REGULAMENTO DO CONCURSO APOIO A IDOSOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DO CONCURSO APOIO A IDOSOS"

Transcrição

1 REGULAMENTO DO CONCURSO APOIO A IDOSOS Artigo 1º Objecto O presente Regulamento estabelece as normas de acesso ao concurso Apoio a Idosos. Artigo 2º Beneficiários Podem candidatar-se a este concurso instituições privadas sem fins lucrativos ou organizações não governamentais, legalmente reconhecidas e que actuem na área do apoio a pessoas idosas e das suas famílias devendo a entidade beneficiária indicar o responsável pela execução do projecto. Artigo 3º Candidaturas elegíveis São elegíveis candidaturas que tenham em vista induzir o aperfeiçoamento dos serviços prestados ou o aumento da capacidade instalada para a prestação de serviços de apoio a pessoas idosas e que sejam do seguinte tipo: modernização de equipamentos aquisição de equipamentos específicos para terapias de estimulação sensorial criação ou a modernização de bancos de ajudas técnicas formação de técnicos formação de cuidadores informais Artigo 4º Condições de acesso Podem candidatar-se aos apoios deste concurso as candidaturas identificadas no artigo 3º e que cumpram as seguintes condições: 1

2 a. estejam autorizados pelos dirigentes máximos das instituições beneficiárias; b. tenham início no prazo máximo de 3 meses após a comunicação de aprovação do financiamento e a sua execução não ultrapasse efectivamente 31 de Dezembro de 2009; Artigo 5º Despesas elegíveis São consideradas elegíveis, desde que directamente relacionadas com a candidatura aprovada, os seguintes tipos de despesas: a. Aquisições de serviços externos à entidade beneficiária; b. Aquisições de materiais; c. Aquisição de equipamentos; d. Aquisição de software; e. Aquisição de bibliografia; f. Despesas de formação de técnicos. Artigo 6º Despesas não elegíveis Não são passíveis de financiamento os seguintes tipos de despesas: a. Funcionamento corrente das instituições; b. Salários e complementos salariais; c. Amortização de equipamentos existentes; d. Manutenção de equipamentos; e. Aquisição de equipamentos usados; f. Aquisição ou aluguer de viaturas; g. Aquisição de terrenos, construção ou aquisição de edifícios; h. Aluguer de instalações; i. Encargos com dívidas; j. Alimentação. Artigo 7º Apoio financeiro O apoio financeiro poderá atingir 90% das despesas consideradas elegíveis, não podendo, todavia, ultrapassar o montante de 27 mil euros. 2

3 Artigo 8º Apresentação e prazo de candidaturas 1 As candidaturas a este concurso devem ser apresentadas no formulário próprio disponível na Internet ( e acompanhado obrigatoriamente de: a. Memória Descritiva, com um máximo de 10 páginas, que explicite os objectivos do projecto, a descrição das actividades previstas e sua calendarização, o orçamento do projecto, calendarizado e descriminado por grandes rubricas de despesa e o respectivo plano de financiamento e ainda os resultados esperados (indicadores); b. Fotocópia dos estatutos da instituição solicitante; c. Relatório de Actividades de d. Dados actualizados relativamente ao número de utentes, total e por valência. 2 O formulário de candidatura deve ser preenchido e submetido electronicamente; assim como todos os documentos referidos, fundamentais para a análise do projecto, deverão ser remetidos como Anexos ao Formulário de Candidatura, através do upload dos respectivos ficheiros no Myfile. 3 - O período para a recepção de candidaturas devidamente instruídas, de acordo com os números anteriores, decorre de 24 de Julho a 19 de Setembro de 2008 (inclusivé). Artigo 9º Processo de decisão e contratualização 1 Na avaliação e selecção das candidaturas serão tidos em conta os seguintes critérios: Carácter inovador, Impacto na qualidade ou capacidade do serviço prestado, Sustentabilidade, Desenvolvimento de parcerias entre instituições. 2 A selecção das candidaturas, incluindo a aprovação pelo Conselho de Administração da Fundação, deverá estar concluído num prazo máximo de 3 meses após o termo do período de apresentação de candidaturas. 3 Após a aprovação pelo Conselho de Administração, será remetida uma carta a todas as entidades candidatas comunicando-lhes a decisão final, da qual não haverá recurso. 3

4 4 Às entidades cujos projectos forem aprovados, será, juntamente com a comunicação, remetido o Contrato de Concessão de Subsídio, onde serão especificamente detalhadas as regras de execução do subsídio. 5 O Contrato de Concessão de Subsídio deverá ser assinado por quem represente legalmente a entidade beneficiária e devolvido num prazo máximo de 20 dias úteis após a sua recepção. Artigo 10º Pagamentos 1 - Os pagamentos dos apoios financeiros são efectuados por transferência bancária para a entidade beneficiária. 2 Os pagamentos terão que ser justificados, pela entidade beneficiária, com recibos ou documentos de quitação legalmente equivalentes, correspondentes às despesas consideradas elegíveis para atribuição do financiamento. 3 O pagamento do apoio financeiro será efectuado do seguinte modo: a. após a devolução do Contrato de Concessão de Subsídio, por parte da entidade beneficiária, a Fundação pagará um adiantamento, no valor 50% do subsídio concedido ao projecto; b. após a justificação, nos termos do número 2, de 80% do adiantamento inicial, a Fundação processará um novo pagamento no valor de 45% do subsídio concedido; c. com a conclusão do projecto e apresentação, pela entidade beneficiária, do respectivo Relatório Final e sua aceitação pela Fundação esta processará o pagamento final no montante de 5% do subsídio atribuído. Artigo 11º Obrigações da entidade beneficiária 1 A entidade beneficiária deve comunicar à Fundação o início efectivo do projecto. 2 O subsídio atribuído deve ser utilizado, no máximo, até 31 de Dezembro de 2009 após o que a Fundação se reserva o direito de anular total ou parcialmente o subsídio atribuído. 3 - A entidade beneficiária deverá apresentar à Fundação um Relatório Final até 3 meses após a conclusão do projecto e de cuja apreciação e aprovação depende a libertação de 5% do subsídio atribuído; caso a Fundação não aceite como válidos, no todo ou em parte, 4

