Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 4/

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 4/2014-2015"

Transcrição

1 1/14 MINISTÉRIO DA Instruções para a Oferta d PE-Safety n. 4/ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA DE AVIAÇÃO E AERONAVEGABILIDADE CONTINUADA, PE-Safety Turma 2, Ri de Janeir, RJ (públic-alv em geral) O Institut Tecnlógic de Aernáutica (ITA), criad pel Decret Nº , de 16 de janeir de 1950 e definid pela Lei 2.165, de 5 de janeir de 1954, é uma Instituiçã Universitária especializada n Camp d Saber Aerespacial, sb a jurisdiçã d Cmand da Aernáutica (COMAER), a qual tem pr finalidade prmver, pr mei da educaçã, d ensin, da pesquisa e da extensã, prgress das ciências e das tecnlgias relacinadas cm Camp Aerespacial e a frmaçã de prfissinais de nível superir nas especializações de interesse da Aernáutica e d Setr Aerespacial em geral. 1. HISTÓRICO E PROPÓSITO Os curss de Extensã e Especializaçã ferecids pel ITA têm características peculiares e alguns cntêm disciplinas nã existentes na grade curricular ds curss de Graduaçã e de Pós- Graduaçã strict sensu d Institut, requerend especialistas nã presentes em seu crp dcente efetiv. Em particular, curs de Especializaçã em Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada (PE-Safety) d ITA ferece disciplinas cm ênfase em (1) Engenharia Aernáutica e Segurança de Sistemas Aernáutics e (2) Sistemas de Gestã de Segurança de Aviaçã, send únic n Brasil cm estas características. Dentr dessas áreas de pesquisa dedicadas, algumas de suas disciplinas sã ministradas pr prfessres estrangeirs em temas de imprtância internacinal, cm é cas d Human Factrs in Aviatin Safety, Aviatin Safety Management Systems e Human Factrs in Aviatin Systems Engineering, difundids e incentivads internacinalmente pela Organizaçã da Aviaçã Civil Internacinal (ICAO). Pr esses mtivs, ITA tem a necessidade de cntratar parte d curs. O Centr de Investigaçã e Prevençã de Acidentes Aernáutics (CENIPA), órgã n País respnsável pela implementaçã d que cnsta n Anex 13 da Cnvençã de Chicag de 1 a 7 de dezembr de 1944 que deu rigem à Organizaçã da Aviaçã Civil Internacinal (ICAO), trabalha em parceria cm ITA para a ferta e implementaçã de curss na área de Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada. Ademais, sb a óptica d SIPAER (Sistema de Investigaçã e Prevençã de Acidentes Aernáutics), a criaçã deste curs ferece uma capacitaçã imprtante para s seus els e demais prfissinais ligads às entidades e rganizações da cmunidade aernáutica, aumentand a percepçã para a necessidade de atitudes pró-ativas na cnduçã das atividades d setr aére, cntribuind para a cnsequente rbustez da Segurança de Vô n País.

2 2/14 MINISTÉRIO DA O estabeleciment d Curs de Especializaçã em Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada (PE-Safety), Pós-graduaçã Lat Sensu iniciu-se em 2002, cm s primeirs encntrs para estabeleciment de parcerias para a primeira ferta, crrida em N períd de 2004 a 2011 fram certificads 342 especialistas (39 em 2004, 45 em 2005, 30 em 2006, 29 em 2007, 43 em 2008, 50 em 2009, e 40 em 2010, 36 em 2011, 36 em 2012 e 75 em 2013), 84 ds quais militares, ficiais e graduads d Cmand da Aernáutica, d Cmand d Exércit, da Plícia Militar d Estad de Sã Paul e d Espírit Sant. Em 2010 curs fi ferecid pela primeira vez na cidade d Ri de Janeir, nas instalações d Institut Militar de Engenharia (IME). 19 especialistas graduaram- se a partir dessa ferta na cidade d Ri de Janeir. Em utubr de 2011 curs passu a ser ferecid em Bel Hriznte, em parceria cm Departament de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Minas Gerais. 19 especialistas graduaram-se nessa ferta em Bel Hriznte. Em 2013, fram ferecidas turmas cncmitantes na TAM Linhas Aéreas, na cidade de Sã Paul, in-cmpany, e em Brasília, nas instalações e cm api d CENIPA. Cm s cnheciments adquirids n PE-Safety, as entidades e rganizações que investiram em seus prfissinais recnhecem, de maneira prática, efetiv retrn na cnduçã das atividades aernáuticas, cm ênfase a gerenciament e atitudes pró-ativas desenvlvidas em seu mei. Estas Instruções referem-se à primeira ferta d curs na cidade d Ri de Janeir, Turma 2, prevista para períd de nvembr de 2014 a dezembr de OBJETIVOS O PE-Safety visa à integraçã de cmpetências hje existentes, freqüentemente atuand de md islad, em engenharia aernáutica, engenharia de helicópters e aernaves de asas rtativas, segurança peracinal de vô, cnfiabilidade e segurança de sistemas de aernaves, gerenciament de crises e planejament de cntingências, análise de ambientes de negócis da aviaçã, certificaçã aernáutica, respnsabilidade civil, aspects legais e cntrats aernáutics, fatres humans em segurança de aviaçã, sistemas de gestã de segurança de aviaçã, fatres humans em engenharia de sistemas na aviaçã, aerprts e segurança, manutençã de sistemas aernáutics, medicina aerespacial, psiclgia em aviaçã. Sã bjetivs d curs: (a) Ampliar referenciais e aprfundar nções d cnheciment aernáutic em suas interfaces cm a Segurança de Aviaçã e a Aernavegabilidade Cntinuada. (b) Frnecer subsídis para cresciment da cultura de Segurança de Aviaçã ns diverss ambientes nde a atividade aérea é essencial, cntribuind para a atuaçã pró-ativa ns diverss escalões da rganizaçã. (c) Incentivar desenvlviment de uma abrdagem científica e tecnlógica de md a estimular nvas linhas de pesquisa n camp de Segurança de Aviaçã em nss País.

