COMPUTERWORLD. Videoconferência. Dezembro COMPUTERWORLD

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPUTERWORLD. Videoconferência. Dezembro 2012 - COMPUTERWORLD"

Transcrição

1 COMPUTERWORLD Dezembro 2012 Videoconferência Custos e aspectos culturais dificultam adopção...2 Mais na cloud, pode ser menos...6 Segmento em convergência...7 Má configuração pode ter consequências nefastas...8 Fornecedores defendem segurança de produtos...9 Suporte de colaboração na saúde...10 Videoconferência na educação...11 Dezembro COMPUTERWORLD

2 2 Comunicações Videoconferência Unificadas Custos e aspectos culturais dificultam adopção Apesar de haver soluções para contornar os custos de investimento inicial, estes continuam a ter um peso importante nos sistemas de videoconferência mais sofisticados. As más experiências anteriores também têm um efeito desmotivador. Existem ainda várias barreiras à adopção de sistemas de videoconferência e muitas delas são do âmbito cultural. Mas os custos de aquisição de equipamento continuam a ser dos mais importantes entraves. Assim, tal como noutras esferas das TIC, o segmento de videoconferência está a ser povoado por soluções baseadas na Internet. São disponibilizadas segundo um modelo de serviços a pedido e, apesar da qualidade menos consistente, resolvem duas questões cada vez mais importantes: à partida, sobrecarregam menos o orçamento anual, e são mais fáceis de implantar. Muitas vezes são gratuitas ou então o seu custo é baixo. Não exigem grandes equipamentos além de uma webcam e na maior parte das vezes chegam aqueles incorporados nos computadores portáteis. Mas também o som e a imagem nem sempre correspondem às expectativas empresariais. São fornecidos em serviços over-the-top (OTT) sem os operadores estarem envolvidos na sua disponibilização, apesar de detectarem esse tráfego. Pecam ainda por não oferecerem grandes facilidades de interoperacionalidade entre si. Apesar de tudo, estão a ser adoptados não só pelo sector doméstico do mercado mas também pelas PME. Mais utilizados pelas grandes empresas, os sistemas de videoconferência são também comercializados como sistemas de telepresença. Geralmente, envolvem a preparação de uma sala inteira com instalação de equipamentos especializados. Actualmente, já oferecem integração com PC e smartphones - e já antes com telefones fixos e muitas vezes estão integrados com a plataforma de comunicações unificadas. As expectativas de qualidade e som são mais COMPUTERWORLD - Dezembro 2012 elevadas, o que nem sempre teve correspondência no passado. Envolvem normalmente investimentos muito mais elevados do que as soluções de videoconferência. Especialmente neste tipo de oferta, assiste-se a uma convergência entre o sector dos equipamentos para audiovisual e o sector da TIC. Os objectivos centram-se nas soluções e experiência de utilização, e as empresas de TIC procuram assumir a liderança. Memórias e frustrações persistem Mesmo com os sistemas de videoconferência menos virtuais, há contas importantes a fazer e um dos benefícios pode até ser a redução de custos, em termos globais. A principal barreira à adopção dos sistemas de videoconferência continuam a ser os custos associados à compra dos equipamentos necessários assim como à construção das salas em si, defende Bruno Vilares, da Ericsson. No entanto, quando é feito um estudo mais aprofundado dos custos inerentes a uma actividade profissional global, nomeadamente em viagens, estadias ao longo do ano, verificamos que o custo considerado inicialmente como entrave se dilui facilmente. Daniel Nunes, da Nextiraone, considera que as soluções estão mais acessíveis mas os custos de aquisição são difíceis de contornar. Não se trata apenas de suportar os investimentos em novas soluções,

3 Videoconferência 3 Þ O obstáculo grande empresa Para José Alvarenga, da Tele HG, a dificuldade numa adopção generalizada das plataformas de videoconferência prende-se com a forma como a tecnologia tem vindo a ser instalada nas grandes empresas e no efeito de liderança que essa prática tem sobre a adopção das pequenas e médias empresas. Na esmagadora maioria das vezes, as grandes empresas instalam soluções de videoconferência em redes internas IP dificultando a interligação com entidades externas à organização, designadamente as pequenas e médias empresas suas parceiras, explica este responsável. Na visão de Alvarenga, o modelo de sucesso para todas as empresas é implantar pontos terminais de videoconferência directamente ligados à Internet, quer com um IP fixo para ligações H.323 quer com um endereço URL SIP fixo para ligações SIP. Alguns sistemas adoptados pelas grandes empresas são de tal forma fechados que invalidam até uma potencial opção de aluguer de estúdios de videoconferência para utilização à hora pelas PME e assim comunicarem com as grandes organizações. Ao mesmo tempo não se permite que utilizando sistemas de colaboração por vídeo, como o Skype, se possa dialogar com os sistemas de videoconferência através das bridges existentes em plataformas de cloud computing. A universalidade de acesso acaba por ser limitada pelas opções tecnológicas que as grandes empresas têm realizado, considera.< porque a Internet também nem Amazon há e a cenários Fnac não nos FL: quais Já, já. Houve reiras três culturais razões pelas como as mais importantes. mentos e a fraca Agora o qualidade meu dever é de analisar som oportunidades, os principais ver o que faz responsáveis sentido lançar ou, a e imagem tem lan- eram ainda facturava é necessário o que factura fazer hoje. Receber a amortização quais conseguimos de Esses atingir factores este ano colocam o M&P: em Noutros questão mercados a percepção de dois sobre ou três anos referidos çado títulos benefícios, em segmentos nos essa quais adopção. o eventualmente, Mas, para adquirir. Miguel Do Louzeiro lado de a RD aquisições uma carta das anteriores. Selecções era um break-even, depois Nem evento que e tinha seja uma em taxa segundo de resposta plano, de os perdas custos brutal. iniciais Hoje não marcam estamos nessa presença. reali- Persiste fundamental foi, vidade, claramente, segundo o corte Miguel tratégia Louzeiro, está a ser pensada para sado o mer- e a própria democratização da banda muito como duras os em aumentos Portugal. A potenciais grupo tem de know-how. produti- Esse tipo (Cisco), de es- esse Espanha, tipo barreiras o mercado já é foi muito ultrapas- grande, ainda, dade. A concorrência segundo é Daniel duríssima, Nunes os na (Nextiraone), nossos livros uma têm herança dscondo que negativa, foi uma além bém disso. noutros países, Existe mas a em necessidade Portugal FL: de O mercado adopção português dos em Na termos mesma mentar linha de o portfólio pensamento da RD ao as nível bar- de estrutura de Cisco. custos, aconteceu tamcado ibérico? larga teve um M&P: importante Mas há planos papel concretos nisso. de au- Existe das razões ainda, que me por facilitou vezes, a decisão, um estigma foi drástico. associado entrei depois à fraca de no ano experiência anterior terem vivida Espanha, em so-ra fa rente do que de prostão comunicar, não é a menos reforça coisa, Louzeiro. do Espanhol. É promete um mer- Louzeiro. FL: Se as Com oportunidades a consolidação surgirem e Saíram processos dezenas actuais de pesal e a esta publicitários maneira é um dife- décimo, mais reiras coisa culturais imprensa? tendem a desaparecer, luções saído muitas do passado, sobretudo em soluções estrutura de custos, Raul que Oliveira não é elevada, salienta mesmo cado relativamente que o contacto a receita ou a não relação é sufi-presencial ocupado por são grandes o prin- grupos aplicações), de media, um o fundo vídeo de passa investimento a ser somente até facilita pequeno dos e muito serviços forem de boas, colaboração sim. E ter como (voz, accionista vídeo, de videoconferência de sala tradicionais, o problema é que considera. M&P: As 'gorduras' já tinham sido cortadas. responsáveis apontam para rentabilizar as bar- essa A dificuldade de utilização Portugal dos o difícil equipa- é rentabilizá-las. acessível às plano empresas, para investiir numa uns estratégia quantos miciente para, em cipal condições obstáculo normais, a uma portanto, maior adopção. não é caro lançar revistas mais em uma as aplicação coisas. Mais de facilmente produtividade vêem um Vários de Dezembro COMPUTERWORLD

4 4 Videoconferência comunicações unificadas: resolvem as questões essenciais quanto às infra-estruturas um dos desafios mais importantes ao adoptarem-se redes inteligentes, capazes de gerir diversos tipos de tráfego distintamente, justifica. A primeira barreira que encontramos são os requisitos de desempenho e segurança numa rede corporativa e respectivas linhas de comunicações, reforça Claúdio Camacho, da GTI. E isso implica uma demonstração da simplicidade de instalação e utilização da solução de videoconferência em paralelo com as restantes aplicações das empresas, explica. Além disso, muitos utilizadores ainda sentem frustração com a forma como gerem o crescente número de comunicações (mensagens, áudio, vídeo, etc.) e com a sua experiência de utilização, acrescenta Paulo Calado, da Microsoft. Para este responsável, a reacção dos utilizadores deve-se à discrepância existente entre as interfaces de utilização das várias ferramentas que utilizam e a falta de integração entre elas. A unificação de comunicações preconizada pela Microsoft, entre outros fabricantes, tenta resolver esta questão. Com visão semelhante, Luís Coelho (Alcatel-Lucent) afirma que, cada vez mais integrados em soluções de comunicação multimédia globais, os sistemas de videoconferência são hoje fáceis de utilizar. Lembra que já surgem integrados com smartphones e tablets, além de estarem nos PC, e já não envolvem os custos de outrora. Operadores podem impulsionar Apesar das dificuldades enunciadas, Bruno Vilares (Ericsson) diz que as tradicionais conferências telefónicas estão a ser progressivamente trocadas por videoconferências. Na base dessa tendência está a adopção de sustentabilidade e de redução de emissões de CO2, sugere. As grandes empresas multinacionais, como a Ericsson, já possuem pelo menos uma sala de videoconferência nos seus escritórios locais, o que será uma tendência a estender-se por todas as empresas, exemplifica. Contudo, para isso acontecer de forma mais célere, defende este responsável, os operadores de telecomunicações têm de fornecer cada vez mais este tipo de sistemas a preços competitivos, tirando partido das suas ofertas empresariais actuais.< Þ Dispersão das equipas é desafio Os departamentos de TI das organizações clientes deparam- se com vários desafios, numa lista realizada por Paulo Calado, da Microsoft: - Dispersão das equipas - o número de trabalhadores remotos aumentou mais de dez vezes nos últimos anos. As equipas de colaboradores estão mais distribuídas do que nunca, assim como os parceiros e os clientes; - Mobilidade da força de trabalho - de acordo com um estudo da Forrester, 90% dos colaboradores têm necessidade de usar uma forma de mobilidade. Cerca de 41% trabalham fora da sede da organização e 15% num local distinto daquele da sua chefia directa; - Falta de inovação - a tecnologia não acompanhou a evolução das necessidades dos utilizadores, as experiências de utilização não têm mudado ao longo dos anos e há uma falta generalizada de experiências de comunicação ricas e eficazes, o que torna mais difícil a adopção das novas ferramentas e faz com que poucos colaboradores utilizem as funcionalidades de videoconferência; Custos elevados - até há pouco tempo, os colaboradores tinham de gerir até seis dispositivos diferentes e até cinco tipos de aplicações de comunicação diferentes: ou seja, demasiadas ferramentas, com excessiva complexidade e muitos desafios à eficiência de custos de uma organização; - Falta de integração - entre as ferramentas e o contexto em que o colaborador se encontra. Esta situação traz desafios adicionais às equipas de TI como, por exemplo, a gestão de identidades e a sobreposição de investimentos.< COMPUTERWORLD - Dezembro 2012

5 Videoconferência 5 PUB Onde quer que esteja, participe nas SuaS reuniões de trabalho Afonso Neves Gestor de Produto PT Prime Nas últimas décadas, a forma como as pessoas trabalham nas organizações mudou radicalmente. O posto de trabalho deixou de estar centrado no espaço do escritório, estando cada vez mais pessoas a trabalhar em mobilidade, com benefícios de flexibilidade e de produtividade para as organizações. Seja em casa, no restaurante, em viagem ou a partir de qualquer ponto do mapa, a maioria de nós trabalha e interage regularmente com interlocutores dispersos geograficamente. A globalização veio também pressionar as organizações a expandir a sua atividade a diferentes mercados fora do país de origem. Seja em contexto de internacionalização, descentralização de recursos ou restruturação organizacional, o recurso a soluções tecnológicas que capacitem os colaboradores a comunicar à distância com segurança, eficiência e facilidade, traduz-se em evidentes vantagens competitivas. Num mundo em que a informação se desloca a uma velocidade cada vez mais vertiginosa, torna-se vital às organizações acelerar os processos de tomada de decisão, de forma a aproveitar as oportunidades com que se deparam. As soluções de videoconferência têm vindo, por isso, a assumir um papel de crescente relevo nas organizações, ao possibilitarem o desenvolvimento de trabalho colaborativo à distância através de uma comunicação quase presencial. As equipas passaram a realizar reuniões de trabalho à distância, em tempo real, proporcionando interações mais frequentes, com ganhos de tempo e de maior rapidez nas decisões. Como posso reunir com os meus colaboradores, clientes e fornecedores independentemente do local onde se encontrem? Através da videoconferência pode comunicar e desenvolver sessões de trabalho a qualquer hora, com todos os seus interlocutores, estejam eles onde estiverem. Pode também utilizar esta forma de comunicação para apresentar, analisar e atualizar documentos, vídeos, apresentações ou relatórios de forma partilhada e em tempo real em conjunto com outros interlocutores. Pode igualmente realizar entrevistas ou ações de formação com colaboradores que estejam simultaneamente em diferentes locais e gravar essas mesmas sessões para as disponibilizar mais tarde à restante organização. A evolução tecnológica possibilita hoje a realização de sessões de videoconferência com imagem e som em alta definição, acessíveis a um custo cada vez mais reduzido. O contacto visual direto, verbal e não verbal, através de um ecrã com elevada definição, torna a comunicação fácil e imediata. Posso participar em reuniões enquanto estou em viagem? É possível participar em reuniões via videoconferência utilizando smartphones, tablets ou PC portáteis. O aumento exponencial de largura de banda móvel tornou possível a utilização da videoconferência através de dispositivos portáteis em locais públicos ou quando está em movimento. A compatibilidade entre os equipamentos de videoconferência e os dispositivos móveis que permitem facilmente realizar sessões de videoconferência possibilitam, por exemplo, realizar uma reunião com múltiplos participantes enquanto viaja de carro ou de comboio, tornando o seu tempo mais produtivo. Como posso reduzir custos? A adoção da videoconferência como meio preferencial de comunicação à distância potencia uma substancial redução dos custos de operação. Traduz-se numa menor frequência de deslocações, reduzindo os custos de suporte logístico inerentes às reuniões presenciais, como o alojamento de participantes, o aluguer de espaços ou o transporte de equipamentos. Ao poder realizar confortavelmente sessões de trabalho sem se deslocar, otimiza o seu tempo e aumenta a produtividade e eficiência da organização. A videoconferência permite ainda uma considerável poupança energética, reduzindo a emissão de CO 2 dos meios de transporte que normalmente utilizaria, fazendo com que a sua organização contribua para a melhoria do ambiente. E como reduzir encargos de aquisição e manutenção dos equipamentos? Hoje é possível utilizar estas soluções de uma forma ainda mais simples, sem ter de comprar equipamentos. As soluções de videoconferência podem ser suportadas num modelo de software as a service, alojadas na SmartCloudPT, podendo as organizações usufruir de todos os benefícios do trabalho colaborativo à distância, pagando apenas a utilização do serviço, sem quaisquer preocupações com a gestão dos equipamentos. Qual a solução que melhor se enquadra nas necessidades específicas da minha organização e da minha atividade? A escolha da solução mais adequada exige uma análise abrangente e integradora de todas as componentes e especificidades da sua organização e da sua atividade. A PT conhece a fundo as necessidades tecnológicas com que se deparam as organizações num contexto de fortes desafios e de crescente mobilidade dos negócios. Neste sentido, coloca ao dispor dos seus clientes as soluções mais avançadas de videoconferência que vão desde soluções para PC, smartphones e tablets, até equipamentos específicos para efetuar sessões de videoconferência em alta definição. Através de soluções próprias ou através do serviço de videoconferência alojado na SmartCloudPT, a PT disponibiliza as soluções integradas de videoconferência que melhor se adaptam às necessidades específicas de cada organização, tendo em conta a otimização de custos, a produtividade das equipas e garantindo que as organizações tiram partido de todas as potencialidades da comunicação à distância.< smartcloudpt.pt ptprime.pt Dezembro COMPUTERWORLD

