reason why FORMAR UM PROFISSIONAL DE CERTIFICAÇÃO COM O LÍDER DO MERCADO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "reason why FORMAR UM PROFISSIONAL DE CERTIFICAÇÃO COM O LÍDER DO MERCADO."

Transcrição

1 PLANO DE FORMAÇÃO

2 reason why FORMAR UM PROFISSIONAL DE CERTIFICAÇÃO COM O LÍDER DO MERCADO.

3 PREFÁCIO A formação, inicial ou contínua, é assumida pela APCER como vital para o desenvolvimento dos profissionais envolvidos na implementação e certificação de sistemas de gestão, bem como dos profissionais que, nesta matéria, prestam serviços às organizações, sejam eles de consultoria, auditoria ou outros. O VASTO CONHECIMENTO NO CAMPO DA CERTIFICAÇÃO E A SOLICITAÇÃO CONTÍNUA DO MERCADO, MOTIVOU A APCER A CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DAS COMPETÊNCIAS DOS PROFISSIONAIS DE SISTEMAS DE GESTÃO, ATRAVÉS DA OFERTA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO. O presente Plano de Formação foi desenvolvido respeitando o nosso compromisso de exigência e qualidade, contemplando ações em diferentes áreas de intervenção formativa, tanto no âmbito da Formação Contínua para Ativos, como no âmbito da Formação para Executivos e da Formação Pós-graduada. Pretendemos dar continuidade ao nosso contributo para o reforço da competitividade das organizações oferecendo ações que procuram a satisfação das suas necessidades, contando para este efeito com formadores competentes e altamente especializados e com parcerias com instituições nacionais e internacionais de reconhecido mérito. Uma nota final de agradecimento a todos os profissionais envolvidos neste domínio, pela confiança depositada na APCER e pelos desafios que nos colocam, o que nos permite melhorar continuamente e contribuir para uma sociedade sustentável. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação

4

5 ÍNDICE 07 INTRODUÇÃO APCER 40 RESPOSTAS SOCIAIS FORMAÇÃO CONTINUA DE CURTA E MÉDIA DURAÇÃO AMBIENTE CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004 AVALIAÇÃO DE ASPETOS AMBIENTAIS E PROGRAMAS DE GESTÃO AMBIENTAL CONFORMIDADE LEGAL AMBIENTE GESTÃO FLORESTAL INTRODUÇÃO À CERTIFICAÇÃO FSC E PEFC NORMAS DE CERTIFICAÇÃO DA CADEIA DE RESPONSABILIDADE APLICAÇÃO DA CdR PEFC AUDITOR CdR PEFC AUDITOR FLORESTAL PEFC INOVAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTOR DE IDI QUALIDADE CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 9001:2008 ISO 9004:2009 O CAMINHO A SEGUIR PARA O SUCESSO SUSTENTADO METROLOGIA BALANCED SCORECARD A NOVA NORMA DE AUDITORIAS A SISTEMAS DE GESTÃO ISO 19011:2011 RECURSOS HUMANOS QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DE RECURSOS HUMANOS NP 4427:2004 RESPONSABILIDADE SOCIAL SA 8000 INTRODUCTION & BASIC AUDITOR TRAINING COURSE (5 DAY) SA 8000 ADVANCED AUDITOR TRAINING COURSE (3 DAY) CONFORMIDADE LEGAL LEGISLAÇÃO LABORAL IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE NAS RESPOSTAS SOCIAIS (ISO 9001:2008) MODELO DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE NAS RESPOSTAS SOCIAIS SEGURANÇA ALIMENTAR NAS RESPOSTAS SOCIAIS SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO E PRIMEIROS SOCORROS NAS RESPOSTAS SOCIAIS SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO E PRIMEIROS SOCORROS PEDIÁTRICOS NAS RESPOSTAS SOCIAIS SEGURANÇA ALIMENTAR CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA SEGURANÇA ALIMENTAR ISO 22000:2005 REFERENCIAIS IFS E BRC FOOD. INTRODUÇÃO À NORMA FSSC SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO OHSAS 18001:2007 E NP 4397:2008 CONFORMIDADE LEGAL SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DOS PERIGOS E AVALIAÇÃO DOS RISCOS NORMA NP 4413:2006 MANUTENÇÃO DE EXTINTORES TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DA TECNOLOGIA AOS PROCESSOS DE GESTÃO ITIL V3 FOUNDATION + ISO/IEC FOUNDATION ISO/IEC FOR CONSULTANTS EXIN ISO FOUNDATION (ISMS) EXIN ISO ADVANCED MANAGEMENT (ISMAS) FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA PÓS GRADUAÇÃO GESTÃO DA QUALIDADE EM SAÚDE PÓS GRADUAÇÃO GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS PÓS GRADUAÇÃO GESTÃO E ESTRATÉGIAS DA INOVAÇÃO E DA QUALIDADE

6 Contamos com formadores competentes e altamente especializados e com parcerias com instituições nacionais e internacionais de reconhecido mérito.

7 INTRODUÇÃO APCER VISÃO MISSÃO VALORES Ser a primeira escolha dos clientes do mercado da certificação. Prestar serviços de certificação e de verificação que promovam nos clientes melhorias de desempenho distintivas, duradouras e substanciais, criando relações de longo prazo mutuamente benéficas. ORIENTAÇÃO PARA O CLIENTE Ser um organismo de certificação de confiança que proactivamente responde às necessidades e expectativas dos nossos clientes. CRIAÇÃO DE VALOR Criar melhorias de desempenho distintivas, duradouras e substanciais para os nossos clientes. VALORES INTEGRIDADE Pautar a nossa conduta por princípios éticos de transparência, responsabilidade, independência e imparcialidade. COMPETÊNCIA Ter os melhores profissionais numa cultura de responsabilidade, desenvolvimento contínuo e de orientação para o cliente. SER PARCEIRO Estabelecer relações de confiança de longo prazo, mutuamente benéficas, com os nossos parceiros. ÁREAS DE INTERVENÇÃO FORMATIVA FORMAÇÃO CONTÍNUA PARA ATIVOS formação de curta ou média duração de aquisição e/ou atualização de competências profissionais; FORMAÇÃO PÓS GRADUADA formação teórico-prática de longa duração para aprofundamento de saberes; FORMAÇÃO PARA EXECUTIVOS formação altamente especializada organizada sob a forma de unidades de curta duração.

