Total ,61 Total ,61

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Total 883.647.943,61 Total 883.647.943,61"

Transcrição

1 Anexo 01 Demonstrativo da Receita e Despesa Segundo as Categorias Econômicas RECEITA DESPESA RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES RECEITA PATRIMONIAL ,11 JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA 0,00 RECEITA DE SERVIÇOS ,59 OUTRAS DESPESAS CORRENTES ,61 RECEITA DE SERVIÇOS INTRAORÇAM ,70 TRANSFERÊNCIAS CORRENTES ,01 OUTRAS RECEITAS CORRENTES , , ,61 DÉFICIT ,23 SUPERÁVIT 0,00 Total ,61 Total ,61 SUPERÁVIT DO ORÇAMENTO CORRENTE 0,00 DÉFICIT DO ORÇAMENTO CORRENTE ,23 RECEITAS DE CAPITAL DESPESAS DE CAPITAL OPERAÇÕES DE CRÉDITO INVESTIMENTOS ,83 ALIENAÇÕES DE BENS INVERSÕES FINANCEIRAS 0,00 AMORTIÇÃO EMPRÉSTIMOS AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA 0,00 OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL 0, ,83 DÉFICIT ,06 SUPERÁVIT 0,00 Total ,06 Total ,06 RESUMO Receitas Correntes ,38 Despesas Correntes ,61 Receitas de Capital 0,00 Despesas de Capital ,83 DÉFICIT ,06 SUPERÁVIT 0,00 Total ,44 Total ,44 Curitiba, 31 de Dezembro de 2012

2 Anexo 02 Natureza da Despesa por Órgão e Unidade Órgão: FUNDO DE URBANIZAÇÃO DE CURITIBA Unidade: Código Gabinete do Especificação Elemento da Despesa Modalidade de Aplicação Grupo de Despesa Categoria Econômica DESPESAS CORRENTES , OUTRAS DESPESAS CORRENTES , APLICAÇÕES DIRETAS , MATERIAL DE CONSUMO MATERIAL DE CONSUMO MATERIAL DE CONSUMO , PASSAGENS E DESPESAS COM LOCOMOÇÃO SERVIÇOS DE CONSULTORIA OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA FÍSICA 8.629, OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA , OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA , OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA , OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA , OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA , OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS E CONTRIBUTIVAS DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES , INDENIZAÇÕES E RESTITUIÇÕES APLIC DIRETA DECOR DE OPER ENTRE ÓRGÃOS, FUNDOS E ENTID , OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA , DESPESAS DE CAPITAL , INVESTIMENTOS , APLICAÇÕES DIRETAS , OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA OBRAS E INSTALAÇÕES , OBRAS E INSTALAÇÕES , OBRAS E INSTALAÇÕES , OBRAS E INSTALAÇÕES , OBRAS E INSTALAÇÕES , INDENIZAÇÕES E RESTITUIÇÕES APLIC DIRETA DECOR DE OPER ENTRE ÓRGÃOS, FUNDOS E ENTID , OBRAS E INSTALAÇÕES , OBRAS E INSTALAÇÕES , OBRAS E INSTALAÇÕES ,92 Total ,44

3 Anexo 02 Receitas de Recolhimento Centralizado Categoria Econômica RECEITAS CORRENTES , RECEITA PATRIMONIAL , RECEITAS DE VALORES MOBILIÁRIOS , Remuneração de Depósitos Bancários , Remuneração de Depósitos de Recursos Vinculados , Receita de Remuneração de Outros Depósitos Bancários de ,04 Recursos com Outras Vinculações Remuneração de Depósitos de Recursos não Vinculados , RECEITA DE CONCESSÕES E PERMISSÕES , Receita de Conc e Permissões - Dtos de Uso de Bens Públicos , RECEITA DE SERVIÇOS , Serviços de Transporte , Outros Serviços , TRANSFERÊNCIAS CORRENTES , TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS , Transf de Conv dos Estados e do Dist Federal e de suas Entidades , Outras Transferências de Convênios dos Estados , OUTRAS RECEITAS CORRENTES MULTAS E JUROS DE MORA Multas de Outras Origens , Multas Previstas na Legislação de Trânsito , Multas e Juros Previstos em s Receita por Categoria Econômica Código Especificação Desdobramento Fonte RECEITAS CORRENTES INTRAS , RECEITA DE SERVIÇOS INTRA , Serviços de Transporte , Outros Serviços de Transporte , Serviços de Transporte Rodoviário ,70 Total ,38

4 Anexo 06 PROGRAMA DE TRABALHO POR ÓRGÃO E UNIDADE Órgão: Unidade: FUNDO DE URBANIZAÇÃO DE CURITIBA Gabinete do Código Especificação Operação Especial Projeto Atividade Total 15 URBANISMO , , , Infraestrutura Urbana , , PROGRAMA COPA , , EXECUÇÃO DE OBRAS DE REFORMA DA RODOFERROVIÁRIA , , EXECUÇÃO DE OBRAS DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DO TERMINAL SANTA CÂNDIDA , , IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE MOBILIDADE , , Transportes Coletivos Urbanos , , , PROGRAMA MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE , , , IMPLANTAÇÃO DE OBRAS PARA A MELHORIA DO TRANSPORTE COLETIVO , , COMPLEMENTAÇÃO DE OBRAS DA ÁREA DE TRANSPORTE COLETIVO, INICIADAS EM ANOS ANTERIORES, A SEREM CONCLUÍDAS NO EXERCÍCIO VIGENTE 0, GERENCIAMENTO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DO MUNICÍPIO , , DIVULGAÇÃO DAS AÇÕES DE GOVERNO E PUBLICIDADE INSTITUCIONAL , , PROGRAMA COPA , , IMPLANTAÇÃO DE OBRAS DE INFRAESTRUTURA E MELHORIAS NO MUNICÍPIO - COPA , ,53 28 ENCARGOS ESPECIAIS Outros Encargos Especiais PROGRAMA DE OPERAÇÕES ESPECIAIS PAGAMENTO DE INDENIZAÇÕES E RESTITUIÇÕES 0,00 0,00 Total Órgão 0, , , ,44 Total Geral 0, , , ,44 Diretor Adminsitrativo e Financeiro

5 BALANÇO FINANCEIRO RECEITA DESPESA RECEITAS CORRENTES FUNÇÕES DE GOVERNO Anexo 13 RECEITA TRIBUTÁRIA URBANISMO ,44 RECEITAS DE CONTRIBUIÇÕES ENCARGOS ESPECIAIS 0,00 RECEITA PATRIMONIAL ,11 RECEITA AGROPECUÁRIA RECEITA INDUSTRIAL RECEITA DE SERVIÇOS ,59 RECEITA DE SERVIÇOS INTRAORÇAMENT ,70 TRANSFERÊNCIAS CORRENTES ,01 OUTRAS RECEITAS CORRENTES ,97 TOTAL RECEITAS CORRENTES ,38 RECEITAS DE CAPITAL OPERAÇÕES DE CRÉDITO ALIENAÇÃO DE BENS AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL 0,00 TOTAL RECEITAS DE CAPITAL 0,00 TOTAL RECEITA ,38 TOTAL DESPESA ,44 EXTRA EXTRA Empenhos a Pagar ,44 Empenhos Pagos ( débito) ,94 Restos a Pagar ( crédito) ,64 Restos a Pagar ( débito) ,68 Serviços da Dívida Serviços da Dívida Consignações Consignações Convênios/Auxílios Convênios/Auxílios Débitos de Tesouraria Débitos de Tesouraria Depósitos em Caução Depósitos em Caução Outras Operações 0,00 Outras Operações ( débito) 0,00 Contas do Realizável ( crédito) ,83 Contas do Realizável ( débito) ,81 TOTAL RECEITA EXTRA ,91 TOTAL DESPESA EXTRA ,43 INTERFERÊNCIAS FINANCEIRAS (4.06) ,88 INTERFERÊNCIAS FINANCEIRAS (3.03) ,97 SALDO DISPONÍVEL DO ANO ANTERIOR SALDO DISPONÍVEL DO ANO ATUAL Caixa 0,00 Caixa Bancos Conta Movimento ,25 Bancos Conta Movimento ,90 Bancos Conta Aplicação ,74 Bancos Conta Aplicação ,11 Banco c/ Vinculada 2,00 Banco c/ Vinculada 17,31 TOTAL DISPONÍVEL ,99 TOTAL DISPONÍVEL ,32 TOTAL GERAL ,16 TOTAL GERAL ,16

6 BALANÇO PATRIMONIAL Anexo 14 ATIVO FINANCEIRO PASSIVO FINANCEIRO DISPONIBILIDADES ,32 RESTOS A PAGAR DO QUINTO EXERCÍCIO ANTERIOR ,89 CAIXA 0,00 RESTOS A PAGAR DO QUARTO EXERCÍCIO ANTERIOR ,67 BANCOS CONTA MOVIMENTO ,90 RESTOS A PAGAR DO TERCEIRO EXERCÍCIO ANTERIOR ,32 BANCOS CONTA APLICAÇÃO ,11 RESTOS A PAGAR DO SEGUNDO EXERCÍCIO ANTERIOR ,74 BANCOS CONTA VINCULADA 17,31 RESTOS A PAGAR DO EXERCÍCIO ANTERIOR ,32 REALIZÁVEL ,75 CONTAS A PAGAR DO EXERCÍCIO ,50 Créditos Intragovernamentais Serviço da Divida a Pagar Devedores Diversos Consignações e Retenções Aplicações Financeiras Cauções Depósitos Judiciais Convênios e Auxílios Créditos Intergovernamentais Contas Pendentes 0,00 Contas Pendentes ,75 Débitos Tesouraria Créditos em Circulação TOTAL DO ATIVO FINANCEIRO ,07 TOTAL DO PASSIVO FINANCEIRO ,44 ATIVO PERMANENTE PASSIVO PERMANENTE Bens móveis ,38 CONTRATO Bens imóveis ,29 CONFISSÃO Bens de natureza industrial PRECATÓRIOS OUTRAS DÍVIDAS Bens Móveis em Proc. Aquisição 0,00 Bens Imóveis em Proc. Aquisição e ,58 Bens de natureza Ind. em Proc. Aquisição Bens de Natureza Cultural Bens de Domínio Público Rua, Logradouros e Estradas Rurais ,30 Sinalização de Trânsito ,36 Outros Bens de Domínio Público ,12 Outros créditos TOTAL DO ATIVO PERMANENTE ,03 TOTAL DO PASSIVO PERMANENTE 0,00 TOTAL DO ATIVO REAL ,10 TOTAL DO PASSIVO REAL ,44 SALDO PATRIMONIAL SALDO PATRIMONIAL PASSIVO REAL A DESCOBERTO 0,00 ATIVO REAL LÍQUIDO ,66 ATIVO COMPENSADO PASSIVO COMPENSADO Bens de Domínio Público Bens de Domínio Público Subvenções Sociais Concedidas Subvenções Sociais Concedidas Direitos e Obrigações Contratuais com Terceiros Direitos e Obrigações Contratuais com Terceiros Responsabilidade de Terceiros ,88 Responsabilidade de Terceiros ,88 Participação no Patrimônio e Instituições Intermunicipais Participação no Patrimônio e Instituições Intermunicipais Partic.em Contenciosos de Instituições Intermunicipais Partic.em Contenciosos de Instituições Intermunicipais Convênios ,00 Convênios ,00 Créditos Fiscais em Regime de Prescrição Créditos Fiscais em Regime de Prescrição Inventário Físico de Bens Móveis Inventário Físico de Bens Móveis Diversas Compensações ,67 Diversas Compensações ,67 TOTAL DO ATIVO COMPENSADO ,55 TOTAL DO PASSIVO COMPENSADO ,55 TOTAL DO ATIVO ,65 TOTAL DO PASSIVO ,65

7 ANEXO 15 DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS VARIAÇÕES ATIVAS VARIAÇÕES PASSIVAS RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES Receita Tributária Pessoal e Encargos Sociais Receita de Contribuições Juros e Encargos da Dívida Receita Patrimonial ,11 Outras Despesas Correntes ,61 Receita Agropecuária Receita Industrial Receita de Serviços ,59 Transferências Correntes ,01 Receita de Serviços - intraorçamentária ,70 Outras Receitas Correntes ,97 Dedução da Receita Corrente TOTAL RECEITAS CORRENTES ,38 TOTAL DESPESAS CORRENTES ,61 RECEITAS DE CAPITAL DESPESAS DE CAPITAL Operações de Crédito Investimentos ,83 Alienação de Bens Inversões Financeiras Amortização de Empréstimos Amortização da Dívida Transferências de Capital Outras Receitas de Capital 0,00 TOTAL DAS RECEITAS CAPITAL 0,00 TOTAL DESPESAS CAPITAL ,83 TOTAL RECEITA ,38 TOTAL DESPESA ,44 MUTAÇÕES PATRIMONIAIS MUTAÇÕES PATRIMONIAIS Bens Móveis ,00 Bens Móveis Bens Imóveis ,69 Bens Imóveis Bens Móveis em Proc. Aquisição Bens Móveis em Proc. Aquisição Bens Imóveis em Proc. Aquisição ,14 Bens Imóveis em Proc. Aquisição Bens de Natureza Ind. Em Proc. Aquisição Bens de Natureza Ind. Em Proc. Aquisição Bens de Natureza Cultural Bens de Natureza Cultural Bens de Nat. Cultural em Proc. Aquisição Bens de Nat. Cultural em Proc. Aquisição Confissão de Dívida Confissão de Dívida Bens de Domínio público ,00 Precatórios TOTAL DAS MUTAÇÕES PATRIMONIAIS ,83 TOTAL DAS MUTAÇÕES PATRIMONIAIS 0,00 INDEPENDENTES DA EXECUÇÃO INDEPENDENTES DA EXECUÇÃO Bens Móveis ,00 Bens Móveis ,40 Bens Imóveis ,30 Bens Imóveis ,30 Participações Societárias Participações Societárias Empréstimos Compulsórios Empréstimos Compulsórios Linhas Telefônicas Linhas Telefônicas Cancelamento de Dívidas Cancelamento de Dívidas Transferência Financeira Por Extinção Transferência Financeira Por Extinção Outras Mutações Outras Mutações Confissão de Dívida e Parcelamento Confissão de Dívida e Parcelamento Precatórios Precatórios Bens de Domínio público Bens de Domínio Público ,00 TOTAL INDEP EXEC ,30 TOTAL INDEP EXEC ,70 INTERFERÊNCIAS FINANCEIRAS ,88 INTERFERÊNCIAS FINANCEIRAS ,97 TOTAL DAS VARIAÇÕES ATIVAS ,39 TOTAL DAS VARIAÇÕES PASSIVAS ,11 DÉFICIT 0,00 SUPERÁVIT ,28 TOTAL ,39 TOTAL ,39

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Administração Financeira do Estado Divisão de Contabilidade Geral Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP III. a) Balanço Orçamentário

Leia mais

Serviço Autônomo de Água e Esgoto

Serviço Autônomo de Água e Esgoto 1.0.0.0.0.00.00 Ativo 47.847.241,97 2.918.524,45 2.359.963,02 48.442.859,64 1.1.0.0.0.00.00 Ativo Circulante 4.019.462,20 917.703,39 820.794,61 4.116.370,98 1.1.1.0.0.00.00 Disponível 3.018.543,61 497.836,30

Leia mais

PLANO DE CONTAS AUDESP - VERSÃO PARA DEBATES

PLANO DE CONTAS AUDESP - VERSÃO PARA DEBATES 100.000.000 000 ATIVO REGISTRA O SOMATÓRIO DOS VALORES DOS BENS E DIREITOS, AGRUPADOS EM ATIVO CIRCULANTE, REALIZÁVEL A, ATIVO PERMANENTE E ATIVO COMPENSADO. 110.000.000 000 ATIVO CIRCULANTE REGISTRA O

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM R$ EM R$

BALANÇO PATRIMONIAL EM R$ EM R$ RELATÓRIO DA DIRETORIA Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, apraz-nos apresentar para a devida apreciação o Balanço Patrimonial e Demonstrativos Financeiros, relativo ao exercício findo

Leia mais

ORÇAMENTO PROGRAMA QUADRO GERAL DA RECEITA

ORÇAMENTO PROGRAMA QUADRO GERAL DA RECEITA CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA EXERCÍCIO DO ESTADO 2016 ORÇA PROGRAMA QUADRO GERAL DA RECEITA 5.2 ORÇA APROVADO 5.892.000,00 5.2.1 PREVISÃO DA RECEITA 5.892.000,00 5.2.1.1 PREVISÃO INICIAL DA RECEITA 5.892.000,00

Leia mais

MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ

MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ LEGISLAÇÃO Lei Complementar nº 749, de 2008. Lei Complementar nº 771, de 2009. Lei Complementar nº 856, de 2010. Lei Complementar

Leia mais

MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ

MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ LEGISLAÇÃO Lei Complementar nº 749, de 2008. Lei Complementar nº 771, de 2009. Lei Complementar nº 856, de 2010. Lei Complementar

Leia mais

PLANO DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS

PLANO DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS 1. 0. 0. 0. 0. 00. 00. 00. 00 - ATIVO 1. 1. 0. 0. 0. 00. 00. 00. 00 - ATIVO CIRCULANTE 1. 1. 1. 0. 0. 00. 00. 00. 00 - CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 1. 1. 1. 1. 0. 00. 00. 00. 00 - CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ

MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ MARINGÁ PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE MARINGÁ LEGISLAÇÃO Lei Complementar nº 749, de 2008. Lei Complementar nº 771, de 2009. Lei Complementar nº 856, de 2010. Lei Complementar

Leia mais

TABELA DE COMPATIBILIZAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS VÁLIDO A PARTIR DE 2013

TABELA DE COMPATIBILIZAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS VÁLIDO A PARTIR DE 2013 1000.00.00 Receitas Correntes Sintética 1100.00.00 Receita Tributária Sintética 1110.00.00 Impostos Sintética 1112.00.00 Impostos sobre o Patrimônio e a Renda Sintética 1112.01.00 ITR - Imposto sobre a

Leia mais

ANEXO I - PT/MPS Nº 95, DE 06 DE MARÇO DE 2007 DOU DE 07.03.07 ESTRUTURA DO PLANO DE CONTAS

ANEXO I - PT/MPS Nº 95, DE 06 DE MARÇO DE 2007 DOU DE 07.03.07 ESTRUTURA DO PLANO DE CONTAS CÒDIGO SISTEMA DE CONTA ANEXO I - PT/MPS Nº 95, DE 06 DE MARÇO DE 2007 DOU DE 07.03.07 ESTRUTURA DO PLANO DE CONTAS CONTA 1.0.0.0.0.00.00 ATIVO 1.1.0.0.0.00.00 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1.0.0.00.00 DISPONÍVEL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 05/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 05/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 05/2011 Dispõe sobre a padronização dos códigos de receita, despesa, fonte e destinação de recursos para fins de prestação de contas, controle e acompanhamento da execução orçamentária

Leia mais

TCE-RS Ciências Contábeis

TCE-RS Ciências Contábeis TCE-RS Ciências Contábeis Pessoal, vou comentar as questões da prova da área contábil. 46. Considere as seguintes informações extraídas de demonstrativos contábeis do primeiro semestre de 2014 de determinada

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - PARA Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Novembro / 2012.

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - PARA Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Novembro / 2012. ATIVO Pág. : 1 1 ATIVO 16.611.913,16 1.144.680,78 1.255.841,25 16.500.752,69 D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 6.840.495,36 666.073,17 734.945,16 6.771.623,37 D 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 2.134.620,90 384.925,39

Leia mais

Conselho Regional de Corretores de Imóveis - CRECI / DF SISCONTW - v1.06 Balancete Analítico de Verificação Período: 01/02/2011 a 28/02/2011

Conselho Regional de Corretores de Imóveis - CRECI / DF SISCONTW - v1.06 Balancete Analítico de Verificação Período: 01/02/2011 a 28/02/2011 Folha: 1 2 SISTEMA FINANCEIRO 1.906.387,90D 1.675.420,32 1.499.489,71 2.082.318,51D 2.1 ATIVO FINANCEIRO 2.510.142,26D 661.967,14 609.867,96 2.562.241,44D 2.1.1 DISPONÍVEL 2.505.864,48D 659.552,76 609.805,77

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015 Balanço patrimonial 31 de dezembro de 2015 31 de dezembro de 2014 Passivo

Leia mais

PLANO DE CONTAS - RECEITAS - 2011

PLANO DE CONTAS - RECEITAS - 2011 1000.00.00 Receitas Correntes Sintética 1100.00.00 Receita Tributária Sintética 1110.00.00 Impostos Sintética 1112.00.00 Impostos sobre o Patrimônio e a Renda Sintética 1112.01.00 ITR - Imposto sobre a

Leia mais

CRESS/RJ - 7ª Região Conselho Regional de Serviço Social CNPJ: 33.673.237/0001-92

CRESS/RJ - 7ª Região Conselho Regional de Serviço Social CNPJ: 33.673.237/0001-92 Conselho Regional de Serviço Social CNPJ: 33.673.237/0001-92 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE Especificação CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS A CURTO PRAZO Exercício Atual 1.566.424,19

Leia mais

TABELA DE CODIFICAÇÃO DAS RECEITAS VÁLIDO A PARTIR DE 2015

TABELA DE CODIFICAÇÃO DAS RECEITAS VÁLIDO A PARTIR DE 2015 1000.00.00 Receitas Correntes Sintética 1100.00.00 Receita Tributária Sintética 1110.00.00 Impostos Sintética 1112.00.00 Impostos sobre o Patrimônio e a Renda Sintética 1112.01.00 ITR - Imposto sobre a

Leia mais

Telefone: 067 3248 1040 Página 1 de 11

Telefone: 067 3248 1040 Página 1 de 11 Página 1 de 11 Criado pela Lei nº 047 de 10 de Setembro de 2013. ED. Nº 482/2015 ANO I I I PARAÍSO DAS ÁGUAS MS, QUARTA-FEIRA, 02 DE DEZEMBRO DE 2015 PODER EXECUTIVO MUNICIPAL Prefeito Municipal Ivan da

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Janeiro de 2015 Folha: 1 Camara Municipal de Tangua. Unidade Gestora: CÂMARA MUNICIPAL DE TANGUÁ

Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Janeiro de 2015 Folha: 1 Camara Municipal de Tangua. Unidade Gestora: CÂMARA MUNICIPAL DE TANGUÁ Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Janeiro de 2015 Folha: 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO 188.517,84D 249.103,95 163.587,81 274.033,98D 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE 22.816,55D

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE ELETRO BRÁS TERM ONUCLEAR S.A. CNPJ: 42. 540.2 11/0001-67 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O Numerário disponível 15.650 27.050 Aplicações financeiras 104.077 36.869 Concessionárias

Leia mais

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Holambra

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Holambra (A prefeitura municipal não repassou os dados referentes às receitas ) 1000.00.00.00 Receitas Correntes 1100.00.00.00 Receita Tributária 1110.00.00.00 Impostos 1112.00.00.00 Impostos s/ Patrimônio e a

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2015 Folha: 1 Camara Municipal de Tangua. Unidade Gestora: CÂMARA MUNICIPAL DE TANGUÁ

Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2015 Folha: 1 Camara Municipal de Tangua. Unidade Gestora: CÂMARA MUNICIPAL DE TANGUÁ Estado do Rio de Janeiro Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2015 Folha: 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO 274.420,11D 306.106,05 284.589,88 295.936,28D 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE 108.718,82D

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E URBANISMO

SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E URBANISMO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E URBANISMO LEGISLAÇÃO Lei Complementar nº 931, de 2012. Lei Complementar nº 937, de 2012. Lei Complementar nº 950, de 2013. CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL Lei

Leia mais

CRO/PE Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco CNPJ: 11.735.263/0001-65

CRO/PE Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco CNPJ: 11.735.263/0001-65 Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco CNPJ: 11.735.263/0001-65 Balancete Conta Anterior Débitos Créditos 1 - ATIVO 4.616.103,84D 823.206,08 747.448,36 4.691.861,56D 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 3.851.305,39D

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001 1 ATIVO 1.01 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 DISPONIBILIDADES 1.01.01.01 CAIXA GERAL 1.01.01.01.01 Caixa Matriz 1.01.01.01.02 Caixa Filiais 1.01.01.02 DEPÓSITOS BANCÁRIOS - NO PAÍS 1.01.01.02.01 Bancos Conta

Leia mais

SEFAZ/PE. Pessoal, vou comentar as questões da prova.

SEFAZ/PE. Pessoal, vou comentar as questões da prova. SEFAZ/PE Pessoal, vou comentar as questões da prova. 61. Sobre os Princípios de Contabilidade sob a Perspectiva do Setor Público, considere: I. O Princípio da Entidade se afirma, para o ente público, pela

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓD. 14

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓD. 14 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

CRO/PE Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco CNPJ: 11.735.263/0001-65

CRO/PE Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco CNPJ: 11.735.263/0001-65 Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco CNPJ: 11.735.263/0001-65 Balancete Conta Anterior Débitos Créditos 1 - ATIVO 4.424.204,80D 1.347.894,06 1.155.995,02 4.616.103,84D 1.1 - ATIVO CIRCULANTE

Leia mais

CRO/RJ. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Odontologia CNPJ: 33.947.102/0001-78. Página:1/5. Abono Pecuniário de Férias (10 dias)

CRO/RJ. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Odontologia CNPJ: 33.947.102/0001-78. Página:1/5. Abono Pecuniário de Férias (10 dias) Conselho Regional de Odontologia CNPJ: 33.947.102/0001-78 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 14.622.545,78 505.442,23 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESA CORRENTE 14.569.359,98 14.065.734,75 14.065.734,75

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Balancete Unidade Gestora

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Balancete Unidade Gestora Balancete 1 ATIVO 12.779.116,51 D 96.339.184,48 D 89.099.911,87 C 49.339.893,30 D 49.924.653,41 C 145.679.077,78 D 139.024.565,28 C 19.433.629,01 D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 2.645.992,11 D 96.309.100,61 D 89.099.911,87

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santa Monica

Prefeitura Municipal de Santa Monica FINANCEIRO DISPONÍVEL BANCOS CONTA MOVIMENTO BB C/C I.T.R. - 10180-X BB C/C - FDO EXPORTAÇÃO - 2831430 BB C/C - I.P.V.A. - 9352-1 BB C/C - IPI EXPORT- ESTADO - 69981 BB C/C - CEX COMP FIN ESF EXP - 8041-1

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Gest ão em Cooper at i vi smo Demonstrações Contábeis Dirceu Granado de Souza Dinâmica Patrimonial Consult & Assess Empresarial www.dinamicapatrimonial.com.br 1 A escrituração contábil e a emissão de relatórios,

Leia mais

TCE - MT Eventos Contábeis de Abertura 1

TCE - MT Eventos Contábeis de Abertura 1 TCE - MT Eventos Contábeis de Abertura 1 1.0 EVENTOS DE ABERTURA 1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA D 111XXXXXXXX CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA F 2 ou 8 D 7211XXXXXXX CONTROLE DA DISPONIBILIDADE DE RECURSOS

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS CEMITÉRIOS E SERVIÇOS FUNERÁRIOS DE LONDRINA - ACESF

ADMINISTRAÇÃO DOS CEMITÉRIOS E SERVIÇOS FUNERÁRIOS DE LONDRINA - ACESF ADMINISTRAÇÃO DOS CEMITÉRIOS E SERVIÇOS FUNERÁRIOS DE LONDRINA - ACESF LEGISLAÇÃO: Leis Municipais nº 2.837 de 01/12/1977, nº 8.834 de 01/07/2002 e Decreto nº 792 de 19/12/2002. ATRIBUIÇÕES: 20 - ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Anexo 14 - Balanço Patrimonial

Anexo 14 - Balanço Patrimonial Página 1 de 5 CIRCULANTE 9.919.946,74 CIRCULANTE 30.835,00 Caixa e Equivalente de Caixa 93.278,58 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a pagar a Curto Créditos a Curto Empréstimos e

Leia mais

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência. Professor João Eudes Bezerra Filho

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência. Professor João Eudes Bezerra Filho A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência Professor João Eudes Bezerra Filho DIAGNÓSTICO: CENÁRIO ATUAL DIMENSÃO CONTABILIDADE PATRIMONIAL ATIVO FINANCEIRO

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS MG. PROCURADORIA GERAL

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS MG. PROCURADORIA GERAL LEI Nº 4.027, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2.008 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS PARA O EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2.009 O povo do Município de Montes Claros, por seus representantes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEIXOTO DE AZEVEDO Demonstrativo Contábil da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEIXOTO DE AZEVEDO Demonstrativo Contábil da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964 (art. 102 da Lei n.º 4.320/1964) DESPESAS Dotação Inicial (d) Demonstrativo Contábil da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964 Créditos Adicionais (e) BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - DESPESAS - CONSOLIDADO Dotação

Leia mais

RREO - ANEXO X (Lei 9.394/1996, art.72) R$ 1,00 PREVISÃO INICIAL. ATUALIZADA(a)

RREO - ANEXO X (Lei 9.394/1996, art.72) R$ 1,00 PREVISÃO INICIAL. ATUALIZADA(a) Tabela 19B - Demonstrativo das Receitas e Despesas com Manutenção e Desenvolvimento do Ensino - MDE - MUNICÍPIOS Município de Tabira - Pernambuco RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO

Leia mais

Anexo 11 - Lei 4320 Comparativo da Despesa Autorizada com a Realizada

Anexo 11 - Lei 4320 Comparativo da Despesa Autorizada com a Realizada 01.000.0000.0000 01.031.0000.0000 Comparativo da Despesa com a Página: 1 LEGISLATIVA 19.485.000,00 0,00 19.485.000,00 19.422.000,29 62.999,71 AÇÃO LEGISLATIVA 19.485.000,00 0,00 19.485.000,00 19.422.000,29

Leia mais

EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO EXERCÍCIOS

EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO 1 2 3 4 5 Sugestões, questões de prova e auxilio em seus estudos:fabiomoreira2011@gmail.com SUCESSO PROFISSIONAL!!! 6 54. Analise o seguinte Balanço,

Leia mais

PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO 1.1.1.1.1.01.00 CAIXA D S P F NIS B NENC S N S 1.1.1.1.1.02.00 CONTA ÚNICA D S P F NIS B NENC S N S

PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO 1.1.1.1.1.01.00 CAIXA D S P F NIS B NENC S N S 1.1.1.1.1.02.00 CONTA ÚNICA D S P F NIS B NENC S N S NAT. 1.0.0.0.0.00.00 ATIVO N 1.1.0.0.0.00.00 ATIVO CIRCULANTE N 1.1.1.0.0.00.00 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA N 1.1.1.1.0.00.00 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL N 1.1.1.1.1.00.00 CAIXA E

Leia mais

Município de Carlópolis - PR LIQUIDAÇÃO

Município de Carlópolis - PR LIQUIDAÇÃO LIQUAÇÃO Página: 1 / 30 Empenho Nº 002790 002806 0102 - MANUT.E CONSERV.DE ESTRADAS E VIAS BATISTA & CAMILO LTDA RDV BR 153 - KM 40, 01 Santo Antônio da Platina / PR TREVO DA PLATINA 86430-000 187924-3

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER

SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER LEGISLAÇÃO: Lei Municipal nº 8.834 de 01/07/2002 e Decreto nº 525 de 09/08/2002. ATRIBUIÇÕES: 1500 - SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER Compete propor, coordenar e acompanhar

Leia mais

GOVERNO MUNICIPAL DE HORIZONTE 01/03/2010 A 30/04/2010

GOVERNO MUNICIPAL DE HORIZONTE 01/03/2010 A 30/04/2010 GOVERNO MUNICIPAL DE HORIZONTE 01/03/2010 A 30/04/2010 CONSOLIDADO Adendo III Anexo 2, da Lei nº 4320, de 17/03/64. (Portaria SOF nº 8, de 04/02/85) Em R$ 1,00 ASPEC RECEITA SEGUNDO AS CATEGORIAS ECONÔMICAS

Leia mais

Avaliação a Distância AD2. Período - 2012/2º. Disciplina: CONTABILIDADE GERAL II. Coordenadora: TEREZA DE JESUS RAMOS DA SILVA

Avaliação a Distância AD2. Período - 2012/2º. Disciplina: CONTABILIDADE GERAL II. Coordenadora: TEREZA DE JESUS RAMOS DA SILVA Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro Avaliação a Distância AD2 Período - 2012/2º Disciplina:

Leia mais

Valores expressos em reais BALANÇO PATRIMONIAL

Valores expressos em reais BALANÇO PATRIMONIAL CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DE SÃO PAULO CNPJ 63.002.141/0001-63 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATIVAS AO EXERCÍCIO SOCIAL ENCERRADO EM 31/12/2014 Valores expressos em reais BALANÇO PATRIMONIAL

Leia mais

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Última Atualização: 28/02/2012 Programa do Módulo Módulo X Demonstrações

Leia mais

Orçamento de Caixa. Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr.

Orçamento de Caixa. Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr. Orçamento de Caixa Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr. Orçamento de Caixa Conceito: - Conjunto de ingressos e desembolsos de numerários ao longo do período - Representação dinâmica da situação financeira

Leia mais

ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM DEMONSTRATIVOS FISCAIS

ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM DEMONSTRATIVOS FISCAIS Subsecretaria de Contabilidade Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicada à Federação ALINHAMENTO TÉCNICO E PEDAGÓGICO EM DEMONSTRATIVOS FISCAIS Resultado Primário e Resultado Nominal Programa

Leia mais

AULA 17: Prova Comentada

AULA 17: Prova Comentada AULA 17: Prova Comentada Contabilidade Pública p/ INMETRO 26 Em relação à contabilidade pública, analise as afirmativas. I. A contabilidade aplicada ao setor público é um ramo da ciência contábil que tem

Leia mais

Oficina 66 ABOP. Slide 1

Oficina 66 ABOP. Slide 1 O Siafi como Instrumento da Contabilidade Oficina 66 Slide 1 Ementa Oficina Nº 66 / Área: Fundamentos da Execução Orçamentária e Financeira O SIAFI COMO INSTRUMENTO DA CONTABILIDADE Carga Horária: 4 horas

Leia mais

MODELO DE PLANO DE CONTAS PARA EMPRESAS DE GRANDE PORTE

MODELO DE PLANO DE CONTAS PARA EMPRESAS DE GRANDE PORTE MODELO DE PLANO DE CONTAS PARA EMPRESAS DE GRANDE PORTE Balancete Analítico Trimestral Trimestre Nome da Empresa: Logradouro: Número: Município: Telefone: E-Mail: CNPJ Obs.: prencher somente os campos

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) foi criado pelo Decreto-Lei nº 9.295/46, com alterações,

Leia mais

PROFESSOR DOCENTE I - CONTABILIDADE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. Com base nas informações abaixo, responda às questões de nº 26 a 30.

PROFESSOR DOCENTE I - CONTABILIDADE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. Com base nas informações abaixo, responda às questões de nº 26 a 30. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com base nas informações abaixo, responda às questões de nº 26 a 30. ELEMENTOS DE GASTOS VALOR EM R$ Matéria-prima consumida 10.000 Aluguel da loja comercial 5.000 Energia da

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00867-2 LA FONTE PARTICIPAÇÕES S/A 60.543.816/0001-93 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00867-2 LA FONTE PARTICIPAÇÕES S/A 60.543.816/0001-93 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/26 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Processo 2637/UERJ/2006

Processo 2637/UERJ/2006 5 - BALANÇO PATRIMONIAL O Balanço Patrimonial é composto pelos grupos de contas integrantes dos Ativos e Passivos Financeiro, Permanente e Compensado, e apresenta de forma sintética a composição do patrimônio

Leia mais

Proposta de Harmonização Demonstrativo do Resultado Primário dos Estados, DF e Municípios

Proposta de Harmonização Demonstrativo do Resultado Primário dos Estados, DF e Municípios Proposta de Harmonização Demonstrativo do Resultado Primário dos Estados, DF e Municípios Grupo Técnico de Padronização de Relatórios GTREL BRASÍLIA Abril, 2014 Acórdão TCU nº 1.776/2012 Acórdão TCU nº

Leia mais

Minicurso TCE/PA. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP. w w w. g e s t a o p u b l i c a..

Minicurso TCE/PA. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP. w w w. g e s t a o p u b l i c a.. Contabilidade Aplicada ao Setor Público Minicurso TCE/PA Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP Paulo Henrique Feijó paulo.feijo@financaspublicas.pro.br Lógica do Registro Contábil 1 Ativo 1.1-

Leia mais

OS MECANISMOS INSTITUCIONAIS DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE DO SISTEMA ECONÔMICO

OS MECANISMOS INSTITUCIONAIS DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE DO SISTEMA ECONÔMICO OS MECANISMOS INSTITUCIONAIS DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE DO SISTEMA ECONÔMICO As Autoridades Econômicas do Brasil se utilizam de diversos INSTRUMENTOS INSTITUCIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E CONTROLE do

Leia mais

RECEITA PÚBLICA. a) realizam extorsões sobre outros ou deles recebem doações voluntárias;

RECEITA PÚBLICA. a) realizam extorsões sobre outros ou deles recebem doações voluntárias; RECEITA PÚBLICA Conceito Meios de obter receitas Em um sentido amplo, diz-se que todas as entradas nos cofres públicos constituem receitas públicas, resultantes ou independentes da execução orçamentária.

Leia mais

Capítulo IX - Resultados não operacionais 2015

Capítulo IX - Resultados não operacionais 2015 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2014 Capítulo IX - Resultados não operacionais 2015 001 O que se entende por receitas e despesas não operacionais? Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes

Leia mais

Página: 1 08/10/2015 09:14

Página: 1 08/10/2015 09:14 08/10/2015 09:14 Demonstração da e Segundo as Categorias Econômicas Inst. Prev. Serv. Munic. de Matinhos Janeiro de 2014 Anexo 01, da Lei 4.320/64 Anexo 01, da Lei 4.320/64 s Correntes s Correntes RECEITAS

Leia mais

Relatório da Proposta Orçamentária

Relatório da Proposta Orçamentária CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMOVEIS 15 REGIÃO/CE RUA PE. LUIS FIGUEIRAS, 324 FORTALEZA-CE Telefone: (85) 3031-3062 Relatório da Proposta Orçamentária Ano do Exercício: 2016 Número da Conta Descrição

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPUBI - PE CNPJ; 11.040.896/001-59 GABINETE DO PREFEITO LEI MUNICIPAL 869/2015

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPUBI - PE CNPJ; 11.040.896/001-59 GABINETE DO PREFEITO LEI MUNICIPAL 869/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE IPUBI - PE CNPJ; 11.040.896/001-59 GABINETE DO PREFEITO LEI MUNICIPAL 869/2015 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE IPUBI PARA O EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2016. O PREFEITO

Leia mais

Página: 1 08/10/2015 11:23

Página: 1 08/10/2015 11:23 08/10/2015 11:23 Demonstração da e Segundo as Categorias Econômicas Inst. Prev. Serv. Munic. de Matinhos Janeiro de 2013 Anexo 01, da Lei 4.320/64 Anexo 01, da Lei 4.320/64 s Correntes s Correntes RECEITAS

Leia mais

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO 7ª Edição PARTE III Procedimentos Contábeis Específicos Aplicado à União, aos Estados, ao Distrito

Leia mais

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 CONTEÚDO

Leia mais

ÍNDICE GERAL. CP-cp 1:CP-cp 1.qxd 08-09-2011 15:59 Página 5 1. CONTABILIDADE PÚBLICA... 13

ÍNDICE GERAL. CP-cp 1:CP-cp 1.qxd 08-09-2011 15:59 Página 5 1. CONTABILIDADE PÚBLICA... 13 CP-cp 1:CP-cp 1.qxd 08-09-2011 15:59 Página 5 1. CONTABILIDADE PÚBLICA...................................... 13 1.1 Características......................................... 15 1.2 Princípios contabilísticos..................................

Leia mais

Empregado Doméstico Trimestral - NIT/PIS/PASEP - (que recebe até um salário mínimo)

Empregado Doméstico Trimestral - NIT/PIS/PASEP - (que recebe até um salário mínimo) CÓDIGO DE GUIAS GPS Recolhimento Relação de Códigos de Pagamento Código Descrição 1007 Contribuinte Individual - Recolhimento Mensal NIT/PIS/PASEP 1104 Contribuinte Individual - Recolhimento Trimestral

Leia mais

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores

Leia mais

EXTINÇÃO DE SOCIEDADE MERCANTIL NÃO ANÔNIMA Aspectos Contábeis

EXTINÇÃO DE SOCIEDADE MERCANTIL NÃO ANÔNIMA Aspectos Contábeis EXTINÇÃO DE SOCIEDADE MERCANTIL NÃO ANÔNIMA Aspectos Contábeis Sumário 1. Introdução 2. Realização do Ativo 3. Pagamento do Passivo 4. Preparação da Liquidação 5. Inventário de Liquidação 6. Fatos Contábeis

Leia mais

Página: 1 de 8 23/01/2015 14:47

Página: 1 de 8 23/01/2015 14:47 Página: 1 de 8 1-RECEITAS DE IMPOSTOS RECEITA RESULTANTE DE IMPOSTOS (caput do art. 212 da Constituição) PREVISÃO PREVISÃO 4.563.250,00 4.563.250,00 1.072.219,54 5.951.109,36 130,41 1.1-Receita Resultante

Leia mais

APRESENTAÇÃO PORTAL SOLUÇÕES CASP

APRESENTAÇÃO PORTAL SOLUÇÕES CASP APRESENTAÇÃO PORTAL SOLUÇÕES CASP Estrutura da Lei 4.320/1964 TítuloI DaLeidoOrçamento(Artigo2ºao21) TítuloII DaPropostaOrçamentária(Artigo22ao31) TítuloIII DaElaboraçãodaLeidoOrçamento(Artigo32ao33) TítuloIV

Leia mais

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP Subsecretaria de Contabilidade Pública SUCON Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação CCONF A Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis Aplicadas ao

Leia mais

RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE PAGAMENTO

RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE PAGAMENTO RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE PAGAMENTO Código Descrição 1007 Contribuinte Individual Recolhimento Mensal NIT/PIS/PASEP 1104 Contribuinte Individual Recolhimento Trimestral NIT/PIS/PASEP 1120 Contribuinte Individual

Leia mais

EDITAL DE CONCORRÊNCIA nº.

EDITAL DE CONCORRÊNCIA nº. EDITAL DE CONCORRÊNCIA nº. CONCESSÃO DO SERVIÇO DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO URBANO NO MUNICÍPIO DE BLUMENAU ANEO VI - MATRIZ DE RISCOS DO CONTRATO DE CONCESSÃO DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DO MUNÍCIPIO

Leia mais

Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes de transações não incluídas nas

Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes de transações não incluídas nas 001 O que se entende por receitas e despesas não operacionais? Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes de transações não incluídas nas atividades principais ou acessórias que constituam

Leia mais

ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003

ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003 ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003 PRODUTOS, LANÇAMENTOS E PERFORMANCE COMERCIAL: Durante o primeiro trimestre de 2003, a Rossi Residencial

Leia mais

1.800.000,00 5.000.000,00 1.132.197,84 3.368.703,65 67,37

1.800.000,00 5.000.000,00 1.132.197,84 3.368.703,65 67,37 MUNICÍPIO DE COLOMBO RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO - MDE ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL 4º BIMESTRE/2011

Leia mais

BALANÇO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008

BALANÇO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 BALANÇO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 CÓDIGO CONTAS ACTIVO ANO ACTIVO BRUTO AMORTIZAÇÃO ACUMULADA ANO-ACTIVO LIQUIDO ANO ANTERIOR 10 01 Caixa e Disponibilidades 70.895,07 70.895,07 114.143,22 12 02 Disponib.à

Leia mais

TABELA 4 - BALANÇO FINANCEIRO (BALFIN) Anexo 13 - Lei º 4.320/64 Exercício de 2015

TABELA 4 - BALANÇO FINANCEIRO (BALFIN) Anexo 13 - Lei º 4.320/64 Exercício de 2015 Instituto de Previdência dos Servidores do Município da Serra Emissão: 11/03/2016 TABELA 4 - BALANÇO FINANCEIRO (BALFIN) Anexo 13 - Lei º 4.320/64 Exercício de 2015 INGRESSOS DISPÊNDIOS Exercício Exercício

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Subsecretaria de Contabilidade Pública SUCON Contabilidade-Geral de Contabilidade e Custos da União CCONT Demonstrações Contábeis Encontro sobre Normas de Encerramento do Exercício de 2015 e Abertura do

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES AUDITORES INDEPENDENTES S/C SÃO PAULO - RUA MADRE CABRINI, 99 VILA MARIANA SP CEP: 04020-000 FONE (0xx11) 5574-5252 - FAX: 5574-5578 E-mail: binah@sti.com.br C.N.P.J.M.F. 47.174.537/0001-31 CRC 2SP 009.597/O-8

Leia mais

339039 Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica Total do Localizador Físico Servidor capacitado (Unidade)

339039 Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica Total do Localizador Físico Servidor capacitado (Unidade) Orçamento 1 Poder Legislativo Esfera/Programa/Acão/Localizador/NatDesp Função Subfunção/Fonte 1 01101 ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO AMAZONAS 3168 CAPACITAÇÃO DO SERVIDOR PÚBLICO 2002 Capacitação

Leia mais

****************************************************( XXXXX )****************************************************

****************************************************( XXXXX )**************************************************** Balancete Analítico de 01/02/2016 até 29/02/2016 Diário:26 Folha: 1 ATIVO - [12439] ATIVO CIRCULANTE - [12446] Disponivel - [12453] Caixa e Equivalentes de caixa - [13311] Caixa - [12467] Caixa Econômica

Leia mais

Com relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis

Com relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Confederação Brasileira de Remo em 31 de dezembro de 2015. Com relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis ÍNDICE I. Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS O Governo do Tocantins, nos termos do inciso VII, do artigo 40 da Constituição Estadual, por intermédio do Excelentíssimo

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Última Atualização: 28/02/2012 Programa do Módulo Módulo VIII Plano de Contas Aplicado

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Manual de Acesso ao Portal da Transparência do Governo do Estado do Amazonas

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Manual de Acesso ao Portal da Transparência do Governo do Estado do Amazonas Manual de Acesso ao Portal da Transparência do Governo do Estado do Amazonas Senhores usuários o objetivo deste manual é tornar acessível para o público em geral as informações disponibilizadas no Portal

Leia mais

RELATÓRIO DE ENDIVIDAMENTO

RELATÓRIO DE ENDIVIDAMENTO 31 março2013 CÂMARA MUNICIPAL DE CASCAIS ÍNDICE Endividamento 3 Capital em Dívida de Empréstimos / Aplicações Financeiras 4 Evolução Mensal da Liquidez do Município 6 Limites do Endividamento 8 Endividamento

Leia mais

A N E X O I I L R F - C Â M A R A M U N I C I PA L D E F O Z D O I G U A Ç U

A N E X O I I L R F - C Â M A R A M U N I C I PA L D E F O Z D O I G U A Ç U DEMONSTRAÇÃO DE DESPESA SEGUNDO CATEGORIAS ECONÔMICAS A N E X O I I L R F - C Â M A R A M U N I C I PA L D E F O Z D O I G U A Ç U B A S E D E D A D O S Sítio : www.cmfi.pr.gov.br (Câmara Municipal de

Leia mais

LEI Nº 002/2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, FAZ SABER,

LEI Nº 002/2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, FAZ SABER, LEI Nº 002/2006 CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO FUMDUR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02221-7 BRASIL INSURANCE PART. E ADM. S.A. 11.721.921/0001-60 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02221-7 BRASIL INSURANCE PART. E ADM. S.A. 11.721.921/0001-60 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Jatobá GOVERNO MUNICIPAL. Construindo com você RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO

Jatobá GOVERNO MUNICIPAL. Construindo com você RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO ^ Jatobá Anexo I, Módulo I, Inciso II, IN n. 09/05 do TCE/MA RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO O responsável pelo controle interno do Município de Jatobá, em atendimento à Instrução Normativa n. 009/2005 e

Leia mais

I BALANÇO SINTÉTICO 1 II PARTICIPAÇÃO SOCIETÁRIA 4 III COMPOSIÇÃO DO CAPITAL 5 IV HISTÓRICO DAS CONTAS 6 V HISTÓRICO DE INDICADORES 9

I BALANÇO SINTÉTICO 1 II PARTICIPAÇÃO SOCIETÁRIA 4 III COMPOSIÇÃO DO CAPITAL 5 IV HISTÓRICO DAS CONTAS 6 V HISTÓRICO DE INDICADORES 9 ÍNDICE I BALANÇO SINTÉTICO 1 II PARTICIPAÇÃO SOCIETÁRIA 4 III COMPOSIÇÃO DO CAPITAL 5 IV HISTÓRICO DAS CONTAS 6 V HISTÓRICO DE INDICADORES 9 VI MERCADO DE AÇÕES 10 VII INFORME INSTITUCIONAL 11 DF/DFR Av.

Leia mais

Estado de Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL DO OESTE

Estado de Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL DO OESTE LEI Nº 832 Anula e/ou reduz dotações do orçamento vigente para suplementação da Reserva de Contingência e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL DO OESTE: FAÇO saber a todos os habitantes

Leia mais

RESOLUCAO N. 003567/2008

RESOLUCAO N. 003567/2008 RESOLUCAO N. 003567/2008 RESOLUCAO 3.567 --------------- Dispõe sobre a constituição e o funcionamento de sociedades de crédito ao microempreendedor e à empresa de pequeno porte. O BANCO CENTRAL DO BRASIL,

Leia mais