REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL"

Transcrição

1 Profª Drª Maria Helena Palucci Marziale Profª Associada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP Coordenadora do Núcleo de Estudos em Saúde e Trabalho Editora da Revista Latino americana de Enfermagem PROJETO DE PESQUISA REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL SUMÁRIO Introdução Justificativa Objetivos Material e métodos Tipo de estudo Local População Amostra Procedimentos e instrumentos de coleta de dados Aspectos éticos Análise dos dados Resultados e impactos esperados Referências bibliográficas

2 Introdução Os acidentes de trabalho com material biológico representam um risco para os trabalhadores das instituições hospitalares devido a possibilidade de transmissão de patógenos como o vírus da hepatite B (HBV) e da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida AIDS (HIV), as quais podem ser letais. Os acidentes ocasionados por picadas de agulhas são responsáveis por 80 a 90% das transmissões de doenças infecciosas entre trabalhadores de saúde e o risco de transmissão de infecção de uma agulha contaminada é de três para a Hepatite B, um em trinta para hepatite C e um em trezentos para o HIV (GODFRE, 2001). O CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION (CDC,1998) entre 1985 e 1998 registrou 55 casos confirmados de infecção pelo HIV e 136 casos de possíveis contaminações entre trabalhadores de enfermagem e técnicos de laboratórios nos Estados Unidos, onde os acidentes percutâneos foram associados a 89% dos acidentes registrados. A referida instituição estimou que 800 trabalhadores de saúde tornavam-se anualmente infectados, nos Estados Unidos, pelo vírus HBV e que 2 a 4% das infecções pelo virus da hepatite C (HCV) ocorreram em ambiente hospitalar após exposição ao sangue (CDC,2001). O risco de infecção pelo HBV adquiridos ocupacionalmente representava 4% do total de casos nos Estados Unidos, demostrando ser a aquisição ocupacional da infecção por Hepatite B um modo importante de transmissão a partir de fluídos corpóreos, principalmente o sangue, sendo que a transmissão do HIV e do HBV pode ocorrer através de um único episódio de exposição (OLKNER,1996). Os dados mais recentes do INTERNATIONAL HEALTH CARE WORKER SAFETY CENTER (2001), indicam que o risco de infecção pós-exposição ocupacional com material pérfurocortante é de 0,25% a 0,4% para o vírus HIV, 6% a 30% para o vírus HBV e 0,4% a 1,8% para o vírus HCV. De acordo com Heinrich (2000), aproximadamente injúrias percutâneas ocorrem anualmente nos hospitais americanos, sendo que são resultantes de acidentes com material pérfuro-cortante. O risco de contaminação por patógenos veiculados pelo sangue após exposição ocupacional entre trabalhadores de hospitais tem sido descrito na literatura por vários autores entre os quais destacamos Amaral & Henriques, 1997; Valenzuela Suazo, 1999; Holondnick & Barkauskas, 2000; Jagger & Perry, 2001; Brevidelli & Cianciarullo, 2001, Marziale & Rodrigues, 2002; Canini, Gir, Hayashida, Machado, 2002; Marziale, 2003a,b. Além do risco de contrair infecções o acidente pode gerar no trabalhador, sérias repercussões psicossociais levando-o à mudanças nas relações; de trabalho, familiares e sociais, devido às associações ao HIV e a AIDS, as reações psicossomáticas pós-profilaxia utilizada devido a exposição ocupacional e o impacto emocional (BRANDÃO JÚNIOR, 2000). A conseqüência da exposição ocupacional aos patógenos transmitidos pelo sangue através de um acidente pérfuro-cortante não estão somente relacionados à infecção. A cada ano milhares de trabalhadores de saúde são afetados por trauma psicológico, que perduram dias e até meses, quando da espera dos resultados dos exames sorológicos. Dentre outras conseqüências estão as alterações das práticas sexuais, os efeitos colaterais das drogas profiláticas e a perda do emprego (INTERNATIONAL HEALTH CARE WORKER SAFETY CENTER,2001). O elevado número de lesões percutâneas sofridas por trabalhadores de saúde nos Estados Unidos chamou a atenção das instituições públicas levando ao reconhecimento da gravidade do problema e a criação de uma legislação específica (Needlestick Safety and Prevention Act) regulamentada através da OCCUPATIONAL SAFETY EM HEALTH AGENCY-OSHA (2001), tornando obrigatório a adoção de medidas preventivas A referida conquista deu-se pelo esforços empreendidos pelos trabalhadores dos hospitais, Associação das Enfermeiras Americanas - ANA e devido ao registro das ocorrências dos acidentes (HALL & PRINCE,2001). Um sistema padronizado de registro, o Exposure Prevention Information Network EPINet, foi criado por pesquisadores da Universidade de Virgínia e atualmente é usado por hospitais e instituições de saúde para notificar como as exposições ocupacionais ocorrem e a eficiência das medidas preventivas adotadas (JAGGER & PERRY,2000) Diante do diagnóstico do problema os CDC e os hospitais americanos desenvolvem planos pós-exposição ocupacional ao sangue e aos fluidos corpóreos que envolvem notificação,

