O que o trabalhador espera do agente homologador

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O que o trabalhador espera do agente homologador"

Transcrição

1

2 O que o trabalhador espera do agente homologador Conhecimento da legislação trabalhista e inclusive CC ou ACT; Prática de cálculos rescisórios; Segurança; Linguagem fácil; Boa comunicação; Orientar sobre os próximos passos após a homologação da rescisão.

3 Direitos Trabalhistas Saldo de Salário; 13º Salário; Salário Família; Indenização adicional antes da data base; Adicional de Insalubridade; Adicional Noturno; Salário variável; Descanso semanal (DSR);

4 Tempo de Serviço Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço Anos Art. 487 CLT Lei nº /2011 Dias a Indenizar até 11meses

5 Tempo de Serviço Anos Art. 487 CLT Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço Lei nº /2011 Dias a Indenizar

6 NOTA TÉCNICA Nº 184/2012/CGRT/SRT/MTE Conclusão: 1) a lei não poderá retroagir para alcançar situação de aviso prévio já iniciado; 2) a proporcionalidade de que trata o artigo único da norma sob comento aplica-se exclusivamente em beneficio do empregado; 3) o acréscimo de 3 (três) dias por ano de serviço prestado ao mesmo empregador, computar-se-á a partir do momento em que a relação contratual supere um ano na mesma empresa; 4) a jornada reduzida ou a faculdade de ausência no trabalho, durante o aviso prévio, previstas no art.488 da CLT, não foram alterados pela lei /2011; 5) a projeção do aviso prévio integra o tempo de serviço para todos fins legais; 6) recaindo término do aviso prévio proporcional nos trinta dias que antecedem a data base, faz jus o empregado despedido a indenização prevista na lei nº 7.238/84; e 7) as cláusulas pactuadas em acordo ou convenção coletiva que tratam do aviso prévio proporcional deverão ser observadas, desde que respeitada a proporcionalidade mínima prevista na Lei nº , de 2011.

7 1. Indenizado: Modalidade de Aviso Prévio 1.1 Iniciativa do empregador: demissão sem justa causa, sendo o aviso prévio no mínimo 30 no máximo 90 dias; 1.2 Iniciativa do empregado: pedido demissão, desconto do aviso prévio no máximo de 30 dias. 2. Trabalhado: 2.1 Iniciativa do empregador: demissão sem justa causa, o empregado tem a opção da jornada reduzida ou ausência do trabalhado de 7 dias corridos, aviso prévio no máximo 30 dias; 2.2 Iniciativa do empregado: pedido de demissão, jornada integral, desconto do aviso prévio no máximo 30 dias.

8 Projeção do Aviso Prévio 1. O período referente ao aviso prévio, inclusive dos dias adicionais, integra o tempo de serviço para todos os efeitos legais como: - Reajuste salarial; - 13º salário; - Férias; - Indenização; - Registro da baixa na CTPS. 2. Na projeção do Aviso Prévio para o trabalhador ter o direito 2 ou 3/12 avos, de 13º salário e férias proporcionais, não precisa completar 5, e nem 15 anos de serviço na empresa.

9 Férias Vencidas Após cada período de 12 meses de vigência do contrato de trabalho. Dias de Férias Faltas Injustificadas no período aquisitivo 30 dias corridos Até 5 faltas 24 dias corridos De 6 a 14 faltas 18 dias corridos De 15 a 23 faltas 12 dias corridos De 24 a 32 faltas Perdeu o direito de férias Acima de 32 faltas

10 Férias Proporcionais Para cada mês trabalhado o empregado tem direito a 2,5 dias de férias. Férias Proporcionais - Faltas Injustificadas Avos até 05 faltas de 6 a 14 faltas de 15 a 23 faltas de 24 a 32 faltas 1/12 2,5 dias 2 dias 1,5 dias 1 dia 2/12 5 dias 4 dias 3 dias 2 dias 3/12 7,5 dias 6 dias 4,5 dias 3 dias 4/12 10 dias 8 dias 6 dias 4 dias 5/12 12,5 dias 10 dias 7,5 dias 5 dias 6/12 15 dias 12 dias 9 dias 6 dias 7/12 17,5 dias 14 dias 10,5 dias 7 dias 8/12 20 dias 16 dias 12 dias 8 dias 9/12 22,5 dias 18 dias 13,5 dias 9 dias 10/12 25 dias 20 dias 15 dias 10 dias 11/12 27,5 dias 22 dias 16,5 dias 11 dias 12/12 30 dias 24 dias 18 dias 12 dias

11 Estabilidade Provisória Membro da Cipa; Empregada gestante; Dirigente sindical; Acidente de trabalho; Representante da CCP; Outras estabilidades previstas em Convenção Coletiva, Acordo Coletivo de Trabalho ou Sentença normativa.

12 Documentos obrigatórios no ato da homologação Termo de rescisão no mínimo 2 vias; Termo de homologação no mínimo 4 vias; CTPS devidamente atualizada; Comunição de desligamento do empregado; Extrato do FGTS para fins rescisório devidamente atualizado; Demonstrativo de recolhimento da multa do FGTS, com o comprovante de pagamento, para demissão sem justa causa por iniciativa do empregador; Chave de identificação e liberação do FGTS, para demissão sem justa causa por iniciativa do empregador; Guia do seguro desemprego, para demissão sem justa causa por iniciativa do empregador; Perfil profissiográfico previdenciário (PPP); Atestado de saúde ocupacional (ASO), demissional ou periódico com a validade de: I 135 dias, empresas de grau de risco do grupo 1 e 2 do quadro I da NR 4; II 90 dias, empresas de grau de risco do grupo 3 e 4 do quadro I da NR 4.

