NÍVEL DE SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL NO CMEI - CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL - RECANTO INFANTIL EM PALMAS-TO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NÍVEL DE SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL NO CMEI - CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL - RECANTO INFANTIL EM PALMAS-TO"

Transcrição

1 NÍVEL DE SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL NO CMEI - CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL - RECANTO INFANTIL EM PALMAS-TO ARAÚJO, Wanessa Maria Santos DIAS, Geiza Trindade TALEVI, Vanessa Ferreira SANTOS, Rafael Menezes RESUMO O presente estudo visou abordar como tema principal o nível de sensibilização ambiental infantil, ou seja, verificar se as crianças sabem ou não o que é meio ambiente, e o que se fazer para preservá-lo. Tem-se o interesse de mostrar o que o CMEI Centro Municipal de Educação Infantil está fazendo em favor do meio ambiente, estando ou não preocupados em passar aos alunos o que é preciso fazer para cuidar dele. Vem tratar na pesquisa a relação que a criança tem com o meio ambiente através do ensino feito pela instituição CMEI. A Pesquisa foi realizada no CMEI Recanto Infantil, através de questionários aplicado aos alunos de 4 a 6 anos e fotos para registrar o momento. O resultado foi bastante satisfatório, pois têm vários projetos realizados, os quais são bem educativos e com certeza o aprendizado das crianças em torno do ambiente será levado com elas em todo seu crescimento. Pois as pessoas interessam por aquilo que lhe importa e preocupa, e o meio ambiente com toda certeza é um desses fatores de grande importância. Palavras-Chave: Educação Ambiental, Meio Ambiente e Sensibilização.

2 2 1. INTRODUÇÃO O Ambiente tem sido foco de muitos objetos de estudo, onde se visa a necessidade da geração atual, sem comprometer a geração futura. Pensando assim, é preciso a partir de agora cuidar daquilo que se tem hoje. Um exemplo disso são as matas e também o meio urbano como um todo, esquecendo aquela visão de que o meio ambiente é só o mato, o rio, os animais. Busca-se uma visão ampla do ambiente, preservando assim o que ainda existe. O atendimento às crianças de 0 a 6 anos em instituições especializadas tem origem com as mudanças sociais e econômicas, causadas pelas revoluções industriais no mundo todo. Neste momento as mulheres deixaram seus lares por um período, onde eram cumpridoras de seus afazeres de criação dos filhos e os deveres domésticos, cuidando do marido e família, para entrarem no mercado de trabalho. Atrelado a este fato, sob pressão dos trabalhadores urbanos, que viam nas creches um direito, seus e de seus filhos, por melhores condições de vida, deu-se início ao atendimento da educação infantil (termo atual referente ao atendimento de crianças de 0 a 6 anos) no Brasil. E o objetivo central do estudo aqui realizado é pesquisar as creches que vem com o intuito de desenvolver os aspectos físicos, psicológicos, intelectuais e sociais da criança. Esse processo de aprendizagem se inicia em casa com a participação principalmente da família. O que conseqüentemente inclui um estudo acerca do meio ambiente, analisando como foco a sensibilização das crianças em volta dos resíduos sólidos. Com base nessa afirmação, será que é possível sensibilizar crianças com idade de 4 a 6 anos? Através dessa problemática busca-se identificar o método aplicado da Educação Ambiental, pois como está previsto no PCN, cap. I, seção II, artigo 30: A Educação Infantil será oferecida em creches, ou entidades equivalentes, para crianças de até três anos de idade. E também visa à percepção das crianças com relação ao meio ambiente, para que assim possam-se estudar os métodos aplicados em sala para com os alunos da creche indicada.

3 3 2. REFERÊNCIAL TEÓRICO 2.1 Evolução dos Conceitos de Educação Ambiental De acordo com Stapp Tal apud Dias (1991), a Educação Ambiental era definida como um processo contínuo para adquirir conhecimento do ambiente na sua totalidade para habilitar o cidadão a resolver os problemas enfrentados atualmente. Hoje através da contribuição da UNESCO apud Pedrini (1997), a Educação Ambiental é vista como um meio de um indivíduo construir valores sociais para conseqüentemente possuir um conhecimento e continuando assim habilitado para gerar atitudes e de usar com responsabilidade o que é do povo de fato, essencial à sadia qualidade de vida, contribuindo para um lugar agradável a toda geração futura. Segundo a Política Nacional da Educação apud Kindel (2004), a Educação Ambiental é um processo pelo qual o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e capacidade voltada para a conservação do meio ambiente. Diante das definições propostas, pode prender-se a dois importantes processos para que a Educação Ambiental possa alcançar o seu objetivo. Inicialmente seria a necessidade de se formar cidadãos com visão crítica e que veja o meio ambiente em sua totalidade. Para que assim encontre a habilidade de solucionar diversos problemas derivados do desrespeito ambiental. O segundo processo seria buscar a atitude do indivíduo, da comunidade no âmbito de Desenvolvimento Sustentável, despertando a melhoria na qualidade de vida presente e futura, sem que haja a palavra preservação extinta. Que a Educação Ambiental seja freqüentemente aplicada no método formal e informal. 2.2 Histórico da Educação Ambiental Para Pedrini (1997), a Educação Ambiental se inicia de fato com o uso inadequado dos recursos naturais, ou seja, a partir do momento que o homem procura por matéria-prima. Onde todos só querem a riqueza, gerando a escassez de recursos que

