UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE BUSCA DA QUALIDADE TOTAL NAS EMPRESAS DE CALL CENTER Por: Denise Santos Tardin Orientador Prof. Aleksandra Sliwowska Bartsuch, M.SC. Niterói 2005

2 2 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE BUSCA DA QUALIDADE TOTAL NAS EMPRESAS DE CALLCENTER OBJETIVOS: Apresentação de monografia à Universidade Candido Mendes como condição prévia para a conclusão do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Marketing Por: Denise Santos Tardin..

3 3 AGRADECIMENTOS...à Deus, minha mãe, amigos e familiares que direta ou indiretamente me apoiaram na confecção desta monografia...

4 4 DEDICATÓRIA...dedico esta monografia a minha mãe que tanto investiu e acreditou em mim enquanto estava viva e que tenho certeza que continua estando ao meu lado em todos os dias da minha vida. Também dedico ao meu marido Rivaldo, ao meu Filho Matheus, minha irmã Simone e minha amigas Liziane e Elaine que sempre torceram por mim Denise Tardin.

5 5 RESUMO A busca do equilíbrio financeiro, da qualidade total e do crescimento das empresas de Call Center de um modo em geral, vêm sendo muito prejudicados pelo aumento considerável do índice de turnover e absentismo. Neste sentido, a fidelização dos clientes e dos colaboradores internos em relação à empresa, seus produtos e suas marca é de vital importância para continuidade e qualidade do negócio, que neste caso é a excelência no atendimento. Diante de um mercado dinâmico, como o que vivemos, onde os profissionais de compra estão cada a cada dia mais exigente, e onde o tempo é um bem precioso, precisamos usar todas a nossa criatividade para encontrar novas formas de atendimento e de relacionamento com os nossos colaboradores internos que representam a jóia de qualquer organização. De nada adianta uma tecnologia de ponta se o colaborador não estiver satisfeito, motivado, reconhecido. Às vezes a empresa só acorda para importância e o valor do seu colaborador, quando o perde e não pode mais contar com a sua colaboração nos trabalhos. Esta monografia busca detectar então, quais são os problemas, as causas que fazem com que os colaboradores nas Empresas de Call Center não permaneçam muito tempo dentro de uma mesma empresa pois o custo com treinamento, o tempo necessário para que um novo operador se adapte ao sistema e esteja com o nível de qualidade desejável de atendimento, gera custos crescentes para a organização além de toda a carga tributária que não é nada baixa. Depois de detectadas quais são causas, esta monografia tenta buscar soluções para reduzir este turnover por demissão, utilizando a aplicação de um treinamento completo, reciclagens, onde a organização para ser 1º um exemplo para depois cobrar resultados, valorizando atitudes, ações e idéias dos colaboradores, trabalhando com muita transparência e com muita clareza com relação aos valores e regras de conduta da empresa, além da

6 6 clareza também quanto ao que espera de cada colaborador, fornecendo um ambiente de trabalho favorável as suas tarefas. É essencial que seja realizado um acompanhamento contínuo com feddback e a realização de reciclagens para melhoria contínua Para a maioria do empresariado, a forma de tratar o colaborador interno e o respectivo sucesso de suas ações na sua organização, depende, única e exclusivamente, de sua competência. Sem dúvida que este colaborador precisa estar bem preparado para ocupar determinada função, contudo e acima de tudo, as condições oferecidas pelas empresas que determinarão a qualidade dos resultados e permanência deste colaborador na mesma. Com relação ao Absenteísmo, faltas, esta monografia mostra como seria interessante fazer uma parceria com uma empresa de saúde ocupacional para um controlar e verificar os motivos dos atestados e das faltas para adotar uma política preventiva, através de exames periódicos, postação de voz, ginástica laboral por exemplo, detectando assim antecipadamente, as possíveis causas das faltas e impedindo assim, que ela ocorra e prejudique a empresa novamente. O telemarketing, garantido por um call center eficiente e com qualidade, é hoje ferramenta de marketing utilizada em empresas de todos os setores da economia.

7 7 METODOLOGIA O desenvolvimento deste trabalho foi baseado principalmente em pesquisas bibliográficas e consultas via Internet. Algumas conclusões foram tiradas da experiência de outras empresas de Call Center, seminários, palestras, congressos, revistas do setor e experiências pessoais.