5 os elementos constantes deste Relatório, ou este não tenha sido recebido no prazo estipulado, será ponderada a devolução total ou parcial do subsídio concedido. 4 A entidade beneficiária deverá organizar, e manter devidamente actualizado em sua posse, um processo com toda a documentação relevante relativa ao projecto, nomeadamente: a. A candidatura (formulário e memória descritiva); b. O Contrato de Concessão de Subsídio; c. Os Pedidos de Pagamento apresentados à Fundação e os documentos de despesa que os suportaram, explicitando o seu registo na contabilidade da entidade; d. O Relatório Final; e. A correspondência trocada com a Fundação. 5 - A entidade beneficiária concede à Fundação o direito desta poder divulgar o projecto aprovado e suas conclusões gerais. Artigo 12º Alterações do projecto Não poderão ser efectuadas alterações ao projecto, de natureza física, temporal ou financeira, sem prévia autorização da Fundação. Artigo 13º Esclarecimentos e contactos Quaisquer dúvidas respeitantes a este concurso poderão ser esclarecidas junto do serviço de Saúde e desenvolvimento Humano, cujos contactos são os seguintes: Telefones: ; ; Endereço de correio electrónico: Artigo 14º Disposições Finais Todos os casos omissos no presente Regulamento serão resolvidos pelo Serviço de Saúde e Desenvolvimento Humano da Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa, Junho de

Regulamento para. Atribuição de Apoios pela Reitoria da Universidade do Porto

Regulamento para. Atribuição de Apoios pela Reitoria da Universidade do Porto Regulamento para Atribuição de Apoios pela Reitoria da Universidade do Porto Reitoria da Universidade do Porto Setembro de 2006 1. Introdução A U.Porto, através da sua Reitoria, tem um programa para conceder

Leia mais

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA 醫療券的式樣 尺寸 210 毫米 74 毫米 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 第 67/2014 號社會文化司司長批示 ANEXO

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA 醫療券的式樣 尺寸 210 毫米 74 毫米 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 第 67/2014 號社會文化司司長批示 ANEXO 澳門特別行政區公報 第一組 240 第 19 期 2014 年 5 月 12 日 附件 ANEXO 醫療券的式樣 Modelo do vale de saúde 正面 Frente 背面 Verso 尺寸 210 毫米 74 毫米 Dimensões: 210 mm 74 mm 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 第 67/2014 號社會文化司司長批示 GABINETE DO SECRETÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCURSO

REGULAMENTO DE CONCURSO Índice 1. Objetivos... 2 2. Entidades Beneficiárias... 2 3. Dotação Orçamental... 2 4. Financiamento... 2 5. Despesas elegíveis... 3 6. Condições de Acesso ao Concurso... 3 7. Metodologia de Seleção dos

Leia mais

Concurso de 2015 REGULAMENTO RELATIVO ÀS DESPESAS ELEGÍVEIS

Concurso de 2015 REGULAMENTO RELATIVO ÀS DESPESAS ELEGÍVEIS Concurso de 2015 REGULAMENTO RELATIVO ÀS DESPESAS ELEGÍVEIS Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece os procedimentos e documentos necessários à verificação das despesas elegíveis necessárias

Leia mais

ANEXO XX. O ICA apoia projetos promovidos por associações ou outras entidades sem fins lucrativos que divulguem e promovam o cinema português.

ANEXO XX. O ICA apoia projetos promovidos por associações ou outras entidades sem fins lucrativos que divulguem e promovam o cinema português. ANEXO XX PROGRAMA DE APOIO À INTERNACIONALIZAÇÃO SUBPROGRAMA DE APOIO À DIVULGAÇÃO E PROMOÇÃO INTERNACIONAL DE OBRAS NACIONAIS ATRAVÉS DE ASSOCIAÇÕES DO SETOR 1. Âmbito O ICA apoia projetos promovidos

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO PARA PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E DE TIMOR LESTE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº. 1º. 1. Com o fim principal

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO. Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais. Enquadramento

REGULAMENTO DO CONCURSO. Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais. Enquadramento REGULAMENTO DO CONCURSO Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais 2016 Enquadramento A recuperação, tratamento e organização de acervos documentais com relevante interesse histórico,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO. Atividades Culturais e Científicas Circum-Escolares. Enquadramento

REGULAMENTO DO CONCURSO. Atividades Culturais e Científicas Circum-Escolares. Enquadramento REGULAMENTO DO CONCURSO Atividades Culturais e Científicas Circum-Escolares 2016 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian tem vindo a apoiar praticamente desde o início da sua atividade, através do

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20 AVISO/CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL 2014-2020 (MADEIRA14-20) EIXO PRIORITÁRIO 7 Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI)

Leia mais

CONCURSO SARDINHAS FESTAS DE LISBOA'16 REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO

CONCURSO SARDINHAS FESTAS DE LISBOA'16 REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO CONCURSO SARDINHAS FESTAS DE LISBOA'16 REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO Artigo 1.º (Objeto) 1. O Concurso Sardinhas Festas de Lisboa'16 é uma iniciativa da EGEAC Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação

Leia mais

Regulamento para Atribuição de Subsídios às Associações e Colectividades da União das Freguesia da Chamusca e Pinheiro Grande

Regulamento para Atribuição de Subsídios às Associações e Colectividades da União das Freguesia da Chamusca e Pinheiro Grande 1 às Associações e Colectividades da União das Freguesia da Chamusca e Pinheiro Grande Considerando o quadro legal de atribuições e competências das autarquias locais identificado com a Lei n.º 75/2013,

Leia mais

Programa Erasmus+ AÇÃO-CHAVE 1 - Mobilidade individual para fins de aprendizagem. Ensino Superior. Mobilidade para estudos e/ou estágio

Programa Erasmus+ AÇÃO-CHAVE 1 - Mobilidade individual para fins de aprendizagem. Ensino Superior. Mobilidade para estudos e/ou estágio 2015 Programa Erasmus+ AÇÃO-CHAVE 1 - Mobilidade individual para fins de aprendizagem Ensino Superior Mobilidade para estudos e/ou estágio Mobilidade de Pessoal para missões de ensino e/ou formação APOIO

Leia mais

1. OBJETIVOS VISADOS E TIPOLOGIA DAS OPERAÇÕES OU INVESTIMENTOS A APOIAR

1. OBJETIVOS VISADOS E TIPOLOGIA DAS OPERAÇÕES OU INVESTIMENTOS A APOIAR FUNDO FLORESTAL PERMANENTE - DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS APOIO AO FUNCIONAMENTO DAS EQUIPAS DE SAPADORES FLORESTAIS 2016 a 2018 (Portaria n.º 77/2015, de 16 de março, alterada pela Portaria n.º

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO NO ÂMBITO DOS ENSAIOS GERAIS SOLIDÁRIOS

TERMOS E CONDIÇÕES DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO NO ÂMBITO DOS ENSAIOS GERAIS SOLIDÁRIOS TERMOS E CONDIÇÕES DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO NO ÂMBITO DOS ENSAIOS GERAIS SOLIDÁRIOS CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente documento define os termos e as condições de atribuição de

Leia mais

REGULAMENTO DE ACESSO ao PROGRAMA AVEIRO DIGITAL 2003-2006

REGULAMENTO DE ACESSO ao PROGRAMA AVEIRO DIGITAL 2003-2006 REGULAMENTO DE ACESSO ao PROGRAMA AVEIRO DIGITAL 2003-2006 O Programa Aveiro Digital 2003-2006 é um motor do desenvolvimento social, económico e cultural, a nível regional, perspectivando a modernização

Leia mais

CONTRATO DE PARCERIA

CONTRATO DE PARCERIA CONTRATO DE PARCERIA Entre:, legalmente representada por na qualidade de., legalmente representada por na qualidade de., legalmente representada por na qualidade de., legalmente representada por na qualidade

Leia mais

Programa EDP SOLIDÁRIA BARRAGENS

Programa EDP SOLIDÁRIA BARRAGENS Programa EDP Solidária Barragens Regulamento Programa EDP SOLIDÁRIA BARRAGENS REGULAMENTO I. Do Programa EDP SOLIDÁRIA 1. A Fundação EDP, no âmbito das suas actividades nas áreas da solidariedade social,

Leia mais

REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE

REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE (aprovado em reunião de CTC de 2014/10/15) Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto ISCAP/IPP CAPITULO I Disposições gerais Artigo

Leia mais

PEDIDO DE PAGAMENTO DE SALDO Relatório de Execução Final

PEDIDO DE PAGAMENTO DE SALDO Relatório de Execução Final Receção (a preencher pelos Serviços) N.º do Projeto 20 / / / Assinatura e Carimbo Data da Receção / / 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO N.º do Projeto: Identificação do Beneficiário: Título do Projeto: Gestor

Leia mais

Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.1

Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.1 Ficha Técnica 1. Beneficiários: As empresas que tenham operações enquadradas ou já contratadas ao abrigo das Linhas de Crédito PME Investe e que à data de contratação do alargamento do prazo não tenham

Leia mais

DSATAR. Divisão de Formação e Associativismo Formação Profissional. Norma orientadora nº06/2009

DSATAR. Divisão de Formação e Associativismo Formação Profissional. Norma orientadora nº06/2009 DSATAR Divisão de Formação e Associativismo Formação Profissional Norma orientadora nº06/2009 Assunto: Reconhecimento de formadores para apoio às sessões de formação prática do Curso de Operador de Máquinas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DO TRAIRI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DO TRAIRI Normas internas para empréstimo de equipamentos e materiais da Clínica Escola de Fisioterapia da FACISA I. Condições gerais Art.1. A Clínica Escola de Fisioterapia poderá ceder, por empréstimo, equipamentos

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO ISEC

REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO ISEC REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO ISEC Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento estabelece o regime de funcionamento dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) ministrados

Leia mais

Regulamento Interno. Campo de Férias Não Residencial

Regulamento Interno. Campo de Férias Não Residencial Regulamento Interno Campo de Férias Não Residencial O presente Regulamento Interno do Campo de Férias Não Residencial da Quinta Pedagógica do Pomarinho visa definir com objectividade todos os Direitos

Leia mais

12 a 23 de Outubro de 2009

12 a 23 de Outubro de 2009 PROGRAMA OPERACIONAL DE VALORIZAÇÃO DO POTENCIAL HUMANO E COESÃO SOCIAL DA RAM EIXO I EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMAÇÃO AVANÇADA DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE BOLSAS DE CURTA DURAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

NL-Haia: Prestação de serviços de desenvolvimento de software, manutenção e apoio para a Eurojust 2012/S 196-321563. Anúncio de concurso.

