A SISTEMÁTICA DA CONCESSÃO DE PENSÃO POR MORTE NO SUPSEC. SEPLAG- CPREV Coordenador: Sergio Lage Palestrante: Amaury Reis F. Filho

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A SISTEMÁTICA DA CONCESSÃO DE PENSÃO POR MORTE NO SUPSEC. SEPLAG- CPREV Coordenador: Sergio Lage Palestrante: Amaury Reis F. Filho"

Transcrição

1 A SISTEMÁTICA DA CONCESSÃO DE PENSÃO POR MORTE NO SUPSEC SEPLAG- CPREV Coordenador: Sergio Lage Palestrante: Amaury Reis F. Filho

2 QUEM SÃO OS BENEFICIÁRIOS? O inciso II, do ART. 331 da Constituição Estadual (alterado pelas EC nº 52/2003 e 55/2003), indica quais são os dependentes do segurado: Art º. O Sistema Único de Previdência Social mantido por contribuição previdenciária, atenderá, nos termos da Lei, a: I (...). II - pensão por morte do segurado em favor:

3 QUEM SÃO OS BENEFICIÁRIOS? a) do cônjuge supérstite, companheiro ou companheira, e do cônjuge separado judicialmente ou do divorciado, estes quando, na data do falecimento do segurado, estejam percebendo pensão alimentícia, por força de decisão judicial definitiva ou acordo judicial homologado e transitado em julgado; Note bem: 1- Ex- companheira que recebe pensão alimento não é beneficiária.

4 QUEM SÃO OS BENEFICIÁRIOS? b) dos filhos menores; Note bem: 1- A maioridade se completa aos 18 anos e não 21!

5 QUEM SÃO OS BENEFICIÁRIOS? c) dos filhos inválidos e dos tutelados, exigida, quanto a estes últimos, a comprovação da dependência econômica em relação ao segurado Note bem: 1- Filho maior universitário não é dependente! 2- O laudo atestando a invalidez somente terá efeitos para fins de concessão de pensão com a indicação de que a invalidez se deu anteriormente ao falecimento do servidor instituidor.

6 A PARTIR DE QUANDO É DEVIDO O BENEFÍCIO? O artigo 331, 4 da Constituição Estadual, alterado pela Emenda Constitucional n 52, de 29 de abril de 2003, indica a partir de quando os benefícios são devidos: 4º. A pensão por morte, prevista no parágrafo anterior, será devida a partir: I - do óbito; II - do requerimento, no caso de inclusão post mortem qualquer que seja a condição do dependente; III - do trânsito em julgado da sentença judicial, no caso de morte presumida ou de ausência.

7 A PARTIR DE QUANDO É DEVIDO O BENEFÍCIO? Considera-se inclusão post mortem aquela não comprovável de imediato por ocasião do óbito do segurado, em razão da necessidade de demonstração de elementos adicionais, como o reconhecimento judicial de união estável, a investigação de paternidade ou maternidade e outros atos assemelhados.

8 A PARTIR DE QUANDO É DEVIDO O BENEFÍCIO? O SUPSEC possui critério distinto do RGPS em relação à data de início do benefício, é o que dispõe o artigo 74 da lei 8.213/91, com redação dada pela Lei nº 9.528, de Art. 74. A pensão por morte será devida ao conjunto dos dependentes do segurado que falecer, aposentado ou não, a contar da data: I - do óbito, quando requerida até trinta dias depois deste; II - do requerimento, quando requerida após o prazo previsto no inciso anterior; III - da decisão judicial, no caso de morte presumida.

9 COMO DEVERÁ SER O RATEIO? O rateio da pensão deverá observar a regra básica de meação para os filhos e meação para as esposas ou companheiras. Os filhos têm igual direito de divisão, sejam eles filhos legítimos ou não. A ex-esposa, separada judicialmente, terá direito ao percentual de pensão alimento que possuía enquanto vivo o ex-servidor, incidente sobre a meação destinada à viúvas e companheiras.

10 COMO DEVERÁ SER O RATEIO? Na falta dos filhos menores, ou quando por qualquer motivo cessar o pagamento a estes, a pensão será paga integralmente ao cônjuge supérstite, companheiro ou companheira, assim como na falta destes, a pensão será paga integralmente aos filhos menores.

11 COMO DEVERÁ SER O RATEIO? A disciplina da matéria está no 5º, do artigo 331, da Constituição Estadual (EC Nº52/2003): 5º. A pensão(...). A pensão será paga metade às pessoas indicadas na letra a do inciso II, observados os percentuais estabelecidos na decisão judicial que fixou a pensão alimentícia, e metade, em partes iguais, aos indicados nas letras b e c do inciso II.

12 COMO DEVERÁ SER O RATEIO? Quais os efeitos decorrentes da inexistência de uma das classes de beneficiários? A resposta poderá ser obtida pelo 6º, do artigo 331, da Constituição Estadual, alterado pela EC 52/2003, verbis: 6º. Na falta dos beneficiários indicados na letra a do inciso II, do 1º, ou quando por qualquer motivo cessar o pagamento a estes, a pensão por morte será paga integralmente aos beneficiários indicados nas letras b e c, e vice-versa, observando-se sempre, na forma de rateio entre os concorrentes, o disposto no parágrafo anterior.

13 COMO DEVERÁ SER O RATEIO? O SUPSEC POSSUI CRITÉRIO DISTINTO DO RGPS EM RELAÇÃO AO RATEIO DA PENSÃO, É O QUE DISPÕE O ARTIGO 77 DA LEI 8.213/91: Art.77. A pensão por morte, havendo mais de um pensionista, será rateada entre todos em parte iguais. (Redação dada pela Lei nº 9.032, de 1995) 1º Reverterá em favor dos demais a parte daquele cujo direito à pensão cessar. (Redação dada pela Lei nº 9.032, de 1995)

14 CESSA O PAGAMENTO DA PENSÃO: Disciplina dada pelo 7º, 331, CE, alterado pela EC 52/2003 e 55/2003). I em relação ao cônjuge supérstite, companheiro ou companheira, na data em que contrair núpcias, constituir nova união estável ou falecer; II em relação a filho, filha ou tutelado, na data em que atingir a maioridade, salvo se inválido(a) ou quando de sua emancipação.

