A Aposentadoria dos Professores das IFES Ontem, hoje e amanhã Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES-Federação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Aposentadoria dos Professores das IFES Ontem, hoje e amanhã Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES-Federação"

Transcrição

1 A Aposentadoria dos Professores das IFES Ontem, hoje e amanhã Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES-Federação

2 Formas de aposentadoria

3 Invalidez Com proventos proporcionais ao tempo de contribuição ou com proventos integrais (no tempo e não no provento) Com proventos integrais (para os que entraram antes de 1998). Compulsória Por idade limite (70 anos) Voluntária Por tempo de contribuição

4 Requisitos para aposentadoria por tempo de contribuição Para servidor que se aposentar após dezembro/2003 EC 41 Reforma da Previdência

5 Homem 60 anos de idade 35 anos de contribuição Mulher 55 anos de idade 30 anos de contribuição Requisitos comuns 25 anos de de serviço público 10 anos na carreira 5 anos no cargo

6 Gerações de aposentados

7 1ª Geração Aposentados antes da Reforma Para os servidores que completaram os requisitos de aposentadoria antes de dezembro/2003, valem as regras antigas. Mesmo que se aposente após 12/2003!

8 Mudança Contribuição Previdenciária de Inativos Os aposentados passam a contribuir com 11% do que exceder o teto do RGPS (R$ 4.159,00). Em caso de doença incapacitante o corte é do dobro do teto (R$ 8.318,00), sobre o qual se paga os 11% (EC 47 /2005). Exemplo: Apos= R$ ,00 contribuição de R$ 642,51 Apos= R$ 5.000,00 contribuição de R$ 92,51

9 Pensão deixou de ser integral As pensões deixam de ser integrais e terão o valor correspondente ao teto do RGPS mais 70% do que o exceder. Com o respectivo desconto de 11% do que exceder o teto. Exemplo: Para aposentadoria de R$ 7.500,00 om o desconto dos 11% R$ ,49 a pensão corresponderá a R$ 6.497,70 om o desconto dos 11% R$ 6.240,44

10 2º Geração Ingressaram antes da Reforma Para os que entraram antes de 12/2003, mas se aposentarão após, terão integralidade e paridade se cumprirem os requisitos de aposentadoria por tempo de contribuição.

11 Continua em vigor a Aposentadoria Especial para os que contribuírem 25 anos, se mulher, ou 30 anos, se homem, EXCLUSIVAMENTE no Magistério de Ensino Básico (fundamental e médio). Foi introduzida a regra 85/95 pela EC 47/2005, para os que ingressaram até 16/12/1998. Pode se aposentar com menos idade, se tiver maior tempo de contribuição

12 Não existe mais a Aposentadoria voluntária Proporcional. Os que têm tempo de contribuição podem pedir abono permanência A aposentadoria compulsória para estes, se não cumprirem os requisitos, será pela regra nova, além de ser proporcional ao tempo de contribuição. A aposentadoria por invalidez voltou a ser integral pela EC 70/2012

13 3ª Geração Ingressantes entre a Reforma 01/01/2004 até a instalação da Previdência complementar 03/02/2013 Acaba a integralidade e a paridade. A aposentadoria é calculada pela média das 80% melhores contribuições e vira Provento linha única no contracheque, sem relação com ativos ou aposentados antigos. Reajuste pelo percentual do RGPS.

14 Valor dos proventos Para os que ingressaram entre 01/01/2004 e 03/02/2013

15 Proventos calculados pela média m da contribuição (conforme lei /2004) média das 80% melhores remunerações, limitado à última remuneração. Fim da paridade entre ativos e inativos Rubrica única no contracheque, com reajuste igual ao do RGPS para proventos maiores que o SM (7,72% em ,41% em 2011, 6,08% em 2012 e 6,20% em 2013 acumulado 21,59% de 2009 a 2013)

16 Art. 40. Aos servidores titulares de cargos efetivos da União (...) é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e solidário, mediante contribuição do respectivo ente público, dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas, observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial e o disposto neste artigo. 1º Os servidores abrangidos pelo regime de previdência de que trata este artigo serão aposentados, calculados os seus proventos a partir dos valores fixados na forma dos 3º e 17 3º Para o cálculo dos proventos de aposentadoria, por ocasião da sua concessão, serão consideradas as remunerações utilizadas como base para as contribuições do servidor aos regimes de previdência de que tratam este artigo e o art. 201, na forma da lei. 17. Todos os valores de remuneração considerados para o cálculo do benefício previsto no 3 serão devidamen te atualizados, na forma da lei.

17 4º Geração Ingressaram após a vigência da Lei que criou a Previdência Complemetar (Lei de 30 de abril de 2012) 04/02/2013 Para os que entrarem após a criação dos Fundos de Pensão é garantido pelo regime próprio de previdência o teto do RGPS (hoje R$ 4.159,00). Se quiserem receber mais que isso terão que contribuir para o Fundo de Pensão do seu Poder.

18 Previdência Complementar para os que ingressaram após a criação do Fundo de Pensão 04/02/2013 Lei /2012

19 A PEC 41 determinou que o Governo criasse por Lei a Previdência Complementar e o Fundo de Pensão dos servidores públicos. Com a aprovação da Lei em 30/04/2012, instituiu-se o novo Regime de Aposentadoria, para os servidores que ingressarem após a criação de um dos Fundos. Em 04/02/2013.

20 A Lei determinou que o servidor terá 24 meses (ou seja, até 04/02/2015) para optar se quer aderir à Previdência Complementar e ao Fundo de Pensão dos servidores públicos, se ingressou antes da criação dos Fundos até 03/02/2013. A opção para os servidores das 2ª e 3ª gerações é irrevogável e irretratável.

21 optativo o ingresso na previdência complementar para servidores novos e antigos É O servidor novo que não optar, ganhará apenas o teto do RGPS Até o teto (R$ ,00), todos continuarão pagando 11%. Acima do teto, em caso de adesão a contribuição será definida anualmente, conforme o Plano de Benefícios (sendo que a União contribui com 1:1 até o limite de 8,5%).

