inovação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como: 1. Desafio e envolvimento das pessoas 1. Conflitos 1. Debates

55 Inovação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como: 1. Desafio e envolvimento das pessoas 1. Conflitos 1. Debates 1. Liberdade

56 Inovação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como: 1. Desafio e envolvimento das pessoas 1. Conflitos 1. Debates 1. Liberdade 1. Apoio às novas idéias

57 Inovação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como: 1. Desafio e envolvimento das pessoas 1. Conflitos 1. Debates 1. Liberdade 1. Apoio às novas idéias 1. Tempo de idéias

58 Inovação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como: 1. Desafio e envolvimento das pessoas 1. Conflitos 1. Debates 1. Liberdade 1. Apoio às novas idéias 1. Tempo de idéias 1. I nformalidade e humor

59 Inovação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como: 1. Desafio e envolvimento das pessoas 1. Conflitos 1. Debates 1. Liberdade 1. Apoio às novas idéias 1. Tempo de idéias 1. Informalidade e humor 1. Confiança e cobertura

60 novação na Igreja não é fruto de uma única coisa, mas de um conjunto de dimensões, como:. Desafio e envolvimento das pessoas. Conflitos. Debates. Liberdade. Apoio às novas idéias. Tempo de idéias. Informalidade e humor. Confiança e abertura. Assunção de riscos

61 I novação com Criatividade é algo que pode acontecer na I greja e também sua CÉLULA!

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Aula 8 Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 Seminário 2 Treinamento e Desenvolvimento 3 Desenvolvimento de Lideranças 1 Seminário 3 The Young and the Clueless Bunker, K. A.; Kram, K. E.; Ting, S. HBR,

Leia mais

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS:

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: Treinamento É o conjunto de métodos usados para transmitir aos funcionários novos e antigos as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho. Treinamento Custo ou investimento?

Leia mais

Desafios Competitivos de RH na Modernidade

Desafios Competitivos de RH na Modernidade Desafios Competitivos de RH na Modernidade 1 Relação empregado versus empregador VELHO ACORDO Base do poder na empresa NOVO ACORDO Base do Poder no mercado Obediência e Dedicação X Segurança no Emprego

Leia mais

Desenvolvendo Habilidades Empreendedoras

Desenvolvendo Habilidades Empreendedoras Desenvolvendo Habilidades Empreendedoras Prof. Dr. José Dornelas www.planodenegocios.com.br Bem-vindo à versão de demonstração do curso Desenvolvendo Habilidades Empreendedoras! Vocêpoderá conferir alguns

Leia mais

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS:

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: Treinamento É o conjunto de métodos usados para transmitir aos funcionários novos e antigos as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho. Referências: CHIAVENATO

Leia mais

Fotos: istockphoto e acervo Perfipar

Fotos: istockphoto e acervo Perfipar Fotos: istockphoto e acervo Perfipar Caro Funcionário, A Política de Recursos Humanos da Perfipar tem como objetivo definir as estratégias relacionadas às ações com seus profissionais. Estas estão sempre

Leia mais

O COACHING APLICADO AOS CENTROS DE SUPORTE

O COACHING APLICADO AOS CENTROS DE SUPORTE O COACHING APLICADO AOS CENTROS DE SUPORTE No futuro todos os líderes serão Coaches. Quem não desenvolver essa habilidade, automaticamente será descartado pelo mercado. Jack Welch Sobre Nós Consultora

Leia mais

Gestão de pessoas e desempenho organizacional

Gestão de pessoas e desempenho organizacional Aula 12 Gestão de pessoas e desempenho organizacional Agenda 1 Seminário 2 Medindo a performance do RH 1 Seminário 5 Competing on talent analytics. Davenport, Harris & Shapiro. Harvard Business Review,

Leia mais

Identificando Oportunidades

Identificando Oportunidades Identificando Oportunidades Simone S. Souza e Ellen Francine SSC570 Empreendedorismo ICMC/USP Processo Empreendedor Identificar e avaliar a oportunidade Desenvolver o plano de negócios Determinar e captar

Leia mais

LIDERANÇA. Conteúdo: O que é liderança Estilos de liderança Delegação Feedback

LIDERANÇA. Conteúdo: O que é liderança Estilos de liderança Delegação Feedback LIDERANÇA LIDERANÇA Objetivo: Sensibilizar os empresários das MPEs sobre a importância da liderança eficaz para a construção e motivação da equipe e consequente alcance de resultados. Conteúdo: O que

Leia mais

Modelos de Gestão Desafios para o Gestor Contemporâneo

Modelos de Gestão Desafios para o Gestor Contemporâneo Modelos de Gestão Desafios para o Gestor Contemporâneo As organizações precisam compreender os ambientes: 1. Interno 2. Externo Para que possam: Dar respostas rápidas às mudanças Modificar seus processos

Leia mais

Quando duas pessoas trocam um objeto, cada

Quando duas pessoas trocam um objeto, cada Quando duas pessoas trocam um objeto, cada uma fica com apenas um dos objetos trocados Na troca de idéias e conhecimentos... Entre duas pessoas, eles se somam Entre muitas pessoas, eles se multiplicam

Leia mais

Downsizing: Redução no número de funcionários da empresa.

