APRESENTAÇÃO PORTAL SOLUÇÕES CASP

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APRESENTAÇÃO PORTAL SOLUÇÕES CASP"

Transcrição

1 APRESENTAÇÃO PORTAL SOLUÇÕES CASP

2 Estrutura da Lei 4.320/1964 TítuloI DaLeidoOrçamento(Artigo2ºao21) TítuloII DaPropostaOrçamentária(Artigo22ao31) TítuloIII DaElaboraçãodaLeidoOrçamento(Artigo32ao33) TítuloIV DoExercícioFinanceiro(Artigo34a39) TítuloV DosCréditosAdicionais(Artigo40ao46) TítuloVI DaExecuçãodoOrçamento(Artigo47ao70) TítuloVII DosFundosEspeciais(Artigo71ao74) TítuloVIII DoControledaExecuçãoOrçamentária(Artigo75ao82) TítuloIX dacontabilidade(artigo83ao89) DisposiçõesGerais(Art83a89) Da Contabilidade Orçamentária e Financeira(Art 90 a 93) Da Contabilidade Patrimonial e Industrial(Art 94 a 100) DosBalanços(Art101a106)

3 APLICA OS PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS APLICA OS PRINCÍPIOS PATRIMONIAIS ORÇAMENTO PÚBLICO PATRIMÔNIO PÚBLICO (RECURSOS À DISPOSIÇÃO DO ESTADO) INGRESSOS GASTOS PASSIVOS (Receitas Orçamentárias) (Despesas Orçamentárias) ATIVOS PL +/- Variações Patrimoniais (Aumentativas e Diminutivas) FLUXO DE CAIXA FLUXO ECONÔMICO 3

4 Processo de Mudança na Contabilidade da Contabilidade Pública Brasileira INSTITUCIONALIZAÇÃO Quem Estabelecerá as Regras? Representação Conselho Federal de Contabilidade Tesouro Nacional Grupo de Estudo da Área Pública Grupo Técnico de Padronização de Relatórios Grupo Técnico de Procedimentos Contábeis Grupo Técnico de Sistemas Contábeis 4 Fonte: STN

5 Edição da Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público ATIVOS REAIS PASSIVOS REAIS Patrimônio RECEITA PATRIMONIAL DESPESA PATRIMONIAL RESULTADOS REAIS ORÇAMENTÁRIOS CONTROLES FINANCEIROS CUSTOS N B C T SP 5

6 Edição das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público Estrutura das NBCT SP: Resolução CFC nº 1.111/07 Princípios Contábeis / SP NBC T 16.1 Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação NBC T 16.2 Patrimônio e Sistemas Contábeis NBC T 16.3 Planejamento e seus Instrumentos sob o Enfoque Contábil NBC T 16.4 Transações no Setor Público NBC T 16.5 Registro Contábil NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis NBC T 16.7 Consolidação das Demonstrações Contábeis NBC T 16.8 Controle Interno NBC T 16.9 Depreciação, Amortização e Exaustão NBC T Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidades do Setor Público NBCT Sistema de Informação de Custos no Setor Público 6

7 LIVRO DAS IPSAS TRADUÇÃO EM PORTUGUÊS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA O SETOR PÚBLICO - IFAC EDIÇÃO publicações

8 EDIÇÃO DO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO PARTE I: Procedimentos Contábeis Orçamentários PARTE II: Procedimentos Contábeis Patrimoniais PARTE III: Procedimentos Contábeis Específicos PARTE IV: Plano de Contas Aplicado ao Setor Público PARTE V: Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público 8

9 PORTARIA STN 437 de 2012, ALTERADA PELA PORTARIA STN 700/2014 MCASP PARTE IV PCASP OBRIGATÓRIO PARA Portaria STN 634/2013 OBS. Portaria de transição STN 733/2014 9

10 Lógica do Registro Contábil 1 Ativo 1.1- Ativo Circulante 1.2 Ativo Não Circulante 3 Variação Patrimonial Diminutiva Pessoal e Encargos 3.2 Benefícios Previdenciários Outras Variações Patrimoniais Passivas 5 Controles da Aprovação do Planejamento e Orçamento 2 - Passivo 2.1 Passivo Circulante 2.2 Passivo Não Circulante 2.3 Patrimônio Líquido 4 Variação Patrimonial Aumentativa 4.1 Tributárias e Contribuições Patrimônio... Líquido Outras Variações Patrimoniais Ativas 6 Controles da Execução do Planejamento e Orçamento 5.1 Planejamento Aprovado 5.2 Orçamento Aprovado 5.3 Inscrição de Restos a Pagar 6.1 Execução do Planejamento 6.2 Execução do Orçamento 6.3 Execução de Restos a Pagar Contas Orçamentárias 7 Controles Devedores 7.1 Atos Potenciais 7.2 Administração Financeira 7.3 Dívida Ativa 7.4 Riscos Fiscais Custos 10 8 Controles Credores 8.1 Execução dos Atos Potenciais 8.2 Execução da Administração Financeira 8.3 Execução da Dívida Ativa 8.4 Execução dos Riscos Fiscais 8.8 Apuração de Custos Contas de Controle FONTE: STN