NL-Haia: Prestação de serviços de desenvolvimento de software, manutenção e apoio para a Eurojust 2012/S 196-321563. Anúncio de concurso. 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:321563-2012:text:pt:html NL-Haia: Prestação de serviços de desenvolvimento de software, manutenção e apoio para a Eurojust

Leia mais

Concurso para a Criação do Hino dos Jogos Desportivos da CPLP

Concurso para a Criação do Hino dos Jogos Desportivos da CPLP Concurso para a Criação do Hino dos Jogos Desportivos da CPLP Considerando que os Ministros Responsáveis pela Juventude e pelo Desporto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, reunidos em Salvador,

Leia mais

Linha de Crédito PME Investe V

Linha de Crédito PME Investe V Linha de Crédito PME Investe V I - Condições gerais da Linha de Crédito PME Investe V 1. Montante das Linhas Linhas Específicas Montante Micro e Pequenas Empresas 250 milhões Geral 500 milhões Total Linha

Leia mais

REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS

REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS (Decreto-Lei nº 64/2006, de 21 de Março, com as alterações produzidas pelo Decreto-Lei nª.

Leia mais

CONCURSO DE DESENHO A Minha Nota de Euro

CONCURSO DE DESENHO A Minha Nota de Euro CONCURSO DE DESENHO A Minha Nota de Euro 1ª edição março de 2015 REGULAMENTO Quanto vale a tua nota? Para que serve? O que farias com ela? Desenha a tua nota e fala-nos do valor do dinheiro 1 REGULAMENTO

Leia mais

Regulamento dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais do IPA. 2014Jul29. Documento. Data. Conselho Pedagógico. Científico.

Regulamento dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais do IPA. 2014Jul29. Documento. Data. Conselho Pedagógico. Científico. Documento Data Regulamento dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais do IPA 2014Jul29 Conselho Pedagógico Conselho Científico Conselho Direção Técnico- de REVISÃO DO DOCUMENTO Versão Alteração Por Data

Leia mais

1MISC1105013 REGULAMENTO

1MISC1105013 REGULAMENTO REGULAMENTO 1MISC1105013 ART.º 1.º Do objectivo Geral dos Prémios Pfizer de Investigação Com o objectivo de contribuir para a dinamização da investigação em Ciências da Saúde em Portugal, a Sociedade das

Leia mais

REGULAMENTO Concurso de ideias para Logótipo da Biblioteca Municipal de Montemor-o-Velho

REGULAMENTO Concurso de ideias para Logótipo da Biblioteca Municipal de Montemor-o-Velho REGULAMENTO Concurso de ideias para Logótipo da Biblioteca Municipal de Montemor-o-Velho ÍNDICE 1. [OBJECTO] 2. [DESTINATÁRIOS] 3. [CARACTERÍSTICAS DAS PROPOSTAS] 4. [APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS] 5. [FORNECIMENTO

Leia mais

CIÊNCIA E INFORMAÇÃO APOIO A PROGRAMAS DE CONSERVAÇÃO

CIÊNCIA E INFORMAÇÃO APOIO A PROGRAMAS DE CONSERVAÇÃO CIÊNCIA E INFORMAÇÃO APOIO A PROGRAMAS DE CONSERVAÇÃO OBJETIVOS Apoiar instituições para que desenvolvam ações de conservação de médio a longo prazos, na forma de programa, composto por diferentes projetos

Leia mais

PROGRAMA MODELAR. Deverá ainda, nesse âmbito, atender-se ao disposto no Artigo 9.º sobre a elegibilidade das despesas.

PROGRAMA MODELAR. Deverá ainda, nesse âmbito, atender-se ao disposto no Artigo 9.º sobre a elegibilidade das despesas. PROGRAMA MODELAR 1. No âmbito do Programa Modelar é possível apresentar uma candidatura só para a componente de construção, responsabilizando-se, no entanto, a Instituição, por mobilar e equipar a unidade

Leia mais

FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO

FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO iniciativa CENTROS DE EXCELÊNCIA :: iniciativa :: gestão :: financiamento ÍNDICE NOTAS EXPLICATIVAS PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PRÉ-PROJECTO 3 I - INFORMAÇÃO GERAL 5 1.

Leia mais

Modelo do Relatório Final de Apreciação do Programa de Bolsa a elaborar pelo Bolseiro

Modelo do Relatório Final de Apreciação do Programa de Bolsa a elaborar pelo Bolseiro Modelo do Relatório Final de Apreciação do Programa de Bolsa a elaborar pelo Bolseiro Ex.mo Senhor Vice-Reitor Reitoria da Universidade de Aveiro Campus Universitário de Santiago 3810-193 Aveiro.. (nome

Leia mais

PRÉMIO JORNALISMO RADIOFÓNICO RUC / ANTENA 1 / ANTENA 3 COM O APOIO DELTA CAFÉS

PRÉMIO JORNALISMO RADIOFÓNICO RUC / ANTENA 1 / ANTENA 3 COM O APOIO DELTA CAFÉS PRÉMIO JORNALISMO RADIOFÓNICO RUC / ANTENA 1 / ANTENA 3 COM O APOIO DELTA CAFÉS RUC / ANTENA 1 / ANTENA 3 COM O APOIO DELTA CAFÉS REGULAMENTO A Rádio Universidade de Coimbra (RUC) cumpre, em 2016, o seu

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 57 23 de Março de 2010

Diário da República, 2.ª série N.º 57 23 de Março de 2010 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Reitoria Diário da República, 2.ª série N.º 57 23 de Março de 2010 Regulamento n.º 285/2010 Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para

Leia mais

LICENCIATURA EM BIOLOGIA MARINHA

LICENCIATURA EM BIOLOGIA MARINHA LICENCIATURA EM BIOLOGIA MARINHA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CIENTÍFICO Conteúdos e objectivos 1. O estágio da licenciatura em Biologia Marinha funciona como uma disciplina para todos os efeitos académicos

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSA DE MÉRITO ESPECIAL

REGULAMENTO DE BOLSA DE MÉRITO ESPECIAL Artigo 1.º Objectivos O presente Regulamento define as regras de atribuição de bolsas de estudo de mérito especial e visam incentivar e apoiar os estudantes de Macau, com melhor classificação escolar,

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES

NORMAS REGULAMENTARES ENQUADRAMENTO À Escola é hoje exigida uma organização curricular centrada em territórios educativos, que assenta num equilíbrio entre a identidade dos projetos e a valorização dos diversos intervenientes

Leia mais

PROGRAMA ESTÁGIOS PROFISSIONAIS

PROGRAMA ESTÁGIOS PROFISSIONAIS PROGRAMA ESTÁGIOS PROFISSIONAIS Síntese Informativa do Programa (Portarias n 268/97 de 18/4, n 1271/97 de 26/12, n 814/98 de 24/9, n 286/02 de 15/3 e 282/05, de 21/03 e Deliberação do Conselho Directivo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. EDITAL 05/2016 Propit/Unifesspa

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. EDITAL 05/2016 Propit/Unifesspa UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL 05/2016 Propit/Unifesspa PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA Piapa A

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE SOCORROS MÚTUOS MONTEPIO DE NOSSA SENHORA DA NAZARÉ DE TORRES NOVAS REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS

ASSOCIAÇÃO DE SOCORROS MÚTUOS MONTEPIO DE NOSSA SENHORA DA NAZARÉ DE TORRES NOVAS REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS 1 ASSOCIAÇÃO DE SOCORROS MÚTUOS MONTEPIO DE NOSSA SENHORA DA NAZARÉ DE TORRES NOVAS REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS 2 REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS ASSOCIAÇÃO DE SOCORROS MÚTUOS MONTEPIO DE NOSSA SENHORA DA NAZARÉ

Leia mais

REGULAMENTO DO EXPOSITOR

REGULAMENTO DO EXPOSITOR REGULAMENTO DO EXPOSITOR 1. As inscrições processam-se e são consideradas mediante a seguinte ordem e na entrega dos seguintes documentos: Preenchimento do formulário de pré-inscrição online, excepto candidaturas

Leia mais

Regulamento Vote nos Melhores

Regulamento Vote nos Melhores Regulamento Vote nos Melhores Artigo 1.º Objecto 1. O Regulamento Vote nos Melhores estabelece a forma como se irá desenvolver a votação para atribuição dos Prémios anuais e mensais Individuais, nas categorias

Leia mais

o Aluno : qualquer aluno do 3 o ano do MIEI que se encontre nas condições expressas neste documento para inscrição na disciplina;

o Aluno : qualquer aluno do 3 o ano do MIEI que se encontre nas condições expressas neste documento para inscrição na disciplina; Normas de Funcionamento da Disciplina Actividade Prática de Desenvolvimento Curricular Vertente de Estágio Mestrado Integrado em Engenharia Informática Preâmbulo Este documento destina-se a regulamentar

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA TRANSPORTE DE PESSOAS COM MOBILIDADE REDUZIDA, FORA DO CONTINGENTE, PARA O CONCELHO DE OVAR

CONCURSO PÚBLICO ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA TRANSPORTE DE PESSOAS COM MOBILIDADE REDUZIDA, FORA DO CONTINGENTE, PARA O CONCELHO DE OVAR CONCURSO PÚBLICO ATRIBUIÇÃO DE UMA LICENÇA DE TÁXI PARA TRANSPORTE DE PESSOAS COM MOBILIDADE REDUZIDA, FORA DO CONTINGENTE, PARA O CONCELHO DE OVAR Programa de Concurso Câmara Municipal de Ovar Novembro

Leia mais

Regulamento do Estágio Curricular

Regulamento do Estágio Curricular UNIVERSIDADE LUSÍADA DE VILA NOVA FAMALICÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS DA ECONOMIA E DA EMPRESA Licenciatura em Ciências Económicas e Empresariais Regulamento do Estágio Curricular Das unidades curriculares:

Leia mais

Regulamento de Apoio à Publicação Científica e Tecnológica

Regulamento de Apoio à Publicação Científica e Tecnológica Regulamento de Apoio à Publicação Científica e Tecnológica Artigo 1.º - Objeto O presente regulamento estabelece os termos e as condições de atribuição dos apoios relativos a publicações científicas realizadas

Leia mais

EDITAL. Concurso de Acesso e Ingresso no mestrado em Vulcanologia e Riscos Geológicos

EDITAL. Concurso de Acesso e Ingresso no mestrado em Vulcanologia e Riscos Geológicos EDITAL Concurso de Acesso e Ingresso no mestrado em Vulcanologia e Riscos Geológicos A Universidade dos Açores faz saber que está aberto concurso de acesso ao mestrado em Vulcanologia e Riscos Geológicos,

Leia mais

CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOPTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO ANO LECTIVO 2010/2011 REGULAMENTO 1. APRESENTAÇÃO

CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOPTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO ANO LECTIVO 2010/2011 REGULAMENTO 1. APRESENTAÇÃO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOPTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO ANO LECTIVO 2010/2011 REGULAMENTO 1. APRESENTAÇÃO O concurso escolar A minha escola adopta um museu, um palácio, um monumento...