8 8 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I - BUSCA DA QUALIDADE TOTAL NAS EMPRESAS 11 CAPÍTULO II - EVOLUÇÃO DA COMUNICAÇÃO NO ATENDIMENTO 24 CAPÍTULO III DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CALL CENTER 34 CAPÍTULO IV TELEMARKETING 51 CAPÍTULO V O PROBLEMA TURNOVER E ABSENTEÍSMO NO SETOR DE CALL CENTER 56 CONCLUSÃO 76 BIBLIOGRAFIA CONSULTADA 79 ÍNDICE 82 FOLHA DE AVALIAÇÃO 85

9 9 INTRODUÇÃO Encantar os clientes, ter qualidade no seu atendimento, fazê-los voltar sempre, proporcionando custo baixo para empresa, são objetivos de qualquer organização. Utilizando o telemarketing como ação e o call center como ferramenta, agiliza e facilita todo o processo. Esta prestação de serviço é um investimento e não uma despesa para a organização, pois o bom uso de um call center, na fidelização de clientes, resulta em resultados positivos em curto prazo. O serviço é ágil, chega aonde o cliente quer, atende muito bem além de ser uma operação altamente otimizada ajudando a reduzir custos, permitindo o controle imediato de resultados, garantindo seletividade e grande penetração no mercado. Um bom call center, gerencia e coordena todos os canais de comunicação entre a empresa e o cliente proporcionando soluções rápidas e eficientes não importando se serão simples informações, serviços de cobrança, pesquisa de opinião, atualização de cadastro, venda de produtos ou serviços, reclamações ou qualquer demanda sofisticada. Com uma tecnologia de ponta, ambiente de trabalho favorável, remuneração compatível, equipe bem treinada com valorização e reconhecimento do capital humano, esta organização tenderá para o sucesso. Um bom relacionamento entre empresas e clientes é visto como mais eficiente arma na luta pelo mercado e o mais importante, é a facilidade com que se abrem as portas neste relacionamento. Criar canais de comunicação é hoje, o melhor que se pode fazer pelas vendas. Na medida em que a empresa está sempre pronta a ouvir, informar, esclarecer e orientar, ela ganha em qualidade. E qualidade, é o produto mais bem percebido pelo cliente e é o foco desta monografia que procura descobrir qual são os fatores impeditivos para que a qualidade nas

10 10 empresas de Call Center seja alcançada. No primeiro capítulo, demonstra quais são os requisitos básicos para se ter e manter a qualidade dentro da organização como um todo e no relacionamento com o cliente com foco em melhoria contínua utilizando o método PDCA como ferramenta de controle. No segundo e terceiro capítulos, aborda a evolução das técnicas de atendimento e relacionamento com o cliente com base na qualidade total e nos princípios éticos adotados pela Associação Brasileira de Telemarketing além do desenvolvimento do setor de Call Center como um todo, demonstrando quais são os custos, pré-requisitos necessários para a sua a implantação, manutenção, desenvolvimento além das vantagens sobre a sua utilização, atividades e serviços para quem opta por este tipo de serviço. O quarto capítulo foca o telemarketing como um dos maiores geradores de empregos do país, as vantagens da utilização do seu serviço e como isso se tornou vantajoso para o mercado e para quem optou por este tipo de profissão. O quinto capítulo aborda as quais são os principais fatores que provocam a queda da qualidade das empresas de Call Centers : o turnover e o absenteísmo demonstrando a importância da gestão, controle e soluções para estes dois tipos de problemas. O elevado índice de perda de pessoas revela problemas e desafios a serem superados por qualquer organização. A perda de pessoas significa perda de conhecimento, de capital intelectual, de inteligência, de entendimento e domínio dos processos, perda conexões com os clientes, de mercado e de negócios. Sintetizando, o alto turnover é sinônimo de perda de lucratividade e saúde organizacional. Impacta na motivação das pessoas, no comprometimento, que acaba gerando ainda mais absenteísmo improdutividade, mais rotatividade, interferindo na credibilidade junto aos clientes em uma bola de neve potencializando os concorrentes.

11 11 CAPÍTULO I A BUSCA DA QUALIDADE TOTAL NAS EMPRESAS Nos últimos anos, o mundo tem sido palco de variados movimentos de mudanças nas áreas de geopolítica e tecnológica, principalmente nos aspectos econômicos com reflexos diretos nas empresas, com atividades produtivas e de prestação de serviço. Mas como se adequar a tantas mudanças? As empresas do novo milênio necessitam de novas práticas em criação de produtos e inovação tecnológica, relacionamentos com os clientes, logística, marketing, captura e incentivo de talentos, avaliação financeira, relações com a comunidade, liderança, além de ficar atento as empresas que entram por baixo, nunca subestimando assim, o mercado que está em constante mudança, simplesmente extraordinário de se observar, mas acima de tudo instável e dinâmico (Nóbrega, 2004). Esta instabilidade do mercado gera para as empresas um ciclo de vida cada vez menor. As empresas de Call Center não ficam atrás que, apesar de ser uma necessidade premente do mercado, lida com excesso de oferta segundo a Associação Brasileira de Telemarketing ABT. Cada vez mais as empresas percebem que resgatar o contato com o cliente e dar atenção às suas necessidades é uma prioridade. Em busca de um diferencial de competitividade, estão aprimorando o relacionamento com quem procura seus produtos e serviços. Dentre as principais mudanças que ocorreram no mercado, podemos citar: O que era local passou a ser global. Globalização; As empresas não competem apenas com empresas similares a elas, mas com empresas totalmente diferentes que podem de princípio não atingir o desenvolvimento e lucratividade da sua empresa, mas em longo prazo, vira uma ameaça para você; No lugar da instabilidade entrou a volatilidade; O foco sai do produto para as pessoas;

