Pioneirismo a serviço da Medicina

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pioneirismo a serviço da Medicina"

Transcrição

1 BOLETIM INFORMATIVO DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS ANO I - Nº1 - JAN/FEV/MAR/ 2008 Pioneirismo a serviço da Medicina Autor da primeira cirurgia cerebral em Pelotas, o médico Félix Antonio Caputo (à direita na foto) é o personagem da seção Grandes Vultos da Misericórdia desta edição. Página 2 SOLIDARIEDADE Família doa órgãos de jovem vítima de acidente de trânsito Rins, fígado e córneas de Felipe Gonçalves Pires, 24 anos, beneficiarão outras quatro pessoas inscritas na lista única doestado. Página 3 Cintilografia de perfusão miocárdica com Spect revolucina ao apresentar diagnósticos através de imagens de última geração. Página 5 De olho na saúde do ambiente hospitalar Núcleo Hospitalar de Epidemiologia (NHE) mantém vigilância e implementa medidas de controle na Santa Casa. Página 7 AVANÇO Santa Casa apresenta avanços na Medicina Nuclear PRODUTIVIDADE Programa Mais Gestão proporciona qualidade aos hospitais filantrópicos Santa Casa foi uma das instituições de saúde escolhidas para desenvolver a primeira etapa. Página 8

2 2 Santa Casa de Pelotas Jan/Fev/Mar 2008 É com satisfação que me dirijo à comunidade pelotense, em especial aos usuários dos serviços da nossa Santa Casa, neste início de Tivemos a felicidade de completar, no ano que passou, 160 anos de ininterruptas atividades. Foram 160 anos de muito trabalho e muita luta, mas temos a sensação, quem sabe a certeza, de oferecer à Pelotas e Zona Sul um serviço hospitalar qualificado e humanizado. Temos consciência de que a jornada é longa e árdua, mas não impossível. A história nos mostra que este era o pensamento dos idealizadores desta obra. Este legado que nos deixam, e que vem sendo cumprido ao longo desses 160 anos, com a benção de Deus, continuará sendo seguido pelos que nos sucederem. A realidade vivida hoje pela Santa Casa nos permite afirmar que temos, em Pelotas, um hospital que é referência na Zona Sul, não só pela sua estrutura física, mas, principalmente, pela qualidade dos serviços que oferece, graças à capacidade dos profissionais que aqui trabalham. Contamos atualmente com 840 funcionários, colocando a Santa Casa como um dos maiores empregadores privados do município. Temos um corpo clínico com mais de 300 profissionais das mais diversas especializações, muitos com destaque nacional; o mesmo ocorrendo com a equipe de enfermagem e demais servidores e colaboradores. Não poderia deixar de mencionar o trabalho desenvolvido pelas senhoras do Grupo de Apoio à Santa Casa, carreando recursos significativos, que têm permitido a aquisição de diversos materiais, aparelhos e equipamentos hospitalares. Não poderia deixar de registrar também o apoio recebido da Mesa Administrativa, Conselhos Deliberativo e Fiscal. Igualmente, o meu reconhecimento e agradecimento a todos os integrantes da administração, superintendente e assessores, pois, sem a dedicação desses colaboradores, seria impossível dar seguimento a este sonho idealizado nos idos de A todos, o penhor de meu agradecimento e o desejo de que Deus ilumine e guarde a todos. Roberto Antonio Lamas Provedor Este informativo é uma publicação trimestral da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas. Circulação dirigida a médicos, funcionários, pacientes - e seus acompanhantes -, associções médicas e demais hospitais da região. Todas as opiniões e artigos são de inteira responsabilidade de seus autores. Provedor Roberto Antonio Lamas Vice-Provedor Oswaldo Costa Filho Superintendente Luiz Carlos Falchi Responsável Técnico Clóvis Lena Souto Jornalista Responsável Alexandre Abreu - Reg.Prof: DRT/RS Diagramação Fabrício Vialli Impressão Visão Artes Gráficas Tiragem exemplares Santa Casa de Misericórdia de Pelotas Pça: Piratinino de Almeida, 53 CEP: Centro - Pelotas/RS Fone: (53) Site: E m 18 de setembro de 1901, nascia, em Pelotas, Félix Antonio Caputo, que viria a ser um dos expontes máximos da misericórdia de nossa Santa Casa.Formado médico pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, turma de 1925, Caputo retornou, de imediato, para sua amada Pelotas e não menos amada Santa Casa. Durante 49 anos, exerceu neste hospital os mais diversos cargos diretivos, tais como Chefe do recém criado Serviço de Raio X, médico do setor de Clínica Médica, Chefe do setor de Cirurgia Masculina, membro do Conselho Técnico e diretor de Cirurgia, sem nunca deixar de atender diuturnamente seus pacientes indigentes. Pioneiro, estudioso contumaz, lançou o uso da anestesia local nas cirurgias do trato digestivo e fez a primeira cirurgia cerebral na cidade por volta de 1935 (Operação de Cushing). Renunciou, em um certo momento, parte do horário de seu consultório particular para se dedicar mais ainda aos indigentes que davam entrada no hospital. Comparecia diariamente, sem distinção, à Santa Casa para as revisões e prescrições de seus doentes. Outro grande vulto da Santa Casa, Doutor José Domingos Assis disse certa vez, referindo-se a Caputo: Tudo o que se disser em favor deste homem ainda é muito pouco. Caputo faleceu em 17 de abril de 1975, assim como viveu: sentado em seu consultório com um livro de Medicina nas mãos.

3 Jan/Fev/Mar 2008 Santa Casa de Pelotas 3 A Santa Casa de Misericórdia de Pelotas registrou na sexta-feira, 8 de fevereiro, a primeira doação múltipla de órgãos do ano. Num esforço conjunto que durou 24 horas, rins, fígado e córneas de Felipe Gonçalves Pires, 24 anos, vítima de acidente de trânsito, foram encaminhados à Central de Transplantes em Porto Alegre e beneficiarão outras quatro pessoas inscritas na chamada lista única de receptores do Estado. Mesmo abalada, a família de Pires, que é de Pelotas, acredita que o gesto servirá de exemplo para outras famílias. De acordo com a coordenação da Cihdott da Santa Casa, a falta de conscientização ainda é o principal problema. Prova disso é o balanço registrado no ano passado, no qual foram computadas 15 doações de córneas e apenas uma de múltiplos órgãos. SANTA CASA EM NÚMEROS Estatísticas 2007 HOSPITAL COM 360 LEITOS TOTAL DE INTERNAÇÕES TOTAL DE CONSULTAS AMBULATORIAIS (SUS) TOTAL DE REFEIÇÕES SERVIDAS TOTAL DE ROUPA LAVADA (EM KG) TOTAL DE NASCIMENTOS TOTAL DE PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS HEMODINÂMICA / HEMODIÁLISE / BANCO DE SANGUE / LEOC-LITOTRIPSIA - 81 / ECOCARDIOGRAFIA / ELETROCARDIOGRAMA / ENDOSCOPIA Esse é um número muito pequeno e reflete a falta de informação, conscientização e até mesmo o egoísmo de boa parte da população, observou a enfermeira Rita Nascimento, coordenadora da Cihdott da Santa Casa. No ano passado, durante a 29ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (Sipat) da Santa Casa, a Cihdott promoveu uma campanha em prol da doação de órgãos e tecidos e preservação da vida. A ação reforçou o trabalho que já vem sendo realizado dentro do próprio hospital e deverá ser repetida este ano. Integrantes da Cihdott da Santa Casa Rita Nascimento (Enf./ Coordenadora) Élio Dorneles (Pediatra) Sandrine Pereira (Enfermeira) Arnaldo Madruga (Enfermeiro) Kátia Zielke (Enfermeira) Marilene Esperança (Enfermeira) Rosana Radtke (Enfermeira) Margarete Bicca Lemos (Farmacêutica) Márcia dos Santos da Rosa (Ass. Social) A Associação dos Funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas (AFUNSCPEL) foi fundada em 24 de julho de 1975 pela Provedoria do hospital, constituindo uma diretoria de funcionários cuja finalidade era promover assistência a seus associados - o que persiste até os dias atuais. Além dos inúmeros benefícios oferecidos, como os convênios firmados com diversos estabelecimentos comerciais da cidade, a entidade também está engajada na promoção de eventos, dentre os quais o jantar dançante em comemoração ao Dia das Mães, que será realizado no dia 10 de maio.

4 4 Santa Casa de Pelotas Jan/Fev/Mar 2008 Na última década, o serviço de Radiologia da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas sofreu várias transformações, tanto na parte de equipamentos quanto na equipe médica. Até 1996, o hospital dispunha somente de radiologia geral e ecografia. Naquele ano, foi adquirido um tomógrafo helicoidal o primeiro do Estado -, o que representou um grande avanço nos métodos e diagnósticos disponíveis aos pacientes. Em 2004 foi instalado o aparelho de ressonância magnética, ampliando o leque de serviços oferecidos. A partir de então, o funcionamento operacional dos diferentes métodos foi unificado em um único serviço. Foi criado o Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI), onde também estão incluídas a medicina nuclear e a mamografia. Desde a criação do CDI, as chefias médica e administrativa vêm se esforçando para melhorar a qualidade dos serviços oferecidos. Foram incorporados novos radiologistas com formação nos diferentes métodos de diagnóstico por imagem, bem como novos técnicos. Foram ministradas ainda várias aulas para aprimoramento dos técnicos de radiologia. Também se passou a contar com o apoio técnico de um físico (capacitado em física médica) na radiologia geral. Os investimentos continuam, buscando substituir os aparelhos mais antigos por outros mais modernos. O equipamento de medicina nuclear foi trocado em 2007 e é capaz de fazer cintilografias cerebral, cardíaca, renal, além das já realizadas antes. Na radiologia convencional são realizados os estudos de radiologia geral e contrastada. Os estudos contrastados são feitos por meio de intensificador de imagem, que também possibilita exames intervencionistas, tais como artrografias e punções. O setor dispõe de quatro salas de Raio-X, sendo que numa delas fica o intensificador de imagem; e em outra, um aparelho de alta resolução adquirido em As outras duas estão em reforma para receber os novos equipamentos comprados no final do ano passado, e que deverão entrar em funcionamento ainda este mês. A ultra-sonografia dispõe de aparelho com recurso de Doppler colorido, através do qual são realizados todos os tipos de exames, inclusive punções, biópsias e drenagens. Já a mamografia funciona com marcação agendada de exames. São feitos estudos convencionais, com compressão seletiva, ampliação/magnificação e agulhamentos pré-operatórios. A tomografia, que já atende cerca de 25 pacientes por dia, em breve estará aumentando sua capacidade. Este ano, chegará ao setor um tomógrafo multislice, com tecnologia de ponta. O novo equipamento, com maior velocidade na aquisição e processamento das imagens, proporcionará um maior conforto ao paciente, bem como a realização de mais exames num menor intervalo de tempo. Serão realizados diagnósticos de alta definição, tais como angiotomografias, reconstruções MIP, 3D e multiplanares. Cabe ressaltar que, no aparelho, já são feitos procedimentos intervencionistas (artrotomografias, punções e biópsias). Evolução e modernidade também andam juntas no setor de ressonância magnética. Atualmente, o setor conta com um aparelho de alta tecnologia, de campo aberto, que não provoca claustrofobia. Além dos exames de rotina, são realizados ainda angiorresonância, artrorressonância e colangiorressonância. O CDI funciona 24 horas por dia para os pacientes internados. Durante o dia, atende internados e ambulatoriais, chegando a marca de 200 pacientes por dia, em média. Também presta seus serviços ao pronto-atendimento da Unimed. Corpo Clínico do CDI Dr. Décio Valente Renck (responsável técnico): radiologia geral, tomografia, ressonância magnética e mamografia Dr. Jorge Antônio Paixão: radiologia geral Dra. Laura de Moraes Gomes: radiologia geral, tomografia, ressonância magnética e mamografia Dr. Otávio Hisse Gomes: ecografia, radiologia geral, tomografia e ressonância magnética Dr. Sérgio Faccini: tomografia e ressonância magnética Dr. Sharon de Mello Ferreira: ecografia Dr. Vitor Hugo Coelho: ecografia Dr. Rogério Karam: medicina nuclear

