PRIMEIRO ANO Maio de 2010 a Maio de Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRIMEIRO ANO Maio de 2010 a Maio de 2011. Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados. www.anvisa.gov."

Transcrição

1 PRIMEIRO ANO Maio de 2010 a Maio de 2011 Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados Brasília, maio de 2011

2 Copyright Agência Nacional de Vigilância Sanitária. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte. Depósito Legal na Biblioteca Nacional, conforme Decreto n.º 1.825, de 20 de dezembro de Diretor-Presidente Dirceu Brás Aparecido Barbano Chefe de Gabinete Vera Maria Borralho Bacelar Diretores Maria Cecília Martins Brito Jaime César de Moura Oliveira José Agenor Álvares da Silva Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados Paulo Biancardi Coury Gerência Geral de Tecnologia da Informação Edivar Antonio Marques Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 1

3 SUMÁRIO Apresentação... 3 Introdução... 4 Implementação... 5 Monitoramento... 8 Resultados Controle social Considerações finas ANEXOS Anexo I Lista de Postos Monitorados Anexo II Gráfico de dispersão para valores médios e desvio padrão da medida do risco (PSR) em fiscalização de embarcações de acordo com o fiscal ÍNDICE DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 - Processo de capacitação das equipes... 6 Figura 2- Tela de homologação de página na internet com resultados da avaliação de risco Gráfico 1 - Índice de conformidade por regiões... 9 Gráfico 2 - Índice de conformidade das CVPAFs no Sagarana na semana Gráfico 3 - Índice de Segurança de Navios de Cruzeiros na temporada 2010/ Gráfico 4 - Evolução do PSR por tipo de fiscalização Gráfico 5 - Evolução do PSR em embarcações de acordo com as áreas fiscalizadas Tabela 1 - Recursos orçamentários utilizados na capacitação... 6 Tabela 2 - Ítens aderidos para virtualização de aplicações... 7 Tabela 3 - Níveis de risco de acordo com valores de PSR para um controle Tabela 4 - Principais irregularidades por tipo de fiscalização Tabela 5- Distribuição dos Pontos de Risco em Embarcações Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 2

4 Apresentação SAGARANA é uma iniciativa da Gerência Geral de Portos, Aeroportos e Fronteiras GGPAF da ANVISA na padronização de processos de trabalho, gestão apoiada por indicadores e implementação de sala de situação em Emergências de Saúde Pública. O sistema SAGARANA foi validado em projeto piloto com recursos do Departamento de Informática do SUS (DATASUS). O nome do sistema é um neologismo de João Guimarães Rosa, que significa algo semelhante a uma Saga e traduz todos os esforços dos profissionais que atuaram e atuam na vigilância sanitária de Portos, Aeroportos e Fronteiras, além dos desafios futuros. Um desses desafios é continuar trabalhando para a melhoria das condições de saúde da população e na construção do SUS Sistema Único de Saúde brasileiro. Esse documento é um balanço do primeiro ano da implementação do Sagarana. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 3

5 Introdução O lançamento do Sagarana foi no dia 13 de maio de Naquele momento, a meta era implementar o sistema em 36 Pontos de Entrada até o final de Essa meta foi superada com a capacitação de 50 unidades, sendo que até a metade de 2011, 57 Postos estão sendo monitorados. Para consolidar a implementação, iniciou-se em novembro de 2010 o monitoramento da utilização do Sagarana nos 50 postos, enviando relatórios semanais para as Coordenações de Portos, Aeroportos e Fronteiras nos estados com a avaliação da incorporação do sistema na rotina, a partir da visualização dos dados inseridos pelas CVPAF, o que elevou gradativamente os índices de conformidades quanto à programação de atividades. A partir daí, foi possível iniciar, em fevereiro de 2011, o monitoramento técnico, avaliando a conformidade dos cadastros e das análises de risco realizadas. Com o acúmulo de informações de fiscalizações, já é possível avaliar a tendência do risco nos objetos de controle sanitário. Também é possível estabelecer medidas e desvios padrão a partir da mensuração do risco e, assim, ter padrões para se comparar internamente as análises realizadas. Após um ano de implementação do Sagarana, uma nova dimensão está sendo estabelecida, que é o controle social, por meio da disponibilização dos resultados da análise de risco para a sociedade. Essa nova dimensão demanda a evolução no modelo de gestão de risco adotado no Sagarana com a implementação do módulo de avaliação e tratamento de riscos, onde pelo qual será possível monitorar também as ações que são adotadas para reduzir ou eliminar os riscos à saúde. Dessa forma, a implementação do Sagarana se tornou meta da GGPAF no Contrato de Gestão da Anvisa. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 4