3 avaliação e tratamento do trabalhador, a fim de elaborar estratégias, estimativas e avaliar as condutas a serem adotadas para redução dos acidentes (JAGGER & PERRY,2000). Assim, torna-se evidente a importância da notificação do acidente para o planejamento de estratégias preventivas sendo ela ainda, um recurso que assegura ao trabalhador o direito de receber avaliação médica especializada, tratamento adequado e benefícios trabalhistas. A subnotificação da exposição ocupacional as doenças infecciosas é uma grande barreira para entender os riscos e os fatores associados com a exposição ocupacional a sangue e fluidos corpóreos (HOLODNICK & BARKAUSKAS,2000). No Brasil, embora o risco de acidentes dessa natureza estejam presentes nas atividades dos profissionais de saúde, do grande número de pacientes portadores dos vírus HIV, HBV e HCV e das condições de trabalho oferecidas por muitos hospitais é observada a inexistência de dados sistematizados sobre a ocorrência dos acidentes com material pérfuro-cortante que permitam conhecer a real magnitude do problema. Outro fator que dificulta conhecer a realidade brasileira é a falta da cultura para a notificação do acidente do trabalho. Segundo Santos, Monteiro, Ruiz (2002) em 1997 ocorreu, no Brasil, o registro do primeiro caso de contaminação de um auxiliar de enfermagem pelo vírus HIV com confirmação da Síndrome da Imonudeficiência Adquirida AIDS, devido a exposição ocupacional decorrente de um acidente de trabalho com material pérfuro-cortante ocorrido em No entanto, muitos trabalhadores de enfermagem em nosso pais desconhecem essa informação bem como os riscos a que estão expostos no ambiente de trabalho. Embora o número de pesquisas abordando o referido problema tenha aumentado na última década, e tenha contribuido para a aduisição de conhecimentos sobre a problemática dos acidentes de trabalho entre trabalhadores da área de saúde, as investigações, na maioria das vezes, retratam a realidade de alguns hospitais ou de algumas regiões do país (BREVIDELLI, ASSAYAG, TURCATO, 1995; SARQUIS, 1999; BASSO, 1999; NAPOLEÃO, ROBAZZI, MARZIALE, 2000). Os resultados das pesquisas têm sido imprescindíveis para as mudanças das práticas de trabalho; elas têm alertado para a necessidade de conscientização dos trabalhadores, administradores e instituições sobre os riscos da exposição ocupacional ao sangue e aos fluidos corpóreos veiculadores de patógenos que causam infecção e a necessidade de incentivar sua notificação. No entanto, há necessidade do desenvolvimento de pesquisas abrangentes que retratem o real diagnóstico da situação dos acidentes de trabalho com material pérfuro-cortante no Brasil. Assim, a prática da notificação do acidente de trabalho é primordial. Notificar um acidente do trabalho significa registrá-lo no protocolo de Comunicação de Acidente de Trabalho CAT, disponibilizado através de via impressa e eletrônica. O empregador é obrigado a comunicar a Previdência Social a ocorrência do evento acidentário. A notificação deve ser feita até o primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência e de imediato a autoridade policial competente em caso de acidente fatal. No caso de falta de comunicação por parte da empresa, poderão emitir a CAT o próprio acidentado, seus dependentes, a entidade sindical competente, o médico que o assistiu ou qualquer autoridade pública, não havendo neste caso limite de prazo para a notificação (MENDES,2003). As estatísticas dos acidentes do trabalho são importantes fontes de informação para programas que visam tornar as práticas de trabalho mais seguras. O sub-registro dos acidentes, por sua vez, tem aumentado nos momentos de recessão econômica devido, entre outros aspectos, ao medo do trabalhador de perder seu emprego (NAPOLEÃO,1999). A referida autora, ao estudar as causas de subnotificação de acidentes do trabalho entre o pessoal de enfermagem constatou, dentre os motivos alegados pelos trabalhadores, o desconhecimento dos reais riscos causados pelo acidente e da necessidade da realização da notificação. Estudando os motivos associados a subnotificação de acidentes de trabalho causados por injúrias percutâneas (Marziale, 2003a), constatamos que 37,5% dos acidentes não foram notificados e os motivos associados a esse resultado estavam relacionados a crenças de trabalhadores, a falta de informações sobre o risco de contaminação e a forma utilizada para registro dos dados. O sistema de registros dos acidentes do trabalho no Brasil precisa ser modificado diante das dificuldades relacionadas à qualidade e quantidade de informações disponibilizadas no protocolo usado (MARCELINO,1999). A autora considera que esse fato que possa estar contribuindo, de forma efetiva, para a subnotificação de acidentes do trabalho em nosso país.

4 Em nossos estudos (MARZIALE & RODRIGUES, 2002; MARZIALE, 2003a,b) temos constatado que múltiplos fatores podem estar associados a ocorrência dos acidentes; no entanto, dentre os principais fatores estão aqueles relacionados a inadequações da organização do trabalho, das práticas de trabalho adotadas, dos materiais disponíveis e aos fatores pessoais. Temos observado o registro de um pequeno número de acidentes, fato que nos leva a considerar a hipótese de subnotificação das inoculações acidentais, quando relacionado ao grande volume de manipulação de agulhas e catéteres intravenosos, efetuada pelos profissionais de enfermagem na execução de suas atividades. Diante do exposto, evidências foram descritas de que o registro das informações sobre a ocorrência dos acidentes são extremamente importantes para o planejamento de estratégias preventivas para a não ocorrência dos acidentes de trabalho. Lawerwnce et al. (1997) consideram que diferentes estratégias podem ser empregadas para diminuir esta ocorrência, entre as quais, ressaltam a reorientação do comportamento dos profissionais para a adoção de práticas seguras de trabalho. Para Orentein et al. (1995) e Mc Connel (1999), a adoção de medidas preventivas tem sido considerada a melhor estratégia para minimizar a ocorrência dos acidentes com lesões percutâneas. Os programas preventivos devem estar centrados na prevenção primária efetuada através da análise das práticas de trabalho, identificando os riscos das mesmas e no controle de engenharia e ergonomia voltados aos instrumentos e materiais construídos para impedir as lesões percutâneas (INTERNATIONAL INSTITUTE FOR OCCUPATIONAL SAFETHY AND HEALTH -NIOSH,1999). Embora as pesquisas enfocando a questão das inoculações ocupacionais acidentais entre os trabalhadores de saúde tenham aumentado consideravelmente na última década (MARZIALE & RODRIGUES,2002) muito há por se fazer para prevenir e minimizar as ocorrência de tais acidentes em nosso pais. Como lider do Núcleo de Estudos Saúde e Trabalho NUESAT (link) da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, credenciado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq (link), temos desenvolvidos pesquisas visando a busca de soluções para problemas encontrados na prática profissional em instituições hospitalares do Estado de São Paulo. No entanto, os resultados de nossas pesquisas evidenciaram a necessidade do diagnóstico da ocorrência dos acidentes nas diferentes regiões do país para que programas preventivos possam ser elaborados, implementados e avaliados de acordo com a realidade de cada região. O projeto ora proposto segue as orientações estratégicas definidas pela Organização Mundial da Sáude (WHO, 2002) que visam a adoção de mecanismos para melhoria das condições de tabalho dos profissionais da saúde e está embasado na premissa de que a prevenção é a melhor estratégia para controlar a ocorrência dos acidentes de trabalho. Justificativa Diante dos múltiplos fatores associados a ocorrência dos acidentes de trabalho com material biológico, da falta de um diagnóstico da real situação em nosso país, da subnotificação dos acidentes, da importância da adoção de estratégias preventivas para minimizar o problema e da necessidade de alertar as instituições públicas para uma situação que atinge milhões de trabalhadores em todo o mundo, o projeto de pesquisa ora apresentado é relevante e original pois, tem como proposta criar uma rede cooperativa de informações e conhecimentos interdisciplinares estabelecida entre pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação, técnicos em saúde ocupacional, colaboradores de hospitais de várias regiões do Brasil e comunidade científica visando diagnosticar e prevenir os acidentes pérfuro-cortantes entre os trabalhadores de instituições hospitalares e contribuir para o avanço de conhecimento científico na áreas de Saúde Ocupacional, Saúde do Trabalhador e Enfermagem do Trabalho. O intercâmbio de informações permitirá subsidiar novas pesquisas possibilitando a transferência dos conhecimentos cientificos `a prática profissional.