Downsizing: Redução no número de funcionários da empresa. Absenteísmo: Falta constante ao trabalho, por parte do empregado, ou sua ausência devido a problemas de saúde. Avaliação 180 graus: É um modelo intermediário ao 360 graus. Com ele, não há avaliação dos

Leia mais

Sistema Integrado Moinhos

Sistema Integrado Moinhos Sistema Integrado Moinhos A experiência do Hospital Moinhos de Vento no desenvolvimento de um modelo de gestão integrado Sandra de Mattos Analista de Gestão e Desenvolvimento Organizacional Hospital Moinhos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO DE ENSINO OCTÁVIO BASTOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO DE ENSINO OCTÁVIO BASTOS CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO DE ENSINO OCTÁVIO BASTOS PROJETO DE PRÁTICAS BEM SUCEDIDAS EM SALA DE AULA EMPREENDEDORISMO E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DIRCEU FERNANDES BATISTA SÃO JOÃO DA BOA VISTA

Leia mais

Torne-se um Vendedor de Alta Performance!

Torne-se um Vendedor de Alta Performance! Torne-se um Vendedor de Alta Performance! O mais Atual e Efetivo Programa de Capacitação de Vendedores do Brasil! Desperte seu Potencial Infinito! Desenvolva uma Comunicação Poderosa e Realize Vendas de

Leia mais

Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Modelo de Excelência em Gestão Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Conceitos Fundamentais Os Fundamentos da Excelência em Gestão expressam conceitos que

Leia mais

MESA REDONDA Atuação em rede. Reflexões sobre o COEP:

MESA REDONDA Atuação em rede. Reflexões sobre o COEP: MESA REDONDA Atuação em rede Reflexões sobre o COEP: Identidade Êxitos O que faz o COEP funcionar? Questões estratégicas John Saxby, pesquisador Ottawa, Canadá 1 Projetos de pesquisa Estudo de caso para

Leia mais

Gerenciamento de Integração. Prof. Anderson Valadares

Gerenciamento de Integração. Prof. Anderson Valadares Gerenciamento de Integração Prof. Anderson Valadares 1. Conceito A área de conhecimento em gerenciamento de integração do projeto inclui processos e as atividades necessárias para identificar, definir,

Leia mais

Desenvolvimento de Estratégias

Desenvolvimento de Estratégias Desenvolvimento de Estratégias Aula 18 Plano de carreira Análise do ambiente Oportunidades Ameaças Objetivos Alvos concretos Estratégias Ações e prazos para atingir objetivos Follow-up Análise de potencial

Leia mais

LIDERANÇA. Prof. Aline Hilsendeger Pereira de Oliveira

LIDERANÇA. Prof. Aline Hilsendeger Pereira de Oliveira Os objetivo deste estudo é conhecer os estilos de liderança. Reconhecer estes estilos nas pessoas dentro da organização de maneira que possamos orientar, treinar e desenvolver adequadamente os indivíduos.

Leia mais

Relacionamento Interpessoal LIDERANÇA E ESTILO DE LIDERANÇA. Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura

Relacionamento Interpessoal LIDERANÇA E ESTILO DE LIDERANÇA. Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura Relacionamento Interpessoal LIDERANÇA E ESTILO DE LIDERANÇA Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura Maior complexidade nas relações Novos modelos de gestão Parcerias estratégicas Globalização Rápidas mudanças

Leia mais

Mapa da Matriz de Competências Corporativas

Mapa da Matriz de Competências Corporativas Mapa da de Competências Corporativas Dados Principais de Competências Corporativas O que é É o conjunto de competências definido pela empresa alinhada à estratégia do negócio. Para que serve Para verificar

Leia mais

Matriz Nine Box e Plano de Desenvolvimento Individual. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br rogeriolemeoficial

Matriz Nine Box e Plano de Desenvolvimento Individual. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br rogeriolemeoficial Matriz Nine Box e Plano de Desenvolvimento Individual Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br rogeriolemeoficial Rogerio Leme Diretor de Estudos de Desenvolvimento Organizacional da ABRH-Nacional Diretor