11 DEMONSTRAÇOES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO DEMONSTRAÇÕES OBRIGATÓRIAS Balanço Patrimonial Balanço Orçamentário Demonstração das Variações Patrimoniais Balanço Financeiro Demonstração do Fluxo de Caixa (obrigatória a partir de 2015) DEMONSTRAÇÃO OBRIGATÓRIA PARA OS ENTES QUE TÊM ESTATAIS DEPENDENTES Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (obrigatória a partir de 2015) NOTAS EXPLICATIVAS SÃO OBRIGATÓRIAS Fonte: o autor

12 CLASSIFICAÇÃO DE ATIVOS: RELAÇÃO LEI 4.320/64 X MCASP - (através dos atributos F e P) Exemplo Lei 4.320/64: Exemplo NBC T: ATIVO FINANCEIRO (AF) Caixa ATIVO CIRCULANTE (AC) Caixa ( F ) ( F ) Banco Aplicações Financeiras ( F ) Banco ( F ) ( F ) Aplicações Financeiras ( F ) ATIVO PERMANENTE (AP) Créditos de Curto Prazo Estoques de Curto Prazo Desp. Pg. Antecip. ( P ) Créditos de Curto Prazo ( P ) ( P ) Estoques de Curto Prazo ( P ) ( P ) Desp. Pg. Antecip. ( P ) ATIVO NÃO CIRCULANTE (ANC) Créditos de LP Estoques de LP Ações Bens Móveis e Imóveis Softwares ( P ) Créditos de LP ( P ) ( P ) Estoques de LP ( P ) ( P ) Ações ( P ) ( P ) Bens Móveis e Imóveis ( P ) ( P ) Softwares ( P ) Fonte: autor 12

13 CLASSIFICAÇÃO DE PASSIVOS: RELAÇÃO LEI 4.320/64 X MCASP - (através dos atributos F e P) Exemplo Lei 4.320/64: Exemplo NBC T: PASSIVO FINANCEIRO (PF) PASSIVO CIRCULANTE (PC) Pessoal a Pg. de CP (empenhado) ( F ) Pessoal a Pg. de CP (empenhado) ( F ) Enc. Sociais a Pg. de CP (empenhado) ( F ) Enc. Sociais a Pg. de CP (empenhado) ( F ) Fornecedor a Pg. de CP (empenhado) ( F ) Fornecedor a Pg. de CP (empenhado) ( F ) Depósitos de Terceiros a Rec. CP ( F ) Depósitos de Terceiros a Rec. CP ( F ) Operação de Créd. por Antec. da Receita ( F ) Operação de Créd. por Antec. Receita ( F ) PASSIVO PERMANENTE (PP) Pessoal a Pg. de CP (sem empenho) ( P ) Pessoal a Pg. de CP (sem empenho) ( P ) Enc. Sociais a Pg. de CP (sem empenho) ( P ) Enc. Sociais a Pg. de CP (sem empenho) ( P ) Fornecedor a Pg. de CP (sem empenho) ( P ) Fornecedor a Pg. de CP (sem empenho) ( P ) Operações de Crédito de CP (sem empenho) ( P ) Operações de Crédito de CP (sem empenho) ( P ) Precatório a Pg. de CP (sem empenho) ( P ) Precatório a Pg. de CP (sem empenho) ( P ) PASSIVO NÃO CIRCULANTE (PNC) Operações de Crédito de LP ( P ) Operações de Crédito de LP ( P ) Precatório a Pg. de LP ( P ) Precatório a Pg. de LP ( P ) Fonte: o autor 13

14 Portal Soluções CASP

15 Objetivo: Desenvolver um canal de comunicação entre a FUCAPE e associados da AMUNES para discussão e disseminação da ContabilidadeAplicadaaoSetorPúblico.

16 Acesso ao Portal Como acessar o site?

17 ACESSAR O ENDEREÇO DO SITE: casp.fucape.br

18 Após cadastro do usuário pelo Gerente da Organização o sistema envia automaticamente com senha para acesso: 5xpkQcpw

19 INSERIR O USUÁRIO: DIGITAR A SENHA: CLICAR EM ENTRAR:

20 Preencher Dados Principais Tela 1:

21 Preencher Dados Adicionais Tela 2:

22 Disponibilizar Imagem de Rosto Tela 3: ou

23 Cadastro Finalizado acessar homepage: ou

24 Página Principal

25 Cadastro de Perguntas

26

27 Cadastrando Perguntas:

28 Status da Pergunta após Cadastro:

29 Alocação do Consultor

30

31

32

33 Aceitação da Pergunta pelo Consultor

34

35

36 Visão do Usuário:

37 Resposta do Consultor

38

39

40 Aprovação da Resposta pelo Consultor Sênior

41

42

43 Liberação para aceitação do usuário

44

45

46 Aceitação da Resposta pelo Usuário

47

48

49 Visão do Usuário:

50 Publicação

51

52 Visão do Usuário:

53 Pergunta Publicada

54

55

56 Acompanhamento das Atividades

57 Acompanhamento das Perguntas:

58 Estatísticas:

59 Publicações por Categorias

60 Simulação de Perguntas

61 Pergunta 1: Título:AlienaçãodeBenscomganho Mensagem: Qual o registro contábil deumaalienaçãodebenscomganho apartirdopcasp???

62 Pergunta 2: Título:Registroconsignaçõesdefolha depagamento Mensagem: Como devem ser registradas as consignações de folhas de pagamentos, no ato da liquidação oudopagamento?

