Atestado de Conformidade NR 12

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atestado de Conformidade NR 12"

Transcrição

1 TÜV Rheinland do Brasil TÜV Rheinland é um organismo de certificação, inspeção, gerenciamento de projetos e treinamento, que foi fundada na Alemanha em 1872 com o objetivo de proteger os trabalhadores de acidentes ocorridos nas instalações de caldeiras a vapor. Desde então, têm-se especializado em todos os tipos de serviços relacionados com a qualidade, a segurança técnica e de proteção do homem e do meio ambiente em todo o mundo. Histórico São mais de 140 anos trabalhando para o meio ambiente, ser humano e tecnologia. Fundada em junho de 2000, a TÜV Rheinland Brasil tem como foco principal a segurança e a qualidade de produtos, sistemas e serviços em diversas áreas. Orientados por este pensamento, em 2006 demos um grande salto com a aquisição de duas importantes empresas dos setores de certificações e inspeções: a União Certificadora (UCIEE) e a Orplan Inspeções. A partir desse momento, passamos também a atuar ainda mais fortemente com eletroeletrônicos e inspeções. Em 2007 assumimos o controle acionário da Ductor Implantação de Projetos S.A., uma das líderes em consultoria de engenharia e gerenciamento de projetos no país. Com esta aquisição, reforçamos a expertise que já temos no exterior em consultoria e gerenciamento de projetos. Mais um grande passo foi dado em 2010 com a aquisição da Geris Engenharia e Serviços, empresa especializada em projetos e gerenciamento de empreendimentos nas áreas de energia, habitação e transporte. Em 2011 a TÜV Rheinland Brasil passou a investir na área de vistorias veiculares, oferecendo os serviços de vistoria de regulação de sinistro, de constatação in loco, de garantia de procedência, entre outros. Dessa forma, demos continuidade à ampliação de nossa oferta de serviços especializados, agora também em setores como Construção, Transporte, Telecomunicações, Tecnologia da Informação e Energia. Somos hoje um dos maiores organismos certificadores no Brasil e no mundo. Oferecemos aos nossos clientes uma estrutura que conta com laboratórios próprios e um Centro de Treinamento, onde são ministrados cursos para profissionais e empresas. Nosso foco é dar todo o suporte necessário para que sua empresa atue dentro dos padrões nacionais e internacionais de qualidade e segurança, buscando sempre o desenvolvimento de novas ideias e estratégias, capacitando profissionais, inspecionando estruturas produtivas e certificando processos, sistemas e produtos. Tudo isso para que sua empresa deposite confiança total em um único parceiro: a TÜV Rheinland. Declaração de Imparcialidade A TÜV Rheinland Brasil, dentro do seu escopo de certificação, aceita solicitações de quaisquer empresas, em todo território nacional ou no exterior, independentemente de seu porte, ramo de atividade, ou grupo a que pertence. A TÜV Rheinland Brasil oferece os seus serviços a todos aqueles solicitantes que, voluntariamente buscando-a, desejam e estejam em condições de solicitar a certificação de produto, processo e serviço de sua responsabilidade e a certificação de Sistemas de Gestão de acordo com as normas indicadas. O que fazemos A TÜV Rheinland oferece soluções para a qualidade, segurança e meio ambiente por meio de certificações, inspeções, auditorias, gerenciamento de projetos e treinamento. 1

2 Somos uma organização que foi fundada na Alemanha em 1872 com o objetivo de proteger os trabalhadores de acidentes ocorridos nas instalações de caldeiras a vapor. Desde então, temos nos especializado em todos os tipos de serviços relacionados com a qualidade, a segurança técnica e à proteção do homem e do meio ambiente. Atualmente, através de MAIS de funcionários, trazemos nosso conhecimento técnico para indivíduos, empresas e instituições. Com vários escritórios no país, oferecemos os nossos serviços em nível local e internacional, com o apoio técnico e prestígio mundial. Nossos principais pontos fortes residem na objetividade e independência de nossas soluções. Segurança de Máquinas e Equipamentos Conforme NR 12 A NR 12 é uma norma regulamentar publicada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O principal objetivo da norma é garantir inerentemente máquinas e equipamentos seguros, ao exigir informações completas sobre transporte, utilização, manutenção e eliminação. A conformidade à NR 12 é obrigatória para todas as máquinas e equipamentos novos e usados. A TÜV Rheinland fornece aos fabricantes, importadores e usuários finais uma avaliação criteriosa de terceira parte a fim de ajudá-los a cumprir as exigências da NR 12. Embora esses serviços de avaliação da conformidade baseiem-se nos requisitos da NR 12, nós não emitimos uma "certificação da NR 12" ou um "certificado NR 12". Oferecemos uma inspeção independente de máquinas e equipamentos com serviços que incluem a avaliação de projeto, fabricação e uso, testes de segurança, testes funcionais, conformidade com normas nacionais e internacionais e documentação técnica. Benefícios dos nossos serviços de avaliação da conformidade NR 12 Com a ajuda de nossos serviços de avaliação da conformidade NR 12 para máquinas e equipamentos você irá: Obter melhor compreensão dos requisitos estabelecidos pela NR 12. Tornar-se compatível com a legislação brasileira em matéria de segurança de máquinas e equipamentos. Ter a documentação técnica completa. Demonstrar a segurança de suas máquinas e equipamentos. Preparar-se para possíveis inspeções de auditores do MTE. Nossos serviços de avaliação de conformidade Nós fornecemos aos fabricantes, importadores ou utilizadores finais de máquinas e equipamentos, a seguinte avaliação de conformidade: Inspeção de máquinas e equipamentos em conformidade com a norma regulamentar brasileira NR 12. Inspeção de máquinas e equipamentos em conformidade com outras normas brasileiras ou normas internacionais aplicáveis. (ISO, IEC). Emissão de relatórios de ensaio. Compilação de documentação e revisão. Inspeção no local do fabricante. Inspeção no local de instalação final. Abordagem de avaliação de conformidade NR O solicitante deve fornecer o manual da máquina ou do equipamento para revisão e avaliação; 2. Nossos especialistas em NR 12 verificam se alguma norma brasileira adicional (NBR) é aplicável. Se não, são consideradas normas internacionais (ISO e/ou IEC). Padrões regionais, tais como UL, EN, DIN, etc. não são opcionais; 2