Leia mais

LIDERANÇA DE RH EM SINTONIA COM O NEGÓCIO

LIDERANÇA DE RH EM SINTONIA COM O NEGÓCIO LIDERANÇA DE RH EM SINTONIA COM O NEGÓCIO A corporação contemporânea é complexa, e cada uma de suas muitas partes está constantemente em movimento, tudo reagindo a um ambiente de negócios em mudança. Ram

Leia mais

Gestão do Conhecimento. Conceito de Ba. Conceito de Ba 26/3/2011. Prof. Luiz A. Nascimento

Gestão do Conhecimento. Conceito de Ba. Conceito de Ba 26/3/2011. Prof. Luiz A. Nascimento Gestão do Conhecimento Prof. Luiz A. Nascimento No processo de Gestão de Conhecimento em uma empresa deve haver um espaço para criação e compartilhamento de conhecimento entre os colaboradores. Ba é um

Leia mais

Sucesso é uma escolha.

Sucesso é uma escolha. Sucesso é uma escolha. Quem é Vanessa Agenda Lima? Dia 1 Especialista em Coaching Executivo e de Carreira. Psicóloga, formada pela PUC-Minas, pós-graduada em Gestão de Pessoas na Fundação Dom Cabral, cursou

Leia mais

O processo empreendedor

O processo empreendedor Política de Negócios e Empreendedorismo Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Aula 02 O processo empreendedor O processo empreendedor Identificar

Leia mais

Como definir a melhor meta de vendas através do Índice da Margem de Contribuição (Imc)

Como definir a melhor meta de vendas através do Índice da Margem de Contribuição (Imc) Como definir a melhor meta de vendas através do Índice da Margem de Contribuição (Imc)! Qual a quantidade ideal de venda de cada produto, considerando uma maior rentabilidade?! Se os produtos de menor

Leia mais

8 SINAIS QUE ESTÁ NA HORA DE MUDAR A FORMA COMO VOCÊ GERENCIA SEUS PROCESSOS DE MENTORING

8 SINAIS QUE ESTÁ NA HORA DE MUDAR A FORMA COMO VOCÊ GERENCIA SEUS PROCESSOS DE MENTORING 8 SINAIS QUE ESTÁ NA HORA DE MUDAR A FORMA COMO VOCÊ GERENCIA SEUS PROCESSOS DE MENTORING CONTEÚDO DO E-BOOK Neste material, iremos mostrar 8 sinais que está na hora de você mudar a forma como você gerencia

Leia mais

Após anos 70: aumento significativo de recursos para restauração. Não se observa um aumento proporcional de

Após anos 70: aumento significativo de recursos para restauração. Não se observa um aumento proporcional de Aspectos sociais em projetos de restauração de áreas degradadas Maria Castellano CTR Campinas Gestão de recursos naturais Os recursos naturais são passíveis de serem utilizados por muitos indivíduos; É

Leia mais

MASTER 2016. Liderança e Engajamento. PROGRAMA DE CURTA DURAÇÃO 5 ENCONTROS 14 OPÇÕES DE CURSOS TEMAS EMERGENTES

MASTER 2016. Liderança e Engajamento.  PROGRAMA DE CURTA DURAÇÃO 5 ENCONTROS 14 OPÇÕES DE CURSOS TEMAS EMERGENTES MASTER 2016 Liderança e Engajamento PROGRAMA DE CURTA DURAÇÃO 5 ENCONTROS FOCO EM COMPETÊNCIAS PRÁTICAS TEMAS EMERGENTES 14 OPÇÕES DE CURSOS A INOVA BUSINESS SCHOOL A Inova Business School é uma escola

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL MUDANÇA ORGANIZACIONAL

ADMINISTRAÇÃO GERAL MUDANÇA ORGANIZACIONAL ADMINISTRAÇÃO GERAL MUDANÇA ORGANIZACIONAL Atualizado em 09/11/2015 MUDANÇA ORGANIZACIONAL Mudança organizacional é qualquer alteração significativa, planejada e operacionalizada por pessoal interno ou

Leia mais

O Desenvolvimento Local e a Abordagem EQUAL O PROVE Promover e Vender

O Desenvolvimento Local e a Abordagem EQUAL O PROVE Promover e Vender O Desenvolvimento Local e a Abordagem EQUAL O PROVE Promover e Vender Encontro Nacional Desenvolvimento Local em Portugal Lisboa 9 de Maio 2013 O PROVE e os seis princípios EQUAL Inovação Trabalho em Parceria

Leia mais

ASSESSORIA, CONSULTORIA E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA O UP DA START-UP

