Alta Maturidade em Gestão de Projetos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Alta Maturidade em Gestão de Projetos"

Transcrição

1 Alta Maturidade em Gestão de Projetos 1

2 Agenda Excelência, Ética e Resultados A ISD Brasil CMMI melhores práticas O que é maturidade, afinal? Alta maturidade em gestão de projetos 10 atributos de uma organização de projetos altamente madura 2

3 A ISD Brasil Excelência, Ética e Resultados A ISD é uma empresa multinacional dedicada exclusivamente à melhoria de processos, qualidade e gestão de desempenho em TI baseada em modelos de melhores práticas e padrões reconhecidos mundialmente. A ISD é um dos maiores CMU SEI Partners e tem trabalhado ao longo dos anos junto à instituição na pesquisa, desenvolvimento e implementação de diversos modelos de melhores práticas mundiais (SW-CMM e CMMI) e métodos de avaliação (CBA-IPI, SCE, SCAMPI) A ISD é um CMU ITSqc Authorized Partner para serviços relacionados ao escm e Sourcing, possuindo inclusive profissionais que integram o Advisory Board da entidade. A ISD Brasil é uma empresa absolutamente independente. De capital norte americano e brasileiro, não possuí vínculo com nenhuma empresa fornecedora de serviços de desenvolvimento ou ferramentas. 3

4 Nosso propósito: Melhorar o desempenho das organizações com as quais trabalhamos, - buscando a implementando de soluções simples, - utilizando técnicas de análise de solução de problemas, - embasados nas melhores práticas mundiais, e construindo assim, forte relacionamento e confiança mútua. 4

5 ISD Brasil o que fazemos Excelência, Ética e Resultados 5

6 CMMI Melhores Práticas Mundiais 6

7 Por que falaremos de Software e CMMI? Excelência, Ética e Resultados 1) Porque é nosso business 2) Porque software is everywhere 3) Porque CMM e o conceito de maturidade nasceram no software 4) Porque as organizações e projetos de software ainda são IMATUROS 7

8 FAZ SITE NÍVEL 1 - IMATURIDADE VÍDEO 8

9 O paradoxo da TI e Software Excelência, Ética e Resultados O paradoxo da TI e software Baixa Qualidade Desenvolvimento de Soluções Baixa Qualidade Alto Custo Terceirização Sustentação e Produção Baixa Disponibilidade Alto Custo Alto Custo Baixa Qualidade 9

10 Tempo Investido Onde estão as causas de nosso PARADOXO? Causas Problemas 80% 70% 60% 50% 60% 50% 55% 45% 40% 30% 20% 10% 25% 75% 40% 30% 20% 0% Desenvolvimento Manutenção e Suporte 10% 0% Erros em Software Outros + Manutenção - Erros em SW + Novo Desenvolvimento Interno - Fonte dos dados: Chaos Report Terceirização Desenvolvimento 10

11 Inovação, projetos e produtos fazem parte de uma visão sistêmica Excelência, Ética e Resultados 11

12 A Família CMMI Excelência, Ética e Resultados CMMI AQUISIÇÃO PROCESS & PROJECT CENTRIC CMMI DESENVOLVIMENTO CMMI SERVIÇOS 12

13 Representações da Família CMMI Excelência, Ética e Resultados Por estágios Níveis de Maturidade Contínua Níveis de Capacidade Em otimização Quantit. gerenciado Definido Gerenciado Inicial Em otimização Quantit. gerenciado Definido Gerenciado Realizado Incompleto Um conjunto de áreas de processo estão organizadas em níveis de maturidade organizacional Cada área de processo encontra-se em um nível de capacidade 13

14 Probability Target N Probability Target N+a Probability Target N-x Probability Target N-y Probability Target N-z Excelência, Ética e Resultados Visão Geral do Propósito e Benefícios do CMMI Nível Características Desempenho Visão gerencial 5 Otimização Melhoria de processos está institucionalizada 5 Time/$/... In Out 4 Produto e processo são 4 In Out quantitativamente controlados Quantitativamente Gerenciado 3 Definido Processos de engenharia de software e gerenciamento definidos e integrados Time/$/... 3 Time/$/... In Out 2 Gerenciado Sistema de gerenciamento de projeto em funcionamento 2 Time/$/... In Out 1 Inicial O processo é informal e imprevisível 1 Time/$/... In Out 14

15 Principais Áreas de Processos com ênfase em Gestão de Projetos Level Focus Process Areas 5 Optimizing Continuous Process Improvement Organizational Innovation and Deployment Causal Analysis and Resolution Quality Productivity 4 Quantitatively Managed Quantitative Management Organizational Process Performance Quantitative Project Management 3 Defined Process Standardization Requirements Development Technical Solution Product Integration Verification Validation Organizational Process Focus Organizational Process Definition Organizational Training Integrated Project Management for IPPD Risk Management Decision Analysis and Resolution 2 Managed 1 Initial Basic Project Management Requirements Management Project Planning Project Monitoring and Control Supplier Agreement Management Measurement and Analysis Process and Product Quality Assurance Configuration Management Risk Rework 15

16 10 ATRIBUTOS DA MATURIDADE Na Gestão de Projetos 16

17 ATRIBUTO #1 Foco Organizacional 17

18 Foco organizacional ao invés de por Projeto ou no indivíduo Responsabilidade organizacional PMO (escritório) / EPG (grupo de processos) Processos padronizados Treinamentos organizacionais Base histórica de projetos e medições Inteligência de negócio (BI) Base de conhecimento de projetos 18

19 Processos e Projetos são parceiros! MELHORAR OS PROCESSOS DEFINIR OS PROCESSOS CONTROLAR OS PROCESSOS MEDIR OS PROCESSOS PLANEJAR OS PROCESSOS (projetos) Desempenho do Processo EXECUTAR OS PROCESSOS ENTENDER PROCESSOS Adaptado de Measuring the Software Process Processo Estabilizado e Controlado (baselines) 19

20 ATRIBUTO #1 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... proporcionam o ambiente (organizacional) necessário e apropriado para a cultura de projetos, inovação e melhoria contínua. 20

21 ATRIBUTO #2 Alinhamento Estratégico 21

22 Visão Sistêmica da Estratégia (aquilo que de fato é importante para os projetos) Aumentar Lucratividade Reduzir Custos Priorizar Vendas No Mercado Aumentar Vendas Sonae Cumprir Custos (On Budget) Cumprir Prazos (On Time) Aumentar Reuso Aumentar a Satisfação do Cliente Diminuir Solicitações de Mudanças Aumentar Qualidade (On Quality) Melhorar Estimativas Melhorar Produtividade Diminuir Retrabalho Melhorar Detecção de Defeitos Aumentar Foco ao Serviço Manter Aderência aos Processos Melhorar Qualidade Insumos Otimizar Organização Interna Aumentar Senioridade da equipe Disponibilizar Todos os direitos reservados Novos - Produtos ISD Brasil Inovar Processos Melhorar Processos Aumentar Conhecimento e Competências Implementar Projeto Conexão 100% 22

23 ATRIBUTO #2 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... sabem exatamente (quantitativamente) o que querem de seus projetos, produtos e serviços. 23

24 ATRIBUTO #3 Adaptabilidade e Flexibilidade 24

25 Adaptabilidade se traduz em eficácia, dose certa e resultados Adaptabilidade determinará a diferença entre burocracia e agilidade Não importa se vamos usar: UML, Ferramenta X, SCRUM, Casos de Uso, APF, Reuniões de 15 minutos ou de 3 dias Em organizações de ALTA MATURIDADE, o sucesso da adaptabilidade é medida pelo impacto no desempenho Precisamos entender que os projetos em TI são de naturezas muito distintas: desde manutenção corretiva e evolutiva, passando por projetos de ciclo completo JAVA, COBOL, e- Commerce, Workflow usando abordagem CASCATA ou ITERATIVA 25

26 a) 74,8% Excelência, Ética e Resultados maior Ambiente Adaptabilidade se traduz em eficácia, dose certa e resultados melhor Produtividade melhor melhor melhor maior Técnicas Ágeis maior Experiência Equipe maior Integração Contínua MODELO DE PRODUTIVIDADE EXPLICADO EM 75% POR TÉCNICAS E MÉTODOS DIFERENTES ADAPTAÇÃO EM ORGANIZAÇÕES E PROJETOS MADUROS SÃO REALIZADAS DE FORMA QUANTITATIVA ESTE MODELO DE DESEMPENHO ACIMA É EFETIVO, MAS SERVE SOMENTE A ALGUNS TIPOS DE PROJETOS! 26

27 ATRIBUTO #3 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... conseguem obter padronização e repetição de ótimos resultados enquanto permitem flexibilidade, adaptabilidade e inovação aos projetos. Isto é possível por meio do entendimento quantitativo do desempenho de seus processos. 27

28 ATRIBUTO #4 Assertividade na Estimativa e Base Histórica 28

29 Projeto 22 Projeto 21 Projeto 20 Projeto 19 Projeto 18 Projeto 17 Projeto 16 Projeto 15 Projeto 14 Projeto 13 Projeto 12 Projeto 11 Projeto 10 Projeto 9 Projeto 8 Projeto 7 Projeto 6 Projeto 5 Projeto 4 Projeto 3 Projeto 2 Projeto 1 Excelência, Ética e Resultados Acumular,entender, estudar, melhorar e utilizar Base Histórica PRECISÃO EM ESTIMATIVAS TAMANHO ESCOPO Controle da Variabilidade das Estimativas - Experimento Estudar e entender! 80% 60% 40% 20% 0% -20% -40% -60% -80% % Variabilidade LSC - 2 s Alvo LIC - 2 s Média LSC - 3 s LIC - 3 s Acumular! Melhorar! 29

30 ATRIBUTO #4 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... entendem, aceitam e tiram proveito da variação dos processos. A organização trabalha neste ciclo virtuoso reduzindo a variação ao máximo nível de assertividade possível! 30

31 ATRIBUTO #5 Envolvimento Clientes e Stakeholders 31

32 Envolvimento dos usuários e clientes sempre foi e sempre será CHAVE O envolvimento dos usuários, demandantes, clientes e stakeholders relevantes sempre foi e continuará sendo chave para o sucesso dos projetos O mundo de hoje clama por colaboração. Isto significa seus clientes colaborativamente participando da concepção e construção de produtos e serviços (WEB 2.0) Esta abordagem é fundamentalmente cultural, independente das técnicas e métodos que a preconize: SCRUM, TSP, CMMI (IPPD), Wiki, etc. 32

33 ATRIBUTO #5 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... envolvem os clientes e usuários naquilo que é CHAVE e não em aprovações e validações NON-SENSE e burocráticas. Envolver o cliente é chave, mas burocracia e atividades de não-valor devem ser eliminadas! 33

34 ATRIBUTO #6 Entendimento do Desempenho 34

35 Entendendo, estabilizando e melhorando Excelência, Ética e Resultados Causas Especiais especiais estudadas Causas Especiais especiais Eliminadas eliminadas Introdução de inovações e análise de causas Entendimento da situação e variação Estabilização e Previsibilidade Melhoria, Inovação e Resultados 35

36 Moving Range Individual Value Moving Range Individual Value Exemplos de resultados obtidos Excelência, Ética e Resultados No I-MR Chart of Code Productivity by Reuse? PRODUTIVIDADE Yes _ UC L=0.521 X=0.197 LC L= O bser vation No Yes antes I-MR Chart QUALIDADE of Defect Dectection E RETRABALHO Rate by Piloto UC L=0.398depois MR=0.122 LC L= O bser vation UC L=143.7 _ X=41.8 LC L= O bser vation antes depois UC L=125.2 MR=38.3 LC L= O bser vation

37 ATRIBUTO #6 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... identificam, entendem, estabilizam e melhoram aquilo que é importante para o negócio e para os projetos. 37

38 ATRIBUTO #7 Previsibilidade 38

39 Previsibilidade é a CHAVE! Excelência, Ética e Resultados A partir do entendimento e controle da variação dos processos críticos para o negócio, a organização e os projetos passam a entender, utilizar e otimizar o relacionamento entre variáveis, atributos e processos (modelos de desempenho) Exemplos de perguntas críticas: O que causa a melhora em minha produtividade? Qual a qualidade prevista para meu produto final? Qual a previsão de retrabalho neste projeto? Qual a confiança que tenho na data final que estou prometendo? 39

40 Visão Sistêmica (previsibilidade) é a CHAVE! Variação de esforço Produtividade Senioridade Retrabalho Mudanças no Escopo 40

41 ATRIBUTO #7 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... identificam, entendem e otimizam aquilo que é importante para o negócio e para os projetos, por meio da compreensão da relação entre variáveis e atributos de desempenho (modelos de desempenho). 41

42 ATRIBUTO #8 Eliminação de Causas de Defeitos 42

43 ATRIBUTO #8 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... entendem que defeitos precisam ser definitivamente eliminados. Esta conclusão vem do entendimento causal dos modelos de desempenho e não de mais um modismo! Prazo e custo Produtividade Retrabalho afeta afeta afeta Defeitos 43

44 ATRIBUTO #9 Inovação e Melhoria Constantes 44

45 Juntando as peças... inovação e melhoria a serviço do desempenho Objetivos Estratégicos - BSC Aumentar Lucratividade Indicadores Estratégicos Reduzir Custos Cumprir Custos (On Budget) Processo Produtivo Requisitos Solução Técnica Construção Testes Melhorar Estimativas Melhorar Produtividade Planejamento Integrado Acompanhamento e Riscos Aumentar Reuso Atributo do Processo Indicador Operacional 45

46 Ciclos Ciclos ATRIBUTO #9 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... entendem que inovação e melhoria contínua devem servir aos negócios (business e clientes) e trazer resultados tangíveis alinhados à estratégia. Test for Equal Variances for Entry Criteria Productivity (h/ F-Test Ciclo 1 Test Statistic 4,28 P-Value 0,003 Levene's Test Ciclo 2 Test Statistic 5,51 P-Value 0,024 0,02 0,04 0,06 0,08 0,10 95% Bonferroni Confidence Intervals for StDevs 0,12 Ciclo 1 Ciclo 2 0,05 0,10 0,15 0,20 0,25 0,30 0,35 Entry Criteria Productivity (h/ 46

47 ATRIBUTO #10 Não existem somente 10 atributos 47

48 ATRIBUTO #10 Excelência, Ética e Resultados Organizações de ALTA MATURIDADE... entendem que seria um ERRO FATAL limitar toda esta jornada a apenas 10 atributos. Um efeito colateral desta maturidade é a busca contínua pelo próximo atributo que possar darlhes a vantagem competitiva...11º, 12º, 13º,... 48

49 FAZ SITE NÍVEL 5 - MATURIDADE VÍDEO 49

50 Obrigado! Contato: 50

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

Descrição das Áreas de Processo

Descrição das Áreas de Processo Descrição das Áreas de Processo Níveis 2 e 3 Foco em CMMI para SW INF326 - Modelos de Qualidade de SW - Mario L. Côrtes CMMI parte B 5B - 1 Convenções gráficas Repositório de Medições Repositório de Informações

Leia mais

CMMI for Services 4º Edição

CMMI for Services 4º Edição CMMI for Services 4º Edição Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com Agenda Objetivo CMMI for Services Um pouco de história... Entrando em detalhes escm-sp Comparativos CMMI-DEV X CMMI-SVC CMMI-SVC

Leia mais

Conhecendo o CMMI. Alessandro Almeida

Conhecendo o CMMI. Alessandro Almeida Conhecendo o CMMI Alessandro Almeida Agenda Objetivos Por que pensar nestas coisas? Conhecendo o CMMI Uma empresa que poderia ser a sua Objetivos Apresentar de uma forma prática e divertida o modelo CMMI,

Leia mais

Implementando CMMi utilizando uma combinação de Métodos Ágeis. Implementing CMMi using a Combination of Agile Method

Implementando CMMi utilizando uma combinação de Métodos Ágeis. Implementing CMMi using a Combination of Agile Method Implementando CMMi utilizando uma combinação de Métodos Ágeis Implementing CMMi using a Combination of Agile Method Rhavy Maia Guedes IN1149 Qualidade, Processo e Gestão de Software Agenda 2 Introdução

Leia mais

HERON VIEIRA AGUIAR PEPP: PROCESSO DE SOFTWARE PARA EMPRESAS DE PEQUENO PORTE BASEADO NO MODELO CMMI

HERON VIEIRA AGUIAR PEPP: PROCESSO DE SOFTWARE PARA EMPRESAS DE PEQUENO PORTE BASEADO NO MODELO CMMI HERON VIEIRA AGUIAR PEPP: PROCESSO DE SOFTWARE PARA EMPRESAS DE PEQUENO PORTE BASEADO NO MODELO CMMI Monografia apresentada ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Lavras como

Leia mais

Capítulo 5: CMMI, o Capability Maturity Model Integration

Capítulo 5: CMMI, o Capability Maturity Model Integration Capítulo 5: CMMI, o Capability Maturity Model Integration Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO90003 Capítulo 5: CMMI

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação. CMMI Visão Geral

Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação. CMMI Visão Geral Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação CMMI Visão Geral Agenda Um histórico dos modelos CMM e CMMI Modelo CMMI Suíte do modelo Representações Níveis de maturidade Áreas de processo

Leia mais

CMMI for Services. 3º Edição. Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com

CMMI for Services. 3º Edição. Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com CMMI for Services 3º Edição Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com Agenda Objetivo Pré-requisito : O que é o CMMI? Motivação CMMI for Services Um pouco de história... Entrando em detalhes Opção :

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência

Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência Autora: Ivanise M. Gomes IO SEPG Manager Mercosur General Motors do Brasil, IS&S Agenda Ø Introdução Ø Visão Estratégica Ø Malcolm Baldrige Ø ISO

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com marcosmoraisdesousa.blogspot.com Sistemas de informação Engenharia de Software II Gerenciamento de Qualidade CMMI e MPS.BR

Leia mais

Governança de TI: Aspectos Gerenciais

Governança de TI: Aspectos Gerenciais Governança de TI: Aspectos Gerenciais Governança de TI: Aspectos Gerenciais 1 Governança de TI: Aspectos Gerenciais Governança de TI: Aspectos Gerenciais Governança é a forma como a estrutura organizacionalestá

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Garantia da Qualidade de Processo e Produto Direitos de Uso do Material Material desenvolvido pela ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. É permitido o uso deste material

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

SVC: Uma Constelação no Firmamento CMMI

SVC: Uma Constelação no Firmamento CMMI SVC: Uma Constelação no Firmamento CMMI Apresentação para SPIN São Paulo - Brasil 15 de Agosto de 2012 Andrés Rubinstein, CLA SM CMM Integration, IDEAL, and SCAMPI are service marks of Carnegie Mellon

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fernando L. F. Almeida falmeida@ispgaya.pt Principais Modelos Capability Maturity Model Integration (CMMI) Team Software Process and Personal Software Process (TSP/PSP)

Leia mais

CMMI Capability Maturity Model Integration

CMMI Capability Maturity Model Integration www.asrconsultoria.com.br CMMI Capability Maturity Model Integration Visão Geral Capability Maturity Model and CMMI are registered in the U.S. Patent and Trademark Office 1 Agenda Introdução Maturidade

Leia mais

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS PMO PROJETOS PROCESSOS MELHORIA CONTÍNUA PMI SCRUM COBIT ITIL LEAN SIX SIGMA BSC ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS DESAFIOS CULTURAIS PARA IMPLANTAÇÃO DANIEL AQUERE DE OLIVEIRA, PMP, MBA daniel.aquere@pmpartner.com.br

Leia mais

Estudo do CMM e do CMMI

Estudo do CMM e do CMMI Estudo do CMM e do CMMI Autores Félix Carvalho Rodrigues fcrodrigues@inf.ufrgs.br Georgina Reategui gg@inf.ufrgs.br Manuela Klanovicz Ferreira mkferreira@inf.ufrgs.br Motivação Grande quantidade de projetos

Leia mais

2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P.

2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. A implementação de processos Ágeis em uma organização CMMI 5 Lúcia Mazoni Couto - luciamazoni.couto@hp.com Líder do Escritório de Projetos e Processos HP

Leia mais

Estratégias Baseadas em Six Sigma para Obtenção do CMMi Nível 5

Estratégias Baseadas em Six Sigma para Obtenção do CMMi Nível 5 Estratégias Baseadas em Six Sigma para Obtenção do CMMi Nível 5 Paula Luciana F. da Cunha, Luciana Ferreira Trindade, Ciro Carneiro Coelho Instituto Atlântico, Rua Chico Lemos, 946, 60822780 Fortaleza

Leia mais

IMPLANTANDO CMMI EM EMPRESAS DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS DE SOFTWARE : UM ESTUDO DE CASO

IMPLANTANDO CMMI EM EMPRESAS DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS DE SOFTWARE : UM ESTUDO DE CASO Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática IMPLANTANDO CMMI EM EMPRESAS DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS DE SOFTWARE : UM ESTUDO DE CASO Matheus Benicio

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

Controle Estatístico stico de Processos em Projetos, sonho

Controle Estatístico stico de Processos em Projetos, sonho Controle Estatístico stico de Processos em Projetos, sonho HP Enterprise Services Márcio Silveira, PMP 03-23-05 Agenda Conceituando Controle Estatístico de Processos (CEP) Projetos/Processos candidatos

Leia mais

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade de Informática de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) thiago@visioncom.com.br;

Leia mais

Introdução à Qualidade de Software

Introdução à Qualidade de Software FACULDADE DOS GUARARAPES Introdução à Qualidade de Software www.romulocesar.com.br Prof. Rômulo César (romulodandrade@gmail.com) 1/41 Objetivo do Curso Apresentar os conceitos básicos sobre Qualidade de

Leia mais

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI Pólo de Competitividade das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica TICE.PT PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM IMPLANTAÇÃO DA SUITE DE FERRAMENTAS

VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM IMPLANTAÇÃO DA SUITE DE FERRAMENTAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM IMPLANTAÇÃO DA SUITE DE FERRAMENTAS PARA APOIO AO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação UFRJ/IM Pós-Graduado em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC Pós-Graduado

Leia mais

Usando o PRINCE2 TM como base para todos os Projetos Dezembro/ 2009

Usando o PRINCE2 TM como base para todos os Projetos Dezembro/ 2009 Usando o PRINCE2 TM como base para todos os Projetos Dezembro/ 2009 Usando o PRINCE2 TM como base para todos os Projetos Diferença entre projetos e operação O que uma organização procura em uma metodologia

Leia mais

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 1 CobIT Modelo abrangente aplicável para a auditoria e controle de processo de TI, desde o planejamento da tecnologia até a monitoração e auditoria de

Leia mais

WESLEI ALVIM DE TARSO MARINHO

WESLEI ALVIM DE TARSO MARINHO WESLEI ALVIM DE TARSO MARINHO ADAPTAÇÃO DA FASE DE DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO DE UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE PARA DESENVOLVIMENTO COM REUSO BASEANDO-SE NO CMMI Monografia de graduação apresentada ao

Leia mais

Pós Graduação Engenharia de Software

Pós Graduação Engenharia de Software Pós Graduação Engenharia de Software Ana Candida Natali COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Sistemas e Computação FAPEC / FAT Estrutura do Módulo QUALIDADE DE SOFTWARE - PROCESSO Introdução: desenvolvimento

Leia mais

Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR

Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR Prof. Dr. Marcos Kalinowski (UFF) kalinowski@acm.org Agenda do Curso Motivação para processos de software Visão geral do programa MPS.BR e do modelo MPS-SW

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

Agilidade e eficácia na implantação de programas de melhoria de processos

Agilidade e eficácia na implantação de programas de melhoria de processos Agilidade e eficácia na implantação de programas de melhoria de processos PMPS Programa de Melhoria de Processos de Software Carla Fabiana Massochini Apresentação VALORIZZA Desenvolvimento Empresarial

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

PMBok & CMM + CMMi Resumo

PMBok & CMM + CMMi Resumo PMBok & CMM + CMMi PMBok & CMM + CMMi Resumo Mauro Sotille, PMP mauro.sotille@pmtech.com.br www.pmtech.com.br Fontes SEI/Carnegie Mellon University Apresentação: Gerência de Projetos de Software, José

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS CMMI E METODOLOGIAS ÁGEIS Os métodos de desenvolvimento Ágeis e

Leia mais

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1 Introdução CMMI O propósito da qualidade é estabelecer um diferencial competitivo, através de contribuições como redução de defeitos, redução de custos, redução de retrabalho e aumento da produtividade,

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Engenharia de Software I Aula 3 e 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de

Leia mais

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Qualidade de Software Aula 6 / 2010 Prof. Dr. Luís Fernando Garcia luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Introdução As três dimensões críticas Introdução Começando MAL CMMI Impeditivos CMMI Desculpas CMMI

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: MPS-RH

Programa MPS.BR e Modelo MPS: MPS-RH Programa MPS.BR e Modelo MPS: MPS-RH Gleison Santos (COPPE) Renato Luiz Della Volpe (ASR Consultoria) Introdução RENATO LUIZ DELLA VOLPE Sócio Diretor da ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda.

Leia mais

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO9000-3 Capítulo 5: CMM Capítulo 6:

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR CURSO DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO JOSE CARLOS GESING

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR CURSO DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO JOSE CARLOS GESING UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR CURSO DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO JOSE CARLOS GESING MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE NO BRASIL: UTILIZAÇÃO DO MODELO MPS.BR

Leia mais

Metodologia para Análise de Maturidade de Governança de TI. Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios

Metodologia para Análise de Maturidade de Governança de TI. Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios Metodologia para Análise de Maturidade de Governança de TI Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Análise de Maturidade de Governança

Leia mais

Borland: Informatizando TI. João Carlos Bolonha jbolonha@borland.com

Borland: Informatizando TI. João Carlos Bolonha jbolonha@borland.com Borland: Informatizando TI João Carlos Bolonha jbolonha@borland.com Software Diferentes Níveis Extrair o Máximo Valor para o Negócio Eficiência Vantagem Competitiva Copyright 2007 Borland Software Corporation.

Leia mais

CMM. Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software. Capability. Maturity. Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos.

CMM. Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software. Capability. Maturity. Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos. CMM Capability Maturity Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos.br 8/3/2002 Pró-Reitoria de Administração - Diretoria de Serviços

Leia mais

Avaliando Scrum em um ambiente CMMi 5

Avaliando Scrum em um ambiente CMMi 5 Avaliando Scrum em um ambiente CMMi 5 Daniel Vieira Magalhães Agile Coach E-mail/GTalk/MSN: danielvm@ciandt.com João Paulo Coelho Software Quality Engineer E-mail/GTalk: joaopc@ciandt.com Agenda 1. Objetivos

Leia mais

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio CMM Capability Maturity Model Silvia Regina Vergilio Histórico O DoD patrocinou a fundação do SEI (Software Engineering Institute) na Universidade de Carnegie Mellon (Pittsburg) com o objetivo de propor

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte I Agenda Processos CMMI Definição Histórico Objetivos Características Representações

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Qualidade de software É cada dia maior o número de empresas que buscam melhorias em seus processos de desenvolvimento de software. Além do aumento da produtividade e da diminuição do retrabalho, elas buscam

Leia mais

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto,

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto, De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir.

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir. De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Introdução a CMMI Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Campina Grande, 29 de setembro de 2008 Agenda Processos Motivação Sintomas de falha de processo Aprimoramento de Processos O Framework

Leia mais

Qualidade de Software no Contexto Organizacional: Arquitetura Corporativa. Atila Belloquim Gnosis IT Knowledge Solutions

Qualidade de Software no Contexto Organizacional: Arquitetura Corporativa. Atila Belloquim Gnosis IT Knowledge Solutions Qualidade de Software no Contexto Organizacional: Arquitetura Corporativa Atila Belloquim Gnosis IT Knowledge Solutions TI e Negócio 10 entre 10 CIOs hoje estão preocupados com: Alinhar TI ao Negócio;

Leia mais

ISO 9001:2000, MPS.BR F, CMMI 3: Uma estratégia de melhoria de processos na BL Informática

ISO 9001:2000, MPS.BR F, CMMI 3: Uma estratégia de melhoria de processos na BL Informática ISO 9001:2000, MPS.BR F, CMMI 3: Uma estratégia de melhoria de processos na BL Informática Gerente de Desenvolvimento Analia Irigoyen Ferreiro Ferreira analia@blnet.com Agenda BL Informática Histórico

Leia mais

No Relatório Técnico que apresenta o modelo CMM a apresentação das KPAs segue o formato visto Aqui, ênfase no nível 2

No Relatório Técnico que apresenta o modelo CMM a apresentação das KPAs segue o formato visto Aqui, ênfase no nível 2 Os níveis 3, 4 e 5 No Relatório Técnico que apresenta o modelo CMM a apresentação das KPAs segue o formato visto Aqui, ênfase no nível 2 descrição sucinta das KPAs dos níveis 3, 4 e 5 INF310 - Modelos

Leia mais

IV Seminário Internacional. Maturidade em Gerenciamento de Projetos. Como Medir o Nível de Maturidade em GP de uma Empresa

IV Seminário Internacional. Maturidade em Gerenciamento de Projetos. Como Medir o Nível de Maturidade em GP de uma Empresa IV Seminário Internacional Maturidade em Gerenciamento de Projetos Como Medir o Nível de Maturidade em GP de uma Empresa Palestrante: Leon Herszon F.,MSc, PMP Leon Herszon F., MSc, PMP Diretor Executivo

Leia mais

CMMI for Services. Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com

CMMI for Services. Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com CMMI for Services Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com Agenda Objetivo Motivação CMMI for Services Um pouco de história... Entrando em detalhes CMMI-DEV X CMMI-SVC Objetivos Apresentar o modelo

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

Capítulo 6: PSP. Capítulo 6: PSP Personal Software Process

Capítulo 6: PSP. Capítulo 6: PSP Personal Software Process Capítulo 6: PSP Personal Software Process Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO9000-3 Capítulo 5: CMM Capítulo 6: PSP

Leia mais

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MODELOS DE MELHORES PRÁTICAS DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MELHORES PRÁTICAS PARA T.I. MODELO DE MELHORES PRÁTICAS COBIT Control Objectives for Information

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Renato Luiz Della Volpe Sócio Diretor da ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. Formado em 1983 em Eng. Mecânica pela FEI e Pós-graduação em Administração pela USP 2001.

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G.

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. Magda A. Silvério Miyashiro 1, Maurício G. V. Ferreira 2, Bruna S. P. Martins 3, Fabio Nascimento 4, Rodrigo Dias

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

CMM CMMI Principais conceitos, diferenças e correlações www.asrconsultoria.com.br

CMM CMMI Principais conceitos, diferenças e correlações www.asrconsultoria.com.br 30 de outubro de 2003 CMM CMMI Principais conceitos, diferenças e correlações Renato Luiz Della Volpe Sergio Massao Jomori Ana Cecília Peixoto Zabeu www.asrconsultoria.com.br 1 Agenda Introdução Evolução

Leia mais

Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3

Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3 Objetivos Histórico Evolução da Qualidade Princípios de Deming CMMI Conceitos Vantagens Representações Detalhamento Gerenciamento Comparação Out/11 2 Histórico SW-CMM (Software Capability Maturity Model):

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI INTRODUÇÃO Aumento da Importância do Software Software está em tudo: Elemento crítico

Leia mais

Qualidade do Processo de Software

Qualidade do Processo de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Qualidade do Processo de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais

Leia mais

Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI

Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI Teresa Maria de Medeiros Maciel UFRPE/INES/UFPE tmmaciel@gmail.com Base de conhecimento disponível Maior controle ISO9001 MPS BR Padronização processual

Leia mais

Project Management Office: Uma visão Geral

Project Management Office: Uma visão Geral Project Management Office: Uma visão Geral Prof. André Barcaui, MSc, PMP 1 Agenda 1. Entender o conceito ligado ao Project Management Office; 2. Conhecer os diversos tipos de existentes; 3. Definir as

Leia mais

Um modelo de implementação do. Capability Maturity Model Integration nível 2

Um modelo de implementação do. Capability Maturity Model Integration nível 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO PAULO ROBERTO DE MIRANDA SAMARANI Um modelo de implementação do Capability Maturity Model Integration

Leia mais

Sobre a Prime Control

Sobre a Prime Control Sobre a Prime Control A Prime Control é uma empresa focada e especializada em serviços de qualidade e testes de software. Somos capacitados para garantir, através de sofisticadas técnicas, a qualidade

Leia mais

Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG. Definindo e Alcançando Objetivos

Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG. Definindo e Alcançando Objetivos Derivação de Métricas para Projetos de BI Mauricio Aguiar ti MÉTRICAS Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG www.metricas.com.br

Leia mais

TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI

TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI Autores Caroline Donato Dario Almeida Marisa Fraga Apresentação Dario Almeida Gerente Executivo

Leia mais

A Experiência de Melhoria do Processo do Instituto Atlântico Baseado no SW-CMM nível 2

A Experiência de Melhoria do Processo do Instituto Atlântico Baseado no SW-CMM nível 2 A Experiência de Melhoria do Processo do Instituto Atlântico Baseado no SW-CMM nível 2 Carlos Giovano Pires, Fabiana Marinho, Gabriela Telles, Arnaldo Belchior * Instituto Atlântico, Rua Chico Lemos, 946,

Leia mais

Porque integrar desenvolvimento e operações?

Porque integrar desenvolvimento e operações? Outubro de 2011 Porque integrar desenvolvimento e operações? Bruno Caiado Tivoli Tiger Team Alexandre Couto Rational Tiger Team A importância relativa da tecnologia como fator influencidor para o sucesso

Leia mais

Capability Maturity Model Integration - CMMI

Capability Maturity Model Integration - CMMI Capability Maturity Model Integration - CMMI Para Desenvolvimento Versão 1.2 M.Sc. Roberto Couto Lima ÍNDICE 1. Definição ------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

METODOLOGIAS ÁGEIS EM UM CONTEXTO CMMI 3:

METODOLOGIAS ÁGEIS EM UM CONTEXTO CMMI 3: Universidade Federal de Pernambuco - Centro de Informática Graduação em Ciência da Computação Trabalho de Graduação METODOLOGIAS ÁGEIS EM UM CONTEXTO CMMI 3: ESTUDO DE CASO Autor: Guilherme Augusto de

Leia mais

Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI

Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI Gustavo Siqueira Simões - PMP e CFPS http://www.linkedin.com/in/gustavosimoes gustavo.simoes@fattocs.com.br skype: gustavosimoes +55(11)

Leia mais

3. Metodologias de Gerenciamento de Riscos

3. Metodologias de Gerenciamento de Riscos 3. Metodologias de Gerenciamento de Riscos A complexidade que caracteriza a implantação de um sistema ERP é uma das maiores preocupações das organizações que pretendem desenvolver projetos desta natureza.

Leia mais

Rodrigo B. Neves, PMP Diretor Gerência de Projetos - Flag IntelliWan rbneves@flag.com.br MSN: rodrigo_neves@hotmail.com

Rodrigo B. Neves, PMP Diretor Gerência de Projetos - Flag IntelliWan rbneves@flag.com.br MSN: rodrigo_neves@hotmail.com Infocon 2004 Rodrigo B. Neves, PMP Diretor Gerência de Projetos - Flag IntelliWan rbneves@flag.com.br MSN: rodrigo_neves@hotmail.com Agenda Definição; Histórico; Governança Coorporativa de TI; O Modelo

Leia mais

Implantação de um Processo de Medições de Software

Implantação de um Processo de Medições de Software Departamento de Informática BFPUG Brazilian Function Point Users Group Implantação de um Processo de Medições de Software Claudia Hazan, MSc., CFPS claudinhah@yahoo.com Agenda Introdução Processo de Medições

Leia mais

Consultoria Estratégica. PMSolution Consultoria

Consultoria Estratégica. PMSolution Consultoria PMSolution Consultoria Nossa Atuação Cliente Governança Corporativa Governança de TI Áreas de Conhecimento Consultoria Estratégica Gerenciamento de Projetos e Portfólio Tecnologia Capacitação Confidencial

Leia mais

Inovação na utilização de Método Ágil aderente ao CMMI. Palestrante: Anderson Donas, PMP, CFPS Consultor Sênior - DISYS

Inovação na utilização de Método Ágil aderente ao CMMI. Palestrante: Anderson Donas, PMP, CFPS Consultor Sênior - DISYS Inovação na utilização de Método Ágil aderente ao CMMI Palestrante: Anderson Donas, PMP, CFPS Consultor Sênior - DISYS AGENDA A DISYS DISYS e a Inovação Inovação, Implementação do CMMI com SCRUM Case de

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial

Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Empresarial Governança de Tecnologia da Informação parte 2 Fonte: Mônica C. Rodrigues Padrões e Gestão de TI ISO,COBIT, ITIL 3 International Organization for Standardization d -

Leia mais

ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA

ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA SOBRE A CONSULTORIA Assegure melhores resultados em seus projetos com uma estrutura de comunicação simples, efetiva,

Leia mais

Fátima dos Santos Mandjam

Fátima dos Santos Mandjam Universidade do Minho Escola de Engenharia Avaliação do impacto das práticas do CMMI do nível 2, no desempenho de equipas piloto de desenvolvimento de software no ensino Fátima dos Santos Mandjam Avaliação

Leia mais

Qualidade de Software: Visão Geral

Qualidade de Software: Visão Geral Qualidade de Software: Visão Geral Engenharia de Software 1 Aula 05 Qualidade de Software Existem muitas definições de qualidade de software propostas na literatura, sob diferentes pontos de vista Qualidade

Leia mais

CMMI: Capability Maturity Model Integration

CMMI: Capability Maturity Model Integration CMMI: Capability Maturity Model Integration Adriano J. Holanda http://holanda.xyz 21/10/2015 Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration CMMI: Capability Maturity Model

Leia mais

Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA. PMBoK

Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA. PMBoK Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA PMBoK 1. (FCC/ANALISTA-MPU 2007) De acordo com o corpo de conhecimento da gerência de projetos, as simulações

Leia mais

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira Introdução ao MPS.BR Guia Geral Prof. Elias Batista Ferreira IMPORTANTE Este NÃO é um curso oficial do MPS.BR. Este curso NÃO é apoiado pela Softex. Objetivo deste Curso Descrever os processos e resultados

Leia mais