15 DOCUMENTOS: No SUPSEC, em virtude do disposto no Decreto /200, art.6º, 2º, para a comprovação da união estável é necessário que seja juntado ao processo Sentença em procedimento judicial de natureza contenciosa reconhecendo a união estável entre o(a) exservidor(a)/militar falecido(a) e a(o) companheira(o) indicada(o) como beneficiária(o);

16 DO FLUXO DOS PROCESSOS DE PENSÃO I - O REQUERENTE Preenche requerimento padrão sob orientação da Unidade de Pessoal do Órgão ou Entidade de origem do exservidor, anexando os documentos anteriormente listados.

17 II - PARA O ÓRGÃO DE ORIGEM 1. Confere o requerimento de pensão e documentação anexa para autorizar a entrada no Sistema de Protocolo Único - SPU. 2. Retira de folha de pagamento o ex-servidor, se tal providência já não tiver sido tomada. 3. Prepara informação com base no cadastro individual do exservidor, especificando o cargo efetivo, matrícula e a discriminação da remuneração (vencimento e vantagens permanentes) na data do óbito ou na data do requerimento, se for o caso. Colocar a observação de Remuneração Mínima ou Máxima, se for o caso 4. Anexar cópia da Portaria de notificação de falecimento. 5. No caso do servidor falecido, aposentado, anexar cópia do ato de aposentadoria. 6. Elabora ato de pensão provisória, de acordo com modelo padrão, mediante digitação no Sistema SIGE- RH. 7. Envia o processo devidamente instruído para a CPREV- SEPLAG.

18 III - CPREV 1. Recebe o processo, confere e analisa os documentos e o ato de pensão provisória. 2. Encaminha para a secretária do planejamento e gestão assinar o ato de pensão provisória. 3. Após assinatura, remete-se o ato ao órgão de origem para implantação provisória.

19 IV - O ÓRGÃO DE ORIGEM 1. Implanta a pensão provisória em folha de pagamento. 2. Cadastra o requerente em folha como pensionista provisório. 3. Encaminha o ato de pensão provisória à publicação na Casa Civil.

20 V- CASA CIVIL 1. Promove a publicação do ato de pensão provisória e retorna o processo ao órgão de origem.

21 VI- Órgão de Origem 1. Acompanha a publicação do ato de pensão provisória. 2. Faz a conferência do ato de pensão provisória publicado com o respectivo documento original. 3. Anexa cópia do DOE ao processo do requerente. 4. Elabora o ato de pensão definitivo, de acordo com Modelo Padrão extraído no SIGE-RH. 5. Encaminha o processo à CEPREV.

22 VII-CPREV 1. Recebe o processo, confere e analisa o ato de pensão permanente. 2. Encaminha o processo para a PGE para análise e parecer acerca da pensão definitiva que se concede.

23 VIII -PROCURADORIA GERAL DO ESTADO 1. Recebe os processos oriundos da CPREV e encaminha à Consultoria, que distribui o processo para os Procuradores. 2. Procurador examina, emite parecer definitivo, sobre a concessão da pensão, que poderá ser alterado ou ratificado. 3. Em caso de diligência retorna o processo à origem. 4. Chefia da Consultoria examina, confere, encaminha o parecer à Chefia da Procuradoria do Estado. 5. Gabinete da Procuradoria-Geral, após análise devolve o processo à CPREV.

24 IX - CPREV 1. Recebe o processo de pensão definitiva oriundo da PGE. 2. Encaminha o ato de pensão definitiva para assinatura da Secretária do Planejamento e Gestão, que após assinado vai para a publicação junto a CASA CIVIL.

25 X- Casa Civil 1.Publica a pensão definitiva e retorna o processo para o órgão de origem.

26 XI- ORGÃO DE ORIGEM 1. Após a publicação do ato de pensão definitiva, anexa cópia do DOE ao processo do requerente. 2. Confere a publicação para com o ato original de pensão. 3. Encaminha para Tribunal de Contas para exame de sua legalidade e registro.

27 XII - TCE 1. Aprecia e registra a concessão da pensão. 2. Após julgamento, o Tribunal de Contas do Estado retorna o processo ao Órgão ou Entidade de origem.

28 XIII - Origem 1 instrui o processo com a Planilha de Implantação extraída no SIGE- RH, para fins de conferência. 2. Encaminha o processo para a CPREV.

29 5 - A PLANILHA SIGE:

30 XIV- CPREV 1. Promove a conferência dos valores a serem implantados. 2. Altera o cadastro do requerente para pensionista definitivo. 3. Providencia a alteração na folha de pagamento de pensão provisória para pensão definitiva, com o correto ajuste da situação final encontrada, com as compensações e cobranças devidas. 4. Após implantação, deverá ser reencaminhado para o órgão de origem.

31 XV- ORGÃO DE ORIGEM 1. confere os valores implantados. 2. Arquiva o processo.

32 Processo: Pensão (CPREV-002) Início Setorial 1.Confere o requerimento e documentação Documentação conferida Setorial 2.Abre Processo no SPU Processo no SPU Setorial 3.Retira da folha de pagamento o ex-servidor Folha com alterações Setorial 4. Compila info sobre o ex-servidor c/ observ. de remuneração mínima ou máxima Informações compiladas Setorial 5.Anexa ao processo Portaria do falecimento Portaria anexada Setorial Setorial CPREV Gabinete Secretária Setorial 6.Anexa cópia do ato de aposentadoria, se aposentado 7.Digitação no SIGE ato de pensão provisória 8.Confere e analisa os documentos e o ato de pensão provisória 9.Assina ato de pensão provisório 10.Implanta a pensão provisória em folha de pagamento Ato de aposent. anexado Ato provisório Parecer CPREV Ato assinado Pensão implantada Setorial 11.Cadastra requerente em folha como pensionista provisório Pensionista provisório Setorial 12. Encaminha p/ Casa Civil p/ publicação Ato provisório Casa Civil 13.Publica ato de pensão provisória Ato publicado Setorial 14.Faz a conferência do ato publicado com o respectivo documento original Ato publicado conferido Setorial 15. Anexa cópia do DOE ao processo DOE anexado ao processo Aa

33 Processo: Pensão (CPREV-002) Aa Setorial 16.Elabora o ato de pensão definitivo, conforme Modelo Padrão do SIGE-RH Ato definitivo preparado CPREV 17.Confere e analisa ato de pensão permanente Parecer definitivo da CPREV PGE 18.Procurador analisa e emite parecer definitivo Parecer jurídico sobre o ato PGE 19. Se há diligência retorna processo a setorial de origem Ofício c/ diligência Gabinete da PGE 20.Encaminha processo àcprev Parecer PGE CPREV Casa Civil Setorial Setorial TCE 21.Colhe a assinatura da Secretária da Seplag para o processo 22. Publicação do ato de pensão definitiva 23.Anexa cópia do DOE ao processo 24.Confere a publicação com o ato original de pensão 25.Examina a legalidade do ato e seu registro Ato definitivo assinado Ato definitivo publicado Cópia DOE do Ato Ofício p/ TCE Processo julgado CPREV 26.Confere os valores a serem implantados em folha, conforme planilha de implant. do SIGE-RH nnn CPREV 27. Altera cadastro do requerente para pensionista definitivo Planilha de implantação CPREV 28.Alteração na folha p/ pensão definitiva c/ cobranças ou compensações devidas Folha de pagam. alterada CPREV 29.Implantação da pensão definitiva Setorial 30. Arquiva o processo Arquivo FIM

34 Onde não havia caminho, voamos. FIM (Autor desconhecido)

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CONTROLE EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NAS AUDITORIAS E INSPEÇÕES REALIZADAS PELO TCM-CE

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CONTROLE EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NAS AUDITORIAS E INSPEÇÕES REALIZADAS PELO TCM-CE EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NAS AUDITORIAS E INSPEÇÕES REALIZADAS PELO TCM-CE ATOS DE ADMISSÃO DE PESSOAL, S E PENSÕES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 71 O controle externo, a cargo do Congresso

Leia mais

Pensão por Morte. Prof. Danilo Ripoli

Pensão por Morte. Prof. Danilo Ripoli Pensão por Morte Prof. Danilo Ripoli Definição: A pensão por morte é o benefício da previdência social devido aos dependentes do segurado em função da morte deste. Será devido ao conjunto de dependentes

Leia mais

SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2011

SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2011 SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre os procedimentos para a aplicação do limite remuneratório de que trata o inciso XI, do art. 37, da Constituição

Leia mais

DO SISTEMA ÚNICO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO ESTADO

DO SISTEMA ÚNICO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO ESTADO 1 DECRETO Nº25.821, de 22 de março de 2000. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº12, DE 23 DE JUNHO DE 1999, MODIFICADA PELA LEI COMPLEMENTAR Nº17, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1999, QUE INSTITUI

Leia mais

1 de 7 14/03/2011 20:18 Publicado em nosso site 14/03/2011 Roteiro ATUALIZADO Informativo FISCOSoft - Auxílio-Reclusão - Roteiro de Procedimentos O auxílio-reclusão será devido nas mesmas condições da

Leia mais

LEI Nº 4.027, DE 20 DE MAIO DE 2011.

LEI Nº 4.027, DE 20 DE MAIO DE 2011. LEI Nº 4.027, DE 20 DE MAIO DE 2011. Aprova as tabelas de vencimento-base e de subsídio dos servidores públicos estaduais, integrantes do Plano de Cargos, Empregos e Carreiras da administração direta,

Leia mais

AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME AUTÁRQUICO OU EFETIVO

AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME AUTÁRQUICO OU EFETIVO INSTRUÇÃO 02-2009 - CRH/PRAD DE 11 DE FEVEREIRO DE 2009, ALTERADA PELA INSTRUÇÃO Nº 01/2010-CRH/PRAD, DE 28 /01/2010. LICENÇA-PRÊMIO Lei 1048/2008 AO SERVIDOR DOCENTE OU TÉCNICO-ADMINISTRATIVO SOB O REGIME

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO Nº 08/2016 Altera a Lei nº 5.343/2008 e a Lei nº 6.328/2012, para aperfeiçoar a carreira docente da UERJ, e dá outras providências. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso da competência que lhe atribui

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA / IPG N.º 02/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA / IPG N.º 02/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA / IPG N.º 02/2013 DEFINE OS MODELOS E FORMAS DE REQUERIMENTOS DOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS. Considerando que a Controladoria Geral do Município aprovou a edição desta Instrução Normativa.

Leia mais

MUNICÍPIO DE ROLADOR/RS. Parecer 042/14/PJM

MUNICÍPIO DE ROLADOR/RS. Parecer 042/14/PJM Parecer 042/14/PJM Consulente: Departamento de Pessoal (DEPEL). Assunto: Contribuição previdenciária de servidor efetivo ocupante de cargo em comissão. Referência: Processo Administrativo nº. 760/2014

Leia mais

Manual de Afastamento de Docentes

Manual de Afastamento de Docentes Manual de Afastamento de Docentes Resolução Unesp nº 19, de 07 de Março de 1997 Campus Experimental de Tupã Área de Recursos Humanos 1ª Edição AGOSTO/2011 INTRODUÇÃO Considera-se afastamento, o período

Leia mais

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA PARECER Nº, DE 2003 Redação, para o segundo turno, da Proposta de Emenda à Constituição nº 67, de 2003 (nº 40, de 2003, na Câmara dos Deputados).