ASSESSORIA, CONSULTORIA E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA O UP DA START-UP ASSESSORIA, CONSULTORIA E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA O UP DA START-UP Temas Introdução a Inovação O que é Inovação? Quais os tipos de Inovação? Por que Inovar? Como Inovar? O ciclo

Leia mais

GESTÃO POR PROCESSOS. Formação de Facilitadores para Melhoria de Processos

GESTÃO POR PROCESSOS. Formação de Facilitadores para Melhoria de Processos GESTÃO POR PROCESSOS Formação de Facilitadores para Melhoria de Processos GESTÃO POR PROCESSOS GRUPO GEPRO: Adauto - AUDINT Eneida - HC Gláucia - PRDU Jane - PRDU Maria Bernadete - HC Maria do Rosário

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Prof. Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO OUTUBRO DE 2013 SUMÁRIO MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO... 1 1. Núcleo de Informações

Leia mais

Neidi. rewer Cassol. Palestras&Treinamentos

Neidi. rewer Cassol. Palestras&Treinamentos Neidi K rewer Cassol Palestras&Treinamentos Neidi Krewer Cassol A Professora Neidi Krewer Cassol é Mestre em Administração de Empresas, Educadora, Pesquisadora, Consultora, Coach e Palestrante. Possui

Leia mais

O uso de remuneração variável para gerar o engajamento sustentável

O uso de remuneração variável para gerar o engajamento sustentável O uso de remuneração variável para gerar o engajamento sustentável Como o ambiente vem mudando a visão tradicional a respeito do engajamento de empregados O que os programas de remuneração por desempenho

Leia mais

A Herança de Paulo Freire

A Herança de Paulo Freire A Herança de Paulo Freire Cinco Princípios-Chave que definem a visão Freiriana de Educação Musical. Eles são: Primeiro Princípio 1. Educação Musical é um Diálogo Alunos e professores apresentam um problema

Leia mais

LIDERANÇA. Prof. Taís B. Oesterreich

LIDERANÇA. Prof. Taís B. Oesterreich LIDERANÇA Prof. Taís B. Oesterreich Uma Nova Era Para Gestão Administração de Pessoas passa pelo crivo da liderança A liderança, vista em relação às outras funções gerenciais. As ligações entre a administração

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI

INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI 11/05/011 INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI Prof. Carlos Faria (adaptação) 011 O CONCEITO DE TI A Tecnologia da Informação abrange todos os aspectos envolvidos no gerenciamento das informações de uma organização.

Leia mais

O Engenheiro. Introdução à Engenharia Elétrica Prof. Edmar José do Nascimento

O Engenheiro. Introdução à Engenharia Elétrica  Prof. Edmar José do Nascimento O Engenheiro Introdução à Engenharia Elétrica http://www.univasf.edu.br/~edmar.nascimento Prof. Edmar José do Nascimento Introdução à Engenharia Elétrica Carga horária 30 horas (15 encontros) Professores

Leia mais

Edgard Pedreira de Cerqueira Neto, PhD, PMP

Edgard Pedreira de Cerqueira Neto, PhD, PMP Bem-vindo ao nosso trabalho inteiramente gratuito de coaching! O tema desta sessão é: O Método 5A de coaching desenvolvido por Edgard Pedreira de Cerqueira Neto Edgard Pedreira de Cerqueira Neto, PhD,

Leia mais

PLANEJANDO SUA CARREIRA EM NUTRIÇÃO: UM ENFOQUE PARA A SAÚDE COLETIVA

PLANEJANDO SUA CARREIRA EM NUTRIÇÃO: UM ENFOQUE PARA A SAÚDE COLETIVA PLANEJANDO SUA CARREIRA EM NUTRIÇÃO: UM ENFOQUE PARA A SAÚDE COLETIVA APRESENTAÇÃO PESSOAL - DINÂMICA O QUE VOCÊ AMA FAZER O QUE VOCÊ SABE FAZER COM O QUE VOCÊ SE IMPORTA QUEM É O NUTRICIONISTA? Humanista

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica Objetivos Conceituar liderança Identificar os fatores de liderança Descrever os níveis de liderança Faca a face Organizacional Estratégica Sumário Introdução Liderança Liderança Estratégica

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Prof. Massuyuki Kawano EXT. E. E. PROFESSOR PEDRO SUMMERHAUZER EM QUINTANA Código: Município: Quintana Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação

Leia mais

Workshop. Voluntários Facilitadores

Workshop. Voluntários Facilitadores Workshop Voluntários Facilitadores fazendoacontecer.org.br /InstitutoFazendoAcontecer ww.josedornelas.com ismo Estilo gerencial Busca de oportunidades Mudança Inconformismo Fazer diferente Fazer acontecer