22 14 - A União (...), desde que instituam regime de previdência complementar para os seus respectivos servidores titulares de cargo efetivo, poderão fixar, para o valor das aposentadorias e pensões a serem concedidas pelo regime de que trata este artigo, o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social (...) 15. O regime de previdência complementar de que trata o 14 será instituído por lei de iniciativa do respectivo Poder Executivo, observado o disposto no art. 202 e seus parágrafos, no que couber, por intermédio de entidades fechadas de previdência complementar, de natureza pública, que oferecerão aos respectivos participantes planos de benefícios somente na modalidade de contribuição definida Somente mediante sua prévia e expressa opção, o disposto nos 14 e 15 poderá ser aplicado ao servidor que tiver ingressado no serviço público até a data da publicação do ato de instituição do correspondente regime de previdência complementar.

23 Quem opta, como fica?

24 Descontos Descontará 11% até o teto do RGPS (R$ ,00 - hoje R$ 457,49) Descontará sua contribuição para a previdência complementar, sobre o valor excedente, decidido anualmente. O órgão pagará o mesmo valor, até o máximo de 8,5%. Poderá haver contribuição para benefícios extraordinários (como morte, invalidez, aposentadoria precoce das mulheres e pensão).

25 Descontos O regime de previdência complementar é de contribuição definida sabe-se quanto paga, mas não quanto se receberá! Assim, o valor de contribuição para a previdência complementar, será reavaliado sempre, para manter o equilíbrio do Fundo.

26 Benefícios Órgão de lotação pagará proventos de até R$ 4.159,00 (Teto do RGPS). Complementação, se houver, paga pela FUNPRESP Fundo de Pensão dos servidores. Benefício especial pago pelo órgão se o servidor antigo tiver optado

27 Benefício Especial

28 É devido àqueles servidores que ingressaram antes da implantação da FUNRESP e optaram pelo novo regime. É uma forma de compensação dos descontos feitos acima do teto do RGPS 11% sobre o bruto É uma forma de atrair o servidor em atividade para capitalizar o Fundo.

29 Como se calcula o BE?

30 1. Diferença entre a média das 80% melhores remunerações, corrigidas pelo IPCA, e o teto do RGPS. 2. Diferença multiplicada pelo fator de conversão: 3. FC = Tc / Tt BE = x FC

31 Tt depende do sexo e do tipo de professor. Tt = 455 se homem do MS Tt = 390 se mulher do MS ou homem do ensino infantil ou fundamental Tt = 325 se mulher do ensino infantil ou fundamental (ou para serviço penoso)

32 Exemplo Para homens Professor MS com 6 anos de contribuição e vencimento médio de R$ 7.800,00 = 7.800, ,00 = 3.641,00 FC= 78 (6 anos º) / 455 = 0,17143 BE = x FC BE= 3.641,00 x 0,17143 = R$ 624,17

33 Exemplo Para mulheres Profª MS com 6 anos de contribuição e vencimento médio de R$ 7.800,00 = 7.800, ,00 = ,00 FC= 78 (6 anos º) / 390 = 0,20000 BE = x FC BE= 3.641,00 x 0,2 = R$ 728,20

34 Comentários sobre o BE A atualização é pelo mesmo índice do RGPS, sem vinculação com a tabela de vencimentos. É pago enquanto durar o benefício (a Lei define que deve ser pago mesmo na aposentadoria por invalidez ou na pensão por morte). A pção do servidor deverá ser feita em 24 meses e é irrevogável e irreversível.

35 Benefício Complementar

36 Cada servidor terá uma conta individual onde suas contribuições são contabilizadas e quando da aposentadoria, seu valor é calculado. Não é aposentadoria, é pecúlio, e o servidor é que decide em quantos meses quer receber. O servidor decide em quantos meses quer morrer! O regime é de contribuição definida. Sabe quanto se paga e não quanto se recebe Quem garante o valor após 30 anos!

37 FUNPRESP Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal FUNPRESP-Exe FUNPRESP-Leg FUNPRESP-Jud

38 As FUNPRESPs são fundações públicas de direito privado. O Conselho Deliberativo é paritário: 3 membros dos patrocinadores 3 dos participantes.o Conselho Fiscal é paritário: 2 indicados pelos patrocinadorese 2 eleitos pelos participantes

39 A Diretoria Executiva é composta por até 4 membros, nomeados pelo Conselho Deliberativo, sendo exigidos os requisitos da Lei Complementar 108/2001. A remuneração e vantagens dos diretores será fixada pelo CD em padrões de mercado. A remuneração dos membros do CD e do CF não poderá exceder 10% do valor da remunera~ção da Diretoria.

40 recursos do Fundo poderão ser administrados por entidades do mercado (bancos licitados, com contratos de no máximo 5 anos). Cada Banco poderá administrar no máximo 20% dos recursos. Os recursos podem ser aplicados em carteira própria, administrada ou em Fundos de Investimento. Os Planos de Benefícios terão que cobrir as taxas de administração e despesas operacionais.

41 FUNPRESP-Exe Conselhos e Diretoria provisórios, nomeado pela Presidente da República em novembro de 2012

42 Conselho Deliberativo - foi nomeado pela Presidente da República por meio de Decretos Presidenciais de 12 e 26 de 11/2012. São os seguintes os membros para mandato de 2 anos: Presidente - Eva Maria Cella dal Chiavon, Suplente: Bruno Moretti Presidente substituto - Nelson Henrique Barbosa Filho Suplente: Dyogo Henrique de Oliveira - Beto Ferreira Martins Vasconcelos Suplente: Gilson Alceu Bittencourt - Carlos Eduardp Gabas Suplente: Elisete Berchiol da Silva Iwai - Fernando Luiz Albuquerque Faria Suplente: Rosangela Silveira de Oliveira - Walter Ribeiro Valente Júnior Suplente: Walter Odaco

43 O Conselho Fiscal da Funpresp-Exe foi nomeado pelo Decreto de 12/11/2012, para mandato de dois anos: Presidente - Marcus Pereira Aucélio Suplente: Manoel Joaquim de Carvalho Filho presidente substituto- Jaime Mariz de Faria Júnior Suplente: Paulo César dos Santos - Carlos Henrique Martins Lima Suplente: Edmilson Enedino das Chagas - Carlos Roberto Caixeta Suplente: José Eliomá Oliveira Albuquerque

44 DIRETORIA EXECUTIVA Diretor-Presidente Ricardo Pena Pinheiro Diretora de Administração Eugenia Bossi Fraga Diretor de Investimentos e de Seguridade Ricardo Pena Pinheiro (interino)

45 Muito Obrigado!!!

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

REFORMA DA PREVIDÊNCIA MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social REFORMA DA PREVIDÊNCIA Regra Atual, PEC n.º 40/03, Substitutivo da Comissão Especial de Reforma da Previdência, Cenários e Projeções

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 19 DE DEZEMBRO DE 2003 Professora por tempo

Leia mais

Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05

Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05 Agosto 2014 Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05 1) voluntária, por tempo de serviço, com proventos integrais;

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA DEFINIÇÕES / INFORMAÇÕES

MANUAL DE APOSENTADORIA DEFINIÇÕES / INFORMAÇÕES MANUAL DE APOSENTADORIA DEFINIÇÕES / INFORMAÇÕES A PREVIDÊNCIA SOCIAL É uma forma de seguro coletivo de caráter contributivo em que todos contribuem com uma parcela de seu salário e de filiação obrigatória.

Leia mais

PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação

PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação Pequeno Glossário da Previdência As Formas de aposentadoria Voluntária por tempo de contribuição:

Leia mais

O que é preciso saber sobre previdência complementar

O que é preciso saber sobre previdência complementar O que é preciso saber sobre previdência complementar Por Antônio Augusto de Queiroz Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas a respeito da Previdência Complementar do servidor público, instituída

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União

Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União 1) O que é o Regime de Previdência Complementar? É um dos regimes que integram o Sistema

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Flavio Alexandre Acosta Ramos Jose Luis Wagner Luciana Rambo Novembro de 2008 1 1. Introdução Desde

Leia mais

III Workshop de Previdência Complementar do Servidor Público Federal.

III Workshop de Previdência Complementar do Servidor Público Federal. III Workshop de Previdência Complementar do Servidor Público Federal. Pontos de interesse da área de RH sobre o RPPS e migração de regime REGIMES DE PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL RPPS RGPS RPC Regimes de

Leia mais

Começa a vigorar a Previdência Complementar do servidor: tire suas dúvidas

Começa a vigorar a Previdência Complementar do servidor: tire suas dúvidas Começa a vigorar a Previdência Complementar do servidor: tire suas dúvidas Por Antônio Augusto de Queiroz (*) Desde o dia 05 de fevereiro de 2013 passou a vigorar a Previdência Complementar dos Servidores

Leia mais

PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação

PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação Pequeno Glossário da Previdência As Formas de aposentadoria Voluntária por tempo de contribuição:

Leia mais

RPPS II ENCONTRO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES E APOSENTADOS DE SÃO BERNARDO DO CAMPO

RPPS II ENCONTRO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES E APOSENTADOS DE SÃO BERNARDO DO CAMPO Benefícios Previdenciários rios no RPPS II ENCONTRO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES E APOSENTADOS DE SÃO BERNARDO DO CAMPO Setembro 2013 Delúbio Gomes Pereira Silva ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES A Previdência dos Servidores após 2004 Previdência Complementar Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES Recife, PE 15 e 16/09/2011 Formas de aposentadoria Invalidez Com proventos proporcionais

Leia mais

A previdência do servidor público e o impacto nas finanças estaduais

A previdência do servidor público e o impacto nas finanças estaduais A previdência do servidor público e o impacto nas finanças estaduais Carlos Henrique Flory Abril de 2014 A PREVIDÊNCIA DO SERVIDOR PÚBLICO ATÉ AS EMENDAS CONTITUCIONAIS DE 1998 E 2003: Mudança de ativo

Leia mais

CONVERGÊNCIA DE REGIMES PREVIDENCIÁRIOS. DÉCIO BRUNO LOPES Vice Presidente de ssuntos da Seguridade Social MAIO/2016

CONVERGÊNCIA DE REGIMES PREVIDENCIÁRIOS. DÉCIO BRUNO LOPES Vice Presidente de ssuntos da Seguridade Social MAIO/2016 CONVERGÊNCIA DE REGIMES PREVIDENCIÁRIOS DÉCIO BRUNO LOPES Vice Presidente de ssuntos da Seguridade Social MAIO/2016 . CONVERGÊNCIA DE REGIMES PREVIDENCIÁRIOS REPORTANDO-SE À ÉPOCA DOS INSTITUTOS DE APOSENTADORIA

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001-DIREH, DE 08 DE JUNHO DE 2005.

BOLETIM DE SERVIÇO FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001-DIREH, DE 08 DE JUNHO DE 2005. PÁG: 33 FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001-DIREH, DE 08 DE JUNHO DE 2005. Dispõe sobre o Abono de Permanência instituído pela Emenda Constitucional nº 41/2003.

Leia mais

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO, SALÁRIO DE BENEFÍCIO E RENDA MENSAL INICIAL CONCEITOS Professor: Anderson Castelucio CONCEITOS DE SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO Art. 214. Entende-se por salário-de-contribuição: I -

Leia mais

Aprovado pela Portaria nº 155 de 29/03/2011 DOU 31/03/2011

Aprovado pela Portaria nº 155 de 29/03/2011 DOU 31/03/2011 Aprovado pela Portaria nº 155 de 29/03/2011 DOU 31/03/2011 Artigo 18 Ao Participante que tiver completado 50 (cinqüenta) anos de idade após ter cumprido a carência de 120 (cento e vinte) meses de contribuições

Leia mais

Previdência e sua reforma Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação

Previdência e sua reforma Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação XXXVII ENDP Encontro Nacional dos Dirigentes de Pessoas das IFE Previdência e sua reforma Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação A PEC287/2016 na versão do substitutivo Arthur

Leia mais

Lei Complementar Nº 12, de 23 de junho de 1999 (D.O.E. de 28/06/99) A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO CEARÁ

Lei Complementar Nº 12, de 23 de junho de 1999 (D.O.E. de 28/06/99) A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO CEARÁ Lei Complementar Nº 12, de 23 de junho de 1999 (D.O.E. de 28/06/99) Dispõe sobre a instituição do Sistema Único de Previdência social dos Servidores Públicos Civis e Militares, dos Agentes Públicos e dos

Leia mais

Previni. 1 - REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS: os autônomos e Todos os trabalhadores da área privada são seus segurados;

Previni. 1 - REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS: os autônomos e Todos os trabalhadores da área privada são seus segurados; Previdência Previdência Social :: Histórico:: Regimes de Previdência Social:: Das Patrocinadoras:: Dos Segurados:: Dos Dependentes:: Dos Benefícios Concedidos:: Do Valor da Contribuição:: Onde Requerer

Leia mais

R. P. P. S. Regime Próprio de Previdência Social

R. P. P. S. Regime Próprio de Previdência Social R. P. P. S. Regime Próprio de Previdência Social O fim de um modelo ou um ajuste cíclico? Construção do Modelo de RPPS Aspectos Constitucionais Construção do Modelo de RPPS Aspectos Constitucionais 1824

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL DO SERVIDOR PÚBLICO REFORMA E PERSPECTIVAS LEANDRO MACÊDO

PREVIDÊNCIA SOCIAL DO SERVIDOR PÚBLICO REFORMA E PERSPECTIVAS LEANDRO MACÊDO PREVIDÊNCIA SOCIAL DO SERVIDOR PÚBLICO REFORMA E PERSPECTIVAS LEANDRO MACÊDO 1 REGIME PRÓPRIO: ABRANGÊNCIA DOS MEMBROS DA MAGISTRATURA Art. 40. Aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL E(M) CRISE: uma análise jurídica das inter-relações entre a crise econômica e os regimes de previdência social

PREVIDÊNCIA SOCIAL E(M) CRISE: uma análise jurídica das inter-relações entre a crise econômica e os regimes de previdência social PREVIDÊNCIA SOCIAL E(M) CRISE: uma análise jurídica das inter-relações entre a crise econômica e os regimes de previdência social LUCIANO MARTINEZ martinezluciano@uol.com.br Fanpage: facebook.com/professorlucianomartinez

Leia mais

Darcy Francisco Carvalho dos Santos Junho/2015.

Darcy Francisco Carvalho dos Santos Junho/2015. Darcy Francisco Carvalho dos Santos Junho/2015. Fator previdenciário O fator previdenciário é o resultado de uma fórmula instituída pelo governo da época para dar um tratamento financeiro e atuarial à

Leia mais

2 As aposentadorias no regime próprio de previdência social do servidor

2 As aposentadorias no regime próprio de previdência social do servidor A Previdência Social dos Servidores Públicos Regime Próprio A Previdência e Regime Social de dos Previdência Servidores Públicos Complementar Regime Próprio e Regime de Previdência Complementar Módulo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA INSTITUIÇÃO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS NOS MUNICÍPIOS

A IMPORTÂNCIA DA INSTITUIÇÃO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS NOS MUNICÍPIOS www.assimpasc.org.br A IMPORTÂNCIA DA INSTITUIÇÃO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS NOS MUNICÍPIOS Santa Catarina 2011 Prezado Leitor, A previdência social constitui atualmente tema de relevada

Leia mais

PEC PARALELA. Sandra Cristina Filgueiras de Almeida Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO ESTUDO

PEC PARALELA. Sandra Cristina Filgueiras de Almeida Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO ESTUDO ESTUDO ESTUDO PEC PARALELA Sandra Cristina Filgueiras de Almeida Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO OUTUBRO/2004 Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria

Leia mais

Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil. ArcelorMittal Brasil

Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil. ArcelorMittal Brasil Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil ArcelorMittal Brasil 1 Porque ter um Plano de Previdência Complementar? 2 O Novo Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil Conheça

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO N o 213, DE 30 DE SETEMBRO DE 1999 Dispõe sobre a concessão do auxílio-transporte aos servidores do Conselho da Justiça Federal Justiça Federal de Primeiro e Segundo Graus. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11/2004

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11/2004 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11/2004 Ver também IN 01/05 Revogada pela IN 7/09 Altera a Instrução Normativa n. 12/2002, que dispõe sobre a remessa de processos de aposentadoria, reforma e pensão da Administração

Leia mais

DECRETO Nº 33.871, DE 23 DE AGOSTO DE 2012.

DECRETO Nº 33.871, DE 23 DE AGOSTO DE 2012. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF DECRETO Nº 33.871, DE 23 DE AGOSTO DE 2012. Dispõe sobre o pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso aos servidores públicos

Leia mais

CARTILHA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE RPPS

CARTILHA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE RPPS PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E INFORMAÇÃO SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE GESTÃO PREVIDENCIÁRIA CARTILHA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

Leia mais

PIRAPREV INSTITUTO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE PIRACAIA

PIRAPREV INSTITUTO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE PIRACAIA PIRAPREV INSTITUTO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE PIRACAIA Piracaia, 24 de Julho de 2.015 APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REQUISITO Geral Magistério SEXO HOMEM MULHER HOMEM

Leia mais

APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO

APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO «DESCONTO PREVIDENCIÁRIO INFOMATIVO FÓRUM DAS SEÇÕES SINDICAIS DO ANDES SN DAS IEES PARANAENSES» APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO PRINCIPAIS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS EC. Ns. 41/2003 E 47/2005 - quebra

Leia mais

Medida Provisória editada pelo Governo para a nova carreira da Previdência, da Saúde e do Trabalho (MP 301) Perguntas e resposta.

Medida Provisória editada pelo Governo para a nova carreira da Previdência, da Saúde e do Trabalho (MP 301) Perguntas e resposta. Medida Provisória editada pelo Governo para a nova carreira da Previdência, da Saúde e do Trabalho (MP 301) Perguntas e resposta. JULHO DE 2006 Medida Provisória editada pelo Governo para a nova carreira

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA Cód.: APV Nº: - Versão: 2 Data: 29/01/2016 DEFINIÇÃO Benefício requerido pelo servidor, alterando sua situação de ativo para inativo, abrangido pelo Regime Próprio de Previdência

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL INSPETORIA DE ATOS DE PESSOAL DIVISÃO 2

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL INSPETORIA DE ATOS DE PESSOAL DIVISÃO 2 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL INSPETORIA DE ATOS DE PESSOAL DIVISÃO 2 PROCESSO Nº: APE- 09/00688823 UNIDADE GESTORA: INTERESSADO: RESPONSÁVEL:

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.267

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.267 PARECER Nº 14.267 Emenda Constitucional n. 41/03. Professor. Aposentadoria proporcional. Valor dos proventos. Fixação de reajustes. O presente expediente administrativo EA n 008568-1900/04-0 teve origem

Leia mais

Adendo ao livro MANUAL DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Autor: Hugo Medeiros de Goes

Adendo ao livro MANUAL DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Autor: Hugo Medeiros de Goes Adendo ao livro MANUAL DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Autor: Hugo Medeiros de Goes 1. ERRATA Página 180 No primeiro parágrafo do item 2.10.1 (Beneficiários): Onde se lê: Os beneficiários da pensão por morte

Leia mais

Regime de Tributação de Imposto de Renda

Regime de Tributação de Imposto de Renda Apresentação O INFRAPREV elaborou esta cartilha com o objetivo de orientar o participante na escolha do regime de tributação quando do ingresso no seu Plano de Contribuição Variável. Com a publicação da

Leia mais

AVERBAÇÃO POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

AVERBAÇÃO POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO AVERBAÇÃO POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO É o registro do tempo de serviço/contribuição

Leia mais

Considerando a Lei nº. 14.653, de 22 de dezembro de 2011, que instituiu o regime de Previdência Complementar do Estado de São Paulo;

Considerando a Lei nº. 14.653, de 22 de dezembro de 2011, que instituiu o regime de Previdência Complementar do Estado de São Paulo; Instrução SP-PREVCOM / TJ nº 04/2013. Considerando a Lei nº. 14.653, de 22 de dezembro de 2011, que instituiu o regime de Previdência Complementar do Estado de São Paulo; A Fundação de Previdência Complementar

Leia mais

Curso de Questões Comentadas

Curso de Questões Comentadas Hugo Goes Direito Previdenciário FCC Curso de Questões Comentadas Indicado para o concurso do INSS Técnico do Seguro Social e Perito Médico Dezembro de 2011 O autor Hugo Goes nasceu na zona rural do pequeno

Leia mais

A nova Previdência dos Servidores: Regimes Próprio e Complementar

A nova Previdência dos Servidores: Regimes Próprio e Complementar A nova Previdência dos Servidores: Regimes Próprio e Complementar Série Estudos Técnicos 2013 Esta publicação faz parte da série Estudos Técnicos do DIAP Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar

Leia mais

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO CÁLCULOS SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO CONCEITO: é o valor que serve de base de cálculo para incidência das alíquotas das contribuições previdenciárias (fonte de custeio) e para o cálculo do salário benefício.

Leia mais

Plano de Benefícios CV-03

Plano de Benefícios CV-03 1/8 Plano de Benefícios CV-03 Cuidar do seu futuro é o nosso negócio! 2/8 1 Características do Plano É um plano de benefícios da modalidade de Contribuição Variável, de caráter previdenciário cujos benefícios

Leia mais

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO ELETROS Norma Regulamentadora Empréstimo Financeiro Plano CD-Eletrobrás

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO ELETROS Norma Regulamentadora Empréstimo Financeiro Plano CD-Eletrobrás 1 FINALIDADE 1.1 Esta Norma estabelece as condições e os procedimentos para a concessão de ao participante ativo, ao participante assistido ou beneficiário (pensionista), ao participante autopatrocinador

Leia mais

LEI Nº 6.111, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2005..

LEI Nº 6.111, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2005.. LEI Nº 6.111, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2005.. Autoria: Prefeito Municipal. ALTERA O ANEXO DE METAS FISCAIS DA LEI Nº 6.081, DE 4 DE JULHO DE 2005, QUE DISPÕE SOBRE AS DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS PARA O EXERCÍCIO

Leia mais

Nota Legislativa: Nova fórmula do Fator Previdenciário Emenda Vetada e MP 676/15

Nota Legislativa: Nova fórmula do Fator Previdenciário Emenda Vetada e MP 676/15 Após anúncio do veto da emenda 45, do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), incluída na MP 664/14, o Poder Executivo editou e foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (18), a Medida

Leia mais

O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário. Wagner Advogados Associados

O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário. Wagner Advogados Associados O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Wagner Advogados Associados www.wagner.adv.br wagner@wagner.adv.br 1 REGRAS VIGENTES PARA APOSENTADORIA DOS SERVIDORES - Aposentadoria com

Leia mais

PARECER: Fel_004/2010 Data: 30/06/2010

PARECER: Fel_004/2010 Data: 30/06/2010 PARECER: Fel_004/2010 Data: 30/06/2010 ASSUNTO: Manutenção e perda da qualidade de segurado. CONSULENTE: MUNICÍPIO DE FELIXLÂNDIA MG INTERESSADO(A): IPREMFEL RELATÓRIO O Instituto de Previdência Municipal

Leia mais

Fundação Francisco Martins Bastos Informações gerais. Controladora Participantes Refinaria Ativos

Fundação Francisco Martins Bastos Informações gerais. Controladora Participantes Refinaria Ativos Fundação Francisco Martins Bastos Informações gerais Controladora Participantes Refinaria Ativos Agenda Conceitos gerais Estrutura da aquisição do Grupo Ipiranga e distribuição das empresas nos novos controladores

Leia mais

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA DA PREVIDÊNCIA O servidor público federal do Poder Executivo e as alterações do seu regime previdenciário José Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Agosto de 2013 1 1 A

Leia mais

TELOS. Fundação Embratel de Seguridade Social. Lei 11.053: institui novo tratamento fiscal para a Previdência Complementar

TELOS. Fundação Embratel de Seguridade Social. Lei 11.053: institui novo tratamento fiscal para a Previdência Complementar TELOS Fundação Embratel de Seguridade Social Lei 11.053: institui novo tratamento fiscal para a Previdência Complementar Introdução Esta apresentação tem por objetivo esclarecer os principais aspectos

Leia mais

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI N 6.902, DE 2010 Dispõe sobre a autorização para desconto de prestações em folha de pagamento dos servidores estatutários e funcionários públicos da administração

Leia mais

Sínteses da Reforma da Previdência

Sínteses da Reforma da Previdência Sínteses da Reforma da Previdência 1 Sumário Tipos de Aposentadoria e Proventos do Servidor Público... 04 Regra atual...04 Regra do Substitutivo da Comissão Especial...05 Críticas à Proposta do Substitutivo

Leia mais

Paulo, ser ou não ser servidor público? 1 - O caso dos novos servidores públicos que irão se aposentar pelo teto do INSS

Paulo, ser ou não ser servidor público? 1 - O caso dos novos servidores públicos que irão se aposentar pelo teto do INSS Paulo, ser ou não ser servidor público? 1 - O caso dos novos servidores públicos que irão se aposentar pelo teto do INSS Elaborado por Cássia Chagas, Dêner Martins, Simone Armond e Valéria Porto. (2015)

Leia mais

Plano de Contribuição Definida

Plano de Contribuição Definida Plano de Contribuição Definida Gerdau Previdência CONHEÇA A PREVIDÊNCIA REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Oferecido pelo setor privado, com adesão facultativa, tem a finalidade de proporcionar uma proteção

Leia mais

CARTILHA 2ª EDIÇÃO REVISADA E ATUALIZADA NOVEMBRO DE 2013

CARTILHA 2ª EDIÇÃO REVISADA E ATUALIZADA NOVEMBRO DE 2013 CARTILHA 2ª EDIÇÃO REVISADA E ATUALIZADA NOVEMBRO DE 2013 Coordenadores Almir Serra Martins Menezes Filho Antonio Gonçalves Filho Elizabeth Carla Vasconcelos Barbosa José Queiroz Carneiro Maria Suely Soares

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL N o 20, DE 15 DEZEMBRO DE 1998

EMENDA CONSTITUCIONAL N o 20, DE 15 DEZEMBRO DE 1998 EMENDA CONSTITUCIONAL N o 20, DE 15 DEZEMBRO DE 1998 (Publicada no D.O.U. de 16/12/1998) Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências. AS MESAS DA CÂMARA

Leia mais

Emenda Constitucional nº 41 e o impacto nos Regimes Próprios de Previdência

Emenda Constitucional nº 41 e o impacto nos Regimes Próprios de Previdência MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social Emenda Constitucional nº 41 e o impacto nos Regimes Próprios de Previdência FORTALEZA/CE,, ABRIL DE 2004 MUDANÇA DA BASE DE CÁLCULO

Leia mais

Valor máximo: R$ 4.663,75 (2015) Benefícios variáveis, dependendo do valor acumulado pelo servidor

Valor máximo: R$ 4.663,75 (2015) Benefícios variáveis, dependendo do valor acumulado pelo servidor Valor máximo: R$ 4.663,75 (2015) Benefícios variáveis, dependendo do valor acumulado pelo servidor De servidor para servidor Conhecemos o dia a dia de quem trabalha para mover o estado mais importante

Leia mais

PLANO MULTIFUTURO II

PLANO MULTIFUTURO II PLANO MULTIFUTURO II Sumário Apresentação... 05 Participantes... 07 Contribuições... 09 Institutos... 13 Benefícios... 19 3 Apresentação Prezado participante, Este manual explica, em linguagem simples,

Leia mais

O SISTEMA DE PREVIDÊNCIA BRASILEIRO

O SISTEMA DE PREVIDÊNCIA BRASILEIRO O SISTEMA DE PREVIDÊNCIA BRASILEIRO O Sistema Brasileiro de Previdência é formado por três regimes previdenciários: 1) Regime Geral de Previdência Social (RGPS), a cargo do Instituto Nacional de Seguro

Leia mais

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO CONTRIBUIÇÃO CONTRIBUIÇÃO Legislação Artigo 201, 7º, I, da CF Artigo 52 a 56 Lei 8213/91 Artigo 56 a 63 Decreto 3048/99 Artigo 234 a 245, da IN 77/2015 CONTRIBUIÇÃO Conceito É o benefício devido ao segurado

Leia mais

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 253, de 2005

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 253, de 2005 1 Regulamenta os 12 e 13 do art. 201 e o 9º do art. Regulamenta os 12 e 13 do art. 201 da 195 da Constituição Federal, para dispor sobre o Constituição Federal, para dispor sobre o sistema sistema especial

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MP 10/2011

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MP 10/2011 MANUAL DE PROCEDIMENTOS MP 10/2011 FÉRIAS Macro Processo: Processo: Subprocesso Origem: Suporte Gestão de Pessoas Férias Unidade de Gestão de Pessoas Publicação: 10/01/2011 Nº Revisão/Data: 00 10/01/2011

Leia mais

SUMÁRIO. 1.1. Conselhos de Previdência...6. 1.2. Legislação Aplicável ao RPPS...7. 2.1. Alíquotas de Contribuição Beneficiários do IMPSJ...

SUMÁRIO. 1.1. Conselhos de Previdência...6. 1.2. Legislação Aplicável ao RPPS...7. 2.1. Alíquotas de Contribuição Beneficiários do IMPSJ... SUMÁRIO 1. Histórico...6 1.1. Conselhos de Previdência...6 1.2. Legislação Aplicável ao RPPS...7 2. Custeio...7 2.1. Alíquotas de Contribuição Beneficiários do IMPSJ...7 3.1. Dos Segurados...8 3.2. Dos

Leia mais

ORIENTAÇÕES ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUPLEMENTAR. A assistência à Saúde Suplementar é o Subsídio oferecido pela União, conforme Portaria

ORIENTAÇÕES ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUPLEMENTAR. A assistência à Saúde Suplementar é o Subsídio oferecido pela União, conforme Portaria ORIENTAÇÕES ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUPLEMENTAR A assistência à Saúde Suplementar é o Subsídio oferecido pela União, conforme Portaria Normativa/SRH-MP nº 5 de 11/10/2010, para o custeio das despesas com o

Leia mais

PROCURADORIA A GERAL DO ESTA T DO DE SÃO PA P ULO

PROCURADORIA A GERAL DO ESTA T DO DE SÃO PA P ULO PROCURADORIA GERAL DO ESTADO DE SÃO PAULO V Curso de Aperfeiçoamento e Prática Forense dos Estagiários da Procuradoria Judicial da Capital 06/11/2014 PREVIDENCIÁRIO DE PENSÃO POR MORTE CONCEDIDO EM DESCONFOMIDADE

Leia mais

Análise de questão pensão por morte Adriana Menezes

Análise de questão pensão por morte Adriana Menezes Análise de questão pensão por morte Adriana Menezes (Questão elaborada) - Veja a situação hipotética apresentada e analise as questões abaixo. Carlos e Patrícia são casados há 05 anos e trabalham na mesma

Leia mais

CONHEÇAM TODOS OS PROCEDIMENTOS DA LEGISLAÇÃO APLICADOS (uso de calculadora distribuída pelo INAC):

CONHEÇAM TODOS OS PROCEDIMENTOS DA LEGISLAÇÃO APLICADOS (uso de calculadora distribuída pelo INAC): CURSO SOBRE CÁLCULOS DE PROVENTOS/PENSÕES/ABONO DE PERMANÊNCIA/CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS E DEMAIS BENEFÍCIOS ALTERADOS PELA REFORMA PREVIDENCIÁRIA (ATUALIZADOS). CONHEÇAM TODOS OS PROCEDIMENTOS DA

Leia mais

PSPN PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL E CARREIRA

PSPN PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL E CARREIRA PSPN PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL E CARREIRA MARTA VANELLI Secretária Geral da CNTE Conselheira do CEE/SC Professora da Rede Pública Estadual de SC Ex-Presidenta do SINTE/SC Ex-Conselheira do Conselho

Leia mais

Inclusão Manual de dados via Formulário SAGRES Captura Pessoal 2012

Inclusão Manual de dados via Formulário SAGRES Captura Pessoal 2012 Inclusão Manual de dados via Formulário SAGRES Captura Pessoal 2012 Para os jurisdicionados que não geram arquivo layout para serem importados no SAGRES, as informações devem ser incluídas de forma manual

Leia mais

O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar

O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar O Reflexo da Reforma no Regime de Previdência Complementar Nilton Santos, 17 de agosto de 2017 1 O Regime de Previdência Complementar - RPC 2 Sistema de previdência Regime Geral Regimes Próprios Previdência

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 161, DE

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 161, DE SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 161, DE 2009 Altera a Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre a Organização da Seguridade Social, institui o Plano de Custeio e dá outras providências,

Leia mais

LEI Nº. 13.172, DE 21 DE OUTUBRO DE 2015

LEI Nº. 13.172, DE 21 DE OUTUBRO DE 2015 LEI Nº. 13.172, DE 21 DE OUTUBRO DE 2015 (Conversão da MP nº. 681, de Jul/15) Altera as Leis n os 10.820, de 17 de dezembro de 2003, 8.213, de 24 de julho de 1991, e 8.112, de 11 de dezembro de 1990, para

Leia mais

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto

Leia mais

SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO. Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007

SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO. Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007 SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007 Premissas na estruturação do regime complementar Criar um regime previdenciário orientado principalmente

Leia mais

SUBSTITUTIVO ADOTADO PELA COMISSÃO. Art. 1º A Constituição Federal passa a vigorar com as seguintes alterações: Art

SUBSTITUTIVO ADOTADO PELA COMISSÃO. Art. 1º A Constituição Federal passa a vigorar com as seguintes alterações: Art COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A APRECIAR E PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40-A, DE 2003, QUE "MODIFICA OS ARTS. 37, 40, 42, 48, 96, 142 E 149 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, O ART. 8º DA

Leia mais

Reforma da Previdência e o Impacto nos Municípios

Reforma da Previdência e o Impacto nos Municípios Secretaria de Previdência Ministério da Fazenda Subsecretaria dos Regimes Próprios de Previdência Social FORMAÇÃO EM FINANÇAS PÚBLICAS E EDUCAÇÃO FISCAL PARA PREFEITURAS Reforma da Previdência e o Impacto

Leia mais

Brasília Posição: Julho/2007. Brasília

Brasília Posição: Julho/2007. Brasília Brasília Posição: Julho/2007 60 Brasília Posição: Julho/2007 09. M INISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIM ENTO - M APA * Carreira de Fiscal Federal Agropecuário Cargo: Fiscal Federal Agropecuário

Leia mais

Esperamos com isto ampliar a compreensão de toda a comunidade de servidores da UFSCar em relação a este tema.

Esperamos com isto ampliar a compreensão de toda a comunidade de servidores da UFSCar em relação a este tema. Em decorrência do grande número de dúvidas dos servidores sobre a concessão de aposentadorias voluntárias, o Departamento de Aposentadorias, Pensões e Benefícios, da DiAPe/ProGPe, achou por bem relacionar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 P R EV ID ÊN C IA P EC 287

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 P R EV ID ÊN C IA P EC 287 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 R EFO R M A D A P R EV ID ÊN C IA P EC 287 EC 20/98 fim da aposentadoria proporcional, criação do 85/95 para o servidor público EC 41/03 Aposentadoria por

Leia mais

A PEC 287/2016 E O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

A PEC 287/2016 E O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL PALESTRA: A PEC 287/2016 E O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL MINISTRANTE: JANE BERWANGER SÃO PAULO 08/02/2017 1. Aposentadoria do Servidor no texto original da Constituição Federal de 1988 : Servidor

Leia mais

REDENOMINA A CARREIRA GUARDA PENITENCIÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

REDENOMINA A CARREIRA GUARDA PENITENCIÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 14.582, 21 de dezembro de 2009. REDENOMINA A CARREIRA GUARDA PENITENCIÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ. Faço saber que a Assembleia Legislativa decretou e eu sanciono

Leia mais

MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ

MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ LEGISLAÇÃO Lei Complementar nº 749, de 2008. Lei Complementar nº 771, de 2009. Lei Complementar nº 856, de 2010. Lei Complementar

Leia mais

Substitutivo ao Projeto de Lei nº 2.355/2011

Substitutivo ao Projeto de Lei nº 2.355/2011 Substitutivo ao Projeto de Lei nº 2.355/2011 Dispõe sobre aperfeiçoamentos na política remuneratória das carreiras do Grupo de Atividades da Educação Básica e das carreiras do pessoal civil da Polícia

Leia mais

AUXÍLIO- RECLU L SÃO

AUXÍLIO- RECLU L SÃO LEGISLAÇÃO Artigo 201, IV, CF; Artigo 80, Lei 8213/91; Artigos 116 a 119 do Decreto 3048/99; e Artigo 381 a 395, da IN 77. CONCEITO É o benefício previdenciário pago aos dependentes do segurado que for

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR 243/2001. LUIZ DE FAVERI, Prefeito do Município de Artur Nogueira, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, TÍTULO I

LEI COMPLEMENTAR 243/2001. LUIZ DE FAVERI, Prefeito do Município de Artur Nogueira, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, TÍTULO I 1 LEI COMPLEMENTAR 243/2001 DISPÕE SOBRE A LEI ORGÂNICA DA PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ARTUR NOGUEIRA - LOPMAN, INSTITUINDO O ESTATUTO DO FUNDO DE PREVIDÊNCIA E BENEFÍCIOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

Prezado Participante,

Prezado Participante, 1 Prezado Participante, Você que foi admitido na Bayer S.A. até 30 de junho de 2004 e aderiu automaticamente ao plano da Previbayer, terá a oportunidade de relembrar nas próximas páginas aspectos relevantes

Leia mais

FÁTIMA CONCEIÇÃO GOMES GERENTE EXECUTIVA DO INSS EM SANTO ANDRÉ

FÁTIMA CONCEIÇÃO GOMES GERENTE EXECUTIVA DO INSS EM SANTO ANDRÉ FÁTIMA CONCEIÇÃO GOMES GERENTE EXECUTIVA DO INSS EM SANTO ANDRÉ NOSSAS AGÊNCIAS: MAUÁ RIBEIRÃO PIRES SANTO ANDRÉ SÃO CAETANO DO SUL ATENDIMENTO: População de Rio Grande da Serra Nossa Gerência: 3.000 atendimentos

Leia mais

Salário mínimo, indexação e impactos na Seguridade brasileira

Salário mínimo, indexação e impactos na Seguridade brasileira Salário mínimo, indexação e impactos na Seguridade brasileira Paulo Tafner São Paulo Março de 216. Previdência Social Os fatos Previdência Social Brasileira - 214 (% do PIB) Previdência Social Brasileira

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 13/2004

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 13/2004 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 13/2004 Ver também IN 01/05; IN 5/08 Dispõe sobre a remessa de processos de aposentadoria e pensão dos servidores civis da Administração Pública Estadual considerando a Emenda Constitucional

Leia mais

Prof. Cleiton Coutinho

Prof. Cleiton Coutinho Prof. Cleiton Coutinho 01.Aos empregados domésticos, a Constituição assegura os mesmos direitos que aos trabalhadores urbanos e rurais, exceto (A) repouso semanal remunerado. (B) fundo de garantia do tempo

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS RISCOS E VANTAGENS. Paulo Modesto (UFBA)

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS RISCOS E VANTAGENS. Paulo Modesto (UFBA) PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS P EFETIVOS: RISCOS E VANTAGENS Paulo Modesto (UFBA) http://www.direitodoestado.com.br Texto base: MODESTO, Paulo (org). Reforma da Previdência: análise

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO 1. Requerimento do servidor. 2. Mapa do tempo de contribuição.

DOCUMENTAÇÃO 1. Requerimento do servidor. 2. Mapa do tempo de contribuição. DEFINIÇÃO É um incentivo pago ao servidor que já preencheu todos os requisitos para se Aposentar, mas opta por permanecer na ativa. Deferido o abono, o servidor continua recolhendo a contribuição previdenciária,

Leia mais

Página 1 de 8 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 32 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.820.015-18 - PLANO DE BENEFÍCIOS I - FNTTA 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8-

Leia mais

Entenda mais sobre. Plano Copasa (BD)

Entenda mais sobre. Plano Copasa (BD) Entenda mais sobre O Plano Copasa (BD) Apresentação Senhor (a) Participante: Ao publicar este material, a Fundação Libertas tem por objeto facilitar o entendimento e a disseminação dos principais dispositivos

Leia mais