5 Objetivos - Criar um base eletrônica de dados relativos ao controle e prevenção de acidentes de trabalho com material biológico em hospitais universitários de diferentes regiões do Brasil; - Intercambiar informações, relativas a prevenção de acidentes de trabalho adotadas pelos hospitais universitários de várias regiões do país entre pesquisadores, participantes do projeto e a comunidade virtual; - Identificar as estratégias de prevenção de acidentes do trabalho adotadas pelos hospitais; - Levantar a ocorrência dos acidentes do trabalho com material pérfuro-cortante entre trabalhadores dos hospitais universitários ocorridos, iniciando o levantamento de uma série histórica (temporal) da situação; - Elaborar, implementar e avaliar estratégias preventivas apoiadas em evidências científicas e direcionada a realidade de cada hospital. Material e Métodos Tipo de estudo O projeto de pesquisa será executado em quatro fases e com utilização de diferentes abordagens metodológias. Primeira fase: Identificação das estratégias de prevenção de acidentes do trabalho adotadas pelos hospitais. Efetuada através de questionário. Os dados resultantes desta fase são abordados por meio de abordagem metodológica quantitativa. Segunda fase: Construção do website e intercâmbio de informações. Terceira fase: Levantamento da ocorrência dos acidentes do trabalho com material biológico entre trabalhadores dos hospitais. Efetuado por meio de protocolo de coleta de dados on-line. As informações coletadas são armazenadas em banco de dados excel e tratados por meio do pacote estatístico SPSS. Quarta fase: Elaboração, implementação e avaliação de estratégias preventivas à ocorrência dos acidentes. Abordagem metodológica qualitativa e utilização do Programa de Promoção a Sáude( PENDER,1990). Local O presente estudo esta sendo realizado em hospitais universitários brasileiros. População Através de busca na Internet foram identificados 40 hospitais universitários no país que possuíam endereço eletrônico na Internet, os quais constituiram a população de estudo. Amostra A amostra é não probabilística, ou seja por conveniência, constituída pelos hospitais que atenderam os seguintes critérios que se seguem: - Critérios de inclusão: hospitais que consentiram, em participar da pesquisa; possuem microcomputadores com acesso à Internet; Serviço Especializado de Segurança e Medicina no Trabalho ou profissional responsável para emissão das informações e participação na REPAT. - Critérios de exclusão: Hospitais que não aceitaram participar da pesquisa, não possuíam microcomputadores com acesso à Internet e profissional disponível para emissão de informações e participação na rede. Diante dos critérios estabelecidos a amostra foi constituída por 11 hospitais universitários abaixo relacionados. A - Hospital da cidade de Ribeirão Preto, São Paulo; B - Hospital da cidade de Bragança Paulista, São Paulo; C - Hospital da cidade de Florianólopolis, Santa Catarina; D - Hospital da cidade de Curitiba, Paraná; E - Hospital da cidade de Cascavel, Paraná; F - Hospital da cidade de Brasília, Distrito Federal; G - Hospital da cidade de Maceió, Alagoas; H - Hospital da cidade do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro; I - Hospital da cidade de Volta Redonda, Rio de Janeiro, J - Hospital da cidade de Alfenas, Minas Gerais, K - Hospital da cidade de Cuiabá, Mato Grosso.

6 Cabe informar que da população de hospitais, 11 hospitais enviaram respostas e atendiam os critérios estabelecidos na amostragem desta pesquisa, um hospital emitiu recusa para participar e os demais não emitiram respostas às solicitações feitas pelas vias eletrônica, telefônica e correio. Procedimentos e instrumentos de coletas de dados * Inicialmente foi enviada solicitação aos hospitais para participar da pesquisa. As cartas de aceite emitidas pelos hospitais estão arquivadas na coordenação da REPAT. * Após o aceite dos o projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.? Construção de website composto por um hipertexto dividido em módulos e interface diversificada quanto ao design a fim de tornar fácil a navegação e a compreensão, sem limitação quanto ao equipamento, versão do browser e resolução do monitor. Todo o conteúdo teórico apresentado no website foi elaborado a partir de dados extraídos de pesquisa bibliográfica efetuada por meio de bases de dados LILACS e MEDLINE.? Encaminhamento aos hospitais, por via eletrônica, do Protocolo de Coleta de Informações - Nº 1 para coleta de informações relativas ao objetivo Levantar as estratégias de prevenção de acidentes do trabalho adotadas pelos hospitais. A construção do protocolo de coleta de informações foi elaborado com base no formulário OCCUPATIONAL SAFETY & HEALTH ADMINISTRATION (OSHA, 2001) usado no plano de controle de exposição aos patógenos veiculados pelo sangue nos Estados Unidos. O protocolo contém dados relativos a avaliação da exposição, métodos e práticas de trabalho, objetos utilizados, descarte do material, condutas frente a exposição ocupacional, profilaxia pré e pós exposição ocupacional, treinamento e formas de registro. O referido protocolo será enviado eletronicamente aos hospitais visando caracterizar as instituições participantes do projeto de pesquisa e auxiliar na elaboração do instrumento de registro dos acidentes de trabalho.? Coleta de dados sobre os acidentes de trabalho ocorridos nos hospitais. Efetuado eletronicamente por meio de Protocolo de Coleta de Dados Nº2 construído com base em informações descritas na Comunicação de Acidentes de Trabalho - CAT, no formulário proposto pela OCCUPATIONAL SAFETY & HEALTH ADMINISTRATION (OSHA, 2001), no Protocolo de coleta de dados do EPINet (JAGGER & PERRY,2000) e no Sistema de Vigilância PSBio (RAPPARINI et al., 2001). Os dados coletados são armazenados em banco de dados relacional incluido no website, os quais subsidiarão os relatórios da REPAT. Aspectos éticos O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo e estão de acordo com as normas brasileiras estabelecidas para pesquisas com seres humanos. Análise dos dados Os dados quantitativos, coletados a partir de banco de dados relacional, são submetidos aos cálculos de razão de prevalência e excesso de prevalência e os dados qualitativos são submetidos à análise de conteúdo. Resultados e Impactos Esperados É esperado que os resultados possam oportunizar a sistematização de informações sobre as estratégias preventivas para a minimização da ocorrência de inoculações acidentais nos hospitais; intercâmbio de informações entre os componentes da equipe multiprofissional (representantes dos hospitais, pesquisadores e comunidade científica), visando o avanço de conhecimento na área de Saúde Ocupacional e a aplicação de mudanças nas práticas de trabalho e nas políticas públicas de atenção ao trabalhador da área da saúde. Referências Bibliográficas