4 4 eram para ser inesgotáveis devido a grande abundância. E é a partir de então que o homem passou a buscar soluções para resolver tais problemas, ocasionando assim a Educação Ambiental Na pesquisa feita através de Cascino (2007), diz-se que foi feito um estudo onde houve um diálogo entre os países desenvolvidos a respeito da capacidade ambiental de suportar ou não o crescimento populacional, gerando a degradação geográfica. Em Estolcomo foi criado um documento chamado Declaração de Estolcomo, que gerou uma discussão entres os países industrializados e os países em processo de desenvolvimento. Eles procuraram solucionar as questões entre o crescimento econômico e a diminuição da poluição dos bens globais. O plano de Ação da Conferência de Estolcomo seria a capacitação dos professores e a procura de métodos e recursos instrumentais para a execução da Educação Ambiental. (PEDRINI, 1997). 2.3 Legislação sobre a Educação Infantil Com base em Kindel (2004 p.97), no Brasil a Educação Ambiental está garantida na Constituição Federal que no artigo 225 afirma: Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e a coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Parágrafo VI Promover a Educação Ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente. Para Sousa (1999) o PCN Parâmetros Curriculares Nacionais, a Lei de Diretrizes e Bases (Lei nº de 20 de Dezembro de 1996) compreende o capítulo I da composição dos níveis escolares, onde o artigo 21 descreve sobre como se compõe a Educação Escolar: I Educação Básica, formada pela educação infantil, ensino fundamental e ensino médio; II Educação Superior. Sobre Educação Infantil segundo a Constituição Federal, ela afirma: Art. 29. Educação Infantil, é a primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idades, em seus aspectos físicos, psicológicos, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

5 5 Art. 30. A Educação Infantil será oferecida em: I Creches, ou entidades equivalentes para criança de até três anos e idade; II Pré-Escolar para crianças de quatro a seis anos de idade. Art. 31. Na Educação Infantil, a avaliação farse-á mediante acompanhamento a registro do seus desenvolvimento, sem objetivo de promoção, mesmo para acesso ao ensino fundamental. Pressupõe que a Educação é de direito de todos, para que cada indivíduo tenha sua própria visão. Nota-se que a Educação Infantil inicia com o desenvolvimento nos aspectos físicos, psicológicos, intelectual e social. Assim, tendo o objetivo de construir em cada criança a inter-relação entre o meio físico, biótico e antrópico. Diante disto a escola incentiva o conhecimento do ambiente e como deve ser preservado. 2.4 Princípios da Educação Ambiental Com base em Dias (1991), a definição dos princípios básicos da educação ambiental está dividida em dez tópicos, dentre os quais se destacam dois principais, sendo eles: - Ajudar a descobrir os sintomas e as causas reais dos problemas ambientais; - Utilizar diversos ambientes educativos e uma ampla gama de métodos para comunicar e adquirir conhecimentos sobre o meio ambiente, acentuando devidamente as atividades práticas e as experiências pessoais. Nesse contexto dos princípios estão reunidas as informações básicas conceituais sobre a educação ambiental, que sugere atividades para a sua prática, fornecendo subsídios para a ampliação dos conhecimentos e expõe os diversos mecanismos legais de ação individual e comunitária que permitem o exercício responsável à consciência da cidadania Estratégias para a Educação Ambiental Segundo Ambientebrasil.com (2009), um programa de educação ambiental para ser efetivo deve promover simultaneamente, o desenvolvimento de conhecimento, de atitudes e de habilidades necessárias à preservação e melhoria da qualidade ambiental. Utiliza-se como laboratório, o metabolismo urbano e seus recursos naturais e físicos, iniciando pela escola, expandindo-se pela circunvizinhança e sucessivamente até a

6 6 cidade, a região, o país, o continente e o planeta. A aprendizagem será mais efetiva se a atividade estiver adaptada às situações da vida real da cidade, ou do meio em que vivem aluno e professor. O Site apresenta 10 estratégias para o desenvolvimento sustentável na Educação Ambiental na escola, a saber: Estratégia Descrição Discussão em classe Grande grupo Discussão em grupo Pequenos grupos com supervisor-professor Mutirão de idéias Atividades que envolvam pequenos grupos, 5-10 estudantes para apresentar soluções possíveis para um dado problema, todas as sugestões são anotadas. Tempo limite de 10 a 15 min. Trabalho em grupo Envolve a participação de grupos de 4-8 membros que se tornam responsáveis pela execução de uma tarefa Debate Requer a participação de dois grupos para apresentar idéias e argumentos de pontos de vista opostos Questionário Desenvolvimento de um conjunto de questões ordenadas a ser submetido a um determinado público Reflexão O oposto do mutirão de idéias. É fixado um tempo aos estudantes para que sentem em algum lugar e pensem acerca de um problema específico Imitação Estimula os estudantes a produzir sua própria versão dos jornais, dos programas de rádio e TV Projetos Exploração do ambiente local Os alunos, supervisionados, planejam, executam, avaliam e redirecionam um projeto sobre um tema específico Prevê a utilização/exploração dos recursos locais

7 7 próximos para estudos, observações, caminhadas etc. Titulo: 10 estratégias para o desenvolvimento sustentável Fonte: Ambientebrasil.com (2009) Diante destas estratégias disponíveis em ambientebrasil.com, percebe-se que há uma grande preocupação de indivíduos, em pensar e propor idéias que vêm de encontro a necessidade de proteger o Meio Ambiente da ação devastadora do homem contra a mãe natureza. Estratégias assim permitem que a camada estudantil perceba dentro da educação escolar a real situação ambiental do seu meio de convivência como também numa amplitude além do seu espaço próximo. E de posse desse conhecimento leve-o além do espaço escolar, ou seja, para a comunidade, fazendo com que mais pessoas abracem esta causa que é de fundamental importância para a preservação ambiental. Enfim, quando professores, estudantes, autoridades competentes e comunidade em geral estiverem unidas pela mesma causa ambiental, o Meio Ambiente estará ganhando um aliado importantíssimo para sua sobrevivência Conferência da ONU no Rio-92 Segundo o avepema.org (2009), foi realizada a Conferência que defende a idéia que a educação é um direito de todos, com base em pensamento crítico e inovador, sendo individual e coletivo, buscando formas de estimular a solidariedade, igualdade e o respeito aos direitos humanos, se tratando de questões globais relacionadas ao desenvolvimento e ao meio ambiente, ajudando a desenvolver uma consciência ética sobre todas as formas de vida com as quais compartilhamos este planeta, respeitar seus ciclos vitais e impor limites à exploração dessas formas de vida pelos seres humanos. Para este tópico, a Rio-92 foi a mais importante, pois houve o encontro sobre o meio ambiente, após 20 anos da Conferência de Estolcomo. Representantes de 170 países estiveram reunidos no Rio de Janeiro, no qual foi elaborado o Tratado de Educação Ambiental para as sociedades sustentáveis. 2.5 O que é Desenvolvimento Sustentável Qualidade Ambiental ISO 14000

8 8 Valle (2002 p. 29) define: Desenvolvimento Sustentável significa atender às necessidades da geração atual sem comprometer o direito de as futuras gerações atenderem as suas próprias necessidades. Nessa definição estão embutidos dois conceitos com os quais precisaremos doravante conviver. O 1º é o conceito das necessidades, que podem variar de sociedade para sociedade, mas que devem ser satisfeitas para assegurar as condições essenciais de vida a todos, indistintamente. O 2º conceito é o de limitação, que reconhece a necessidade de a tecnologia desenvolver soluções que conservem os recursos limitados atualmente disponíveis e que permitam renová-los à medida que sejam necessários às futuras gerações. O desenvolvimento sustentável deve, portanto, assegurar as necessidades econômicas, sociais e ambientais, sem comprometer o futuro de nenhuma delas. O autor supracitado define o desenvolvimento sustentável como um meio de estar atendendo a geração atual sem comprometer as futuras gerações, onde juntamente com essa definição vem incluso dois conceitos. O primeiro da necessidade e o segundo da limitação, que ambos com suas características próprias visa a sociedade satisfeita com as condições oferecidas para se ter uma boa qualidade de vida e também reconhece que é preciso que haja a tecnologia no meio, pois ela é capaz de desenvolver soluções para um bom desenvolvimento e é claro sem comprometer o objetivo principal que é a proteção as presentes e futuras gerações. Por fim este tipo de desenvolvimento deve atender sempre as necessidades econômica, sociais e ambientais sem comprometer ao futuro de nenhuma delas Princípios e Práticas da Educação Segundo Dias (1991), a chave do desenvolvimento não é aquele sistema com foco na produção, mas sim nas pessoas como seres humanos. Portanto, deve estar voltado à cultura, história e sistemas sociais do local onde ocorre o desenvolvimento sustentável. Além de ser voltado também aos recursos e ao meio ambiente, sendo assim, tornando- justo e agradável ao meio como um todo. De acordo com wwf.brasil.com (2009), a definição mais aceita é aquela com um desenvolvimento capaz de estar suprindo as necessidades das presentes e futuras gerações sem interferir nas futuras gerações. É onde o desenvolvimento não aniquila os recursos naturais para um futuro próximo da humanidade. Em suma, todas as definições encontradas para um desenvolvimento sustentável equilibrado, é que se busque sempre atender as gerações atuais sem deixar de pensar

9 9 naquelas que ainda virão. Contribuindo assim para um meio ambiente ecologicamente preservado. Estratégia de Desenvolvimento Sustentável na Educação Ambiental Com o pensamento de Sachs (2008 p.53), vê-se que ele visa: De modo geral o objetivo deveria ser o estabelecimento de um aproveitamento racional e ecologicamente sustentável da natureza em benefício das populações locais, levando-as a incorporar a preocupação com a conservação da biodiversidade aos seus próprios interesses, como um componente de estratégia de desenvolvimento. Em fundamentos a esta definição pode-se entender que é provável o homem ter uma relação direta com o meio ambiente desde que possa interagir de forma sustentável visando sempre tomar decisões certas e buscando minoria aos danos para obter um resultado equilibrado. 3. METODOLOGIA Segundo José Artur Teixeira Gonçalves, publicado em seu site de Metodologia da Pesquisa (2008), a pesquisa constitui-se em um conjunto de procedimentos que visam produzir um novo conhecimento e não reproduzir, simplesmente, o que já se sabe sobre um dado objeto em um determinado campo científico. 3.1 Método O método a ser utilizado será descritivo tanto na forma quantitativa quanto qualitativa. De acordo com o site Wikipedia (2009), o método descritivo tem por premissa buscar resolução de problema melhorando as práticas por meio da observação, análise e descrições objetivas (Thomas, Nelson, Silverman-2007). A forma descritiva quantitativa é feita através de questionários e formulário e a qualitativa é realizada através de observação e entrevista. 3.2 Objeto de Estudo O local onde será aplicada a pesquisa será feita no Centro Municipal de Educação Recanto Infantil, no qual a diretora nos disponibilizou toda a creche para a nossa pesquisa que se localiza no Aureny III e permitindo assim que os resultados

10 10 presentes fossem divulgados. A CMEI Recanto Infantil foi fundada em dezembro de 1992, iniciando suas atividades com alunos apenas em fevereiro de 1993, na gestão do governador Moisés Avelino. De 1993 a 2000 atendia a 600 alunos distribuídos em três turmas com duas professoras em cada, com público na faixa etária de 1 ano e seis meses a seis anos. A partir de 2000 a creche passou a receber alunos de quatro meses em diante. No ano de 2007, a creche passou a ser denominado Centro Municipal de Educação Infantil Recanto Infantil e a atender 193 alunos distribuídos da seguinte forma: no Berçário (de quatro meses a um anos e três meses) 18 alunos, Maternal I (de um ano e quatro meses a dois anos e cinco meses) 30 alunos, Maternal II (de dois anos e seis meses a quatro anos)35 alunos, Pré-escola I (de 4 a 5 anos) 55 alunos e na Préescola II (5 a 6 anos) 55 alunos. Serão assim abordadas as crianças, analisando o nível de sensibilização ambiental que elas têm em relação ao meio ambiente. O Público alvo será as crianças de quatro a seis anos de idade. A pesquisa será feita através do formulário aplicado a 30 crianças. 3.3 Instrumento de Pesquisa Como o nível pesquisado são crianças na faixa etária de 4 a 6 anos, fará assim perguntas voltadas para um público infantil, com simplicidade e exatidão. O Formulário será de sete perguntas, cujo objetivo da principal pergunta (A natureza está presente na cidade?), é recolher informações a cerca das crianças e saber qual o nível de conhecimento que elas possuem em relação ao meio ambiente.

11 11 4. ANÁLISE DOS RESULTADOS Figura 1. A natureza está presente na cidade. Fonte: (Da Pesquisa 2009) Com base nos dados levantados, a natureza está mais que presente na cidade. De acordo com as crianças da creche, só 7% não se encontra, mas o maior percentual é positivo. O que leva a pensar que a creche ensina às crianças sobre o ambiente. Figura 2. O que se faz com o papel das balinhas. Fonte: (Da Pesquisa 2009) Observa-se que os pequenos entrevistados têm noção do que se fazer com o lixo. Deixando claro que o correto é colocá-lo em local apropriado. E uma pequena parte não tem essa sensibilização de se fazer o certo.

12 12 Figura 3. Já plantou árvores. Fonte: (Da Pesquisa 2009) O CMEI desenvolve projetos em favor do meio ambiente, como o projeto quatro estações. O que se conclui com esses trabalhos é que as crianças estão em constante contato com a natureza, posteriormente os dados revelam que essa e outras práticas levaram 83% dos entrevistados a plantar uma árvore. Figura 4. Quem ensinou as crianças a plantarem árvores. Fonte: (Da Pesquisa 2009) A Figura revela que o fator principal para as crianças plantar uma árvore parte de casa, pois quem lhe ensinou foram seus próprios pais. Isso deixa claro que a família está preocupada com o aprendizado da criança em relação ao meio ambiente, ensinando desde pequeno para que assim ela aprenda a cuidar certo do meio em que se vive.

13 13 Figura 5. Palavra nunca ouvida. Fonte: (Da Pesquisa 2009) O Estudo mostra que a palavra menos ouvida é Desenvolvimento Sustentável. Isso ocorre por serem ainda pequenos demais para entender, para tanto elas sabem o que é o meio ambiente, o que está ligado ao Desenvolvimento Sustentável, mas tem a sua definição certa que é cuidar da atual geração sem comprometer as gerações futuras. Figura 6. Qual a reação da professora quanto ao aluno jogar lixo no chão. Fonte: (Da Pesquisa 2009). Os professores têm cursos internos de aprendizagem para transmitirem aos alunos, contribuindo assim significativamente para que as crianças sejam bem educadas em sala de aula e também para que isso seja transmitido em casa para os pais como um aprendizado correto. E revela que os professores não ficam mudos aos que assim sujarem as salas, não ficando assim sem falar nada.

14 14 Figura 7. Desenhos mais feitos em sala de aula. Fonte: (Da Pesquisa 2009). Essa pesquisa revela que os alunos estão sabendo o que é meio ambiente devido a estar sempre com projetos bem desenvolvidos e também aos professores deixarem as crianças abertas para colocar no papel o que quiserem. Portanto elas definem o meio ambiente como a árvore, as plantinhas, o sol a lua. O CMEI está ensinando as crianças sobre o cuidado com a natureza, ela se importa com a situação.

15 15 TRABALHOS NO CMEI - RECANTO INFANTIL Aqui se encontram alguns dos projetos que o CMEI faz e está fazendo em favor tanto do meio ambiente como das crianças. Os Projetos existentes na creche dentre eles são: Projeto Animal, Projeto Quatro Estações e Proteger o Meio Ambiente. Trabalhos estes realizados no semestre passado e que continuam atualmente. Fonte: CMEI Recanto Infantil Projeto Proteger o Meio Ambiente que ensina aos alunos a importância de plantar uma árvore.

16 16 Fonte: CMEI - Recanto Infantil Horta feita com garrafas pets que seriam jogadas fora.

17 17 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS O artigo a luz dos conceitos de educação ambiental estudou as crianças do CMEI de Palmas para verificar o nível de sensibilização ambiental. O resultado dessa pesquisa trouxe uma percepção no modo de ver as crianças, se elas sabem ou não que é preciso conservar e proteger o meio ambiente. O estudo abordou um tema de extrema relevância, pois como todos sabem, é preciso minimizar os impactos ambientais não só local, mas também mundial, levando em conta o ambiente como um todo. E para que isso ocorra de maneira correta, é preciso que cada um em particular se torne responsável por cuidar do pouco que nos dispõe. Então, pensando nisso, foi feita a pesquisa para identificar o nível que as crianças possuem em relação a cuidar do meio ambiente, no que se trata de pequenas ações, como por exemplo, não jogar lixo no chão, plantar e cuidar de uma árvore dentre outros. Ações desse tipo nos mostram que não só o CMEI, mas também os pais dos alunos estão realmente interessados que seus filhos aprendam o correto, a agir de maneira certa. Acredita-se que de pequeno é que forma grandes cidadãos, interessados pelas questões globais. Pensando assim, têm-se a consideração que é de grande valia, o interesse e a preocupação com as crianças desde já, pois elas são o nosso futuro de amanhã, pensamento este de Desenvolvimento Sustentável. O estudo revelou que as crianças estão cientes da necessidade de manter o ambiente limpo e bem cuidado para que posteriormente outras pessoas o utilizem também com essa mesma preocupação de preservar.

18 18 6. REFERÊNCIAS Ambientebrasil.com, Educação Ambiental/ do=./educacao/educacao.html, 2009 CASCINO, Fábio, Educação ambiental: princípios histórias formação de professores/ São Paulo, Editora Senac São Paulo, 2007 DIAS. Genebaldo Freire; Educação Ambiental: princípios e práticas/ São Paulo, Editora Gaia, 1991 KINDEL, Eunice Aita Isaia; Silva, Fabiano Weber; Sammarco, Yanina Micaela/ Educação Ambiental: vários olhares e várias práticas/ Porto Alegre, Editora Mediação, 2004 Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio/ Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica Brasília, 1999 PEDRINI, Alexandre de Gusmão (org.), Educação Ambiental: Reflexões e práticas contemporâneas/ Petrópolis RJ, Editora Vozes, 2008 SACHS, Ignacy/ Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável/ RJ, Editora Garamond, 2008 SOUSA, Paulo Renato, PCN Ensino Médio, 1999

PROPOSTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A RPPN RESERVA PARTICULAR DE PATRIMÔNIO NATURAL MONTE SANTO

PROPOSTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A RPPN RESERVA PARTICULAR DE PATRIMÔNIO NATURAL MONTE SANTO PROPOSTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A RPPN RESERVA PARTICULAR DE PATRIMÔNIO NATURAL MONTE SANTO ARAÚJO, Wanessa Maria Santos CRISTINA, Izabel DIAS, Geiza Trindade SANTOS, Alciene Pereira dos RESUMO O atual

Leia mais

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI Graciane Rodrigues Rocha (*), Juliana Rodrigues Rocha, Caroline

Leia mais

Palavra Chave: Educação Ambiental / Sustentabilidade / Consciência.