3 3/14 MINISTÉRIO DA 1.2 PÚBLICO-ALVO Militares e civis que atuam n setr de AVIAÇÃO e que almejam sistematizar e ampliar seus cnheciments relacinads à SEGURANÇA DE AVIAÇÃO e à AERONAVEGABILIDADE CONTINUADA em nível de Especializaçã, preparand-se para enfrentar s desafis e respnsabilidades assciads a estabeleciment e implementaçã de uma sólida cultura nessas áreas d cnheciment. Em terms institucinais a frmaçã ferecida pr este curs é direcinada a capital human envlvid cm CENIPA (FFAA), Frças Auxiliares, Plícias Militares, Plícias Civis e Bmbeirs Militares ds Estads ligads à Secretaria Nacinal de Segurança Pública (SENASP), prfissinais da SAC (Secretaria de Aviaçã Civil), i.e., ANAC e Infraer, e demais agências, fabricantes aernáutics, empresas aéreas, snhadres e aficcinads da atividade aérea, bacharéis em Ciências Aernáuticas e em Aviaçã Civil. 1.3 INSTITUIÇÃO PARCEIRA PARA A GESTÃO FINANCEIRA A gestã financeira d presente curs é de respnsabilidade da FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA (FUNDEP), CNPJ /04, Avenida Antni Carls, 6627, Unidade II, Campus UFMG, , Bel Hriznte MG. A FUNDEP está devidamente credenciada cm Fundaçã de Api d ITA cnfrme certificad MEC/MCT/GAT 001/2010 publicad n DOU 13/05/2010, sessã 1 flha 17, tend sid autrizada a cntinuar cm essa tarefa através d prcess nº / , cm base nas recmendações d Grup de Api Técnic MEC/MCTI apresentadas na reuniã rdinária de 12 de julh de 2012 e pels fundaments da Infrmaçã nº 30/2012-CGLNES/GAB/SESu/MEC. 2. CONCEPÇÃO DO CURSO Para cumprir s bjetivs anterirmente mencinads, ITA cnta cm prfessres atuantes nesta área d cnheciment aernáutic, parte deles d Crp Permanente da Pós-Graduaçã d Institut, parte de Prfessres Clabradres cm cmprvada experiência prfissinal e atuaçã n mercad aernáutic. Seguem as principais características relativas à presente ferta d curs. Seguem as principais características relativas à presente ferta d curs. 2.1 LOCAL: Terceir Serviç Reginal de Investigaçã e Prevençã de Acidentes Aernáutics (SERIPA III), Praia d Galeã, n. 30, Ilha d Gvernadr - Ri de Janeir, RJ. 2.2 CERTIFICADO A QUEM CONCLUIR COM ÊXITO O PROGRAMA: Certificad de Especialista em Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada, utrgad pel ITA. Esse certificad tem validade nacinal, pis bedece à Resluçã CNE/CES n. 1, de 8 de junh de 2007.

4 4/ EXAME DE SELEÇÃO: Inclui análise curricular, prva escrita e entrevista, send esses últims realizads cnjuntamente ns dias 19 de julh, 4 e 18 de utubr de 2014, na cidade d Ri de Janeir, instalações d IME. Observaçã: candidat que nã puder estar presente nessas datas e hráris para Exame de Seleçã, esse últim deverá ser agendad, cm antecedência de pel mens 3 dias úteis, cm a Secretaria d PE-Safety, (12) , send nesse cas a prva escrita e a entrevista feitas nas instalações d ITA em Sã Jsé ds Camps, SP. Nesse cas, praz máxim para agendament e execuçã d Exame de Seleçã é 31 de utubr de DURAÇÃO: 1 4 meses. 2.5 DIAS DE AULA: Às sextas-feiras, das 12h30 às 17h30 e das 18h30 às 22h30 e as sábads das 8h30 às 13h e das 14 às 18h30 -- a cada duas semanas; check-pints ds TCCs pdem, eventualmente, crrer as dmings em finais de semana em que huver encntrs ds TCCs, segund Calendári publicad pela Crdenaçã d Curs. 2.6 MATRÍCULAS: O candidat aprvad n Exame de Seleçã, após ser cmunicad diss pel ITA, deverá cnfirmar seu interesse em matricular-se, devend frmalizar sua intençã de matrícula através de mensagem eletrônica enviada para Crdenadr d PE-Safety cm cópia para a Secretaria d Curs e até dia 6 de nvembr de Tds s dcuments que fram entregues cm cópias nã autenticadas para a Inscriçã deverã ser apresentads para a Secretaria d Curs em sua frma riginal para autenticaçã. 3. DISCIPLINAS E RESPECTIVAS ÊNFASES ACADÊMICAS O PE-Safety a ser ferecid em Brasília, vai envlver as ênfases acadêmicas, disciplinas e dcentes assciads cnfrme se segue. NOTA: a lad da carga-hrária, encntra-se a natureza da ferta das disciplinas tal qual deve cnstar n Certificad (se OBRIGATÓRIA u OPCIONAL). 3.1 Crdenaçã: Prf. Dnizeti de Andrade, 3.2 ÊNFASE EM: Engenharia Aernáutica e Segurança de Sistemas Aernáutics AS-101 Fundaments de Engenharia Aernáutica (40 h-a), OBRIGATÓRIA Prf. Dnizeti de Andrade, AS-103 Fundaments de Engenharia de Helicópters e Aernaves de Asas Rtativas, OBRIGATÓRIA Prf. Rnald Vieira Cruz, AS-111 Segurança e Cnfiabilidade de Sistemas Aernáutics (40 h-a), OBRIGATÓRIA Prf. André Luiz Chissi Frni,