7 Amaral F; Henriques F. Picada acidental. Rev. Sinais Vitais 1997;11:46-7. Brandão Junior P.S. Biossegurança e AIDS: as dimensões psicossociais do acidente com material biológico no trabalho em hospital. [Dissertação].Rio de Janeiro (RJ): Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz; Brandi S. Ocorrência de acidentes do trabalho por material pérfuro-cortante entre trabalhadores de enfermagem de um hospital universitário da cidade de Campinas, Estado de São Paulo. Rev. Esc. Enfermagem/USP 1998;32: Basso M. Acidentes ocupacionais com sangue e outros fluidos corpóreos e profissionais de saúde. [Dissertação]. São Paulo (SP): Escola de Enfermagem/ Universidade de São Paulo; Brevidelli MM.; Cianciarullo TI. Aplicação do modelo de crenças em saúde na prevenção dos acidentes com agulha. Rev Saúde Pública, 2001,35(2): Brevidelli MM, Assayag RE,Turcato G Jr. Adesão às precauções universais: uma análise do comportamento da equipe de enfermagem. Rev Bras Enfermagem 1995;48: Mc Connel EA. Pointed strategies for needlestick prevention. Nursing Management 1999; 30(1): Canini SRM, Gir E, Hayashida M, Machado AA. Acidentes pérfuro-cortantes entre trabalhadores de enfermagem de um hospital universitário do interior paulista. Rev Latino- Am Enfermagem 2002; 10(2): Centers for Disease Control. HIV/AIDS surveillance report.cdc, Atlanta(EUA).1998 Centers for Disease Control and Prevention. Guideline for infection control in health care personel. Infect Control a Hosp Epidemiol, 2001;19(6):455. Godfre, K. Sharp practice. Nursing Times, 2001;97(2): Hall H, Price C. ANA and RNs Nationwide Celebrate law Aimed at Saving Nurses Lives. [online].[cited June 2001]. Available in:url: <http://www.needlestickorg/pressul/2201/pr htm Heinrich J. Occupacional safety: Selected Cost the Benefit Implications of Needlestick Prevention Devices for Hospitals. United States General Accounting Office. [on line] 2000 Nov. Available in: URL: Holodnick CL, Barkauskas U. Reducing percutaneous injuries in the OR by educational methods. AORN J 2000;72(3): International Health Care Worker Safety Center. Annual number of occupational percutaneous injuries and mucocutaneous exposures to blood or potentially infective biological substances. [on line] [cited Sept ]. Available in: URL: <http://www.virginia.edu/epinet/estimates.html> International Institute for Occupational Safety and Health-NIOSH. Preventing needlestick injuries in health care settings, Cincinnati (EUA), Jagger JB, Perry J. Exposure Safety.OSHA s push toward Safety. Nursing, 2000;30(4):20. Jagger JB; Perry J. Exposure safety. Risk phlebotomy with a syringue. Nursing, 2001;31(2):73. Lawrence, LW et al. The effectiveness of a needless intravenous connection system: no assessment by injury rate and user satisfaction. Infect Control Hosp. Epidemiol. 1997;8: Marcellino IV. O sistema de informações sobre acidentes do trabalho no município de Ribeirão Preto,São Paulo, Brasil no ano de 1998: uma abordagem qualitativa. [Dissertação] Ribeirão Preto(SP): Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP;1999.

8 Marziale MHP, Rodrigues CM. A produção científica acerca dos acidentes do trabalho com material pérfurocortante entre trabalhadores de enfermagem. Rev Latino Am Enfermagem 2002;10(3): Marziale,MHP. Subnotificação de acidentes de trabalho com pérfuro-cortantes entre trabalhadores de enfermagem brasileiros. Rev Brasileira de Enfermagem.2003; 56(2): (a) Marziale,MHP. Ocurrencia de accidentes de trabajo causados por material corto-punzante entre trabajadores de enfermería em hospitales de la región nordeste de São Paulo, Brasil.Ciencia y Enfermería.2003;9(1):21-30.(b). Mendes R. Patologia do trabalho. São Paulo: Atheneu; Napoleão AA. Causas de subnotificação de acidentes de trabalho: visão dos trabalhadores de enfermagem de um hospital do interior paulista. [Dissertação]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP;1999. Napoleão AM, Robazzi MLCC, Marziale MHP, Hayashida M. Causas de subnotificação de acidentes do trabalho entre trabalhadores de enfermagem. Rev Latino Am Enfermagem 2000; 8(3): Occupational Safety & Health Administration-OSHA. Bloodborne Pathogens. [on line] http: Oda LM. et al. AIDS como doença ocupacional. In: Valle S.; Teizeira P. Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar, FIOCRUZ Olkner RK. Acute viral Hepatitis in CECIL. Textbook of Medicine, 20.ed., Philadelphia, Ed. Saunders 1996: Oresntein, R. et al. Protective devices prevent needlestick injuries among health care workers? A.J.I.C.1995;6(6): PENDER, N.J. et al. The Health Promotion Model.. Refinement and Validation. A final Report to the National Center for Nursing Research. DeKalb, Il. Northern Illinois University, School of Nursing and Social Science Research Institute, Rapparini,C; Cardo,D.; Saraceni,V; Machado, A; Côrtes,G. PSBio: sistema de vigilância de acidentes ocupacionais com material biológico ocorridos em serviços de saúde, CD Rom. (Disponível em: Santos NJS; Monteiro ALC; Ruiz EAC. The first case of AIDS due to occupational exposure in Brazil. Braz J. Infect Dis. 2002;6(3): Sarquis LMM. Acidentes com instr;umentos pérfuro-cortantes: ocorrência entre trabalhadores de enfermagem. [Dissertação]. São Paulo: Escola de Enfermagem/USP; Valenzuela Suazo SV. Contribuição ao estudo sobre acidentes do trabalho que acometem os trabalhadores de enfermagem em hospitais chilenos. [Tese]. Ribeirão Preto(SP): Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; World Health Organization. Strategic directions for strengthing nursing and midwifery services. Geneva.2002.