6 6 Videoconferência Mais na cloud, pode ser menos aproveitar os serviços de videoconferência em cloud computing é uma solução para contornar o investimento inicial. Mas nem sempre correspondem às melhores expectativas, se não houver uma gestão adequada. COMPUTERWORLD - Dezembro 2012 A maioria dos responsáveis inquiridos pelo Computerworld reconhece os feitos práticos da adopção de uma solução de videoconferência em cloud computing. Mas quase todos apontam algumas ressalvas. Miguel Louzeiro (Cisco) é a excepção e afirma peremptório: a adopção destas soluções é feita sobre as mesmas premissas de qualidade, segurança e interoperacionalidade do que as soluções implementadas dentro de casa. José Alvarenga (TeleHG) admite mesmo que a cloud computing poderá ter um efeito exponencial na adopção destas plataformas. Na base disso está a possibilidade de as empresas conseguirem simplificar as implantações. O responsável explica como se deve fazer: as organizações podem limitar-se a comprar os terminais de videoconferência e ligarem-se à Internet com um indicativo único de chamada SIP ou IP. Todos os outros serviços, de bridging, multiponto, gravação, webcast,... podem ser suportados por outsourcing. Contudo, existe um lado menos favorável, dado que os serviços de colaboração em vídeo que não sejam telepresença (videoconferência com qualidade de alta definição e fiabilidade) são formas limitadas que acabam por levantar reservas à sua utilização, defende. São as soluções de utilização gratuita aquelas a levantar mais dúvidas, tendo em conta o ambiente empresarial. Bruno Vilares, da Ericsson, considera que acarretam um conjunto de pontos sensíveis em termos de segurança, de qualidade de serviço e de verticalidade (falta de interoperacionalidade). A questão particular da privacidade ganha destaque nas preocupações levantadas por Cláudio Camacho (GTI), sobretudo nas aplicações gratuitas. Mas o modelo de disponibilização em SaaS é assumido, pelo responsável da Ericsson, como sendo cada vez melhor para suportar videoconferência. Simplesmente, o serviço deverá ser feito por um operador ou parceiro tecnológico. É fundamental ter em atenção o compromisso do fornecedor, reforça Paulo Calado, da Microsoft. Luís Coelho (Alcatel -Lucent) e Daniel Nunes (Nextiraone) aprofundam ainda mais a questão dos requisitos a considerar. O primeiro considera que é importante definir e medir as necessidades de largura de banda, tendo em conta que o serviço vai ser disponibilizado a partir de apenas um ponto da plataforma de cloud computing. Isto é particularmente importante para serviços multi-ponto, acrescenta. À medida que proliferam os novos dispositivos móveis, os colaboradores das empresas tendem a usar cada vez mais aplicações de comunicação e colaboração no seu próprio dispositivo. E querem usar esse dispositivo também dentro da empresa como ferramenta de trabalho. Consequentemente, as exigências sobre as infra-estruturas móveis e Wi-Fi são cada vez mais acentuadas, explica Daniel Nunes, da Nextiraone. O futuro reforçará o peso da largura de banda. Na opinião deste responsável da Nextiraone, as aplicações com fluxos de média e alta definição serão cada vez mais comuns com a adopção impulsionada pelos serviços de comunicação 4G e o aumento dos serviços Wi-Fi. No que se refere à segurança, importa estabelecer níveis a manter pelos dispositivos para usarem a rede empresarial, alerta ainda Daniel Nunes. Os requisitos de segurança envolvem o acesso por WiFi mas também por VPN e a utilização de protecções contra vírus e malware. Mecanismos de autenticação ganham importância Não deixa de ser importante manter o controlo sobre o acesso à informação e na utilização de recursos da rede. Por isso, Daniel Nunes recomenda a identificação de cada dispositivo passível de ser ligado à rede, envolvendo mecanismos de autenticação para o mesmo e para o utilizador. Além disso, a falta de interoperacionalidade entre os diversos serviços de videoconferência muitos assentes em tecnologias proprietárias tem um impacto nocivo na experiência de utilização. Obriga a instalar vários clientes de software, nos equipamentos dos utilizadores, especialmente nos smartphones e tablets, para suportar a interconexão entre utilizadores. Este trabalho de gestão não impede a adopção destas soluções pelas PME, até porque estas constituem, segundo Paulo Calado, o segmento onde o impacto é mais evidente. Mas, como considera Daniel Nunes, as soluções de videoconferência empresarial com oferta baseada em cloud computing estão numa fase ainda embrionária.<

7 Videoconferência 7 Segmento em convergência A passagem de várias tecnologias e meios de comunicação para um suporte digital resultou, também na videoconferência, numa consolidação com um posicionamento mais forte das TIC. A evolução das TIC provocou uma série de movimentos de consolidação e o mundo da videoconferência não escapou à onda. Se antes era liderado pelos actores do segmento do equipamento audiovisual, hoje são os intervenientes do sector dastic que têm nele um posicionamento mais forte. Apesar disso, os primeiros continuam importantes e também tendem a convergir. A videoconferência era um negócio que costumava ser gerido pelos fornecedores de equipamento audiovisual, explica Luís Coelho, da Alcatel-Lucent. Então, isso fazia sentido quando a infra-estrutura dedicada era necessária para transportar apenas pacotes de vídeo. Hoje, uma infra-estrutura IP comum é utilizada para todo o tipo de comunicações. Por isso, os fornecedores de TIC estão a tornar-se mais centrais no cenário global, considera o responsável da Alcatel-Lucent. O interesse não parte só do sector das TIC. Temos tido contactos de empresas especialistas em soluções de audiovisuais que olham para a área de redes como um mercado de interesse, revela Cláudio Camacho (GTI). Essa convergência é cada vez mais uma realidade incontornável. A comunicação faz-se cada vez mais em formato multimédia (áudio, vídeo, conteúdos), através de redes privadas ou públicas de banda larga (com fios ou sem fios), pelo que o impacto nas infra-estruturas de TI, e consequentes interdependências, é cada vez maior, explica Daniel Nunes, da Nextiraone. Mas os fornecedores de equipamento audiovisual continuam a ser importantes, realça Luís Coelho. O responsável da Alcatel-Lucent reconhece-lhes um papel no desenho e afinação do ambiente do utilizador final sobretudo para soluções clássicas de videoconferência em sala. Numa perspectiva de fabricantes, assistimos ao estabelecimento de diferentes parcerias entre players de áudio/vídeo e players das redes e comunicações, considera Daniel Nunes, da Nextirone. Isto acontece por existirem necessidades em termos de integração em áreas tão diversas como as infra-estruturas de comunicações, a colaboração e os terminais multimédia. No fundo, a implantação de uma plataforma de videoconferência está-se a tornar um projecto de comunicações global, como nota Luís Coelho, enquanto José Alvarenga (TeleHG) faz um alerta: a videoconferência está claramente no âmbito das TIC mas é um erro básico, com graves consequências, incluí-la no âmbito das funções da informática das organizações. Para este responsável, no paradigma ideal, o utilizador tem um equipamento terminal normalizado, associado a um número universalmente reconhecido por outro equipamento nas chamadas telefónicas. Com efeito, a videoconferência está cada vez mais a ser pedida e utilizada nos equipamentos pessoais dos utilizadores, confirma Luís Coelho. Face a este contexto, será mais importante as empresas preocuparem-se com a ergonomia, a facilidade de utilização e a qualidade das comunicações - em vez da origem do fornecedor. Não há dúvida nenhuma de que a mobilidade vai ser um forte factor, concorda Raul Oliveira, porque as pessoas vão querer usar os seus dispositivos móveis para entrar em videoconferência. O responsável critica o facto de não existir uma cultura para construir as soluções de videoconferência à medida das necessidades do cliente. Não obstante, considera que os projectos tendem claramente a apresentar uma componente servidora e outra parte de dispositivo cliente, separadas, e de fabricantes diferentes. Plataforma HDVC é reflexo do movimento A iniciativa High Definition Visual Communications (HDVC) é um exemplo da convergência, salienta Bruno Vilares, da Ericsson, lembrando que foi criada por um consórcio composto por fornecedores de tecnologias de informação e comunicação incluindo a Ericsson, Polycom, Sony, Panasonic e até operadores de telecomunicações (como a Telefónica). O grande objectivo desta iniciativa é permitir fazer um downscale aos preços que estão associados aos sistemas de videoconferência e telepresença mas alcançando, ao mesmo tempo, a capacidade de interligação entre as várias soluções fornecidas pelos vários elementos desta iniciativa, explica. Na visão da Eriscsson, a plataforma constituída permitirá tirar maior partido da ligação dos dispositivos à Internet (por exemplo, nas televisões), para suportar as comunicações em vídeo numa interface familiar.< Dezembro COMPUTERWORLD

8 8 Videoconferência Má configuração pode ter consequências nefastas a implantação e gestão dos sistemas por entidades externas é a solução mais corrente, quando não existe conhecimento interno para garantir uma configuração adequada. No final de Janeiro de 2012, dois investigadores revelaram ser possível aceder às linhas de comunicação de salas de videoconferência e assim manipular as câmaras de modo a espiar uma sala onde o sistema está instalado (ver texto na página 9). A principal causa do problema é a má configuração do sistema. E a mesma parece estar na origem de muitas outras falhas de segurança. Alguns dos responsáveis inquiridos não tiveram conhecimento de nenhum caso. Mas, por exemplo, José Alvarenga (TeleHG), diz que a frequência de casos de má configuração, com riscos para a segurança da informação é grande. Contudo, o mesmo responsável baseia o problema numa opção errada que é a de colocar o sistema de videoconferência sobre a rede informática da organização. Na sua opinião, isso resulta em problemas de segurança mas também em sobrecargas indevidas na rede e dificuldades de expansão ou adopção da tecnologia. Noutra perspectiva, Daniel Nunes (Nextiraone) coloca a tónica na complexidade das soluções actuais. Segundo ele, esta é acrescida em resultado das plataformas serem constituídas por diversos produtos, com diferentes especificidades, de diferentes fabricantes e com múltiplas interdependências, quanto a sistemas de informação e da infra-estrutura de rede, para a melhor integração possível. Neste contexto, o executivo considera ser necessário as empresas terem um maior conhecimento interno, embora isso seja dispendioso e incompatível com as restrições económicas actuais. Outra via será rodearem-se dos integradores adequados, que possuam competências e recursos nas diferentes vertentes tecnológicas envolvidas (como por exemplo em segurança de TI). Para José Alvarenga, a solução está em usar a Internet e as soluções disponibilizadas em modelo de cloud computing. Nem a utilização de protocolos proprietários resolverá o problema, reforça o responsável da TeleHG. A ideia é que o serviço gerido por um operador dará maiores garantias de segurança - e Bruno Vilares (Ericsson) concorda com ela. Mesmo assim, Raul Oliveira recorda que a maior parte dos problemas de segurança está ligada a erros humanos. Podem ser erros dos administradores de sistemas, dos utilizadores que colocam os seus dispositivos em situações de risco. E considera que, actualmente, a situação ainda é pior, porque os utilizadores trazem os seus dispositivos móveis para dentro da organização, e usam-nos para aceder a recursos internos, sem que a segurança dos seus dispositivos esteja garantida. Privilegia-se a produtividade e a rapidez de acesso em detrimento da segurança, lamenta o executivo sobre esta tendência.< Û Sete alternativas Actualmente, qualquer computador com uma webcam também existente em tablets e smartphones pode funcionar como interface de serviços de videoconferência de baixo custo ou gratuitos. O Skype ou o Google+ são alternativa, mais ou menos viável (consoante as necessidades profissionais), a sistemas cujo preço pode ascender a milhares de euros. Seguem-se sete escolhas possíveis: - Connect (Adobe): apresenta como argumento a consistência entre as plataformas, por ser baseada totalmente em Flash, e é funcionalmente idêntica em computadores Mac ou PC com Windows (e, teoricamente, em qualquer plataforma capaz de suportar Flash). Mas esta base em Flash é também uma desvantagem, ao esbarrar nos limites definidos a esta tecnologia nos browsers. - Omnijoin (Brother): é um serviço do fabricante de impressoras e tem um desempenho consolidado, apesar de algumas particularidades de configuração. São especialmente úteis a capacidade de gravar as conferências localmente e partilhar ficheiros PowerPoint, sem ferramentas adicionais. - WebEx Meetings (Cisco): a parte gratuita do serviço é funcional, suporta a interacção até três pessoas e tem funções de gravação de sessões. Três razões para uma aposta válida. - GoToMeeting (Citrix): é um serviço de topo de gama mas não tem componente gratuita. Além disso, a qualidade de imagem e funcionalidades de interacção são prejudicadas pelas limitações de gravação des sessões e uma interface de utilização sobrepovoada. - Hangouts (Google+): no caso de todos os intervenientes terem contas na rede social Google+, é uma plataforma bastante razoável para estar em videoconferência num grupo até nove pessoas. - Lync (Microsoft): tem uma interface parecida com o Windows 8. Permite partilhar inquéritos, ficheiros PowerPoint e de outros tipos. Tem um quadro de interacção, além do sistema de mensagens instantâneas. - Skype (Microsoft): continua a ser um serviço para se iniciar na utilização da videoconferência, devido à ubiquidade do programa, tanto a nível pessoal como empresarial. Mas o facto de não ter capacidades de gravação e a falta de aplicações adicionais é um grande defeito.< COMPUTERWORLD - Dezembro 2012

9 Videoconferência 9 Fornecedores defendem segurança de produtos Os fabricantes dizem estar a procurar um melhor equilíbrio entre segurança e facilidade de utilização. É possível, secretamente, espiar salas de reuniões com videoconferência, revelaram no início de 2012 os investigadores H. D. Moore e Mike Tuchen, da empresa de segurança Rapid7. Para tal, bastava que os sistemas estivessem configurados por norma para receber chamadas de qualquer pessoa. O problema centrava-se nas funcionalidades de auto-resposta, uma funcionalidade existente em produtos de empresas como a Cisco, LifeSize e Polycom, que automaticamente atendem chamadas de vídeo ou de som. Moore é director de segurança da Rapid7 e desenvolveu um programa para verificar os sistemas de teleconferência nos quais esse recurso está activado, que se revela um grande problema de segurança. As análises de Moore abrangeram cerca de 3% da Internet endereçável e encontraram 250 mil sistemas usando o protocolo H.323, uma especificação para chamadas de áudio e vídeo. O investigador disse que encontrou mais de cinco mil organizações com a funcionalidade de resposta automática activada. Nessas entidades, detectou produtos de empresas como a Polycom, a Cisco, a Life- Size e a Sony. No geral, os resultados significam que até 150 mil sistemas em toda a Internet podem estar vulneráveis, de acordo com a Rapid7. Depois de se invadir os sistemas de uma sala de conferências, a Rapid7 diz que é possível a uma pessoa de "ler uma password de seis dígitos inscrita num papel a mais de 20 metros de distância da câmara" e isto mesmo com sistemas de videoconferência baratos. "Num ambiente tranquilo, foi possível ouvir claramente conversas nos corredores junto às salas", escreveu Moore no blogue da Rapid7. "Um outro teste confirmou a capacidade de monitorizar o teclado de um utilizador e captar com precisão a sua password, basta apontar a câmara e usar um zoom de alto nível", diz. Mas se todos os recursos de segurança dos sistemas de teleconferência estivessem activados, Moore "não imagina que alguém iria utilizar o produto para estabelecer uma ligação telefónica", devido à complexidade inerente, ressalvou em entrevista. As empresas montam muitas vezes os sistemas fora da sua firewall para facilitarem a sua utilização, mas isso tem riscos de segurança. A implantação do sistema dentro de uma firewall pode ser difícil, porque os sistemas de teleconferência podem usar até 30 protocolos diferentes, para estabelecer uma chamada. Isso exige ajustar as firewalls. Simplificar para proteger A Polycom, um dos fornecedores principais de teleconferência, afirma recomendar aos gestores de sistemas a desactivação das auto-respostas, quando se implanta um sistema para lá da firewall. E revela que a maioria dos seus sistemas são implantados dentro do perímetro da firewall e, portanto, funcionam em ambiente seguro. Os clientes preferem ter o recurso de resposta automática activado para tornar mais fácil para as TI a gestão remota dos sistemas de vídeo, disse a empresa. A Cisco afirmou não estar ciente de quaisquer novas vulnerabilidades de software nos seus produtos de telepresença. Sobre a questão da auto-resposta, esta empresa considera que "o recurso em todos os produtos do Cisco TelePresence é definido pelos administradores da rede". A LifeSize, uma divisão da Logitech, considera que todos os seus produtos são fornecidos com o atendimento automático desactivado, por norma. E garante estar empenhada em simplificar o processo. Mesmo assim, Moore tem a impressão de que os sistemas de teleconferência devem ser mais fáceis de implantar, e com segurança. Normalmente "não são muito bem compreendidos pelos técnicos", sublinha.< Dezembro COMPUTERWORLD

10 10 Videoconferência Suporte de colaboração na saúde a videoconferência deverá ter um impacto substancial nos resultados dos serviços de saúde, nomeadamente nos índices de satisfação dos pacientes e dos próprios profissionais. A forma mais lucrativa e eficiente para os profissionais de saúde prestarem melhores serviços é melhorar o nível de colaboração entre os diferentes intervenientes da plataforma de videoconferência, de acordo com a Ovum. No estudo Video conferencing and healthcare: a new chapter in collaboration, a consultora explica como a videoconferência terá um impacto substancial nos resultados dos tratamentos de saúde, na satisfação dos pacientes, mas também dos profissionais de saúde quando devidamente integrados em sistemas de saúde e práticas de trabalho. Espera-se que a tecnologia tenha resultados relevantes numa série de áreaschave, incluindo o desenvolvimento de redes de tratamento especializado, cuidados de saúde mais justos e uma comunicação mais eficaz. E a esaúde será uma área importante. "As soluções de videoconferência devem ser adaptadas para vários cenários de utilização, que vão desde o diagnóstico de doenças específicas e o processo de tratamento entre um prestador de cuidados e um paciente, à consulta entre os profissionais", diz Charlie Davies, consultor da Ovum e co-autor do relatório. Ele afirma que o equipamento e as redes necessárias também variam significativamente, dos sistemas de telepresença que exigem banda larga de alta velocidade aos serviços de desktop e portáteis. O estudo também mostrou promissoras perspectivas de longo prazo para a videoconferência, com o aumento da conectividade de banda larga fixa e móvel, melhorias na interoperacionalidade dos equipamentos e na inovação das aplicações de comunicações máquina a máquina (M2M). "O papel cada vez mais central das TIC irá melhorar os resultados, permitir consultas remotas e reduzir os custos", sustenta a analista sénior da Ovum e co-autora do estudo, Cornelia Wels-Maug. "A interacção entre os profissionais de saúde, prestadores de cuidados e pacientes, bem como a formação e educação, podem ser facilitadas com a videoconferência", reforça.< COMPUTERWORLD - Dezembro 2012

11 Videoconferência 11 Videoconferência na educação um projecto entre a universidade de drexel (eua) e a advanced av permite que professores, funcionários, alunos e ex-alunos registem apresentações sobre temas como liderança e competências de supervisão. Os vídeos são armazenados online para os alunos usarem segundo a sua conveniência. A universidade norte-americana de Drexel e a Advanced AV, um integrador de sistemas audiovisuais, estão a colaborar na implantação de um sistema de videoconferência, para instalar hardware de vídeo relativamente barato e serviços baseados em cloud computing num projecto que exemplifica grandes mudanças no mercado do equipamento audiovisual (AV). Uma delas é a possibilidade de compradores e fabricantes adicionarem mais dois elementos à receita da transformação: produtos mais baratos e serviços de cloud computing. "Há de tudo, desde uma aplicação gratuita do Skype até um sistema Cisco mais robusto. Todos os potenciais clientes são um pouco diferentes e têm abordagens diversas", diz Michael Boettcher, presidente da Advanced AV. Alguns, por exemplo, exigem altos níveis de segurança e fiabilidade, e querem investir num ambiente controlado, acrescenta. Outros só precisam de uma câmara e contentam-se com uma ligação Skype ou outro software barato. "Há certamente desafios para cada um desses níveis, mas não há uma maneira correcta ou errada", afirma o responsável, salientando que tudo redunda no objectivo de utilização dos sistemas e nas expectativas. A abordagem da Drexel inclui uma série de componentes. Terá um sistema de videoconferência de alta definição (HD) Passport Connect, da LifeSize (Logitech), que inclui uma câmara de vídeo HD da Logitech, além de um codec de videoconferência. Travis Lisk, vice-presidente de operações técnicas da Advanced AV, explica que a Passport Connect é uma set top box integrada com o serviço Skype. O produto LifeSize está no extremo inferior da faixa de preços para os sistemas de vídeo HD, mas faz bem o que foi projectado para fazer: "oferecer uma solução satisfatória de desktop com uma câmara HD". A Universidade de Drexel usará o Mediasite, da Sonic Foundry, como estação de captação para gravação de vídeos e o serviço de videoconferência MeetMe, da Vidtel o qual permite aos participantes estabelecerem uma ligação de videoconferência baseada em cloud computing. Este serviço, de acordo com a Vidtel, pode interligar sistemas de videoconferência em salas, telefones com vídeo, computadores e dispositivos móveis usando o Session Initiation Protocol (SIP), o protocolo de comunicação H.323 AV, o Skype ou o GoogleTalk. Jenny Kaus, responsável de orçamentos e administração nos serviços administrativos da Drexel, considera que uma aplicação fundamental para o novo sistema será a criação de vídeos para o programa de desenvolvimento de liderança CEO LEAD. A tecnologia permitirá que professores, funcionários ou ex-alunos gravem apresentações sobre temas como liderança e competências de supervisão. Os vídeos serão armazenados online para os alunos usarem segundo a sua conveniência, explica. A universidade Drexel também vai usar o sistema para chegar aos alunos da Universidade de Sacramento, na Califórnia, e aos alunos participantes, a partir de diferentes locais dos EUA ou no estrangeiro. "Conferências e ensino à distância são o que as universiades estão a fazer muito por estes dias", diz Boettcher. O integrador está a conceber um sistema audiovisual, enquanto a universidade está a preparar o espaço para a instalação. Essa tarefa inclui trabalhos de electricista, uma actualização do AVAC e o reforço de uma parede para acomodar ecrãs planos. Projectos chegam mais cedo ao CIO O departamento de ajuda aos estudantes da universidade está a trabalhar de perto com a Advanced AV neste projecto. O envolvimento do departamento de TI está a tornarse comum com a fusão das redes de AV e com as empresariais. "A transferência de poder foi passada para as TI", observa Boettcher. Há alguns anos, as empresas que vendiam equipamentos AV iam falar com o CIO ou com um executivo de TI apenas após perceberem que os sistemas iriam assentar na rede empresarial. No entanto, essa situação mudou. "Temos essas conversas directamente com as divisões de TI ou grupos de redes dentro da organização", refere Boettcher. Empresas do audiovisual procuram certificações de TIC Outro resultado da convergência entre TI e o segmento de audiovisuais é que empresas como a Advanced AV estão a procurar obter certificações técnicas. Os revendedores de TI, por sua vez, acham que a direcção actual do mercado estimula a sua participação. A virtualização dos sistemas, onde o software executa funções de videoconferência em cloud computing, abre oportunidades tanto para revendedores como para integradores.< COMPUTERWORLD AV. DA REPÚBLICA, N.º 6, 7º ESQ LISBOA DIRECTOR EDITORIAL: PEDRO FONSECA EDITOR: JOÃO PAULO NÓBREGA DIRECTOR COMERCIAL E DE PUBLICIDADE: PAULO FERNANDES TELEF. / FAX TODOS OS DIREITOS SÃO RESERVADOS. A IDG (International Data Group) é o líder mundial em media, estudos de mercado e eventos na área das tecnologias de informação (TI). Fundada em 1964, a IDG possui mais de funcionários em todo o mundo. As marcas IDG Computerworld, CIO, CFO World, CSO, ChannelWorld, InfoWorld, Macworld, PC World e TechWorld atingem uma audiência de 270 milhões de consumidores de tecnologia em mais de 90 países, os quais representam 95% dos gastos mundiais em TI. A rede global de media da IDG inclui mais de 460 websites e 200 publicações impressas, nos segmentos das tecnologias de negócio, de consumo, entretenimento digital e videojogos. Anualmente, a IDG produz mais de 700 eventos e conferências sobre as mais diversas áreas tecnológicas. Pode encontrar mais informações do grupo IDG em Dezembro COMPUTERWORLD

12 IMAGINE EM QUE PARTE DO MUNDO A SUA ORGANIZAÇÃO VAI ESTAR HOJE. IMAGINE PORQUE É POSSÍVEL. Muitas vezes, distância, tempo e custos apresentam-se como um obstáculo para a expansão das Organizações. A PT Prime disponibiliza soluções que permitem comunicar sem barreiras e colaborar em tempo real, em qualquer parte do mundo, de uma forma tão real como se estivesse fisicamente lá. É fácil imaginar uma solução que promove a produtividade da sua Organização. E o melhor é que é possível. UM MUNDO DE POSSIBILIDADES TELEPRESENÇA. VIDEOCONFERÊNCIA. AUDIOCONFERÊNCIA

CUSTO TOTAL DE PROPRIEDADE DO PANDA MANAGED OFFICE PROTECTION. 1. Resumo Executivo

CUSTO TOTAL DE PROPRIEDADE DO PANDA MANAGED OFFICE PROTECTION. 1. Resumo Executivo 1. Resumo Executivo As empresas de todas as dimensões estão cada vez mais dependentes dos seus sistemas de TI para fazerem o seu trabalho. Consequentemente, são também mais sensíveis às vulnerabilidades

Leia mais

O seu escritório na nuvem - basta usar o browser.

O seu escritório na nuvem - basta usar o browser. 02 O seu escritório na nuvem - basta usar o browser. As soluções tecnológicas que encontra para melhorar a colaboração na sua empresa são muito caras e complexas? Pretende tornar as suas equipas mais ágeis

Leia mais

Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt

Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt Desktop Virtual Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt Tendo em conta que a Virtualização será um dos principais alvos de investimento para o ano 2009 (dados

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Sumário País Portugal Sector Saúde Perfil do Cliente O Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho envolve

Leia mais

Melhor Comunicação com o serviço UCoIP. Uma nova visão da Identidade Corporativa

Melhor Comunicação com o serviço UCoIP. Uma nova visão da Identidade Corporativa Melhor Comunicação com o serviço UCoIP Uma nova visão da Identidade Corporativa O que irá aprender A Importância do novo conceito UCoIP nas comunicações empresariais de amanhã. Um único endereço para todas

Leia mais

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor Folha de Factos A informação contida neste documento representa a visão actual da Microsoft Corporation sobre os assuntos discutidos,

Leia mais

CEO Briefing Portugal 2015 The Economist. A Internet das Coisas como impulsionador da estratégia das empresas portuguesas

CEO Briefing Portugal 2015 The Economist. A Internet das Coisas como impulsionador da estratégia das empresas portuguesas CEO Briefing Portugal 2015 The Economist A Internet das Coisas como impulsionador da estratégia das empresas portuguesas 92% dos executivos portugueses acreditam que as suas empresas dispõem de capacidades

Leia mais

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal 1 Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal As alterações verificadas no comportamento dos consumidores, consequência dos novos padrões

Leia mais

System Center Essentials permite à Cintra gerir a sua infra-estrutura de TI com um mínimo de custos e de recursos

System Center Essentials permite à Cintra gerir a sua infra-estrutura de TI com um mínimo de custos e de recursos Microsoft System Center Essentials 2007 Caso de Sucesso Cintra System Center Essentials permite à Cintra gerir a sua infra-estrutura de TI com um mínimo de custos e de recursos Sumário País Portugal Sector

Leia mais

1.1 A abordagem seguida no livro

1.1 A abordagem seguida no livro 1- Introdução A área de administração de sistemas e redes assume cada vez mais um papel fundamental no âmbito das tecnologias da informação. Trata-se, na realidade, de uma área bastante exigente do ponto

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A EVOLUÇÃO DO AMBIENTE DE TRABALHO Adaptando-se às Novas e Avançadas Tecnologias de Comunicações

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A EVOLUÇÃO DO AMBIENTE DE TRABALHO Adaptando-se às Novas e Avançadas Tecnologias de Comunicações O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A EVOLUÇÃO DO AMBIENTE DE TRABALHO Adaptando-se às Novas e Avançadas Tecnologias de Comunicações Sua força de trabalho, clientes, parceiros e fornecedores estão distribuídos

Leia mais

MANUAL WIRELESS DOS PONTOS MUNICIPAIS DE BANDA LARGA

MANUAL WIRELESS DOS PONTOS MUNICIPAIS DE BANDA LARGA MANUAL WIRELESS DOS PONTOS MUNICIPAIS DE BANDA LARGA Introdução O Projecto Municipal dos Pontos Municipais de Banda Larga (PMBL) pretende dotar o Município de Almeida de equipamentos e infra-estruturas

Leia mais

BREVE MANUAL WIRELESS

BREVE MANUAL WIRELESS BREVE MANUAL WIRELESS Introdução O Projecto Municipal Seixal Digital pretende dotar o município do Seixal de equipamentos e infraestruturas que permitam o acesso às tecnologias de informação e comunicação.

Leia mais

Software de gestão em tecnologia Web

Software de gestão em tecnologia Web Software de gestão em tecnologia Web As Aplicações de Gestão desenvolvidas em Tecnologia Web pela Mr.Net garantem elevados níveis de desempenho, disponibilidade, segurança e redução de custos. A Mr.Net

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA Quem Somos Somos um grupo de empresas de prestação de serviços profissionais nas áreas das Tecnologias de Informação, Comunicação e Gestão. Estamos presente em Portugal,

Leia mais

IP Communications Platform

IP Communications Platform IP Communications Platform A Promessa de Convergência, Cumprida As comunicações são essenciais para os negócios mas, em última análise, estas são conduzidas a nível pessoal no ambiente de trabalho e por

Leia mais

FAZER MAIS COM MENOS Maio 2012 White Paper

FAZER MAIS COM MENOS Maio 2012 White Paper CLOUD COMPUTING FAZER MAIS COM MENOS Maio 2012 CLOUD COMPUTING FAZER MAIS COM MENOS Cloud Computing é a denominação adotada para a mais recente arquitetura de sistemas informáticos. Cada vez mais empresas

Leia mais

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia.

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Bem-vindos à Conferência da ANACOM. Antes de mais gostaria de agradecer

Leia mais

Informática. Aula 7. Redes e Telecomunicações

Informática. Aula 7. Redes e Telecomunicações Informática Aula 7 Redes e Telecomunicações Comunicação Empresarial 2º Ano Ano lectivo 2003-2004 Introdução Para as empresas modernas funcionarem eficazmente, são vitais as ligações que conectam as suas

Leia mais

SOLUÇÕES DE INFRAESTRUTURA

SOLUÇÕES DE INFRAESTRUTURA DE INFRAESTRUTURA www.alidata.pt geral@alidata.pt +351 244 850 030 A Alidata conta com uma equipa experiente e especializada nas mais diversas áreas, desde a configuração de um simples terminal de trabalho

Leia mais

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO 2015 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas

Leia mais

acesse: vouclicar.com

acesse: vouclicar.com Transforme como sua empresa faz negócios, com o Office 365. Vouclicar.com A TI chegou para as pequenas e médias empresas A tecnologia é hoje o diferencial competitivo que torna a gestão mais eficiente,

Leia mais

PT Web Conference. DGO Gestão de Oferta Empresarial Setembro de 2009

PT Web Conference. DGO Gestão de Oferta Empresarial Setembro de 2009 PT Web Conference Versão 1.0 DGO Gestão de Oferta Empresarial Setembro de 2009 Este documento é propriedade intelectual da PT e fica proibida a sua utilização ou propagação sem expressa autorização escrita.

Leia mais

COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET

COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET Você está realmente conectado? Esse é o desafio atual no panorama dos negócios virtuais e móveis, à medida que as empresas se esforçam para ter comunicações consistentes

Leia mais

Assunto: Apresentação da Core Factor

Assunto: Apresentação da Core Factor Assunto: Apresentação da Core Factor Índice A. Breve apresentação da empresa... 3 1. Sobre nós... 3 2. Serviços... 3 3. Objectivos... 3 4. Parcerias... 4 B. Contactos... 8 1. Pessoas... 8 2. Empresa...

Leia mais

Adapte. Envolva. Capacite.

Adapte. Envolva. Capacite. Adapte. Envolva. Capacite. Ganhe produtividade em um Ambiente de trabalho digital #DigitalMeetsWork Os benefícios de um ambiente de trabalho digital têm impacto na competitividade do negócio. Empresas

Leia mais

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos Eficiência operacional no setor público Dez recomendações para cortar custos 2 de 8 Introdução Com grandes cortes no orçamento e uma pressão reguladora cada vez maior, o setor público agora precisa aumentar

Leia mais

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens Callix PABX Virtual SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens Por Que Callix Foco no seu negócio, enquanto cuidamos da tecnologia do seu Call Center Pioneirismo no mercado de Cloud

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Realidade Empresarial,Globalização da Informação e Segurança

Realidade Empresarial,Globalização da Informação e Segurança Culture OnLine, 5-7.6 Realidade Empresarial,Globalização da Informação e Segurança Peering down the Wormhole Dr. Susan Hazan Filomena Pedroso Realidade Empresarial em Portugal Incerteza nos mercados recomenda

Leia mais

Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI

Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI Janeiro de 2011 p2 Usuários comerciais e organizações precisam

Leia mais

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial.

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. POWERING BUSINESS QUEM SOMOS A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. Desde 1987 que desenvolvemos um trabalho

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Liderança e tecnologia: uma comparação do custo total de propriedade de Comunicações unificadas e Colaboração

Liderança e tecnologia: uma comparação do custo total de propriedade de Comunicações unificadas e Colaboração WHITE PAPER Liderança e tecnologia: uma comparação do custo total de propriedade de Comunicações unificadas e Colaboração Patrocinado pela Cisco Systems, Inc setembro de 2013 Resumo executivo As empresas

Leia mais

Ficha de Caracterização do Trabalho

Ficha de Caracterização do Trabalho Ficha de Caracterização do Trabalho Título Skype: um cliente P2P VoIP ou a revolução do mercado das telecomunicações? Resumo: Neste artigo dá-se a conhecer um programa lançado recentemente, baseado em

Leia mais

Resumo da solução SAP SAP Technology SAP Afaria. Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva

Resumo da solução SAP SAP Technology SAP Afaria. Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva da solução SAP SAP Technology SAP Afaria Objetivos Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva Simplifique a gestão de dispositivos e aplicativos Simplifique a gestão de dispositivos e aplicativos

Leia mais

w w w. y e l l o w s c i r e. p t

w w w. y e l l o w s c i r e. p t consultoria e soluções informáticas w w w. y e l l o w s c i r e. p t A YellowScire iniciou a sua atividade em Janeiro de 2003, é uma empresa de consultoria de gestão e de desenvolvimento em tecnologias

Leia mais

Enunciados dos Trabalhos de Laboratório. Instituto Superior Técnico - 2005/2006. 1 Introdução. 2 Configuração de Redes

Enunciados dos Trabalhos de Laboratório. Instituto Superior Técnico - 2005/2006. 1 Introdução. 2 Configuração de Redes Enunciados dos Trabalhos de Laboratório Instituto Superior Técnico - 2005/2006 1 Introdução A empresa XPTO vende serviços de telecomunicações. O seu portfólio de serviço inclui: acesso à Internet; serviço

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

Com esta tecnologia Microsoft, a PHC desenvolveu toda a parte de regras de negócio, acesso a dados e manutenção do sistema.

Com esta tecnologia Microsoft, a PHC desenvolveu toda a parte de regras de negócio, acesso a dados e manutenção do sistema. Caso de Sucesso Microsoft Canal de Compras Online da PHC sustenta Aumento de 40% de Utilizadores Registados na Área de Retalho Sumário País: Portugal Industria: Software Perfil do Cliente A PHC Software

Leia mais

Mensagens ambientais da HP

Mensagens ambientais da HP Mensagens ambientais da HP Definição da promessa Projeto para o meio ambiente Por ser líder ambiental há décadas no setor tecnológico, a HP faz a diferença com um projeto abrangente de estratégia ambiental,

Leia mais

XLM Innovation & Technology

XLM Innovation & Technology 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A XLM, sedeada em Aveiro, iniciou a sua atividade em 1995. Nesta data, a sua área de atuação cingia-se à venda, instalação e assistência técnica

Leia mais

PORQUÊ O PHC ENTERPRISE CS?

PORQUÊ O PHC ENTERPRISE CS? PORQUÊ O PHC ENTERPRISE CS? Um ERP, como qualquer software, pode vir em várias medidas. Quer se chamem soluções, serviços, formatos, ou gamas como no caso da PHC, existem diversas possibilidades para uma

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2015 Quem é a 2VG? A Empresa A 2VG Soluções Informáticas SA., é uma empresa tecnológica portuguesa, fundada em 2009, que surgiu para colmatar uma necessidade detetada no mercado

Leia mais

O papel dominante da mobilidade no mercado de trabalho

O papel dominante da mobilidade no mercado de trabalho Um perfil personalizado de adoção da tecnologia comissionado pela Cisco Systems Fevereiro de 2012 Dinâmica de ganhos com as iniciativas de mobilidade corporativa Os trabalhadores estão cada vez mais remotos,

Leia mais

AR TELECOM CLOUD SERVICES

AR TELECOM CLOUD SERVICES AR TELECOM SERVICES NACIONAL E ESCALA GLOBAL Ar Telecom - Acessos e Redes de Telecomunicações, S.A. Doca de Alcântara, Edifício Diogo Cão 1350-352 Lisboa Tel: 800 300 400 corporatebusiness@artelecom.pt

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

FACILIDADES DE COLABORAÇÃO

FACILIDADES DE COLABORAÇÃO MICROSOFT OFFICE 365 FACILIDADES DE COLABORAÇÃO Março 2012 A CLOUD365 estabeleceu acordos estratégicos com os principais fornecedores de TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação), entre os quais destacamos

Leia mais

Voz em ambiente Wireless

Voz em ambiente Wireless Voz em ambiente Wireless Mobilidade, acesso sem fio e convergência são temas do momento no atual mercado das redes de comunicação. É uma tendência irreversível, que vem se tornando realidade e incorporando-se

Leia mais

Apresentação de Solução

Apresentação de Solução Apresentação de Solução Solução: Gestão de Altas Hospitalares Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros,

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

GUIA PARA COMPRA ONLINE

GUIA PARA COMPRA ONLINE GUIA PARA COMPRA ONLINE www.tipsal.pt QUEM SOMOS A TIPSAL - Técnicas Industriais de Protecção e Segurança, Lda foi fundada em 1980. Somos uma empresa de capitais exclusivamente nacionais com sede social

Leia mais

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM:

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: Decidiu apoiar as PME através deste programa, que permite: Modernizar a sua infraestrutura de comunicações Fazer crescer o seu negócio Incorporar competências essenciais

Leia mais

Objectivos de aprendizagem

Objectivos de aprendizagem Capítulo 6 1 Telecomunicações e redes 2 Objectivos de aprendizagem ƒ Identificar as principais tendências e os grandes desenvolvimentos nas empresas, nas tecnologias e nas aplicações de negócio, das telecomunicações

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA EDUCACIONAL Internet e Educação Ensaio: A Web 2.0 como ferramenta pedagógica

Leia mais

Lifesize. Cloud. Agora, você está falando com incrível videoconferência

Lifesize. Cloud. Agora, você está falando com incrível videoconferência Lifesize Cloud Agora, você está falando com incrível videoconferência Diga alô... para a videoconferência como você nunca viu antes. Apenas a Lifesize fornece uma solução para simplesmente conectar suas

Leia mais

GoTelecom, Lda Vila Nova de Gaia Portugal geral@gotelecom.pt www.gotelecom.pt. Case Study THE FLADGATE PARTNERSHIP - VINHOS, S.A

GoTelecom, Lda Vila Nova de Gaia Portugal geral@gotelecom.pt www.gotelecom.pt. Case Study THE FLADGATE PARTNERSHIP - VINHOS, S.A GoTelecom, Lda Vila Nova de Gaia Portugal geral@gotelecom.pt www.gotelecom.pt Case Study THE FLADGATE PARTNERSHIP - VINHOS, S.A ...este grupo é responsável pela criação de marcas que se tornaram referência

Leia mais

XOPVision Cloud Digital Signage

XOPVision Cloud Digital Signage XOPVision Cloud Digital Signage O que é o Digital Signage? Conceito O XOPVISION é uma ferramenta de comunicação que utiliza televisores, monitores, smartphones ou tablet s, estrategicamente localizados

Leia mais

Estado da Nação das TIC em Angola

Estado da Nação das TIC em Angola Estado da Nação das TIC em Angola CIO AGENDA ANGOLA 2013 AS TI TI COMO ALAVANCA DE CRESCIMENTO DO NEGÓCIO 21 de Maio, Hotel Sana Epic, Luanda Gabriel Coimbra General Manager, IDC Angola gcoimbra@idc.com

Leia mais

indiferenca.com Índice Empresa Pág. 3 Valores Pág. 3 Mercado Pág. 4 Serviços Pág. 4 Marcas Pág. 6 Protocolo Pág. 7 Vantagens

indiferenca.com Índice Empresa Pág. 3 Valores Pág. 3 Mercado Pág. 4 Serviços Pág. 4 Marcas Pág. 6 Protocolo Pág. 7 Vantagens Página2 Índice Empresa Valores Mercado Serviços Marcas Protocolo Vantagens a. Alunos / Docentes / Funcionários Contrapartidas Pág. 3 Pág. 3 Pág. 4 Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 7 Pág. 8 Pág. 8 4440-650 Valongo

Leia mais

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas.

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. Solução Base Descrição do Serviço A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. O acesso Internet Banda Larga que evolui com as suas necessidades. Características Solução adequada para:

Leia mais

Wall Street Institute resolve necessidades complexas de e-mail com solução Microsoft Exchange Online

Wall Street Institute resolve necessidades complexas de e-mail com solução Microsoft Exchange Online Wall Street Institute resolve necessidades complexas de e-mail com solução Microsoft Exchange Online Além da poupança na infra-estrutura física dos servidores e do preço das licenças, há reduções de custos

Leia mais

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A.

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A. 1 Reunir várias entidades do sector óptico nacional e discutir o futuro do sector bem como os temas cruciais para os empresários e intervenientes da área foram os objectivos do evento Visão de Futuro 2010,

Leia mais

Servidores de Impressão Axis

Servidores de Impressão Axis Servidores de Impressão Axis ARTIGO Servidores de Impressão Axis Como explorar as inúmeras oportunidades de mercado e tirar total partido das mesmas Created: September 27, 2005 Last updated: September

Leia mais

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Abril de 2008 Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária 1 Bashen Agro Um projecto Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Parceria FZ AGROGESTÃO Consultoria em Meio Rural, Lda Av.

Leia mais

ASSUNTO DO MATERIAL DIDÁTICO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DO MATERIAL DIDÁTICO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 05 ASSUNTO DO MATERIAL DIDÁTICO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN MÓDULO 01 Páginas 26 à 30 1 AULA 05 DESAFIOS GERENCIAIS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI

AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI CUSTOMER SUCCESS STORY Março 2014 AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI PERFIL DO CLIENTE Indústria: Manufatura Empresa: AT&S Funcionários: 7.500 Faturamento: 542 milhões

Leia mais

ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo

ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo Introdução Co-habitamos uma sociedade de informação universal, aliados ao paradigma da evolução tecnológica que se verifica e se revela como um meio

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

ConfigFree - Gestão simplificada de ligações

ConfigFree - Gestão simplificada de ligações ConfigFree - Gestão simplificada de ligações As ligações sem fios tornaram-se essenciais no estabelecimento de comunicações em qualquer parte em qualquer momento, permitindo aos utilizadores manterem-se

Leia mais

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica Inteligência em redes sociais corporativas Como usar as redes internas de forma estratégica Índice 1 Introdução 2 Por que uma rede social corporativa é um instrumento estratégico 3 Seis maneiras de usar

Leia mais

Apresentação da Solução. Divisão Área Saúde. Solução: Gestão de Camas

Apresentação da Solução. Divisão Área Saúde. Solução: Gestão de Camas Apresentação da Solução Solução: Gestão de Camas Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros, 82-A, 1500-060

Leia mais

Rua da Nória, nº 5, 1ºDT, 5200-231, Mogadouro, Portugal 914363569 alvaroferreira@ua.pt www.aspferreira.pt

Rua da Nória, nº 5, 1ºDT, 5200-231, Mogadouro, Portugal 914363569 alvaroferreira@ua.pt www.aspferreira.pt Curriculum Vitae INFORMAÇÃO PESSOAL Álvaro Ferreira Rua da Nória, nº 5, 1ºDT, 5200-231, Mogadouro, Portugal 914363569 alvaroferreira@ua.pt www.aspferreira.pt Sexo Masculino Data de nascimento 09/12/1985

Leia mais

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE SANTARÉM - R EVOLUÇÃO ADMINISTRATIVA A Autarquia de Santarém, em parceria com a PT Prime, desenvolveu um sistema de soluções integradas e inter-operantes que lhe possibilitaram operacionalizar

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

Forneça a próxima onda de inovações empresariais com o Open Network Environment

Forneça a próxima onda de inovações empresariais com o Open Network Environment Visão geral da solução Forneça a próxima onda de inovações empresariais com o Open Network Environment Visão geral À medida que tecnologias como nuvem, mobilidade, mídias sociais e vídeo assumem papéis

Leia mais

O SECTOR A SOLUÇÃO Y.make Num mundo cada vez mais exigente, cada vez mais rápido e cada vez mais competitivo, o papel dos sistemas de informação deixa de ser de obrigação para passar a ser de prioridade.

Leia mais

Mensagem da Administração

Mensagem da Administração Mensagem da Administração Quanto à área das Comunicações Wireless, o projeto Wavesys é o resultado de 3 anos de investigação e desenvolvimento e de 12 anos de experiência acumulada com a implementação

Leia mais

Mitel IP Desktop Solutions. Adaptadas ao Modo como Trabalha

Mitel IP Desktop Solutions. Adaptadas ao Modo como Trabalha Mitel IP Desktop Solutions Adaptadas ao Modo como Trabalha NÃO existem soluções universais 1 O atendimento e assistência a clientes são o ponto de entrada para a sua empresa... Será que os trabalhadores

Leia mais

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Resumo da solução Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Você deseja uma solução de computação unificada para a sua empresa de médio ou pequeno porte ou para o padrão avançado do seu

Leia mais

Rede GlobalWhitepaper

Rede GlobalWhitepaper Rede GlobalWhitepaper Janeiro 2015 Page 1 of 8 1. Visão Geral...3 2. Conectividade Global, qualidade do serviço e confiabilidade...4 2.1 Qualidade Excepcional...4 2.2 Resiliência e Confiança...4 3. Terminais

Leia mais

Aviso de confidencialidade

Aviso de confidencialidade Aviso de confidencialidade A informação que consta desta apresentação é confidencial. Qualquer forma de divulgação, reprodução, cópia ou distribuição total ou parcial da mesma é proibida, não podendo ser

Leia mais

SEGURANÇA E GERENCIAMENTO DE APIs. Uma empresa da CA Technologies

SEGURANÇA E GERENCIAMENTO DE APIs. Uma empresa da CA Technologies www.layer7.com SEGURANÇA E GERENCIAMENTO DE APIs Uma empresa da CA Technologies Uma empresa da CA Technologies COMPONENTES DE APIs PARA A EMPRESA ABERTA A Layer 7 oferece soluções de segurança e gerenciamento

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Gabinete do Ministro INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Gabinete do Ministro INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng.º Mário Lino por ocasião da Sessão REDES DE NOVA GERAÇÃO 2009 Fundação das Comunicações, 7 Janeiro 2009 (Vale

Leia mais

IV Fórum do Sector Segurador e Fundos de Pensões. Lisboa, 15 de Abril de 2009

IV Fórum do Sector Segurador e Fundos de Pensões. Lisboa, 15 de Abril de 2009 IV Fórum do Sector Segurador e Fundos de Pensões Lisboa, 15 de Abril de 2009 Foi com todo o gosto e enorme interesse que aceitei o convite do Diário Económico para estar presente neste IV Fórum do sector

Leia mais

AGÊNCIA DE MARKETING DE CONTEÚDOS - CATÁLOGO DE SERVIÇOS 2015 -

AGÊNCIA DE MARKETING DE CONTEÚDOS - CATÁLOGO DE SERVIÇOS 2015 - AGÊNCIA DE MARKETING DE CONTEÚDOS - CATÁLOGO DE SERVIÇOS 2015-1 2 INBOUNDWARE Somos uma Agência de Marketing de Conteúdos. Ajudamos as marcas a comunicar através de ferramentas online e offline. A nossa

Leia mais

Reestruturar o Sector Empresarial do Estado

Reestruturar o Sector Empresarial do Estado PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 458/XI/2.ª Reestruturar o Sector Empresarial do Estado A descrição de carácter económico-financeiro apresentada na próxima secção não deixa dúvidas sobre a absoluta necessidade

Leia mais

A sociedade conectada: smartphone e tablet banking

A sociedade conectada: smartphone e tablet banking Perspectivas, impactos e desafios Nilton Omura (nilton.omura@br.ey.com) Abril, 2012 As condições estruturais para viabilizar a massificação de smartphones e tablets no Brasil estão criadas, e irão transformar

Leia mais

Mensagem da Administração

Mensagem da Administração Mensagem da Administração Quanto à área das Comunicações Wireless, o projeto Wavesys é o resultado de 3 anos de investigação e desenvolvimento e de 12 anos de experiência acumulada com a implementação

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

Fórum 2014 Porto Casa da Música. www.it4legal.org

Fórum 2014 Porto Casa da Música. www.it4legal.org Porto Casa da Música www.it4legal.org Porto Casa da Música IT4Legal Quem Somos IT4Legal é um grupo informal dedicado à partilha e divulgação de informação acerca de sistemas de informação nas sociedades

Leia mais

Apresentação da empresa

Apresentação da empresa Apresentação da empresa A SOFTIMPULSE é uma nova empresa de tecnologias de informática criada para dar resposta ao desenvolvimento da sua empresa. A SOFTIMPULSE integra soluções revolucionárias e tecnologicamente

Leia mais

A Gestão da experiência do consumidor é essencial

A Gestão da experiência do consumidor é essencial A Gestão da experiência do consumidor é essencial Sempre que um cliente interage com a sua empresa, independentemente do canal escolhido para efetuar esse contacto, é seu dever garantir uma experiência

Leia mais

PONTNews Solução Comercial de e-marketing

PONTNews Solução Comercial de e-marketing PONTNews Solução Comercial de e-marketing Dossier de Produto DP010.03 02/01/2009 A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais, cuja principal actividade é implementação de Sistemas de Informação

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Comunicações móveis unificadas O Mobile Voice System ( MVS) foi projetado para unificar os recursos do telefone fixo aos smartphones e às redes

Leia mais