13 Prazo para pagamento das verbas rescisórias: Até o primeiro dia útil imediato ao término de contrato. - rescisão por período de experiência; - quando o aviso prévio for trabalhado; - rescisão por prazo determinado. Até o décimo dia, contado da data da notificação da demissão. - quando o aviso prévio for indenizado pelo empregador ou empregado; - demissão por justa causa; - rescisão por morte do empregado; Multa por atraso no pagamento das verbas rescisórias ocorrendo atraso no pagamento das verbas rescisórias, a multa será de um salário contratual para o trabalhador. Competência para homologar o termo de rescisão Sindicato da categoria; Federação; MTE; Ministério Público ou Defensor Público, na falta ou impedimento o Juiz de Paz.

14 Situações impeditivas para homologação Gravidez da empregada, desde sua confirmação até 5 meses após o parto, salvo estabelecido em CC/ACT desde que respeite o período minimo estabelecido; O empregado candidato a membro da CIPA; O empregado candidato a cargo de direção ou representação sindical; O empregado representante do empregado na CCP, inclusive no âmbito da empresa; A falta do atestado de saúde ocupacional(aso), inclusive concluso sobre a capacidade laborativa INAPTO; O empregado que no exercício do trabalho a serviço da empresa foi acidentado nos últimos doze meses; A rescisão sem pagamento das verbas rescisória, que visa somente o saque do FGTS, e a habilitação do seguro desemprego; A rescisão por aposentadoria por invalidez; Demais garantia de emprego decorrente de lei, CC, ACT ou Sentença normativa.

15 Tabelas Código de movimentação, e código de saque do FGTS. Categoria do trabalhador. Causa e o código do afastamento do trabalhador.

16 Rescisão por término do contrato de experiência DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, Arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, Art. 3º Multa FGTS - Não Lei 8.036/90, Art. 19. FGTS código 04 Lei 8.036/90, Art. 20, inciso IX Rescisão antecipada do contrato de experiência por iniciativa do empregador DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Indenização Art. 479 da CLT Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, Arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da C:LT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, Art. 3º Multa FGTS 40% Lei 8.036/90, Art. 18, 1º FGTS - código 01 Lei nº 8.036/90, Art. 20, inciso IX

17 Rescisão por pedido de demissão com menos de 1 ano DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 e 70 Férias proporcionais Súmula 171 e 261 TST Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Rescisão por pedido de demissão com mais de 1 ano DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 e 70 Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 146 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Horas Extras Art. 59 da CLT

18 Rescisão sem justa causa iniciativa do empregador com menos de 1 ano DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Aviso Prévio Art. 487 da CLT Férias proporcionais Art. 146 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Horas Extras Art. 59 da CLT Multa FGTS - 40% Lei 8.036/90, Art. 18, 1º FGTS - Código 01 Lei nº 8.036/90, Art. 20, inciso IX Rescisão sem justa causa iniciativa do empregador com mais de 1 ano DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Aviso Prévio Art. 487 da CLT Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 146 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Horas Extras Art. 59 da CLT Multa FGTS - 40% Lei 8.036/90, Art. 18, 1º FGTS - Código 01 Lei nº 8.036/90, Art. 20, inciso IX Rescisão por justa causa com menos de 1 ano DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70

19 Rescisão por justa causa com mais de 1 ano DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Férias Vencidas Art. 146 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70 Rescisão por aposentadoria iniciativa do empregado DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 146 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70 Rescisão por morte do empregado DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 146 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70 Multa FGTS - Não Lei 8.036/90, Art. 19,, inciso I FGTS - Código 23 Lei nº 8.036/90, Art. 20, inciso IV

20 Rescisão por morte do empregado no curso do aviso prévio DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Aviso Prévio caso for indenizado Art. 487 da CLT 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 146 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70 Multa FGTS - 40% Lei 8.036/90, Art. 18, 1º FGTS - Código 01 Lei nº 8.036/90, Art. 20, inciso IX Rescisão por reclusão do empregado O contrato de trabalho ficará suspenso; Ocorrendo a demissão será sem justa causa iniciativa do empregador; Aplicando a justa causa, a empresa deverá obervar dois requisitos: a) sentença condenatória transitada em julgado; e b) inexistência de suspensão de execução da pena.

21 Tabela de Contribuição INSS SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$) ALÍQUOTA % Até 1.174,86 8 De 1.174,87 até 1.958,10 9 De 1.958,11 até 3.916,20 11 Valor máximo para desconto R$ 430,78 Tabela do Salário Família SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$) VALOR DO SALÁRIO FAMÍLIA (R$) Até 608,80 31,22 De 608,81 até 915,05 22,00 Obs: O direito à cota do salário família é definido em razão da remuneração que seria devida ao empregado no mês, independentemente dos dias efetivamente trabalhado. Tabela do Imposto de Renda na Fonte Tabela progressiva mensal do Imposto de Renda na Fonte Vigência: 1º de Janeiro a 31 de Dezembro de 2012 Base de Cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir (R$) Até 1.637,11 Isento na Fonte - De 1.637,12 até 2.453,50 7,5 122,78 De 2.453,51 até 3.271,38 15,0 306,80 De 3.271,39 até 4.087,65 22,5 552,15 Acima de 4.087,65 27,5 756,53 Dedução por dependente R$ 164,56

22 Seguro Desemprego Para Requerer: 03 últimos salários de contribuição; Ter no mínimo 06 meses de vinculo empregatício nos últimos 36 meses; Dispensa sem justa causa; Intervalo mínimo de 16 meses, para requerimento de um novo benefício; Opção para requerer do 7º até 120 dias, após o recebimento do FGTS Quantidade de Parcelas VÍNCULO EMPREGATÍCIO De 06 a 11 meses, Nos últimos 36 meses De 12 a 23 meses, Nos últimos 36 meses A partir de 24 meses, Nos últimos 36 meses SÁLARIO MÉDIO R$ Até 1.026,77 De 1.026,78 até 1.711,45 Acima de 1.711,45 Tabela de Cálculo Parcela mínima R$ 622,00 Vigência: 1º de Janeiro de 2012 a 31 de Dezembro de 2012 Nº DE PARCELAS BASE DE CÁLCULO Multiplica-se por 80% O que exceder de R$ 1.026,77, multiplica-se por 50%, soma-se com o valor de R$ 821,42 O valor máximo da parcela será de R$ 1.163,76

23 Tabela de Incidência para INSS, FGTS e IRRF RUBRICA INSS FGTS IRRF SIM SIM SIM Abono de natureza salarial Art. 28, I, Lei n.º 8.212/91, e 1º, art. 457, CLT Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 Arts. 3º e 7º da Lei n.º 7.713/88 NÃO NÃO NÃO Abono pecuniário de férias Arts. 28, 9º, e, 6 da Lei nº 8.212/91 Art. 144 da CLT Resolução da Receita Federal Solução de Divergência nº 1 de 02/01/09 SIM SIM SIM Adicional de Insalubridade Art. 28, I, Lei n.º 8.212/91, Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 Enunciadonº 60 e 63 TST Arts. 3º e 7º da Lei n.º 7.713/88 SIM SIM SIM Adicional de Periculosidade Art. 28, I, Lei n.º 8.212/91, Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 Enunciado nº 60 e 63 TST Arts. 3º e 7º da Lei n.º 7.713/88 SIM SIM SIM Adicional Noturno Art. 28, I, Lei n.º 8.212/91, Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 Enunciado nº 60 e 63 TST Arts. 3º e 7º da Lei n.º 7.713/88 Adicional por Tempo de Serviço Adicional por força de Convenção Coletiva / Acordo Coletivo SIM SIM SIM Art. 28, I, Lei n.º 8.212/91, Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 Enunciado nº 60 e 63 TST Arts. 3º e 7º da Lei n.º 7.713/88 SIM SIM SIM Art. 28, I, Lei n.º 8.212/91, Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 Enunciado nº 60 e 63 TST Arts. 3º e 7º da Lei n.º 7.713/88 Auxílio Doença (15 dias da empresa) SIM SIM SIM Art. 28, I, Lei nº 8.212/91 Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 Arts. 3º e 7º da Lei nº 7.713/88 SIM SIM SIM Auxilio Acidentário (15 dias da empresa) Art. 28, I, Lei nº 8.212/91 Inclusive o recolhimento do tempo em que estiver de licença. Arts. 3º e 7º da Lei nº 7.713/88 NÃO SIM NÃO Aviso Prévio Indenizado (1) Art. 15 da Lei 8.036/90, Súmula nº 305 TST Art. 6, V, Lei nº 7.713/88 Aviso Prévio Trabalhado SIM Art. 28, I, Lei nº 8.212/91 SIM Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 SIM Arts. 3º e 7º da Lei nº 7.713/88 Comissão SIM SIM SIM Art. 28, I, Lei nº 8.212/91 Art. 15 da Lei n.º 8.036/90 Arts. 3º e 7º da Lei nº 7.713/88

24 Simulação de Cálculos Rescisórios

TABELA DE INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA

TABELA DE INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA DE 01/08//97 A 10/12/97 DE 11/12/97 A 21/05/98 A PARTIR DE 22/05/98 ATÉ 31/07/97 VIGÊNCIA DA MP 1.523-7/97 VIGÊNCIA DA LEI Nº 9.528/97 VIGÊNCIA DA MP 1.586-9/98 TABELA DE INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA EVENTOS

Leia mais

MANUAL DO PROGRAMA DE INCENTIVO AO DESLIGAMENTO VOLUNTÁRIO PIDV ELETROBRAS ELETRONORTE

MANUAL DO PROGRAMA DE INCENTIVO AO DESLIGAMENTO VOLUNTÁRIO PIDV ELETROBRAS ELETRONORTE MANUAL DO PROGRAMA DE INCENTIVO AO DESLIGAMENTO VOLUNTÁRIO PIDV Julho, 2011 O calendário de implantação do Programa de Incentivo ao Desligamento Voluntário PIDV, da Eletrobras Eletronorte, foi aprovado

Leia mais

Agente Homologador Dirigente Sindical Assessor Técnico da Federação dos Trabalhadores do Estado do Ceará Técnico em Segurança do Trabalho

Agente Homologador Dirigente Sindical Assessor Técnico da Federação dos Trabalhadores do Estado do Ceará Técnico em Segurança do Trabalho Agente Homologador Dirigente Sindical Assessor Técnico da Federação dos Trabalhadores do Estado do Ceará Técnico em Segurança do Trabalho jfalcao@ftice.org.br O que o trabalhador espera do agente homologador

Leia mais

ANEXO II - ( PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS - COPEIRAGEM ) MÃO-DE-OBRA MÃO-DE-OBRA VINCULADA À EXECUÇÃO CONTRATUAL

ANEXO II - ( PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS - COPEIRAGEM ) MÃO-DE-OBRA MÃO-DE-OBRA VINCULADA À EXECUÇÃO CONTRATUAL ANEXO II - ( PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS - COPEIRAGEM ) Nº PROCESSO: 53569.001371/2014 LICITAÇÃO GR10 (U.O 101) Nº: 09/2014 DATA: HORA: A B C D DISCRIMINAÇÃO DOS SERVIÇOS Data de apresentação

Leia mais

PORTARIA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO EMPREGO - MTE Nº 2.685 DE 26.12.2011 D.O.U: 27.12.2011

PORTARIA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO EMPREGO - MTE Nº 2.685 DE 26.12.2011 D.O.U: 27.12.2011 PORTARIA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO EMPREGO - MTE Nº 2.685 DE 26.12.2011 D.O.U: 27.12.2011 Altera a Portaria nº 1.621, de 14 de julho de 2010, que aprovou os modelos de Termos de Rescisão de Contrato de

Leia mais

Como calcular uma rescisão trabalhista

Como calcular uma rescisão trabalhista Como calcular uma rescisão trabalhista Hoje iremos aprender como elaborar e calcular uma rescisão do contrato de trabalho. O primeiro passo a ser dado será descobrir qual o motivo da rescisão do funcionário,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Rendimentos Recebidos Acumuladamente x Licença Maternidade

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Rendimentos Recebidos Acumuladamente x Licença Maternidade 02/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6. Referências... 6 7.

Leia mais

PALESTRA HOMOLOGNET PALESTRANTE ALLAN MACIEL SANTOS

PALESTRA HOMOLOGNET PALESTRANTE ALLAN MACIEL SANTOS PALESTRA HOMOLOGNET PALESTRANTE ALLAN MACIEL SANTOS O HomologNet é um sistema de homologação das rescisões contratuais on-line instituído pela portaria do MTE n 1.620 de 14/07/2010. Os cálculos automáticos

Leia mais

31 Código Sindical 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS VERBAS RESCISÓRIAS

31 Código Sindical 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS VERBAS RESCISÓRIAS ANEXO I TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 01 02 Razão Social/ 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHADOR

Leia mais

Planilha de Custos e Formação de Preços. Dia: às horas DADOS DO PROPONENTE

Planilha de Custos e Formação de Preços. Dia: às horas DADOS DO PROPONENTE 1-"Solicito que sejam verificadas as planilhas de formação de preços, pois ao fazermos nossa planilha houve divergências com os modelos fornecidos pelo edital! Os valores de custos, lucros e tributos,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DA RAIS ANO-BASE 2005

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DA RAIS ANO-BASE 2005 ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DA RAIS ANO-BASE 2005 PREENCHIMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES SINDICAIS DAS CONTRIBUIÇÕES PAGAS PELAS EMPRESAS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL Entidade Sindical Patronal beneficiada

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO LC 150 - ESQUEMATIZADA Prof. Antonio Daud Jr (www.facebook.com/adaudjr)

DIREITO DO TRABALHO LC 150 - ESQUEMATIZADA Prof. Antonio Daud Jr (www.facebook.com/adaudjr) Questão 1 FCC/TRT23 Técnico Judiciário - Área Administrativa - 2016 (FCC_TRT23_TÉCNICO_JUDICIÁRIO_ÁREA_ADMINISTRATIVA_2016) De acordo com a Lei Complementar no 150 de 2015, no tocante às férias do empregado

Leia mais

Prof. Cleiton Coutinho

Prof. Cleiton Coutinho Prof. Cleiton Coutinho 01.Aos empregados domésticos, a Constituição assegura os mesmos direitos que aos trabalhadores urbanos e rurais, exceto (A) repouso semanal remunerado. (B) fundo de garantia do tempo

Leia mais

SUMÁRIO. Agradecimentos... 15. Apresentação... 17

SUMÁRIO. Agradecimentos... 15. Apresentação... 17 SUMÁRIO Agradecimentos... 15 Apresentação... 17 PREPARAÇÃO PARA CONCURSO PÚBLICO Breve relato da minha experiência durante a preparação para o concurso... 19 1. A decisão... 20 2. A preparação... 21 3.

Leia mais

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal Estudos sobre valores limite para a contratação de serviços de vigilância e limpeza no âmbito da Administração Pública Federal Caderno Técnico 28/2014 Serviços de Vigilância Unidade da Federação: RS Data

Leia mais

PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS. Pregão Eletrônico. Contratação de empresa para prestação dos serviços de apoio ao Meio Circulante em Brasília

PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS. Pregão Eletrônico. Contratação de empresa para prestação dos serviços de apoio ao Meio Circulante em Brasília Nº Processo: 66710 Licitação Nº 85/2014 Dia 25/9/2014 às 10h (horário de Brasília) PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS Pregão Eletrônico Contratação de empresa para prestação dos serviços de apoio

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL, RH E CÁLCULOS TRABALHISTAS

DEPARTAMENTO PESSOAL, RH E CÁLCULOS TRABALHISTAS DEPARTAMENTO PESSOAL, RH E CÁLCULOS TRABALHISTAS Instrutor(a): CLAUDIO SALDANHA Brasília(DF) - 10 e 11/09/2015 Quer esse curso Incompany para sua empresa ou órgão público? Clique no botão e solicite uma

Leia mais

ANEXO L PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS

ANEXO L PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS ANEXO L PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS Número do Processo Licitação nº Dia / / às : horas. Discriminação dos serviços: (Dados referentes à contratação) A Data de apresentação da proposta (dia/mês/ano)

Leia mais

QUANTIDADE TOTAL A CONTRATAR (EM FUNÇÃO DA UNIDADE DE MEDIDA)

QUANTIDADE TOTAL A CONTRATAR (EM FUNÇÃO DA UNIDADE DE MEDIDA) ANEXO PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS POR POSTO (Valores Mensais) - 1 o Turno Nº Processo: 0000263-69.2016.6.02.8000 Licitação nº: / 2016 Dia / / às h mim Discriminação dos Serviços (dados referentes

Leia mais

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal Estudos sobre valores limite para a contratação de serviços de vigilância e limpeza no âmbito da Administração Pública Federal Caderno Técnico 29/2014 Serviços de Vigilância Unidade da Federação: ES Data

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002952/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR047032/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.011168/2015-41 DATA DO PROTOCOLO: 23/07/2015 ACORDO COLETIVO

Leia mais

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO, SALÁRIO DE BENEFÍCIO E RENDA MENSAL INICIAL CONCEITOS Professor: Anderson Castelucio CONCEITOS DE SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO Art. 214. Entende-se por salário-de-contribuição: I -

Leia mais

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO CÁLCULOS SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO CONCEITO: é o valor que serve de base de cálculo para incidência das alíquotas das contribuições previdenciárias (fonte de custeio) e para o cálculo do salário benefício.

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE JORNAIS E REVISTAS - PISO SALARIAL ENTREGADOR MOTO-FRETISTA E ENTREGADOR CICLISTA

DISTRIBUIÇÃO DE JORNAIS E REVISTAS - PISO SALARIAL ENTREGADOR MOTO-FRETISTA E ENTREGADOR CICLISTA RESUMO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 Salários, Reajustes e Pagamento Piso Salarial CLÁUSULA TERCEIRA: DISTRIBUIÇÃO DE JORNAIS E REVISTAS - PISO SALARIAL ENTREGADOR MOTO-FRETISTA E ENTREGADOR

Leia mais

esocial Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (Decreto nº 8.373, 11/12/2014 )

esocial Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (Decreto nº 8.373, 11/12/2014 ) O que é o? esocial Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (Decreto nº 8.373, 11/12/2014 ) É um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Morte do Empregado

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Morte do Empregado Morte do Empregado 08/12/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares... 6 6.

Leia mais

PLANILHAS E VALORES ESTIMADOS ALTERADOS

PLANILHAS E VALORES ESTIMADOS ALTERADOS PLANILHAS E VALORES ESTIMAOS ALTERAOS Em virtude de ajuste percentual de 0,97% para 5,00% sobre a Multa sobre FGTS e contribuições sociais sobre o aviso prévio indenizado. PLANILHA A PLANILHA E COMPOSIÇÃO

Leia mais

PARTE 1 COMO TORNAR-SE UM EMPREGADOR E UM EMPREGADO DOMÉSTICO LEGAIS?

PARTE 1 COMO TORNAR-SE UM EMPREGADOR E UM EMPREGADO DOMÉSTICO LEGAIS? SUMÁRIO DO LIVRO INTRODUÇÃO... 23 PARTE 1 COMO TORNAR-SE UM EMPREGADOR E UM EMPREGADO DOMÉSTICO LEGAIS? Capítulo 1 Definições importantes... 31 1.1 O que é um empregador doméstico?... 31 1.2 O que é um

Leia mais

Direito do Trabalho Estabilidades Provisórias Konrad Mota. 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Direito do Trabalho Estabilidades Provisórias Konrad Mota. 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Direito do Trabalho Estabilidades Provisórias Konrad Mota 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. SUMÁRIO Estabilidades provisórias Dirigente sindical Representante

Leia mais

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal Estudos sobre valores limite para a contratação de serviços de vigilância e limpeza no âmbito da Administração Pública Federal Caderno Técnico 24/2014 Serviços de Vigilância Unidade da Federação: RN Data

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE ÍNDICE INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO... 014 Assédio moral no trabalho...

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista www.sato.adm.br 1987 legislação consultoria assessoria informativos treinamento auditoria pesquisa qualidade Relatório Trabalhista Nº 015 20/02/97 INDENIZAÇÃO ADICIONAL Desde o surgimento da Lei nº 6.708,

Leia mais

Para iniciantes os primeiros 90 dias:

Para iniciantes os primeiros 90 dias: CIRCULAR CONJUNTA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DATA BASE - NOVEMBRO DE 2013 O SINDICATO DA INDÚSTRIA DE PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA DE RIBEIRÃO PRETO E REGIÃO, celebrou com os SINDICATOS DOS TRABALHADORES

Leia mais

LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO

LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES PROCEDIMENTO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Licença concedida em decorrência de dano físico ou

Leia mais

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO CONTRIBUIÇÃO CONTRIBUIÇÃO Legislação Artigo 201, 7º, I, da CF Artigo 52 a 56 Lei 8213/91 Artigo 56 a 63 Decreto 3048/99 Artigo 234 a 245, da IN 77/2015 CONTRIBUIÇÃO Conceito É o benefício devido ao segurado

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Empregado comissionista puro como tratar se não atingir o piso da categoria

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Empregado comissionista puro como tratar se não atingir o piso da categoria Empregado comissionista puro como tratar se não atingir o piso da categoria 05/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3

Leia mais

CÁLCULOS TRABALHISTAS

CÁLCULOS TRABALHISTAS Aviso prévio: CÁLCULOS TRABALHISTAS Conceito jurídico art. 487, da CLT; 1 mês de remuneração; Gorjetas Súmula 354/TST; Projeção do aviso OJ 82/SDI-1/TST; Culpa recíproca Súmula 14/TST. Aviso prévio: CÁLCULOS

Leia mais

Sumário. Introdução, 1

Sumário. Introdução, 1 S Sumário Introdução, 1 1 Folha de Pagamento, 7 1 Salário, 8 1.1 Salário-hora para 40 horas semanais: divisor 200 (duzentos), 9 1.2 Depósito de salários em conta bancária, 9 2 Horas extras, 10 2.1 Integração

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SUSCITANTE: SINDICATO DOS FISIOTERAPEUTAS, TERAPEUTAS OCUPACIONAIS, AUXILIARES EM FISIOTERAPIA E AUXILIARES DE TERAPIA OCUPACIONAL NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINFITO-SP, Entidade

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO AUXÍLIOS 1 Cláudio Basques

DIREITO PREVIDENCIÁRIO AUXÍLIOS 1 Cláudio Basques DIREITO PREVIDENCIÁRIO AUXÍLIOS 1 Cláudio Basques 9. AUXILIO ACIDENTE (ART. 86) - É INDENIZATÓRIO, POIS O SEGURADO FICA COM SUA CAPACIDADE REDUZIDA APÓS ACIDENTE DE QUALQUER NATUREZA - DOMÉSTICO, AVULSO

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA sala 220- Centro (77) 3421-7327 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES 2013-2014 DOS EMPREGADOS DA EMPRESA NATURAL DA FAZENDA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. CLÁUSULA PRIMEIRA - REAJUSTE SALARIAL A Empresa reajustará o

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR004199/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/09/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR043608/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012090/2013-10 DATA DO PROTOCOLO: 25/09/2013 ACORDO COLETIVO

Leia mais

Bloco Recursos Humanos

Bloco Recursos Humanos Bloco Recursos Humanos Ponto Eletrônico Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Ponto Eletrônico, que se encontra no Bloco Recursos Humanos. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002041/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR030271/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008568/2015-79 DATA DO

Leia mais

VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PRIMEIRAS IMPRESSÕES

VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PRIMEIRAS IMPRESSÕES VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PRIMEIRAS IMPRESSÕES PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL - ENDEREÇAMENTO: EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO TRABALHO DA 90ª VARA DO TRABALHO DE CAMPINAS/SP - Processo Nº 1598-73.2012.5.15.0090

Leia mais

ÍNDICE. 1. Tabela Progressiva - a partir de Abril/2015... 2. 2. Exemplos Práticos... 3. 2.1. Declarante 1 Empregador pessoa física...

ÍNDICE. 1. Tabela Progressiva - a partir de Abril/2015... 2. 2. Exemplos Práticos... 3. 2.1. Declarante 1 Empregador pessoa física... ÍNDICE 1. Tabela Progressiva - a partir de Abril/2015.... 2 2. Exemplos Práticos... 3 2.1. Declarante 1 Empregador pessoa física... 3 2.2. Declarante 2 Rendimento pago ao exterior Fonte pagadora pessoa

Leia mais

* Artigo com redação determinada pela Instrução Normativa MTE 4/2006.

* Artigo com redação determinada pela Instrução Normativa MTE 4/2006. INSTRUÇÃO NORMATIVA 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002, DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO SRT/MTE Estabelece procedimentos para assistência ao empregado na rescisão de contrato de trabalho, no âmbito do Ministério

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053303/2012 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DO RIO DE JANEIRO, CNPJ n. 33.644.360/0001-85, neste ato representado(a) por seu Vice-Presidente,

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 19 DE DEZEMBRO DE 2003 Professora por tempo

Leia mais

Fica estabelecido que a data base dos trabalhadores da MINCO DO BRASIL será em 1 0 de Novembro de cada ano.

Fica estabelecido que a data base dos trabalhadores da MINCO DO BRASIL será em 1 0 de Novembro de cada ano. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013-2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO QUE ENTRE SI CELEBRAM DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE SIDERÚRGICAS, METALÚRGICAS, MECÂNICAS, ELÉTRICO E INFORMÁTICA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002654/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/11/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061630/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005752/2011-34 DATA DO

Leia mais

TABELA DE CÁLCULO DE VERBAS RESCISÓRIAS

TABELA DE CÁLCULO DE VERBAS RESCISÓRIAS TABELA DE CÁLCULO DE VERBAS RESCISÓRIAS Saldo de Salário Aviso Prévio Férias Vencidas Férias Proporcionais Férias 1/3 adicional Décimo Terceiro Salário Adicional de Insalubridade Mensalista: dividir a

Leia mais

Alterações e reivindicação da pauta da Convenção Coletiva de Trabalho 2010/2011

Alterações e reivindicação da pauta da Convenção Coletiva de Trabalho 2010/2011 Alterações e reivindicação da pauta da Convenção Coletiva de Trabalho 2010/2011 Cláusula 01 Reajuste salarial Os empregados abrangidos por esta convenção terão seus salários reajustados sobre os salários

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Recursos Humanos SERVIDORES EFETIVOS E LEI Nº 500/74 (ADMITIDOS ATÉ 02/06/07)

Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Recursos Humanos SERVIDORES EFETIVOS E LEI Nº 500/74 (ADMITIDOS ATÉ 02/06/07) SERVIDORES EFETIVOS E LEI Nº 500/74 (ADMITIDOS ATÉ 02/06/07) LICENÇA SAÚDE (ARTIGOS 181-191- 193/EFP E ARTIGO 25, II/LEI 500/74 A licença saúde será requerida mediante emissão de guia expedida pelo serviço

Leia mais

SEGUNDA TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEGUNDA TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Processo nº 2007.70.50.003369-6 Relatora: Juíza Federal Andréia Castro Dias Recorrente: UNIÃO FEDERAL Recorrido (a): VANISA GOLANOWSKI VOTO Dispensado o relatório, nos termos dos artigos 38 e 46 da Lei

Leia mais

Saúde Ocupacional e Regulamentação dos Planos de Saúde

Saúde Ocupacional e Regulamentação dos Planos de Saúde Saúde Ocupacional e Regulamentação dos Planos de Saúde Regulamentação dos planos Resolução CONSU 10 Art. 2º, 2º Nos contratos de planos coletivos, não é obrigatória a cobertura para os procedimentos relacionados

Leia mais

JUSTA CAUSA POR EXCESSO DE FALTAS INJUSTIFICADAS OU REITERADOS ATRASOS

JUSTA CAUSA POR EXCESSO DE FALTAS INJUSTIFICADAS OU REITERADOS ATRASOS JUSTA CAUSA POR EXCESSO DE FALTAS INJUSTIFICADAS OU REITERADOS ATRASOS Copyright Ody & Keller Advocacia e Assessoria Empresarial, 2014. Todos os direitos reservados. Versão: 01 (outubro de 2014) Este material

Leia mais

COMO DIMINUIR RISCOS MINIMIZAR AÇÕES TRABALHISTAS. Instrutora: Cleonice Bitencourt

COMO DIMINUIR RISCOS MINIMIZAR AÇÕES TRABALHISTAS. Instrutora: Cleonice Bitencourt COMO DIMINUIR RISCOS E MINIMIZAR AÇÕES TRABALHISTAS Instrutora: Cleonice Bitencourt Porto Alegre/RS, Junho/2015 2 REQUISITOS PARA RECONHECIMENTO DE VÍNCULO EMPREGATÍCIO Prestador de serviço ser pessoa

Leia mais

CONTRATO DE EXPERIÊNCIA - Considerações. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 1º/04/2013. Sumário:

CONTRATO DE EXPERIÊNCIA - Considerações. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 1º/04/2013. Sumário: CONTRATO DE EXPERIÊNCIA - Considerações Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 1º/04/2013 Sumário: 1 - Introdução 2 - Contrato de Experiência 3 - Objetivo 4 - Prazo 4.1 - Prorrogação 4.2

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA DEFINIÇÕES / INFORMAÇÕES

MANUAL DE APOSENTADORIA DEFINIÇÕES / INFORMAÇÕES MANUAL DE APOSENTADORIA DEFINIÇÕES / INFORMAÇÕES A PREVIDÊNCIA SOCIAL É uma forma de seguro coletivo de caráter contributivo em que todos contribuem com uma parcela de seu salário e de filiação obrigatória.

Leia mais

CLÁUSULA QUARTA - REAJUSTE SALARIAL ESCALONADO

CLÁUSULA QUARTA - REAJUSTE SALARIAL ESCALONADO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/201 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001670/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/04/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015029/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46504.000885/2012-19 DATA DO PROTOCOLO:

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002699/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR041078/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.010761/2010-65 DATA DO

Leia mais

Inclusão Manual de dados via Formulário SAGRES Captura Pessoal 2012

Inclusão Manual de dados via Formulário SAGRES Captura Pessoal 2012 Inclusão Manual de dados via Formulário SAGRES Captura Pessoal 2012 Para os jurisdicionados que não geram arquivo layout para serem importados no SAGRES, as informações devem ser incluídas de forma manual

Leia mais

O mercado de trabalho para os engenheiros. Engenheiro Civil Valter Fanini

O mercado de trabalho para os engenheiros. Engenheiro Civil Valter Fanini para os engenheiros Engenheiro Civil Valter Fanini Formação do salário dos engenheiros O contexto macro-econômico O mercado de trabalho As informações do mercado (RAIS) As normas legais O contexto macro-econômico

Leia mais

Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05

Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05 Agosto 2014 Regras de aposentadoria constantes da redação original da CF/88 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais: - 20/98-41/03-47/05 1) voluntária, por tempo de serviço, com proventos integrais;

Leia mais

GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM JUNDIAÍ APOSENTADORIAS X ALTERAÇÕES

GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM JUNDIAÍ APOSENTADORIAS X ALTERAÇÕES GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM JUNDIAÍ APOSENTADORIAS X ALTERAÇÕES 1 MODALIDADES APOSENTADORIA POR IDADE (urbana, rural e mista) APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO (comum, especial e mista) LC142 (por

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL RESCISÕES DE CONTRATO DE TRABALHO WELLINGTON ROMUALDO

DEPARTAMENTO PESSOAL RESCISÕES DE CONTRATO DE TRABALHO WELLINGTON ROMUALDO DEPARTAMENTO PESSOAL RESCISÕES DE CONTRATO DE TRABALHO WELLINGTON ROMUALDO SUMÁRIO Introdução Rescisão do Contrato de Trabalho - Considerações 1.1. 1.2. Contrato de trabalho - Prazo indeterminado 2.1.

Leia mais

PORTARIA Nº 1.057 DE 06 DE JULHO DE 2012.

PORTARIA Nº 1.057 DE 06 DE JULHO DE 2012. PORTARIA Nº 1.057 DE 06 DE JULHO DE 2012. Altera a Portaria nº 1.621, de 14 de julho de 2010, que aprovou os modelos de Termos de Rescisão do Contrato de Trabalho e Termos de Homologação. O MINISTRO DE

Leia mais

A Tributação dos Síndicos, Subsíndicos e Conselheiros (IRPF INSS)

A Tributação dos Síndicos, Subsíndicos e Conselheiros (IRPF INSS) A Tributação dos Síndicos, Subsíndicos e Conselheiros (IRPF INSS) QUAL É O CONCEITO DE SÍNDICO PREVISTO NO CÓDIGO CIVIL DE 2002? O Síndico é definido como sendo administrador do Condomínio (art. 1.346).

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002236/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/09/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057690/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.004874/2011-11 DATA DO

Leia mais

SINDPD-RJ SEPRORJ CLÁUSULA 1ª - ABRANGÊNCIA, OBJETIVO E VIGÊNCIA:

SINDPD-RJ SEPRORJ CLÁUSULA 1ª - ABRANGÊNCIA, OBJETIVO E VIGÊNCIA: TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO FIRMADA ENTRE O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS E SERVIÇOS PÚBLICOS E PRIVADOS, DE INFORMÁTICA, INTERNET E SIMILARES DO ESTADO, DORAVANTE DENOMINADO

Leia mais

Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil. ArcelorMittal Brasil

Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil. ArcelorMittal Brasil Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil ArcelorMittal Brasil 1 Porque ter um Plano de Previdência Complementar? 2 O Novo Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil Conheça

Leia mais

RESUMO ALÍQUOTAS - CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS

RESUMO ALÍQUOTAS - CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS RESUMO ALÍQUOTAS - CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS - DAS EMPRESAS EM GERAL, sobre: Folha de Pagamento (EMP./AVULSOS) 20% Remunerações pagas aos CI 20% Terceiros (EMP./AVULSOS) 5,8% RAT (EMP./AVULSOS) 1% (leve) 2%

Leia mais

CIRCULAR GEPE N.º 007/2005. Gerências Regionais de Recursos Humanos, Unidades de Controle de Pessoal das demais Secretarias, gerências da GEPE.

CIRCULAR GEPE N.º 007/2005. Gerências Regionais de Recursos Humanos, Unidades de Controle de Pessoal das demais Secretarias, gerências da GEPE. CIRCULAR GEPE N.º 007/2005 De: Para: Gerências Regionais de Recursos Humanos, Unidades de Controle de Pessoal das demais Secretarias, gerências da GEPE. ASSUNTOS 1. PRESTAÇÃO DE SERVIÇO EXTRAORDINÁRIO

Leia mais

Documentos necessários para a homologação:

Documentos necessários para a homologação: Ÿ Orientações Gerais: O responsável pela homologação deve observar o comunicado do Sindicato sobre Lei 12.790 de 14/03/2013, que regulamenta a profissão de comerciário e o Enquadramento Sindical conforme

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO 2003 PROCESSO DE PREENCHIMENTO DO PPP - PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO De acordo com a Instrução Normativa INSS/DC nº

Leia mais

Trabalhador direitos e deveres

Trabalhador direitos e deveres Trabalhador direitos e deveres Carteira de trabalho Garantia de benefícios da Previdência Social Do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Seguro-Desemprego 13º salário Tem direito à gratificação

Leia mais

Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br DIREITO DO TRABALHO

Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br DIREITO DO TRABALHO REMUNERAÇÃO (Art. 142 a 145) DIREITO DO TRABALHO AULA 14 ( Clique aqui para assistir à aula gravada) O pagamento das ferias e, se for o caso, o do respectivo abono de férias serão efetuados ate 2 dias

Leia mais

As Mudanças do FAP Desafios do Cálculo por Estabelecimento. São Paulo, 27 de abril de 2016 Manoel Jardim Monteiro

As Mudanças do FAP Desafios do Cálculo por Estabelecimento. São Paulo, 27 de abril de 2016 Manoel Jardim Monteiro As Mudanças do FAP Desafios do Cálculo por Estabelecimento São Paulo, 27 de abril de 2016 Manoel Jardim Monteiro Agenda Como era o FAP até 2015 Como ficou o FAP a partir de 2016 Principais Impactos na

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 01 A 07 DE SETEMBRO DE 2016

AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 01 A 07 DE SETEMBRO DE 2016 AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 01 A 07 DE SETEMBRO DE 2016 Até: Quinta-feira, dia 1 Histórico: Transportador revendedor retalhista (TRR) Entrega das informações relativas às operações interestaduais com combustíveis

Leia mais

Dúvidas mais frequentes no 13º salário

Dúvidas mais frequentes no 13º salário Dúvidas mais frequentes no 13º salário COMO O SISTEMA CALCULA O 13º SALÁRIO NO PERSONA GOLD? 1º. Busca o Total de Horas Extras (HE) e divide pelo número de meses trabalhados, menos 1, pois o mês de cálculo

Leia mais

ANEXO 3 MODELO DE PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS DA UNIDADE BANCO CENTRAL DE SERVIÇOS - UBCS

ANEXO 3 MODELO DE PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS DA UNIDADE BANCO CENTRAL DE SERVIÇOS - UBCS 51 NEXO 3 MODELO DE PLNILH DE OMPOSIÇÃO DE PREÇOS D UNIDDE NO ENTRL DE SERVIÇOS - US 1 Instruções para preenchimento 1.1 planilha deve obrigatoriamente ser apresentada no mesmo envelope da proposta de

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001846/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/08/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046841/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.013602/2014-96 DATA DO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 9 18/12/2015 19:19 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PI000181/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/10/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060629/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46214.006073/2015-95

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone/fax (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

Estudo sobre a composição dos Custos dos Valores Limites Serviços de Vigilância

Estudo sobre a composição dos Custos dos Valores Limites Serviços de Vigilância Estudo sobre a composição dos Custos dos Valores Limites Serviços de Vigilância Unidade da Federação Bahia 2015 Versão 1.0 Presidente da República Dilma Rousseff Ministério do Planejamento, Orçamento e

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015. Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2015/2016. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador - CODEFAT, no uso das atribuições

Leia mais

Proposta Pauta de Reivindicações dos Professores do SESC-DF 2015/2016

Proposta Pauta de Reivindicações dos Professores do SESC-DF 2015/2016 Proposta Pauta de Reivindicações dos Professores do SESC-DF 2015/2016 Pauta de Reivindicações dos professores, coordenadores, orientadores educacionais, Diretores Pedagógicos e Coordenadores de Núcleos

Leia mais

Regime de Tributação de Imposto de Renda

Regime de Tributação de Imposto de Renda Apresentação O INFRAPREV elaborou esta cartilha com o objetivo de orientar o participante na escolha do regime de tributação quando do ingresso no seu Plano de Contribuição Variável. Com a publicação da

Leia mais

PONTO 1: Aposentadoria 1. APOSENTADORIA. Art. 201, 7º da CF (EC nº. 20). Condições:

PONTO 1: Aposentadoria 1. APOSENTADORIA. Art. 201, 7º da CF (EC nº. 20). Condições: 1 DIREITO PREVIDENCIÁRIO PONTO 1: Aposentadoria 1. APOSENTADORIA Art. 201, 7º da CF (EC nº. 20). Condições: I 35 anos de contribuição para o homem e 30 anos de contribuição para a mulher; II 65 anos de

Leia mais

ANEXO V RELAÇÃO DE DOCUMENTOS RECOMENDADOS PARA COMPROVAÇÃO DA RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL (PORTARIA NORMATIVA Nº

ANEXO V RELAÇÃO DE DOCUMENTOS RECOMENDADOS PARA COMPROVAÇÃO DA RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL (PORTARIA NORMATIVA Nº UFRB ANEXO V RELAÇÃO DE DOCUMENTOS RECOMENDADOS PARA COMPROVAÇÃO DA RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL (PORTARIA NORMATIVA Nº 18/2012) Para cada membro do núcleo familiar colocado no formulário DECLARAÇÃO DE

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016 2017

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016 2017 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016 2017 Por este instrumento particular de Convenção Coletiva de Trabalho, celebrado com fundamento no Art. 611 da CLT, o SINDICATO DOS FARMACÊUTICOS NO ESTADO DO PARANÁ,

Leia mais

TRT-RO-0007900-20.2004.5.01.0041

TRT-RO-0007900-20.2004.5.01.0041 PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Gab Des Gloria R egina Ferreira Mello Av. Presidente Antonio Carlos,251 7o andar - Gab.34 Castelo Rio de Janeiro

Leia mais