REDE ELETRÔNICA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS BRASILEIROS - USP

REDE ELETRÔNICA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS BRASILEIROS - USP REDE ELETRÔNICA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS BRASILEIROS - USP Maria Helena Palucci Marziale 1 Neide Tiemi Murofuse 2 INTRODUÇÃO: Os avanços conquistados pela

Leia mais

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES INTRODUÇÃO *Cindy Heloisa Silva da Silva - NOVAFAPI *Frida Jéssica de Carvalho e Silva- NOVAFAPI *Renata Giordana de Sousa Andrelino- NOVAFAPI

Leia mais

Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde. Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico.

Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde. Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico. Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico.org Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde 1621134 - Produzido

Leia mais

ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1

ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1 Artigo Orginal 172 ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1 Silvia Rita Marin da Silva Canini 2 Elucir Gir 3 Miyeko Hayashida 4 Alcyone

Leia mais

O-PUNZANTE EN TRABAJADORES DE ENFERMERÍA

O-PUNZANTE EN TRABAJADORES DE ENFERMERÍA Artigo Original 36 RISCOS DE CONTAMIN AMINAÇÃO AÇÃO OCASIONADOS ADOS POR ACIDENTES DE TRABALHO ALHO COM MATERIAL PÉRFURO-COR O-CORTANTE ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM Maria Helena Palucci Marziale 1

Leia mais

Acidentes com materiais perfurocortantes

Acidentes com materiais perfurocortantes Acidentes com materiais perfurocortantes Forma de transmissão: Oral-fecal Riscos biológicos Via respiratória (gotículas ou aérea) Contato Via sanguínea Alto risco Risco Intermediário Sem risco Sangue e

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE Os acidentes de trabalho com material biológico e/ou perfurocortante apresentam alta incidência entre

Leia mais

Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP Tese doutorado

Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP Tese doutorado Uso de dispositivos eletrônicos para melhorar a adesão dos trabalhadores da saúde ao tratamento e seguimento de acidentes ocupacionais com risco biológico Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE RIO GRANDE DO SUL

ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE RIO GRANDE DO SUL CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE

Leia mais

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA. Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA. Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP DISPOSITIVO DE SEGURANÇA Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP No passado e no Presente Novas Tecnologias Cenário Atual Complexidade terapêutica

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ Guilherme Viero, Marlise Shoenhals, Franciele A.C. Follador, Darlan Clóvis Vettorello Rech,

Leia mais

DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein.

DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein. DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein.br Segurança do Paciente => 1999 => Marco => TheError is Human

Leia mais

Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado. Eliane Martinho

Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado. Eliane Martinho Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado Eliane Martinho A SEGURANÇA DO PROFISSIONAL DA SAÚDE ACIDENTES OCUPACIONAIS POR MATERIAIS PÉRFURO- CORTANTES HISTÓRICO 1984

Leia mais

SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas

SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL BIOLÓGICO GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas Dr. Francisco Ivanildo de Oliveira Junior O Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Leia mais

QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Unidade Acadêmica: Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva - NESC/UFG

QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Unidade Acadêmica: Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva - NESC/UFG QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Alline Cristhiane da Cunha MENDONÇA 1 ; Ana Lúcia Queiroz BEZERRA 2 ; Anaclara Ferreira Veiga TIPPLE 3. Unidade Acadêmica: Núcleo

Leia mais

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO Sangue, fluidos orgânicos potencialmente infectantes (sêmen, secreção vaginal, liquor, líquido sinovial, líquido pleural, peritoneal, pericárdico,

Leia mais

WITH NEEDLESTICK MATERIALS AMONG MEMBERS OF THE NURSING TEAM LA PRODUCCIÓN CIENTÍFICA DE LOS AJADORES ADORES DE ENFERMERÍA

WITH NEEDLESTICK MATERIALS AMONG MEMBERS OF THE NURSING TEAM LA PRODUCCIÓN CIENTÍFICA DE LOS AJADORES ADORES DE ENFERMERÍA Artigo de Revisão 571 A PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE OS ACIDENTES DE TRABALHO ALHO COM MATERIAL PERFUROCOR OCORTANTE ENTRE TRABALHADORES ALHADORES DE ENFERMAGEM Maria Helena Palucci Marziale 1 Christiane

Leia mais

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA 101 ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA Sueli Andrade Amaral* Anne Fátima da Silva Sousa** Saadia Oliveira Ribeiro*** Marluce

Leia mais

Nara Rubia Borges da Silva Vitória Maria Lobato Paes

Nara Rubia Borges da Silva Vitória Maria Lobato Paes CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde A PREVENÇÃO DA HEPATITE B ATRAVÉS DA IMUNIZAÇÃO EM CASO DE ACIDENTE COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO DOS TRABALHADORES

Leia mais

CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE EM RELAÇÃO À HEPATITE C

CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE EM RELAÇÃO À HEPATITE C CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE EM RELAÇÃO À HEPATITE C 1 Vieira, E. S.; 2 Cardoso E. M.; 3 Souza, J. R.; 4 Filipini. S. M., 5 Giaretta, V. M. A Faculdade de Ciências da Saúde, Curso de