3 3. Confirmam-se as normas aplicáveis; 4. Então realizamos uma avaliação de conformidade completa da máquina ou equipamento e revisamos a documentação técnica relacionada ao produto; 5. Após a avaliação da máquina emitimos um relatório de ensaio com todos os requisitos da NR 12 avaliados, detalhando com observações os itens que não estão de acordo, incluindo a documentação faltante; 6. Toda a documentação técnica e evidências do atendimento de todos os requisitos da NR 12 devem passar por uma revisão final realizada localmente pela TUV Rheinland Brasil e deve ser apresentada em língua portuguesa. 7. A TÜV Rheinland do Brasil emite evidência de conformidade à NR 12 somente se cumpridos todos os requisitos da NR 12. Este documento é válido apenas para o determinado produto identificado pelo modelo e número de série e não deve ser estendido a outros produtos semelhantes. Sobre a norma regulamentadora NR 12 O item 12.1 da Norma Brasileira Regulamentadora NR 12 afirma: "esta norma regulamentadora e seus anexos definem referências técnicas, princípios fundamentais e diretivas de proteção com o objetivo de garantir a saúde e a integridade física de todos os trabalhadores e também estabelecer requisitos mínimos para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais durante o projeto e uso de máquinas e equipamentos de todos os tipos. Esses critérios também são aplicados na fabricação, importação, comercialização, exposição e locação de equipamentos, em todas as atividades econômicas, tendo em conta outras normas regulamentares (NR), aprovadas pelo Decreto n , 8 de julho de 1978 e normas técnicas oficiais e, na ausência ou omissão de tais normas, normas internacionais aplicáveis." Isto significa que, a fim de proporcionar segurança adequada para os trabalhadores, não é suficiente apenas satisfazer as exigências da NR 12. Também é necessário o atendimento às normas nacionais e internacionais aplicáveis para avaliar detalhadamente todos os riscos associados com máquinas ou equipamentos. Algumas das normas geralmente necessárias para serem aplicadas à maioria das máquinas são: ABNT NBR ISO ABNT NBR NM 272 ABNT NBR NM 273 ABNT NBR ABNT NBR NM ISO ABNT NBR NM ISO ABNT NBR NM ISO ABNT NBR ABNT NBR Além dessas normas, máquinas movidas a eletricidade devem estar em conformidade com a IEC ; máquinas com um sistema pneumático devem estar em conformidade com a ABNT NBR ISO 4414; e aquelas com um sistema hidráulico devem estar em conformidade com a ISO Algumas máquinas, como prensas mecânicas, prensas excêntricas e injetores, também têm normas específicas que devem ser consideradas. Para determinar corretamente quais normas devem ser avaliadas em conjunto com a NR 12, é necessário realizar a análise de risco e rever todas as normas aplicáveis. A NR 12 baseou-se na diretiva de máquinas 2006/42/CE; no entanto isso não significa que máquinas em conformidade com a legislação europeia (marcação CE) cumprirão automaticamente com a NR 12. Existem alguns aspectos técnicos diferentes que devem ser avaliados, tais como requisitos de documentação, aplicação de normas e, sobretudo, certificações que verificam os sistemas de segurança da máquina. Experiência TÜV Rheinland do Brasil Desde a criação do serviço de Atestado de Conformidade NR 12 pela TÜV Rheinland do Brasil em 2012, já realizamos diversas inspeções em variados tipos de máquinas para a maioria dos segmentos da indústria. Vale ressaltar que o serviço foi incluído em 3