5 Jan/Fev/Mar 2008 Santa Casa de Pelotas 5 A gora, a Santa Casa de Misericórdia de Pelotas, junto ao seu serviço de Medicina Nuclear, facilitará a vida dos médicos, oferecendo a eles a possibilidade de darem diagnósticos através de imagem de última geração, fazendo com que a segurança e o aperfeiçoamento constante aumentem ainda mais a qualidade no serviço médico da Região Sul. A cardiologia nuclear ocupa posição de destaque dentre os diversos métodos utilizados para o diagnóstico, o segmento e a avaliação da eficácia terapêutica da cardiopatia isquêmica. Tal fato relaciona-se a singularidade das informações fornecidas pelos radiofármacos utilizados para o estudo da perfusão miocárdica, ou seja, o significado funcional da lesão coronariana, a extensão de miocárdio sob risco e sua viabilidade. As imagens de perfusão miocárdica, inicialmente bidimensionais, passaram a ser adquiridas pela técnica tomográfica SPECT, gerando imagens em cortes axiais, coronais e sagitais do miocárdio, proporcionando maior sensibilidade e especificidade ao método no diagnóstico da insuficiência coronariana. Recentemente, graças aos avanços tecnológicos, estas imagens tomográficas da perfusão miocárdica passaram a ser adquiridas de forma sincronizada ao sinal eletrocadiográfico (ECG), que monitora o paciente (GATED), permitindo avaliar o músculo de forma dinâmica e durante o ciclo cardíaco. O GATED-SPECT, portanto, é uma técnica que une estas duas metodologias, permitindo a avaliação simultânea, com uma única abordagem do paciente, da perfusão miocárdica e de parâmetros qualitativos e quantitativos da função ventricular. O serviço de Medicina Nuclear da Santa Casa de Pelotas realiza ainda todos os demais exames cintilográficos como: Cintilografia Óssea, Cintilografia Pulmonar, Cintilografia Cerebral, Cintilografia de Tireóide, Cintilografia de Canal Lacrimal, Cintilografia de Coração, Cintilografia Renal, Cintilografia Hepática e Cintilografia Para-Tireóides. Os trabalhos na literatura mostram menos de 1% ao ano de eventos cardíacos quando a cintilografia de perfusão miocárdica de estresse é normal. Mais informações com o médico Rogério Karam, telefone (53) Aplicações clínicas da cintilografia de perfusão miocárdica * Diagnóstico de I.A.M (útil nos casos de dor torácica aguda e ECG não diagnóstico) * Avaliação prognóstica por I.A.M * Diagnóstico da D.A.C (probabilidade intermediária) * Avaliação funcional da lesão obstrutiva coronariana * Avaliação terapêutica * Pesquisa de viabilidade miocárdica

6 6 Santa Casa de Pelotas Jan/Fev/Mar 2008 A Grupo de Apoio O braço direito da Santa Casa s diversas promo- ções beneficentes realizadas pelo Grupo de Apoio entre os anos de 2005 e 2006 deixaram um saldo positivo para a Santa Casa de R$51 mil. Os recursos angariados foram utilizados na aquisição de material para a confecção de lençóis, fronhas, toalhas de banho e rosto, além de aparelhos médico-hospitalares. No ano passado não foi diferente. Com o sucesso do Bingo, da Feijoada e Carreteiro e do Café Colonial, as mor- domas lideradas pela presidente Albina Lamas conseguiram arrecadar R$17 mil, que atenderão algumas prioridades a serem elencadas pela diretoria em reunião prevista para março. Facilidade Hospital instala sistema de som interno Para facilitar a localização de funcionários e médicos em casos de urgência, a Santa Casa implantou em suas instalações um sistema de som interno. Para utilizar o serviço, que funciona das 7h às 21h, basta solicitálo à telefonista através do ramal 9 ou 800. Serviço de Prevenção ao Câncer de Próstata completa 11 anos O Ambulatório de Prevenção ao Câncer de Próstata (ACP) chega ao seu 11º aniversário com bons motivos para comemorar. Neste período, foram contabilizados mais de sete mil atendimentos a dezenas de pacientes. Idealizado pelo empresário Roberto Penteado, na época diretor regional do Sesi, e pelo diretor do Sesi Pelotas, Telmo Medeiros, o serviço é hoje um dos mais conceituados da região. O ACP foi criado para suprir a carência na cidade de um serviço especializado para o atendimento dos funcionários da indústria. Para tirar a idéia do papel, foi assinado na ocasião um convênio entre o Sesi e a Santa Casa de Pelotas. Os atendimentos passaram a ser feitos no Serviço de Urologia da Santa Casa, chefiado pelo professor e urologista Luiz Carlos Falchi, sob a coordenação do professor Tomaz Barbosa Isolan. Além dos mais de sete mil atendimentos, 238 pacientes tiveram acompanhamento especial por suspeita de neoplasia. Vinte e seis deles receberam o diagnóstico positivo da doença e, de imediato, foram tratados através de cirurgia radical, radioterapia e tratamento hormonal. Independentemente do tratamento proposto, os pacientes continuam sendo atendidos pelo serviço. O ACP funciona nas segundas, quartas e quintas-feiras, a partir das 16h30min, e as fichas de consulta podem ser obtidas, em Pelotas, na Farmácia do Sesi, rua General Neto.

7 Jan/Fev/Mar 2008 Santa Casa de Pelotas 7 O ambiente hospitalar é importante fonte para a notificação das Doenças de Notificação Compulsória (DNC), que constituem risco à saúde da população. O conhecimento dessas enfermidades torna-se, portanto, essencial para o desencadeamento das ações de controle. A investigação epidemiológica de casos pode demonstrar o surgimento de novas doenças (doenças emergentes), a reemergência de outras e até mesmo mudanças na história natural de uma doença, com impacto importante para a saúde pública no País, além de permitir a identificação precoce de epidemias e a implementação efetiva de medidas de controle. A partir disso, instituiu-se o Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica em Âmbito Hospitalar e, após processo de seleção dos hospitais de referência do Estado, somente 11 foram selecionados e recebem incentivos financeiros para manter as atividades destes Núcleos de Vigilância. A Santa Casa de Misericórdia de Pelotas foi a única instituição de saúde de Pelotas a ser selecionada, e a equipe que deu início às atividades deste núcleo foram: as enfermeiras Mônica Canilha T. Rodrigues e Juliana M. Lange de Góz, a médica Adrienne Sassi, a técnica de enfermagem Camila Cardoso de Oliveira e a auxiliar administrativa Andréa Amaro. A Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS), por sua vez, apóia os hospitais na implantação do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia (NHE), que tem como principal objetivo a realização de ações de vigilância epidemiológica de DNC no ambiente hospitalar. Através da portaria de certificação IM/MEC/MS nº 3018, de 26 de novembro de 2007, a Santa Casa de Pelotas foi certificada como hospital de ensino. O reconhecimento concedido é fruto de um trabalho conjunto de toda a equipe da instituição de saúde, que, envolvida direta e indiretamente, colaborou com a conquista. O processo teve início com a constituição da Comissão de Ensino e Pesquisa, que tem como propósito articular as necessidades acadêmicas às condições do hospital, facilitando a comunicação entre chefias, direção e provedoria. Membros da comissão: Antônio Siedler (administrador adjunto), Irmã Zair da Rosa (supervisora geral dos serviços da Santa Casa), Marilizia Furtado (analista de sistemas) e Alessandra Castro (pedagoga). O Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) é composto pela médica do trabalho, pelo engenheiro de segurança e por três técnicos em segurança do trabalho. A equipe atua diretamente na gestão de segurança e saúde dos colaboradores. Dentre suas atribuições encontram-se a aplicação de planos prevencionistas, instruindo e observando as atividades laborais de forma a evitar acidentes de trabalho, bem como a utilização de Equipamentos de Proteção individual (EPI). Realiza treinamento da Comissão interna em Prevenção de Acidentes (Cipa) para juntos atuarem na prevenção e orientação aos colaboradores. As atividades laborais hospitalares são complexas por haver várias categorias profissionais e turnos ininterruptos de trabalho, sendo necessário a formação de brigadistas de incêndio, dos quais um terço do quadro de funcionários já foram treinados. Por tudo isso, o SESMT e a Cipa têm assegurado sua atuação, obtendo prestígio junto aos trabalhadores e apoio da administração, que não mede esforços para a prevenção.

8 8 Santa Casa de Pelotas Jan/Fev/Mar 2008 C om o patrocínio da Gerdau res), para ser trabalhado num primeiro momento. O objetivo foi reduzir o tempo decorrente das internações e altas de pacientes para acomodar rapidamente o próximo paciente, aumentando a satisfação dos clientes e o número de internações. De acordo com a direção da Santa Casa, a meta era aumentar em 30% a capacidade de atendimento para internações de convênios e particulares. Com o processo concluído em 10 de dezembro do ano passado, o hospital obteve êxito nos resultados, como, por exemplo, o tempo de liberação de um terminal, que foi reduzido em 50%, passando de oito horas para e Petrobras, o Programa de Melhoria da Gestão em Instituições Hospitalares tem como objetivo promover o aumento da qualidade, produtividade e desenvolvimento humano nos 239 hospitais filantrópicos do Rio Grande do Sul. Nesta primeira etapa do programa, que teve início em 2 de a- gosto do ano passado, foram escolhidos 50 hospitais, entre eles a Santa Casa de Misericórdia de Pelotas, que ficou como um dos pólos regionais. A partir da implantação, foi escolhido, entre tantos outros, o processo de internação e alta de pacientes (convênios e particulaquatro horas. Este ano, o programa será ampliado para outros estados do País, tendo o Rio Grande do Sul como exemplo de sucesso. Com isso, outros processos para 2008 estão em pauta na Santa Casa, atingindo vários setores de apoio e buscando mais qualidade para os serviços. Para mais informações, basta entrar em contato ou procurar o grupo de qualidade do hospital: Antônio Siedler (administrador/ gerente do processo) ramal 701, Marilene Esperança (enfermeira/ facilitadora) ramal 725 e Gabriel Lang (CPD/facilitador) -ramal 711. DRH - Divisão de Recursos Humanos A Divisão de Recursos Humanos (DRH) é composta pelo Departamento Pessoal, Setor de Seleção e Desenvolvimento de Pessoal e pelo SESMT, todos gerenciados pela administração de RH, que dentre outras atribuições, é responsável por planejar, acompanhar e supervisionar as atividades dos setores subordinados, bem como prestar atendimento às chefias e aos funcionários. Participar de reuniões com a administração, coordenar o processo de avaliação, colocando em prática o plano de cargos e salários, também faz parte das atividades da DRH. Todavia, gerenciar recursos humanos é também dar apoio aos 863 colaboradores, mesmo que os enquadrando nas leis trabalhistas e nas normas regulamentadoras do hospital - porém, sem deixar de perder o espírito humano das decisões tomadas. Através da edição deste trimestre do informativo da Santa Casa, o DRH aproveita para registrar toda sua gratidão ao homenagear os funcionários que, em 2008, completam 25 anos de ininterruptos serviços prestados ao hospital. São eles: Ana Clara da Silva Lacerda, Edeltrudes Griep Zuge, Maria Izolina Diogo Barão e Neri de Lima Noguez. Jornada de Urologia será realizada em outubro Com diversos debates e palestras, a 5ª edição da Jornada Pelotense de Urologia ocorrerá entre os dias 16 e 18 de outubro. Paralelo ao evento, serão realizadas ainda a 2ª Jornada Sulriograndense de Urologia e a 3ª Jornada de Enfermagem e Fisioterapia em Urologia. Promovidos pelo serviço de Urologia da Santa Casa e pela Sociedade Brasileira de Urologia Secção RS, com apoio do departamento de Urologia da Associação Médica de Pelotas, os três eventos reunirão profissionais de renome no País. De acordo com a comissão organizadora, já confirmaram presença os médicos Carlos Ary Vargas Souto, Cláudio Telöken, Cláudio Luiz Martins Lima, Eduardo Franco Carvalhal, Gustavo Franco Carvalhal, Milton Berger, Mirandolino Mariano e Walter José Koff, todos de Porto Alegre. De São Paulo, virão Marcos Dal Oglio e Valdemar Ortiz. Para os próximos dias, deverão ser confirmados também alguns nomes de professores na área de Enfermagem e Fisioterapia.

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA

RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA ABERTURA 70 CM + TIM SUPER ALTO CAMPO - ALTA RESOLUÇÃO MAIOR VELOCIDADE - MAIOR COMODIDADE PREZADO COLEGA Com grande

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

FUNDAÇÃO DE DIREITO PRIVADO INSTITUÍDA EM 1999.

FUNDAÇÃO DE DIREITO PRIVADO INSTITUÍDA EM 1999. Apresentação FEAM FUNDAÇÃO DE DIREITO PRIVADO INSTITUÍDA EM 1999. PROMOVER AÇÕES PREVENTIVAS NA ÁREA DE SAÚDE E MEDICINA DAS RADIAÇÕES IONIZANTES, ATUANDO COM ÉTICA E QUALIDADE, E PROPORCIONANDO BEM ESTAR

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

PROCESSO N 988/2006 PROTOCOLO N.º 9.041.582-4 PARECER N.º 652/06 APROVADO EM 08/12/06 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ALVO

PROCESSO N 988/2006 PROTOCOLO N.º 9.041.582-4 PARECER N.º 652/06 APROVADO EM 08/12/06 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ALVO PROTOCOLO N.º 9.041.582-4 PARECER N.º 652/06 APROVADO EM 08/12/06 CÂMARA DE PLANEJAMENTO INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ALVO MUNICÍPIO: APUCARANA ASSUNTO: Renovação do Reconhecimento do Curso

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE Paulo Eduardo Elias* Alguns países constroem estruturas de saúde com a finalidade de garantir meios adequados para que as necessidades

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

Santa Casa de Misericórdia de Passos. Ronda dos Resíduos

Santa Casa de Misericórdia de Passos. Ronda dos Resíduos Santa Casa de Misericórdia de Passos Ronda dos Resíduos Autor: Christian Junior de Brito E-mail: assepsia@scpassos.org.br, brito.christian@bol.com.br Telefone: (35) 3529-1409 (35) 3529-1401 http://www.scmp.org.br

Leia mais

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES A Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes-CIHDOTT tem por objetivo a organizar todo o processo

Leia mais

I CIHDOTT Curso para Implantação de Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes. Central de Transplantes de Goiás

I CIHDOTT Curso para Implantação de Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes. Central de Transplantes de Goiás I CIHDOTT Curso para Implantação de Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes Central de Transplantes de Goiás Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Sistema

Leia mais

Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são

Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são fundamentais no processo de um laboratório, levando até cada

Leia mais

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS Página: 1/7 1- CONSIDERAÇÕES GERAIS 1.1- As doenças cardiovasculares são, ainda hoje, as principais responsáveis pela mortalidade na população geral, no mundo ocidental. Dentre as inúmeras patologias que

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTRA HOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTRA HOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTRA HOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES 2014 REGIMENTO INTERNO Formatado: Fonte: Negrito, Sublinhado

Leia mais

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade Apresentação Projeto Cultura Doadora É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade e uma atitude proativa para a doação de órgãos e tecidos, bem como na

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

DO FIM AO RENASCIMENTO

DO FIM AO RENASCIMENTO Foto: Arquivo Sistema de Procura de Órgãos e Tecidos do Hospital das Clínicas (SPOT-HC) DO FIM AO RENASCIMENTO A MORTE DE UNS PODE SALVAR A VIDA DE OUTROS QUE ESTÃO EM RISCO 6 Não há lado bom quando uma

Leia mais

ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA:

ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA: C o b e r t u r a C o n t r a t u a l ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA: -ATENDIMENTO 24 horas; I - AS CONSULTAS DE URGÊNCIA serão realizadas com médico plantonista no HOSPITAL

Leia mais

Produtos Unimed Grande Florianópolis

Produtos Unimed Grande Florianópolis Produtos Unimed Grande Florianópolis A Unimed é o plano de saúde que oferece os melhores médicos do Brasil. Vamos além para que sua saúde seja plena e de qualidade. Para nós, o importante é ver você bem

Leia mais

Setor de Relacionamento com os Mercados

Setor de Relacionamento com os Mercados HOSPITAL DE CARIDADE DE IJUÍ Setor de Relacionamento com os Mercados Márcio da Costa Mello Coordenador de Negócios Histórico do HCI Fundação do HCI - 19 de Junho de 1935 09 de Julho de 1940 - Inauguração

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR MANUAL DO FORNECEDOR 2 ÍNDICE 1.APRESENTAÇÃO:...3 1.1 Introdução...3 1.2 Missão...3 1.3 Negócio...3 1.4 Visão...3 1.5 Princípios...3 1.6 Objetivos...3 1.7 Compromissos Éticos do P.S.D.C. de Caxias do Sul...4

Leia mais

SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Aline Barbosa Pinheiro Prof. Andréia Alexandre Hertzberg Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI Graduação Tecnológica

Leia mais

(?) (?) as doações de reposição.

(?) (?) as doações de reposição. PROJETO CAPTAÇÃO DE DOADORES NA REDE HOSPITALAR Captação de Doadores Hemoce - Fortaleza Coordenação: Nágela Lima Assistentes Sociais: Adalise Maia Alexandra Paula Moraes Elizabete Cristina Ramalho Marina

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES A (LAAET), fundada em 23 de Setembro de 2011, afiliada à Universidade Federal do Acre, Grupo HEPATO, Central

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES MARIÁ BARBALHO NARDI Orientadora: Prof.ª Drª Isabel Cristina Echer

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

Campus Governador Lamenha Filho - Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL.

Campus Governador Lamenha Filho - Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL. NÚCLEO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR NAISST REGIMENTO INTERNO Capítulo I Das Disposições Preliminares Art 1º. Este Regimento Interno estabelece e disciplina a estruturação e o

Leia mais

V. CONSIDERAÇÕES FINAIS

V. CONSIDERAÇÕES FINAIS AGENDA I. PERSPECTIVAS DA GESTÃO Trabalhando DA SAÚDE em Redes Cooperativas: Compartilhamento II. ABORDAGENS para DE CUSTEIO SUStentabilidade Case I Apresentação do III. EXPERIÊNCIA DAS SANTAS CASAS DE

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS

APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. FINANCEIRO Feito por: Diego dos Santos CONTABILIDADE/CUSTOS

Leia mais

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Família Secretaria Municipal de Saúde CASC - Centro de Atenção a Saúde Coletiva Administração Municipal Horizontina RS Noroeste do Estado Distante 520 Km da

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 227 de 05 de Abril de 2002.

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 227 de 05 de Abril de 2002. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Portaria nº 227 de 05 de Abril de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 640, de

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS Introdução O objetivo deste trabalho é apresentar um modelo de central de laudos

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM CANCEROLOGIA Ato de Oficialização: Ata de 21/12/1981 Conselho Departamental

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM CANCEROLOGIA Ato de Oficialização: Ata de 21/12/1981 Conselho Departamental PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM CANCEROLOGIA Ato de Oficialização: Ata de 21/12/1981 Conselho Departamental 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em

Leia mais

Clipping Eletrônico Quarta-feira dia 02/09/2015. Semsa anuncia estratégias para diminuir filas nas UBSs, em Manaus

Clipping Eletrônico Quarta-feira dia 02/09/2015. Semsa anuncia estratégias para diminuir filas nas UBSs, em Manaus Clipping Eletrônico Quarta-feira dia 02/09/2015 Portal D24 AM Saúde 03 de Setembro de 2015. Fonte: http://new.d24am.com/noticias/saude/semsa-anuncia-estrategias-paradiminuir-filas-ubss-manaus/139451 Semsa

Leia mais

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013 p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, que versa a respeito do primeiro tratamento do

Leia mais

Escola de Imagem. www.escolacaliper.com.br

Escola de Imagem. www.escolacaliper.com.br Escola de Imagem www.escolacaliper.com.br PRAZER, SOMOS A CALIPER ESCOLA DE IMAGEM NOSSA ESTRUTURA A CALIPER OFERECE ESTRUTURA COMPLETA PARA OS ALUNOS E PACIENTES: Duas salas de aula teórica com capacidade

Leia mais

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino 54 55 Ensino Principais realizações Início da primeira etapa do Projeto de Diagnóstico de Recursos Humanos em Oncologia no país. Implementação da inscrição informatizada. Início do Projeto de Educação

Leia mais

Projeto: POUSADA SOLIDARIEDADE

Projeto: POUSADA SOLIDARIEDADE Projeto: POUSADA SOLIDARIEDADE 1. Área de Ação: Casa de hospedagem destinada com prioridade a crianças e adolescentes, e adultos, que buscam Porto Alegre, oriundos de outras cidades para realizarem um

Leia mais

Instituto Sócrates Guanaes

Instituto Sócrates Guanaes Instituto Sócrates Guanaes Instituição de direito privado sem fins lucrativos; Fundado em 13 de julho de 2000; Qualificado como Organização Social; Reconhecido como instituição de utilidade pública municipal

Leia mais

APRESENTAÇÃO DIRETORIA

APRESENTAÇÃO DIRETORIA APRESENTAÇÃO Com mais de 50 anos de dedicação á SAÚDE, o Hospital São Marcos se tornou referência no assunto. Aliamos a vanguarda tecnológica com a tradição do maior e melhor corpo de profissionais do

Leia mais

GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia. Salvador, 14 de março de 2013

GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia. Salvador, 14 de março de 2013 GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia Salvador, 14 de março de 2013 ROTEIRO O CICAN Breve Histórico Missão Perfil Ambulatórios Quimioterapia Centro Cirúrgico

Leia mais

UM SONHO, UMA MISSÃO, UMA CONQUISTA

UM SONHO, UMA MISSÃO, UMA CONQUISTA 2 Business View Brasil Agosto 2015 UM SONHO, UMA MISSÃO, UMA CONQUISTA Diagnóstico humanizado e um nome que é sinônimo de credibilidade Quando um grupo de médicos da cidade de Maringá, no Estado do Paraná,

Leia mais

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil Gestão de Qualidade O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, visando a qualidade assistencial e a satisfação do cliente compromete-se a um entendimento

Leia mais

A GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO UM CAMINHO SEM VOLTA. Luciene P. da Silva Potenciano

A GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO UM CAMINHO SEM VOLTA. Luciene P. da Silva Potenciano A GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO UM CAMINHO SEM VOLTA Luciene P. da Silva Potenciano Enfermeira do Trabalho IMPLANTAÇÃO DA NR 32 EM GOIÁS Introdução Antes da NR32 não havia padronização que desse resposta a inúmeros

Leia mais

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante POR QUE CRIAR CIHDOTTs? 6294 hospitais no país Necessidade de descentralização Equipes localizadas dentro do hospital notificante

Leia mais

ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS

ANEXO II AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS EQUIPE DE DESINSTITCUIONALIZAÇÃO - MODALIDADE: VALOR DO PROJETO: 1. DADOS

Leia mais

Educação Para O Sistema

Educação Para O Sistema QUALIHOSP 2012 Educação Para O Sistema Marcos Roberto Ymayo Pedro Felix Vital Jr Objetivos História Programas de ensino Mercado local, desafios e realidade Perfil do profissional Vocação institucional

Leia mais

Silvana Castellani Gerente de RH HCor Hospital do Coração

Silvana Castellani Gerente de RH HCor Hospital do Coração Silvana Castellani Gerente de RH HCor Hospital do Coração Posicionamento Estratégico Hospital filantrópico de referência em Cardiologia Clínica e Cirúrgica. Atuando com destaque em Ortopedia e outras especialidades.

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM CARDIOLOGIA PARA MÉDICOS

Leia mais

2º CONGRESSO PERNAMBUCANO DE MUNICÍPIOS O PACTO DE GESTÃO DO SUS E OS MUNICÍPIOS

2º CONGRESSO PERNAMBUCANO DE MUNICÍPIOS O PACTO DE GESTÃO DO SUS E OS MUNICÍPIOS 2º CONGRESSO PERNAMBUCANO DE MUNICÍPIOS O PACTO DE GESTÃO DO SUS E OS MUNICÍPIOS José Iran Costa Júnior Secretário Estadual de Saúde 24/03/2015 Faixa Etária (anos) CARACTERIZAÇÃO SÓCIODEMOGRÁFICA DE PERNAMBUCO

Leia mais

HOSPITAL ABREU SODRÉ A sua próxima escolha.

HOSPITAL ABREU SODRÉ A sua próxima escolha. HOSPITAL ABREU SODRÉ A sua próxima escolha. Qualidade máxima e confiança são fundamentais no momento de escolher um hospital, e você precisa do que há de melhor na área médica. Por isso, prepare-se para

Leia mais

ANAIS DA 4ª MOSTRA DE TRABALHOS EM SAÚDE PÚBLICA 29 e 30 de novembro de 2010 Unioeste Campus de Cascavel ISSN 2176-4778

ANAIS DA 4ª MOSTRA DE TRABALHOS EM SAÚDE PÚBLICA 29 e 30 de novembro de 2010 Unioeste Campus de Cascavel ISSN 2176-4778 ORGANIZAÇÃO DAS AÇÕES EM SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA NOS MUNICÍPIOS DA 20ª REGIONAL DE SAÚDE DO PARANÁ 1 Viviane Delcy da Silva 2 Neide Tiemi Murofuse INTRODUÇÃO A Saúde do Trabalhador (ST)

Leia mais

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ Origem A preocupação com as questões sociais fez com que o professor e sacerdote italiano D. Luigi Maria Verzé chegasse ao Brasil, em 1974, através do Monte

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013.

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013. PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM Santa Maria, 06 de Junho de 2013. INTRODUÇÃO Trata-se de uma proposta de Plano de Saúde no sistema de pré-pagamento para atender os associados da ASSUFSM de Santa Maria/RS,

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

Núcleos de Vigilância Epidemiológica Hospitalar e Ensino

Núcleos de Vigilância Epidemiológica Hospitalar e Ensino Núcleos de Vigilância Epidemiológica Hospitalar e Ensino A experiência do NHE do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP Curitiba, 16 de abril de 2015 Hospital das Clínicas

Leia mais

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Coordenador: Liliane Espinosa de Mello SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de vida da população da

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA RESOLUÇÃO CFFa nº 467, de 24 de abril de 2015. Dispõe sobre as atribuições e competências relativas ao profissional fonoaudiólogo Especialista em Fonoaudiologia do Trabalho, e dá outras providências. O

Leia mais

A Experiência do HESAP na Implementação do Protocolo TEV: Desafios e Estratégias

A Experiência do HESAP na Implementação do Protocolo TEV: Desafios e Estratégias CULTURA A Experiência do HESAP na Implementação do Protocolo TEV: Desafios e Estratégias 01/10/2014 Drª Monica Pinheiro Enfª Karina Tomassini HOSPITAL ESTADUAL DE SAPOPEMBA Liderança Superintendente Maria

Leia mais

RESOLUÇÃO CREMEC nº 44/2012 01/10/2012

RESOLUÇÃO CREMEC nº 44/2012 01/10/2012 RESOLUÇÃO CREMEC nº 44/2012 01/10/2012 Define e regulamenta as atividades da sala de recuperação pós-anestésica (SRPA) O Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS ENFERMEIROS SOBRE A SAÚDE DO HOMEM NO MUNICÍPIO DE CAJAZEIRAS-PB.

NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS ENFERMEIROS SOBRE A SAÚDE DO HOMEM NO MUNICÍPIO DE CAJAZEIRAS-PB. NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS ENFERMEIROS SOBRE A SAÚDE DO HOMEM NO MUNICÍPIO DE CAJAZEIRAS-PB. Antonio José Barbosa Neto (ajbneto_@hotmail.com) 1 Ceciliana Araújo Leite (cecidemais@hotmail.com)

Leia mais

FUNDAÇÃO ESTATAL DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA EM SAÚDE DE CURITIBA

FUNDAÇÃO ESTATAL DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA EM SAÚDE DE CURITIBA EDITAL Nº 03/2012 O Diretor Geral da FUNDAÇÃO ESTATAL DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA EM SAÚDE DE CURITIBA, com sede na Rua Lothário Boutin, nº. 7.585, Bairro Pinheirinho, Curitiba, PR, no uso de suas atribuições

Leia mais

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 Aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes. [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

Leia mais

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. FERRAMENTA DE BPM TORNA CONTROLE DE FLUXO HOSPITALAR MAIS EFICAZ NO HCFMUSP

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. FERRAMENTA DE BPM TORNA CONTROLE DE FLUXO HOSPITALAR MAIS EFICAZ NO HCFMUSP Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. FERRAMENTA DE BPM TORNA CONTROLE DE FLUXO HOSPITALAR MAIS EFICAZ NO HCFMUSP Perfil O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade

Leia mais

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Ao Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde E-mail: deges@saude.gov.br - prosaude@saude.gov.br CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002

Leia mais

MARÇO 2009 Treinamento O IMIP promoveu, no último dia 26 de março, treinamento para novos voluntários, no Auditório Alice Figueira. A abertura foi realizada pela coordenadora do Voluntariado do IMIP, Rejane

Leia mais

NR 4. SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978

NR 4. SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 NR 4 SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 A Norma Regulamentadora 4, cujo título é Serviços Especializados em Engenharia

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Número da Ação (Para

Leia mais

FAMILIAR Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a 18 anos 76,35 106,89 19 a 23 anos 76,35 106,89 24 a 28 anos 92,75 129,85

FAMILIAR Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a 18 anos 76,35 106,89 19 a 23 anos 76,35 106,89 24 a 28 anos 92,75 129,85 Imprimir Voltar http://www.melhoresplanosdesaude.com.br (11 ) 2348-1100 - 3226-3000 MEDICAL HEALTH - MAIO 2014 - Taxa de Adesão : R$ 20,00 INDIVIDUAL Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a

Leia mais

DADOS. Histórico de lutas

DADOS. Histórico de lutas MULHERES O partido Solidariedade estabeleceu políticas participativas da mulher. Isso se traduz pela criação da Secretaria Nacional da Mulher e por oferecer a esta Secretaria completa autonomia. Acreditamos

Leia mais

Um Sorriso enquanto espera

Um Sorriso enquanto espera Um Sorriso enquanto espera O Projeto Implantado há 9 anos no Hospital das Clínicas - SP, abrange intervenções junto a pacientes que aguardam atendimento, seus acompanhantes e funcionários, atingindo, em

Leia mais

INCOR COMEMORA 1OOº TRANSPLANTE CARDÍACO PEDIÁTRICO

INCOR COMEMORA 1OOº TRANSPLANTE CARDÍACO PEDIÁTRICO Sugestão de nota de agenda INCOR Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP 16 de maio de 2011 INCOR COMEMORA 1OOº TRANSPLANTE CARDÍACO PEDIÁTRICO No sábado, 7 de maio, o coração dos profissionais

Leia mais

VIDA BOA É TER APRESENTAÇÃO

VIDA BOA É TER APRESENTAÇÃO VIDA BOA É TER APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Doctor Clin, Operadora de Planos de Saúde registrada na Agência Nacional de Saúde sob o nº 34968-2. Há 20 anos no mercado, é responsável pela saúde de 60 mil funcionários

Leia mais

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER Área Temática: Saúde Adriane de Castro Martinez Martins 1 (Coordenadora) Claudecir Delfino Verli 2 Aline Maria de Almeida Lara 3 Modalidade: Comunicação

Leia mais

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Maio de 2013 Magnitude do Câncer no Brasil 518 mil novos casos em 2013 Câncer de pele não melanoma deve responder

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências Decreto Nº 94.406 / 1987 (Regulamentação da Lei nº 7.498 / 1986) Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências O Presidente da

Leia mais

COMPLEXO HOSPITALAR UNIVERSITÁRIO DA UFMA. Orientações PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES

COMPLEXO HOSPITALAR UNIVERSITÁRIO DA UFMA. Orientações PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES COMPLEXO HOSPITALAR UNIVERSITÁRIO DA UFMA Orientações PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES Prezado usuário Esta cartilha foi desenvolvida na perspectiva de orientá-lo sobre as rotinas das clínicas de internação

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/2015 30/06/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/2015 30/06/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/2015 30/06/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital

Leia mais

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Coordenação Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Prof. Dr. Augusto Scalabrini Neto Professor Associado pela Faculdade

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

Seminário de Doenças Crônicas

Seminário de Doenças Crônicas Seminário de Doenças Crônicas LINHA DE CUIDADO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES EXPERIÊNCIA DE DIADEMA SP Dra Lidia Tobias Silveira Assistente Gabinete SMS Diadema Linha de cuidado de HAS e DM Experiência

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em Diagnóstico por Imagem do Tórax 4.01.00.00-6

Leia mais

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP Complexo Hospitalar - Hospital Filantrópico - Área 69.000 m² - 10 prédios - 1.143 leitos - 101 leitos de UTI NHE (VEH / GRSH / CCIH) COMISSÕES

Leia mais

Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP

Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP Conteúdo DISPOSIÇÕES GERAIS 3 APOIO AO APRIMORAMENTO DE RECURSOS HUMANOS 4 Participação em congressos e eventos científicos

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

Implementação das Notificações dos Agravos e Acidentes Relacionados à Saúde do Trabalhador da Saúde no SINAN no Município de Jaramataia - Alagoas

Implementação das Notificações dos Agravos e Acidentes Relacionados à Saúde do Trabalhador da Saúde no SINAN no Município de Jaramataia - Alagoas CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Implementação das Notificações dos Agravos e Acidentes Relacionados à Saúde do Trabalhador da Saúde no SINAN no

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

www.transplante.rj.gov.br

www.transplante.rj.gov.br f AMOR E DOAÇÃO DE ÓRGÃOS S A N D R O M O N T E Z A N O 2 5 / 1 0 / 1 4 O que é transplante? O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na troca de um órgão (coração, rins, pulmão, e outros)

Leia mais

PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012

PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012 PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012 Estabelece estratégia de qualificação e ampliação do acesso aos transplantes de órgãos sólidos e de medula óssea, por meio da criação de novos procedimentos e de

Leia mais

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM HISTÓRICO DO PROGRAMA O programa de Residência Médica em Radiologia e Diagnóstico por Imagem da Rede D Or foi o primeiro da instituição

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES PORTARIA INSTITUCIONAL Nº 08 A Direção Geral da Faculdades SPEI, no uso das suas atribuições, ouvido o Conselho Superior e aprovado pela Mantenedora, conforme Regimento Interno, RESOLVE: Estabelecer o

Leia mais

Relatório de. Gestão

Relatório de. Gestão Relatório de Gestão Sumário Apresentação... 2 Serviços Ofertados... 3 Recursos Humanos... 4 Análise Operacional... 5... U RGÊNCIA E EMERGÊNCIA... 5... A MBULATÓRIO... 6... I NTERNAÇÃO... 7... D ESEMPENHO

Leia mais

Cidadania, conhecimento e oportunidade! Vale a pena conferir

Cidadania, conhecimento e oportunidade! Vale a pena conferir Cidadania, conhecimento e oportunidade! Vale a pena conferir PROJOVEM URBANO EM LONDRINA REALIZA AÇÃO SOCIAL E ARRECADA MAIS DE 500 KILOS DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS NA CAMPANHA OUTUBRO ROSA 2015 PARA HOSPITAL

Leia mais

ADITIVO DE REDUÇÃO MÁXIMA DE CARÊNCIA E DOS PRAZOS PARA INÍCIO DA COBERTURA DE DOENÇAS PREEXISTENTES - CONTRATOS - PESSOA FÍSICA

ADITIVO DE REDUÇÃO MÁXIMA DE CARÊNCIA E DOS PRAZOS PARA INÍCIO DA COBERTURA DE DOENÇAS PREEXISTENTES - CONTRATOS - PESSOA FÍSICA FOLHA 1/5 DO OBJETO Este aditivo tem por finalidade alterar a redução dos prazos de carência e dos prazos para início das coberturas e eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia e procedimentos de alta

Leia mais

O SR. BETO ALBUQUERQUE (PSB-RS. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, hoje, 12 de maio, comemoramos o Dia

O SR. BETO ALBUQUERQUE (PSB-RS. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, hoje, 12 de maio, comemoramos o Dia O SR. BETO ALBUQUERQUE (PSB-RS. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, hoje, 12 de maio, comemoramos o Dia Internacional do Enfermeiro. Na realidade, comemora-se hoje,

Leia mais