Leia mais

Acidentes com material biológico em trabalhadores de enfermagem do Hospital Geral de Palmas (TO)*

Acidentes com material biológico em trabalhadores de enfermagem do Hospital Geral de Palmas (TO)* Comunicação breve Maria do Rosário Mascaro Machado¹ Fernando de Almeida Machado² Acidentes com material biológico em trabalhadores de enfermagem do Hospital Geral de Palmas (TO)* Work-related accidents

Leia mais

Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] X Semana da Pesquisa

Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] X Semana da Pesquisa Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] X Semana da Pesquisa O trabalhador de limpeza hospitalar e o acidente com lesão por instrumento perfurocortante Caetana

Leia mais

Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO]

Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] Seminário do Programa de Pós-graduação em Trabalho, Saúde e Ambiente O trabalhador de limpeza hospitalar e o acidente

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE HIV Hepatite B Hepatite C Transmissão sangüínea Mais de 60 diferentes agentes infecciosos 40% dos casos de hepatites B e C 2.5% das infecções pelo HIV Atribuíveis

Leia mais

Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade

Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade I. Elaboração final: março 2008 II. Autores: Alvaro Koenig III. Previsão de revisão: não há IV. Tema: Uso de cateteres intravasculares

Leia mais

ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO

ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO I. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para atuação privativa do Enfermeiro em Aconselhamento Genético, no âmbito da equipe

Leia mais

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Objetivo A Norma Regulamentadora 9 estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E HIV/AIDS: CONHECIMENTOS E PERCEPÇÃO DE RISCO DE IDOSOS DE UMA COMUNIDADE EM JOÃO PESSOA-PB

INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E HIV/AIDS: CONHECIMENTOS E PERCEPÇÃO DE RISCO DE IDOSOS DE UMA COMUNIDADE EM JOÃO PESSOA-PB INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E HIV/AIDS: CONHECIMENTOS E PERCEPÇÃO DE RISCO DE IDOSOS DE UMA COMUNIDADE EM JOÃO PESSOA-PB Nívea Maria Izidro de Brito (UFPB). E-mail: niveabrito@hotmail.com Simone

Leia mais

REBEn. oli II Vanda Elisa Felli. Revista Brasileira de Enfermagem PESQUISA

REBEn. oli II Vanda Elisa Felli. Revista Brasileira de Enfermagem PESQUISA Revista Brasileira de Enfermagem REBEn PESQUISA Rede de Prevenção de Acidentes de Trabalho: uma estratégia de ensino a distância Network Prevention of Accidents at Work: a strategy for distance education

Leia mais

Saúde Coletiva ISSN: 1806-3365 editorial@saudecoletiva.com.br Editorial Bolina Brasil

Saúde Coletiva ISSN: 1806-3365 editorial@saudecoletiva.com.br Editorial Bolina Brasil Saúde Coletiva ISSN: 1806-3365 editorial@saudecoletiva.com.br Editorial Bolina Brasil Chagas de Assis, Dnieber; de Resende, Deisy Vivian; Bernardes da Silva, Andréa Mara; Silveira Miranzi, Mário Alfredo

Leia mais

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP CENTRO CIRÚRGICO Jardim Japonês Centro Cirúrgico Hospital Maternidade Terezinha de Jesus Juiz de Fora (MG) Queimaduras

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE E TRABALHO ENTRE TÉCNICOS DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA - MT

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE E TRABALHO ENTRE TÉCNICOS DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA - MT AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE E TRABALHO ENTRE TÉCNICOS DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA - MT 1 TATIANA CORREA YAMACIRO DOS REIS 2 FRANCIANNE BARONI ZANDONADI 1 Bacharel

Leia mais

HIV/AIDS EM IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA

HIV/AIDS EM IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA HIV/AIDS EM IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA Fabiana Medeiros de Brito (NEPB/UFPB). E-mail: fabianabrito_@hotmail.com Eveline de Oliveira Barros (NEPB/UFPB). E-mail: evinhabarros@gmail.com

Leia mais

Acidente perfurocortante e o profissional de saúde: onde procurar atendimento?

Acidente perfurocortante e o profissional de saúde: onde procurar atendimento? Acidente perfurocortante e o profissional de saúde: onde procurar atendimento? Accidents involving piercing cutting material and the health professionals: where to search for attending? Luanne Nayara Ferreira

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD"

6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD 6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD" 5LFDUGR3DLV Kofi Annan, Secretário Geral O.N.U.: " Saúde e Segurança dos trabalhadores é parte integrante da segurança humana. Como agência líder das Nações Unidas pela

Leia mais

VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers

VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers Acidentes perfurocortantes e HIV VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers Artigo Original RESUMO Objetivo:

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM

Leia mais

RECOMENDAÇÃO CFM Nº 7/2014

RECOMENDAÇÃO CFM Nº 7/2014 RECOMENDAÇÃO CFM Nº 7/2014 Recomendar a adoção de procedimentos, cuidados, tratamentos e precauções aos médicos vivendo com HIV ou com AIDS, assim como seus direitos. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA, no

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Cirurgia Segura: O que muda após a RDC n 36/2013? Adriana Oliveira Abril - 2014

Cirurgia Segura: O que muda após a RDC n 36/2013? Adriana Oliveira Abril - 2014 Cirurgia Segura: O que muda após a RDC n 36/2013? Adriana Oliveira Abril - 2014 Aspectos a serem abordados: Reflexões sobre: O contexto da Aliança Mundial para Segurança do Paciente. Panorama da Regulamentação

Leia mais

Acidente com material pérfuro-cortante

Acidente com material pérfuro-cortante Acidente com material pérfuro-cortante Cássia de Lima Aluna do Curso de Graduação em Enfermagem. Isabel Cristina Kowal Olm Cunha Docente do Curso de Graduação em Enfermagem. Orientadora. RESUMO Existem

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA PORTARIA 1.748 CASSIANA PRATES

IMPLEMENTAÇÃO DA PORTARIA 1.748 CASSIANA PRATES IMPLEMENTAÇÃO DA PORTARIA 1.748 CASSIANA PRATES Serviço de Epidemiologia e Gerenciamento de Riscos Hospital Ernesto Dornelles Tópicos Nos próximos 25min: Hospital Ernesto Dornelles Gestão de Riscos e Segurança