Leia mais

Processos Organizacionais

Processos Organizacionais Processos Organizacionais 1 Contextualização Organizar: prática humana milenar Administração: esforços de racionalização do processo de trabalho adequação de meios e fins 2 As funções administrativas:

Leia mais

Plataforma Mercer 360

Plataforma Mercer 360 Plataforma Mercer 360 TECNOLOGIA ON-LINE PARA IMPULSIONAR A MUDANÇA COMPORTAMENTAL O feedback 360 graus é amplamente reconhecido como uma ferramenta precisa e de alto impacto para avaliar os pontos fortes

Leia mais

Niterói Educadora, Inovadora e Sustentável PERMITA-SE IR ALÉM!!

Niterói Educadora, Inovadora e Sustentável PERMITA-SE IR ALÉM!! BEM-VINDOS! Niterói Educadora, Inovadora e Sustentável PERMITA-SE IR ALÉM!! Lucila Martínez Calvi Consultora ILTC Coordenadora Nacional Cátedra da UNESCO Cidade e Meio Ambiente 11 de junho de 2015 As cidades

Leia mais

Dicas de como obter $uce$$o nas vendas diretas

Dicas de como obter $uce$$o nas vendas diretas Dicas de como obter $uce$$o nas vendas diretas Quanto você quer ter de rendimento mensal trabalhando com vendas diretas? Esta resposta depende de cada pessoa, seus sonhos e interesses pessoais. Para ser

Leia mais

O livro Aula Nota 10 e as práticas de sala de aula

O livro Aula Nota 10 e as práticas de sala de aula O livro Aula Nota 10 e as práticas de sala de aula Implementação das técnicas do Aula Nota 10 nas redes públicas e privadas Introdução O que o filme O Ensino e o Aprendizado revela Os alunos são diferentes

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 2 T&D e Estratégia de RH Treinamento & Desenvolvimento 3 4 Coaching & Mentoring Desenvolvimento de Lideranças 1 T&D e Estratégia de RH Relembrando... Os processos

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EDUCAÇÃO PARA A VIDA PROFISSIONAL

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EDUCAÇÃO PARA A VIDA PROFISSIONAL EDUCAÇÃO CORPORATIVA EDUCAÇÃO PARA A VIDA PROFISSIONAL O que é o SENAI? Criado em 1942, por iniciativa do empresariado do setor, o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) é hoje um dos mais

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS

ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS E-mail: jeansalgals@hotmail.com 1 INTRODUÇÃO ÀS S RELAÇÕES DE INTERCÂMBIO ENTRE PESSOAS E ORGANIZAÇÕES 2 FLEXIBILIDADE COMPETIÇÃO MARKET SHARE INOVAÇÃO FUSÕES NOVOS CONHECIMENTOS

Leia mais

O Gerente e a Equipe de Projeto

O Gerente e a Equipe de Projeto O Gerente e a Equipe de Projeto Planejamento e Gerenciamento de Projetos Hermano Perrelli Centro de Informática da UFPE Objetivo Discutir alguns princípios para o estabelecimento de um time vitorioso Apresentar

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Aula 8 Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 2 Seminário T&D e Estratégia de RH 3 4 Treinamento & Desenvolvimento Desenvolvimento de Lideranças 1 Seminário 3 The Young and the Clueless Bunker, K. A.;

Leia mais

RH O desafio de crescer em um ambiente altamente competitivo

RH O desafio de crescer em um ambiente altamente competitivo RH O desafio de crescer em um ambiente altamente competitivo 1 Desenvolvimento de Líderes capazes de garantir o crescimento do Negócio em um mercado extremamente aquecido Alberto Pezeiro Sócio Fundador

Leia mais

A ICC-Brasil International Christian Coaching apresenta o Curso Profissional de Formação em Coaching, que através de uma metodologia única de

A ICC-Brasil International Christian Coaching apresenta o Curso Profissional de Formação em Coaching, que através de uma metodologia única de A ICC-Brasil International Christian Coaching apresenta o Curso Profissional de Formação em Coaching, que através de uma metodologia única de Coaching promove uma experiência intensiva de capacitação para

Leia mais

Gerenciamento da Comunicação 1

Gerenciamento da Comunicação 1 O que é um projeto? Gestão Projetos TI (PMBOK) Prof. Raquel Silveira Um projeto é um empreendimento temporário com o objetivo criar um produto ou serviço único. Esse empreendimento tem metas estabelecidas

Leia mais

Da análise à formulação estratégica

Da análise à formulação estratégica Tópicos a serem abordados Definição síntese de estratégia Características de uma empresa de sucesso Empresa com foco na estratégia Empresa perante as ameaças Competências do estratega Perfil de um estratega

Leia mais

Seis Sigma em Serviços - 2. desafios e adequações necessárias

Seis Sigma em Serviços - 2. desafios e adequações necessárias Global Productivity Solutions Treinamento e Consultoria em Seis Sigma Seis Sigma em Serviços: desafios e adequações necessárias São Paulo, 23 de agosto de 2006 A importância do Seis Sigma e da Qualidade

Leia mais

Público Alvo: Empresas de micro e pequeno porte do setor de Tecnologia da Informação.