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 519

LEI COMPLEMENTAR Nº 519 LEI COMPLEMENTAR Nº 519 Dispõe sobre a modalidade de remuneração por subsídio para os servidores dos cargos de padrão 01 a 15 do Quadro Permanente do Serviço Civil do Poder Executivo, para os servidores

Leia mais

ATO Nº 1, DE 28 FEVEREIRO DE TÍTULO I DA PROCURADORIA JURÍDICA TÍTULO II DA ESTRUTURA

ATO Nº 1, DE 28 FEVEREIRO DE TÍTULO I DA PROCURADORIA JURÍDICA TÍTULO II DA ESTRUTURA ATO Nº 1, DE 28 FEVEREIRO DE 2003. Disciplina os serviços internos da Procuradoria Jurídica da Fundação Universidade de Brasília, define competências e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DA FUNDAÇÃO

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência ESTADO DO PARANÁ

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência ESTADO DO PARANÁ Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência ESTADO DO PARANÁ MANUAL DE INSTRUÇÃO DE APOSENTADORIA E PENSÃO POR MORTE (Instituído pela Instrução Normativa 06/2016 Fozprev) Agosto 2016 SUMÁRIO

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ Conselho Superior

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ Conselho Superior Deliberação CSDP nº 04, de 10 de abril de 2015. Alterada, em partes, pela Deliberação CSDP nº 13, de 13 de julho de 2015 Dispõe sobre os critérios para a concessão, gozo e pagamento de férias e licença

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 P R EV ID ÊN C IA P EC 287

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 P R EV ID ÊN C IA P EC 287 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 R EFO R M A D A P R EV ID ÊN C IA P EC 287 EC 20/98 fim da aposentadoria proporcional, criação do 85/95 para o servidor público EC 41/03 Aposentadoria por

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 079/014 DE 1.º DE ABRIL DE 2014. Dispõe sobre a AVERBAÇÃO AUTOMÁTICA de tempo de contribuição vinculado ao Regime Geral de Previdência Social RGPS por servidor público do Município de Amambai

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Reitoria PENSÃO POR MORTE DO SERVIDOR

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Reitoria PENSÃO POR MORTE DO SERVIDOR CÓD. CONARQ 026.132 PENSÃO POR MORTE DO SERVIDOR À Diretoria de Gestão de Pessoas: O(a) requerente abaixo assinado(a), dependente do(a) servidor(a): Nome do servidor(a): Falecido em: / / Vem mui respeitosamente

Leia mais

Rioprevidência com você. Novembro de 2015

Rioprevidência com você. Novembro de 2015 Rioprevidência com você Novembro de 2015 O principal objetivo desta apresentação é levar aos servidores do Estado do Rio de Janeiro a Educação Previdenciária, ampliando os conhecimentos dos seus direitos

Leia mais

P.L. n.º 57/15 - Mens. n.º 14/15 - Autógrafo n.º 88/15 - Proc. n.º 2.456/15-CMV - Proc. n.º /14 -PMV

P.L. n.º 57/15 - Mens. n.º 14/15 - Autógrafo n.º 88/15 - Proc. n.º 2.456/15-CMV - Proc. n.º /14 -PMV P.L. n.º 57/15 - Mens. n.º 14/15 - Autógrafo n.º 88/15 - Proc. n.º 2.456/15-CMV - Proc. n.º 17.259/14 -PMV LEI N 5.170, DE 03 DE SETEMBRO DE 2015 Altera dispositivos na Lei n 4.877/13, que cria o Regime

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 609, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 609, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 609, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Procedência: Governamental Natureza: PLC/0047.0/2013 DO: 19.729, de 31/12/2013 Fonte: ALESC/Coord. Documentação Fixa o subsídio mensal dos membros da

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI Nº 3.669, DE 15 DE MAIO DE 2009. Aprova tabelas de vencimento e de subsídio dos servidores das categorias funcionais integrantes das carreiras do Plano de Cargos, Empregos

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial PENSÃO POR MORTE NOS REGIMES GERAL E PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL-CONSIDERAÇÕES

Leia mais

RELATOR: Francisco Humberto Simões Magro, Atuário MIBA n 494

RELATOR: Francisco Humberto Simões Magro, Atuário MIBA n 494 ASSUNTO: Proposta de inclusão na base de cálculo do benefício previdenciário de parcelas temporárias para os servidores segurados do Sistema Municipal de Previdência Social SIMPS de Coronel Bicaco - RS.

Leia mais

<<Direito Previdenciário>> - <<INSS>> Professor: Melissa Folmann Aulas: 11-13

<<Direito Previdenciário>> - <<INSS>> Professor: Melissa Folmann Aulas: 11-13 Aulas 11 13 - Professor: Melissa Folmann Aulas: 11-13 Prof > wwwaprovaconcursoscombr Página 1 de 15 Aulas 11 13 4 Benefícios previdenciários dos dependentes

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 03/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 03/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 03/2011 Ver também IN 11/11; Comunicado FISCAP (D.O.C. 31/05/12); IN 1/12; IN 2/12; IN 3/12; IN 2/13; IN 5/13; IN2/14 Dispõe sobre a fiscalização dos atos concessórios de aposentadoria,

Leia mais

Resolução SEMAC nº 20 DE 23/10/2014

Resolução SEMAC nº 20 DE 23/10/2014 Resolução SEMAC nº 20 DE 23/10/2014 Norma Estadual - Mato Grosso do Sul Publicado no DOE em 24 out 2014 Regulamenta dispositivos da Lei n. 11.959, de 29 de junho de 2009 relativo ao registro dos pescadores

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL 66 SISTEMA PREVIDENCIÁRIO DO BRASIL No Brasil, há benefícios devidos ao segurado e àqueles que dependem do segurado. Para ter direito aos benefícios, é preciso estar inscrito no INSS e manter suas contribuições

Leia mais

Direito e Legislação Previdenciária - INSS Professor: Melissa Folmann Aulas: 01-08

Direito e Legislação Previdenciária - INSS Professor: Melissa Folmann Aulas: 01-08 Aulas 1 8 Direito e Legislação Previdenciária - INSS Professor: Melissa Folmann Aulas: 01-08 Prof > wwwaprovaconcursoscombr Página 1 de 11 Aulas 1 8 Apresentação Olá Concurseiro, Será

Leia mais

É o deslocamento do servidor com o respectivo cargo para outra IFE.

É o deslocamento do servidor com o respectivo cargo para outra IFE. Página 1 de 5 REDISTRIBUIÇÃO DEFINIÇÃO É o deslocamento do servidor com o respectivo cargo para outra IFE. PÚBLICO-ALVO Servidores efetivos pertencentes ao quadro permanente de pessoal das instituições

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL CARTÃO DE CRÉDITO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO RESUMO DAS INFORMAÇÕES

ROTEIRO OPERACIONAL CARTÃO DE CRÉDITO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO RESUMO DAS INFORMAÇÕES RESUMO DAS INFORMAÇÕES Data de Corte DIA 23 APOSENTADOS E PENSIONISTAS DO INSS, DE ACORDO COM A RELAÇÃO DE BENEFICIO CONSIGNÁVEL. PENSÃO POR MORTE: ESPÉCIE 21 IDADE: 27 ANOS ATÉ 43 ANOS 11 MESES E 29 DIAS

Leia mais

Autor: Daniel Gadelha Barbosa

Autor: Daniel Gadelha Barbosa Artigos Jurídicos Autor: Daniel Gadelha Barbosa Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha programática e ideológica da Editora Letras Jurídicas. 2 PENSÃO POR MORTE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROGEP COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROGEP COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROGEP COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 03/2014 Estabelece os procedimentos a serem

Leia mais

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE PROCEDIMENTOS PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO/TESE E DIPLOMAÇÃO STRICTO SENSU 1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE Aluno: Após integralizar os requisitos necessários para obtenção do

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL - INSS ROTEIRO DE CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO DOS EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS

INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL - INSS ROTEIRO DE CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO DOS EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS PUBLICO ALVO Aposentados e pensionistas que recebam pelo INSS. CÁLCULO DE MARGEM PORCENTAGEM DA MARGEM A SER UTILIZADA Operações novas: 99% da margem. Refinanciamento: 95% da margem. Pág. 1 de 1 QUANTIDADE

Leia mais

DECRETO Nº DE 16 DE AGOSTO DE 2004

DECRETO Nº DE 16 DE AGOSTO DE 2004 DECRETO Nº 11.700 DE 16 DE AGOSTO DE 2004 Aprova o Regulamento do Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Município de Fortaleza - IPM Saúde, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

11/09/2015 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 143 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 144 1

11/09/2015 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 143 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 144 1 143 144 1 145 Lei 8213/91 alterada pela Lei nº 12.873/2013 Salário Maternidade Art. 71-A. Ao segurado ou segurada da Previdência Social que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.890, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2008. Conversão da MPv nº 440, de 2008. Mensagem de veto Dispõe sobre a reestruturação da composição

Leia mais

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO CONCURSO INSS. PROF. ADRIANA MENEZES

DIREITO PREVIDENCIÁRIO CONCURSO INSS. PROF. ADRIANA MENEZES DIREITO PREVIDENCIÁRIO CONCURSO INSS PROF. ADRIANA MENEZES www.adrianamenezes.com DÚVIDAS QUANTO À LEGISLAÇÃO A SER COBRADA NA PROVA E A PROVA EM SI. Será cobrada a legislação previdenciária em vigor até

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 158/2014/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP. Assunto: Gratificação por raios-x em caso de pensão. Interessado: Ministério da Saúde SUMÁRIO EXECUTIVO

NOTA TÉCNICA Nº 158/2014/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP. Assunto: Gratificação por raios-x em caso de pensão. Interessado: Ministério da Saúde SUMÁRIO EXECUTIVO Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Gestão Pública Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Coordenação-Geral de Aplicação das Normas NOTA TÉCNICA Nº 158/2014/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP

Leia mais

Artigo 1.º Objeto Artigo 2.º Alteração ao Código Civil

Artigo 1.º Objeto Artigo 2.º Alteração ao Código Civil Projeto de Lei n.º 149 /XIII Regulação das responsabilidades parentais por mútuo acordo junto das Conservatórias do Registo Civil em caso de dissolução de uniões de facto e casos similares EXPOSIÇÃO DE

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010 - DOU DE 03/01/2011 Dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores

Leia mais

Asscontas Associação dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais / Artigos Acesse: ABONO DE PERMANÊNCIA

Asscontas Associação dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais / Artigos Acesse:  ABONO DE PERMANÊNCIA ABONO DE PERMANÊNCIA O Abono de Permanência, instituto criado pela Emenda Constitucional 41, de 19 de dezembro de 2003 (EC 41/03), consiste em uma restituição, feita pelo Estado ao servidor, do valor que

Leia mais

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil.

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Diz o art. 48, da Lei 8.213/91: Art. 48. A aposentadoria por idade será devida ao segurado que, cumprida

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 630, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 630, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 630, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014 Regulamento da Metodologia de Estimativa do Custo Médio Ponderado de Capital CMPC O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL

Leia mais

Instrução TÉcnica 03 / SELCC

Instrução TÉcnica 03 / SELCC Instrução TÉcnica 03 / SELCC Informe selcc/proad Colaboradores 1 Dando continuidade as atividades de assessoria a SELCC publica a Instrução Técnica 003/SELCC com foco em trâmites dos contratos administrativos.

Leia mais

INSS Direito Previdenciário Leandro Macêdo

INSS Direito Previdenciário Leandro Macêdo INSS Direito Previdenciário Leandro Macêdo 2014 2014 Copyright. Curso Agora Eu Eu Passo - - Todos os direitos reservados ao ao autor. 1. (CESPE - 2013 - DPE-RR - Defensor Público) Assinale a opção correta

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações do Regulamento do Plano de Aposentadoria Suplementar da PREVI-SIEMENS

Quadro Comparativo das Alterações do Regulamento do Plano de Aposentadoria Suplementar da PREVI-SIEMENS Capítulo B.1. Do Objeto Capítulo B.1. Do Objeto Item B.1.2.1 Item B.1.2.1 A partir de 1º. de janeiro de 2009 serão vedadas inscrições de novos Participantes neste Plano, caracterizando-se como plano em

Leia mais

Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade

Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade RESOLUÇÃO SMF Nº 2677 DE 20 DE JULHO DE 2011 Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana IPTU instituída pelo art. 5º da Lei nº 5.128,

Leia mais

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE )

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE ) PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE 18.04.2016) Altera a Portaria nº 02, de 22 de fevereiro de 2013 e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE RELAÇÕES DO TRABALHO, no uso das atribuições que

Leia mais

Termo de compromisso do bolsista de iniciação à docência

Termo de compromisso do bolsista de iniciação à docência Anexo IV Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência Pibid Termo de compromisso do bolsista de iniciação à docência A nomenclatura a seguir será utilizada no presente instrumento: Bolsista

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com professores da E.M. Barão do Rio Branco - Vianópolis - 02/Agosto/2014 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime

Leia mais

PARECER Nº EC Nº 41/03: REFORMA DA PREVIDÊNCIA. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ COM PROVENTOS PROPORCIONAIS. PARCELA COMPLETIVA.

PARECER Nº EC Nº 41/03: REFORMA DA PREVIDÊNCIA. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ COM PROVENTOS PROPORCIONAIS. PARCELA COMPLETIVA. PARECER Nº 14.269 EC Nº 41/03: REFORMA DA PREVIDÊNCIA. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ COM PROVENTOS PROPORCIONAIS. PARCELA COMPLETIVA. Trata-se de servidora de escola aposentada no cargo de Agente Educacional

Leia mais

Números da Previdência Social

Números da Previdência Social Números da Previdência Social Segundo o Boletim Estatístico da Previdência Social, a aposentadoria média dos segurados vinculados ao RGPS é em torno de R$ 1.197,44. Mais de 70% dos segurados ganham um

Leia mais

Atos Normativos DECRETO Nº. 52, DE 01 DE MARÇO DE DECRETO Nº. 53, DE 01 DE MARÇO DE 2012.

Atos Normativos DECRETO Nº. 52, DE 01 DE MARÇO DE DECRETO Nº. 53, DE 01 DE MARÇO DE 2012. 2 Atos Normativos DECRETO Nº. 52, DE 01 DE MARÇO DE 2012. Aposenta a Funcionária Municipal DORALICE DIONÍSIA DE MELLO SOARES. Art. 1º - Fica considerada aposentada VOLUNTARIAMENTE, a Funcionária Pública

Leia mais

É a situação do servidor que ocupa mais de um cargo, emprego ou função pública.

É a situação do servidor que ocupa mais de um cargo, emprego ou função pública. ACUMULAÇÃO DE CARGOS É a situação do servidor que ocupa mais de um cargo, emprego ou função pública. Requisitos básicos: Existência de acúmulo de cargos, empregos ou funções. Conforme a Constituição Federal,

Leia mais

Direito Previdenciário e Infortunístico

Direito Previdenciário e Infortunístico Direito Previdenciário e Infortunístico (o presente texto representa apenas anotações para exposição do autor sem validade para citação) 8º tema Previdência Social para os Servidores Públicos. Desde 1990,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 5 01/09/2016 09:30 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO N o 3.017, DE 6 DE ABRIL DE 1999. Aprova o Regimento do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO DECRETO Nº 9506 DE 24 DE AGOSTO DE 2004 Regulamenta o 5º, do artigo 10, da Lei Complementar 163, de 08 de Julho de 2003, que dispõe sobre a Gratificação de Produtividade aos servidores ocupantes dos cargos

Leia mais

8 DESCONSTITUIÇÃO- LIQUIDAÇÃO - EXTINÇÃO EXTINÇÃO

8 DESCONSTITUIÇÃO- LIQUIDAÇÃO - EXTINÇÃO EXTINÇÃO 8 DESCONSTITUIÇÃO- LIQUIDAÇÃO - EXTINÇÃO 8. - EXTINÇÃO 8.. - DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA No caso de extinção em que as fases de DESCONSTITUIÇÃO E LIQUIDAÇÃO (com seu encerramento) sejam praticadas em um único

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo) PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE 2003 (Do Poder Executivo) Modifica os artigos 37, 40, 42, 48, 96, 142 e 149 da Constituição Federal, o artigo 8º da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro

Leia mais

PORTARIA Nº. 152, DE 25 DE AGOSTO DE 2016

PORTARIA Nº. 152, DE 25 DE AGOSTO DE 2016 PORTARIA Nº. 152, DE 25 DE AGOSTO DE 2016 Determina que o Instituto Nacional do Seguro Social estabeleça prazo para a recuperação da capacidade para o trabalho de segurado do Regime Geral de Previdência

Leia mais

Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 24ª Junta de Recursos

Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 24ª Junta de Recursos Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 24ª Junta de Recursos Número do Processo: 44232.713007/2016-11 Unidade de Origem: AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MAUÁ Benefício:

Leia mais

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU )

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU ) PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU 30.06.2010) Dispõe sobre o salário mínimo e o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO

PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO 1. Abertura de processo pelo COORDENADOR DO PROJETO, sendo juntados os seguintes documentos: 1.1. Ofício de encaminhamento do projeto, assinado por seu COORDENADOR,

Leia mais

AFASTAMENTO PARA SERVIR A OUTRO ÓRGÃO/ENTIDADE (CESSÃO)

AFASTAMENTO PARA SERVIR A OUTRO ÓRGÃO/ENTIDADE (CESSÃO) Página 1 de 6 AFASTAMENTO PARA SERVIR A OUTRO ÓRGÃO/ENTIDADE (CESSÃO) Definição Cessão é o ato autorizativo para o exercício de cargo em comissão ou função de confiança ou para atender situações previstas

Leia mais

Segue quadro comparativo sobre as alterações trazidas pela MP nº 664/2014, no tocante à pensão deixada pelo servidor público federal Lei 8.

Segue quadro comparativo sobre as alterações trazidas pela MP nº 664/2014, no tocante à pensão deixada pelo servidor público federal Lei 8. Segue quadro comparativo sobre as alterações trazidas pela MP nº 664/2014, no tocante à pensão deixada pelo servidor público federal Lei 8.112/90: Lei nº 8.112/90 redação anterior à Medida Provisória nº

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO. OFÍCIO CIRCULAR Nº 22/2009- PRAd (Processo nº 1085/50/09/1981) São Paulo, 25 de agosto de 2009.

PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO. OFÍCIO CIRCULAR Nº 22/2009- PRAd (Processo nº 1085/50/09/1981) São Paulo, 25 de agosto de 2009. OFÍCIO CIRCULAR Nº 22/2009- PRAd (Processo nº 1085/50/09/1981) São Paulo, 25 de agosto de 2009. Assunto: Período de afastamento de servidor para promover campanha eleitoral deve ser computado para todos

Leia mais

Cargo: Efetivo (de carreira ou isolado) adquire estabilidade Em comissão livre exoneração Vitalício adquire vitaliciedade

Cargo: Efetivo (de carreira ou isolado) adquire estabilidade Em comissão livre exoneração Vitalício adquire vitaliciedade CAMPUS Capítulo 5 Administração Pública e Servidores Públicos Disposições Constitucionais 189 Servidor público em sentido estrito (regime estatutário) Cargo efetivo Cargo em comissão Adm. Direta, autárquica

Leia mais

Dir. Previdenciário Marcos. Alterações: Salário Maternidade

Dir. Previdenciário Marcos. Alterações: Salário Maternidade Alterações: Salário Maternidade NOVIDADE - ALTERAÇÃO Lei 8213/91 Art. 71-A. Ao segurado ou segurada da Previdência Social que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança é devido

Leia mais

PORTARIA Nº 7, DE 21 DE JANEIRO DE O CORREGEDOR NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, resolve:

PORTARIA Nº 7, DE 21 DE JANEIRO DE O CORREGEDOR NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, resolve: PORTARIA Nº 7, DE 21 DE JANEIRO DE 2016 O CORREGEDOR NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, resolve: Retificar a Portaria CNMP-CN nº 6, de 12 de janeiro de

Leia mais

Nesse contexto dispõe o artigo 40, 4, inciso III, da Constituição Federal:

Nesse contexto dispõe o artigo 40, 4, inciso III, da Constituição Federal: ABONO DE PERMANÊNCIA SERVIDOR PÚBLICO COM DEFICIÊNCIA - NECESSIDADE DE DECISÃO JUDICIAL PARA APLICAÇÃO ANALÓGICA DA LC 142/2013 REGULAMENTANDO O ART 40, 4,I DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Diego Wellington Leonel

Leia mais

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS:

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: Diário Oficial do Município de Palmas de Monte Alto - Bahia Poder Executivo Ano Nº V Nº 576 20 de Janeiro de 2017 RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: DECRETOS DECRETO Nº 026

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº 5.865, DE 2016 (DO Sr. ) Altera a remuneração de servidores públicos, estabelece opção por novas regras de incorporação de gratificação de desempenho às aposentadorias e pensões e dá

Leia mais

Medida Provisória nº 529, de 2011

Medida Provisória nº 529, de 2011 Medida Provisória nº 529, de 2011 Altera os arts. 21 e 24 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre o Plano de Custeio da Previdência Social, para estabelecer alíquota diferenciada de contribuição

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO COMISSÃO ELEITORAL PORTARIA Nº. 235/2015-SEHAB.G EDITAL Nº01 CADASTRAMENTO DOS REPRESENTANTES DE ENTIDADES COMUNITÁRIAS E ORGANIZAÇÕES

Leia mais

REFORMA PREVIDENCIÁRIA GRANDES MUDANÇAS PARA OS RURAIS. Brasília, 18/02/2017

REFORMA PREVIDENCIÁRIA GRANDES MUDANÇAS PARA OS RURAIS. Brasília, 18/02/2017 REFORMA PREVIDENCIÁRIA GRANDES MUDANÇAS PARA OS RURAIS Brasília, 18/02/2017 CONTRIBUIÇÃO O segurado especial passaria a efetuar uma contribuição individual, a ser instituída em lei posteriormente (no prazo

Leia mais

Aplica-se aos servidores docentes e aos servidores não docentes (autárquicos).

Aplica-se aos servidores docentes e aos servidores não docentes (autárquicos). fls. 001 1. Jurisdição Aplica-se aos servidores docentes e aos servidores não docentes (autárquicos). 2. Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para solicitação de aposentadoria de servidores docentes

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA TREINAMENTO APOSENTADORIA E SUAS MODALIDADES MATERIAL DE APOIO 1 MODELOS 2 Sumário Modelo 1 Portaria (Aposentadoria de Docente que não conta com 05 anos de efetivo exercício no cargo de Professor Titular)...

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PROCURADORIA PREVIDENCIÁRIA PARECER Nº

PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PROCURADORIA PREVIDENCIÁRIA PARECER Nº PARECER Nº 15.032 Regime previdenciário de servidor celetista. Em não tendo sido observadas as alterações trazidas pela Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro de 1998, acerca da filiação previdenciária

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Departamento de Administração de Pessoal Unidade de Benefícios

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Departamento de Administração de Pessoal Unidade de Benefícios COMUNICAÇÃO DE FALECIMENTO DADOS DO (A) COMUNICANTE Nome: Endereço residencial: Rua Nº: Complemento (apto, casa, bloco): Bairro: CEP: Cidade: Estado: Telefone: Celular: E-mail: Vem comunicar, conforme

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS CARREIRAS DE POLICIAL FEDERAL E DE POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL CAPÍTULO II DA CARREIRA DE PERITO FEDERAL AGRÁRIO

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS CARREIRAS DE POLICIAL FEDERAL E DE POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL CAPÍTULO II DA CARREIRA DE PERITO FEDERAL AGRÁRIO PROJETO DE LEI ltera a remuneração de servidores públicos, estabelece opção por novas regras de incorporação de gratificação de desempenho às aposentadorias e pensões e dá outras providências. O CONGRESSO

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da Constituição Federal e dispositivos

Leia mais

Desafio: 8112/90 - Parte I

Desafio: 8112/90 - Parte I Desafio: 8112/90 - Parte I 1. Como se chama o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor. 2. Como se chama a retribuição pecuniária

Leia mais

LEI N , DE 18 DE JUNHO DE 2014

LEI N , DE 18 DE JUNHO DE 2014 LEI N. 12.998, DE 18 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre remuneração das Carreiras e dos Planos Especiais de Cargos das Agências Reguladoras, das Carreiras e do Plano Especial de Cargos do Departamento Nacional

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Faculdade de Direito Direito Previdenciário Profª. Ms. Tatiana Riemann QUALIDADE DE SEGURADO

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Faculdade de Direito Direito Previdenciário Profª. Ms. Tatiana Riemann QUALIDADE DE SEGURADO QUALIDADE DE SEGURADO Qualidade de Segurado - art. 13, Dec. 3.048/99 detém a qualidade de segurado aquele que exerce atividade remunerada, em caso de segurados obrigatórios, ou está contribuindo, em caso

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial Servidores do Estado de Minas Gerais - RGPS-Regime Geral de Previdência Social - Critérios para Enquadramento

Leia mais

ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO INDENIZAÇÃO DE AJUDA DE CUSTO

ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO INDENIZAÇÃO DE AJUDA DE CUSTO ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO INDENIZAÇÃO DE AJUDA DE CUSTO Decreto nº. 4.004, de 08/11/2001; Orientação Normativa do MPOG nº. 01, de 29/04/2005; Artigos 49 a 57 da Lei nº. 8.112/1990 e jurisprudências do Tribunal

Leia mais

Parecer AJ nº 383/ Trata-se de consulta formulada pela I. Chefia de Gabinete por solicitação do Excelentíssimo Defensor Público-Geral.

Parecer AJ nº 383/ Trata-se de consulta formulada pela I. Chefia de Gabinete por solicitação do Excelentíssimo Defensor Público-Geral. Processo Nº 4276/2014 Interessado: Defensoria Pública Assunto: Consulta da Chefia de Gabinete sobre a possibilidade de atribuição de gratificação mensal a título de representação (GR), art. 135, III, da

Leia mais

PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação

PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação PEC287/2016 Os impactos para os servidores Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Presidente do PROIFES-Federação Pequeno Glossário da Previdência As Formas de aposentadoria Voluntária por tempo de contribuição:

Leia mais

JUSTIFICATIVA A MINUTA DE PROJETO DE LEI SOBRE GRATIFICAÇÃO DE PRODUTIVIDADE PREVISTA NA LEI COMPLEMENTAR 078/2011.

JUSTIFICATIVA A MINUTA DE PROJETO DE LEI SOBRE GRATIFICAÇÃO DE PRODUTIVIDADE PREVISTA NA LEI COMPLEMENTAR 078/2011. JUSTIFICATIVA A MINUTA DE PROJETO DE LEI SOBRE GRATIFICAÇÃO DE PRODUTIVIDADE PREVISTA NA LEI COMPLEMENTAR 078/2011. Conforme acordado na última reunião realizada com o Secretário da Fazenda do Estado do

Leia mais

Orientações para fins de Contagem de Tempo

Orientações para fins de Contagem de Tempo Orientações para fins de Contagem de Tempo Setembro/2016 1 Expedição de 2ª via e/ou publicação de portarias As Diretorias têm expedido a 2ª via de portaria, publicando-a novamente e com numeração referente

Leia mais

Auxílio Doença: Empregador será responsável pela remuneração dos primeiros 30 dias de afastamento do empregado.

Auxílio Doença: Empregador será responsável pela remuneração dos primeiros 30 dias de afastamento do empregado. INFORME JURÍDICO 06/01/2015 411 Prezados (as) Auxílio Doença: Empregador será responsável pela remuneração dos primeiros 30 dias de afastamento do empregado. Divulgamos a Medida Provisória 664/2014 que

Leia mais

PORTARIA N 129/2014-SEFAZ

PORTARIA N 129/2014-SEFAZ PORTARIA N 129/2014-SEFAZ - Altera a Portaria n 077/2013-SEFAZ, publicada em 18/03/2013, que dispõe sobre as condições, regras e procedimentos relativos à utilização da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

Leia mais

SENTENÇA. Acompanharam a inicial os documentos de fls. 11/24. Pela decisão de fls. 42 foi indeferida a tutela antecipada.

SENTENÇA. Acompanharam a inicial os documentos de fls. 11/24. Pela decisão de fls. 42 foi indeferida a tutela antecipada. fls. 1 SENTENÇA Processo Físico nº: 0020577-09.2011.8.26.0068 Classe Assunto: Procedimento Ordinário - Aposentadoria Requerente: Julio César Rosa Requerido: Fazenda Publica do Estado São Paulo Juiz(a)

Leia mais

RELATÓRIO DE PROCESSOS SINDJUS/RS DESCONTO PREVIDENCIÁRIO DE 2%

RELATÓRIO DE PROCESSOS SINDJUS/RS DESCONTO PREVIDENCIÁRIO DE 2% RELATÓRIO DE PROCESSOS SINDJUS/RS DESCONTO PREVIDENCIÁRIO DE 2% Processo: 001/1.05.0261815-2 Objeto: Devolução do desconto previdenciário de 2% sobre proventos e pensões dos servidores públicos civis inativos

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 FOZPREV DATA: 31 de março de 2014 SÚMULA: Institui o Manual de Instrução de Aposentadoria e Pensão por Morte, que dispõe sobre procedimentos, fluxos, prazos e documentos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS E/OU TEMPORÁRIOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS E/OU TEMPORÁRIOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS E/OU TEMPORÁRIOS CAMPUS MATÃO 2016 1 OBJETIVOS 2 DEFINIÇÃO 3 CONTRATAÇÃO 4 DIREITOS E BENEFÍCIOS 5 RESCISÃO DO CONTRATO 6 LEGISLAÇAO

Leia mais