Leia mais

PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C

PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C Renato Nelson Sasso 1, Lauyze Dall"ago Barbosa 2, Janete Lane Amadei 3 RESUMO: As hepatites emergem com problema

Leia mais

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Profilaxia Pós-Exposição ao HIV Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Fatores de risco para infecção ocupacional pelo HIV O risco de infecção ocupacional pelo HIV era aumentado quando: A exposição ocupacional

Leia mais

BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA

BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA Centro Universitário Newton Paiva Escola de Odontologia BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA Maria Aparecida Gonçalves de Melo Cunha O que é biossegurança? O termo biossegurança é formado pelo radical

Leia mais

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2)

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) Página 1 de 6 NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) 7.1. Do objeto. 7.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte

Leia mais

A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho

A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho Esta pesquisa ajuda a avaliar os aspectos relativos à notificação

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Padrão Nível 1 Uso seguro e racional de medicamentos Dimensões da qualidade Aceitabilidade, adequação e integralidade Assistência Farmacêutica

Leia mais

VIGILÂNCIA DE HIV EM SANGUE DOADO: TENDÊNCIA DE SOROPREVALÊNCIA

VIGILÂNCIA DE HIV EM SANGUE DOADO: TENDÊNCIA DE SOROPREVALÊNCIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 VIGILÂNCIA DE HIV EM SANGUE DOADO: TENDÊNCIA DE SOROPREVALÊNCIA Janete Lane Amadei 1 ; Deborah Cristiny Dantas Moreti 2 ; Diego Montanhei 2 ; Dennis Armando

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

Curso de Especialização em MBA EXECUTIVO EM SAÚDE

Curso de Especialização em MBA EXECUTIVO EM SAÚDE Curso de Especialização em MBA EXECUTIVO EM SAÚDE ÁREA DO CONHECIMENTO: Administração. Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em MBA Executivo em Saúde. OBJETIVO DO CURSO:

Leia mais

O engenheiro na equipa de saúde ocupacional: a visão da medicina do trabalho

O engenheiro na equipa de saúde ocupacional: a visão da medicina do trabalho O engenheiro na equipa de saúde ocupacional: a visão da medicina do trabalho Carlos Silva Santos Programa Nacional de Saúde Ocupacional DSAO/DGS 2014 Segurança, Higiene e Saúde do trabalho Organização

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

Secretaria de Saúde PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011

Secretaria de Saúde PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011 PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011 INDICE Introdução... 3 1) Definição da sorologia para HIV do paciente-fonte... 4 2) Locais de atendimento ao acidentado...

Leia mais

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE EM PROFISSIONAIS DA SAÚDE - uma revisão de artigos indexados na Biblioteca Virtual em Saúde,

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE EM PROFISSIONAIS DA SAÚDE - uma revisão de artigos indexados na Biblioteca Virtual em Saúde, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA SOCIAL ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA ANDREA DIAS ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE EM PROFISSIONAIS DA SAÚDE

Leia mais

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO 13/04/2009 Levantamento inédito sobre a situação do controle da infecção hospitalar realizado pelo Conselho Regional

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. PORTARIA Nº 1.927, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014 (DOU de 11/12/2014 Seção I Pág. 82)

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. PORTARIA Nº 1.927, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014 (DOU de 11/12/2014 Seção I Pág. 82) MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO PORTARIA Nº 1.927, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014 (DOU de 11/12/2014 Seção I Pág. 82) Estabelece orientações sobre o combate à discriminação relacionada ao HIV e a Aids nos

Leia mais

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem ANÁLISE DAS NOTIFICAÇÕES DE DENGUE APÓS ATUAÇÃO DO SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR INTRODUÇÃO: A Dengue é uma doença infecciosa febril aguda de amplo espectro clínico e de grande importância

Leia mais

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA Zardo L*¹ Silva CL*² Zarpellon LD*³ Cabral LPA* 4 Resumo O Vírus da Imunodeficiência humana (HIV) é um retrovírus que ataca o sistema imunológico.através

Leia mais

REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE

REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE Prevalência do HIV nas Populações mais Vulneráveis População em geral 0,65% Profissionais do sexo 6,6% Presidiários - 20% Usuários de drogas injetáveis 36,5% REDUÇÃO

Leia mais

I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE São Paulo 17 de setembro de 2014 Realização: Centro de Vigilância Sanitária Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo www.cvs.saude.sp.gov.br

Leia mais

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à :

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à : RISCO BIOLÓGICO Risco Biológico A ocorrência do evento danoso está ligado à : 1) Existência ou não de medidas preventivas Níveis de Biossegurança. 2) Existência ou não de medidas preventivas que garantam

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 047 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 047 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 047 / 2011 Assunto: Equipamentos de Proteção Individual - EPIs. 1. Do fato Solicitado parecer sobre a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) pela equipe de Enfermagem.

Leia mais

Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial

Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Requisitos necessários a todos as subseções

Leia mais

O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM:

O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM: ARTIGO ARTICLE O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA THE IMPACT OFAIDS IN NURSINGPRACTICE: A PUBLICHEALTH PROBLEM Elucir Gir 1, Marinésia A Prado 2, Silvia RMS Canini

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Promoção da Saúde do Trabalhador da Saúde: conscientização acerca do uso de luvas e higienização das mãos pelos

Leia mais

VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP

VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP Andréa Tamancoldi Couto Enfermeira chefe de seção Centro Cirúrgico

Leia mais

O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE*

O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE* O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE* Janaína Verônica Lahm 1 Elizabeth Maria Lazzarotto INTRODUÇÃO: A preocupação com o meio ambiente começou somente no final do século passado,

Leia mais

Prevenção de Infecção de Corrente Sanguínea Associada ao Cateter na Prática. Drª Marta Fragoso NGSA Hospitais VITA fragoso@hospitalvita.com.

Prevenção de Infecção de Corrente Sanguínea Associada ao Cateter na Prática. Drª Marta Fragoso NGSA Hospitais VITA fragoso@hospitalvita.com. Prevenção de Infecção de Corrente Sanguínea Associada ao Cateter na Prática Drª Marta Fragoso NGSA Hospitais VITA fragoso@hospitalvita.com.br Definição de caso de Infecção de Corrente Sanguínea relacionada

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS Elaborado em: 05/01/2011 Autor: Borges 1.Introdução É comum entre empregadores e colaboradores que exerçam cargos de confiança a preocupação em gerir

Leia mais

Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA. Profª MSc Priscilla Céo

Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA. Profª MSc Priscilla Céo Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA Profª MSc Priscilla Céo BIOSSEGURANÇA É o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa,

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Capital

Estrutura de Gerenciamento de Capital Estrutura de Gerenciamento de Capital Estrutura de Gerenciamento de Capital Controle do documento Data Autor Versão Junho/2012 Compliance 001 Agosto/2013 Risk Management 002 Agosto/2014 Risk Management

Leia mais

Palavras-chave: Acidentes Ocupacionais. Risco por Agentes Biológicos. HIV. Hepatite. Notificação de Acidentes de Trabalho.

Palavras-chave: Acidentes Ocupacionais. Risco por Agentes Biológicos. HIV. Hepatite. Notificação de Acidentes de Trabalho. ARTIGO ORIGINAL Acidentes ocupacionais com exposição a material biológico: retr etrato to de uma realidade* Occupational injury involving exposure to biological fluids: a portrait of reality Maria Aparecida

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO: USO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM1

SEGURANÇA NO TRABALHO: USO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM1 SEGURANÇA NO TRABALHO: USO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM1 Elisabeth Alves Silva Martha Maria Macedo Bezerra Rachel de Sá Barreto Luna Callou Cruz Resumo O homem expõe-se

Leia mais

GERENCIANDO O HOME CARE Utilizando os indicadores de desempenho para a melhor tomada de decisão. CONTROLE DE INFECÇÃO DOMICILIAR

GERENCIANDO O HOME CARE Utilizando os indicadores de desempenho para a melhor tomada de decisão. CONTROLE DE INFECÇÃO DOMICILIAR GERENCIANDO O HOME CARE Utilizando os indicadores de desempenho para a melhor tomada de decisão. CONTROLE DE INFECÇÃO DOMICILIAR Dra Carla Guerra Médica Infectologista Pronep-SP Patrocínio: Realização:

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Assistência de Enfermagem à Saúde do Trabalhador Professor: Daniely Oliveira Nunes Gama E-mail: danioliveiranunes@yahoo.com.br

Leia mais

Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho

Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho Assim que ocorrer o acidente Introdução Fluxo AT Com o objetivo de adotar medidas de cuidado e segurança à saúde de médicos, clientes e colaboradores, a

Leia mais

Material preparado e disponibilizado por: Luiz Carlos Ribeiro Lamblet Enfermeiro Epidemiologista do Serviço de. Hospital Israelita Albert Einstein SP

Material preparado e disponibilizado por: Luiz Carlos Ribeiro Lamblet Enfermeiro Epidemiologista do Serviço de. Hospital Israelita Albert Einstein SP Material preparado e disponibilizado por: Luiz Carlos Ribeiro Lamblet Enfermeiro Epidemiologista do Serviço de Controle o de Infecção Hospitalar osptaa Hospital Israelita Albert Einstein SP 2009 Manual

Leia mais

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos, atividades

Leia mais

MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde Objetivo do curso:

MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde Objetivo do curso: Com carga horária de 420 horas o curso de MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1

O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1 O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1 Talita da Conceição de Oliveira Fonseca. Economista Doméstica. Endereço: Rua João Valadares Gomes nº 210, bairro JK, Viçosa-MG. E-mail:

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO FUNÇÃO / REMUNERAÇÃO Médico Infectologista REQUISITO Medicina e Título de Especialista concedido pela Respectiva Sociedade de Classe ou Residência

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: e-mail: ÁREA TEMÁTICA: 1- INTRODUÇÃO

TÍTULO: AUTORES: e-mail: ÁREA TEMÁTICA: 1- INTRODUÇÃO TÍTULO: ANÁLISE DOS ACIDENTES DE TRABALHO COM FLUIDOS BIOLÓGICOS OCORRIDOS COM ESTUDANTES DE NÍVEL MÉDIO E SUPERIOR NOS HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO (HSE), DE 1999 A 2001. AUTORES: Nogueira, Daniele

Leia mais

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente?

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente? O tema Segurança do Paciente vem sendo desenvolvido sistematicamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde sua criação, cooperando com a missão da Vigilância Sanitária de proteger

Leia mais

ANAIS DA 4ª MOSTRA DE TRABALHOS EM SAÚDE PÚBLICA 29 e 30 de novembro de 2010 Unioeste Campus de Cascavel ISSN 2176-4778

ANAIS DA 4ª MOSTRA DE TRABALHOS EM SAÚDE PÚBLICA 29 e 30 de novembro de 2010 Unioeste Campus de Cascavel ISSN 2176-4778 ORGANIZAÇÃO DAS AÇÕES EM SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA NOS MUNICÍPIOS DA 20ª REGIONAL DE SAÚDE DO PARANÁ 1 Viviane Delcy da Silva 2 Neide Tiemi Murofuse INTRODUÇÃO A Saúde do Trabalhador (ST)

Leia mais

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida do relatório técnico

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: BIOSSEGURANÇA Código: ENF- 307 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2013.1

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO - 2001 DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA HOSPITALAR RISCO OCUPACIONAL: SANGUE

Leia mais

Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo

Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo O tabagismo é, reconhecidamente, uma doença crônica, resultante da dependência à droga nicotina, e um fator de risco para cerca

Leia mais

ANÁLISE DOS INDICADORES DE ASSISTÊNCIA AO PACIENTE CIRÚRGICO

ANÁLISE DOS INDICADORES DE ASSISTÊNCIA AO PACIENTE CIRÚRGICO ANÁLISE DOS INDICADORES DE ASSISTÊNCIA AO PACIENTE CIRÚRGICO Thatianny Tanferri de Brito PARANAGUÁ; Ana Lúcia Queiroz BEZERRA. Faculdade de Enfermagem Universidade Federal de Goiás ttb.paranagua@gmail.com;

Leia mais

Soluções para a Segurança do Paciente

Soluções para a Segurança do Paciente Soluções para a Segurança do Paciente Tradução de Adélia Quadros Farias Gomes Para o Centro Colaborador para a Qualidade do Cuidado e a Segurança do Paciente Proqualis 2007 O Programa da Organização Mundial

Leia mais