Público Alvo: Empresas de micro e pequeno porte do setor de Tecnologia da Informação. GESTÃO COMERCIAL Entidade Proponente: IEL/NR Minas Gerais e SEBRAE Minas Público Alvo: Empresas de micro e pequeno porte do setor de Tecnologia da Informação. OBJETIVOS Geral: Apresentar abordagens integradas

Leia mais

Hipertrofia muscular - o livro O livro que você precisa para aprender a ganhar massa muscular em pouco tempo e de uma forma saudável

Hipertrofia muscular - o livro O livro que você precisa para aprender a ganhar massa muscular em pouco tempo e de uma forma saudável Hipertrofia muscular - o livro O livro que você precisa para aprender a ganhar massa muscular em pouco tempo e de uma forma saudável Índice do livro Hipertrofia Muscular Neste livro, Rodrigo Polesso reúne

Leia mais

Sobre o Grupo Algar. Sobre a Algar Telecom

Sobre o Grupo Algar. Sobre a Algar Telecom Sobre o Grupo Algar É um dos principais grupos empresariais do Brasil, de capital nacional, empreendedor, fundado em 1929 e com atuação em todo o território nacional, Argentina, Colômbia e Chile. No grupo

Leia mais

Prof. Paulo Barreto. Teoria do Desenvolvimento organizacional

Prof. Paulo Barreto. Teoria do Desenvolvimento organizacional Prof. Paulo Barreto Teoria do Desenvolvimento organizacional Introdução O Desenvolvimento Organizacional nada mais é que as mudanças que ocorrem dentro de uma organização. Segundo essa teoria aberta, democrática

Leia mais

Atração, retenção e engajamento

Atração, retenção e engajamento Aula 4 Atração, retenção e engajamento Agenda 1 Estudo de Caso 2 Rotatividade e retenção 3 Global Workforce Study 1 Why are we losing all our good people? Estudo de caso Rotatividade e Retenção Allen,

Leia mais

Empreendedorismo e Empresas de Base Tecnológica

Empreendedorismo e Empresas de Base Tecnológica Empreendedorismo e FEUP 25 de Novembro 2005 NET Novas Empresas e Tecnologias, S.A. Desde 1987 Business and I nnovation Centre do P orto Á rea de intervenção: Região Norte de P ortugal 1 NET Novas Empresas

Leia mais

Inovação e criatividade Isaias Barreto Da Rosa II Fórum de Transformação de Cabo Verde 15 de Maio de 2014 Praia

Inovação e criatividade Isaias Barreto Da Rosa II Fórum de Transformação de Cabo Verde 15 de Maio de 2014 Praia Inovação e criatividade Isaias Barreto Da Rosa II Fórum de Transformação de Cabo Verde 15 de Maio de 2014 Praia WS 3.3 Promover a Inovação e a Criatividade para a Transformação Inovação Conceito É muitas

Leia mais

Trata-se do processo de gestão, organização e orientação da equipe do projeto;

Trata-se do processo de gestão, organização e orientação da equipe do projeto; Aula 19 1 2 Trata-se do processo de gestão, organização e orientação da equipe do projeto; A equipe do projeto refere-se às pessoas com papéis e responsabilidades para completar o projeto; É importante

Leia mais

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Camila Araújo, sócia de Gestão de Riscos Empresariais e responsável do Centro de Governança Corporativa da Deloitte A pauta da ética e da transparência nunca

Leia mais

EMPRESA FAMILIAR 2ª PARTE. Disciplina- Novos Negócios Prof Daciane de Oliveira

EMPRESA FAMILIAR 2ª PARTE. Disciplina- Novos Negócios Prof Daciane de Oliveira EMPRESA FAMILIAR 2ª PARTE Disciplina- Novos Negócios Prof Daciane de Oliveira A cultura de uma empresa familiar A cultura de uma empresa é formada por várias crenças e comportamentos diferenciados. Elementos

Leia mais

ESPECIAL CONTAT CONSULT. Empresas Agropecuárias Vemos Oportunidades!

ESPECIAL CONTAT CONSULT. Empresas Agropecuárias Vemos Oportunidades! ESPECIAL CONTAT CONSULT Empresas Agropecuárias Vemos Oportunidades! CONTAT CONSUT Divisão AGROCONTAT SOBRE A CONTAT CONSULT A CONTAT CONSULT é uma empresa experiente. Nossa estrutura profissional é completa

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE 2015

CONSELHO DE CLASSE 2015 CONSELHO DE CLASSE 2015 A visão dos professores sobre a educação no Brasil Apoio: Para fortalecer ainda mais seu compromisso com a participação dos professores no debate educacional, a Fundação Lemann

Leia mais

e ao Introdução ao BPM Guia BPM CBOK Instrutor: Eduardo Oliveira Slide XII Semana de Administração Orçamentária, Financeira e de Contratações Públicas

e ao Introdução ao BPM Guia BPM CBOK Instrutor: Eduardo Oliveira Slide XII Semana de Administração Orçamentária, Financeira e de Contratações Públicas Introdução ao BPM e ao Guia BPM CBOK Instrutor: Eduardo Oliveira 1. Conceitos básicos 1.1. Processos É um fluxo coordenado e padronizado de atividades executadas por pessoas ou máquinas, as quais podem

Leia mais

Cursos Educar [PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO] Prof. M.Sc. Fábio Figueirôa

Cursos Educar [PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO] Prof. M.Sc. Fábio Figueirôa Cursos Educar Prof. M.Sc. Fábio Figueirôa [PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO] O curso tem o objetivo de ensinar aos alunos de graduação e de pós-graduação, as técnicas de produção de artigos científicos, nas

Leia mais

Curso de Atendimento Personalizado e Call Center. Referencial Pedagógico

Curso de Atendimento Personalizado e Call Center. Referencial Pedagógico Curso de Atendimento Personalizado e Call Center Referencial Pedagógico 1. Competências Globais e Específicas Desenvolver competências gerais e específicas no âmbito do Atendimento ao Público, ao nível

Leia mais

CAP. 16 GESTÃO DO CONHECIMENTO E DO CAPITAL INTELECTUAL

CAP. 16 GESTÃO DO CONHECIMENTO E DO CAPITAL INTELECTUAL CAP. 16 GESTÃO DO CONHECIMENTO E DO CAPITAL INTELECTUAL Para ser líder em seu segmento de mercado e garantir vantagem competitiva, as organizações têm que trabalhar com outros recursos valiosos: o conhecimento

Leia mais

O que as Instituições de Ensino e Empresas podem fazer para despertar o jovem para prática do estágio responsável?

O que as Instituições de Ensino e Empresas podem fazer para despertar o jovem para prática do estágio responsável? O que as Instituições de Ensino e Empresas podem fazer para despertar o jovem para prática do estágio responsável? Revista Isto é N Edição: 2212 O que o Mundo do Trabalho espera dos Jovens? O que o Jovem

Leia mais

Sobre a análise SWOT para planejamento e gestão de projetos

Sobre a análise SWOT para planejamento e gestão de projetos Sobre a análise SWOT para planejamento e gestão de projetos ANTONIO MENDES DA SILVA FILHO * There are three classes of people: Those who see, those who see when they are shown, those who do not see. Leonardo

Leia mais

Modelos de ação da Igreja e metodologias de planejamento. Objetivo da aula. Organização da igreja. Curso: Teologia.

Modelos de ação da Igreja e metodologias de planejamento. Objetivo da aula. Organização da igreja. Curso: Teologia. Curso: Teologia. Prof: Nicanor Lopes. Modelos de ação da Igreja e metodologias de planejamento Objetivo da aula Conhecer e analisar os modelos de ação da Igreja; Analisar quatro métodos de planejamento

Leia mais

Gestão de Processos: Ciclo PDCA. Profa. Reane Franco Goulart

Gestão de Processos: Ciclo PDCA. Profa. Reane Franco Goulart Gestão de Processos: Ciclo PDCA Profa. Reane Franco Goulart O que é PDCA? É uma ferramenta da qualidade utilizada no controle do processo para a solução de problemas. É também chamado de Roda de Deming

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio em Marketing

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

PLANEJAMENTO & GESTÃO. Pensando estrategicamente...

PLANEJAMENTO & GESTÃO. Pensando estrategicamente... PLANEJAMENTO & GESTÃO Pensando estrategicamente... Situações capazes de provocar mudanças crises e incertezas; novas oportunidades; novas diretrizes internas ou externas. Pensar e Agir Estrategicamente

Leia mais

NBR 10126/87 CORTE TOTAL LONGITUDINAL E TRANSVERSAL

NBR 10126/87 CORTE TOTAL LONGITUDINAL E TRANSVERSAL NBR 10126/87 CORTE TOTAL LONGITUDINAL E TRANSVERSAL Podemos definir corte como sendo a representação gráfica no desenho da característica do elemento, através de linhas, símbolos, notas e valor numérico

Leia mais

Anexo E. Questionário de Cultura Organizacional

Anexo E. Questionário de Cultura Organizacional Anexo E Questionário de Cultura Organizacional 156 Caracterização sumária do participante: Função: Departamento/Serviço: Idade: Sexo: M F Nível funcional: Direcção Chefia Intermédia Experiência profissional

Leia mais

Programa Competências Transversais

Programa Competências Transversais Programa Competências Transversais o Consumo Consciente de Energia o Desenho Arquitetônico o Educação Ambiental o Empreendedorismo o Fundamentos de Logística o Finanças Pessoais o Legislação Trabalhista

Leia mais

QUESTÕES COMENTADAS DA BANCA CESPE SOBRE O TEMA BALANCED SCORECARD

QUESTÕES COMENTADAS DA BANCA CESPE SOBRE O TEMA BALANCED SCORECARD QUESTÕES COMENTADAS DA BANCA CESPE SOBRE O TEMA BALANCED SCORECARD Questão 1. CESPE - Analista Judiciário (TRE GO)/Administrativa/2015 Julgue o próximo item, referente a administração geral e pública.

Leia mais

Como atrair, reter e engajar talentos melhorando o desempenho dos negócios

Como atrair, reter e engajar talentos melhorando o desempenho dos negócios Janeiro 2006 Global Workforce Study Como atrair, reter e engajar talentos melhorando o desempenho dos negócios O ambiente de negócios tem se tornado cada vez mais complexo e os desafios enfrentados pelas

Leia mais

SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+

SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+ SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+ Passo a Passo 1 COMPREENDENDO OS RESULTADOS 1) Professores e coordenadores fazem a leitura individual dos dados gerais

Leia mais

page 2 / 11 RELACIONAMENTOS antes de precisar deles. Quando surgir a necessidade, eles estarão lá, a postos, dispostos a lhe ajudar.

page 2 / 11 RELACIONAMENTOS antes de precisar deles. Quando surgir a necessidade, eles estarão lá, a postos, dispostos a lhe ajudar. page 1 / 11 Tenho certeza que você pensava o contrário, ou seja, que "O QUE ALGUÉM FAZIA" era mais importante do que "QUEM ERA AQUELA PESSOA". Entender a diferença entre essas duas afirmações, pode ter

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS RESULTADOS GARANTIDOS

INFORMAÇÕES GERAIS RESULTADOS GARANTIDOS INFORMAÇÕES GERAIS CARGA-HORÁRIA: 12 horas PÚBLICO-ALVO: Profissionais interessados em conhecer e desenvolver seu potencial criativo para atuar em programas de capacitação, seleção de pessoal, avaliação

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profª Carla Hammes

GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profª Carla Hammes GESTÃO DO CONHECIMENTO Profª Carla Hammes O que foi visto na última aula Uma fábula do conhecimento Retenção do conhecimento Armazenamento e disseminação do conhecimento Compartilhamento do conhecimento

Leia mais

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE RAMAL: 9930

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE RAMAL: 9930 DEPARTAMENTO DA QUALIDADE RAMAL: 9930 O Programa 8 S originou-se do Programa 5 S, o qual teve início no Japão, na década de 50, a fim de reestruturar as indústrias japonesas que haviam sido devastadas

Leia mais

Federação Brasileira de Administradores Hospitalares

Federação Brasileira de Administradores Hospitalares Federação Brasileira de Administradores Hospitalares Os mais recentes e importantes avanços da administração hospitalar estarão em discussão na Revista Administrador Hospitalar da FBAH, além de melhores

Leia mais

A Função de Compliance na Banca Comercial

A Função de Compliance na Banca Comercial A Função de Compliance na Banca Comercial Objetivos Gerais: Este curso é dirigido a todos os profissionais que pretendam adquirir conhecimentos de Compliance na Banca Comercial Objetivos Específicos: No

Leia mais

Pilares do. médico de sucesso

Pilares do. médico de sucesso 3 Pilares do médico de sucesso 1 DESENVOLVER ALTA PERFORMANCE 2 CONHECER SOBRE O MARKETING 3 CONHECER SOBRE GESTÃO EM SAÚDE CELIANE GONÇALVES Atua na área de Marketing em Saúde há mais de 20 anos. É empreendedora,

Leia mais