6 Implementação Como o projeto de automação realizado com recursos do DATASUS encerrou-se em maio de 2010, não havia até então planejamento orçamentário para implementar a proposta do Sagarana. Para isso, foram utilizados recursos da medida provisória para ações de prevenção da Influenza A H1N1, editada no ano de 2009 e reeditada em Devido à nova fase pós--pandêmica da influenza, na qual as medidas se concentravam em avaliação das capacidades e preparação para uma próxima pandêmia, decidiu-se utilizar esses recursos para o novo sistema que permite estruturar a sala de situação com informações da segurança sanitária dos Pontos de Entrada nacionais. A primeira etapa para iniciar a implementação do Sagarana foi o processo de aquisição das licenças para utilização do software de gestão de riscos utilizado no projeto piloto, denominado Risk Manager, e a consultoria para transferência de conhecimento da metodologia de operação do software. Isso foi viabilizado por meio do contrato nº 01/2010 firmado entre a empresa Módulo Security Solutions S/A e a Coordenação de Vigilância Sanitária de Portos, Aeroportos e Fronteiras do Mato Grosso, empenhado em 16 de junho de Esse contrato foi viabilizado sob a modalidade de adesão a uma ata de registro de preços, para os ítens da tabela 1. Tabela 1 ítens aderidos no contrato da CVPAF/MT e empresa Módulo Item de aquisição Atividade Un. Qte Período de Execução Valor Unitário (R$) Valor Total (R$) Anexo I-A, Item 1.7 Consultoria hora 985 junho a nov/ , ,00 Anexo I-B, Item Licença Módulo Gráfico un 1 junho/ , ,00 Anexo I-B, Item 1.2 Licença/Coordenação un 27 junho/ , ,00 Valor Total do Contrato: (R$) ,00 Os produtos entregues pela consultoria da empresa módulo foram os seguintes: Relatórios de Acompanhamento da implantação do Sagarana; Relatórios de Organização e Planejamento; Apoio na produção de vídeoaula para utilização do sistema; Manual de Instalação do sistema; Manual de geração de relatórios (ROR); Material para a capacitação referente à implantação do Sagarana; Disponibilização de bases de conhecimento: Climatização, Controle de Vetores, Navios de Cruzeiro e Serviços Médicos; Material para a capacitação referente à utilização do Painel de Controle (Dashboard) no Sagarana; Manutenção de todos os projetos criados pelos Postos até a semana epidemiológica de número 45; Revisão do modelo de gestão: implementação do monitoramento com criação de organização, base de conhecimento e manual de utilização; Apoio presencial na implantação do Sagarana nas coordenações: CVPAF/MG, CVPAF/AM, CVPAF/MT, CVPAF/SP, CVPAF/CE, CVPAF/MA, CVPAF/RJ, CVPAF/PE; Apoio à distância na implantação do Sagarana nas coordenações: CVSPAF/SC, CVSPAF/BA, CVSPAF/ES, CVPAF/PB, CVPAF/AL, CVPAF/SE, CVPAF/PI, CVPAF/AP, CVPAF/RN, CVPAF/MS e CVPAF/RS Em julho de 2010 foi enviada Orientação de Serviço para as Coordenações de Vigilância Sanitária de Portos, Aeroportos e Fronteiras, definindo os 36 Postos que seriam Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 5

7 capacitados inicialmente para utilizarem o novo sistema. As capacitações iniciaram no mesmo mês, utilizando o modelo de aula expositiva sobre o modelo de gestão de riscos, acompanhamento na utilização do software Risk Manager no cadastro, programação de atividades, realização de inspeções e emissão de relatórios, conforme modelo na Figura 1. Figura 1 - Processo de capacitação das equipes Atualmente, são 676 usuários habilitados para acessar o software Risk Manager, envolvendo técnicos da Gerência Geral, Coordenadores, Chefes de Postos e Fiscais nos Postos da Anvisa. A implementação alcançou 57 Postos de PAF até maio de 2011, capacitados, em grande parte, por técnicos do nível central e com apoio de técnicos das CVPAFs, conforme Anexo I. Os gastos com passagens e diárias, até o momento, são apresentados na Tabela 2. Tabela 1 - Recursos orçamentários utilizados na capacitação Recursos no Planor Diárias Passagens Total R$ Planejamento GGPAF 7.489, , ,81 Medida provisória Influenza , , ,09 TOTAL UTILIZADO , , ,90 Em novembro de 2010, outra necessidade se tornou imperativa: aumentar a velocidade da internet nos Postos para melhorar o desempenho do software Risk Manager. Em contato com a área de Infraestrutura de Informática, verificou-se que o contrato com empresa que ofertava a internet estava no limite da velocidade contratada, o que levou a buscar soluções alternativas. A solução que mostrou melhor resultado e menor custo após testes foi a virtualização das aplicações com o software Xenapp da Citrix. Dessa forma, o tempo de algumas operações que levavam até 20 minutos em localidades distantes passou a levar segundos, ou seja, com desempenho semelhante ao verificado no nível central. A Anvisa aderiu à ata de registro de preços e o software de virtualização foi empenhado em 09 de dezembro de 2010, conforme os valores da Tabela 3, e instalado na semana seguinte. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 6

8 ITEM Tabela 2 - Ítens aderidos para virtualização de aplicações DESCRIÇÃO VALOR VALOR QTDE UNITÁRIO (R$) TOTAL (R$) Software para Virtualização de Aplicações Licença de Uso 1.265, ,00 Microsoft Windows Terminal Services Client Access License Licença de Uso 280, ,00 Projeto e Implantação da Solução de Virtualização de Aplicações , ,00 Transferência de Tecnologia para a Solução de Virtualização de Aplicações 8.000, ,00 05 Suporte Técnico Presencial por Banco de Horas 220, ,00 Custo Total ,00 Em dezembro de 2010 foi realizado o pregão para aquisição de equipamentos smartphones para registro eletrônico das inspeções. Porém, a empresa não entregou os equipamentos contratados e, até o momento, não foi possível viabilizar aos fiscais esse recurso previsto na arquitetura da solução e trabalhado nas capacitações. Uma solução alternativa foi obtida pela CVPAF/PR, que solicitou à Receita Federal de Foz do Iguaçu e obteve, por meio de doação, cerca de 80 netbooks. Apesar de não estar previsto na estrutura e nas capacitações, esse equipamento permite o registro offline das inspeções e importação dos dados para o sistema, evitando o retrabalho de digitação de informações coletadas em formulários de papel. Os netbooks foram distribuídos entre as CVPAF e já estão sendo utilizados. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 7

9 Monitoramento Os postos são submetidos à rotina semanal de monitoramento da gestão do sistema, implantada desde novembro de 2010, que contempla a avaliação da programação das atividades, a completude do preenchimento dos questionários de fiscalização e a conclusão das atividades. Os Postos monitorados são apresentados na Figura 2. Figura 2 - Postos da Anvisa em Portos, Aeroportos e Fronteiras monitorados no sistema Sagarana Semanalmente, essas CVPAFs recebem relatório com os padrões a melhorar, sendo que o índice de conformidade estabelecido vem subindo gradativamente. Esse índice é calculado a partir da divisão dos padrões atendidos pelo total de padrões aplicáveis aos Postos. Após a primeira avaliação, foram realizadas, em dezembro de 2010, videoconferências com as Coordenações, observando-se, após essa atividade, melhorias nos padrões, conforme Gráfico 1. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 8