12 12 Abandona a utopia de focar apenas o lucro através da venda dos seus produtos, passando a maximizá-los através da melhoria contínua com foco no cliente, no desenvolvimento das pessoas, gerando assim, o aumento da sua lucratividade com qualidade nas vendas e redução dos custos; A empresa passa a perceber que quem detém Informação, excelência no atendimento, transparência nos seus trabalhos, estará fidelizando seus clientes internos e externos, transformando-os assim, em clientes ativos. Sua jóia principal que valorizará seu produto final; Os clientes que passam a definir o valor que seu produto agrega para eles. O produto deve ser necessário e desejado por ele.. Se o valor não suplantar o preço, as vendas caem. A empresa então tem que agregar o máximo de valor ao seu produto com um menor custo. Não basta aumentar a quantidade produzida, é necessário que o produto tenha valor e atenda a necessidade dos clientes; Com isso, muitas empresas estão descobrindo que precisam agir de modo diferente para sobreviver no mercado atual. As empresas terão que ouvir mais os seus clientes e de modo mais eficaz para ter certeza que seus produtos e serviços, são exatamente o que o cliente deseja consumir e se os mesmos agregam valor suficiente para que eles continuem optando por você e não pelo seu concorrente. Precisam oferecer produtos de melhor qualidade e menores preços para que possam se tornar competitivas Para isso toda a organização deve se antecipar às mudanças, com uma nova abordagem gerencial que possa dar ênfase à Qualidade Total. A qualidade não deve ser entendida apenas sob o aspecto técnico de controle, mas em seu aspecto amplo de gestão, onde a cultura influi diretamente na produtividade e competitividade da organização, sendo um dos fatores determinantes da sobrevivência.

13 13 A comunicação deve ser horizontal para que todos na organização percebam que o foco deve se ser a melhoria contínua de produtos e serviços. Aprendendo como controlar e melhorar constantemente os processos de produção, as organizações tornam-se capazes de satisfazer seus clientes. As decisões então, não serão mais baseadas em adivinhações, mas sim em dados concretos com observação direta de mercado, no consumidor final e, principalmente, no seu colaborador interno. Uma empresa de serviços é tão boa quanto o seu pessoal. Um serviço é um desempenho, assim é difícil separar o desempenho das pessoas. Se a pessoa não satisfizer a expectativa dos clientes, o serviço também não o fará (Bekin, 2004). O marketing interno deve proceder ao marketing externo (Kotler, 2005). O marketing interno deve motivar, estimular, valorizar o capital humano, incentivar tomadas de risco, treinar, reconhecer, premiar, fazer com que o colaborador ouse, crie, troque idéias e acima de tudo, fortaleça relacionamentos. Afinal, o primeiro cliente da organização é o seu colaborador interno que deverá ser o seu principal parceiro. O processo é bem simples de se entender: Tendo a satisfação e lealdade dos colaboradores internos, que dominam e conhecem a missão e visão da organização, o desenvolvimento dos produtos e serviços será efetuado com maior qualidade agregando valor ao produto final. Com isso, irá gerar uma maior satisfação e lealdade do meu cliente que comprará mais, divulgará meu produto indiretamente se tornando assim, um cliente ativo no mercado. Seguindo este ciclo, aumento o lucro da empresa, cresço, produzo cada vez mais e melhor com cada vez menos e posso dividir parte deste lucro com os colaboradores internos além de desenvolver uma nova política de remuneração para todos. Gerando com isso, novamente a satisfação e lealdade do meu colaborador interno.

14 Definição de qualidade, produtividade, competitividade e sobrevivência. Segundo Falconi, Vicente Campos, 1992 Qualidade é quando seu produto ou serviço atende perfeitamente de forma confiável, acessível, segura, no tempo certo as necessidades do cliente. Em outras palavras, significa que qualquer ação dentro da empresa ou desenvolvimento do seu produto final, tem que ser perfeito, sem defeitos, de baixo custo, transmitindo segurança para o cliente e que seja entregue no prazo certo, na quantidade e modelo exato e que acima de tudo, funcione. E, se não funcionar, ou algo der errado, que a empresa possua um setor de retenção, pós venda que o direcione para uma assistência técnica se for compra de produto,ou para o setor competente no caso de algum problema interno dentro da organização. Detectado o problema a solução deve ser realizada, em curto prazo e sem custo para o cliente, pois o que mais chama atenção hoje em dia, por incrível que pareça, é o chamado Momento Mágico. Segundo Almeida Sérgio, 1995 isto também pode ser chamado de Momentos da verdade que pode ser classificado em 3 tipos: * Momento da verdade Desencantado São aqueles momentos em que os seus colaboradores exercitam toda a sua criatividade negativamente no sentido de expulsar o cliente do seu estabelecimento em função do péssimo atendimento via face a face ou por telefone * Momento da verdade Apático Resumi-se ao atendimento meramente normal. Diferencia-se do trágico acima pelo fato de que, se não há nenhum desastre, ou acontecimento que prejudique em demasia o cliente, por outro lado, há contatos frios e indiferentes, ou seja, o atendimento é realizado, a necessidade do seu cliente é atendida e nada mais é acrescentado.