5 5/14 AS-181 Certificaçã Aernáutica (40 h-a), OBRIGATÓRIA Prf. Marcel Sres Leã, 3.3 ÊNFASE EM: Sistemas de Gestã de Segurança de Aviaçã AS-163 Medicina Aerespacial (40 h-a), OBRIGATÓRIA Prf. Ricard Gakiya Kanashir, AS-121 Gerenciament de Crises e Planejament de Cntingências (40 h-a), OBRIGATÓRIA Prf. Tatiana de Miranda Jrdã, AS-191 Segurança Operacinal de Vô (40 h-a), OBRIGATÓRIA Prf. Raul de Suza, AS-193 Aerprts e Segurança (40 h-a), OBRIGATÓRIA Prf. Andersn Ribeir Crreia, 3.4 Disciplinas Cmplementares AS-199 Metdlgia d Trabalh Científic (40 h-a), OBRIGATÓRIA Prf. Itamar Brges Junir, AS-200 Trabalh de Cnclusã de Curs (45 h-a), OBRIGATÓRIA (Crdenaçã) Prf. Dnizeti de Andrade, e Prf. Marcel Sres Leã, 3.5 OBSERVAÇÕES Se ferecidas disciplinas pcinais, infrmações sbre as mesmas pderã ser encntradas n Havend necessidade, ITA, através da Crdenaçã d PE-Safety, pderá substituir disciplina(s) e/u prfessres presentes nessas Instruções de Oferta pr utra(s) de interesse d Curs, mediante autrizaçã d Cnselh da Pró-Reitria de Extensã e Cperaçã (PROEC) Qualquer das disciplinas ferecidas n presente curs pdem ser cursadas cm Disciplina Islada (Disciplina de Extensã) mediante autrizaçã da Crdenaçã d Curs. Para iss, interessand deve fazer cntat cm a Secretaria d PE-Safety d ITA (vide itens 6 e 7 destas Instruções) para as prvidências de matrícula. 3.6 Cnteúds Prgramátics AS-101 Fundaments de Engenharia Aernáutica Breve Históric d vô e intrduçã à Engenharia Aernáutica. Nmenclatura aernáutica: dimensões e unidades, sistemas de crdenadas. Atmsfera, vents, turbulência e umidade. A aernave: principais partes e sistemas. O Escament aernáutic. Efeits d escament subsônic. Nções ds escaments transônic, supersônic e hipersônic. Desempenh, estabilidade e cntrle. Intrduçã a prjet da cnfiguraçã subsônica de aernaves. Cnfigurações de aernaves nã-cnvencinais. Nções de prpulsã. Nções de prjet estrutural e de cargas. Fases de desenvlviment da aernave cnvencinal. BIBLIOGRAFIA:

6 6/14 RAYMER, D.P., Aircraft Design: a Cnceptual Apprach. AIAA Educatin Series, 4 th editin, 2013; ANDERSON, Jr., J.D., Intrductin f Flight. McGraw-Hill Bk C., 7 th editin, 2012; McCORMICK, B.W., Aerdynamics, Aernautics, and Flight Dynamics. Jhn Wiley & Sns, Inc., AS-103 Fundaments de Engenharia de Helicópters e Aernaves de Asas Rtativas Resum históric de helicópters e aernaves de asas r tativas n Brasil e n mund. Tecnlgia d Helicópter: cnfigurações de aernaves VTOL e helicópters, frmas de cntrle, tips de rtres e suas articulações. Desempenh n v pairad, n v vertical e n v à frente. Qualidades de V: Manbrabilidade e estabilidade estática e dinâmica. Pane mn e bimtr: V em autrrtaçã e v categria A. Vibrações e ruíds em helicópters. Fenômens Relacinads a Acidentes Cmuns: ressnâncias sl e ar, rlament dinâmic, chques das pás e perações próximas a bstáculs. BIBLIOGRAFIA: PROUTY, R. W., Helicpter Aerdynamics. Rtr & Wing Internatinal. PJS Publicatins Inc., 1985; SAUNDERS, G.H., A Dinâmica d V de Helicópter. Ri de Janeir: LTC,1985; BRAMWELL, A.R.S., Helicpter Dynamics. Edward Arnld, AS-111 Cnfiabilidade e Segurança de Sistemas Aernáutics Cnceits fundamentais: aernavaegabilidade, acidente, risc, segurança, falhas e errs, prjet fail safe, cnfiabilidade, manutenabilidade e dispnibilidade. Requisits de segurança de sistema civis e militares. Prcesss de avaliaçã de segurança de sistemas e de avaliaçã de riscs na fase de desenvlviment. Critéris de prjet e arquitetura de sistemas. Fatres humans. Técnicas de análise de segurança n desenvlviment. Métds quantitiativs. Aernavegabilidade cntinuada. Prcess de avaliaçã de segurança na fase de peraçã e respectivas técnicas de avaliaçã de segurança. Manutençã centrada na cnfiabilidade (RCM) e prcess MSG-3. Requisits CMR. Dispachabilidade e MMEL. Técnicas de determinaçã de cnfiabilidade e sua relaçã cm segurança. RAMS. BIBLIOGRAFIA: AC/AMJ Arsenal - Advisry Circular/Advisry Material, Jint, Systems Design and Analysis - Federal Aviatin Administratin, Eurpean Aviatin Safety Agency; SAE ARP Guidelines and Methds fr Cnducting the Safety Assessment Prcess n Civil Airbrne Systems and Equipment; SAE ARP Safety Assessment f Transprt Airplanes in Cmmercial Service. AS-121 Gerenciament de Crises e Planejament de Cntingências Cnceits gerais de gerenciament de crises, planejament de cntingências, cntinuidade de negócis. Antecipaçã e recnheciment de sinais de crise. Defesa Civil e papel na respsta a incidentes crítics das autridades públicas. Mdel de planejament em gerenciament de crises e suas diversas fases. Cmpsiçã da equipe gestra de crises e sua preparaçã. Gerenciament de crises na aviaçã cmercial. Legislaçã brasileira e internacinal pertinentes a gerenciament de crises em cas de acidente aernáutic. Apresentaçã de cass de fracasss e de sucesss na respsta a acidentes aernáutics na aviaçã cmercial brasileira e internacinal. Plans de Cmunicaçã em Crise: cnceits, cmpnentes, exempls. Cmunicaçã Interpessal em

7 7/14 Situações de Crises. Regras gerais de intercmunicaçã em crises. Técnicas de intervençã em incidente crític e atendiment em cas de acidente aernáutic. Exercícis de simulações e treinaments das técnicas apresentadas. BIBLIOGRAFIA: NATIONAL TRANSPORTATION SAFETY BOARD, Federal Family Assistance Plan fr Aviatin Disasters, 2010; IAC ANAC, 2005; ADUBATO, STEVE: What were they thinking? Crisis cmmunicatin: the gd, the bad, and the ttally clueless. RUTGERS UNIVERSITY PRESS, New Brunswick, New Jersey, and Lndn, AS-163 Medicina Aerespacial Intrduçã à Medicina Aerespacial. Atmsfera. Leis ds gases. Fundaments de anatmia e fisilgia cardirrespiratória. Hipóxia. Aerdilataçã. Dença da descmpressã. Acelerações. Desrientaçã espacial. Fatres intervenientes na visã em aviaçã. Ruíds em aviaçã. Vibrações. Radiações. Tóxics em aviaçã. Dessincrnse. Riscs ambientais em aviaçã. Fadiga de v. Transprte aermédic. O acidente aernáutic. A investigaçã médica. BIBLIOGRAFIA: Aviatin, Space and Envirnmental Medicine. Periódic editad pela Aerspace Medical Assciatin (AsMA). Dispnível em DAVIS, J.R. et al. (Ed.). Fundamentals f aerspace medicine. 4th ed. Philadelphia: Lippinctt Williams & Wilkins, 2008; TEMPORAL, W.F. (Org.). Medicina aerespacial. Ri de Janeir: Luzes, AS-181 Certificaçã Aernáutica Certificaçã aernáutica. Sistema de Segurança de V. Regulaments. Principais rganizações (gvernamentais e civis). A ANAC. Prcess de certificaçã de Tip, de Prduçã. Prcess derulemaking. Certificaçã de empresas. Aernavegabilidade cntinuada. Requisits peracinais. Evluçã da atividade de certificaçã. Manutençã MSG3. BIBLIOGRAFIA: CBA Códig Brasileir de Aernáutica; Organizaçã da Aviaçã Civil Internacinal, Anex 8 Certificad de Aernavegabilidade de Aernaves; RBAC 21 Certificaçã de Prdut Aernáutic. LEI Nº , DE 27 DE SETEMBRO DE 2005 (Lei de Criaçã da ANAC). DE FLORIO, F. Airwrthiness: an intrductin t aircraft certificatin. Oxfrd: Elsevier, AS-191 Segurança Operacinal de Vô Filsfia, cnceits e definições básicas de Segurança de V. Segurança de V n mund e n Brasil. Filsfia, históric e estruturaçã d Sistema de Investigaçã e Prevençã de Acidentes Aernáutics, SIPAER. Cnceituaçã de vcábuls, expressões e símbls de us n SIPAER - MCA 3-1. Estruturaçã e atribuições d SIPAER - NSCA 3-2. Gestã de Segurança de V na Aviaçã Brasileira NSCA 3-3. Investigaçã de Ocrrências Aernáuticas cm Aernaves Militares NSCA 3-6. Frmaçã e capacitaçã ds recurss humans d SIPAER NSCA Códig de ética d SIPAER - NSCA Prtcls de Investigaçã de Ocrrências Aernáuticas da Aviaçã Civil Cnduzidas pel Estad Brasileir NSCA Gerenciament da prevençã. Gerenciament d risc peracinal. Crew, Cckpit and Cmpany Resurce Management, CRM e gerenciament d risc e tripulaçã. Nções básicas d prcess de Investigaçã de um Acidente Aernáutic. Perig Aviári e Fauna. Prgrama de Prevençã de Acidentes Aernáutics e Relatóri Anual de Atividades. Perig Baleir. Tratads e Acrds de Cperaçã Internacinal