10 Gráfico 1 - Índice de conformidade por regiões Fonte: Risk Manager Módulo Dashboard Atualmente, atingiu-se, em média mais de 70% de conformidade na utilização do Sagarana nas fiscalizações, conforme se observa no Gráfico 2. Gráfico 2 - Índice de conformidade das CVPAFs no Sagarana na semana 15/11 Fonte: Risk Manager Módulo Dashboard Ainda no primeiro trimestre de 2011, iniciou-se o monitoramento técnico para se avaliar o conteúdo das fiscalizações. Foram avaliadas as fiscalizações das semanas epidemiológicas de 01 a 04 e relatórios com as necessidades de adequação foram enviados para cada CVPAF. Para aprofundar a dimensão técnica da fiscalização, foram realizadas videoconferências com cada CVPAF e suas equipes, momento em que se discutiu resultados e se definiram encaminhamentos. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 9

11 Resultados O Risk Manager utiliza um método de análise de riscos que calcula o índice de risco ( Risk Index ) denominado PSR. O PSR é obtido pela multiplicação do valor da Probabilidade (P) de um agente de ameaça em explorar determinada vulnerabilidade de um ativo de fiscalização, da Severidade (S) que esse agente de ameaça representa e da Relevância (R) que esse ativo tem para a saúde pública. Esses valores para P, S e R podem variar de 1 a 5 pontos, de acordo com a avaliação de muito baixo a muito alto, conforme representado no Figura 3. Figura 3 - Representação especial dos valores para PSR Fonte: Risk Manager Dessa forma, os valores de risco para um controle, ou padrão sanitário previsto na legislação, podem variar de 1 a 125 pontos. De acordo com os valores atribuídos para P, S e R, podem ser atribuídas, ainda, faixas de risco, conforme a Tabela 3. Tabela 3 - Níveis de risco de acordo com valores de PSR para um controle O módulo de Painel de Controle (Dashboard) do software Risk Manager permite criar gráficos que são atualizados regularmente a partir das informações inseridas pelos Postos. O software foi configurado para atualizar as informações a cada três horas, o que permite um acompanhamento bastante oportuno do risco verificado nas fiscalizações. Um dos objetos de fiscalização que foi integrado ao Sagarana nesse período, foi a fiscalização de navios de cruzeiro. Todos os navios da temporada foram fiscalizados por equipe capacitada para a utilização do roteiro de inspeção, e os resultados estão disponíveis no Gráfico 3. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 10

12 Gráfico 3 - Índice de Segurança de Navios de Cruzeiros na temporada 2010/2011 Fonte:Risk Manager módulo Dashboard Os dados de avaliação de risco em navios de Cruzeiros refletem o comprometimento do setor em garantir a segurança sanitária dos passageiros e tripulantes. Esse padrão de segurança também é observado nos dados de avaliação de Cruzeiro do programa Vessel do Centro do Controle de Doenças do Governo dos Estados Unidos 1 e refletem a capacidade do sistema para avaliar riscos. Ao analisar os demais roteiros de inspeções, percebe-se que há limitações para realizar afirmações sobre os riscos sanitários a partir dos dados coletados. Uma dessas limitações é a atribuição de uma amostra aleatória nesse universo tão heterogêneo como o brasileiro, associada ao fato de que a implementação do sistema não atinge 100% dos postos. Outro viés importante refere-se à interpretação diferenciada das questões dos roteiros de inspeção. Verificou-se, no monitoramento técnico, que no tocante aos comentários de controles que deveriam ser assinalados como não implementados ou não aplicados, de fato, houve entendimento diferenciado entre os fiscais que realizam as inspeções. Ao completar um ano de seu lançamento, o sistema Sagarana já acumulou informações registros de inspeções. Ao se analisar a distribuição dos pontos de risco (PSR no software Risk Manager) por objeto de fiscalização, verifica-se que, dentre os objetos de fiscalização já implementados no sistema, identificam-se maior número de irregularidades em Embarcações, conforme apresentado no Gráfico 4. Gráfico 4 - Evolução do total do PSR por tipo de fiscalização Fonte: Risk Manager Módulo Dashboard Entretanto, é necessário avaliar que esse resultado também se deve ao maior número de ativos fiscalizados desse tipo em relação aos demais. No período analisado, foram cadastradas e fiscalizadas 2240 embarcações, 1140 vôos, 10 linhas de ônibus internacionais, 109 sistema de 1 Os dados do programa Vessel podem ser consultados na internet no endereço Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 11

13 oferta de água para consumo humano, 47 sistema de climatização, 184 sistema de gerenciamento de resíduos sólidos, 342 estabelecimentos de alimentação, 151 sistema de controle de vetores. O módulo de painel de controle tem o recurso de aprofundamento da análise (Drill Down) por diferentes aspectos. Ao selecionar cada tipo de fiscalização e, em seguida, o agrupamento de controle, pode-se verificar as áreas fiscalizadas com maior risco, conforme exemplo apresentado no Gráfico 5, para as áreas fiscalizadas em embarcações. Gráfico 5 - Evolução do total do PSR em embarcações de acordo com as áreas fiscalizadas Fonte: Risk Manager Módulo Dashboard Na Tabela 4 estão identificadas as principais irregularidades de acordo com o tipo de fiscalização. Tabela 4 - Principais irregularidades por tipo de fiscalização Meios de Transporte Principal irregularidade Embarcações equipamentos e procedimentos inadequados na cozinha Aeronaves Ônibus Internacionais Infraestrutura e serviços Serviços de Alimentação Gerenciamento de Resíduos Sólidos Água para Consumo Humano Controle de Vetores Sistema de Climatização procedimentos de abastecimento e acondicionamento de alimentos realizados de forma inadequada ausência de documentação sanitária área física inadequada centrais de resíduos inadequada pontos de oferta inadequados (Ex.: bebedouros e hidrantes próximo a contaminantes) presença de criadouros para vetores (Ex.: água parada, resíduos espalhados) ausência de resultados de avaliação da qualidade do ar Além dos resultados imediatos das fiscalizações, os dados permitem análises de tendência centrais. Na análise estatística dos PSR de 1283 fiscalizações em embarcações realizadas até o mês de janeiro, verificou-se que a média de PSR foi 82 com desvio-padrão de 154 pontos. Ao verificar essa distribuição por fiscais, conforme Anexo II, é possível afirmar que há variação nas análises de acordo com os fiscais, refletindo questões regionais, por exemplo, as embarcações regionais da região amazônica e a diversidade na formação da equipe, composta por profissionais de nível fundamental, médio e superior. Ao agrupar esses valores por faixas de risco, verifica-se que 56% das inspeções realizadas em Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 12

14 embarcações estavam nas faixas de risco baixo ou muito baixo, ou seja, apresentavam pouca ou nenhuma irregularidade, conforme se verifica na Tabela 6. Tabela 5- Distribuição dos Pontos de Risco em Embarcações Pontos de Risco (PSR) Qt. cit. Freq. Menos de 6 (muito baixo) ,2% De 6 a 16 (baixo) 77 6,0% De 16 a 30 (baixo) ,0% De 30 a 50 (médio) 111 8,7% De 50 a 125 (alto) ,7% De 125 a 500 (muito alto) ,2% De 500 a 1000 (muito alto) 22 1,7% Mais de 1000 (muito alto) 7 0,5% TOTAL CIT % Essas análises permitem discutir com maior precisão os problemas sanitários enfrentados em Portos, Aeroportos e Fronteiras, de modo a subsidiar a tomada de decisão e direcionamento dos esforços. Com a implementação plena do sistema Sagarana até o final de 2011, está prevista a avaliação dos indicadores de risco e conformidade para, então, estabelecer meta de redução ou eliminação de risco para os diferentes ambientes e processos fiscalizados em cada ponto de entrada. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 13

15 Controle social A implementação do Sagarana em 80% dos Postos da Anvisa em Portos, Aeroportos e Fronteiras passou a ser uma das metas no Contrato de Gestão da Anvisa para ano de Essa meta é uma transição para o objetivo do sistema em estabelecer um indicador de risco sanitário para a GGPAF que explicitará a missão da Anvisa de eliminar ou reduzir os riscos decorrentes de produtos e serviços nos pontos de entrada ao País. A disponibilização dos resultados para a população é uma etapa da implementação do Sagarana almejada desde a sua concepção. A ferramenta que possibilitará essa tarefa já está disponível para testes, conforme exemplo na Figura 4, e breve estará acessível na internet para consulta. Figura 4- Tela de homologação de página na internet com resultados da avaliação de risco A criação de painéis com resultados das fiscalizações para a população possibilitará que viajantes, trabalhadores, gestores e operadores do setor possam verificar o risco sanitário dos ambientes, embarcações e serviços que utilizam ou operam, e possam enviar suas avaliações e percepção sobre os problemas. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 14

16 Considerações finas Avaliando os dados e informações apresentadas neste relatório, é possível afirmar que a implementação do sistema Sagarana superou as expectativas iniciais, se tornando a principal ferramenta de gestão da atividade fim da GGPAF, CVPAFs e Postos da Anvisa em Portos, Aeroportos e Fronteiras. Ainda nesse semestre está programada a capacitação das equipes de Tocantins e Goiás, completando a etapa inicial de implantação do Sagarana em todas as CVPAFs. Já está elaborado o Termo de Referência e iniciado o processo para aquisição do módulo de Tratamento de Riscos (Workflow) do software Risk Manager e consultoria para estabelecer o modelo de gestão de riscos de produtos importados. Com isso, serão iniciadas as etapas de gestão da avaliação e tratamento de Risco prevista no modelo de gestão e, assim, serão contemplados todos os objetos de fiscalização em Portos, Aeroportos e Fronteiras. Atualmente, busca-se identificar formas alternativas para adquirir equipamentos para registrar eletronicamente as fiscalizações, considerando a limitação orçamentária e o tempo e esforços despendidos em um processo de licitação que, conforme experiência, pode acabar em insucesso. Muito trabalho ainda é necessário por parte de todos os envolvidos para atingir os padrões estabelecidos no monitoramento de forma a garantir uma implementação plena do Sistema. Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 15

17 ANEXOS Anexo I Lista de Postos Monitorados REGIÃO CVPAF PVPAF INÍCIO CO DF 1. PA Brasília 11/02/2010 MT 2. PA Cuiabá 09/08/2010 MS 3. PF Corumbá 22/11/2010 AL 4. PA Maceió 03/11/2010 AL 5. PP Maceió 03/11/2010 BA 6. PA Salvador 23/08/2010 BA 7. PP Salvador 23/08/2010 CE 8. PP Fortaleza 27/09/2010 CE 9. PA Fortaleza 27/09/2010 CE 10. PP Pecém 27/09/2010 MA 11. PA São Luiz 13/09/2010 MA 12. PP Itaquí 13/09/2010 NE PB 13. PA João Pessoa 25/10/2010 PB 14. PP Cabedelo 25/10/2010 PE 15. PP Recife 13/10/2010 PE 16. PA Recife 13/10/2010 PE 17. PP Suape 13/10/2010 SE 18. PP Aracajú 03/11/2010 SE 19. PP Barra dos 03/11/2010 PI 20. PA Teresina 08/11/2010 PI 21. PP Parnaíba 08/11/2010 RN 22. PP Natal 13/12/2010 RN 23. PA Natal 13/12/2010 AM 24. PA Manaus** 26/07/2010 AM 25. PP Manaus** 26/07/2010 PA 26. PA Belém 22/02/2010 PA 27. PP Belém 09/08/2010 NO PA 28. PP Vila do Conde** 09/08/2010 AP 29. PA Macapá** 08/11/2010 AP 30. PP Santana** 08/11/2010 RR 31. PA Boa Vista 28/03/2011 RO 32. PA Porto Velho 15/03/2011 RO 33. PP Porto Velho 15/03/2011 AC 34. PA Rio Branco 17/03/2011 ES 35. PP Tubarão 02/08/2010 ES 36. PP Vila Velha 02/08/2010 MG 37. PA Confins 19/07/2010 RJ 38. PA Rio de 20/09/2010 SE RJ 39. PP Rio de Janeiro 20/09/2010 RJ 40. PP Itaguaí 20/09/2010 SP 41. PA Guarulhos 01/03/2010 SP 42. PA 18/10/2010 SP 43. PA São 18/10/2010 SP 44. PP Santos 18/10/2010 PR 45. PF Foz de Iguaçu 22/02/2010 PR 46. PP Paranaguá 01/03/2010 PR 47. PA Maringá* 04/10/2010 PR 48. PA Curitiba 04/04/2011 RS 49. PP Rio Grande 25/10/2010 SU RS 50. PP Porto Alegre 25/10/2010 RS 51. PA Porto Alegre 25/10/2010 RS 52. PA Uruguaiana 25/10/2010 SC 53. PA Florianopolis 09/08/2010 SC 54. PP Itajai 09/08/2010 SC 55. PP São Francisco 09/08/2010 SC 56. PP Imbituba* 01/01/2011 SC 57. PA Joinville* 01/01/2011 OBS: * Capacitados pela própria CVPAF; ** Capacitados pela CVPAF/PA Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 16

18 Anexo II Gráfico de dispersão para valores médios e desvio padrão da medida do risco (PSR) em fiscalização de embarcações de acordo com o fiscal Primeiro ano (maio 2010 a maio 2011) - p. 17

Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados

Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados Relatório 2012 Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados www.anvisa.gov.br Brasília, março de 2013 Copyright 2007. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. É permitida a

Leia mais

Boas Práticas na prestação de serviços em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados

Boas Práticas na prestação de serviços em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados Reunião Ordinária da Câmara Setorial de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados - CSPAF Boas Práticas na prestação de serviços em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados Leonardo

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL

SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL COMPETÊNCIAS DA ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Paulo Biancardi Coury Gerente

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

UN 4 0,00 Catraca pedestal com cofre com leitor smart card

UN 4 0,00 Catraca pedestal com cofre com leitor smart card ITEM 1 - Município - Rio de Janeiro - RJ ANEXO II DO TERMO DE REFERÊNCIA QT Valor Unitário R$ Valor Total R$ 1 - Projeto (verba para infraestrutura e ativação local) VB 1 Software de Acesso - Licença Web

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

ANEXO II - PLANILHA DE FORMAÇÃO DE PREÇOS - MODELO DE PROPOSTA PROPOSTADEFORNECIMENTO

ANEXO II - PLANILHA DE FORMAÇÃO DE PREÇOS - MODELO DE PROPOSTA PROPOSTADEFORNECIMENTO ANEXO II - PLANILHA DE FORMAÇÃO DE PREÇOS - MODELO DE PROPOSTA PROPOSTADEFORNECIMENTO Ref.:COTAÇÃO ELETRÔNICANº003/2015 ApresentamosnossapropostaparafornecimentodosItensabaixodiscriminados,conformeAnexoI

Leia mais

Página 1 de 8 IPI - Jurisdição - Regiões fiscais 18 de Maio de 2012 Em face da publicação da Portaria MF nº 203/2012 - DOU 1 de 17.05.2012, este procedimento foi atualizado (novas disposições - tópico

Leia mais

Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000

Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000 5. órgãos do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000

Leia mais

II Fórum de Coordenadores de imunizações dos estados e de municípios de capital, 2014

II Fórum de Coordenadores de imunizações dos estados e de municípios de capital, 2014 II Fórum de Coordenadores de imunizações dos estados e de municípios de capital, 2014 Situação e mecanismo para avançar no processo de implantação do SIPNI Carla Magda A. S. Domingues Coordenadora Geral

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Brasília, 11 de junho de 2014. SISTEMÁTICA ATUAL Desde 01/01/2010, o INSS direciona os benefícios para o vencedor do Lote, desde que

Leia mais

Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: Analista Superior I

Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: Analista Superior I Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: AS I - Arquivista AS I Assistente Social AS I Biólogo Analista

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE O CADASTRAMENTO DAS COORDENAÇÕES MUNICIPAIS DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - CMCIH 2010/2012

RELATÓRIO SOBRE O CADASTRAMENTO DAS COORDENAÇÕES MUNICIPAIS DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - CMCIH 2010/2012 RELATÓRIO SOBRE O CADASTRAMENTO DAS COORDENAÇÕES MUNICIPAIS DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - CMCIH 200/202 Brasília, Maio de 202 Diretores: Dirceu Brás Aparecido Barbano Diretor-Presidente Jaime Cesar

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

Controle de Fronteiras no Brasil. André Zaca Furquim. Divisão de Controle de Imigração. Polícia Federal. Brasil

Controle de Fronteiras no Brasil. André Zaca Furquim. Divisão de Controle de Imigração. Polícia Federal. Brasil Controle de Fronteiras no Brasil André Zaca Furquim Divisão de Controle de Imigração Polícia Federal Brasil 1 Migratório; Aduaneiro; Sanitário; Controles Ministério da Agricultura; Ministério do Meio-ambiente

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA

ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA Visas Estaduais ACRE AC ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA Gerente Da Divisão De Vigilância Sanitária Estadual Rua Benjamim Constant, Nº 830, 4º Andar - Centro CEP: 69908-520 Rio Branco AC Tel.: (68) 3215-2774

Leia mais

NOTA TÉCNICA 34 2012 REPASSES DE RECURSOS PARA A VIGILÂNCIA SANITÁRIA

NOTA TÉCNICA 34 2012 REPASSES DE RECURSOS PARA A VIGILÂNCIA SANITÁRIA NOTA TÉCNICA 34 2012 REPASSES DE RECURSOS PARA A VIGILÂNCIA SANITÁRIA Brasília, 17 de outubro de 2013 1 SUMÁRIO Apresentação... 03 Portaria 1 - "Regulamenta o incentivo financeiro destinado à Capacitação

Leia mais

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional:

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avaliações para o desenho amostral em rodovias segundo a metodologia proposta para a PTI Palestrante: Alfredo García Ramos (Consultor

Leia mais

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 (Estudo Técnico nº 175) François E. J. de Bremaeker Salvador, julho de 2012 2 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo Associação

Leia mais

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 EQUIPE TÉCNICA DO IPETURIS Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: César Melo Tamiris Martins Viviane Silva Suporte: Gerson

Leia mais

Regiões Metropolitanas do Brasil

Regiões Metropolitanas do Brasil Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia IPPUR/UFRJ CNPQ FAPERJ Regiões Metropolitanas do Brasil Equipe responsável Sol Garson Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro Juciano Martins Rodrigues Regiões Metropolitanas

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS RESULTADOS 2009. Brasília, 30 de março de 2010

SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS RESULTADOS 2009. Brasília, 30 de março de 2010 SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados RESULTADOS 2009 Brasília, 30 de março de 2010 SNGPC Ferramenta informatizada para captura

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 57ª PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL PNE * PROFISSIONAL JÚNIOR ANALISTA DE SISTEMAS - ÊNFASE EM DESENVOLVIMENTO EM ERP

Leia mais

Ministério das Cidades. Plano de Ação em Habitação e Saneamento em Regiões Metropolitanas

Ministério das Cidades. Plano de Ação em Habitação e Saneamento em Regiões Metropolitanas Ministério das Cidades Plano de Ação em Habitação e Saneamento em Regiões Metropolitanas UMA VISÃO GERAL DO QUADRO METROPOLITANO BRASILEIRO Definição Formal 26 26 Regiões Metropolitanas definidas em em

Leia mais

Configuração de NFe. Acesse o módulo Administrativo.

Configuração de NFe. Acesse o módulo Administrativo. Configuração de NFe Para definir as configurações (Parâmetros) de cada empresa ou filial cadastrada no sistema para envios de NF-e, proceda da seguinte forma: Acesse o módulo Administrativo. Clique no

Leia mais

Plano Nacional de Logística Portuária PNLP

Plano Nacional de Logística Portuária PNLP Programa de Investimentos, Arrendamentos e TUPs, e o Potencial do Pará como novo Corredor de Exportação LUIS CLAUDIO S. MONTENEGRO Diretor de Informações Portuárias SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA

Leia mais

Oficina de Avaliação sobre a Implantação e Utilização do e-sus AB GT e-sus AB/DAB/SAS/MS Maio de 2015

Oficina de Avaliação sobre a Implantação e Utilização do e-sus AB GT e-sus AB/DAB/SAS/MS Maio de 2015 Estratégia e-sus AB caminhos da implantação Oficina de Avaliação sobre a Implantação e Utilização do e-sus AB GT e-sus AB/DAB/SAS/MS Maio de 2015 Assista o vídeo que mostra como os profissionais de saúde

Leia mais

Projeto Hospitais Sentinela: A experiência da Anvisa e da Rede Sentinela no Controle de EA em Hospitais

Projeto Hospitais Sentinela: A experiência da Anvisa e da Rede Sentinela no Controle de EA em Hospitais Projeto Hospitais Sentinela: A experiência da Anvisa e da Rede Sentinela no Controle de EA em Hospitais Anvisa: : Agência Nacional de Vigilância Sanitária Clarice Alegre Petramale EPI 2008 Um pouco de

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Atualização: 26/outubro Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança

Leia mais

famílias de baixa renda com acesso aos direitos

famílias de baixa renda com acesso aos direitos Acompanhamento das Condicionalidades do Programa Bolsa Família Na Saúde Seminário Regional Programa Bolsa Família na Saúde - 2009 Programa Bolsa Família Programa de transferência de renda para famílias

Leia mais

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Repasse financeiro do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde Estaduais, Municipais e do Distrito Federal, por meio do Piso Variável

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA Programa Nacional de Capacitação e Qualificação ABLA Convênio nº 635/2007. Objeto: Aumentar a qualidade na prestação de serviços e competitividade dos

Leia mais

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Seminário Internacional sobre Tributação Imobiliária FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Maria Cristina Mac Dowell maria-macdowell.azevedo@fazenda.gov.br

Leia mais

Desafios e Oportunidades de Melhorias no Atendimento às Demandas de PAF pela Rede Analítica de Laboratórios

Desafios e Oportunidades de Melhorias no Atendimento às Demandas de PAF pela Rede Analítica de Laboratórios Desafios e Oportunidades de Melhorias no Atendimento às Demandas de PAF pela Rede Analítica de Laboratórios Juliana de Melos Couto de Almeida Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos

Leia mais

DO COLETÂNEA ONLINE. Brasil Dados Públicos. atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União,

DO COLETÂNEA ONLINE. Brasil Dados Públicos. atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União, folheto de especificações ONLINE atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União, Estados e Municípios Base de dados eletrônica que contém a íntegra

Leia mais

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Seminário de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos Mesa Redonda I Exposição humana a agrotóxicos: ações em desenvolvimento Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Coordenação

Leia mais

ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA

ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA Visas Estaduais ACRE AC ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA Gerente Da Divisão De Vigilância Sanitária Estadual Rua Benjamim Constant, Nº 830, 4º Andar - Centro CEP: 69908-520 Rio Branco AC Tel.: (68) 3215-2774

Leia mais

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011 Transporte Escolar nos Estados e no DF Novembro/2011 UFs onde existe terceirização total ou parcial (amostra de 16 UFs) AC AL AP AM DF GO MT MS PB PI RJ RN RO RR SE TO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO

Leia mais

Relação das VISAS Municipais (capitais)

Relação das VISAS Municipais (capitais) ACRE AC Edson Carneiro da Costa Filho Diretor AV. CEARÁ, 3188 - BAIRRO ABRÃO ALABI ABRÃO ALABI Rio Branco AC 69907-000 (68) 3226-2113 (68) 3213-2113 devisa@riobranco.ac.gov.br ALAGOAS - AL Ednaldo Balbino

Leia mais

O e-sus AB no Ceará. COSEMS - Fortaleza 08 de maio de 2015

O e-sus AB no Ceará. COSEMS - Fortaleza 08 de maio de 2015 O e-sus AB no Ceará COSEMS - Fortaleza 08 de maio de 2015 e-saúde e o SUS Reestruturação dos sistemas de informação em saúde do MS em busca de um SUS eletrônico: Cartão Nacional de Saúde e-sus Hospitalar

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança Metodologia Seleção

Leia mais

24º Fórum de Debates Brasilianas.org

24º Fórum de Debates Brasilianas.org Transportes 24º Fórum de Debates Brasilianas.org Os desafios da logística e infraestrutura Marcos regulatórios e entraves burocráticos Reginaldo Cardoso São Paulo, 30 de Maio de 2012 Deutsche Post - DHL

Leia mais

RELAÇÃO DAS VISAS ESTADUAIS ATUALIZADA EM 19 DE JUNHO DE 2012 ACRE AC

RELAÇÃO DAS VISAS ESTADUAIS ATUALIZADA EM 19 DE JUNHO DE 2012 ACRE AC RELAÇÃO DAS VISAS ESTADUAIS ATUALIZADA EM 19 DE JUNHO DE 2012 ACRE AC ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA Gerente Da Divisão De Vigilância Sanitária Estadual Rua Benjamim Constant, Nº 830, 4º Andar - Centro

Leia mais

DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE COMPRAS ESTADUAIS

DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE COMPRAS ESTADUAIS DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DOS MODELOS DE COMPRAS ESTADUAIS Grupo de trabalho Metodologia BID ENAP Modelo colaborativo de construção e desenvolvimento do projeto com grupo multidisciplinar

Leia mais

CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE & RES 2012

CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE & RES 2012 CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE & RES 2012 CARTÃO - DADOS GERAIS DO CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE Todos os 5.564 municípios brasileiros e mais o Distrito Federal já realizaram cadastramentos e emitiram o Cartão Nacional

Leia mais

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros > Lia Hasenclever (IE/UFRJ) 10º Encontro da ReINC 08 e 09 de novembro de 2007 Grupo

Leia mais

GGPAF GERÊNCIA-GERAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE PORTOS, AEROPORTOS, FRONTEIRAS E RECINTOS ALFANDEGADOS

GGPAF GERÊNCIA-GERAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE PORTOS, AEROPORTOS, FRONTEIRAS E RECINTOS ALFANDEGADOS GGPAF GERÊNCIA-GERAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE PORTOS, AEROPORTOS, FRONTEIRAS E RECINTOS ALFANDEGADOS de Vigilância Sanitária - ANVISA Finalidade Institucional: Promover a proteção da saúde da população

Leia mais

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Tabulação dos Resultados da Pesquisa Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios

Leia mais

PLATAFORMA DE GESTÃO AGROPECUÁRIA ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA CNA/MAPA

PLATAFORMA DE GESTÃO AGROPECUÁRIA ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA CNA/MAPA PLATAFORMA DE GESTÃO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA CNA/MAPA Histórico 2009/novembro Governo edita lei 12.097 que dispões sobre a rastreabilidade bovídea no Brasil: - Marca a Fogo - Guia de Transito Animal

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40.

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40. BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 414.745,41 233.717,31 309.486,24 320.128,57 267.045,80 205.498,88

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

SITUAÇÃO ATÉ 10/04/2015 CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS (2) VAGAS OFERTADAS (1)

SITUAÇÃO ATÉ 10/04/2015 CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS (2) VAGAS OFERTADAS (1) SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO EDITAL Nº 1 SERPRO, DE 26 DE FEVEREIRO

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA Técnico Bancário Novo AC Cruzeiro do Sul 1618 CR* Técnico Bancário Novo AC Rio Branco 6648 CR * Técnico Bancário Novo AC Sena Madureira 1065 CR* Técnico Bancário Novo AL Maceió 22524 CR * Técnico Bancário

Leia mais

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia Regiões de Influência das Cidades 2007 Objetivos Gerais Hierarquizar os centros urbanos Delimitar as regiões de influência associadas aos centros urbanos

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL SOLUÇÕES JÁ DISPONÍVEIS

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL SOLUÇÕES JÁ DISPONÍVEIS APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL DESENVOLVENDO SOLUÇÕES INOVADORAS DE TI PARA O MONITORAMENTO, OPERAÇÃO E GESTÃO DE PROCESSOS, AGREGANDO PRODUTIVIDADE E QUALIDADE ÀS ATIVIDADES DOS NOSSOS CLIENTES. 01 Gerenciamento

Leia mais

DO BACO INFORMA. Brasil Dados Públicos. O que é o DO BACO INFORMA

DO BACO INFORMA. Brasil Dados Públicos. O que é o DO BACO INFORMA especificações Busca textual pré-definida pelo assinante a qualquer conteúdo publicado em 213 Diários Oficiais de 27 Estados. O BACO Informa leva informação onde você estiver. O que é o O BACO INFORMA

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (arquivo da Creche Carochinha) Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem qualquer

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS IV ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura 28 a 30 de maio de 2008 Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS

Leia mais

Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado

Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado Consultor Sebrae Nacional PARCERIAS MPOG - Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão/SLTI CONSAD Conselho Nacional de Secretários

Leia mais

Vigilância em saúde para prevenção de surtos de doenças de transmissão hídrica decorrentes dos eventos climáticos extremos

Vigilância em saúde para prevenção de surtos de doenças de transmissão hídrica decorrentes dos eventos climáticos extremos Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Unidade de Vigilância das Doenças de Transmissão

Leia mais

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL Programa: 0569 - PRESTAÇÃO JURISDICIONAL NA JUSTIÇA FEDERAL Objetivo: Garantir pleno exercício do direito por meio da prestação dos serviços jurisdicionais, observando o disposto

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL JUSTIFICATIVA A experiência na implementação da primeira versão do Programa Contabilizando o Sucesso

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA Cargo Pólo Trabalho Vagas Candidatos Candidato/Vaga

Leia mais

UF MUNICÍPIO TIPO TELEFONE 1 TELEFONE 2 E-MAIL INSTITUCIONAL 1

UF MUNICÍPIO TIPO TELEFONE 1 TELEFONE 2 E-MAIL INSTITUCIONAL 1 AC Rio Branco Cerest Estadual (68) 3223-4266 cerest.saude@ac.gov.br AL Maceió Cerest Estadual (82) 3315-2759 (82) 3315-3920 cerest@saude.al.gov.br AL Maceió Cerest Regional (82) 3315-5260 cerest@sms.maceio.al.gov.br

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*)

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*) MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*) Institui o Concurso de Remoção de 2009, destinado a ocupantes do cargo de Auditor-Fiscal

Leia mais

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento ÓRGÃO: 56000 - Ministério das Cidades UNIDADE: 56101 - Ministério das Cidades ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTAÇÃO) Crédito Suplementar Recurso de Todas as Fontes R$ 1,00 FUNCIONAL PROGRAMÁTICA

Leia mais

Diagnóstico Situacional da capacidade instalada Rede de Frio Crie Vigilância de Eventos Adversos

Diagnóstico Situacional da capacidade instalada Rede de Frio Crie Vigilância de Eventos Adversos Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações CGPNI Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis DEVIT Secretaria de Vigilância em Saúde SVS Diagnóstico Situacional da capacidade instalada

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Antecipação de destino e chamada

Antecipação de destino e chamada Antecipação de destino e chamada 1 2 Bem-vindo ao futuro! ADC XXI, a mais avançada tecnologia em sistemas de antecipação de destino e chamadas, desenvolvido pela ThyssenKrupp Elevadores para trazer ainda

Leia mais

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 1. Introdução O presente relatório objetiva apresentar os resultados estatísticos obtidos durante o período

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS Nota Técnica 7/13 (7 de Maio) Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Núcleo de Assuntos Econômico-Fiscais NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS IMPACTOS DA DIVISÃO DO

Leia mais

Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada

Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada 1400008703 BELEM PA 339 1400008703 BELO HORIZONTE MG 2.034 1400008703 BRASILIA DF 1.356 1400008703 CONGONHAS MG 54 1400008703 CUIABA MT 678 1400008703 GOIANIA GO

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012 POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS Lei 12.334/2010 Carlos Motta Nunes Dam World Conference Maceió, outubro de 2012 Características da barragem para enquadramento na Lei 12.334/10 I - altura do

Leia mais

Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros

Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros Denise Mafra Gonçalves; Maria Cristina Abreu Martins de Lima;

Leia mais

CONVOCAÇÕES REALIZADAS ATÉ 01/01/2012

CONVOCAÇÕES REALIZADAS ATÉ 01/01/2012 SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO EDITAL Nº 1 SERPRO, DE 08 DE OUTUBRO

Leia mais

Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde- GGTES Gerência-Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados- GGPAF

Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde- GGTES Gerência-Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados- GGPAF PROTOCOLO DE USO DE EPI Orientações sobre a necessidade do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI s) para os serviços de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados. Gerência-Geral

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

VIII Reunião Nacional de Vigilância Sanitária de Alimentos. Goiânia/GO - 2012. GT-Monitoralimentos

VIII Reunião Nacional de Vigilância Sanitária de Alimentos. Goiânia/GO - 2012. GT-Monitoralimentos VIII Reunião Nacional de Vigilância Sanitária de Alimentos Goiânia/GO - 2012 GT-Monitoralimentos GRUPO DE TRABALHO GT - MONITORALIMENTOS Criado durante o V Encontro Nacional da Vigilância Sanitária de

Leia mais

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010 Posição Nome do Município Estado Região RM, RIDE ou Aglomeração Urbana 1 Salvador BA Nordeste RM Salvador 2 Maceió AL Nordeste RM Maceió 3 Rio de Janeiro RJ Sudeste RM Rio de Janeiro 4 Manaus AM Norte

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CARTA COLIC Nº 20/2010 Brasília-DF, 12 de maio de 2010. À Empresa Interclip A/C. Sra. Danielle de Paula Fone/Fax: (31) 3211-7523 Prezada Senhora, A presente carta faz-se em consideração aos questionamentos

Leia mais

Seminário O controle interno governamental no Brasil. A articulação entre os órgãos de controle interno e o foco nos resultados

Seminário O controle interno governamental no Brasil. A articulação entre os órgãos de controle interno e o foco nos resultados Seminário O controle interno governamental no Brasil A articulação entre os órgãos de controle interno e o foco nos resultados Ronald da Silva Balbe CGU 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná

Leia mais

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015 Governança Pública O Desafio do Brasil Contra a corrupção e por mais desenvolvimento Governança de Municípios Março/2015 João Augusto Ribeiro Nardes Ministro do TCU Sumário I. Introdução-OTCUeocombateàcorrupção

Leia mais

Women and Cancer: Saving Lives and Avoiding Suffering. Ministério da Saúde Brasília, Brazil May/2012

Women and Cancer: Saving Lives and Avoiding Suffering. Ministério da Saúde Brasília, Brazil May/2012 Women and Cancer: Saving Lives and Avoiding Suffering Ministério da Saúde Brasília, Brazil May/2012 Fortalecimento da Rede de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer Conjunto de ações estratégicas

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

368 municípios visitados

368 municípios visitados TURISTAS INTERNACIONAIS 60,3% visitaram o Brasil pela primeira vez 91,4 % Copa como o principal motivo da viagem 83% o Brasil atendeu plenamente ou superou suas expectativas 95% tem intenção de retornar

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para mapear os hábitos de consumo e compras para época

Leia mais

Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas

Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas Marta Maria Alves da Silva CGDANT/DASIS/SVS/MS Brasília/DF, 13 de setembro de 2012 2009:

Leia mais

Com este propósito, estamos apresentando o Programa de Treinamento a Clientes 2013.

Com este propósito, estamos apresentando o Programa de Treinamento a Clientes 2013. DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA PROGRAMA DE TREINAMENTO A CLIENTES 2013 Caro cliente, Você tem acompanhado o compromisso da Marcopolo em oportunizar treinamentos para a capacitação e o aperfeiçoamento

Leia mais

Atuação da Anvisa em Emergência em Saúde Pública (ESP)

Atuação da Anvisa em Emergência em Saúde Pública (ESP) Coordenação de Vigilância Sanitária em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados no estado do RS CVPAF/RS Atuação da Anvisa em Emergência em Saúde Pública (ESP) Porto Alegre, 23/10/2014 Estrutura

Leia mais

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa ABRIL 2.013 A Carreira Muller ESTUDO REEMBOLSO QUILOMETRAGEM ABRIL 2013 As melhores soluções para sua empresa A Carreira Muller é uma empresa de consultoria empresarial que desenvolve e implanta soluções

Leia mais