Palavra Chave: Educação Ambiental / Sustentabilidade / Consciência. EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS: UMA ESTRATÉGIA DE MUDANÇA EFETIVA. Welersom Lopes Graduando 1º período de Gestão Ambiental Wellyda Bispo - Graduando 1º período de Gestão Ambiental Janaina Carvalho - Graduando

Leia mais

LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL

LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL Rafael Antônio Nunes COURA³;Milena Alves da Silva SOUZA³; Isabela Fatima Silveira MARTINS³; Cássia Maria Silva NORONHA¹ e Eriks Tobias VARGAS².

Leia mais

PRO INFANTIL PROGRAMA DE FORMAÇÃO INICIAL PARA PROFESSORES EM EXERCÍCIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PRO INFANTIL PROGRAMA DE FORMAÇÃO INICIAL PARA PROFESSORES EM EXERCÍCIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PRO INFANTIL PROGRAMA DE FORMAÇÃO INICIAL PARA PROFESSORES EM EXERCÍCIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO PARA CONSERVAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL CASOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL NA BAHIA

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL Ana Maria G. D. MENDONÇA 1, Darling L. PEREIRA 2,,José J. MENDONÇA 3, Aluska M. C. RAMOS 4 Maria S. B. DUARTE

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA

MODELAGEM MATEMÁTICA 600 MODELAGEM MATEMÁTICA *Carla da Silva Santos **Marlene Menegazzi RESUMO Este artigo retrata através de seus dados históricos, métodos e exemplo prático uma metodologia alternativa de ensino nos levando

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 Autora: Maria Thaís de Oliveira Batista Graduanda do Curso de Pedagogia Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG Email: taholiveira.thais@gmail.com

Leia mais

Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas.

Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. Justificativa Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. A Escola de Ensino Fundamental Mondrian, fundada em 2011, começou suas atividades em

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA REGIÃO DA ÁREA DE PROTEÇÃO DA BALEIA FRANCA (Eubalaena australis) VISANDO A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE COMO UM TODO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA REGIÃO DA ÁREA DE PROTEÇÃO DA BALEIA FRANCA (Eubalaena australis) VISANDO A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE COMO UM TODO. EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA REGIÃO DA ÁREA DE PROTEÇÃO DA BALEIA FRANCA (Eubalaena australis) VISANDO A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE COMO UM TODO. Godinho, G.M.S.¹; Pontalti, M.¹ 1-Instituto Baleia Franca (IBF)

Leia mais

Conhecimento e Compreensão do Tema Produção Mais Limpa em Cursos de Especialização: Um Estudo de Caso

Conhecimento e Compreensão do Tema Produção Mais Limpa em Cursos de Especialização: Um Estudo de Caso Conhecimento e Compreensão do Tema Produção Mais Limpa em Cursos de Especialização: Um Estudo de Caso FRANKENBERG, C. L. C. a*, CANTELLI, M. a, DE OLIVEIRA, P. G. b a. Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Palavras chaves: Criança, Educação Infantil, Corpo e Movimento.

Palavras chaves: Criança, Educação Infantil, Corpo e Movimento. CORPO E MOVIMENTO: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DOS PROFESSORES NA EDUCAÇÃO INFANTIL Tamiris Andrade dos Santos (UEL) tamiris_152@hotmail.com Gilmara Lupion Moreno gilmaralupion@uel.br RESUMO: Sabe-se da importância

Leia mais

PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR

PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR FABIA GRAVINA VIEIRA ROCHA Colégio e Faculdade Modelo do Paraná- Curitiba/PR fabiagravina@hotmail.com RESUMO Sensível à necessidade de reflexão sobre as relações dos seres

Leia mais

A Percepção Ambiental do Ensino Fundamental do Município de Resende

A Percepção Ambiental do Ensino Fundamental do Município de Resende A Percepção Ambiental do Ensino Fundamental do Município de Resende Lucia Maria Aparecido Vieira lucivie3@hotmail.com UBM Denilson Motta denilson.motta@yahoo.com.br Nicoli de Paula Costa de Andrade nicoliandrade@inb.gov.br

Leia mais

Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO

Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO 148 Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO Wellington Lima Pereira; Cleide Amorim Leite RESUMO

Leia mais

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 CARTA DE OTTAWA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 A Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA Angelica Raquel Negrele de Faria (UNICENTRO), Izamara de Oliveira Ferreira (UNICENTRO), Prof. Silvio Roberto Stefano (Orientador),

Leia mais

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR ANNA PAULA SILVA (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS), ELIANE FERREIRA PINTO (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS). Resumo A reciclagem tem como principal foco a conscientização

Leia mais

PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN

PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN 1. A Lei de Diretrizes e Bases, Lei nº. 9394/96, em seu artigo 3º enfatiza os princípios norteadores do ensino no Brasil. Analise-os:

Leia mais

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL JOSÉ MATEUS DO NASCIMENTO zenmateus@gmail.com POLIANI SANTOS DA SILVA poliany_mme@hotmail.com MARIA AUXILIADORA DOS SANTOS MARINHO Campus IV(CCAE)

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR.

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. Jonas da Silva Santos Universidade do Estado da Bahia UNEB DEDC XV jonasnhsilva@hotmail.com jonas.ss@inec.org.br

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL:

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: AÇÃO TRANSFORMADORA IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública Belo Horizonte Março de 2013 Quem sou eu? A que grupos pertenço? Marcia Faria Westphal Faculdade

Leia mais

ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS

ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS XAVIER, Patrícia Alves Santana LIMA, Suzany Saraiva GOMES, Alan Rios RESUMO O presente estudo teve como objetivo analisar

Leia mais

ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE

ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE Elaine Barbosa da Silva Xavier Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco - Mestranda Neuma Kelly Vitorino

Leia mais

RESPEITAR O MEIO AMBIENTE É COISA DE GENTE INTELIGENTE DUARTE, Inaraline (FINAN/G) SILVA,Alves Sueli (FINAN/G) NUNES, JÉSSICA (FINAN/G)

RESPEITAR O MEIO AMBIENTE É COISA DE GENTE INTELIGENTE DUARTE, Inaraline (FINAN/G) SILVA,Alves Sueli (FINAN/G) NUNES, JÉSSICA (FINAN/G) RESPEITAR O MEIO AMBIENTE É COISA DE GENTE INTELIGENTE DUARTE, Inaraline (FINAN/G) SILVA,Alves Sueli (FINAN/G) NUNES, JÉSSICA (FINAN/G) Resumo: Este artigo aborda a proposta de trabalhar o meio ambiente

Leia mais

O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM

O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM Helena Harumi Maruyama G Pedagogia INESUL LONDRINA PR Orientadora Ms. Maria Eliza Corrêa Pacheco D Pedagogia INESUL LONDRINA PR PAINEL e-mail:

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

ENSINO-APRENDIZAGEM PARA A CIDADANIA: EXPERIÊNCIA DO PROJETO AGROECOLÓGICO EM ESCOLAS PÚBLICAS EM POMBAL/PB

ENSINO-APRENDIZAGEM PARA A CIDADANIA: EXPERIÊNCIA DO PROJETO AGROECOLÓGICO EM ESCOLAS PÚBLICAS EM POMBAL/PB ENSINO-APRENDIZAGEM PARA A CIDADANIA: EXPERIÊNCIA DO PROJETO AGROECOLÓGICO EM ESCOLAS PÚBLICAS EM POMBAL/PB Introdução Marcos Antonio Lopes do Nascimento Universidade Federal da Paraíba marcosal99@yahoo.com.br

Leia mais

SIBSA - 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE ABRASCO/GT Saúde&Ambiente, Belo Horizonte, outubro 2014

SIBSA - 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE ABRASCO/GT Saúde&Ambiente, Belo Horizonte, outubro 2014 1 SIBSA - 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE ABRASCO/GT Saúde&Ambiente, Belo Horizonte, outubro 2014 Estratégias de educação e sensibilização para minimização de danos no pós enchente em áreas

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

Projeto Barro Preto em Ação

Projeto Barro Preto em Ação Projeto Barro Preto em Ação Mirian de Sousa SILVA 1 ; André Luis RIBEIRO 2 ; 1ªTurma de Meio Ambiente 3 1 Professora orientadora do Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) Bambuí/Extensão Oliveira-MG. 2

Leia mais

A educação ambiental e sua contribuição na formação da cidadania

A educação ambiental e sua contribuição na formação da cidadania A educação ambiental e sua contribuição na formação da cidadania INTRODUÇÃO Fernanda Valéria Pinto da Silva 1 1 Bióloga Licenciada pelo Curso de Ciências Biológicas do Centro Universitário Metodista Izabela

Leia mais

LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA - e adota outras providências.

LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA - e adota outras providências. LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005 Procedência: Governamental Natureza: PL. 332/05 DO. 17.762 de 17/11/05 Fonte: ALESC/Div. Documentação Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA APROPRIAÇÃO DE PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM CAMPINA GRANDE-PB.

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA APROPRIAÇÃO DE PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM CAMPINA GRANDE-PB. A EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA APROPRIAÇÃO DE PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM CAMPINA GRANDE-PB. Maria Célia Cavalcante de Paula e SILVA Licenciada em Ciências Biológicas pela

Leia mais

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI Kássia Hellem Tavares da Silva (*), Lorrane de Castro Miranda, Israel

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO AGENTE TRANSFORMADORA DA SOCIEDADE E DO AMBIENTE: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DE FLORIANO PIAUÍ

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO AGENTE TRANSFORMADORA DA SOCIEDADE E DO AMBIENTE: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DE FLORIANO PIAUÍ A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO AGENTE TRANSFORMADORA DA SOCIEDADE E DO AMBIENTE: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DE FLORIANO PIAUÍ Rita de Cássia de Santana Teixeira (*), Kelly Nayara Cunha dos Santos, Nayara

Leia mais

ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Daniele Barros Vargas Furtado Universidade Federal de Santa Maria dbvfurtado@yahoo.com.br Resumo Sendo a matemática tão presente em

Leia mais

REGULAMENTO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO/PSICOPEDAGÓGICO NAP/NAPP. Do Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico

REGULAMENTO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO/PSICOPEDAGÓGICO NAP/NAPP. Do Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico REGULAMENTO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO/PSICOPEDAGÓGICO NAP/NAPP Capítulo I Do Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico Art. 1º O Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico- NAP/NAPP do Centro de Ensino

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI PREFEITURA MUNICIPAL DE LONTRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI DESPERTANDO AÇÕES SUSTENTÁVEIS LONTRAS 2013 1.TEMA A preservação

Leia mais

Sensibilização Ambiental a partir do Plantio de Mudas Nativas, no Município de Guaçuí, Espírito Santo. M. V. Costa Filho 1* &. A.

Sensibilização Ambiental a partir do Plantio de Mudas Nativas, no Município de Guaçuí, Espírito Santo. M. V. Costa Filho 1* &. A. III SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA. 2014 465 Sensibilização Ambiental a partir do Plantio de Mudas Nativas, no Município de Guaçuí, Espírito Santo. M. V. Costa Filho 1* &. A. Amaral

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PRORAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PEA PLANO DE AÇÃO Montanha ES 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 02 2. JUSTIFICATIVA... 03 3. OBJETIVO GERAL...

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

PALAVRAS-CHAVES: Educação Ambiental Reserva Escolas

PALAVRAS-CHAVES: Educação Ambiental Reserva Escolas A CONTRIBUIÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA CONSERVAÇÃO DA RESERVA R-3 ENVOLVENDO TRÊS ESCOLAS PÚBLICAS EM SINOP-MT Sinovia Cecília Rauber Curso de Especialização em Educação e Meio Ambiente FASIPE SINOP/MT

Leia mais

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema.

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema. Aquecimento Global e Danos no Manguezal Pernambucano SANDRA MARIA DE LIMA ALVES 1 - sandrali@bol.com.br RESUMO Este artigo procura enriquecer a discussão sobre o fenômeno do aumento da temperatura na terra

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar EDSON MANOEL DA SILVA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar EDSON MANOEL DA SILVA 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar Introdução EDSON MANOEL DA SILVA O projeto de Educação Ambiental realizado na Escola Antônio Firmino, rede municipal

Leia mais

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco Sobre nós Em 1997 com iniciativas dos proprietários da Fazenda Alegre conscientes da importância da preservação e conservação dos remanescentes da vegetação nativa da fazenda, áreas degradadas vêm sendo

Leia mais

Curso de Desenvolvimento. sustentável.

Curso de Desenvolvimento. sustentável. 50 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 17 Curso de Desenvolvimento Sustentável Juliana Andrade Barichello 1 O objetivo deste trabalho é discorrer sobre os principais pontos das palestras proferidas sobre

Leia mais

PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico

PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico 1 PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico Vera Maria Oliveira Carneiro 1 Educar é ser um artesão da personalidade, um poeta da inteligência, um semeador de idéias Augusto Cury Com este texto, pretendemos

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UM DESPERTAR DE UMA CONSCIÊNCIA COLETIVA DESDE A EDUCAÇÃO INFANTIL

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UM DESPERTAR DE UMA CONSCIÊNCIA COLETIVA DESDE A EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UM DESPERTAR DE UMA CONSCIÊNCIA COLETIVA DESDE A EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo CAMPOS, Elane Porto 1 - UESB SANTOS, Josenilda Pereira 2 - UESB FARIAS, Cíntia Damasceno 3 - UESB PIRES, Ennia

Leia mais

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE LIXO ORGANIZADO: UM SONHO POSSÍVEL. Vera Lúcia Alves.

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE LIXO ORGANIZADO: UM SONHO POSSÍVEL. Vera Lúcia Alves. SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE LIO ORGANIZADO: UM SONHO POSSÍVEL Vera Lúcia Alves. RIO VERDE GO 2010 Identificação: EMEF José do Prado Guimarães. Localização: Rio

Leia mais

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental, cria o Programa Estadual de Educação Ambiental e complementa a Lei Federal nº 9.795/99,

Leia mais

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Para que a Educação Infantil no município de Piraquara cumpra as orientações desta Proposta Curricular a avaliação do aprendizado e do desenvolvimento da criança, como

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

CUIDANDO DO MEIO AMBIENTE A PARTIR DA MINHA VIDA COTIDIANA

CUIDANDO DO MEIO AMBIENTE A PARTIR DA MINHA VIDA COTIDIANA CUIDANDO DO MEIO AMBIENTE A PARTIR DA MINHA VIDA COTIDIANA Resumo Aline T. de Aquino Renata C. Vinha O trabalho em questão foi desenvolvido no Centro Municipal de Educação Infantil CEMEI Casa Azul, com

Leia mais

FACULDADE DE CUIABÁ FAUC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL. João Rodrigues de Souza

FACULDADE DE CUIABÁ FAUC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL. João Rodrigues de Souza FACULDADE DE CUIABÁ FAUC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL João Rodrigues de Souza A PSICOPEDAGOGIA E A INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL CUIABÁ- MT JULHO 2015 2 RESUMO

Leia mais

05 DE JUNHO DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE

05 DE JUNHO DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE D I R E T O R I A D E S A Ú D E 05 DE JUNHO DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE Em 05 de Junho, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente e nesse ano o foco está voltado para as Mudanças Climáticas com o tema

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Lei n o 9.795, de 27 de Abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLETINDO SOBRE A FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DOCENTE

EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLETINDO SOBRE A FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DOCENTE EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLETINDO SOBRE A FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DOCENTE Thais Messias MORAES; Humberto Luís de Deus INÁCIO Faculdade de Educação Física/UFG - thaismemo@gmail.com Palavras-chave:

Leia mais

VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA

VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA COM-VIDA Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola Criado a partir das deliberações da I Conferência

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

Comemoração da 1ª semana de Meio Ambiente do Município de Chuvisca/RS

Comemoração da 1ª semana de Meio Ambiente do Município de Chuvisca/RS Comemoração da 1ª semana de Meio Ambiente do Município de Chuvisca/RS Sustentabilidade: Reflexões sobre a temática ambiental P R E F E I T O M U N I C I P A L E R V I N O W A C H H O L S V I C E - P R

Leia mais

Módulo Educação Ambiental Prof. Fernando Santiago dos Santos

Módulo Educação Ambiental Prof. Fernando Santiago dos Santos Campus São Roque Curso de Extensão Educação Ambiental e Parasitoses Módulo Educação Ambiental Prof. Fernando Santiago dos Santos Aula 1 06 de abril de 2011 1. Definições de Educação Ambiental 2. O paradigma

Leia mais

SAÚDE E EDUCAÇÃO INFANTIL Uma análise sobre as práticas pedagógicas nas escolas.

SAÚDE E EDUCAÇÃO INFANTIL Uma análise sobre as práticas pedagógicas nas escolas. SAÚDE E EDUCAÇÃO INFANTIL Uma análise sobre as práticas pedagógicas nas escolas. SANTOS, Silvana Salviano silvanasalviano@hotmail.com UNEMAT Campus de Juara JESUS, Lori Hack de lorihj@hotmail.com UNEMAT

Leia mais

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania 2010 PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania Mogi Guaçu/SP PROJETO CHICO MENDES CICLOS DA VIDA: AMBIENTE, SAÚDE E CIDADANIA Equipe FMPFM Prof. Ms. Glauco Rogério Ferreira Desenvolvimento

Leia mais

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um 1 TURISMO E OS IMPACTOS AMBIENTAIS DERIVADOS DA I FESTA DA BANAUVA DE SÃO VICENTE FÉRRER COMO TEMA TRANSVERSAL PARA AS AULAS DE CIÊNCIAS NO PROJETO TRAVESSIA DA ESCOLA CREUSA DE FREITAS CAVALCANTI LURDINALVA

Leia mais

FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN

FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN Brenda Luíza Patriota Lima e Silva¹ André Elias Nóbrega² João Batista dos Santos³

Leia mais

O ESPAÇO RURAL e a EDUCAÇÃO AMBIENTAL

O ESPAÇO RURAL e a EDUCAÇÃO AMBIENTAL EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO MEIO RURAL O ESPAÇO RURAL e a EDUCAÇÃO AMBIENTAL Luciano Gebler, MSc TESTE DE NIVELAMENTO 1 - O MEIO RURAL É : A - REGIÃO ONDE É FEITO O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES AGRÍCOLAS; B

Leia mais

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR.

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. Wedell Jackson de Caldas Monteiro E.E.M.I. Auzanir Lacerda wedellprofessor@gmail.com Nadia

Leia mais

LEITURA E ESCRITA: ALIMENTAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE

LEITURA E ESCRITA: ALIMENTAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE LEITURA E ESCRITA: ALIMENTAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE Renata Angélica dos SANTOS, Cristiana Alves da SILVA, Maria Marta L. FLORES, Dulcéria TARTUCI, Ângela Aparecida DIAS, Departamento de Educação,

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

FAMÍLIA X ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO NAS TOMADAS DE DECISÕES

FAMÍLIA X ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO NAS TOMADAS DE DECISÕES FAMÍLIA X ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO NAS TOMADAS DE DECISÕES Erika Alencar de Moura 1 ; Ângela Maria da Silva 2 ; Nailde Gonçalves da Silva 3 ; Maria dos Prazeres Albuquerque 4 ; Luciana Maria

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR Luciana Barros Farias Lima e Claudia Regina Pinheiro Machado Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO lucpeda@gmail.com

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA ELEMENTOS COMPLEMENTARES NO COTIDIANO ESCOLAR

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA ELEMENTOS COMPLEMENTARES NO COTIDIANO ESCOLAR EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA ELEMENTOS COMPLEMENTARES NO COTIDIANO ESCOLAR LUZ, Janes Socorro da 1, MENDONÇA, Gustavo Henrique 2, SEABRA, Aline 3, SOUZA, Bruno Augusto de. 4 Palavras-chave: Educação

Leia mais

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com 1 COMO COLOCAR AS TEORIAS ESTUDADAS NA FORMAÇÃO DO PNAIC EM PRÁTICA NA SALA DE AULA? REFLEXÕES DE PROFESSORES ALFABETIZADORES SOBRE O TRABALHO COM O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Cláudia Queiroz Miranda

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PERMEIA MUDANÇAS DE ATITUDES NA SOCIEDADE

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PERMEIA MUDANÇAS DE ATITUDES NA SOCIEDADE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PERMEIA MUDANÇAS DE ATITUDES NA SOCIEDADE INTRODUÇÃO José Izael Fernandes da Paz UEPB joseizaelpb@hotmail.com Esse trabalho tem um propósito particular pertinente de abrir

Leia mais

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Eixo Temático ET-13-010 - Educação Ambiental CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: PROCESSO, AÇÃO, TRANSFORMAÇÃO

Eixo Temático ET-13-010 - Educação Ambiental CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: PROCESSO, AÇÃO, TRANSFORMAÇÃO 486 Eixo Temático ET-13-010 - Educação Ambiental CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: PROCESSO, AÇÃO, TRANSFORMAÇÃO Samuel Brito Ferreira Santos 1 ; Rebecca Ruhama Gomes Barbosa 2 ; Adeilton Padre de Paz

Leia mais

LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011.

LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011. 1 LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011. Institui a Política Municipal de Educação Ambiental, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I

Leia mais

Introdução - Fundamentos e desenvolvimento das atividades de extensão:

Introdução - Fundamentos e desenvolvimento das atividades de extensão: proteção do meio ambiente, e convênio firmado para viabilização do pagamento de bolsa a acadêmica Letícia Croce dos Santos. As atividades executadas no projeto de extensão compreendem dentre outras iniciativas:

Leia mais

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL 2013 1. IDENTIFICAÇÃO GRUPO DE EDUCAÇÃO FISCAL ESTADUAL DE GOIÁS GEFE/GO 2. APRESENTAÇÃO O curso a distância de Disseminadores de Educação Fiscal constitui

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O E. M. E. F. P R O F ª. D I R C E B O E M E R G U E D E S D E A Z E V E D O P

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT

RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT Dispõe sobre a Implantação do Ensino Fundamental para Nove Anos de duração, no Sistema Estadual de Ensino de Mato Grosso, e dá outras providências. O CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

1» A revolução educacional e a educação em valores 11

1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Sumário Introdução 9 1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Introdução 12 As causas da revolução educacional 12 O triplo desafio pedagógico 14 Da transmissão à educação 15 O que pretende

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

META Possibilitar ao aluno uma reflexão sobre os aspectos teóricos e práticos da Educação Ambiental.

META Possibilitar ao aluno uma reflexão sobre os aspectos teóricos e práticos da Educação Ambiental. TEORIA E PRÁTICA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL META Possibilitar ao aluno uma reflexão sobre os aspectos teóricos e práticos da Educação Ambiental. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: Compreender os

Leia mais

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE.

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE. TRABALHO DOCENTE: POR UMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA, TRANSFORMADORA E EMANCIPATÓRIA OLIVEIRA, Marinalva Luiz de Prefeitura da Cidade do Recife GT-22: Educação Ambiental Resumo Este trabalho tem o objetivo

Leia mais

Lei 17505-11 de Janeiro de 2013. Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013

Lei 17505-11 de Janeiro de 2013. Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013 Lei 17505-11 de Janeiro de 2013 Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013 Súmula: Institui a Política Estadual de Educação Ambiental e o Sistema de Educação Ambiental e adota outras

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler REPRESENTAÇÕES DE EDUCAÇÃO E DE MEIO AMBIENTE O QUE ENTENDEMOS POR EDUCAÇÃO? O QUE

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Erika Cristina Pereira Guimarães (Pibid-UFT- Tocantinópolis) Anna Thércia José Carvalho de Amorim (UFT- Tocantinópolis) O presente artigo discute a realidade das

Leia mais

DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.

DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. PROBLEMÁTICA: REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E INTENSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTRÓPICAS LINHA DO TEMPO:

Leia mais