8 8/14 na Aviaçã Civil. Estrutura da Segurança de V na Aviaçã Civil e na Aviaçã Militar d Brasil. Relações entre s Órgãs Reguladres da Aviaçã Civil Brasileira. Psiçã d Estad Brasileir inserid na Aviaçã Mundial (ICAO). Estuds de cass de acidentes e incidentes aernáutics na aviaçã civil brasileira e mundial. BIBLIOGRAFIA: Presidência da República, Lei Nº 7.565, de 19 de dezembr de Dispõe sbre Códig Brasileir de Aernáutica. Decret-Lei Nº , de 11 de Setembr de Aprva a Cnvençã sbre Aviaçã Civil Internacinal, cncluída em Chicag, a 7 de dezembr de 1944, pr casiã da Cnferência Internacinal de Aviaçã Civil, e firmada pel Brasil, em Washingtn, a 29 de mai de Decret Nº , de 07 de Junh de Dispõe sbre Sistema de Investigaçã e Prevençã de Acidentes Aernáutics e dá utras prvidências; Cmand da Aernáutica, Nrmas d Sistema de Investigaçã e Prevençã de Acidentes Aernáutics (SIPAER) e Manuais d Cmand da Aernáutica MCA 3-3 e MCA 3-6; Internatinal Civil Aviatin Organizatin (ICAO), Annex 1 t 19; Internatinal Civil Aviatin Organizatin (ICAO), Dc 9756; Internatinal Civil Aviatin Organizatin (ICAO), Dc Cnventin n Internatinal Civil Aviatin. Cmercial Aviatin Safety, Third Editin. McGraw-Hill C., United States f America, AS-193 Aerprts e Segurança Transprte aére brasileir e sua infraestrutura. Cmpnentes físics de um aerprt. Planejament, peraçã e gerenciament ds subsistemas. Os plans de prteçã a aeródrm e à aviaçã. Plans Diretres. O aerprt e mei ambiente. Esclha de síti aerprtuári. Sistemas de gerenciament da Segurança peracinal em aerprts. Prteçã d Aerprt cntra ats de interferência ilícita. Influências da segurança n prjet aerprtuári. Estuds de cas. BIBLIOGRAFIA: HORONJEFF et al., Planning and design f airprts. 5 th editin, McGraw-Hill C., USA, 2010; ANAC, Prjet de aerprts. Regulament Brasileir de Aviaçã Civil RBAC-154, Brasília, 2009; ASHFORD et al., Airprt Operatin, 3rd editin, McGraw-Hill C., USA, AS-199 Metdlgia d Trabalh Científic Intrduçã a pensament científic: históric e princípis filsófics d cnheciment. Cnheciment racinal, intelectual e científic. Lógica frmal, idéia e juíz. Racicíni dedutiv. Lógica aplicada: metdlgia científica. Camps da Ciência e prduts da Ciência. Relaçã entre Academia e Prática Prfissinal. Carreira acadêmica, finalidade de um prgrama de Especializaçã, de Mestrad e de Dutrad. Publicações científicas: classificaçã e finalidade. Pesquisa: preceits étics, viabiidade, aplicabilidade. Bancs de dads e busca estruturada da infrmaçã: us de uma bibliteca especializada; serviçs e prduts dispníveis em biblitecas para a pesquisa científica e tecnlógica. Revisã de literatura: revisã sistemática. Estrutura de um prjet de pesquisa: tema, justificativa, bjetiv geral, bjetiv específic, frmulaçã d prblema da pesquisa, frmulaçã da hipótese, metdlgia, instruments, tratament ds dads, resultads, discussã, crngrama, custs. Cnheciment e aplicaçã das nrmas de dcumentaçã: apresentaçã e prjet gráfic de um trabalh: estrutura,

9 9/14 apresentaçã de tabelas e gráfics, ntas de rdapé, citações e referências bibligráficas. Esbç da estrutura de um Trabalh de Cnclusã de Curs, de uma Dissertaçã de Mestrad e de uma Tese de Dutrad. BIBLIOGRAFIA: PARRA, D.; SANTOS, J.A. Metdlgia Científica. 3. ed. Sã Paul: Futura, 2000; Regras de utilizaçã ds serviçs e recurss infrmacinais da Divisã de Infrmaçã e Dcumentaçã d ITA; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: infrmaçã e dcumentaçã: trabalhs acadêmics: apresentaçã. Ri de Janeir AS-200 Trabalh de Cnclusã de Curs Mngrafia desenvlvida em grup pels aluns. A mngrafia tem tema de interesse d curs, que é esclhid pels aluns cmpnentes ds grups nas primeiras semanas de aulas, rientads pels prfessres crdenadres da disciplina Esses prfessres sã designads pel Crdenadr d Curs. Encntrs periódics de avaliaçã para fixaçã de metas e data-limite para a entrega d trabalh sã estabelecids pels prfessres crdenadres da disciplina. A defesa d TCC é prevista em edital específic emanad da Pró-Reitria de Extensã e Cperaçã d ITA. BIBLIOGRAFIA: Nrmas emanadas da Bibliteca d ITA, dispníveis em PARRA, D.; SANTOS, J.A. Metdlgia Científica. 3. ed. Sã Paul: Futura, 2000; Regras de utilizaçã ds serviçs e recurss infrmacinais da Divisã de Infrmaçã e Dcumentaçã d ITA. 4. INSCRIÇÕES 4.1 PERÍODO: de 15 de setembr de 2013 a 31 de utubr de CONDIÇÕES PARA INSCRIÇÃO Seguem as cndições exigidas para a inscriçã n Exame de Seleçã PREENCHIMENTO DE CADASTRO E DIGITALIZAÇÃO DA FICHA DE INSCRIÇÃO É mandatóri que candidat preencha seu cadastr n website Após preechiment, a Ficha de Inscriçã deve ser enviada assinada e digitalizada para bem cm para e ENVIO VIA CORREIO OU ENTREGA PESSOAL NA SECRETARIA DO PE-Safety DOS SEGUINTES DOCUMENTOS (vide endereç n item 7). Ficha de Inscriçã (cmpletamente) preenchida e assinada. Currícul Vitae DETALHADO (incluind dads pessais, frmaçã acadêmica e experiência prfissinal).

10 10/13 Carta de apresentaçã pessal, dirigida a Crdenadr d Curs. Cópia d diplma d curs de graduaçã. Cópia d históric esclar d curs de graduaçã. Cópia d RG. Cópia d CIC. 2 fts 3X4 RECENTES Taxa de Inscriçã. Após preencher cadastr, será gerad um blet bancári para pagament da taxa de inscriçã, cnfrme rientaçã presente n website O valr da taxa de inscriçã é de R$ 120,00 (cent e vinte reais). Nã é aceit pagament via cheque. 4.3 Valr d Investiment O valr d investiment (a praz) para as Disciplinas Obrigatórias relativas à presente ferta d PE-Safety é de R$ ,00 (vinte e dis mil e cinquent reais) pr alun. Os pagaments devem ser feits via blets gerads n website Maires detalhes sbre valr d investiment n curs encntram-se ns itens 4.3.1, e destas Instruções. O valr d investiment para a Disciplina Opcinal (AS-177) é de R$ 2.205,00 (dis mil, duzents e cinc reais). Da mesma frma, através d mencinad website da FUNDEP, sã gerads blets bancáris, que pdem ser pags em até duas parcelas iguais de R$ 1.102,50 (um mil, cent e dis reais e cinquenta centavs), cm primeira parcela até dia 5 d mês em que as aulas vã ser ministradas e a segunda n dia 5 d mês seguinte. Mais detalhes sbre a frma de pagament das disciplinas brigatórias d curs se seguem Pagament Através de Pessa Jurídica Ü Parcela para Matrícula: 1 (uma) de R$ 1.297,06 (um mil, duzents e nventa e sete reais e seis centavs) a ser paga até dia 6/11/2014. Ü Restante: R$ ,94 (vinte mil, setecents e cinquenta e dis reais e nventa e quatr centavs) através de fatura cm venciment para dia 6/11/2014. Pagament à vista: cm descnt, n valr ttal de R$ ,50 (vinte mil, nvecents e quarenta e sete reais e cinquenta centavs) cm venciment da fatura em 6/11/2014.

11 11/ Pagament Através de Pessa Física Ü Parcela para Matrícula: 1 (uma) de R$ 1.297,06 (um mil, duzents e nventa e sete reais e seis centavs) a ser paga até dia 6/11/2014. Ü Demais parcelas: 16, de R$ 1.297,06 (um mil, duzents e nventa e sete reais e seis centavs) devem pagas até dia 10 de cada mês, de dezembr de 2014 a març de Pagament à vista: cm descnt, n valr ttal de R$ ,50 (vinte mil, nvecents e quarenta e sete reais e cinquenta centavs) cm venciment da fatura em 6/11/ Cm Relaçã à Quitaçã d Investiment: apenas pderã participar da Frmatura n ITA (prevista para dezembr de 2015) e/u receberem seus Certificads s aluns que tiverem TODO O VALOR DO INVESTIMENTO (estabelecids ns itens dessas Instruções de Oferta) até a data da Frmatura QUITADO JUNTO À FUNDEP, de acrd cm cntrat firmad entre a FUNDEP e (a) matriculad(a) n curs. 5. EXAME DE SELEÇÃO A seleçã ds candidats será realizada pr uma banca de prfessres indicads pela crdenaçã d PE-Safety. Os exames vã ser realizads ns dias 19 de julh, 4 e 18 de utubr de 2014 em três etapas: (1) avaliaçã de currícul e da carta de apresentaçã pessal, (2) prva escrita de inglês e redaçã em prtuguês, e (3) entrevista. 5.1 Primeira Etapa - avaliaçã curricular e da carta de apresentaçã pessal. Serã avaliads rendiment esclar d candidat n seu curs de graduaçã, seus eventuais curss de especializaçã u utrs curss de pós-graduaçã, suas eventuais publicações na área de Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada, sua eventual participaçã cm estagiári e/u blsista em prjets institucinais e sua experiência prfissinal. A carta de apresentaçã pessal, endereçada a Crdenadr d PE-Safety, cm as razões da candidature deverá exprt s interesses d candidat em participar d Curs de Especializaçã em Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada, descrevend, se pssível, as interações d curs cm suas atividades e/u interesses prfissinais. 5.2 Segunda Etapa prva escrita, dividida em dis segments: Prva de inglês: destina-se a avaliar a capacidade d candidat de leitura e cmpreensã de bibligrafia acadêmica na área de Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada na Língua Inglesa. Para tant s candidats deverã traduzir para prtuguês um text na Língua Inglesa, que verse sbre este assunt, sem auxíli de dicinári.

12 12/ Redaçã em prtuguês: versa sbre uma das áreas de cnheciment assciadas à Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada, de acrd cm cnteúd das disciplinas e áreas de pesquisa fixadas n item 3 das presentes instruções. Serã levads em cnta grau de cnheciment na área e a capacidade de expressã escrita d candidat, incluind rdenament lógic ds arguments, cesã argumentativa, precisã cnceitual, clareza e fluência, bem cm adequaçã à nrma culta d prtuguês escrit. 5.3 Terceira Etapa ENTREVISTA. Nesta etapa avaliam-se aspects relacinads às qualificações acadêmicas d candidat, essenciais a bm desempenh n curs. Os critéris adtads serã: (a) cnheciment teóric e metdlógic na área de Segurança de Aviaçã e Aernavegabilidade Cntinuada demnstrad pel candidat; (b) capacidade argumentativa face às questões clcadas pela Banca Examinadra na entrevista; (c) habilidade para expr e debater seus bjetivs em cursar PE-Safety; (d) perspectivas sbre seu desenvlviment prfissinal. A entrevista avaliará ainda as mtivações e entendiment ds candidats acerca ds bjetivs e exigências de um Curs de Especializaçã, além da sua capacidade de cumprir as cndições peracinais d prgrama e bjet de pesquisa almejad pel candidat para desenvlviment de seu Trabalh de Cnclusã de Curs. 5.4 CALENDÁRIO, LOCAL, DURAÇÃO DA PROVA ESCRITA, PERÍODO DE REALIZAÇÃO DA ENTREVISTA CALENDÁRIO: a prva escrita e a entrevista serã realizadas cnjuntamente na data e hráris que se seguem. Data Prva Escrita Entrevista 19 de julh de e 18 de utubr de h30 14h OBSERVAÇÃO: Cnfrme item 2.3 dessas Instruções de Oferta, para candidat que nã puder estar presente nessas datas e hráris para Exame de Seleçã, esse últim deverá ser agendad, cm antecedência de pel mens 3 dias úteis, cm a Secretaria d PE-Safety, (12) , send nesse cas a prva escrita e a entrevista feitas nas instalações d ITA em Sã Jsé ds Camps, SP. Nesse cas, praz máxim para agendament e execuçã d Exame de Seleçã é 31 de utubr de LOCAL Para as datas mencinadas, a Prva Escrita e a Entrevista vã ser realizadas n Institut Militar de Engenharia Praça General Tibúrci n. 80, Praia Vermelha, URCA Ri de Janeir, cm pnt de encntr em frente à entrada principal daquele Institut, às 10h. N cas específic da Observaçã anterir, a prva vai ser realizada n Institut Tecnlógic de Aernáutica, Divisã de Engenharia Aernáutica, Sala 1403 Sã Jsé ds Camps, SP.

Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 1/2015-2016

Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 1/2015-2016 1/13 Instruções para a Oferta d PE-Safety n. 1/2015-2016 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA DE AVIAÇÃO E AERONAVEGABILIDADE CONTINUADA, PE-Safety Turma 2, Bel Hriznte O Institut Tecnlógic de Aernáutica

Leia mais

Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 1/2014-2015

Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 1/2014-2015 Instruções para a Oferta d PE-Safety n. 1/2014-2015 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA DE AVIAÇÃO E AERONAVEGABILIDADE CONTINUADA, PE-Safety Turma 2, Brasília, DF (Específica para prfissinais d CENIPA)

Leia mais

Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 2/2013-2014

Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 2/2013-2014 Instruções para a Oferta d PE-Safety n. 2/2013-2014 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA DE AVIAÇÃO E AERONAVEGABILIDADE CONTINUADA, PE-Safety Turma 10, Sã Jsé ds Camps, SP O Institut Tecnlógic de Aernáutica

Leia mais

Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 3/2012-2013

Instruções para a Oferta do PE-Safety no. 3/2012-2013 Instruções para a Oferta d PE-Safety n. 3/2012-2013 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA DE AVIAÇÃO E AERONAVEGABILIDADE CONTINUADA, PE-Safety Turma 1, Brasília, DF (Específica para prfissinais d CENIPA)

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N 01/2007 De 8 de nvembr de 2007 Reedita as Nrmas para Recnheciment de Títuls de Pós-Graduaçã, revgand a Resluçã Cmplementar n 02/93, de 25 de junh de 1993. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 1º semestre / 2015 O FGV Law Prgram da Escla

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana de Parnaíba Cmpnente Curricular: Cntabilidade Cmercial Eix Tecnlógic: Gestã e Negócis Módul: II C.

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2014

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA PARA O CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL PARA O SEGUNDO PERÍODO LETIVO DE 2014. 1. PREÂMBULO 1.1. O Crdenadr d Prgrama de

Leia mais

Instruções para a Oferta do Curso de Especialização em Sistemas Complexos: Segurança na Aviação e Saúde, no. 5/2012-2013

Instruções para a Oferta do Curso de Especialização em Sistemas Complexos: Segurança na Aviação e Saúde, no. 5/2012-2013 Instruções para a Oferta d Curs de Especializaçã em Sistemas Cmplexs: Segurança na Aviaçã e Saúde, n. 5/2012-2013 Turma 1, Sã Jsé ds Camps O Institut Tecnlógic de Aernáutica (ITA), criad pel Decret Nº

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 005/2014 DE 07 DE ABRIL DE 2014 PROCESSO SELETIVO O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP.: 64.073-505,

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial)

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial) SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO (Credenciada pela Assciaçã Brasileira de Otrrinlaringlgia e Cirurgia Cérvic-Facial) MANUAL DO CANDIDATO 2013 2 SOS OTORRINO Crdenadr da Residencia

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP I - AJUDA DE CUSTO A ALUNOS DE DOUTORADO DA CAP, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS FORA DO PAÍS Eligibilidade Aluns de dutrad da CAP que preencham,

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro Seminári de Acmpanhament SNPG Área 21 APCNs André F Rdacki Marcia Sares Keske Rinald R J Guirr Áreas de Avaliaçã - CAPES Clégi de Humanidades Ciências Humanas Ciências Sciais Aplicadas Linguística, Letras