63 Pergunta 3: Título: Crédito Adicional Mensagem: É possível a suplementação de crédito especial anteriormenteaberto?

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência. Professor João Eudes Bezerra Filho

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência. Professor João Eudes Bezerra Filho A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência Professor João Eudes Bezerra Filho DIAGNÓSTICO: CENÁRIO ATUAL DIMENSÃO CONTABILIDADE PATRIMONIAL ATIVO FINANCEIRO

Leia mais

A NORMA DE CUSTOS DO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. João Eudes Bezerra Filho MembroAssessor das NBC TSP juntoaocfc

A NORMA DE CUSTOS DO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. João Eudes Bezerra Filho MembroAssessor das NBC TSP juntoaocfc A NORMA DE CUSTOS DO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE João Eudes Bezerra Filho MembroAssessor das NBC TSP juntoaocfc PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA IMPLANTAÇÃO DA NOVA CASP NO BRASIL 1º. PASSO: EDIÇÃO

Leia mais

SEFAZ/PE. Pessoal, vou comentar as questões da prova.

SEFAZ/PE. Pessoal, vou comentar as questões da prova. SEFAZ/PE Pessoal, vou comentar as questões da prova. 61. Sobre os Princípios de Contabilidade sob a Perspectiva do Setor Público, considere: I. O Princípio da Entidade se afirma, para o ente público, pela

Leia mais

Impactos Atuais e Futuros das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor PúblicoP

Impactos Atuais e Futuros das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor PúblicoP Impactos Atuais e Futuros das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor PúblicoP Tesouro Nacional Conselho Federal de Contabilidade Paulo Henrique Feijó 2009 Principais Pontos Orientações

Leia mais

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Administração Financeira do Estado Divisão de Contabilidade Geral Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP III. a) Balanço Orçamentário

Leia mais

Desafios na implantação da Nova Contabilidade Pública

Desafios na implantação da Nova Contabilidade Pública Desafios na implantação da Nova Contabilidade Pública Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação (CCONF/STN) Subsecretaria de Contabilidade Pública Secretaria do Tesouro Nacional

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade e Orçamento Público Carga Horária:50 aulas Semestre Letivo / Turno: 3º semestre Professor: Período: Ementa da disciplina:

Leia mais

TCE - MT Eventos Contábeis de Abertura 1

TCE - MT Eventos Contábeis de Abertura 1 TCE - MT Eventos Contábeis de Abertura 1 1.0 EVENTOS DE ABERTURA 1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA D 111XXXXXXXX CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA F 2 ou 8 D 7211XXXXXXX CONTROLE DA DISPONIBILIDADE DE RECURSOS

Leia mais

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência 1 Professor João Eudes Bezerra Filho ATIVO FINANCEIRO 305.000,00 PASSIVO FINANCEIRO 115.000,00 ATIVO FINANCEIRO

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Última Atualização: 28/02/2012 Programa do Módulo Módulo VIII Plano de Contas Aplicado

Leia mais

A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA INTERNACIONAL: AS BASES E BENEFÍCIOS DA APURAÇÃO DE CUSTOS

A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA INTERNACIONAL: AS BASES E BENEFÍCIOS DA APURAÇÃO DE CUSTOS A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA INTERNACIONAL: AS BASES E BENEFÍCIOS DA APURAÇÃO DE CUSTOS Conselho Federal de Grupo de Estudo da Área Pública do CFC Coordenadora:

Leia mais

DECRETO Nº 044, DE 26 DE JUNHO DE 2012.

DECRETO Nº 044, DE 26 DE JUNHO DE 2012. DECRETO Nº 044, DE 26 DE JUNHO DE 2012. Determina ao Poder Executivo Municipal de Alto Garças a adoção obrigatória do Plano de Contas, das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público e dos Procedimentos

Leia mais

CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI

CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI SECAO 020600 - PLANO DE CONTAS 1 - REFERÊNCIAS 11 - RESPONSABILIDADE - Coordenador-Geral de Contabilidade e Custos

Leia mais

TCE-RS Ciências Contábeis

TCE-RS Ciências Contábeis TCE-RS Ciências Contábeis Pessoal, vou comentar as questões da prova da área contábil. 46. Considere as seguintes informações extraídas de demonstrativos contábeis do primeiro semestre de 2014 de determinada

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.437/13

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.437/13 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.437/13 Altera, inclui e exclui itens das NBCs T 16.1, 16.2, 16.4, 16.5, 16.6, 16.10 e 16.11 que tratam das Normas Brasileiras de Contabilidade Técnicas aplicadas ao Setor Público. O

Leia mais

Minicurso TCE/PA. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP. w w w. g e s t a o p u b l i c a..

Minicurso TCE/PA. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP. w w w. g e s t a o p u b l i c a.. Contabilidade Aplicada ao Setor Público Minicurso TCE/PA Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP Paulo Henrique Feijó paulo.feijo@financaspublicas.pro.br Lógica do Registro Contábil 1 Ativo 1.1-

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015 Balanço patrimonial 31 de dezembro de 2015 31 de dezembro de 2014 Passivo

Leia mais

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 CONTEÚDO

Leia mais

ANEXO I CRONOGRAMA DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO

ANEXO I CRONOGRAMA DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO ANEXO I CRONOGRAMA DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO I - Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos créditos, tributários

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) foi criado pelo Decreto-Lei nº 9.295/46, com alterações,

Leia mais

A Nova Contabilidade. Novas Normas. A Velha Contabilidade

A Nova Contabilidade. Novas Normas. A Velha Contabilidade A Nova Contabilidade Novas Normas A Velha Contabilidade Patrimonial Orçamentário Financeiro Controle 4 Orçamentário Execução: - Quali/Quant Interação e conflitos Custos Patrimonial Financeiro Controle

Leia mais

Subsecretaria de Contabilidade Pública. O contexto atual do processo de convergência da contabilidade aplicada ao setor público

Subsecretaria de Contabilidade Pública. O contexto atual do processo de convergência da contabilidade aplicada ao setor público Subsecretaria de Contabilidade Pública O contexto atual do processo de convergência da contabilidade aplicada ao setor público Nova Contabilidade Pública = Registro Integral do Patrimônio Público (Contabilidade

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Fonte: Apresentação da Coordenação Geral de Contabilidade STN/CCONT do Tesouro Nacional Executiva da Educação 1 Motivação do Plano de Contas Único Nacional Executiva

Leia mais

Securitização de Recebíveis

Securitização de Recebíveis Securitização de Recebíveis Março/2016 Mês/Ano Normatização As NBCASP não contemplam o tema Instrumentos Financeiros Portaria STN nº 548/15 - será oportunamente regulamentado Referência técnica adotada

Leia mais

[CONTAS.CNT] Contabilidade Pública MÓDULO I. Renato Santos Chaves. Teresina, 13 de junho de 2011. 16 de fevereiro de 2012

[CONTAS.CNT] Contabilidade Pública MÓDULO I. Renato Santos Chaves. Teresina, 13 de junho de 2011. 16 de fevereiro de 2012 Contabilidade Pública Renato Santos Chaves MÓDULO I [CONTAS.CNT] Na aula 1 deste módulo, além da introdução ao curso, serão abordados aspectos históricos que culminaram na implementação da denominada Nova

Leia mais

Avaliação a Distância AD2. Período - 2012/2º. Disciplina: CONTABILIDADE GERAL II. Coordenadora: TEREZA DE JESUS RAMOS DA SILVA

Avaliação a Distância AD2. Período - 2012/2º. Disciplina: CONTABILIDADE GERAL II. Coordenadora: TEREZA DE JESUS RAMOS DA SILVA Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro Avaliação a Distância AD2 Período - 2012/2º Disciplina:

Leia mais

Teoria da Contabilidade. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior

Teoria da Contabilidade. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior Teoria da Contabilidade Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 Contabilidade Conceito Para Ribeiro (2005), a contabilidade é uma ciência social que tem por objeto o patrimônio das entidades econômico-administrativas.

Leia mais

Contextualização do Momento da Contabilidade Aplicada ao Setor Público

Contextualização do Momento da Contabilidade Aplicada ao Setor Público Contextualização do Momento da Contabilidade Aplicada ao Setor Público Grupo Técnico de Sistematização de Informações Contábeis e Fiscais GTSIS Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓD. 14

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓD. 14 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

Capacitação em Contabilidade Aplicada ao Setor Público e Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF

Capacitação em Contabilidade Aplicada ao Setor Público e Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF Capacitação em Contabilidade Aplicada ao Setor Público e Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF FORTALEZA/CE 1. OBJETIVO Aperfeiçoar e gerar conhecimentos em Lei de Responsabilidade Fiscal e contabilidade

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE CNPJ No. 04.706.954/0001-75

ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE CNPJ No. 04.706.954/0001-75 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE CNPJ No. 04.706.954/0001-75 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE CNPJ No. 04.706.954/0001-75 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Leia mais

PLANO DE CONTAS AUDESP - VERSÃO PARA DEBATES

PLANO DE CONTAS AUDESP - VERSÃO PARA DEBATES 100.000.000 000 ATIVO REGISTRA O SOMATÓRIO DOS VALORES DOS BENS E DIREITOS, AGRUPADOS EM ATIVO CIRCULANTE, REALIZÁVEL A, ATIVO PERMANENTE E ATIVO COMPENSADO. 110.000.000 000 ATIVO CIRCULANTE REGISTRA O

Leia mais

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores

Leia mais

PROFESSOR DOCENTE I - CONTABILIDADE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. Com base nas informações abaixo, responda às questões de nº 26 a 30.

PROFESSOR DOCENTE I - CONTABILIDADE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. Com base nas informações abaixo, responda às questões de nº 26 a 30. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com base nas informações abaixo, responda às questões de nº 26 a 30. ELEMENTOS DE GASTOS VALOR EM R$ Matéria-prima consumida 10.000 Aluguel da loja comercial 5.000 Energia da

Leia mais

Sumário PARTE I RELATÓRIOS CONTÁBEIS, 27

Sumário PARTE I RELATÓRIOS CONTÁBEIS, 27 Sumário Prefácio à décima primeira edição, 15 Prefácio à décima edição, 17 Prefácio à nona edição, 19 Prefácio à primeira edição, 21 Sugestões ao professor, 23 PARTE I RELATÓRIOS CONTÁBEIS, 27 1 CONTABILIDADE,

Leia mais

Total 883.647.943,61 Total 883.647.943,61

Total 883.647.943,61 Total 883.647.943,61 Anexo 01 Demonstrativo da Receita e Despesa Segundo as Categorias Econômicas RECEITA DESPESA RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES RECEITA PATRIMONIAL 2.017.196,11 JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA 0,00 RECEITA

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB

CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB Prof. Marcondes Fortaleza Professor Marcondes Fortaleza Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, tendo exercido anteriormente o cargo de Analista-Tributário

Leia mais

Simulado de questões Cespe Múltipla Escolha

Simulado de questões Cespe Múltipla Escolha Simulado de questões Cespe Múltipla Escolha Prova 1 (Cespe/Auditor/TCE-PR/2016) 1. Com relação aos balanços públicos, que representam a situação econômico-financeira dos entes públicos e entre os quais

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público PCASP

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público PCASP Subsecretaria de Contabilidade Pública SUCON Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação CCONF Plano de Contas Aplicado ao Setor Público PCASP /2015

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Janeiro de 2015 Folha: 1 Camara Municipal de Tangua. Unidade Gestora: CÂMARA MUNICIPAL DE TANGUÁ

Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Janeiro de 2015 Folha: 1 Camara Municipal de Tangua. Unidade Gestora: CÂMARA MUNICIPAL DE TANGUÁ Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Janeiro de 2015 Folha: 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO 188.517,84D 249.103,95 163.587,81 274.033,98D 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE 22.816,55D

Leia mais

PLANO DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS

PLANO DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS 1. 0. 0. 0. 0. 00. 00. 00. 00 - ATIVO 1. 1. 0. 0. 0. 00. 00. 00. 00 - ATIVO CIRCULANTE 1. 1. 1. 0. 0. 00. 00. 00. 00 - CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 1. 1. 1. 1. 0. 00. 00. 00. 00 - CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

ESTRUTURA DO DEBATE PRINCIPAIS MUDANÇAS DESSE PROCESSO. Introdução. Visão do controle acerca dos novos conceitos e procedimentos contábeis

ESTRUTURA DO DEBATE PRINCIPAIS MUDANÇAS DESSE PROCESSO. Introdução. Visão do controle acerca dos novos conceitos e procedimentos contábeis PATRIMÔNIO, CONTABILIDADE, FUNÇÃO E RESPONSABILIDADE DE CONTADOR JORNADA TÉCNICA Ronaldo Ribeiro de Oliveira Auditor Público Externo Secretário-Chefe da Consultoria Técnica ESTRUTURA DO DEBATE Introdução

Leia mais

MINUTA DA NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE TÉCNICA DO SETOR PÚBLICO NBCT SP.

MINUTA DA NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE TÉCNICA DO SETOR PÚBLICO NBCT SP. MINUTA DA NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE TÉCNICA DO SETOR PÚBLICO NBCT SP. 1) DISPOSIÇÕES GERAIS 2) DEFINIÇÕES GERAIS 3) CARACTERÍSTICAS E ATRIBUTOS DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS 4) EVIDENCIAÇÃO NA DEMONSTRAÇÃO

Leia mais

Tribunal de Contas do Mato Grosso

Tribunal de Contas do Mato Grosso Tribunal de Contas do Mato Grosso Procedimentos Contábeis Patrimoniais: Ativo Imobilizado e de Infraestrutura Antonio Firmino Neto MSc. Professor/Contador Atualização: 16/03/2014 Introdução e Base Normativa

Leia mais

Experiência da União na Implantação dos PCP, PCASP e DCASP

Experiência da União na Implantação dos PCP, PCASP e DCASP Subsecretaria de Contabilidade Pública SUCON Contabilidade-Geral de Contabilidade e Custos da União CCONT Experiência da União na Implantação dos PCP, PCASP e DCASP GRUPO TÉCNICO DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Manual de Acesso ao Portal da Transparência do Governo do Estado do Amazonas

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Manual de Acesso ao Portal da Transparência do Governo do Estado do Amazonas Manual de Acesso ao Portal da Transparência do Governo do Estado do Amazonas Senhores usuários o objetivo deste manual é tornar acessível para o público em geral as informações disponibilizadas no Portal

Leia mais

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 8º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2015 Folha: 1 Camara Municipal de Tangua. Unidade Gestora: CÂMARA MUNICIPAL DE TANGUÁ

Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2015 Folha: 1 Camara Municipal de Tangua. Unidade Gestora: CÂMARA MUNICIPAL DE TANGUÁ Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2015 Folha: 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO 274.420,11D 306.106,05 284.589,88 295.936,28D 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE 108.718,82D

Leia mais

CONTABILIDADE DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA Perguntas & Respostas

CONTABILIDADE DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA Perguntas & Respostas CONTABILIDADE DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA Perguntas & Respostas 1 O Ministério da Previdência Social - MPS tem competência para editar normas contábeis para os Regimes Próprios de Previdência Social,

Leia mais

ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO - CASP

ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO - CASP ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO - CASP E D I T A L - J u l h o / 2 0 1 4 A Secretaria do Tesouro Nacional (STN), por meio da Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade

Leia mais

Orçamento de Caixa. Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr.

Orçamento de Caixa. Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr. Orçamento de Caixa Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr. Orçamento de Caixa Conceito: - Conjunto de ingressos e desembolsos de numerários ao longo do período - Representação dinâmica da situação financeira

Leia mais

Sumário. Apresentação... IX Introdução... XIX

Sumário. Apresentação... IX Introdução... XIX Sumário Apresentação......................................................................................................... IX Introdução..........................................................................................................