8 AMBIENTE CERTIFICAÇÃO/ QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004 AVALIAÇÃO DE ASPETOS AMBIENTAIS E PROGRAMAS DE GESTÃO AMBIENTAL CONFORMIDADE LEGAL AMBIENTE

9 AMBIENTE CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004 O curso de Certificação/Qualificação de Auditores Internos é constituído por 2 módulos com avaliação escrita: 1. Interpretação APCER ISO 14001:2004 e EMAS III 2. Boas Práticas APCER de Auditorias ISO Case Study (com a realização de uma auditoria in situ) A frequência nos módulos 1 e 2 (com avaliação positiva) permite a qualificação de Auditor Interno do Ambiente. Para os profissionais que pretendam ver certificadas as suas competências de Auditor Interno e que reúnam as condições de formação escolar, experiência profissional e experiência em auditorias internas, esta formação permite aceder à Certificação de Auditor Interno do Ambiente, através da apresentação prévia da candidatura à Certificação de Auditores. Os candidatos à certificação de auditores que tenham frequentado outras formações não realizadas pela APCER, cujo conteúdo programático tenha incluído a ISO 14001:2004 e metodologias de auditoria de acordo com a ISO 19011, é necessária a participação na ação Preparação para a Avaliação Escrita. MÓDULO 1 INTERPRETAÇÃO APCER ISO 14001:2004 Destinatários: Interpretar a ISO 14001:2004, a Emenda 1 de 2006 e a Correção 1 de 2009 proporcionada pela base de entendimento comum e partilhada entre a APCER e as partes interessadas relativamente à norma; Implementar e gerir um Sistema de Gestão de Ambiente de acordo com a ISO 14001:2004, Emenda 1 de 2006 e Correção 1 de 2009 e/ou EMAS III. Representantes da Gestão, Diretores ou Gestores do Ambiente, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade Conteúdo Programático 1. Objetivo e campo de aplicação 2. Enquadramento com outros referenciais 3. Termos e definições 4. Apresentação e interpretação dos requisitos normativos e do Regulamento EMAS III 5. Aplicação dos requisitos normativos 6. Não conformidades mais frequentes 16 horas 9

10 AMBIENTE MÓDULO 2 BOAS PRÁTICAS APCER DE AUDITORIAS ISO CASE STUDY (com a realização de uma auditoria in situ) Destinatários Interpretar a ISO 19011; Gerir um programa de auditorias, planear e conduzir as atividades de auditorias internas ao Sistema de Gestão do Ambiente com valor acrescentado. Representantes da Gestão, Diretores ou Gestores do Ambiente, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade e Conhecimentos na ISO 14001:2004 Conteúdo Programático 1. A ISO Definição das Equipas Auditoras 3. Comportamentos em situação de auditoria 4. Apresentação do Case Study 5. Preparação do Plano de Auditoria e da Lista de Comprovação 6. Execução da Auditoria (Reunião de Abertura, Auditoria, Reunião de Encerramento) 7. Elaboração do relatório da auditoria 8. Atividades de Seguimento da Auditoria 9. Análise das auditorias 24 horas PREPARAÇÃO PARA A AVALIAÇÃO ESCRITA Destinatários Autoavaliar os seus conhecimentos sobre as metodologias de auditoria através da realização de exercícios. Candidatos à Certificação de Auditores Internos do Ambiente que tenham frequentado outras formações não realizadas pela APCER, cujo conteúdo programático tenha incluído a ISO 14001:2004 e metodologias de auditoria de acordo com a ISO

11 AMBIENTE Certificação Apresentação prévia da candidatura à Certificação de Auditor Interno do Ambiente. Avaliação prévia dos elementos curriculares de acordo com o Regulamento Geral de Certificação de Auditores: Ensino secundário completo (12º ano) 2 anos de experiência profissional, a tempo inteiro, nos últimos 6 anos (períodos de estágio não são elegíveis para o cumprimentos deste critério) 1 ano de experiência em funções ligadas ao domínio do Ambiente Formação específica no domínio do Ambiente Formação em Interpretação da ISO 14001:2004 e em Metodologias de Auditoria de acordo com a ISO (ações equivalentes aos módulos 1 e 2), com uma duração mínima de 14 horas em cada uma das matérias Participação, nos últimos 2 anos, como auditor efetivo em pelo menos 2 auditorias, integrais ou parciais, realizadas no âmbito das normas de Gestão Ambiental (ISO 14001:2004) que correspondam, no global, a um mínimo de 3 dias de auditoria, incluindo a análise da documentação, a atividade de auditoria propriamente dita e o relatório 8 horas AVALIAÇÃO ESCRITA 2 horas 11

12 AMBIENTE AVALIAÇÃO DE ASPETOS AMBIENTAIS E PROGRAMAS DE GESTÃO AMBIENTAL Destinatários: Aplicar uma metodologia de identificação de aspetos ambientais e avaliação de impactes ambientais; Definir e construir um Programa de Gestão Ambiental com base nos Impactes Ambientais Significativos; Conhecer a documentação de suporte ao Sistema de Gestão Ambiental para os requisitos e da ISO 14001:2004; Conhecer a interpretação da APCER relativamente aos requisitos e da ISO 14001:2004. Representantes da Gestão, Diretores ou Gestores do Ambiente, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade Conteúdo Programático 1. Objetivo e Campo de aplicação 2. Enquadramento na ISO 14001: Termos e Definições 4. Apresentação e interpretação dos requisitos normativos e da ISO 14001: Case Study 6. Não conformidades mais frequentes 14 horas 12

13 AMBIENTE CONFORMIDADE LEGAL AMBIENTE Destinatários: Identificar obrigatoriedades associadas a requisitos legais e respetivas evidências de cumprimento; Preparar mecanismos e ferramentas para realizar a avaliação da conformidade ambiental; Avaliar a conformidade ambiental. Representantes da Gestão, Diretores ou Gestores do Ambiente, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade Conteúdo Programático 1. Enquadramento legal e noções gerais 2. Legislação geral de Ambiente 3. Legislação específica 4. Aplicação dos Conhecimentos 14 horas 13

14 GESTÃO FLORESTAL INTRODUÇÃO À CERTIFICAÇÃO FSC E PEFC NORMAS DE CERTIFICAÇÃO DA CADEIA DE RESPONSABILIDADE APLICAÇÃO DA CdR PEFC AUDITOR CdR PEFC AUDITOR FLORESTAL PEFC

15 GESTÃO FLORESTAL INTRODUÇÃO À CERTIFICAÇÃO FSC E PEFC NORMAS DE CERTIFICAÇÃO DA CADEIA DE RESPONSABILIDADE Conhecer os requisitos das normas de certificação da cadeia de responsabilidade FSC e PEFC. Destinatários Representantes da Gestão, Diretores ou Gestores de FSC e PEFC, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade Conteúdo Programático 1. Os dois principais sistemas de certificação da cadeia de responsabilidade (CdR): FSC e PEFC 2. O conceito da CdR, âmbito e tipo de certificados FSC 3. O processo de certificação da CdR 4. A norma FSC para a CdR: FSC-STD A norma FSC para madeira controlada: FSC-STD A norma FSC para material recuperado: FSC-STD A norma FSC multi-site: FSC-STD A nova norma PEFC para a CdR: PEFC ST 2002: Principais alterações dos requisitos PEFC para a CdR 10. Uso de rótulos e alegações FSC e PEFC: normas aplicáveis e regras básicas 14 horas 15

16 GESTÃO FLORESTAL APLICAÇÃO DA CdR PEFC Enquadrar os formandos no âmbito da formação específica em Sistema de Certificação Florestal Português (PEFC Portugal); Adquirir competências relativas à interpretação e avaliação de Sistemas de CdR. Destinatários Conteúdo Programático Quadros médios e superiores em organizações com responsabilidade na área da cadeia da responsabilidade ou sua certificação; Outros profissionais que lidem com processo de gestão e certificação na área da cadeia da responsabilidade. Formação académica superior em qualquer área e experiência profissional na fileira florestal Módulo 1: PEFC Portugal (2 horas) Origem e evolução do PEFC O Conselho da Fileira Florestal Portuguesa/PEFC Portugal Algumas estatísticas e o trabalho de promoção do PEFC Módulo 7: Interpretação norma CdR (7 horas) Noções gerais Norma da Cadeia de Responsabilidade PEFC. Análise dos requisitos técnicos Norma da Cadeia de Responsabilidade PEFC. Requisitos mínimos do Sistema de Gestão Módulo 10: Especificações das alegações PEFC e uso do logo PEFC (1 hora) Categorias de utilizadores e licença de uso da marca A norma PEFC ST 2001: horas 16

17 GESTÃO FLORESTAL AUDITOR CdR PEFC Enquadrar os formandos no âmbito da formação específica em Sistema de Certificação Florestal Português (PEFC Portugal); Adquirir competências relativas à interpretação e avaliação de Sistemas de CdR; Adquirir conhecimentos sobre os métodos e técnicas de planeamento e realização de auditorias a Sistemas de Gestão de CdR de acordo com a ISO 19011; Adquirir conhecimentos na preparação, realização e obtenção de conclusões de uma auditoria a um Sistema de CdR ; Enquadrar os formandos no âmbito da formação específica em Sistema de Certificação Florestal Português (PEFC Portugal). Destinatários Auditores qualificados para outros referenciais técnicos ISO 14001, EMAS, ISO 9001 que não tenham formação de base florestal; Quadros médios e superiores de organizações com responsabilidades no âmbito da CdR; Técnicos florestais e afins. Formação académica superior em qualquer área e experiência profissional na fileira florestal Conteúdo Programático Módulo 1: PEFC Portugal (2 horas) Origem e evolução do PEFC O Conselho da Fileira Florestal Portuguesa/PEFC Portugal Algumas estatísticas e o trabalho de promoção do PEFC Módulo 4: Técnicas e metodologias de auditoria (14 horas) Conceitos e princípios de auditorias; Responsabilidades para a execução de uma auditoria; Comunicação e atitudes comportamentais do auditor; Técnicas para a execução de uma auditoria. Módulo 7: Interpretação norma CdR (7 horas) Noções gerais Norma da Cadeia de Responsabilidade PEFC. Análise dos requisitos técnicos Norma da Cadeia de Responsabilidade PEFC. Requisitos mínimos do Sistema de Gestão Módulo 8: Auditoria em campo CdR (7 horas) Aplicar os conceitos apreendidos na construção de listas de verificação Auditoria Conclusões e elaboração do relatório final Módulo 10: Especificações das alegações PEFC e uso do logo PEFC (1 hora) Categorias de utilizadores e licença de uso da marca A norma PEFC ST 2001: horas 17

18 GESTÃO FLORESTAL AUDITOR FLORESTAL PEFC Enquadrar os formandos no âmbito da formação específica em Sistema de Certificação Florestal Português (PEFC Portugal); Adquirir competências para avaliação de conformidade de Sistemas de Gestão Florestal Sustentável com a legislação aplicável no âmbito do PEFC; Adquirir competências para a interpretação e avaliação de conformidade de sistemas de gestão florestal sustentável com a NP 4406:2009; Adquirir conhecimentos sobre os métodos e técnicas de planeamento e realização de auditorias a Sistemas de Gestão Florestal Sustentável de acordo com a NP EN ISO 19011; Adquirir conhecimentos e saber preparar e realizar auditorias a Sistemas de Gestão Florestal Sustentável. Destinatários Auditores qualificados para outros referenciais técnicos ISO 14001, EMAS, ISO 9001 que não tenham formação de base florestal; Quadros médios e superiores de organizações com responsabilidades na área da gestão florestal; Técnicos florestais e afins. Formação académica superior (bacharelato ou licenciatura) em ciências florestais, recursos naturais ou afins, ou Formação académica superior em qualquer área e pós-graduação em ciências florestais, recursos naturais ou afins. 18 Conteúdo Programático Módulo 1: PEFC Portugal (2 horas) Origem e evolução do PEFC O Conselho da Fileira Florestal Portuguesa/PEFC Portugal Algumas estatísticas e o trabalho de promoção do PEFC Módulo 2: Exigências legais e outras referências normativas (4 horas) Instrumentos legais de planeamento e ordenamento Legislação aplicável Acordos e tratados internacionais aplicáveis Aplicação prática dos conceitos apreendidos e avaliação de conformidade legal no âmbito do caso de estudo Módulo 3: Interpretação da NP 4406:2009 (14 horas) Introdução às normas de referência para a certificação florestal PEFC Interpretação dos requisitos para a GFS (Âmbito, campo de aplicação e definições da norma NP 4406:2009, Critérios e Indicadores de Gestão Florestal Sustentável (Anexo B), Especificações ao nível regional, grupo e individual (Anexo C) e Guia para Aplicação da NP 4406:2009 Introdução ao Código de Boas Práticas Técnicas para auditar inventários de recursos naturais Aplicar os conceitos apreendidos na avaliação de conformidade no âmbito dos casos de estudo

19 GESTÃO FLORESTAL Módulo 4: Técnicas e metodologias de auditoria (14 horas) Conceitos e princípios de auditorias Responsabilidades para a execução de uma auditoria Comunicação e atitudes comportamentais do auditor Técnicas para a execução de uma auditoria Módulo 5: Auditoria em campo GFS (14 horas) Elaboração do plano de auditoria e validação de listas de verificação Auditoria in situ Conclusões e elaboração do relatório final Módulo 10: Especificações das alegações PEFC e uso do logo PEFC (1 hora) Categorias de utilizadores e licença de uso da marca A norma PEFC ST 2001: horas 19

20 INOVAÇÃO FORMAÇÃO CONTÍNUA DE CURTA E MÉDIA DURAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTOR DE IDI

21 INOVAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTOR DE IDI O programa pretende desenvolver nos participantes as competências técnicas, de gestão e comportamentais necessárias ao desempenho da função de Gestor de atividades de Investigação, Desenvolvimento e Inovação IDI e assenta fundamentalmente na aplicação de casos práticos. Competências Técnicas Competências em Gestão Competências Comportamentais Conhecer os modelos de inovação; Aplicar os instrumentos e ferramentas de autodiagnóstico (innovation scoring) e a implementação de planos de IDI (inovação de produtos, processos, serviços, organizacional); Implementar sistemas de Gestão IDI; Conhecer o processo de inovação: das interfaces, nas suas vertentes Tecnológica, de Mercado e Organizacional, aos resultados; Utilizar as ferramentas de gestão das Interfaces: vigilância, cooperação e previsão tecnológica; Pilotar a propriedade intelectual; Adquirir conhecimentos sobre networking; Conhecer os recursos financeiros, de financiamento e fiscalidade associados à inovação; Aplicar as metodologias de auditoria a sistemas de Gestão de IDI. Conceber a estratégia da Inovação; Gerir o conhecimento na organização; Gerir a informação estratégica para a inovação, através da análise permanente da envolvente externa e da criação de uma plataforma interna de partilha da informação; Promover e gerir as ideias, como forma de potenciar a inovação; Gerir equipas estimulando a criatividade; Gerir os projectos de inovação, tendo em conta as suas particularidades; Saber projectar, avaliar e gerir os riscos. Ter espírito aberto e ser flexível na recolha das ideias e exploração de novas soluções; Estimular a comunicação aberta e a escuta activa; Procurar novas formas de criar valor para os produtos, processos e serviços; Abordar os problemas com criatividade, fomentando a melhoria contínua; Ter confiança nas suas ideias e perante situações novas e desconhecidas; Compreender as dinâmicas de grupo; Saber como motivar a equipa. Saber projectar, avaliar e gerir os riscos. 21

22 INOVAÇÃO Os 13 módulos do Programa proporcionam uma visão global dos modelos de Inovação e do Sistema de Gestão de IDI, os conhecimentos e a prática de métodos e técnicas variadas, necessários ao desempenho pleno da função de Gestor de IDI nas suas múltiplas facetas de gestor, técnico e líder de pessoas. A fim de enriquecer as abordagens nucleares, o programa contempla Seminários e/ou Workshops sobre temas da atualidade e Case Studies em sessões de fim de tarde, com especialistas reconhecidos. O curso é modular e permite a inscrição em módulos isolados, desde que os participantes reúnam os pré-requisitos descritos nas condições de acesso dos respetivos módulos. A equivalência em módulos similares, frequentados em formações promovidas por outras entidades, será analisada caso a caso pela APCER em conformidade com as condições de acesso de cada módulo e com o reconhecimento dos conteúdos dos programas das ações frequentadas. No final do curso, com a frequência de todos os módulos, os participantes adquirem a qualificação de Gestor de IDI, incluindo a componente de formação necessária à qualificação como auditor de sistemas de gestão de IDI. Destinatários Coordenação Científica Equipa de Formadores Diretores, Gestores e Profissionais de Inovação Professor João Caraça O programa de formação conta com a colaboração de docentes de Universidades portuguesas de prestígio, de quadros de empresas e especialistas na área de IDI. 22

23 INOVAÇÃO Estrutura do Programa de Formação 23

24 CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 9001:2008 QUALIDADE ISO 9004:2009 O CAMINHO A SEGUIR PARA O SUCESSO SUSTENTADO METROLOGIA BALANCED SCORECARD A NOVA NORMA DE AUDITORIAS A SISTEMAS DE GESTÃO ISO 19011:2011

25 QUALIDADE CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 9001:2008 O curso de Certificação/Qualificação de Auditores Internos é constituído por 2 módulos com avaliação escrita: 1. Interpretação APCER ISO 9001: Boas Práticas APCER de Auditorias ISO Case Study (com a realização de uma auditoria in situ) A frequência nos módulos 1 e 2 (com avaliação positiva) permite a qualificação de Auditor Interno da Qualidade. Para os profissionais que pretendam ver certificadas as suas competências de Auditor Interno e que reúnam as condições de formação escolar, experiência profissional e experiência em auditorias internas, esta formação permite aceder à Certificação de Auditor Interno da Qualidade, através da apresentação prévia da candidatura à Certificação de Auditores. Os candidatos à certificação de auditores que tenham frequentado outras formações não realizadas pela APCER, cujo conteúdo programático tenha incluído a ISO 9001:2008 e metodologias de auditoria de acordo com a ISO 19011, é necessária a participação na Ação Preparação para a Avaliação Escrita. MÓDULO 1 INTERPRETAÇÃO APCER ISO 9001:2008 Interpretar os requisitos da ISO 9001:2008, proporcionada pela base de entendimento comum e partilhada entre a APCER e as partes interessadas relativamente à norma; Implementar e gerir o Sistema de Gestão da Qualidade em conformidade com os requisitos da ISO 9001:2008. Destinatários Representantes da Gestão, Diretores ou Gestores da Qualidade, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade Conteúdo Programático 1. Definições Base 2. Os referenciais normativos 3. Abordagem por Processos 4. Os Princípios da Gestão da Qualidade 5. A norma ISO 9001:2008/ Interpretações APCER: Sistema de Gestão da Qualidade Responsabilidade da Gestão Gestão de Recursos Realização do Produto Mediação, Análise e Melhoria 16 horas 25

26 QUALIDADE MÓDULO 2 BOAS PRÁTICAS APCER DE AUDITORIAS ISO CASE STUDY (com a realização de uma auditoria in situ) Destinatários Interpretar a ISO 19011; Gerir um programa de auditorias, planear e conduzir as atividades de auditorias internas ao Sistema de Gestão da Qualidade com valor acrescentado. Representantes da Gestão, Diretores ou Gestores da Qualidade, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade e Conhecimentos na ISO 9001:2008 Conteúdo Programático 1. A ISO Definição das Equipas Auditoras 3. Comportamentos em situação de auditoria 4. Apresentação do Case Study 5. Preparação do Plano de Auditoria e da Lista de Comprovação 6. Execução da Auditoria (Reunião de Abertura, Auditoria, Reunião de Encerramento) 7. Elaboração do Relatório da Auditoria 8. Atividades de Seguimento da Auditoria 9. Análise das auditorias 24 horas PREPARAÇÃO PARA A AVALIAÇÃO ESCRITA Destinatários Autoavaliar os seus conhecimentos sobre as metodologias de auditoria através da realização de exercícios. Candidatos à Certificação de Auditores Internos da Qualidade que tenham frequentado outras ações de formação não realizadas pela APCER, cujo conteúdo programático tenha incluído a ISO 9001:2008 e metodologias de auditoria de acordo com a ISO

27 QUALIDADE Certificação Apresentação prévia da candidatura à Certificação de Auditor Interno da Qualidade. Avaliação prévia dos elementos curriculares de acordo com o Regulamento Geral de Certificação de Auditores: Ensino secundário completo (12º ano) 2 anos de experiência profissional, a tempo inteiro, nos últimos 6 anos (períodos de estágio não são elegíveis para o cumprimentos deste critério) 1 ano de experiência em funções ligadas ao domínio da qualidade Formação específica no domínio da qualidade Formação em Interpretação da Norma ISO 9001:2008 e em Metodologias de Auditoria de acordo com a ISO (ações equivalentes aos módulos 1 e 2), com uma duração mínima de 14 horas em cada uma das matérias; Participação, nos últimos 2 anos, como auditor efetivo em pelo menos 2 auditorias, integrais ou parciais, realizadas no âmbito da ISO 9001 (1ª, 2ª ou 3ª parte) que correspondam, no global, a um mínimo de 3 dias de auditoria, incluindo a análise da documentação, a atividade de auditoria propriamente dita e o relatório Conteúdo Programático 1. Definições e conceitos 2. Os diferentes tipos de auditoria 3. Fases constituintes de uma auditoria 4. Realização de exercícios de simulação da avaliação escrita 5. Estudo dos referenciais normativos 8 horas AVALIAÇÃO ESCRITA DE AUDITOR INTERNO DA QUALIDADE 2 horas 27

28 QUALIDADE ISO 9004:2009 O CAMINHO A SEGUIR PARA O SUCESSO SUSTENTADO Destinatários Abordar a gestão da qualidade numa perspectiva do sucesso sustentado de uma organização; Entender a forma de satisfazer equilibradamente todas as partes interessadas. Representantes da Gestão, Diretores ou Gestores da Qualidade, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade Conteúdo Programático 1. Como usar a ISO 9004:2009 para avançar para além de um Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 e alcançar o sucesso sustentado no longo prazo 2. Gestão equilibrada das expectativas e das necessidades a longo prazo: a organização, clientes e partes interessadas. 3. Compreender e gerir as mudanças na organização 4. Como alcançar e manter um sucesso sustentado 5. Os 8 Princípios de Gestão da Qualidade, implementação e sucesso continuado 6. Formulação de políticas e estratégias e a sua implementação 7. Papel do pessoal, fornecedores e parceiros para o sucesso da organização 8. Uso do Conhecimento, Informação e Tecnologia 9. Process Management 10. Uso de Indicadores Chave 11. Auto-avaliação para determinar e melhorar o nível de maturidade organizacional 12. SWOT e sua implementação 13. Benchmarking na busca de melhores práticas 14. Inovação e aprendizagem para a melhoria contínua 7 horas 28

29 QUALIDADE METROLOGIA Destinatários Compreender a principal terminologia utilizada no vocabulário internacional de Metrologia (VIM); Gerir de forma eficaz o equipamento de monitorização e medição (EMM); Analisar certificados de calibração; Compreender quais as principais fontes de incerteza de uma calibração. Diretores, Responsáveis Técnicos e Técnicos com responsabilidades ao nível da gestão do sistema metrológico, Auditores e consultores. 12º Ano de Escolaridade Conteúdo Programático 1. SI Sistema Internacional de Unidades 2. Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM:IPQ): Principal terminologia utilizada no âmbito da metrologia (calibração, rastreabilidade, erro, exatidão, incerteza) 3. Gestão de EMM (Equipamento de Monitorização e Medição): 3.1. Critérios de aceitação 3.2. Equipamento sujeito a calibração 3.3. Análise de certificados de calibração 3.4. Confirmação Metrológica (ISO 10012) 3.5. Cálculo da Periodicidade de Calibração (OIML D10) 4. Incertezas Principais fontes de incerteza em calibração 14 horas 29

30 QUALIDADE BALANCED SCORECARD Destinatários Propor uma Visão Estratégica para o negócio ou organização; Elaborar um Mapa Estratégico decorrente da Visão da organização; Elaborar um Scorecard de Indicadores a partir do Mapa Estratégico; Integrar o BSC com o Budget; Avaliar o prémio da execução para o negócio. Representantes da Gestão, Diretores ou equipas de gestão, Auditores e Consultores. 12º Ano de Escolaridade 30 Conteúdo Programático 1. O BSC, uma ferramenta de execução estratégica O que é? Principais conceitos e resultados 2. Compreender e trabalhar a Visão ou Intenção Estratégica As visões: Central ou Strategic Intent e Periférica Para que servem? Aplicar ao negócio o Olho Estratégico 3. Compreender e fazer o Mapa Estratégico As perspectivas e o modelo mais recente (2004) Como fazer o Mapa Estratégico? Para que serve? Aprender, fazendo o Mapa Estratégico do negócio 4. Desenvolver o Scorecard: os leading & lagging indicators O calendário e as iniciativas (estratégicas). Avaliação Estudo de casos Aprender, fazendo o Scorecard do negócio 5. Os BSC funcionais e individuais. A Avaliação do Desempenho O desdobramento funcional e pessoal A avaliação do desempenho: a versão hard e soft Estudo de casos 6. Avaliar o Prémio da Execução do BSC SMO (Strategy Management Office): As (novas) Funções Avaliação do BSC: SFO: Strategic Readiness Assessment Estudo de casos 7. A Integração com o Budget: OPEX, CAPEX e STRATEX A metodologia do Beyond Budgeting Os rolling forecasts. As revisões estratégicas e operacionais Estudo de casos 14 horas

PLANO DE FORMAÇÃO 2011

PLANO DE FORMAÇÃO 2011 PLANO DE FORMAÇÃO 2011 PREFÁCIO As organizações, seja na esfera empresarial, seja na esfera do serviço público, devem a sua existência a uma finalidade primeira de satisfazer as necessidades dos seus clientes

Leia mais

CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 9001:2008

CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 9001:2008 CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 9001:2008 O curso de Certificação/Qualificação de Auditores Internos é constituído por 2 módulos com avaliação escrita: 1. Interpretação

Leia mais

CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004

CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004 CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004 O curso de Certificação/Qualificação de Auditores Internos é constituído por 2 módulos com avaliação escrita: 1. Interpretação

Leia mais

PROGRAMA/REFERENCIAL DO CURSO

PROGRAMA/REFERENCIAL DO CURSO Nome do curso Auditores Florestais PEFC e FSC Horário Designação e código UFCD Não aplicável Duração 09.00 às 19.00 horas 10.00 às 18.00 horas 87 horas Formador/a,, Luís Janicas, Paula Salazar, e Modalidade

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2015. Visite o Regulamento da Formação em www.qualiwork.pt

PLANO DE FORMAÇÃO 2015. Visite o Regulamento da Formação em www.qualiwork.pt PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Visite o Regulamento da em www.qualiwork.pt A Qualiwork é uma organização certificada segundo a norma ISO 9001 em serviços de Consultoria e no seguinte âmbito: Prestação de serviços

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO QUALIDADE, AMBIENTE, SEGURANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO SGS ACADEMY PORQUÊ A SGS ACADEMY? Criada, em 2003, como área de negócio da

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Helena Ferreira (helena.ferreira@apcer.pt) Gestora de Desenvolvimento da APCER I. APRESENTAÇÃO DA APCER www.apcer.pt 1. Quem Somos Início de actividade

Leia mais

Qualidade no Terceiro Sector A Importância da Certificação. 06 de Março de 2010 Hotel Fátima. Orador: Local e Data:

Qualidade no Terceiro Sector A Importância da Certificação. 06 de Março de 2010 Hotel Fátima. Orador: Local e Data: Qualidade no Terceiro Sector A Importância da Certificação 06 de Março de 2010 Hotel Fátima AGENDA I. Enquadramento da actividade da APCER II. III. Modelos de Avaliação da Qualidade das Respostas Sociais

Leia mais

Cérebro Centro de Formação, Lda.

Cérebro Centro de Formação, Lda. Catálogo de Formação Cérebro Centro de Formação, Lda. Desde 1990 a apostar no Futuro com Qualidade e Formação! Sede: Av. José Afonso, nº. 92, cv Cavaquinhas, Arrentela, 2840-735 Seixal Tel./Fax: 212 225

Leia mais

Cursos de Primeiros Socorros Inscrições Particulares

Cursos de Primeiros Socorros Inscrições Particulares Rua dos Douradores, 106-118 1100-207 LISBOA tel. 218 459 440 fax 218 459 458 eso.recepcao@cruzvermelha.org.pt Cursos de Primeiros Socorros 27 Janeiro / 2011 Encontre a Delegação Local CVP mais próxima:

Leia mais

A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES Cristina Barbosa, Auditora da APCER XIX Congresso da Ordem dos Engenheiros 20-out-2012 Centro Cultural de Belém Resumo da Apresentação

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR FORMAÇÃO SGS ACADEMY LOCAL: LISBOA, PORTO E FUNCHAL GRUPO SGS PORTUGAL O Grupo SGS Société Générale de Surveillance S.A é a maior

Leia mais

Benefícios da Certificação no Sector do Turismo. Orador: Carla Pinto

Benefícios da Certificação no Sector do Turismo. Orador: Carla Pinto Benefícios da Certificação no Sector do Turismo I. Apresentação da APCER II. Serviços e Benefícios no Sector do Turismo III. Certificação no Sector do Turismo I. APRESENTAÇÃO DA APCER 1. Quem Somos Início

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

AEP/APCER FORMAÇÃO 2º SEMESTRE 2004

AEP/APCER FORMAÇÃO 2º SEMESTRE 2004 Ed. de Serviços da Exponor, 2º Av. Dr. António Macedo 4450 617 Leça da Palmeira t: 22 999 36 00 f: 22 999 36 01 e-mail: info@apcer.pt www.apcer.pt Formação Empresa 4450-617 Leça da Palmeira t: 22 998 1753

Leia mais

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015 Edição 1ª Edição Calendário outubro dezembro 2015 Duração 112 Horas / 3 meses Regime Pós-laboral e ao sábado MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS Em parceria com: SGS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS COORDENAÇÃO

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6 AMBIENTE ECONOMIA SOCIAL ENERGIA A Certificação da Gestão Florestal e Cadeia de Responsabilidade FSC ou PEFC Acompanhamento Ambiental em Obra e Gestão de RCD s (e-xz) Auditorias Ambientais (e-xz) Conformidade

Leia mais

Curso de pós graduação em Auditorias a Sistemas Integrados de Gestão 1ª edição

Curso de pós graduação em Auditorias a Sistemas Integrados de Gestão 1ª edição Curso de pós graduação em Auditorias a Sistemas Integrados de Gestão 1ª edição Parceria entre a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTSC) www.estescoimbra.pt e o CTCV www.ctcv.pt Nota Prévia

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

Certificar para Ganhar o Futuro. Orador: Carla Pinto

Certificar para Ganhar o Futuro. Orador: Carla Pinto Certificar para Ganhar o Futuro Agenda APCER Quem Somos? Porquê Certificar para Ganhar o Futuro? Região da Beira Baixa como Mercado com Potencial Acções Previstas Quem Somos Início de actividade em 1996;

Leia mais

Certificação das Entidades de Acção Social. Soluções e Desafios. rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro. Orador: www.apcer.pt.

Certificação das Entidades de Acção Social. Soluções e Desafios. rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro. Orador: www.apcer.pt. Certificação das Entidades de Acção Social Soluções e Desafios rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro www.apcer.pt AGENDA 0. Apresentação da actividade da APCER 1. Actuais exigências e necessidades

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2015. Qualidade

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2015. Qualidade (Isento IVA) Qualidade Norma ISO 9001 Qualidade (nova versão ) Gestores da Qualidade 7 outubro Formar acerca do conteúdo da Norma de referência ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade: requisitos Conhecer

Leia mais

Curso Integrado AUDITOR. Cadeia de Responsabilidade PEFC FSC. Cadeia de Custódia. Lisboa Porto

Curso Integrado AUDITOR. Cadeia de Responsabilidade PEFC FSC. Cadeia de Custódia. Lisboa Porto Curso Integrado AUDITOR Cadeia de Responsabilidade PEFC e FSC Cadeia de Custódia EDIÇÕES 2012 Lisboa Porto AUDITOR Cadeia de Responsabilidade PEFC e Cadeia de Custódia FSC CURSOS Auditor Cadeia de Responsabilidade

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE PLANO CURRICULAR

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE PLANO CURRICULAR PLANO CURRICULAR UNIDADES CURRICULARES CARGA HORÁRIA ECTS Controlo Estatístico do Processo Doutora Florbela Correia 32 4 Gestão da Qualidade Mestre José Carlos Sá 24 4 Informática Aplicada a Qualidade

Leia mais

Benefícios da Certificação para a Administração Pública

Benefícios da Certificação para a Administração Pública Benefícios da Certificação para a Administração Pública Hélder Estradas, 7 de Maio de 2008 Agenda 1 - Resumo Histórico da Certificação em Portugal; 2 - Vantagens da Certificação; 3 - Processo de Certificação.

Leia mais

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa Vencemos juntos Apresentação da Empresa @ 2014 Quem Somos Missão Fornecer ferramentas e recursos, que juntos, colmatam as necessidades dos nossos Clientes tornando-os mais competitivos e eficazes. Visão

Leia mais

Gestão de Instalações Desportivas

Gestão de Instalações Desportivas Gestão de Instalações Desportivas Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Módulo 10 sessão 3 Gestão de Instalações Desportivas 1.3. Sistemas integrados de qualidade, ambiente e segurança Ambiente,

Leia mais

Os Modelos de Gestão nas Organizações

Os Modelos de Gestão nas Organizações Os Modelos de Gestão nas Organizações APCER VISÃO Ser reconhecida como uma empresa de auditoria e certificação global. MISSÃO Auditar e certificar em todo o mundo, com competência e confiança, para benefício

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL 1ª Edição

PÓS GRADUAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL 1ª Edição PÓS GRADUAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL 1ª Edição O ISAG Instituto Superior de Administração e Gestão é um estabelecimento de ensino superior privado, fundado em 1979,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO: Prof.ª Doutora Florbela Correia Mestre/Especialista José Carlos Sá PLANO Listagem das Unidades Curriculares CONTROLO ESTATÍSTICO DO PROCESSO...

Leia mais

em - Corporate Reporting (1.ª Edição) Executive Master

em - Corporate Reporting (1.ª Edição) Executive Master www. indeg. iscte-iul. pt EXPERIÊNCIA DE IMERSÃO AVANÇADA NO STATE OF THE ART E NAS ALTERAÇÕES MAIS RECENTES NAS TEMÁTICAS, NORMATIVAS E MÉTODOS DE REPORTE INTEGRADO DAS ORGANIZAÇÕES VISANDO UM DESEMPENHO

Leia mais

Os Desafios da Certificação em Portugal

Os Desafios da Certificação em Portugal Os Desafios da Certificação em Portugal Fórum IQNet-APCER Sustentabilidade pela Inovação 8 de Outubro de 2007 José Leitão CEO www.apcer.pt Agenda APCER Os Desafios da Certificação em Portugal Resposta

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

Portugal Brasil Moçambique Polónia

Portugal Brasil Moçambique Polónia www.promover.pt www.greatteam.pt Portugal Brasil Moçambique Polónia QUEM SOMOS - Prestamos serviços técnicos de consultoria de gestão e formação nos diversos setores da economia. - Presentes em Lisboa,

Leia mais

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos...

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE CAPITAL HUMANO

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE CAPITAL HUMANO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE CAPITAL HUMANO ABERTURA A People & Skills foi criada para responder às necessidades de um mercado cada vez mais apostado em desenvolver e consolidar competências que garantem

Leia mais

OFERTA. Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade.

OFERTA. Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade. QUALIDADE Transição para a NP ISO 9001:2015 Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade. Dar a conhecer as alterações

Leia mais

No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição.

No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição. 1. OBJETIVOS GERAIS No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição. 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Descrever a orgânica das Instituições Sociais;

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY POSSIBILIDADE DE FREQUÊNCIA À DISTÂNCIA

PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY POSSIBILIDADE DE FREQUÊNCIA À DISTÂNCIA PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY POSSIBILIDADE DE FREQUÊNCIA À DISTÂNCIA TESTEMUNHOS A Pós-Graduação Qualidade na Saúde permitiu-me adquirir e consolidar conhecimentos nesta área.

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY

PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY PÓS-GRADUAÇÃO QUALIDADE NA SAÚDE FORMAÇÃO SGS ACADEMY A Pós-Graduação Qualidade na Saúde permitiu-me adquirir e consolidar conhecimentos nesta área. Constitui uma mais-valia para os profissionais de saúde,

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Integrado MSGI-01

Manual do Sistema de Gestão Integrado MSGI-01 Manual de Acolhimento LogicPulse Technologies, Lda. Índice PROMULGAÇÃO... 3 1. INTRODUÇÃO... 4 2. OBJETIVOS DO MANUAL... 4 3. APRESENTAÇÃO DA LOGICPULSE TECHNOLOGIES... 5 4. ORGANOGRAMA ORGANIZACIONAL...

Leia mais

Coordenador da área - Engº Pedro Marques

Coordenador da área - Engº Pedro Marques Requisitos e implementação da ISO 9001 gestão da qualidade, ISO 14001 gestão ambiental e OHSAS 18001 gestão de segurança e saúde no trabalho Coordenador da área - Engº Pedro Marques Índice Duração Total...

Leia mais

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS // www.esb.ucp.pt

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS // www.esb.ucp.pt Pós-Graduação Segurança Alimentar 45 ECTS // www.esb.ucp.pt Nesta pós-graduação estudam-se os perigos, riscos, metodologias e legislação com que a segurança alimentar é confrontada na atualidade, numa

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL

GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL DOS MÓDULOS GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL Criar competências que possibilitem a utilização da Gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança e Responsabilidade Social como uma

Leia mais

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008 Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I Fev. 2008 Medeiros genda 1. Áreas de negócio Martifer; 2. Martifer Energia Equipamentos para energia S.A.; 3. Certificações Obtidas 4. Porquê IDI? 5. Objectivo

Leia mais

Anabela de Sousa Fontoura. Rua da Banda Marcial de Gueifães, 350 1º esq. 4470-024 Maia

Anabela de Sousa Fontoura. Rua da Banda Marcial de Gueifães, 350 1º esq. 4470-024 Maia Curriculum Vitae Informação pessoal Nome Morada(s) Anabela de Sousa Fontoura Rua da Banda Marcial de Gueifães, 350 1º esq. 4470-024 Maia Correio(s) electrónico(s) anabela.fontoura@sapo.pt Telemóvel: 91

Leia mais

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Qualidade e Certificação

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Qualidade e Certificação Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação Qualidade e Certificação 27 de Outubro de 2007 Gabriela Lopes Direcção de Certificação e de Auditores www.apcer.pt Agenda O que é a certificação?

Leia mais

Catálogo de Formação Inter-Empresas

Catálogo de Formação Inter-Empresas Catálogo de Formação Inter-Empresas QTEL 2016 Índice Quem Somos...Pág. 3 6 Razões para Escolher a QTEL...Pág. 5 Formação em Ambiente.Pág. 6 Formação em Inovação..Pág. 11 Formação em Qualidade Pág. 15 Formação

Leia mais

Certificar para Ganhar o Futuro

Certificar para Ganhar o Futuro Certificar para Ganhar o Futuro Loulé, 9 de Novembro 2007 José Leitão CEO APCER www.apcer.pt AGENDA APCER: Quem Somos Porquê Certificar para Ganhar o Futuro? Região do Algarve como Mercado Estratégico

Leia mais

Candidatura Orçamento Tu Decides 2015 Município de Braga. Projeto JOVENS SOCORRISTAS

Candidatura Orçamento Tu Decides 2015 Município de Braga. Projeto JOVENS SOCORRISTAS Candidatura Orçamento Tu Decides 2015 Município de Braga Projeto JOVENS SOCORRISTAS 1. IDENTIFICAÇÃO 2. CONTEXTUALIZAÇÃO E PROBLEMÁTICA 3. OBJECTIVOS 4. ATIVIDADES 5. ORÇAMENTO 1. IDENTIFICAÇÃO Proponente

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO

PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1. Identificação do Curso Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Recursos Humanos 2. Destinatários Profissionais em exercício de funções na área de especialização do curso ou novos

Leia mais

Capítulo Descrição Página

Capítulo Descrição Página MANUAL DA QUALIIDADE ÍNDICE Capítulo Descrição Página 1 Apresentação da ILC Instrumentos de Laboratório e Científicos, Lda Dados sobre a ILC, sua história, sua organização e modo de funcionamento 2 Política

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração www.apcer.pt AGENDA Apresentação APCER Desenvolvimento ERS3002 Conteúdo da ERS3002 Metodologias de auditorias Associação constituída em Abril 1996

Leia mais

Click to edit Master text styles Second level Third level Fourth level Fifth level. A Importância da Certificação da Qualidade

Click to edit Master text styles Second level Third level Fourth level Fifth level. A Importância da Certificação da Qualidade A Importância da Certificação da Qualidade Seminário "Qualidade e Sustentabilidade das Organizações Sociais Marco de Canaveses, 17 de Fevereiro de 2011 1 Programa Apresentação do Grupo SGS Qualidade e

Leia mais

Cérebro Centro de Formação, Lda.

Cérebro Centro de Formação, Lda. 2011 Cérebro Centro de Formação, Lda. Sede: Av. José Afonso, nº. 92, cv Cavaquinhas, Arrentela, 2840-735 Seixal Tel./Fax: 21 222 50 28 Telem.: 91 258 35 46 info@cerebro-online.com www.cerebro-online.com

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade IDENTIFICAÇÃO Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09 Código: CMSeixalSGQ_2600204_ManualGestaoV09 Destinatários: Trabalhadores, Munícipes e Utentes da CMSeixal Campo de aplicação:

Leia mais

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação.

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação. Objectivos Gerais Definir o que é a Qualidade; Determinar a evolução da qualidade. Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Apresentação do Manual de Gestão de IDI

Apresentação do Manual de Gestão de IDI Seminário Final do Projeto IDI&DNP Coimbra 31 de março Miguel Carnide - SPI Conteúdos. 1. O CONCEITO DE IDI (INVESTIGAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO) 2. OVERVIEW DO MANUAL 3. A NORMA NP 4457:2007 4. A

Leia mais

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 2014 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias

Leia mais

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 2011/07/07 NOTA: No caso de imprimir este documento, o mesmo passa automaticamente a Cópia Não Controlada ; a sua utilização implica a confirmação prévia de que corresponde à

Leia mais

MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR

MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR MASTER ENQUADRAMENTO O master Gestor Estratégico de Produto Alimentar, da SGS Academy, visa proporcionar aos seus formandos conhecimentos específicos sobre

Leia mais

APCER. Associação Portuguesa de Certificação. www.apcer.pt

APCER. Associação Portuguesa de Certificação. www.apcer.pt APCER Associação Portuguesa de Certificação www.apcer.pt CERTIFICAÇÃO UM PASSO PARA A EXCELÊNCIA VANTAGENS: Cultura Organizacional; Confiança; Reconhecimento; Valor Acrescentado. QUEM SOMOS Constituída

Leia mais

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente 1. Perfil Profissional Edital de abertura de concurso Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente O/A Técnico/a Especialista em Gestão da Qualidade e do Ambiente é o/a

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Conteúdo. - Apresentação da empresa. - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação. - Processo de implementação

Conteúdo. - Apresentação da empresa. - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação. - Processo de implementação COTEC 2010/10/19 Conteúdo - Apresentação da empresa - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação - Processo de implementação - Factores críticos de sucesso visão.c Apresentação

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Catálogo Serviços Auditorias - Consultadoria

Catálogo Serviços Auditorias - Consultadoria Catálogo Serviços Auditorias - Consultadoria Contactos: www.silliker.pt info@silliker.pt Tel: 227 150 820 Fax: 227 129 812 Auditorias Consultadoria A Silliker Portugal desenvolve soluções de consultadoria

Leia mais

Catálogo de Formação Inter-Empresas

Catálogo de Formação Inter-Empresas Catálogo de Formação Inter-Empresas QTEL 2015 Índice Quem Somos...Pág. 3 6 Razões para Escolher a QTEL...Pág. 5 Formação em Ambiente.Pág. 6 Formação em Inovação..Pág. 9 Formação em Qualidade Pág. 13 Formação

Leia mais

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL FORMAÇÃO 01/013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL INFORMAÇÕES FUNDAÇÂO MINERVA Cultura - Ensino e Investigação Científica Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão Largo Tinoco de Sousa 760. 108

Leia mais

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria PROGRAMA Qualidade Produto Marca Própria - Distribuição Princípios da Qualidade/ ISO 9001 Certificação/Processo de Certificação

Leia mais

Tipologia de Intervenção 6.4

Tipologia de Intervenção 6.4 Documento Enquadrador Tipologia de Intervenção 6.4 Qualidade dos Serviços e Organizações Acções de consultoria inseridas no processo que visa conferir uma certificação de qualidade às organizações que

Leia mais

A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO

A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO www.apcer.pt CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (NP EN ISO 9001:2000) A norma ISO 9001:2000, incentiva as organizações a adoptarem o modelo da Abordagem

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt PT: 00351 217 931 365 AO: 00244 94 112 60 90 MZ: 00258 821 099 522

www.highskills.pt geral@highskills.pt PT: 00351 217 931 365 AO: 00244 94 112 60 90 MZ: 00258 821 099 522 Apresentação... 3 Como Empresa... 3 A nossa Visão... 3 A nossa Missão - A SUA VALORIZAÇÃO, A NOSSA MISSÃO!... 3 Os nossos Valores... 3 Porquê fazer um Curso de Especialização?... 4 Formação Certificada...

Leia mais

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE XXVIII Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE 1. Sistema de gestão de qualidade... 2 1.1 Objectivos do sistema... 2 1.2 Estrutura organizativa... 4 1.2.1 Organização interna... 4 1.2.2 Estrutura

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2016. Qualidade

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2016. Qualidade Qualidade Norma ISO 9001:2015 Qualidade 13 julho 3 novembro Formar acerca do conteúdo da Norma de referência ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade: requisitos Conhecer e saber aplicar as ferramentas

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

Referencial técnico-pedagógico da intervenção

Referencial técnico-pedagógico da intervenção Referencial técnico-pedagógico da intervenção De seguida explicitamos os referenciais técnico-pedagógicos das fases do MOVE-PME que carecem de uma sistematização constituindo factores de diferenciação

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Inovar para Ganhar Paulo Nordeste Portugal tem apresentado nos últimos anos casos de sucesso em inovação; como novos produtos, serviços e modelos de

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO À GESTÃO DA QUALIDADE

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO À GESTÃO DA QUALIDADE Índice Índice de figuras e tabelas 19 Prefácio 29 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO À GESTÃO DA QUALIDADE 1. Introdução 35 2. Conceitos da qualidade 36 3. Origem dos principais problemas da qualidade 41 4. Alguns

Leia mais

Catálogo de Formação

Catálogo de Formação Catálogo de Formação ÍNDICE 04 Soluções Formativas à Medida das Necessidades da sua Organização 06 e-learning 08 Formação Auditores com Acreditação IRCA 16 Qualidade 36 Ambiente 44 Integração Sistemas

Leia mais

ÍNDICE 1. A ORGANIZAÇÃO 2. O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 3. REDE DE PROCESSOS 1.1 NOTA INTRODUTÓRIA DA DIRECÇÃO 1.2 O CENTRO SOCIAL E A SUA ACÇÃO

ÍNDICE 1. A ORGANIZAÇÃO 2. O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 3. REDE DE PROCESSOS 1.1 NOTA INTRODUTÓRIA DA DIRECÇÃO 1.2 O CENTRO SOCIAL E A SUA ACÇÃO MANUAL DA QUALIDADE ÍNDICE 1. A ORGANIZAÇÃO 1.1 NOTA INTRODUTÓRIA DA DIRECÇÃO 1.2 O CENTRO SOCIAL E A SUA ACÇÃO 1.3 VISÃO, MISSÃO E VALORES 1.4 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 1.4.1 RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES

Leia mais

Catálogo da Formação 1/15

Catálogo da Formação 1/15 2014 Catálogo da Formação BioConnection-Consultoria e Formação, Lda. Edifício CiDEB-Escola Superior de Biotecnologia Rua Dr. António Bernardino de Almeida- 4200-072 Porto Contactos: geral@bioconnection.pt

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014 FORMAÇÃO Início Fim Duração Horário Inscrição Contabilidade e Fiscalidade 01-10-2014 29-10-2014 21h P.L/S 100 Sensibilização e Orientação para o Cliente 02-10-2014

Leia mais

Orador: Local e Data:

Orador: Local e Data: Certificação de Produto Água para consumo humano AGENDA Certificação de produto Água para consumo humano Recomendação ERSAR n.º 02/2011 Processo de certificação A APCER Breve apresentação Estatísticas

Leia mais

QUALIDADE NO 3.º SECTOR EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO DA RESPOSTA SOCIAL CRECHE. 20 de Maio 2008 Qualidade e Qualificação 3º Sector

QUALIDADE NO 3.º SECTOR EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO DA RESPOSTA SOCIAL CRECHE. 20 de Maio 2008 Qualidade e Qualificação 3º Sector QUALIDADE NO 3.º SECTOR EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO DA RESPOSTA SOCIAL CRECHE 20 de Maio 2008 Qualidade e Qualificação 3º Sector Enquadramento para a Qualidade Estratégia de Desenvolvimento; Diferenciação;

Leia mais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Curso de Formação 2011 Índice PROPOSTA FORMATIVA... 3 Introdução... 3 Objectivo geral... 3 Estrutura... 3 Metodologias... 3

Leia mais

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ)

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) INTEGRAÇÃO PROFISSIONAL DE TÉCNICOS SUPERIORES BACHARÉIS, LICENCIADOS E MESTRES CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) GUIA DE CURSO ÍNDICE 1 - Objectivo do curso 2 - Destinatários 3 - Pré-requisitos

Leia mais

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMAS EXECUTIVOS UM COMPROMISSO DE DUAS INSTITUIÇÕES Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG e da IFACC. A união de sinergias

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Especialização em Gestão de Projectos Nível 1 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Este curso constitui

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3.

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3. Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3.ª Edição 2014/2015 EDITAL A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de

Leia mais

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho Patrícia Serra 1 Objetivos das Auditorias ao SGSST Verificar se o SG cumpre eficazmente a política, os objetivos e metas definidos pela organização

Leia mais

O que é a Norma 4510:2015? Maria João Graça IPQ

O que é a Norma 4510:2015? Maria João Graça IPQ O que é a Norma 4510:2015? Maria João Graça IPQ Caparica, 9 fevereiro IPQ - Competências e responsabilidades Responsável pela gestão e coordenação do SPQ Organismo Nacional de Normalização Instituição

Leia mais