4 nosso portfólio desde 2012, no entanto, temos atuado com inspeções de máquinas conforme NR 12 desde sua publicação em dezembro de Além dos serviços e experiência, já promovemos palestras, reuniões dedicadas e simpósio a fim de esclarecer dúvidas e dificuldades encontradas por fabricantes para atendimento aos requisitos da NR 12. Alguns países que tivemos esses eventos são Brasil, Alemanha, China e Japão. Em 2012 e 2013 participamos também como convidados da CNTT NR 12 (Comissão Nacional Tripartite Temática da NR 12) para discutir e ajudar a revisar tecnicamente os requisitos de tal regulamento. Algumas máquinas que já realizamos inspeção e avaliação conforme NR 12: - Máquina Injetora de Alumínio (câmara quente e fria); - Máquinas Impressoras Industriais; - Máquinas de Processamento de Alimentos; - Máquinas da Indústria Gráfica Em geral; - Máquinas Injetoras de Plástico; - Máquinas Termoformadoras; - Máquinas de Embalagem de Alimentos; - Máquinas de Embalagem em Geral; - Máquinas Laminadoras de Papel; - Máquinas do Processo de Embalagens; - Máquinas de Linha de Abate Suíno e Bovino; - Plantas de abate de Suíno e Bovino; - Máquinas de Confecção de Produtos Higiênicos; - Entre outras. Principais dificuldades dos fabricantes Em nossa experiência pudemos verificar que uma das maiores dificuldades dos fabricantes no atendimento a NR 12 está principalmente no correto entendimento dos requisitos e forma de evidenciar o cumprimento com os mesmos. Na prática, percebemos a grande dificuldade dos fabricantes em fornecer uma documentação técnica que evidencia, por exemplo, o atendimento as normas aplicáveis a máquina, principalmente quanto a norma de segurança elétrica de máquinas (IEC ) e normas de Compatibilidade Eletromagnética). Outro ponto que sempre verificamos como não atendida é a completeza do manual, considerando todo o ciclo de vida da máquina, com informações claras quanto a instalação, operação e manutenção. A inclusão das normas atendidas nos manuais nunca é satisfatória. Uma diferença importante da NR 12 em relação a diretiva de máquinas 2006/42/CE, por exemplo, é a necessidade de que o fabricante precisa fornecer juntamente com o manual um material de treinamento que será utilizado para treinar e qualificar os operadores da máquina, e pessoal da manutenção, se for o caso. Ressaltando ainda que toda a documentação que terá, ou poderá ter uma interface com o usuário final da máquina, deverá estar no idioma Português do 4

5 Brasil. (Português do Brasil é diferente do Português de Portugal quanto ao vocabulário utilizado e significado de algumas palavras). No entanto, atualmente a parte mais critica que estamos verificando em nossos trabalhos é relacionada com o sistema de segurança da máquina. Neste requisito é necessário que o fabricante comprove que atende as categorias de segurança da máquina, conforme a ABNT NBR (baseada na antiga EN 954-1). A comprovação deverá ser feita principalmente por meio da utilização de componentes de segurança adequados, suas ligações, correto dimensionamento quanto as categorias de segurança e evidenciar através do fornecimento de cópia dos certificados dos componentes de segurança utilizados no sistema de segurança da máquina. Para esta situação a TÜV Rheinland do Brasil recomenda fortemente a utilização e aplicação da norma ISO /-2 com as devidas evidencias dos cálculos, utilização de componentes de segurança apropriados bem como fornecer as cópias dos certificados de todos os componentes de segurança utilizados na máquina. Englobando todos os pontos principais relacionados acima, a análise de risco é um documento que raramente recebemos dos fabricantes para realizar uma avaliação, e podermos verificar o atendimento a NR 12, norma tipo C aplicável, definições das categorias de segurança (ou Performance Level) requerido e definido para o sistema de segurança. Processo NR-12 Segue um breve fluxograma sobre as duas possibilidades básicas para fornecermos o serviço, conforme NR 12. Quando o solicitante for fabricante ou importador: quando todos os requisitos da NR-12 forem atendidos será emitido um Atestado de Conformidade NR-12 para o solicitante, válido apenas para máquina e equipamento avaliado, rastreável pelo número do processo e número de série da máquina. Quando o solicitante for usuário final da máquina e equipamento: quando todos os requisitos da NR-12 forem atendidos será emitido um Atestado de Conformidade NR-12 e será fixada uma etiqueta de identificação da avaliação na máquina e equipamento, válida apenas para a máquina e equipamento avaliado, rastreável pelo número do processo e número de série da máquina. 5

WORKSHOP IMPACTOS DA NOVA REDAÇÃO DA NR

WORKSHOP IMPACTOS DA NOVA REDAÇÃO DA NR WORKSHOP IMPACTOS DA NOVA REDAÇÃO DA NR 12 Saúde e Segurança no Trabalho SST Outubro / 2013 QUEM MEXEU NA MINHA MÁQUINA 2 ALTERAÇÃO DA NR 12 Publicada no DOU do dia 24/12/2010 pela Portaria nº 197, estabelece

Leia mais

Norma Regulamentadora Nº 13

Norma Regulamentadora Nº 13 Sede Nacional Sede Nacional - SP 1 Norma Regulamentadora Nº 13 Impactos da Nova Redação 1 Mixing Consultoria em Processos Industriais ANTÓNIO CARLOS BASSO DA CUNHA LEAL Consultor Técnico da ABIMAQ na CNTT

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais

NR 12 - Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos

NR 12 - Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos Ministério do Trabalho e Emprego Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho NR 12 - Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos Fabricação, Importação, Comércio

Leia mais

INPAME. www.inpame.org.br. Instituto Nacional de Prevenção aos. Fones: (11) 3765 2155 / 3719 1059. Filiado à:

INPAME. www.inpame.org.br. Instituto Nacional de Prevenção aos. Fones: (11) 3765 2155 / 3719 1059. Filiado à: INPAME Instituto Nacional de Prevenção aos Acidentes em Máquinas M e Equipamentos www.inpame.org.br Fones: (11) 3765 2155 / 3719 1059 Filiado à: PROTEÇÃO AO TRABALHO EM MÁQUINAS Palestra realizada em Florianópolis

Leia mais

2 NBR ISO 10005:1997. 1 Objetivo. 3 Definições. 2 Referência normativa

2 NBR ISO 10005:1997. 1 Objetivo. 3 Definições. 2 Referência normativa 2 NBR ISO 10005:1997 1 Objetivo 1.1 Esta Norma fornece diretrizes para auxiliar os fornecedores na preparação, análise crítica, aprovação e revisão de planos da qualidade. Ela pode ser utilizada em duas

Leia mais

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 CURSO E-LEARNING REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitido a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674

Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 1987-2012 legislação consultoria assessoria informativos treinamento auditoria pesquisa qualidade Legislação

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO OHSAS 18001 SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO IMPORTANTE: A BSI-OHSAS 18001 não é uma Norma Britânica. A BSI-OHSAS 18001 será cancelada quando da inclusão do seu conteúdo

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

Por que a HEAVYLOAD? GERENCIAMENTO LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CERTIFICAÇÃO IÇAMENTO E LANÇAMENTO TESTE DE CARGA MOVIMENTAÇÃO CARGAS CARGA MANUTENÇÃO

Por que a HEAVYLOAD? GERENCIAMENTO LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CERTIFICAÇÃO IÇAMENTO E LANÇAMENTO TESTE DE CARGA MOVIMENTAÇÃO CARGAS CARGA MANUTENÇÃO Por que a HEAVYLOAD? Possibilidade garantida de contratar um único fornecedor com foco em: Gerenciamento dos Ativos; Desenvolvimento e implementação de novas tecnologias; Centro de Treinamento Próprio

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DAS EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO DO ESTADO DE SÃO PAULO

REGULAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DAS EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO DO ESTADO DE SÃO PAULO COMANDO DO CORPO DE BOMBEIROS Departamento de Segurança contra Incêndio REGULAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DAS EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO DO ESTADO DE SÃO PAULO 1 PRESENÇA DO CORPO DE BOMBEIROS

Leia mais

A Nova NR12. AFT Aida Cristina Becker

A Nova NR12. AFT Aida Cristina Becker A Nova NR12 AFT Aida Cristina Becker Fevereiro 2011 DOU 24 de dezembro 2011 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 197, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2010 Altera a Norma

Leia mais

Seja um franqueado DEKRA

Seja um franqueado DEKRA Seja um franqueado DEKRA DEKRA SE A DEKRA no mundo Fundada em 1927, em Stuttgart, na Alemanha, a DEKRA esta presente em mais de 50 países e conta com mais de 25 mil colaboradores, atingindo em 2011 um

Leia mais

PIE - Prontuário das Instalações Elétricas

PIE - Prontuário das Instalações Elétricas PIE - Prontuário das Instalações Elétricas Autor: Masatomo Gunji - Engº Eletricista e de Segurança do Trabalho: O PIE é um sistema organizado de informações pertinentes às instalações elétricas e aos trabalhadores

Leia mais

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 43, DE 2015

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 43, DE 2015 PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 43, DE 2015 Susta a aplicação da Norma Regulamentadora NR-12, do Ministério do Trabalho e Emprego, que trata da Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos. Art.

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

Comando do Corpo de Bombeiros. Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio. Maj. QOBM Fernando

Comando do Corpo de Bombeiros. Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio. Maj. QOBM Fernando Comando do Corpo de Bombeiros Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio Maj. QOBM Fernando Plano de Emergência Requisitos para Elaboração e Aspectos a serem Observados; Implementação

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva Joel Alves da Silva, Diretor Técnico JAS-METRO Soluções e Treinamentos

Leia mais

Certificação de Profissionais

Certificação de Profissionais caderno atmosferas explosivas caderno atmosferas explosivas caderno atmosf caderno ex Foto: DollarPhotoClub 70 potência eras explosivas caderno atmosferas explosivas caderno atmosferas explosivas Ano XI

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE AS MUDANÇAS NA NR-12 PROMOVIDAS PELA PORTARIA MTE Nº 857/2015

ORIENTAÇÕES SOBRE AS MUDANÇAS NA NR-12 PROMOVIDAS PELA PORTARIA MTE Nº 857/2015 ORIENTAÇÕES SOBRE AS MUDANÇAS NA NR-12 PROMOVIDAS PELA PORTARIA MTE Nº 857/2015 SUMÁRIO COMENTÁRIOS SOBRE ALTERAÇÕES NA NR-12 PROMOVIDAS PELA PORTARIA MTE Nº 857 DE 25/06/2015 3 PRINCIPAIS MUDANÇAS PROMOVIDAS

Leia mais

ISO 9000 para produção de SOFTWARE

ISO 9000 para produção de SOFTWARE ISO 9000 para produção de SOFTWARE A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organizações em geral, qualquer que seja o seu tipo ou

Leia mais

Segurança para Máquinas Cenário Brasil Rodrigo Rodrigues

Segurança para Máquinas Cenário Brasil Rodrigo Rodrigues Segurança para Máquinas Segurança para Máquinas Cenário Brasil Rodrigo Rodrigues 1 Internal 20/04/2011 DC/QMM3 Dr. Alexandre Orth Training Bosch Rexroth AG 2011. All rights reserved, also regarding any

Leia mais

CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company)

CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company) 1 CURSOS PRESENCIAIS (Também podem ser ministrados in company) BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO BOAS PRÁTICAS DE ARMAZENAMENTO, LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

MODELO USADO EM CONDIÇÕES DE TREINAMENTO.

MODELO USADO EM CONDIÇÕES DE TREINAMENTO. REV. DATA REVISÃO REVISADO POR APROVADO POR MODELO USADO EM CONDIÇÕES DE TREINAMENTO. Termo de confidencialidade: O conteúdo deste relatório, incluindo toda e qualquer anotação e listas de verificação

Leia mais

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente Rua Reverendo Martin Luther King, 161 Santo André - SP C.N.P.J: 05.667.311/0001-22 Tel: (011) 3461-8013 WWW.GRUPOSTARSEG.COM.BR

Leia mais

SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL SOLUÇÕES INDUSTRIAIS. A EMPRESA Para a SAFE, a tecnologia é somente um dos elementos de qualquer solução industrial. Suporte e serviços técnicos de alto nível são ingredientes

Leia mais

SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias. Ed01/Rev1 Fevereiro de 2012

SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias. Ed01/Rev1 Fevereiro de 2012 SUMÁRIO SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias Ed01/Rev1 Fevereiro de 2012 1 Introdução 2 Documentos complementares 3 Conceituação 4 Requisitos do programa setorial

Leia mais

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho;

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho; Curso: Técnico de Segurança do Trabalho Curso Reconhecido pelo MEC: PORTARIA N 959/2007 Apresentação: O curso de Técnico de Segurança do Trabalho da Conhecer Escola Técnica é reconhecido pela excelência

Leia mais

Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014.

Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Uso Exclusivo em Treinamento

Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br ABNT NBR ISO 9001:2008 Uso Exclusivo em Treinamento SUMÁRIO 0. Introdução 2 0.1 Generalidades 2 0.2 Abordagem de processo 3 0.3 Relação com a norma NBR ISO 9004 5 0.4

Leia mais

ISO 17025 Versão 2005

ISO 17025 Versão 2005 1º Fórum Regional de Química - ES ISO 17025 Versão 2005 Rev. 14 Samuel Vieira JUN/2010 1 Terminologia e Siglas ABNT NBR ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004)

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) Ao longo dos últimos anos, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO 14000 e, com o atual processo de

Leia mais

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Para obter a acreditação o laboratório deve implementar um sistema de gestão da qualidade com especial atenção para os aspectos da

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL

IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL São Paulo, 26/09/2011 VALÉRIA APARECIDA FARIA Bióloga Especialização em Gestão Ambiental pela Faculdade

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

Manual de Implantação e Roteiro para Auditoria do Critérios para Auditoria SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA ATUAÇÃO RESPONSÁVEL

Manual de Implantação e Roteiro para Auditoria do Critérios para Auditoria SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA ATUAÇÃO RESPONSÁVEL Manual de Implantação e Roteiro para Auditoria do Critérios para Auditoria SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA ATUAÇÃO RESPONSÁVEL É proibida a reprodução total ou parcial deste documento por quaisquer meios

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Item 35.5 da NR-35 (Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem)

CONSULTA PÚBLICA Item 35.5 da NR-35 (Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem) MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para revisão do Item 35.5 (Equipamentos de Proteção Individual,

Leia mais

INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS

INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS Fundada em 1970, a 3RHO Interruptores Automotivos tem como principal objetivo, atender o mercado de reposição (Aftermarket), oferecendo aos seus clientes produtos com

Leia mais

COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12 (25/06/15):

COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12 (25/06/15): COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12 (25/06/15): Com a publicação do texto revisado da Norma Regulamentadora 12, em 25 de Junho de 2015 pela Portaria MTE 857 do Ministério do Trabalho

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

Requisitos sobre competências pessoais para atividades com equipamentos e instalações em áreas classificadas contendo atmosferas explosivas

Requisitos sobre competências pessoais para atividades com equipamentos e instalações em áreas classificadas contendo atmosferas explosivas 52 Requisitos sobre competências pessoais para atividades com equipamentos e instalações em áreas classificadas contendo atmosferas explosivas Elaborado por Luiz Mauro Alves e Roberval Bulgarelli A certificação

Leia mais

CARRINHOS PARA CRIANÇAS

CARRINHOS PARA CRIANÇAS Página 1 de 1 Elaborado por: Diego Alves de Oliveira Verificado por: Karen Carolina Martins Aprovado por: Maria Lucia Hayashi Data Aprovação: 06/01/2015 1. OBJETIVO Estabelecer os critérios para o Programa

Leia mais

www.megacursos.com.br O QUE É ISO?

www.megacursos.com.br O QUE É ISO? 1 O QUE É ISO? ISO significa International Organization for Standardization (Organização Internacional de Normalização), seu objetivo é promover o desenvolvimento de normas, testes e certificação, com

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

Máquinas e Equipamentos: A Nova NR 12. Roque Puiatti SRTE/RS/MTE

Máquinas e Equipamentos: A Nova NR 12. Roque Puiatti SRTE/RS/MTE Máquinas e Equipamentos: A Nova NR 12 Roque Puiatti SRTE/RS/MTE União Européia... 89/392/EEC 91/368/EEC 93/44/EEC 93/68/EEC 98/37/EC 2006/42/EC 12.1.6 A concepção de máquinas deve atender ao princípio

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

S ] Striai S indu o SS proce estão para g engenharia e S de S integrada [ Soluçõe nevesdobrasil.com.br

S ] Striai S indu o SS proce estão para g engenharia e S de S integrada [ Soluçõe nevesdobrasil.com.br [ Soluções integradas de Engenharia e Gestão para Processos Industriais ] [ apresentação ] A NEVES DO BRASIL Fundada em 2008 com sua unidade matriz em Americana (SP) a Neves do Brasil busca fornecer soluções

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

Marco Regulatório Comum para Equipamentos Utilizados em Ambientes de Atmosferas Explosivas

Marco Regulatório Comum para Equipamentos Utilizados em Ambientes de Atmosferas Explosivas COMISSÃO ECONÔMICA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EUROPA Marco Regulatório Comum para Equipamentos Utilizados em Ambientes de Atmosferas Explosivas NAÇÕES UNIDAS COMISSÃO ECONÔMICA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A

Leia mais

FRIGORÍFICAS FICAS NORMA NBR - 16069 SEGURANÇA A EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO

FRIGORÍFICAS FICAS NORMA NBR - 16069 SEGURANÇA A EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO SEGURANÇA A EM INSTALAÇÕES FRIGORÍFICAS FICAS NORMA NBR - 16069 SEGURANÇA A EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO ÃO 28/5/2009 Palestrante: eng Mauricio 1 Os textos da Norma foram baseados na Ashrae Standard 15

Leia mais

O ciclo de vida das instalações elétricas e de instrumentação em Atmosferas Explosivas

O ciclo de vida das instalações elétricas e de instrumentação em Atmosferas Explosivas O ciclo de vida das instalações elétricas e de instrumentação em Atmosferas Explosivas Roberval Bulgarelli Petrobras Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão Coordenador do Subcomitê SC-31 do Cobei Bulgarelli

Leia mais

3.1.1 Considera-se grave e iminente risco

3.1.1 Considera-se grave e iminente risco NR 3 - EMBARGO OU INTERDIÇÃO 3.1 Embargo e interdição são medidas de urgência, adotadas a partir da constatação de situação de trabalho que caracterize risco grave e iminente ao trabalhador. 3.1.1 Considera-se

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

Certificações e ensaios de produtos para Brasil e para o mundo. marca ANATEL e acesso a Mercado Global

Certificações e ensaios de produtos para Brasil e para o mundo. marca ANATEL e acesso a Mercado Global Certificações e ensaios de produtos para Brasil e para o mundo Escolha UL para a marca INMETRO, marca ANATEL e acesso a Mercado Global Facilitando o comércio em todo o mundo Experiência global UL é uma

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ?

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ? PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES AVALIAÇÃO SASSMAQ (P.COM.26.00) O SASSMAQ é um Sistema de Avaliação de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade, elaborado pela Comissão de Transportes da ABIQUIM, dirigido

Leia mais

Acreditação Panorama Brasil

Acreditação Panorama Brasil Acreditação Panorama Brasil 28 de novembro de 2013 Victor Pavlov Miranda Gestor de Acreditação Divisão de Acreditação de Laboratórios - Coordenação Geral de Acreditação INMETRO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA,

Leia mais

Vejamos um exemplo: O órgão público deve observar que ao mencionar por exemplo: nível de ruído máximo de 60 db.

Vejamos um exemplo: O órgão público deve observar que ao mencionar por exemplo: nível de ruído máximo de 60 db. A PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM RONDÔNIA PREGÃO 16/2013 UASG: 200046 OBJETO DE AQUISIÇÃO: FRAGMENTADORA DE PAPEL ITEM 16 US PRICE COMÉRCIO DE MÁQUINAS E SERVIÇOS LTDA., empresa privada, com sede na Rua

Leia mais

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores Gestão de Fornecedores OTIMIZA O ATENDIMENTO ÀS NORMAS ISO, ONA, OHSAS, TS, AS, PBQP-h, ABNT, NR, ANVISA, entre outras, além de se adaptar aos requisitos internos da empresa. TREINAMENTO E SUPORTE ONLINE

Leia mais

Portfólio CETCB & CFO. Treinamentos. Consultoria

Portfólio CETCB & CFO. Treinamentos. Consultoria Portfólio CETCB & CFO Consultoria e Treinamentos Consultoria e treinamento Prestadora de serviço - Fundada em 2008; Soma aproximadamente 05 anos de experiência em seu corpo de Consultores; Atua nos mais

Leia mais

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Palavra chave: certificacao, auditoria, organizacao, extensao, manutenção

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Palavra chave: certificacao, auditoria, organizacao, extensao, manutenção 1 de 16 1. OBJETIVO: Estabelecer a metodologia para a solicitação, extensão, manutenção e revalidação de certificados de conformidade. 2. APLICAÇÃO: Aplicável a todo processo de certificação, extensão

Leia mais

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br 51 3307 6597 A ECCOSYSTEMS está estruturada para a prestação de serviços de engenharia, consultoria, elaboração de estudos, planejamento, projetos

Leia mais

Modelo da Série NBR ISO 9000

Modelo da Série NBR ISO 9000 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP CURSO DE ADMINISTAÇÃO Prof a : NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Origem da Norma para Sistemas da Qualidade ISO

Leia mais

Norma Regulamentadora - NR 12 Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos. Histórico e Momento Atual

Norma Regulamentadora - NR 12 Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos. Histórico e Momento Atual Norma Regulamentadora - NR 12 Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos Histórico e Momento Atual A NR 12 teve sua redação substancialmente alterada pela Portaria MTE nº 197/2010 e encontra-se em

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO MAGLAB - LABORATÓRIO DE ELETROMAGNETISMO E COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO MAGLAB - LABORATÓRIO DE ELETROMAGNETISMO E COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 13 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO MAGLAB - LABORATÓRIO DE ELETROMAGNETISMO E COMPATIBILIDADE

Leia mais

Materiais de Construção II TC 031

Materiais de Construção II TC 031 Materiais de Construção II TC 031 Normalização Prof. Marcelo Medeiros Adaptado pela prof.a Laila Valduga Artigas 1 Normas e responsabilidades para engenheiros: Hammurabi, rei da Babilônia 1.800 AC, escreveu

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL TÍTULO : SAÚDE E SEGURANÇA 1. OBJETIVO: Informar, conscientizar e instruir os colaboradores, sobre possíveis riscos inerentes as funções desempenhadas em seu dia a dia do trabalho.

Leia mais

9. O Que é Avaliação da Conformidade

9. O Que é Avaliação da Conformidade 9. O Que é Avaliação da Conformidade Demonstração de que os requisitos especificados relativos a um produto, processo, sistema, pessoa ou organismo são atendidos. (ABNT ISO/IEC 17000) PROCEDIMENTOS DE

Leia mais

Para-raios CATÁLOGO DE SERVIÇOS. www.tel.com.br

Para-raios CATÁLOGO DE SERVIÇOS. www.tel.com.br PÁGINA 1 RAIOS 4 2 NORMAS E CERTIFICAÇÕES 6 2.1 EXIGÊNCIAS REGULAMENTARES 7 3 A EMPRESA 9 4 SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA 4.1 PROJETO DE SPDA 4.2 MEDIÇÃO DE CONTINUIDADE ELÉTRICA EM ARMADURA DE

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001:2008 ERRATA 1 Publicada em 11.09.2009 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ERRATA 1 Esta Errata 1 da ABNT NBR ISO 9001:2008 foi elaborada no Comitê Brasileiro da

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 15100

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 15100 PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 15100 As perguntas abaixo têm o propósito de elucidar algumas dúvidas sobre a certificação da NBR 15100. 1. O que é a NBR 15100? A NBR 15100, equivalente à norma

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional da Indústria Cerâmica ANICER Santa Luzia, 651, 12º andar Centro - Rio de Janeiro / RJ Tel/Fax: (21) 2524-0128 Site: www.anicer.com.br E-mail:

Leia mais

REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO

REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO OBJETIVO Demonstrar a documentação básica necessária para atender aos requisitos de acreditação para ensaios. ISO 9001 X ISO 17025 Abordagem Abrangência

Leia mais

GESTÃO SE SEGURANÇA ELÉTRICA ATRAVÉS DO PRONTUÁRIO CONFORME NR 10.

GESTÃO SE SEGURANÇA ELÉTRICA ATRAVÉS DO PRONTUÁRIO CONFORME NR 10. GESTÃO SE SEGURANÇA ELÉTRICA ATRAVÉS DO PRONTUÁRIO CONFORME NR 10. MEU SONHO É LEVAR O HOMEM A LUA E TRAZE-LO DE VOLTA COM SEGURANÇA John Kennedy (1917-1963) AS EMPRESAS DEVEM CRIAR POLÍTICAS QUE VALORIZEM

Leia mais

Novos serviços na área de Engenharia

Novos serviços na área de Engenharia 3 Palavra do Presidente 6 Notícias Novos Horizontes S eguindo nossas perspectivas positivas para 2007, no final do mês de agosto assumimos o controle acionário da Ductor Implantação de Projetos, importante

Leia mais

AGENDA PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA 21/05/2014

AGENDA PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA 21/05/2014 PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA Eng. Alberto Delgado Gerente de Treinamento Região América Latina 2 AGENDA Estatísticas dos Acidentes no Trabalho Riscos típicos de Trabalhos em Altura Revisão

Leia mais

IPR Instalações Prediais

IPR Instalações Prediais IPR Instalações Prediais Programa: Sistemas Prediais de Água Fria Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário Professora Andreza Kalbusch Sistemas Prediais de Água Quente Sistemas Prediais de Águas Pluviais

Leia mais

A EMPRESA. 02 rev. A USINAGEM MECÂNICA. Vista geral do galpão principal. Ferramentaria e afiação próprias. Linha de tornos CNC

A EMPRESA. 02 rev. A USINAGEM MECÂNICA. Vista geral do galpão principal. Ferramentaria e afiação próprias. Linha de tornos CNC A EMPRESA Linha de tornos CNC Linha de centros de usinagem Controle final e Expedição Linha de segundas operações Ambiente de trabalho agradável Vista geral do galpão principal Ferramentaria e afiação

Leia mais

Seminário Nacional de Segurança e Saúde na Agricultura, Pecuária e Exploração Florestal

Seminário Nacional de Segurança e Saúde na Agricultura, Pecuária e Exploração Florestal Seminário Nacional de Segurança e Saúde na Agricultura, Pecuária e Exploração Florestal SEGURANÇA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS E FLORESTAIS Rosa Yasuko Yamashita Pesquisadora da FUNDACENTRO E-mail:

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. PORTARIA N.º 453, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014 (DOU de 1º/12/2014 Seção I Pág. 98)

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. PORTARIA N.º 453, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014 (DOU de 1º/12/2014 Seção I Pág. 98) MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO PORTARIA N.º 453, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014 (DOU de 1º/12/2014 Seção I Pág. 98) Estabelece procedimentos para o credenciamento de laboratórios pelo Ministério do Trabalho

Leia mais

SGi. SOLUÇÃO GESTÃO INTELIGENTE

SGi. SOLUÇÃO GESTÃO INTELIGENTE RELAÇÃO DE TREINAMENTOS 2015 www.sginteligente.com.br TREINAMENTOS PARA SUA EMPRESA - 2º SEMESTRE DE 2015 1 QUALIDADE Empresas e Profissionais interessados na ISO 9001 1.1 Interpretação da Norma ISO 9001:2008

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

Serviços. Técnicos e Tecnológicos

Serviços. Técnicos e Tecnológicos Serviços Técnicos e Tecnológicos Serviços Técnicos e Tecnológicos Pas Psati Meio Ambiente Segurança do Trabalho Design de moda, calçados e Artesanato Design Moveleiro Gestão Haverá Título?! Sumário A exigência

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

Missão Institucional da REMEQ-PB Promover a difusão de conhecimentos científicos e tecnológicos nas áreas de metrologia e qualidade, apoiando o desenvolvimento de pessoal e de infra-estrutura laboratorial,

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA COMPARATIVO ENTRE OS REQUISITOS DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO E AS NORMAS ISO :2008 E ISO :2004, APLICADO À INDÚSTRIA DE PRODUTOS PARA A SAÚDE

Leia mais

Experiência: NEGOCIAÇÃO TRIPARTITE: UMA NOVA METODOLOGIA PARA NORMALIZAÇÃO

Experiência: NEGOCIAÇÃO TRIPARTITE: UMA NOVA METODOLOGIA PARA NORMALIZAÇÃO Experiência: NEGOCIAÇÃO TRIPARTITE: UMA NOVA METODOLOGIA PARA NORMALIZAÇÃO Instituição: Ministério do Trabalho e Emprego Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança E Saúde No Trabalho

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Há 22 anos produzindo qualidade

APRESENTAÇÃO. Há 22 anos produzindo qualidade APRESENTAÇÃO Há 22 anos produzindo qualidade 3 A CONDUMIG - Indústria de Condutores Elétricos, localizada em Divinópolis, centro-oeste mineiro, é a maior fabricante de Fios e Cabos, Rígidos e Flexíveis

Leia mais

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL Sumário 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências normativas...2 3.

Leia mais