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seçã 1. Pág. 20 Cmpnente Curricular: ENFERMAGEM NO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR Códig: ENF-219 Pré-requisit: Nenhum

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Aviso Público Nº 08/Unoesc/2012

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Aviso Público Nº 08/Unoesc/2012 UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Avis Públic Nº 08/Unesc/2012 O Magnífic Reitr da Universidade d Oeste de Santa Catarina - Unesc, pessa jurídica de direit privad, mantida

Leia mais

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais:

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais: PROCEDIMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO E/OU RENOVAÇÃO DO CEBAS CNAS CERTIFICAÇÃO/RENOVAÇÃO O Certificad é um ds dcuments exigids para slicitar as seguintes isenções de cntribuições sciais: Parte patrnal da cntribuiçã

Leia mais

INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS

INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS CURSO DE PERITO JUDICIAL AERONÁUTICO - EMENTA EDITORA BIANCH COORDENADOR MENTOR PROFESSOR PROFESSOR KALAZANS 1 1 Bacharel em Direit; Pós-graduad em nível de Especializaçã em

Leia mais

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Núcle de Intercâmbi e Cperaçã Institucinal EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Seleçã de acadêmics para Intercâmbi n primeir semestre de 2015 d Prgrama de Blsas Iber-Americanas Santander Universidades 2014 A Universidade

Leia mais

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações Mdelagem, qualificaçã e distribuiçã em um padrã para geinfrmações Julia Peixt 14h, 14 de junh de 2010. Mtivaçã Acerv de dads desde 1994 em diferentes áreas de pesquisa; Muitas pessas fazend muits trabalhs

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS Julh 2007 INTRODUÇÃO As amplas, prfundas e rápidas transfrmações pr que passa a nssa sciedade prvcaram, frçsamente,

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO Prezad(a) Alun(a) A mbilidade acadêmica internacinal é uma prtunidade valisa para seu cresciment individual, acadêmic e prfissinal. Nã permita que a falta de

Leia mais

Curso de Extensão: Finanças Corporativas

Curso de Extensão: Finanças Corporativas 1. Apresentaçã Curs de Extensã: Finanças Crprativas Uma crpraçã é, genericamente, caracterizada pela tmada de duas decisões fundamentais, a de financiament e a de investiment. O prcess de seleçã, análise

Leia mais

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS O Prgrama Ciência sem Frnteiras, lançad n dia 26 de julh de 2011, é um prgrama d Gvern Federal que busca prmver a cnslidaçã, a expansã e a internacinalizaçã

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Critéris de Avaliaçã Direçã Reginal de Educaçã d Nrte Agrupament de Esclas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO Telões - Amarante EDUCAÇÃO MUSICAL 2ºCICLO An Letiv 2014/2015 Dmíni Cgnitiv

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

Centro de Referência: Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Centro de Referência: Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centr de Referência: Universidade Federal d Ri Grande d Nrte Edital para Seleçã de Preceptres de internat, estágis e residência em saúde. EDITAL 01/2015 A Universidade Federal d Ri Grande d Nrte, pr mei

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

Antropologia do Consumo no Marketing

Antropologia do Consumo no Marketing Antrplgia d Cnsum n Marketing Objetivs Demnstrar cm as influências culturais estã relacinadas cm s hábits de cnsum, a relaçã cm as Marcas e cmprtament de cmpra, evidenciand assim, prcess fundamental para

Leia mais

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º).

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º). VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteraçã n crngrama (Art. 6º e Art. 12º). APRESENTAÇÃO Idealizad e instituíd pela Assciaçã Nacinal de Entidades Prmtras de Empreendiments Invadres (Anprtec), em parceria

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 DISPOSIÇÕES GERAIS A campanha d Dia Mundial de Cmbate à Plimielite (também cnhecida cm paralisia infantil), celebrad n dia 24 de utubr,

Leia mais

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE ARTIGO I DEFINIÇÃO E NATUREZA O Prêmi Cidadania, categria Estudante, premia trabalhs de caráter técnic u científic, referente a implementaçã

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais

EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA

EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA O presente dcument tem cm bjetiv dispnibilizar a divulgaçã ficial das cndições estabelecidas pel Sesc Santa Catarina para

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2013

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2013 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA PARA O CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL PARA O SEGUNDO PERÍODO LETIVO DE 2013. 1. PREÂMBULO 1.1. O Crdenadr d Prgrama de

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

REGULAMENTO 2015 BOLSA DE ESTUDO PARA COREIA DO SUL DENTRO DO MARCO DE COOPERAÇÃO ENTRE AS CIDADES DE SÃO PAULO E SEUL

REGULAMENTO 2015 BOLSA DE ESTUDO PARA COREIA DO SUL DENTRO DO MARCO DE COOPERAÇÃO ENTRE AS CIDADES DE SÃO PAULO E SEUL REGULAMENTO 2015 BOLSA DE ESTUDO PARA COREIA DO SUL DENTRO DO MARCO DE COOPERAÇÃO ENTRE AS CIDADES DE SÃO PAULO E SEUL SECRETARIA MUNICIPAL DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS E FEDERATIVAS DA PREFEITURA DE SÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO REGULAMENTO 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO O PRÊMIO NA CATEGORIA DE JORNALISMO tem cm bjetiv premiar matérias veiculadas na imprensa nacinal relativas a temas ligads

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO EA.TAS.6.1.13 HELPCARE CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO Prpsta Curs de Tripulante de Ambulância de Scrr Fundamentaçã O scrr e transprte de vítimas de dença súbita e/u trauma é executad pr váris

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais