Uma nova capacitação para a revenda

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma nova capacitação para a revenda"

Transcrição

1 Personagem Pedro Westphalen Presidente da Assembleia Legislativa do RS Ano XXVl Fevereiro de 2013 Nº 70 Impresso Especial DR-RS SULPETRO CORREIOS Vida Sindical Uma nova capacitação para a revenda Entrevista Maurício Tagliari Coordenador do MBA em Gestão do Varejo de Combustíveis Contas em dia Empresas terão de formar incidência de impostos nos documentos fiscais

2 2 posto avançado

3 Índice Ano XXVI Fevereiro de 2013 Nº 70 REVISTA DO SULPETRO Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Estado do Rio Grande do Sul Marcelo Amaral/Portphoto 06 Vida Sindical Aliando prática e conhecimento: Sulpetro firma parceria para capacitar a revenda Mercado 16 ANP registra mais de 4 mil ações de fiscalização na Região Sul ANP e Confaz: Formação de Preços 22 Contas em Dia 25 E mais: 23 Pergunte ao Jurídico Qual é a responsabilidade da revenda no caso de sinistro na área do posto, especialmente relacionado a terceiros? 24 Agenda Fiscal Abril e Maio / Tio Marciano

4 Entrevista Maurício Tagliari Na busca por um modelo de gestão eficaz Mestre em Ciências Contábeis, ele já atuou nas áreas de orçamento, gestão e inovação. Atualmente, Maurício Tagliari é gerente Financeiro e de Projetos de Pesquisa da Unisinos e sócio-consultor da empresa Wissen Consultorias Empresariais, desenvolvendo projetos na área de Controladoria e Gestão Financeira. Caberá a ele a função de coordenar o MBA em Gestão de Varejo de Combustíveis. 4 posto avançado Qual é o objetivo do curso? O MBA de Gestão do Varejo de Combustíveis tem como propósito o aperfeiçoamento de profissionais que buscam ampliar seus conhecimentos nas áreas de gestão da cadeia de combustíveis e seus derivados. O curso contempla um aprofundamento dos conceitos e melhores práticas que envolvem as áreas de gestão de negócios, gestão de marketing e vendas, gestão financeira, gestão da produção, gestão logística e de suprimentos e desenvolvimento pessoal. Tens conhecimento se há outro curso, nessa área, no restante do País? Não existe outro curso destes no País. O profissional que frequentar este curso terá que tipo de aprendizado? Qual conhecimento estará adquirindo? Os seis módulos do MBA em Gestão de Varejo de Combustíveis buscam desenvolver as competências esperadas do egresso, integrando conhecimentos, habilidades e ati-

5 uma das piores posições em educação no mundo, ou seja, temos mão de obra, mas não qualificada. Esse é o ponto central, precisamos de funcionários qualificados, ainda mais neste setor que é praticamente prestação de serviço. Atualmente, as grandes universidades já apresentaram modelos de gestão para quase todos os setores, tendo suas pesquisas evoluídas ao passo da introdução de novas tecnologias ou ferramentas de controle. Desta forma, o que falta atualmente são pessoas qualificadas para executar uma gestão, ou seja, administrar o negócio. Para administrar, é necessário conhecimento dos métodos e ferramentas para cada negócio, sendo esse o propósito deste curso: apresentar um conjunto de métodos e ferramentas para tornar o negócio do varejo de combustíveis ainda melhor. tudes relativos à gestão do negócio, marketing, vendas, logística, suprimentos, finanças e gestão de recursos humanos. Qual é o principal desafio das empresas atualmente: gestão eficaz ou contratação de mão de obra? Ambas as questões preocupam diuturnamente os empresários, pois de nada adianta um modelo de gestão eficaz se não tenho profissionais competentes para executar os processos estabelecidos neste modelo. Claro que no cenário atual de pleno emprego a questão da contratação é recorrente na mídia. No entanto, não podemos esquecer que o Brasil ainda ocupa O que falta atualmente são pessoas qualificadas para executar uma gestão, ou seja, administrar o negócio. Na sua avaliação, qual é a maior dificuldade enfrentada hoje pelos revendedores de combustíveis? Pelos relatos dos revendedores, a maior dificuldade neste momento é a formação de preço justo, ou seja, desejamos que todos os revendedores saibam como elaborar a formação de preço para evitar o canibalismo entre os revendedores. Sabemos que o preço é regulado pelo mercado. No entanto, muitos revendedores utilizam-se apenas do preço para atrair mais clientes sem perceber que, com isso, estão trabalhando com margens negativas. Além disso, essa situação prejudica o mercado como um todo. Outro ponto que destaco é como atrair e reter os clientes por meio de diferenciação em um mercado competitivo, sendo que muitas vezes os usuários percebem como uma commodity. Para isso, os postos lançam mão de diversas campanhas de fidelização do cliente. Mas sabemos que possuir uma loja de conveniência na pista é importante, no entanto, não é essa a fonte principal de recursos e, muitas vezes, essa unidade opera com margem negativa, precisando ser equilibrada pelo mix de produtos vendidos e criar marketing estratégico para aumentar a rentabilidade do negócio. posto avançado 5

6 Vida Sindical Uma nova capacitação para a revenda A partir de maio deste ano, o Sulpetro, em parceria com a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), implantará um projeto inédito para o setor da revenda de combustíveis do País: o primeiro MBA em Gestão de Varejo de Combustíveis. Desenvolvido a partir de sugestões realizadas durante reuniões do Planejamento Estratégico do Sindicato, o curso terá como foco principal a capacitação gerencial dos revendedores de combustíveis. Fotolia.com 6 posto avançado

7 Contas a pagar, administração de funcionários, impostos para recolher, treinamento de pessoal, qualidade de produtos e serviços, atendimento aos clientes, negociações com companhias distribuidoras, legislação e por aí vai. Esses são apenas alguns dos tantos itens que envolvem o dia a dia da gestão de um posto de combustíveis e que, muitas vezes, tiram o sono (e o dinheiro) de muitos empresários do ramo. Diante de tantas dúvidas e nem sempre sanadas para o sucesso dos negócios, o Sulpetro irá promover, juntamente com a Unisinos o primeiro MBA em Gestão do Varejo de Combustíveis do Brasil. Com duração de 18 meses, o curso será realizado no Campus Unisinos Porto Alegre a partir do dia 24 de maio. Iremos desenvolver habilidades, conceitos e métodos de gestão ligados aos principais processos do setor de comercialização, distribuição e revenda de combustíveis e derivados, capazes de ampliar a vantagem competitiva dos profissionais associados ao Sulpetro junto à sua área de atuação, adianta o coordenador do curso, professor Maurício Tagliari. Necessidade da revenda Marcelo Amaral /Portphoto No MBA, teremos a oportunidade de, além de aprender com outras experiências, conferir cases do setor, avalia o vice-presidente e coordenador do grupo de Capacitação Gerencial do Planejamento Estratégico do Sulpetro, Marcelo Louzada. O vice-presidente do Sulpetro, Marcelo Louzada, recorda que oito áreas foram apontadas, dentro do Planejamento Estratégico da entidade, como importantes para o negócio da revenda, sendo elas: capacitação para gestores; atendimento, marketing e vendas; jurídico e contábil; gestão financeira; meio ambiente; qualidade; recursos humanos e segurança. A partir disso, vimos a necessidade de fazermos uma parceria para a implantação de um MBA que, agora, se concretiza, comemora Louzada, que coordena o grupo de Capacitação Gerencial do Planejamento Estratégico. Na opinião do dirigente, o Sulpetro está oportunizando ao revendedor uma capacitação voltada diretamente para o seu negócio, o que não existia anteriormente. O Sindicato está adotando uma postura de ineditismo, fazendo algo que vai ao encontro da necessidade da categoria, enfatiza. Há 18 anos atuando no segmento da revenda, Louzada credita o diferencial do curso ao fato de ele ser direcionado exclusivamente para o varejo de combustíveis. Haverá a troca de experiências com empresários que vivem diariamente o próprio negócio, comenta. No mesmo sentido opina o professor Tagliari, ao afirmar que, atualmente, as grandes universidades já apresentaram modelos de gestão para quase todos os setores, tendo suas pesquisas evoluídas ao passo da introdução de novas tecnologias ou ferramentas de controle. O que falta são pessoas qualificadas para executar uma gestão, ou seja, administrar o negócio. E, para administrar, é necessário conhecimento dos métodos e ferramentas para cada negócio, sendo esse o propósito deste curso, diz. A sucessão familiar é outro ponto do MBA destacado pelo vice-presidente. De acordo com ele, grande parte das revendas, atualmente, é administrada por famílias, mas que não fazem o planejamento e treinamento dos futuros gestores em muitos casos, os filhos que assumirão o comando dos negócios. posto avançado 7

8 Vida Sindical A organização curricular do MBA em Gestão de Varejo de Combustíveis é composta por seis módulos. Confira abaixo: Modulo I Gestão de Negócios (72 horas) Geopolítica do Petróleo Introdução à Exploração e Produção Estratégia Competitiva Responsabilidade Ambiental aplicado ao Setor de Combustíveis Módulo II Gestão de Marketing e Vendas (64 horas) Marketing de Serviços Gestão de Vendas Comportamento do Consumidor Módulo III Gestão Financeira (64 horas) Matemática Financeira Análise de Cenários Econômicos Contabilidade e Finanças para Tomada de Decisão Gestão de Custos e Formação de Preço Módulo IV Gestão de Suprimentos, Operação e Regulação (68 horas) Gestão da Qualidade e Processos Logística da Comercialização e Distribuição Gestão de Projetos Legislação Aplicada ao Setor de Combustíveis Módulo V Gestão de Recursos Humanos (72 horas) Gestão do Trabalho em Equipe e Liderança Gestão de Empresas Familiares Negociação no Contexto Empresarial Empreendedorismo e Plano de Negócios 8 posto avançado

9 Módulo VI Capacitação para Trabalho de Conclusão (20 horas) Metodologia de Pesquisa Qualificação das Propostas de TCC Listagem de professores do curso Profª Ms. Ana Cristina de Almeida Garcia Prof. Dr. Carlos Alberto Diehl Prof. Dr. Celso Augusto de Matos Prof. Dr. Guilherme Trez Prof. Ms. Ivan Brasil Galvão dos Santos Profª Ms. Lisiane Vasconcellos da Silva Prof. Ms. Márcio Eloir Schweig Prof. Ms. Márcio Roberto de Mello Prof. Ms. Maurício Tagliari Prof. Dr. Miguel Afonso Sellitto Prof. Ms. Otávio Gonzatti Fernandes Profª Drª Patrícia Martins Fagundes Cabral Professores visitantes Profª Ms. Ana Maria Tagliari Profª Drª Cláudia Tatiana da Graça Tondo Profª Ms. Elie Abadie Prof. Grad. José Carlos Cosenza Prof. Esp. Luis Antônio Steglich Costa Profª Ms. Regina Maria Coelho Michelon Profª Ms. Sara Cecin Rohenkohl posto avançado 9

10 Vida Sindical Informações sobre o Curso: Público-alvo O MBA é direcionado a revendedores de combustíveis associados ou não ao Sulpetro, fornecedores do setor, representantes de companhias distribuidoras, entre outros. O curso também é dirigido aos demais profissionais com formação superior que desejem ampliar seus conhecimentos na área. Carga horária A carga horária total prevista é de 428 horas, incluindo 60 horas para elaboração do trabalho de conclusão de curso. As aulas ocorrerão quinzenalmente nas sextas-feiras, das 19 às 23 horas, e nos sábados, das 8h30 às 12h30, até dezembro de Localização Unisinos/CIEE Porto Alegre Investimento Associados do Sulpetro: R$ para pagamento à vista ou Entrada + 11 parcelas de R$ Entrada + 17 parcelas de R$ 868 Entrada + 23 parcelas de R$ 679 Entrada + 29 parcelas de R$ 566 Entrada + 35 parcelas de R$ 492 Obs: para os sócios, o Sulpetro ainda subsidiará percentual da parcela Egressos Unisinos: R$ para pagamento à vista ou Entrada + 11 parcelas de R$ Entrada + 17 parcelas de R$ 891 Entrada + 23 parcelas de R$ 697 Entrada + 29 parcelas de R$ 581 Entrada + 35 parcelas de R$ 505 Público em geral: R$ para pagamento à vista ou Entrada + 11 parcelas de R$ Entrada + 17 parcelas de R$ 990 Entrada + 23 parcelas de R$ 774 Entrada + 29 parcelas de R$ 646 Entrada + 35 parcelas de R$ 561 posto avançado 10

11 Sindicato e Unisinos oficializam convênio Marcelo Amaral/Portphoto Presidente Adão Oliveira e diretor da Unidade Acadêmica de Educação Continuada da Unisinos, Francisco Zanini, firmam parceria. Para oficializar a parceria entre o Sulpetro e a Unisinos para a realização do MBA em Gestão de Varejo de Combustíveis, as duas instituições assinaram convênio no dia 18 de fevereiro, na sede do Sindicato, em Porto Alegre. Representando a universidade, o diretor da Unidade Acadêmica de Educação Continuada, Francisco Zanini, revelou que a Unisinos tem atuado no sentido de se aproximar, cada vez mais, do setor produtivo. A área acadêmica é importante, mas precisamos levar o conhecimento para dentro das empresas, pois são elas que fazem o PIB do País, disse o professor. Zanini também comentou sobre a necessidade de a instituição de ensino falar a linguagem mais adequada e próxima da realidade do posto de combustível. Sabemos que o ritmo da empresa privada é diferente do da área pública ou acadêmica. Mas o ritmo tem que ser do negócio da revenda, que é rápido, acrescentou. Já o presidente do Sulpetro, Adão Oliveira, agradeceu a confiança da Unisinos no Sindicato para a realização do curso. Dessa forma, poderemos oferecer mais um benefício aos revendedores de combustíveis, especialmente aos associados, afirmou. Também participaram da cerimônia os vice-presidentes do Sulpetro, Francisco Cyrillo da Costa e Marcelo Louzada; o diretor-executivo Luís Antônio Steglich Costa; o diretor Ailton Rodrigues da Silva; e a integrante do setor de Relações com o Mercado da Unisinos, Neide Rodrigues. posto avançado 11

12 Sulpetro Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Estado do RS Rua Coronel Genuíno, 210 Porto Alegre/RS - CEP Fone: (51) Fax: (51) = Presidente Adão Oliveira da Silva Vice-presidentes Oscar Alberto Raabe, Jorge Carlos Ziegler, Francisco Cyrillo da Costa, Eduardo Pianezzola, Marcelo Gonçalves Louzada e José Henrique Schaun Diretores-secretários Hélio Guilherme Schirmer, Claudio Alberto dos Santos Azevedo e Marcio Carvalho Pereira Diretores-tesoureiros Gilberto Rocha Alberton, Sadi José Tonatto e Ricardo Buiano Hennig Diretor de patrimônio Guido Pedro Kieling Diretor para assuntos econômicos Edson Luiz Possamai Diretor de comunicação Jorge Giordano Diretores para assuntos legislativos José Ronaldo Leite Silva e Amauri Celuppi Diretor-procurador Antônio Gregório Goidanich Diretor para lojas de conveniência Valter Suliman Duarte Diretor para postos de estradas Rosélio Buffon Diretor para posto de revendedores de GNV João Carlos Dal Aqua Diretor para postos independentes Olavo Luiz Benetti Diretores suplentes Martin Brugger Titton, Fabio Luis Bassegio, Hugo Carlos Lang Filho, Paulo Souza e Silva Moreira, Claiton Luiz Tortelli, Henrique José Vieira da Fonseca, Otten, Carlos Joaquim Xavier, Luiz Antônio Lo Iacono, Luiz Roberto Weber, João Carlos Bragé de Alencastro, Gilberto Tavares Sequeira, Josué da Silva Lopes, André de Carvalho Gevaerd, Ortegal Santiago dos Santos, Marcelo Rocha da Silva, Gustavo Farias Staevie, Aires Jari Heatinger, Ângelo Galtieri, Jeferson Machado Reyes, Ailton Rodrigues da Silva Júnior e Hardy Kudiess Delegados representantes Titulares Adão Oliveira da Silva e Antônio Gregório Goidanich Suplentes Oscar Alberto Raabe e Jorge Carlos Ziegler Conselho fiscal Membros Efetivos Vilmar Antônio Sanfelice, Elvidio Elvino Eckert e Delci Vilas Boas Membros Suplentes Henrique Francisco de Medeiros Hencke, Maria Paulina de Souza de Alencastro e Siegfried Heino Matschulat Diretores Regionais Alegrete Silvanio de Lima Adjuntos: Elpídio Kaiser e Jarbas Fernandes da Costa Bagé Marcus Vinícius Dias Fara Adjuntos: Ingridi Olle e Marco Aurélio Balinhas Caçapava do Sul Ciro César Forgiarini Chaves Adjunto: Maiton Lopes Prussiano Cachoeira do Sul José Dagoberto Oliveira Gonçalves Adjuntos: Charles Dal Ri e Neusa Marli Santos Radunz Carazinho Dulce Giacomolli Adjuntos: Luis Eduardo Baldi e Paulo Roberto Endres Erechim João Maurício Johann Adjuntos: Roberto Machry e João André Rogalski Ijuí Josiane Barbi Paim Jaime Ricardo Stadler Lajeado Elvidio Elvino Eckert Adjuntos: Nestor Muller e Roberto André Kalsing Novo Hamburgo Claiton Luiz Tortelli Adjuntos: Ivo Carlos Otto Hartfelder e João Vicente Anonni Osório Edo Odair Vargas Adjuntos: Gilson Becker e Paulo Francisco Boff Passo Fundo Roger Adolfo Silva Lara Adjuntos: Doli Maria Dalvit e Bernardino Basso Pelotas Paulo Souza e Silva Moreira Adjuntos: Eduardo Poetsch e Everson Azeredo Rio Grande Henrique José Leal Vieira da Fonseca Adjuntos: Carlos Joaquim Xavier e Gilberto Tavares Sequeira Santa Cruz do Sul Walter Rech Pflug Adjuntos: Paulo Gomes Lisboa e Sérgio Moralles Rodriguez Santa Maria Francisco Hubner Adjuntos: Jorge Humberto Vasques Miotti e Moacir da Silva Santa Rosa Roberto Luis Vaccari Adjuntos: Clóvis Schneider e Pedro Fernando Mendes Santana do Livramento Adan Silveira Maciel Adjuntos: Gustavo Farias Staevie e Luiz Cristiano Calixto Santo Ângelo Julio Cesar Agliardi Machado Adjuntos: Nestor René Koch e Luiz Cesar Theobald São Gabriel Jose Orácio Silva Lederes Adjuntos: André Henrique Winter e Carlos Pufal Machado Seberi Gilberto Braz Agnolin Marco Aurélio Klein Torres Edgar Denardi Adjuntos: Eloir Schwanck Krausburg e Sandra Trevisani Uruguaiana Charles da Silva Pereira Adjuntos: Elvira Helena Campanher e João Antonio Bruscato de Lima Área de Apoio Diretor-Executivo: Luis Antônio Steglich Costa Gerente Comercial: Ciro Aguirre Gerente de Operações e Apoio ao Revendedor: Rômulo Carvalho Venturella Secretária da Presidência: Zoé Zanella Gerente Administrativo-Financeira: Fernanda Almeida de Matos Schneider Auxiliar Administrativo I: Andréia Rosa Paim Auxiliar Administrativo III: Simone Broilo e Rossano Silva dos Santos Assistente de Apoio Administrativo: Elaine Cristina Salvador e Jéssica Fraga da Silva Auxiliar de Serviços Gerais: Rosemeri Pavão dos Santos Office-boy: Jonatham Oliveira dos Santos Coordenação Jurídica: Antônio Augusto Queruz, Betty Mu, Felipe Goidanich, Maurício Fernandes e Rafael de Castro Volkmer Consultor Trabalhista: Flávio Obino Filho Consultor Contábil-Fiscal: Celso Arruda Assessoria de Imprensa: Neusa Santos Coopetrol - Cooperativa dos Revendedores de Combustíveis Ltda. Presidente Antônio Gregório Goidanich Diretor Financeiro Oscar Alberto Raabe Conselheiros-diretores Adão Oliveira da Silva, Gilberto Rocha Alberton e Paulo Moreira Gerson Adir Trentini, Frederico Walter Adjuntos: Edebaldo Weber e Adjuntos: Ivan Dall agnol e Ano XXVI Fevereiro de 2013 Nº 70 As opiniões dos artigos assinados e dos entrevistados não são de responsabilidade da Revista Posto Avançado Coordenação: Ampliare Comunicação Edição: Neusa Santos (MTE/RS 8544) Reportagem: Cristina Cinara e Neusa Santos Revisão: Press Revisão Capa: Fotolia.com Diagramação: H&B Design Impressão: Gráfica Odisséia Tiragem: exemplares 12 posto avançado

13 Palavra do Presidente Adão Oliveira Exemplo presidencial que marca Nós, humanos, temos como praxe a união e o companheirismo diante de uma tragédia, de algo que nos surpreende e arrasa. Mas no mundo atual, vivemos o individualismo, principalmente quando nos referimos a autoridades públicas. O lamentável acontecimento de Santa Maria, envolvendo a boate Kiss e que dizimou mais de 200 jovens, cheios de vida e de projetos, mostrou que nem sempre os governantes ficam alheios e distantes na hora que mais a sociedade deles precisa, mesmo que seja unicamente para confortar os cidadãos afetados. Os atos de desprendimento demonstrados pela presidente Dilma Rousseff que imediatamente suspendeu um encontro com presidentes sulamericanos que se realizava no Chile, dirigindo-se ao palco dos acontecimentos trágicos daquela madrugada de domingo nos deram a dimensão exata do caráter e compromisso humanitário da nossa governante. Ela se despojou de sua condição presidencial e das tarefas que o cargo impõe para estar junto dos familiares e amigos daqueles jovens atingidos pela tragédia, e para levar um pouco de conforto em uma hora que nenhum de nós gostaria de enfrentar ao longo de nossas vidas. O aparato logístico montado junto ao local da tragédia, utilizado para encaminhar feridos a hospitais da Região Central do RS e à Capital, envolvendo aviões, helicópteros, automóveis e uma infinidade de profissionais ligados às áreas da saúde e da defesa civil, foi gigantesco. Muitos dos que estavam feridos e encaminhados a tempo para a rede hospitalar e que foram salvos devem suas vidas a essas providências que a presidente Dilma tomou rapidamente, tão logo informada sobre a tragédia. O triste acontecimento não pode ser creditado a uma fatalidade. Houve negligências e responsabilidades que envolvem órgãos públicos e o gerenciamento da casa, como atestam recentes dados divulgados pela Polícia Civil. Nós, do segmento dos combustíveis, bem sabemos da importância fundamental que tem a segurança da população para o exercício de nossa atividade, já que trabalhamos com produtos altamente inflamáveis. Infelizmente, fica mais esta lição. Nós, do segmento dos combustíveis, bem sabemos da importância fundamental que tem a segurança da população para o exercício de nossa atividade, já que trabalhamos com produtos altamente inflamáveis. posto avançado 13

14 Vida Sindical Sulpetro reúne-se com o prefeito em exercício No dia 23 de janeiro, o prefeito em exercício de Porto Alegre, Sebastião Melo, recebeu o presidente do Sulpetro, Adão Oliveira; o vice-presidente, Eduardo Pianezzola; o diretor José Ronaldo Leite Silva e o engenheiro Fernando Pianezzola. O grupo solicitou prioridade na tramitação no Executivo do projeto de lei complementar, elaborado pelo Legislativo, que consolida a legislação municipal para postos de combustíveis. Precisamos de normas claras e atualizadas para pensarmos nossos Prefeito em exercício Sebastião Melo em reunião com representantes do setor e o presidente do Sulpetro, Adão Oliveira. Ivo Gonçalves/PMPA investimentos e projetos dentro da lei, afirmou Oliveira. Melo disse que a prefeitura tratará o assunto com responsabilidade. É um setor muito importante para a economia e o desenvolvimento da Capital. Temos que dar agilidade à tramitação do projeto de lei complementar, mas precisamos fazer isso com segurança e transparência, concluiu. Também participaram da reunião o procurador do município, Marcelo do Canto, e o coordenador da assessoria legislativa do gabinete do vice-prefeito, Gil Soares Almeida. AL/RS dá posse à Mesa Diretora Presidente do Sulpetro, Adão Oliveira, e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Pedro Westphalen. 14 posto avançado Marcelo Amaral/Portphoto Opresidente do Sulpetro, Adão Oliveira, prestigiou a posse da nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul na tarde de 31 de janeiro. Por aprovação unânime, com 43 votos favoráveis, foi eleita a chapa única inscrita para a condução da Mesa Diretora no terceiro ano da 53ª Legislatura. O deputado Pedro Westphalen (PP) assumiu a presidência para a gestão e sucede o deputado Alexandre Postal (PMDB). Westphalen desejou assumir com coragem a missão e disse que herdou valores dos pais e avós ao contar parte da história da família, que é dedicada à vida pública. O Parlamento expressa a diversidade de nossa sociedade. Essa Casa tem avançado nas relações democráticas, afirmou. O deputado, que também é médico, apontou as prioridades de seu mandato. Por saber que o tema da saúde não se encerra na necessidade da reformulação da dinâmica do SUS, queremos contribuir para diminuir o passivo da desassistência, declarou, ao falar sobre uma das causas que defende. Prestigiaram a cerimônia de eleição e posse da Mesa Diretora 2013 o governador Tarso Genro; o presidente do Tribunal de Justiça do RS, Marcelo Bandeira Pereira; o procurador-geral de Justiça do Estado, Eduardo de Lima Veiga; o defensor público-geral do Estado, Nilton Leonel Arnecke Maria; os ex-governadores Jair Soares, Olívio Dutra e Yeda Crusius; o arcebispo metropolitano de Porto Alegre, Dom Dadeus Grings; o comandante militar do Sul, general de exército Carlos Bolivar Goellner; o presidente do Tribunal de Contas da União, João Augusto Nardes, entre outras autoridades.

15 Sindicato acompanha posse do novo comandante da BM Vice-governador Beto Grill; novo comandante-geral da BM, coronel Fábio Duarte Fernandes, e presidente do Sulpetro, Adão Oliveira. No dia 1º de fevereiro, o coronel Sérgio Roberto de Abreu passou o cargo de comandante-geral da Brigada Militar ao coronel Fábio Duarte Fernandes, em cerimônia realizada no Palácio Piratini. Kiran Federico Léon Ao despedir-se do cargo, o coronel Abreu relembrou algumas ações que contaram com o trabalho da BM, como casos de assaltos, enchentes, incêndios, entre outros. São homens e mulheres que doam a vida para salvar outras vidas, socorrendo feridos e protegendo a comunidade, disse. Já o novo comandante-geral adiantou que a corporação priorizará o policiamento ostensivo e reduzirá o número de policiais que hoje exercem funções administrativas para reforçar o efetivo nas ruas. Na solenidade, também foram empossados os demais integrantes do comando da BM. Os coronéis Silanus de Oliveira Melo e Alfeu Freitas Moreira assumiram como subcomandante e chefe do Estado Maior, respectivamente. A Casa Militar será chefiada pelo coronel Oscar Luiz Moiano. No evento, houve ainda a entrega de 94 viaturas à Brigada Militar, sendo 60 de policiamento de radiopatrulha ao Fundo Especial de Segurança Pública (FESP), 13 Rangers oriundas destinadas a cidades do interior do Estado e 21 motocicletas para o Vale do Rio Pardo e Escola de Formação e Especialização de Soldados de Montenegro. Encontro com autoridades Ricardo Varela O vice-presidente do Sulpetro, Francisco Cyrillo da Costa; o presidente Adão Oliveira; a senadora Ana Amélia Lemos, o prefeito de Canela, Cléo Port, e o deputado estadual João Fischer durante encontro em Canela, na noite de 24 de janeiro. posto avançado 15

16 Vida Sindical Sulpetro adere ao PGQP OSulpet ro aderiu ao Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP) e passa a fazer parte de um dos principais programas de qualidade do País, referência mundial na disseminação dos conceitos da qualidade em gestão. Com a assinatura do termo, que ocorreu no final de 2012, o Sindicato assumiu o compromisso de capacitar pessoas, definir estrutura responsável para este fim e participar do sistema de avaliação. O PGQP tem uma rede de 80 comitês setoriais e regionais no Rio Grande do Sul. São mais de 10,5 mil organizações envolvidas, entre iniciativa privada, órgãos públicos e terceiro setor, e cerca de 1,3 milhão de pessoas relacionadas com a gestão da qualidade. O programa foi criado em 1992, com a missão de promover a competitividade do Estado para melhoria da qualidade de vida das pessoas por meio da busca pela excelência em gestão com foco na sustentabilidade. É considerado um dos maiores patrimônios gaúchos na disseminação da qualidade e melhoria da gestão das organizações. ANP registra mais de 4 mil ações de fiscalização na Região Sul Em 2012, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizou ações de fiscalização em todo o país sendo na Região Sul. Os atos identificaram quatro mil infrações no mercado de abastecimento de combustíveis, e mais de 800 estabelecimentos foram interditados, com 1,9 milhão de litros de combustíveis líquidos e 63,4 mil botijões de gás liquefeito de petróleo (GLP) apreendidos. Os dados são do boletim Fiscalização do Abastecimento em Notícias Balanço Anual 2012, que também atestam que os combustíveis revendidos seguem nível internacional da qualidade. Em dezembro de 2012, apenas 1,9% dos combustíveis líquidos apresentou problemas de não conformidade. Entre as principais infrações encontradas pelos fiscais da ANP, estão a oferta de combustíveis fora do padrão de qualidade estabelecido; o não atendimento às normas de segurança; documentação vencida e irregularidades nas bombas de abastecimento, resumiu a diretora-geral da ANP, Magda Chambriard. Segundo ela, a publicação do Boletim permite que a sociedade tenha mais um instrumento para acompanhar a atuação da Agência. Entre os segmentos fiscalizados, as revendas de combustíveis representam 64,2%, com mais de 13 mil ações. Conforme o levantamento, nos últimos dois anos, mais de 13 mil processos foram julgados em primeira instância, ocasionando a redução de 85% do total em tramitação na ANP, com impacto na arrecadação de multas, que alcançou R$ 52,6 milhões em Infrações Interdições Apreensões Desinterdições 16 posto avançado

17 Mercado RS terá seis usinas de etanol Até o ano de 2020, o Rio Grande do Sul deverá contar com seis novas usinas de etanol, que produzirão 600 milhões de litros anuais do produto, a partir do arroz. Protocolo de intenções nesse sentido foi firmado entre o governo do Estado e a Vinema Biorrefinarias do Sul, em janeiro, concedendo à empresa gaúcha redução de 75% do ICMS sobre o produto final, pelo período de quatro anos. O custo do empreendimento está orçado em R$ 120 milhões por unidade de biorrefinaria, totalizando em R$ 720 milhões. O vice-governador Beto Grill, que assinou o convênio, revela que será produzido um grão de arroz especial para a fabricação de etanol. Temos tido, nos últimos anos, excesso de produção de arroz, que acaba tendo que competir com o grão importado e, muitas vezes, ficando sem mercado, explica Grill. Segundo o diretor-geral da Vinema, Vilson Machado, as biorrefinarias utilizarão fontes amiláceas cereais e tubérculos por ser um projeto flex, sendo as principais: arroz, sorgo, triticale e batata-doce. No Estado, praticamente não há produção de etanol de cana de açúcar, uma vez que as condições para este cultivar ainda são incipientes, obrigando o RS a se tornar grande importador de etanol (98% do consumido), da região Sudeste do País, que é a principal produtora, afirma o empresário. Machado adianta também que, levando em consideração somente o uso do arroz em casca, a quantidade total consumida será de 250 mil toneladas por unidade ao ano, ou seja, 1,5 milhão de toneladas por ano para as seis plantas industriais. A primeira usina será construída no município de Cristal, com previsão de início da construção ainda Caroline Bicocchi/Divulgação Kiran Léon Vice-governador Beto Grill disse ao presidente do Sulpetro, Adão Oliveira, que o governo gaúcho também tem buscado a participação do governo federal para o projeto de produção de etanol e de energia elétrica. para o primeiro semestre deste ano. As outras biorrefinarias serão instaladas em seis regiões, conforme a classificação do Instituto Rio-Grandense do Arroz (Irga), estratégica e tecnicamente selecionados, sendo: Itaqui (Fronteira Oeste); Dom Pedrito (Campanha); Cachoeira do Sul (Depressão Central), Capão do Leão (Sul) e Santo Antônio da Patrulha (Planície Costeira Externa). O objetivo foi contemplar, a partir de estudos realizados, regiões produtoras de arroz e também para reduzir os custos, informa o vice-governador. Diretor-geral da Vinema, Vilson Machado, apresenta, no Palácio Piratini no dia 10 de janeiro, como será a produção de etanol pelas seis unidades do Estado. posto avançado 17

18 Artigo Um olhar de lá para cá Ébastante comum o empresário se absorver em muitos afazeres no escritório do posto; trabalhar dez, 12, 14 horas por dia dentro dele e não ver o que está acontecendo na sua sala de visitas, ou seja, na pista de abastecimento, na loja, nos boxes, etc. É tanto trabalho e diriam alguns: são tantos problemas que não sobra tempo para ir lá fora analisar e criticar o que está acontecendo. Na maioria das vezes, ver como seus concorrentes estão agindo, então, é muito mais difícil que isso aconteça. Planejar, organizar e controlar é apenas uma parcela do trabalho do gestor do negócio; é preciso muito mais, todos sabemos. Mas uma coisa poucos fazem: conhecer os demais elos da cadeia do seu comércio o cliente, seu funcionário, seu concorrente, seu fornecedor, seu estabelecimento, a parte física do posto de combustível. Você sabe quem é o seu cliente? Sabe como o cliente enxerga o seu posto? Você sabe como ele é tratado, suas necessidades, seus desejos e anseios, suas qualidades, seu poder aquisitivo, seu potencial de compra e de qual pagamento que lhe é mais vantajoso? Quanto tempo você fica na pista diariamente? Já experimentou atravessar a rua ou a rodovia e, de lá para cá, ficar observando as virtudes e os erros que seu posto possui? Os acessos estão bem pavimentados, livres e limpos para não só transmitir um bom aspecto aos seus clientes que entram, mas também para atrair novos consumidores que, por alguma razão, não mais querem retornar aos locais que frequentemente abastecem? É muito exigente (e só olhando de lá para cá é possível ver/fazer a diferença) quanto à limpeza da ilha de abastecimento; das bombas, mangueiras e bicos; da iluminação interna delas; dos regadores para limpeza de para-brisas, dos terminais de água e de ar comprimido? Como é ruim ver avisos descolando ou sujos. Pior ainda é quando caem e não são repostos, deixando o usuário sem informações importantes. E quanto ao local de troca de óleo, ao estado e à segurança do elevador, das estantes de óleo, correias e acessórios; das embalagens de óleo em exposição e das usadas; das estopas e panos; das ferramentas; da limpeza de tudo e do chão deste local? Loja ou lanchonete com gôndolas ou mostruários faltando produtos (mesmo por pouco tempo), publicidade mal colocada, pilhas de produtos em oferta obstaculizando passagens importantes, paredes estragadas, sujas, com cimento caindo ou com pintura desbotada; iluminação não suficiente; bebidas pouco geladas (ou não tão frias como o cliente deseja que estejam) não são desejáveis nem aceitas por quem deseja ter sucesso. Carlos Trindade, consultor de empresas de combustíveis e de energia. 18 posto avançado

19 Gerencie Melhor Postos devem observar normas contra incêndio Regida pela legislação de Segurança e Saúde Ocupacional, a NR-23 é a norma regulamentadora do trabalho urbano e estabelece as medidas de proteção contra incêndios. As revendas de combustíveis devem estar atentas ao cumprimento da norma para proteger a saúde e integridade física dos trabalhadores e consumidores. Conforme a engenheira mecânica e de segurança do trabalho Fernanda Sanford Jakubowski, as regras gerais valem para todas as empresas e são: proteção contra incêndio; saídas suficientes para a rápida retirada do pessoal, em caso de incêndio; e pessoas adestradas no uso correto desses equipamentos. A NR-23 especifica as orientações para saídas, portas, escadas, ascensores, porta corta-fogo, exercício de alerta, extintores, sistema de alarme, entre outros itens. O Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) é obrigatório para todos os proprietários ou responsáveis por prédios com instalações comerciais. Ele pode ser encaminhado ao Corpo de Bombeiros da Brigada Militar diretamente pelo proprietário, de modo voluntário, ou após receber a Notificação de Adequação, obedecendo aos prazos legais para o cumprimento. O PPCI deverá conter os memoriais descritivos, quando necessários: do prédio, dos extintores, da instalação hidráulica de combate a incêndio, das instalações automáticas de combate a incêndio, das saídas de emergência, da central de GLP, da iluminação de emergência, da detecção e alarme de incêndio, da proteção contra descargas atmosféricas e dos riscos especiais, recomenda a engenheira. O processo inclui a montagem, em duas vias iguais, com suas respectivas plantas em anexo (planta baixa, de situação, localização e de corte, atualizadas e aprovadas) e sistemas de prevenção lançados e previstos em normas específicas. Marcelo Amaral/Portphoto A não ser em grandes explosões, o fogo começa pequeno. Portanto, com calma e conhecimento do assunto, poderão ser evitadas grandes catástrofes. É fundamental se ter as brigadas de prevenção e combate a incêndio, orienta a engenheira Fernanda Jakubowski. Instruções em caso de incêndio: Não sendo possível eliminar o fogo, abandone o edifício rapidamente. Desligue o equipamento que estiver manuseando e feche as saídas de gás. Não utilize o elevador como meio de escape. Não suba, procure sempre descer. Não fume. Ao utilizar as escadas de emergência, desça sempre pelo lado direito da escada. Chame o Corpo de Bombeiros. Acione o alarme de incêndio. Mantenha, se possível, as roupas molhadas. Jogue fora todo e qualquer material inflamável que carregue consigo. Em condições de fumaça intensa, cubra o rosto com um lenço molhado e procure sair, andando o mais rente possível do piso, para evitar ficar asfixiado. Ao perceber um incêndio, não se altere. Estando num local com muitas pessoas ao redor, não grite e nem corra. Acate as normas de prevenção. Nunca volte para apanhar objetos. Não acenda nem apague luzes, principalmente se sentir cheiro de gás. Após o uso do extintor, notifique o serviço de segurança para recarga, o mais rápido possível. Fonte: Engenheira mecânica e de segurança do trabalho Fernanda Sanford Jakubowski. posto avançado 19

20 Personagem Pedro Westphalen Novos rumos para o Parlamento gaúcho Ao tomar posse em seu terceiro mandato como deputado estadual, ele também passou a comandar um dos três poderes do Rio Grande do Sul: a presidência da Assembleia Legislativa. Médico ginecologista e obstetra, iniciou a vida pública como um dos fundadores do sistema sindical dos hospitais do Rio Grande do Sul e do Sindicato dos Hospitais da Região da Serra e da Confederação Nacional de Saúde. Natural de Cruz Alta, Pedro Westphalen (PP) ficou entre os três deputados mais votados no Estado na última eleição, com quase 73 mil votos. O que pode ser feito para aproximar mais a população da Assembleia Legislativa, a Casa do Povo? O que nós temos que fazer na presidência é dar condições de os 55 deputados, que são os legítimos representantes eleitos pela população, para que, nos gabinetes, na tribuna e nos debates das comissões façam o devido encaminhamento dos problemas que o Rio Grande tem, que são trazidos pelas entidades associativas, pelas pessoas físicas em si, pelos representantes sindicais. E aqui temos vários instrumentos para esse debate acontecer, não só na formatação de projetos, mas nas comissões temáticas permanentes e especiais. Recentemente, foi criada a Comissão para acompanhar e revisar a legislação devido aos fatos de Santa Maria (incêndio na boate Kiss). Temos um Fórum Democrático, que é para a comunidade usar para si, para levantar temas escolhidos pelos Coredes, (Conselhos Regionais de Desenvolvimento), pela Presidência e aqui fazer um permanente debate sobre o que interessa ao Rio Grande do Sul. Na realidade, a Assembleia tem uma acessibilidade muito grande. Os deputados têm seus gabinetes abertos, todos têm representação no interior. Estão rodando o Estado em permanente contato com as administrações para trazer o que é importante e para ser debatido e encaminhado nesse processo. Muitas vezes, somos ponte para a marcação de audiências com secretários de Estado, com o governo, enfim. Qual é o papel da Comissão de Santa Maria? Os acontecimentos de Santa Maria não podem passar em branco. Estive lá no domingo, 27 de janeiro, logo após a tragédia. E quero fazer um registro da pronta ação das autoridades municipais, estaduais e da presidente Dilma Rousseff. Ela deu uma demonstração de maioridade política e de respeito à população. Mas nunca passei por um sofrimento coletivo tão grande. No Parlamento, usamos os mecanismos que temos, que era de criar uma Comissão de Representação Externa, composta por cinco membros, que tem a função de, em 30 dias, acompanhar os encaminhamentos que estão sendo dados sobre o acontecido. Essa é a nossa função: fiscalizatória. A outra comissão é uma Comissão Especial, que foi protocolada pelo deputado Adão Villaverde, composta por 12 membros, para que todos os partidos participem na revisão da legislação e também na proposição de uma nova legislação que seja exequível e que tenha a possibilidade de ser fis- 20 posto avançado

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015 Carga Tributária dos Combustíveis por Estado Referência: Junho/2015 Pontos importantes da Lei 12.741/2012 para a revenda de combustíveis Art. 1º Emitidos por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias

Leia mais

COMUNICADO AOS CLIENTES Lei De olho no Imposto

COMUNICADO AOS CLIENTES Lei De olho no Imposto São Paulo, 23 de Maio de 2013. COMUNICADO AOS CLIENTES Lei De olho no Imposto Conforme é de conhecimento de V. Sas., a Presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 12.741/12, publicada no DOU em 10/12/2012,

Leia mais

Art. 3º A informação a que se refere o art. 2º compreenderá os seguintes tributos, quando influírem na formação dos preços de venda:

Art. 3º A informação a que se refere o art. 2º compreenderá os seguintes tributos, quando influírem na formação dos preços de venda: DECRETO Nº 8.264, DE 5 DE JUNHO DE 2014 Regulamenta a Lei nº 12.741, de 8 de dezembro de 2012, que dispõe sobre as medidas de esclarecimento ao consumidor quanto à carga tributária incidente sobre mercadorias

Leia mais

Cartilha. Perguntas e respostas Decreto regulamentando a Lei n 12.741

Cartilha. Perguntas e respostas Decreto regulamentando a Lei n 12.741 Cartilha A SMPE preparou uma cartilha para esclarecer as principais dúvidas referentes ao Decreto nº 8264/14. Ela pode também ser acessada no site da secretaria (www.smpe.gov.br). Perguntas e respostas

Leia mais

MANTENEDOR E CONTADOR

MANTENEDOR E CONTADOR MANTENEDOR E CONTADOR No ano de 2000, Darci de Paula, Contador formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em Ciências Contábeis e Pós graduado em MBA IFRS(Normas Internacionais de Contabilidade),

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC SUPERINTEDÊNCIA DE BIOCOMBUSTÍVEIS E DE QUALIDADE DE PRODUTOS SBQ Alexandre de Souza Lima Salvador Junho/2008 AGENTES DO ABASTECIMENTO Posição

Leia mais

A Sombra do Imposto. Propostas para um sistema de impostos mais simples e justo Simplifica Já

A Sombra do Imposto. Propostas para um sistema de impostos mais simples e justo Simplifica Já A Sombra do Imposto Propostas para um sistema de impostos mais simples e justo Simplifica Já Expediente A Sombra do Imposto Cartilha produzida pelo Sistema Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná).

Leia mais

Sindipostos cria grupo de trabalho sobre legislação ambiental

Sindipostos cria grupo de trabalho sobre legislação ambiental NATAL-RIO GRANDE DO NORTE - ANO 03 - EDIÇÃO 19 Sindipostos cria grupo de trabalho sobre legislação ambiental O Sindicato do Comércio Varejista dos Derivados de Petróleo continua investindo alto no t r

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por:

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por: INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por: 2014 PRIMEIRA PARTE: DEFINIÇÃO E VANTAGENS O que é a industrialização por encomenda? É uma forma de ganhar eficiência

Leia mais

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO BRIGADA DE INCÊNDIO Brigada de Incêndio: É um grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuarem dentro de uma área previamente estabelecida na prevenção, abandono e combate

Leia mais

E-Book Formação de Preço Débito e Crédito ICMS. Pricing - Treinamento, Consultoria e Auditoria

E-Book Formação de Preço Débito e Crédito ICMS. Pricing - Treinamento, Consultoria e Auditoria E-Book Formação de Preço Débito e Crédito ICMS Pricing - Treinamento, Consultoria e Auditoria Sobre o que é este Ebook! Se Você esta lendo este Ebook é porque tem interesse sobre Pricing. No Brasil mais

Leia mais

Empresário Empreendedor

Empresário Empreendedor Empresas x Tributação Empresário Empreendedor Carga Tributária Obrigações acessórias Receita Federal Receita Estadual Previdência Social Receita Municipal Situação Tributária do Negócio Para o Empresário

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA Programa Nacional de Capacitação e Qualificação ABLA Convênio nº 635/2007. Objeto: Aumentar a qualidade na prestação de serviços e competitividade dos

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013 PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2013 APRESENTAÇÃO Em ação conjunta para o melhor conhecimento das capacidades do mercado brasileiro da construção em aço, o CBCA Centro

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone: 55

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

Abrangência da terceirização

Abrangência da terceirização Reportagem especial explica os pontos polêmicos do projeto da terceirização A proposta que regulamenta a terceirização no Brasil e derrubou a reunião da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania

Leia mais

Senhoras e Senhores Parlamentares; está desenvolvendo a frente desta Casa, onde tem. demostrado uma postura séria e coerente, ajudando o nosso

Senhoras e Senhores Parlamentares; está desenvolvendo a frente desta Casa, onde tem. demostrado uma postura séria e coerente, ajudando o nosso Discurso proferido pelo Deputado Federal Capitão Wayne, dia 28/06/2005, por ocasião da Sessão Solene em Homenagem aos Bombeiros Militares. Senhor Presidente; Senhores Comandantes Geral do Bombeiro Militar;

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

Agência de Propaganda

Agência de Propaganda Agência de Propaganda Um assinante do Consultor Municipal fez a seguinte consulta: As empresas de propaganda e marketing são consideradas agências? E qual seria a base de cálculo do ISS? Por ser um assunto

Leia mais

Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS

Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS Data: 15 de janeiro Hora: 12 horas Local: Sede do Conselho Regional de Economia

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY Sumário Título I... 3 Das disposições Preliminares... 3 Título II... 4 Caracterização do Estágio... 4 Capítulo

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR

TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR ASSUNTO: Operações interestaduais. De início, ressalte-se que, para efeito deste trabalho, toda alusão genérica feita a Estado é extensiva ao Distrito

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR)

O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR) O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR) Pontos Lei Geral Como é hoje 1 Alcance da Lei A lei do Simples está voltada para os tributos federais. Os sistemas de tributação

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo!

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo! SAD Gestor ERP Módulo Estoque Cadastro de Produto Escrita Fiscal Seja Bem Vindo! Introdução O planejamento tributário deve fazer parte do cotidiano da empresa. É uma decisão estratégica que pode determinar

Leia mais

Quem somos? Nossa Missão:

Quem somos? Nossa Missão: Bem Vindos! Quem somos? A GEPC Consultoria Tributária é uma empresa especializada em consultoria para Farmácias e Drogarias com mais de 6 anos de mercado neste seguimento. Apoiando e atualizando nossos

Leia mais

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO Titulo do Projeto: CENTRO DE INOVAÇÃO & DIFUSÃO TECNOLÓGICA Convênio: SCIT 24/2013 Processo: 413-2500/13-5 Modalidade: Edital [02/2013 ] Situação: Em consolidação APRESENTAÇÃO

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

Distrito Federal > Novembro/2015

Distrito Federal > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI CLIPPING Mídias de Primeiro Foco Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI Cliente: Fharos Data: 10/09/08 Veículo: Executivos Financeiros 2 3 Cliente: Fharos Data: 12/09/08 Veículo: Canal Executivo 4

Leia mais

Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia

Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia Guilherme Cerqueira Mateus e Souza 1 Daniel Costa Ferreira 2 Jeandro L. Ribeiro 3 1 Economista (UFBA), Consultor do PNUD/MDA/

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Missão Promover a inserção da mulher no mercado de trabalho, apoiando ações sociais empreendedoras, desenvolvidas por organizações da sociedade civil, que contribuam de forma

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA. Controle Judicial. Manual de Instruções. Versão 8.32

NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA. Controle Judicial. Manual de Instruções. Versão 8.32 NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA Controle Judicial Manual de Instruções Versão 8.32 1 Sumário 1 CONTROLE DE COBRANÇA JUDICIAL... 4 1.1 ARQUIVO... 4 1.1.1 Processos...4 1.1.1.1 Réus Principais do Processo...13

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0405 05 IDENTIFICAÇÃO: Título: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O QUE É : É um instrumento de planejamento

Leia mais

Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social

Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social O XVIII Concurso do ELAS Fundo de Investimento Social, em parceria com a MAC AIDS Fund, visa fortalecer, por meio de apoio técnico e

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO VEÍCULO: NATAL NOTÍCIAS DATA: 02.12.15 01 Dez 2015 Presidente Marcelo Queiroz participa da 17ª Convenção do Comércio e Serviços

Leia mais

FACULDADE DE SÃO VICENTE CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

FACULDADE DE SÃO VICENTE CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS FACULDADE DE SÃO VICENTE CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS SANDRA REGINA ALMEIDA DE SOUZA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO São Vicente 2011 SANDRA REGINA ALMEIDA DE SOUZA RELATÓRIO

Leia mais

Audiência Pública Comissão Especial PL 4238/12 Piso Salarial de Vigilantes. Brasília, 10 de junho de 2014

Audiência Pública Comissão Especial PL 4238/12 Piso Salarial de Vigilantes. Brasília, 10 de junho de 2014 Audiência Pública Comissão Especial PL 4238/12 Piso Salarial de Vigilantes 1 Brasília, 10 de junho de 2014 Quem Somos? A Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores- FENAVIST,

Leia mais

Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental

Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental Documento Interno Texto base: Leoni Fuerst Preocupações referentes às questões relativas ao meio ambiente e a ecologia vêm se tornando crescentes

Leia mais

O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê?

O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê? O profissional mais estratégico que a empresa precisa ter: O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê? Diagnostica. Avalia. Cria. Planeja. Resolve. O Economista é um profissional imprescindível

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

INVOCK SERVIÇOS DE PORTARIA LTDA-ME.

INVOCK SERVIÇOS DE PORTARIA LTDA-ME. INVOCK SERVIÇOS DE PORTARIA LTDA-ME. CARTA DE APRESENTAÇÃO Estamos encaminhando nosso portfólio na intenção de apresentar nossa empresa. Após estudo e análise do mercado no segmento de Segurança, Segurança

Leia mais

98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% 3º trimestre/2014. das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim.

98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% 3º trimestre/2014. das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim. 3º trimestre/2014 das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim. 98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% das indústrias gaúchas avaliam que o número de tributos

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA De: Gabinete do Vereador Jimmy Pereira Para: Ação Jovem Brasil Resposta à solicitação de Informações para a formação do Índice de Transparência da Câmara do Rio TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos / / Fique ligado Notícias / Especiais Promenino Fundação Telefônica 10/12/2012 Os desafios da fiscalização do trabalho infantil Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS 1. Objeto: 1.1.1. Contratação de empresa para prestação, sob demanda, de serviços de planejamento, organização, coordenação, execução, fiscalização e avaliação de eventos com a viabilização de infra-estrutura

Leia mais

Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10

Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10 Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10 ALLAN KARDEC DUAILIBE Diretor Anfavea 30 de Maio, 2011 Sistema Nacional de Abastecimento de Combustíveis Produtor de Biodiesel e Etanol Produtor de GNV,

Leia mais

10/2011 750364/2010 SDH/PR

10/2011 750364/2010 SDH/PR Cotação Prévia de Preço n 10/2011 Convênio nº 750364/2010 SDH/PR Projeto: Desenvolver processos de educação popular, visando a garantia dos direitos humanos e fortalecimento da cidadania, na perspectiva

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio

INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio GESTÃO DA CONTINUADE DOS NEGÓCIOS E DE PGI 002 Incêndio INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio As informações existentes neste documento e em seus anexos são para uso exclusivo

Leia mais

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA EVOLUÇÃO DO SEGMENTO DE PROMOÇÃO DE CRÉDITO: A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA Desenvolvendo Pessoas e Fortalecendo o Sistema Renato Martins Oliva Agenda O que é ABBC Missão e valores Bancos de pequena e média

Leia mais

Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques

Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques "Um bom plano de negócios deve mostrar claramente a competência da equipe, o potencial do mercado-alvo e uma idéia realmente inovadora; culminando em um

Leia mais

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio.

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Plano de negócios estruturado ajuda na hora de conseguir financiamento. Veja dicas de especialistas e saiba itens que precisam constar

Leia mais

APRESENTAÇÃO. 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Escola Judiciária Eleitoral.

APRESENTAÇÃO. 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Escola Judiciária Eleitoral. APRESENTAÇÃO 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. 2. E-mail para contato eje@tre-rj.gov.br. 3. Nome do Projeto. 4. Tema escolhido Gestão Sócio Ambiental. 5.

Leia mais

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ AREA TEMÁTICA: TRABALHO LAIS SILVA SANTOS 1 CARLOS VINICIUS RODRIGUES 2 MARCELO FARID PEREIRA 3 NEUZA CORTE DE OLIVEIRA

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Escrita Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Escrita Fiscal. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Condomínios mais Seguros

Condomínios mais Seguros Condomínios mais Seguros Palestra ministrada pelo Capitão Yasui Comandante da 2ª Companhia do 49º Batalhão de Polícia Militar. 13/04/2011 Formulado por um grupo de trabalho composto por policiais civis

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS

PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO CARTA-CONSULTA ANEXO II AO DECRETO 4744 PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS I A EMPRESA 1.1. Caracterização e Outras Informações Razão social:

Leia mais

Política de Atendimento de Lubrificantes. Índice. Item Tópico Página. 1. Introdução e Propósito 2. 2. Nossa Missão 2. 3.

Política de Atendimento de Lubrificantes. Índice. Item Tópico Página. 1. Introdução e Propósito 2. 2. Nossa Missão 2. 3. Política de Atendimento de Lubrificantes Índice Item Tópico Página 1. Introdução e Propósito 2 2. Nossa Missão 2. CALL Center 2 e. Disponibilidade de Produtos.1 Pedidos Mínimos.2 Tipos e Características

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social

IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 43 IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social João Inácio Correia (advcor@mandic.com.br)

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO Cria e regulamenta a Brigada de Incêndio e Emergência do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO Orientador Empresarial Microempreendedor Individual-Formalização-Setor de Serviços-Crescimento SETOR DE SERVIÇOS É CAMPEÃO EM

Leia mais

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete:

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete: LEI Nº 12.911, de 22 de janeiro de 2004 Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - e do Fundo Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - FUNSEA-SC

Leia mais

Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN. O que é o GVN Parceiro: O perfil do GVN Parceiro

Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN. O que é o GVN Parceiro: O perfil do GVN Parceiro Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN O que é o GVN Parceiro: O GVN Parceiro é uma modalidade de parceria de negócios criada pelo Grupo Vila Nova para ampliar sua capilaridade de oferta e garantir que

Leia mais

Medida Provisória 532/2011

Medida Provisória 532/2011 Ciclo de palestras e debates Agricultura em Debate Medida Provisória 532/2011 Manoel Polycarpo de Castro Neto Assessor da Diretoria da ANP Chefe da URF/DF Maio,2011 Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

SAFRAS & CIFRAS IMPOSTO DE RENDA LEÃO QUER SE ALIMENTAR DE SOJA LEÃO

SAFRAS & CIFRAS IMPOSTO DE RENDA LEÃO QUER SE ALIMENTAR DE SOJA LEÃO IMPOSTO DE RENDA HO LEÃO QUER SE ALIMENTAR DE SOJA *Cilotér Borges Iribarrem LEÃO * Enio Borges Paiva *Lizandra Blass * Rafael de Freitas Bittencourt Todos estão de olho no negócio soja, produtores rurais,

Leia mais

OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 142/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011.

OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 142/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011. OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 142/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011. Ao Senhor Fernando Martins Vaz Chabert Diretor de Relações com Investidores da Hotéis Othon S/A Rua Teófilo Otoni, 15, sala 1201, Centro

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Gerenciamento de Obras Prof. Dr. Ivan Xavier Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Fases do Gerenciamento: 3. Operação e controle da obra. 3. Operação e controle da obra: Reunião de partida da obra;

Leia mais

O Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 2012, uma análise comparativa entre os Estados.

O Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 2012, uma análise comparativa entre os Estados. Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 5, ANO III MAIO DE 2011 1 ESTADO NÃO PODE RECUSAR CRÉDITOS DE ICMS DECORRENTES DE INCENTIVOS FISCAIS Fiscos Estaduais não podem autuar

Leia mais

A Carga Tributária para a Indústria de Transformação

A Carga Tributária para a Indústria de Transformação nº 01 A A Indústria de Transformação brasileira deve encerrar 2014 com mais um resultado negativo para a produção, ratificando o quadro de baixa atividade fabril que caracterizou últimos quatro anos, período

Leia mais

Tributos em orçamentos

Tributos em orçamentos Tributos em orçamentos Autores: Camila de Carvalho Roldão Natália Garcia Figueiredo Resumo O orçamento é um dos serviços mais importantes a serem realizados antes de se iniciar um projeto. É através dele

Leia mais