Leia mais

ITG 1000 PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

ITG 1000 PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS ITG 1000 PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Brasília, Dezembro/ 2013 Unidade de Políticas Públicas NOTA TÉCNICA ITG 1000 PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Baseado nas Normas Internacionais de Contabilidade IFRS,

Leia mais

Assinale a alternativa que corresponde às afirmações CORRETAS. A) I e II B) I e III C) II e III D) I, II e III E) I, III e IV

Assinale a alternativa que corresponde às afirmações CORRETAS. A) I e II B) I e III C) II e III D) I, II e III E) I, III e IV QUESTÃO 01 PROVA ESPECÍFICA São fins da Contabilidade I - Assegurar o controle do patrimônio. II - Fornecer informações sobre a composição e as variações patrimoniais. III - Fornecer informações sobre

Leia mais

O Ciclo da Gestão Pública: Planos Plurianuais, Orçamento e Execução Orçamentária. Joaquim Liberalquino E-mail: jliberalquino@globo.

O Ciclo da Gestão Pública: Planos Plurianuais, Orçamento e Execução Orçamentária. Joaquim Liberalquino E-mail: jliberalquino@globo. O Ciclo da Gestão Pública: Planos Plurianuais, Orçamento e Execução Orçamentária Joaquim Liberalquino E-mail: jliberalquino@globo.com LIVRO GBRSP O livro oferece uma abordagem didática para auxiliar na

Leia mais

Oficina Técnica. Demonstrações do Fluxo de Caixa (Resolução CFC 1296/2010) Março 2012. Elaborado por: Luciano Perrone

Oficina Técnica. Demonstrações do Fluxo de Caixa (Resolução CFC 1296/2010) Março 2012. Elaborado por: Luciano Perrone Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

DRE, DFC e DMPL na Contabilidade Pública?

DRE, DFC e DMPL na Contabilidade Pública? DRE, DFC e DMPL na? Elias Cruz Toque de Mestre www.editoraferreira.com.br Vamos com calma..., mas os dias do modelo que conhecíamos até 2009 de como é apresentado a, estão contados, inclusive teremos atualizações

Leia mais

TCM-SP Agente de Fiscalização Ciências Contábeis

TCM-SP Agente de Fiscalização Ciências Contábeis TCM-SP Agente de Fiscalização Ciências Contábeis Pessoal, vou comentar as questões da prova. 80 Os atos e fatos são registrados pela Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CASP) com o objetivo de gerar

Leia mais

INFORMES CONTÁBEIS - SISTEMA APLIC. Maria Felícia Santos da Silva Auditor Público Externo Assessor Técnico da ADECEX

INFORMES CONTÁBEIS - SISTEMA APLIC. Maria Felícia Santos da Silva Auditor Público Externo Assessor Técnico da ADECEX INFORMES CONTÁBEIS - SISTEMA APLIC Maria Felícia Santos da Silva Auditor Público Externo Assessor Técnico da ADECEX 2013/2014 PROJETO UNIDADES PILOTO OBJETO: Testar o envio de informações encaminhadas

Leia mais

AULA 17: Prova Comentada

AULA 17: Prova Comentada AULA 17: Prova Comentada Contabilidade Pública p/ INMETRO 26 Em relação à contabilidade pública, analise as afirmativas. I. A contabilidade aplicada ao setor público é um ramo da ciência contábil que tem

Leia mais

Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis

Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis Observação: Este Sumário, que não faz parte do Pronunciamento, está sendo apresentado

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA PODER EXECUTIVO Anexo Único - Cronograma Consolidado das Adotadas e a Adotar para a Convergência Contábil do Governo do Estado de Santa Catarina (conforme Portaria STN nº 753/12) s Específicos Adotados

Leia mais

CRESS/RJ - 7ª Região Conselho Regional de Serviço Social CNPJ: 33.673.237/0001-92

CRESS/RJ - 7ª Região Conselho Regional de Serviço Social CNPJ: 33.673.237/0001-92 Conselho Regional de Serviço Social CNPJ: 33.673.237/0001-92 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE Especificação CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS A CURTO PRAZO Exercício Atual 1.566.424,19

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM R$ EM R$

BALANÇO PATRIMONIAL EM R$ EM R$ RELATÓRIO DA DIRETORIA Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, apraz-nos apresentar para a devida apreciação o Balanço Patrimonial e Demonstrativos Financeiros, relativo ao exercício findo

Leia mais

Novo Plano de Contas e os Novos Demonstrativos Contábeis

Novo Plano de Contas e os Novos Demonstrativos Contábeis Novo Plano de Contas e os Novos Demonstrativos Contábeis Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Última Atualização: 16/06/2010 O Brasil a Caminho dos Padrões Internacionais

Leia mais

TCE-SC Auditor de Controle Externo: Contabilidade

TCE-SC Auditor de Controle Externo: Contabilidade TCE-SC Auditor de Controle Externo: Contabilidade Pessoal, vou comentar as questões da prova referentes à contabilidade pública. A respeito do campo de aplicação e dos objetivos da contabilidade pública,

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES AUDITORES INDEPENDENTES S/C SÃO PAULO - RUA MADRE CABRINI, 99 VILA MARIANA SP CEP: 04020-000 FONE (0xx11) 5574-5252 - FAX: 5574-5578 E-mail: binah@sti.com.br C.N.P.J.M.F. 47.174.537/0001-31 CRC 2SP 009.597/O-8

Leia mais

Proposta de Harmonização Demonstrativo do Resultado Primário dos Estados, DF e Municípios

Proposta de Harmonização Demonstrativo do Resultado Primário dos Estados, DF e Municípios Proposta de Harmonização Demonstrativo do Resultado Primário dos Estados, DF e Municípios Grupo Técnico de Padronização de Relatórios GTREL BRASÍLIA Abril, 2014 Acórdão TCU nº 1.776/2012 Acórdão TCU nº

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Subsecretaria de Contabilidade Pública SUCON Contabilidade-Geral de Contabilidade e Custos da União CCONT Demonstrações Contábeis Encontro sobre Normas de Encerramento do Exercício de 2015 e Abertura do

Leia mais

INTRODUÇÃO A CONTABILIDADE

INTRODUÇÃO A CONTABILIDADE 1.1. Contabilidade para não Contadores INTRODUÇÃO A CONTABILIDADE Objetiva ensinar a Contabilidade para aqueles que não são contadores, mas necessitam interpretar (entender) a Contabilidade, os relatórios

Leia mais

EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO EXERCÍCIOS

EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO 1 2 3 4 5 Sugestões, questões de prova e auxilio em seus estudos:fabiomoreira2011@gmail.com SUCESSO PROFISSIONAL!!! 6 54. Analise o seguinte Balanço,

Leia mais

A CONTABILIDADE NOS NOVOS TEMPOS. Palestrantes: Eduardo Tadeu Vieira - UnB Jose Marilson Dantas - UFPB

A CONTABILIDADE NOS NOVOS TEMPOS. Palestrantes: Eduardo Tadeu Vieira - UnB Jose Marilson Dantas - UFPB A CONTABILIDADE NOS NOVOS TEMPOS Palestrantes: Eduardo Tadeu Vieira - UnB Jose Marilson Dantas - UFPB Estrutura Educação Profissão Cenários (Público x Privado) Desafios Perspectivas R$2.300.000.000.000,00

Leia mais

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição PARTE IV Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Aplicado à União, aos Estados, ao Distrito

Leia mais

Manual do sistema SMARam. Módulo Reavaliação Financeira

Manual do sistema SMARam. Módulo Reavaliação Financeira Manual do sistema SMARam Módulo Reavaliação Financeira LISTA DE FIGURAS Figura 1. Acesso à Reavaliação Financeira... 6 Figura 2. Tela Inicial da Reavaliação Financeira... 7 Figura 3. Tipo de Patrimônio...

Leia mais

Anexo 14 - Balanço Patrimonial

Anexo 14 - Balanço Patrimonial Página 1 de 5 CIRCULANTE 9.919.946,74 CIRCULANTE 30.835,00 Caixa e Equivalente de Caixa 93.278,58 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a pagar a Curto Créditos a Curto Empréstimos e

Leia mais

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Última Atualização: 28/02/2012 Programa do Módulo Módulo X Demonstrações

Leia mais

Relatório da Administração

Relatório da Administração SECULUS CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A Endereço: Rua Paraíba, n.º 330 11º Andar Belo Horizonte - MG CNPJ: 04.787.807/0001-77 Relatório da Administração Senhores acionistas, Cumprindo determinação

Leia mais

Telefone: 067 3248 1040 Página 1 de 11

Telefone: 067 3248 1040 Página 1 de 11 Página 1 de 11 Criado pela Lei nº 047 de 10 de Setembro de 2013. ED. Nº 482/2015 ANO I I I PARAÍSO DAS ÁGUAS MS, QUARTA-FEIRA, 02 DE DEZEMBRO DE 2015 PODER EXECUTIVO MUNICIPAL Prefeito Municipal Ivan da

Leia mais

Fundamentos de Auditoria

Fundamentos de Auditoria Fundamentos de Auditoria A sociedade deseja a apresentação de demonstrações contábeis e divulgações adequadas e esclarecedoras à opinião pública. O parecer dos auditores é o elemento fundamental na extensão

Leia mais

ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM DEMONSTRATIVOS FISCAIS

ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM DEMONSTRATIVOS FISCAIS Subsecretaria de Contabilidade Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicada à Federação ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM DEMONSTRATIVOS FISCAIS Resultado Primário e Resultado Nominal Programa

Leia mais

Serviço Autônomo de Água e Esgoto

Serviço Autônomo de Água e Esgoto 1.0.0.0.0.00.00 Ativo 47.847.241,97 2.918.524,45 2.359.963,02 48.442.859,64 1.1.0.0.0.00.00 Ativo Circulante 4.019.462,20 917.703,39 820.794,61 4.116.370,98 1.1.1.0.0.00.00 Disponível 3.018.543,61 497.836,30

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Prof. Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 1 Presentation of Financial Statements

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 1 Presentation of Financial Statements Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 1 Presentation of Financial Statements Situação: PARCIALMENTE DIVERGENTE 1. Introdução O IAS 1 Presentation of Financial Statements dispõe sobre

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Prof. Massuyuki Kawano EXT. E. E. PROFESSOR PEDRO SUMMERHAUZER EM QUINTANA Código: Município: Quintana Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.137/08. Aprova a NBC T 16.10 Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidades do Setor Público.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.137/08. Aprova a NBC T 16.10 Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidades do Setor Público. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.137/08 Aprova a NBC T 16.10 Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidades do Setor Público. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e

Leia mais

USP-FEA Curso de Administração Disciplina: EAC0111 Noções de Contabilidade para Administradores. Quais são os objetivos do tópico...

USP-FEA Curso de Administração Disciplina: EAC0111 Noções de Contabilidade para Administradores. Quais são os objetivos do tópico... USP-FEA Curso de Administração Disciplina: EAC0111 Noções de Contabilidade para Administradores TEMA 09. Dem. Fluxos de Profa. Dra. Joanília Cia (joanilia@usp.br) 1 Quais são os objetivos do tópico...

Leia mais

Prazo para matrícula de aprovados no Sisu 2015 começa nesta sexta-feira

Prazo para matrícula de aprovados no Sisu 2015 começa nesta sexta-feira Nº 347 - ANO XI Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2015 Autorizado pela Lei Municipal nº 0246/2006 Prazo para matrícula de aprovados no Sisu 2015 começa nesta sexta-feira Os candidatos que foram aprovados nos

Leia mais

PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS EM FINAL DE MANDATO. Lucy Fátima de Assis Freitas 2016

PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS EM FINAL DE MANDATO. Lucy Fátima de Assis Freitas 2016 PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS EM FINAL DE MANDATO Lucy Fátima de Assis Freitas 2016 ENCERRAMENTO DO MANDATO EXERCÍCIO DE 2016 RESTRIÇÕES DA LRF LC 101/2000 CRISE FINANCEIRA RESTRIÇÕES ELEITORAIS Lei 9504/97

Leia mais

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP Subsecretaria de Contabilidade Pública SUCON Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação CCONF A Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis Aplicadas ao

Leia mais

Objetivo da apresentação

Objetivo da apresentação Objetivo da apresentação Apresentar o processo geral da execução da despesa. Apresentar as funcionalidades dos documentos hábeis: 1. Registro do Passivo por Competência (RPC) 2. Registro de Documento Hábil

Leia mais

PORTAL DO ENSINO PROFISSIONAL

PORTAL DO ENSINO PROFISSIONAL Página 1 de 59 PORTAL DO ENSINO PROFISSIONAL Cursos de Desenvolvimento Profissional CURSO DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLCO www.portaldoensinoprofissional.com Página 2 de 59 Curso: Contabilidade

Leia mais

CUSTOS NO SETOR PÚBLICO. Professores: Mestre Elisangela Fernandes e Mestre João Eudes Bezerra Filho

CUSTOS NO SETOR PÚBLICO. Professores: Mestre Elisangela Fernandes e Mestre João Eudes Bezerra Filho CUSTOS NO SETOR PÚBLICO Professores: Mestre Elisangela Fernandes e Mestre João Eudes Bezerra Filho AUTORES: Elisangela Santos Fernandes (Fucape Business School) Profa. Mestre em Ciências Contábeis João

Leia mais

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição PARTE III Procedimentos Contábeis Específicos Aplicado à União, aos Estados, ao Distrito

Leia mais

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição PARTE III Procedimentos Contábeis Específicos Aplicado à União, aos Estados, ao Distrito

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS DE CONTABILIDADE: CONSOLIDAÇÃO

TÓPICOS ESPECIAIS DE CONTABILIDADE: CONSOLIDAÇÃO TÓPICOS ESPECIAIS DE CONTABILIDADE: Quem deve fazer a consolidação? Que demonstrações financeiras devem ser consolidadas? Quais as implicações do ponto de vista fiscal e societário? Autores: Fábio Vianna(f_c_a@uol.com.br)

Leia mais

2º GTCON 2014 Contabilização de Retenções

2º GTCON 2014 Contabilização de Retenções Subsecretaria de Contabilidade Pública SUCON Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação CCONF 2º GTCON 2014 Contabilização de Retenções OUTUBRO/2014 RETENÇÕES CONTEXTO E AGENDA

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.132/08 Aprova a NBC T 16.5 Registro Contábil. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO a internacionalização das normas

Leia mais

MANUAL DE DEMONSTRATIVOS FISCAIS REVISÃO 2012 SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES. PORTARIA Nº 637, DE 18/10/2012, DOU de 22/10/2012

MANUAL DE DEMONSTRATIVOS FISCAIS REVISÃO 2012 SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES. PORTARIA Nº 637, DE 18/10/2012, DOU de 22/10/2012 MANUAL DE DEMONSTRATIVOS FISCAIS REVISÃO 2012 SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES PORTARIA Nº 637, DE 18/10/2012, DOU 22/10/2012 Aprova a 5ª edição do Manual Demonstrativos Fiscais, que entra em vigor na data sua publicação

Leia mais

PCASP Plano de contas aplicado ao setor público prático e descomplicado EM PORTO ALEGRE- RS

PCASP Plano de contas aplicado ao setor público prático e descomplicado EM PORTO ALEGRE- RS PCASP Plano de contas aplicado ao setor público prático e descomplicado EM PORTO ALEGRE- RS 16 Horas/Aula Realização: Incluso: apostila em pdf, coffee break e certificado. Objetivo: Apresentar aos participantes

Leia mais

Com relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis

Com relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Confederação Brasileira de Remo em 31 de dezembro de 2015. Com relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis ÍNDICE I. Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais