EDUCAÇÃO DE ADULTOS: ARTICULANDO CONHECIMENTO E SOCIEDADE. Loreni M. O. Peirão; Clara Maria Furtado Centro Universitário de Brusque Unifebe

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDUCAÇÃO DE ADULTOS: ARTICULANDO CONHECIMENTO E SOCIEDADE. Loreni M. O. Peirão; Clara Maria Furtado Centro Universitário de Brusque Unifebe"

Transcrição

1 Trabalho 001 EDUCAÇÃO DE ADULTOS: ARTICULANDO CONHECIMENTO E SOCIEDADE Loreni M. O. Peirão; Clara Maria Furtado Palavras-chave: Educação de adultos; Conhecimento; Sociedade Metodologias alternativas para a Educação de Adultos, coordenada pela Associação de Moradores da Rua Nova Trento, tem por objetivo articular conhecimentos e experiências de vida e de cidadania na comunidade para contribuir com a superação da concepção tradicional, de exclusiva escolarização, para uma visão de prática pedagógica pautada na ação sócio-educativa. A investigação será fundamentada na pesquisa qualitativa em que o papel do pesquisador é de ser um intérprete da realidade através dos instrumentos utilizados na investigação. Os instrumentos de coleta de dados, para o diagnóstico da realidade, serão elaborados de acordo com os objetivos da pesquisa, em formato de questionários dirigidos aos educandos da Educação de Adultos.

2 Trabalho 002 ESCOLA E EDUCAÇÃO: MEMÓRIAS E IMAGENS Vanessa Zirke Baumgartner; Bruna Baron; Aleandra Carla Bechtold; Denize Gonçalves de Lima; Fabiane Noemia de Lemos Palavras-chave: Escola; Educação; Memórias; Imagens; Introdução: O tema foi escolhido pela necessidade de mostrar ao público jovem o quanto foi difícil às trajetórias percorridas pela educação, principalmente pelas professoras. Entre as recordações, ficaram guardados também, o burburinho que vinha da sala de aula onde as professoras de escolas isoladas eram reunidas mensalmente, os encontros nas filas dos Bancos do Estado e, ainda, os boletins de freqüência, os diários, os concursos de remoção, as figuras temidas dos inspetores e dos delegados de ensino, o cansaço nos olhos e um sentimento de desvalorização, ao longo de seus anos de magistério. Objetivos: Criar um banco de dados utilizando imagens (fotografias) e memória de pessoas que fazem ou fizeram parte da história da escola, observando a trajetória da escola e as mudanças nas práticas educacionais. Metodologia: A importância desse trabalho dá-se por colocar os alunos envolvidos na pesquisa em contato com o próprio objeto de pesquisa, sejam eles, a Escola e as pessoas que fizeram parte de sua história. É relevante a realização do mesmo por oportunizar aos alunos a possibilidade de pôr em prática vários conteúdos estudados em sala de aula, Ou seja, confrontar a teoria versus prática, vindo inclusive aplicá-la. Resultados e Conclusão: Conclui-se após a analise pratica do trabalho que com certeza precisa-se buscar sempre experiências já vividas, e nessa busca tentar modificá-las para o nosso cotidiano. Pois são nessas trocas de experiência que nos damos conta de como nosso trabalho é importante para a sociedade e par nós mesmas.

3 Trabalho 003 O ESTADO DE SANTA CATARINA Bruna Baron da Silva; Aleandra Bechtold; Débora Justen; Denize Gonçalves de Lima; Fabiane Noemia Lemos; Vanessa Zirke Baumgartne Palavras-chave: Santa Catarina; Empenho; Trabalho Introdução: Trata de um trabalho realizado pelas acadêmicas da sexta fase do curso de Pedagogia. A metodologia utilizada foi uma pesquisa aprofundada nos mais diversos tipos de suportes (livros, sites..). Nosso trabalho tem como tema O ESTADO DE SANTA CATARINA, com o objetivo de resgatar memórias do estado e auxiliar no suporte para sala de aula, pois percebemos o quanto é importante diversificarmos nossas aulas. Objetivo: Resgatar algumas temáticas relacionadas ao Estado de Santa Catarina, sendo elas Os limites, O relevo, O litoral, Os rios, O clima, A vegetação, As atividades econômicos (agricultura, pecuária, pesca, extrativismo, indústria e comércio) Meios de transportes, Meios de comunicação e Turismo. Metodologia: Pretende-se criar novos subsídios com a construção de um cd rom, onde nos professoras possamos usá-lo como ferramenta para auxiliar nossa prática escolar. Resultados e Conclusão: Concluí-se após o estudo sobre Santa Catarina que ela hoje é um estado moderno e preparado para acompanhar o desenvolvimento do Brasil. Ao lado das tradicionais atividades pastoril e pesqueira, desenvolvendo vários tipos de industria, que usam uma tecnologia avançada, colocando as entre as mais modernas do país. Essa é nossa Santa Catarina, terra de empenho e trabalho.

4 Trabalho 004 A QUESTÃO DO MEIO AMBIENTE Bruna Jaqueline Riffel; Ana Cristina Karing Bittencourt; Elaine Cadore Ardigó; Elaine Petermann; Fernanda Atanasio Dos Santos Kretzschmar Palavras-chave: Natureza; homem; conscientização Introdução: O presente trabalho consiste na explanação de diversas questões relacionadas ao meio ambiente, bem como o desenvolvimento de uma atividade pedagógica relacionada a estes assuntos. Dentre as questões abordadas estão: adaptações realizadas pelo homem na natureza; o impacto sobre o meio ambiente; as conseqüências das transformações de produtos naturais para servir ao homem, entre outras. Objetivo: Promover a reflexão e conscientização das pessoas quanto à questão ambiental, tendo para isso um olhar crítico sobre o contexto atual vivido por nossa sociedade.desenvolver a percepção do quanto esse ambiente é fundamental para nós e que sem ele não teríamos subsídios para viver. Metodologia: A pesquisa foi de cunho bibliográfico. Para aperfeiçoar nosso trabalho, utilizamos um vídeo e fotos, inclusive algumas delas tiradas por nós em paisagens locais, e com esses dados criamos uma apresentação em power point. Resultados: Os resultados aparecerão ao longo da vida de cada cidadão. Conclusão: Após a realização deste trabalho, todas nós, com certeza, temos uma visão mais abrangente sobre o nosso meio ambiente. Nosso, porque realmente devemos tratá-lo como se fosse uma propriedade nossa, mas não no sentido de fazer o que quiser com ele, e sim de cuidar bem e com carinho como se fosse um bem muito querido que temos. Afinal de contas o planeta não deixa de ser um pouquinho de cada ser humano que nele vive. Pesquisar sobre o meio ambiente, além de nos despertar para a questão ambiental que tanto vem sendo discutida: a destruição da natureza, nos fez também conhecer ou até mesmo relembrar assuntos que já havíamos estudado em nossa época de escola. Temos uma importante missão em comum: o cuidado com a natureza. Para isso, devemos nos esforçar para evitar sua destruição e preservá-la para as gerações vindouras, pois os efeitos da devastação podem ser altamente negativos para a humanidade.

5 Trabalho 005 DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO Bruna Jaqueline Riffel; Ana Cristina Karing Bittencourt; Elaine Cadore Ardigó; Elaine Petermann; Fernanda Atanasio Dos Santos Kretzschmar Palavras-chave: Camada de ozônio; Câncer de pele; Radiação UV Introdução: Neste trabalho interdisciplinar, desenvolvido para as disciplinas de Fundamentos do Currículo, Metodologia e Conteúdos Básicos de Ciências, Matemática e Língua Portuguesa, será abordada uma questão muito discutida atualmente: DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO. Através deste, conheceremos dados alarmantes da destruição do único protetor natural da Terra contra a radiação ultravioleta, e suas conseqüências em nosso dia-a-dia, sendo que uma das principais conseqüências da intensa radiação é o câncer de pele. Objetivo: Desenvolver atividades / problemas de raciocínio lógico matemático para discentes dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, através da análise de temas ambientais, envolvendo as diferentes áreas do conhecimento. Metodologia: Para o desenvolvimento do trabalho foi efetuada inicialmente uma pesquisa bibliográfica com o material disponível na Biblioteca Universitária da Unifebe e consulta a sites na Internet, revistas e jornais para pesquisa de dados científicos sobre o tema, além da elaboração de três problemas matemáticos para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Resultados: É possível utilizar o assunto Camada de Ozônio para trabalhar problemas matemáticos.a conscientização quanto a questão da destruição da Camada de Ozônio foi despertada, mas ainda irá aumentar durante toda a vida do cidadão.conclusão: Pelo pesquisado, evidenciou-se que o câncer de pele está altamente relacionado com a destruição da camada de ozônio, sendo que no Brasil, a região Sul, portadora de uma população predominantemente européia, é a maior vítima dos raios ultravioletas à pele. As medidas preventivas são: evitar a exposição solar, e em caso de necessidade, utilizar roupas escuras e chapéu, além do protetor solar.

6 Trabalho 006 OS SIGNIFICADOS DE CUIDADO E EDUCAÇÃO DAS FAMÍLIAS EM RELAÇÃO ÀS CRIANÇAS PEQUENAS Claudia Kuinta Dias Hohmann Palavras-chave: Cuidar e educar; Valores educacionais; Educação infantil Esse trabalho é decorrente do projeto Interdisciplinar do curso de Pedagogia, cujo objetivo foi de conhecer os significados atribuídos e construídos pelas famílias em relação ao cuidado/educação das crianças pequenas. O referencial teórico metodológico utilizado foi um estudo de cunho etnográfico e a Rede de Significações (Rosseti- Ferreira, 2004). Participaram da pesquisa cerca de 75 pais e/ou responsáveis de crianças das Instituições públicas de Educação Infantil do município de Brusque. As respostas foram analisadas utilizando-se da estatística descritiva, subdividindo-as em categorias. A relação desses perfis com os significados priorizados pelas famílias no cuidado e educação das crianças foi investigada com base na análise qualitativa das transcrições das entrevistas, buscando compreender melhor os significados atribuídos pelos pais aos elementos das representações expressas. Considera-se que a afetividade e a cognição formam um par inseparável na evolução psíquica da criança, apontando assim a necessidade de convergência entre o papel da escola e da família no desenvolvimento emocional infantil. A participação da família nos cuidados e educação da criança pequena é sintetizada nessa pesquisa em três dimensões: a educação, em que a participação dos responsáveis (pais e professores) é fundamental; os cuidados corporais, entendidos como representação feminina; e a preservação dos valores, considerada dever dos membros da família e da escola.

7 Trabalho 007 A PROBLEMÁTICA DA DISPOSIÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO PLANETA TERRA Natassia Walendowsky; Gisele Karine Cardoso; Debora Cristine Justen; Emanoela Schmidt; Amanda Marques Palavras-chave: Reciclagem; Resíduos Sólidos; Planeta Terra Introdução: Este projeto foi desenvolvido pelas disciplinas de Metodologia e Conteúdos Básicos de Ciências, Metodologia e Conteúdos Básicos de Língua Portuguesa, Metodologia e Conteúdos Básicos de Matemática e Fundamentos do Currículo, através do curso de pedagogia, 5ª fase séries iniciais. O estudo investigou aspectos problemáticos ambientais relacionadas aos resíduos sólidos produzidos no planeta Terra e os locais a serem destinados após serem descartados. Objetivos: Objetivo geral: desenvolver um trabalho acadêmico que fortaleça a relação teoriaprática entre as disciplinas do curso. Objetivos específicos: analisar aspectos problemáticos ambientais relacionadas aos resíduos; relacionar os conteúdos de todas as disciplinas com o assunto; desenvolver atividades problemas referentes ao assunto. Metodologia: Para o desenvolvimento do trabalho foi efetuado inicialmente uma pesquisa bibliográfica com o material disponível em arquivos pessoais da professora Denize Démarche Minatti Ferreira, sendo materiais retirados de periódicos científicos livros, documentários e sites da web. Conclusão: A produção de resíduos vem crescendo três vezes mais do que a população. Todos os anos são produzidos pela população mundial cerca de 30 bilhões de toneladas de resíduos sólidos, pelo fato de estarmos muito ligado ao consumismo e ao desperdício, fato que prejudica a natureza. No Brasil cada indivíduo produz em média um quilo de lixo por dia somando a população total do país são produzidos por dia 125 mil toneladas de lixo. Do que é produzido no Brasil diariamente apenas 24% são destinados a reciclagem, estatística muito baixa pela quantidade produzida, com isso 74% estão sendo depositados em lixões que prejudicam os solos, aos mananciais e pessoas que vivem ao seu redor. Devemos com isso tomar práticas decisivas para os destinos destes resíduos, pois cada dia estão perdendo nossas vidas, pelo fato de não cuidarmos do nosso meio ambiente com o desperdício de materiais.

8 Trabalho 008 A VIDA NO CAMPO E NA CIDADE Natassia Walendowsky; Debora Cristine Justen; Emanoela Schmidt; Gisele Karine Cardoso; Salete Lyra Colombi; Rafaela Schappo Palavras-chave: Campo; Cidade; Características Introdução: A vida no campo e na cidade são muito distintas. É importante conhecer um ambiente diferente e compará-lo com o que o aluno conhece, entendendo e valorizando a relação de troca entre esses dois meios. Objetivos: Diferenciar as características e reconhecer a importância do campo e da cidade. Entender e valorizar a relação de troca entre esses dois meios. Metodologia: Confecção de maquetes que representam as zona rural e a zona urbana, usando todas as informações adquiridas. Pesquisas de fotos e conteúdos sobre o assunto. Resultados: Alcançou amplo conhecimento sobre conteúdos apresentados, através das maquetes e fotografias, materiais que acabam fixando a atenção e facilitando a aprendizagem. Serão beneficiados com esse projeto alunos e professores que necessitam da aprendizagem deste conteúdo.

9 Trabalho 009 CUIDAR-SE: HÁBITOS SAUDÁVEIS E SENSIBILIZAÇÃO NA PROMOÇÃO DA SAÚDE DA PESSOA ADULTA E IDOSA Eliane Aparecida Maier Rotta; Miriam Cestari Niebuhr Palavras-chave: Hábito; Sensibilização; Pessoa adulta Propor atividades de sensibilização, a partir de um diagnóstico, para identificar as necessidades de reconhecimento das potencialidades e limites do grupo de Educação de Adultos ligados à Associação de Moradores da Rua Nova Trento. Trata-se de uma revisão de conceitos e auto-conceitos do ser adulto e do envelhecer num país de jovens. A metodologia utilizada será baseada na pesquisa-ação procurando diagnosticar a realidade e intervir, por meio de planos de ação, com os sujeitos envolvidos na comunidade para compreender os fenômenos a partir do próprio campo de pesquisa, com suas necessidades e expectativas.

10 Trabalho 010 ESCOLAS E EDUCAÇÃO: IMAGENS E MEMÓRIAS Emanoela Schmidt; Salete Lyra Colombi; Amanda Marques; Natassia Walendowsky; Débora Justen; Rafaela Schappo; Gisele Karine Cardoso Palavras-chave: História; Escola; Memória Introdução: As memórias da escola são constituídas através do resgate da história dos funcionários, alunos e pais que formavam os integrantes da escola em determinadas épocas, resgatando diversas culturas, maneiras de desenvolver aprendizagem e ensino dos conteúdos, formas didáticas e convívios entre professor e alunos. Objetivo: Criar um banco de dados utilizando imagens (fotografias) e a memória de pessoas que fazem parte da história da escola, observando trajetórias da escola e as mudanças nas práticas educacionais. Metodologia: Levantamento fotográfico do espaço escolar atual e seus redores, localização de imagens antigas do espaço escolar, eventos realizados na escola e pela escola. Realização de entrevistas orais com pessoas que fizeram ou fazem parte da história da escola, como funcionários ou alunos antigos, observando mudanças nas políticas de ensino e nas formas de ensinar a disciplina de história. Resultados: A execução deste projeto, proporcionou a escola um levantamento concreto da história dos mesmos, contadas através das lembranças dos funcionários e alunos de épocas diferentes, junto com as fotografias trazidas pelos alunos atuais que puderam pesquisar com pessoas que estudaram na escola em períodos diferentes. Serão beneficiados com esse projeto alunos, funcionários e a Escola Municipal Paulo Schmidt onde foram realizados os trabalhos e poderão armazenar e conhecer as memórias e informações recolhidas pelas acadêmicas.

11 Trabalho 011 AQUECIMENTO GLOBAL Emanuela Klann; Renata Dalla Brida; Danusa Vilena dos Santos; Angelita Armelini, Palavras-chave: Aumento da temperatura; Aquecimento global; Mudanças; Prejuízos. Todos os dias acompanha-se na TV, nos jornais e revistas as catástrofes e as mudanças climáticas que estão ocorrendo no clima mundial. Não se tem relatos de mudanças tão rápidas e com efeitos devastadores como as ocorridas nos últimos anos. Observando as causas entende-se o que vêm acontecendo, e podem-se prever as conseqüências e fazer algo para mudar esta realidade. O aquecimento global é um fenômeno climático de larga extensão, é um aumento da temperatura média superficial global. Entretanto, o significado deste aumento de temperatura ainda é objeto de muitos debates entre os cientistas. Causas naturais ou antropogênicas (provocadas pelo homem) têm sido propostas para explicar o fenômeno.

12 Trabalho 012 BIBLIOTECA INFANTIL NA UNIFEBE: UM ESPAÇO PARA A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS E PRÁTICAS DE LEITURA Eliani Aparecida Busnardo Buemo; Carla Zenita do Nascimento Palavras-chave: Biblioteca Infantil; Contação de Histórias; Práticas de Leitura Introdução: A literatura infantil é um fenômeno de criatividade que representa o mundo, a vida, enriquece a imaginação da criança, possibilitando o uso do raciocínio e o cultivo da liberdade. Oferece condições para a associação entre a fantasia e a realidade. A biblioteca possibilita acesso à literatura e às informações para dar respostas e suscitar perguntas. Tornando-se assim, um espaço democrático com duas funções: a função educativa e a formação cultural do indivíduo. Objetivo: Desenvolver o gosto pela leitura, de forma a transformá-la numa prática constante através da literatura infantil; bem como interagir de forma crítica e reflexiva com a realidade social em que vive. Metodologia: Pretende-se criar na biblioteca da Unifebe um espaço exclusivo para a contação de histórias e o desenvolvimento de práticas de leitura. O espaço a ser destinado para execução deste projeto conta com 40 m2 e possui climatização. As crianças poderão vir através de suas escolas para a Unifebe de 2ª a 6ª feira, no período matutino e vespertino, através de agendamento. Resultados Esperados: A execução deste projeto, aumentará as chances de um número significativo de crianças de terem contato com a literatura infantil e conseqüentemente com todos os benefícios que a mesma proporciona. Além disto, a excussão deste projeto dará oportunidade aos acadêmicos do curso de Pedagogia, do Centro Universitário de Brusque (Unifebe) participarem de um projeto de iniciação científica. Estimulará a formação de contadores de história através das atividades propostas ao longo da execução do projeto. Serão beneficiadas com esse projeto as crianças de Brusque e região que estejam matriculadas nas redes públicas municipais e estadual, na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

13 Trabalho 013 PLANOS DE ENSINO DOS CURSOS DE LICENCIATURAS DA UNIFEBE:ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS DE ENSINO X INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Tatiana Truppel; Eliani Aparecida Busnardo Buemo Palavras-chave: Plano de Ensino; Estratégias de Ensino; Instrumentos de Avaliação Introdução: O planejamento na academia consiste num ato necessário e obrigatório, pois não podemos improvisar, nem tão pouco nos eximir das exigências legais e didáticas para o exercício da docência.a Instrução Normativa nº 01/05, da Unifebe no seu Art. 1º diz: O Plano de Ensino constitui-se no documento que contempla a organização da ação docente frente ao planejamento no Projeto Pedagógico do curso e legitima o compromisso docente com o processo de aprendizagem dos acadêmicos. Objetivos: Identificar as Estratégias de Ensino e os Instrumentos de Avaliação mais utilizados pelos docentes das licenciaturas da Unifebe.Analisar através dos Planos de Ensino dos docentes das Licenciaturas da Unifebe as relações existentes entre as Estratégias de Ensino e os Instrumentos de Avaliação. Material e Método: Os procedimentos metodológicos que nortearão a pesquisa partirão do princípio do método da Investigação Qualitativa em Educação.Dentre os principais recursos técnicos utilizados com o objetivo de reunir dados pertinentes ao problema a ser investigado, se fará uso da pesquisa documental.através do acesso aos Planos de Ensino das disciplinas que formam os currículos das licenciaturas da Unifebe, a saber: Educação Física, Letras e Pedagogia, será feito o levantamento e registro dos dados necessários à solução do problema apontado. Resultados Esperados: Espera-se através desta pesquisa identificar as estratégias de ensino e os instrumentos de avaliação mais utilizados pelos docentes das Licenciaturas da Unifebe, bem como reconhecer as relações existes entre os mesmos, a fim socializar com os colegiados o resultado e também com a Proeng e Assessoria de Desenvolvimento da Unifebe. Dando início assim, a um possível banco de dados que poderá ser utilizado nas futuras Formações Continuadas de Docentes.

Neste contexto, destacamos as ações desenvolvidas durante o ano letivo em seus respectivos meses. MARÇO:

Neste contexto, destacamos as ações desenvolvidas durante o ano letivo em seus respectivos meses. MARÇO: Relatório O brincando se Aprende Um Projeto Socioeducativo foi criado e aplicado como uma nova metodologia, para despertar o interesse dos alunos do Ensino Médio pelas atividades matemáticas e de linguagens,

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 Autora: Maria Thaís de Oliveira Batista Graduanda do Curso de Pedagogia Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG Email: taholiveira.thais@gmail.com

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos finalizados. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido). Cidade: Londrina.

Leia mais

EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA: MEIO AMBIENTE E LIXO URBANO

EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA: MEIO AMBIENTE E LIXO URBANO EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA: MEIO AMBIENTE E LIXO URBANO Angela Maria de Lima da SILVA 1 Universidade Federal de Campina Grande- Cajazeiras angelacidinha@hotmail.com

Leia mais

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Para que a Educação Infantil no município de Piraquara cumpra as orientações desta Proposta Curricular a avaliação do aprendizado e do desenvolvimento da criança, como

Leia mais

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE Rafaela Souza SANTOS, Valquiria Rodrigues do NASCIMENTO, Dayane Graciele dos SANTOS, Tamíris Divina Clemente URATA, Simara Maria Tavares

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE PEDAGOGIA, Licenciatura REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

ALFABETIZAR PARA PRESERVAR O MEIO AMBIENTE, E RESGATAR O SABER POPULAR

ALFABETIZAR PARA PRESERVAR O MEIO AMBIENTE, E RESGATAR O SABER POPULAR ALFABETIZAR PARA PRESERVAR O MEIO AMBIENTE, E RESGATAR O SABER POPULAR Ana Carmem Miranda Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE RESUMO A alfabetização de jovens e adultos utilizando a

Leia mais

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA Rachel de Souza Melo 1 - rachelmelo2@hotmail.com; Romário Roberto Xavier de Araújo 2 - romarioaraujo124@gmai.com; Catarina de Medeiros

Leia mais

O LÚDICO COMO UM RECURSO PARA APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

O LÚDICO COMO UM RECURSO PARA APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL O LÚDICO COMO UM RECURSO PARA APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Joseliane Fernandes Miguel Santos¹; Carlos Eduardo Maia da Silva²; Verônica de Fatima Gomes de Moura¹ Universidade Federal da Paraíba, joseliane.santos@gmail.com¹;

Leia mais

Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos

Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos Renata de Souza Ribeiro (UERJ/FFP) Thiago Jeremias Baptista (UERJ/FFP) Eixo: Fazendo escola com múltiplas linguagens Resumo Este texto relata

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade MANUAL DE ESTÁGIO Curso de PEDAGOGIA S U M Á R I O 1. Apresentação... 03 2. Proposta de Estágio... 03 3. Aspectos legais... 04 4. Objetivo Geral... 04 5. Campo de Estágio... 05 6. Modalidades de Estágio...

Leia mais

MEIO AMBIENTE E O JARDIM GEOMÉTRICO

MEIO AMBIENTE E O JARDIM GEOMÉTRICO MEIO AMBIENTE E O JARDIM GEOMÉTRICO Carla Bem PEREIRA 1 Carla Medeiros Roussenq LEAL 2 Daniele Lopes NETO 3 Josiane Piovezan PACHECO 4 Lara Nascimento de CAMPOS 5 RESUMO: O artigo apresenta a implantação

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

Graduandas do curso de pedagogia, pela Universidade do Estado da Bahia-Campus XII, Trabalho que será apresentado em forma de Pôster.

Graduandas do curso de pedagogia, pela Universidade do Estado da Bahia-Campus XII, Trabalho que será apresentado em forma de Pôster. ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO A IDENTIDADE DOCENTE DO LICENCINADO EM PEDAGOGIA Sunária Rodrigues da Silva (sunariasilvagbi@hotmail.com) Maurina Souza Alves (maraalvespma@hotmail.com) Este trabalho

Leia mais

A ANÁLISE DA PAISAGEM ATRAVÉS DE FOTOGRAFIAS TIRADAS PELOS PRÓPRIOS ALUNOS: OS POSSÍVEIS USOS PARA O CELULAR NAS AULAS DE GEOGRAFIA

A ANÁLISE DA PAISAGEM ATRAVÉS DE FOTOGRAFIAS TIRADAS PELOS PRÓPRIOS ALUNOS: OS POSSÍVEIS USOS PARA O CELULAR NAS AULAS DE GEOGRAFIA A ANÁLISE DA PAISAGEM ATRAVÉS DE FOTOGRAFIAS TIRADAS PELOS PRÓPRIOS ALUNOS: OS POSSÍVEIS USOS PARA O CELULAR NAS AULAS DE GEOGRAFIA Ires de Oliveira Furtado Universidade Federal de Pelotas iresfurtado@gmail.com

Leia mais

PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL ISSN 2316-7785 PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Ivanete Zuchi Siple ivazuchi@gmail.com Marnei Mandler mmandler@gmail.com Tatiana Comiotto Menestrina comiotto.tatiana@gmail.com

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR.

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. Jonas da Silva Santos Universidade do Estado da Bahia UNEB DEDC XV jonasnhsilva@hotmail.com jonas.ss@inec.org.br

Leia mais

Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio

Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio João Victor Maceno Lacerda 1 GD6 Educação Matemática, Tecnologias Informáticas e Educação à Distância Resumo: Neste

Leia mais

SALAS INTERATIVAS E AÇÕES COMUNITÁRIAS: EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM TERRÁ INDÍGENA

SALAS INTERATIVAS E AÇÕES COMUNITÁRIAS: EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM TERRÁ INDÍGENA SALAS INTERATIVAS E AÇÕES COMUNITÁRIAS: EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM TERRÁ INDÍGENA Leilane Oliveira Chaves Graduanda em Geografia Universidade Federal do Ceará - UFC, Brasil E-mail: leilane_chaves@hotmail.com

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR ENSINO MÉDIO. Edenia Maria Ribeiro do Amaral UFRPE/PPGEC Assessoria da Área de Ciências da Natureza - BNCC

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR ENSINO MÉDIO. Edenia Maria Ribeiro do Amaral UFRPE/PPGEC Assessoria da Área de Ciências da Natureza - BNCC BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR ENSINO MÉDIO Edenia Maria Ribeiro do Amaral UFRPE/PPGEC Assessoria da Área de Ciências da Natureza - BNCC A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR É parte de um Sistema Nacional

Leia mais

PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO

PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO Alunos Apresentadores:Aline Inhoato; Rafhaela Bueno de Lourenço; João Vitor Barcelos Professor Orientador: Mario Ubaldo Ortiz Barcelos -Email: muobubaldo@gmail.com

Leia mais

COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA

COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA Fabiane Caron Novaes 1 Roberta Aparecida Diadio 2 Resumo: Considerando as recomendações contidas no referencial teórico dos Parâmetros Curriculares Nacionais

Leia mais

PROJETOS DE TRABALHO:UTOPIAS QUE PODEM SER IMPLEMENTADAS NA ESCOLA

PROJETOS DE TRABALHO:UTOPIAS QUE PODEM SER IMPLEMENTADAS NA ESCOLA PROJETOS DE TRABALHO:UTOPIAS QUE PODEM SER IMPLEMENTADAS NA ESCOLA Claudia Lisete Oliveira Groenwald 1 claudiag@ulbra.br ULBRA/Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil. Introdução Segundo Pires (2000), a organização

Leia mais

Proposta Pedagógica. Buscando atender às necessidades da comunidade local, o Colégio La Salle Brasília oferece educação infantil, fundamental e médio.

Proposta Pedagógica. Buscando atender às necessidades da comunidade local, o Colégio La Salle Brasília oferece educação infantil, fundamental e médio. Proposta Pedagógica Visão: Ser um centro de excelência em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio que busca alcançar a utopia que tem de pessoa e sociedade, segundo os critérios do evangelho, vivenciando

Leia mais

Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP

Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP Prof.ª Dra. Vera Mariza Regino Casério e-mail: veracaserio@bauru.sp.gov.br Prof.ª Esp. Fernanda Carneiro Bechara Fantin e-mail: fernandafantin@bauru.sp.gov.br

Leia mais

IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE DE MATEMÁTICOS

IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE DE MATEMÁTICOS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE DE MATEMÁTICOS Jéssica Paloma Alves dos Santos¹ Maria de Fátima Dutra² Anaeli Chaerli Ferreira Alves 3 O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID)

Leia mais

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: uma política de apoio à gestão educacional Clélia Mara Santos Coordenadora-Geral

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010/2006

RESOLUÇÃO Nº 010/2006 Confere com o original RESOLUÇÃO Nº 010/2006 CRIA o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Educação Ambiental, em nível de Especialização. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

CONSTRUINDO CIDADANIA AMBIENTAL NA ESCOLA

CONSTRUINDO CIDADANIA AMBIENTAL NA ESCOLA CONSTRUINDO CIDADANIA AMBIENTAL NA ESCOLA Área Temática: Educação Cibele Schwanke (Coordenadora da Ação de Extensão) Cibele Schwanke¹, Jéssica Alberche de Menezes, Débora de Lurdes Millos Rodrigues, Helena

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA Disciplina: ESTÁGIO I Carga Horária: 90h Teórica: Prática: 80h Semestre: 2013.2 Professora: Claudia Mara Soares

Leia mais

CONSIDERAÇÕES REFERENTES AO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP) DE UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE SANTA MARIA 1

CONSIDERAÇÕES REFERENTES AO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP) DE UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE SANTA MARIA 1 CONSIDERAÇÕES REFERENTES AO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP) Resumo DE UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE SANTA MARIA 1 Eunice Piccin 2 Fabiano Bolzan Scherer² Fernanda Dalosto Moraes² Marcos Vinicius Conceição

Leia mais

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 Claudiane da S. EUSTACHIO Dayana Pires Alves GARCIA Fátima RODRIGUES Jean de J. SANTANA 2 Juliana CESANA 3 Ana Lucia de Carvalho MARQUES

Leia mais

Jovens cuidando do Brasil

Jovens cuidando do Brasil ação constitui uma parte da política dos três R reduzir, reutilizar e reciclar, depreende-se a necessidade de um trabalho com lixo que se inicie com uma revisão crítica dos hábitos e padrões de consumo.

Leia mais

A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior

A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior UNIrevista - Vol. 1, n 2: (abril 2006) ISSN 1809-4651 A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior Marilú Mourão Pereira Resumo Fisioterapeuta especialista em neurofuncional

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O Colégio Ceom, fundamenta seu trabalho educacional na área da Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Fundamental II e Ensino Médio, a partir das teorias de Jean Piaget e Emília

Leia mais

PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO

PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO Janelene Freire Diniz, Adeilton Padre de Paz, Hellen Regina Guimarães da Silva, Verônica Evangelista de Lima RESUMO Departamento de Química, Universidade

Leia mais

METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Flávia Nascimento de Oliveira flavinhamatematica@hotmail.com Rivânia Fernandes da Costa Dantas rivafern@hotmail.com

Leia mais

Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor

Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor Ariane Baffa Lourenço 1, Maria Lúcia V. dos S. Abib 2 e Salete Linhares Queiroz 3 1 Programa de Pós-Graduação Interunidades

Leia mais

CULTURA OU FERRAMENTA: O DILEMA DA APROPRIAÇÃO QUE OS PROFESSORES FAZEM NO USO DA TECNOLOGIA

CULTURA OU FERRAMENTA: O DILEMA DA APROPRIAÇÃO QUE OS PROFESSORES FAZEM NO USO DA TECNOLOGIA CULTURA OU FERRAMENTA: O DILEMA DA APROPRIAÇÃO QUE OS PROFESSORES FAZEM NO USO DA TECNOLOGIA Aluna: Tatiana de Alemar Rios Orientador: Magda Pischetola Introdução A partir do estudo realizado pelo Grupo

Leia mais

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Direitos e Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção

Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção Silvia Christina Madrid Finck E-mail: scmfinck@ uol.com.br Resumo: Este artigo refere-se ao projeto de pesquisa

Leia mais

Trabalhos Premiados em 2001 ACRE Trabalho: Conhecendo nossa Floresta Resenha da Experiência ALAGOAS Trabalho: Projeto Dentes Resenha da Experiência

Trabalhos Premiados em 2001 ACRE Trabalho: Conhecendo nossa Floresta Resenha da Experiência ALAGOAS Trabalho: Projeto Dentes Resenha da Experiência Trabalhos Premiados em 2001 ACRE Trabalho: Conhecendo nossa Floresta - Faixa etária das crianças: 6 anos - Grau de escolaridade de professor: Nível Médio Magistério - Contexto sócio-cultural em que foi

Leia mais

ÁGUA: REFRESQUE SUAS IDEIAS

ÁGUA: REFRESQUE SUAS IDEIAS Revista Eletrônica de Educação de Alagoas - REDUC ISSN 2317-1170 Vol. 02, Nº 01, Maio - 2014 ÁGUA: REFRESQUE SUAS IDEIAS Luiz Carlos Neto MADEIRO 1 Agda Isabele Gonsalves HONORATO² Resumo Uma das maiores

Leia mais

Cibercultura na Educação de Jovens e Adultos

Cibercultura na Educação de Jovens e Adultos Cibercultura na Educação de Jovens e Adultos JULIANNE FISCHER SILVANA KUNEL PEREIRA Em 1999, no estado de Santa Catarina, os Centros de Educação de Adultos (CEA s) passaram a se denominar Centro de Educação

Leia mais

REUNIÃO COM AS FAMÍLIAS Ensino Fundamental Ano inicial (1º Ano) Recife, 2012

REUNIÃO COM AS FAMÍLIAS Ensino Fundamental Ano inicial (1º Ano) Recife, 2012 REUNIÃO COM AS FAMÍLIAS Ensino Fundamental Ano inicial (1º Ano) Recife, 2012 PAUTA Oração Pastoral Acolhida Direção Apresentação Serviços Educacionais Orientações 2012 NAP Mensagem final EQUIPE GESTORA

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Estágio Supervisionado: Educação Infantil 4 e 5 anos Educação de Jovens e Adultos (EJA) Ensino Fundamental Educação Especial (Ensino

Leia mais

O ESTÁGIO NO CURSO DE PEDAGOGIA: UMA EXPERIÊNCIA DE PESQUISA E PRÁTICA COM ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR

O ESTÁGIO NO CURSO DE PEDAGOGIA: UMA EXPERIÊNCIA DE PESQUISA E PRÁTICA COM ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR O ESTÁGIO NO CURSO DE PEDAGOGIA: UMA EXPERIÊNCIA DE PESQUISA E PRÁTICA COM ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR Resumo SANTOS, Gisele Mugnol - FACINTER 1 gisele@facinter.br ROSENAU, Luciana dos Santos - FACINTER

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI PREFEITURA MUNICIPAL DE LONTRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI DESPERTANDO AÇÕES SUSTENTÁVEIS LONTRAS 2013 1.TEMA A preservação

Leia mais

FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN

FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN Brenda Luíza Patriota Lima e Silva¹ André Elias Nóbrega² João Batista dos Santos³

Leia mais

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017)

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 5 3. OBJETIVOS DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. O Presidente

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Fica instituída a Política Municipal de Educação Ambiental, seus objetivos, princípios

Leia mais

Quem Somos Associação sem fins lucrativos, fundada em 1989 no município de São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo;

Quem Somos Associação sem fins lucrativos, fundada em 1989 no município de São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo; CENTRO CULTURAL SÃO SEBASTIÃO TEM ALMA DESDE 1989 VALORIZANDO A CULTURA CAIÇARA E O MEIO AMBIENTE Quem Somos Associação sem fins lucrativos, fundada em 1989 no município de São Sebastião, Litoral Norte

Leia mais

As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática

As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática Rosangela Ferreira Prestes Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões DECET 1 / GEMEP

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL, MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE. PRA QUÊ? COMO E COM O QUE?

EDUCAÇÃO AMBIENTAL, MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE. PRA QUÊ? COMO E COM O QUE? EDUCAÇÃO AMBIENTAL, MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE. PRA QUÊ? COMO E COM O QUE? Realização: Secretaria Municipal de Educação Execução: Instituto o Barriga Verde Palestrantes/Oficineiros: Antonio Fernando

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DO PARFOR/UFRB

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DO PARFOR/UFRB PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO COMPUTADOR EM ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DESENVOLVIDAS NO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DA ACEG FAHU: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

UTILIZAÇÃO DO COMPUTADOR EM ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DESENVOLVIDAS NO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DA ACEG FAHU: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

Palavras-chave: consciência ambiental, educação ambiental, reflexão, formação de educadores ambientais

Palavras-chave: consciência ambiental, educação ambiental, reflexão, formação de educadores ambientais Informações Gerais: Título do Projeto: Sala Verde um novo cenário de conhecimentos e interação social para discutir a Educação Ambiental. Linha de Pesquisa a que se vincula: Práticas Educativas e Sociais

Leia mais

OFICINA BRINCADEIRAS TRADICIONAIS COM SUCATAS: A EXPERIÊNCIA DO PROJETO DE EXTENSÃO LUDOTECA EM MOVIMENTO

OFICINA BRINCADEIRAS TRADICIONAIS COM SUCATAS: A EXPERIÊNCIA DO PROJETO DE EXTENSÃO LUDOTECA EM MOVIMENTO OFICINA BRINCADEIRAS TRADICIONAIS COM SUCATAS: A EXPERIÊNCIA DO PROJETO DE EXTENSÃO LUDOTECA EM MOVIMENTO Área Temática: sociedade e educação. Anilde Tombolato Tavares da Silva (Coordenadora da Ação) Autores

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE O Colégio Estadual Djenal Tavares de Queiroz, foi fundado

Leia mais

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI Graciane Rodrigues Rocha (*), Juliana Rodrigues Rocha, Caroline

Leia mais

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS SOB O OLHAR DE FORMANDAS EM PEDAGOGIA

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS SOB O OLHAR DE FORMANDAS EM PEDAGOGIA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS SOB O OLHAR DE FORMANDAS EM PEDAGOGIA Aleciane Carmagos Nunes Ana Cláudia dos Santos Lima Nayara de Oliveira Souza Adriana A. Martins Faculdade Católica de Uberlândia Quando

Leia mais

Diagnóstico do Ensino de Ciências e Biologia na Educação de jovens e adultos (EJA), no município de Canto do Buriti

Diagnóstico do Ensino de Ciências e Biologia na Educação de jovens e adultos (EJA), no município de Canto do Buriti Resumo Expandido O ENSINO DE CIÊNCIAS E DE BIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA VISÃO DOS PROFESSORES E FUTUROS PROFESSORES DO MUNICÍPIO DE CANTO DO BURITI, PIAUÍ/BRASIL Maura Sergina Pereira de

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL Ana Maria G. D. MENDONÇA 1, Darling L. PEREIRA 2,,José J. MENDONÇA 3, Aluska M. C. RAMOS 4 Maria S. B. DUARTE

Leia mais

ISSN: 1981-3031 O USO DO PORTFÓLIO: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO CURSO NORMAL.

ISSN: 1981-3031 O USO DO PORTFÓLIO: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO CURSO NORMAL. O USO DO PORTFÓLIO: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO CURSO NORMAL. Autores: Leila Carla dos Santos Quaresma¹ leilac.pedagogia@gmail.com Profª Dr. Maria Aparecida Pereira Viana² vianamota@gmail.com

Leia mais

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO Resumo: O presente artigo pretende refletir sobre os problemas ambientais em nossa sociedade, em especial, sobre o

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

RESPEITAR O MEIO AMBIENTE É COISA DE GENTE INTELIGENTE DUARTE, Inaraline (FINAN/G) SILVA,Alves Sueli (FINAN/G) NUNES, JÉSSICA (FINAN/G)

RESPEITAR O MEIO AMBIENTE É COISA DE GENTE INTELIGENTE DUARTE, Inaraline (FINAN/G) SILVA,Alves Sueli (FINAN/G) NUNES, JÉSSICA (FINAN/G) RESPEITAR O MEIO AMBIENTE É COISA DE GENTE INTELIGENTE DUARTE, Inaraline (FINAN/G) SILVA,Alves Sueli (FINAN/G) NUNES, JÉSSICA (FINAN/G) Resumo: Este artigo aborda a proposta de trabalhar o meio ambiente

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa EDUCAÇÃO INFANTIL JUSTIFICATIVA O momento social, econômico, político e histórico em que vivemos está exigindo um novo perfil de profissional, de cidadão: informado, bem qualificado, crítico, ágil, criativo,

Leia mais

Plano de Trabalho com Projetos

Plano de Trabalho com Projetos PREFEITURA DE JARAGUÁ DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL Plano de Trabalho com Projetos 1. Identificação: Escola Municipal de Ensino Fundamental Renato Pradi Professora:

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO ENSINO SUPERIOR: um estudo em uma instituição privada de ensino superior no interior de São Paulo.

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO ENSINO SUPERIOR: um estudo em uma instituição privada de ensino superior no interior de São Paulo. 467 RESPONSABILIDADE SOCIAL NO ENSINO SUPERIOR: um estudo em uma instituição privada de ensino superior no interior de São Paulo. Gláucia Coutinho Bucioli Oliveira Orientador: Paulo de Tarso Oliveira I.

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: O PIBID COMO ESPAÇO DE TRABALHO COLETIVO. Palavras-chave: Licenciatura, Educação Física, Escola, Trabalho Coletivo.

A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: O PIBID COMO ESPAÇO DE TRABALHO COLETIVO. Palavras-chave: Licenciatura, Educação Física, Escola, Trabalho Coletivo. A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: O PIBID COMO ESPAÇO DE TRABALHO COLETIVO Bruna de Paula,CRUVINEL(FEF); Jehnny Kellen Vargas Batista, QUEIROZ (FEF); Lorrayne Bruna de CARVALHO (FEF); Karine Danielly L. M.

Leia mais

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES Marcia Regiane Miranda Secretaria Municipal de Educação de Mogi das Cruzes marcia.sme@pmmc.com.br

Leia mais

A Tríade: Ensino, Pesquisa e Extensão na construção de Escolas Inclusivas.

A Tríade: Ensino, Pesquisa e Extensão na construção de Escolas Inclusivas. 1364 X Salão de Iniciação Científica PUCRS A Tríade: Ensino, Pesquisa e Extensão na construção de Escolas Inclusivas. FONTOURA, Maria Eugênia 1, PEREIRA, Débora Couto 1, LEBEDEFF, Tatiana 1, BASTOS, Amélia

Leia mais

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um 1 TURISMO E OS IMPACTOS AMBIENTAIS DERIVADOS DA I FESTA DA BANAUVA DE SÃO VICENTE FÉRRER COMO TEMA TRANSVERSAL PARA AS AULAS DE CIÊNCIAS NO PROJETO TRAVESSIA DA ESCOLA CREUSA DE FREITAS CAVALCANTI LURDINALVA

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA Art. 1.º Entende-se, para efeitos dessa resolução, o estágio como ato educativo escolar supervisionado a ser desenvolvido em locais

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA

OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA 1 OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA Maria Adelane Monteiro da Silva Antonia Eliana de Araújo Aragão Keila Maria de Azevedo Ponte Lourdes Claudênia

Leia mais

OS SIGNIFICADOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA ATRIBUÍDOS PELOS EGRESSOS DO CURSO PEDAGOGIA DA TERRA EM SUAS PRÁTICAS DOCENTES

OS SIGNIFICADOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA ATRIBUÍDOS PELOS EGRESSOS DO CURSO PEDAGOGIA DA TERRA EM SUAS PRÁTICAS DOCENTES OS SIGNIFICADOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA ATRIBUÍDOS PELOS EGRESSOS DO CURSO PEDAGOGIA DA TERRA EM SUAS PRÁTICAS DOCENTES Luciana Borges Junqueira Mestranda Educação - UFSJ Écio Portes - Orientador RESUMO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Educação para Sustentabilidade. Projeto Cultura Ambiental nas Escolas. Oficina

Educação para Sustentabilidade. Projeto Cultura Ambiental nas Escolas. Oficina Educação para Sustentabilidade Projeto Cultura Ambiental nas Escolas Oficina Auditório da Secretaria de Educação do Município de Santana do Ipanema Educador Ambiental: Marcos Wilson Cidade: Santana do

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica 15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME Política Nacional de Educação Infantil Mata de São João/BA Junho/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores urbanos e rurais

Leia mais

PEDAGOGIA SOCIAL: NARRATIVAS DE UMA DIRETORA DE UMA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL

PEDAGOGIA SOCIAL: NARRATIVAS DE UMA DIRETORA DE UMA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL PEDAGOGIA SOCIAL: NARRATIVAS DE UMA DIRETORA DE UMA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL Andressa Arruda de Lima Edriano Pereira da Silva Karla Christiane de Góis Lira Vanessa Luana da Silva RESUMO O presente

Leia mais

Novos textos no ensino da Geografia

Novos textos no ensino da Geografia Novos textos no ensino da Geografia Renata de Souza Ribeiro (UERJ/ FFP) Thiago Jeremias Baptista (UERJ/ FFP) Resumo Este texto relata a experiência desenvolvida no curso Pré-vestibular Comunitário Cidadania

Leia mais