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÉMIO. CAPÍTULO 1 Disposições gerais Artigo 1.º

REGULAMENTO DO PRÉMIO. CAPÍTULO 1 Disposições gerais Artigo 1.º REGULAMENTO DO PRÉMIO CAPÍTULO 1 Disposições gerais Artigo 1.º 1.A Fundação Ilídio Pinho, o Ministério da Educação e Ciência e o Ministério da Economia celebraram um Protocolo com vista à instituição de

Leia mais

Vale Inovação. Dezembro de 2011. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME)

Vale Inovação. Dezembro de 2011. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) 1 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) Projecto Simplificado de Inovação Dezembro de 2011 2 Enquadramento: Apoiar de forma simplificada a aquisição de

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO. Versão 1.0 Dezembro 2015

PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO. Versão 1.0 Dezembro 2015 PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO Versão 1.0 Dezembro 2015 Índice 1. Objetivo... 2 2. Campo de aplicação... 2 3. Documentos de referência... 2 4. Qualificação de verificadores

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA NAS FREGUESIAS DA REGIÃO CENTRO. A cooperação técnica e financeira entre a CCDRC e as Freguesias da Região Centro.

GESTÃO FINANCEIRA NAS FREGUESIAS DA REGIÃO CENTRO. A cooperação técnica e financeira entre a CCDRC e as Freguesias da Região Centro. GESTÃO FINANCEIRA A cooperação técnica e financeira entre a CCDRC e as Freguesias da Região Centro NAS FREGUESIAS DA REGIÃO CENTRO CCDRCentro 2011 Matriz da acção de formação O MODELO FINANCEIRO DAS FREGUESIAS

Leia mais

Programa TEIP. Candidatura ao Fundo Social Europeu. https://www.portugal2020.pt/portal2020/ 16 e 17 de junho de 2016

Programa TEIP. Candidatura ao Fundo Social Europeu. https://www.portugal2020.pt/portal2020/ 16 e 17 de junho de 2016 Programa TEIP Candidatura ao Fundo Social Europeu https://www.portugal2020.pt/portal2020/ 16 e 17 de junho de 2016 Balcão 2020 A apresentação de candidaturas é efetuada através de formulário eletrónico

Leia mais

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES CAMBIAIS

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES CAMBIAIS NOVOS PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES CAMBIAIS O Aviso n.º 13/2013, de 31 de Julho, do Banco Nacional de Angola, publicado a 06.08.2013, estabelece os novos e mais flexíveis procedimentos

Leia mais

GUIA PARA ACOMPANHAMENTO DOS PROJETOS APROVADOS COMPONENTE 4

GUIA PARA ACOMPANHAMENTO DOS PROJETOS APROVADOS COMPONENTE 4 FUNDO MULTILATERAL DE INVESTIMENTOS PROGRAMA REGIONAL DE FORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL COM INCLUSÃO SOCIAL- ConectaDEL GUIA PARA ACOMPANHAMENTO DOS PROJETOS APROVADOS COMPONENTE 4 1.

Leia mais

CAPÍTULO I. Provas de Acesso. Artigo 1º (Objeto e âmbito)

CAPÍTULO I. Provas de Acesso. Artigo 1º (Objeto e âmbito) CAPÍTULO I Provas de Acesso Artigo 1º (Objeto e âmbito) 1. O presente Regulamento estabelece as normas para a realização das provas especialmente adequadas à avaliação da capacidade para a frequência dos

Leia mais

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS 2014 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian (Fundação), através de concurso, vai conceder apoio à organização

Leia mais

EDITAL. Iniciativa NEOTEC

EDITAL. Iniciativa NEOTEC EDITAL Iniciativa NEOTEC O XVI Governo Constitucional, numa linha de continuidade da acção política do XV Governo Constitucional, considera essencial uma aproximação da inovação ao sector produtivo, de

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 154 10 de Agosto de 2010 42925

Diário da República, 2.ª série N.º 154 10 de Agosto de 2010 42925 Diário da República, 2.ª série N.º 154 10 de Agosto de 2010 42925 CV: classificação curricular (currículo académico, científico, técnico C: classificação final. Haverá lugar a entrevista quando forem necessários

Leia mais

EDITAL N.º 02/2015 DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE MATRÍCULA PARA OS CURSOS TÉCNICOS, CONCOMITANTES E SUBSEQUENTES AO ENSINO MÉDIO

EDITAL N.º 02/2015 DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE MATRÍCULA PARA OS CURSOS TÉCNICOS, CONCOMITANTES E SUBSEQUENTES AO ENSINO MÉDIO EDITAL N.º 02/2015 DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE MATRÍCULA PARA OS CURSOS TÉCNICOS, CONCOMITANTES E SUBSEQUENTES AO ENSINO MÉDIO O, mantido pela Associação Paranaense de Cultura, torna pública a abertura

Leia mais

Concurso limitado por prévia qualificação para a celebração de acordo quadro para a prestação de serviços de vigilância e segurança

Concurso limitado por prévia qualificação para a celebração de acordo quadro para a prestação de serviços de vigilância e segurança Concurso limitado por prévia qualificação para a celebração de acordo quadro para a prestação de serviços de vigilância e segurança Convite à apresentação de propostas ANCP Dezembro de 2009 Índice Artigo

Leia mais

CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO FINANCEIRO A PROJETO DE INVESTIGAÇÃO

CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO FINANCEIRO A PROJETO DE INVESTIGAÇÃO CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO FINANCEIRO A PROJETO DE INVESTIGAÇÃO Entre FUNDAÇÃO BIAL, instituição de utilidade pública, com o número de identificação de pessoa coletiva 503 323 055, com sede à Avenida

Leia mais

COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA

COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA PUBLICADO EM 02/05/2016 O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Leia mais

Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira - IMIP Escola de Pós-Graduação em Saúde Materno Infantil Instituição Civil Filantrópica

Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira - IMIP Escola de Pós-Graduação em Saúde Materno Infantil Instituição Civil Filantrópica EDITAL O Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira IMIP em parceria com a Faculdade Pernambucana de Saúde FPS tornam público que será realizada, SELEÇÃO DE TÍTULOS para vagas dos Programas

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO MESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO MESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO MESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA O Estágio Curricular do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas incluído

Leia mais

Programa Ibero-Americano de Bibliotecas Públicas, IBERBIBLIOTECAS 1º Concurso de Estágios Internacionais, 2016

Programa Ibero-Americano de Bibliotecas Públicas, IBERBIBLIOTECAS 1º Concurso de Estágios Internacionais, 2016 1º Concurso de Estágios Internacionais, 2016 1. Introdução Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de recursos humanos suficientes e altamente qualificados para assumir os desafios das bibliotecas

Leia mais

Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos

Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos O presente documento tem como objetivo apresentar as diretrizes e orientar no preenchimento do formulário de inscrição

Leia mais

Programa Viseu Solidário. Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013

Programa Viseu Solidário. Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013 Programa Viseu Solidário Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013 Tendo em conta os cortes orçamentais decorrentes das medidas de austeridade existentes no nosso País prevê-se um aumento significativo

Leia mais

Regulamento dos Centros de Lazer

Regulamento dos Centros de Lazer Regulamento dos Centros de Lazer 1/6 Regulamento dos Centros de Lazer Cofre de Previdência dos Funcionários e Agentes do Estado 1. Beneficiários Podem beneficiar dos Centros de Lazer os sócios do Cofre

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS

PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS geral@cm-nelas.pt PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS Nota Justificativa

Leia mais

REGULAMENTO DA FEIRA DE ARTESANATO E ARTE POPULAR DE SANTO ANTÓNIO - FUNCHAL.

REGULAMENTO DA FEIRA DE ARTESANATO E ARTE POPULAR DE SANTO ANTÓNIO - FUNCHAL. REGULAMENTO DA FEIRA DE ARTESANATO E ARTE POPULAR DE SANTO ANTÓNIO - FUNCHAL. O artesanato é a expressão mais representativa da cultura popular. Com o intuito de divulgar a cultura e arte Popular Madeirense,

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015

ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015 ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015 NOME DO PROJETO: ORGANIZAÇÃO PROPONENTE: DATA : / / ÍNDICE DO PROJETO ASSUNTO PÁG. I - CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO - TÍTULO

Leia mais

Certificação Energética em Edifícios Existentes

Certificação Energética em Edifícios Existentes Certificação Energética em Edifícios Existentes DATAS A definir (assim que seja atingido o número mínimo de inscrições) HORÁRIO Sábado, das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 (inclui visita a um imóvel

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIAS. Concurso de prestação de serviços de limpeza à Electra, S.A.R.L e Electra Norte, S.A. em S.Vicente

TERMO DE REFERÊNCIAS. Concurso de prestação de serviços de limpeza à Electra, S.A.R.L e Electra Norte, S.A. em S.Vicente TERMO DE REFERÊNCIAS Concurso de prestação de serviços de limpeza à Electra, S.A.R.L e Electra Norte, S.A. em S.Vicente 1. Objecto de concurso 1.1 O presente concurso limitado tem por objecto a adjudicação,

Leia mais

ESTUDO DAS NECESSIDADES DE CUIDADOS DE ENFERMAGEM DA POPULAÇÃO RESIDENTE EM PORTUGAL

ESTUDO DAS NECESSIDADES DE CUIDADOS DE ENFERMAGEM DA POPULAÇÃO RESIDENTE EM PORTUGAL ESTUDO DAS NECESSIDADES DE CUIDADOS DE ENFERMAGEM DA POPULAÇÃO RESIDENTE EM PORTUGAL Concurso para financiamento de projecto de investigação - I fase - REGULAMENTO Introdução O Conselho Directivo, na sua

Leia mais

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial COMPETIR + O Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial tem por objetivo promover o desenvolvimento sustentável da economia regional,

Leia mais

Registo de Representantes Autorizados e Pessoas Responsáveis

Registo de Representantes Autorizados e Pessoas Responsáveis Instrução da Euronext 2-01 Alterado em 4 de Agosto de 2014 Data de Entrada em vigor: 11 de Agosto de 2014 Assunto: Registo de Representantes Autorizados e Pessoas Responsáveis Departamento: Regulation

Leia mais

A bolsa terá a duração 12 meses, em regime de exclusividade, com possibilidade de prorrogação, com início previsto para o dia 1 de Março de 2011.