15 15 * Momento da Verdade Encantado É quando o cliente recebe um atendimento excepcional onde a magia do atendimento encantador tem o extraordinário poder de cativar o cliente A empresa faz o que cliente ou o seu colaborador interno não espera fazendo com que ele nunca mais esqueça aquele momento. Não importa se é na venda do seu produto, na fidelização do seu cliente ou no relacionamento com seu colaborador interno que é seu primeiro e principal cliente, pois a alma do negócio não é somente captar novos clientes, é acima de tudo, manter os que já possui e com qualidade. Entregar o produto no modelo e na cor escolhida, da forma e no prazo que o cliente determinou, é o mínimo que a empresa pode fazer. O diferente, e que marca mesmo na mente do consumidor final, é que quando você tem alguma problema, existe um canal de comunicação onde a empresa o escuta e resolve, de forma rápida segura e com toda a transparência o seu problema, além de não ter custo nenhum por isso. Com isso, você ganha um cliente ativo e com qualidade, aumentando assim a sua produtividade que nada mais é que produzir cada vez mais e melhor e com menor custo segundo Falconi, Vicente Campos Toda essa observação do mercado levou as empresas a adotarem um novo enfoque conhecido como Controle de Qualidade Total Controle de Qualidade Total A qualidade Total é um sistema que planeja, controla e disciplina as ações corretivas dentro da organização visando a melhoria contínua de todos os processos de produção de produtos e preços. É um método universal A qualidade está próxima de: Produtividade Responsabilidade Cultura do nós. Comprometimento e lealdade Longo prazo Paciência

16 16 Participação Educação Cliente Parceria A meta é a busca da melhoria Contínua com zero defeito na organização Quando você detecta o problema, suas causas e implementa atitudes para evitar que eles voltem a acontecer com a ciência e comprometimento de seus colaboradores, o resultado é excelente. Melhorando a qualidade, a produtividade aumenta. Uma produtividade maior diminui os custos unitários, o que reduz os preços. Os clientes reagem à melhor qualidade e aos preços mais baixos, aumentando a participação da companhia no mercado. Com isso, a companhia permanece no negócio, provavelmente criando mais empregos. O resultado desta cadeia é um maior retorno dos investimentos aplicados. O importante é manter este ciclo em contínua melhoria Temos assim o Paradigma da Qualidade segundo, W. Edwards. Deming que funciona de cima para baixo como um efeito dominó Melhor qualidade Maior produtividade Custos menores Conquista de mercado Lucros crescentes Porém, isto só será possível se entendermos primeiro que qualidade é investimento, com retorno muitas das vezes, à longo prazo onde a vontade política das organizações é fundamental para a mudança de pensamentos e atitudes internas dentro da organização Não basta possuir um certificado da ISO para dizer que tem qualidade A ISO trata-se de uma instituição cujo objetivo é propor e monitorar normas que representem e traduzam o consenso de diferentes países para a

17 17 normalização de procedimentos, medidas e materiais em todos os domínios da atividade produtiva (tce, 2005). Em 1987, a ISO editou, com base nos preceitos da British Standard - BS5750, a série 9000, sendo tais normas divididas em: ISO Norma responsável por estabelecer orientações, recomendações e diretrizes no uso e escolha das normas e verificar diferenças e inter-relações entre os principais conceitos da qualidade. Utilizada como guia para a seleção uso das demais normas da série. ISO Norma que descreve um modelo para sistemas de garantia da qualidade atuando em projetos/desenvolvimento, produção, instalação e assistência técnica, sendo a mais abrangente nas relações contratuais, destinando-se a empresas que produzem itens especiais. ISO Norma que proporciona garantia da qualidade em produção, instalação e serviço pós-venda, deixando de fora o projeto, utilizada por empresas que produzem itens de catálogo ou prestam serviços de acordo com especificações existentes, sendo de uso contratual. ISO Norma que proporciona modelo para garantia de qualidade em inspeções, testes e ensaios finais, para empresas cuja produção não inclua processos especiais, isto é, quando for fácil separar itens conformes e não conformes na inspeção final, sendo de uso contratual. ISO Norma elaborada para fornecer orientações para a gestão de qualidade e elementos do sistema da qualidade (uso interno nas organizações), não destinada a fins contratuais, reguladores ou de certificação, sendo de uso voluntário para estabelecer as Diretrizes. A ISO também criou a norma 8042 para que ela fosse o vocabulário da qualidade, isto é, auxiliasse a compreensão da norma 9000., onde se encontram definições e palavras-chave. Existem outras normas que complementam a Série ISO 9000:

18 18 ISO Norma para implantação e certificação de sistemas de gestão ambiental. e ISSO Norma para segurança e saúde do trabalhador. O Brasil participa da ISO através da ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas, que é uma sociedade privada sem fins lucrativos. A ISO é muito importante, mas ela deve ser observada como fator e que agregue realmente valor aos seus usuários. Ela nada mais é que um processo operacional padrão que norteia todas as atividades da organização do início ao fim. Abrange desde o objetivo de cada tarefa, o processo e estratégias para alcançá-los, arquivo, expurgo de documentos se houver e avaliação final. A ISO para surtir resultado positivo deve: Ser percebida e valorizada pelos consumidores; Ser refletida em todas as atividades da empresa; Exigir compromisso total dos colaboradores; Exigir parceiros de alta qualidade; Ser sempre melhorada quebrando paradigmas da organização; que limita o seu desenvolvimento; Ser percebida como investimento que será revertido posteriormente. O saldo final será maior. O giro será maior e muitas das vezes, o consumidor paga até mais pelo seu produto, pois o acha justo pelo valor que ele agrega; Ser necessária, mas não suficiente; Fazer com que seu produto ou serviço desperte benefícios, necessidades e criem desejo para o que seu público alvo queira optar por ele e não pelo seu concorrente produto ou serviço A garantia então de sobrevivência das empresas hoje em dia, decorre da competitividade (que é ter maior produtividade entre seus concorrentes). A competitividade decorre da produtividade e esta da qualidade.

19 19 A empresa precisa abrir mão de valores antigos e recriar continuamente O pico da pirâmide abaixo só ser alcançada se todos os colaboradores fizerem as suas parte Para isto a comunicação interna dentro da organização passa a ser fator primordial no desenvolvimento de estratégias e não mais secundária ou supérflua. Sobrevivência Competitividade Produtividade Qualidade (Referência no Cliente) Projeto Fabricação Segurança Assist Tec Entrega Custo Perfeito Perfeita Cliente Perfeita no prazo Baixo (Fonte: Falconi, Vicente Campos 1992 ) Quer a empresa, quer não, cada um de seus colaboradores está construindo ou destruindo a imagem institucional em uma atuação que extrapola o limite físico da organização. Para o cliente, desde a voz da irritada da telefonista, a cara feia do ascensorista, a má vontade da recepcionista ou de qualquer colaborador, põem a perder a boa qualidade do produto ou serviço e as onerosas campanhas publicitárias. Muitas das atitudes negativas dos funcionários resultam na ausência da comunicação interna, ou seja, canais de comunicação de mão dupla que propiciem o fluxo de informações ágeis e fidedignas.

20 20 Se a empresa deseja ocupar a mente do consumidor final de forma positiva e conhecer realmente quem é seu cliente e suas necessidades para poder despertar seu desejo de consumir seu produto, precisará primeiro, conquistar seus colaboradores internos transformando-os em verdadeiros porta-vozes. A implementação de um programa eficaz de comunicação interno passa ser então primordial, pois onde existe um vazio, também existirá um comentário, só que de procedência e intenções que fogem ao controle da empresa. Quando todos então dentro da Empresa tomam consciência de que são clientes e fornecedores internos e definem os procedimentos ideais que precisam ter interpessoal e inter-departamentalmente, assumindo cada uma delas devidas responsabilidades, a empresa finalmente começa então a dispor de condições básicas para garantir a qualidade em todas as áreas. Uma das ferramentas práticas que muito auxilia qualquer organização é o método de Controle de processos PDCA. 1.3 Método e Ciclo do PDCA O método PDCA tem como objetivo o gerenciamento pelas diretrizes. O ciclo do PDCA é utilizado para manutenção e melhoria das diretrizes de controle de um processo. Foi desenvolvido na década de 30 pelo Americano Shewhart, mas foi Deming seu maior divulgador ao aplicar esses conceitos de qualidade no Japão. Trata-se de um sistema de gestão voltado para atingir metas, para resolver os problemas crônicos e difíceis da organização. O gerenciamento pelas diretrizes é centrado na concepção de que os resultados são conseguidos pela atuação criativa e dedicada das pessoas, focalizando o esforço de todos.

21 21 Este ciclo segue quatro etapas: P Planejar Pensar antes de fazer e desenvolver um plano de ação de forma participativa D Fazer treinar as pessoas e executar as tarefas previstas no plano em pequena escala, nesta etapa para verificação do processo C Checar Verificar os resultados da tarefa executada com os clientes A Atuar Corrigir e melhorar continuamente o processo ACTION Corrigir e melhorar A Estabelecer a Metas P Método s PLAN CHECK C Verificar os resultados D Fazer Treinar DO (Fonte: Adaptado Cristofori, Valmira ) Detectar suas falhas e estabelecer metas, determinar os métodos para alcançá-las, comunicando e treinando sua equipe para que execute o trabalho e depois verifique os efeitos do mesmo para corrigir e melhorar continuamente o processo é fundamental para obter resultados positivos. As metas vão ser estabelecidas com objetivo de manter ou melhorar algum processo

22 22 Um dos grandes problemas e diferencial hoje no mercado é o atendimento ao cliente em todos os estabelecimentos e principalmente na área de Call Center. Outro fator que também chama muito a atenção neste setor é o grande aumento de índice de absenteísmo e turnover. Existem dois tipos de meta: metas para manter e metas para melhorar. As metas para manter ou padrão têm como objetivo solidificar os resultados num certo nível desejado. Essas metas são atingidas através de operações padronizadas, alguns exemplos: - Atender ao telefone sempre antes do terceiro sinal - Fazer o check-out no hotel em menos de 5 minutos - As metas para melhorar têm como objetivo atingir novas metas, ou novos resultados, modificando a maneira de trabalhar, ou seja, modificar os Procedimentos Operacionais Padrão. DIRETRIZES ANUAIS DA ALTA ADMINISTRAÇÃO PROBLEMAS CRÔNICOS PRIORITÁRIOS REVISÃO PERIÓDICA DOS PROBLEMAS CRÔNICOS METAS ANUAIS A C P D MELHORAR RR AÇÃO CORRETIVA A C S D PADRONIZAÇÃO PRODUTOS/ SERVIÇOS MANTER Fonte :Falconi,Vicente Campos )

23 23 O Ciclo do PDCA 1) Identificação do Problema 2) Análise do Fenômeno P 3) Análise do Processo 4) Estabelecimento do Plano de Ação 5) Execução do Plano D 6) Verificação do Resultado Deu certo? C 7) Padronização A 8) Conclusão (Fonte : Adaptado Falconi,Vicente Campos,1992)

24 24 CAPÍTULO II EVOLUÇÃO DA COMUNICAÇÃO NO ATENDIMENTO A primeira impressão que o cliente tem da Empresa normalmente é a mais duradoura Seja qual for a política ou método de atendimento via telefone ou face a face, a empresa não pode deixar de controlar sua qualidade nem deixar de dar adequada formação aos seus profissionais que entrarão em contato direto com os clientes quer para promover seus produtos ou serviços, quer para responder a reclamações ou dar esclarecimentos através de um atendimento receptivo. O atendimento utilizando como ferramenta o telefone intregado aos objetivos da empresa passou por diversas fases ao logo do tempo que correspondem ao aumento dos modelos mercadológicos, ao incremento da competitividade, da globalização e à busca de uma gestão de qualidade. Os principais estágios utilizando como ferramenta o telefone para empresa são: 2.1 Televendas De acordo com Mancini (2001), o registro mais remoto que se tem do emprego do telefone de forma empresarial data de 1880, apenas quatro anos após sua invenção. Neste ano, segundo o autor, um fabricante de doces resolveu vender seu produto por telefone. Formou uma equipe com mais de 100 pessoas, que passaram a cadastrar e contactar clientes. Esse processo utilizando o telefone foi denominado televendas. O autor acrescenta que o conceito de televendas engloba os procedimentos mais simples que envolvem o telefone, apresentando um produto ou serviço para um cliente em potencial, visando efetivar a venda. Este serviço oferece muitas vantagens: Um vendedor telefonando, atende mais clientes em vários lugares, em menos tempo e com menores custos.

25 Telemarketing O nascimento oficial do termo telemarketing vem década de 80 que aportou no Brasil junto com a chegada das multinacionais americanas. Para Stone e Wyman (1992), telemarketing aplica a tecnologia para otimizar o mix das comunicações de marketing da empresa para atingir o cliente. Segundo Freitas, 2000 É toda e qualquer atividade realizada por meio de diversos sistemas de tele-informação e multimídia objetivando desenvolver ações padronizadas de marketing. Pode ser realizado de 3 formas : Ativo No telemarketing ativo, o operador liga para o cliente com o objetivo de vender os produtos ou serviços da empresa que está representando. Receptivo No telemarketing receptivo acontece quando o cliente entra em contato com o atendente tanto para esclarecer dúvida e ouvir reclamações, como para atender pedidos, como é o caso de sistemas de entrega a domicílio via telefone, web ou outro canal de comunicação escolhido por ele Telemarketing Ativo Receptivo Neste caso, o operador recebe a ligação do cliente para adquirir algum produto e, ao mesmo tempo, oferece outros produtos. Esta ferramenta de marketing vem obtendo espantoso crescimento e ótimos resultados em grandes como pequenas empresas e em todos os setores da economia Call Center É a central onde se processam as ações de telemarketing ativo e receptivo, gerenciando e coordenando a comunicação da empresa com o cliente. Permite apenas o contato com o cliente através do telefone Um Call Center pode prestar serviços como: vendas (ativas / receptivas), atualização de cadastros, marketing político, pré e pós venda, pesquisas, cobrança agendamento de visitas, SAC, suporte a vendas externas etc.

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos.

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. 2015 Manual de Parceiro de Educação Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. Prêmios Reais, a Partir de Agora Bem-vindo ao Intel Technology Provider O Intel Technology Provider é um programa

Leia mais

22 DICAS para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER. em Clínicas de Imagem

22 DICAS para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER. em Clínicas de Imagem para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER em Clínicas de Imagem Objetivo Um atendimento eficiente e personalizado é um dos principais fatores que o cliente leva em consideração ao iniciar um processo de fidelização

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social Não há dúvidas de que as tecnologias sociais têm um impacto substancial no modo como as empresas funcionam atualmente.

Leia mais

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS.

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. GUIA DE BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO EM REDES SOCIAIS MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. APRESENTAÇÃO OBJETIVO A ABA - Associação Brasileira de Anunciantes, por meio de

Leia mais

ÍNDICE. Eficiência no atendimento em clínicas e hospitais -EBOOK- 3 - Introdução. 4 - O que os clientes esperam de um bom atendimento

ÍNDICE. Eficiência no atendimento em clínicas e hospitais -EBOOK- 3 - Introdução. 4 - O que os clientes esperam de um bom atendimento Eficiência no em clínicas e hospitais ÍNDICE 3 - Introdução 4 - O que os clientes esperam de um bom 6-5 dicas para gerar eficiência no -EBOOK- Produzido por CM Tecnologia 11 - Conclusão 12 - Sobre a CM

Leia mais

ABM BLUE CONVÊNIO E PUBLICIDADE - LTDA CNPJ: 22.153.768/0001-38 Endereço: Rua C-5, lote 09, sala 101, Taguatinga - Centro Brasília / Distrito Federal

ABM BLUE CONVÊNIO E PUBLICIDADE - LTDA CNPJ: 22.153.768/0001-38 Endereço: Rua C-5, lote 09, sala 101, Taguatinga - Centro Brasília / Distrito Federal Sumário A. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. Sobre Nós... 3 1.1. - Missão... 3 1.2. - Visão... 3 1.3. - Valores... 3 2. Serviços... 4 2.1. Das atividades da BLUE CONVÊNIO: seus objetivos e finalidade...

Leia mais

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Parceiros de serviços em nuvem gerenciada Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Implemente a versão mais recente do software da SAP de classe mundial,

Leia mais

Obtendo resultados reais através do CRM

Obtendo resultados reais através do CRM Porque investir em CRM? Aresposta é simples: Seus clientes consideram o foco da empresa no consumidor como prérequisito, não como diferencial. Eles esperam poder negociar com você quando, onde e como quiserem.

Leia mais

Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia

Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia Introdução A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou em 20 de fevereiro de 2014 novas regras para provedores de

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR?

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? Descubra os benefícios que podem ser encontrados ao se adaptar as novas tendências de mercado ebook GRÁTIS Como o investimento em TI pode

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup.

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup. INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16 Telemarketing Ativo Origem: Diretoria Superintendência Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Mato Grosso Instrução Normativa: 14.16/08-01 Revisão nº 0102

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER?

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? Anderson Katsumi Miyatake Emerson Oliveira de Almeida Rafaela Schauble Escobar Tellis Bruno Tardin Camila Braga INTRODUÇÃO O empreendedorismo é um tema bastante

Leia mais

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia.

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. Rio Grande do Sul Brasil PESSOAS E EQUIPES Equipes que

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

SAC: Fale com quem resolve

SAC: Fale com quem resolve SAC: Fale com quem resolve A Febraban e a sociedade DECRETO 6523/08: UM NOVO CENÁRIO PARA OS SACs NOS BANCOS O setor bancário está cada vez mais consciente de seu papel na sociedade e deseja assumi-lo

Leia mais

TREINAMENTO OPERADOR DE TELEMARKETING

TREINAMENTO OPERADOR DE TELEMARKETING TREINAMENTO OPERADOR DE TELEMARKETING AULA 1 Treinamento em Operador de Telemarketing O que é Telemarketing? Será que TELEMARKETING é a mesma atividade de TELEVENDAS? Entendendo Marketing É um processo

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Junho 2013 1. O custo da saúde

Junho 2013 1. O custo da saúde Junho 2013 1 O custo da saúde Os custos cada vez mais crescentes no setor de saúde, decorrentes das inovações tecnológicas, do advento de novos procedimentos, do desenvolvimento de novos medicamentos,

Leia mais

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013 Isabella Assunção Cerqueira Procópio Janeiro de 2013 1 Sumário 1. Dados Básicos de Identificação...3 2. Histórico

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Guia Fundamental para Gestão de Qualidade em Serviços Objetivo Capacitar os participantes a interpretarem os requisitos da Norma ISO 9001:2008, relacionados aos

Leia mais

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente.

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. As interações com os clientes vão além de vários produtos, tecnologias

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO O QUE É NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO? É a qualidade com que o fluxo de bens e serviços

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA MANUAL DE VISITA DE ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA Material exclusivo para uso interno. O QUE LEVA UMA EMPRESA OU GERENTE A INVESTIR EM UM ERP? Implantar um ERP exige tempo, dinheiro e envolve diversos

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA Elaine Schweitzer Graduanda do Curso de Hotelaria Faculdades Integradas ASSESC RESUMO Em tempos de globalização, a troca de informações

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros.