A bolsa terá a duração 12 meses, em regime de exclusividade, com possibilidade de prorrogação, com início previsto para o dia 1 de Março de 2011. 1. Descrição do cargo/posição/bolsa 1. Job description Cargo/posição/bolsa: Bolsa de Investigação (BI) para Licenciado no âmbito do projecto PTDC/CTE- GIX/104035/2008 Environmental changes: Fluvio-marine

Leia mais

REGULAMENTO APROVADO PELA CÂMARA MUNICIPAL DE SINTRA EM 21 DE OUTUBRO DE 2014

REGULAMENTO APROVADO PELA CÂMARA MUNICIPAL DE SINTRA EM 21 DE OUTUBRO DE 2014 REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO FINANCEIRA ÀS INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS PROMOTORAS DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DE SAÚDE DO CONCELHO DE SINTRA REGULAMENTO APROVADO PELA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1 / 5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:179698-2016:text:pt:html Luxemburgo-Luxemburgo: BEI - Serviços de comunicação da rede de área alargada e da rede da

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP)

REGULAMENTO ESPECIFICO PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP) REGULAMENTO ESPECIFICO PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP) Lisboa outubro 2013 REGULAMENTO ESPECIFICO DA PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP) Faz parte integrante dos Cursos Profissionais a realização de

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo A Constituição da Republica Portuguesa define no n.º 2 do Artigo 73.º que o Estado promove a democratização da educação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA E SEUS OBJETIVOS Art. 1º - Este Regulamento complementa

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA EDITAL DRE n 071/16

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA EDITAL DRE n 071/16 PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA EDITAL DRE n 071/16 A PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS, por intermédio do Departamento de Relações Externas, torna pública

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE CURSOS E ATIVIDADES DE EXTENSÃO DA USP

ORIENTAÇÕES SOBRE CURSOS E ATIVIDADES DE EXTENSÃO DA USP ORIENTAÇÕES SOBRE CURSOS E ATIVIDADES DE EXTENSÃO DA USP FORMAÇÃO PROFISSIONAL Prática Programa de Residência Profissionalizante Atualização Graduação Sim Não Sim Concluída Carga horária mínima Definida

Leia mais

EDITAL BATALHA DE BANDAS 6º CANGAÇO ROCK FEST SERRA TALHADA-PE

EDITAL BATALHA DE BANDAS 6º CANGAÇO ROCK FEST SERRA TALHADA-PE 1. Objetivo EDITAL BATALHA DE BANDAS 6º CANGAÇO ROCK FEST SERRA TALHADA-PE 2016 1.1 Este edital estabelece as regras de participação na batalha de bandas 6º Cangaço Rock Fest. 1.2 A batalha de bandas tem

Leia mais

EDITAL NRCA-SJP N.º 16/2015

EDITAL NRCA-SJP N.º 16/2015 EDITAL NRCA-SJP N.º 16/2015 DISPÕE SOBRE OS PROCESSOS DE INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS. O Coordenador do Núcleo

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA Nº 246

CIRCULAR INFORMATIVA Nº 246 CIRCULAR INFORMATIVA Nº 246 LEGISLAÇÃO NACIONAL 23-12-2015 CERTIFICADOS ELECTRÓNICOS PARA GRANDES UTILIZADORES (CDI) Exmos. Senhores Associados, Visando atender às necessidades das empresas suas associadas

Leia mais

CAMPANHA CELSO LISBOA JORNAL EXTRA REGULAMENTO

CAMPANHA CELSO LISBOA JORNAL EXTRA REGULAMENTO CAMPANHA CELSO LISBOA JORNAL EXTRA REGULAMENTO 1. Esta campanha é uma promoção realizada em parceria pela INFOGLOBO COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A. (Infoglobo), empresa sediada na capital do estado do

Leia mais

Anúncio De Concurso do Instituto Nacional de Saúde Pública. Técnico nível 1

Anúncio De Concurso do Instituto Nacional de Saúde Pública. Técnico nível 1 Anúncio De Concurso do Instituto Nacional de Saúde Pública Técnico nível 1 O presente anúncio de recrutamento é coordenado pela Direcção Geral da Administração Pública (DGAP), de acordo com os procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS JÚRIS DOS CONCURSOS DE CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO PROMOVIDOS PELO ICA. Artigo 1.º. Âmbito de Aplicação

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS JÚRIS DOS CONCURSOS DE CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO PROMOVIDOS PELO ICA. Artigo 1.º. Âmbito de Aplicação REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS JÚRIS DOS CONCURSOS DE CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO PROMOVIDOS PELO ICA Artigo 1.º Âmbito de Aplicação O presente Regulamento estabelece as regras de funcionamento dos

Leia mais

Edital para Concessão de Bolsa de Pós Graduação 2010 PETROBRAS/ UNIFACS

Edital para Concessão de Bolsa de Pós Graduação 2010 PETROBRAS/ UNIFACS Edital para Concessão de Bolsa de Pós Graduação 2010 PETROBRAS/ UNIFACS A Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação da Universidade Salvador UNIFACS, torna público e convoca a sua comunidade acadêmica

Leia mais

Ministério das Finanças

Ministério das Finanças Ministério das Finanças Lei n.º /06 de de O Orçamento Geral do Estado é o principal instrumento da política económica e financeira que expresso em termos de valores, para um período de tempo definido,

Leia mais

Eixo VI _ Assistência Técnica. VI.1. Gestão Operacional e Monitorização Estratégica

Eixo VI _ Assistência Técnica. VI.1. Gestão Operacional e Monitorização Estratégica _ Assistência Técnica CONTROLO DO DOCUMENTO Versão Data Descrição N. de Página 1ª 2008.05.15 5 Pág. 1 de 5 Objectivo Assegurar as condições adequadas para a gestão, acompanhamento, avaliação, monitorização

Leia mais

Estágio Clínico do 6º Ano, 2014/2015. I. Caracterização Geral

Estágio Clínico do 6º Ano, 2014/2015. I. Caracterização Geral Estágio Clínico do 6º Ano, 2014/2015 I. Caracterização Geral 1. O Estágio Clínico do 6º Ano tem a duração de 36 semanas e decorre em Hospitais e Centros de Saúde associados ao ensino clínico, nas seguintes

Leia mais