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros. 3 - Introdução 4 - Quais são as métricas para alcançar uma boa ÍNDICE As Métricas Fundamentais da Gestão Hospitalar gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos 11 - Indicadores operacionais 14 - Indicadores

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Segurança da Informação Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Histórico O BSi (British Standard Institute) criou a norma BS 7799,

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais

DVD TRAINING WORKSHOP

DVD TRAINING WORKSHOP DVD TRAINING WORKSHOP BOX - NEGOCIANDO PARA GANHAR Estilo: Negociação Formato: 5 DVD s com aproximadamente 150 min de duração Investimento: R$399,00 + frete Principais tópicos: Como ouvir melhor tudo pode

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Gerenciamento de Carreira pelo Bluesteps.com Contents: Introdução: O recrutamento de Executivos de Nível Sênior Page 1-2: O que é Retained Executive Search?

Leia mais

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem ICPG Instituto Catarinense de Pós-Graduação www.icpg.com.br 1 FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem Carlos de Andrade Giancarlo Moser Professor de Metodologia da Pesquisa Curso de Pós-Graduação em

Leia mais

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014 ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL Guia Prático de Compra Edição de julho.2014 O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO Í n d i c e 6 perguntas antes de adquirir um sistema 4 6 dúvidas de quem vai adquirir

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO PROGRAMA DE AUTO-REGULAMENTAÇÃO DO SETOR DE RELACIONAMENTO - PROBARE

CÓDIGO DE ÉTICA DO PROGRAMA DE AUTO-REGULAMENTAÇÃO DO SETOR DE RELACIONAMENTO - PROBARE CÓDIGO DE ÉTICA DO PROGRAMA DE AUTO-REGULAMENTAÇÃO DO SETOR DE RELACIONAMENTO - PROBARE (CALL CENTER /CONTACT CENTER / HELP DESK / SAC / TELEMARKETING) Coordenação Gerenciadora ABEMD Associação Brasileira

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

Nosso compromisso é aperfeiçoar seu negócio

Nosso compromisso é aperfeiçoar seu negócio Nosso compromisso é aperfeiçoar seu negócio 1 2 WWW.HEDGE.COM.BR Grupo Hedge Fundado em 1996, o Grupo Hedge é formado pelas empresas Hedge Recuperação de Crédito, Hedge Participações e Hedge Representações.

Leia mais

CRM. Customer Relationship Management

CRM. Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management CRM Uma estratégia de negócio para gerenciar e otimizar o relacionamento com o cliente a longo prazo Mercado CRM Uma ferramenta de CRM é um conjunto de processos e

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 06/04/2011

Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 06/04/2011 Melhoria Contínua PDCA/SDCA e suas ferramentas 6/4/211 PRODUTIVIDADE O que é o melhoria contínua? Quando se tem o Gerenciamento da Rotina implantado temos a melhoria tipo escada sempre melhorando o resultado

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE Tópicos a serem apresentados: O que é? Para que serve? Objetivos do Curso. Conteúdo Programático. Empresa As Pessoas O Produto O serviço Atendimento Competitividade Tipos de Clientes

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas...

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas... APRESENTAÇÃO O incremento da competitividade é um fator decisivo para a maior inserção das Micro e Pequenas Empresas (MPE), em mercados externos cada vez mais globalizados. Internamente, as MPE estão inseridas

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO CONTEÚDO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO PROMOVIDO PELA www.administrabrasil.com.br - CONCEITO DE PREÇO NOS SERVIÇOS - FATORES DETERMINANTES DOS PREÇOS - ESTRATÉGIAS E ASPECTOS IMPORTANTES PARA

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento Instrutora: Aneliese Nascimento O QUE É UM PROJETO? 4 Instrumento de comunicação. 4 Instrumento de intervenção em um ambiente ou situação para mudanças. 4 Instrumento para fazer algo inovador. O QUE DEVE

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

Profa. Reane Franco Goulart

Profa. Reane Franco Goulart Sistemas CRM Profa. Reane Franco Goulart Tópicos Definição do CRM O CRM surgiu quando? Empresa sem foco no CRM e com foco no CRM ParaqueCRM é utilizado? CRM não é tecnologia, CRM é conceito! CRM - Customer

Leia mais

CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3.

CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3. CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3. PROBLEMA: É UM OBSTÁCULO QUE ESTÁ ENTRE O LOCAL ONDE SE ESTÁ E O LOCAL EM QUE SE GOSTARIA DE ESTAR. ALÉM DISSO, UM PROBLEMA

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

Atender bem o seu cliente para fidelizá-lo e fazer novos negócios

Atender bem o seu cliente para fidelizá-lo e fazer novos negócios Atender bem o seu cliente para fidelizá-lo e fazer novos negócios Case Livraria Saraiva CONAREC 2012 Alberto S Oliveira Core Business das Empresas Core Business Empresa Modelo da Terceirização Predial

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso!

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso! Fornecedores www.grupoquantica.com Apresentação 2010 A idéia Fundado e idealizado por Cleber Ferreira, Consultor de Marketing e Vendas, autor do livro Desperte o Vendedor Interior com Técnicas de Vendas

Leia mais